SlideShare uma empresa Scribd logo
Tecnologia de Poliureia
I. Definição de Poliureia e
Noções básicas da
Tecnologia
História
• 1987 - As primeiras formulações de poliureia de aplicação em
spray são criadas.
• 1988 - Uma das primeiras formulações de poliureia de aplicação
por spray é comercializado para aplicação sobre Espuma de
PU em Cobertura.
• 1990 - O interesse da indústria revestimento em sistemas de
pulverização de poliureia provoca a criação de novos
fabricantes de sistemas e novas formulações.
Definição de Poliureia
O revestimento/elastômero de poliureia é o resultado
da reação de um componente poliisocianato(s) com
resina(s) amino terminada.
Para fins de referência, um revestimento de poliureia híbrido é o resultado da reação do
componente de poliisocianato com o componente de mistura de resinas amina terminadas com
polímeros terminados com hidroxilos (poliol).
Poliureia não é um produto, Poliureia é uma Tecnologia
• Poliureia não é um poliuretano
• Poliureia não contém catalisador
• Poliureia tem resistência à umidade
• A cura da Poliureia não é afetada pela temperatura ou umidade
Química Básica
• Aromático
 Isocianatos de uso geral
 Estabilidade de cor Pobre /Desbotamento possível em
exposição aos raios UV
• Alifático
 Alta estabilidade de Cor / Excelente resistência ao
ambiente
A - Isocianato (Prepolimero)
Química Básica
• Polieteraminas
 Primeiras poliureias comerciais produzidas em 1980
usado extensivamente
• Ésteres poliasparticos
 Comercializada em final de 1990
 Oferece uma variedade de velocidades de cura, alta
solidez de cor
 Muitas vezes usado como acabamento (200-250µm) ou
sobre outros revestimentos (poliureia aromática)
B - Resina (Amina)
Química Básica
• Formulações de base aromática (Spray)
Estabilidade de cor limitado em aplicações externas
• Formulações de Base Alifática (Spray)
Excelente estabilidade de cor em aplicações externas
Mais dispendioso do que os sistemas baseados aromáticos
• Formulações com aprovação ANSI / NSF 61 (Água Potável)
• Poliureia Ester Poliaspartico (baixa espessura)
• Selantes e Juntas de cura lenta (Pistola com bico estático ou
cartucho de 600ml)
• Sistemas para reparo (Pincel)
Tipos de Sistema de Poliureia
Tipos de Sistemas de Poliureia
Sistemas Especiais
• Sistemas de retardante de Chama (Classe I – Norma E84.12)
• Sistemas resistentes a produtos químicos
• Sistemas com Dureza diferentes desde a mais macia para juntas
de dilatação até as com Dureza D85 (como fibra de vidro)
• Diferentes formulações para diferentes aplicações
Tipos de Sistemas de Poliureia
Métodos de aplicação
• Sistemas de Spray de Alta e Baixa Pressão
• Sistemas Hot Spray e Cold Spray
• Sistemas Roll-On / Pincel
• Cura lenta / Juntas / Selantes
• Pistola airless (apenas éster poliaspártico)
Resistência à tração, Mpa até 27.57
Dureza Shore A30 a D65
Alongamento,% até 1000
Resistencia Rasgamento, pli 250-600
100% Modulus, Mpa 3,45-13,79
Resistencia á ruptura, MPa 1,72-3,45
Flex / Crack Bridging > 38,1 milímetros (-26°C)
Propriedades Típicas
Performance Poliuréia Poliuretano Poliester Epoxi
Resistencia Mecanica Baixa - Alta Baixa-Média Alta Alta
Alongamento Alta Baixa – Alta Baixa Baixa
Resistencia á Abrasão Alta Media-Alta Média-Alta Alta
Adesão ao Concreto Alta Baixa-Média Média Alta
Encolhimento após cura Baixa Baixa Alta Alta
Permiabilidade Baixa Média-Alta Baixa Baixa-Alta
Resistencia UV Alta Baixa-Alta Média-Alta Baixa
Temperatura limite Alta Média Baixa-Média Baixa
Adaptado do artiigo “Polyurea Spray Coatings Systems” de Dudley J. Primeaux II,
Tabela Comparativa
II. Materiais e
Equipamentos
Equipamentos
Bombas de Alta Pressão
Requisitos Básicos:
•Desenvolver alta pressão / fluxo para uma boa
mistura normalmente 103-206 Bar
•Aumentar a temperatura para reduzir a viscosidade
do material tipicamente 15 a 25°C
Equipamentos
Equipamentos
Existem vários modelos de pistolas no mercado que
oferecem as seguintes variáveis:
• Vazão de saída típicas de <0,5 kg – 2,7 por minuto
• As pressões máximas entre 103-206 Bar
• Formas variáveis do padrão de pulverização -
redondo, ventilador, plano, etc
Pistolas de Alta Pressão
Equipamentos
Equipamentos de Spray Baixa Pressão
Equipamentos
Sistemas de pulverização de baixa pressão
• As Pressões do equipamento são
moderadamente baixas normalmente 3,44 a
13,79 Bar
• "Mistura estática" para Pulverização
• Pode processar materiais à temperatura
ambiente normalmente 21 a 35 C
• No entanto o tempo de gel é > 10 segundos
normalmente 10 a +45 segundos
Equipamentos
Sistemas para Selantes/Enchimento de Juntas
•Sistemas de cura lento,
com excelente fluidez
•Geralmente pode ser
"raspado" após 1 hora
da instalação, mesmo
em ambientes frios
Equipamentos
Equipamentos de Proteção Pessoal
• Óculos de Proteção
• Luvas quimicamente
resistentes.
• Roupas Quimicamente
resistente (Tyvak)
• Mascara de meia face ou face
inteira com pré filtro de
partículas
Equipamentos
III. Aplicação
Dois dos substratos mais comuns onde
são aplicados revestimentos de
poliureia são:
Concreto
e
Aço
Preparação de Substratos
Para revestimento de alta
espessura (100 µm – 3 mm Poliureia aplicada)
recomendamos um perfil entre CSP 3 a
CSP6 para um melhor desempenho e
ancoragem dos sistemas de poliureia
(ICRI Guideline No. 03732)
CSP-3 CSP-4
CSP-5 CSP-6
Preparação de Superficie - Concreto
Normas da Indústria:
Concreto precisa ter sido curado por 28 dias
antes de ser revestido
Consulte a SSPC-SP 13
Outras normas SSPC-TR 5 / ICRI Guideline No. 03741
Ainda não existe uma norma de aplicação
de poliureia Brasileira
Preparação de Superficie - Concreto
Shotblasting / Lixagem / Frezagem
Remove revestimentos antigos e nata de
cimento Abre os poros do concreto e
fornece um bom perfil de ancoragem(CSP 3
a CSP 6)
Preparação de Superficie - Concreto
Questões de umidade
Teor máximo de umidade é <5%
ASTM F 2170 “medidores de umidade”
Transmissão de vapor máxima – 1,5Kg por 1oom² em um período de
24 horas
ASTM F 1869 “Teste de Cloreto de Calcio”
Preparação de Superficie - Concreto
Primers são utilizados devido aos substratos de
concreto serem porosos e para minimizar a saída dos
gases. No entanto, eles também são utilizados para
reforçar o substrato e assim melhorar a adesão.
IMPORTANTE:
O concreto tem uma força máxima de tração de cerca
de 2,78 MPa a poliureia normalmente tem uma
resistência à tração de 17,24 MPa.
Preparação de Superficie - Concreto
• Substrato coeso
• Opção com Priming e sem priming
• Deve estar limpo, livre de contaminantes
• Necessita de jateamento para melhorar a
aderência mecânica (SSPC-SP 5 / NACE No. 1 / ISO 3 ou SP 10 / NACE
No. 2 / ISO 2 ½)
Preparação de Superficies - Metal
• Métodos
SSPC-SP / NACE No. / ISO SA
• Cuidado ao aplicar sobre flash rust / corrosão
Especialmente em aplicações submersas
• Precisa ser especificado um perfil
i.e. 5 – 7.6 µm
Para imersão o perfil mínimo é de 7.6µm
Preparação de Superficies - Metal
Jateamento Abrasivo
• Remove carepa, revestimentos
antigos e alguns contaminantes
•Fornece um bom perfil de
ancoragem
Preparação de Superficies - Metal
O uso de primers não é sempre necessário, mas podem
ser utilizados para aumentar o desempenho global de
aderência ao aço. Uma vez que os sistemas de poliureia
são de cura rápida, constroem viscosidade muito
rapidamente e por isso, não molham a superfície do
substrato tão bem como os sistemas de cura lenta.
IMPORTANTE:
O uso de primers em aço deve ser conjugada com a preparação
adequada da superfície de forma a conseguir também a adesão
mecânica.
Preparação de Superficies - Metal
Outros substratos:
fibra de vidro
Tecido geotêxtil
Espuma
Amianto (encapsulamento)
Madeira
Vidro
asfalto
Consulte o fornecedor de
poliureia para métodos de
preparação adequadas!
Preparação de Superficies - Metal
Primers mais comuns:
• epóxi
• uretano
• acrílico
Consulte o fornecedor de poliureia para seleção de
primer adequado
Primers
Algumas características dos Primers
•Podem ser 100% sólidos ou à base de Solvente
•Mono Componente ou Bicomponente
•Grande variedade de tempos de cura
•São afectados por condições ambientais e/ou com a
temperatura do substrato
•Ajudam na adesão, na integridade e/ou liberação de
gases do substrato
Primers
Espessuras de Aplicação da Poliureia (em média)
Tráfego pedestre: 1,0 – 1,5 mm
Tráfego de veículos: 1.5 - 2,0 mm
Tráfego pesado/Rampas: 2,0 - 3,2 mm)
Aplicações de parede: 0,8 - 1,5 mm
Áreas Submersas: > 2,0 mm
Aplicação
Cálculo de material
Não se levou em consideração fator de perda
1Kg = 1m² / 1 mm
Aplicação
Controle de Qualidade: amostras de campo
Aplicar um metro quadrado sobre uma placa de polietileno ou
placa de alumínio lisa com um desmoldante.
Pulverizar ate atingir a espessura de 1,5 - 2 mm.
Identificar a amostra com data, área, número do lote, projeto, etc.
Caso necessário ou exigido a amostra será envida para a VersaFlex para
procederem aos testes físicos necessários.
Aplicação
Aplicação
Fatores que podem causar falhas do revestimento:
• Preparação do Substrato Inadequada
• Contaminação do Substrato
• Falhas Estruturais do Projeto
• Aplicação fora de proporção (isocianato / resina)
• Seleção errada do sistema de revestimento
Falhas do Revestimentos
IV. Cases e Aplicação
Comercial
Poliureias VersaFlex Ação Substratos Aplicações
Tipo Produto Máquina Pistola °C
UV
Solidez
de Cor
Impermeabilização
Proteção
Anticorrosiva
Retardante
de Chama
Classe I
Metal Concreto Geotextil
Espuma
PU
Fibra
de
Vidro
Pisos Telhados Saneamento
Água
Potavel
Mineração
Aromáticas
Arustruct
Graco EXP2 HXP2
HXP3
Gama H50
Gusmer 25/30
Graco Fusion AP
Fusion MP
GX-7 400
Probler P2
GX 8
65-70°C
**
6 *** *** NR ** ** NR NR *** * * *** NR *
FSS 45DC /VF 320
**
6 *** *** NR *** ** NR ** NR ** * ** NR **
FSS 45 DC FR
**
6 *** *** *** *** ** NR ** NR ** * ** NR **
FSS 45DCF
**
6 *** *** NR *** ** NR ** NR ** ** ** NR **
FSS 50DM /VF 350
**
6 *** *** NR ** *** NR ** NR *** ** *** NR **
FSS 50DM FR
**
6 *** *** *** ** *** NR ** NR *** ** *** NR **
VF 330
**
6 *** *** NR *** ** NR NR NR * * * NR ***
VF 380
**
6 *** *** NR ** *** *** *** NR ** *** * NR *
AV 405
**
6 *** *** NR *** *** NR NR NR * * ** *** *
AV 415
**
6 *** *** NR *** *** NR NR *** * * ** *** *
VF 340
**
6 *** *** *** *** ** NR NR NR ** *** ** NR **
LS 45
Graco-E-10 Reactor
AST-PCH GMP
Graco K2
TAH Indus.
Frio
**
6 *** *** NR *** ** NR ** NR *** * * NR *
LS 75
**
6 ***
*** NR ** *** NR * NR *** * * NR **
Alifáticas
FSS 42D
Graco EXP1 EXP2
HXP2 HXP3
Gama G 250
Fusion AP Fusion
MP GX-7
65-70°C
***
8 **
*** NR ** *** NR ** NR *** *** *** NR **
Gelflex FR
***
8 **
***
*** ** *** NR NR * *** ** ** NR *
Gelflex 1115
***
8 **
*** NR ** *** NR NR * *** ** ** NR *
Poliasparticas
ClearCoat
Rolo Padco
Graco AirLess
Ultra395
Bico 0.017 a
0.021
Frio
***
8 ***
*** NR ** *** NR NR NR *** *** ** NR **
ClearCoat Fast
***
8 ***
*** NR ** *** NR NR NR *** *** ** NR **
Clear Coat Fast FR
***
8 ***
***
*** ** *** NR NR NR *** *** ** NR **
Revestindo Concreto
• Projeto CA/T Boston
• Projeto MBTA Boston
Revestindo Concreto
• Pentagono
Edificio de Entrega Remota
Revestindo Concreto
• Pontes e Viadutos
Água e Saneamento
• Tanques de concreto, clarificadores, separadores, etc
Água e Saneamento
• Armazenamento de água
Revestindo Concreto
• Maritimo
Revestindo Concreto
• Contenção Secundária
Antes Depois
Revestimento sobre Geotextil
• Contenção Secundaria
Revestimento Interno de Tanques
Revestindo Metal
Fibra de Vidro
Peças em Fibra de Vidro
Proteção contra Corrosão e Erosão
Proteção contra Corrosão e Erosão
• Offshore
Pisos Decorativos
Selantes / Preenchimento Juntas
Sistemas de Reparação (manual)
Retorno ao serviço mais rápido do que os sistemas tradicionais
Rápida aplicação e Reduz Custos
Isento de VOC e pouco ou nenhum odor
Cura á temperatura de -31 ºC a 150 ºC
Excelente resistência ao choque térmico
Flexível
Impermeável
Alta resistência á abrasão
Insensibilidade à umidade ambiente
Espessura ilimitada
Produto versátil e Grande durabilidade
Alta resistência química
OBRIGADO!!
Perguntas...
Fernando Costa
fernando@marmai.com.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Grupo b cementação
Grupo b   cementaçãoGrupo b   cementação
Grupo b cementação
Hertz Oliveira
 
Nbr 13279 2005
Nbr 13279 2005Nbr 13279 2005
Borrachas de estireno
Borrachas de estirenoBorrachas de estireno
Borrachas de estireno
Borrachas
 
Tintas e vernizes
Tintas e vernizesTintas e vernizes
Tintas e vernizes
Eloá Neto
 
Termofixos
TermofixosTermofixos
Termofixos
Danilo Monteiro
 
Ciências dos Materiais - Aula 4 - Solidificação dos materiais
Ciências dos Materiais - Aula 4 - Solidificação dos materiaisCiências dos Materiais - Aula 4 - Solidificação dos materiais
Ciências dos Materiais - Aula 4 - Solidificação dos materiais
Felipe Machado
 
Vulcanizacao teoria metodos
Vulcanizacao teoria metodosVulcanizacao teoria metodos
Vulcanizacao teoria metodos
Borrachas
 
Tabelas de ingredientes diversos para compostos de borracha
Tabelas de ingredientes diversos para compostos de borrachaTabelas de ingredientes diversos para compostos de borracha
Tabelas de ingredientes diversos para compostos de borracha
Borrachas
 
Argamassa - Materiais de Construção
Argamassa - Materiais de ConstruçãoArgamassa - Materiais de Construção
Argamassa - Materiais de Construção
David Grubba
 
- Propriedades - Ligas metálicas - Metais
- Propriedades - Ligas metálicas - Metais - Propriedades - Ligas metálicas - Metais
- Propriedades - Ligas metálicas - Metais
Giullyanno Felisberto
 
Aula dia 23 09-13 - dr. natanael martins
Aula dia 23 09-13 - dr. natanael martinsAula dia 23 09-13 - dr. natanael martins
Aula dia 23 09-13 - dr. natanael martins
Fernanda Moreira
 
Cerâmica avançada: perspectivas de aplicação e desafios tecnológicos atuais e...
Cerâmica avançada: perspectivas de aplicação e desafios tecnológicos atuais e...Cerâmica avançada: perspectivas de aplicação e desafios tecnológicos atuais e...
Cerâmica avançada: perspectivas de aplicação e desafios tecnológicos atuais e...
senaimais
 
Industria do Cimento
Industria do CimentoIndustria do Cimento
Industria do Cimento
Aldo Henrique
 
FUNDIÇÃO EM MOLDE DE AREIA
FUNDIÇÃO EM MOLDE DE AREIA FUNDIÇÃO EM MOLDE DE AREIA
FUNDIÇÃO EM MOLDE DE AREIA
KOBE Grande
 
Apostila Ansys Workbench
Apostila Ansys WorkbenchApostila Ansys Workbench
Apostila Ansys Workbench
Kaique Santos Teixeira
 
Planejamento
PlanejamentoPlanejamento
Planejamento
Hugo Nunes
 
Materiais de construção volume 2 - bauer - 5ª edição
Materiais de construção   volume 2 - bauer - 5ª ediçãoMateriais de construção   volume 2 - bauer - 5ª edição
Materiais de construção volume 2 - bauer - 5ª edição
Jose Gentil Balbino Junior
 
Vidro
 Vidro Vidro
Polietileno
PolietilenoPolietileno
Polietileno
Borrachas
 
Polímeros
PolímerosPolímeros

Mais procurados (20)

Grupo b cementação
Grupo b   cementaçãoGrupo b   cementação
Grupo b cementação
 
Nbr 13279 2005
Nbr 13279 2005Nbr 13279 2005
Nbr 13279 2005
 
Borrachas de estireno
Borrachas de estirenoBorrachas de estireno
Borrachas de estireno
 
Tintas e vernizes
Tintas e vernizesTintas e vernizes
Tintas e vernizes
 
Termofixos
TermofixosTermofixos
Termofixos
 
Ciências dos Materiais - Aula 4 - Solidificação dos materiais
Ciências dos Materiais - Aula 4 - Solidificação dos materiaisCiências dos Materiais - Aula 4 - Solidificação dos materiais
Ciências dos Materiais - Aula 4 - Solidificação dos materiais
 
Vulcanizacao teoria metodos
Vulcanizacao teoria metodosVulcanizacao teoria metodos
Vulcanizacao teoria metodos
 
Tabelas de ingredientes diversos para compostos de borracha
Tabelas de ingredientes diversos para compostos de borrachaTabelas de ingredientes diversos para compostos de borracha
Tabelas de ingredientes diversos para compostos de borracha
 
Argamassa - Materiais de Construção
Argamassa - Materiais de ConstruçãoArgamassa - Materiais de Construção
Argamassa - Materiais de Construção
 
- Propriedades - Ligas metálicas - Metais
- Propriedades - Ligas metálicas - Metais - Propriedades - Ligas metálicas - Metais
- Propriedades - Ligas metálicas - Metais
 
Aula dia 23 09-13 - dr. natanael martins
Aula dia 23 09-13 - dr. natanael martinsAula dia 23 09-13 - dr. natanael martins
Aula dia 23 09-13 - dr. natanael martins
 
Cerâmica avançada: perspectivas de aplicação e desafios tecnológicos atuais e...
Cerâmica avançada: perspectivas de aplicação e desafios tecnológicos atuais e...Cerâmica avançada: perspectivas de aplicação e desafios tecnológicos atuais e...
Cerâmica avançada: perspectivas de aplicação e desafios tecnológicos atuais e...
 
Industria do Cimento
Industria do CimentoIndustria do Cimento
Industria do Cimento
 
FUNDIÇÃO EM MOLDE DE AREIA
FUNDIÇÃO EM MOLDE DE AREIA FUNDIÇÃO EM MOLDE DE AREIA
FUNDIÇÃO EM MOLDE DE AREIA
 
Apostila Ansys Workbench
Apostila Ansys WorkbenchApostila Ansys Workbench
Apostila Ansys Workbench
 
Planejamento
PlanejamentoPlanejamento
Planejamento
 
Materiais de construção volume 2 - bauer - 5ª edição
Materiais de construção   volume 2 - bauer - 5ª ediçãoMateriais de construção   volume 2 - bauer - 5ª edição
Materiais de construção volume 2 - bauer - 5ª edição
 
Vidro
 Vidro Vidro
Vidro
 
Polietileno
PolietilenoPolietileno
Polietileno
 
Polímeros
PolímerosPolímeros
Polímeros
 

Semelhante a Tecnologia de poliureia

catalogo-stratus-fibra-de-vidro.pdf
catalogo-stratus-fibra-de-vidro.pdfcatalogo-stratus-fibra-de-vidro.pdf
catalogo-stratus-fibra-de-vidro.pdf
JohnatasGama
 
Treinamento sobre laminção e revestimento com fibra de.pptx
Treinamento sobre laminção e revestimento com fibra de.pptxTreinamento sobre laminção e revestimento com fibra de.pptx
Treinamento sobre laminção e revestimento com fibra de.pptx
OtavioLacerda4
 
apresentacao tinta Ppt -apresentacao tinta Ppt
apresentacao tinta  Ppt -apresentacao tinta  Pptapresentacao tinta  Ppt -apresentacao tinta  Ppt
apresentacao tinta Ppt -apresentacao tinta Ppt
waqsondiasjacauna
 
Catalogo Eluma.pdf
Catalogo Eluma.pdfCatalogo Eluma.pdf
Catalogo Eluma.pdf
Eduardo159906
 
Filtros de processo- Pneumática automação - Parker
Filtros de processo- Pneumática automação - ParkerFiltros de processo- Pneumática automação - Parker
Filtros de processo- Pneumática automação - Parker
ItaloJeanSouza
 
Apresentação quimatic produtos
Apresentação quimatic produtosApresentação quimatic produtos
Apresentação quimatic produtos
Paulo Torrezan
 
Materiais revestimentos ceramicos
Materiais   revestimentos ceramicosMateriais   revestimentos ceramicos
Materiais revestimentos ceramicos
José Borba
 
4PIPE- Apresentação de produtos e serviços
4PIPE- Apresentação de produtos e serviços4PIPE- Apresentação de produtos e serviços
4PIPE- Apresentação de produtos e serviços
R2S Apresentações
 
Pintura
PinturaPintura
Treinamento produtos RF COMERCIAL - FUNDIÇÃO CONEXÕES
Treinamento produtos RF COMERCIAL - FUNDIÇÃO CONEXÕESTreinamento produtos RF COMERCIAL - FUNDIÇÃO CONEXÕES
Treinamento produtos RF COMERCIAL - FUNDIÇÃO CONEXÕES
Oz Primos Oz Primos
 
Conjuntos de Plastificação com Blindagem Bimetálica
Conjuntos de Plastificação com Blindagem BimetálicaConjuntos de Plastificação com Blindagem Bimetálica
Conjuntos de Plastificação com Blindagem Bimetálica
Automata do Brasil
 
placas.pdf
placas.pdfplacas.pdf
Aplicação caracteristicas tecnica de aplicação verniz antichamas (11)98950 3543
Aplicação caracteristicas tecnica de aplicação verniz antichamas (11)98950 3543Aplicação caracteristicas tecnica de aplicação verniz antichamas (11)98950 3543
Aplicação caracteristicas tecnica de aplicação verniz antichamas (11)98950 3543
ANTI-CHAMAS ou IGNIFUGAÇÃO
 
08b - Revestimento Cerâmico aula completa.pdf
08b - Revestimento Cerâmico aula completa.pdf08b - Revestimento Cerâmico aula completa.pdf
08b - Revestimento Cerâmico aula completa.pdf
AnneCaroline961498
 
Coleções ker art
Coleções ker artColeções ker art
Coleções ker art
jeanfonseca
 
Coleções ker art
Coleções ker artColeções ker art
Coleções ker art
jeanfonseca
 
CURSO_DE_TUBULACOES_INDUSTRIAIS.pdf
CURSO_DE_TUBULACOES_INDUSTRIAIS.pdfCURSO_DE_TUBULACOES_INDUSTRIAIS.pdf
CURSO_DE_TUBULACOES_INDUSTRIAIS.pdf
Orfeu Matiello Vendramini
 
Problemasde injeção osdezmais
Problemasde injeção osdezmaisProblemasde injeção osdezmais
Problemasde injeção osdezmais
paulo2915
 
1202991902 betuminosos
1202991902 betuminosos1202991902 betuminosos
1202991902 betuminosos
Rui Mão de Ferro
 
20090715 64congresso Bh Fabiano Fonseca
20090715 64congresso Bh Fabiano Fonseca20090715 64congresso Bh Fabiano Fonseca
20090715 64congresso Bh Fabiano Fonseca
Fabiana Tarabal
 

Semelhante a Tecnologia de poliureia (20)

catalogo-stratus-fibra-de-vidro.pdf
catalogo-stratus-fibra-de-vidro.pdfcatalogo-stratus-fibra-de-vidro.pdf
catalogo-stratus-fibra-de-vidro.pdf
 
Treinamento sobre laminção e revestimento com fibra de.pptx
Treinamento sobre laminção e revestimento com fibra de.pptxTreinamento sobre laminção e revestimento com fibra de.pptx
Treinamento sobre laminção e revestimento com fibra de.pptx
 
apresentacao tinta Ppt -apresentacao tinta Ppt
apresentacao tinta  Ppt -apresentacao tinta  Pptapresentacao tinta  Ppt -apresentacao tinta  Ppt
apresentacao tinta Ppt -apresentacao tinta Ppt
 
Catalogo Eluma.pdf
Catalogo Eluma.pdfCatalogo Eluma.pdf
Catalogo Eluma.pdf
 
Filtros de processo- Pneumática automação - Parker
Filtros de processo- Pneumática automação - ParkerFiltros de processo- Pneumática automação - Parker
Filtros de processo- Pneumática automação - Parker
 
Apresentação quimatic produtos
Apresentação quimatic produtosApresentação quimatic produtos
Apresentação quimatic produtos
 
Materiais revestimentos ceramicos
Materiais   revestimentos ceramicosMateriais   revestimentos ceramicos
Materiais revestimentos ceramicos
 
4PIPE- Apresentação de produtos e serviços
4PIPE- Apresentação de produtos e serviços4PIPE- Apresentação de produtos e serviços
4PIPE- Apresentação de produtos e serviços
 
Pintura
PinturaPintura
Pintura
 
Treinamento produtos RF COMERCIAL - FUNDIÇÃO CONEXÕES
Treinamento produtos RF COMERCIAL - FUNDIÇÃO CONEXÕESTreinamento produtos RF COMERCIAL - FUNDIÇÃO CONEXÕES
Treinamento produtos RF COMERCIAL - FUNDIÇÃO CONEXÕES
 
Conjuntos de Plastificação com Blindagem Bimetálica
Conjuntos de Plastificação com Blindagem BimetálicaConjuntos de Plastificação com Blindagem Bimetálica
Conjuntos de Plastificação com Blindagem Bimetálica
 
placas.pdf
placas.pdfplacas.pdf
placas.pdf
 
Aplicação caracteristicas tecnica de aplicação verniz antichamas (11)98950 3543
Aplicação caracteristicas tecnica de aplicação verniz antichamas (11)98950 3543Aplicação caracteristicas tecnica de aplicação verniz antichamas (11)98950 3543
Aplicação caracteristicas tecnica de aplicação verniz antichamas (11)98950 3543
 
08b - Revestimento Cerâmico aula completa.pdf
08b - Revestimento Cerâmico aula completa.pdf08b - Revestimento Cerâmico aula completa.pdf
08b - Revestimento Cerâmico aula completa.pdf
 
Coleções ker art
Coleções ker artColeções ker art
Coleções ker art
 
Coleções ker art
Coleções ker artColeções ker art
Coleções ker art
 
CURSO_DE_TUBULACOES_INDUSTRIAIS.pdf
CURSO_DE_TUBULACOES_INDUSTRIAIS.pdfCURSO_DE_TUBULACOES_INDUSTRIAIS.pdf
CURSO_DE_TUBULACOES_INDUSTRIAIS.pdf
 
Problemasde injeção osdezmais
Problemasde injeção osdezmaisProblemasde injeção osdezmais
Problemasde injeção osdezmais
 
1202991902 betuminosos
1202991902 betuminosos1202991902 betuminosos
1202991902 betuminosos
 
20090715 64congresso Bh Fabiano Fonseca
20090715 64congresso Bh Fabiano Fonseca20090715 64congresso Bh Fabiano Fonseca
20090715 64congresso Bh Fabiano Fonseca
 

Mais de Marmai

Tecnologia de poliureia - COMPÓSITOS
Tecnologia de poliureia - COMPÓSITOSTecnologia de poliureia - COMPÓSITOS
Tecnologia de poliureia - COMPÓSITOS
Marmai
 
Tecnologia de poliureia nova mas madura e com muitas provas dadas
Tecnologia de poliureia nova mas madura e com muitas provas dadasTecnologia de poliureia nova mas madura e com muitas provas dadas
Tecnologia de poliureia nova mas madura e com muitas provas dadas
Marmai
 
VersaFlex 2014
VersaFlex 2014VersaFlex 2014
VersaFlex 2014
Marmai
 
Tecnologia de poliureia Pisos Decorativos
Tecnologia de poliureia   Pisos DecorativosTecnologia de poliureia   Pisos Decorativos
Tecnologia de poliureia Pisos Decorativos
Marmai
 
Tecnologia de poliureia bridge preservation
Tecnologia de poliureia   bridge preservationTecnologia de poliureia   bridge preservation
Tecnologia de poliureia bridge preservation
Marmai
 
Tecnologia de poliureia - selantes de juntas de dilatação, construção
Tecnologia de poliureia - selantes de juntas de dilatação, construçãoTecnologia de poliureia - selantes de juntas de dilatação, construção
Tecnologia de poliureia - selantes de juntas de dilatação, construção
Marmai
 
Tecnologia de poliureia impermeabilização elementos de água
Tecnologia de poliureia   impermeabilização elementos de águaTecnologia de poliureia   impermeabilização elementos de água
Tecnologia de poliureia impermeabilização elementos de água
Marmai
 
Tecnologia de poliureia - aplicação sobre geotextil
Tecnologia de poliureia - aplicação sobre geotextilTecnologia de poliureia - aplicação sobre geotextil
Tecnologia de poliureia - aplicação sobre geotextil
Marmai
 
Tecnologia de poliureia - recuperação de pisos
Tecnologia de poliureia  -  recuperação de pisosTecnologia de poliureia  -  recuperação de pisos
Tecnologia de poliureia - recuperação de pisos
Marmai
 
Tecnologia de poliureia aplicação robotizada
Tecnologia de poliureia   aplicação robotizadaTecnologia de poliureia   aplicação robotizada
Tecnologia de poliureia aplicação robotizada
Marmai
 
Marmai culture code
Marmai culture codeMarmai culture code
Marmai culture code
Marmai
 
Marmai culture code
Marmai culture codeMarmai culture code
Marmai culture code
Marmai
 

Mais de Marmai (12)

Tecnologia de poliureia - COMPÓSITOS
Tecnologia de poliureia - COMPÓSITOSTecnologia de poliureia - COMPÓSITOS
Tecnologia de poliureia - COMPÓSITOS
 
Tecnologia de poliureia nova mas madura e com muitas provas dadas
Tecnologia de poliureia nova mas madura e com muitas provas dadasTecnologia de poliureia nova mas madura e com muitas provas dadas
Tecnologia de poliureia nova mas madura e com muitas provas dadas
 
VersaFlex 2014
VersaFlex 2014VersaFlex 2014
VersaFlex 2014
 
Tecnologia de poliureia Pisos Decorativos
Tecnologia de poliureia   Pisos DecorativosTecnologia de poliureia   Pisos Decorativos
Tecnologia de poliureia Pisos Decorativos
 
Tecnologia de poliureia bridge preservation
Tecnologia de poliureia   bridge preservationTecnologia de poliureia   bridge preservation
Tecnologia de poliureia bridge preservation
 
Tecnologia de poliureia - selantes de juntas de dilatação, construção
Tecnologia de poliureia - selantes de juntas de dilatação, construçãoTecnologia de poliureia - selantes de juntas de dilatação, construção
Tecnologia de poliureia - selantes de juntas de dilatação, construção
 
Tecnologia de poliureia impermeabilização elementos de água
Tecnologia de poliureia   impermeabilização elementos de águaTecnologia de poliureia   impermeabilização elementos de água
Tecnologia de poliureia impermeabilização elementos de água
 
Tecnologia de poliureia - aplicação sobre geotextil
Tecnologia de poliureia - aplicação sobre geotextilTecnologia de poliureia - aplicação sobre geotextil
Tecnologia de poliureia - aplicação sobre geotextil
 
Tecnologia de poliureia - recuperação de pisos
Tecnologia de poliureia  -  recuperação de pisosTecnologia de poliureia  -  recuperação de pisos
Tecnologia de poliureia - recuperação de pisos
 
Tecnologia de poliureia aplicação robotizada
Tecnologia de poliureia   aplicação robotizadaTecnologia de poliureia   aplicação robotizada
Tecnologia de poliureia aplicação robotizada
 
Marmai culture code
Marmai culture codeMarmai culture code
Marmai culture code
 
Marmai culture code
Marmai culture codeMarmai culture code
Marmai culture code
 

Último

GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdfGUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
AlfeuBuriti1
 
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
InsttLcioEvangelista
 
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCCEstudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Paulo Emerson Pereira
 
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoedaRevolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Renan Batista Bitcoin
 
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
Paulo Emerson Pereira
 
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMETRESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
rihabkorbi24
 
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdfVeronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Dantas
 

Último (7)

GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdfGUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
 
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
 
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCCEstudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
 
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoedaRevolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
 
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
 
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMETRESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
 
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdfVeronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
 

Tecnologia de poliureia

  • 2. I. Definição de Poliureia e Noções básicas da Tecnologia
  • 3. História • 1987 - As primeiras formulações de poliureia de aplicação em spray são criadas. • 1988 - Uma das primeiras formulações de poliureia de aplicação por spray é comercializado para aplicação sobre Espuma de PU em Cobertura. • 1990 - O interesse da indústria revestimento em sistemas de pulverização de poliureia provoca a criação de novos fabricantes de sistemas e novas formulações.
  • 4. Definição de Poliureia O revestimento/elastômero de poliureia é o resultado da reação de um componente poliisocianato(s) com resina(s) amino terminada. Para fins de referência, um revestimento de poliureia híbrido é o resultado da reação do componente de poliisocianato com o componente de mistura de resinas amina terminadas com polímeros terminados com hidroxilos (poliol). Poliureia não é um produto, Poliureia é uma Tecnologia
  • 5. • Poliureia não é um poliuretano • Poliureia não contém catalisador • Poliureia tem resistência à umidade • A cura da Poliureia não é afetada pela temperatura ou umidade Química Básica
  • 6. • Aromático  Isocianatos de uso geral  Estabilidade de cor Pobre /Desbotamento possível em exposição aos raios UV • Alifático  Alta estabilidade de Cor / Excelente resistência ao ambiente A - Isocianato (Prepolimero) Química Básica
  • 7. • Polieteraminas  Primeiras poliureias comerciais produzidas em 1980 usado extensivamente • Ésteres poliasparticos  Comercializada em final de 1990  Oferece uma variedade de velocidades de cura, alta solidez de cor  Muitas vezes usado como acabamento (200-250µm) ou sobre outros revestimentos (poliureia aromática) B - Resina (Amina) Química Básica
  • 8. • Formulações de base aromática (Spray) Estabilidade de cor limitado em aplicações externas • Formulações de Base Alifática (Spray) Excelente estabilidade de cor em aplicações externas Mais dispendioso do que os sistemas baseados aromáticos • Formulações com aprovação ANSI / NSF 61 (Água Potável) • Poliureia Ester Poliaspartico (baixa espessura) • Selantes e Juntas de cura lenta (Pistola com bico estático ou cartucho de 600ml) • Sistemas para reparo (Pincel) Tipos de Sistema de Poliureia
  • 9. Tipos de Sistemas de Poliureia Sistemas Especiais • Sistemas de retardante de Chama (Classe I – Norma E84.12) • Sistemas resistentes a produtos químicos • Sistemas com Dureza diferentes desde a mais macia para juntas de dilatação até as com Dureza D85 (como fibra de vidro) • Diferentes formulações para diferentes aplicações
  • 10. Tipos de Sistemas de Poliureia Métodos de aplicação • Sistemas de Spray de Alta e Baixa Pressão • Sistemas Hot Spray e Cold Spray • Sistemas Roll-On / Pincel • Cura lenta / Juntas / Selantes • Pistola airless (apenas éster poliaspártico)
  • 11. Resistência à tração, Mpa até 27.57 Dureza Shore A30 a D65 Alongamento,% até 1000 Resistencia Rasgamento, pli 250-600 100% Modulus, Mpa 3,45-13,79 Resistencia á ruptura, MPa 1,72-3,45 Flex / Crack Bridging > 38,1 milímetros (-26°C) Propriedades Típicas
  • 12. Performance Poliuréia Poliuretano Poliester Epoxi Resistencia Mecanica Baixa - Alta Baixa-Média Alta Alta Alongamento Alta Baixa – Alta Baixa Baixa Resistencia á Abrasão Alta Media-Alta Média-Alta Alta Adesão ao Concreto Alta Baixa-Média Média Alta Encolhimento após cura Baixa Baixa Alta Alta Permiabilidade Baixa Média-Alta Baixa Baixa-Alta Resistencia UV Alta Baixa-Alta Média-Alta Baixa Temperatura limite Alta Média Baixa-Média Baixa Adaptado do artiigo “Polyurea Spray Coatings Systems” de Dudley J. Primeaux II, Tabela Comparativa
  • 15. Bombas de Alta Pressão Requisitos Básicos: •Desenvolver alta pressão / fluxo para uma boa mistura normalmente 103-206 Bar •Aumentar a temperatura para reduzir a viscosidade do material tipicamente 15 a 25°C Equipamentos
  • 17. Existem vários modelos de pistolas no mercado que oferecem as seguintes variáveis: • Vazão de saída típicas de <0,5 kg – 2,7 por minuto • As pressões máximas entre 103-206 Bar • Formas variáveis do padrão de pulverização - redondo, ventilador, plano, etc Pistolas de Alta Pressão Equipamentos
  • 18. Equipamentos de Spray Baixa Pressão Equipamentos
  • 19. Sistemas de pulverização de baixa pressão • As Pressões do equipamento são moderadamente baixas normalmente 3,44 a 13,79 Bar • "Mistura estática" para Pulverização • Pode processar materiais à temperatura ambiente normalmente 21 a 35 C • No entanto o tempo de gel é > 10 segundos normalmente 10 a +45 segundos Equipamentos
  • 20. Sistemas para Selantes/Enchimento de Juntas •Sistemas de cura lento, com excelente fluidez •Geralmente pode ser "raspado" após 1 hora da instalação, mesmo em ambientes frios Equipamentos
  • 21. Equipamentos de Proteção Pessoal • Óculos de Proteção • Luvas quimicamente resistentes. • Roupas Quimicamente resistente (Tyvak) • Mascara de meia face ou face inteira com pré filtro de partículas Equipamentos
  • 23. Dois dos substratos mais comuns onde são aplicados revestimentos de poliureia são: Concreto e Aço Preparação de Substratos
  • 24. Para revestimento de alta espessura (100 µm – 3 mm Poliureia aplicada) recomendamos um perfil entre CSP 3 a CSP6 para um melhor desempenho e ancoragem dos sistemas de poliureia (ICRI Guideline No. 03732) CSP-3 CSP-4 CSP-5 CSP-6 Preparação de Superficie - Concreto
  • 25. Normas da Indústria: Concreto precisa ter sido curado por 28 dias antes de ser revestido Consulte a SSPC-SP 13 Outras normas SSPC-TR 5 / ICRI Guideline No. 03741 Ainda não existe uma norma de aplicação de poliureia Brasileira Preparação de Superficie - Concreto
  • 26. Shotblasting / Lixagem / Frezagem Remove revestimentos antigos e nata de cimento Abre os poros do concreto e fornece um bom perfil de ancoragem(CSP 3 a CSP 6) Preparação de Superficie - Concreto
  • 27. Questões de umidade Teor máximo de umidade é <5% ASTM F 2170 “medidores de umidade” Transmissão de vapor máxima – 1,5Kg por 1oom² em um período de 24 horas ASTM F 1869 “Teste de Cloreto de Calcio” Preparação de Superficie - Concreto
  • 28. Primers são utilizados devido aos substratos de concreto serem porosos e para minimizar a saída dos gases. No entanto, eles também são utilizados para reforçar o substrato e assim melhorar a adesão. IMPORTANTE: O concreto tem uma força máxima de tração de cerca de 2,78 MPa a poliureia normalmente tem uma resistência à tração de 17,24 MPa. Preparação de Superficie - Concreto
  • 29. • Substrato coeso • Opção com Priming e sem priming • Deve estar limpo, livre de contaminantes • Necessita de jateamento para melhorar a aderência mecânica (SSPC-SP 5 / NACE No. 1 / ISO 3 ou SP 10 / NACE No. 2 / ISO 2 ½) Preparação de Superficies - Metal
  • 30. • Métodos SSPC-SP / NACE No. / ISO SA • Cuidado ao aplicar sobre flash rust / corrosão Especialmente em aplicações submersas • Precisa ser especificado um perfil i.e. 5 – 7.6 µm Para imersão o perfil mínimo é de 7.6µm Preparação de Superficies - Metal
  • 31. Jateamento Abrasivo • Remove carepa, revestimentos antigos e alguns contaminantes •Fornece um bom perfil de ancoragem Preparação de Superficies - Metal
  • 32. O uso de primers não é sempre necessário, mas podem ser utilizados para aumentar o desempenho global de aderência ao aço. Uma vez que os sistemas de poliureia são de cura rápida, constroem viscosidade muito rapidamente e por isso, não molham a superfície do substrato tão bem como os sistemas de cura lenta. IMPORTANTE: O uso de primers em aço deve ser conjugada com a preparação adequada da superfície de forma a conseguir também a adesão mecânica. Preparação de Superficies - Metal
  • 33. Outros substratos: fibra de vidro Tecido geotêxtil Espuma Amianto (encapsulamento) Madeira Vidro asfalto Consulte o fornecedor de poliureia para métodos de preparação adequadas! Preparação de Superficies - Metal
  • 34. Primers mais comuns: • epóxi • uretano • acrílico Consulte o fornecedor de poliureia para seleção de primer adequado Primers
  • 35. Algumas características dos Primers •Podem ser 100% sólidos ou à base de Solvente •Mono Componente ou Bicomponente •Grande variedade de tempos de cura •São afectados por condições ambientais e/ou com a temperatura do substrato •Ajudam na adesão, na integridade e/ou liberação de gases do substrato Primers
  • 36. Espessuras de Aplicação da Poliureia (em média) Tráfego pedestre: 1,0 – 1,5 mm Tráfego de veículos: 1.5 - 2,0 mm Tráfego pesado/Rampas: 2,0 - 3,2 mm) Aplicações de parede: 0,8 - 1,5 mm Áreas Submersas: > 2,0 mm Aplicação
  • 37. Cálculo de material Não se levou em consideração fator de perda 1Kg = 1m² / 1 mm Aplicação
  • 38. Controle de Qualidade: amostras de campo Aplicar um metro quadrado sobre uma placa de polietileno ou placa de alumínio lisa com um desmoldante. Pulverizar ate atingir a espessura de 1,5 - 2 mm. Identificar a amostra com data, área, número do lote, projeto, etc. Caso necessário ou exigido a amostra será envida para a VersaFlex para procederem aos testes físicos necessários. Aplicação
  • 40. Fatores que podem causar falhas do revestimento: • Preparação do Substrato Inadequada • Contaminação do Substrato • Falhas Estruturais do Projeto • Aplicação fora de proporção (isocianato / resina) • Seleção errada do sistema de revestimento Falhas do Revestimentos
  • 41. IV. Cases e Aplicação Comercial
  • 42. Poliureias VersaFlex Ação Substratos Aplicações Tipo Produto Máquina Pistola °C UV Solidez de Cor Impermeabilização Proteção Anticorrosiva Retardante de Chama Classe I Metal Concreto Geotextil Espuma PU Fibra de Vidro Pisos Telhados Saneamento Água Potavel Mineração Aromáticas Arustruct Graco EXP2 HXP2 HXP3 Gama H50 Gusmer 25/30 Graco Fusion AP Fusion MP GX-7 400 Probler P2 GX 8 65-70°C ** 6 *** *** NR ** ** NR NR *** * * *** NR * FSS 45DC /VF 320 ** 6 *** *** NR *** ** NR ** NR ** * ** NR ** FSS 45 DC FR ** 6 *** *** *** *** ** NR ** NR ** * ** NR ** FSS 45DCF ** 6 *** *** NR *** ** NR ** NR ** ** ** NR ** FSS 50DM /VF 350 ** 6 *** *** NR ** *** NR ** NR *** ** *** NR ** FSS 50DM FR ** 6 *** *** *** ** *** NR ** NR *** ** *** NR ** VF 330 ** 6 *** *** NR *** ** NR NR NR * * * NR *** VF 380 ** 6 *** *** NR ** *** *** *** NR ** *** * NR * AV 405 ** 6 *** *** NR *** *** NR NR NR * * ** *** * AV 415 ** 6 *** *** NR *** *** NR NR *** * * ** *** * VF 340 ** 6 *** *** *** *** ** NR NR NR ** *** ** NR ** LS 45 Graco-E-10 Reactor AST-PCH GMP Graco K2 TAH Indus. Frio ** 6 *** *** NR *** ** NR ** NR *** * * NR * LS 75 ** 6 *** *** NR ** *** NR * NR *** * * NR ** Alifáticas FSS 42D Graco EXP1 EXP2 HXP2 HXP3 Gama G 250 Fusion AP Fusion MP GX-7 65-70°C *** 8 ** *** NR ** *** NR ** NR *** *** *** NR ** Gelflex FR *** 8 ** *** *** ** *** NR NR * *** ** ** NR * Gelflex 1115 *** 8 ** *** NR ** *** NR NR * *** ** ** NR * Poliasparticas ClearCoat Rolo Padco Graco AirLess Ultra395 Bico 0.017 a 0.021 Frio *** 8 *** *** NR ** *** NR NR NR *** *** ** NR ** ClearCoat Fast *** 8 *** *** NR ** *** NR NR NR *** *** ** NR ** Clear Coat Fast FR *** 8 *** *** *** ** *** NR NR NR *** *** ** NR **
  • 43. Revestindo Concreto • Projeto CA/T Boston • Projeto MBTA Boston
  • 46. Água e Saneamento • Tanques de concreto, clarificadores, separadores, etc
  • 47. Água e Saneamento • Armazenamento de água
  • 49. Revestindo Concreto • Contenção Secundária Antes Depois
  • 50. Revestimento sobre Geotextil • Contenção Secundaria
  • 51. Revestimento Interno de Tanques Revestindo Metal
  • 52. Fibra de Vidro Peças em Fibra de Vidro
  • 54. Proteção contra Corrosão e Erosão • Offshore
  • 58. Retorno ao serviço mais rápido do que os sistemas tradicionais Rápida aplicação e Reduz Custos Isento de VOC e pouco ou nenhum odor Cura á temperatura de -31 ºC a 150 ºC Excelente resistência ao choque térmico Flexível Impermeável Alta resistência á abrasão Insensibilidade à umidade ambiente Espessura ilimitada Produto versátil e Grande durabilidade Alta resistência química