Turismo natureza

326 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
326
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Turismo natureza

  1. 1. Turismo da Natureza Relatório Animação Turística 2011/2012Docente: Rui GomesDiscente: Sara Pereira Gomes nº4080111
  2. 2. Resumo A metodologia utilizada para a elaboração deste trabalho baseou-se na leitura,análise e interpretação de dois artigos fornecidos pelo professor Rui Gomes, que lecciona acadeira de Turismo de Natureza no Curso de Animação Turística. Estes dois artigosinserem-se em temas abordados pelo professor durante este primeiro semestre. Comoforma de assimilar conhecimentos, foi do meu interesse a escolha de um dos artigos“Human-wildlife”, e também por ser um tema que capta imenso a minha atenção e vontade.Posto isto a metodologia que adoptei foi a de não se basear somente em pesquisas, mastambém em conclusões tiradas por mim própria e ainda em conciliação de conhecimentosanteriormente adquiridos, bem como em apoio de alguns trabalhos anteriores. 2
  3. 3. ÍndiceIntrodução..........................................................................................................................4Abstract ............................................................................................................................5 - Humano – Vida selvagem, conflitos em Monduli District, TanzaniaConclusions and Recomendations ..................................................................................6 - TraduçãoHuman-wildlife e Paradoxes, como se relacionam? ............................................................7Conclusão........................................................................................................................ 11Webgrafia ........................................................................................................................ 12 3
  4. 4. Introdução O presente trabalho foi proposto no âmbito da disciplina de Turismo da Natureza, emque nos foi pedido algumas tarefas em torno do mesmo, resultando numa comparação entredois documentos diferentes mas que no fundo de relacionavam. Ao longo do trabalho vão ser falados alguns temas da actualidade, tais como a vidaselvagem, o ecoturismo, Turismo de Natureza, entre outros assuntos, e a forma como sãovistos e encarados pela nossa sociedade nos dias de hoje. Através do mesmo é da minhaexpectativa que tal como eu qualquer quer pessoa que leia o meu trabalho fiquesensibilizada e interessada pelos temas a serem tratados. Como é de esperar este é apenasuma síntese de todos os documentos que tive de analisar e também de alguma pesquisa daminha parte. 4
  5. 5. Abstract Humano – Vida selvagem, conflitos em Monduli District, TanzaniaAbiud Kaswanila*Departamento de Geografia Estudos Ambientais, Universidade de Dodoma, Dodoma,Tanzania Uma avaliação de uso territorial foi realizada em três aldeias semi-áridas dentro doecossistema Tarangire-Manyara que são importantes áreas de vida selvagem, e de rotasmigratórias que ligam as áreas protegidas do norte da Tanzania. Os dados foram recolhidosatravés de entrevistas a domésticos e extendidas ao staff, e foram alcançados pelosgabinetes do governo da aldeia e pelos seus visitantes. Os conflitos variaram entre aldeias eforam maioritariamente a nível de fronteiras com o “Lake Manyara National Park (LMNP)”.Eles incluíram a destruição de culturas e a depredação de animais selvagens, escassez deterras, perda de terras de Manyara Ranch para a Tanzania Lands Conservation Trust(TLCT), que impôs restrições a pastagem e insuficientes zonas de amortecimento. Umaanálise do género de conflitos difere entre aldeias. Algumas medidas de mitigação sãosugeridas por ambas as comunidades locais e staff de extensão local. Estas incluem arealização de benefícios económicos da vida selvagem – empresas relacionadas,recolocação da população em áreas de baixa densidade, implementação de esquemas decompensação para a destruição causada pela vida selvagem, intensificação de patrulhas,vedações do parque, necessidade de planos de uso da terra e necessidade das aldeias paraformular a gestão dos seus próprios recursos naturais pela lei. O documento conclui-se comuma série de recomendações. Palavras-chave: Ecossistema Taragire-Manyara; Conflitos de uso de terras; Rotasmigratórias da vida selvagem; Parque Nacional; Áreas semi-áridas. 5
  6. 6. Conclusions and Recomendations (tradução) Os conflitos do uso das terras levaram a um antagonismo entre comunidades locaise agentes de conservação e agiram com desincentivo para a conservação edesenvolvimento. Os resultados desta investigação indicaram claramente que onde apopulação local não se encontrava envolvida no que respeita a tomada de decisões sobreas grandes questões que afectam os seus meios de subsistência, aumentava o conflito.Além disso as políticas são requeridas de forma a encorajar o desenvolvimento deinstituições administrativas locais e que levam em conta as características socioculturais daaldeia em causa. O corrente sistema de administração da aldeia são burocráticos e políticos. Para atenuaros conflitos em áreas adjacentes às áreas protegidas recomenda-se o seguinte:  Implementar politicas orientadas para a capacitação de comunidades locais no terreno, por exemplo a formação de aCBOs ou Authoride Assocition National Umbrella Organizations para representar interesses das comunidades locais ()ex. compensação, uso de recursos da vida selvagem, partilha equitativa de benefícios, incentivos á conservação etc.) a altos niveis governamentais tais como o Ministério ou o Parlamento.  Fortalecimento da gestão dos departamentos ambientais a nível de distritos e aldeias para facilitar a monitorização de desenvolvimentos indesejáveis nos corredores da vida selvagem e processar infractores.  Mais apoio legal e conteúdo político a ser estabelecido ao lado de planeamento efectivo, por exemplo permitindo políticas e legislação na repartição de benefícios, provisão de alternativas para restrições de recursos, etc.  Provisão de desincentivos para a não compatibilidade da conservação no uso de terras na vida selvagem tais como a produção agrícola. 6
  7. 7. Human-wildlife e Paradoxes, como se relacionam? O artigo “Human - wildlife”, refere-se a um estudo realizado em três aldeias semi-áridas dentro do ecossistema Tarangire-Manyara, sendo estas muitíssimo importantes noque toca a vida selvagem e também a rota migratórias que se interligam ao Territórioprotegido na Tanzania do Norte. Através deste estudo foi possível encontrar quer prós quercontras no que respeita a vida selvagem e todo o seu envolvente, visto estar inserido nummeio humano. Explicando de forma mais simplificada, a questão pertinente que se coloca éaté que ponto a mão humana interfere com a natureza e todo o seu meio, e também de queforma o meio natural pode interferir com a nossa sociedade, dito desta forma. Para talestudo foi necessária a avaliação de certos parâmetros tais como o ecossistema deTarangire – Manyara, o clima e sua hidrologia, as actividades socioeconómicas, bem comouma recolha de dados e respectiva interpretação e análise. Este estudo foi resultado da acção por parte de “Tanzania lands conservation trust”,que se trata de uma organização não governamental, que tem como objectivo alcançar aconservação da biodiversidade enquanto suporta comunidades. O principal objectivo destaorganização é a protecção das terras através da compra ou doação para a conservação davida selvagem e também a promoção do ecoturismo, turismo cultural e praticas pastoríciassustentáveis que beneficiam as comunidades locais e outras partes interessadas. As zonas em questão estão representadas na seguinte imagem: 7
  8. 8. Figura1A recolha de dados foi feita de variadas formas inserindo-se em:  Questionários domiciliários simples: Questionários semi-estruturados administrados em 261 pessoas locais, utilizando uma amostram aleatória simples - método de amostragem em que as três aldeias referidas na figura anterior se encontram presentes.  Entrevistas estendidas a a trabalhadores da aldeia: -Seis locais estendidos a gabinetes relacionados com gestão dos recursos naturais e desenvolvimento da comunidade foram entrevistados como um meio de triangulação as informações obtidas de outras fontes, e para captar a sua interpretação e experiencias em relação a conflitos nas suas respectivas estações de trabalho relativos a Humanos – vida selvagem. 8
  9. 9.  Visitas de campo: Foram realizadas em cada aldeia visitas aos locais de forma a avaliar o grau de degradação da terra, a intervenção humana sobre os habitats / áreas de dispersão de culturas e destruição por parte da vida selvagem.  Arquivo de resultados Arquivar dados relativos ás perdas de colheitas e gado devido á depredação da vida selvagem vindo o acesso aos mesmos por parte dos gabinetes do governo da aldeia. Sendo o Planeta algo que pertence a todos, todos e cada um de nós é responsávelpelo património natural e cultural, assim devido ao fluxo de pessoas por todo o globo devidoao Turismo, este faz parte de uma crucial vertente no que respeita a preservação doambiente. O contacto com a Natureza pode prejudica-la irreversivelmente. Faz portanto todo osentido e tendo como base o antigo artigo e em comparação com o Paradoxo, projectar aprotecção do meio ambiente, originando assim o Turismo Ambiental, o Ecoturismo, que sealia as componentes ecológicas, ambiental e também turística. Esta é uma forma de criarlaços ente o ambiente e o património, mas de uma forma responsável, tendo como principioo Respeito por tudo aquilo que nos rodeia. “Fulcral é também o relacionamento com apopulação nativa e a aposta numa relação que concilie um desenvolvimento económico,potenciando os benefícios das comunidades locais, sem perder de vista a importância dapreservação da Natureza” Como filosofia de desenvolvimento em relação ao ecoturismo e o seu envolventeprocura-se o desenvolvimento das comunidades e a preservação do meio ambiente. Apesarde tudo, ecoturismo trata ser algo único e de dimensões distintas. Um eco turista viaja para áreas naturalmente belas, e a sua visita resulta embenefícios locais – ambientais, culturais e também economicamente.Posto isto, são diversos os tipos de turismo, sendo eles:  Turismo de Natureza – consiste em actividades de outdoor, utilizando recursos naturais;  Turismo cultural - consiste em viajar para locais em que seja possível estudar a cultura ou então participar;  Turismo rural – Viajar para participar em trabalhos rurais; 9
  10. 10.  Turismo vida selvagem – Viajar para áreas em que a vida selvagem pode ser observada;  Turismo de aventura – Viagens que envolvam risco, perigo e adrenalina, um tipo de turismo que requer alguma condição física. Ao longo de todo este trabalho, que se trata de uma reflexão de ambos os documentosfornecidos, neste caso um artigo e o paradoxo, é impossível não referir o turismosustentável, que é falado várias vezes ao longo de ambos, e sempre de forma bastantealusiva e importante. Assim sendo e numa breve descrição Turismo sustentável insere-senos seguintes parâmetros:  Abrangente – social, cultural, ambiental, económico, e político;  Iterativo /Dinâmico – responder prontamente a mudanças ambientais e políticas;  Integrativo: Funcionando dentro de abordagens mais amplas para o desenvolvimento da comunidade;  Orientados para a comunidade – Todos as necessidades dos envolvidos pela comunidade envolvida;  Renováveis – Incorporando princípios que levem em conta as necessidades das gerações futuras;  Orientar objectives – um portfolio de objectivos realísticos resultam numa igualdade na distribuição de benefícios.Assim sendo, e em conclusão ficam aqui alguns dos Princípios do Ecoturismo:  Da natureza nada se tira a não ser fotos.  Nada se deixa a não ser pegadas.  Nada se leva a não ser recordações. 10
  11. 11. Conclusão Com a elaboração deste pequeno relatório, é impossível referir o facto de que ambosos documentos que tive de ler, e analisar contribuíram de facto para um acumular de novosconhecimentos. Além de reavivar a memória para alguns dos problemas actuais, e a formacomo se lida actualmente com os mesmos, permitiu também tomar conhecimentos de novasmedidas, de novas acções, de novos horizontes. De facto ao início achei um trabalho bastante exaustivo, pois o facto de ser eminglês, tornou-o mais trabalhoso, não por ter dificuldade na língua, antes pelo contrário, massim porque exigiu um nível de concentração maior da minha parte. No entanto e além desteaspecto, captou a minha atenção e o meu interesse para certos aspectos referidos, o queme levou a fazer as minhas próprias pesquisas. Já para não referir o facto de que o artigoescolhido por mim “Human - Wildlife”, me fez recordar um outro trabalho para a disciplina deInterpretação do Património, que tratava da análise e interpretação do seguinte documento:“Visitors to Litchfield National Park, Australia: A Typology Based on Behaviours, por ChrisRyan “. Agora concluido este trabalho para a disciplina de Turismo da natureza, é-mepossível e inevitavelmente na minha reflexão fazer algumas comparações, já que em ambosos documentos foram realizados estudos sobre a natureza, a vida selvagem entre outrasenvolventes. Para concluir termino com estas duas frases, que devo dizer, decerta forma mefizeram refletir: “I believe sustainable use is the greatest propaganda in wildlife conservation atthe moment.” - Steve Irwin “Plans to protect air and water, wilderness and wildlife are in fact plans to protectman.” – Stewart Udall 11
  12. 12. Webgrafia- Department of Geography & Environmental Studies, University of Dodoma, Dodoma, Tanzania, “International Journal of Biodiversity Science & Management” - Vol. 5, No. 4, December 2009, 199–207- Björk Peter, Definition Paradoxes: From concept to definition- http://perderpaises.webs.com/ecoturismo.htm- http://pt.wikipedia.org/wiki/Ecoturismo- http://www.atitudessustentaveis.com.br/sustentabilidade/turismo-sustentavel-o-que-e- turismo-sustentavel/ 12

×