SlideShare uma empresa Scribd logo
Elaboração de relatórios e resumos científicos Nance Beyer Nardi Departamento de Genética Universidade Federal do Rio Grande do Sul
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
1 - Por que escrever um relatório ou um resumo científico?!
... Por que fazer pesquisa? ,[object Object]
realizar a pesquisa formular a pergunta interpretar resultados divulgar resultados sem divulgação dos resultados, sua pesquisa não servirá a seu fim
Escrever auxilia na: ,[object Object],[object Object],[object Object]
O cientista escreve: ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
ou... ,[object Object]
[object Object]
2 - O que considerar ao planejar um relatório ou um resumo? ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
A forma é importante...
A forma é importante...
[object Object]
Algumas regras: não deixe para a última hora faça um esboço critique escreva revise reescreva/ corrija mostre para o orientador leia alguns relatórios ou resumos imprima a cópia final!
3 - Como escrever um relatório? ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],IMRAD
[object Object],[object Object],[object Object]
3.1 - Identificação ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
3.2 - Introdução ,[object Object]
3.2 - Introdução ,[object Object],Exemplo O conceito da célula tronco hematopoiética foi inicialmente proposto por Till e McCulloch (1961) que desenvolveram um ensaio clonogênico  in vivo , identificando uma célula murina com capacidade de auto-renovação e pluripotencialidade. Estas células constituem uma fração bastante reduzida da população total do tecido hematopoiético, estimando-se sua presença em menos de um milhão em um indivíduo adulto.
3.2 - Introdução ,[object Object],Exemplo Diversos estudos têm enfocado a caracterização biológica das células tronco hematopoiéticas. Sua caracterização fenotípica tem se mostrado confusa, e alguns marcadores de superfície, embora não exclusivos de células tronco, tais como CD34, CD38, Thy-1, HLA-DR e outros marcadores linhagem-específicos, têm sido alvos constantes de investigação (Orlic & Bodine, 1994; Krause  et al ., 1996; Ziegler  et al ., 1999).
3.2 - Introdução ,[object Object],Exemplo   Este projeto teve como objetivo geral a c aracterização da morfologia, citoquímica e imunofenótipo das células hematopoiéticas do sangue de cordão umbilical humano (UCB), bem como a análise do papel de citocinas durante seu cultivo  in vitro .
3.2 - Introdução ,[object Object],Exemplo   Foi e stabelecido um sistema de coleta e cultivo de sangue de cordão umbilical humano, resultando na formação de uma camada de células aderentes com capacidade de manutenção da hematopoiese. A camada aderente originada, bem como as células hematopoiéticas, foram caracterizadas morfológica e imunofenotipicamente.
3.3 - Material e Métodos O que você utilizou e o que  você fez para responder a  questão?
3.3 - Material e Métodos ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
3.3 - Material e Métodos ,[object Object],Exemplo   Preparações com diferentes graus de enriquecimento das células tronco/progenitoras foram obtidas pela combinação de incubação com gelatina 3% em tampão fosfato e centrifugação da camada enriquecida em células mononucleares sobre Ficoll-Hypaque. Células CD34+ foram isoladas em coluna com contas magnéticas, lavadas e ressuspendidas na concentração desejada.
3.4 - Resultados   Q uais as respostas que você encontrou?
3.4 - Resultados ,[object Object],Exemplo   A composição celular da fração mononuclear foi determinada por citometria de fluxo em 15 amostras, mostrando uma proporção de 8:2 entre linfócitos e monócitos  (Tab. 1). E ntre as células CD34+,  CD31 e HLA-DR foram as moléculas com maior frequência, seguidas por CD62L and CD117. Os níveis de CD11c e CD49e nas células CD34 +  foi baixo (Fig. 1).
3.4 - Resultados ,[object Object]
3.4 - Resultados ,[object Object],Exemplo   Tabela 1 - Composição celular da fração de células mononucleares, determinada por citometria de fluxo (n = 15). Valores representam percentagens médias    desvio padrão.
3.4 - Resultados Figuras   (fotos, esquemas, gráficos) são numeradas sequencialmente (Figura 1, Figura 2, etc). Seu título deve ser informativo, colocado abaixo e justificado à esquerda, descrevendo o que é mostrado. Figura 1  - Distribuição de marcadores de superfície em células  CD34 +   (n = 8). Exemplo
3.5 - Discussão / Conclusões O que estas respostas significam?  Como elas ajudam a resolver o  problema?  Quais as principais  dificuldades encontradas? Quais as  perspectivas de continuidade do  trabalho?
3.5 - Discussão / Conclusões ,[object Object],Exemplo   Os resultados assim obtidos salientam a heterogeneidade fenotípica cas células CD34+ presentes no sangue de cordão umbilical. Em células CD34 + CD38 + , por exemplo, CD62L foi mais expressa na medula óssea que no sangue de cordão umbilical, enquanto o contrário é encontrado em células mais imaturas, CD34 + CD38 -  [5].
3.5 - Discussão / Conclusões ,[object Object],Exemplo   O pequeno tamanho da amostra utilizada para a análise dos marcadores em células CD34+ pode ter-se constituído em um fator importante para a alta heterogeneidade encontrada.
3.5 - Discussão / Conclusões ,[object Object],Exemplo   A impossibilidade de purificação de células CD34+CD38-Lin-, devida a seu número excessivamente baixo nas amostras obtidas, poderá ser corrigida no futuro pela coleta de maiores volumes de sangue de cordão umbilical.
3.6 - Matéria encaminhada para publicação Exemplo   Pranke P, Failace RR, Allebrandt WF, Steibel G, Schmidt F,  Nardi NB. Hematologic and immunophenotypic  characterization of human umbilical cord blood.  Acta  Haematologica  (no prelo). Quando houver, referir resumos ou  artigos científicos publicados, no prelo  ou encaminhados para publicação
3.7 - Bibliografia citada Exemplo s Gluckman E, Rocha V, Chastang C:  Cord blood stem cell.  Baillieres Best Pract Res Clin Haematol. 1999;  12:279-292. MORRISON S J, WRIGHT D E, CHESHIER S H,  WEISSMAN, I L (1997) Hematopoietic stem cells:  challenges to expectations.  Curr Opin Immunol , 9:  216-221. Diversos formatos: definir qual o mais  apropriado
3.7 - Bibliografia citada ,[object Object],[object Object],[object Object]
3.8 - Perspectivas de continuidade ou desdobramento do trabalho Exemplo Durante o perído ao qual se refere este relatório, teve início um projeto visando a transferência gênica em células hematopoiéticas que resultou no estabelecimento de um método de lipofecção de alta eficiência. A continuidade e aperfeiçoamento deste método, visando a célula tronco hematopoiética, serão alvo do projeto que compõe a presente proposta. O projeto foi concluído ou será  continuado?
3.9 - Outras atividades de interesse universitário Exemplo Participação no 45º Congresso Nacional de Genética, 03- 06/10 de 1999, Gramado, RS Participação no Simpósio Internacional de Terapia Gênica.  08-11/05 de 2000, P.Alegre, RS. Participação no 2º Curso de Atualização e Revisão de  Neurociências, 03-06/04 de 2000, P.Alegre, RS. Descrever participações em congressos,  cursos extra-curriculares, etc
3.10 - Apoio Exemplo   O projeto teve financiamento do CNPq e FINEP.   Citar as agências que financiaram o  projeto
3.11 - Agradecimentos Exemplo   Colaboraram: Leonardo Augusto Karam Teixeira (Professor Substituto) e Cecília Helena Fricke Matte (Bolsista), Depto. de Genética, UFRGS.  Citar pessoas ou instituições que  tenham colaborado para a execução do  projeto
4 - Como escrever um resumo? ,[object Object],[object Object],[object Object],Obs: consulta à apresentação da Profa. Dra. Léa Masina - Instituto de Letras UFRGS -  Como apresentar um trabalho num Congresso Científico: Elaboração do Resumo
4 - Como escrever um resumo? ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
4 - Como escrever um resumo? ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
4 - Como escrever um resumo? ,[object Object],[object Object],[object Object]
4.1 - Identificação   Título, participantes, local de execução
Características biológicas de células hematopoiéticas transfectadas com o gene egfp.  Leonardo Augusto Karam Teixeira, Cecília Matte Fricke, Camila Ilgenfritz e Nance Beyer Nardi. Departamento de Genética – Instituto de Biociências, UFRGS – Porto Alegre/RS. Células hematopoiéticas estão sendo intensamente investigadas devido a seu potencial como alvo de terapia gênica. Tem sido mostrado entretanto que a transferência de genes exógenos pode alterar biologicamente as células alvo, diminuindo sua capacidade de proliferação e diferenciação. O presente trabalho teve como objetivo a análise das características biológicas de células da linhagem hematopoiética K562, previamente transfectadas com o gene repórter egfp ( enhanced green fluorescent protein ), cuja expressão é detectada por citometria de fluxo. Células K562 transfectadas ou normais foram cultivadas em diferentes condições, e comparadas com relação a diferentes parâmetros que incluiram a expressão de marcadores de superfície. Os principais resultados encontrados foram: (1) quando cultivadas na ausência de pressão seletiva, a expressão do gene repórter mostrou um rápido declínio; (2) células K562 transfectadas apresentaram uma capacidade mitótica diminuída quando co-cultivadas com células K562 normais, em diferentes concentrações; e (3) os níveis das moléculas de adesão CD11c, CD31 (baixo) e CD49e (alto) não foram afetados pela transfecção, enquanto a baixa expressão dos marcadores CD62L e CD117 mostraram uma tendência a aumentar nas células transfectadas. Estes resultados mostram que dois dos principais problemas dos protocolos de terapia gênica, manutenção da expressão do transgene e expansão das células transfectadas, podem ser analisados para correção in vitro. Apoio: CNPq, FINEP
4.2 - Introdução ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Características biológicas de células hematopoiéticas transfectadas com o gene egfp.  Leonardo Augusto Karam Teixeira, Cecília Matte Fricke, Camila Ilgenfritz e Nance Beyer Nardi. Departamento de Genética – Instituto de Biociências, UFRGS – Porto Alegre/RS. Células hematopoiéticas estão sendo intensamente investigadas devido a seu potencial como alvo de terapia gênica. Tem sido mostrado entretanto que a transferência de genes exógenos pode alterar biologicamente as células alvo, diminuindo sua capacidade de proliferação e diferenciação.  O presente trabalho teve como objetivo a análise das características biológicas de células da linhagem hematopoiética K562, previamente transfectadas com o gene repórter egfp ( enhanced green fluorescent protein ), cuja expressão é detectada por citometria de fluxo.  Células K562 transfectadas ou normais foram cultivadas em diferentes condições, e comparadas com relação a diferentes parâmetros que incluiram a expressão de marcadores de superfície. Os principais resultados encontrados foram: (1) quando cultivadas na ausência de pressão seletiva, a expressão do gene repórter mostrou um rápido declínio; (2) células K562 transfectadas apresentaram uma capacidade mitótica diminuída quando co-cultivadas com células K562 normais, em diferentes concentrações; e (3) os níveis das moléculas de adesão CD11c, CD31 (baixo) e CD49e (alto) não foram afetados pela transfecção, enquanto a baixa expressão dos marcadores CD62L e CD117 mostraram uma tendência a aumentar nas células transfectadas. Estes resultados mostram que dois dos principais problemas dos protocolos de terapia gênica, manutenção da expressão do transgene e expansão das células transfectadas, podem ser analisados para correção in vitro. Apoio: CNPq, FINEP
3.3 - Material e Métodos Descreva de forma breve, mas  compreensível, como você procedeu  para responder a questão levantada.
Características biológicas de células hematopoiéticas transfectadas com o gene egfp.  Leonardo Augusto Karam Teixeira, Cecília Matte Fricke, Camila Ilgenfritz e Nance Beyer Nardi. Departamento de Genética – Instituto de Biociências, UFRGS – Porto Alegre/RS. Células hematopoiéticas estão sendo intensamente investigadas devido a seu potencial como alvo de terapia gênica. Tem sido mostrado entretanto que a transferência de genes exógenos pode alterar biologicamente as células alvo, diminuindo sua capacidade de proliferação e diferenciação. O presente trabalho teve como objetivo a análise das características biológicas de células da linhagem hematopoiética K562, previamente transfectadas com o gene repórter egfp ( enhanced green fluorescent protein ), cuja expressão é detectada por citometria de fluxo.  Células K562 transfectadas ou normais foram cultivadas em diferentes condições, e comparadas com relação a diferentes parâmetros que incluiram a expressão de marcadores de superfície.  Os principais resultados encontrados foram: (1) quando cultivadas na ausência de pressão seletiva, a expressão do gene repórter mostrou um rápido declínio; (2) células K562 transfectadas apresentaram uma capacidade mitótica diminuída quando co-cultivadas com células K562 normais, em diferentes concentrações; e (3) os níveis das moléculas de adesão CD11c, CD31 (baixo) e CD49e (alto) não foram afetados pela transfecção, enquanto a baixa expressão dos marcadores CD62L e CD117 mostraram uma tendência a aumentar nas células transfectadas. Estes resultados mostram que dois dos principais problemas dos protocolos de terapia gênica, manutenção da expressão do transgene e expansão das células transfectadas, podem ser analisados para correção in vitro. Apoio: CNPq, FINEP
3.4 - Resultados   Q uais as respostas que você encontrou?
Características biológicas de células hematopoiéticas transfectadas com o gene egfp.  Leonardo Augusto Karam Teixeira, Cecília Matte Fricke, Camila Ilgenfritz e Nance Beyer Nardi. Departamento de Genética – Instituto de Biociências, UFRGS – Porto Alegre/RS. Células hematopoiéticas estão sendo intensamente investigadas devido a seu potencial como alvo de terapia gênica. Tem sido mostrado entretanto que a transferência de genes exógenos pode alterar biologicamente as células alvo, diminuindo sua capacidade de proliferação e diferenciação. O presente trabalho teve como objetivo a análise das características biológicas de células da linhagem hematopoiética K562, previamente transfectadas com o gene repórter egfp ( enhanced green fluorescent protein ), cuja expressão é detectada por citometria de fluxo. Células K562 transfectadas ou normais foram cultivadas em diferentes condições, e comparadas com relação a diferentes parâmetros que incluiram a expressão de marcadores de superfície.  Os principais resultados encontrados foram: (1) quando cultivadas na ausência de pressão seletiva, a expressão do gene repórter mostrou um rápido declínio; (2) células K562 transfectadas apresentaram uma capacidade mitótica diminuída quando co-cultivadas com células K562 normais, em diferentes concentrações; e (3) os níveis das moléculas de adesão CD11c, CD31 (baixo) e CD49e (alto) não foram afetados pela transfecção, enquanto a baixa expressão dos marcadores CD62L e CD117 mostraram uma tendência a aumentar nas células transfectadas.  Estes resultados mostram que dois dos principais problemas dos protocolos de terapia gênica, manutenção da expressão do transgene e expansão das células transfectadas, podem ser analisados para correção in vitro. Apoio: CNPq, FINEP
3.5 - Discussão / Conclusões Descreva de forma suscinta o que  estas  respostas significam.
Características biológicas de células hematopoiéticas transfectadas com o gene egfp.  Leonardo Augusto Karam Teixeira, Cecília Matte Fricke, Camila Ilgenfritz e Nance Beyer Nardi. Departamento de Genética – Instituto de Biociências, UFRGS – Porto Alegre/RS. Células hematopoiéticas estão sendo intensamente investigadas devido a seu potencial como alvo de terapia gênica. Tem sido mostrado entretanto que a transferência de genes exógenos pode alterar biologicamente as células alvo, diminuindo sua capacidade de proliferação e diferenciação. O presente trabalho teve como objetivo a análise das características biológicas de células da linhagem hematopoiética K562, previamente transfectadas com o gene repórter egfp ( enhanced green fluorescent protein ), cuja expressão é detectada por citometria de fluxo. Células K562 transfectadas ou normais foram cultivadas em diferentes condições, e comparadas com relação a diferentes parâmetros que incluiram a expressão de marcadores de superfície. Os principais resultados encontrados foram: (1) quando cultivadas na ausência de pressão seletiva, a expressão do gene repórter mostrou um rápido declínio; (2) células K562 transfectadas apresentaram uma capacidade mitótica diminuída quando co-cultivadas com células K562 normais, em diferentes concentrações; e (3) os níveis das moléculas de adesão CD11c, CD31 (baixo) e CD49e (alto) não foram afetados pela transfecção, enquanto a baixa expressão dos marcadores CD62L e CD117 mostraram uma tendência a aumentar nas células transfectadas.  Estes resultados mostram que dois dos principais problemas dos protocolos de terapia gênica, manutenção da expressão do transgene e expansão das células transfectadas, podem ser analisados para correção in vitro. Apoio: CNPq, FINEP
3.10 - Apoio Cite os órgãos financiadores.
Características biológicas de células hematopoiéticas transfectadas com o gene egfp.  Leonardo Augusto Karam Teixeira, Cecília Matte Fricke, Camila Ilgenfritz e Nance Beyer Nardi. Departamento de Genética – Instituto de Biociências, UFRGS – Porto Alegre/RS. Células hematopoiéticas estão sendo intensamente investigadas devido a seu potencial como alvo de terapia gênica. Tem sido mostrado entretanto que a transferência de genes exógenos pode alterar biologicamente as células alvo, diminuindo sua capacidade de proliferação e diferenciação. O presente trabalho teve como objetivo a análise das características biológicas de células da linhagem hematopoiética K562, previamente transfectadas com o gene repórter egfp ( enhanced green fluorescent protein ), cuja expressão é detectada por citometria de fluxo. Células K562 transfectadas ou normais foram cultivadas em diferentes condições, e comparadas com relação a diferentes parâmetros que incluiram a expressão de marcadores de superfície. Os principais resultados encontrados foram: (1) quando cultivadas na ausência de pressão seletiva, a expressão do gene repórter mostrou um rápido declínio; (2) células K562 transfectadas apresentaram uma capacidade mitótica diminuída quando co-cultivadas com células K562 normais, em diferentes concentrações; e (3) os níveis das moléculas de adesão CD11c, CD31 (baixo) e CD49e (alto) não foram afetados pela transfecção, enquanto a baixa expressão dos marcadores CD62L e CD117 mostraram uma tendência a aumentar nas células transfectadas. Estes resultados mostram que dois dos principais problemas dos protocolos de terapia gênica, manutenção da expressão do transgene e expansão das células transfectadas, podem ser analisados para correção in vitro. Apoio: CNPq, FINEP
5 - Lembrar de fazer... siga uma ordem lógica tente ser claro, conciso e completo cite apenas referências relevantes e necessárias inclua apenas tabelas e figuras necessárias confira a digitação
6 - Lembrar de não fazer... uso de gíria de laboratório ou de rua sentenças ou parágrafos muito longos nunca apresente parte de livros ou idéias da literatura como suas - é plágio, um crime intelectual no resumo, não escrever “os resultados serão discutidos”
Um dicionário de frases úteis em pesquisa... Há muito tempo é sabido... Eu não achei a referência original.
Um dicionário de frases úteis em pesquisa... Acredita-se que... Eu acho que...
Um dicionário de frases úteis em pesquisa... Uma ou duas outras pessoas também acham... Geralmente acredita-se que...
Um dicionário de frases úteis em pesquisa... Eu não compreendo o fenômeno. Pesquisas adicionais são necessárias antes que uma clara compreensão do fenômeno seja alcançada.
Um dicionário de frases úteis em pesquisa... Correto com uma ordem de magnitude. Errado.
Um dicionário de frases úteis em pesquisa... As outras três páginas de dados foram destruídos quando eu derramei um copo de cerveja em cima. As conclusões a partir dos dados que puderam ser analisados são...
Um dicionário de frases úteis em pesquisa... ... estes conhecimentos têm grande importância prática e teórica. ... pra mim, parece interessante.
Um dicionário de frases úteis em pesquisa... Três da amostras foram selecionadas para um estudo mais detalhado. As outras tiveram resultados muito esquisitos.
Um dicionário de frases úteis em pesquisa... Resultados representativos são apresentados. Os melhores resultados são apresentados.
Um dicionário de frases úteis em pesquisa... Agradeço a Joe Blotz pelo auxílio com os experimento e a George Frink por interessantes discussões... Blotz fez o trabalho e Frink explicou-me o seu significado.
Para receber uma cópia desta apresentação... Acesse  http://www.ufrgs.br/cpgbm/Labs/Imunogenetica ou escreva para  [email_address]

Mais conteúdo relacionado

Destaque

Creating A Literate Environment
Creating A Literate Environment Creating A Literate Environment
Creating A Literate Environment
gen1208
 
02 ffb
02 ffb02 ffb
Realidad de la unc
Realidad de la uncRealidad de la unc
Realidad de la unc
abelithw
 
Are Manufacturing Companies Ready to Go Digital?
Are Manufacturing Companies Ready to Go Digital?Are Manufacturing Companies Ready to Go Digital?
Are Manufacturing Companies Ready to Go Digital?
Capgemini
 
Руководство для маркетологов от Google
Руководство для маркетологов от GoogleРуководство для маркетологов от Google
Руководство для маркетологов от Google
Hidden Marketing
 
Automatas hidraulica-neumatica
Automatas hidraulica-neumaticaAutomatas hidraulica-neumatica
Automatas hidraulica-neumatica
Christian Irvin Ramos Violante
 
Manual y Unidad I
Manual y Unidad IManual y Unidad I
Manual y Unidad I
Jesus Vargas
 
Educação e formação de adultos: Novos desafios
Educação e formação de adultos: Novos desafiosEducação e formação de adultos: Novos desafios
Educação e formação de adultos: Novos desafios
teresamaria83
 
Resenha do capítulo Guerras Bárbaras, do livro História das Guerras
Resenha do capítulo Guerras Bárbaras, do livro História das GuerrasResenha do capítulo Guerras Bárbaras, do livro História das Guerras
Resenha do capítulo Guerras Bárbaras, do livro História das Guerras
Ricardo Jorge
 
2
22
Analítica Web y SEO - Human Level Communications
Analítica Web y SEO - Human Level CommunicationsAnalítica Web y SEO - Human Level Communications
Analítica Web y SEO - Human Level Communications
Human Level
 
Teknik resim ve çizim teknolojileri 520 tc0007 (1)
Teknik resim ve çizim teknolojileri 520 tc0007 (1)Teknik resim ve çizim teknolojileri 520 tc0007 (1)
Teknik resim ve çizim teknolojileri 520 tc0007 (1)Iklimlendirme Sogutma
 
Effect of Marketing Mix Elements
Effect of Marketing Mix ElementsEffect of Marketing Mix Elements
Effect of Marketing Mix Elements
Fery Darmansyah
 
Perfil das pessoas e famílias no Cadastro Único do Governo Federal - 2013
Perfil das pessoas e famílias no Cadastro Único do Governo Federal - 2013 Perfil das pessoas e famílias no Cadastro Único do Governo Federal - 2013
Perfil das pessoas e famílias no Cadastro Único do Governo Federal - 2013
Secretaria Especial do Desenvolvimento Social
 
Manual Parklet sp
Manual Parklet spManual Parklet sp
Manual Parklet sp
Willian De Sá
 
SOCIOLOGIA GERAL
SOCIOLOGIA GERALSOCIOLOGIA GERAL
Sumario administrativo (1)
Sumario administrativo (1)Sumario administrativo (1)
Sumario administrativo (1)
Mirta Hnriquez
 
Gestão de Stocks
 Gestão de Stocks  Gestão de Stocks
Gestão de Stocks
Tatianadizz99
 
Subliminar 1
Subliminar 1Subliminar 1
Subliminar 1
Rogerio Sena
 

Destaque (19)

Creating A Literate Environment
Creating A Literate Environment Creating A Literate Environment
Creating A Literate Environment
 
02 ffb
02 ffb02 ffb
02 ffb
 
Realidad de la unc
Realidad de la uncRealidad de la unc
Realidad de la unc
 
Are Manufacturing Companies Ready to Go Digital?
Are Manufacturing Companies Ready to Go Digital?Are Manufacturing Companies Ready to Go Digital?
Are Manufacturing Companies Ready to Go Digital?
 
Руководство для маркетологов от Google
Руководство для маркетологов от GoogleРуководство для маркетологов от Google
Руководство для маркетологов от Google
 
Automatas hidraulica-neumatica
Automatas hidraulica-neumaticaAutomatas hidraulica-neumatica
Automatas hidraulica-neumatica
 
Manual y Unidad I
Manual y Unidad IManual y Unidad I
Manual y Unidad I
 
Educação e formação de adultos: Novos desafios
Educação e formação de adultos: Novos desafiosEducação e formação de adultos: Novos desafios
Educação e formação de adultos: Novos desafios
 
Resenha do capítulo Guerras Bárbaras, do livro História das Guerras
Resenha do capítulo Guerras Bárbaras, do livro História das GuerrasResenha do capítulo Guerras Bárbaras, do livro História das Guerras
Resenha do capítulo Guerras Bárbaras, do livro História das Guerras
 
2
22
2
 
Analítica Web y SEO - Human Level Communications
Analítica Web y SEO - Human Level CommunicationsAnalítica Web y SEO - Human Level Communications
Analítica Web y SEO - Human Level Communications
 
Teknik resim ve çizim teknolojileri 520 tc0007 (1)
Teknik resim ve çizim teknolojileri 520 tc0007 (1)Teknik resim ve çizim teknolojileri 520 tc0007 (1)
Teknik resim ve çizim teknolojileri 520 tc0007 (1)
 
Effect of Marketing Mix Elements
Effect of Marketing Mix ElementsEffect of Marketing Mix Elements
Effect of Marketing Mix Elements
 
Perfil das pessoas e famílias no Cadastro Único do Governo Federal - 2013
Perfil das pessoas e famílias no Cadastro Único do Governo Federal - 2013 Perfil das pessoas e famílias no Cadastro Único do Governo Federal - 2013
Perfil das pessoas e famílias no Cadastro Único do Governo Federal - 2013
 
Manual Parklet sp
Manual Parklet spManual Parklet sp
Manual Parklet sp
 
SOCIOLOGIA GERAL
SOCIOLOGIA GERALSOCIOLOGIA GERAL
SOCIOLOGIA GERAL
 
Sumario administrativo (1)
Sumario administrativo (1)Sumario administrativo (1)
Sumario administrativo (1)
 
Gestão de Stocks
 Gestão de Stocks  Gestão de Stocks
Gestão de Stocks
 
Subliminar 1
Subliminar 1Subliminar 1
Subliminar 1
 

Semelhante a Relatorio Resumo

Como Elaborar Um Relatorio
Como Elaborar Um RelatorioComo Elaborar Um Relatorio
Como Elaborar Um Relatorio
Armin Caldas
 
Elaborar relatório cientifico
Elaborar relatório cientificoElaborar relatório cientifico
Elaborar relatório cientifico
Romario Sousa
 
Como elaborar um_relatorio
Como elaborar um_relatorioComo elaborar um_relatorio
Como elaborar um_relatorio
Edimar Sartoro
 
Carina modelo de_relatorio
Carina modelo de_relatorioCarina modelo de_relatorio
Carina modelo de_relatorio
Carinaswaguie
 
Comunicacao científica
Comunicacao científicaComunicacao científica
Comunicacao científica
Renato Vicente
 
Modelo 21
Modelo 21Modelo 21
Modelo 21
inesfilipapinto
 
Organização da Informação no Lattes
Organização da Informação no LattesOrganização da Informação no Lattes
Organização da Informação no Lattes
Fabio Silva
 
Como ler e redigir relatos de pesquisa / A Receita da Replicação
Como ler e redigir relatos de pesquisa / A Receita da ReplicaçãoComo ler e redigir relatos de pesquisa / A Receita da Replicação
Como ler e redigir relatos de pesquisa / A Receita da Replicação
Caio Maximino
 
Modelo de relatório_25
Modelo de relatório_25Modelo de relatório_25
Modelo de relatório_25
inesfilipapinto
 
Modelo de relatório_25
Modelo de relatório_25Modelo de relatório_25
Modelo de relatório_25
inesfilipapinto
 
Modelo de um_relatorio_jose_9c
Modelo de um_relatorio_jose_9cModelo de um_relatorio_jose_9c
Modelo de um_relatorio_jose_9c
ZENOBRE
 
Relatorio de pesquisa
Relatorio de pesquisaRelatorio de pesquisa
Relatorio de pesquisa
cristianyours
 
Modelo relatório científico_9ºc_nº16
Modelo relatório científico_9ºc_nº16Modelo relatório científico_9ºc_nº16
Modelo relatório científico_9ºc_nº16
joaoliveira16
 
Estrutura e formatação de um projeto de pesquisa - parte 2 de 4
Estrutura e formatação de um projeto de pesquisa -  parte 2 de 4Estrutura e formatação de um projeto de pesquisa -  parte 2 de 4
Estrutura e formatação de um projeto de pesquisa - parte 2 de 4
Geisi Rojas Barreto
 
Relatórios 20 09_2010-1
Relatórios 20 09_2010-1Relatórios 20 09_2010-1
Relatórios 20 09_2010-1
Aldo Sena
 
Revisão sistemática - Parte 2
Revisão sistemática - Parte 2Revisão sistemática - Parte 2
Revisão sistemática - Parte 2
bibmedufrgs
 
Revisão Sistemática - Parte 2
Revisão Sistemática - Parte 2Revisão Sistemática - Parte 2
Revisão Sistemática - Parte 2
Universidade Federal do Rio Grande do Sul
 
Modelo de relatório_pdf
Modelo de relatório_pdfModelo de relatório_pdf
Modelo de relatório_pdf
Unportble
 
Aula 3 chagas 2000 - questionário na pesquisa científica
Aula 3   chagas 2000 - questionário na pesquisa científicaAula 3   chagas 2000 - questionário na pesquisa científica
Aula 3 chagas 2000 - questionário na pesquisa científica
Andréa Thees
 
Apendice-L-Informacoes-Importantes-para-Construcao-do-Artigo-Cientifico.pdf
Apendice-L-Informacoes-Importantes-para-Construcao-do-Artigo-Cientifico.pdfApendice-L-Informacoes-Importantes-para-Construcao-do-Artigo-Cientifico.pdf
Apendice-L-Informacoes-Importantes-para-Construcao-do-Artigo-Cientifico.pdf
CheserDomingues
 

Semelhante a Relatorio Resumo (20)

Como Elaborar Um Relatorio
Como Elaborar Um RelatorioComo Elaborar Um Relatorio
Como Elaborar Um Relatorio
 
Elaborar relatório cientifico
Elaborar relatório cientificoElaborar relatório cientifico
Elaborar relatório cientifico
 
Como elaborar um_relatorio
Como elaborar um_relatorioComo elaborar um_relatorio
Como elaborar um_relatorio
 
Carina modelo de_relatorio
Carina modelo de_relatorioCarina modelo de_relatorio
Carina modelo de_relatorio
 
Comunicacao científica
Comunicacao científicaComunicacao científica
Comunicacao científica
 
Modelo 21
Modelo 21Modelo 21
Modelo 21
 
Organização da Informação no Lattes
Organização da Informação no LattesOrganização da Informação no Lattes
Organização da Informação no Lattes
 
Como ler e redigir relatos de pesquisa / A Receita da Replicação
Como ler e redigir relatos de pesquisa / A Receita da ReplicaçãoComo ler e redigir relatos de pesquisa / A Receita da Replicação
Como ler e redigir relatos de pesquisa / A Receita da Replicação
 
Modelo de relatório_25
Modelo de relatório_25Modelo de relatório_25
Modelo de relatório_25
 
Modelo de relatório_25
Modelo de relatório_25Modelo de relatório_25
Modelo de relatório_25
 
Modelo de um_relatorio_jose_9c
Modelo de um_relatorio_jose_9cModelo de um_relatorio_jose_9c
Modelo de um_relatorio_jose_9c
 
Relatorio de pesquisa
Relatorio de pesquisaRelatorio de pesquisa
Relatorio de pesquisa
 
Modelo relatório científico_9ºc_nº16
Modelo relatório científico_9ºc_nº16Modelo relatório científico_9ºc_nº16
Modelo relatório científico_9ºc_nº16
 
Estrutura e formatação de um projeto de pesquisa - parte 2 de 4
Estrutura e formatação de um projeto de pesquisa -  parte 2 de 4Estrutura e formatação de um projeto de pesquisa -  parte 2 de 4
Estrutura e formatação de um projeto de pesquisa - parte 2 de 4
 
Relatórios 20 09_2010-1
Relatórios 20 09_2010-1Relatórios 20 09_2010-1
Relatórios 20 09_2010-1
 
Revisão sistemática - Parte 2
Revisão sistemática - Parte 2Revisão sistemática - Parte 2
Revisão sistemática - Parte 2
 
Revisão Sistemática - Parte 2
Revisão Sistemática - Parte 2Revisão Sistemática - Parte 2
Revisão Sistemática - Parte 2
 
Modelo de relatório_pdf
Modelo de relatório_pdfModelo de relatório_pdf
Modelo de relatório_pdf
 
Aula 3 chagas 2000 - questionário na pesquisa científica
Aula 3   chagas 2000 - questionário na pesquisa científicaAula 3   chagas 2000 - questionário na pesquisa científica
Aula 3 chagas 2000 - questionário na pesquisa científica
 
Apendice-L-Informacoes-Importantes-para-Construcao-do-Artigo-Cientifico.pdf
Apendice-L-Informacoes-Importantes-para-Construcao-do-Artigo-Cientifico.pdfApendice-L-Informacoes-Importantes-para-Construcao-do-Artigo-Cientifico.pdf
Apendice-L-Informacoes-Importantes-para-Construcao-do-Artigo-Cientifico.pdf
 

Mais de TrasimacoSapo

ApresentaçãO1
ApresentaçãO1ApresentaçãO1
ApresentaçãO1
TrasimacoSapo
 
Trabalho De Campo InclusãO Pesquisa
Trabalho De Campo InclusãO PesquisaTrabalho De Campo InclusãO Pesquisa
Trabalho De Campo InclusãO Pesquisa
TrasimacoSapo
 
Hans ApresentaçãO
Hans ApresentaçãOHans ApresentaçãO
Hans ApresentaçãO
TrasimacoSapo
 
FamíLia E Desenvolvimento Humano
FamíLia E Desenvolvimento HumanoFamíLia E Desenvolvimento Humano
FamíLia E Desenvolvimento Humano
TrasimacoSapo
 
A Vida Intelectual
A Vida IntelectualA Vida Intelectual
A Vida Intelectual
TrasimacoSapo
 
A Vida Intelectual
A Vida IntelectualA Vida Intelectual
A Vida Intelectual
TrasimacoSapo
 
A Flor Que éS
A Flor Que éSA Flor Que éS
A Flor Que éS
TrasimacoSapo
 
A Polegarzinha
A PolegarzinhaA Polegarzinha
A Polegarzinha
TrasimacoSapo
 
A FamíLia Feliz
A FamíLia FelizA FamíLia Feliz
A FamíLia Feliz
TrasimacoSapo
 
A Borboleta
A BorboletaA Borboleta
A Borboleta
TrasimacoSapo
 
A Roupa Nova Do Imperador
A Roupa Nova Do ImperadorA Roupa Nova Do Imperador
A Roupa Nova Do Imperador
TrasimacoSapo
 
Hans Christian Andersen (1805 1875)
Hans Christian Andersen (1805 1875)Hans Christian Andersen (1805 1875)
Hans Christian Andersen (1805 1875)
TrasimacoSapo
 
SíNtese De Indicadores Sociais 2008 Educ Pará
SíNtese De Indicadores Sociais 2008 Educ ParáSíNtese De Indicadores Sociais 2008 Educ Pará
SíNtese De Indicadores Sociais 2008 Educ Pará
TrasimacoSapo
 
A Pequena Vendedora De FóSforos
A Pequena Vendedora De FóSforosA Pequena Vendedora De FóSforos
A Pequena Vendedora De FóSforos
TrasimacoSapo
 

Mais de TrasimacoSapo (14)

ApresentaçãO1
ApresentaçãO1ApresentaçãO1
ApresentaçãO1
 
Trabalho De Campo InclusãO Pesquisa
Trabalho De Campo InclusãO PesquisaTrabalho De Campo InclusãO Pesquisa
Trabalho De Campo InclusãO Pesquisa
 
Hans ApresentaçãO
Hans ApresentaçãOHans ApresentaçãO
Hans ApresentaçãO
 
FamíLia E Desenvolvimento Humano
FamíLia E Desenvolvimento HumanoFamíLia E Desenvolvimento Humano
FamíLia E Desenvolvimento Humano
 
A Vida Intelectual
A Vida IntelectualA Vida Intelectual
A Vida Intelectual
 
A Vida Intelectual
A Vida IntelectualA Vida Intelectual
A Vida Intelectual
 
A Flor Que éS
A Flor Que éSA Flor Que éS
A Flor Que éS
 
A Polegarzinha
A PolegarzinhaA Polegarzinha
A Polegarzinha
 
A FamíLia Feliz
A FamíLia FelizA FamíLia Feliz
A FamíLia Feliz
 
A Borboleta
A BorboletaA Borboleta
A Borboleta
 
A Roupa Nova Do Imperador
A Roupa Nova Do ImperadorA Roupa Nova Do Imperador
A Roupa Nova Do Imperador
 
Hans Christian Andersen (1805 1875)
Hans Christian Andersen (1805 1875)Hans Christian Andersen (1805 1875)
Hans Christian Andersen (1805 1875)
 
SíNtese De Indicadores Sociais 2008 Educ Pará
SíNtese De Indicadores Sociais 2008 Educ ParáSíNtese De Indicadores Sociais 2008 Educ Pará
SíNtese De Indicadores Sociais 2008 Educ Pará
 
A Pequena Vendedora De FóSforos
A Pequena Vendedora De FóSforosA Pequena Vendedora De FóSforos
A Pequena Vendedora De FóSforos
 

Último

Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdfRazonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Demetrio Ccesa Rayme
 
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptxDEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
ConservoConstrues
 
6_201___6o_ano_aula_01_2024_RESUMO_1_5.pptx
6_201___6o_ano_aula_01_2024_RESUMO_1_5.pptx6_201___6o_ano_aula_01_2024_RESUMO_1_5.pptx
6_201___6o_ano_aula_01_2024_RESUMO_1_5.pptx
ALEXANDRODECASTRODOS
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
CarlosJean21
 
PROVA DE ARTE PARA IMPRESSÃO - CORRETA gabarito .pdf
PROVA DE ARTE PARA IMPRESSÃO - CORRETA gabarito .pdfPROVA DE ARTE PARA IMPRESSÃO - CORRETA gabarito .pdf
PROVA DE ARTE PARA IMPRESSÃO - CORRETA gabarito .pdf
MiriamCamily
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
AlineOliveira625820
 
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Militao Ricardo
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
AlessandraRibas7
 
Slides Lição 13, CPAD, A Cidade Celestial, 2Tr24.pptx
Slides Lição 13, CPAD, A Cidade Celestial, 2Tr24.pptxSlides Lição 13, CPAD, A Cidade Celestial, 2Tr24.pptx
Slides Lição 13, CPAD, A Cidade Celestial, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
bmgrama
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
Manuais Formação
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Nertan Dias
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
WELTONROBERTOFREITAS
 
A justiça divina segundo o Espiritismo (V2).pdf
A justiça divina segundo o Espiritismo (V2).pdfA justiça divina segundo o Espiritismo (V2).pdf
A justiça divina segundo o Espiritismo (V2).pdf
MarcoAurlioResende
 
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
Pr Davi Passos - Estudos Bíblicos
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicosDNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
jonny615148
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
Manuais Formação
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
TiagoLouro8
 
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdfMAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
GracinhaSantos6
 

Último (20)

Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdfRazonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
 
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptxDEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
 
6_201___6o_ano_aula_01_2024_RESUMO_1_5.pptx
6_201___6o_ano_aula_01_2024_RESUMO_1_5.pptx6_201___6o_ano_aula_01_2024_RESUMO_1_5.pptx
6_201___6o_ano_aula_01_2024_RESUMO_1_5.pptx
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
 
PROVA DE ARTE PARA IMPRESSÃO - CORRETA gabarito .pdf
PROVA DE ARTE PARA IMPRESSÃO - CORRETA gabarito .pdfPROVA DE ARTE PARA IMPRESSÃO - CORRETA gabarito .pdf
PROVA DE ARTE PARA IMPRESSÃO - CORRETA gabarito .pdf
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
 
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
 
Slides Lição 13, CPAD, A Cidade Celestial, 2Tr24.pptx
Slides Lição 13, CPAD, A Cidade Celestial, 2Tr24.pptxSlides Lição 13, CPAD, A Cidade Celestial, 2Tr24.pptx
Slides Lição 13, CPAD, A Cidade Celestial, 2Tr24.pptx
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
 
A justiça divina segundo o Espiritismo (V2).pdf
A justiça divina segundo o Espiritismo (V2).pdfA justiça divina segundo o Espiritismo (V2).pdf
A justiça divina segundo o Espiritismo (V2).pdf
 
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
 
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicosDNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
 
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdfMAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
 

Relatorio Resumo

  • 1. Elaboração de relatórios e resumos científicos Nance Beyer Nardi Departamento de Genética Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • 2.
  • 3. 1 - Por que escrever um relatório ou um resumo científico?!
  • 4.
  • 5. realizar a pesquisa formular a pergunta interpretar resultados divulgar resultados sem divulgação dos resultados, sua pesquisa não servirá a seu fim
  • 6.
  • 7.
  • 8.
  • 9.
  • 10.
  • 11. A forma é importante...
  • 12. A forma é importante...
  • 13.
  • 14. Algumas regras: não deixe para a última hora faça um esboço critique escreva revise reescreva/ corrija mostre para o orientador leia alguns relatórios ou resumos imprima a cópia final!
  • 15.
  • 16.
  • 17.
  • 18.
  • 19.
  • 20.
  • 21.
  • 22.
  • 23. 3.3 - Material e Métodos O que você utilizou e o que você fez para responder a questão?
  • 24.
  • 25.
  • 26. 3.4 - Resultados Q uais as respostas que você encontrou?
  • 27.
  • 28.
  • 29.
  • 30. 3.4 - Resultados Figuras (fotos, esquemas, gráficos) são numeradas sequencialmente (Figura 1, Figura 2, etc). Seu título deve ser informativo, colocado abaixo e justificado à esquerda, descrevendo o que é mostrado. Figura 1 - Distribuição de marcadores de superfície em células CD34 + (n = 8). Exemplo
  • 31. 3.5 - Discussão / Conclusões O que estas respostas significam? Como elas ajudam a resolver o problema? Quais as principais dificuldades encontradas? Quais as perspectivas de continuidade do trabalho?
  • 32.
  • 33.
  • 34.
  • 35. 3.6 - Matéria encaminhada para publicação Exemplo Pranke P, Failace RR, Allebrandt WF, Steibel G, Schmidt F, Nardi NB. Hematologic and immunophenotypic characterization of human umbilical cord blood. Acta Haematologica (no prelo). Quando houver, referir resumos ou artigos científicos publicados, no prelo ou encaminhados para publicação
  • 36. 3.7 - Bibliografia citada Exemplo s Gluckman E, Rocha V, Chastang C: Cord blood stem cell. Baillieres Best Pract Res Clin Haematol. 1999; 12:279-292. MORRISON S J, WRIGHT D E, CHESHIER S H, WEISSMAN, I L (1997) Hematopoietic stem cells: challenges to expectations. Curr Opin Immunol , 9: 216-221. Diversos formatos: definir qual o mais apropriado
  • 37.
  • 38. 3.8 - Perspectivas de continuidade ou desdobramento do trabalho Exemplo Durante o perído ao qual se refere este relatório, teve início um projeto visando a transferência gênica em células hematopoiéticas que resultou no estabelecimento de um método de lipofecção de alta eficiência. A continuidade e aperfeiçoamento deste método, visando a célula tronco hematopoiética, serão alvo do projeto que compõe a presente proposta. O projeto foi concluído ou será continuado?
  • 39. 3.9 - Outras atividades de interesse universitário Exemplo Participação no 45º Congresso Nacional de Genética, 03- 06/10 de 1999, Gramado, RS Participação no Simpósio Internacional de Terapia Gênica. 08-11/05 de 2000, P.Alegre, RS. Participação no 2º Curso de Atualização e Revisão de Neurociências, 03-06/04 de 2000, P.Alegre, RS. Descrever participações em congressos, cursos extra-curriculares, etc
  • 40. 3.10 - Apoio Exemplo O projeto teve financiamento do CNPq e FINEP. Citar as agências que financiaram o projeto
  • 41. 3.11 - Agradecimentos Exemplo Colaboraram: Leonardo Augusto Karam Teixeira (Professor Substituto) e Cecília Helena Fricke Matte (Bolsista), Depto. de Genética, UFRGS. Citar pessoas ou instituições que tenham colaborado para a execução do projeto
  • 42.
  • 43.
  • 44.
  • 45.
  • 46. 4.1 - Identificação Título, participantes, local de execução
  • 47. Características biológicas de células hematopoiéticas transfectadas com o gene egfp. Leonardo Augusto Karam Teixeira, Cecília Matte Fricke, Camila Ilgenfritz e Nance Beyer Nardi. Departamento de Genética – Instituto de Biociências, UFRGS – Porto Alegre/RS. Células hematopoiéticas estão sendo intensamente investigadas devido a seu potencial como alvo de terapia gênica. Tem sido mostrado entretanto que a transferência de genes exógenos pode alterar biologicamente as células alvo, diminuindo sua capacidade de proliferação e diferenciação. O presente trabalho teve como objetivo a análise das características biológicas de células da linhagem hematopoiética K562, previamente transfectadas com o gene repórter egfp ( enhanced green fluorescent protein ), cuja expressão é detectada por citometria de fluxo. Células K562 transfectadas ou normais foram cultivadas em diferentes condições, e comparadas com relação a diferentes parâmetros que incluiram a expressão de marcadores de superfície. Os principais resultados encontrados foram: (1) quando cultivadas na ausência de pressão seletiva, a expressão do gene repórter mostrou um rápido declínio; (2) células K562 transfectadas apresentaram uma capacidade mitótica diminuída quando co-cultivadas com células K562 normais, em diferentes concentrações; e (3) os níveis das moléculas de adesão CD11c, CD31 (baixo) e CD49e (alto) não foram afetados pela transfecção, enquanto a baixa expressão dos marcadores CD62L e CD117 mostraram uma tendência a aumentar nas células transfectadas. Estes resultados mostram que dois dos principais problemas dos protocolos de terapia gênica, manutenção da expressão do transgene e expansão das células transfectadas, podem ser analisados para correção in vitro. Apoio: CNPq, FINEP
  • 48.
  • 49. Características biológicas de células hematopoiéticas transfectadas com o gene egfp. Leonardo Augusto Karam Teixeira, Cecília Matte Fricke, Camila Ilgenfritz e Nance Beyer Nardi. Departamento de Genética – Instituto de Biociências, UFRGS – Porto Alegre/RS. Células hematopoiéticas estão sendo intensamente investigadas devido a seu potencial como alvo de terapia gênica. Tem sido mostrado entretanto que a transferência de genes exógenos pode alterar biologicamente as células alvo, diminuindo sua capacidade de proliferação e diferenciação. O presente trabalho teve como objetivo a análise das características biológicas de células da linhagem hematopoiética K562, previamente transfectadas com o gene repórter egfp ( enhanced green fluorescent protein ), cuja expressão é detectada por citometria de fluxo. Células K562 transfectadas ou normais foram cultivadas em diferentes condições, e comparadas com relação a diferentes parâmetros que incluiram a expressão de marcadores de superfície. Os principais resultados encontrados foram: (1) quando cultivadas na ausência de pressão seletiva, a expressão do gene repórter mostrou um rápido declínio; (2) células K562 transfectadas apresentaram uma capacidade mitótica diminuída quando co-cultivadas com células K562 normais, em diferentes concentrações; e (3) os níveis das moléculas de adesão CD11c, CD31 (baixo) e CD49e (alto) não foram afetados pela transfecção, enquanto a baixa expressão dos marcadores CD62L e CD117 mostraram uma tendência a aumentar nas células transfectadas. Estes resultados mostram que dois dos principais problemas dos protocolos de terapia gênica, manutenção da expressão do transgene e expansão das células transfectadas, podem ser analisados para correção in vitro. Apoio: CNPq, FINEP
  • 50. 3.3 - Material e Métodos Descreva de forma breve, mas compreensível, como você procedeu para responder a questão levantada.
  • 51. Características biológicas de células hematopoiéticas transfectadas com o gene egfp. Leonardo Augusto Karam Teixeira, Cecília Matte Fricke, Camila Ilgenfritz e Nance Beyer Nardi. Departamento de Genética – Instituto de Biociências, UFRGS – Porto Alegre/RS. Células hematopoiéticas estão sendo intensamente investigadas devido a seu potencial como alvo de terapia gênica. Tem sido mostrado entretanto que a transferência de genes exógenos pode alterar biologicamente as células alvo, diminuindo sua capacidade de proliferação e diferenciação. O presente trabalho teve como objetivo a análise das características biológicas de células da linhagem hematopoiética K562, previamente transfectadas com o gene repórter egfp ( enhanced green fluorescent protein ), cuja expressão é detectada por citometria de fluxo. Células K562 transfectadas ou normais foram cultivadas em diferentes condições, e comparadas com relação a diferentes parâmetros que incluiram a expressão de marcadores de superfície. Os principais resultados encontrados foram: (1) quando cultivadas na ausência de pressão seletiva, a expressão do gene repórter mostrou um rápido declínio; (2) células K562 transfectadas apresentaram uma capacidade mitótica diminuída quando co-cultivadas com células K562 normais, em diferentes concentrações; e (3) os níveis das moléculas de adesão CD11c, CD31 (baixo) e CD49e (alto) não foram afetados pela transfecção, enquanto a baixa expressão dos marcadores CD62L e CD117 mostraram uma tendência a aumentar nas células transfectadas. Estes resultados mostram que dois dos principais problemas dos protocolos de terapia gênica, manutenção da expressão do transgene e expansão das células transfectadas, podem ser analisados para correção in vitro. Apoio: CNPq, FINEP
  • 52. 3.4 - Resultados Q uais as respostas que você encontrou?
  • 53. Características biológicas de células hematopoiéticas transfectadas com o gene egfp. Leonardo Augusto Karam Teixeira, Cecília Matte Fricke, Camila Ilgenfritz e Nance Beyer Nardi. Departamento de Genética – Instituto de Biociências, UFRGS – Porto Alegre/RS. Células hematopoiéticas estão sendo intensamente investigadas devido a seu potencial como alvo de terapia gênica. Tem sido mostrado entretanto que a transferência de genes exógenos pode alterar biologicamente as células alvo, diminuindo sua capacidade de proliferação e diferenciação. O presente trabalho teve como objetivo a análise das características biológicas de células da linhagem hematopoiética K562, previamente transfectadas com o gene repórter egfp ( enhanced green fluorescent protein ), cuja expressão é detectada por citometria de fluxo. Células K562 transfectadas ou normais foram cultivadas em diferentes condições, e comparadas com relação a diferentes parâmetros que incluiram a expressão de marcadores de superfície. Os principais resultados encontrados foram: (1) quando cultivadas na ausência de pressão seletiva, a expressão do gene repórter mostrou um rápido declínio; (2) células K562 transfectadas apresentaram uma capacidade mitótica diminuída quando co-cultivadas com células K562 normais, em diferentes concentrações; e (3) os níveis das moléculas de adesão CD11c, CD31 (baixo) e CD49e (alto) não foram afetados pela transfecção, enquanto a baixa expressão dos marcadores CD62L e CD117 mostraram uma tendência a aumentar nas células transfectadas. Estes resultados mostram que dois dos principais problemas dos protocolos de terapia gênica, manutenção da expressão do transgene e expansão das células transfectadas, podem ser analisados para correção in vitro. Apoio: CNPq, FINEP
  • 54. 3.5 - Discussão / Conclusões Descreva de forma suscinta o que estas respostas significam.
  • 55. Características biológicas de células hematopoiéticas transfectadas com o gene egfp. Leonardo Augusto Karam Teixeira, Cecília Matte Fricke, Camila Ilgenfritz e Nance Beyer Nardi. Departamento de Genética – Instituto de Biociências, UFRGS – Porto Alegre/RS. Células hematopoiéticas estão sendo intensamente investigadas devido a seu potencial como alvo de terapia gênica. Tem sido mostrado entretanto que a transferência de genes exógenos pode alterar biologicamente as células alvo, diminuindo sua capacidade de proliferação e diferenciação. O presente trabalho teve como objetivo a análise das características biológicas de células da linhagem hematopoiética K562, previamente transfectadas com o gene repórter egfp ( enhanced green fluorescent protein ), cuja expressão é detectada por citometria de fluxo. Células K562 transfectadas ou normais foram cultivadas em diferentes condições, e comparadas com relação a diferentes parâmetros que incluiram a expressão de marcadores de superfície. Os principais resultados encontrados foram: (1) quando cultivadas na ausência de pressão seletiva, a expressão do gene repórter mostrou um rápido declínio; (2) células K562 transfectadas apresentaram uma capacidade mitótica diminuída quando co-cultivadas com células K562 normais, em diferentes concentrações; e (3) os níveis das moléculas de adesão CD11c, CD31 (baixo) e CD49e (alto) não foram afetados pela transfecção, enquanto a baixa expressão dos marcadores CD62L e CD117 mostraram uma tendência a aumentar nas células transfectadas. Estes resultados mostram que dois dos principais problemas dos protocolos de terapia gênica, manutenção da expressão do transgene e expansão das células transfectadas, podem ser analisados para correção in vitro. Apoio: CNPq, FINEP
  • 56. 3.10 - Apoio Cite os órgãos financiadores.
  • 57. Características biológicas de células hematopoiéticas transfectadas com o gene egfp. Leonardo Augusto Karam Teixeira, Cecília Matte Fricke, Camila Ilgenfritz e Nance Beyer Nardi. Departamento de Genética – Instituto de Biociências, UFRGS – Porto Alegre/RS. Células hematopoiéticas estão sendo intensamente investigadas devido a seu potencial como alvo de terapia gênica. Tem sido mostrado entretanto que a transferência de genes exógenos pode alterar biologicamente as células alvo, diminuindo sua capacidade de proliferação e diferenciação. O presente trabalho teve como objetivo a análise das características biológicas de células da linhagem hematopoiética K562, previamente transfectadas com o gene repórter egfp ( enhanced green fluorescent protein ), cuja expressão é detectada por citometria de fluxo. Células K562 transfectadas ou normais foram cultivadas em diferentes condições, e comparadas com relação a diferentes parâmetros que incluiram a expressão de marcadores de superfície. Os principais resultados encontrados foram: (1) quando cultivadas na ausência de pressão seletiva, a expressão do gene repórter mostrou um rápido declínio; (2) células K562 transfectadas apresentaram uma capacidade mitótica diminuída quando co-cultivadas com células K562 normais, em diferentes concentrações; e (3) os níveis das moléculas de adesão CD11c, CD31 (baixo) e CD49e (alto) não foram afetados pela transfecção, enquanto a baixa expressão dos marcadores CD62L e CD117 mostraram uma tendência a aumentar nas células transfectadas. Estes resultados mostram que dois dos principais problemas dos protocolos de terapia gênica, manutenção da expressão do transgene e expansão das células transfectadas, podem ser analisados para correção in vitro. Apoio: CNPq, FINEP
  • 58. 5 - Lembrar de fazer... siga uma ordem lógica tente ser claro, conciso e completo cite apenas referências relevantes e necessárias inclua apenas tabelas e figuras necessárias confira a digitação
  • 59. 6 - Lembrar de não fazer... uso de gíria de laboratório ou de rua sentenças ou parágrafos muito longos nunca apresente parte de livros ou idéias da literatura como suas - é plágio, um crime intelectual no resumo, não escrever “os resultados serão discutidos”
  • 60. Um dicionário de frases úteis em pesquisa... Há muito tempo é sabido... Eu não achei a referência original.
  • 61. Um dicionário de frases úteis em pesquisa... Acredita-se que... Eu acho que...
  • 62. Um dicionário de frases úteis em pesquisa... Uma ou duas outras pessoas também acham... Geralmente acredita-se que...
  • 63. Um dicionário de frases úteis em pesquisa... Eu não compreendo o fenômeno. Pesquisas adicionais são necessárias antes que uma clara compreensão do fenômeno seja alcançada.
  • 64. Um dicionário de frases úteis em pesquisa... Correto com uma ordem de magnitude. Errado.
  • 65. Um dicionário de frases úteis em pesquisa... As outras três páginas de dados foram destruídos quando eu derramei um copo de cerveja em cima. As conclusões a partir dos dados que puderam ser analisados são...
  • 66. Um dicionário de frases úteis em pesquisa... ... estes conhecimentos têm grande importância prática e teórica. ... pra mim, parece interessante.
  • 67. Um dicionário de frases úteis em pesquisa... Três da amostras foram selecionadas para um estudo mais detalhado. As outras tiveram resultados muito esquisitos.
  • 68. Um dicionário de frases úteis em pesquisa... Resultados representativos são apresentados. Os melhores resultados são apresentados.
  • 69. Um dicionário de frases úteis em pesquisa... Agradeço a Joe Blotz pelo auxílio com os experimento e a George Frink por interessantes discussões... Blotz fez o trabalho e Frink explicou-me o seu significado.
  • 70. Para receber uma cópia desta apresentação... Acesse http://www.ufrgs.br/cpgbm/Labs/Imunogenetica ou escreva para [email_address]