SlideShare uma empresa Scribd logo
XDMCP
18 de abril de 2007
Sumário
I Sobre essa Apostila 2
II Informações Básicas 4
III XDMCP 9
1 O que é o XDMCP 10
2 Plano de ensino 11
2.1 Objetivo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11
2.2 Público Alvo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11
2.3 Pré-requisitos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11
2.4 Descrição . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11
2.5 Metodologia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11
2.6 Cronograma . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11
2.7 Programa . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 12
2.8 Avaliação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 12
2.9 Bibliografia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 12
3 Introdução 13
3.1 Introdução e Instalação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 13
3.1.1 História . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 13
3.1.2 Gerenciadores de display disponíveis . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 13
3.2 X Display Manager Control Protocol . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 14
3.3 Instalação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 14
3.3.1 Pacotes de instalação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 14
3.3.2 Instalação dos pacotes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 15
4 Configuração do XDMCP 17
4.1 Configuração . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 17
4.1.1 Configurando o XDMCP . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 17
5 Uso 21
5.1 gdmXnestchooser . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 21
5.1.1 Instalação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 21
5.2 XDMCP via GDM . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 22
1
Parte I
Sobre essa Apostila
2
CDTC Centro de Difusão de Tecnologia e Conhecimento Brasil/DF
Conteúdo
O conteúdo dessa apostila é fruto da compilação de diversos materiais livres publicados na in-
ternet, disponíveis em diversos sites ou originalmente produzido no CDTC em http://www.cdtc.org.br.
O formato original deste material bem como sua atualização está disponível dentro da licença
GNU Free Documentation License, cujo teor integral encontra-se aqui reproduzido na seção de
mesmo nome, tendo inclusive uma versão traduzida (não oficial).
A revisão e alteração vem sendo realizada pelo CDTC (suporte@cdtc.org.br) desde outubro
de 2006. Críticas e sugestões construtivas são bem-vindas a qualquer tempo.
Autores
A autoria deste é de responsabilidade de André Marra G. Araujo (andremarra@cdtc.org.br) .
O texto original faz parte do projeto Centro de Difusão de Tecnologia e Conhecimento, que
vem sendo realizado pelo ITI (Instituto Nacional de Tecnologia da Informação) em conjunto com
outros parceiros institucionais, atuando em conjunto com as universidades federais brasileiras
que tem produzido e utilizado Software Livre, apoiando inclusive a comunidade Free Software
junto a outras entidades no país.
Informações adicionais podem ser obtidas através do email ouvidoria@cdtc.org.br, ou da
home page da entidade, através da URL http://www.cdtc.org.br.
Garantias
O material contido nesta apostila é isento de garantias e o seu uso é de inteira responsabi-
lidade do usuário/leitor. Os autores, bem como o ITI e seus parceiros, não se responsabilizam
direta ou indiretamente por qualquer prejuízo oriundo da utilização do material aqui contido.
Licença
Copyright ©2006, Instituto Nacional de Tecnologia da Informação (cdtc@iti.gov.br) .
Permission is granted to copy, distribute and/or modify this document under the terms
of the GNU Free Documentation License, Version 1.1 or any later version published by
the Free Software Foundation; with the Invariant Chapter being SOBRE ESSA APOS-
TILA. A copy of the license is included in the section entitled GNU Free Documentation
License.
3
Parte II
Informações Básicas
4
CDTC Centro de Difusão de Tecnologia e Conhecimento Brasil/DF
Sobre o CDTC
Objetivo Geral
O Projeto CDTC visa a promoção e o desenvolvimento de ações que incentivem a dissemina-
ção de soluções que utilizem padrões abertos e não proprietários de tecnologia, em proveito do
desenvolvimento social, cultural, político, tecnológico e econômico da sociedade brasileira.
Objetivo Específico
Auxiliar o Governo Federal na implantação do plano nacional de software não-proprietário e
de código fonte aberto, identificando e mobilizando grupos de formadores de opinião dentre os
servidores públicos e agentes políticos da União Federal, estimulando e incentivando o mercado
nacional a adotar novos modelos de negócio da tecnologia da informação e de novos negócios
de comunicação com base em software não-proprietário e de código fonte aberto, oferecendo
treinamento específico para técnicos, profissionais de suporte e funcionários públicos usuários,
criando grupos de funcionários públicos que irão treinar outros funcionários públicos e atuar como
incentivadores e defensores de produtos de software não proprietários e código fonte aberto, ofe-
recendo conteúdo técnico on-line para serviços de suporte, ferramentas para desenvolvimento de
produtos de software não proprietários e de seu código fonte livre, articulando redes de terceiros
(dentro e fora do governo) fornecedoras de educação, pesquisa, desenvolvimento e teste de pro-
dutos de software livre.
Guia do aluno
Neste guia, você terá reunidas uma série de informações importantes para que você comece
seu curso. São elas:
• Licenças para cópia de material disponível
• Os 10 mandamentos do aluno de Educação a Distância
• Como participar dos foruns e da wikipédia
• Primeiros passos
É muito importante que você entre em contato com TODAS estas informações, seguindo o
roteiro acima.
Licença
Copyright ©2006, Instituto Nacional de Tecnologia da Informação (cdtc@iti.gov.br).
5
CDTC Centro de Difusão de Tecnologia e Conhecimento Brasil/DF
É dada permissão para copiar, distribuir e/ou modificar este documento sob os termos
da Licença de Documentação Livre GNU, Versão 1.1 ou qualquer versão posterior
públicada pela Free Software Foundation; com o Capitulo Invariante SOBRE ESSA
APOSTILA. Uma cópia da licença está inclusa na seção entitulada "Licença de Docu-
mentação Livre GNU".
Os 10 mandamentos do aluno de educação online
• 1. Acesso à Internet: ter endereço eletrônico, um provedor e um equipamento adequado é
pré-requisito para a participação nos cursos a distância.
• 2. Habilidade e disposição para operar programas: ter conhecimentos básicos de Informá-
tica é necessário para poder executar as tarefas.
• 3. Vontade para aprender colaborativamente: interagir, ser participativo no ensino a distân-
cia conta muitos pontos, pois irá colaborar para o processo ensino-aprendizagem pessoal,
dos colegas e dos professores.
• 4. Comportamentos compatíveis com a etiqueta: mostrar-se interessado em conhecer seus
colegas de turma respeitando-os e fazendo ser respeitado pelo mesmo.
• 5. Organização pessoal: planejar e organizar tudo é fundamental para facilitar a sua revisão
e a sua recuperação de materiais.
• 6. Vontade para realizar as atividades no tempo correto: anotar todas as suas obrigações e
realizá-las em tempo real.
• 7. Curiosidade e abertura para inovações: aceitar novas idéias e inovar sempre.
• 8. Flexibilidade e adaptação: requisitos necessário à mudança tecnológica, aprendizagens
e descobertas.
• 9. Objetividade em sua comunicação: comunicar-se de forma clara, breve e transparente é
ponto - chave na comunicação pela Internet.
• 10. Responsabilidade: ser responsável por seu próprio aprendizado. O ambiente virtual não
controla a sua dedicação, mas reflete os resultados do seu esforço e da sua colaboração.
Como participar dos fóruns e Wikipédia
Você tem um problema e precisa de ajuda?
Podemos te ajudar de 2 formas:
A primeira é o uso dos fóruns de notícias e de dúvidas gerais que se distinguem pelo uso:
. O fórum de notícias tem por objetivo disponibilizar um meio de acesso rápido a informações
que sejam pertinentes ao curso (avisos, notícias). As mensagens postadas nele são enviadas a
6
CDTC Centro de Difusão de Tecnologia e Conhecimento Brasil/DF
todos participantes. Assim, se o monitor ou algum outro participante tiver uma informação que
interesse ao grupo, favor postá-la aqui.
Porém, se o que você deseja é resolver alguma dúvida ou discutir algum tópico específico do
curso. É recomendado que você faça uso do Forum de dúvidas gerais que lhe dá recursos mais
efetivos para esta prática.
. O fórum de dúvidas gerais tem por objetivo disponibilizar um meio fácil, rápido e interativo
para solucionar suas dúvidas e trocar experiências. As mensagens postadas nele são enviadas
a todos participantes do curso. Assim, fica muito mais fácil obter respostas, já que todos podem
ajudar.
Se você receber uma mensagem com algum tópico que saiba responder, não se preocupe com a
formalização ou a gramática. Responda! E não se esqueça de que antes de abrir um novo tópico
é recomendável ver se a sua pergunta já foi feita por outro participante.
A segunda forma se dá pelas Wikis:
. Uma wiki é uma página web que pode ser editada colaborativamente, ou seja, qualquer par-
ticipante pode inserir, editar, apagar textos. As versões antigas vão sendo arquivadas e podem
ser recuperadas a qualquer momento que um dos participantes o desejar. Assim, ela oferece um
ótimo suporte a processos de aprendizagem colaborativa. A maior wiki na web é o site "Wikipé-
dia", uma experiência grandiosa de construção de uma enciclopédia de forma colaborativa, por
pessoas de todas as partes do mundo. Acesse-a em português pelos links:
• Página principal da Wiki - http://pt.wikipedia.org/wiki/
Agradecemos antecipadamente a sua colaboração com a aprendizagem do grupo!
Primeiros Passos
Para uma melhor aprendizagem é recomendável que você siga os seguintes passos:
• Ler o Plano de Ensino e entender a que seu curso se dispõe a ensinar;
• Ler a Ambientação do Moodle para aprender a navegar neste ambiente e se utilizar das
ferramentas básicas do mesmo;
• Entrar nas lições seguindo a seqüência descrita no Plano de Ensino;
• Qualquer dúvida, reporte ao Fórum de Dúvidas Gerais.
Perfil do Tutor
Segue-se uma descrição do tutor ideal, baseada no feedback de alunos e de tutores.
O tutor ideal é um modelo de excelência: é consistente, justo e profissional nos respectivos
valores e atitudes, incentiva mas é honesto, imparcial, amável, positivo, respeitador, aceita as
idéias dos estudantes, é paciente, pessoal, tolerante, apreciativo, compreensivo e pronto a ajudar.
7
CDTC Centro de Difusão de Tecnologia e Conhecimento Brasil/DF
A classificação por um tutor desta natureza proporciona o melhor feedback possível, é crucial, e,
para a maior parte dos alunos, constitui o ponto central do processo de aprendizagem.’ Este tutor
ou instrutor:
• fornece explicações claras acerca do que ele espera, e do estilo de classificação que irá
utilizar;
• gosta que lhe façam perguntas adicionais;
• identifica as nossas falhas, mas corrige-as amavelmente’, diz um estudante, ’e explica por-
que motivo a classificação foi ou não foi atribuída’;
• tece comentários completos e construtivos, mas de forma agradável (em contraste com um
reparo de um estudante: ’os comentários deixam-nos com uma sensação de crítica, de
ameaça e de nervossismo’)
• dá uma ajuda complementar para encorajar um estudante em dificuldade;
• esclarece pontos que não foram entendidos, ou corretamente aprendidos anteriormente;
• ajuda o estudante a alcançar os seus objetivos;
• é flexível quando necessário;
• mostra um interesse genuíno em motivar os alunos (mesmo os principiantes e, por isso,
talvez numa fase menos interessante para o tutor);
• escreve todas as correções de forma legível e com um nível de pormenorização adequado;
• acima de tudo, devolve os trabalhos rapidamente;
8
Parte III
XDMCP
9
Capítulo 1
O que é o XDMCP
X Display Manager Control Prolocol (Protocolo de controle e gerenciamento do display X). Esse
é o protocolo de compartilhamento de desktop usado pelo servidor gráfico X. Com o XDMCP é
possível logar, rodar aplicativos, abrir terminal, enfim, trabalhar em casa ou dar manutenção em
computadores que não estão ao alcance.
Com o XDMCP também é possível usar máquinas antigas e hardware barato como terminais
leves para acesso à internet, por exemplo. Agora você tem uma utilidade para o seu computador
que está guardado!
10
Capítulo 2
Plano de ensino
2.1 Objetivo
Qualificar usuários finais que queiram fazer uso de áreas de trabalho remotas.
2.2 Público Alvo
Usuários finais com interesse em acesso remoto.
2.3 Pré-requisitos
Os usuários deverão ser, necessariamente, funcionários públicos e ter conhecimentos básicos
para operar um computador.
2.4 Descrição
O curso de XDMCP será realizado na modalidade EAD e utilizará a plataforma Moodle como
ferramenta de aprendizagem. Ele é composto de um módulo de aprendizado e um módulo de
avaliação que será dado na primeira semana. O material didático estará disponível on-line de
acordo com as datas pré-estabelecidas no calendário.
2.5 Metodologia
O curso está dividido da seguinte maneira:
2.6 Cronograma
• Introdução
• Configuração
• Utilização
11
CDTC Centro de Difusão de Tecnologia e Conhecimento Brasil/DF
• Avaliação de aprendizagem
• Avaliação do curso
As lições contém o contéudo principal. Elas poderão ser acessadas quantas vezes forem neces-
sárias, desde que esteja dentro da semana programada. Ao final de uma lição, você receberá
uma nota de acordo com o seu desempenho. Responda com atenção às perguntas de cada lição,
pois elas serão consideradas na sua nota final. Caso sua nota numa determinada lição for menor
do que 6.0, sugerimos que você faça novamente esta lição.
Ao final do curso será disponibilizada a avaliação referente ao curso. Tanto as notas das lições
quanto a da avaliação serão consideradas para a nota final. Todos os módulos ficarão visíveis
para que possam ser consultados durante a avaliação final.
Aconselhamos a leitura da "Ambientação do Moodle"para que você conheça a plataforma de En-
sino a Distância, evitando dificuldades advindas do "desconhecimento"sobre a mesma.
Os instrutores estarão a sua disposição ao longo de todo curso. Qualquer dúvida deverá ser
enviada no fórum. Diariamente os monitores darão respostas e esclarecimentos.
2.7 Programa
O curso de XDMCP oferecerá o seguinte conteúdo:
• Introdução e Instalação
• Uso das ferramentas mais comuns.
2.8 Avaliação
Toda a avaliação será feita on-line.
Aspectos a serem considerados na avaliação:
• Iniciativa e autonomia no processo de aprendizagem e de produção de conhecimento;
• Capacidade de pesquisa e abordagem criativa na solução dos problemas apresentados.
Instrumentos de avaliação:
• Participação ativa nas atividades programadas.
• Avaliação ao final do curso.
• O participante fará várias avaliações referente ao conteúdo do curso. Para a aprovação e
obtenção do certificado o participante deverá obter nota final maior ou igual a 6.0 de acordo
com a fórmula abaixo:
• Nota Final = ((ML x 7) + (AF x 3)) / 10 = Média aritmética das lições
• AF = Avaliações
2.9 Bibliografia
• Wikipédia: http://en.wikipedia.org/wiki/XDMCP
12
Capítulo 3
Introdução
Comece por aqui. Aprenda a história do servidor gráfico X, as aplicabilidades do XDMCP,
screenshots para a vizualização na prática.
Lembre-se: A nota das lições valem 70% da nota final. Não deixe de fazer as lições nos
últimos dias. Você terá muito mais proveito começando na segunda-feira.
3.1 Introdução e Instalação
3.1.1 História
O XDM (X Window Display Manager) foi originado da versão X11R3 do servidor gráfico X.
Este versão sofreu muitos problemas, mais notavelmente quando usuários ligavam e desligavam
terminais X. Na X11R3, o XDM apenas sabia se havia um terminal em suas entradas no arquivo
Xservers, mas o XDM só consultava esse arquivo quando ele era iniciado. Então toda vez que
um usuário ligava ou desligava o terminal X, o administrador do sistema tinha que enviar um sinal
SIGHUP ao XDM instruindo-o a reescanear o Xservers.
O XDMCP chegou com a introdução do X11R4 (Dezembro de 1989). Com o XDMCP, o
servidor X devia pedir um gerenciador de display de um host. Um servidor X que usa XDMCP
não precisa mais de uma entrada no Xservers.
3.1.2 Gerenciadores de display disponíveis
O X Window System tem como gerenciador padrão o XDM.
Programadores desenvolveram outros gerenciadores, comerciais ou livres, oferecendo funci-
onalidades adicionais em cima do gerenciador básico:
• scologin (disponibilizado pela SCO Open Desktop) também checa passwords expirados e
performa alguns papéis administrativos
• GDM (GNOME)
• KDM (disponibilizado pelo KDE) permite ao usuário selecionar graficamente, na tela de
login, um gerenciador de janelas ou um ambiente desktop.
• dtlogin
• WINGs Display Manager (que usa o WINGs widget-set usado no Window Maker)
13
CDTC Centro de Difusão de Tecnologia e Conhecimento Brasil/DF
• entrance (que usa a arquitetura usada no Enlightenment v.17)
3.2 X Display Manager Control Protocol
O X Display Manager Control Prolocol (Protocolo de controle e gerenciamento do display X)
usa a porta UDP 177. Um servidor X requere que um gerenciador inicie uma sessão enviando um
pacote query. Se o gerenciador permitir o acesso para aquele servidor X, ele responde enviando
um pacote Willing de volta ao servidor X. O gerenciador deve autenticar-se ao servidor. Para
fazer isto, o servidor X envia um pacote Request ao gerenciador, que retorna um pacote Accept.
Se esse pacote tiver a resposta que o servidor X espera, o gerenciador é autenticado. Produzir a
resposta correta permite que o gerenciador tenha acesso a uma chave secreta, por exemplo. Se
a autenticação for sucedida, o servidor X envia um pacote Manage para informar o gerenciador.
Então, o gerenciador mostra a tela de login conectando ao servidor X como se fosse um cliente
X normal.
Durante a sessão, o servidor pode enviar pacotes KeepAlive ao gerenciador em intervalos.
Se o gerenciador falhar em enviar o pacote Alive em um certo tempo, o servidor X presume que
o gerenciador parou de rodar e que pode terminar a conexão.
Cada comando do cvs será explicado em detalhes no decorrer deste curso.
3.3 Instalação
No debian, há vários pacotes que podem ser instalados e têm suporte ao XDMCP. Todos eles
estão inclusos na lista de gerenciadores de display do exercício anterior. Você tem a escolha de
usar o gerenciador que mais lhe agrada. Uns gostam mais do gdm (GNOME), kdm (KDE), xdm
e etc. Na instalação do debian é possível escolher o gerenciador padrão para a sua máquina.
Mas aqui iremos ver como instalá-las depois que o sistema foi instalado. Por exemplo, se você
tem o gdm como padrão na sua máquina mas quer usar o kdm para fins de testes e etc. Como
proceder? Quais pacotes instalar? Como mudar o padrão? Essas são as questões que iremos
aprender aqui.
3.3.1 Pacotes de instalação
Aqui você tem a lista de pacotes necessários para ter um ambiente com suporte ao XDMCP:
1. gdm (GNOME Display Manager) - gdm proporciona o equivalente a um prompt "login:"para
telas X - ele mostra uma janela de login e inicia uma sessão X.
Ele traz toda a funcionalidade do xdm, incluindo suporte a XDMCP para gerenciar telas
remotas.
A janela de saudação é escrita usando as bibliotecas GNOME e portanto se parece com
uma aplicação GNOME - até mesmo suportando temas! Por padrão, para maior segurança,
a janela de saudação roda como um usuário sem privilégios.
2. kdm - o kdm gerencia uma variedade de servidores X, que podem estar numa máquina
local ou em uma máquina remota. Ele proporciona serviços similares aos serviços propor-
cionados pelo init, getty e login nos terminais orientados a caracteres: pedem o nome de
login, password, autentica e roda uma sessão. o kdm suporta o XDMCP e pode ser usado
14
CDTC Centro de Difusão de Tecnologia e Conhecimento Brasil/DF
para rodar um processo de escolha que apresenta ao usuário um menu de possibilidades
de máquinas que oferecem o gerenciador XDMCP.
3. xdm - o xdm gerencia uma variedade de servidores X, que podem estar numa máquina
local ou em uma máquina remota. Ele proporciona serviços similares aos serviços propor-
cionados pelo init, getty e login nos terminais orientados a caracteres: pedem o nome de
login, password, autentica e roda uma sessão. o kdm suporta o XDMCP e pode ser usado
para rodar um processo de escolha que apresenta ao usuário um menu de possibilidades
de máquinas que oferecem o gerenciador XDMCP.
4. libxdmcp6 - Esse pacote proporciona a interface principal às biliotecas do XDMCP, que
permite logins remotos a gerenciadores de display.
3.3.2 Instalação dos pacotes
No debian, há duas maneiras de instalação desses pacotes: uma é a linha de comando,
terminal, outra é o gerenciador de pacotes Synaptic. Para a instalação do gdm no terminal siga
os passos:
1. Abra o terminal
2. Digite "su"
3. Digite "apt-get update"
4. Digite "apt-get install gdm libxdmcp6"
Para selecionar o gdm como padrão para o sistema, digite "dpkg-reconfigure gdm"no terminal
e escolha o gdm como padrão.
Para a instalação do kdm no terminal, siga os passos:
1. Abra o terminal
2. Digite "su"
3. Digite "apt-get update"
4. Digite "apt-get install kdm libxdmcp6"
Para selecionar o gdm como padrão para o sistema, digite "dpkg-reconfigure kdm"no terminal
e escolha o kdm como padrão.
Para a instalação do xdm no terminal, siga os passos:
1. Abra o terminal
2. Digite "su"
3. Digite "apt-get update"
4. Digite "apt-get install xdm libxdmcp6"
Para selecionar o gdm como padrão para o sistema, digite "dpkg-reconfigure xdm"no terminal
e escolha o xdm como padrão.
Obs.: Se você já tiver o libxdmcp6 instalado na sua máquina, basta executar:
15
CDTC Centro de Difusão de Tecnologia e Conhecimento Brasil/DF
1. Abra o terminal
2. Digite "su"
3. Digite "apt-get update"
4. Digite "apt-get install xdm"ou "apt-get install gdm"ou "apt-get install kdm"
Obs.: É possível ter os 3 pacotes instalados na sua máquina e depois escolher qual deles
você quer como padrão.
16
Capítulo 4
Configuração do XDMCP
Aprenda a configurar as opções do xdmcp. Como ativar o XDMCP, qual porta escutar, quantas
sessões pode sem abertas, número de telas gráficas por máquina, qual tema usar para login e
etc.
4.1 Configuração
4.1.1 Configurando o XDMCP
O XDMCP é configurável via interface gráfica. No gnome, basta você digitar gdmsetup no
terminal e irá aparecer uma tela parecida com esta:
17
CDTC Centro de Difusão de Tecnologia e Conhecimento Brasil/DF
Antes de tudo, ative as opções "Mostrar menu de ações"e "Incluir item do menu "Seletor de
máquina (XDMCP). O efeito dessa opção é essa aqui:
agora vá à aba "Remoto". Veja na figura abaixo.
18
CDTC Centro de Difusão de Tecnologia e Conhecimento Brasil/DF
• Início de sessão remoto desabilitado - Isto significa que o seu xdmcp está desligado/desabilitado.
Com esta opção não é possível logar remotamente a um servidor e também não é possível
algum cliente logar remotamente na sua máquina via xdmcp.
• O mesmo que local - XDMCP habilitado. Com esta opção, o cliente que for se conectar à
sua máquina irá ver a tela de login que você usa normalmente.
19
CDTC Centro de Difusão de Tecnologia e Conhecimento Brasil/DF
• Simples - XDMCP habilitado. Com esta opção, o cliente que for conectar à sua máquina
irá exergar uma tela de login simplificada apenas com uma mensagem de bem-vindo e uma
caixa para escrever o nome de usuário e a senha.
20
Capítulo 5
Uso
O gdmXnestchooser é uma aplicação bem útil para escolher os servidores de XDMCP na
rede. Ele exibe uma lista de IP’s e seus respectivos nomes, caso haja, com a possibilidade de
acrescentar mais servidores e conectar a eles.
5.1 gdmXnestchooser
5.1.1 Instalação
O gdmXnestchooser é um programa que exibe uma lista de servidores na sua rede que pos-
suem o XDMCP habilitado. Esse programa é bem útil para fins de teste de temas, login em outras
instâncias e/ou outros usuários sem precisar sair da sessão atual na qual você está usando. O
Xnest é um servidor X que requisita serviço de um outro servidor X, sendo que ele atua como
cliente. Isso significa que ele aparece como uma outra janela na sua atual sessão X.
Para a instalação do Xnest é preciso executar o "apt-get install xnest"no terminal.
Para usar o gdmXnestchooser, basta executar "gdmXnestchooser"no terminal. Quando for
executado, uma tela parecida com esta aparecerá na sua tela:
21
CDTC Centro de Difusão de Tecnologia e Conhecimento Brasil/DF
Como você pode ver, o gdmXnestchooser varre a rede local, procurando por máquinas que
oferecem o serviço do XDMCP. Quando ele acaba de procurar dentro dessa rede, ele exibe uma
lista de servidores. Caso você não esteja numa rede, ele irá mostrar apenas a sua máquina. É
possível entrar, através do gdmXnestchooser, na máquina local. Basta escolhê-la.
Também é possível procurar por máquinas que não estão dentro da sua rede interna. Para
adicionar essas máquinas, digite o IP da máquina desejada ou o nome de DNS se ela possuir.
Depois é só clicar em adicionar, que o programa irá procurar por esta máquina e verificar se o
XDMCP está habilitado nessa máquina.
5.2 XDMCP via GDM
É possível usar o XDMCP quando ainda não se está logado no sistema. Ao ter adicionado
as opções "Mostrar menu de ações"e "Incluir item do menu "Seletor de máquina (XDMCP) do
gdmsetup.
Como já foi dito, ao incluir essas opções aparece um menu na tela de login do gdm que
possibilita o uso do XDMCP. Ao clicar nessa opção, o gdm irá reiniciar e irá aparecer a tela do
seletor de máquina parecida com a tela do gdmXnestchooser.
A partir daí, você já sabe o que fazer. Para sair do servidor, basta clicar no menu "Desconec-
tar".
22

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

J2me
J2meJ2me
Java swing
Java swingJava swing
Java swing
Tiago
 
Jdbc
JdbcJdbc
Jdbc
Tiago
 
Java Basico
Java BasicoJava Basico
Java Basico
Hudson Augusto
 
Java applet
Java appletJava applet
Java applet
Tiago
 
Tunelamento
TunelamentoTunelamento
Tunelamento
Tiago
 
Zope
ZopeZope
Java awt
Java awtJava awt
Java awt
Tiago
 
Squid guard
Squid guardSquid guard
Squid guard
Tiago
 
Sql
SqlSql
Uml
UmlUml
Uml
Tiago
 
Qemu
QemuQemu
Qemu
Tiago
 
De javaparapython
De javaparapythonDe javaparapython
De javaparapython
Tiago
 
Apostila cdtc dotproject
Apostila cdtc dotprojectApostila cdtc dotproject
Apostila cdtc dotproject
Tiago
 
Vim
VimVim
Vim
Tiago
 
Squid
SquidSquid
Squid
Tiago
 
Ruby on rails
Ruby on railsRuby on rails
Ruby on rails
Tiago
 
Quanta
QuantaQuanta
Quanta
Tiago
 
Pascal
PascalPascal
Pascal
Tiago
 
Inkscape
InkscapeInkscape
Inkscape
Hudson Augusto
 

Mais procurados (20)

J2me
J2meJ2me
J2me
 
Java swing
Java swingJava swing
Java swing
 
Jdbc
JdbcJdbc
Jdbc
 
Java Basico
Java BasicoJava Basico
Java Basico
 
Java applet
Java appletJava applet
Java applet
 
Tunelamento
TunelamentoTunelamento
Tunelamento
 
Zope
ZopeZope
Zope
 
Java awt
Java awtJava awt
Java awt
 
Squid guard
Squid guardSquid guard
Squid guard
 
Sql
SqlSql
Sql
 
Uml
UmlUml
Uml
 
Qemu
QemuQemu
Qemu
 
De javaparapython
De javaparapythonDe javaparapython
De javaparapython
 
Apostila cdtc dotproject
Apostila cdtc dotprojectApostila cdtc dotproject
Apostila cdtc dotproject
 
Vim
VimVim
Vim
 
Squid
SquidSquid
Squid
 
Ruby on rails
Ruby on railsRuby on rails
Ruby on rails
 
Quanta
QuantaQuanta
Quanta
 
Pascal
PascalPascal
Pascal
 
Inkscape
InkscapeInkscape
Inkscape
 

Semelhante a Xdmcp

Intro micro software
Intro micro softwareIntro micro software
Intro micro software
Tiago
 
J2me
J2meJ2me
J2me
Tiago
 
Ferm
FermFerm
Ferm
Tiago
 
Mrtg
MrtgMrtg
Mrtg
Tiago
 
Fw builder
Fw builderFw builder
Fw builder
Tiago
 
Instalacao xoops
Instalacao xoopsInstalacao xoops
Instalacao xoops
Tiago
 
Ppt pd
Ppt pdPpt pd
Ppt pd
Tiago
 
Nvu
NvuNvu
Nvu
Tiago
 
Plone
PlonePlone
Plone
Tiago
 
Nessus
NessusNessus
Nessus
Tiago
 
Inkscape
InkscapeInkscape
Inkscape
Tiago
 
Pen linux
Pen linuxPen linux
Pen linux
Tiago
 
Ltsp
LtspLtsp
Ltsp
Tiago
 
Programacao php moodle
Programacao php moodleProgramacao php moodle
Programacao php moodle
Tiago
 
Ftp
FtpFtp
Ftp
Tiago
 
Lvm
LvmLvm
Lvm
Tiago
 
Drupal
DrupalDrupal
Drupal
Tiago
 
Jabber
JabberJabber
Jabber
Tiago
 
Monitoramento
MonitoramentoMonitoramento
Monitoramento
Tiago
 
Ps
PsPs
Ps
Tiago
 

Semelhante a Xdmcp (20)

Intro micro software
Intro micro softwareIntro micro software
Intro micro software
 
J2me
J2meJ2me
J2me
 
Ferm
FermFerm
Ferm
 
Mrtg
MrtgMrtg
Mrtg
 
Fw builder
Fw builderFw builder
Fw builder
 
Instalacao xoops
Instalacao xoopsInstalacao xoops
Instalacao xoops
 
Ppt pd
Ppt pdPpt pd
Ppt pd
 
Nvu
NvuNvu
Nvu
 
Plone
PlonePlone
Plone
 
Nessus
NessusNessus
Nessus
 
Inkscape
InkscapeInkscape
Inkscape
 
Pen linux
Pen linuxPen linux
Pen linux
 
Ltsp
LtspLtsp
Ltsp
 
Programacao php moodle
Programacao php moodleProgramacao php moodle
Programacao php moodle
 
Ftp
FtpFtp
Ftp
 
Lvm
LvmLvm
Lvm
 
Drupal
DrupalDrupal
Drupal
 
Jabber
JabberJabber
Jabber
 
Monitoramento
MonitoramentoMonitoramento
Monitoramento
 
Ps
PsPs
Ps
 

Mais de Tiago

6572501 ldp-apostila-de-turbo-pascal
6572501 ldp-apostila-de-turbo-pascal6572501 ldp-apostila-de-turbo-pascal
6572501 ldp-apostila-de-turbo-pascal
Tiago
 
Guia rapido de_pascal
Guia rapido de_pascalGuia rapido de_pascal
Guia rapido de_pascal
Tiago
 
Python bge
Python bgePython bge
Python bge
Tiago
 
Curso python
Curso pythonCurso python
Curso python
Tiago
 
Curso python
Curso pythonCurso python
Curso python
Tiago
 
Aula 01 python
Aula 01 pythonAula 01 python
Aula 01 python
Tiago
 
Threading in c_sharp
Threading in c_sharpThreading in c_sharp
Threading in c_sharp
Tiago
 
Retirar acentos de_determinado_texto_em_c_sharp
Retirar acentos de_determinado_texto_em_c_sharpRetirar acentos de_determinado_texto_em_c_sharp
Retirar acentos de_determinado_texto_em_c_sharp
Tiago
 
Remover caracteres especiais_texto_em_c_sharp
Remover caracteres especiais_texto_em_c_sharpRemover caracteres especiais_texto_em_c_sharp
Remover caracteres especiais_texto_em_c_sharp
Tiago
 
Obter ip da_internet_em_c_sharp
Obter ip da_internet_em_c_sharpObter ip da_internet_em_c_sharp
Obter ip da_internet_em_c_sharp
Tiago
 
Metodo using no_c_sharp
Metodo using no_c_sharpMetodo using no_c_sharp
Metodo using no_c_sharp
Tiago
 
Introdução ao c# para iniciantes
Introdução ao c# para iniciantesIntrodução ao c# para iniciantes
Introdução ao c# para iniciantes
Tiago
 
Interfaces windows em c sharp
Interfaces windows em c sharpInterfaces windows em c sharp
Interfaces windows em c sharp
Tiago
 
Filestream sistema arquivos
Filestream  sistema arquivosFilestream  sistema arquivos
Filestream sistema arquivos
Tiago
 
Curso linux professor rafael
Curso linux professor rafaelCurso linux professor rafael
Curso linux professor rafael
Tiago
 
Curso de shell
Curso de shellCurso de shell
Curso de shell
Tiago
 
Controle lpt em_c_sharp
Controle lpt em_c_sharpControle lpt em_c_sharp
Controle lpt em_c_sharp
Tiago
 
Classes csharp
Classes csharpClasses csharp
Classes csharp
Tiago
 
C# o basico
C#   o basicoC#   o basico
C# o basico
Tiago
 
C# classes
C#   classesC#   classes
C# classes
Tiago
 

Mais de Tiago (20)

6572501 ldp-apostila-de-turbo-pascal
6572501 ldp-apostila-de-turbo-pascal6572501 ldp-apostila-de-turbo-pascal
6572501 ldp-apostila-de-turbo-pascal
 
Guia rapido de_pascal
Guia rapido de_pascalGuia rapido de_pascal
Guia rapido de_pascal
 
Python bge
Python bgePython bge
Python bge
 
Curso python
Curso pythonCurso python
Curso python
 
Curso python
Curso pythonCurso python
Curso python
 
Aula 01 python
Aula 01 pythonAula 01 python
Aula 01 python
 
Threading in c_sharp
Threading in c_sharpThreading in c_sharp
Threading in c_sharp
 
Retirar acentos de_determinado_texto_em_c_sharp
Retirar acentos de_determinado_texto_em_c_sharpRetirar acentos de_determinado_texto_em_c_sharp
Retirar acentos de_determinado_texto_em_c_sharp
 
Remover caracteres especiais_texto_em_c_sharp
Remover caracteres especiais_texto_em_c_sharpRemover caracteres especiais_texto_em_c_sharp
Remover caracteres especiais_texto_em_c_sharp
 
Obter ip da_internet_em_c_sharp
Obter ip da_internet_em_c_sharpObter ip da_internet_em_c_sharp
Obter ip da_internet_em_c_sharp
 
Metodo using no_c_sharp
Metodo using no_c_sharpMetodo using no_c_sharp
Metodo using no_c_sharp
 
Introdução ao c# para iniciantes
Introdução ao c# para iniciantesIntrodução ao c# para iniciantes
Introdução ao c# para iniciantes
 
Interfaces windows em c sharp
Interfaces windows em c sharpInterfaces windows em c sharp
Interfaces windows em c sharp
 
Filestream sistema arquivos
Filestream  sistema arquivosFilestream  sistema arquivos
Filestream sistema arquivos
 
Curso linux professor rafael
Curso linux professor rafaelCurso linux professor rafael
Curso linux professor rafael
 
Curso de shell
Curso de shellCurso de shell
Curso de shell
 
Controle lpt em_c_sharp
Controle lpt em_c_sharpControle lpt em_c_sharp
Controle lpt em_c_sharp
 
Classes csharp
Classes csharpClasses csharp
Classes csharp
 
C# o basico
C#   o basicoC#   o basico
C# o basico
 
C# classes
C#   classesC#   classes
C# classes
 

Último

Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdfAdaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
CamilaSouza544051
 
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Miguel Delamontagne
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
Ceiça Martins Vital
 
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptxVOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
mailabueno45
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
portaladministradores
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
Falcão Brasil
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamasConhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
edusegtrab
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Falcão Brasil
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 

Último (20)

Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdfAdaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
 
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
 
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptxVOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamasConhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 

Xdmcp

  • 2. Sumário I Sobre essa Apostila 2 II Informações Básicas 4 III XDMCP 9 1 O que é o XDMCP 10 2 Plano de ensino 11 2.1 Objetivo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11 2.2 Público Alvo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11 2.3 Pré-requisitos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11 2.4 Descrição . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11 2.5 Metodologia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11 2.6 Cronograma . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11 2.7 Programa . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 12 2.8 Avaliação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 12 2.9 Bibliografia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 12 3 Introdução 13 3.1 Introdução e Instalação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 13 3.1.1 História . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 13 3.1.2 Gerenciadores de display disponíveis . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 13 3.2 X Display Manager Control Protocol . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 14 3.3 Instalação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 14 3.3.1 Pacotes de instalação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 14 3.3.2 Instalação dos pacotes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 15 4 Configuração do XDMCP 17 4.1 Configuração . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 17 4.1.1 Configurando o XDMCP . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 17 5 Uso 21 5.1 gdmXnestchooser . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 21 5.1.1 Instalação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 21 5.2 XDMCP via GDM . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 22 1
  • 3. Parte I Sobre essa Apostila 2
  • 4. CDTC Centro de Difusão de Tecnologia e Conhecimento Brasil/DF Conteúdo O conteúdo dessa apostila é fruto da compilação de diversos materiais livres publicados na in- ternet, disponíveis em diversos sites ou originalmente produzido no CDTC em http://www.cdtc.org.br. O formato original deste material bem como sua atualização está disponível dentro da licença GNU Free Documentation License, cujo teor integral encontra-se aqui reproduzido na seção de mesmo nome, tendo inclusive uma versão traduzida (não oficial). A revisão e alteração vem sendo realizada pelo CDTC (suporte@cdtc.org.br) desde outubro de 2006. Críticas e sugestões construtivas são bem-vindas a qualquer tempo. Autores A autoria deste é de responsabilidade de André Marra G. Araujo (andremarra@cdtc.org.br) . O texto original faz parte do projeto Centro de Difusão de Tecnologia e Conhecimento, que vem sendo realizado pelo ITI (Instituto Nacional de Tecnologia da Informação) em conjunto com outros parceiros institucionais, atuando em conjunto com as universidades federais brasileiras que tem produzido e utilizado Software Livre, apoiando inclusive a comunidade Free Software junto a outras entidades no país. Informações adicionais podem ser obtidas através do email ouvidoria@cdtc.org.br, ou da home page da entidade, através da URL http://www.cdtc.org.br. Garantias O material contido nesta apostila é isento de garantias e o seu uso é de inteira responsabi- lidade do usuário/leitor. Os autores, bem como o ITI e seus parceiros, não se responsabilizam direta ou indiretamente por qualquer prejuízo oriundo da utilização do material aqui contido. Licença Copyright ©2006, Instituto Nacional de Tecnologia da Informação (cdtc@iti.gov.br) . Permission is granted to copy, distribute and/or modify this document under the terms of the GNU Free Documentation License, Version 1.1 or any later version published by the Free Software Foundation; with the Invariant Chapter being SOBRE ESSA APOS- TILA. A copy of the license is included in the section entitled GNU Free Documentation License. 3
  • 6. CDTC Centro de Difusão de Tecnologia e Conhecimento Brasil/DF Sobre o CDTC Objetivo Geral O Projeto CDTC visa a promoção e o desenvolvimento de ações que incentivem a dissemina- ção de soluções que utilizem padrões abertos e não proprietários de tecnologia, em proveito do desenvolvimento social, cultural, político, tecnológico e econômico da sociedade brasileira. Objetivo Específico Auxiliar o Governo Federal na implantação do plano nacional de software não-proprietário e de código fonte aberto, identificando e mobilizando grupos de formadores de opinião dentre os servidores públicos e agentes políticos da União Federal, estimulando e incentivando o mercado nacional a adotar novos modelos de negócio da tecnologia da informação e de novos negócios de comunicação com base em software não-proprietário e de código fonte aberto, oferecendo treinamento específico para técnicos, profissionais de suporte e funcionários públicos usuários, criando grupos de funcionários públicos que irão treinar outros funcionários públicos e atuar como incentivadores e defensores de produtos de software não proprietários e código fonte aberto, ofe- recendo conteúdo técnico on-line para serviços de suporte, ferramentas para desenvolvimento de produtos de software não proprietários e de seu código fonte livre, articulando redes de terceiros (dentro e fora do governo) fornecedoras de educação, pesquisa, desenvolvimento e teste de pro- dutos de software livre. Guia do aluno Neste guia, você terá reunidas uma série de informações importantes para que você comece seu curso. São elas: • Licenças para cópia de material disponível • Os 10 mandamentos do aluno de Educação a Distância • Como participar dos foruns e da wikipédia • Primeiros passos É muito importante que você entre em contato com TODAS estas informações, seguindo o roteiro acima. Licença Copyright ©2006, Instituto Nacional de Tecnologia da Informação (cdtc@iti.gov.br). 5
  • 7. CDTC Centro de Difusão de Tecnologia e Conhecimento Brasil/DF É dada permissão para copiar, distribuir e/ou modificar este documento sob os termos da Licença de Documentação Livre GNU, Versão 1.1 ou qualquer versão posterior públicada pela Free Software Foundation; com o Capitulo Invariante SOBRE ESSA APOSTILA. Uma cópia da licença está inclusa na seção entitulada "Licença de Docu- mentação Livre GNU". Os 10 mandamentos do aluno de educação online • 1. Acesso à Internet: ter endereço eletrônico, um provedor e um equipamento adequado é pré-requisito para a participação nos cursos a distância. • 2. Habilidade e disposição para operar programas: ter conhecimentos básicos de Informá- tica é necessário para poder executar as tarefas. • 3. Vontade para aprender colaborativamente: interagir, ser participativo no ensino a distân- cia conta muitos pontos, pois irá colaborar para o processo ensino-aprendizagem pessoal, dos colegas e dos professores. • 4. Comportamentos compatíveis com a etiqueta: mostrar-se interessado em conhecer seus colegas de turma respeitando-os e fazendo ser respeitado pelo mesmo. • 5. Organização pessoal: planejar e organizar tudo é fundamental para facilitar a sua revisão e a sua recuperação de materiais. • 6. Vontade para realizar as atividades no tempo correto: anotar todas as suas obrigações e realizá-las em tempo real. • 7. Curiosidade e abertura para inovações: aceitar novas idéias e inovar sempre. • 8. Flexibilidade e adaptação: requisitos necessário à mudança tecnológica, aprendizagens e descobertas. • 9. Objetividade em sua comunicação: comunicar-se de forma clara, breve e transparente é ponto - chave na comunicação pela Internet. • 10. Responsabilidade: ser responsável por seu próprio aprendizado. O ambiente virtual não controla a sua dedicação, mas reflete os resultados do seu esforço e da sua colaboração. Como participar dos fóruns e Wikipédia Você tem um problema e precisa de ajuda? Podemos te ajudar de 2 formas: A primeira é o uso dos fóruns de notícias e de dúvidas gerais que se distinguem pelo uso: . O fórum de notícias tem por objetivo disponibilizar um meio de acesso rápido a informações que sejam pertinentes ao curso (avisos, notícias). As mensagens postadas nele são enviadas a 6
  • 8. CDTC Centro de Difusão de Tecnologia e Conhecimento Brasil/DF todos participantes. Assim, se o monitor ou algum outro participante tiver uma informação que interesse ao grupo, favor postá-la aqui. Porém, se o que você deseja é resolver alguma dúvida ou discutir algum tópico específico do curso. É recomendado que você faça uso do Forum de dúvidas gerais que lhe dá recursos mais efetivos para esta prática. . O fórum de dúvidas gerais tem por objetivo disponibilizar um meio fácil, rápido e interativo para solucionar suas dúvidas e trocar experiências. As mensagens postadas nele são enviadas a todos participantes do curso. Assim, fica muito mais fácil obter respostas, já que todos podem ajudar. Se você receber uma mensagem com algum tópico que saiba responder, não se preocupe com a formalização ou a gramática. Responda! E não se esqueça de que antes de abrir um novo tópico é recomendável ver se a sua pergunta já foi feita por outro participante. A segunda forma se dá pelas Wikis: . Uma wiki é uma página web que pode ser editada colaborativamente, ou seja, qualquer par- ticipante pode inserir, editar, apagar textos. As versões antigas vão sendo arquivadas e podem ser recuperadas a qualquer momento que um dos participantes o desejar. Assim, ela oferece um ótimo suporte a processos de aprendizagem colaborativa. A maior wiki na web é o site "Wikipé- dia", uma experiência grandiosa de construção de uma enciclopédia de forma colaborativa, por pessoas de todas as partes do mundo. Acesse-a em português pelos links: • Página principal da Wiki - http://pt.wikipedia.org/wiki/ Agradecemos antecipadamente a sua colaboração com a aprendizagem do grupo! Primeiros Passos Para uma melhor aprendizagem é recomendável que você siga os seguintes passos: • Ler o Plano de Ensino e entender a que seu curso se dispõe a ensinar; • Ler a Ambientação do Moodle para aprender a navegar neste ambiente e se utilizar das ferramentas básicas do mesmo; • Entrar nas lições seguindo a seqüência descrita no Plano de Ensino; • Qualquer dúvida, reporte ao Fórum de Dúvidas Gerais. Perfil do Tutor Segue-se uma descrição do tutor ideal, baseada no feedback de alunos e de tutores. O tutor ideal é um modelo de excelência: é consistente, justo e profissional nos respectivos valores e atitudes, incentiva mas é honesto, imparcial, amável, positivo, respeitador, aceita as idéias dos estudantes, é paciente, pessoal, tolerante, apreciativo, compreensivo e pronto a ajudar. 7
  • 9. CDTC Centro de Difusão de Tecnologia e Conhecimento Brasil/DF A classificação por um tutor desta natureza proporciona o melhor feedback possível, é crucial, e, para a maior parte dos alunos, constitui o ponto central do processo de aprendizagem.’ Este tutor ou instrutor: • fornece explicações claras acerca do que ele espera, e do estilo de classificação que irá utilizar; • gosta que lhe façam perguntas adicionais; • identifica as nossas falhas, mas corrige-as amavelmente’, diz um estudante, ’e explica por- que motivo a classificação foi ou não foi atribuída’; • tece comentários completos e construtivos, mas de forma agradável (em contraste com um reparo de um estudante: ’os comentários deixam-nos com uma sensação de crítica, de ameaça e de nervossismo’) • dá uma ajuda complementar para encorajar um estudante em dificuldade; • esclarece pontos que não foram entendidos, ou corretamente aprendidos anteriormente; • ajuda o estudante a alcançar os seus objetivos; • é flexível quando necessário; • mostra um interesse genuíno em motivar os alunos (mesmo os principiantes e, por isso, talvez numa fase menos interessante para o tutor); • escreve todas as correções de forma legível e com um nível de pormenorização adequado; • acima de tudo, devolve os trabalhos rapidamente; 8
  • 11. Capítulo 1 O que é o XDMCP X Display Manager Control Prolocol (Protocolo de controle e gerenciamento do display X). Esse é o protocolo de compartilhamento de desktop usado pelo servidor gráfico X. Com o XDMCP é possível logar, rodar aplicativos, abrir terminal, enfim, trabalhar em casa ou dar manutenção em computadores que não estão ao alcance. Com o XDMCP também é possível usar máquinas antigas e hardware barato como terminais leves para acesso à internet, por exemplo. Agora você tem uma utilidade para o seu computador que está guardado! 10
  • 12. Capítulo 2 Plano de ensino 2.1 Objetivo Qualificar usuários finais que queiram fazer uso de áreas de trabalho remotas. 2.2 Público Alvo Usuários finais com interesse em acesso remoto. 2.3 Pré-requisitos Os usuários deverão ser, necessariamente, funcionários públicos e ter conhecimentos básicos para operar um computador. 2.4 Descrição O curso de XDMCP será realizado na modalidade EAD e utilizará a plataforma Moodle como ferramenta de aprendizagem. Ele é composto de um módulo de aprendizado e um módulo de avaliação que será dado na primeira semana. O material didático estará disponível on-line de acordo com as datas pré-estabelecidas no calendário. 2.5 Metodologia O curso está dividido da seguinte maneira: 2.6 Cronograma • Introdução • Configuração • Utilização 11
  • 13. CDTC Centro de Difusão de Tecnologia e Conhecimento Brasil/DF • Avaliação de aprendizagem • Avaliação do curso As lições contém o contéudo principal. Elas poderão ser acessadas quantas vezes forem neces- sárias, desde que esteja dentro da semana programada. Ao final de uma lição, você receberá uma nota de acordo com o seu desempenho. Responda com atenção às perguntas de cada lição, pois elas serão consideradas na sua nota final. Caso sua nota numa determinada lição for menor do que 6.0, sugerimos que você faça novamente esta lição. Ao final do curso será disponibilizada a avaliação referente ao curso. Tanto as notas das lições quanto a da avaliação serão consideradas para a nota final. Todos os módulos ficarão visíveis para que possam ser consultados durante a avaliação final. Aconselhamos a leitura da "Ambientação do Moodle"para que você conheça a plataforma de En- sino a Distância, evitando dificuldades advindas do "desconhecimento"sobre a mesma. Os instrutores estarão a sua disposição ao longo de todo curso. Qualquer dúvida deverá ser enviada no fórum. Diariamente os monitores darão respostas e esclarecimentos. 2.7 Programa O curso de XDMCP oferecerá o seguinte conteúdo: • Introdução e Instalação • Uso das ferramentas mais comuns. 2.8 Avaliação Toda a avaliação será feita on-line. Aspectos a serem considerados na avaliação: • Iniciativa e autonomia no processo de aprendizagem e de produção de conhecimento; • Capacidade de pesquisa e abordagem criativa na solução dos problemas apresentados. Instrumentos de avaliação: • Participação ativa nas atividades programadas. • Avaliação ao final do curso. • O participante fará várias avaliações referente ao conteúdo do curso. Para a aprovação e obtenção do certificado o participante deverá obter nota final maior ou igual a 6.0 de acordo com a fórmula abaixo: • Nota Final = ((ML x 7) + (AF x 3)) / 10 = Média aritmética das lições • AF = Avaliações 2.9 Bibliografia • Wikipédia: http://en.wikipedia.org/wiki/XDMCP 12
  • 14. Capítulo 3 Introdução Comece por aqui. Aprenda a história do servidor gráfico X, as aplicabilidades do XDMCP, screenshots para a vizualização na prática. Lembre-se: A nota das lições valem 70% da nota final. Não deixe de fazer as lições nos últimos dias. Você terá muito mais proveito começando na segunda-feira. 3.1 Introdução e Instalação 3.1.1 História O XDM (X Window Display Manager) foi originado da versão X11R3 do servidor gráfico X. Este versão sofreu muitos problemas, mais notavelmente quando usuários ligavam e desligavam terminais X. Na X11R3, o XDM apenas sabia se havia um terminal em suas entradas no arquivo Xservers, mas o XDM só consultava esse arquivo quando ele era iniciado. Então toda vez que um usuário ligava ou desligava o terminal X, o administrador do sistema tinha que enviar um sinal SIGHUP ao XDM instruindo-o a reescanear o Xservers. O XDMCP chegou com a introdução do X11R4 (Dezembro de 1989). Com o XDMCP, o servidor X devia pedir um gerenciador de display de um host. Um servidor X que usa XDMCP não precisa mais de uma entrada no Xservers. 3.1.2 Gerenciadores de display disponíveis O X Window System tem como gerenciador padrão o XDM. Programadores desenvolveram outros gerenciadores, comerciais ou livres, oferecendo funci- onalidades adicionais em cima do gerenciador básico: • scologin (disponibilizado pela SCO Open Desktop) também checa passwords expirados e performa alguns papéis administrativos • GDM (GNOME) • KDM (disponibilizado pelo KDE) permite ao usuário selecionar graficamente, na tela de login, um gerenciador de janelas ou um ambiente desktop. • dtlogin • WINGs Display Manager (que usa o WINGs widget-set usado no Window Maker) 13
  • 15. CDTC Centro de Difusão de Tecnologia e Conhecimento Brasil/DF • entrance (que usa a arquitetura usada no Enlightenment v.17) 3.2 X Display Manager Control Protocol O X Display Manager Control Prolocol (Protocolo de controle e gerenciamento do display X) usa a porta UDP 177. Um servidor X requere que um gerenciador inicie uma sessão enviando um pacote query. Se o gerenciador permitir o acesso para aquele servidor X, ele responde enviando um pacote Willing de volta ao servidor X. O gerenciador deve autenticar-se ao servidor. Para fazer isto, o servidor X envia um pacote Request ao gerenciador, que retorna um pacote Accept. Se esse pacote tiver a resposta que o servidor X espera, o gerenciador é autenticado. Produzir a resposta correta permite que o gerenciador tenha acesso a uma chave secreta, por exemplo. Se a autenticação for sucedida, o servidor X envia um pacote Manage para informar o gerenciador. Então, o gerenciador mostra a tela de login conectando ao servidor X como se fosse um cliente X normal. Durante a sessão, o servidor pode enviar pacotes KeepAlive ao gerenciador em intervalos. Se o gerenciador falhar em enviar o pacote Alive em um certo tempo, o servidor X presume que o gerenciador parou de rodar e que pode terminar a conexão. Cada comando do cvs será explicado em detalhes no decorrer deste curso. 3.3 Instalação No debian, há vários pacotes que podem ser instalados e têm suporte ao XDMCP. Todos eles estão inclusos na lista de gerenciadores de display do exercício anterior. Você tem a escolha de usar o gerenciador que mais lhe agrada. Uns gostam mais do gdm (GNOME), kdm (KDE), xdm e etc. Na instalação do debian é possível escolher o gerenciador padrão para a sua máquina. Mas aqui iremos ver como instalá-las depois que o sistema foi instalado. Por exemplo, se você tem o gdm como padrão na sua máquina mas quer usar o kdm para fins de testes e etc. Como proceder? Quais pacotes instalar? Como mudar o padrão? Essas são as questões que iremos aprender aqui. 3.3.1 Pacotes de instalação Aqui você tem a lista de pacotes necessários para ter um ambiente com suporte ao XDMCP: 1. gdm (GNOME Display Manager) - gdm proporciona o equivalente a um prompt "login:"para telas X - ele mostra uma janela de login e inicia uma sessão X. Ele traz toda a funcionalidade do xdm, incluindo suporte a XDMCP para gerenciar telas remotas. A janela de saudação é escrita usando as bibliotecas GNOME e portanto se parece com uma aplicação GNOME - até mesmo suportando temas! Por padrão, para maior segurança, a janela de saudação roda como um usuário sem privilégios. 2. kdm - o kdm gerencia uma variedade de servidores X, que podem estar numa máquina local ou em uma máquina remota. Ele proporciona serviços similares aos serviços propor- cionados pelo init, getty e login nos terminais orientados a caracteres: pedem o nome de login, password, autentica e roda uma sessão. o kdm suporta o XDMCP e pode ser usado 14
  • 16. CDTC Centro de Difusão de Tecnologia e Conhecimento Brasil/DF para rodar um processo de escolha que apresenta ao usuário um menu de possibilidades de máquinas que oferecem o gerenciador XDMCP. 3. xdm - o xdm gerencia uma variedade de servidores X, que podem estar numa máquina local ou em uma máquina remota. Ele proporciona serviços similares aos serviços propor- cionados pelo init, getty e login nos terminais orientados a caracteres: pedem o nome de login, password, autentica e roda uma sessão. o kdm suporta o XDMCP e pode ser usado para rodar um processo de escolha que apresenta ao usuário um menu de possibilidades de máquinas que oferecem o gerenciador XDMCP. 4. libxdmcp6 - Esse pacote proporciona a interface principal às biliotecas do XDMCP, que permite logins remotos a gerenciadores de display. 3.3.2 Instalação dos pacotes No debian, há duas maneiras de instalação desses pacotes: uma é a linha de comando, terminal, outra é o gerenciador de pacotes Synaptic. Para a instalação do gdm no terminal siga os passos: 1. Abra o terminal 2. Digite "su" 3. Digite "apt-get update" 4. Digite "apt-get install gdm libxdmcp6" Para selecionar o gdm como padrão para o sistema, digite "dpkg-reconfigure gdm"no terminal e escolha o gdm como padrão. Para a instalação do kdm no terminal, siga os passos: 1. Abra o terminal 2. Digite "su" 3. Digite "apt-get update" 4. Digite "apt-get install kdm libxdmcp6" Para selecionar o gdm como padrão para o sistema, digite "dpkg-reconfigure kdm"no terminal e escolha o kdm como padrão. Para a instalação do xdm no terminal, siga os passos: 1. Abra o terminal 2. Digite "su" 3. Digite "apt-get update" 4. Digite "apt-get install xdm libxdmcp6" Para selecionar o gdm como padrão para o sistema, digite "dpkg-reconfigure xdm"no terminal e escolha o xdm como padrão. Obs.: Se você já tiver o libxdmcp6 instalado na sua máquina, basta executar: 15
  • 17. CDTC Centro de Difusão de Tecnologia e Conhecimento Brasil/DF 1. Abra o terminal 2. Digite "su" 3. Digite "apt-get update" 4. Digite "apt-get install xdm"ou "apt-get install gdm"ou "apt-get install kdm" Obs.: É possível ter os 3 pacotes instalados na sua máquina e depois escolher qual deles você quer como padrão. 16
  • 18. Capítulo 4 Configuração do XDMCP Aprenda a configurar as opções do xdmcp. Como ativar o XDMCP, qual porta escutar, quantas sessões pode sem abertas, número de telas gráficas por máquina, qual tema usar para login e etc. 4.1 Configuração 4.1.1 Configurando o XDMCP O XDMCP é configurável via interface gráfica. No gnome, basta você digitar gdmsetup no terminal e irá aparecer uma tela parecida com esta: 17
  • 19. CDTC Centro de Difusão de Tecnologia e Conhecimento Brasil/DF Antes de tudo, ative as opções "Mostrar menu de ações"e "Incluir item do menu "Seletor de máquina (XDMCP). O efeito dessa opção é essa aqui: agora vá à aba "Remoto". Veja na figura abaixo. 18
  • 20. CDTC Centro de Difusão de Tecnologia e Conhecimento Brasil/DF • Início de sessão remoto desabilitado - Isto significa que o seu xdmcp está desligado/desabilitado. Com esta opção não é possível logar remotamente a um servidor e também não é possível algum cliente logar remotamente na sua máquina via xdmcp. • O mesmo que local - XDMCP habilitado. Com esta opção, o cliente que for se conectar à sua máquina irá ver a tela de login que você usa normalmente. 19
  • 21. CDTC Centro de Difusão de Tecnologia e Conhecimento Brasil/DF • Simples - XDMCP habilitado. Com esta opção, o cliente que for conectar à sua máquina irá exergar uma tela de login simplificada apenas com uma mensagem de bem-vindo e uma caixa para escrever o nome de usuário e a senha. 20
  • 22. Capítulo 5 Uso O gdmXnestchooser é uma aplicação bem útil para escolher os servidores de XDMCP na rede. Ele exibe uma lista de IP’s e seus respectivos nomes, caso haja, com a possibilidade de acrescentar mais servidores e conectar a eles. 5.1 gdmXnestchooser 5.1.1 Instalação O gdmXnestchooser é um programa que exibe uma lista de servidores na sua rede que pos- suem o XDMCP habilitado. Esse programa é bem útil para fins de teste de temas, login em outras instâncias e/ou outros usuários sem precisar sair da sessão atual na qual você está usando. O Xnest é um servidor X que requisita serviço de um outro servidor X, sendo que ele atua como cliente. Isso significa que ele aparece como uma outra janela na sua atual sessão X. Para a instalação do Xnest é preciso executar o "apt-get install xnest"no terminal. Para usar o gdmXnestchooser, basta executar "gdmXnestchooser"no terminal. Quando for executado, uma tela parecida com esta aparecerá na sua tela: 21
  • 23. CDTC Centro de Difusão de Tecnologia e Conhecimento Brasil/DF Como você pode ver, o gdmXnestchooser varre a rede local, procurando por máquinas que oferecem o serviço do XDMCP. Quando ele acaba de procurar dentro dessa rede, ele exibe uma lista de servidores. Caso você não esteja numa rede, ele irá mostrar apenas a sua máquina. É possível entrar, através do gdmXnestchooser, na máquina local. Basta escolhê-la. Também é possível procurar por máquinas que não estão dentro da sua rede interna. Para adicionar essas máquinas, digite o IP da máquina desejada ou o nome de DNS se ela possuir. Depois é só clicar em adicionar, que o programa irá procurar por esta máquina e verificar se o XDMCP está habilitado nessa máquina. 5.2 XDMCP via GDM É possível usar o XDMCP quando ainda não se está logado no sistema. Ao ter adicionado as opções "Mostrar menu de ações"e "Incluir item do menu "Seletor de máquina (XDMCP) do gdmsetup. Como já foi dito, ao incluir essas opções aparece um menu na tela de login do gdm que possibilita o uso do XDMCP. Ao clicar nessa opção, o gdm irá reiniciar e irá aparecer a tela do seletor de máquina parecida com a tela do gdmXnestchooser. A partir daí, você já sabe o que fazer. Para sair do servidor, basta clicar no menu "Desconec- tar". 22