SlideShare uma empresa Scribd logo
Prefeitura de Itaituba
Secretaria Municipal de Educação
Escola Municipal de Ensino Fundamental “SÃO FRANCISCO DAS CHAGAS”
Localizada na rua Francisca de Paiva Macedo, bairro Piracanã
Técnica Educacional: Angelina Aparecida Baú
“Ninguém educa ninguém, ninguém educa a si mesmo, os homens se educam entre si,
mediados pelo mundo.” Paulo Freire.
Horário de funcionamento: Manhã, Tarde e Noite.
A escola conta nesse ano com: 18 turmas de 1º ao 5º ano, 9 turmas de 6º ao 9º ano, 4
turmas de 1ª a 2ª etapas e 4 turmas de 3ª a 4ª etapas.
Com um total de 1080 alunos.
INTRODUÇÃO
Na instituição escolar, o Técnico Educacional é um dos profissionais da equipe de
gestão. Ele trabalha diretamente com os alunos e professores, ajudando-os em seu
desenvolvimento pessoal, para compreender o comportamento dos estudantes e agir de
maneira adequada em relação a eles; com a escola, na organização e realização da proposta
pedagógica;e com a comunidade,orientando,ouvindoe dialogandocom pais e responsáveis.
Professorese diretortêmdiferençasmarcantesde atuação.O profissional de sala de aula está
voltado para o processo de ensino aprendizagem na especificidade de sua área de
conhecimentoe oTécnicoEducacional lidamaiscom assuntos que dizem respeito a escolhas,
relacionamento com colegas, vivências familiares. Seu compromisso é com a formação
permanente no que diz respeito a valores, atitudes, emoções e sentimentos, sempre
discutindo,analisando,criticando,orientandoe propondoaçõesjuntoaosprofessores,alunos,
paise a escola,coletivamenteounão,dependendodasituação.Observandoocontextosocial,
educacional, cultural, percebe-se a necessidade do profissional, para atuar junto: - aos
professores - orientando-os sobre como lidar com o aluno (relação professor-aluno)
envolvendo empatia e indisciplina, gestão em sala de aula e em parceria - analisando,
discutindo e elaborando propostas para melhorar a qualidade do ensino, organização do
espaçoescolare atendimentoaospaise alunos – orientando-osaperceberem-se noambiente
escolar, criando estratégias que favoreçam o desenvolvimento integral, proposto no
Regimento Escolar e na Proposta Pedagógica, cumprindo as normas vigentes.
JUSTIFICATIVA
Esse plano se faz importante, uma vez que para saber onde queremos chegar
necessitamos saber onde estamos e o que fazer para chegar no alvo almejado. De inicio ao
chegar à Escola já ouvi vários comentários de possíveis problemas no âmbito escolar e já na
condução da Semana Pedagógica juntamente com os professores e direção coletei os
problemas ocorridos em dois mil e dezesseis entre eles: indisciplina, excesso de faltas,
ausência dos pais no acompanhamento da vida escolar dos filhos, alto índice de reprovação
em algumas turmas e desistência. Já no atendimento aos professores e alunos detectamos
algunsalunoscomdificuldade de aprendizagem e emalgunscasosirãonecessitarde avaliação
por parte das Psicopedagogas para diagnosticar a causa desse bloqueio na aprendizagem.
Assim de acordo com todos faremos um trabalho coletivo para que este ano possamos
melhorar a realidade da escola.
OBJETIVOS
- Fazer com que os pais perceberem-se no ambiente escolar, criando estratégias que
favoreçam o desenvolvimento integral, proposto no Regimento Escolar e na Proposta
Pedagógica, cumprindo as normas vigentes;
- Orientarosprofessoressobre comolidarcomo aluno (relação professor-aluno) envolvendo
empatia e indisciplina, gestão em sala de aula;
- Elaborar propostas para melhorar a qualidade do ensino, organizar o espaço escolar e
atendimento aos pais e alunos;
– Orientarosalunosa perceberem-se noambiente escolar,criandoestratégiasque favoreçam
o desenvolvimento integral, proposto no Regimento Escolar e na Proposta Pedagógica,
cumprindo as normas vigentes;
- Acompanhar o planejamento e avaliações juntamente com professores;
- Realizar A diagnose de leitura e escrita nas turmas de 1º ao 5º ano;
- fazer levantamento de notas abaixo da média por disciplinas;
AÇÕES
AMBIENTE ESCOLAR
1. Conhecer o Regimento Escolar e Proposta Pedagógica;
2. Participar do processo de revisão da Proposta Pedagógica;
3. Elaborar e aplicartestese ououtros instrumentosde coleta de dados para sondar níveis de
aprendizagem do aluno ou o que está dificultando o aprendizado;
4. Participar do processo de avaliação das ações realizadas pela instituição educacional;
5. Discutir situações que envolvam professores e alunos, propondo ações quando solicitado
pelos pais ou Direção e situações do cotidiano escolar;
6. Participar do planejamento, da execução e da avaliação das atividades pedagógicas
coletivas;
7. Participar das reflexões e discussões referentes à aplicação de normas disciplinares
8. Participar do Conselho de Classe junto a Direção;
9. Orientar os professores na identificação, no encaminhamento e no acompanhamento dos
alunoscom dificuldadesde adaptação,de convíviosocial e ou com dificuldades específicas de
aprendizagem;
10. Refletir e dialogar com os professores e alunos sobre os resultados das avaliações,
apresentando e ou elaborando propostas para solucionar o problema quando solicitado;
11. Participar de estudo de caso dos alunos em situação de dificuldade, quando;
12. Auxiliar os professores no contato com os pais diariamente, informando-os sobre
cumprimento das atividades escolares por parte do filho e indisciplina em sala de aula
apresentados nos documentos encaminhados pelos mesmos arquivados na escola;
13. Colaborarno encaminhamentode alunosque apresentemdificuldadesde aprendizagem e
ou problemas de ajustamento psicossocial para o acompanhamento especializado, quando
necessário;
14. Procederà devolutivadosatendimentose encaminhamentosdosalunosaosprofessores,à
direção, à coordenação e aos familiares;
JUNTO AOS ALUNOS
1. Orientar e instrumentalizar o aluno para a organização eficiente do trabalho escolar,
mudançade postura, análise do comportamento, e outros em horários estabelecidos com os
professores, de acordo com as prioridades da instituição escolar;
2. Acompanhar, individual ou coletivamente, os alunos, registrando as considerações,
solicitações, reclamações e outros para posterior devolutiva e comprovação de fatos;
3. Estimular a participação dos alunos nas atividades escolares e nos projetos da instituição
educacional;
4. Acompanhar e orientar ações dos representantes de turma;
5. Promover atividades que favoreçam ao aluno a reflexão-ação da importância de se ter
atitudesde cooperação,de sociabilidade,de respeito, de consideração, de responsabilidade,
de tolerância e de respeito às diferenças individuais;
6. Proporcionaraosalunosmomentosde reflexão sobre os resultados das médias, buscando
para auxiliá-los em suas dificuldades;
JUNTO AOS PAIS
1. Orientar os pais sobre as normas e regras propostas no Regimento Escolar e Proposta
Pedagógica;
2. Orientar os pais e ou responsáveis para a compreensão da cultura escolar e para a
importância dos hábitos de estudo na criança e no jovem;
3. Sondar possíveis influências, no ambiente familiar, que possam prejudicar o
desenvolvimento do aluno na escola, intervindo e encaminhando ao especialista ou outros
órgãos, sempre que necessário;
4. Atender individual e coletivamente pais e responsáveis propondo ações que envolvam
rotina de estudo, técnicas para auto estudo, indisciplina, comportamento, outros.
7. Informaraos paisas açõespropostaspelaescolaparaatendero filhoemsuasnecessidades
propondo acordos e parcerias;
DOS ATENDIMENTOS
O atendimentoaospais,professores,alunos,coordenaçõesestaráacontecendo nas seguintes
situações:
1. Mediante a apresentaçãodosrelatóriosapresentadospelos professores sobre rendimento
escolar, comportamento, dificuldade de aprendizagem, outros;
2. Comparecimento por parte dos pais a instituição com ou sem com horário agendado de
acordo com a necessidade: rendimento escolar, comportamento de aluno, outros;
3. No horário de aula, quando o aluno dificultar o desenvolvimento das atividades em sala,
sendo encaminhados a Direção pelos professores;
4. Mediante dos resultados do rendimento escolar por bimestre;
5. Mediante consideraçõesapresentadaspelos professores no Conselho de Classe referente
comportamento, notas e dificuldades dos alunos;
PLANO DE AÇÃO TÉCNICA.docx

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a PLANO DE AÇÃO TÉCNICA.docx

apresentacao estagio supervisionado.pptx
apresentacao estagio supervisionado.pptxapresentacao estagio supervisionado.pptx
apresentacao estagio supervisionado.pptx
jéssica souza oliveira
 
Atps projeto de extensao_a_comunidade
Atps projeto de extensao_a_comunidadeAtps projeto de extensao_a_comunidade
Atps projeto de extensao_a_comunidade
mkbariotto
 
Atps projeto de extensão a comunidade
Atps projeto de extensão a comunidadeAtps projeto de extensão a comunidade
Atps projeto de extensão a comunidade
Klebiana Correia
 
DISCALCULIA NO ENSINO MÉDIO: DAS CONDIÇÕES DE CONTORNAR O DISTÚRBIO - Relatório
DISCALCULIA NO ENSINO MÉDIO: DAS CONDIÇÕES DE CONTORNAR O DISTÚRBIO - Relatório DISCALCULIA NO ENSINO MÉDIO: DAS CONDIÇÕES DE CONTORNAR O DISTÚRBIO - Relatório
DISCALCULIA NO ENSINO MÉDIO: DAS CONDIÇÕES DE CONTORNAR O DISTÚRBIO - Relatório
Elisângela Feitosa
 
Apresentação pibid entrevistas
Apresentação pibid entrevistasApresentação pibid entrevistas
Apresentação pibid entrevistas
pibidbio
 
Slide da apresentação
Slide da apresentaçãoSlide da apresentação
Slide da apresentação
Teresa Cristina Gonçalves Leopoldo
 
Por Que Planejar...
Por Que Planejar...Por Que Planejar...
Por Que Planejar...
2009lourdes
 
Educação De Pessoas Com Capacidades Diferentes
Educação De Pessoas Com Capacidades DiferentesEducação De Pessoas Com Capacidades Diferentes
Educação De Pessoas Com Capacidades Diferentes
2009lourdes
 
EducaçãO De Pessoas Com Capacidades Diferentes
EducaçãO De Pessoas Com Capacidades DiferentesEducaçãO De Pessoas Com Capacidades Diferentes
EducaçãO De Pessoas Com Capacidades Diferentes
2009lourdes
 
Avaliacao do Desempenho Docente e Supervisao Pedagogica
Avaliacao do Desempenho Docente e Supervisao PedagogicaAvaliacao do Desempenho Docente e Supervisao Pedagogica
Avaliacao do Desempenho Docente e Supervisao Pedagogica
Agostinho NSilva
 
Apresentação da américa
Apresentação da américaApresentação da américa
Apresentação da américa
Edvania Ferreira
 
Indique Apresentação END 2010
Indique Apresentação END 2010Indique Apresentação END 2010
Indique Apresentação END 2010
Paloma Chaves
 
Projeto de implantação de Coordenador de pais
Projeto de implantação de Coordenador de pais Projeto de implantação de Coordenador de pais
Projeto de implantação de Coordenador de pais
Prof Nivaldo Nogueira de Ávila
 
Aula 1
Aula 1Aula 1
Aula 1
Gleisser
 
Aula1
Aula1Aula1
Plano de-ac3a7c3a3o-modelo-01
Plano de-ac3a7c3a3o-modelo-01Plano de-ac3a7c3a3o-modelo-01
Plano de-ac3a7c3a3o-modelo-01
Eveline Sol
 
FORMAÇÃO-AÇÃO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL INCLUSIVA
FORMAÇÃO-AÇÃO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL INCLUSIVA FORMAÇÃO-AÇÃO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL INCLUSIVA
FORMAÇÃO-AÇÃO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL INCLUSIVA
UFES
 
83539926 proposta-coordenacao
83539926 proposta-coordenacao83539926 proposta-coordenacao
83539926 proposta-coordenacao
Eduardo Lopes
 
Plano do coordenador
Plano do coordenadorPlano do coordenador
Plano do coordenador
Polivalente Linhares
 
INFORMAÇÕES GERAIS 2018 - Educação Infantil
INFORMAÇÕES GERAIS 2018 -  Educação InfantilINFORMAÇÕES GERAIS 2018 -  Educação Infantil
INFORMAÇÕES GERAIS 2018 - Educação Infantil
Nayara Alves
 

Semelhante a PLANO DE AÇÃO TÉCNICA.docx (20)

apresentacao estagio supervisionado.pptx
apresentacao estagio supervisionado.pptxapresentacao estagio supervisionado.pptx
apresentacao estagio supervisionado.pptx
 
Atps projeto de extensao_a_comunidade
Atps projeto de extensao_a_comunidadeAtps projeto de extensao_a_comunidade
Atps projeto de extensao_a_comunidade
 
Atps projeto de extensão a comunidade
Atps projeto de extensão a comunidadeAtps projeto de extensão a comunidade
Atps projeto de extensão a comunidade
 
DISCALCULIA NO ENSINO MÉDIO: DAS CONDIÇÕES DE CONTORNAR O DISTÚRBIO - Relatório
DISCALCULIA NO ENSINO MÉDIO: DAS CONDIÇÕES DE CONTORNAR O DISTÚRBIO - Relatório DISCALCULIA NO ENSINO MÉDIO: DAS CONDIÇÕES DE CONTORNAR O DISTÚRBIO - Relatório
DISCALCULIA NO ENSINO MÉDIO: DAS CONDIÇÕES DE CONTORNAR O DISTÚRBIO - Relatório
 
Apresentação pibid entrevistas
Apresentação pibid entrevistasApresentação pibid entrevistas
Apresentação pibid entrevistas
 
Slide da apresentação
Slide da apresentaçãoSlide da apresentação
Slide da apresentação
 
Por Que Planejar...
Por Que Planejar...Por Que Planejar...
Por Que Planejar...
 
Educação De Pessoas Com Capacidades Diferentes
Educação De Pessoas Com Capacidades DiferentesEducação De Pessoas Com Capacidades Diferentes
Educação De Pessoas Com Capacidades Diferentes
 
EducaçãO De Pessoas Com Capacidades Diferentes
EducaçãO De Pessoas Com Capacidades DiferentesEducaçãO De Pessoas Com Capacidades Diferentes
EducaçãO De Pessoas Com Capacidades Diferentes
 
Avaliacao do Desempenho Docente e Supervisao Pedagogica
Avaliacao do Desempenho Docente e Supervisao PedagogicaAvaliacao do Desempenho Docente e Supervisao Pedagogica
Avaliacao do Desempenho Docente e Supervisao Pedagogica
 
Apresentação da américa
Apresentação da américaApresentação da américa
Apresentação da américa
 
Indique Apresentação END 2010
Indique Apresentação END 2010Indique Apresentação END 2010
Indique Apresentação END 2010
 
Projeto de implantação de Coordenador de pais
Projeto de implantação de Coordenador de pais Projeto de implantação de Coordenador de pais
Projeto de implantação de Coordenador de pais
 
Aula 1
Aula 1Aula 1
Aula 1
 
Aula1
Aula1Aula1
Aula1
 
Plano de-ac3a7c3a3o-modelo-01
Plano de-ac3a7c3a3o-modelo-01Plano de-ac3a7c3a3o-modelo-01
Plano de-ac3a7c3a3o-modelo-01
 
FORMAÇÃO-AÇÃO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL INCLUSIVA
FORMAÇÃO-AÇÃO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL INCLUSIVA FORMAÇÃO-AÇÃO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL INCLUSIVA
FORMAÇÃO-AÇÃO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL INCLUSIVA
 
83539926 proposta-coordenacao
83539926 proposta-coordenacao83539926 proposta-coordenacao
83539926 proposta-coordenacao
 
Plano do coordenador
Plano do coordenadorPlano do coordenador
Plano do coordenador
 
INFORMAÇÕES GERAIS 2018 - Educação Infantil
INFORMAÇÕES GERAIS 2018 -  Educação InfantilINFORMAÇÕES GERAIS 2018 -  Educação Infantil
INFORMAÇÕES GERAIS 2018 - Educação Infantil
 

Último

A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Falcão Brasil
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
VictorEmanoel37
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
Mary Alvarenga
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
beathrizalves131
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Anesio2
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
mozalgebrista
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Mary Alvarenga
 
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFVRegistros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Yan Kayk da Cruz Ferreira
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
marcos oliveira
 

Último (20)

A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
 
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFVRegistros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
 

PLANO DE AÇÃO TÉCNICA.docx

  • 1. Prefeitura de Itaituba Secretaria Municipal de Educação Escola Municipal de Ensino Fundamental “SÃO FRANCISCO DAS CHAGAS” Localizada na rua Francisca de Paiva Macedo, bairro Piracanã Técnica Educacional: Angelina Aparecida Baú “Ninguém educa ninguém, ninguém educa a si mesmo, os homens se educam entre si, mediados pelo mundo.” Paulo Freire. Horário de funcionamento: Manhã, Tarde e Noite. A escola conta nesse ano com: 18 turmas de 1º ao 5º ano, 9 turmas de 6º ao 9º ano, 4 turmas de 1ª a 2ª etapas e 4 turmas de 3ª a 4ª etapas. Com um total de 1080 alunos. INTRODUÇÃO Na instituição escolar, o Técnico Educacional é um dos profissionais da equipe de gestão. Ele trabalha diretamente com os alunos e professores, ajudando-os em seu desenvolvimento pessoal, para compreender o comportamento dos estudantes e agir de maneira adequada em relação a eles; com a escola, na organização e realização da proposta pedagógica;e com a comunidade,orientando,ouvindoe dialogandocom pais e responsáveis. Professorese diretortêmdiferençasmarcantesde atuação.O profissional de sala de aula está voltado para o processo de ensino aprendizagem na especificidade de sua área de conhecimentoe oTécnicoEducacional lidamaiscom assuntos que dizem respeito a escolhas, relacionamento com colegas, vivências familiares. Seu compromisso é com a formação permanente no que diz respeito a valores, atitudes, emoções e sentimentos, sempre discutindo,analisando,criticando,orientandoe propondoaçõesjuntoaosprofessores,alunos, paise a escola,coletivamenteounão,dependendodasituação.Observandoocontextosocial, educacional, cultural, percebe-se a necessidade do profissional, para atuar junto: - aos professores - orientando-os sobre como lidar com o aluno (relação professor-aluno) envolvendo empatia e indisciplina, gestão em sala de aula e em parceria - analisando, discutindo e elaborando propostas para melhorar a qualidade do ensino, organização do espaçoescolare atendimentoaospaise alunos – orientando-osaperceberem-se noambiente escolar, criando estratégias que favoreçam o desenvolvimento integral, proposto no Regimento Escolar e na Proposta Pedagógica, cumprindo as normas vigentes. JUSTIFICATIVA Esse plano se faz importante, uma vez que para saber onde queremos chegar necessitamos saber onde estamos e o que fazer para chegar no alvo almejado. De inicio ao chegar à Escola já ouvi vários comentários de possíveis problemas no âmbito escolar e já na condução da Semana Pedagógica juntamente com os professores e direção coletei os problemas ocorridos em dois mil e dezesseis entre eles: indisciplina, excesso de faltas, ausência dos pais no acompanhamento da vida escolar dos filhos, alto índice de reprovação em algumas turmas e desistência. Já no atendimento aos professores e alunos detectamos algunsalunoscomdificuldade de aprendizagem e emalgunscasosirãonecessitarde avaliação por parte das Psicopedagogas para diagnosticar a causa desse bloqueio na aprendizagem. Assim de acordo com todos faremos um trabalho coletivo para que este ano possamos melhorar a realidade da escola.
  • 2. OBJETIVOS - Fazer com que os pais perceberem-se no ambiente escolar, criando estratégias que favoreçam o desenvolvimento integral, proposto no Regimento Escolar e na Proposta Pedagógica, cumprindo as normas vigentes; - Orientarosprofessoressobre comolidarcomo aluno (relação professor-aluno) envolvendo empatia e indisciplina, gestão em sala de aula; - Elaborar propostas para melhorar a qualidade do ensino, organizar o espaço escolar e atendimento aos pais e alunos; – Orientarosalunosa perceberem-se noambiente escolar,criandoestratégiasque favoreçam o desenvolvimento integral, proposto no Regimento Escolar e na Proposta Pedagógica, cumprindo as normas vigentes; - Acompanhar o planejamento e avaliações juntamente com professores; - Realizar A diagnose de leitura e escrita nas turmas de 1º ao 5º ano; - fazer levantamento de notas abaixo da média por disciplinas; AÇÕES AMBIENTE ESCOLAR 1. Conhecer o Regimento Escolar e Proposta Pedagógica; 2. Participar do processo de revisão da Proposta Pedagógica; 3. Elaborar e aplicartestese ououtros instrumentosde coleta de dados para sondar níveis de aprendizagem do aluno ou o que está dificultando o aprendizado; 4. Participar do processo de avaliação das ações realizadas pela instituição educacional; 5. Discutir situações que envolvam professores e alunos, propondo ações quando solicitado pelos pais ou Direção e situações do cotidiano escolar; 6. Participar do planejamento, da execução e da avaliação das atividades pedagógicas coletivas; 7. Participar das reflexões e discussões referentes à aplicação de normas disciplinares 8. Participar do Conselho de Classe junto a Direção; 9. Orientar os professores na identificação, no encaminhamento e no acompanhamento dos alunoscom dificuldadesde adaptação,de convíviosocial e ou com dificuldades específicas de aprendizagem; 10. Refletir e dialogar com os professores e alunos sobre os resultados das avaliações, apresentando e ou elaborando propostas para solucionar o problema quando solicitado; 11. Participar de estudo de caso dos alunos em situação de dificuldade, quando; 12. Auxiliar os professores no contato com os pais diariamente, informando-os sobre cumprimento das atividades escolares por parte do filho e indisciplina em sala de aula apresentados nos documentos encaminhados pelos mesmos arquivados na escola; 13. Colaborarno encaminhamentode alunosque apresentemdificuldadesde aprendizagem e ou problemas de ajustamento psicossocial para o acompanhamento especializado, quando necessário; 14. Procederà devolutivadosatendimentose encaminhamentosdosalunosaosprofessores,à direção, à coordenação e aos familiares;
  • 3. JUNTO AOS ALUNOS 1. Orientar e instrumentalizar o aluno para a organização eficiente do trabalho escolar, mudançade postura, análise do comportamento, e outros em horários estabelecidos com os professores, de acordo com as prioridades da instituição escolar; 2. Acompanhar, individual ou coletivamente, os alunos, registrando as considerações, solicitações, reclamações e outros para posterior devolutiva e comprovação de fatos; 3. Estimular a participação dos alunos nas atividades escolares e nos projetos da instituição educacional; 4. Acompanhar e orientar ações dos representantes de turma; 5. Promover atividades que favoreçam ao aluno a reflexão-ação da importância de se ter atitudesde cooperação,de sociabilidade,de respeito, de consideração, de responsabilidade, de tolerância e de respeito às diferenças individuais; 6. Proporcionaraosalunosmomentosde reflexão sobre os resultados das médias, buscando para auxiliá-los em suas dificuldades; JUNTO AOS PAIS 1. Orientar os pais sobre as normas e regras propostas no Regimento Escolar e Proposta Pedagógica; 2. Orientar os pais e ou responsáveis para a compreensão da cultura escolar e para a importância dos hábitos de estudo na criança e no jovem; 3. Sondar possíveis influências, no ambiente familiar, que possam prejudicar o desenvolvimento do aluno na escola, intervindo e encaminhando ao especialista ou outros órgãos, sempre que necessário; 4. Atender individual e coletivamente pais e responsáveis propondo ações que envolvam rotina de estudo, técnicas para auto estudo, indisciplina, comportamento, outros. 7. Informaraos paisas açõespropostaspelaescolaparaatendero filhoemsuasnecessidades propondo acordos e parcerias; DOS ATENDIMENTOS O atendimentoaospais,professores,alunos,coordenaçõesestaráacontecendo nas seguintes situações: 1. Mediante a apresentaçãodosrelatóriosapresentadospelos professores sobre rendimento escolar, comportamento, dificuldade de aprendizagem, outros; 2. Comparecimento por parte dos pais a instituição com ou sem com horário agendado de acordo com a necessidade: rendimento escolar, comportamento de aluno, outros; 3. No horário de aula, quando o aluno dificultar o desenvolvimento das atividades em sala, sendo encaminhados a Direção pelos professores; 4. Mediante dos resultados do rendimento escolar por bimestre; 5. Mediante consideraçõesapresentadaspelos professores no Conselho de Classe referente comportamento, notas e dificuldades dos alunos;