NOVAS TECNOLOGIAS,
CONSUMO E
SUSTENTABILIDADE
SER X TER
 O enfoque numa sociedade constituída por indivíduos
com anseios e necessidades próprios – o que toma
forma com...
American Way of Life
 Esse slogan, que existe praticamente
desde o início da colonização da
América do Norte (século XVII...
Crise da Bolsa de Nova
Iorque
 A quebra da Bolsa de Nova Iorque no
ano de 1929 provocou um abalo na
produção em nível glo...
Retomada do crescimento
econômico
 Ao final da Segunda Guerra Mundial, os
Estados Unidos se firmaram como
grandes fornece...
COZINHA AMERICANA
COMUNISMO X CAPITALISMO
 Ao final da Segunda Guerra Mundial, o
mundo ficou dividido em dois grandes blocos,
o comunista, ...
CRÍTICA AO CONSUMISMO
 Enquanto as empresas
cinematográficas se empenhavam em
disseminar a política consumista nos
seus f...
POP ART
DOMÍNIO CAPITALISTA
 A partir dos anos 1980, há uma
gradual desagregação política nos
países comunistas do leste europeu,...
TECNOLOGIA E
GLOBALIZAÇÃO
 A tecnologia sempre foi grande aliada da
produção em massa. Desde o começo
do século XX, o rit...
Desejar-Consumir
 O ritmo de produção sem precedentes das últimas décadas veio
atender à explosão do consumo.
 Para Zygm...
O domínio das transnacionais
Durável? Sustentável?
 Ao mesmo tempo que os limites do
desejo são incalculáveis, a
capacidade humana de criar novos
prod...
Sustentabilidade
 A ideia de sustentabilidade baseia-se na
capacidade de utilizar os recursos do planeta de
forma respons...
Novas Tecnologias e
Sustentabilidade
 Com o nível de consumo em que o
mundo se encontra, pode haver
sustentabilidade?
 A...
Referências:
 BAUMAN, Zygmunt, O mal-estar da pós-modernidade. Trad.
Mauro Gama e Cláudia Martinelli Gama. Rio de Janeiro...
Novas tecnologias _consumo_e_sustentabilidade
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Novas tecnologias _consumo_e_sustentabilidade

299 visualizações

Publicada em

Sustentabilidade

Publicada em: Dispositivos e hardware
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
299
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Novas tecnologias _consumo_e_sustentabilidade

  1. 1. NOVAS TECNOLOGIAS, CONSUMO E SUSTENTABILIDADE
  2. 2. SER X TER  O enfoque numa sociedade constituída por indivíduos com anseios e necessidades próprios – o que toma forma com o pensamento romântico a partir do final do século XVIII – fez que não só o caráter individual começasse a se sobrepor ao coletivo, como também favoreceu a ideia de satisfação material que se voltasse para necessidades individuais.  O desenvolvimento técnico e científico do século XIX favoreceu o incremento da produção em massa, o que permitiu que as pessoas passassem a ter acesso a um número maior de bens de consumo.  Assim, o ser humano começa um percurso cujas preocupações passam a centrar-se cada vez mais na obtenção e gerenciamento de recursos materiais.
  3. 3. American Way of Life  Esse slogan, que existe praticamente desde o início da colonização da América do Norte (século XVII), ganhou força a partir dos anos de 1920, quando o estilo de vida norte-americano passou a ser associado ao bem-estar social vinculado à posse de bens de consumo.  Um emblema desse bem-estar é o automóvel, que, para os norte- americanos, era visto como o símbolo maior do progresso.
  4. 4. Crise da Bolsa de Nova Iorque  A quebra da Bolsa de Nova Iorque no ano de 1929 provocou um abalo na produção em nível global. Houve desemprego e miséria generalizada em vários países, o que comprometeu o desempenho industrial e o consumo até o final da Segunda Guerra Mundial (1945).
  5. 5. Retomada do crescimento econômico  Ao final da Segunda Guerra Mundial, os Estados Unidos se firmaram como grandes fornecedores mundiais de bens de consumo.  O consumismo se disseminou particularmente a partir dos anos de 1950, através de estratégias bem sucedidas de marketing, como a publicidade feita através de filmes e séries de sucesso. Nas séries, um ambiente que se sobressai é a cozinha
  6. 6. COZINHA AMERICANA
  7. 7. COMUNISMO X CAPITALISMO  Ao final da Segunda Guerra Mundial, o mundo ficou dividido em dois grandes blocos, o comunista, liderado pela antiga URSS (União das Repúblicas Socialistas Soviéticas) e o capitalista, liderado pelos Estados Unidos da América.  Se no primeiro a produção era voltada às necessidades das pessoas, no segundo, ela não se reduzia a atender as necessidades pessoais e sociais. A produção de bens de consumo semi-duráveis e duráveis articulou- se com a satisfação dos desejos individuais, já que possuir bens materiais vinculou-se à ideia de felicidade.
  8. 8. CRÍTICA AO CONSUMISMO  Enquanto as empresas cinematográficas se empenhavam em disseminar a política consumista nos seus filmes e seriados, a pop art, movimento estético dos anos 1960, foi um marco na crítica ao consumismo exacerbado. Um artista que se destacou nessa vertente foi o americano Andy Warhol (1928-1987).
  9. 9. POP ART
  10. 10. DOMÍNIO CAPITALISTA  A partir dos anos 1980, há uma gradual desagregação política nos países comunistas do leste europeu, que levará a novas diretrizes econômicas, mais direcionadas ao capitalismo.  Um marco desse momento de desagregação é a queda do Muro de Berlim (1989), símbolo maior da divisão mundial em dois grandes blocos econômicos.
  11. 11. TECNOLOGIA E GLOBALIZAÇÃO  A tecnologia sempre foi grande aliada da produção em massa. Desde o começo do século XX, o ritmo empreendido pela indústria automobilística, com sua linha de produção, fez com que a tecnologia fosse cada vez mais aprimorada em prol não só de ampliar a capacidade produtiva, como também de fazer surgir novos bens de consumo. A revolução da informática, que ocorre em torno dos anos 1980, vai dinamizar esse processo.
  12. 12. Desejar-Consumir  O ritmo de produção sem precedentes das últimas décadas veio atender à explosão do consumo.  Para Zygmunt Bauman, “se o consumo é a medida de uma vida bem-sucedida, da felicidade e mesmo da decência humana, então foi retirada a tampa dos desejos humanos: nenhuma quantidade de aquisições e sensações emocionantes tem qualquer probabilidade de trazer satisfação da maneira como o ‘manter-se ao nível dos padrões’ outrora prometeu...” (1998, p. 56).  “Assim, algo como “o fim da cidadania”, diagnosticado por Zygmunt Bauman, “o declínio do homem público”, por Richard Sennet, “a dissolução do espaço público”, por Hannah Arendt, ou ainda “o esgotamento das energias utópicas”, observado por Jürgen Habermas, leva à percepção de que os cidadãos foram reduzidos à condição de consumidores. Ao consumirem, agiriam centrados em si mesmos, sem se preocuparem com as conseqüências de suas escolhas, não só pela ameaça à integridade dos ecossistemas, mas também de outras pessoas, na maioria das vezes distantes, tanto do ponto de vista geográfico quanto temporal” (PORTILHO, 2005, p. 5).
  13. 13. O domínio das transnacionais
  14. 14. Durável? Sustentável?  Ao mesmo tempo que os limites do desejo são incalculáveis, a capacidade humana de criar novos produtos e da indústria viabilizá-los é infinita.  Porém, os recursos planetários são finitos. Haverá práticas que sejam capazes de equilibrar a balança consumo X recursos naturais? Será possível a aclamada “sustentabilidade” apregoada nos últimos anos?
  15. 15. Sustentabilidade  A ideia de sustentabilidade baseia-se na capacidade de utilizar os recursos do planeta de forma responsável de modo a não comprometer a vida das gerações futuras.  Um empreendimento sustentável segue os seguintes parâmetros: ◦ ecologicamente correto ◦ economicamente viável ◦ socialmente justo ◦ culturalmente aceito
  16. 16. Novas Tecnologias e Sustentabilidade  Com o nível de consumo em que o mundo se encontra, pode haver sustentabilidade?  As novas tecnologias promovem um mundo sustentável? Como?
  17. 17. Referências:  BAUMAN, Zygmunt, O mal-estar da pós-modernidade. Trad. Mauro Gama e Cláudia Martinelli Gama. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1998.  HELLMAN, Caroline. “The Other American Kitchen: Alternative Domesticity in 1950s Design, Politics, and Fiction”. Disponível em http://www.americanpopularculture.com/journal/articles/fall_2 004/hellman.htm. Acessado em 03/10/2010  http://kclibrary.lonestar.edu/decade40html.  http://www.flickr.com/photos/wallyg/562288842/  PORTILHO, F. Consumo sustentável: limites e possibilidades de ambientalização e politização das práticas de consumo. Cadernos EBAP.BR. Rio de Janeiro: FGV, 2005, p. 1-12. Diponível em http://app.ebape.fgv.br/cadernosebape/asp/dsp_lst_artigos_e dicao.asp. Acessado em 11/03/2011. https://www.youtube.com/watch?v=QCoQgRuu050 https://www.youtube.com/watch?v=KeKWbkL1hF4

×