brulex@bol.com.br
MODULO 02
Parte 01 1
Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas
Revisão de Gestão Ambiental...
brulex@bol.com.br
MODULO 02
Parte 01 2
Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas
Administração de Materiais ...
brulex@bol.com.br
MODULO 02
Parte 01 3
Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas
Administração de Materiais ...
brulex@bol.com.br
MODULO 02
Parte 01 4
Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas
Administração de Materiais ...
brulex@bol.com.br
MODULO 02
Parte 01 5
Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas
Administração de Materiais ...
brulex@bol.com.br
MODULO 02
Parte 01 6
Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas
Compras
Organizaçãoe Objeti...
brulex@bol.com.br
MODULO 02
Parte 01 7
Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas
Compras
Organizaçãoe Objeti...
brulex@bol.com.br
MODULO 02
Parte 01 8
Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas
Compras
Organizaçãoe Objeti...
brulex@bol.com.br
MODULO 02
Parte 01 9
Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas
Compras
Organizaçãoe Objeti...
brulex@bol.com.br
MODULO 02
Parte 01 10
Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas
Compras
Organizaçãoe Objet...
brulex@bol.com.br
MODULO 02
Parte 01 11
Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas
Compras
Organizaçãoe Objet...
brulex@bol.com.br
MODULO 02
Parte 01 12
Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas
Compras
Organizaçãoe Objet...
brulex@bol.com.br
MODULO 02
Parte 01 13
Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas
• Negociação é o processo ...
brulex@bol.com.br
MODULO 02
Parte 01 14
Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas
• Estrategistas negociador...
brulex@bol.com.br
MODULO 02
Parte 01 15
Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas
• Vantagens competitivas –...
brulex@bol.com.br
MODULO 02
Parte 01 16
Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas
• Algumas regras básicas p...
brulex@bol.com.br
MODULO 02
Parte 01 17
Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas
• Orientações básicas para...
brulex@bol.com.br
MODULO 02
Parte 01 18
Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas
Táticas de acordo com o pe...
brulex@bol.com.br
MODULO 02
Parte 01 19
Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas
• Táticas de acordo com o ...
brulex@bol.com.br
MODULO 02
Parte 01 20
Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas
• Táticas de acordo com o ...
brulex@bol.com.br
MODULO 02
Parte 01 21
Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas
• Táticas de acordo com o ...
brulex@bol.com.br
MODULO 02
Parte 01 22
Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas
• Táticasde acordo com o p...
brulex@bol.com.br
MODULO 02
Parte 01 23
Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas
• Bibliografia recomendada...
brulex@bol.com.br
MODULO 02
Parte 01 24
Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas
Cadastro de Fornecedores
•...
brulex@bol.com.br
MODULO 02
Parte 01 25
Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas
Cadastro de Fornecedores
•...
brulex@bol.com.br
MODULO 02
Parte 01 26
Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas
Cadastro de Fornecedores
•...
brulex@bol.com.br
MODULO 02
Parte 01 27
Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas
Cadastro de Fornecedores
•...
brulex@bol.com.br
MODULO 02
Parte 01 28
Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas
Cadastro de Fornecedores
•...
brulex@bol.com.br
MODULO 02
Parte 01 29
Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas
Exercícios Recomendados
• ...
brulex@bol.com.br
MODULO 02
Parte 01 30
Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas
Parceria: Fornecedor x Emp...
brulex@bol.com.br
MODULO 02
Parte 01 31
Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas
Parceria: Fornecedor x Emp...
brulex@bol.com.br
MODULO 02
Parte 01 32
Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas
Parceria: Fornecedor x Emp...
brulex@bol.com.br
MODULO 02
Parte 01 33
Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas
Parceria: Fornecedor x Emp...
brulex@bol.com.br
MODULO 02
Parte 01 34
Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas
Parceria: Fornecedor x Emp...
brulex@bol.com.br
MODULO 02
Parte 01 35
Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas
Exercícios Recomendados
• ...
brulex@bol.com.br
MODULO 02
Parte 01 36
Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas
Licitação e Contratos
• Ne...
brulex@bol.com.br
MODULO 02
Parte 01 37
Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas
Licitação e Contratos
• As...
brulex@bol.com.br
MODULO 02
Parte 01 38
Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas
Licitação e Contratos
• Pr...
brulex@bol.com.br
MODULO 02
Parte 01 39
Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas
Licitação e Contratos
• Pr...
brulex@bol.com.br
MODULO 02
Parte 01 40
Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas
Licitação e Contratos
• Na...
brulex@bol.com.br
MODULO 02
Parte 01 41
Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas
Licitação e Contratos
• Na...
brulex@bol.com.br
MODULO 02
Parte 01 42
Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas
Licitação e Contratos
• Bi...
brulex@bol.com.br
MODULO 02
Parte 01 43
Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas
Estratégias de Compras
• N...
brulex@bol.com.br
MODULO 02
Parte 01 44
Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas
Estratégias de Compras
• P...
brulex@bol.com.br
MODULO 02
Parte 01 45
Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas
Estratégias de Compras
• P...
brulex@bol.com.br
MODULO 02
Parte 01 46
Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas
Estratégias de Compras
• O...
brulex@bol.com.br
MODULO 02
Parte 01 47
Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas
Estratégias de Compras
• O...
brulex@bol.com.br
MODULO 02
Parte 01 48
Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas
Estratégias de Compras
• A...
brulex@bol.com.br
MODULO 02
Parte 01 49
Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas
Exercícios Recomendados
• ...
brulex@bol.com.br
MODULO 02
Parte 01 50
Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas
148
Administração de Mater...
brulex@bol.com.br
MODULO 02
Parte 01 51
Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas
151
Administração de Mater...
���������������������������������������������������������������������������
����������������������������������������������...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Administração de materiais unidade 02 14-06-07 - 151 - ppts 01 slide por folha

244 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
244
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Administração de materiais unidade 02 14-06-07 - 151 - ppts 01 slide por folha

  1. 1. brulex@bol.com.br MODULO 02 Parte 01 1 Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas Revisão de Gestão Ambiental 1 Prof. M.Sc. Alex Casañas +55(61) 8413-0351 - MSN - brulex@hotmail.com - SKYPE - casanasdf Redes Sociais e Parcerias Facebook: Brulex https://www.facebook.com/alex.casanas1 LinkedIn: Brulex http://br.linkedin.com/in/brulex Twitter: @brulex https://twitter.com/#!/brulex Empresa: www.agencialan.com.br – Marketing Digital www.brulex.com.br – Brulex Vantagens – Vantagem mesmo e ter desconto por resto da sua vida. Compre com Segurança Aqui - Parceria entre o Professor Alex com o site Submarino desde 1999 http://www.submarino.com.br/menu/1060/Livros/?franq=131531 2 Administração de Materiais e Patrimônio • Objetivos a serem alcançados: • Gestão de Compras; •Compras – Organização e objetivos; •Introdução às técnicas de negociação; •Cadastramento de Fornecedores. 3
  2. 2. brulex@bol.com.br MODULO 02 Parte 01 2 Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas Administração de Materiais e Patrimônio 3 • Objetivos a serem alcançados: • Gestão de Compras; •Parceria – Fornecedor x Empresa; •Legislação aplicada – Licitação e contratos; •Estratégias de compras. 4 Administração de Materiais e Patrimônio 3 • Objetivos a serem alcançados: •O que é um processo de negociação; •A importância das negociações nas compras de bens e serviços; •A dinâmica de uma negociação e o macroambiente do negociador. 5 Administração de Materiais e Patrimônio 3 • Objetivos a serem alcançados: •Algumas regras básicas para se iniciar uma negociação; •Algumas táticas utilizadas nos processos de negociação. 6
  3. 3. brulex@bol.com.br MODULO 02 Parte 01 3 Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas Administração de Materiais e Patrimônio 3 • Objetivos a serem alcançados: •A nova modelagem industrial; •Os problemas do fluxo logístico de suprimento de materiais; •A importância de uma parceria entre fornecedores e empresas. 7 Administração de Materiais e Patrimônio 3 • Objetivos a serem alcançados: •Os ganhos no processo e na cadeia de suprimentos com as parcerias; •As estratégia para formação de parcerias. 8 Administração de Materiais e Patrimônio 3 • Objetivos a serem alcançados: •As principais atribuições dos órgãos de compras. •Os problemas enfrentados pelos órgãos de compras. •Os processos essenciais para o gerenciamento das compras. . 9
  4. 4. brulex@bol.com.br MODULO 02 Parte 01 4 Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas Administração de Materiais e Patrimônio 3 • Objetivos a serem alcançados: •Os custos incorridos no fluxo de suprimentos; •Processo para o gerenciamento dos custos de compras; •As estratégias de compras para reduzir custos e melhorar os processos de aquisição dos materiais. 10 Administração de Materiais e Patrimônio 11 • WEB+Bibliografia: • Material Prof. Paulo Sérgio Gonçalves, M.Sc. • http://brappsbrasil.com/ • http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8666 cons.htm • http://www.crc­ ce.org.br/crcnovo/download/APOS_LICITACAO.P DF Administração de Materiais e Patrimônio 12 • WEB+Bibliografia: • Material Prof. Paulo Sérgio Gonçalves, M.Sc. • http://brappsbrasil.com/ • http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8666 cons.htm • http://www.crc­ ce.org.br/crcnovo/download/APOS_LICITACAO.P DF
  5. 5. brulex@bol.com.br MODULO 02 Parte 01 5 Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas Administração de Materiais e Patrimônio 13 • WEB+Bibliografia: • Material Prof. Paulo Sérgio Gonçalves, M.Sc. • http://brappsbrasil.com/ • http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8666 cons.htm • http://www.crc­ ce.org.br/crcnovo/download/APOS_LICITACAO.P DF Unidade 02 Gestão de Compras Compras – Organização e objetivos; Introdução às técnicas de negociação; Cadastramento de Fornecedores; Parceria – Fornecedor x Empresa; Legislação aplicada – Licitação e contratos; Estratégias de compras . . Compras Organizaçãoe Objetivos • Neste tópico você vai identificar e explicar: – A importância de uma boa gestão das aquisições. – Os objetivos da função compras. – A administração da compra e a administração do fornecimento. – A centralização e a descentralização das compras. – As responsabilidades do gestor de compras. 15 (Fonte : Fortune / Andersen Consulting - op.cit. In Gazeta Mercantil 12/08/99)
  6. 6. brulex@bol.com.br MODULO 02 Parte 01 6 Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas Compras Organizaçãoe Objetivos • O suprimentos de materiais representa um gasto superior a 50% do orçamento anual de uma empresa industrial. 16(Fonte : Fortune / Andersen Consulting - op.cit. In Gazeta Mercantil 12/08/99) Custos (%) Despesas Gerais Mão-de-Obra Impostos Custos Gerais Materiais e Serviços Compras Organizaçãoe Objetivos • Como todos fazem compras, todos se julgam bons compradores. 17 Compras Organizaçãoe Objetivos • Nosso foco é diametralmente oposto. Há necessidade de bons executivos para atuar na área de compras. 18
  7. 7. brulex@bol.com.br MODULO 02 Parte 01 7 Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas Compras Organizaçãoe Objetivos • Alguns aspectos a considerar: – Economiaglobalizada. – Mercados internacionais. – Custosafetam os níveis de estoques. – Acompanhamentode Preços. – Funçãocompras no desenvolvimentode novos produtos. 19 Compras Organizaçãoe Objetivos • Objetivos da função compras: –Comprar de forma eficiente. –Garantir o suprimento: prazos e quantidades. –Desenvolver um cadastro de fornecedores. –Articular­se internamente e externamente. 20 Compras Organizaçãoe Objetivos • Objetivos da função compras: –Criar rotinas e procedimentos ágeis e com efetivo controle. –Participar do desenvolvimento de novos produtos –Manter­se atualizado em relação ao mercado fornecedor. 21
  8. 8. brulex@bol.com.br MODULO 02 Parte 01 8 Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas Compras Organizaçãoe Objetivos • Blocos organizacionais: – Administração da compra – Administração do fornecimento 22 Compras Organizaçãoe Objetivos • A administração da compra – Envolve as atividades relacionadas aos processosde aquisição de materiais e à contratação do fornecimento. – Atribuiçõesbásicas: • Manutenção dos registros das compras. • Registros de preços – banco de preços das últimas compras. • Realizaras licitações • Fazer negociações para a contratação do fornecimento • Estudar e analisar o mercado fornecedor 23 Compras Organizaçãoe Objetivos • A administração do fornecimento: – Envolve as atividades relacionadas com o controle da execução do contrato de fornecimento dos materiais. – Atribuições básicas: • Acompanhar o andamento dos contratos. • Antecipar eventuais problemas que possam causar atrasos nas entregas programadas. • Manter permanente contato com o fornecedor. 24
  9. 9. brulex@bol.com.br MODULO 02 Parte 01 9 Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas Compras Organizaçãoe Objetivos • Em termos organizacionais a gestão de compras pode ser realizada por meio de: – Compras centralizadas – Compras descentralizadas 25 Compras Organizaçãoe Objetivos • Compras centralizadas: 26 Grupo 1 Grupo 3Grupo 2 Departamento de compras Compras Organizaçãoe Objetivos • Na administração centralizada, um único departamento de compras possui várias unidades. • Normalmente essas unidades são especializadas em determinadas famílias de materiais. – Por exemplo: • Unidade I – responsável pela aquisição de produtos de higiene e limpeza. • – responsável pela aquisição de produtos perecíveis. • I – etc. 27
  10. 10. brulex@bol.com.br MODULO 02 Parte 01 10 Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas Compras Organizaçãoe Objetivos • Compras descentralizadas: 28 Unidade Central Unidade I Unidade II Unidade III Compras Organizaçãoe Objetivos • Na organização descentralizada, cada unidade tem automonia funcional para adquirir qualquer material necessário aos serviços da empresa. • Normalmente essa modalidade organizacional é utilizada em empresas que possuem várias unidades em diferentes regiões. 29 Compras Organizaçãoe Objetivos 30 QUADRO I Centralização e Descentralização � A centralização permite manter um melhor controle global. � A descentralização permite uma maior autonomia funcional das unidades regionais. � A economia de escala é obtida em compras centralizadas mediante o fechamento de contratos e compras de grandes vultos. � A descentralização permite uma maior flexibilidade e sensibilidade na solução dos problemas regionais, pelo conhecimento mais abrangente do problema, das fontes de suprimento, dos meios locais de transporte e armazenagem próximos à região.
  11. 11. brulex@bol.com.br MODULO 02 Parte 01 11 Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas Compras Organizaçãoe Objetivos 31 QUADRO I - continuação Centralização e Descentralização � A centralização permite otimizar a utilização de pessoal, por redução do quadro funcional. � A descentralização permite responder mais rapidamente às necessidades de aquisições de caráter emergencial. � A centralização evita a concorrência danosa entre os compradores regionais e as discrepâncias de preços de aquisição de um mesmo material � A descentralização exerce um melhor gerenciamento de suas funções e de suas necessidades, além de permitir um maior controle. Compras Organizaçãoe Objetivos • Responsabilidades do gestor de compras: – Avaliar fornecedores. – Identificar, selecionar e desenvolver novos fornecedores. – Programar as compras. – Programar as entregas de acordo com as necessidades dos usuários dos materiais. 32 Compras Organizaçãoe Objetivos • Responsabilidades do gestor de compras: –Negociar contratos. –Negociar a forma com que as mercadorias serão entregues. –Acompanhar o mercado fornecedor. 33
  12. 12. brulex@bol.com.br MODULO 02 Parte 01 12 Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas Compras Organizaçãoe Objetivos • Bibliografia de referência: – Dias, Marco Aurélio P – Administração de Materiais – Ed. Atlas – 4a. Edição – pág. 259/267 – Arnold, J.R. Tony – Administração de Materiais – Ed. Atlas – Págs. 208/228 – Baily, P. e outros – Compras – Princípios e Administração – Ed. Atlas – págs. 69/92 34 Exercícios Recomendados • Questões: – Descrevaa função compras. – Discutaa questãoda globalização da economia e seus reflexosna função compras. – Liste e descrevacinco objetivos da função compras. – Quais as vantagens e desvantagensde dividir a função comprasem duas unidades operacionais: administração da aquisição e administração do fornecimento? – Discutaas vantagens e desvantagensdo modelo de comprascentralizadas e do modelo de compras descentralizadas. 35 Técnicas de Negociação • Neste tópico você vai identificar e explicar: – O que é um processo de negociação. – A importância das negociações nas compras de bens e serviços. – A dinâmica de uma negociação e o macroambiente do negociador. – Algumas regras básicas para se iniciar uma negociação. – Algumas táticas utilizadas nos processos de negociação. 36
  13. 13. brulex@bol.com.br MODULO 02 Parte 01 13 Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas • Negociação é o processo por meio do qual as  partes envolvidas se deslocam de suas  posições inicialmente divergentes para um  ponto no qual o acordo passa a ser realizado. 37 Técnicas de Negociação Aula 2017 - O Poder das midias sociais 4m30s • Processo de negociação: 38 Ganho esperado por A Ponto de Acordo Ganho esperado por B Técnicas de Negociação • Estrategistas negociadores: – Estrategistainovador ­ mantém constante  observação do ambiente de seus negócios,  tanto a nível nacional quanto internacional,  utiliza  técnicas de criatividade para  produzir novos serviços, reduzindo custos, e  conhece com profundidade as necessidades  e interesses de seus clientes e clientes em  potencial. 39 Técnicas de Negociação
  14. 14. brulex@bol.com.br MODULO 02 Parte 01 14 Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas • Estrategistas negociadores: – Estrategistacompetitivo­ grande disposição  para assumir riscos, conhece a missão da  empresa por meio de uma visão de longo  prazo, e aproveita as oportunidades que o  ambiente lhe oferece. Busca nichos de  mercado por oferecimento de produtos  adaptados às reais necessidade dos clientes,  mantendo a qualidade e excelente  produtividade. 40 Técnicas de Negociação • Vantagens competitivas: –Informação ­ os consumidores exigem  que os produtos e serviços contenham  cada vez mais informação, ou seja,  conhecimento que os tornem mais  valiosos: “design” , inteligência,  durabilidade, etc. Enfim, tudo que faça  o produto ficar mais útil, fácil de  reparar,leve, forte e econômico para o  cliente. 41 Técnicas de Negociação • Vantagens competitivas: – Diferenciação ­ os consumidores  estão se afastando cada vez mais e  mais dos mercados de massa.  Estão passando a exigir  diferenciações cada vez mais  significativas nos produtos e  serviços que necessitam. 42 Técnicas de Negociação
  15. 15. brulex@bol.com.br MODULO 02 Parte 01 15 Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas • Vantagens competitivas – continuação: – Conscientização ­ os consumidores passivos estão  sendo substituídos por consumidores ativos,  sempre em busca de novas alternativas. São  pessoas conscientes de suas forças e direitos, cada  vez mais apoiadas por grupos autônomos de  proteção de consumidor (ONG ­ Organizações Não  Governamentais) e pelo próprio Governo. No  Brasil, temos a nova lei do Consumidor, uma lei  moderna mundialmente considerada. 43 Técnicas de Negociação • Processo de negociação – estágios 44 Assimilação Fusão União Acordo direto Equilíbrio Barganha Exploração Intimidação Eliminação Violência Técnicas de Negociação • Dinâmica de negociação: 45 Nível de Sondagem Nível de Preferência Nível de Negociação Mínimo Aceitável Nível não Aceitável Pagamento mínimo Pagamento máximo Técnicas de Negociação
  16. 16. brulex@bol.com.br MODULO 02 Parte 01 16 Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas • Algumas regras básicas para iniciar uma negociação: – Estabeleça alternativas de enfoque da questão; – Estruture o critério a ser usado na reunião de negociação; – Planeje todos os detalhes: local, horário, etc; – Examine a possibilidade de usar sua equipe; – Não esqueça das implicações contratuais e o limite de seu  poder de decisão; – Registre formalmente a reunião e os pontos do acordo; – Lembre­se que a linguagem corporal é muito importante,  pois o corpo fala! 46 Técnicas de Negociação • Orientações básicas para negociar: – Vise persuadir e não engodar; – A negociação tem futuridade e requer, portanto,  respeito mútuo; – Tente expurgar o caráter emocional ao longo do  processo; – Não subestime nem superestime seu opositor; – Não caia na armadilha de achar que seus desejos  são iguais aos de seu opositor. 47 Técnicas de Negociação • Orientações básicas para negociar: – Indique claramente o potencial de benefícios de  sua oferta; – Reforce o progresso da negociação, recapitulando  pontos positivos; – Não trate a negociação como um debate.  Mimetize os comportamentos defensivos; – Não titubeie quando tiver que dizer NÃO! 48 Técnicas de Negociação
  17. 17. brulex@bol.com.br MODULO 02 Parte 01 17 Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas • Orientações básicas para negociar: – Resistência, firmeza e espírito competitivo  são atributos que aumentam a credibilidade  de sua negociação; – Tenham em mente que tudo que falamos,  perguntamos e respondemos afeta a  maneira de agir de seu oponente; 49 Técnicas de Negociação • Orientações básicas para negociar: –Não fique aflito em fechar o acordo, dê  um tempo para a maturação e  consolidação das negociações; –A informação é a mola mestra da  negociação, disponha da sua  conseguindo outras de seu oponente. 50 Técnicas de Negociação • Táticas de acordo com o perfil do negociador: – Inquisição ­ 51 Técnicas de Negociação
  18. 18. brulex@bol.com.br MODULO 02 Parte 01 18 Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas Táticas de acordo com o perfil do negociador: – Inquisição ­ a intenção aqui é provocar uma série de perguntas, de forma a que o oponente forneça os dados, com a finalidade de esclarecer certos pontos. Como regra geral, quanto mais curta for a pergunta, tanto mais efetiva ela será. Por exemplo : “Como?” “ Por quê ? “ . Em determinadas circunstâncias, as perguntas que solicitam respostas definidas podem se apresentar como as melhores e mais eficazes. Neste caso, todo cuidado é pouco e o inquisidor deverá ser cauteloso, a fim de evitar uma resposta esperada e uma possível perda de controle; 52 Técnicas de Negociação • Táticas de acordo com o perfil do negociador: –Tudo ou nada 53 Técnicas de Negociação • Táticas de acordo com o perfil do negociador: –Tudo ou nada ­ em consonância com alguma ação já iniciada e de maneira a colocar o oponente em uma situação de opções limitadas, esta abordagem requer o momento certo para ser aplicada; 54 Técnicas de Negociação
  19. 19. brulex@bol.com.br MODULO 02 Parte 01 19 Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas • Táticas de acordo com o perfil do negociador: –Intermediação ­ 55 Técnicas de Negociação • Táticasde acordo com o perfil do negociador: –Intermediação ­ este caso está vinculado àquele negociador que tem um determinado teto limite de flexibilidade na negociação. Passado este limite deverá consultar seus superiores. A abordagem aqui é acertar este limite ou paralisar as negociações, reiniciando­as com o superior do oponente, quando for o caso; 56 Técnicas de Negociação • Táticas de acordo com o perfil do negociador: –O “Caladão” 57 Técnicas de Negociação
  20. 20. brulex@bol.com.br MODULO 02 Parte 01 20 Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas • Táticas de acordo com o perfil do negociador: –O “Caladão” ­ é a tática em que o negociador se mantém taciturno, falando o mínimo possível a fim de forçar a outra parte a falar; 58 Técnicas de Negociação • Táticas de acordo com o perfil do negociador: – Bloqueio 59 Técnicas de Negociação • Táticasde acordo com o perfil do negociador: – Bloqueio­ esta tática tem por finalidade atrasar o progresso da negociaçãoaté que a oportunidade seja mais favorável ou permitir uma nova abordagem por meio da coleta de novosdados. Outra tática,também, consiste em arranjar interrupções previamente combinadas, para paralisar o processo de negociação,com a finalidade de se ter tempo para pensar e analisar melhor a situação; 60 Técnicas de Negociação
  21. 21. brulex@bol.com.br MODULO 02 Parte 01 21 Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas • Táticas de acordo com o perfil do negociador: –Bajulador 61 Técnicas de Negociação • Táticas de acordo com o perfil do negociador: –Bajulador ­ é a tática de enfeitar “ o pavão” em certas ocasiões, em especial quando o negociador sente que o seu oponente aprecia uma lisonja aberta que produz efeito; 62 Técnicas de Negociação • Táticas de acordo com o perfil do negociador: –Balão de ensaio 63 Técnicas de Negociação
  22. 22. brulex@bol.com.br MODULO 02 Parte 01 22 Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas • Táticasde acordo com o perfil do negociador: –Balão de ensaio – tática que consiste em soltar balões de ensaio, exagerando ou diminuindo a importância de alguns pontos, a fim de provocar uma reação de seu opositor, que proporcione informações sobre um ponto de vista importante da negociação; 64 Técnicas de Negociação • Táticas de acordo com o perfil do negociador: –O difícil 65 Técnicas de Negociação • Táticas de acordo com o perfil do negociador: –O difícil – a idéia aqui é dificultar, como por exemplo uma garota que se torna difícil na conquista. A tática consiste em lançar uma posição e transmitir a impressão de que não existe a menor intenção de sair dela. 66 Técnicas de Negociação
  23. 23. brulex@bol.com.br MODULO 02 Parte 01 23 Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas • Bibliografia recomendada: – Dias, Marco Aurélio P – Administração de Materiais – Ed. Atlas – 4a. Edição – págs. 293/296. – Arnold, J.R. Tony – Administração de Materiais – Ed. Atlas – Pág. 297. – Baily, P. e outros – Compras – Princípios e Administração – Ed. Atlas – págs. 238 / 260. 67 Técnicas de Negociação • Questões: – O que você entende por negociação? – Descreva sucintamente um processo de negociação. – O que é um estrategista inovador? – Cite algumas orientações básicas a serem observadas em um processo de negociação. 68 Exercícios Recomendados • Questões: – Que requisitos básicos deverão ser considerados na preparação de um processo de negociação? – Descreva o comportamento básico de um negociador tipo inquisidor. – Que processo envolve a táctica de bloqueio em uma negociação? 69 Exercícios Recomendados
  24. 24. brulex@bol.com.br MODULO 02 Parte 01 24 Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas Cadastro de Fornecedores • Neste Tópico você vai identificar e explicar: – As ameaças às empresas sofrem em relação ao mercado fornecedor. – As metas para a seleção de fornecedores. – Os critérios para avaliação de fornecedores. – A importância de um cadastro de fornecedores. 70 Cadastro de Fornecedores • As fontes de suprimentos precisam: – Responsabilidade – Estabilidade – Habilidade – Experiência – Atuação no mercado 71 Cadastro de Fornecedores • Ameaças às empresas: 72 Financeiras Tecnológicas Empresa Mercado Políticas Naturais
  25. 25. brulex@bol.com.br MODULO 02 Parte 01 25 Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas Cadastro de Fornecedores • Ameaçasnaturais ­ as matérias­primas existentes em abundância na natureza não são inesgotáveis; • Ameaçasfinanceiras ­ flutuações bruscas de moedasfortes, com probabilidade de surgimento de riscos financeiros, são extremamente importantespara o comércio internacional; • Ameaçastecnológicase dos avanços industriais – modificaçõesprofundas na estrutura da concorrência por meio da automação e modernizaçãodos parques industriais. 73 Cadastro de Fornecedores • Ameaças dos mercados ­ alta de preços, oscilações no preço das “commodities”, políticas protecionistas de alguns países, globalização da economia, etc; são fatores que precisam ser estudados; • Ameaças políticas ­ são normalmente criadas com a finalidade de obtenção de um benefício direto ou indireto. 74 Cadastro de Fornecedores • Mapeamento situacional: – A análise detalhada do processo de modificação pelo qual passa o mercado a cada dia, tanto em termos conceituais quanto em termos práticos, identificando seus reflexos e seus impactos no sistema de suprimento da empresa; – Mapeamento e discussão das ameaças e oportunidades que as mutações do mercado geram para a empresa, suas vantagens e desvantagens; – Identificação e análise dos reflexos que tais mutações vão proporcionar tanto em nível organizacional quanto no processo de gerenciamento da empresa; 75
  26. 26. brulex@bol.com.br MODULO 02 Parte 01 26 Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas Cadastro de Fornecedores • Mapeamento situacional: – A conscientização da necessidade de uma permanente atitude de alerta, em termos de percepção e identificação de modificações em processo, suas tendências e as ações preventivas e corretivas que precisarão ser tomadas; – Uma visão detalhada das medidas de caráter preventivo e corretivo que a empresa deverá e poderá preparar para, rapidamente, se adaptar ao novo perfil exigido pela novo ambiente do mercado. 76 Cadastro de Fornecedores • Meta na seleção de fornecedores: – Obter fornecedores que tenham condições de produzir o item desejado, com qualidade, quantidade e prazos necessários; – Que possam se transformar em uma fonte regular de fornecimento de bens e serviços; – Tenham preços competitivos e boas condições comerciais; – Que tenham flexibilidade que permita aumentar ou reduzir as quantidades encomendadas, em curto espaço de tempo. 77 Cadastro de Fornecedores • Dados para cadastramento de um fornecedor: – Tipo de produto que fabrica ou vende. – Capacidade de produção ou de atendimento. – Facilidades de comunicação. – Relacionamento com os clientes. – Posição geográfica de fábrica ou depósito distribuidor. – Preços competitivos. – Relações comerciais – Etc. 78
  27. 27. brulex@bol.com.br MODULO 02 Parte 01 27 Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas Cadastro de Fornecedores • Avaliação de fornecedores – objetivo: – Um razoável processo de intercomunicaçãoentre comprador e vendedor, que permita atingir o objetivo final que é atenderàs necessidadesdos materiais ou dos serviços, dentro dos requisitos exigidos de qualidade, quantidade, prazos de entrega e preços competitivos. – Um fluxo de informações caracterizado por um processo de confiançamútua, tanto nas afirmações quanto nas intenções de ambas as partes. – Um entendimento mútuorelativo aos problemas e condições de cada uma das partes, tanto no que tange à produção quantono que se refere à comunicação. 79 Cadastro de Fornecedores • Avaliação de fornecedores – objetivo: – Um interesse mútuo para a busca de soluções conjuntas e negociadas de problemas comuns, com o cultivo de relações pessoais dentro de um procedimento ético de respeito mútuo e interesses comuns; – Uma contínua melhoria no processo e nos métodos que deverão ser gradualmente ajustados e melhorados a cada nova encomenda; – Uma cooperação por meio de um esforço dinâmico e ativo com vistas a dar cumprimento às condições contratuais 80 Cadastro de Fornecedores • Exemplo de tabela para avaliação de um fornecedor: 81 D iscrim in ação C ritério de Po nde ração �� C apa cid ade da fábrica N ota Peso Total 1.- Projeto de produto 6 2.- Processo de fab ricação 6 3.- M anutenção 4 4.- Capacidade de armazenagem 3 5.- Con trole de qualidade 9 Total 28 �� M áquin as 1.- Capacidade quantitativa 5 2.- Capacitade qu alitativa 5 3.- Qualificação do s Operadores 5 4.- M anutenção 4 5.- Segurança e arran jo físico da fáb rica 3 Total 25 �� P lan ejamento 1.- M étodo de Planejamento 6 2.- Detalhamento das operaçõ es 5 3.- Definição de resp onsabilid ades funcio nais 4 4.- Estu dos d os processos de produ ção 5 5.- Foco na redução d e custos 5 Total 25
  28. 28. brulex@bol.com.br MODULO 02 Parte 01 28 Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas Cadastro de Fornecedores • Inter­relacionamento do processo/suprimento/produto 82 Processo no Cliente Processo no Subfornecedor Processo no Fornecedor Entradas relacionadas ao produto Situação e características do produto Realimentação Realimentação Saídas Relacionadas ao ProdutoSituação e características do produto Realimentação Realimentação Cadastro de Fornecedores • Bibliografia recomendada: – Dias, Marco Aurélio P – Administração de Materiais – Ed. Atlas – 4a. Edição ­ Págs. 297/306. – Arnold, J.R. Tony – Administração de Materiais – Ed. Atlas – Págs. 218/221 – Gurgel, Floriano do Amaral – Logística Industrial – Ed. Atlas – Págs. 131/152. – Baily, P. e outros – Compras – Princípios e Administração – Ed. Atlas – págs. 180/211. 83 Exercícios Recomendados • Questões: –Qual a finalidade do cadastro de fornecedores? –Cite e comente quatro atributos que deveremos buscar nos fornecedores? –Quais são as principais ameaças ás quais as empresas estão sendo submetidas? Comente cada uma delas? 84
  29. 29. brulex@bol.com.br MODULO 02 Parte 01 29 Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas Exercícios Recomendados • Questões: –Qual a importância estratégica da Administração de Compras no que tange ao cadastramento de fornecedores? –Quais as principais metas que deverão ser buscadas quando se realiza uma avaliação das potencialidades dos fornecedores? 85 Exercícios Recomendados • Estudo de caso: – Dias, Marco Aurélio P. – Administração de Materiais – Ed. Atlas – 4a. Edição – págs. 248/ 249. 86 Parceria: Fornecedor x Empresa • Neste tópico você vai identificar e explicar: – A nova modelagem industrial. – Os problemas do fluxo logístico de suprimento de materiais. – A importância de uma parceria entre fornecedores e empresas. – Os ganhos no processo e na cadeia de suprimentos com as parcerias. – As estratégia para formação de parcerias. 87
  30. 30. brulex@bol.com.br MODULO 02 Parte 01 30 Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas Parceria: Fornecedor x Empresa • “Tenha em mente que você e seu parceiro precisam viver juntos. Ao mesmo tempo em que você tem, certamente, que ser o mais rigoroso possível na proteção dos seus próprios interesses, também tem que compreender os interesses do seu parceiro. Caso contrário, o empreendimento conjunto será prejudicado.” (Giorgio Garuzzo – Executivo – IVECO­FIAT) 88 Parceria: Fornecedor x Empresa • Nova modelagem na produção industrial: –Novas formas de organização do trabalho; –Revolução tecnológica com a introdução, em grande escala, da microeletrônica; –Novos padrões de relacionamento entre as empresas. 89 Parceria: Fornecedor x Empresa • Problemas no fluxo logístico de suprimento: –Altos índices de rejeição das peças fabricadas; –Irregularidades nos prazos de entrega; 90
  31. 31. brulex@bol.com.br MODULO 02 Parte 01 31 Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas Parceria: Fornecedor x Empresa • Problemas no fluxo logístico de suprimento: – Contratos inadequados de fornecimento de bens e serviços, não focalizando, especialmente, as responsabilidades das partes; – Crise do setor motivada por reivindicações dos trabalhadores, com a conseqüente paralisação das fábricas e seus desdobramentos no fluxo de produção. 91 Parceria: Fornecedor x Empresa • Novo enfoque ­ comprar ou fabricar: – Suprir internamente ou externamente: ou seja, fabricar com recursos disponíveis ou contratar a fabricação junto a um determinado fornecedor; – Necessidade de novos investimentos em máquinas e equipamentos destinados a produzir internamente peças e/ou componentes; – Necessidade de fechar ou vender unidades da fábrica, em face da decisão de comprar ou fabricar internamente. 92 Parceria: Fornecedor x Empresa • Características do enfoque na manufatura: – Nível de tecnologia de processo por redução do número de estágios de produção, permitindo conseqüentemente um gerenciamento mais adequado; – Demanda de mercado centrada na produção por unidade fabril, na busca da qualidade máxima e satisfação de seus clientes; – Produção focada nas exigências do mercado, evitando­se a formação de estoques reguladores; 93
  32. 32. brulex@bol.com.br MODULO 02 Parte 01 32 Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas Parceria: Fornecedor x Empresa • Características do enfoque na manufatura: – Atividade fabril limitada à sua competência intrínseca; – Definição de garantia de procedimento de qualidade que reduza os processos e os controles. 94 Parceria: Fornecedor x Empresa • Ganhos no processo e na cadeia de suprimentos: – Descentralização gerencial através da subcontratação; – Eliminação ou redução dos estoques, que são transferidos para terceiros pela utilização do sistema just in time; – no fornecimento das peças. 95 Parceria: Fornecedor x Empresa • Ganhos no processo e na cadeia de suprimentos: – Maior relacionamento entre as montadoras e seus fornecedores, em especial, pelo grau de complexidade das peças fornecidas à indústria automotiva e das exigências de qualidade assegurada no fornecimento das peças. 96
  33. 33. brulex@bol.com.br MODULO 02 Parte 01 33 Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas Parceria: Fornecedor x Empresa • Cadeia de contratações e nível de controle de  qualidade: 97 Grande Fabricante Fornecedor Fornecedor Fornecedor Subfornecedor Subfornecedor Subfornecedor 5 ° Nível 3° Nível 2 ° Nível Parceria: Fornecedor x Empresa • Um exemplo típico – Carros Palio e o Uno: – Uno tinha 720 fornecedores, passou para 250  fornecedores, com a reengenharia. – Palio tem somente 119 fornecedores com elevado  ganho no controle e no gerenciamento  operacional. 98 Parceria: Fornecedor x Empresa • Caso Escort/Fiesta da FORD: – Escort empregava 485 fornecedores! – Fiesta emprega somente 147 deles! – Altos ganhos no controle dos contratos e gestão dos  processos de produção dos veículos. 99
  34. 34. brulex@bol.com.br MODULO 02 Parte 01 34 Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas Parceria: Fornecedor x Empresa • Contratos de parcerias: 100 Regras de controle dos Riscos nos contratos de parcerias Controle do Risco Efeito Preço fixo Limitação a inovação Custo mais lucro Promove inovações Compromissos a longo prazo Encoraja investimentos adicionais Renovação permanente Convida a inovanção continuada Opção futura Promove o compromisso a curto prazo. Continuação condicional Controla os compromissos futuros Parceria: Fornecedor x Empresa • Estratégia de cooperação nas parcerias: 101 Objetivo Cooperar para Melhor cobertura do mercado. Combinar os recursos de vendas e combinar produtos. Maior eficiência mercadológica. Alocar novas tarefas de marketing. Melhor propaganda. Ampliar o comprometimento e a criatividade Abrir novos canais. Compartilhar os canais das outras empresas Maior controle dos canais. Aumentar a exclusividade. Melhor suprimento Fortalecer os vínculos de suprimento. Ganhar poder de compras. Reduzir custos de insumos. Facilitar pedidos e entregas. Parceria: Fornecedor x Empresa • Bibliografia recomendada: – Dias, Marco Aurélio P – Administração de  Materiais – Ed. Atlas – 4a. Edição ­ Págs. 297/307. – Gurgel, Floriano do Amaral – Logística Industrial – Ed. Atlas – Págs. 153/160 – Baily, P. e outros – Compras – Princípios e  Administração – Ed. Atlas – págs. 207/211. 102
  35. 35. brulex@bol.com.br MODULO 02 Parte 01 35 Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas Exercícios Recomendados • Questões: – Faça uma análise comparativa entre o paradigma de  produção em massa que se iniciou com a revolução  industrial, com a nova modelagem da economia  mundial. – Cite os principais problemas verificados no fluxo logístico  de suprimento de itens, especialmente na indústria  automobilística.  – Quais são as cinco características de uma empresa  focada na manufatura de acordo com a análise de  Skinner? 103 Exercícios Recomendados • Questões: – Para o desenvolvimento de uma parceria, quais  são os pontos chaves da cadeia produtiva que  precisam ser, necessariamente, estudados? – Comente a formação piramidal japonesa da  cadeia de fornecedores. Qual a finalidade de eles  (japoneses) atuarem até o 5� nível da cadeia? – Na análise dos riscos de uma parceria, que  fatores deverão ser levados em conta?  104 Exercícios Recomendados • Questões: – No cenário de curto e longo prazo, quais são os  principais fatores que influem no desempenho  operacional das empresas? – Considerando algumas  regras básicas para o controle  dos riscos de uma parceria, cite e comente três deles  e respectivos efeitos. – Comente o caso do carro mundial da Fiat ­ Palio e a  nova concepção no gerenciamento do suprimento  dos materiais, peças e componentes utilizados na  indústria automobilística. 105
  36. 36. brulex@bol.com.br MODULO 02 Parte 01 36 Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas Licitação e Contratos • Neste tópico você vai identificar e explicar: – O processo que envolve as aquisições de  materiais. – Os principais termos firmados em contratos de  fornecimento. – Os princípios que regem os contratos. – As modalidades de licitação. – As normas que regem licitações nos órgãos  públicos. 106 Licitação e Contratos • O processo de compras tem início com a solicitação  de uma necessidade de material efetuada pelo  usuário; • Essa solicitação acaba se transformando em um  processo de licitação, ou seja, o setor de compras  faz uma pesquisa de preço no mercado para então  decidir a compra do material; • Essa pesquisa de preço ocorre normalmente entre  os fornecedores cadastrados. 107 Licitação e Contratos • Em linhas gerais, um processo de compras obedece  a um fluxo, tal como o modelo apresentado abaixo: 108 Requisição Busca de fornecedores Licitação Negociação da melhor oferta Contratação do fornecimento Controle e acompanhamento do contrato
  37. 37. brulex@bol.com.br MODULO 02 Parte 01 37 Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas Licitação e Contratos • As negociações envolvem: – Preços – Prazos de entrega – Condições de pagamento – Garantias contratuais – Critérios de inspeção e qualidade – Condições de preço (preço firme ou sujeito a reajuste) – Tipo de embalagem – Transporte – Etc. 109 Licitação e Contratos • A lei 8.666/93 estabeleceu os critérios para a  realização das licitações no âmbito da  administração pública: – Estabelece as formalidades para a realização das  licitações e contratos. – Fixa as modalidades de licitação: • Concorrência pública; • Tomada de preço; • Convite. – Descreve os critérios para o julgamento das propostas. 110 Licitação e Contratos • Princípios que regem os contratos: –Autonomia da vontade – as partes têm  liberdade de contatar, determinar o objeto  do contrato, estabelecer o modelo de  contrato e as condições contratuais. –Obrigatoriedade– o contrato decorre da  manifestação livre das partes contratantes. 111
  38. 38. brulex@bol.com.br MODULO 02 Parte 01 38 Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas Licitação e Contratos • Princípios que regem os contratos: –Relatividade das convenções – os efeitos dos contratos se circunscrevem apenas às partes que nele se abrigam. –Princípio da boa fé – rege a interpretação das cláusulas contratuais, a vigência e conclusão do contrato. 112 Licitação e Contratos • Contrato: – O contrato de compra deverá sempre incorporar um sentido patrimonial. – Os contratos devem atender aos seguintes pontos essenciais: • Vinculação obrigatória por via do consentimento • Autonomia da vontade – liberdade para contratar. • Supremacia da ordem pública – contratos contrários às leis e aos bons costumes são nulos • Obrigatoriedade das convenções – o que as partes estipularam e aceitaram deverá ser cumprido sob pena de execução patrimonial. 113 Licitação e Contratos • Contratosinternacionais: – Importanteobservar as obrigações de ambas as partes. – Comprador e vendedor têm obrigações concernentes ao transporte, seguro e ao embarque dos bens – A International Chambre of Commerce (ICC) publicou um conjuntode condiçõesde embarque, com as suas respectivasinterpretações. – Esseconjuntode condiçõespassou a ser denominado de INCOTERMS. 114
  39. 39. brulex@bol.com.br MODULO 02 Parte 01 39 Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas Licitação e Contratos • Principais termos firmados nas ofertas e contratosde fornecimento de materiais ­ Incoterms: – EXM– Ex Work – na fábrica. – FOR – Free On Rail – posto na estação de trem. – FOT – Free On Truck – posto no caminhão. – FAS – Free Alongside Ship – posto no costadodo navio. – FOB – Free On Board – posto a bordo – C & F – Cust and Freight – custoe frete – CIF – Cust, Insurance and Freight – custo, seguro e frete – C & I – Cust and Insurance – custo e seguros 115 Licitação e Contratos • Na negociações quanto ao transporte é importante observar algumas diretrizes básicas ­ Incoterms: – EXW ­ Ex­Work ­ Nas instalações do fornecedor, o fornecedor não se responsabiliza pelo carregamento dos bens no veículo de transporte. A transferência do risco da carga é realizada nas instalações do fornecedor. Comprador paga todos os custos a partir da entrega. 116 Licitação e Contratos • Na negociações quanto ao transporte é importante observar algumas diretrizes básicas ­ Incoterms: – FAC ­ Free Carrier ­ Quando da entrega aos cuidados do transportador, ou transitário, nomeado pelo comprador, no lugar por este designado. A transferência do risco da carga ocorre no ato da entrega. O fornecedor paga todos os custos até a entrega, inclusive os de exportação. 117
  40. 40. brulex@bol.com.br MODULO 02 Parte 01 40 Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas Licitação e Contratos • Nas negociações quanto ao transporte é importante observar algumas diretrizes básicas ­ Incoterms: – FOB ­ Free on Board. A bordo do navio. A transferência do risco ocorre no ato de atravessar a murada do navio. (ship´s rail). Fornecedor paga todos os custos da transferência de riscos, inclusive os de exportação. 118 Licitação e Contratos • Nas negociações quanto ao transporte é importante observar algumas diretrizes básicas ­ Incoterms: – C&F ­ Cost and Freigh. A bordo do navio. A transferência do risco ocorre no ato de atravessar a murada do navio (ship´s rail). O fornecedor paga todo os custos até a transferência dos riscos, inclusive frete, estiva e desestiva, além dos custos de exportação. 119 Licitação e Contratos • Nas negociações quanto ao transporte é importante observar algumas diretrizes básicas ­ Incoterms: – CIF ­ Cost, Insurance and Freight – A entrega contratual é feita a bordo do navio. O risco de transferência ocorre no ato de a carga atravessar a murada do navio ­ ship´s rail. O fornecedor paga todos os custos até a transferência dos riscos, inclusive frete, seguro, estiva, desestiva, além dos custos de exportação. 120
  41. 41. brulex@bol.com.br MODULO 02 Parte 01 41 Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas Licitação e Contratos • Nas negociações quanto ao transporte é importante observar algumas diretrizes básicas ­ Incoterms: – CPT ­ Carriage paid to... A entrega contratual ocorre na entrega do material, aos cuidados do primeiro transportador ou transitário, escolhido pelo fornecedor. A transferência do risco ocorre no ato da entrega. Fornecedor paga todos os custos até a entrega, inclusive frete, estiva e desestiva, além dos custos de exportação. 121 Licitação e Contratos • Na negociaçõesquanto ao transporte é importante observar algumas diretrizes básicas ­ Incoterms: – CIP ­ Carriage and insurance to …Entregacontratual ocorre quando da entrega aos cuidados do primeiro transportadorou transitário, escolhido pelo fornecedor.A transferência do risco ocorre quando da entregaaos cuidados do primeiro transportador ou transitário, escolhido pelo fornecedor. No ato da entrega.O fornecedor paga todos os custosaté a entrega, inclusive frete, seguro, estiva e desestiva, além dos custosde exportação. 122 Licitação e Contratos • Na negociações quanto ao transporte é importante observar algumas diretrizes básicas ­ Incoterms: – DES ­ Delivered EX­Ship ­ Abordo do navio, no porto do destino pronto para descarga. A entrega contratual ocorre no ato da entrega a bordo do navio, no porto de destino. O fornecedor paga todos os custos até a entrega, inclusive frete, estiva e desestiva, além dos custos de exportação. 123
  42. 42. brulex@bol.com.br MODULO 02 Parte 01 42 Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas Licitação e Contratos • Bibliografia recomendada: – Dias. Marco Aurélio P. – Administração de Materiais – Edição compacta – Ed. Atlas – págs. 274 /277. – Baily, P e outros – Compras – Princípios e Administração – ed. Atlas – págs. 306/307 e 309/319. – Martins & Campos Alt – Administração de Materiais e do Patrimônio – Ed. Thomson/ Pioneira – págs. 42/60. 124 Exercícios Recomendados • Questões: – O que é uma licitação e qual a sua finalidade? – Quais os princípios que regem a liberdade de contratar? – Apresenteum diagrama simplificado do processo de comprase comentesuas diversas fases. – Por que é importante submeteros contratosao exame do departamentojurídico da empresa? – Quais as vantagens de se ter contratospadronizados e licitações definindo as condiçõesde fornecimento tais como: condiçõesde pagamento, critérios de reajustamentode preços, modalidade de aquisição (FOB, ou CIF), etc.? 125 Exercícios Recomendados • Questões: – Quais são os cuidados adicionais que os órgãos de compras deverão ter por ocasião da formalização de um contrato de fornecimento de material? – Que importante documento foi elaborado pela Câmara Internacional do Comércio (ICC)? – Qual é o objetivo das condições padronizadas para o fornecimento de produtos fixadas pelo Incoterms ? 126
  43. 43. brulex@bol.com.br MODULO 02 Parte 01 43 Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas Estratégias de Compras • Neste tópico você vai identificar e explicar: – As principais atribuições dos órgãos de compras. – Os problemas enfrentadospelos órgãos de compras. – Os processosessenciais para o gerenciamentodas compras. – Os custosincorridos no fluxo de suprimentos. – Processopara o gerenciamentodos custosde compras. – As estratégias de compras para reduzir custose melhorar os processos de aquisição dos materiais. 127 Estratégias de Compras • Estruturas antigas da área de compras tinham como finalidade primordial: – A aquisição de bens e produtos externos. – Aumentar a eficiência dos trabalhadores por tarefa. – Aproveitar os ganhos de economia de escala por intermédio de grandes compras. • Objetivo: atender às necessidades básicas da empresa. 128 Estratégias de Compras • Atribuições principais dos antigos/atuais órgãos de compras: – Criar pedidos de compras. – Planejar e receber os materiais. – Selecionar os fornecedores. – Programar a utilização dos materiais/serviços. – Negociar as condições de compras. – Pagar as faturas. – Redigir contratos de fornecimento. 129
  44. 44. brulex@bol.com.br MODULO 02 Parte 01 44 Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas Estratégias de Compras • Problemas enfrentados pelos órgãos de compras: – Grande número de fornecedores (1 mil a 10 mil). – Aumento substancial das atividades que não agregam valor. – Grandes variações nas especificações dos materiais. 130 Fonte: Riggs e Robbines in Supply Management Strategies Estratégias de Compras • Problemas enfrentados pelos órgãos de compras: – Pedidos menores não recebiam a mesma atenção do fornecedor. – As atividades de compras era/é um processo meramente burocrático. – Aumento do custo por transação (US$152, em média, nos EUA). 131 Fonte: Riggs e Robbines in Supply Management Strategies Estratégias de Compras • O processo de gerenciamento de compras permite ao responsável pela área conhecer melhor o mercado que atua, por intermédio de três subprocessos: – Compra em si – Melhoria contínua – Inovação 132 Fonte: Riggs e Robbines in Supply Management Strategies
  45. 45. brulex@bol.com.br MODULO 02 Parte 01 45 Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas Estratégias de Compras • Processos essenciais: 133 Processo de Processo de Compra Melhoria Contínua Definição dos melhores fornecedores Processo de planejamento do fornecedor � Análise do mercado ��Mapeamento da cadeia de valor ��Modelo de custo do fornecedor ��Custo total de propriedade ��Benchmarking ��Melhores fornecedores ��Custo ideal de materiais e serviços Plano para o menor custo de propriedade Consolidação do fornecedor Redução de custos Redução de custos Economia do tempo gasto pelos funcionários Benefícios Conceitos chaves Resultados Fonte:RiggseRobbinesinSupply ManagementStrategies Estratégias de Compras • Os custos no fluxo de suprimentos envolvem: – Na definição da necessidade do material: • Custo de pedido de compra • Tempo investido em reuniões internas – Na aquisição : • Preço de aquisição de material • Existência de estoques • Processo de compras em si • Processo de programação da compra. 134 Fonte: Riggs e Robbines in Supply Management Strategies Estratégias de Compras • Os custos no fluxo de suprimentos envolvem: – Na entrega e recebimento: • Recebimento • Fretes • Estocagem • Transporte interno • Custo de manutenção do armazém 135 Fonte: Riggs e Robbines in Supply Management Strategies
  46. 46. brulex@bol.com.br MODULO 02 Parte 01 46 Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas Estratégias de Compras • Os custos no fluxo de suprimentos envolvem: – No pagamento: • Custo com o processo de contas a pagar. • Tarifas bancárias. • Manutenção do sistema. 136 Fonte: Riggs e Robbines in Supply Management Strategies Estratégias de Compras • Os custos no fluxo de suprimentos envolvem: – Com o uso do material: • Treinamento de pessoal • Desperdício e defeitos • Processo de preparação • Manutenção • Consertos • Reciclagem • Refugos 137 Fonte: Riggs e Robbines in Supply Management Strategies Estratégias de Compras • Os custos no fluxo de suprimentos envolvem: – Na avaliação e mensuração: • Laboratório. • Avaliação e controle de qualidade. • Avaliação do uso. 138 Fonte: Riggs e Robbines in Supply Management Strategies
  47. 47. brulex@bol.com.br MODULO 02 Parte 01 47 Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas Estratégias de Compras • Os custos do gerenciamento de compras podem ser reduzidos em três estágios: – EstágioI – Consolidação do fornecedor – economias de caixa da ordem de 7% a 20% segundo Riggs & Robbins – op.cit. – EstágioII – Melhoria contínua e otimização do fluxo de suprimentos– economia de caixa entre 21% a 40% e melhorias em produtividade dos empregados ­ idem. – EstágioIII – Inovação – aumentossubstanciaisem faturamentoe participação no mercado e redução de custos. 139 Fonte: Riggs e Robbines in Supply Management Strategies Estratégias de Compras • Para atingir os objetivos de redução dos custos, o gerente de comprasdeverá: – Analisar o mercado fornecedor. – Analisar os custosdo fornecedor. – Mapear a cadeia de valor – veja exemplo no slide nº. 9. – Pesquisarno mercado as melhores práticas. – Ter noçõesde análise de balanço e das demonstrações financeiras. – Ter noçõesjurídicas para preparar os contratosde fornecimento. 140 Estratégias de Compras • A gestão estratégica de compras envolve: – Compras: • Definição das necessidades do cliente • Análise do mercado fornecedor • Análise dos custos do fornecedor • Negociação • Implantação do processo e seu acompanhamento. 141 Fonte: Riggs e Robbines in Supply Management Strategies
  48. 48. brulex@bol.com.br MODULO 02 Parte 01 48 Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas Estratégias de Compras • A gestão estratégica de compras envolve: – Melhoria contínua: • Compreensão do uso do material por parte do cliente. • Comparação do uso e das práticas de uso. • Criação de opções. • Avaliação e escolha das opções. • Implantação do plano de melhoria contínua. • Mensuração e aprendizado. 142 Fonte: Riggs e Robbines in Supply Management Strategies Estratégias de Compras • A gestão estratégica de compras envolve: – Inovação : • Definição dos requisitos do cliente. • Busca de novas fontes de inovação. • Criação de opções. • Avaliação das opções. • Seleção entre as opções • Implantação da opção escolhida. 143 Fonte: Riggs e Robbines in Supply Management Strategies Estratégias de Compras • Bibliografia recomendada: – Dias, Marco Aurélio P. – Administraçãode Materiais – Edição compacta– Ed. Atlas – págs. 239/246 – HSM – Management - Riggs e Robbines in Supply Management Strategies - Sumary Report 2 – 2001 – Baily, P. e outros – Compras – Princípios e Administração– Ed. Atlas – págs. 269/289. – Martins, P. C e Campos Alt, P.R – Administração de Materiais e Recursos Patrimoniais – Ed. Saraiva – págs. 286/301. 144
  49. 49. brulex@bol.com.br MODULO 02 Parte 01 49 Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas Exercícios Recomendados • Exercícios: – Descreva a cadeia de valor de um processo típico de compras. – Separe e comente as atividades que agregam valor em um processo típico de compras. – Cite e comente os custos incorridos ao longo do fluxo de suprimentos. – Comente os três estágios estratégicos para redução dos custos no processo de compras. 145 Exercícios Recomendados • Exercícios: – Comente as três estratégias no gerenciamento das aquisições: • Processo de compras. • Processo de melhoria contínua • Processo de inovação – Cite em cada um dos itens anteriores três fases de cada processo. 146 147 Administração de Materiais e Patrimônio • Ao término desta Unidade você deverá ser capaz de: Gestão de Compras Compras – Organização e objetivos Introdução às técnicas de negociação Cadastramento de Fornecedores Parceria – Fornecedor x Empresa Legislação aplicada – Licitação e contratos Estratégias de compras
  50. 50. brulex@bol.com.br MODULO 02 Parte 01 50 Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas 148 Administração de Materiais e Patrimônio • Ao término desta Unidade você deverá ser capaz de: O que é um processo de negociação. A importância das negociações nas compras de bens e serviços. A dinâmica de uma negociação e o macroambiente do negociador. Algumas regras básicas para se iniciar uma negociação. Algumas táticas utilizadas nos processos de negociação. 149 Administração de Materiais e Patrimônio • Ao término desta Unidade você deverá ser capaz de: A nova modelagem industrial. Os problemas do fluxo logístico de suprimento de materiais. A importância de uma parceria entre fornecedores e empresas. Os ganhos no processo e na cadeia de suprimentos com as parcerias. As estratégia para formação de parcerias. 150 Administração de Materiais e Patrimônio • Ao término desta Unidade você deverá ser capaz de: O processo que envolve as aquisições de materiais. Os principais termos firmados em contratos de fornecimento. Os princípios que regem os contratos. As modalidades de licitação. As normas que regem licitações nos órgãos públicos.
  51. 51. brulex@bol.com.br MODULO 02 Parte 01 51 Todos os direitos reservados 1999-2014 (c) Alex Casañas 151 Administração de Materiais e Patrimônio • Ao término desta Unidade você deverá ser capaz de: As principais atribuições dos órgãos de compras. Os problemas enfrentados pelos órgãos de compras. Os processos essenciais para o gerenciamento das compras. Os custos incorridos no fluxo de suprimentos. Processo para o gerenciamento dos custos de compras. As estratégias de compras para reduzir custos e melhorar os processos de aquisição dos materiais.
  52. 52. ��������������������������������������������������������������������������� ��������������������������������������������������������������������������������� �����������������������������������������������������

×