CAPITALISMO & MUNDIALIZAÇÃO
FINANÇAS, CORPORAÇÕES, CONSUMO E INFORMAÇÃO
PÓS GUERRA E (DES)ORDEM MUNDIAL
• GUERRA FRIA E BIPOLARIDADE
• COMPLEXO INDUSTRIAL MILITAR (EUA) CORRIDA
ARMAMENTISTA E PR...
CAPITALISMO MONOPOLISTA FINANCEIRO
COMERCIAL EM ESCALA MUNDIAL
MUNDIALIZAÇÃO E GLOBALIZAÇÃO DO CAPITAL
A nova etapa de desenvolvimento do capitalismo mundial, que surge a partir da déca...
INDÚSTRIA CULTURAL
Em nosso cotidiano nos vemos cercados pelas mais
diferentes formas de mídia. A globalização encontra
su...
No dizer de Umberto Eco, “...a informação não é mais um
instrumento para produzir bens econômicos, mas tornou-se ela
própr...
PERÍODO TÉCNICO CIENTÍFICO INFORMACIONAL
O conceito de Capitalismo informacional elege a tecnologia de informação como o
p...
Sociedade da Informação é um termo - também chamado de Sociedade do Conhecimento ou
Nova Economia - que surgiu no fim do S...
Capitalismo & mundialização
Capitalismo & mundialização
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Capitalismo & mundialização

526 visualizações

Publicada em

aula de capitalismo e mundialização

Publicada em: Economia e finanças
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
526
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Capitalismo & mundialização

  1. 1. CAPITALISMO & MUNDIALIZAÇÃO FINANÇAS, CORPORAÇÕES, CONSUMO E INFORMAÇÃO
  2. 2. PÓS GUERRA E (DES)ORDEM MUNDIAL • GUERRA FRIA E BIPOLARIDADE • COMPLEXO INDUSTRIAL MILITAR (EUA) CORRIDA ARMAMENTISTA E PROGRESSO TECNOLÓGICO • DESCOLONIZAÇÃO Em um esforço para manter a paz, os Aliados formaram a Organização das Nações Unidas, que oficialmente passou a existir em 24 de outubro de 1945, e aprovaram a Declaração Universal dos Direitos Humanos em 1948, como um padrão comum para todas as nações membro. A divisão pós-guerra do mundo foi formalizada por duas alianças militares internacionais, a OTAN, liderada pelos Estados Unidos, e o Pacto de Varsóvia, liderado pela União Soviética; o longo período de tensões políticas e militares da concorrência entre esses dois grupos, a Guerra Fria, seria acompanhado de uma corrida armamentista sem precedentes e guerras por procuração.
  3. 3. CAPITALISMO MONOPOLISTA FINANCEIRO COMERCIAL EM ESCALA MUNDIAL
  4. 4. MUNDIALIZAÇÃO E GLOBALIZAÇÃO DO CAPITAL A nova etapa de desenvolvimento do capitalismo mundial, que surge a partir da década de 1980 pode ser caracterizada como sendo a da "mundialização do capital" (uma denominação precisa para o fenômeno da "globalização"). Na verdade, estamos diante de um novo regime de acumulação capitalista, um novo patamar do processo de internacionalização do capital, com características próprias e particulares se comparada com etapas anteriores do desenvolvimento capitalismo. Popularmente o período será definido como Globalização um dos processos de aprofundamento da integração econômica, social, cultural, política, que teria sido impulsionado pelo barateamento dos meios de transporte e comunicação dos países do mundo no final do século XX e início do século XXI. É um fenômeno gerado pela necessidade da dinâmica do capitalismo de formar uma aldeia global que permita maiores mercados para os países centrais (ditos desenvolvidos) cujos mercados internos já estão saturados. O processo de Globalização diz respeito à forma como os países interagem e aproximam pessoas, ou seja, interliga o mundo, levando em consideração aspectos econômicos, sociais, culturais e políticos. Com isso, gerando a fase da expansão capitalista, onde é possível realizar transações financeiras, expandir seu negócio até então restrito ao seu mercado de atuação para mercados distantes e emergentes, sem necessariamente um investimento alto de capital financeiro, pois a comunicação no mundo globalizado permite tal expansão, porém, obtêm-se como consequência o aumento acirrado da concorrência.
  5. 5. INDÚSTRIA CULTURAL Em nosso cotidiano nos vemos cercados pelas mais diferentes formas de mídia. A globalização encontra sua expressão na capacidade de difusão dos meios de comunicação, em que toda uma forma de comportamento com base nas roupas, música, cinema, vídeo-clips, computadores tende a se tornar bens de consumo, ditos culturais. O conceito de Indústria Cultural é definido pela primeira vez em 1947, pelos próprios Adorno e Horkheimer no qual busca-se afastar da discussão dos meios de comunicação a expressão “cultura de massa”, excluindo de antemão “... a interpretação que agrada os advogados da coisa, como cultura surgindo espontaneamente das massas. Na sua manifestação, a indústria cultural quer fazer crer que o consumidor é rei, um sujeito diferenciado, no entanto, este é objeto. Apenas um elemento de cálculo entre as milhões de pessoas com as quais a indústria cultural se dirige.
  6. 6. No dizer de Umberto Eco, “...a informação não é mais um instrumento para produzir bens econômicos, mas tornou-se ela própria o principal dos bens”. A comunicação torna-se “indústria pesada”, onde o seu conteúdo cultural é produzido por grupos de poder econômico com fins lucrativos, e portanto, fica submetida a todas as leis que regulam a fabricação, saída e o consumo dos outros produtos industriais. A Indústria Cultural é constituída por empresas de comunicação (redes de rádio e TV, gravadoras, jornais, produtoras cinematográficas), além de todo aparato (bens de consumo) ligados à comunicação, tais como, Cds, vídeos, games, aparelhos de TV, som, computadores, roupas, brinquedos, etc. Amparada tecnologicamente pelos seus ramos Complementares esta indústria foi capaz de unificar mercados em escalas globais, criando linguagens universais de expressão, o caso do Rock na música é um exemplo. O desenvolvimento de uma indústria cultura, associada a uma indústria da propaganda faz emergir um modo de vida particular, também conceituado como American Way of Life ou Sociedade do Consumo.
  7. 7. PERÍODO TÉCNICO CIENTÍFICO INFORMACIONAL O conceito de Capitalismo informacional elege a tecnologia de informação como o paradigma das mudanças sociais que reestruturaram o modo de produção capitalista, a partir de 1980. Trata-se de uma teoria que observa a sociedade da virada do século XX para o século XXI, e assinala uma nova realidade de práticas sociais geradas pelas mudanças decorrentes da “revolução tecnológica concentrada nas tecnologias de informação”
  8. 8. Sociedade da Informação é um termo - também chamado de Sociedade do Conhecimento ou Nova Economia - que surgiu no fim do Século XX, com origem no termo Globalização. Este tipo de sociedade encontra-se em processo de formação e expansão. Este novo modelo de organização das sociedades assenta num modo de desenvolvimento social e econômico onde a informação, como meio de criação de conhecimento, desempenha um papel fundamental na produção de riqueza e na contribuição para o bem-estar e qualidade de vida dos cidadãos. Condição para a Sociedade da Informação avançar é a possibilidade de todos poderem aceder às Tecnologias de Informação e Comunicação, presentes no nosso cotidiano que constituem instrumentos indispensáveis às comunicações pessoais, de trabalho e de lazer.

×