Aplicação Web de Gerenciamento de Dados Escolar e Cálculo dos Beneficiários do Bolsa Família

2.145 visualizações

Publicada em

O trabalho tem por objetivo apresentar uma aplicação web de gerenciamento de dados escolar e do cálculo dos beneficiários do Bolsa Família. Esta aplicação será implementada em unidades escolares de todo o sistema educacional da cidade de Codó Maranhão, possibilitando assim a racionalização e ganho de tempo dos setores administrativo das escolas para a Secretaria Municipal de Educação em Codó-MA (SEMED). A aplicação foi elaborada com base em referências das dificuldades que as escolas têm em repassar as informações e dados dos alunos beneficiários para a Secretaria Municipal de Educação, em período determinado pelo Ministério da Educação (MEC), as ferramentas computacionais utilizadas para o desenvolvimento da aplicação, são simples e de domínio público vista no dia a dia.

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.145
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
80
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aplicação Web de Gerenciamento de Dados Escolar e Cálculo dos Beneficiários do Bolsa Família

  1. 1. FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA DO MARANHÃO- FACEMA ATONILSON MORENO DE SOUSA JÚNIOR Aplicação Web de Gerenciamento de Dados Escolar e Cálculo dos Beneficiários do Bolsa Família CAXIAS 2014
  2. 2. ATONILSON MORENO DE SOUSA JÚNIOR Aplicação Web de Gerenciamento de Dados Escolar e Cálculo dos Beneficiários do Bolsa Família Trabalho de conclusão de curso apresentado à banca examinadora da Faculdade de Ciências e Tecnologia do Maranhão – FACEMA, como exigência parcial para obtenção do titulo de Tecnólogo em Analise e Desenvolvimento de Sistemas. Professor Orientador: Me. Dann Luciano. CAXIAS 2014
  3. 3. ATONILSON MORENO DE SOUSA JÚNIOR Aplicação Web de Gerenciamento de Dados Escolar e Cálculo dos Beneficiários do Bolsa Família Trabalho de conclusão de curso apresentado à banca examinadora da Faculdade de Ciências e Tecnologia do Maranhão – FACEMA, como exigência parcial para obtenção do titulo de Tecnólogo em Analise e Desenvolvimento de Sistemas. DATA DE APROVAÇÃO: _____/____________/_____ BANCA EXAMINADORA _______________________________________________________ Prof. Orientador Me.: Dann Luciano PRESIDENTE DA BANCA _______________________________________________________ Prof. Esp.: Aristóteles Meneses Lima _______________________________________________________ Prof. Esp.: Carlos Alberto Sousa Silveira
  4. 4. Este trabalho é dedicado a minha avó Creuza Jacinto de Oliveira, por tudo que fez e representa para minha vida.
  5. 5. Expresso toda a minha gratidão ao Senhor Deus e a minha família e amigos, a todos aqueles que acreditaram que eu poderia conseguir.
  6. 6. “Se não puder voar, corra. Se não puder correr, ande. Se não puder andar, rasteje, mas continue em frente de qualquer jeito.” Martin Luther King
  7. 7. RESUMO O presente trabalho tem por objetivo apresentar uma aplicação web de gerenciamento de dados escolar e do cálculo dos beneficiários do Bolsa Família. Esta aplicação será implementada em unidades escolares de todo o sistema educacional da cidade de Codó Maranhão, possibilitando assim a racionalização e ganho de tempo dos setores administrativo das escolas para a Secretaria Municipal de Educação em Codó-MA (SEMED). A aplicação foi elaborada com base em referências das dificuldades que as escolas tem em repassar as informações e dados dos alunos beneficiários para a Secretaria Municipal de Educação, em período determinado pelo Ministério da Educação (MEC), as ferramentas computacionais utilizadas para o desenvolvimento da aplicação, são simples e de domínio público vista no dia a dia. Palavras-chaves: Bolsa Família, Aplicação Web, Dados escolar.
  8. 8. ABSTRACT This work aims to present a web application for managing school data and the calculation of the Bolsa Família beneficiaries. This application will be implemented in school units of the entire educational system of the city of Maranhão - Codó, allowing the rationalization and time savings of administrative sectors from schools to the Municipal Education Codó-MA (SEMED). The application was developed based on references of the difficulties that schools have to pass on the information and data of the beneficiary students to the City Department of Education, in specific time by the Ministry of Education (MEC) period, the computational tools used for application development are simple and public domain used on the day. Keywords: Bolsa Família, Web Application, school data.
  9. 9. LISTA DE TABELAS Tabela 1 – Demonstrativo de Recursos dos Sistemas Escolares. Tabela 2 – Demonstrativo de Recursos dos Sistemas Escolares.
  10. 10. LISTA DE FIGURAS FIGURA 1 – IMAGEM ADAPTADA TAJIRA; SANMYA FEITOSA. FIGURA 2 – UC DIAGRAMA LOGIN. FIGURA 3 – UC MÓDULO DE CADASTRO. FIGURA 4 – SD MÓDULO DE AUTENTICAÇÃO. FIGURA 5 – SD MÓDULO DE CADASTRO DE ALUNO. FIGURA 6 – ACT MÓDULO PESQUISA POR ALUNO. FIGURA 7 – STM MÓDULO DE CADASTRO DE USUÁRIO. FIGURA 8 – AUTENTICAÇÃO DE USUÁRIO. FIGURA 9 – CADASTRO DE USUÁRIO. FIGURA 10 – CADASTRO DE ESCOLA. FIGURA 11 – PESQUISAR ESCOLA. FIGURA 12 – CADASTRAR TURMA. FIGURA 13 – CADASTRAR ALUNO. FIGURA 14 – MAPEAMENTO DE FREQUÊNCIA ESCOLAR – PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA. FIGURA 15 – ACOMPANHAMENTO DA FREQUÊNCIA ESCOLAR – PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA. FIGURA 16 – CADASTRO DE ESCOLA – SISTEMA EducaCenson. FIGURA 17 – CADASTRO DE ESCOLA NOVA – SISTEMA EducaCenso. FIGURA 18 – CADASTRO DE ALUNO – SISTEMA EducaCenso. FIGURA 19 – CADASTRO DE TURMA – SISTEMA EducaCenso. FIGURA 20 – CADASTRO DE PROFISSIONAL ESCOLAR EM SALA DE AULA – SISTEMA EducaCenso.
  11. 11. LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS PBF - PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA MDS - MINISTÉRIO DESENVOLVIMENTO SOCIAL IPEA - INSTITUO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA BVJ - BENEFICIÁRIO VARIÁVEL JOVEM BF - BAIXA FREQUÊNCIA CU - CADASTRO ÚNICO FP - FREQUÊNCIA POSITIVA NIS - NÚMERO DE INDENTIFICAÇÃO SOCIAL T.I - TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TIC - TECNOLOGIA DA INFORMACAO E COMUNICACAO STI - SISTEMA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO EAD - EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA FTP - FILE TRANSFER PROTOCOL WWW - WORLD WIDE WEB UML - UNIFIED MODELING LANGUAGE MER - MODELO DE ENTIDADE E RELACIONAMENTO SO - SISTEMA OPERACIONAL HTML - HYPER TEXT MARKUP LANGUAGE PHP - PERSONAL HOME PAGE CSS - CASCADING STYLE SHEETS HYTIME - HYPERMEDIA/TIME SGML - STANDARD GENERALIZED MARKUP LANGUAGE SGBD - SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE BANCO DE DADOS SQL - STRUCTURED QUERY LANGUAGE XML - EXTENSIBLE MARKUP LANGUAGE
  12. 12. SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO ...............................................................................................13 2 BOLSA FAMÍLIA – UMA DÉCADA DE CONTRIBUIÇÃO SOCIAL ..............15 2.1 Mitos Quebrados ..........................................................................................15 2.1.1 Expectativas Superadas .................................................................................16 2.1.2 Cálculo Da Frequência Escolar do Aluno Beneficiário....................................17 2.1.3 Educação........................................................................................................18 3 SISTEMA DE INFORMAÇÃO ........................................................................20 3.1 Sistema de Informação e seus Componentes............................................20 3.1.1 Gestão da Informação ....................................................................................21 3.2 T.I Tecnologia da Informação ......................................................................22 3.2.1 S.T.I Sistema de Tecnologia da Informação, por que usar?...........................22 3.2.2 Importância de um Sistema de Informação no Ambiente Escolar. .................22 3.2.3 As Novas Tecnologias na Prática Educacional...............................................23 3.2.4 Tecnologia como Ferramenta Educacional.....................................................27 3.2.5 Tecnologia Como Forma Importante no Setor Administrativo Escolar. ..........28 3.2.6 A Importância da Informática na Educação ....................................................29 3.2.7 Internet a Ferramenta da Grande Era Educacional ........................................29 3.3 Alguns Softwares Para Gerenciamento Escolar........................................30 3.3.1 WPensar.........................................................................................................30 3.3.2 Gestor Escolar................................................................................................30 3.3.3 Visual Scolar...................................................................................................31 3.3.4 Escolar Plus....................................................................................................31 3.3.5 iScholar...........................................................................................................31 3.3.6 Acadesc..........................................................................................................31 3.3.7 SisAlu..............................................................................................................32 3.3.8 Projeto Presença ............................................................................................32 3.3.9 EducaCenso ...................................................................................................32 4 ANÁLISE DO PROJETO................................................................................35 4.1 Levantamento de Requisitos .......................................................................35
  13. 13. 4.1.1 Análise de Requisitos .....................................................................................35 4.1.2 UML ................................................................................................................35 4.1.3 Caso de Uso...................................................................................................36 4.2 Autenticação de Usuário..............................................................................43 4.3 Recursos e Tecnologias Utilizadas na Aplicação......................................48 4.3.1 HTML..............................................................................................................49 4.3.2 PHP ................................................................................................................49 4.3.3 JavaScript.......................................................................................................49 4.3.4 CSS ................................................................................................................50 4.3.5 MySQL............................................................................................................50 4.3.6 MySQL Workbench.........................................................................................50 4.3.7 Dreamweaver .................................................................................................51 4.3.8 WampServer...................................................................................................51 5 MAPEAMENTO DA FREQUÊNCIA ESCOLAR.............................................52
  14. 14. 13 1 INTRODUÇÃO O presente trabalho vem apresentar a tecnologia provinda da informática aplicada no setor administrativo, e soluções na economia de tempo dos dados informados de alunos beneficiários do Bolsa Família. A escolha do tema foi motivada pelo fato das dificuldades que as Unidades de Rede Pública e Privada em geral de Ensino de Codó têm em informar dados estatísticos de alunos para a Secretaria Municipal de Codó. Feito pesquisas dentro do setor administrativo da Rede Pública e da Secretaria Municipal de Codó, situada na Av: 1º Primeiro de Maio S/N, Bairro São Francisco, no município de Codó Maranhão, apresenta hoje cerca de 60 sessenta colaboradores, nos horários matutino e vespertino para funcionamento e atendimento do público, atualmente a Secretaria Municipal de Educação de Codó-MA, que está sobre a direção e administração da professora Rosina de Araújo Benvindo. Onde foi constatada uma demora na coleta de dados, e de modo arcaico podendo assim dizer, a maneira como é feito as descrições de dados de alunos Beneficiários do Programa Bolsa Família. Considerando a importância da pesquisa dentro de Unidades Escolares, foi observada a importância de implantações de tecnologias voltada para a gestão educacional como também uma tecnologia em benefício de toda Rede Educacional. Considerando o problema encontrado dentro das unidades de ensino no município de Codó, o trabalho apresentado refere-se à implantação de uma Aplicação Web destinada a possibilitar a informatização de algumas atividades administrativas, como na agilidade e organização de dados de alunos do programa Bolsa Família. Considerando a possibilidade na utilização deste tipo de aplicação nas escolas, optou-se por ferramentas tecnológicas de fácil acesso e domínio público no desenvolvimento da aplicação onde enfatizaremos no decorrer do trabalho. O objetivo do trabalho apresentado é propor a instalação da Aplicação Web de Gerenciamento de Dados Escolar e Cálculo dos Beneficiários do Bolsa Família , para uma qualidade melhor na organização de informações a serem repassadas para a Secretaria Municipal de Educação, como também ajudar nas estatísticas dos alunos beneficiários do Programa Bolsa Família.
  15. 15. 14 No decorrer do trabalho será apresentado e enfatizado a importância da tecnologia na área educacional, na agilidade e segurança das informações e dados escolares, a parceira que ela pode ser para as escolas, educadores e alunos. Entenderemos conceitos abordados durante o processo de leitura do capítulo 2, e teremos uma visão ampla do Programa Bolsa Família, Educação, Tecnologia, Ferramentas Tecnológicas, Sistemas de Informação, uma análise dos Requisitos para levantamento e inicialização de uma aplicação, conheceremos alguns Softwares usados para enriquecer e ajudar o processo administrativo educacional. Entendemos que a tecnologia usada corretamente como uma ferramenta importantíssima para a prática educacional, traz vantagens significativas e organizadas para o desenvolvimento e melhoramento da instituição. O trabalho apresenta a questão do desenvolvimento e uso da Aplicação Web de Gerenciamento de Dados Escolar e Cálculo dos Beneficiários do Bolsa Família, desenvolvida para escolas e no objetivo de facilitar na questão de cálculo da frequência escolar desses alunos beneficiários, deixando o lado arcaico de calcular aluno por aluno em folhas de papeis A4, e perdendo os prazos de envio dos dados.
  16. 16. 15 2 BOLSA FAMÍLIA – UMA DÉCADA DE CONTRIBUIÇÃO SOCIAL O Programa Bolsa Família (PBF), em 2013 chegou a uma década de existência (CAMPELLO,TEREZA, 2013), em parceria com o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) e o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), que vem ao longo desses dez anos cumprindo uma ampla agenda de aperfeiçoamento de ações para o Programa Bolsa Família. O programa conseguiu se consolidar e assumir centralidade na política social brasileira, aperfeiçoamento e mecanismo adicional em benefícios que ampliou o impacto distributivo de transferências e serviços à comunidade. O programa até o ano de 2013 atendia cerca de 13,8 milhões de famílias em todo o território nacional brasileiro, (CAMPELLO; TEREZA, 2013), o que corresponde a um quarto da população. De acordo com as diferentes características de cada família, o Bolsa Família atua no alívio das necessidades materiais, transferidas em renda, separadas e selecionadas por um instrumento de identificação socioeconômico, Cadastro Único, do Governo Federal (CadÚnico), possibilitando assim a distribuição da renda de acordo com as necessidades de cada família beneficiada. O Bolsa Família cresceu tanto, que hoje apoia o desenvolvimento das capacidades de seus beneficiários por meio de reforços em programas da saúde, educação, assistência social, aumentando ainda articulações em conjunto amplo de programas sociais, que os mesmos só são possível hoje, pelo surgimento, crescimento e amplitude do Bolsa Família. “Com base em um amplo e rico conjunto de estudos realizados sobre este que é, provavelmente, o programa brasileiro mais bem estudado nos últimos anos, constata-se, por meio dos mais diversos indicadores, que os objetivos iniciais foram plenamente alcançados e, na maioria dos casos, superados” (CAMPELLO; TEREZA p.16, 2013). 2.1 Mitos Quebrados No início do programa haviam surgido vários mitos, que no decorrer de seu crescimento foram quebrados e ao mesmo tempo mostrados para os que duvidavam do contrário (CAMPELLO; TEREZA, 2013). O mito em que a população de baixa renda não saberia fazer um bom uso ou o uso adequado dos recursos transferidos.
  17. 17. 16 De acordo (CAMPELLO; TEREZA p. 17, 2013) também foi muito difundida a crença de que a família beneficiária passaria a ter muito mais filhos aumentando assim seu número de membros familiar, possibilitando com que os mesmos entrassem no programa. Talvez o mais propagado mito, e acreditado, é que o Bolsa Família acomodaria as família, gerando o desincentivo e dependência dos pais para com o programa. O programa se consolidou, cresceu e derrubou mitos impostos pelo os descrentes do programa, provando ao contrário e mostrando que os beneficiários do programa sabem fazer o bom uso da renda adquirida, e ninguém melhor que a própria família para fazer o uso certo do mesmo. Provou que, as mulheres beneficiárias também deixaram de ter mais filhos, diminuindo a taxa de crianças em uma família de baixa renda. O pai beneficiário hoje tem uma renda melhor e sente-se orgulhoso de ir ao comércio fazer a feira e poder pagar, levando o mesmo à procura de emprego no incentivo de aumentar a sua renda familiar. Felizmente, todos os mitos foram deixados para trás, e hoje alimentam boas ideias que somam e ajudam no crescimento e desenvolvimento do país alimentando um sonho de um Brasil sem miséria. 2.1.1 Expectativas Superadas Após dez anos de implementação de Programa Bolsa Família, seus resultados foram além do esperado. Já é de conhecimento de todo o impacto que o Bolsa Família tem sobre a diminuição da pobreza e da desigualdade de renda. Segundo (HOFFMANN; RODOLFO p. 18 2013), é mostrado um percentual de 2001 e 2011, que as transferências do governo federal, incluindo o Bolsa Família contribuíram entre 15% e 20% da desigualdade de renda. A magnitude de todo esse impacto do Bolsa Família é observado e percebido com o acesso das famílias abrindo créditos nas instituições bancárias e nos comércios, é crédito e consumo planejado. Famílias inteiras hoje saem de uma classe de miséria ou baixa renda para uma classe de melhores acessos da sociedade.
  18. 18. 17 Segundo a autora (CAMPELLO;TEREZA, 2013), uma outra expectativa alcançada foi o empoderamento da mulher sobre a tomada de decisão no que fazer com a renda, pois o Bolsa Família deu esse poder para a mulher beneficiária. Até o ano de 2013, cerca de 93% dos titulares dos cartões magnéticos do Bolsa Família, são as mulheres, isso propôs a mulher uma autonomia dentro de um contexto feminino na sociedade. Na saúde o Bolsa Família supera as expectativas do anseio na diminuição da criança desnutrida, diminuindo também o nível de mortalidade infantil. Consequentemente o mesmo programa conseguiu dramaticamente baixar o percentual de evasão escolar dentro de series iniciais e continuada, o que é percebido, é que o aluno beneficiário tem uma vida escolar maior que a de seus pais, que por um motivo ou outro não concluíram seus estudos. O Bolsa Família é isso, incentivo e contribuição para uma vida melhor e digna dentro da sociedade. 2.1.2 Cálculo Da Frequência Escolar do Aluno Beneficiário Entenderemos como funciona o cálculo do aluno beneficiário do bolsa família, como já foi dito o programa bolsa família abrange crianças e adolescentes de 06 a 15 anos com frequência mínima exigida de 85% da carga horaria mensal. O Beneficiário Variável Jovem (BVJ) será concedido às famílias que tenham entre seus componentes, jovens de 16 e 17 anos que comprovem vínculo com instituição educacional. A frequência mínima para beneficiário variável jovem é de 75% em relação à matriz curricular estabelecida pela instituição educacional à qual o jovem está vinculado. Exemplificando seria assim, alunos até a 4ª série/5º ano ou equivalente, será o número de dias frequentado multiplicado por 100 cem, divido pelo número de dias letivo/mês. Exemplo do cálculo para alunos de 06 a 15 anos: 10*100=1000/14=71% (Baixa Frequência) - BF 12*100=1200/14=85% (Frequência Positiva) - FP Para os alunos a partir da 5ª série/6º ano ou equivalente o cálculo é o mesmo, a diferença será a porcentagem exigida para a idade que é de 75%. Exemplo do cálculo para alunos de 16 a 17 anos:
  19. 19. 18 10*100=1000/15=66% (Baixa Frequência) - BF 14*100=1400/15=93% (Frequência Positiva) - FP O que se deve levar em consideração para gerar os cálculos de alunos beneficiário do programa bolsa família, serão a idade e série dos mesmos, pois será subtendido 100% para qualquer uma das idades alunos que conseguirem alcançar os 85% e 75%. Se o aluno beneficiário não conseguir atender as normas do programa que é ser ativo na escola tendo boa frequência e se o mesmo obtiver frequência escolar baixa, a família através do governo federal será notificada por três vezes no extrato do seu pagamento recebendo também uma notificação em sua residência, não cumprindo esta norma ou exigência do programa o mesmo será bloqueado e só poderá ser corrigido quando o responsável pela criança ou adolescente beneficiário, cumprir sua vida escolar tendo boa frequência e consequentemente frequentar a escola assiduamente. 2.1.3 Educação Segundo o Dicionário Brasileiro Globo (Fernandes e Francisco 1995), Educação, s.f ato de educar; conjunto de normas pedagógicas aplicadas ao desenvolvimento geral do corpo e do espírito; polidez; cortesia; instrução; disciplinamento. (Do lat. educatione). O contexto acima citado mostra que educação engloba todos os processos de ensinar e o mesmo de aprender, esse fenômeno é observado em qualquer sociedade e nos grupos a quem ela compõem, a educação é essencial e exercida nos mais diversos espaços do conviveu social, seja ela na adequação do indivíduo a sociedade, ou da sociedade no indivíduo, nesse sentido ela tem uma grande importância na socialização do mesmo em seus grupos. Educação não se baseia apenas em uma vida estudantil, ela estar em todos os ambientes, onde se tem a quem aprender, existe o que se tem a ensinar e com isso ela estar em todo o cotidiano de um cidadão. O pequeno dicionário brasileiro de língua portuguesa Aurélio (Holanda; Buarque, 2008), explica que educação é uma “Ação exercida pelas gerações adultas sobre as gerações jovens para adaptá-las a vida social; trabalho sistematizado, seletivo, orientador, pelo qual nos ajustamos à vida, de acordo com as necessidades
  20. 20. 19 ideias e propósitos dominantes; ato ou efeito de educar; aperfeiçoamento integral, polidez, cortesia”.
  21. 21. 20 3 SISTEMA DE INFORMAÇÃO Com o grande crescimento dos Sistemas de Informações em organizações, há uma maior necessidade das mesmas manterem-se sempre atualizadas e com dados mais confiáveis e precisos. Observando a estes aspectos os sistemas de informações passaram a ser algo de muita importância nas organizações, as empresas estão se adequando a esta nova era, na qual podemos denominar de era da informação. De acordo com o autor (VIDEIRA, CARLOS ALBERTO p.13, 2001), [...] um sistema de informação é um conjunto integrado de recursos (humanos e tecnológicos) cujo objetivo é satisfazer adequadamente a totalidade das necessidades de informação de uma organização e os respectivos processos de negócio. Buscando o auxílio no dicionário Aurélio, são encontrados vários conceitos sobre sistemas onde foram destacados alguns:  Disposição das partes ou dos elementos de um todo, coordenados entre si, e que funcionam como estrutura organizada: sistemas penitenciários; sistemas de refrigeração.  Conjunto de elementos, materiais ou ideias, entre os quais se possam encontrar ou definir alguma relação.  O conjunto das instituições políticas e/ou sociais, e dos métodos por elas adotados, encarados que do ponto de vista teórico, quer do de sua aplicação prática: sistema parlamentar; sistema de ensino. É observado que o termo “Sistema” tem uma ampla utilização determinando objetos e tarefas, mais cumprindo o mesmo conceito central, que é de organizar as informações necessárias para que elas atuem em um determinado ambiente. 3.1 Sistema de Informação e seus Componentes A efetividade dos sistemas de informação baseados em computador é alcançada a partir de uma visão integrada dos cinco elementos que compõem: hardware, software, dados, procedimentos e pessoas. (AUDY; JORGE LUIS NICOLAS, p. 114, 115, 2005). Como explorado acima, um sistema de informação baseado em computadores, na sua eficaz necessita de recursos humano que serão os usuários finais, já os hardwares mencionado, são encaixados em máquinas e mídias,
  22. 22. 21 softwares também citados podemos demarcar como os programas e procedimentos utilizados para o cumprimento de tarefas nos sistemas de informação. Dados em sistemas de informação é considerada toda a base de conhecimento, podemos atribuir recursos como as excursões de todas as atividades de entrada, produção, armazenamentos, processamentos. 3.1.1 Gestão da Informação Sistema de informação é definido inúmeras abordagens. Em um estabelecimento de ensino a gestão de informação não se limita apenas em coletar dados para um bom funcionamento do mesmo, mas esses deverão e serão organizados, tratados de forma que se possam ser úteis. Pode-se classificar um sistema de informação da seguinte maneira, um subsistema social e outro de um subsistema autorizado. O primeiro é incluído as pessoas, ações, documentos e informações. O segundo já citado acima, consiste dos meios autorizados, que podem ser as máquinas, redes de computadores e os computadores, podendo assim ser que os elementos do subsistema social seja interligado a este. Para (TARAPANOFF, p. 23, 2006), “A informação é um fator determinante para a melhoria de processos, produtos e serviços, tendo valor estratégico em organizações. A ideia da informação como ferramenta estratégica evoluiu depois que a gestão da informação mudou de seu foco inicial de gestão de documentos e dados, para recursos informacionais, mostrando resultados em relação à eficiência operacional, evitando desperdício e automatizando processos”. Ainda para (TARAPANOFF, 2006, 21 e 22), “Gestão da informação define- se como a aplicação de princípios administrativos à aquisição, organização controle, disseminação e uso da informação para a operacionalização efetiva de organizações de todos os tipos”. É importante frisar que as empresas tenham que manter o seu padrão de confiabilidade em suas informações. Atualmente elas vem se adequando a realidade atual e se informatizando para assim poder obter um resultado no crescimento de suas atividades desenvolvidas.
  23. 23. 22 3.2 T.I Tecnologia da Informação Como instrumento para uma melhoria na comunicação entre informática e telecomunicações os sistemas de informação baseados em comutadores se utilizam delas. Ela melhora a capacidade e velocidades na função de coleta e armazenamento, como também no processo de distribuição das informações. Contribuindo na melhoria da qualidade de custo benefício da informação. Já para (AUDY; JORGE LUIS NICOLAS, 2005). “o conceito de TI, ou tecnologia da informação e comunicação (TIC), é utilizado para expressar a convergência entre a informática e as telecomunicações. Desde 1940, com a construção dos primeiros computadores eletrônicos, vem ocorrendo um processo de transição do perfil tecnológico da indústria. Esse perfil tem passado de uma base eletromecânica para uma base microeletrônica.” 3.2.1 S.T.I Sistema de Tecnologia da Informação, por que usar? Para as empresas o grande potencial e bem mais precioso é a informação, para manter essas informações seguras há a necessidade de um sistema de informação, que poderá manter processadas, organizadas e seguras para uma futura tomada de decisão com mais rapidez e confiabilidade. O objetivo de sistema de informação é gera informações dinâmicas e precisas. No contexto organizacional, a geração e troca de informações e conhecimentos tornaram-se decisivas, e a capacidade de gestão de recursos informacionais passou a ser um diferencial, definindo a produtividade e possibilitando a competitividade no mercado globalizado. (Marques e Macedo 2006, p. 241). A utilização de um sistema de informação na gestão escolar, torna as informações coletadas pelo o mesmo, um aumento na produtividade das atividades desenvolvidas na escola. 3.2.2 Importância de um Sistema de Informação no Ambiente Escolar. As instituições escolares estão repletas de dados em todos os níveis da instituição, sendo elas na biblioteca, sala de aula, direção da escola e em um nível maior, na secretaria da escola.
  24. 24. 23 Esses dados devem ser processados e transformados em informações para se tornarem úteis na gestão escolar. A criação de atividades administrativas da escola é realizada na secretaria da própria instituição, onde ela tem esse principal papel dentre os outros setores que é, de concentrar todas as informações dos alunos, professores, funcionários e informações pertinentes da própria escola, podendo destacar alguns pontos realizado por ela. Matricula de Alunos, documentação de funcionários, emissão de boletins escolares, emissão de fichas individuais, emissão de dados escolares e de alunos para os programas do governo federal (Projeto Presença, Educacenso, outros), frequência de alunos, diário de classe, histórico escolar, declarações. Uma secretaria escolar hoje tem mais informações a se repassar para as dependências de outros órgãos educacionais que as de anos atrás. Mas como já foi citado e informado acima, dentre todas essas funções e demais atividades que uma secretaria escola realiza, pode-se afirmar que gestão escolar hoje requer de pessoal treinado, qualificado e de tempo. Então não se é mais descartado o amparo da tecnologia da informação e de um modo em geral. A tecnologia vem contribuindo e transformando o setor educacional de forma significativa no ajuste dessas atividades, só que não basta apenas ter computadores e outras tecnologias computacionais em setores administrativos ou secretarias escolares, tem-se a necessidade de se ter um sistema de informação adequado para o gerenciamento desses dados pertinentes na secretaria escolar. Para (ROQUE e COSTA, 2005). A organização escolar, pela sua natureza, está dotada com um importante sistema de informação e comunicação, quer a apreciemos na sua vertente formal, isto é, estandardizada e oficial, quer na sua vertente informal, decorrente da maior ou menor empatia entre os diversos agentes escolares. Tendo em conta que na escola se cruzam diariamente centenas de personagens – e que estas desempenham variadas funções na organização, que, em função disso, contraem diversas necessidades de informação, que a atividade docente propriamente dita, principal atividade da organização e a sua razão de existir, consiste essencialmente em processar informação, em comunicar – é fácil reconhecer a importância vital da problemática da informação neste tipo de organização. 3.2.3 As Novas Tecnologias na Prática Educacional Para um melhor entendimento sobre o assunto, é primordial que se defina o termo Tecnologia. A palavra tecnologia tem origem grega (do grego techne - "técnica, arte, ofício" e logia - "estudo"), sendo um termo que envolve o
  25. 25. 24 conhecimento técnico e científico e as ferramentas, processos e materiais criados e/ou utilizados a partir de tal conhecimento (Wikipedia.org. 2013, 23 de março às 19h08min). (TAJIRA; SANMYA FEITOSA, p. 43- 44, 2011) “O termo tecnologia vai muito além de meros equipamentos”. Ela permeia em toda a nossa vida, inclusive em questões não tangíveis. Classificam-se as tecnologias em três grandes grupos:  Tecnologias físicas: são as inovações de instrumentos físicos, tais como caneta esferográfica, livro, telefone, aparelho celular, satélites, computadores. Estão relacionados com a Física, Química, Biologia.  Tecnologias orgânicas: são as formas de como nos relacionamos com o mundo; como os diversos sistemas produtivos estão organizados. As modernas técnicas de gestão pela Qualidade Total é um exemplo de tecnologia orgânica. Os métodos de ensino, seja tradicional, construtiva, montessorino, são tecnologias de organização das relações de aprendizagem.  Tecnologia simbólica: estão relacionadas como a forma de comunicação entre as pessoas, desde a iniciação dos idiomas escritos e falados à forma como as pessoas se comunicam. “São os símbolos de comunicação”. Figura 1 Adaptada da imagem (TAJIRA; SANMYA FEITOSA 2011). A tecnologia é utilizada nas mais diversas áreas e formas, na indústria no processo de automação e criação, no comércio, na forma de gerenciamento e publicidades, nos setores de investimentos, facilitando a observação de informação simultânea e da comunicação imediata, e a educação não poderia ficar de fora, ela Tecnologias Tecnologias Físicas Equipamento s Tecnologias Simbólicas Interfaces das comunicações Tecnologias Organizadoras Relações com o mundo
  26. 26. 25 vem como forma de processos de ensino e aprendizagem e na Educação à Distância – EaD. As novas tecnologias trouxe grande impacto sobre a educação nos dias atuais, com ela foi criado novas formas de aprendizado, disseminação de conhecimento e especialmente, novos relacionamentos entre professor e aluno. Essa revolução trazida pela tecnologia educacional possibilita que as informações adquiridas em sala de aula possam ser assimiladas mais rapidamente, pelos alunos e ao mesmo tempo, aulas mais elaboradas e dinâmicas. A informática tem contribuído fortemente para uma total mudança nas práticas de comunicação educacional, as pesquisas feitas, a leitura a forma de escrever e se comunicar, o raciocínio lógico, ela veio como um instrumento forte e complementar na sala de aula ou mesmo como uma estratégia de boas práticas de aprendizagem. A informática é dinâmica e estar fazendo bem mais do que o esperando em ambientes escolares, os setores administrativos e pedagógicos das escolas estão agora envolvidos na tecnologia com aplicações, que possibilitam mais rapidez e seguranças nas informações. São tecnologias desenvolvidas que permitem que seus usuários deixem de usar e informar dados escolares de modo primitivo (MECKLENBURGER 1990, p. 106- 107) afirma “A escola é uma tecnologia da educação, no mesmo sentido em que os carros são uma tecnologia do transporte. Com a escolaridade maciça, as salas de aula são invenções tecnológicas criadas com a finalidade de realizarem uma tarefa educacional. São um meio de organizar uma grande quantidade de pessoas para que possam aprender determinadas coisas. (POCHO; AGUIAR e SAMPAIO, 2003, p. 11) definem a Tecnologia como, “fruto do trabalho do homem em transformar o mundo, e é também ferramenta desta transformação”. Já a concepção de Carvalho Neto e Melo (2004) é a seguinte, [...] quando criamos uma solução para um problema construímos conhecimento. Se a solução mostra-se eficaz, para um número significativo de casos semelhantes, então estamos diante de uma tecnologia! [...] uma tecnologia é uma solução elaborada que pode ser aplicada em situações- problemas semelhantes. Para (SANCHO; BRIGNOL, 2004, p. 27) A tecnologia constitui um novo tipo de sistema cultural que reestrutura o mundo social e ao escolhermos as nossas tecnologias nos tornamos o que somos e desta forma fazemos uma configuração do nosso futuro. (MEDEIROS, 1993), Tecnologia é o jogo do conhecimento prático e científico, somado à técnica acumulada com os anos. Os problemas humanos são solucionados por meio de técnicas, portanto, é a tecnologia que satisfaz aos seus desejos. De acordo com (PACIEVITCH, 2009), “A tecnologia da informação e
  27. 27. 26 comunicação pode ser compreendida como, [...] um conjunto de recursos tecnológicos, utilizados de forma integrada, com um objetivo comum”. Deparando-se e analisando as definições já citadas, pode-se compreender que tecnologia da informação na prática educacional é um conjunto de recursos tecnológicos que facilitam na comunicação dos mais variados tipos de atividades profissionais educacionais, ou seja, são tecnologias que reúnem e distribuem compartilhamentos das informações e facilidades da mesma. O fato que advém das transformações sofridas ao longo do tempo pela educação, é um fato que se torna indispensável à inserção da tecnologia para uma comunicação mais ágil dentro do processo educacional. Essa adoção da tecnologia nas escolas se deu pelo fato e resultados da pressão do mercado, com relação a nova demanda de escolas e alunato, pois ela encontrava-se em defasada. Com grande rapidez a tecnologia vem se inserindo nas instituições escolares e no incentivo voltado aos docentes das mais diferentes áreas e modalidades, a introduzirem esses recursos nos métodos de aprendizagem. A inclusão de tecnologias no meio educativo acontece sem que os docentes percebam ou compreendam todo o impacto que elas possam causar dentro de suas práticas de educar, eles não conseguem diferenciar todas essas vantagem e desvantagens que os recursos tecnológicos podem proporcionar para o trabalho educativo. (ALMEIDA, 2001, p. 02), afirma que, com o uso da tecnologia de informação e comunicação, professores e alunos têm a possibilidade de utilizar a escrita para descrever/reescrever suas ideias, comunicar-se, trocar experiências e produzir histórias. Assim, em busca de resolver problemas do contexto, representam e divulgam o próprio pensamento, trocam informações e constroem conhecimento, num movimento de fazer, refletir e refazer, que favorece o desenvolvimento pessoal, profissional e grupal, bem como a compreensão da realidade. É importante que os docentes tenham intimidade e conheçam a fundo as tecnologias investida e voltada para a educação, podendo assim tomar decisões adequadas. É compreendido que a tecnologia é de suma importância para o sistema educativo nas elaborações de projetos, estratégias pedagógicas, na interação de professor, aluno e etc, auxiliado na compreensão do mundo e novas portas do conhecimento.
  28. 28. 27 Já conhecemos o conceito de tecnologia e seus recursos tecnológicos, vejamos agora a ferramenta que hoje pode ser a ferramenta da grande era educacional como um meio de transporte mais rápido, ágil e seguro de dados. 3.2.4 Tecnologia como Ferramenta Educacional Hoje as escolas estão apostando forte cada vez mais em trazer os recursos da tecnologia para melhorar o desempenho dos alunos em sala de aula, aumentando seu interesse pelas aulas. Não é mais interessante separar uma hora por semana para ensinar as crianças ou adolescentes a mexerem no computador, elas já nascem na era digital e possuem uma facilidade maior que os dispositivos tecnológicos que deixam muitos pais e mães para trás. Precisamos utilizar toda essa capacidade para motivar os alunos a aprenderem de maneira divertida dinâmica e participante. Cada instituição busca mostrar o seu diferencial, e muitas delas têm apostado na tecnologia. São escolas do futuro, com lousas digitais, laboratórios de informática, climatização, catracas digitais, tablets para todos os alunos em sala, aplicativos para smartphones e conteúdos on-line. Muitos das crianças e jovens da atualidade passam horas ligadas todos os dias em suas redes sociais, jogos, compartilhamento de fotos e vídeos, pesquisas dentre outras. Os jovens e principalmente os adolescentes não querem se resumir a meros espectadores de toda essa tecnologia, eles querem ter uma participação significativa, seja ela com seu blog ou um site colaborativo desenvolvido pela sua escola que informa as transformações e mudanças da escola. Sabendo disso, as escolas podem e devem utilizar ferramentas tecnológicas que tornem os alunos mais participativos e interessados pelo o que aprende em sala de aula, é preciso estimular a curiosidade e estimular a pesquisa, tornando o aluno o protagonista do aprendizado a partir da assimilação de informações direcionadas na internet, ou em programas voltados à educação. Claro que a tecnologia como uma ferramenta educacional, veio somente para ajudar no aprendizado do aluno, estimulando o mesmo a avançar em seus conhecimentos utilizando recursos da tecnologia. A mesma veio para orientar o professor que claro, uma boa aula dada por um mestre qualificado e dedicado com o ensino, já mais poderá ser substituído, pelo contrário, ele tornará a educação mais
  29. 29. 28 atrativa e integrada aos hábitos dos alunos facilitando o trabalho desenvolvido tornado jovens mais informados e interessados pelo conteúdo apresentado em sala de aula. 3.2.5 Tecnologia Como Forma Importante no Setor Administrativo Escolar. Pode-se definir administração escolar, como uma especialidade do pedagogo e que o mesmo pode ser adquirido através de cursos, especialização pra a habilitação, incorporada ou não a licenciatura de pedagogia. O administrador escolar tem a sua atuação junto ao corpo discente e docente, no processo de seleção e na capacitação de pessoal, nas elaborações de projetos e métodos educativos, como também em gestão escolar. Em geral, ele é a figura principal da escola, respondendo pela instituição educativa, é o diretor da escola. O administrador escolar tem que saber zelar pela guarda e sigilo dos documentos escolares, simplificar processos e métodos de trabalhos, como também é o encarregado na execução de todos os procedimentos pertinentes articulados com a legislação de ensino. Como já discutidos em tópicos anteriores, a tecnologia facilita muito nas atividades dentro de um ambiente administrativo escolar, nas formulações de planilhas, textos, impressões de documentos, e envio desses documentos através do correio eletrônico. Ela diminui o tempo na execução dos projetos, facilitando assim o cumprimento das atividades e custos da escola. A tecnologia torna dinâmico o trabalho de um administrador da escola que é desgastante quando não se usa essas ferramentas dentro de uma secretaria escolar. São várias as ferramentas disponíveis para um melhor trabalho dentro da secretaria escolar e isso se torna mais difícil na escolha de softwares e aplicações, a melhor ferramenta é aquela que cumpre e supre às necessidades do administrador escolar, a tecnologia é capaz de tornar todos esses dados em informações seguras e ágeis.
  30. 30. 29 3.2.6 A Importância da Informática na Educação Uma educação envolvida ou evoluída pela informática possibilita a seus alunos um aprendizado bem mais produtivo, a capacidade de resolves problemas ou elaborar produtos que sejam valorizados em ambientes fora da escola. Em um estudo feito nos Estados Unidos, com 55 entidades educacionais, a professora e Mestre Educacional (TAJRA; SANMYA FEITOSA, p.16, 2011), apresenta algumas informações sobre o novo paradigma educacional. Em sua pesquisa é abordado alguns dos aspectos para o sucesso do aluno de hoje que tem contatos com essa ferramentas e utilizam como práticas educacionais.  Habilidade em leitura básica, escrita e habilidades matemáticas.  Bons hábitos profissionais, como ser responsável, pontualmente e disciplinado.  Habilidades em computação e tecnologia de mídia.  Valorização do trabalho.  Honestidade e tolerância com os outros.  Hábitos de cidadania. Tais aspectos estão dispostos de acordo com o grau de importância, conforme a pesquisa realizada. 3.2.7 Internet a Ferramenta da Grande Era Educacional Essa é uma realidade da qual as escolas não podem ficar de fora. Seria quase impossível escrever em poucas linhas tantas vantagens e possibilidades que a internet pode oferecer. Uma carta enviada e em poucos segundos recebida e lida por seu destinatário, um telefonema feito, uma notícia alcançada por todo o mundo assistida e presenciada em tempo real, são apenas umas das grandes vantagens que a internet pode e oferece a seus usuários. Com apenas um micro ou mesmo com aparelhos móveis se é conectado a essa grande se não maior rede mundial de informação e conteúdo. São vários os serviços que se pode citar da internet, como exemplo; Ftp, www, bate-papos, correios eletrônicos, páginas de relacionamentos, sites de pesquisas, dentre essas e outras, a escola pode se aproveitar de mais conteúdos
  31. 31. 30 oferecido por essa rede e implantar dentro de seus estabelecimento de ensino aprendizado. A internet oferece tantas opções que a sua inserção no ambiente escolar deve ser cuidadosamente dirigida e analisada. O uso dessa tecnologia deve ser exclusivo para pesquisas bibliotecárias, jogos educativos, pesquisa cientifica, exercícios interativos, e-mails, podendo ser até um reforço para alunos e professores. O instrumento é vasto de muita informação podendo sempre ajudar o setor educacional em todas as áreas, cientifica e tecnológica. A Internet é uma grande aliada para atingirmos um futuro com sucesso. Podemos ainda concluir que o que temos hoje é apenas uma pequena simulação da economia do futuro. “Precisamos educar nossos filhos e promover a educação de nossos alunos com uma visão de futuro”. (SANMYA; FEITOSA, p. 43- 44, 2011). 3.3 Alguns Softwares Para Gerenciamento Escolar É comum encontrarmos empresas de desenvolvimento e criação de sistemas de gerenciamento de dados empresarial. Vejamos algumas aplicações desenvolvidas para um gerenciamento e melhoramento de informação e manuseios de dados escolares. Destacaremos alguns softwares encontrados em nossas pesquisas. 3.3.1 WPensar É um facilitador da vida de todos os indivíduos do ciclo educacional, gerando benefícios para a direção, secretaria, professores, alunos e responsáveis. Solução para a administração e equilíbrio financeiro das escolas. Controle pedagógico dos alunos, definição de médias, montagem de calendários, controle documentos, cadastramento de matrículas, grades curriculares, notas e faltas, diário escolar, financeiro, controle de permissões de funcionários (WPENSAR; 2014). 3.3.2 Gestor Escolar É um sistema de Gestão de Escolas e/ou Secretarias de Educação, desenvolvido para interagir os dados acadêmicos das instituições de ensino. Devido
  32. 32. 31 às técnicas e ferramentas utilizadas no seu desenvolvimento, está apto a gerenciar desde uma única instituição de ensino até um grupo de instituições, seja este, de nível Municipal ou Estadual (GESTOR ESCOLAR; 2014). 3.3.3 Visual Scolar Sistema profissional para administração de escola. O VISUAL SCOLAR é um conjunto integrado de programas para microcomputadores compatíveis ao IBM- PC. O Sistema foi elaborado com o objetivo de integrar as atividades administrativas, financeiras, gerenciais e pedagógicas de uma Escola de 1º e 2º graus (VISUAL SCOLAR; 2014). 3.3.4 Escolar Plus É um software especialmente desenvolvido que tem como finalidade a informação completa das áreas de secretaria, tesouraria e acadêmica de uma escola. Não importa o tamanho da sua escola, nós temos a solução que você precisa para administração escolar (ESCOLAR PLUS; 2014). 3.3.5 iScholar É um sistema integrado de gestão escolar que atende as necessidades de todos os departamentos de uma instituição de grande, médio e pequeno porte, e de vários segmentos, como cursos de idiomas, creches, pré-escolas, fundamental, médio, pré-vestibulares, cursos profissionalizantes, instituições preparatórios para concursos públicos, entre outras (ISCHOLAR; 2014). 3.3.6 Acadesc É um software de gestão escolar desenvolvido pela FANNY´S INFORMÁTIACA, com o objetivo de controlar todo o processo de administração escolar de forma prática e segura (ACADESC; 2014).
  33. 33. 32 3.3.7 SisAlu É uma solução modular, e graças a esta característica permite trabalhar com um sistema completo e totalmente integrado, evitando duplicações de informações de dados. O Sistema Acadêmico gerencia a vida escolar do aluno, agilizando o trabalho da secretaria e da coordenação pedagógica. Nele, é possível cadastrar, matricular, lançar e alterar notas e faltas, fazer avaliações com os diversos modelos de relatórios e muitas outras funções (SISALU; 2014). 3.3.8 Projeto Presença Sistema web do governo federal com períodos determinado pelo mesmo para inserir dados de alunos beneficiários do bolsa família. O Projeto Presença só é disponível para administradores máster que trabalham em Secretarias de Educação Municipais. Onde os mesmos operadores másters devem imprimir e enviar os formulários para as escolas preencherem e logo após a Secretaria Municipal de Educação deve inserir os dados no sistema. 3.3.9 EducaCenso É um sistema web disponível apenas para as Secretarias Municipais de Educação. O sistema é um censo da vida escolar de todo os alunos brasileiros com cadastros em todas as sessões de escolas e partes a qual compõem. Observamos que neste capítulo, foram abordados aplicações para agilidades de informações de empresas, facilitando no desenvolvimento para seu crescimento. Tendo destacado principalmente para o setor educacional, e destacando ainda alguns dos sistemas mais utilizado no mercado, todos eles com um só objetivo, que é a de agilidade, organizações dos dados coletados, segurança e transparência de informações, e gerenciamento administrativo escolar. Abordaremos todas essas tecnologias desenvolvidas no intuito de agilizar informações educacionais, e tornar as tarefas mais práticas e prazerosa de se trabalhar, faremos uma análise e comparativo trazendo para nossa aplicação. Veremos as análises e comparativos nas tabelas a segui.
  34. 34. 33 Sistemas Administrativos de Gerenciamento e Gestão Escolares Sistemas Admin. Gerenc. Gestão Finança Diário Esc. Relatório Boletim Declaração WPensar X X X X X X X Gestor Escolar X X X X X X X X Visual Scolar X X X X X X Escolar Plus X X X X X X X iScholar X X X X X X X X SisAlu X X X X Projeto Presença X X EducaCenso X X X X X Aplicação Web-GDECBF X X X Tabela 1 – Demonstrativo de Recursos dos Sistemas Escolares. Sistemas Administrativos de Gerenciamento e Gestão Escolares Sistemas Pré- Escola Creche Fund. Médio Cálculo BF Curso Web Desktop WPensar X Gestor Escolar X Visual Scolar X Escolar Plus X iScholar X X X X X X SisAlu Projeto Presença X X X X X EducaCenso X X X X X Aplicação Web- GDECBF X X X X X X Tabela 2 – Demonstrativo de Recursos dos Sistemas Escolares. Analisando as tabelas acima, podemos observar e analisar o comparativo de recursos disponíveis de cada aplicação, são diferentes aplicações que com o mesmo objetivo tentam facilitar as atividades escolares e ao mesmo tempo aproximar educação e tecnologia. No mercado de softwares já é possível encontrar diversas aplicações para o setor educacional, diferente de anos anteriores hoje o setor conta com uma infinidade de tecnologias e recursos educacionais de alta qualidade. As atividades escolares tornaram-se mais práticas e prazerosa de se fazer, aquele amontoado de papeis e perda de informação hoje graça as tecnologias investida a educação, corrigiu esse capítulo e mudou o cenário educacional. Resumindo as tabelas demonstrativas dos softwares educacionais, podemos analisar que todos são sistemas para a administração escolar, a maioria deles para
  35. 35. 34 um gerenciamento dos dados administrativo e a minoria para uma gestão mais aplicada e segura. Analisando ainda as tabelas é concretizado que somente a aplicação do governo federal Projeto Presença participa de poucas funcionalidades para um sistema escolar, pesquisado e estudado, chegamos à conclusão de que o mesmo é uma aplicação apenas para gerenciar dados escolares de alunos beneficiários do Bolsa Família e alimentar o banco de dados do governo federal, causando assim estatísticas e levantamento de dados dos beneficiários do programa Bolsa Família enquanto frequentadores de instituições de ensino.
  36. 36. 35 4 ANÁLISE DO PROJETO 4.1 Levantamento de Requisitos A mais importante das fases do projeto para o desenvolvimento de um software. Nesta fase é que se identifica o que realmente o cliente deseja e se espera do software a ser desenvolvido. Para (BOEHM; 1989), define Engenharia de Requisitos como uma atividade que objetiva desenvolver uma especificação completa, consistente, não ambígua e correta dos requisitos, que sirva, inclusive, de base para um acordo entre as partes envolvidas no processo de desenvolvimento, onde se pactue, de forma concisa, o que o produto irá fazer. Como já abordado acima com os autores citados, um levantamento de requisitos são atividades fundamentais para se analisar um projeto. Suas regras devem ser aplicadas sempre, para um levantamento de dados do projeto. Pata se levantar os requisitos de um projeto é preciso que se faça uso de algumas das técnicas de levantamento de requisitos, que são as amostras, investigação, entrevistas, questionários, observação, prototipação. 4.1.1 Análise de Requisitos Sendo a primeira atividade técnica para o desenvolvimento do software. Eis a principal medida para o sucesso do software habilitando os graus onde atenderão os objetivos e requisitos no qual foi construído 4.1.2 UML Unified Modeling Language (UML) é uma linguagem de modelagem não proprietária de terceira geração, permitindo com quer o desenvolvedor visualize os produtos de seus trabalhos em diagramas padronizados e narrações gráficas. Todas as boas características de uma representação gráfica, ou no nosso caso, de uma modelagem gráfica, estão presentes nos diagramas da UML (MELO; ANA CRISTINA, p.30 2010). Ela veio como uma tentativa de padronizar a modelagem orientada a objetos de uma forma que qualquer sistema, seja qual for o tipo, possa ser modelado corretamente, com consistência, fácil de comunicar com outras aplicações, simples
  37. 37. 36 de ser atualizado e compreensível. A UML é uma linguagem visual para modelar sistemas orientados a objetos. Isso quer dizer que a UML é uma linguagem constituída de elementos gráficos (visuais) utilizados na modelagem que permitem representar os conceitos do paradigma da orientação a objetos. Através de elementos gráficos definidos nesta linguagem podem-se construir diagramas que representam diversas perspectivas de um sistema (MAYA; p 14). Com a UML podemos prever vários erros do sistema e assim reduzir custos adicionais. A UML é composta por vários diagramas existentes para facilitar e organizar a compreensão do desenvolvedor, poderemos citar alguns desses como, diagrama de caso de uso, diagrama de classes, diagrama de objetos, diagrama de interpretação, diagrama de máquinas de estados, diagrama de atividades, diagrama de implementação, e o MER (Modelo de Entidade Relacionamento). 4.1.3 Caso de Uso Caso de uso serve para ajudar a validar a arquitetura e para verificar o sistema na medida em que ele evolui durante seu desenvolvimento (BOOCH; GRADY p. 246, 2012). Em qualquer desenvolvimento de um projeto de software, os diagramas de caso de uso são muito importantes, pois eles têm um papel de possibilitar por meio de modelagem, visualizar toda a arquitetura e interações de atores envolvidos deixando assim claro o papel de cada elemento envolvido no projeto. Conforme a autora (MELO; ANA CRISTINA, p.56, 2010) caso de uso, descreve uma sequência de ações que representam um cenário principal (perfeito) e cenários alternativos, com o objetivo de demonstrar o comportamento de um sistema (ou parte dele), através de interações com atores. Um caso de uso deve ser bem compreensivo descrevendo a rotina bem definida do sistema, com uma clareza de informações para os desenvolvedores e para o cliente.
  38. 38. 37 Figura 2 – Uc diagrama login. Esta é a primeira comunicação do usuário com o sistema e acontece com a tela de LOGIN, onde possui os campos de usuário e o campo de senha, vindo logo após a verificação dos dados inseridos, estando corretos os seguintes dados é seguido para a autenticação das informações no sistema.
  39. 39. 38 Figura 3 – Uc Módulo de cadastros. No módulo de CADASTROS o usuário poderá realizar as seguintes tarefas, cadastrar a escola, cadastrar alunos, cadastrar turmas, cadastrar docentes e registrar a frequência.
  40. 40. 39 Figura 4 – Sd Módulo Autenticação. O diagrama de sequência acima demonstra a autenticação de um usuário no sistema, sendo que o usuário poderá informar o devido nome e senha na tela de autenticação e em seguida os dados serão conferidos, se os dados estiverem incorretos, aparecerá uma mensagem informando o erro.
  41. 41. 40 Figura 5 – Sd Módulo Cadastro de Aluno. A figura 5 representa o cadastro de um aluno feito pelo usuário administrador do sistema. O usuário informa os dados do aluno na tela de cadastro, esses dados serão enviados e conferidos na classe Aluno, se estes dados estiverem incorretos, será informado a mensagem informando o erro, caso contrário, será chamado o método da classe AlunoDao que irá adicionar o aluno no banco de dados do sistema.
  42. 42. 41 Figura 6 – Act Módulo Pesquisa por Aluno. A figura 6 descreve a atividade realizada pelo usuário ao efetuar uma pesquisa relacionada a aluno. O usuário informa o nome do aluno a ser consultado na tela de pesquisa e em seguida o sistema busca este aluno no banco de dados. Se retornar mais de um registro, o sistema informará uma lista contendo estes registros ao usuário, caso contrário, se não for encontrado nenhum registro, o sistema informará ao usuário uma mensagem dizendo que o aluno pesquisado é invalido no sistema, ou seja, nenhum aluno cadastrado no banco de dados com o nome informado.
  43. 43. 42 Figura 7 – Stm Módulo de Cadastro de Usuário. A figura 7 representa o diagrama de estado do CADASTRO DE USUÁRIO. O cadastro será iniciado a partir da informação dos dados do usuário a ser cadastrado, o objeto passará para o estado de Processamento Requisição e em seguida estes dados serão enviados ao banco de dados, se os dados estiverem corretos, o objeto passa para o estado Finalizador, caso contrário, ele passa para estado de Não Cadastrado, assim ele pode voltar ao estado Enviados, enviando os dados novamente, ou passar para o estado Cancelado.
  44. 44. 43 4.2 Autenticação de Usuário Figura 8 – Autenticação de Usuário. Na figura 8, é apresentada a tela de AUTENTICAÇÃO DO SISTEMA, o usuário deverá digitar seu nome e senha, previamente cadastrado no banco de dados da aplicação, o acesso à aplicação sempre terá início pela tela de autenticação do sistema.
  45. 45. 44 Figura 9 – Cadastro de Usuário. A figura 9 representa o CADASTRO DE USUÁRIO onde é exigido para cadastro informação como CPF, como devidamente o nome do usuário e uma senha, disponibilizando esses dados poderá então executar o cadastro.
  46. 46. 45 Figura 10 – Cadastro de Escola. Na figura 10, é a tela de CADASTRO DE ESCOLA, a mesma é responsável em coletar os dados referentes à escola de acordo com a ficha de cadastro do senso escolar enviada para as escolas.
  47. 47. 46 Figura 11 – Pesquisar Escola. A figura 11 representa a tela de PESQUISAR ESCOLA é a mesma é acessada através da tela CADASTRAR ESCOLA, nela é possível encontrar a escola cadastrada no banco de dados, podendo fazer a edição, remoção ou visualizar a escola.
  48. 48. 47 Figura 12 – Cadastrar Turma. Na figura 12 é representada pela tela de CADASTRO DE TURMA, nela é apresentado o cadastro de turmas, na mesma é possível efetuar, alterar e excluir turmas.
  49. 49. 48 Figura 13 – Cadastrar Aluno . A figura 13 é representada pela tela CADASTRAR ALUNO, onde o mesmo usuário poderá efetuar alterar e excluir alunos, e no botão PESQUISAR ALUNO o usuário poderá efetuar pesquisa de alunos cadastrados no banco de dados e transferir para o formulário de CADASTRO DE ALUNO onde poderá ser feita a manutenção dos dados cadastrais do aluno pesquisado. 4.3 Recursos e Tecnologias Utilizadas na Aplicação Com a elaboração de todo o escopo para a finalização do projeto, o desenvolvimento da aplicação fundamentada pelos requisitos, questionário e entrevista feita com usuários dos sistemas do governo federal, Educacenso e Projeto Presença na secretaria municipal de educação em Codo-MA, foi percebido que a melhor plataforma ou sistema operacional S.O, para o manuseio da aplicação seria no ambiente Windows, pois o mesmo é o mais utilizado entre os usuários de sistemas e de fácil compreensão.
  50. 50. 49 Foram utilizadas também as tecnologias mais compreensivas e de fácil utilização para usuários ativos de sistemas web. Sendo destacadas e comentadas nos tópicos abaixo. O HTML, PHP, JavaScript, CSS, MySQL, MySQL Workbench, e como auxilio para digitação dos códigos o software de desenvolvimento Dreamweaver, finalizando o software de auxílio das linguagens e tecnologias já citadas WampServer. 4.3.1 HTML HyperText Markup Language, expressão inglesa que significa "Linguagem de Marcação de Hipertexto". Consiste em uma linguagem de marcação utilizada para produção de páginas na web, que permite a criação de documentos que podem ser lidos em praticamente qualquer tipo de computador e transmitidos pela internete. A linguagem HTML foi criada por Tim Barners Lee na década de 1990. As especificações da linguagem são controladas pela W3C (World Wide Web Consortium). As versões de evolução da HTML incluem XHTML (uma linguagem com sintaxe mais rigorosa, baseada em XML) e HTML5 (quinta versão da HTML que traz novos recursos, principalmente a manipulação de conteúdo gráfico e multimídia), (W3SCHOOLS 2014), (TECMUNDO 2014). 4.3.2 PHP É uma linguagem de script do servidor, é uma ferramenta poderosa para fazer páginas da web dinâmicas e interativas, ela é uma alternativa muito utilizada, livre e eficiente (W3SCHOOLS 2014). 4.3.3 JavaScript É a linguagem de programação baseada em scripts e padronizada pela ECMA International (Associação Especializada na Padronização de Sistemas de
  51. 51. 50 Informação), é uma linguagem dinâmica orientada a objetos e criada com sintaxe similar à linguagem C (W3SCHOOLS 2014). 4.3.4 CSS É uma linguagem de estilo utilizada para definir a apresentação de documentos escritos em uma linguagem de marcação, como HTML ou XML. Seu principal benefício é prover a separação entre o formato e o conteúdo de um documento (TECMUNDO 2014). 4.3.5 MySQL O objetivo principal de um sistema de banco de dados é proporcionar aos usuários uma visão abstrata dos dados (SILBERSCHATZ, ABRAHAM 2008, p. 15). O MySQL é um sistema de gerenciamento de banco de dados (SGBD), que utiliza a linguagem SQL (Linguagem de Consulta Estruturada) como uma interface, atualmente é um dos bancos de dados mais populares. (MYSQL 2014). 4.3.6 MySQL Workbench MySQL Workbench é um software criado pela Sun Microsystems, esta ferramenta permite diagramas de relacionamento de entidade modelagem de bancos de dados MySQL. Com esta ferramenta você pode desenvolver uma representação visual das tabelas, visualizações, procedimentos armazenados e as chaves estrangeiras no banco de dados. Além disso, é capaz de sincronizar o desenvolvimento do modelo de dados real. Podendo realizar uma engenharia para frente e engenharia reversa para a exportação e importar o esquema de um banco de dados de dados existente que foi armazenado ou com suporte de MySQL Administrator. MySQL Workbench também pode gerar o script necessário para criar o banco de dados que foi desenhado no contorno; Serve para o DBDesigner 4 modelos de banco de dados e suporta os novos recursos do MySQL. (MYSQL 2014).
  52. 52. 51 4.3.7 Dreamweaver É um programa de edição de páginas da internet, onde se pode trabalhar com imagens, textos e muito outros elementos para a web. Ele permite a criação e edição da página para a internet tendo alguns aspectos muito parecidos com outros programas de criação de layouts (INFOESCOLA 2014). 4.3.8 WampServer É um ambiente de desenvolvimento web na qual o Apache, MySQL e Php fazem parte. Através deste pacote de software, qualquer utilizador conseguirá colocar em funcionamento um sistema web completo, sem qualquer configuração dicionais (PPLWARE 2014).
  53. 53. 52 5 MAPEAMENTO DA FREQUÊNCIA ESCOLAR O mapeamento a seguir é um exemplo de como é feito atualmente e enviado para as escolas Municipais, Estaduais, Particulares e Federais. Este mapeamento ainda é feito de forma manual acarretando mais desgastes e estresses para quem o faz, pois devem ser informados todos os alunos da instituição por série e seus valores de cálculos por idade. Figura 14 – Mapeamento de Frequência Escolar – Programa Bolsa Família. A figura a seguir é demonstrada como é feito a colheita de dados para o Acompanhamento De Frequência Escolar, conforme a quantidade de turmas e alunos para as escolas são impressas e enviadas, acarretando o estresse e desanimo na informação desses dados, esse acompanhamento também é feito de forma manual e com isso é perdido o prazo para as entregas desses dados, acarretando nas mensagens de não frequência escolar para o aluno beneficiário chegando a possível bloqueio de benefício. Com o modelo a seguir, é demonstrado
  54. 54. 53 um mapeamento para alunos de base 85%, dependendo da instituição de ensino a mesma pode receber formulários para alunos de base 85% e 75%. Figura 15 – Acompanhamento da Frequência Escolar – Programa Bolsa Família. Acompanharemos agora os MODELOS DE FORMULÁRIOS enviados para as escolas das redes Pública, Municipal, Estadual, Filantrópica, Federal e Particular do município de Codó MA. Esses formulários são retirados da aplicação do governo federal EducaCenso, tal aplicação como já mencionada em capítulos anteriores é um sistema que alimenta dados escolares e estatísticas, onde o mesmo para o município informante pode acarretar em ganhos de programas e investimentos na educação. Se não informado ou o não cumprimento de prazos, o município perde e ficará pendente com o governo federal servindo também para alunos que por ventura seja beneficiário de algum programa do governo federal como exemplo, o Programa Bolsa Família, docentes e escolas não informadas perdem uma futura qualificação disponibilizada pelo governo ou eventos do mesmo.
  55. 55. 54 Esses formulários ainda para quem o preenche, causa muito estresse e desinteresse no seu repasse desses dados. Depois que a escola informar todo o ano letivo, de alunos que entraram, faleceram, alunos que ainda permanecem na escola e outras informações pertinentes a funcionários, docentes, turmas, disciplinas, gerenciamento escolar e etc, é que se pode enviar para a equipe da Secretaria Municipal de Educação onde a mesma irá refazer toda essas informações, através do sistema EducaCenso, observando sempre o prazo de inserção e alimentação do sistema, pois o mesmo tem um período aberto para esses repasses de dados educacional regional. Vejamos os formulários. Figura 16 – Cadastro de Escola – Sistema EducaCenso.
  56. 56. 55 O formulário CADASTRO DE ESCOLA demonstrado acima contém quatro 04 páginas com campos de todas as informações para cadastro da escola e gestor. Figura 17 – Cadastro de Escola Nova – Sistema EducaCenso. Este é um formulário diferenciado, eis um CADASTRO DE ESCOLA NOVA, contendo quatro páginas 04 para preenchimento das informações, este é um cadastro para escola que nunca foi informada no sistema do governo federal, podendo iniciar sua meta de informação no ano informado. Para que a escola receba este formulário, a mesma precisa já estar vinculada à Secretaria de Educação do município.
  57. 57. 56 Figura 18 – Cadastro de Aluno – Sistema EducaCenso. O CADASTRO DE ALUNO contém três páginas de preenchimentos, onde poderemos citar algumas delas como, código da escola, número de identificação única ou número de identificação social (NIS), nome do aluno, responsável, turma, disciplinas e outras.
  58. 58. 57 Figura 19 – Cadastro de Turma – Sistema EducaCenso. CADASTRO DE TURMA é onde serão informadas todas as ações que na mesma acontece para o aprendizado do aluno, sem esquecer nem um dos campos deveram ser informadas disciplinas, docentes, dias de funcionamento da turma o nome da turma como outras informações a mais. O CADASTRO DE TURMA contém duas páginas com campos para preenchimento de fácil identificação.
  59. 59. 58 Figura 20 – Cadastro de Profissional Escolar em Sala de Aula – Sistema EducaCenso. CADASTRO DE PROFISSIONAL ESCOLAR EM SALA DE AULA contém três páginas para cadastros, onde esse mesmo formulário é considerado um dos mais complexos e com maior índice de dificuldades, é exigido muitas informações minuciosa dos profissionais educacional, é também o formulário que mais demora em seu preenchimento, justamente por um excesso de informações do profissional.
  60. 60. 59 CONCLUSÃO O presente trabalho especialmente no capítulo 2 foi abordado à história de uma década de sucesso do Programa Bolsa Família do Governo Federal, no mesmo capítulo é abordado os mitos que foram quebrados com trabalho e superação do programa, a oposição do programa hoje reconhecendo a grandeza e a necessidade de se manter esse programa nos lares de famílias carentes. É explorada ainda a diferença do rendimento do aluno beneficiário na escola, antes e depois da participação dele no programa. Por isso o motivo de grande satisfação para quem alimenta o programa Bolsa Família, pois se é percebido um maior avanço no rendimento escolar do aluno beneficiário, é a menor evasão escolar e o maior rendimento escolar. Da mesma forma a satisfação para as famílias, que eram motivos de dúvidas para os desacreditadores do programa, em que diziam que as famílias não fariam um bom uso do recurso adquirido, o que hoje é mostrado, uma família sabendo usar de forma adequada a renda para fins da educação de seus filhos e alimentação da família. Ainda no capítulo 2, é explanada com muita satisfação pelos autores pesquisados e citados, a comemoração de uma década de tudo isso, superação, experiências, mitos quebrados, expectativas superadas e alcançadas com consciência de que se falta muito ainda para se fazer e melhorar. Com pesquisas realizadas para a elaboração deste trabalho, agora podemos realizar o cálculo do aluno beneficiário do Programa Bolsa Família. Ainda no mesmo capitulo é enfatizado como se é feito esse cálculo e qual a diferença do aluno que entra na faixa de 85% e 75%, é mencionado também às obrigações que os responsáveis por essas crianças e adolescente beneficiara devem cumprir para se manterem no programa. Dando ênfase a educação, ela é conceituada abri mais a nossa visão sobre a mesma e demonstrando que não é algo central e sim uma coisa universal e ampla, algo que engloba todos os ambientes. No capítulo 3 pudemos compreender os conceitos de sistemas de informação, os seus gerenciamentos em empresas e principalmente nas instituições de ensino. Abordado também os seus componentes e gestão da informação. Continuando ainda no mesmo capitulo, vemos a importância da tecnologia da
  61. 61. 60 informação, as melhorias e benefícios trazidos por ela, às escolas aceitando como a solução para aumento de produtividade e cumprimento de suas atividades, melhor relacionamento com o trabalho. Com a realização desse trabalho percebemos o quanto é trabalhoso e desgastante se trabalhar em uma escola se não tiver a tecnologia para a orientação e ajuda de tarefas, são imensas as atividades de um assistente administrativo dentro uma secretaria escolar. Observamos ainda o capítulo 3 é abordado as novas tecnologias para a prática educacional, o seu impacto na área da educação, toda essa ajuda no repasse de informação, o aluno assimilando mais rápido o conteúdo passado em sala de aula, é frisado ainda a importância dela no setor administrativo escolar. Com a evolução da educação a tecnologia educacional chega junta, aumentando mais ainda esse vínculo, entrando em um censo comum as escolas percebem que não podem nos dias de hoje, ficar de fora desse ambiente tecnológico, e aderem à internet como uma ferramenta da grande era educacional. O estudo, pesquisas, buscas para se realizar este trabalho direcionou-nos em conhecer vários softwares que prometem facilitarem a vida de um administrador escolar. São observados esses softwares no tópico 3.3. Pudemos estudar os formulários enviados para as instituições de ensino do Município de Codó MA e verificamos que ainda é de modo arcaico e muito trabalhoso necessitando de um sistema como esse proposto para orientar e agilizar esses dados e cumprimento de datas. Com as análises de requisitos e os levantamentos de requisitos, observamos que um sistema bem elaborado e de grande sucesso não se pode começar sem que primeiro se faça esse levantamento. A padronização da modelagem orientada a objetos, estudando a UML e seus diagramas. Para trabalhos futuros, a aplicação desenvolvida deverá ser um software para gerenciamento de toda a escola, visando a parte de gestão administrativa, pedagógica, financeira e focar, não mais só no cálculo do beneficiário do Bolsa Família mais também em todo o conjunto de gerenciamento de dados escolar.
  62. 62. 61 REFERÊNCIA ANDRADE, J. L. N. &. G. K. SISTEMA DE INFORMAÇÃO. Porto Alegre: Bookman, 2005. ANGELONI, M. T. INTELIGENCIA INFORMAÇÃO E CONHECIMENTO. São Paulo: Tarapanoff, 2006. BEIGHLEY, L. USE A CABEÇA! Rio de Janeiro: Alta Books, 2012. CIDRAL, J. L. N. A. &. A. FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Rio de Janeiro: [s.n.], 2010. GUIMARÃES, C. P. L. &. E. M. DICIONÁRIA BRASILEIRO GLOBO. 46ª. ed. São Paulo: Atlanta, 1995. KORTH, A. S. &. H. F. SISTEMA DE BANCO DE DADOS. 3ª. ed. São Paulo: Makron Books, 2008. MAYA, A. ANÁLISE DE SISTEMA. São Paulo: [s.n.], 1998. MELO, A. C. DESENVOLVENDO APLICAÇÃO COM UML 2.2 Do Conceitual à Implementação. 3ª. ed. Rio de Janeiro: [s.n.], 2010. NERI, T. C. &. M. C. PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA uma década de inclusão e cidadania. 1ª. ed. Brasília: ISBN 978-85-7811-186-1, v. Único, 2013.1. OLIVEIRA, R. D. INFORMÁTICA EDUCATIVA. 17ª. ed. São Paulo: Érica, 2011. RUMBAUGH, G. B. &. J. UML GUIA DO USUÁRIO. 2ª. ed. São Paulo: Elsevier, 2012. S., M. &. M. ARQUITETURA DA INFORMAÇÃO. Rio de Janeiro: Tarapanoff, 2006. SIMÕES, N. A. MODELAGEM UML ATRAVÉS DO MICROSOFT VISUAL STUDIO. São Paulo: [s.n.], 2010. TAJRA, S. F. Informática na Educação. 8ª. ed. São Paulo: Papirus Editora, 2011. THOMSON, L. W. &. L. PHP e MYSQL DESENVOLVIMENTO WEB. 6ª. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2005. VIDEIRA, A. M. R. D. S. &. C. A. E. UML METODOLOGIAS E FERRAMENTAS CASE. Portugal: Centro Atlântico , 2001. REZENDE. FLAVIA. (2002). AS NOVAS TECNOLOGIAS NA PRÁTICA SOB A PERSPECTIVA CONSTRUTIVA. Acesso em 23 de Março de 2014, disponível em http://www.portal.fae.ufmg.br/seer/index.php/ensaio/article/viewFile/13/45B.
  63. 63. 62 SILVA SANTOS DA. ADRIANA. (2011). A TECNOLOGIA COMO NOVA PRÁTICA PEDAGÓGICA. Acesso em 23 de Março de 2014, disponível em http://www.esab.edu.br/arquivos/monografias/adriana-santos-da-silva.pdf NUNES JESUS. MILENA. (2009). O PROFESSOR E AS NOVAS TECNOLOGIAS: PONTUANDO DIFICULDADES E APONTANDO CONTRIBUIÇÕES. Acesso em 23 de Março de 2014 http://www.uneb.br/salvador/dedc/files/2011/05/Monografia- MILENA-DE-JESUS-NUNES.pdf PACIEVITCH. YURI. (2011). MYSQL. Acesso em 10 de Maio de 2014, disponível em http://www.infoescola.com/informatica/mysql/ IMAMURA. DANIEL. (2012). MYSQL WORKBENCH MANUAL. Acesso 10 de Maio de 2014 http://www.danielimamura.com.br/index.php/manual-completo-do-mysql- workbench/ LINS. OTTOR. (2012). PHP. Acesso em 10 de Maio 2014, disponível http://tech- natioff.forumeiros.com/t103-definicao-de-php PACIEVITCH. YURI. (2012). DREAMWEAVER. Acesso em 10 de Maio de 2014, disponível em http://www.infoescola.com/informatica/dreamweaver/ S. S. JOSE & A. C. W. T. (2013). PROPOSTA DE UM SISTEMA PARA AUTOMATIZAR ROTINAS ADMINISTRATIVAS ESCOLARES. Acesso em 20 de Fevereiro de 2014, disponível em http://www.slideshare.net/TancredoAlmeida/servio- pblico-federal-atualizado C. EMILIO. (2014). INICIATIVA COMPUTAÇÃO NA ESCOLA É DESTAQUE NO CADERNO DE ECONOMIA/BIT DO DC. Acesso em 07 de Maio de 2014 http://www.inf.ufsc.br/

×