Indicadores de Qualidade no Ensino Superior

7.437 visualizações

Publicada em

Este trabalho retrata os indicadores de qualidade na graduação,
levando em consideração as ferramentas de apoio que dão subsídio ao INEP.

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

Indicadores de Qualidade no Ensino Superior

  1. 1. <ul><li>INDICADORES DE QUALIDADE NO ENSINO </li></ul><ul><li>SUPERIOR </li></ul><ul><li>Docência do Ensino Superior Faculdades Montenegro </li></ul>
  2. 2. ESTRUTURA <ul><li>INEP </li></ul><ul><li> IGC </li></ul><ul><li>CPC </li></ul><ul><li> * Enade </li></ul><ul><li> * Conceito IDD </li></ul><ul><li> * Variáveis de Insumo </li></ul><ul><li> ● Avaliação do corpo docente </li></ul><ul><li> ● Infraestrutura </li></ul><ul><li> ● Organização Didático Pedagógica </li></ul>
  3. 3. APRESENTAÇÃO DO TEMA <ul><li>O Inep ( Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira ) conduz todo o sistema de avaliação de cursos superiores no País, produzindo indicadores e um sistema de informações que subsidia tanto o processo de regulamentação, exercido pelo MEC, como garante transparência dos dados sobre qualidade da educação superior a toda sociedade. </li></ul>
  4. 4. <ul><li>Avaliação do Indice Geral de Cursos (IGC). </li></ul><ul><li>Avaliações in loco realizadas pelas comissões de especialistas. </li></ul>Os instrumentos que subsidiam a produção de indicadores de qualidade e os processos de avaliação de cursos desenvolvidos pelo Inep
  5. 5. ÍNDICE GERAL DE CURSOS(IGC) <ul><li>É uma média ponderada dos conceitos dos cursos de graduação e pós-graduação da instituição. Para ponderar os conceitos, utiliza-se a distribuição dos alunos da IES entre os diferentes níveis de ensino (graduação, mestrado e doutorado). </li></ul>
  6. 6. <ul><li>O IGC será utilizado, entre outros elementos e instrumentos, como referencial orientador das comissões de avaliação institucional. </li></ul>
  7. 7. <ul><li>O IGC de cada instituição de Ensino Superior foi apresentado pela primeira vez no ano de 2008 e será divulgado anualmente pelo Inep/MEC. O IGC 2007, divulgado em 2008, abrangeu todos os cursos das instituições avaliados pelo Enade dentro do triênio 2005-2006-2007. O IGC 2008 atualiza as informações de cada instituição para o triênio 2006-2007-2008. 2008_ igc . xls </li></ul>
  8. 8. <ul><li>O RESULTADO FINAL </li></ul><ul><li> Expresso em valores contínuos, que vão de 0 a 500, e em faixas, de 1 a 5. São Paulo é o Estado que abrange o maior número de instituições que obtiveram a pontuação máxima na avaliação. </li></ul>
  9. 9. <ul><li> Em seguida, aparecem Minas Gerais, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul. Os demais Estados brasileiros não tiveram representantes que atingissem nota 5. </li></ul>
  10. 10. CÁLCULO DO CONCEITO PRELIMINAR DE CURSO (CPC) <ul><li>O Conceito Preliminar de Curso (CPC) avalia: </li></ul><ul><li>Desempenho dos estudantes no Enade </li></ul><ul><ul><li>Ingressantes e Concluintes </li></ul></ul><ul><li>Conceito IDD </li></ul><ul><li>Corpo docente </li></ul><ul><ul><li>Professores: Doutores, Mestres e Professores com Regime de Dedicação Integral ou parcial </li></ul></ul><ul><li>Infraestrutura </li></ul><ul><li>organização didático-pedagógico. </li></ul>
  11. 11. FORMULA DE CÁLCULO <ul><li>CPC = ( 0,20 xNPD)+( 0,05 xNBM)+( 0,05 xNPR)+( 0,05 xNF)+( 0,05 xNO)+( 0,03 xNIDD)+( 0,15 xNI)+( 0,15 xNC) </li></ul>Fonte: Inep/MEC(Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira do Ministério da Educação)
  12. 12. <ul><li>Fonte: Inep/MEC(Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira do Ministério da Educação) </li></ul>
  13. 13. IDD <ul><li>O Indicador de Diferença entre os Desempenhos Observado e Esperado (IDD) tem o propósito de trazer às instituições Informações comparativas dos desempenhos de seus estudantes concluintes em relação aos resultados médios obtidos pelos concluintes das demais instituições que possuem estudantes ingressantes de perfil semelhante ao seu. </li></ul>
  14. 14. <ul><li>Para tanto, o IDD, como o próprio nome já diz, é resultante da diferença entre o </li></ul><ul><li>desempenho médio obtido no Enade pelos alunos concluintes de um curso e o </li></ul><ul><li>desempenho médio que era esperado para esses mesmos alunos, dadas as informações existentes sobre o perfil dos ingressantes desse curso. </li></ul>
  15. 15. AVALIAÇÃO DO CORPO DOCENTE <ul><li>PROFESSORES DOUTORES </li></ul><ul><li>A medida original para a criação da Nota de Professores Doutores ( NPD ) de um curso i corresponde à proporção de professores vinculados ao curso i cuja titulação é maior ou igual ao doutorado ( PD). </li></ul>
  16. 16. <ul><li>Para calcular essa proporção PD, divide-se o número de professores vinculados ao curso i cuja titulação seja maior ou igual ao doutorado, pelo número total de professores vinculados a esse curso. </li></ul><ul><li>O curso que não tiver nenhum professor cadastrado, terá a Nota de Professores </li></ul><ul><li>Doutores ( NPD ) computada como 0 (zero) para o cálculo do CPC. </li></ul>
  17. 17. AVALIAÇÃO DO CORPO DOCENTE <ul><li>PROFESSORES MESTRES </li></ul><ul><li>A medida original para a criação da Nota de Professores Mestres ( NPM ) de um curso i corresponde à proporção de professores vinculados ao curso i cuja titulação é maior ou igual ao mestrado ( PM ). </li></ul>
  18. 18. <ul><li>Para calcular essa proporção PM , divide-se o número de professores vinculados ao curso i cuja titulação seja maior ou igual ao mestrado, pelo número total de professores vinculados a esse curso. </li></ul><ul><li>O curso que não tiver nenhum professor cadastrado, terá a Nota de Professores </li></ul><ul><li>Mestre ( NPD ) computada como 0 (zero) para o cálculo do CPC. </li></ul>
  19. 19. AVALIAÇÃO DO CORPO DOCENTE <ul><li>PROFESSORES COM REGIME DE DEDICAÇÃO INTEGRAL OU PARCIAL </li></ul><ul><li>A medida original para a criação da Nota de Professores com Regime de Dedicação Integral ou Parcial ( NPR ) de um curso i corresponde à proporção de professores vinculados ao curso i cujo regime de dedicação seja integral ou parcial ( PR ). </li></ul>
  20. 20. <ul><li>Para calcular essa proporção R , divide-se o número de professores vinculados ao curso i cujo regime de dedicação seja integral ou parcial, pelo número total de professores vinculados a esse curso. </li></ul><ul><li>O curso que não tiver nenhum rofessor cadastrado, também terá a nota de Professores com Regime de Dedicação Integral ou Parcial ( NPR ) computada como 0 (zero) para o cálculo do CPC. </li></ul>
  21. 21. INFRAESTRUTURA <ul><li>A medida original para a criação da Nota de Infra-Estrutura ( NF ) de um curso i c orresponde à proporção de alunos do curso i que avaliaram positivamente um aspecto da infra-estrutura do curso no questionário do Enade ( F ). </li></ul>
  22. 22. <ul><li>A pergunta do questionário do Enade sobre infra-estrutura utilizada é a seguinte: </li></ul><ul><li>“ Aulas práticas: os equipamentos disponíveis são suficientes para todos os alunos?”. </li></ul>
  23. 23. <ul><li>As alternativas de resposta são: ( A) = Sim, em todas elas. / (B) = Sim, na maior parte delas. / (C) = Sim, mas apenas na metade delas. / (D) = Sim, mas em menos da metade delas. / (E) = Não, em nenhuma. A partir desta pergunta, considerou-se como tendo avaliado positivamente a infra-estrutura os alunos que responderam (A) ou (B). </li></ul>
  24. 24. <ul><li>Para calcular a proporção de alunos F , divide-se o número de alunos do curso i </li></ul><ul><li>que avaliaram positivamente o aspecto de infra-estrutura extraído do questionário do Enade, pelo número total de alunos do curso que responderam ao questionário . </li></ul>
  25. 25. ORGANIZAÇÃO DIÁTICO PEDAGÓGICA <ul><li>A medida original para a criação da Nota de Organização Didático-Pedagógica ( NO ) de um curso i corresponde à proporção de alunos do curso i que avaliaram positivamente um aspecto da organização didático-pedagógica do curso no questionário do Enade ( O). </li></ul>
  26. 26. <ul><li>A pergunta do questionário do Enade sobre infra-estrutura utilizada é a seguinte: </li></ul><ul><li>“ Os planos de ensino contêm todos os seguintes aspectos: objetivos; procedimentos de ensino e avaliação; conteúdos e bibliografia da disciplina?”. As alternativas de resposta são: (A) = Sim, todos contêm. </li></ul>
  27. 27. <ul><li>/ (B) = Sim, a maior parte contém. / (C) = Sim, mas apenas cerca da metade contém. / (D) = Sim, mas apenas menos da metade contém. / (E) = Não, nenhum contém. A partir desta pergunta, considerou-se como tendo avaliado positivamente a organização didático-pedagógica os alunos que responderam (A). </li></ul>
  28. 28. <ul><li>Para calcular a proporção de alunos O, divide-se o número de alunos do curso i que valiaram positivamente o aspecto da organização didático-pedagógica extraído do questionário do Enade, pelo número total de alunos do curso que responderam ao questionário. </li></ul>
  29. 29. REFERÊNCIAS <ul><li>Inep/MEC(Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira do Ministério da Educação). Cálculo do Conceito Preliminar de Curso (CPC),Brasilia,2008. </li></ul><ul><li>INEP. IGC 2008. Disponível em: http://www.inep.gov.br/download/igc/2008_igc . xls . Acessado em 26 fev. 2010. </li></ul><ul><li>INEP.CPC 2008 http://www.inep.gov.br/download/enade/2009/Nota_Tecnica-CPC2008.pdf . Acessado em 01 mar. 2010. </li></ul>
  30. 30. CRÉDITOS <ul><li>ANDRÉ MARTINHO TÔRRES </li></ul><ul><li>HERCULES LOPES DOS SANTOS </li></ul><ul><li>LEILA BARROS SANTOS </li></ul><ul><li>MARCELO TELES BENTO </li></ul><ul><li>VÂNIA DE FREITAS RIBEIRO LIMA </li></ul>

×