Apresentação

272 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia, Turismo
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
272
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação

  1. 1. Apresentação O Diagnóstico dos Pescadores Artesanais do Estado de Pernambuco é uma iniciativa pioneira em projetos do tipo, visto sair da tradicional metodologia acadêmica que apresenta em seus trabalhos uma linguagem técnica bem específica. O contexto desta publicação se distância do campo puramente científico para adentrar nas necessidades de planejamento e gestão pública, sendo fruto da demanda do governo estadual e principalmente dos próprios pescadores. Diante de uma realidade tão complexa dessas comunidades, três pontos foram traçados objetivando uma melhor interpretação dos fatos: o primeiro ponto está relacionado ao número de entrevistas, que neste caso, procurou abordar o máximo de pessoas possíveis; o ponto seguinte partiu do comprometimento com a linguagem, que deveria ser de fácil acesso, assim como, da retirada das tradicionais referências bibliográficas do corpo do texto, as quais seriam utilizadas realmente quando necessárias. Por último, restou o comprometimento de organizar uma série infinita de dados, que facilitassem e prendessem a atenção do leitor na busca por informações detalhadas de cada região, comunidade ou aspectos mais particulares.
  2. 2. O presente diagnóstico está apresentado em quatro volumes devido à complexidade de informações. O volume I ou inicial, aborda de uma forma generalizada, os elementos dos municípios e das comunidades que encontram-se detalhados nos livros restantes. Consta neste volume: a introdução, a metodologia, os resultados estatísticos das áreas litorâneas estudadas, as principais considerações finais obtidas, além de toda a estatística realizada na Ilha de Fernando de Noronha. Estão presentes também, resumos de outros Diagnósticos da Pesca realizados no Estado, para caso o leitor deseje alguma informação complementar. Igualmente, ao invés de referências bibliográficas o trabalho traz uma série de bibliografias sugeridas, no intuito de oferecer mais subsídios ao leitor sobre a pesca artesanal. A divisão em quatro áreas foi embasada nas condições geológicas e geomorfológicas, ecossistemas aquáticos, ocupação demográfica e atividades pesqueiras. Os volumes seguintes, II, III e IV, correspondem às áreas Norte, Metropolitana e Sul, respectivamente. Esses livros reúnem os resultados estatísticos específicos por municípios e comunidades, bem como observações e análises realizadas. Constam ainda, de entrevistas com técnicos e/ou pessoas envolvidas nas questões da pesca artesanal, de características sócio-ambientais e de conclusões. O arquipélago de
  3. 3. Fernando de Noronha, quarta área, se faz presente no volume I, anteriormente citado. Encontra-se incorporado neste livro, devido as suas condições atípicas de afloramento vulcânico da Cordilheira Meso-Atlântica e profundidade de 4.000 m, assim como pelo distinto tipo de pesca que realiza. O interesse é que este trabalho sirva como base de análise para diversos públicos, não só o governo ou os movimentos sociais dos pescadores, mas também, estudantes, organizações não governamentais e os próprios atores do processo: os pescadores artesanais e seus familiares. A parceria entre o Instituto Oceanário e a Universidade Federal Rural de Pernambuco, através do Departamento de Pesca e Aqüicultura, foram fundamentais, assim como outras instituições científicas, organizações sociais e especialmente o Movimento dos Pescadores de Pernambuco (MOPEPE) Luiz Lira Coordenador da Pesquisa Diagnóstico

×