Perdão e Reconciliação:  Ferramentas para as medidas sócio-             educativas.Trabalho com Jovens em conflito c/ a Le...
CENTRO DE DIREITOS HUMANOS E        EDUCAÇÃO POPULAR             30 anos...Defendendo direitos humanos.Atuando pela supera...
ESPERE e Práticas Restaurativas com    adolescentes em conflito com a lei Entre 2007 e 2010, o CDHEP formou 52educadores d...
ESPERE e Práticas Restaurativas com    adolescentes em conflito com a leiA formação esta baseada na ESPERE e na JRNova pos...
ESPERE e Práticas Restaurativas com      adolescentes em conflito com a leiImportância de pensar uma formação para atuar  ...
Percebe-se que os educadores(as) têm um desejogrande de melhorar seu desempenho.Várias reflexões com eles incluem assuntos...
ESPERE e Práticas Restaurativas com    adolescentes em conflito com a lei•Como reduzir a criminalidade e reincidenciajuven...
ESPERE e Práticas Restaurativas com  adolescentes em conflito com a leiComo pensar em diminuicao da violencia numasociedad...
ESPERE e Práticas Restaurativas com adolescentes em conflito com a lei   Isso    nos leva a pensar ao novo   paradigma da ...
Para entender o conflito ou o crime, é muitoimportante que saibamos os fatos, entendamos ascausas e compreendamos os senti...
Estudo de caso – curva do conflito                                              Assalto a                                 ...
A curva do conflito pode ajudar a mapear a situação devulnerabilidade social dentro de seu processo histórico,convidando p...
Reconciliação                   Agressão                                                          Ato de agressão         ...
ESPERE e Práticas Restaurativas com      adolescentes em conflito com a lei• Afirmação do conflito: Encarar, falar e refle...
ESPERE e Práticas Restaurativas com adolescentes em conflito com a leiDa mesma maneira os jovens são convidados a• elabora...
O PROCESSO1. Formação e capacitação dos educadores (as) nametodologia da EsPeRe e Práticas Restaurativa.2. Os educadores(a...
ESPERE e Práticas Restaurativas com adolescentes em conflito com a leiOs jovens são convidados a•elaborar a dor,•se perdoa...
Três valores estãosubjacentes a esta tarefa: Respeito Responsabilidade Reintegração das relações             www.cdhep.org...
Três valores                       Três açõesRespeito                       Acolher –                               Reconh...
Quando são chamados a responsabilização, osadolescentes e jovens podem confrontar-seefetivamente com a situação e buscar a...
É POSSIVEL SER DIFERENTE......Aplicação da ESPERE com jovens emsituação de vulnerabilidade e quecumprem medida socioeducat...
É POSSIVEL SER DIFERENTE......TEMAS: Por uma Cultura de Paz, Perdão e JustiçaRaiva e Violência e sua expressãoConseqüência...
“Foi mais importante quando pude falar                                               sobre meu problema”                  ...
www.cdhep.org.brandrea.arruda@cdhep.org.br
Encuentro Nacional de Animadores ESPERE, Brasil, marzo de 2011.
Encuentro Nacional de Animadores ESPERE, Brasil, marzo de 2011.
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Encuentro Nacional de Animadores ESPERE, Brasil, marzo de 2011.

3.137 visualizações

Publicada em

Del 16 al 19 de marzo de 2011, se adelantó en Brasil el Encuentro Nacional de Animadores de las Escuelas de Perdón y Reconciliación. Andrea Arruda del Centro de Derechos Humanos y Educación Popular comparte sus reflexiones sobre las herramientas de las ESPERE en el trabajo con jóvenes en problema con la ley.

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.137
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2.452
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
13
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Encuentro Nacional de Animadores ESPERE, Brasil, marzo de 2011.

  1. 1. Perdão e Reconciliação: Ferramentas para as medidas sócio- educativas.Trabalho com Jovens em conflito c/ a LeiCentro dos Direitos Humanos e Educação Popular São Paulo março 2011
  2. 2. CENTRO DE DIREITOS HUMANOS E EDUCAÇÃO POPULAR 30 anos...Defendendo direitos humanos.Atuando pela superação da violência.Formando cidadãos participativos eatuantes.Promovendo acesso à justiça.
  3. 3. ESPERE e Práticas Restaurativas com adolescentes em conflito com a lei Entre 2007 e 2010, o CDHEP formou 52educadores dos Núcleos de Proteção Especial(NPPE) que acompanham jovens entre 12 – 21 anosem conflito com a lei e profissionais da área deassistência social das sub-prefeituras.
  4. 4. ESPERE e Práticas Restaurativas com adolescentes em conflito com a leiA formação esta baseada na ESPERE e na JRNova possibilidade de acolher o conflito e atuar para transformar situações
  5. 5. ESPERE e Práticas Restaurativas com adolescentes em conflito com a leiImportância de pensar uma formação para atuar em situações de conflitos, que tem como foco: *Comunicação assertiva *Ferramentas da alfabetização emocional (“eu- mensagens”, escuta ativa, perguntas abertas) *Abordagens restaurativos para ajudar na transformação de conflitos: curva de conflito e círculos restaurativos.
  6. 6. Percebe-se que os educadores(as) têm um desejogrande de melhorar seu desempenho.Várias reflexões com eles incluem assuntos como:Qual é nosso papel como educador no NPPE?Quem é o adolescente ou jovem com quem nóstrabalhamos?O que significa justiça e perdão em nosso contexto? 6
  7. 7. ESPERE e Práticas Restaurativas com adolescentes em conflito com a lei•Como reduzir a criminalidade e reincidenciajuvenil e a violencia?Como trabalhar a MSE como possibilidade deresponsabilizaçao, desenvolvimento da empatia darestauraçao e de acionamento do SGD? E nãocomo uma forma retributiva de responder a umato?Como trabalhar a afirmaçao social de que odelinquente deve ser punido para que a vitima 7encontre a paz?
  8. 8. ESPERE e Práticas Restaurativas com adolescentes em conflito com a leiComo pensar em diminuicao da violencia numasociedade desigual e preconceituosa?Em resposta as questoes levantadas podemospensar:Impossivel pensar segurança social semarticulaçao e participacao de diversos segmentospublicos e sociais, ja que seguranca publica é“problema” de todos
  9. 9. ESPERE e Práticas Restaurativas com adolescentes em conflito com a lei Isso nos leva a pensar ao novo paradigma da Segurança Publica: focado no cidadão, promotores de direitos humanos, participação social valorizada. Penas e medidas alternativas como menor reincidência, ação conjunta, cultura de paz
  10. 10. Para entender o conflito ou o crime, é muitoimportante que saibamos os fatos, entendamos ascausas e compreendamos os sentidos que estãoem sua raiz.Talvez assim nossa intervenção possa ser maisacertada.Propomos duas ferramentas para essa analise: acurva do conflito e ciclo da violência de OlgaBotcharova
  11. 11. Estudo de caso – curva do conflito Assalto a mão armadaIntensividade Moradia com a avó enferma Curva de conflito do Morte da Caso João Não mãe reconhecimento pelo Pai Nascimento Curva de conflito ideal 17 anosTemp o
  12. 12. A curva do conflito pode ajudar a mapear a situação devulnerabilidade social dentro de seu processo histórico,convidando para a reflexão sobre o ato do crime: será que eleé um ato desconectado de outros atos que o procederam?Olhando para o contexto, será justo individualizar a culpa emcima do jovem que cometeu um crime e lhe infringir uma pena,sem responsabilziar outros atores que contribuíram para estecontexto, seja por ação, seja por omissão?E por fim, será possível que os educadores possam aproveitar-se deste ato criminoso do jovem para restaurar a condição deigualdade cidadã, capaz de construir, reivindicar ou reforçar “oesquema de cooperação que é a sociedade”. (RICOEUR,2008c, p.181)
  13. 13. Reconciliação Agressão Ato de agressão justificada Dor Estabelecer a Justiça: Ofensa Rever a história Criar a Choque Negociar soluções história “certa" Desejo de Consciência Estabelecer a justiça / da perda / Justiça: vingança pânico Admitir a culpa Desculpas em público Ira - Repressão “Por que da dor / Rendição, Escolher medos eu?” perdoar Compromisso de assumir riscos Luto – "Por que eles?" expressão Rehumanizar o da dor inimigo Aceitar a perda Nomear / enfrentar os medos Figura: Seven Steps Toward Reconciliation.Fonte: BOTCHAROVA, Olga. Implementation of Track Two Diplomacy Developing a Model of Forgiveness. In:HELMICK, Raymond G. S.J., & PETERSON, Rodney. Forgiveness and Reconciliation. Religion, Public Policy& Conflict Transformation. Philadelphia: The Templeton Foundation Press. 2001.
  14. 14. ESPERE e Práticas Restaurativas com adolescentes em conflito com a lei• Afirmação do conflito: Encarar, falar e refletir o, respeito é o caminho para sua superação. Ao reprimir a dor, a raiva e negar a perda estamos nos “autorizando” a sermos violentos.
  15. 15. ESPERE e Práticas Restaurativas com adolescentes em conflito com a leiDa mesma maneira os jovens são convidados a• elaborar a dor,• se perdoarem e• fazer alguma promessa para se obrigarem a manter certos valores necessários para o convívio em nossa sociedade.
  16. 16. O PROCESSO1. Formação e capacitação dos educadores (as) nametodologia da EsPeRe e Práticas Restaurativa.2. Os educadores(as) aplicam o curso adolescentes ejovens em conflito com a lei. São realizadassupervisões mensais que permitem a troca deexperiências, o aprofundamento dos conceitos e oplanejamento.3.Oficinas de sensibilização para o perdão e justiçacom as famílias.4. Criação de 4 Núcleos de Práticas Restaurativas paratransformar os conflitos nas escolas e comunidades.(2011-2012) 16
  17. 17. ESPERE e Práticas Restaurativas com adolescentes em conflito com a leiOs jovens são convidados a•elaborar a dor,•se perdoarem e•fazer alguma promessa para se obrigarem amanter certos valores necessários para o convívioem nossa sociedade. 18
  18. 18. Três valores estãosubjacentes a esta tarefa: Respeito Responsabilidade Reintegração das relações www.cdhep.org.br
  19. 19. Três valores Três açõesRespeito Acolher – ReconhecimentoResponsabilidade Enfrentar – Instauração do justoReintegração / Restaurar –Restauração das relações Cidadania / democracia www.cdhep.org.br
  20. 20. Quando são chamados a responsabilização, osadolescentes e jovens podem confrontar-seefetivamente com a situação e buscar alternativas desolução que podem contemplar as necessidades detodos os envolvidos.Construir o justo é um processo dinâmico, perpétuo edialogal que causa tensões, mas que é a única formade os sujeitos se articularem ao redor de seus direitose suas necessidades. 21
  21. 21. É POSSIVEL SER DIFERENTE......Aplicação da ESPERE com jovens emsituação de vulnerabilidade e quecumprem medida socioeducativa dePrestação de Serviço a comunidade.
  22. 22. É POSSIVEL SER DIFERENTE......TEMAS: Por uma Cultura de Paz, Perdão e JustiçaRaiva e Violência e sua expressãoConseqüências da raiva em nossa vidaPerdão um caminho pra a transformaçãoInstrumentos necessários para enfrentar oconflitoJustiça RestaurativaCirculo de Paz 23
  23. 23. “Foi mais importante quando pude falar sobre meu problema” Depoimento de um adolescente“Aprender a expressar minha raiva e me aliviar”“Aprender a se colocar no papel do outro” “Aprender a perdoar meu pai” Depoimentos de adolescentes
  24. 24. www.cdhep.org.brandrea.arruda@cdhep.org.br

×