SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 50
Baixar para ler offline
SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PARÁ
CURSO DE LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO

JOSE SOARES DE SOUZA
TANCREDO WILLIAM CARVALHO ALMEDA

PROPOSTA DE UM SISTEMA PARA AUTOMATIZARROTINAS
ADMINISTRATIVAS ESCOLARES

CAPITÃO POÇO
2013
1
SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PARÁ
CURSO DE LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO

JOSE SOARES DE SOUZA
TANCREDO WILLIAM CARVALHO ALMEDA

PROPOSTA DE UM SISTEMA PARA AUTOMATIZAR ROTINAS
ADMINISTRATIVAS ESCOLARES

Trabalho Acadêmico de Conclusão de
Curso Licenciatura em Computação do
Instituto Federal de Educação, Ciência e
Tecnologia do Pará – IFPA, como
requisito para a obtenção do Grau em
Licenciatura em Computação, sob a
orientação do Profº. Esp. Anderson Maia.

CAPITÃO POÇO
2013
2
Souza, José Soares; Almeida, Tancredo William Carvalho
Proposta de um sistema para automatizar rotinas
administrativas escolares / José Soares de Souza; Tancredo
William Carvalho Almeida. Capitão Poço 2013.
50p.;
Orientador: Andersom Maia
Trabalho Acadêmico de Conclusão de Curso
apresentado ao Instituto Federal de Educação, Ciências e
Tecnológica do Pará

3
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PARÁ
CURSO DE LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO

JOSE SOARES DE SOUZA
TANCREDO WILLIAM CARVALHO ALMEDA

PROPOSTA DE UM SISTEMA PARA AUTOMATIZAR ROTINAS
ADMINISTRATIVAS ESCOLARES

Data de Defesa: ___/ ___/ ___
Conceito: ________________

Banca Examinadora
___________________________________________
Prof. orientador: Anderson Maia
___________________________________________
Prof. (nome completo – instituição)
___________________________________________
Prof. (nome completo – instituição)

CAPITÃO POÇO
2013
4
AGRADECIMENTOS

Primeiramente a Deus por nos da o dom
da vida e forças para enfrentar mais essa
caminha educacional;
Aos nossos familiares por nos apoiar e
incentivar nessa formação acadêmica;
Aos amigos e companheiros de classe
que nos ajudaram em momentos difíceis
que passamos juntos por essa jornada;
Aos professores que nos proporcionaram
ensino de qualidade e deixaram saudades
e em especial ao nosso orientador Profº
Esp. Andersom Maia.

5
RESUMO
Hoje com o avanço da tecnologia o mundo globalizado está cada vez mais
presente em nosso dia-a-dia, permitindo nos conectar a qualquer parte do
planeta, trocar informações de forma instantânea. Por tanto, podemos afirmar
que a informação é algo de suma importância para o convívio social e cultural
de uma sociedade. As empresas atualmente então se adequando a esta nova
“era da informação” para continuar mantendo sua competitividade no mercado
de trabalho. Nosso objetivo neste trabalho é desenvolver um sistema de
automação de rotinas administrativa para escolas da educação básica
utilizando um padrão. Com essa padronização de software para gestão escolar,
será possível facilitar o trabalho dos administradores nas tomadas de decisões
com mais rapidez e eficácia. No desenvolvimento do sistema, foi utilizada a
linguagem de programação orientada a objeto, C# e a utilização Sistema
Gerenciador de Banco de Dados SQL Server 2008.

PALAVRAS-CHAVES:informação; sistema de automação.

6
ABSTRACT
Today with the advancement in technology the world is globalized present in
our day-to-day, allowing you to connect to any part of the world, exchange
information instantly. Therefore, we can say that information is something
crucial for social and cultural development of a society. Companies now then
adapting to this new "information age" to remain competitive in the labor market.
Our goal in this work is to develop an automation system for administrative
routines of basic education schools. With the standardization of software for
school management, facilitate the work of managers in making decisions more
quickly and effectively. In designing the system, we used the language of
object-oriented programming, C # and use System Manager Database MySQL

KEYWORDS: information; automation system.

7
LISTA DE FIGURAS
Figura 1 - Uc diagrama login ............................................................................ 30
Figura 2 - Uc modulo gestão ............................................................................ 30
Figura 3 - Uc modulo matricula ........................................................................ 31
Figura 4 - Uc modulo acadêmico...................................................................... 32
Figura 5 - Tela de autenticação do usuário ...................................................... 32
Figura 6 - Área de Trabalho ............................................................................. 33
Figura 7 - Cadastro de Ano Letivo.................................................................... 34
Figura 8 - Cadastro da Escola .......................................................................... 34
Figura 9 - Pesquisar Escola ............................................................................. 35
Figura 10 - Cadastro de Disciplina ................................................................... 35
Figura 11 - Cadastro de Turmas ...................................................................... 36
Figura 12 - Cadastro de Aluno ......................................................................... 36
Figura 13 - Pesquisar Aluno ............................................................................. 37
Figura 14 - Cadastro de Docente ..................................................................... 37
Figura 15 - Pesquisar Professor ....................................................................... 38
Figura 16 - Interface do Visual Studio 2010 ..................................................... 41
Figura 17 - Comparativo das versões Visual Studio......................................... 43
Figura 18 – Recursos e tecnologias Visuais Studio 2010 Express ................... 44

8
Sumário
1. Introdução ........................................................................................................................... 11
1.1

Objetivos ......................................................................................................................... 12

1.1.1

Objetivo Geral ............................................................................................................. 12

1.1.2

Objetivos específicos ................................................................................................... 12

1.2

Justificativa ...................................................................................................................... 13

1.3

Situação atual .................................................................................................................. 13

1.4

Identificação do problema .............................................................................................. 14

1.4.1

Descrição do Ramo de Negócio da Empresa ............................................................... 14

1.4.2

Secretaria Escolar ........................................................................................................ 16

1.4.3

Secretário Escolar ........................................................................................................ 17

1.4.4

Problematização .......................................................................................................... 19

1.5
2.

Organização do trabalho ................................................................................................. 21
Sistemas de Informação ...................................................................................................... 21

2.1

Gestão da Informação ..................................................................................................... 22

2.2

Por que utilizar Sistemas de Informação? ....................................................................... 22

2.3

Importância dos Sistemas de Informação para as Empresas .......................................... 23

2.4

Sistemas de Informação para a Gestão Escolar .............................................................. 24

2.5

Alguns software utilizados no gerenciamento escolar ................................................... 25

2.5.1

O gestor escolar........................................................................................................... 26

2.5.2

O iScholar .................................................................................................................... 26

2.5.3

SisAlu ........................................................................................................................... 26

2.5.4

SAE+C Versão 5.0 ........................................................................................................ 26

2.5.5

ACADESC...................................................................................................................... 26

3.

Análise e Projeto ................................................................................................................. 27

3.1

Levantamento dos requisitos .......................................................................................... 27

3.2

UML ................................................................................................................................. 28

3.3

Atores .............................................................................................................................. 29

3.4

Casos de uso .................................................................................................................... 29

3.5

Prototipação .................................................................................................................... 32

3.5.1

Autenticação do usuário ............................................................................................. 32

3.5.2

Área de Trabalho ......................................................................................................... 33

3.5.3

Cadastro de Ano Letivo ............................................................................................... 33

3.5.4

Cadastro da Escola ...................................................................................................... 34

9
3.5.5

Pesquisar Escola .......................................................................................................... 34

3.5.6

Cadastro de Disciplina ................................................................................................. 35

3.5.7

Cadastro de Turmas .................................................................................................... 35

3.5.8

Cadastro de Alunos ..................................................................................................... 36

3.5.9

Pesquisar Alunos ......................................................................................................... 36

3.5.10

Cadastro de Docente ................................................................................................... 37

3.5.11

Pesquisar Professor ..................................................................................................... 37

4.

Recursos e tecnologia.......................................................................................................... 38

4.1

C Sharp (C#) ..................................................................................................................... 39

4.2

Visual Studio 2010 ........................................................................................................... 40

4.3

SQL Server 2008 R2 ......................................................................................................... 44

4.4

Report Viewer ................................................................................................................. 46

5.

Conclusão ............................................................................................................................ 47
Bibliografia ........................................................................................................................... 48

10
1. Introdução
O uso da informática dentro da gestão escolar está ficando cada vez
mais fluente, em decorrência do constante fluxo de informação gerido dentro de
uma escola, como por exemplomatricula de alunos, ficha individual, boletins,
declarações escolares, diário de classe, históricos, dentre outros.
Na perspectiva de melhorar o atendimento, a gestão escolar está
buscando soluções práticas dentro da informática para aperfeiçoar sua rotina
administrativa, saindo do tradicional atendimento manual e informatizando-se,
na busca de dados mais precisos e coesos para possíveis tomadas de
decisões com segurança e agilidade.
A Escola Municipal de Ensino Fundamental Profª Elza Maria Correa
Dantas, situada na Travessa José Maria Pinheiro, S/N, Bairro Nossa Senhora
do Perpetuo Socorro, Município de Garrafão do Norte-Pa. Fundada em 1990,
apresenta atualmente cento e sessenta e quatro (164) funcionários, um (1)
diretor e dois (2) vice-diretoras, oitenta e seis (86) professores e auxiliares e
setenta e cinco (75) administrativos, com um mil seiscentos e sessenta e novo
(1669) alunos distribuídos em quarenta e oito (48) turmas em quatro (4) turnos.
Porém em plena era da informação esta escola ainda utiliza procedimentos
manuais na sua gestão escolar. Com o decorrer do aumento de alunos, os
antigos trabalhos manuais utilizados até então não são mais suficiente para
atender toda demanda de discente com eficiência.
Na secretaria escolar, por exemplo, onde se concentra todo aparato
administrativo da escola, setor responsável pelo contato direto com
comunidade escolar como pode citar: diretores, professores, alunos e pais é
um dos setores que mais sofre com essa falta de informatização.
Para (Fernandes, 2006).
As escolas apostam em tecnologias que sejam de fácil
utilização como é o caso do computador, possível de ser
incorporado no processo decisório dos gestores, e que
seja preciso para produzir informações confiáveis e
realmente necessárias.

Atualmente

com

aumento

de

informações,

gerenciada

pela

secretaria escolar a informática está sendo um ponto crucial para o bom
desempenho

do

setor,

no

que

diz

respeito

ao

gerenciamento

administrativo.Com software adequado e pessoal devidamente qualificado a

11
secretaria escolar deixará de ser obsoleta e passará a administrar de forma
dinâmica e mais competitiva no mercado atual.
Entendemos que o uso correto da ferramenta tecnológicapara
gestão

escolar

traz

vantagens

significativas

para

o

melhoramento

organizacional da empresa.
Partindo do ponto de vista, de que a Escola Municipal de Ensino
Fundamental ProfªElza Maria Correa Dantas, ainda administra seus dados de
forma manual, propõe-se um estudo de caso para desenvolvimento de uma
aplicação desktop que venha suprir e otimizaro desempenho operacional dos
trabalhos administrativos da gestão escolar. O software será desenvolvido
através da linguagem orientada a objeto, C#. E os dados coletados serão
armazenados em um banco de dados relacional,SQL Server 2008.
1.1 Objetivos
1.1.1 Objetivo Geral
O objetivo deste trabalho é propor o desenvolvimentode um
softwarede gerenciamento escolar para atender a demanda administrativa da
Escola Municipal de Ensino Fundamental ProfªElza Maria Correa Dantas.

1.1.2 Objetivos específicos
Gerenciar cadastros:
o Cadastrar escolar;
o Cadastrar alunos;
o Cadastrar professores;
o Cadastrar disciplinas;
o Cadastrar turmas;
o Cadastrar usuários do sistema;
Gerenciar de matricula:
o Consultar aluno;
o Efetivar matricula;
o Efetivar rematrícula;
o Remanejamento de aluno;
o Manutenção de matricula;
o Relatórios de matriculas;
Gerenciar gestão acadêmica:
12
o Criar turmas;
o Gerir diário de classe;
o Lançar notas por aluno;
o Lançar frequência do aluno;
o Criar boletim do aluno;
o Criar ficha individual do aluno;
o Criar histórico escolar;
Garantir a confiabilidade e segurança nas informações
administrativas da escola;
1.2 Justificativa
A utilização de software gerencial nas escolas vem apresentando um
crescimento constante em seu cotidiano.Com o auxilio desta ferramenta as
mesmas se tornam mais produtiva e ágil nas buscas de informações concretas
e precisas do seu ramo de negócio.
Visando desempenhar melhor suas rotinas administrativas, a
proposta de desenvolver um sistema de automação para gerenciar os trabalhos
da escola, vem garantir melhor satisfação e redução de gastos na instituição.
Desse modo, matriculas,boletins, ficha individual, histórico escolar,
dentre outros deixarão de ser feitos em blocos de papel e fichas cadastrais e
passaram a ser executadas em um sistema próprio, com isso, melhorará o
desempenho dos funcionários e consequentemente o atendimento ao cliente.
Assim será possível organizar todas as informações em um banco
de dados relacional, viabilizando a busca de determinados dados de alunos em
tempo reduzidos com precisão e segurança.
Buscando facilitar e aperfeiçoar o trabalho exercido pela secretaria
escolar, o sistema terá telas simples e intuitiva fazendo com que o usuário
tenhainformaçãocoesa em poucos cliques e buscas personalizadas.

1.3 Situação atual
A evolução da tecnologia tem sido uma grande aliada para a
informatização das empresas. Hoje, ter software para o gerenciamento das
empresas não é privilégio apenas das grandes empresas. O uso dessa
tecnologia está cada vez mais fazendo parte do dia a dia das pequenas e
médias empresas que tentam se inserir nesse cenário globalizado, buscando o
13
aperfeiçoamento do seu trabalho e propiciar melhor atendimento ao cliente,
tornando assim, a empresa mais produtiva e dinâmica no mercado de trabalho.
Trabalhos que antes eram executados manualmente, demandando
grande escala de tempo e disponibilidade funcional para serem realizados, a
partir do uso de uma ferramenta de software, os gestores escolares estão
conseguindo diminuir esse tempo através de soluções mais simples e de baixo
custo para o desenvolvimento de suas atividades.
Hoje as escolas estão substituindo canetas e papeis por computares
e softwares específicos para o seu gerenciamento administrativo. Dessa forma,
a escola alavanca sua produtividade e melhora nos quesitos atendimento,
confiabilidade dos dados, segurança da informação, acesso rápido às
informações e praticidade na administração escolar.
1.4 Identificação do problema
Segundo

RESENDE

apud

PRESSMAN

(1995,

p.

199),

“a

identificação da necessidade é o ponto de partida na evolução de um sistema
baseado em computador”.
No entanto, para que tenhamos um bom aplicativo que possa
gerenciar toda uma instituição escolar, devemos num primeiro momento
analisar o problema e procurar uma solução óbvia. Este procedimento pode ser
denominado de levantamento de requisitos.
1.4.1 Descrição do Ramo de Negócio da Empresa
A Escolar Municipal de Ensino Fundamental Profª Elza Maria Correa
Dantas é considerada uma instituição de grande porte1, pois atualmente
comportar um mil seiscentos e sessenta e nove (1669) alunos devidamente
matriculados e atuando com o corpo funcional,atualmente, cento e sessenta e
quatro (164) pessoas distribuídas nos seguimentos, apoio administrativo e
professores.
No mês de janeiro, a escola inicializa suas matriculas por um
período de uma semana, com funcionamento das 07h00min até as 18h00min.
Matrícula feita pelo próprio aluno, só é efetivada se o mesmo tiver 18 anos ou

1

Para a prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro uma escola é considerada de grande porte quando a sua
capacidade de atender à comunidade ultrapassa o número de 1.500 alunos e uma escola de pequeno
porte atende até 700 alunos (ZARGIDSKY, 2006).

14
mais, mediante apresentação de documentos que comprove sua maioridade.
Para os demais casos, a matrícula será feita pelo responsável do aluno.
Para alunos que já frequentavam séries anteriores e só querem
renovar sua matricula, para o ano posterior, não há necessidade de
providenciar documentação para arquivamento na escola. Tais como:
Certidão de nascimento
Carteira de Identidade
CPF
Comprovante de residência
No entanto, para alunos novos no estabelecimento de ensino, além
da documentação acima citada, há também a necessidade de apresentar o
histórico escolar e transferência, caso venham de outra escola.
No ato da matricula, é preenchida uma ficha com algumas
informações necessárias para identificação do aluno, tais como:
Nome do Aluno
Sexo
Data de Nascimento
Naturalidade
Nacionalidade
Endereço
Filiação
Tem alguma deficiência
Utiliza transporte escolar
Recebe Beneficio do Governo Federal (Bolsa Família)
Série
Turno
Observação
Após o período de matriculas esses dados são encaminhados para a
secretaria, onde serão divididas as turmas, feita à lotação dos professores e o
arquivamento das pastas contendo toda a documentação dos alunos.
Este arquivo é organizado por turno e turma. Cada turma tem seu
quantitativo de alunos descrito de forma manual em ordem alfabética para
facilitar o encontro de dados dos discentes.
15
Após a realização das matrículas e lotação devidamente distribuída
por turnos e turmas, a secretaria da escola providencia os diários de classe e
distribui aos professores. Tais diários servirão de ferramenta para registrar
informações dos alunos que acontece dentro da sala de aula, como por
exemplo: frequência, registro de atividades pedagógicas feitas em classe e
mapa de avaliações bimestrais com total de quatros (4) avaliações no ano
letivo e duas (2) recuperações feitas no finai do primeiro e segundo semestre.
Antes de iniciar o período letivo os professores e coordenadores
pedagógicos, reúnem-se por um período de cinco (5) dias para elaborar o
planejamento escolar anual, sendo que este planejamento é feito duas (2)
vezes ao ano, com acompanhamento a cada três (3) meses. Nesse
planejamento,

são

discutidos

assuntos

relacionados

aos

conteúdos

programáticos a serem trabalhados durante o período letivo.
Com o planejamento concluído, a equipe da direção da escola fica
ciente do que irá acontecer durante o ano letivo, podendo assim se organizar
de forma adequada para possíveis contra tempos que poderão vim a ocorrer
durante o período acadêmico. Por exemplo, professora que precisa ser
substituída por licença maternidade, ficando assim, a direção da escola
informada dos conteúdos a serem ministrados em determinada(s) turma(s),
podendo providenciar outro professor da área para atuar na(s) mesma(s).
1.4.2 Secretaria Escolar
A secretaria escolar é o setor que tem como principal função a
realização das atividades de apoio ao processo administrativo e pedagógico.
Nela se concentram as maiores responsabilidades relativas à vida escolar do
aluno e da própria escola. Por isso, deve ser instalada em lugar seguro e não
acessível a pessoas estranhas ao serviço (SEDUC-MT, p. 2).
Após cada avaliação o Secretário (a) escolar é responsável em
recolher os diários de classes dos professores e juntamente com a equipe
administrativa da secretária efetuam a transcrição das notas avaliativas, as
frequências e atividades pedagógicas em planilhas denominadas de ficha
individual e boletim escolar. As mesmas são arquivadas em suas respectivas
pastas de alunos.
Com o término do ano letivo e todos os dados transcritos em fichas
individuais e boletins, a secretaria então finaliza seus trabalhos com o relatório
16
anual de todas as turmas, tendo um mapeamento quantitativo de alunos
aprovados e reprovados, bem como aqueles que mesmo aprovados ficaram
em dependência em alguma(s) disciplina(s).
Como a secretaria é o setor responsável pela parte administrativa
escolar, seu atendimento deverá enforcar informações em diferentes áreas de
responsabilidades.
Segundo (SEDUC-MT, p 3-4) os principais atendimentos da
secretaria escolar são:
Atendimento aos profissionais da educação, pais, alunos,
representantes da comunidade e órgãos públicos.
Expediente

envolve

registros

escolares,

funcionais

e

correspondências.
Escrituração Escolar mediante registro de dados escolares
dos alunos e funcionais dos profissionais da educação.
Arquivo pode ser físico ou virtual, de movimento ou ativo,
permanente ou passivo.
1.4.3 Secretário Escolar
É o responsável direto por toda a organização da secretaria escolar,
bem como pela preservação dos documentos no tempo e no espaço. É ele
quem decide sobre os assuntos relacionados aos serviços pertinentes a
secretaria e orienta os Técnicos Administrativos Educacionais na execução dos
trabalhos, descentralizando as ações (SEDUC-MT, p. 2).
Para o bom funcionamento de uma secretaria escolar, seu
responsável, nomeado secretário, dever ser uma pessoa de confiança do
diretor, pois o mesmo tem ligação direta com a diretoria e, tenha no mínimo
concluído o ensino médio.
Segundo LC nº. 206/2004 são competências básicas de um
Secretário Escolar:
1. Responsabilidade básica de planejamento, organização,
coordenação, controle e avaliação de todas as atividades
pertinentes à secretaria e sua execução;
2. Participar da elaboração do Plano de Desenvolvimento
Escolar;

17
3. Participar juntamente com os Técnicos Administrativos
Educacionais, da programação das atividades da secretaria,
mantendo-a articulada com as demais programações da
Escola;
4. Atribuir tarefas aos Técnicos Administrativos Educacionais,
orientando e controlando as atividades de registro e
escrituração, assegurando o cumprimento de normas e
prazos relativos ao processamento de dados determinados
pelos órgãos competentes;
5. Verificar a regularidade da documentação referente à
matrícula, adaptação, transferência de alunos, encaminhando
os casos especiais à deliberação do(a) Diretor (a);
6. Atender, providenciar o levantamento e encaminhamento aos
órgãos competentes de dados e informações educacionais;
7. Preparar a escala de férias e gozo de licença dos servidores
da

escola

submetendo

à

deliberação

do

Conselho

Deliberativo da Comunidade Escolar;
8. Elaborar e providenciar a divulgação de editais, comunicados
e instruções relativas às atividades;
9. Elaborar relatórios das atividades da secretaria e colaborar na
elaboração do relatório anual da escola;
10. Cumprir e fazer cumprir as determinações do Diretor (a), do
Conselho Deliberativo da Comunidade Escolar e dos órgãos
competentes;
11. Assinar, juntamente com o Diretor (a), todos os documentos
escolares destinados aos alunos;
12. Facilitar e prestar todas as solicitações aos representantes da
Secretaria de Estado de Educação e do Conselho Estadual
de Educação sobre o exame de livros, escrituração e
documentação relativa à vida escolar dos alunos e vida
funcional dos servidores e, fornecer-lhes todos os elementos
que necessitarem para seus relatórios, nos prazos devidos;
13. Redigir as correspondências oficiais da escola;

18
14. Dialogar com o Diretor (a) sobre assunto que diga respeito à
melhoria do andamento de seu serviço;
15. Não permitir a presença de pessoas estranhas ao serviço da
secretaria;
16. Tomar as providências necessárias para manter a atualização
dos serviços pertinentes ao estabelecimento;
17. Fazer a distribuição de serviços aos Técnicos Administrativos
Educacionais;
18. Tabular

os

dados

dos

rendimentos

escolares,

em

conformidade ao processo de recuperação e no final de cada
ano letivo.
Segundo (SEDUC-MT, p. 3) o secretário escolar deve conter essas
qualidades.
1. Ser organizado e pontual;
2. Ético;
3. Ser comunicativo com a comunidade interna e externa;
4. Saber redigir
5. Estar aberto a aprendizagem;
6. Respeitar o outro e ser solidário, atendendo com agilidade e
presteza as solicitações dirigidas a secretaria escolar;
7. Dominar a informática básica;
8. Conhecer e aplicar a legislação educacional vigente.
1.4.4 Problematização
A Escola descrita no terceiro paragrafo da introdução deste trabalho
vem utilizando seus procedimentos administrativos de forma manual para todos
os ambientes funcionais da administração escolar.
Apesar da escola possuir um laboratórios de informática e sua
secretaria possuir três (3) computadores, os quais ainda não são utilizados de
forma correta para agilizar a documentação que rege o funcionamento
administrativo da escola.
Após visitas efetuadas na referida escola, identificamos que os
trabalhos administrativos eram processados manualmente, requerendo tempo
e pessoal empenhado na produção das tarefas.

19
Além da gama de informação que a escola tem que gerenciar por ter
um número elevado de alunos, a estrutura física da secretaria não está
adequado para suportar tamanha produtividade de trabalho.
Evidenciamos a utilização de alguns processos sendo feitos de
forma manuscrita e outros com o auxilio dos computadores e impressora.
Mesmo com a presença do computador na secretaria da escola, a maioria dos
trabalhos realizados pela mesma é feito manualmente, como podemos citar:
Ficha Individual, Boletins, Matrículas, Históricos, dentre outros.
Com a necessidade de fazer o Censo Escolar todos os anos, a
secretaria tem dificuldades em realizar esse trabalho, pois nem sempre todos
os dados são coletados corretamente na efetivação da matrícula no início do
ano letivo.Com isso a secretaria recorre ao arquivo pessoal dos alunos e
professores para coletar o restante das informações necessárias para concluir
o referido censo.
Em decorrência da quantidade de trabalhos realizados pela
secretaria e pessoal de menos empenhados nessas atividades, foi percebido
acumulo de tarefas, tornando assim, atrasos para entregas de boletins, mapa
de resultado final das turmas, dificultando a matrícula dos discentes no ano
seguinte, pois nem sempre os pais têm em mãos o comprovante de conclusão
de curso do ano anterior para realizar a matrícula.
Ainda há dificuldades em fazer remanejamento de alunos de uma
turma para outra. Em alguns casos, turma criada com um elevado número de
alunos será necessário fazer esse tipo de remanejamento. Quando não
existem turmas da mesma série/ano sempre é criada uma nova turma. Com
isso, o trabalho passar a ser em dobro, pois a secretaria terá que fechar uma
nova lotação de professores para a turma criada, ocasionando mais trabalhos
para secretaria escolar e transtorno na hora de dividir os alunos para duas (2)
turmas.
Com a responsabilidade que tem a secretaria de uma escola em
manipular as informações coletadas de alunos, professores e documentos
administrativos, a mesma deve ser tratada de forma coerente e eficaz para o
bom funcionamento da instituição. Com a ajuda da tecnologia para gerenciar
essas informações fica bem mais fácil o desempenho do trabalho, já que
estamos falando de uma escola de grande porte com mais de 1.500 alunos.Por
20
isso, é de fundamental importância que tenha um sistema criado para suprir
essas necessidades, e posteriormente, o secretário poderá desempenhar sua
função na integra como rege a LC nº. 206/2004.

1.5 Organização do trabalho
Esta monografia foi estrutura em cinco (5) capítulos. No capítulo um
(1), vem com a breve apresentação resumida do tema geral discutidos no
decorrer do trabalho, bem como os objetivos, justificativa eidentificação do
problema encontrado e, que nos levou a fazer um estudo aprofundado sobre o
mesmo.
No

segundo

capítulo,

abordamos

sobre

sistemas

de

informação.Como a tecnologia está sendo vivenciada dentro das empresas no
uso de seu gerenciamento administrativo, sendo uma forma prática e confiável
no gerenciamento de dados.
No terceiro capítulo, é apresentada a análise e projeto do sistema,
através de estudo caso e levantamento de requisitos, bem como as telas de
prototipação do referido sistema, tudo seguindo as normas da UML.
No quarto capítulo, são apresentados os recursos tecnológicos
utilizados para o desenvolvimento do sistema. No mesmo, é aplicadaa
linguagem de programação orientada a objeto, C Sharp (C#), juntamente com
um banco de dados relacional, SQL Server 2008 R2, tendo sua plataforma de
desenvolvimento o Visual Studio 2010.
Por fim, no quinto capítulo apresentamos a conclusão obtida com a
realização de trabalho. No mesmo, foi proveitoso e será de grande valia para o
bom desempenho administrativo da escola em foco.

2. Sistemas de Informação
Com o crescimento exorbitante das informações em organizações,
há uma grande necessidade das mesmas manterem-se atualizadas e com
dados mais precisos e confiantes. Tendo em vista a esta vertente os sistemas
de informação passaram a ser algo tão importante para as organizações, que
no senário atual as empresas estão adequando-se a esta nova “era”, na qual
podemos denominar de “era da informação”.

21
2.1 Gestão da Informação
Gestão da informação define-se como a aplicação de princípios
administrativos à aquisição, organização controle, disseminação e uso da
informação para a operacionalização efetiva de organizações de todos os tipos.
Tarapanoff (2006:21-22) (APUD WILSON, 1997).
Ou como “o gerenciamento de todo o ambiente informacional de
uma organização” Tarapanoff (2006, p.22) (APUD DAVENPORT, 1994, p.84).
Para TARAPANOFF (2006, p. 23).
A informação é um fator determinante para a
melhoria de processos, produtos e serviços,
tendo valor estratégico em organizações. A
ideia da informação como ferramenta
estratégica evoluiu depois que a gestão da
informação mudou, de seu foco inicial de
gestão de documentos e dados, para
recursos
informacionais,
mostrando
resultados
em
relação
à
eficiência
operacional,
evitando
desperdício
e
automatizando processos.

Inúmeras abordagens são relatadas quando se fala de informação.
No entanto, a gestão de informações dentro de um estabelecimento de ensino
não se limita em coletar os dados necessários para o funcionamento do
mesmo, esses deverão ser organizados e tratados de forma que se tornem
úteis.
Geralmente, um Sistema de Informação é composto de um
subsistema social e de um subsistema automatizado. O primeiro inclui as
pessoas, processos, informações e documentos. O segundo consiste dos
meios automatizados (máquinas, computadores, redes de comunicação) que
interligam os elementos do subsistema social.
É vital que as empresas tenham que manter um padrão de
confiabilidade em suas informações e atualmente as mesmas estão se
adequando a nossa atual realidade e se informatizando para obter um
crescimento em suas atividades desenvolvidas.

2.2 Por que utilizar Sistemas de Informação?
Atualmente a informação vem sendo um grande potencial nas
empresas e é seu bem mais valioso, com isso há necessidade de manter essas
22
informações de forma segura e bem organizada para possíveis tomadas de
decisões futuras com mais rapidez e confiabilidade.
Os sistemas de informações têm por objetivo gerar informações
precisas e dinâmicas. No entanto, para que a mesma se torne informações
seguras, os dados terão que ser coletados, processados e transformado em
informação.
Segundo MARQUES e MACEDO (2006, p. 241).
No contexto organizacional, a geração e troca de
informações
e
conhecimentos
tornaram-se
decisivas, e a capacidade de gestão de recursos
informacionais passou a ser um diferencial,
definindo a produtividade e possibilitando a
competitividade no mercado globalizado.

Com a utilização de um sistema informacional para gestão escolar,
as

informações

coletadas

pelo

mesmo

aumenta

a

produtividade

significativamente, comparada ao tradicionalismo utilizada atualmente na
escola foco Profª Elza Maria Correa Dantas, tornando assim, a escola mais
competitiva no senário atual globalização.

2.3 Importância dos Sistemas de Informação para as Empresas
Segundo REZENDE (2006, p. 258), Todo sistema, usando ou não
recursos da tecnologia da informação, que guarda, manipula e gera
informação, pode ser genericamente considerado sistema de informação. Seu
maior objetivo é auxiliar os processos de tomadas de decisões nas
organizações. Seu foco está direcionado para o principal negócio das
empresas privadas ou para a principal atividade das organizações públicas.
Para MIRANDA, apud (OLIVEIRA, 2002, p.185) pode-se afirmar que
os sistemas de informações gerenciais podem, sob determinadas condições,
trazer os seguintes benefícios para as empresas:
Redução de custos das operações;
Melhoria no acesso às informações, propiciando relatórios mais precisos
e rápidos, com menor esforço;
Melhoria na produtividade, tanto setorial quanto global;
Melhoria nos serviços realizados e oferecidos;

23
Melhoria na tomada de decisões, por meio do fornecimento de
informações mais rápidas e precisas;
Estímulo de maior interação entre os tomadores de decisão;
Fornecimento de melhores projeções dos efeitos das decisões;
Melhoria na estrutura organizacional, por facilitar o fluxo de informações;
Melhoria na estrutura de poder, propiciando maior poder para aqueles
que entendem e controlam o sistema;
Redução do grau de concentração de decisões na empresa;
Melhoria na adaptação da empresa para enfrentar os acontecimentos
não previstos, a partir das constantes mutações nos fatores ambientais;
Otimização na prestação dos seus serviços aos clientes;
Melhor interação com seus fornecedores;
Melhoria nas atitudes e atividades dos funcionários da empresa;
Aumento do nível de motivação das pessoas envolvidas;
Redução dos custos operacionais;
Redução da mão de obra burocrática e
Redução dos níveis hierárquicos.
Baseado nessas afirmações a empresa torna-se mais produtiva nos
desenvolvimentos de suas atividades e mantêm fortalecida e competitiva no
mercado de trabalho globalizado.
2.4 Sistemas de Informação para a Gestão Escolar
“[...] A organização escolar, pela sua natureza, está
dotada com um importante sistema de informação e
comunicação, quer a apreciemos na sua vertente
formal, isto é, estandardizada e oficial, quer na sua
vertente informal, decorrente da maior ou menor
empatia entre os diversos agentes escolares.
Tendo em conta que na escola se cruzam
diariamente centenas de personagens – e que
estas desempenham variadas funções na
organização, que, em função disso, contraem
diversas necessidades de informação, que a
atividade docente propriamente dita, principal
atividade da organização e a sua razão de existir,
consiste essencialmente em processar informação,
em comunicar – é fácil reconhecer a importância
vital da problemática da informação neste tipo de
organização.” (ROQUE e COSTA, 2005).

24
As escolas estão repletas de dados em todos os níveis da
organização, sendo elas nas salas de aulas, na direção, na biblioteca e
principalmente na a secretaria, onde se concentra um teor maior de dados para
o gerenciamento da mesma.
No entanto, esses dados devem ser disseminados, processados e
transformados em informação para que se tornem úteis para gestão escolar.
A Secretaria Escolar é o setor que tem como principal função a
realização de atividades administrativas da escola. É nela que se concentram
todas as informações dos alunos e da própria instituição. Como podemos
destacar:
Matriculas dos alunos;
Emissão de boletins;
Emissão de ficha individual;
Histórico escolar;
Declarações;
Diário de classe;
Frequência do aluno;
Dentre todas essas funções e demais atividades que uma secretaria
escolar realiza. Podemos afirma que gestão escolar requer tempo e pessoal
qualificado para realização das mesmas. No entanto o aparato computacional
utilizado

nas

organizações

escolares

vem

contribuindo

de

formação

significativamente para o ajuste dessas atividades, mas não basta ter
computadores nas secretarias, tem-se a necessidade de ter um sistema de
informação adequada para o gerenciamento desses dados existente nas
secretarias escolares.
2.5 Alguns software utilizados no gerenciamento escolar
Hoje é comum encontrar empresas especializadas em criação de
softwares para automação comercial e gerenciamento de empresas. Iremos
citar alguns softwares utilizados para gestão escolar, feitos com finalidades de
organizar e ampliar o atendimento e gerenciar escolas municipais e até mesmo
estaduais. Em destaque em nossa região temos o gestor escolar da empresa
“hábil softwares”.

25
2.5.1 O gestor escolar
É um Sistema de Gestão de Escolas e/ou Secretarias de Educação,
desenvolvido para integrar e gerir os dados acadêmicos das instituições de
ensino.Devido às técnicas e ferramentas utilizadas no seu desenvolvimento,
está apto a gerenciar desde uma única instituição de ensino até um grupo de
instituições, seja este, de nível Municipal ou Estadual (GESTORESCOLAR,
2013).
2.5.2 O iScholar
É um sistema integrado de gestão escolar que atende as
necessidades de todos os departamentos de uma instituição de ensino. É uma
ferramenta poderosa que pode ser utilizada por instituições de grande, médio e
pequeno porte, e de vários segmentos, como cursos de idiomas, creches,
infantis,

pré-escolas,

fundamental,

médio,

pré-vestibulares,

cursos

profissionalizantes, instituições preparatórias para concursos públicos, entre
outras (ISCHOLAR, 2013).
2.5.3 SisAlu
O SisAlu é uma solução modular, e graças a esta característica
permite trabalhar com um sistema completo e totalmente integrado, evitando
duplicação de informações e inconsistência de dados. O Sistema Acadêmico
gerencia a vida escolar do aluno, agilizando o trabalho da secretaria e da
coordenação pedagógica. Nele, é possível cadastrar, matricular, lançar e
alterar notas e faltas, fazer avaliações com os diversos modelos de relatórios e
muitas outras funções (SISALU, 2013).
2.5.4 SAE+C Versão 5.0
A versão 5.0 levará a sua instituição o completo controle da vida
acadêmica de cada aluno. Esse programa integra diversos setores da empresa
educacional (secretária, diretoria e sala de aula) de forma objetiva, facilitando e
simplificando a gestão diária da instituição. Controle de notas, elaboração de
médias, lançamentos de faltas e muitas outras facilidades (SAEINFO, 2013).
2.5.5 ACADESC
O ACADESC é

o

software

de

gestão

escolar

desenvolvido

pelaFanny's Informática com o objetivo de controlar todo o processo de
administração escolar de forma prática e segura (ACADESC, 1994)

26
Neste capítulo abordamos sobre sistema de informação nas
empresas e principalmente nos setores educacionais, destacando alguns
sistemas utilizados em determinadas escolas para seu gerenciamento
administrativo educacional.
Tendo em vista que os sistemas de gerenciamento escolar tem por
finalidade, armazenar, disseminar e transformar dados em informações
precisas para possíveis tomadas de decisões de seus administradores.
Os sistemas de informações citados acima têm características
semelhantes e também um só objetivo, a gestão escolar. Alguns dos
aplicativos mencionados trabalham em ambiente off-line e outros totalmente
online, a pesar de plataformas diferentes, ambos comungam do mesmo senso
comum, a agilidade, a organização dos dados coletados, a segurança e
transparência nas informações por eles prestadas.

3. Análise e Projeto
3.1 Levantamento dos requisitos
O levantamento de requisitos é a fase mais importante em qualquer
projeto de desenvolvimento de software.É nela que se identifica o que o cliente
deseja e se espera em relação ao sistema. BOEHM (1989) define Engenharia
de Requisitos como uma atividade que objetiva desenvolver uma especificação
completa, consistente, não ambígua e correta dos requisitos, que sirva,
inclusive, de base para um acordo entre as partes envolvidas no processo de
desenvolvimento, onde se pactue, de forma concisa, "o que" o produto irá
fazer.
A técnica de identificação dos requisitos na engenharia de software
tem um papel essencial no correto desenvolvimento do projeto, tornando-se um
processo desgastante e trabalhoso. Vários autores e técnicas surgiramapós a
“crise do software” (Expressão utilizada na década de 60, tem historicamente
aludido a um conjunto de problemas recorrentemente enfrentados no processo
de

Desenvolvimento

(Construção,

implantação

e

manutenção)

de

27
Software(REZENDE, Engenharia de Software e sistemas de informação, 2005)
(APUD Maffeo, 1992)), comoBooch2,Jacobson3 e outros.
Para desenvolver uma proposta de sistema de gestão escolar, seguindo
os requisitos abordados no capitulo anterior, tem-se a seguinte visão: Tornar
eficiente o tratamento das informações das rotinas administrativas na gestão
escolar e, com isso, proporcionar à comunidade escolar feedbacks
instantâneos, hábeis e livres de erros em suas solicitações. Para isso, a
direção escolar deseja um sistema que possa facilitar o processo de matricula,
organizar as turmas, transferir alunos, gerar gráficos de desempenhos e metas
a serem alcançadas e também cuidar da elaboração de documentos (boletins,
ficha individual, mapa de matricula, ficha de matricula, diário de classes),
lançamentos dos dados da escola, docentes, turmas e alunos para o censo
escolar.
3.2 UML
Depois da evolução da analise estruturada, a orientação a objeto
trouxe consigo aUnifiedModelingLanguage(UML) que padroniza a visualização
de todas as intenções do sistema, essa padronização se tornou requisito
fundamental para uma boa prática de engenharia de software, criando desta
forma uma linguagem comum entre desenvolvedores, arquiteto de software e
administradores. A UML antecede a etapa de desenvolvimento do projeto
criando um modelo visual, possibilitando os desenvolvedores conhecerem todo
o projeto e suas especificações.
Trata-se de um conjunto de elementos gráficos utilizados para
representar um sistema de qualquer natureza, seja este computacional ou não,
e deriva-se em diversas modalidades de diagramas, cada um com significados
e complexidades diferentes (SIMÕES, 2010). Como a UML é íntegraem
atender as necessidades da orientação a objeto por meio da modelação de
classes, objetos, características, comportamento e relacionando-as de forma
logica conforme as necessidades do projeto em desenvolvimento.
A UML possui alguns objetivos que justificam sua utilização no
projeto como: Organizar os elementos do mundo real que sejam importantes
para o sistema de forma clara e objetiva; Elaborar uma série de registros que
2

GradyBooch: É um dos mais atuantes e proeminentes metodologistas da atualidade. Seu livro
"Software Engineeringwith Ada" lançou as raízes do projeto orientado a objetos.
3
Ivar Hjalmar Jacobson: mestrado em engenharia eletrônicano ChalmersInstituteof Technology de
Gotemburgo em 1962 e um Ph.D noRoyal Instituteof Technology de Estocolmo em 1985

28
possibilitam

a

persistência

da

estrutura

do

sistema,

chamada

de

documentação; prever o comportamento do software. Alcançar os objetivos de
da UML eficientemente é o elemento determinante para o sucesso do projeto
de software, assim podemos prever inúmeros erros no sistema e reduzir custos
para corrigi-los.
Dentre os diversos diagramas existentes na UML (diagrama de caso
de uso, diagrama de classes, diagramas de sequencias, diagrama de
atividades, diagrama de componentes e diagrama de camadas) foram
adotados neste projeto dois modelos: O Diagrama de Caso de usoe o MER
(Modelo Entidade Relacionamento).
3.3 Atores
Os atores são quaisquer elementos externos que interagem com o
sistema, deste modo,o sistema constará com apenas um perfil de identificação,
com acesso total ao sistema, mantido pelos atores: Diretor escolar e
Secretário.
Justifica-se o um único perfil de interação para os usuários, devidos
às atribuições do secretário escolar, onde é concedido ao mesmo, total acesso
ao sistema.Do mesmo modo, aconteceu com o diretor, assim não sendo
necessária uma diferenciação de interação ao sistema por parte dos usuários,
ambos alimentam o sistema com cadastros de Professores, Disciplinas,
Turmas, Login, Matricula e as atividadesacadêmicas geradas por cada aluno.
3.4 Casos de uso
Os modelos de Casos de Uso são descritos através de Diagramas
de Casosde Uso na UML. De uma forma geral, cada projeto de software
conterá um Diagramade Casos de Uso. (STADZISZ, 2002).
Os diagramas de casos de uso em qualquer projeto

de

desenvolvimento de software tem um papel central, independente da
complexidade do mesmo, possibilita por meio da modelagem visualizar toda
arquiteturado projeto e suas interações com os atores envolvidos, deixando
claro o papel de cada elemento.
Embasado pelo levantamento de requisitos do projeto, foram
definida as interações entre o Administrador e o sistema, assim abordaremos
cinco diagramas de caso de uso: Login, modulo gestão, modulo matricula,
Modulo acadêmico e Geral do sistema.
29
Figura 1 - Uc diagrama login

A primeira interação do usuário com o sistema acontece com a tela
de login, onde se possui dois campos: campo usuário e campo senha que logo
após verificar os campos validados e realiza a autenticação no sistema.

Figura 2 - Uc modulo gestão
Após uma autenticação positiva a interface principal do sistema será
apresentada. Será mostrada um menu superior dividindo o sistema em
módulos quase que independentes uns dos outros e uma barra de status que
apresenta dados do usuário ativo na seção, ano letivo e a escola.
No Módulo de Matrícula, o Usuário poderá realizar as seguintes
tarefas:

Matrícula

de

Alunos

(Novos),

Confirmação

de

Matrículas,

30
ConsultarAluno, Remanejamento de Alunos, Manutenção de Matrícula e
Relatório de Matrícula,como mostra a Figura 3.

Figura 3 - Uc modulo matricula
Neste Módulo Acadêmico o Usuário poderá realizar as seguintes
tarefas:Gerar Diários, Lançar as Notas e Frequências por Aluno, Gerar a Ficha
Individual por Aluno e Turma, Gerar o Boletim Escolar por Aluno e Turma,
Gerar a Declaração Escolar por Aluno e por fim o Mapa de Resultado Final por
Curso, Turno e Turma.

31
Figura 4 - Uc modulo acadêmico
3.5 Prototipação
Neste subcapítulo serão apresentadas as principais interfaces do
que será desenvolvido para gestão administrativa escolar.
3.5.1 Autenticação do usuário
Na figura 5, é apresentada a tela de autenticação do sistema, o
usuário deverá digitar seu nome e senha, previamente cadastrado no banco de
dados do software, o acesso ao sistema terá sempre início pela tela de
autenticação do sistema.

Figura 5- Tela de autenticação do usuário

32
3.5.2 Área de Trabalho
Na Figura 6 abaixo é exibido à tela de área de trabalho do sistema,
nela o usuário terá permissão de usufruir das funcionalidades que o sistema
proporciona para o gerenciamento das atividades administrativas de uma
escola.
Na mesma, além da barra de menu que traz todas as funções para
operacionalizar o sistema, ainda conta uma barra de ferramenta intuitiva que
permite acesso as principais telas de cadastro do sistema.
Como também, uma barra de status informando o usuário
autenticado, o ano letivo e a escola que está sendo administrada.

Figura 6 - Área de Trabalho
3.5.3 Cadastro de Ano Letivo
Na Figura 7, apresenta a tela de cadastro do ano letivo, nela o
usuário poderá efetuar o cadastro do ano corrente e a média mínima para base
de cálculo da média final dos alunos. É através deste cadastro que o sistema
gerencia todas as informações geradas no ano corrente, podendo assim,
proporcionar a migração de dados para o ano posterior. Com isso, facilita o
desempenho dos trabalhos administrativos da escola nos anos subsequentes.

33
Figura 7 - Cadastro de Ano Letivo
3.5.4 Cadastro da Escola
Na tela 8, é o formulário de cadastro da escola, a mesma é
responsável em coletar os dados referente a escola de acordo com a ficha de
cadastro do senso escolar.

Figura 8 - Cadastro da Escola
3.5.5 Pesquisar Escola
A tela 9, é acessada através da tela do Cadastro da Escola, nela é
possível encontrar as escolas cadastradas no banco de dados e transferir para
o formulário de Cadastro da Escola, possibilitando o usuário a efetuar alteração
e exclusão dos dados da escola.
34
Figura 9- Pesquisar Escola
3.5.6 Cadastro de Disciplina
Na tela 10, é apresentado o cadastro de disciplina, onde de usuário
poderá cadastrar todas as disciplinas utilizadas nas turmas, como também
poderá incluir, alterar e excluir disciplinas.

Figura 10- Cadastro de Disciplina
3.5.7 Cadastro de Turmas
Na tela 11, é apresentado o cadastro de turmas, na mesma é
possível efetuar, alterar e excluir turmas.

35
Figura 11- Cadastro de Turmas
3.5.8 Cadastro de Alunos
Na tela 12, é o formulário de Cadastro de Aluno, no mesmo o
usuário poderá efetuar, alterar e excluir alunos, no botão pesquisar abrirá o
Formulário Pesquisar Aluno, onde iremos descrever na tela 13.

Figura 12- Cadastro de Aluno
3.5.9 Pesquisar Alunos
Na tela 13, o usuário poderá efetuar pesquisa dos alunos
cadastrados no banco de dados e transferir para o formulário de Cadastro de
Alunos onde poderá ser feita a manutenção dos dados cadastrais do aluno
pesquisado.

36
Figura 13 - Pesquisar Aluno
3.5.10 Cadastro de Docente
Na tela 14, é apresentado do Formulário de Cadastro de Docente,
no mesmo usuário poderá pesquisar, efetuar, alterar e excluir docente do
banco de dados.

Figura 14- Cadastro de Docente
3.5.11 Pesquisar Professor
A tela 15, é acessado através do botão Pesquisar, no Formulário
Cadastro de Docente, nela é possível efetuar pesquisa dos professores
cadastrados no banco de dados e transferir para o Formulário Cadastro de
Docente, onde o usuário fará manutenção dos dados cadastrais do Docente.

37
Figura 15 - Pesquisar Professor
Neste capítulo foram apresentadasas principais telas do software
que será desenvolvido para suprir com as necessidades administrativas da
Escola Elza Maria Correa Dantas.

4. Recursos e tecnologia
Após a elaboração bem definida do escopo do projeto,a equipe de
desenvolvedores, composta pelos autores desta monografia, fundamentados
pelos requisitos levantados através dos questionários e entrevistas com os
Stakeholdersenvolvidos no projeto, escolheram o ambiente Windows como
recursos que melhor atendem as necessidades do cliente: A programação
orientada a objeto (POO) ou ainda em inglês Object-OrientedProgramming
(OOP), utilizando C# como linguagem de programação padrão, o Visual Studio
2010 como IDE de desenvolvimento, o SQL Server Manager 2008 R2 como
Sistema

de

gerenciamento

de

banco

de

dados

(SGBD)

e

o

ReportViewerversão 10.0.0 para elaboração e visualização dos relatórios do
sistema.

38
4.1 C Sharp (C#)
C Sharp (C#) é uma linguagem de programação orientada a objeto
fortemente tipada, criada no ano 2000por Anders Hejlsberg4 quando trabalhava
na área de desenvolvimento da Microsoft.Essa linguagem faz parte de um
conjunto de ferramentas da plataforma .NET que apesar de ser simples,
robusta e altamente escalável, o que permite que uma aplicação possa ser
executada em diversos tipos de hardware, independentemente de serem PCs
ou qualquer outro dispositivo móvel existente.
No

mercado

atual,existem

diversas

outras

linguagens

de

desenvolvimento como: Pascal, Delphi, Python e o Java que foi desenvolvida
em 1995, pela Sun Microsystem. O C# tem raízes em C, C++ e JAVA,
adaptando os melhores recursos que cada linguagem poderia oferecer e
acrescentado novas capacidades própria e assim foi criado para disputar
mercado antes dominado pela plataforma JAVA. Segundo (Edwin Lima, 2002)
C# se tornou uma linguagem de programação rica por suas características:
Simplicidade: os projetistas de C# costumam dizer que essa linguagem
é tão poderosa quanto o C++ e tão simples quanto o Visual Basic.
Completamente orientada a objetos: em C#, qualquer variável tem de
fazer parte de uma classe.
Fortemente tipada: isso ajudará a evitar erros por manipulação imprópria
de tipos, atribuições incorretas etc.
Gera código gerenciado: assim como o ambiente .NET é gerenciado,
assim também o é C#.
Tudo é umobjeto: System.Objecté a classe base de todo o sistema de
tipos de C#.
Controle de versões: cada assembly gerado, seja como EXE ou DLL,
tem informação sobre a versão do código, permitindo a coexistência de
dois assemblies homônimos, mas de versões diferentes no mesmo
ambiente.
Suporte a código legado: o C# pode interagir com código legado de
objetos COM e DLLs escritas em uma linguagem não-gerenciada.
4

Anders Hejlsberg: É um engenheiro de software dinamarquês que ganhou prestígio pelo
desenvolvimento do Delphi e Turbo Pascal na Borland e a plataforma .NET após ter migrado para
a Microsoft.

39
Flexibilidade: se o desenvolvedor precisar usar ponteiros, o C# permite,
mas ao custo de desenvolver código não-gerenciado, chamado “unsafe”.
Linguagem gerenciada: os programas desenvolvidos em C#
executam num ambiente gerenciado, o que significa que todo o gerenciamento
de memória é feito pelo runtime via o GC (GarbageCollector), e não
diretamente pelo programador, reduzindo as chances de cometer erros comuns
a linguagens de programação onde o gerenciamento da memória é feito
diretamente pelo programador.
A escolha de C# como linguagem de programação padrão para este
projeto está relacionadoà utilização da plataforma .NET e uma possível
evolução do projetopara um ambiente web, visto que ASP.NET é a plataforma
de desenvolvimento web da Microsoft ébaseada no frameworks .NET,assim
podendo ser escrito em várias outras linguagem de programação como C# e
Visual Basic.NET, justificando que esta necessidade é muito comum no
mercado atual, mas se tornou inviável para este projeto pois nem todas escolas
que possivelmente receberam a versão final do sistema, possuem acesso a
internet e mesmo as que possuem funcionam de forma instável e com apagões
com mais de 24 horasque inviabiliza o uso de sistema web.

4.2 Visual Studio 2010
O

Microsoft

Visual

(IntegratedDevelopmentEnvironment)de

Studio

é

desenvolvimento

a

IDE

padrão

da

Microsoftcom lançamento de sua primeira versão em 1997, denominada de
Visual Studio 97, depois da versão inicial foram lançadas inúmeras versões ao
longo dos anos( Visual Studio 6.0, Visual Studio .NET, Visual Studio 2008,
Visual Studio 2010 e Visual Studio 2012), trazendo consigo uma gama de
facilidades e novos recursos que tornam o desenvolvimento de sistemas web e
desktop prazerosos e eficientes para desenvolvedores com uma certa
experiência e possibilita também uma redução drástica no tempo e custo de
desenvolvimento de qualquer projeto. Para desenvolvedores iniciantes o Visual
Studio é extremante estimulante para seus estudos de programação em C,
C++,C#, VB.NET, ASP.NET, motivados por sua interface intuitiva e
extremamente funcional, tudo ficando aos olhos do desenvolvedor como
mostra a figura abaixo.
40
Propriedade
Aqui fica agrupada
todas
propriedades
do
componente
inseridos no projeto
Menu Principal
Agrupa todos recursos
disponíveis no Visual
Studio
ToolBox
Agrupa todos objetos
que podem compor os
form.cs do projeto(
textbox, gridviewer e
etc..)

Solution Explore
É exibido todos os
componentes
inseridos
no
projeto(form.cs,
App.Config e etc...)

ClassView
Todas as classes dos sistemas são
exibidas aqui. Podendo ser excluídas
o inseridas caso necessário

Figura 16- Interface do Visual Studio 2010
Existem outros IDE desenvolvimento para a linguagem C# como o
MonoDeveloper que é totalmente gratuito e de código fonte aberto.O Microsoft
Visual Studio 2010 incorpora uma gama de tecnologias e linguagens de
programação para a criação de aplicativos para os mais diversos projeto em
único IDE de desenvolvimento como mostra a tabela abaixo.
Tipos de
aplicativos e
de idioma

Breve descrição

Visual Basic

Visual BasicFornece uma maneira rápida e fácil de criar .NET
Framework-com base em Windows, web e aplicativos de
dispositivo móvel. Como com todos os programas destinados
a .NET Framework, programas escritos em Visual Basic se
beneficiar da segurança e interoperabilidade de linguagem.

Visual C#

Visual C# (pronuncia-se C sharp) foi projetado para criar uma
variedade de aplicativos que que rodam sobre o. NET
Framework. Visual C#é simples, poderoso, segurança de tipos
e orientados a objeto. Com suas muitas inovações, Visual C#
permite o desenvolvimento rápido de aplicativos e também
mantém a expressividade e elegância das linguagens do estilo
C.

Visual C++

Visual C++é uma linguagem poderosa que é projetada para
oferecer profundo e detalhada de controle quando você
constrói um dos aplicativos nativos do Windows (COM+) ou
41
.NET Framework gerenciado aplicativos do Windows.
Visual F#

F# é uma linguagem de programação que ofereça suporte a
programação funcional com a tradicional programação
(procedimento) e orientada a objeto e imperativa. O Visual F#
produto suporta o desenvolvimento de aplicativos de F# e
estendendo a outros .NET Framework aplicativos usando o F#
do código. F# é um membro de primeira classe da .NET
Framework idiomas e mantém uma forte semelhança com a
família ML de linguagens funcionais.

JScript

JScripté a próxima geração de uma implementação Microsoft
da linguagem ECMA 262. Muitos diferentes tipos de
aplicativos estão disponíveis.

Aplicativos
Windows

Um tipo de aplicativo é projetado para hospedagem no
Windows. Pode ser escrito em qualquer linguagem de
programação. Alguns exemplos são bibliotecas de classe,
serviços do Windows, aplicativos de console e aplicativos
WPF.

Aplicativos da
Web

Um tipo de aplicativo foi projetado para ser hospedado em
uma página da web. Pode ser escrito em qualquer linguagem
de programação. Alguns exemplos são ASP.NET web
applications, bibliotecas de controle da Web, e ASP.NET
controles de servidor do AJAX.

Aplicativos do
Office

Um tipo de aplicativo foi projetado para estender um aplicativo
do Office. Pode ser gravado Visual Basic ou Visual C#. Você
pode criar personalizações em nível de documento que
estendem uma determinada pasta de trabalho do Excel ou um
documento do Word, ou você pode criar suplementos de nível
de aplicativo.

Aplicativos do
SharePoint

Um tipo de aplicativo é projetado para hospedagem no
SharePoint. Pode ser gravado Visual Basic ou Visual C#.

Aplicativos de
extensibilidade

Um tipo de aplicativo foi projetado para automatizar ou
adicionar funcionalidade ao IDE, por exemplo, add-ins ou
assistentes. Pode ser escrito em qualquer linguagem de
programação.

Tabela 1 - Recursos Visual Studio 2010. Fonte: http://msdn.microsoft.com/ptbr/library/vstudio/bb514232(v=vs.100).aspx

O MonoDeveloper seria uma boa opção para o projeto, pois permite
trabalhar em múltiplas plataformas como Linux, Mac e Windows, mais para
atender à necessidade da escola que utiliza somente a plataforma Windows na
42
área administrativa, não fez necessário o uso deste IDE que será utilizado em
uma nova versão do sistema para outras plataformas, pois existe a
portabilidade do código fonte entre o MonoDeveloper e Visual Studio 2010.
Optou-se por utilizar o Visual Studio 2010 para obter o desempenho máximo da
aplicação desenvolvida em sua plataforma nativa sem falar na qualidade visual
do produto final.
Não se teve nenhum problema com o licenciamento do IDE utilizado. O
Visual Studio 2010 possui diversas versões e cada versão engloba uma gama
maior de recursos e tecnologias envolvidas. Utilizamos a versão Express do
produto que é totalmente gratuita e apesar de se tratar de uma versão de
entrada

o

IDE

atendeu

perfeitamente

as

necessidades

do

projeto.

Conseguimos assim, criar uma interface simples e a atraente, obter um
desempenho satisfatório para gerenciar 1500 alunos e a eliminação de erros no
gerenciamento da informação.

Figura 17- Comparativo das versões Visual Studio

A figura 6 demonstra as principais características das versões do Visual
Studio 2010 e a figura logo abaixo demonstra as linguagens, tecnologias na
versão utilizada pela equipe de desenvolvimento.

43
Figura 18– Recursos e tecnologias Visuais Studio 2010 Express

4.3 SQL Server 2008 R2
O Microsoft SQL Server 2008 R2 Express é um Sistema de
Gerenciamento de Bando de Dados Relacional (SGBD) criado pela Microsoft
em 2010. Segundo (MANZANO, 2011, p. 20) “O SQL Server 2008 R2 é um
software com o objetivo de ser uma ferramenta de aprendizagem, por está
razão pode ser adquirido sem o pagamento de taxas e licenças de uso do
produto”.
Segundo a documentação do produto, o SGBD pode ser utilizado por
fornecedores de softwares independentes, desenvolvedores não profissionais,
desenvolvedores Web, host de sites da Web, usuários de servidores e usuários
que estão criando aplicativos cliente. Desde que se satisfação com as
restrições que essa versão possui como utilização de uma única CPU, 1 GB de
memoria RAM e o máximo de 10 GB de armazenamento em disco.
Está plataforma de banco de dados, baseia-se no SQL Server 2008
Standard, oferecendo suporte à maioria dos recursos do mecanismo de banco
de dados das versões comerciais. Deste modo, apresentam-se a seguir alguns
dos recursos que determinou a escolha do SQL Server 2008 R2 Express como
o SBGD padrão para o desenvolvimento do projeto:
Suporte a procedimentos de armazenados, gatinhos, funções e
exibições;

44
Armazenagem de todos os tipos de dados com suporte nativo a
dados relacionais, XML, FILESTREAM e espaciais;
Melhor desempenho, usabilidade, visualização e integração ao
Microsoft Office 2007,2010 no SQL Reporting Services;
Simplificação do desenvolvimento, potencializando as habilidades
existentes em T-SQL, ADO.NET Entity Framework e LINQ;
Integração ao Visual Studio e ao Visual Web Developer;

O sistema de gerenciamento SQL Server 2008 R2, disponibiliza
juntamente com o servidor de dados a ferramenta de acesso e administração
de dados Microsoft SQL Server Management Studio em modo gráfico. Vide
figura 19.

Figura 19 – Tela Principal SQL Server Management Studio

Existe uma gama de sistemas de gerenciamento de banco de dados no
mercado. Todos cumprindo o que prometem mais possuem características
particulares, que dependendo do projeto de software, um determinado SGBD
pode melhor se adaptar para cumprir certas rotinas do que outro. Como a
escolha do SQL Server 2008 R2 Express para este projeto, pois poderia se
utilizar o MySQL ou Firebird, mais como os relatórios serão criados e
gerenciados pelo ReportViewer que se integra nativamente como SQL Server
45
2008 R2 Express. Haveria um desperdício muito grande tempo para realizar a
integração entre o MySQL por exemplo ao gerenciador de relatórios da
aplicação.
O SQL Browser é outro serviço que merece destaque que facilita a
comunicação na arquitetura cliente/servidor. Ficando a cargo deste serviço
todo o trabalho com portas e o protocolo TCP/IP. O único trabalho do
desenvolvedor para realizar a comunicação como o SGBG é passar por string
de texto o IP, porta, nome de usuário, senha e instrução SQL desejada para o
servidor mesmo que de forma remota.

Os 10 SGBD mais usados no mundo
Posição
1.
2.
3.
4.
5.
6.
7.
8.
9.
10.

Pos. ant.
1.
3.
2.
4.
5.
6.
7.
9.
8.
11.

DBMS
Oráculo
SQL Server
MySQL
PostgreSQL
DB2
MongoDB
Access
SQLite
Sybase
Cassandra

Modelo
Relacional
Relacional
Relacional
Relacional
Relacional
R.documentos
Relacional
Relacional
Relacional
Loja coluna de
largura

Contagem
1.529,61
1.313,78
1.305,76
182,23
172,25
152,19
146,71
82,78
75,35
51.69

Mudanças
-14,83
8,82
-19,07
0,01
9,31
-3,80
-4,18
3,33
-6,24
4,98

Tabela 2 – Fonte DB-Engines Ranking setembro de 2013

A tabela acima mostra o SQL Server como um dos principais SGBD, ficando
atrás somente do Oracle e também nota-se a existência de vários outros
sistemas de gerenciamento de banco de dados no mercado atual.

4.4 ReportViewer
Segundo (SOARES, 2011) “O ReportViewer é uma ferramenta da
própria Microsoft, integrada ao Visual Studio .Net que permite a geração de
relatórios. O Microsoft Visual Studio 2010 inclui a funcionalidade de design de
relatórios e controles ReportViewer para que você possa adicionar relatórios
completos para aplicações personalizadas”.

46
5. Conclusão
O presente trabalho deu-se da necessidade de elaborar uma
proposta

de

desenvolvimento

de

softwareque

viesse

suprir

com

as

necessidades administrativas da Escola Municipal de Ensino Fundamental
Professora Elza Maria Correa Dantas, com o mesmo, a Escola poderá
desempenhar suas atividades com mais segurança, rapidez e confiabilidade
nos dados coletados pela secretaria escolar (capítulo1).
Com a realização de deste trabalho foi possível compreender os
conceitos de sistemas de informação, como elas estão sendo gerenciada pelas
empresas e principalmente nas escolas. Pois apresentamos exemplos de
software que tem essa finalidade, os mesmos disponibilizam de ferramentas
sofisticadas para garantir a segurança das informações coletadas, sendo elas
gerenciadas tanto nas versões off-line, quanto online (capítulo 2).
Com discorrer deste trabalho foram apresentados alguns métodos e
ferramentas que será utilizado para o desenvolvimento do software de
gerenciamento escolar, bem como a UML e seus diagramas,ferramenta
utilizada para análise e modelagem dos dados. Ressaltando que o
levantamento de requisito é de suma importância e grande relevância na hora
de modelar o projeto de pesquisa.
No mesmo, apresentamos as principais telas que comporão o
software na sua fase final, sendo elas elaboradas através do Programa Visual
Studio 2010 (capitulo 3).
No capitulo 4, abordamos os recursos tecnológicos utilizados para
elaboração do projeto, com o escopo do sistema definido, optou-se pela
plataforma desktop para o gerenciamento do aplicativo. Com a utilização da
linguagem orientada a objeto e a ferramenta C#, juntamente com o banco de
dados relacional MySQL Server 2008, será desenvolvido a aplicação com
designer agradável e telas intuitiva para facilitar o desempenho do usuário.
O estudo de caso realizado neste trabalho foi o elo fundamental para
conhecermos a realidade da Escola Professora Elza Maria Correa Dantas, as
dificuldades encontradas na realização dos trabalhos administrativos da
secretaria escolar, as formas como as informações eram tratadas pelos
administradores da instituição e nem sempre tinha êxito nas domadas de
decisões por contar de informações incompletas.
47
Com a proposta do software de gerenciamento das rotinas
administrativas da gestão escolar. A escola terá uma ferramenta ágil e
confiável na coleta dos dados administrativos, com isso, proporcionará a
gestão escolar um avanço nos serviços prestados pela secretaria.
Com alimentação correta dos dados no aplicativo os trabalhos dos
anos consecutivos reduziram significativamente, pois, no que se diz respeito a
matriculas de alunos, o usuário do sistema terá ao seu dispor uma ferramenta
que fará a matricula em alguns cliques, evitando preenchimento de papeis e
desgaste de tempo.
Com realização deste projeto, percebemos que a gestão escolar lida
com uma gama de dados administrativos, que os mesmos são a vida
acadêmica dos alunos. Por tanto, a margem de erros para o preenchimento de
tais formulários gerenciados pela secretaria escolar terá que ser o mínimo
possível. Com isso, conclui-se que o uso da tecnologia para gerenciamento
administrativo escolar tem seu papal garantido nas instituições, além de facilitar
a operacionalização dos trabalhos, o gestor terá em suas “mãos” o poder de
decidir de forma coesa e precisa, com dados confiáveis através de relatórios
dinâmicos.
Bibliografia
ACADESC. (1994). ACADESC. Acesso em 11 de Junho de 2013, disponível em ACADESC:
http://www.acadesc.com.br/?gclid=CMewsbju27cCFSVk7AodCjgARg
Aguiar, P. H. (2004). Sistema de Informação para Gestão Educacional: sistematização de uma
proposta de modelo e avaliação do processo de sua construção. Sistema de
Informação para Gestão Educacional. Fortaleza, Ceará, Brasil: Universidade Estadual
do Ceará.
BARROSO, R. (02 de Julho de 2011). administradores. Acesso em 02 de Junho de 2013,
disponível em adminstradores:
http://www.administradores.com.br/artigos/tecnologia/a-importancia-dos-sistemasde-informacao-para-a-gestao-das-empresas/56331/
BREADTHEDOTNET. (2012). Visual Studio 2010 and .NET Framework 4.0 Launched. Acesso em
18 de 08 de 2013, disponível em A Journey in the world of DOTNET:
http://breathedotnet.wordpress.com/2010/04/12/visual-studio-2010-and-netframework-4-0-launched/

48
Desconhecido, A. (2013). Comparar produto Visual Studio. Acesso em 19 de 08 de 2013,
disponível em Microsoft Corporation:
http://www.microsoft.com/visualstudio/ptb/products/compare
Edwin Lima, E. R. (2002). C# e .Net para desenvolvedores. Rio de Janeiro: Campus.
Fernandes, A. R. (2006). O impacto do computador na gestão administrativa. Acesso em 18 de
junho de 2013, disponível em portaldoconhecimento:
http://portaldoconhecimento.gov.cv/bitstream/10961/1713/1/para%20PDF.pdf
Infinitech. (2013). ischolar. Acesso em 2013 de Junho de 06, disponível em ischolar:
http://www.ischolar.com.br/sistema
MIRANDA, O. A. (s.d.). profsergio. Acesso em 02 de Junho de 2013, disponível em profsergio:
http://www.profsergio.net/artigos/artigoozineidealves.pdf
MSDN, C. (18 de 8 de 2013). Idiomas e tecnologias de Visual Studio. Acesso em 18 de 08 de
2013, disponível em MSDN: http://msdn.microsoft.com/ptbr/library/vstudio/bb514232(v=vs.100).aspx
RESENDE, T. M. (2006). MONOGRAFIA. DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA PARA VÍDEO
LOCADORA. Uberlândia, MG, Brasil: FACULDADE DE CIÊNCIAS APLICADAS DE MINAS.
REZENDE, D. A. (2005). Engenharia de Software e sistemas de informação. Rio de Janeiro:
Brasport.
REZENDE, D. A. (2005). Engenharia de Software e sistemas de informação. In: D. A. Rezende,
Engenharia de Software e sistemas de informação (p. 8). Rio de Janeiro: Brasport.
Roque, A., & Costa, J. A. (15 de Março de 2005). periodicos. Acesso em 02 de Junho de 2013,
disponível em periodicos:
http://www.periodicos.udesc.br/index.php/linhas/article/viewFile/1332/1141
SEDUC-MT. (s.d.). Organizaçao e operacionalização do trabalho da secretaria escolar.
Secretaria Escolar. MT, Brasil.
SIMÕES, N. A. (2010). Modelagem UML Através do Microsoft Visual Studio 2010. Olhar
Científico, 195-203.
SisAlu. (s.d.). SisAlu. Acesso em 06 de Junho de 2013, disponível em SisAlu:
http://www.sisalu.com.br/?mod=Produtos&gclid=CNCjou2F0LcCFWdo7AodRVkAig
Softwares, H. (2010). gestorescolar. Acesso em 06 de Junho de 2013, disponível em
gestorescolar: http://gestorescolar.com/produtos/index.php
TARAPANOFF, K. (2006). Inteligência, informação e conhecimento. Brasilía: IBICT, UNESCO.
Zargidsky, D. d. (2006). A Participação do Conselho Escola-comunidade na gestão escolar
colegiada. Dissertação. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

49
50

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apostila educacao especial
Apostila educacao especialApostila educacao especial
Apostila educacao especialAnderson Carlos
 
4 regimento escolar
4  regimento escolar4  regimento escolar
4 regimento escolaraquinomarisa
 
Observacao coordenador-sala-de-aula
Observacao coordenador-sala-de-aulaObservacao coordenador-sala-de-aula
Observacao coordenador-sala-de-aulaCremilda Carmem
 
Caderno pedagógico Educação Especial
Caderno pedagógico    Educação EspecialCaderno pedagógico    Educação Especial
Caderno pedagógico Educação EspecialJaque Godinho
 
Slides de evasão escolar
Slides de evasão escolarSlides de evasão escolar
Slides de evasão escolarNívea Pessanha
 
Unidade 3 Projeto de terraplenagem
Unidade 3   Projeto de terraplenagemUnidade 3   Projeto de terraplenagem
Unidade 3 Projeto de terraplenagemAlexandre Esmeraldo
 
Relatório descritivo do curso de Educação a Distância: Construindo um Pro...
Relatório descritivo do curso de Educação a Distância: Construindo um Pro...Relatório descritivo do curso de Educação a Distância: Construindo um Pro...
Relatório descritivo do curso de Educação a Distância: Construindo um Pro...Caio Moreno
 
Manual ftool
Manual ftoolManual ftool
Manual ftoolluck1973
 
Anexo iii adaptação do professor regente mat (1)
Anexo iii adaptação do professor regente mat (1)Anexo iii adaptação do professor regente mat (1)
Anexo iii adaptação do professor regente mat (1)ValeskaCamargoCanhot
 
Inclusão escolar o planejamento das aulas tem de prever atividades para todo...
Inclusão escolar  o planejamento das aulas tem de prever atividades para todo...Inclusão escolar  o planejamento das aulas tem de prever atividades para todo...
Inclusão escolar o planejamento das aulas tem de prever atividades para todo...SimoneHelenDrumond
 
Calculo do IDESP
Calculo do IDESPCalculo do IDESP
Calculo do IDESPsitedcoeste
 
Frequencia do aluno
Frequencia do alunoFrequencia do aluno
Frequencia do alunoDiego Reis
 
Muros de arrimo, dimensionamento e detalhamento
Muros de arrimo, dimensionamento e detalhamentoMuros de arrimo, dimensionamento e detalhamento
Muros de arrimo, dimensionamento e detalhamentorubensmax
 
Plano de aula e de ensino ( 1 aula)
Plano de aula e de ensino ( 1 aula)Plano de aula e de ensino ( 1 aula)
Plano de aula e de ensino ( 1 aula)leisiv
 
Projeto Político Pedagógico 2014
Projeto Político Pedagógico 2014 Projeto Político Pedagógico 2014
Projeto Político Pedagógico 2014 Karen Dechering
 
Modelo de Painel de Gestão Escola à Vista 2023.pptx
Modelo de Painel de Gestão Escola à Vista 2023.pptxModelo de Painel de Gestão Escola à Vista 2023.pptx
Modelo de Painel de Gestão Escola à Vista 2023.pptxdeboraBarros29
 

Mais procurados (20)

Apostila educacao especial
Apostila educacao especialApostila educacao especial
Apostila educacao especial
 
4 regimento escolar
4  regimento escolar4  regimento escolar
4 regimento escolar
 
Observacao coordenador-sala-de-aula
Observacao coordenador-sala-de-aulaObservacao coordenador-sala-de-aula
Observacao coordenador-sala-de-aula
 
Caderno pedagógico Educação Especial
Caderno pedagógico    Educação EspecialCaderno pedagógico    Educação Especial
Caderno pedagógico Educação Especial
 
Slides de evasão escolar
Slides de evasão escolarSlides de evasão escolar
Slides de evasão escolar
 
Unidade 3 Projeto de terraplenagem
Unidade 3   Projeto de terraplenagemUnidade 3   Projeto de terraplenagem
Unidade 3 Projeto de terraplenagem
 
Relatório descritivo do curso de Educação a Distância: Construindo um Pro...
Relatório descritivo do curso de Educação a Distância: Construindo um Pro...Relatório descritivo do curso de Educação a Distância: Construindo um Pro...
Relatório descritivo do curso de Educação a Distância: Construindo um Pro...
 
Manual ftool
Manual ftoolManual ftool
Manual ftool
 
REELABORAÇÃO DO PPP - REUNIÃO 29.04.16
REELABORAÇÃO DO PPP - REUNIÃO 29.04.16REELABORAÇÃO DO PPP - REUNIÃO 29.04.16
REELABORAÇÃO DO PPP - REUNIÃO 29.04.16
 
Anexo iii adaptação do professor regente mat (1)
Anexo iii adaptação do professor regente mat (1)Anexo iii adaptação do professor regente mat (1)
Anexo iii adaptação do professor regente mat (1)
 
Manual de Acessibilidade Espacial Para Escolas
Manual de Acessibilidade Espacial Para EscolasManual de Acessibilidade Espacial Para Escolas
Manual de Acessibilidade Espacial Para Escolas
 
Inclusão escolar o planejamento das aulas tem de prever atividades para todo...
Inclusão escolar  o planejamento das aulas tem de prever atividades para todo...Inclusão escolar  o planejamento das aulas tem de prever atividades para todo...
Inclusão escolar o planejamento das aulas tem de prever atividades para todo...
 
Calculo do IDESP
Calculo do IDESPCalculo do IDESP
Calculo do IDESP
 
Frequencia do aluno
Frequencia do alunoFrequencia do aluno
Frequencia do aluno
 
Muros de arrimo, dimensionamento e detalhamento
Muros de arrimo, dimensionamento e detalhamentoMuros de arrimo, dimensionamento e detalhamento
Muros de arrimo, dimensionamento e detalhamento
 
Plano de aula e de ensino ( 1 aula)
Plano de aula e de ensino ( 1 aula)Plano de aula e de ensino ( 1 aula)
Plano de aula e de ensino ( 1 aula)
 
Projeto Político Pedagógico 2014
Projeto Político Pedagógico 2014 Projeto Político Pedagógico 2014
Projeto Político Pedagógico 2014
 
Modelo de Painel de Gestão Escola à Vista 2023.pptx
Modelo de Painel de Gestão Escola à Vista 2023.pptxModelo de Painel de Gestão Escola à Vista 2023.pptx
Modelo de Painel de Gestão Escola à Vista 2023.pptx
 
Relatorio de Estágio
Relatorio de EstágioRelatorio de Estágio
Relatorio de Estágio
 
Relato de experiências explorando o espaço e as formas
Relato de experiências   explorando o espaço e as formasRelato de experiências   explorando o espaço e as formas
Relato de experiências explorando o espaço e as formas
 

Destaque

Manual secretaria escolar 2
Manual secretaria escolar 2Manual secretaria escolar 2
Manual secretaria escolar 2Samuel Costa
 
LEMBRETES DA SECRETARIA
LEMBRETES DA SECRETARIALEMBRETES DA SECRETARIA
LEMBRETES DA SECRETARIAWania Braga
 
Modelo Plano de Ação - 2011
Modelo Plano de Ação - 2011Modelo Plano de Ação - 2011
Modelo Plano de Ação - 2011valmirsouto
 
Manual secretaria escolar - distrito federal
Manual secretaria escolar - distrito federalManual secretaria escolar - distrito federal
Manual secretaria escolar - distrito federalaquinomarisa
 
Aplicação Web de Gerenciamento de Dados Escolar e Cálculo dos Beneficiários d...
Aplicação Web de Gerenciamento de Dados Escolar e Cálculo dos Beneficiários d...Aplicação Web de Gerenciamento de Dados Escolar e Cálculo dos Beneficiários d...
Aplicação Web de Gerenciamento de Dados Escolar e Cálculo dos Beneficiários d...Júnior Sued
 
SISTEMA DE INFORMAÇÃO PARA GERENCIAMENTO DE PRODUTOS E/OU SERVIÇOS EM EMPRESA...
SISTEMA DE INFORMAÇÃO PARA GERENCIAMENTO DE PRODUTOS E/OU SERVIÇOS EM EMPRESA...SISTEMA DE INFORMAÇÃO PARA GERENCIAMENTO DE PRODUTOS E/OU SERVIÇOS EM EMPRESA...
SISTEMA DE INFORMAÇÃO PARA GERENCIAMENTO DE PRODUTOS E/OU SERVIÇOS EM EMPRESA...ferbsi
 
Sistema de Educação Delmir Fernandes
Sistema de Educação   Delmir FernandesSistema de Educação   Delmir Fernandes
Sistema de Educação Delmir FernandesDelmir Fernandes
 
PDDE APRESENTANDO O PROGRAMA - Prof. Noe Assunção
PDDE APRESENTANDO O PROGRAMA - Prof. Noe AssunçãoPDDE APRESENTANDO O PROGRAMA - Prof. Noe Assunção
PDDE APRESENTANDO O PROGRAMA - Prof. Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 
Cadastro de clientes em c#
Cadastro de clientes em c#Cadastro de clientes em c#
Cadastro de clientes em c#André Luiz
 
Responsabilidadese atribuicoesdosecretarioescolar (2)
Responsabilidadese atribuicoesdosecretarioescolar (2)Responsabilidadese atribuicoesdosecretarioescolar (2)
Responsabilidadese atribuicoesdosecretarioescolar (2)Nilma Freire
 
Pde Artemir Pires 2010 Oficina 2
Pde   Artemir Pires 2010   Oficina 2Pde   Artemir Pires 2010   Oficina 2
Pde Artemir Pires 2010 Oficina 2guestbc6f85
 
Responsabilidadese atribuicoesdosecretarioescolar
Responsabilidadese atribuicoesdosecretarioescolarResponsabilidadese atribuicoesdosecretarioescolar
Responsabilidadese atribuicoesdosecretarioescolarNilma Freire
 
Certificação Ocupacional para Gerente de Organização Escolar - Regras de Negócio
Certificação Ocupacional para Gerente de Organização Escolar - Regras de NegócioCertificação Ocupacional para Gerente de Organização Escolar - Regras de Negócio
Certificação Ocupacional para Gerente de Organização Escolar - Regras de NegócioThiago Santos
 
Diagnóstico educacional e financeiro da Rede Estadual de Ensino
Diagnóstico educacional e financeiro da Rede Estadual de EnsinoDiagnóstico educacional e financeiro da Rede Estadual de Ensino
Diagnóstico educacional e financeiro da Rede Estadual de EnsinoSintese Sergipe
 
Indicadores de Qualidade no Ensino Superior
Indicadores de Qualidade no Ensino SuperiorIndicadores de Qualidade no Ensino Superior
Indicadores de Qualidade no Ensino SuperiorEstefycelo
 
Software livre para leigos - VII SIECOMP
Software livre para leigos - VII SIECOMPSoftware livre para leigos - VII SIECOMP
Software livre para leigos - VII SIECOMPAnderson Ferraz
 

Destaque (20)

Manual secretaria escolar 2
Manual secretaria escolar 2Manual secretaria escolar 2
Manual secretaria escolar 2
 
Secretária escolar
Secretária escolarSecretária escolar
Secretária escolar
 
LEMBRETES DA SECRETARIA
LEMBRETES DA SECRETARIALEMBRETES DA SECRETARIA
LEMBRETES DA SECRETARIA
 
Rotina escolar
Rotina escolarRotina escolar
Rotina escolar
 
Modelo Plano de Ação - 2011
Modelo Plano de Ação - 2011Modelo Plano de Ação - 2011
Modelo Plano de Ação - 2011
 
Slides trabalho secretaria
Slides trabalho secretariaSlides trabalho secretaria
Slides trabalho secretaria
 
Manual secretaria escolar - distrito federal
Manual secretaria escolar - distrito federalManual secretaria escolar - distrito federal
Manual secretaria escolar - distrito federal
 
Aplicação Web de Gerenciamento de Dados Escolar e Cálculo dos Beneficiários d...
Aplicação Web de Gerenciamento de Dados Escolar e Cálculo dos Beneficiários d...Aplicação Web de Gerenciamento de Dados Escolar e Cálculo dos Beneficiários d...
Aplicação Web de Gerenciamento de Dados Escolar e Cálculo dos Beneficiários d...
 
Desktop
DesktopDesktop
Desktop
 
SISTEMA DE INFORMAÇÃO PARA GERENCIAMENTO DE PRODUTOS E/OU SERVIÇOS EM EMPRESA...
SISTEMA DE INFORMAÇÃO PARA GERENCIAMENTO DE PRODUTOS E/OU SERVIÇOS EM EMPRESA...SISTEMA DE INFORMAÇÃO PARA GERENCIAMENTO DE PRODUTOS E/OU SERVIÇOS EM EMPRESA...
SISTEMA DE INFORMAÇÃO PARA GERENCIAMENTO DE PRODUTOS E/OU SERVIÇOS EM EMPRESA...
 
Sistema de Educação Delmir Fernandes
Sistema de Educação   Delmir FernandesSistema de Educação   Delmir Fernandes
Sistema de Educação Delmir Fernandes
 
PDDE APRESENTANDO O PROGRAMA - Prof. Noe Assunção
PDDE APRESENTANDO O PROGRAMA - Prof. Noe AssunçãoPDDE APRESENTANDO O PROGRAMA - Prof. Noe Assunção
PDDE APRESENTANDO O PROGRAMA - Prof. Noe Assunção
 
Cadastro de clientes em c#
Cadastro de clientes em c#Cadastro de clientes em c#
Cadastro de clientes em c#
 
Responsabilidadese atribuicoesdosecretarioescolar (2)
Responsabilidadese atribuicoesdosecretarioescolar (2)Responsabilidadese atribuicoesdosecretarioescolar (2)
Responsabilidadese atribuicoesdosecretarioescolar (2)
 
Pde Artemir Pires 2010 Oficina 2
Pde   Artemir Pires 2010   Oficina 2Pde   Artemir Pires 2010   Oficina 2
Pde Artemir Pires 2010 Oficina 2
 
Responsabilidadese atribuicoesdosecretarioescolar
Responsabilidadese atribuicoesdosecretarioescolarResponsabilidadese atribuicoesdosecretarioescolar
Responsabilidadese atribuicoesdosecretarioescolar
 
Certificação Ocupacional para Gerente de Organização Escolar - Regras de Negócio
Certificação Ocupacional para Gerente de Organização Escolar - Regras de NegócioCertificação Ocupacional para Gerente de Organização Escolar - Regras de Negócio
Certificação Ocupacional para Gerente de Organização Escolar - Regras de Negócio
 
Diagnóstico educacional e financeiro da Rede Estadual de Ensino
Diagnóstico educacional e financeiro da Rede Estadual de EnsinoDiagnóstico educacional e financeiro da Rede Estadual de Ensino
Diagnóstico educacional e financeiro da Rede Estadual de Ensino
 
Indicadores de Qualidade no Ensino Superior
Indicadores de Qualidade no Ensino SuperiorIndicadores de Qualidade no Ensino Superior
Indicadores de Qualidade no Ensino Superior
 
Software livre para leigos - VII SIECOMP
Software livre para leigos - VII SIECOMPSoftware livre para leigos - VII SIECOMP
Software livre para leigos - VII SIECOMP
 

Semelhante a Sistema automatizar rotinas escolares

Repositório do Parque Tecnológico da PMSP
Repositório do Parque Tecnológico da PMSPRepositório do Parque Tecnológico da PMSP
Repositório do Parque Tecnológico da PMSPMário Januário Filho
 
E-OBRAS: Proposta de Desenvolvimento do Protótipo de Sistema para Secretarias...
E-OBRAS: Proposta de Desenvolvimento do Protótipo de Sistema para Secretarias...E-OBRAS: Proposta de Desenvolvimento do Protótipo de Sistema para Secretarias...
E-OBRAS: Proposta de Desenvolvimento do Protótipo de Sistema para Secretarias...Paulo Steinhauser
 
E-OBRAS: Proposta de Desenvolvimento do Protótipo de Sistema para Secretarias...
E-OBRAS: Proposta de Desenvolvimento do Protótipo de Sistema para Secretarias...E-OBRAS: Proposta de Desenvolvimento do Protótipo de Sistema para Secretarias...
E-OBRAS: Proposta de Desenvolvimento do Protótipo de Sistema para Secretarias...Paulo Steinhauser
 
MÓDULO DE GERENCIAMENTO DE BOLSAS DO SISTEMA CONTROLE DE PROCESSOS
MÓDULO DE GERENCIAMENTO DE BOLSAS DO SISTEMA CONTROLE DE PROCESSOSMÓDULO DE GERENCIAMENTO DE BOLSAS DO SISTEMA CONTROLE DE PROCESSOS
MÓDULO DE GERENCIAMENTO DE BOLSAS DO SISTEMA CONTROLE DE PROCESSOSLeno Matos Lisboa
 
Trabalho de Graduação Faculdade de Tecnologia de Ourinhos (FATEC Ourinhos)
Trabalho de Graduação Faculdade de Tecnologia de Ourinhos (FATEC Ourinhos)Trabalho de Graduação Faculdade de Tecnologia de Ourinhos (FATEC Ourinhos)
Trabalho de Graduação Faculdade de Tecnologia de Ourinhos (FATEC Ourinhos)Bruno Ferrari
 
SisEdu – Sistema Educacional - Módulo Financeiro
SisEdu – Sistema Educacional - Módulo FinanceiroSisEdu – Sistema Educacional - Módulo Financeiro
SisEdu – Sistema Educacional - Módulo FinanceiroUNIEURO
 
Internet das Coisas e a Mobilidade Urbana
Internet das Coisas e a Mobilidade UrbanaInternet das Coisas e a Mobilidade Urbana
Internet das Coisas e a Mobilidade UrbanaEmanuelle Menali
 
Tcc_Implantação de um sistema para o gerenciamento de suporte de TI baseado n...
Tcc_Implantação de um sistema para o gerenciamento de suporte de TI baseado n...Tcc_Implantação de um sistema para o gerenciamento de suporte de TI baseado n...
Tcc_Implantação de um sistema para o gerenciamento de suporte de TI baseado n...Evilasio Cesar
 
APRENDIZAGEM COLABORATIVA POR MEIO DE SOCIAL MEDIA E E-LEARNING
APRENDIZAGEM COLABORATIVA POR MEIO DE SOCIAL MEDIA E E-LEARNINGAPRENDIZAGEM COLABORATIVA POR MEIO DE SOCIAL MEDIA E E-LEARNING
APRENDIZAGEM COLABORATIVA POR MEIO DE SOCIAL MEDIA E E-LEARNINGJefferson Simão Gonçalves
 
Projeto final BI - Rafael
Projeto final BI - RafaelProjeto final BI - Rafael
Projeto final BI - Rafaelrafaelfbarreto
 
Apostila de Informática Aplicada da Educação
Apostila de Informática Aplicada da EducaçãoApostila de Informática Aplicada da Educação
Apostila de Informática Aplicada da EducaçãoMariaVivianedeAraujo
 
Desenvolvimento de Sistema CRUD (MVC) PHP / MYSQL
Desenvolvimento de Sistema CRUD (MVC) PHP / MYSQLDesenvolvimento de Sistema CRUD (MVC) PHP / MYSQL
Desenvolvimento de Sistema CRUD (MVC) PHP / MYSQLRogerio de Moraes
 
Trabalhodegraduaoengenhariadesoftware 140703173419-phpapp01
Trabalhodegraduaoengenhariadesoftware 140703173419-phpapp01Trabalhodegraduaoengenhariadesoftware 140703173419-phpapp01
Trabalhodegraduaoengenhariadesoftware 140703173419-phpapp01Antonio Luiz S. Isabel
 
Projeto Batalhão Digital 2º BPM Araguaína-TO
Projeto Batalhão Digital 2º BPM Araguaína-TOProjeto Batalhão Digital 2º BPM Araguaína-TO
Projeto Batalhão Digital 2º BPM Araguaína-TOLabin2bpm
 
A Certificação Digital na sociedade Brasileira
A Certificação Digital na sociedade BrasileiraA Certificação Digital na sociedade Brasileira
A Certificação Digital na sociedade Brasileiradanilogmoreira
 
Manutenção e montagem de computadores
Manutenção e montagem de computadoresManutenção e montagem de computadores
Manutenção e montagem de computadoresJoka Luiz
 

Semelhante a Sistema automatizar rotinas escolares (20)

Repositório do Parque Tecnológico da PMSP
Repositório do Parque Tecnológico da PMSPRepositório do Parque Tecnológico da PMSP
Repositório do Parque Tecnológico da PMSP
 
E-OBRAS: Proposta de Desenvolvimento do Protótipo de Sistema para Secretarias...
E-OBRAS: Proposta de Desenvolvimento do Protótipo de Sistema para Secretarias...E-OBRAS: Proposta de Desenvolvimento do Protótipo de Sistema para Secretarias...
E-OBRAS: Proposta de Desenvolvimento do Protótipo de Sistema para Secretarias...
 
E-OBRAS: Proposta de Desenvolvimento do Protótipo de Sistema para Secretarias...
E-OBRAS: Proposta de Desenvolvimento do Protótipo de Sistema para Secretarias...E-OBRAS: Proposta de Desenvolvimento do Protótipo de Sistema para Secretarias...
E-OBRAS: Proposta de Desenvolvimento do Protótipo de Sistema para Secretarias...
 
MÓDULO DE GERENCIAMENTO DE BOLSAS DO SISTEMA CONTROLE DE PROCESSOS
MÓDULO DE GERENCIAMENTO DE BOLSAS DO SISTEMA CONTROLE DE PROCESSOSMÓDULO DE GERENCIAMENTO DE BOLSAS DO SISTEMA CONTROLE DE PROCESSOS
MÓDULO DE GERENCIAMENTO DE BOLSAS DO SISTEMA CONTROLE DE PROCESSOS
 
Trabalho de Graduação Faculdade de Tecnologia de Ourinhos (FATEC Ourinhos)
Trabalho de Graduação Faculdade de Tecnologia de Ourinhos (FATEC Ourinhos)Trabalho de Graduação Faculdade de Tecnologia de Ourinhos (FATEC Ourinhos)
Trabalho de Graduação Faculdade de Tecnologia de Ourinhos (FATEC Ourinhos)
 
SisEdu – Sistema Educacional - Módulo Financeiro
SisEdu – Sistema Educacional - Módulo FinanceiroSisEdu – Sistema Educacional - Módulo Financeiro
SisEdu – Sistema Educacional - Módulo Financeiro
 
Internet das Coisas e a Mobilidade Urbana
Internet das Coisas e a Mobilidade UrbanaInternet das Coisas e a Mobilidade Urbana
Internet das Coisas e a Mobilidade Urbana
 
Tcc_Implantação de um sistema para o gerenciamento de suporte de TI baseado n...
Tcc_Implantação de um sistema para o gerenciamento de suporte de TI baseado n...Tcc_Implantação de um sistema para o gerenciamento de suporte de TI baseado n...
Tcc_Implantação de um sistema para o gerenciamento de suporte de TI baseado n...
 
APRENDIZAGEM COLABORATIVA POR MEIO DE SOCIAL MEDIA E E-LEARNING
APRENDIZAGEM COLABORATIVA POR MEIO DE SOCIAL MEDIA E E-LEARNINGAPRENDIZAGEM COLABORATIVA POR MEIO DE SOCIAL MEDIA E E-LEARNING
APRENDIZAGEM COLABORATIVA POR MEIO DE SOCIAL MEDIA E E-LEARNING
 
Projeto final BI - Rafael
Projeto final BI - RafaelProjeto final BI - Rafael
Projeto final BI - Rafael
 
Apostila de Informática Aplicada da Educação
Apostila de Informática Aplicada da EducaçãoApostila de Informática Aplicada da Educação
Apostila de Informática Aplicada da Educação
 
Desenvolvimento de Sistema CRUD (MVC) PHP / MYSQL
Desenvolvimento de Sistema CRUD (MVC) PHP / MYSQLDesenvolvimento de Sistema CRUD (MVC) PHP / MYSQL
Desenvolvimento de Sistema CRUD (MVC) PHP / MYSQL
 
Trabalhodegraduaoengenhariadesoftware 140703173419-phpapp01
Trabalhodegraduaoengenhariadesoftware 140703173419-phpapp01Trabalhodegraduaoengenhariadesoftware 140703173419-phpapp01
Trabalhodegraduaoengenhariadesoftware 140703173419-phpapp01
 
Projeto Batalhão Digital 2º BPM Araguaína-TO
Projeto Batalhão Digital 2º BPM Araguaína-TOProjeto Batalhão Digital 2º BPM Araguaína-TO
Projeto Batalhão Digital 2º BPM Araguaína-TO
 
A Certificação Digital na sociedade Brasileira
A Certificação Digital na sociedade BrasileiraA Certificação Digital na sociedade Brasileira
A Certificação Digital na sociedade Brasileira
 
Avaliação Institucional IFFluminense campus Macaé
Avaliação Institucional IFFluminense campus MacaéAvaliação Institucional IFFluminense campus Macaé
Avaliação Institucional IFFluminense campus Macaé
 
Economia rural
Economia ruralEconomia rural
Economia rural
 
Manutenção e montagem de computadores
Manutenção e montagem de computadoresManutenção e montagem de computadores
Manutenção e montagem de computadores
 
081112 manut mont
081112 manut mont081112 manut mont
081112 manut mont
 
Montagem e Manutenção de Computadores
Montagem e Manutenção de ComputadoresMontagem e Manutenção de Computadores
Montagem e Manutenção de Computadores
 

Sistema automatizar rotinas escolares

  • 1. SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PARÁ CURSO DE LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO JOSE SOARES DE SOUZA TANCREDO WILLIAM CARVALHO ALMEDA PROPOSTA DE UM SISTEMA PARA AUTOMATIZARROTINAS ADMINISTRATIVAS ESCOLARES CAPITÃO POÇO 2013 1
  • 2. SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PARÁ CURSO DE LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO JOSE SOARES DE SOUZA TANCREDO WILLIAM CARVALHO ALMEDA PROPOSTA DE UM SISTEMA PARA AUTOMATIZAR ROTINAS ADMINISTRATIVAS ESCOLARES Trabalho Acadêmico de Conclusão de Curso Licenciatura em Computação do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará – IFPA, como requisito para a obtenção do Grau em Licenciatura em Computação, sob a orientação do Profº. Esp. Anderson Maia. CAPITÃO POÇO 2013 2
  • 3. Souza, José Soares; Almeida, Tancredo William Carvalho Proposta de um sistema para automatizar rotinas administrativas escolares / José Soares de Souza; Tancredo William Carvalho Almeida. Capitão Poço 2013. 50p.; Orientador: Andersom Maia Trabalho Acadêmico de Conclusão de Curso apresentado ao Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnológica do Pará 3
  • 4. INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PARÁ CURSO DE LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO JOSE SOARES DE SOUZA TANCREDO WILLIAM CARVALHO ALMEDA PROPOSTA DE UM SISTEMA PARA AUTOMATIZAR ROTINAS ADMINISTRATIVAS ESCOLARES Data de Defesa: ___/ ___/ ___ Conceito: ________________ Banca Examinadora ___________________________________________ Prof. orientador: Anderson Maia ___________________________________________ Prof. (nome completo – instituição) ___________________________________________ Prof. (nome completo – instituição) CAPITÃO POÇO 2013 4
  • 5. AGRADECIMENTOS Primeiramente a Deus por nos da o dom da vida e forças para enfrentar mais essa caminha educacional; Aos nossos familiares por nos apoiar e incentivar nessa formação acadêmica; Aos amigos e companheiros de classe que nos ajudaram em momentos difíceis que passamos juntos por essa jornada; Aos professores que nos proporcionaram ensino de qualidade e deixaram saudades e em especial ao nosso orientador Profº Esp. Andersom Maia. 5
  • 6. RESUMO Hoje com o avanço da tecnologia o mundo globalizado está cada vez mais presente em nosso dia-a-dia, permitindo nos conectar a qualquer parte do planeta, trocar informações de forma instantânea. Por tanto, podemos afirmar que a informação é algo de suma importância para o convívio social e cultural de uma sociedade. As empresas atualmente então se adequando a esta nova “era da informação” para continuar mantendo sua competitividade no mercado de trabalho. Nosso objetivo neste trabalho é desenvolver um sistema de automação de rotinas administrativa para escolas da educação básica utilizando um padrão. Com essa padronização de software para gestão escolar, será possível facilitar o trabalho dos administradores nas tomadas de decisões com mais rapidez e eficácia. No desenvolvimento do sistema, foi utilizada a linguagem de programação orientada a objeto, C# e a utilização Sistema Gerenciador de Banco de Dados SQL Server 2008. PALAVRAS-CHAVES:informação; sistema de automação. 6
  • 7. ABSTRACT Today with the advancement in technology the world is globalized present in our day-to-day, allowing you to connect to any part of the world, exchange information instantly. Therefore, we can say that information is something crucial for social and cultural development of a society. Companies now then adapting to this new "information age" to remain competitive in the labor market. Our goal in this work is to develop an automation system for administrative routines of basic education schools. With the standardization of software for school management, facilitate the work of managers in making decisions more quickly and effectively. In designing the system, we used the language of object-oriented programming, C # and use System Manager Database MySQL KEYWORDS: information; automation system. 7
  • 8. LISTA DE FIGURAS Figura 1 - Uc diagrama login ............................................................................ 30 Figura 2 - Uc modulo gestão ............................................................................ 30 Figura 3 - Uc modulo matricula ........................................................................ 31 Figura 4 - Uc modulo acadêmico...................................................................... 32 Figura 5 - Tela de autenticação do usuário ...................................................... 32 Figura 6 - Área de Trabalho ............................................................................. 33 Figura 7 - Cadastro de Ano Letivo.................................................................... 34 Figura 8 - Cadastro da Escola .......................................................................... 34 Figura 9 - Pesquisar Escola ............................................................................. 35 Figura 10 - Cadastro de Disciplina ................................................................... 35 Figura 11 - Cadastro de Turmas ...................................................................... 36 Figura 12 - Cadastro de Aluno ......................................................................... 36 Figura 13 - Pesquisar Aluno ............................................................................. 37 Figura 14 - Cadastro de Docente ..................................................................... 37 Figura 15 - Pesquisar Professor ....................................................................... 38 Figura 16 - Interface do Visual Studio 2010 ..................................................... 41 Figura 17 - Comparativo das versões Visual Studio......................................... 43 Figura 18 – Recursos e tecnologias Visuais Studio 2010 Express ................... 44 8
  • 9. Sumário 1. Introdução ........................................................................................................................... 11 1.1 Objetivos ......................................................................................................................... 12 1.1.1 Objetivo Geral ............................................................................................................. 12 1.1.2 Objetivos específicos ................................................................................................... 12 1.2 Justificativa ...................................................................................................................... 13 1.3 Situação atual .................................................................................................................. 13 1.4 Identificação do problema .............................................................................................. 14 1.4.1 Descrição do Ramo de Negócio da Empresa ............................................................... 14 1.4.2 Secretaria Escolar ........................................................................................................ 16 1.4.3 Secretário Escolar ........................................................................................................ 17 1.4.4 Problematização .......................................................................................................... 19 1.5 2. Organização do trabalho ................................................................................................. 21 Sistemas de Informação ...................................................................................................... 21 2.1 Gestão da Informação ..................................................................................................... 22 2.2 Por que utilizar Sistemas de Informação? ....................................................................... 22 2.3 Importância dos Sistemas de Informação para as Empresas .......................................... 23 2.4 Sistemas de Informação para a Gestão Escolar .............................................................. 24 2.5 Alguns software utilizados no gerenciamento escolar ................................................... 25 2.5.1 O gestor escolar........................................................................................................... 26 2.5.2 O iScholar .................................................................................................................... 26 2.5.3 SisAlu ........................................................................................................................... 26 2.5.4 SAE+C Versão 5.0 ........................................................................................................ 26 2.5.5 ACADESC...................................................................................................................... 26 3. Análise e Projeto ................................................................................................................. 27 3.1 Levantamento dos requisitos .......................................................................................... 27 3.2 UML ................................................................................................................................. 28 3.3 Atores .............................................................................................................................. 29 3.4 Casos de uso .................................................................................................................... 29 3.5 Prototipação .................................................................................................................... 32 3.5.1 Autenticação do usuário ............................................................................................. 32 3.5.2 Área de Trabalho ......................................................................................................... 33 3.5.3 Cadastro de Ano Letivo ............................................................................................... 33 3.5.4 Cadastro da Escola ...................................................................................................... 34 9
  • 10. 3.5.5 Pesquisar Escola .......................................................................................................... 34 3.5.6 Cadastro de Disciplina ................................................................................................. 35 3.5.7 Cadastro de Turmas .................................................................................................... 35 3.5.8 Cadastro de Alunos ..................................................................................................... 36 3.5.9 Pesquisar Alunos ......................................................................................................... 36 3.5.10 Cadastro de Docente ................................................................................................... 37 3.5.11 Pesquisar Professor ..................................................................................................... 37 4. Recursos e tecnologia.......................................................................................................... 38 4.1 C Sharp (C#) ..................................................................................................................... 39 4.2 Visual Studio 2010 ........................................................................................................... 40 4.3 SQL Server 2008 R2 ......................................................................................................... 44 4.4 Report Viewer ................................................................................................................. 46 5. Conclusão ............................................................................................................................ 47 Bibliografia ........................................................................................................................... 48 10
  • 11. 1. Introdução O uso da informática dentro da gestão escolar está ficando cada vez mais fluente, em decorrência do constante fluxo de informação gerido dentro de uma escola, como por exemplomatricula de alunos, ficha individual, boletins, declarações escolares, diário de classe, históricos, dentre outros. Na perspectiva de melhorar o atendimento, a gestão escolar está buscando soluções práticas dentro da informática para aperfeiçoar sua rotina administrativa, saindo do tradicional atendimento manual e informatizando-se, na busca de dados mais precisos e coesos para possíveis tomadas de decisões com segurança e agilidade. A Escola Municipal de Ensino Fundamental Profª Elza Maria Correa Dantas, situada na Travessa José Maria Pinheiro, S/N, Bairro Nossa Senhora do Perpetuo Socorro, Município de Garrafão do Norte-Pa. Fundada em 1990, apresenta atualmente cento e sessenta e quatro (164) funcionários, um (1) diretor e dois (2) vice-diretoras, oitenta e seis (86) professores e auxiliares e setenta e cinco (75) administrativos, com um mil seiscentos e sessenta e novo (1669) alunos distribuídos em quarenta e oito (48) turmas em quatro (4) turnos. Porém em plena era da informação esta escola ainda utiliza procedimentos manuais na sua gestão escolar. Com o decorrer do aumento de alunos, os antigos trabalhos manuais utilizados até então não são mais suficiente para atender toda demanda de discente com eficiência. Na secretaria escolar, por exemplo, onde se concentra todo aparato administrativo da escola, setor responsável pelo contato direto com comunidade escolar como pode citar: diretores, professores, alunos e pais é um dos setores que mais sofre com essa falta de informatização. Para (Fernandes, 2006). As escolas apostam em tecnologias que sejam de fácil utilização como é o caso do computador, possível de ser incorporado no processo decisório dos gestores, e que seja preciso para produzir informações confiáveis e realmente necessárias. Atualmente com aumento de informações, gerenciada pela secretaria escolar a informática está sendo um ponto crucial para o bom desempenho do setor, no que diz respeito ao gerenciamento administrativo.Com software adequado e pessoal devidamente qualificado a 11
  • 12. secretaria escolar deixará de ser obsoleta e passará a administrar de forma dinâmica e mais competitiva no mercado atual. Entendemos que o uso correto da ferramenta tecnológicapara gestão escolar traz vantagens significativas para o melhoramento organizacional da empresa. Partindo do ponto de vista, de que a Escola Municipal de Ensino Fundamental ProfªElza Maria Correa Dantas, ainda administra seus dados de forma manual, propõe-se um estudo de caso para desenvolvimento de uma aplicação desktop que venha suprir e otimizaro desempenho operacional dos trabalhos administrativos da gestão escolar. O software será desenvolvido através da linguagem orientada a objeto, C#. E os dados coletados serão armazenados em um banco de dados relacional,SQL Server 2008. 1.1 Objetivos 1.1.1 Objetivo Geral O objetivo deste trabalho é propor o desenvolvimentode um softwarede gerenciamento escolar para atender a demanda administrativa da Escola Municipal de Ensino Fundamental ProfªElza Maria Correa Dantas. 1.1.2 Objetivos específicos Gerenciar cadastros: o Cadastrar escolar; o Cadastrar alunos; o Cadastrar professores; o Cadastrar disciplinas; o Cadastrar turmas; o Cadastrar usuários do sistema; Gerenciar de matricula: o Consultar aluno; o Efetivar matricula; o Efetivar rematrícula; o Remanejamento de aluno; o Manutenção de matricula; o Relatórios de matriculas; Gerenciar gestão acadêmica: 12
  • 13. o Criar turmas; o Gerir diário de classe; o Lançar notas por aluno; o Lançar frequência do aluno; o Criar boletim do aluno; o Criar ficha individual do aluno; o Criar histórico escolar; Garantir a confiabilidade e segurança nas informações administrativas da escola; 1.2 Justificativa A utilização de software gerencial nas escolas vem apresentando um crescimento constante em seu cotidiano.Com o auxilio desta ferramenta as mesmas se tornam mais produtiva e ágil nas buscas de informações concretas e precisas do seu ramo de negócio. Visando desempenhar melhor suas rotinas administrativas, a proposta de desenvolver um sistema de automação para gerenciar os trabalhos da escola, vem garantir melhor satisfação e redução de gastos na instituição. Desse modo, matriculas,boletins, ficha individual, histórico escolar, dentre outros deixarão de ser feitos em blocos de papel e fichas cadastrais e passaram a ser executadas em um sistema próprio, com isso, melhorará o desempenho dos funcionários e consequentemente o atendimento ao cliente. Assim será possível organizar todas as informações em um banco de dados relacional, viabilizando a busca de determinados dados de alunos em tempo reduzidos com precisão e segurança. Buscando facilitar e aperfeiçoar o trabalho exercido pela secretaria escolar, o sistema terá telas simples e intuitiva fazendo com que o usuário tenhainformaçãocoesa em poucos cliques e buscas personalizadas. 1.3 Situação atual A evolução da tecnologia tem sido uma grande aliada para a informatização das empresas. Hoje, ter software para o gerenciamento das empresas não é privilégio apenas das grandes empresas. O uso dessa tecnologia está cada vez mais fazendo parte do dia a dia das pequenas e médias empresas que tentam se inserir nesse cenário globalizado, buscando o 13
  • 14. aperfeiçoamento do seu trabalho e propiciar melhor atendimento ao cliente, tornando assim, a empresa mais produtiva e dinâmica no mercado de trabalho. Trabalhos que antes eram executados manualmente, demandando grande escala de tempo e disponibilidade funcional para serem realizados, a partir do uso de uma ferramenta de software, os gestores escolares estão conseguindo diminuir esse tempo através de soluções mais simples e de baixo custo para o desenvolvimento de suas atividades. Hoje as escolas estão substituindo canetas e papeis por computares e softwares específicos para o seu gerenciamento administrativo. Dessa forma, a escola alavanca sua produtividade e melhora nos quesitos atendimento, confiabilidade dos dados, segurança da informação, acesso rápido às informações e praticidade na administração escolar. 1.4 Identificação do problema Segundo RESENDE apud PRESSMAN (1995, p. 199), “a identificação da necessidade é o ponto de partida na evolução de um sistema baseado em computador”. No entanto, para que tenhamos um bom aplicativo que possa gerenciar toda uma instituição escolar, devemos num primeiro momento analisar o problema e procurar uma solução óbvia. Este procedimento pode ser denominado de levantamento de requisitos. 1.4.1 Descrição do Ramo de Negócio da Empresa A Escolar Municipal de Ensino Fundamental Profª Elza Maria Correa Dantas é considerada uma instituição de grande porte1, pois atualmente comportar um mil seiscentos e sessenta e nove (1669) alunos devidamente matriculados e atuando com o corpo funcional,atualmente, cento e sessenta e quatro (164) pessoas distribuídas nos seguimentos, apoio administrativo e professores. No mês de janeiro, a escola inicializa suas matriculas por um período de uma semana, com funcionamento das 07h00min até as 18h00min. Matrícula feita pelo próprio aluno, só é efetivada se o mesmo tiver 18 anos ou 1 Para a prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro uma escola é considerada de grande porte quando a sua capacidade de atender à comunidade ultrapassa o número de 1.500 alunos e uma escola de pequeno porte atende até 700 alunos (ZARGIDSKY, 2006). 14
  • 15. mais, mediante apresentação de documentos que comprove sua maioridade. Para os demais casos, a matrícula será feita pelo responsável do aluno. Para alunos que já frequentavam séries anteriores e só querem renovar sua matricula, para o ano posterior, não há necessidade de providenciar documentação para arquivamento na escola. Tais como: Certidão de nascimento Carteira de Identidade CPF Comprovante de residência No entanto, para alunos novos no estabelecimento de ensino, além da documentação acima citada, há também a necessidade de apresentar o histórico escolar e transferência, caso venham de outra escola. No ato da matricula, é preenchida uma ficha com algumas informações necessárias para identificação do aluno, tais como: Nome do Aluno Sexo Data de Nascimento Naturalidade Nacionalidade Endereço Filiação Tem alguma deficiência Utiliza transporte escolar Recebe Beneficio do Governo Federal (Bolsa Família) Série Turno Observação Após o período de matriculas esses dados são encaminhados para a secretaria, onde serão divididas as turmas, feita à lotação dos professores e o arquivamento das pastas contendo toda a documentação dos alunos. Este arquivo é organizado por turno e turma. Cada turma tem seu quantitativo de alunos descrito de forma manual em ordem alfabética para facilitar o encontro de dados dos discentes. 15
  • 16. Após a realização das matrículas e lotação devidamente distribuída por turnos e turmas, a secretaria da escola providencia os diários de classe e distribui aos professores. Tais diários servirão de ferramenta para registrar informações dos alunos que acontece dentro da sala de aula, como por exemplo: frequência, registro de atividades pedagógicas feitas em classe e mapa de avaliações bimestrais com total de quatros (4) avaliações no ano letivo e duas (2) recuperações feitas no finai do primeiro e segundo semestre. Antes de iniciar o período letivo os professores e coordenadores pedagógicos, reúnem-se por um período de cinco (5) dias para elaborar o planejamento escolar anual, sendo que este planejamento é feito duas (2) vezes ao ano, com acompanhamento a cada três (3) meses. Nesse planejamento, são discutidos assuntos relacionados aos conteúdos programáticos a serem trabalhados durante o período letivo. Com o planejamento concluído, a equipe da direção da escola fica ciente do que irá acontecer durante o ano letivo, podendo assim se organizar de forma adequada para possíveis contra tempos que poderão vim a ocorrer durante o período acadêmico. Por exemplo, professora que precisa ser substituída por licença maternidade, ficando assim, a direção da escola informada dos conteúdos a serem ministrados em determinada(s) turma(s), podendo providenciar outro professor da área para atuar na(s) mesma(s). 1.4.2 Secretaria Escolar A secretaria escolar é o setor que tem como principal função a realização das atividades de apoio ao processo administrativo e pedagógico. Nela se concentram as maiores responsabilidades relativas à vida escolar do aluno e da própria escola. Por isso, deve ser instalada em lugar seguro e não acessível a pessoas estranhas ao serviço (SEDUC-MT, p. 2). Após cada avaliação o Secretário (a) escolar é responsável em recolher os diários de classes dos professores e juntamente com a equipe administrativa da secretária efetuam a transcrição das notas avaliativas, as frequências e atividades pedagógicas em planilhas denominadas de ficha individual e boletim escolar. As mesmas são arquivadas em suas respectivas pastas de alunos. Com o término do ano letivo e todos os dados transcritos em fichas individuais e boletins, a secretaria então finaliza seus trabalhos com o relatório 16
  • 17. anual de todas as turmas, tendo um mapeamento quantitativo de alunos aprovados e reprovados, bem como aqueles que mesmo aprovados ficaram em dependência em alguma(s) disciplina(s). Como a secretaria é o setor responsável pela parte administrativa escolar, seu atendimento deverá enforcar informações em diferentes áreas de responsabilidades. Segundo (SEDUC-MT, p 3-4) os principais atendimentos da secretaria escolar são: Atendimento aos profissionais da educação, pais, alunos, representantes da comunidade e órgãos públicos. Expediente envolve registros escolares, funcionais e correspondências. Escrituração Escolar mediante registro de dados escolares dos alunos e funcionais dos profissionais da educação. Arquivo pode ser físico ou virtual, de movimento ou ativo, permanente ou passivo. 1.4.3 Secretário Escolar É o responsável direto por toda a organização da secretaria escolar, bem como pela preservação dos documentos no tempo e no espaço. É ele quem decide sobre os assuntos relacionados aos serviços pertinentes a secretaria e orienta os Técnicos Administrativos Educacionais na execução dos trabalhos, descentralizando as ações (SEDUC-MT, p. 2). Para o bom funcionamento de uma secretaria escolar, seu responsável, nomeado secretário, dever ser uma pessoa de confiança do diretor, pois o mesmo tem ligação direta com a diretoria e, tenha no mínimo concluído o ensino médio. Segundo LC nº. 206/2004 são competências básicas de um Secretário Escolar: 1. Responsabilidade básica de planejamento, organização, coordenação, controle e avaliação de todas as atividades pertinentes à secretaria e sua execução; 2. Participar da elaboração do Plano de Desenvolvimento Escolar; 17
  • 18. 3. Participar juntamente com os Técnicos Administrativos Educacionais, da programação das atividades da secretaria, mantendo-a articulada com as demais programações da Escola; 4. Atribuir tarefas aos Técnicos Administrativos Educacionais, orientando e controlando as atividades de registro e escrituração, assegurando o cumprimento de normas e prazos relativos ao processamento de dados determinados pelos órgãos competentes; 5. Verificar a regularidade da documentação referente à matrícula, adaptação, transferência de alunos, encaminhando os casos especiais à deliberação do(a) Diretor (a); 6. Atender, providenciar o levantamento e encaminhamento aos órgãos competentes de dados e informações educacionais; 7. Preparar a escala de férias e gozo de licença dos servidores da escola submetendo à deliberação do Conselho Deliberativo da Comunidade Escolar; 8. Elaborar e providenciar a divulgação de editais, comunicados e instruções relativas às atividades; 9. Elaborar relatórios das atividades da secretaria e colaborar na elaboração do relatório anual da escola; 10. Cumprir e fazer cumprir as determinações do Diretor (a), do Conselho Deliberativo da Comunidade Escolar e dos órgãos competentes; 11. Assinar, juntamente com o Diretor (a), todos os documentos escolares destinados aos alunos; 12. Facilitar e prestar todas as solicitações aos representantes da Secretaria de Estado de Educação e do Conselho Estadual de Educação sobre o exame de livros, escrituração e documentação relativa à vida escolar dos alunos e vida funcional dos servidores e, fornecer-lhes todos os elementos que necessitarem para seus relatórios, nos prazos devidos; 13. Redigir as correspondências oficiais da escola; 18
  • 19. 14. Dialogar com o Diretor (a) sobre assunto que diga respeito à melhoria do andamento de seu serviço; 15. Não permitir a presença de pessoas estranhas ao serviço da secretaria; 16. Tomar as providências necessárias para manter a atualização dos serviços pertinentes ao estabelecimento; 17. Fazer a distribuição de serviços aos Técnicos Administrativos Educacionais; 18. Tabular os dados dos rendimentos escolares, em conformidade ao processo de recuperação e no final de cada ano letivo. Segundo (SEDUC-MT, p. 3) o secretário escolar deve conter essas qualidades. 1. Ser organizado e pontual; 2. Ético; 3. Ser comunicativo com a comunidade interna e externa; 4. Saber redigir 5. Estar aberto a aprendizagem; 6. Respeitar o outro e ser solidário, atendendo com agilidade e presteza as solicitações dirigidas a secretaria escolar; 7. Dominar a informática básica; 8. Conhecer e aplicar a legislação educacional vigente. 1.4.4 Problematização A Escola descrita no terceiro paragrafo da introdução deste trabalho vem utilizando seus procedimentos administrativos de forma manual para todos os ambientes funcionais da administração escolar. Apesar da escola possuir um laboratórios de informática e sua secretaria possuir três (3) computadores, os quais ainda não são utilizados de forma correta para agilizar a documentação que rege o funcionamento administrativo da escola. Após visitas efetuadas na referida escola, identificamos que os trabalhos administrativos eram processados manualmente, requerendo tempo e pessoal empenhado na produção das tarefas. 19
  • 20. Além da gama de informação que a escola tem que gerenciar por ter um número elevado de alunos, a estrutura física da secretaria não está adequado para suportar tamanha produtividade de trabalho. Evidenciamos a utilização de alguns processos sendo feitos de forma manuscrita e outros com o auxilio dos computadores e impressora. Mesmo com a presença do computador na secretaria da escola, a maioria dos trabalhos realizados pela mesma é feito manualmente, como podemos citar: Ficha Individual, Boletins, Matrículas, Históricos, dentre outros. Com a necessidade de fazer o Censo Escolar todos os anos, a secretaria tem dificuldades em realizar esse trabalho, pois nem sempre todos os dados são coletados corretamente na efetivação da matrícula no início do ano letivo.Com isso a secretaria recorre ao arquivo pessoal dos alunos e professores para coletar o restante das informações necessárias para concluir o referido censo. Em decorrência da quantidade de trabalhos realizados pela secretaria e pessoal de menos empenhados nessas atividades, foi percebido acumulo de tarefas, tornando assim, atrasos para entregas de boletins, mapa de resultado final das turmas, dificultando a matrícula dos discentes no ano seguinte, pois nem sempre os pais têm em mãos o comprovante de conclusão de curso do ano anterior para realizar a matrícula. Ainda há dificuldades em fazer remanejamento de alunos de uma turma para outra. Em alguns casos, turma criada com um elevado número de alunos será necessário fazer esse tipo de remanejamento. Quando não existem turmas da mesma série/ano sempre é criada uma nova turma. Com isso, o trabalho passar a ser em dobro, pois a secretaria terá que fechar uma nova lotação de professores para a turma criada, ocasionando mais trabalhos para secretaria escolar e transtorno na hora de dividir os alunos para duas (2) turmas. Com a responsabilidade que tem a secretaria de uma escola em manipular as informações coletadas de alunos, professores e documentos administrativos, a mesma deve ser tratada de forma coerente e eficaz para o bom funcionamento da instituição. Com a ajuda da tecnologia para gerenciar essas informações fica bem mais fácil o desempenho do trabalho, já que estamos falando de uma escola de grande porte com mais de 1.500 alunos.Por 20
  • 21. isso, é de fundamental importância que tenha um sistema criado para suprir essas necessidades, e posteriormente, o secretário poderá desempenhar sua função na integra como rege a LC nº. 206/2004. 1.5 Organização do trabalho Esta monografia foi estrutura em cinco (5) capítulos. No capítulo um (1), vem com a breve apresentação resumida do tema geral discutidos no decorrer do trabalho, bem como os objetivos, justificativa eidentificação do problema encontrado e, que nos levou a fazer um estudo aprofundado sobre o mesmo. No segundo capítulo, abordamos sobre sistemas de informação.Como a tecnologia está sendo vivenciada dentro das empresas no uso de seu gerenciamento administrativo, sendo uma forma prática e confiável no gerenciamento de dados. No terceiro capítulo, é apresentada a análise e projeto do sistema, através de estudo caso e levantamento de requisitos, bem como as telas de prototipação do referido sistema, tudo seguindo as normas da UML. No quarto capítulo, são apresentados os recursos tecnológicos utilizados para o desenvolvimento do sistema. No mesmo, é aplicadaa linguagem de programação orientada a objeto, C Sharp (C#), juntamente com um banco de dados relacional, SQL Server 2008 R2, tendo sua plataforma de desenvolvimento o Visual Studio 2010. Por fim, no quinto capítulo apresentamos a conclusão obtida com a realização de trabalho. No mesmo, foi proveitoso e será de grande valia para o bom desempenho administrativo da escola em foco. 2. Sistemas de Informação Com o crescimento exorbitante das informações em organizações, há uma grande necessidade das mesmas manterem-se atualizadas e com dados mais precisos e confiantes. Tendo em vista a esta vertente os sistemas de informação passaram a ser algo tão importante para as organizações, que no senário atual as empresas estão adequando-se a esta nova “era”, na qual podemos denominar de “era da informação”. 21
  • 22. 2.1 Gestão da Informação Gestão da informação define-se como a aplicação de princípios administrativos à aquisição, organização controle, disseminação e uso da informação para a operacionalização efetiva de organizações de todos os tipos. Tarapanoff (2006:21-22) (APUD WILSON, 1997). Ou como “o gerenciamento de todo o ambiente informacional de uma organização” Tarapanoff (2006, p.22) (APUD DAVENPORT, 1994, p.84). Para TARAPANOFF (2006, p. 23). A informação é um fator determinante para a melhoria de processos, produtos e serviços, tendo valor estratégico em organizações. A ideia da informação como ferramenta estratégica evoluiu depois que a gestão da informação mudou, de seu foco inicial de gestão de documentos e dados, para recursos informacionais, mostrando resultados em relação à eficiência operacional, evitando desperdício e automatizando processos. Inúmeras abordagens são relatadas quando se fala de informação. No entanto, a gestão de informações dentro de um estabelecimento de ensino não se limita em coletar os dados necessários para o funcionamento do mesmo, esses deverão ser organizados e tratados de forma que se tornem úteis. Geralmente, um Sistema de Informação é composto de um subsistema social e de um subsistema automatizado. O primeiro inclui as pessoas, processos, informações e documentos. O segundo consiste dos meios automatizados (máquinas, computadores, redes de comunicação) que interligam os elementos do subsistema social. É vital que as empresas tenham que manter um padrão de confiabilidade em suas informações e atualmente as mesmas estão se adequando a nossa atual realidade e se informatizando para obter um crescimento em suas atividades desenvolvidas. 2.2 Por que utilizar Sistemas de Informação? Atualmente a informação vem sendo um grande potencial nas empresas e é seu bem mais valioso, com isso há necessidade de manter essas 22
  • 23. informações de forma segura e bem organizada para possíveis tomadas de decisões futuras com mais rapidez e confiabilidade. Os sistemas de informações têm por objetivo gerar informações precisas e dinâmicas. No entanto, para que a mesma se torne informações seguras, os dados terão que ser coletados, processados e transformado em informação. Segundo MARQUES e MACEDO (2006, p. 241). No contexto organizacional, a geração e troca de informações e conhecimentos tornaram-se decisivas, e a capacidade de gestão de recursos informacionais passou a ser um diferencial, definindo a produtividade e possibilitando a competitividade no mercado globalizado. Com a utilização de um sistema informacional para gestão escolar, as informações coletadas pelo mesmo aumenta a produtividade significativamente, comparada ao tradicionalismo utilizada atualmente na escola foco Profª Elza Maria Correa Dantas, tornando assim, a escola mais competitiva no senário atual globalização. 2.3 Importância dos Sistemas de Informação para as Empresas Segundo REZENDE (2006, p. 258), Todo sistema, usando ou não recursos da tecnologia da informação, que guarda, manipula e gera informação, pode ser genericamente considerado sistema de informação. Seu maior objetivo é auxiliar os processos de tomadas de decisões nas organizações. Seu foco está direcionado para o principal negócio das empresas privadas ou para a principal atividade das organizações públicas. Para MIRANDA, apud (OLIVEIRA, 2002, p.185) pode-se afirmar que os sistemas de informações gerenciais podem, sob determinadas condições, trazer os seguintes benefícios para as empresas: Redução de custos das operações; Melhoria no acesso às informações, propiciando relatórios mais precisos e rápidos, com menor esforço; Melhoria na produtividade, tanto setorial quanto global; Melhoria nos serviços realizados e oferecidos; 23
  • 24. Melhoria na tomada de decisões, por meio do fornecimento de informações mais rápidas e precisas; Estímulo de maior interação entre os tomadores de decisão; Fornecimento de melhores projeções dos efeitos das decisões; Melhoria na estrutura organizacional, por facilitar o fluxo de informações; Melhoria na estrutura de poder, propiciando maior poder para aqueles que entendem e controlam o sistema; Redução do grau de concentração de decisões na empresa; Melhoria na adaptação da empresa para enfrentar os acontecimentos não previstos, a partir das constantes mutações nos fatores ambientais; Otimização na prestação dos seus serviços aos clientes; Melhor interação com seus fornecedores; Melhoria nas atitudes e atividades dos funcionários da empresa; Aumento do nível de motivação das pessoas envolvidas; Redução dos custos operacionais; Redução da mão de obra burocrática e Redução dos níveis hierárquicos. Baseado nessas afirmações a empresa torna-se mais produtiva nos desenvolvimentos de suas atividades e mantêm fortalecida e competitiva no mercado de trabalho globalizado. 2.4 Sistemas de Informação para a Gestão Escolar “[...] A organização escolar, pela sua natureza, está dotada com um importante sistema de informação e comunicação, quer a apreciemos na sua vertente formal, isto é, estandardizada e oficial, quer na sua vertente informal, decorrente da maior ou menor empatia entre os diversos agentes escolares. Tendo em conta que na escola se cruzam diariamente centenas de personagens – e que estas desempenham variadas funções na organização, que, em função disso, contraem diversas necessidades de informação, que a atividade docente propriamente dita, principal atividade da organização e a sua razão de existir, consiste essencialmente em processar informação, em comunicar – é fácil reconhecer a importância vital da problemática da informação neste tipo de organização.” (ROQUE e COSTA, 2005). 24
  • 25. As escolas estão repletas de dados em todos os níveis da organização, sendo elas nas salas de aulas, na direção, na biblioteca e principalmente na a secretaria, onde se concentra um teor maior de dados para o gerenciamento da mesma. No entanto, esses dados devem ser disseminados, processados e transformados em informação para que se tornem úteis para gestão escolar. A Secretaria Escolar é o setor que tem como principal função a realização de atividades administrativas da escola. É nela que se concentram todas as informações dos alunos e da própria instituição. Como podemos destacar: Matriculas dos alunos; Emissão de boletins; Emissão de ficha individual; Histórico escolar; Declarações; Diário de classe; Frequência do aluno; Dentre todas essas funções e demais atividades que uma secretaria escolar realiza. Podemos afirma que gestão escolar requer tempo e pessoal qualificado para realização das mesmas. No entanto o aparato computacional utilizado nas organizações escolares vem contribuindo de formação significativamente para o ajuste dessas atividades, mas não basta ter computadores nas secretarias, tem-se a necessidade de ter um sistema de informação adequada para o gerenciamento desses dados existente nas secretarias escolares. 2.5 Alguns software utilizados no gerenciamento escolar Hoje é comum encontrar empresas especializadas em criação de softwares para automação comercial e gerenciamento de empresas. Iremos citar alguns softwares utilizados para gestão escolar, feitos com finalidades de organizar e ampliar o atendimento e gerenciar escolas municipais e até mesmo estaduais. Em destaque em nossa região temos o gestor escolar da empresa “hábil softwares”. 25
  • 26. 2.5.1 O gestor escolar É um Sistema de Gestão de Escolas e/ou Secretarias de Educação, desenvolvido para integrar e gerir os dados acadêmicos das instituições de ensino.Devido às técnicas e ferramentas utilizadas no seu desenvolvimento, está apto a gerenciar desde uma única instituição de ensino até um grupo de instituições, seja este, de nível Municipal ou Estadual (GESTORESCOLAR, 2013). 2.5.2 O iScholar É um sistema integrado de gestão escolar que atende as necessidades de todos os departamentos de uma instituição de ensino. É uma ferramenta poderosa que pode ser utilizada por instituições de grande, médio e pequeno porte, e de vários segmentos, como cursos de idiomas, creches, infantis, pré-escolas, fundamental, médio, pré-vestibulares, cursos profissionalizantes, instituições preparatórias para concursos públicos, entre outras (ISCHOLAR, 2013). 2.5.3 SisAlu O SisAlu é uma solução modular, e graças a esta característica permite trabalhar com um sistema completo e totalmente integrado, evitando duplicação de informações e inconsistência de dados. O Sistema Acadêmico gerencia a vida escolar do aluno, agilizando o trabalho da secretaria e da coordenação pedagógica. Nele, é possível cadastrar, matricular, lançar e alterar notas e faltas, fazer avaliações com os diversos modelos de relatórios e muitas outras funções (SISALU, 2013). 2.5.4 SAE+C Versão 5.0 A versão 5.0 levará a sua instituição o completo controle da vida acadêmica de cada aluno. Esse programa integra diversos setores da empresa educacional (secretária, diretoria e sala de aula) de forma objetiva, facilitando e simplificando a gestão diária da instituição. Controle de notas, elaboração de médias, lançamentos de faltas e muitas outras facilidades (SAEINFO, 2013). 2.5.5 ACADESC O ACADESC é o software de gestão escolar desenvolvido pelaFanny's Informática com o objetivo de controlar todo o processo de administração escolar de forma prática e segura (ACADESC, 1994) 26
  • 27. Neste capítulo abordamos sobre sistema de informação nas empresas e principalmente nos setores educacionais, destacando alguns sistemas utilizados em determinadas escolas para seu gerenciamento administrativo educacional. Tendo em vista que os sistemas de gerenciamento escolar tem por finalidade, armazenar, disseminar e transformar dados em informações precisas para possíveis tomadas de decisões de seus administradores. Os sistemas de informações citados acima têm características semelhantes e também um só objetivo, a gestão escolar. Alguns dos aplicativos mencionados trabalham em ambiente off-line e outros totalmente online, a pesar de plataformas diferentes, ambos comungam do mesmo senso comum, a agilidade, a organização dos dados coletados, a segurança e transparência nas informações por eles prestadas. 3. Análise e Projeto 3.1 Levantamento dos requisitos O levantamento de requisitos é a fase mais importante em qualquer projeto de desenvolvimento de software.É nela que se identifica o que o cliente deseja e se espera em relação ao sistema. BOEHM (1989) define Engenharia de Requisitos como uma atividade que objetiva desenvolver uma especificação completa, consistente, não ambígua e correta dos requisitos, que sirva, inclusive, de base para um acordo entre as partes envolvidas no processo de desenvolvimento, onde se pactue, de forma concisa, "o que" o produto irá fazer. A técnica de identificação dos requisitos na engenharia de software tem um papel essencial no correto desenvolvimento do projeto, tornando-se um processo desgastante e trabalhoso. Vários autores e técnicas surgiramapós a “crise do software” (Expressão utilizada na década de 60, tem historicamente aludido a um conjunto de problemas recorrentemente enfrentados no processo de Desenvolvimento (Construção, implantação e manutenção) de 27
  • 28. Software(REZENDE, Engenharia de Software e sistemas de informação, 2005) (APUD Maffeo, 1992)), comoBooch2,Jacobson3 e outros. Para desenvolver uma proposta de sistema de gestão escolar, seguindo os requisitos abordados no capitulo anterior, tem-se a seguinte visão: Tornar eficiente o tratamento das informações das rotinas administrativas na gestão escolar e, com isso, proporcionar à comunidade escolar feedbacks instantâneos, hábeis e livres de erros em suas solicitações. Para isso, a direção escolar deseja um sistema que possa facilitar o processo de matricula, organizar as turmas, transferir alunos, gerar gráficos de desempenhos e metas a serem alcançadas e também cuidar da elaboração de documentos (boletins, ficha individual, mapa de matricula, ficha de matricula, diário de classes), lançamentos dos dados da escola, docentes, turmas e alunos para o censo escolar. 3.2 UML Depois da evolução da analise estruturada, a orientação a objeto trouxe consigo aUnifiedModelingLanguage(UML) que padroniza a visualização de todas as intenções do sistema, essa padronização se tornou requisito fundamental para uma boa prática de engenharia de software, criando desta forma uma linguagem comum entre desenvolvedores, arquiteto de software e administradores. A UML antecede a etapa de desenvolvimento do projeto criando um modelo visual, possibilitando os desenvolvedores conhecerem todo o projeto e suas especificações. Trata-se de um conjunto de elementos gráficos utilizados para representar um sistema de qualquer natureza, seja este computacional ou não, e deriva-se em diversas modalidades de diagramas, cada um com significados e complexidades diferentes (SIMÕES, 2010). Como a UML é íntegraem atender as necessidades da orientação a objeto por meio da modelação de classes, objetos, características, comportamento e relacionando-as de forma logica conforme as necessidades do projeto em desenvolvimento. A UML possui alguns objetivos que justificam sua utilização no projeto como: Organizar os elementos do mundo real que sejam importantes para o sistema de forma clara e objetiva; Elaborar uma série de registros que 2 GradyBooch: É um dos mais atuantes e proeminentes metodologistas da atualidade. Seu livro "Software Engineeringwith Ada" lançou as raízes do projeto orientado a objetos. 3 Ivar Hjalmar Jacobson: mestrado em engenharia eletrônicano ChalmersInstituteof Technology de Gotemburgo em 1962 e um Ph.D noRoyal Instituteof Technology de Estocolmo em 1985 28
  • 29. possibilitam a persistência da estrutura do sistema, chamada de documentação; prever o comportamento do software. Alcançar os objetivos de da UML eficientemente é o elemento determinante para o sucesso do projeto de software, assim podemos prever inúmeros erros no sistema e reduzir custos para corrigi-los. Dentre os diversos diagramas existentes na UML (diagrama de caso de uso, diagrama de classes, diagramas de sequencias, diagrama de atividades, diagrama de componentes e diagrama de camadas) foram adotados neste projeto dois modelos: O Diagrama de Caso de usoe o MER (Modelo Entidade Relacionamento). 3.3 Atores Os atores são quaisquer elementos externos que interagem com o sistema, deste modo,o sistema constará com apenas um perfil de identificação, com acesso total ao sistema, mantido pelos atores: Diretor escolar e Secretário. Justifica-se o um único perfil de interação para os usuários, devidos às atribuições do secretário escolar, onde é concedido ao mesmo, total acesso ao sistema.Do mesmo modo, aconteceu com o diretor, assim não sendo necessária uma diferenciação de interação ao sistema por parte dos usuários, ambos alimentam o sistema com cadastros de Professores, Disciplinas, Turmas, Login, Matricula e as atividadesacadêmicas geradas por cada aluno. 3.4 Casos de uso Os modelos de Casos de Uso são descritos através de Diagramas de Casosde Uso na UML. De uma forma geral, cada projeto de software conterá um Diagramade Casos de Uso. (STADZISZ, 2002). Os diagramas de casos de uso em qualquer projeto de desenvolvimento de software tem um papel central, independente da complexidade do mesmo, possibilita por meio da modelagem visualizar toda arquiteturado projeto e suas interações com os atores envolvidos, deixando claro o papel de cada elemento. Embasado pelo levantamento de requisitos do projeto, foram definida as interações entre o Administrador e o sistema, assim abordaremos cinco diagramas de caso de uso: Login, modulo gestão, modulo matricula, Modulo acadêmico e Geral do sistema. 29
  • 30. Figura 1 - Uc diagrama login A primeira interação do usuário com o sistema acontece com a tela de login, onde se possui dois campos: campo usuário e campo senha que logo após verificar os campos validados e realiza a autenticação no sistema. Figura 2 - Uc modulo gestão Após uma autenticação positiva a interface principal do sistema será apresentada. Será mostrada um menu superior dividindo o sistema em módulos quase que independentes uns dos outros e uma barra de status que apresenta dados do usuário ativo na seção, ano letivo e a escola. No Módulo de Matrícula, o Usuário poderá realizar as seguintes tarefas: Matrícula de Alunos (Novos), Confirmação de Matrículas, 30
  • 31. ConsultarAluno, Remanejamento de Alunos, Manutenção de Matrícula e Relatório de Matrícula,como mostra a Figura 3. Figura 3 - Uc modulo matricula Neste Módulo Acadêmico o Usuário poderá realizar as seguintes tarefas:Gerar Diários, Lançar as Notas e Frequências por Aluno, Gerar a Ficha Individual por Aluno e Turma, Gerar o Boletim Escolar por Aluno e Turma, Gerar a Declaração Escolar por Aluno e por fim o Mapa de Resultado Final por Curso, Turno e Turma. 31
  • 32. Figura 4 - Uc modulo acadêmico 3.5 Prototipação Neste subcapítulo serão apresentadas as principais interfaces do que será desenvolvido para gestão administrativa escolar. 3.5.1 Autenticação do usuário Na figura 5, é apresentada a tela de autenticação do sistema, o usuário deverá digitar seu nome e senha, previamente cadastrado no banco de dados do software, o acesso ao sistema terá sempre início pela tela de autenticação do sistema. Figura 5- Tela de autenticação do usuário 32
  • 33. 3.5.2 Área de Trabalho Na Figura 6 abaixo é exibido à tela de área de trabalho do sistema, nela o usuário terá permissão de usufruir das funcionalidades que o sistema proporciona para o gerenciamento das atividades administrativas de uma escola. Na mesma, além da barra de menu que traz todas as funções para operacionalizar o sistema, ainda conta uma barra de ferramenta intuitiva que permite acesso as principais telas de cadastro do sistema. Como também, uma barra de status informando o usuário autenticado, o ano letivo e a escola que está sendo administrada. Figura 6 - Área de Trabalho 3.5.3 Cadastro de Ano Letivo Na Figura 7, apresenta a tela de cadastro do ano letivo, nela o usuário poderá efetuar o cadastro do ano corrente e a média mínima para base de cálculo da média final dos alunos. É através deste cadastro que o sistema gerencia todas as informações geradas no ano corrente, podendo assim, proporcionar a migração de dados para o ano posterior. Com isso, facilita o desempenho dos trabalhos administrativos da escola nos anos subsequentes. 33
  • 34. Figura 7 - Cadastro de Ano Letivo 3.5.4 Cadastro da Escola Na tela 8, é o formulário de cadastro da escola, a mesma é responsável em coletar os dados referente a escola de acordo com a ficha de cadastro do senso escolar. Figura 8 - Cadastro da Escola 3.5.5 Pesquisar Escola A tela 9, é acessada através da tela do Cadastro da Escola, nela é possível encontrar as escolas cadastradas no banco de dados e transferir para o formulário de Cadastro da Escola, possibilitando o usuário a efetuar alteração e exclusão dos dados da escola. 34
  • 35. Figura 9- Pesquisar Escola 3.5.6 Cadastro de Disciplina Na tela 10, é apresentado o cadastro de disciplina, onde de usuário poderá cadastrar todas as disciplinas utilizadas nas turmas, como também poderá incluir, alterar e excluir disciplinas. Figura 10- Cadastro de Disciplina 3.5.7 Cadastro de Turmas Na tela 11, é apresentado o cadastro de turmas, na mesma é possível efetuar, alterar e excluir turmas. 35
  • 36. Figura 11- Cadastro de Turmas 3.5.8 Cadastro de Alunos Na tela 12, é o formulário de Cadastro de Aluno, no mesmo o usuário poderá efetuar, alterar e excluir alunos, no botão pesquisar abrirá o Formulário Pesquisar Aluno, onde iremos descrever na tela 13. Figura 12- Cadastro de Aluno 3.5.9 Pesquisar Alunos Na tela 13, o usuário poderá efetuar pesquisa dos alunos cadastrados no banco de dados e transferir para o formulário de Cadastro de Alunos onde poderá ser feita a manutenção dos dados cadastrais do aluno pesquisado. 36
  • 37. Figura 13 - Pesquisar Aluno 3.5.10 Cadastro de Docente Na tela 14, é apresentado do Formulário de Cadastro de Docente, no mesmo usuário poderá pesquisar, efetuar, alterar e excluir docente do banco de dados. Figura 14- Cadastro de Docente 3.5.11 Pesquisar Professor A tela 15, é acessado através do botão Pesquisar, no Formulário Cadastro de Docente, nela é possível efetuar pesquisa dos professores cadastrados no banco de dados e transferir para o Formulário Cadastro de Docente, onde o usuário fará manutenção dos dados cadastrais do Docente. 37
  • 38. Figura 15 - Pesquisar Professor Neste capítulo foram apresentadasas principais telas do software que será desenvolvido para suprir com as necessidades administrativas da Escola Elza Maria Correa Dantas. 4. Recursos e tecnologia Após a elaboração bem definida do escopo do projeto,a equipe de desenvolvedores, composta pelos autores desta monografia, fundamentados pelos requisitos levantados através dos questionários e entrevistas com os Stakeholdersenvolvidos no projeto, escolheram o ambiente Windows como recursos que melhor atendem as necessidades do cliente: A programação orientada a objeto (POO) ou ainda em inglês Object-OrientedProgramming (OOP), utilizando C# como linguagem de programação padrão, o Visual Studio 2010 como IDE de desenvolvimento, o SQL Server Manager 2008 R2 como Sistema de gerenciamento de banco de dados (SGBD) e o ReportViewerversão 10.0.0 para elaboração e visualização dos relatórios do sistema. 38
  • 39. 4.1 C Sharp (C#) C Sharp (C#) é uma linguagem de programação orientada a objeto fortemente tipada, criada no ano 2000por Anders Hejlsberg4 quando trabalhava na área de desenvolvimento da Microsoft.Essa linguagem faz parte de um conjunto de ferramentas da plataforma .NET que apesar de ser simples, robusta e altamente escalável, o que permite que uma aplicação possa ser executada em diversos tipos de hardware, independentemente de serem PCs ou qualquer outro dispositivo móvel existente. No mercado atual,existem diversas outras linguagens de desenvolvimento como: Pascal, Delphi, Python e o Java que foi desenvolvida em 1995, pela Sun Microsystem. O C# tem raízes em C, C++ e JAVA, adaptando os melhores recursos que cada linguagem poderia oferecer e acrescentado novas capacidades própria e assim foi criado para disputar mercado antes dominado pela plataforma JAVA. Segundo (Edwin Lima, 2002) C# se tornou uma linguagem de programação rica por suas características: Simplicidade: os projetistas de C# costumam dizer que essa linguagem é tão poderosa quanto o C++ e tão simples quanto o Visual Basic. Completamente orientada a objetos: em C#, qualquer variável tem de fazer parte de uma classe. Fortemente tipada: isso ajudará a evitar erros por manipulação imprópria de tipos, atribuições incorretas etc. Gera código gerenciado: assim como o ambiente .NET é gerenciado, assim também o é C#. Tudo é umobjeto: System.Objecté a classe base de todo o sistema de tipos de C#. Controle de versões: cada assembly gerado, seja como EXE ou DLL, tem informação sobre a versão do código, permitindo a coexistência de dois assemblies homônimos, mas de versões diferentes no mesmo ambiente. Suporte a código legado: o C# pode interagir com código legado de objetos COM e DLLs escritas em uma linguagem não-gerenciada. 4 Anders Hejlsberg: É um engenheiro de software dinamarquês que ganhou prestígio pelo desenvolvimento do Delphi e Turbo Pascal na Borland e a plataforma .NET após ter migrado para a Microsoft. 39
  • 40. Flexibilidade: se o desenvolvedor precisar usar ponteiros, o C# permite, mas ao custo de desenvolver código não-gerenciado, chamado “unsafe”. Linguagem gerenciada: os programas desenvolvidos em C# executam num ambiente gerenciado, o que significa que todo o gerenciamento de memória é feito pelo runtime via o GC (GarbageCollector), e não diretamente pelo programador, reduzindo as chances de cometer erros comuns a linguagens de programação onde o gerenciamento da memória é feito diretamente pelo programador. A escolha de C# como linguagem de programação padrão para este projeto está relacionadoà utilização da plataforma .NET e uma possível evolução do projetopara um ambiente web, visto que ASP.NET é a plataforma de desenvolvimento web da Microsoft ébaseada no frameworks .NET,assim podendo ser escrito em várias outras linguagem de programação como C# e Visual Basic.NET, justificando que esta necessidade é muito comum no mercado atual, mas se tornou inviável para este projeto pois nem todas escolas que possivelmente receberam a versão final do sistema, possuem acesso a internet e mesmo as que possuem funcionam de forma instável e com apagões com mais de 24 horasque inviabiliza o uso de sistema web. 4.2 Visual Studio 2010 O Microsoft Visual (IntegratedDevelopmentEnvironment)de Studio é desenvolvimento a IDE padrão da Microsoftcom lançamento de sua primeira versão em 1997, denominada de Visual Studio 97, depois da versão inicial foram lançadas inúmeras versões ao longo dos anos( Visual Studio 6.0, Visual Studio .NET, Visual Studio 2008, Visual Studio 2010 e Visual Studio 2012), trazendo consigo uma gama de facilidades e novos recursos que tornam o desenvolvimento de sistemas web e desktop prazerosos e eficientes para desenvolvedores com uma certa experiência e possibilita também uma redução drástica no tempo e custo de desenvolvimento de qualquer projeto. Para desenvolvedores iniciantes o Visual Studio é extremante estimulante para seus estudos de programação em C, C++,C#, VB.NET, ASP.NET, motivados por sua interface intuitiva e extremamente funcional, tudo ficando aos olhos do desenvolvedor como mostra a figura abaixo. 40
  • 41. Propriedade Aqui fica agrupada todas propriedades do componente inseridos no projeto Menu Principal Agrupa todos recursos disponíveis no Visual Studio ToolBox Agrupa todos objetos que podem compor os form.cs do projeto( textbox, gridviewer e etc..) Solution Explore É exibido todos os componentes inseridos no projeto(form.cs, App.Config e etc...) ClassView Todas as classes dos sistemas são exibidas aqui. Podendo ser excluídas o inseridas caso necessário Figura 16- Interface do Visual Studio 2010 Existem outros IDE desenvolvimento para a linguagem C# como o MonoDeveloper que é totalmente gratuito e de código fonte aberto.O Microsoft Visual Studio 2010 incorpora uma gama de tecnologias e linguagens de programação para a criação de aplicativos para os mais diversos projeto em único IDE de desenvolvimento como mostra a tabela abaixo. Tipos de aplicativos e de idioma Breve descrição Visual Basic Visual BasicFornece uma maneira rápida e fácil de criar .NET Framework-com base em Windows, web e aplicativos de dispositivo móvel. Como com todos os programas destinados a .NET Framework, programas escritos em Visual Basic se beneficiar da segurança e interoperabilidade de linguagem. Visual C# Visual C# (pronuncia-se C sharp) foi projetado para criar uma variedade de aplicativos que que rodam sobre o. NET Framework. Visual C#é simples, poderoso, segurança de tipos e orientados a objeto. Com suas muitas inovações, Visual C# permite o desenvolvimento rápido de aplicativos e também mantém a expressividade e elegância das linguagens do estilo C. Visual C++ Visual C++é uma linguagem poderosa que é projetada para oferecer profundo e detalhada de controle quando você constrói um dos aplicativos nativos do Windows (COM+) ou 41
  • 42. .NET Framework gerenciado aplicativos do Windows. Visual F# F# é uma linguagem de programação que ofereça suporte a programação funcional com a tradicional programação (procedimento) e orientada a objeto e imperativa. O Visual F# produto suporta o desenvolvimento de aplicativos de F# e estendendo a outros .NET Framework aplicativos usando o F# do código. F# é um membro de primeira classe da .NET Framework idiomas e mantém uma forte semelhança com a família ML de linguagens funcionais. JScript JScripté a próxima geração de uma implementação Microsoft da linguagem ECMA 262. Muitos diferentes tipos de aplicativos estão disponíveis. Aplicativos Windows Um tipo de aplicativo é projetado para hospedagem no Windows. Pode ser escrito em qualquer linguagem de programação. Alguns exemplos são bibliotecas de classe, serviços do Windows, aplicativos de console e aplicativos WPF. Aplicativos da Web Um tipo de aplicativo foi projetado para ser hospedado em uma página da web. Pode ser escrito em qualquer linguagem de programação. Alguns exemplos são ASP.NET web applications, bibliotecas de controle da Web, e ASP.NET controles de servidor do AJAX. Aplicativos do Office Um tipo de aplicativo foi projetado para estender um aplicativo do Office. Pode ser gravado Visual Basic ou Visual C#. Você pode criar personalizações em nível de documento que estendem uma determinada pasta de trabalho do Excel ou um documento do Word, ou você pode criar suplementos de nível de aplicativo. Aplicativos do SharePoint Um tipo de aplicativo é projetado para hospedagem no SharePoint. Pode ser gravado Visual Basic ou Visual C#. Aplicativos de extensibilidade Um tipo de aplicativo foi projetado para automatizar ou adicionar funcionalidade ao IDE, por exemplo, add-ins ou assistentes. Pode ser escrito em qualquer linguagem de programação. Tabela 1 - Recursos Visual Studio 2010. Fonte: http://msdn.microsoft.com/ptbr/library/vstudio/bb514232(v=vs.100).aspx O MonoDeveloper seria uma boa opção para o projeto, pois permite trabalhar em múltiplas plataformas como Linux, Mac e Windows, mais para atender à necessidade da escola que utiliza somente a plataforma Windows na 42
  • 43. área administrativa, não fez necessário o uso deste IDE que será utilizado em uma nova versão do sistema para outras plataformas, pois existe a portabilidade do código fonte entre o MonoDeveloper e Visual Studio 2010. Optou-se por utilizar o Visual Studio 2010 para obter o desempenho máximo da aplicação desenvolvida em sua plataforma nativa sem falar na qualidade visual do produto final. Não se teve nenhum problema com o licenciamento do IDE utilizado. O Visual Studio 2010 possui diversas versões e cada versão engloba uma gama maior de recursos e tecnologias envolvidas. Utilizamos a versão Express do produto que é totalmente gratuita e apesar de se tratar de uma versão de entrada o IDE atendeu perfeitamente as necessidades do projeto. Conseguimos assim, criar uma interface simples e a atraente, obter um desempenho satisfatório para gerenciar 1500 alunos e a eliminação de erros no gerenciamento da informação. Figura 17- Comparativo das versões Visual Studio A figura 6 demonstra as principais características das versões do Visual Studio 2010 e a figura logo abaixo demonstra as linguagens, tecnologias na versão utilizada pela equipe de desenvolvimento. 43
  • 44. Figura 18– Recursos e tecnologias Visuais Studio 2010 Express 4.3 SQL Server 2008 R2 O Microsoft SQL Server 2008 R2 Express é um Sistema de Gerenciamento de Bando de Dados Relacional (SGBD) criado pela Microsoft em 2010. Segundo (MANZANO, 2011, p. 20) “O SQL Server 2008 R2 é um software com o objetivo de ser uma ferramenta de aprendizagem, por está razão pode ser adquirido sem o pagamento de taxas e licenças de uso do produto”. Segundo a documentação do produto, o SGBD pode ser utilizado por fornecedores de softwares independentes, desenvolvedores não profissionais, desenvolvedores Web, host de sites da Web, usuários de servidores e usuários que estão criando aplicativos cliente. Desde que se satisfação com as restrições que essa versão possui como utilização de uma única CPU, 1 GB de memoria RAM e o máximo de 10 GB de armazenamento em disco. Está plataforma de banco de dados, baseia-se no SQL Server 2008 Standard, oferecendo suporte à maioria dos recursos do mecanismo de banco de dados das versões comerciais. Deste modo, apresentam-se a seguir alguns dos recursos que determinou a escolha do SQL Server 2008 R2 Express como o SBGD padrão para o desenvolvimento do projeto: Suporte a procedimentos de armazenados, gatinhos, funções e exibições; 44
  • 45. Armazenagem de todos os tipos de dados com suporte nativo a dados relacionais, XML, FILESTREAM e espaciais; Melhor desempenho, usabilidade, visualização e integração ao Microsoft Office 2007,2010 no SQL Reporting Services; Simplificação do desenvolvimento, potencializando as habilidades existentes em T-SQL, ADO.NET Entity Framework e LINQ; Integração ao Visual Studio e ao Visual Web Developer; O sistema de gerenciamento SQL Server 2008 R2, disponibiliza juntamente com o servidor de dados a ferramenta de acesso e administração de dados Microsoft SQL Server Management Studio em modo gráfico. Vide figura 19. Figura 19 – Tela Principal SQL Server Management Studio Existe uma gama de sistemas de gerenciamento de banco de dados no mercado. Todos cumprindo o que prometem mais possuem características particulares, que dependendo do projeto de software, um determinado SGBD pode melhor se adaptar para cumprir certas rotinas do que outro. Como a escolha do SQL Server 2008 R2 Express para este projeto, pois poderia se utilizar o MySQL ou Firebird, mais como os relatórios serão criados e gerenciados pelo ReportViewer que se integra nativamente como SQL Server 45
  • 46. 2008 R2 Express. Haveria um desperdício muito grande tempo para realizar a integração entre o MySQL por exemplo ao gerenciador de relatórios da aplicação. O SQL Browser é outro serviço que merece destaque que facilita a comunicação na arquitetura cliente/servidor. Ficando a cargo deste serviço todo o trabalho com portas e o protocolo TCP/IP. O único trabalho do desenvolvedor para realizar a comunicação como o SGBG é passar por string de texto o IP, porta, nome de usuário, senha e instrução SQL desejada para o servidor mesmo que de forma remota. Os 10 SGBD mais usados no mundo Posição 1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. Pos. ant. 1. 3. 2. 4. 5. 6. 7. 9. 8. 11. DBMS Oráculo SQL Server MySQL PostgreSQL DB2 MongoDB Access SQLite Sybase Cassandra Modelo Relacional Relacional Relacional Relacional Relacional R.documentos Relacional Relacional Relacional Loja coluna de largura Contagem 1.529,61 1.313,78 1.305,76 182,23 172,25 152,19 146,71 82,78 75,35 51.69 Mudanças -14,83 8,82 -19,07 0,01 9,31 -3,80 -4,18 3,33 -6,24 4,98 Tabela 2 – Fonte DB-Engines Ranking setembro de 2013 A tabela acima mostra o SQL Server como um dos principais SGBD, ficando atrás somente do Oracle e também nota-se a existência de vários outros sistemas de gerenciamento de banco de dados no mercado atual. 4.4 ReportViewer Segundo (SOARES, 2011) “O ReportViewer é uma ferramenta da própria Microsoft, integrada ao Visual Studio .Net que permite a geração de relatórios. O Microsoft Visual Studio 2010 inclui a funcionalidade de design de relatórios e controles ReportViewer para que você possa adicionar relatórios completos para aplicações personalizadas”. 46
  • 47. 5. Conclusão O presente trabalho deu-se da necessidade de elaborar uma proposta de desenvolvimento de softwareque viesse suprir com as necessidades administrativas da Escola Municipal de Ensino Fundamental Professora Elza Maria Correa Dantas, com o mesmo, a Escola poderá desempenhar suas atividades com mais segurança, rapidez e confiabilidade nos dados coletados pela secretaria escolar (capítulo1). Com a realização de deste trabalho foi possível compreender os conceitos de sistemas de informação, como elas estão sendo gerenciada pelas empresas e principalmente nas escolas. Pois apresentamos exemplos de software que tem essa finalidade, os mesmos disponibilizam de ferramentas sofisticadas para garantir a segurança das informações coletadas, sendo elas gerenciadas tanto nas versões off-line, quanto online (capítulo 2). Com discorrer deste trabalho foram apresentados alguns métodos e ferramentas que será utilizado para o desenvolvimento do software de gerenciamento escolar, bem como a UML e seus diagramas,ferramenta utilizada para análise e modelagem dos dados. Ressaltando que o levantamento de requisito é de suma importância e grande relevância na hora de modelar o projeto de pesquisa. No mesmo, apresentamos as principais telas que comporão o software na sua fase final, sendo elas elaboradas através do Programa Visual Studio 2010 (capitulo 3). No capitulo 4, abordamos os recursos tecnológicos utilizados para elaboração do projeto, com o escopo do sistema definido, optou-se pela plataforma desktop para o gerenciamento do aplicativo. Com a utilização da linguagem orientada a objeto e a ferramenta C#, juntamente com o banco de dados relacional MySQL Server 2008, será desenvolvido a aplicação com designer agradável e telas intuitiva para facilitar o desempenho do usuário. O estudo de caso realizado neste trabalho foi o elo fundamental para conhecermos a realidade da Escola Professora Elza Maria Correa Dantas, as dificuldades encontradas na realização dos trabalhos administrativos da secretaria escolar, as formas como as informações eram tratadas pelos administradores da instituição e nem sempre tinha êxito nas domadas de decisões por contar de informações incompletas. 47
  • 48. Com a proposta do software de gerenciamento das rotinas administrativas da gestão escolar. A escola terá uma ferramenta ágil e confiável na coleta dos dados administrativos, com isso, proporcionará a gestão escolar um avanço nos serviços prestados pela secretaria. Com alimentação correta dos dados no aplicativo os trabalhos dos anos consecutivos reduziram significativamente, pois, no que se diz respeito a matriculas de alunos, o usuário do sistema terá ao seu dispor uma ferramenta que fará a matricula em alguns cliques, evitando preenchimento de papeis e desgaste de tempo. Com realização deste projeto, percebemos que a gestão escolar lida com uma gama de dados administrativos, que os mesmos são a vida acadêmica dos alunos. Por tanto, a margem de erros para o preenchimento de tais formulários gerenciados pela secretaria escolar terá que ser o mínimo possível. Com isso, conclui-se que o uso da tecnologia para gerenciamento administrativo escolar tem seu papal garantido nas instituições, além de facilitar a operacionalização dos trabalhos, o gestor terá em suas “mãos” o poder de decidir de forma coesa e precisa, com dados confiáveis através de relatórios dinâmicos. Bibliografia ACADESC. (1994). ACADESC. Acesso em 11 de Junho de 2013, disponível em ACADESC: http://www.acadesc.com.br/?gclid=CMewsbju27cCFSVk7AodCjgARg Aguiar, P. H. (2004). Sistema de Informação para Gestão Educacional: sistematização de uma proposta de modelo e avaliação do processo de sua construção. Sistema de Informação para Gestão Educacional. Fortaleza, Ceará, Brasil: Universidade Estadual do Ceará. BARROSO, R. (02 de Julho de 2011). administradores. Acesso em 02 de Junho de 2013, disponível em adminstradores: http://www.administradores.com.br/artigos/tecnologia/a-importancia-dos-sistemasde-informacao-para-a-gestao-das-empresas/56331/ BREADTHEDOTNET. (2012). Visual Studio 2010 and .NET Framework 4.0 Launched. Acesso em 18 de 08 de 2013, disponível em A Journey in the world of DOTNET: http://breathedotnet.wordpress.com/2010/04/12/visual-studio-2010-and-netframework-4-0-launched/ 48
  • 49. Desconhecido, A. (2013). Comparar produto Visual Studio. Acesso em 19 de 08 de 2013, disponível em Microsoft Corporation: http://www.microsoft.com/visualstudio/ptb/products/compare Edwin Lima, E. R. (2002). C# e .Net para desenvolvedores. Rio de Janeiro: Campus. Fernandes, A. R. (2006). O impacto do computador na gestão administrativa. Acesso em 18 de junho de 2013, disponível em portaldoconhecimento: http://portaldoconhecimento.gov.cv/bitstream/10961/1713/1/para%20PDF.pdf Infinitech. (2013). ischolar. Acesso em 2013 de Junho de 06, disponível em ischolar: http://www.ischolar.com.br/sistema MIRANDA, O. A. (s.d.). profsergio. Acesso em 02 de Junho de 2013, disponível em profsergio: http://www.profsergio.net/artigos/artigoozineidealves.pdf MSDN, C. (18 de 8 de 2013). Idiomas e tecnologias de Visual Studio. Acesso em 18 de 08 de 2013, disponível em MSDN: http://msdn.microsoft.com/ptbr/library/vstudio/bb514232(v=vs.100).aspx RESENDE, T. M. (2006). MONOGRAFIA. DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA PARA VÍDEO LOCADORA. Uberlândia, MG, Brasil: FACULDADE DE CIÊNCIAS APLICADAS DE MINAS. REZENDE, D. A. (2005). Engenharia de Software e sistemas de informação. Rio de Janeiro: Brasport. REZENDE, D. A. (2005). Engenharia de Software e sistemas de informação. In: D. A. Rezende, Engenharia de Software e sistemas de informação (p. 8). Rio de Janeiro: Brasport. Roque, A., & Costa, J. A. (15 de Março de 2005). periodicos. Acesso em 02 de Junho de 2013, disponível em periodicos: http://www.periodicos.udesc.br/index.php/linhas/article/viewFile/1332/1141 SEDUC-MT. (s.d.). Organizaçao e operacionalização do trabalho da secretaria escolar. Secretaria Escolar. MT, Brasil. SIMÕES, N. A. (2010). Modelagem UML Através do Microsoft Visual Studio 2010. Olhar Científico, 195-203. SisAlu. (s.d.). SisAlu. Acesso em 06 de Junho de 2013, disponível em SisAlu: http://www.sisalu.com.br/?mod=Produtos&gclid=CNCjou2F0LcCFWdo7AodRVkAig Softwares, H. (2010). gestorescolar. Acesso em 06 de Junho de 2013, disponível em gestorescolar: http://gestorescolar.com/produtos/index.php TARAPANOFF, K. (2006). Inteligência, informação e conhecimento. Brasilía: IBICT, UNESCO. Zargidsky, D. d. (2006). A Participação do Conselho Escola-comunidade na gestão escolar colegiada. Dissertação. Rio de Janeiro, RJ, Brasil. 49
  • 50. 50