SlideShare uma empresa Scribd logo
PESQUISA DE OPINIÃO COM LIDERANÇAS E A POPULAÇÃO DA AMAZÔNIA
Desenvolvimento e Conservação do Meio Ambiente
Pesquisa de opinião com lideranças e a população da Amazônia
Realização:                               WWF-Brasil – Programa Amazônia
                                          ISER - Programa de Meio Ambiente e Desenvolvimento

Coordenação geral:                        Samyra Crespo/ ISER
                                          Regina Vasquez / WWF-Brasil
                                          Rosa Lemos de Sá / WWF-Brasil

Pesquisa com lideranças
    Coordenação de campo:                 Ângela Arruda
    Entrevistadores:                      Laila Souza Mendes
                                          Philippe Layrargues

Grupos focais
    Moderadora e Relatora:                Regina Novaes
    Assistente:                           Neyla Vaserstein

Pesquisa domiciliar com a população
    Coordenação geral:                    Leandro Piquet Carneiro (USP)
    Coordenação de campo:                 Neyla Vaserstein
    Estatístico:                          Marcelo de Souza Nascimento
    Supervisores de campo:                Desirée Luzia Martins da Silva
                                          Jurandir Chamusca Filho

Programação visual, arte e diagramação:   André Ramos/WWF-Brasil
Pesquisa fotográfica:                     Shirley Carvalhedo/ WWF-Brasil
Fotografias:                              Juan Pratiginestós
                                          Edward Parker
D452c   Desenvolvimento e Conservação do Meio Ambiente: pesquisa de opinião com lideranças e a
        população da Amazônia. [ Coordenação: Rosa L. de Sá e Regina Vasquez] – [Brasília]: WWF-
        Brasil, c2001. 100p.:il. Color.; 29,7x21 cm.

        1. Amazônia. 2. Pesquisa de opinião. 3. Desenvolvimento Sustentável. 4. Ambientalismo.
        5. Conser vação do Meio Ambiente


        CDU 303.2.425 (811.3)
ÍNDICE

Apresentação                                                                    7

Sumário                                                                         9

I.   Pesquisa com Lideranças e Formadores de Opinião                            15
     Mapa – Universo da pesquisa                                                16
     1. O ambientalismo                                                         17
        Tabela 1.1: As entidades ambientalistas mais conhecidas na Amazônia     21
        Tabela 1.2: A confiabilidade das entidades ambientalistas na Amazônia   22
     2. O desenvolvimento sustentável                                           22
     3. As vocações da Amazônia                                                 23
     4. Os principais problemas ambientais da Amazônia                          30
     5. As soluções                                                             33
     6. O antiambientalismo                                                     36
     7. O papel da sociedade civil e das ONGs                                   39
     8. Cenários futuros                                                        39
     9. Metodologia e características da amostra                                41
        Tabela 1.3 – Distribuição das entrevistas por setor                     42
        Tabela 1.4 – Distribuição das entrevistas por Estado                    42
        Tabela 1.5 - Localização dos entrevistados na Amazônia                  43

II. Pesquisa com ribeirinhos, extrativistas, colonos assentados e madeireiros   45
    Mapa – Localização dos grupos pesquisados                                   46
    1. Os segmentos escolhidos                                                  47
    2. Percepção de atores e instituições                                       48
       Tabela 2.1 – Distribuição de participantes por categoria e localidade    48
       Tabela 2.2 – Características dos grupos                                  48
       Tabela 2.3 – Avaliação de instituições e atores                          50
    3. Conceitos, valores e o papel de cada grupo                               49
    4. Os principais problemas                                                  51
    5. Pauta de prioridades                                                     52
       Tabela 2.4 – As prioridades de cada grupo                                52

III. Pesquisa Domiciliar com a População                                        55
     Mapa - Distribuição das entrevistas                                        56
     1. A valorização da floresta                                               57
     2. Normas e valores frente ao meio ambiente                                57
        Tabela 3.1 – Valores frente ao meio ambiente                            58
3. Indicadores de pressão antrópica                                                                                  58
      Tabela 3.2 – Indicadores de pressão antrópica                                                                     59
      Tabela 3.3 - Atividades agrícolas e criação de animais                                                            59
      Gráfico 3.1 – Consumo de carne de caça e prática de pesca                                                         60
   4. Qualidade e problemas ambientais                                                                                  61
      Gráfico 3.2 – Principais problemas ambientais observados                                                          61
      Tabela 3.4 – Avaliação e percepção das mudanças nas condições ambientais                                          62
   5. Prioridades e atores                                                                                              61
      Gráfico 3.3 – Prioridades da região amazônica                                                                     62
      Tabela 3.5 – Prioridade número um da região amazônica por município                                               63
      Tabela 3.6 – Prioridade número dois da região amazônica por município                                             63
      Gráfico 3.4 – Primeira prioridade da região amazônica destacando as alternativas de desenvolvimento sustentável   63
      Gráfico 3.5 – Segunda prioridade da região amazônica destacando as alternativas de desenvolvimento sustentável    63
      Tabela 3.7 – O que mais prejudica a região amazônica                                                              64
      Quadro 1 - Conhecimento e conceito de desenvolvimento sustentável                                                 64
      Tabela 3.8 – Instituições que mais se preocupam com a região amazônica                                            65
      Tabela 3.9 – Atitudes diante das ONGs e disposição para participar na solução dos problemas ambientais            65
   6. As instituições de defesa do meio ambiente                                                                        65
      Tabela 3.10 – Instituições ambientalistas mais conhecida                                                          65
      Tabela 3.11 – Disposição para ajudar na solução dos problemas ambientais                                          66
   7. Conhecimento sobre meio ambiente                                                                                  66
      Gráfico 3.6 – Auto-classificação do nível de informação sobre temas de meio ambiente                              66
      Gráfico 3.7A – Meios utilizados para informar-se sobre o meio ambiente                                            66
      Gráfico 3.7 B – Meios utilizados para informar-se sobre o meio ambiente (horário de TV)                           67
   8. As condições de vida da população                                                                                 67
      Gráfico 3.8 - Acesso aos serviços públicos                                                                        67
      Tabela 3.12 – Características dos domicílios por município (%)                                                    68
   9. Metodologia                                                                                                       69

Anexos:                                                                                                                 71
Anexo I - Lista dos Entrevistados na Pesquisa com Lideranças e Formadores de Opinião                                    73
Anexo II - Glossário de Siglas                                                                                          75
APRESENTAÇÃO

Esta publicação traz os resultados mais significativos da am-   ver esta pesquisa foi o de buscar um quadro mais compreen-
pla pesquisa de opinião realizada pelo WWF-Brasil em par-       sivo de como o debate sobre o desenvolvimento da Amazônia
ceria com o Programa de Meio Ambiente e Desenvolvimento         está se dando no seio das suas próprias elites e dos movi-
do ISER - Instituto de Estudos da Religião, junto à popula-     mentos sociais locais, contrastando-o com a opinião da popu-
ção e lideranças da região amazônica sobre desenvolvimen-       lação em geral.
to e meio ambiente.
                                                                Entendendo que a divulgação dos principais resultados inte-
O principal objetivo do estudo f oi, de um lado, obter a opi-   ressam a todos aqueles que atuam na região, ou fora dela, para
nião da população sobre a relação entre conservação do          que a opção do desenvolvimento sustentável se torne realida-
meio ambiente e desenvolvimento sócio-econômico e, de           de, o WWF-Brasil resolveu destacar, nesta publicação, os as-
outro, uma visão mais qualificada dessa discussão por par-      pectos mais diretamente relacionados a dois eixos temáticos:
te de segmentos sociais relevantes da região, formadores        quais concepções sobre desenvolvimento estão hoje em jogo
de opinião e com grande influência na formulação das cha-       e quais as bases sociais de apoio ao projeto de uma Amazô-
madas políticas de desenvolvimento. A pesquisa procurou         nia sustentável e à conservação do meio ambiente.
verificar até que ponto o paradigma da sustentabilidade está
presente, ou não, nas agendas e no elenco de prioridades        Esperamos com isso contribuir positivamente para aumentar o
que estes mesmos segmentos são capazes de constituir.           conhecimento sobre os processos sociais, ambientais e políti-
                                                                cos em curso na Amazônia, favorecendo as estratégias de con-
Em outras palavras, o interesse do WWF-Brasil ao desenvol-      servação da biodiversidade e desenvolvimento para a região.

                                                    Dr. Garo Batmanian
                                              Secretário Geral do WWF- Brasil
Sumário
Os temas                                                          ridades e recorrências de alguns conjuntos de respostas/opi-
                                                                  niões, assim como das diferenças observadas.
A pesquisa foi desenvolvida através de três diferentes módulos
que tiveram em comum os seguintes blocos temáticos:               Os resultados desta publicação enfatizam, sempre que cabí-
                                                                  vel, as recorrências e regularidades entre as três modalidades.
a) conhecimento e avaliação dos ambientalistas na região
   amazônica                                                      Os Problemas e as Prioridades na Amazônia

b) conhecimento dos problemas ambientais da Amazônia e            •   A pesquisa mostra que a preservação da floresta é uma
   pauta de prioridades dos atores/segmentos                          das prioridades da população que vive na região, mas que
                                                                      há uma série de outros problemas afetando o seu desen-
c) visão sobre o futuro da Amazônia e sobre as estratégias            volvimento e a sua qualidade de vida. Para 34% da popu-
   de desenvolvimento sustentável                                     lação, a prioridade número um para a Amazônia é conser-
                                                                      var a floresta e nenhuma outra alternativa superou este
O método                                                              percentual.

Foram utilizadas três técnicas de abordagem:                      •   Entre os problemas estritamente ambientais, foram iden-
                                                                      tificados por ordem: a) o desmatamento e as queimadas;
a) grupos focais em áreas selecionadas com quatro seg-                b) a contaminação dos r ios; c) a falta de saneamento nas
   mentos de especial interesse para o WWF-Brasil: ribeiri-           cidades e vilas que povoam uma Amazônia cada vez mais
   nhos, colonos assentados, madeireiros e extrativistas.             urbanizada. A destruição da floresta aparece como o prin-
                                                                      cipal problema ambiental da região nas três partes da
b) pesquisa qualitativa com formadores de opinião, cobrin-            pesquisa.
   do 9 segmentos: empresários, cientistas, técnicos e gestores
   governamentais, ambientalistas, parlamentares, militares,      •   Em geral, os principais problemas são aqueles clássicos
   profissionais da imprensa e líderes dos movimentos soci-           da falta de desenvolvimento: baixa oferta e baixa qualida-
   ais atuantes na região. Ao todo, foram realizadas 90 entre-        de dos serviços de saúde, educação,
   vistas em profundidade com estes setores.                          infra-estrutura. Foram mencionadas
                                                                      especificamente a falta de estradas
c) Pesquisa quantitativa de opinião (survey), num total de            e transporte, a falta de saneamento
   2.049 entrevistas com a população acima de 16 anos em              básico e as más condições urbanas
   áreas rurais e urbanas de 9 municípios, incluindo as capi-         (ruas sem asfalto, enchentes, lixo,
   tais, nos estados do Acre, Rondônia e Pará. Os resultados          etc.). Foram ainda citadas a falta de
   podem ser desagregados por cada um dos municípios pes-             segurança e a alta criminalidade .
   quisados.                                                          Houve destaque também para os
                                                                      problemas de energia, sobretudo nas
Cada uma das técnicas acima mencionadas possui a sua                  áreas rurais, onde o serviço é escas-
especificidade e oferece diferentes resultados para análise,          so e ineficiente. O desemprego apa-
daí uma comparação linear entre os três módulos não ser               rece apenas nas perguntas fecha-


                                                                                                                                    11
metodologicamente correta. No entanto, é possível uma in-             das, onde as opções de resposta vi-
terpretação global da pesquisa realizada, a partir das regula-        nham previamente listadas.
Em todos os       •   A diferença de visão do que vem a ser o desenvolvimento            pertório utilizado para definir o que é, e o que não é, “meio
                           da Amazônia em bases sustentáveis e o interesse real de            ambiente” é bastante restrito. Naturalmente, segmentos
 segmentos ouvidos         cada público demarcam a pauta de prioridades. T    odos os         com maior escolaridade tendem a usar um repertório mais
    na pesquisa de         atores afirmam desejar uma melhoria significativa nas con-         amplo e mais complexo.
  opinião é nítida a       dições de vida da população. Contudo, percebe-se uma
                           tensão entre as pautas de preservação do meio ambiente         •   O desenvolvimento da Amazônia é visto como ”estratégi-
consciência de que é       e de desenvolvimento.                                              co para o próprio desenvolvimento nacional” (militares);
   preciso usar os                                                                            “estratégico para o mundo” (ambientalistas) e “essencial e
recursos naturais da   •   Transporte e conservação das vias urbanas, bem como o              legítimo, primeiramente para os próprios amazônidas” (em-
                           saneamento, foram selecionadas como prioridades tanto              presários, movimentos sociais e parlamentares).
  floresta de forma        pela população como pelas lideranças. Como terceiro item,
      sustentável          a população enfatizou os problemas com o fornecimento          A Vocação Econômica da Região
                           de energia; já as lideranças destacaram a necessidade de
                           estabelecer uma política de crédito para o incentivo à agri-   •   Há um forte consenso, verificado em todos os módulos da
                           cultura sustentável.                                               pesquisa, em torno da necessidade de explorar de forma
                                                                                              sustentável a floresta. Ela é tida por todos como um dos
                       O Desenvolvimento Sustentável                                          grandes recursos da região e o principal vetor na defini-
                                                                                              ção da sua vocação econômica.
                       A pesquisa mostra que o conceito de desenvolvimento sus-
                       tentável já é manejado com desenvoltura pela elite amazônida,      •   A visão predominante, contudo, é a de que a Amazônia é
                       considerados todos o segmentos. Este conceito tornou-se o              mais do que a sua floresta, comportando vocações múlti-
                       discurso de consenso para quem fala de meio ambiente e                 plas, não devendo priorizar uma única estratégia de de-
                       desenvolvimento, independente do credo e do partido. Entre             senvolvimento. Os atores usam diferentes parâmetros para
                       a população, a expressão desenvolvimento sustentável é pou-            falarem do potencial econômico da região.
                       co conhecida. No entanto, mais da metade dos entrevistados
                       declarou que não considera o progresso mais importante do          •   Os militares destacam a existência dos recursos minerais
                       que conservar a natureza, discorda da idéia de que o Brasil            e o enorme potencial de energia renovável, representado
                       não pode dar-se ao luxo de se preocupar com problemas                  pelos recursos hídricos abundantes na região;
                       ecológicos e está consciente de que é preciso controlar o uso
                       dos recursos naturais.                                             •   Os movimentos sociais e os ambientalistas enfatizam a
                                                                                              importância da economia baseada na explor ação susten-
                       •   As dimensões valorizadas da sustentabilidade, variam               tável da floresta e a necessidade de reforçar práticas de
                           conforme o grupo de interesse. Os empresários valorizam            “ag ricultura sustentável”, baseada sobretudo na pequena
                           a dimensão econômica, os cientistas e ambientalistas ten-          produção e voltada para o mercado interno.
                           dem a enfatizar a dimensão ecológica. Os movimentos
                           sociais tendem a colocar em relevo a dimensão cultural e       •   Os empresários defendem a idéia de que a agricultura e a
                           também a econômica, enquanto as organizações religio-              pecuária são necessárias e possíveis na região, sobretu-
                           sas insistem nos aspectos éticos.                                  do em áreas já desmatadas.



           12
                       •   Verificou-se que, na população mais ampla, meio ambi-          •   Há um consenso generalizado entre as pessoas ouvidas
                           ente ainda é fundamentalmente fauna e flora e que o re-            nos dois módulos qualitativos da pesquisa de que a cultu-
ra da soja na Amazônia não deve ser ampliada. Foram                ras, burocratas de Brasília e o “ pessoal do Sudeste que
    feitas severas críticas ao Plano Brasil em Ação do gover-          nunca viu a floresta de perto”) e o desenvolvimento da
    no federal, bem como aos “eixos de desenvolvimento” nos            Amazônia pelo e para os próprios amazônidas.
    quais ele se baseia.
                                                                   O Futuro
•   A maior parte da população afirma não estar disposta a
    conviver com mais poluição, ainda que isso signifique mais     •   Entre os que têm uma visão mais otimista, aí incluindo-se a
    empregos.                                                          população mais ampla, a importância que a Amazônia tem
                                                                       para o mundo e para a humanidade é quase um passapor-
Os “Vilões”                                                            te alvissareiro para o futuro. Para os otimistas a consciên-
                                                                       cia ambiental aumenta no País e na região, e os próprios
•   Foram apontados como principais entraves ao desenvol-              movimentos sociais incorporaram a preservação do meio
    vimento: a) a vastidão do território amazônico; b) a situa-        ambiente em suas lutas pela melhora das condições de vida.
    ção crítica dos recursos para investimentos no País: c) a          Para eles, a importância estratégica da região tende a au-
    falta de um projeto coerente para a região. Segundo os             mentar interna e exter namente, e a impunidade que hoje
    entrevistados, “o desenvolvimentismo dos anos 70 foi aban-         impera nas agências de desenvolvimento ali existentes tem
    donado sem que se tenha colocado nada no lugar”.                   os dias contados.

•   Vários entrevistados em todos os segmentos, com exce-          •   A crença de que “a Amazônia não é uma prioridade na
    ção dos militares e dos religiosos, insistiram em que o Pla-       agenda pública nacional” e de que faltam políticas coeren-
    no Brasil em Ação é “um pilar do desenvolvimento errado”.          tes par a região faz com que o futuro da Amazônia seja
                                                                       visto com pessimismo por expressiva parte das lideran-
•   Os madeireiros se ressentem de estarem sendo “massa-               ças ouvidas. Acreditam, ainda, que o desmatamento vem
    crados pela opinião pública”, vítimas do governo (IBAMA),          aumentando e que a pobreza da população na região ten-
    da mídia jornalística e dos ambientalistas, eleitos injusta-       de a pressionar ainda mais os recursos ali existentes. Os
    mente como os grandes “vilões” na luta pela preservação            mais catastrofistas acreditam que, no futuro, a Amazônia
    do meio ambiente na Amazônia.                                      será um colar de cidades pobres
                                                                       entremeadas por unidades de conser-
•   Outros “vilões” apontados, sobretudo na parte qualitativa          vação, remanescentes da floresta.
    da pesquisa, foram: pecuaristas, latifundiários, grileiros e
    empresários do “ falso” turismo ecológico.                     O Papel das ONGs e da Sociedade Civil

•   Também foram mencionadas com indignação, sobretudo             •   Na construção de uma sociedade
    por militares, empresários e parlamentares, aquelas ONGs           amazônica sustentável foi valorizado
    que disseminam “uma imagem distorcida”, construída pe-             o papel das ONGs e outras organiza-
    los “de fora”, de que na Amazônia só existem “índios e             ções da sociedade civil, tidas como
    seringueiros, e os tais povos da floresta, uma invenção de         “comprometidas”, independentes e
    antropólogos e ongueiros” .                                        fundamentais para ampliação da
                                                                       consciência ambiental. Este papel


                                                                                                                                      13
•   Foi detectada uma forte tensão entre o que seria uma “Ama-         impor tante a ser desempenhado pe-
    zônia sustentável” segundo “os de fora” (ONGs estrangei-           las organizações da sociedade é, no
A população têm muita          entanto, minimizado quando a população mais ampla é          2. Evitar a construção de estradas, sobretudo na Amazônia
                               ouvida. A pesquisa domiciliar (survey) mostra, nas 9 ci-        Ocidental
    simpatia pelas             dades pesquisadas, que a maior par te dos entrevistados
     organizações              (61%) atribui ao governo – em seus diferentes níveis e       3. Consolidar um Código Florestal específico para a região
ambientalistas em geral,       esferas de competência – a responsabilidade pela solu-
                               ção dos problemas ambientais e pelo sucesso ou fracas-       4. Melhorar a Lei de Acesso aos Recursos Genéticos
  mas as ONGs são              so do processo de desenvolvimento da região.
 pouco conhecidas do                                                                        5. Aplicar o Zoneamento Econômico Ecológico em bases
    grande público         •   Em toda a parte qualitativa da pesquisa — nas entrevistas       participativas e incentivar os processos de construção da
                               com as lideranças e nos grupos focais — foram valoriza-         Agenda 21 local
                               dos o papel e a atuação das ONGs que nâo sâo “xiitas” e
                               que “ não preferem macaquinho ao índio”, numa clara res-     6. Rever a política de assentamentos na Amazônia, sobretudo
                               tr ição às organizações que possuem uma pauta                   os da reforma agrária, priorizando as áreas já desmatadas
                               preservacionista. As organizações que gozam de prestí-
                               gio são aquelas que associam as questões sociais com         7. Proteger as populações tradicionais e as populações
                               as questões ambientais. Essa associação é, inclusive,           indígenas
                               reivindicada como uma característica do ambientalismo
                               amazônida, chamado de sócio-ambiental.                       8. Implementar programas de capacitação técnica para os
                                                                                               produtores rurais
                           •   Ouvindo a população, são poucos os que conseguem lem-
                               brar o nome de uma organização não-governamental que         9. Formular uma política de desenvolvimento urbano para a
                               se dedica à proteção do meio ambiente. Computando os            região
                               três estados, a instituição ambiental mais conhecida é o
                               Ibama.                                                       10.Acelerar a reforma do Estado e das agências técnicas de
                                                                                               controle e fiscalização do meio ambiente
                           •   Foi detectado, no entanto, por parte da população, um ele-
                               vado grau de simpatia (76% dos entrevistados) pelas or-      11.Ampliar, através de campanhas, o reconhecimento da im-
                               ganizações que trabalham com as questôes ambientais.            portância da Amazônia junto à opinião pública nacional e
                               Um percentual expressivo dos entrevistados declarou-se          internacional
                               disposto a ajudar com trabalho voluntário e doações.
                                                                                            12.Melhorar as estratégias e as coalizões das “forças
                           Propostas                                                           sustentabilistas” existentes dentro e fora da Amazô-
                                                                                               nia, que estão presentes em todos os setores, e de-
                           Algumas ações concretas foram suger idas pelas lideranças dos       senvolver práticas de lobby a favor da conservação da
                           setores entrevistados como passos importantes e inadiáveis          floresta
                           para mudar o paradigma atual de desenvolvimento da região:
                                                                                            13.Promover a renovação da classe política através de cam-
                           1. Repensar o Avança Brasil para a Amazônia                         panhas pelo “voto responsável”.



             14

Mais conteúdo relacionado

Destaque

Sicilia
SiciliaSicilia
Sicilia
sulkas
 
Floresta amazônica e a mata atlântica slide do 5º ano
Floresta amazônica e a mata atlântica slide do 5º anoFloresta amazônica e a mata atlântica slide do 5º ano
Floresta amazônica e a mata atlântica slide do 5º ano
Vaniacalmeida
 
Slide Bioma Amazonia Para O Dia 02 De Outubro
Slide Bioma Amazonia Para O Dia 02 De OutubroSlide Bioma Amazonia Para O Dia 02 De Outubro
Slide Bioma Amazonia Para O Dia 02 De Outubro
Patrícia Ventura
 
Floresta amazônica
Floresta amazônicaFloresta amazônica
Floresta amazônica
KELSON DA LUZ OLIVEIRA
 
Ecologia - Bioma Amazônia
Ecologia - Bioma AmazôniaEcologia - Bioma Amazônia
Ecologia - Bioma Amazônia
Bruno Anacleto
 
Floresta amazônica
Floresta amazônicaFloresta amazônica
Floresta amazônica
taffila
 

Destaque (6)

Sicilia
SiciliaSicilia
Sicilia
 
Floresta amazônica e a mata atlântica slide do 5º ano
Floresta amazônica e a mata atlântica slide do 5º anoFloresta amazônica e a mata atlântica slide do 5º ano
Floresta amazônica e a mata atlântica slide do 5º ano
 
Slide Bioma Amazonia Para O Dia 02 De Outubro
Slide Bioma Amazonia Para O Dia 02 De OutubroSlide Bioma Amazonia Para O Dia 02 De Outubro
Slide Bioma Amazonia Para O Dia 02 De Outubro
 
Floresta amazônica
Floresta amazônicaFloresta amazônica
Floresta amazônica
 
Ecologia - Bioma Amazônia
Ecologia - Bioma AmazôniaEcologia - Bioma Amazônia
Ecologia - Bioma Amazônia
 
Floresta amazônica
Floresta amazônicaFloresta amazônica
Floresta amazônica
 

Mais de martha

Ecodesign Ciclo De Vida
Ecodesign Ciclo De VidaEcodesign Ciclo De Vida
Ecodesign Ciclo De Vida
martha
 
Conceitos Ecodesign
Conceitos EcodesignConceitos Ecodesign
Conceitos Ecodesign
martha
 
O Estado Geral Do Planeta Reduzido
O Estado Geral Do Planeta   ReduzidoO Estado Geral Do Planeta   Reduzido
O Estado Geral Do Planeta Reduzido
martha
 
O Estado Geral Do Planeta
O Estado Geral Do PlanetaO Estado Geral Do Planeta
O Estado Geral Do Planeta
martha
 
Ecodesign Ciclo De Vida
Ecodesign Ciclo De VidaEcodesign Ciclo De Vida
Ecodesign Ciclo De Vida
martha
 
Baseado No Fato Que O Design Busca Atender As Necessidades De Uma Cultura Con...
Baseado No Fato Que O Design Busca Atender As Necessidades De Uma Cultura Con...Baseado No Fato Que O Design Busca Atender As Necessidades De Uma Cultura Con...
Baseado No Fato Que O Design Busca Atender As Necessidades De Uma Cultura Con...
martha
 
Admin Marca Texto
Admin Marca TextoAdmin Marca Texto
Admin Marca Texto
martha
 
Mercado Internacional Sinaliza EvoluçãO
Mercado Internacional Sinaliza EvoluçãOMercado Internacional Sinaliza EvoluçãO
Mercado Internacional Sinaliza EvoluçãO
martha
 
Manejo E Usos
Manejo E UsosManejo E Usos
Manejo E Usos
martha
 
Guia Cap0
Guia Cap0Guia Cap0
Guia Cap0
martha
 
Desenvolvimento SustentáVel Do Setor Florestal Brasileiro
Desenvolvimento SustentáVel Do Setor Florestal BrasileiroDesenvolvimento SustentáVel Do Setor Florestal Brasileiro
Desenvolvimento SustentáVel Do Setor Florestal Brasileiro
martha
 
Artesanato Madeira
Artesanato MadeiraArtesanato Madeira
Artesanato Madeira
martha
 
Arranjo Produtivo Local De MóVeis Beneficia A Cidade Industrial
Arranjo Produtivo Local De MóVeis Beneficia A Cidade IndustrialArranjo Produtivo Local De MóVeis Beneficia A Cidade Industrial
Arranjo Produtivo Local De MóVeis Beneficia A Cidade Industrial
martha
 
ResíDuos SóLidos
ResíDuos SóLidosResíDuos SóLidos
ResíDuos SóLidos
martha
 
Tutorial
TutorialTutorial
Tutorialmartha
 
O Valor De Uma Imagem
O Valor De Uma ImagemO Valor De Uma Imagem
O Valor De Uma Imagem
martha
 
HistóRia Da Fotografia
HistóRia Da FotografiaHistóRia Da Fotografia
HistóRia Da Fotografia
martha
 
Passoapasso
PassoapassoPassoapasso
Passoapasso
martha
 
Comp Grafica
Comp GraficaComp Grafica
Comp Grafica
martha
 
Teoria Das Cores
Teoria Das CoresTeoria Das Cores
Teoria Das Cores
martha
 

Mais de martha (20)

Ecodesign Ciclo De Vida
Ecodesign Ciclo De VidaEcodesign Ciclo De Vida
Ecodesign Ciclo De Vida
 
Conceitos Ecodesign
Conceitos EcodesignConceitos Ecodesign
Conceitos Ecodesign
 
O Estado Geral Do Planeta Reduzido
O Estado Geral Do Planeta   ReduzidoO Estado Geral Do Planeta   Reduzido
O Estado Geral Do Planeta Reduzido
 
O Estado Geral Do Planeta
O Estado Geral Do PlanetaO Estado Geral Do Planeta
O Estado Geral Do Planeta
 
Ecodesign Ciclo De Vida
Ecodesign Ciclo De VidaEcodesign Ciclo De Vida
Ecodesign Ciclo De Vida
 
Baseado No Fato Que O Design Busca Atender As Necessidades De Uma Cultura Con...
Baseado No Fato Que O Design Busca Atender As Necessidades De Uma Cultura Con...Baseado No Fato Que O Design Busca Atender As Necessidades De Uma Cultura Con...
Baseado No Fato Que O Design Busca Atender As Necessidades De Uma Cultura Con...
 
Admin Marca Texto
Admin Marca TextoAdmin Marca Texto
Admin Marca Texto
 
Mercado Internacional Sinaliza EvoluçãO
Mercado Internacional Sinaliza EvoluçãOMercado Internacional Sinaliza EvoluçãO
Mercado Internacional Sinaliza EvoluçãO
 
Manejo E Usos
Manejo E UsosManejo E Usos
Manejo E Usos
 
Guia Cap0
Guia Cap0Guia Cap0
Guia Cap0
 
Desenvolvimento SustentáVel Do Setor Florestal Brasileiro
Desenvolvimento SustentáVel Do Setor Florestal BrasileiroDesenvolvimento SustentáVel Do Setor Florestal Brasileiro
Desenvolvimento SustentáVel Do Setor Florestal Brasileiro
 
Artesanato Madeira
Artesanato MadeiraArtesanato Madeira
Artesanato Madeira
 
Arranjo Produtivo Local De MóVeis Beneficia A Cidade Industrial
Arranjo Produtivo Local De MóVeis Beneficia A Cidade IndustrialArranjo Produtivo Local De MóVeis Beneficia A Cidade Industrial
Arranjo Produtivo Local De MóVeis Beneficia A Cidade Industrial
 
ResíDuos SóLidos
ResíDuos SóLidosResíDuos SóLidos
ResíDuos SóLidos
 
Tutorial
TutorialTutorial
Tutorial
 
O Valor De Uma Imagem
O Valor De Uma ImagemO Valor De Uma Imagem
O Valor De Uma Imagem
 
HistóRia Da Fotografia
HistóRia Da FotografiaHistóRia Da Fotografia
HistóRia Da Fotografia
 
Passoapasso
PassoapassoPassoapasso
Passoapasso
 
Comp Grafica
Comp GraficaComp Grafica
Comp Grafica
 
Teoria Das Cores
Teoria Das CoresTeoria Das Cores
Teoria Das Cores
 

Pesquisa Amazonia01

  • 1. PESQUISA DE OPINIÃO COM LIDERANÇAS E A POPULAÇÃO DA AMAZÔNIA
  • 2. Desenvolvimento e Conservação do Meio Ambiente Pesquisa de opinião com lideranças e a população da Amazônia
  • 3. Realização: WWF-Brasil – Programa Amazônia ISER - Programa de Meio Ambiente e Desenvolvimento Coordenação geral: Samyra Crespo/ ISER Regina Vasquez / WWF-Brasil Rosa Lemos de Sá / WWF-Brasil Pesquisa com lideranças Coordenação de campo: Ângela Arruda Entrevistadores: Laila Souza Mendes Philippe Layrargues Grupos focais Moderadora e Relatora: Regina Novaes Assistente: Neyla Vaserstein Pesquisa domiciliar com a população Coordenação geral: Leandro Piquet Carneiro (USP) Coordenação de campo: Neyla Vaserstein Estatístico: Marcelo de Souza Nascimento Supervisores de campo: Desirée Luzia Martins da Silva Jurandir Chamusca Filho Programação visual, arte e diagramação: André Ramos/WWF-Brasil Pesquisa fotográfica: Shirley Carvalhedo/ WWF-Brasil Fotografias: Juan Pratiginestós Edward Parker
  • 4. D452c Desenvolvimento e Conservação do Meio Ambiente: pesquisa de opinião com lideranças e a população da Amazônia. [ Coordenação: Rosa L. de Sá e Regina Vasquez] – [Brasília]: WWF- Brasil, c2001. 100p.:il. Color.; 29,7x21 cm. 1. Amazônia. 2. Pesquisa de opinião. 3. Desenvolvimento Sustentável. 4. Ambientalismo. 5. Conser vação do Meio Ambiente CDU 303.2.425 (811.3)
  • 5. ÍNDICE Apresentação 7 Sumário 9 I. Pesquisa com Lideranças e Formadores de Opinião 15 Mapa – Universo da pesquisa 16 1. O ambientalismo 17 Tabela 1.1: As entidades ambientalistas mais conhecidas na Amazônia 21 Tabela 1.2: A confiabilidade das entidades ambientalistas na Amazônia 22 2. O desenvolvimento sustentável 22 3. As vocações da Amazônia 23 4. Os principais problemas ambientais da Amazônia 30 5. As soluções 33 6. O antiambientalismo 36 7. O papel da sociedade civil e das ONGs 39 8. Cenários futuros 39 9. Metodologia e características da amostra 41 Tabela 1.3 – Distribuição das entrevistas por setor 42 Tabela 1.4 – Distribuição das entrevistas por Estado 42 Tabela 1.5 - Localização dos entrevistados na Amazônia 43 II. Pesquisa com ribeirinhos, extrativistas, colonos assentados e madeireiros 45 Mapa – Localização dos grupos pesquisados 46 1. Os segmentos escolhidos 47 2. Percepção de atores e instituições 48 Tabela 2.1 – Distribuição de participantes por categoria e localidade 48 Tabela 2.2 – Características dos grupos 48 Tabela 2.3 – Avaliação de instituições e atores 50 3. Conceitos, valores e o papel de cada grupo 49 4. Os principais problemas 51 5. Pauta de prioridades 52 Tabela 2.4 – As prioridades de cada grupo 52 III. Pesquisa Domiciliar com a População 55 Mapa - Distribuição das entrevistas 56 1. A valorização da floresta 57 2. Normas e valores frente ao meio ambiente 57 Tabela 3.1 – Valores frente ao meio ambiente 58
  • 6. 3. Indicadores de pressão antrópica 58 Tabela 3.2 – Indicadores de pressão antrópica 59 Tabela 3.3 - Atividades agrícolas e criação de animais 59 Gráfico 3.1 – Consumo de carne de caça e prática de pesca 60 4. Qualidade e problemas ambientais 61 Gráfico 3.2 – Principais problemas ambientais observados 61 Tabela 3.4 – Avaliação e percepção das mudanças nas condições ambientais 62 5. Prioridades e atores 61 Gráfico 3.3 – Prioridades da região amazônica 62 Tabela 3.5 – Prioridade número um da região amazônica por município 63 Tabela 3.6 – Prioridade número dois da região amazônica por município 63 Gráfico 3.4 – Primeira prioridade da região amazônica destacando as alternativas de desenvolvimento sustentável 63 Gráfico 3.5 – Segunda prioridade da região amazônica destacando as alternativas de desenvolvimento sustentável 63 Tabela 3.7 – O que mais prejudica a região amazônica 64 Quadro 1 - Conhecimento e conceito de desenvolvimento sustentável 64 Tabela 3.8 – Instituições que mais se preocupam com a região amazônica 65 Tabela 3.9 – Atitudes diante das ONGs e disposição para participar na solução dos problemas ambientais 65 6. As instituições de defesa do meio ambiente 65 Tabela 3.10 – Instituições ambientalistas mais conhecida 65 Tabela 3.11 – Disposição para ajudar na solução dos problemas ambientais 66 7. Conhecimento sobre meio ambiente 66 Gráfico 3.6 – Auto-classificação do nível de informação sobre temas de meio ambiente 66 Gráfico 3.7A – Meios utilizados para informar-se sobre o meio ambiente 66 Gráfico 3.7 B – Meios utilizados para informar-se sobre o meio ambiente (horário de TV) 67 8. As condições de vida da população 67 Gráfico 3.8 - Acesso aos serviços públicos 67 Tabela 3.12 – Características dos domicílios por município (%) 68 9. Metodologia 69 Anexos: 71 Anexo I - Lista dos Entrevistados na Pesquisa com Lideranças e Formadores de Opinião 73 Anexo II - Glossário de Siglas 75
  • 7. APRESENTAÇÃO Esta publicação traz os resultados mais significativos da am- ver esta pesquisa foi o de buscar um quadro mais compreen- pla pesquisa de opinião realizada pelo WWF-Brasil em par- sivo de como o debate sobre o desenvolvimento da Amazônia ceria com o Programa de Meio Ambiente e Desenvolvimento está se dando no seio das suas próprias elites e dos movi- do ISER - Instituto de Estudos da Religião, junto à popula- mentos sociais locais, contrastando-o com a opinião da popu- ção e lideranças da região amazônica sobre desenvolvimen- lação em geral. to e meio ambiente. Entendendo que a divulgação dos principais resultados inte- O principal objetivo do estudo f oi, de um lado, obter a opi- ressam a todos aqueles que atuam na região, ou fora dela, para nião da população sobre a relação entre conservação do que a opção do desenvolvimento sustentável se torne realida- meio ambiente e desenvolvimento sócio-econômico e, de de, o WWF-Brasil resolveu destacar, nesta publicação, os as- outro, uma visão mais qualificada dessa discussão por par- pectos mais diretamente relacionados a dois eixos temáticos: te de segmentos sociais relevantes da região, formadores quais concepções sobre desenvolvimento estão hoje em jogo de opinião e com grande influência na formulação das cha- e quais as bases sociais de apoio ao projeto de uma Amazô- madas políticas de desenvolvimento. A pesquisa procurou nia sustentável e à conservação do meio ambiente. verificar até que ponto o paradigma da sustentabilidade está presente, ou não, nas agendas e no elenco de prioridades Esperamos com isso contribuir positivamente para aumentar o que estes mesmos segmentos são capazes de constituir. conhecimento sobre os processos sociais, ambientais e políti- cos em curso na Amazônia, favorecendo as estratégias de con- Em outras palavras, o interesse do WWF-Brasil ao desenvol- servação da biodiversidade e desenvolvimento para a região. Dr. Garo Batmanian Secretário Geral do WWF- Brasil
  • 9.
  • 10. Os temas ridades e recorrências de alguns conjuntos de respostas/opi- niões, assim como das diferenças observadas. A pesquisa foi desenvolvida através de três diferentes módulos que tiveram em comum os seguintes blocos temáticos: Os resultados desta publicação enfatizam, sempre que cabí- vel, as recorrências e regularidades entre as três modalidades. a) conhecimento e avaliação dos ambientalistas na região amazônica Os Problemas e as Prioridades na Amazônia b) conhecimento dos problemas ambientais da Amazônia e • A pesquisa mostra que a preservação da floresta é uma pauta de prioridades dos atores/segmentos das prioridades da população que vive na região, mas que há uma série de outros problemas afetando o seu desen- c) visão sobre o futuro da Amazônia e sobre as estratégias volvimento e a sua qualidade de vida. Para 34% da popu- de desenvolvimento sustentável lação, a prioridade número um para a Amazônia é conser- var a floresta e nenhuma outra alternativa superou este O método percentual. Foram utilizadas três técnicas de abordagem: • Entre os problemas estritamente ambientais, foram iden- tificados por ordem: a) o desmatamento e as queimadas; a) grupos focais em áreas selecionadas com quatro seg- b) a contaminação dos r ios; c) a falta de saneamento nas mentos de especial interesse para o WWF-Brasil: ribeiri- cidades e vilas que povoam uma Amazônia cada vez mais nhos, colonos assentados, madeireiros e extrativistas. urbanizada. A destruição da floresta aparece como o prin- cipal problema ambiental da região nas três partes da b) pesquisa qualitativa com formadores de opinião, cobrin- pesquisa. do 9 segmentos: empresários, cientistas, técnicos e gestores governamentais, ambientalistas, parlamentares, militares, • Em geral, os principais problemas são aqueles clássicos profissionais da imprensa e líderes dos movimentos soci- da falta de desenvolvimento: baixa oferta e baixa qualida- ais atuantes na região. Ao todo, foram realizadas 90 entre- de dos serviços de saúde, educação, vistas em profundidade com estes setores. infra-estrutura. Foram mencionadas especificamente a falta de estradas c) Pesquisa quantitativa de opinião (survey), num total de e transporte, a falta de saneamento 2.049 entrevistas com a população acima de 16 anos em básico e as más condições urbanas áreas rurais e urbanas de 9 municípios, incluindo as capi- (ruas sem asfalto, enchentes, lixo, tais, nos estados do Acre, Rondônia e Pará. Os resultados etc.). Foram ainda citadas a falta de podem ser desagregados por cada um dos municípios pes- segurança e a alta criminalidade . quisados. Houve destaque também para os problemas de energia, sobretudo nas Cada uma das técnicas acima mencionadas possui a sua áreas rurais, onde o serviço é escas- especificidade e oferece diferentes resultados para análise, so e ineficiente. O desemprego apa- daí uma comparação linear entre os três módulos não ser rece apenas nas perguntas fecha- 11 metodologicamente correta. No entanto, é possível uma in- das, onde as opções de resposta vi- terpretação global da pesquisa realizada, a partir das regula- nham previamente listadas.
  • 11. Em todos os • A diferença de visão do que vem a ser o desenvolvimento pertório utilizado para definir o que é, e o que não é, “meio da Amazônia em bases sustentáveis e o interesse real de ambiente” é bastante restrito. Naturalmente, segmentos segmentos ouvidos cada público demarcam a pauta de prioridades. T odos os com maior escolaridade tendem a usar um repertório mais na pesquisa de atores afirmam desejar uma melhoria significativa nas con- amplo e mais complexo. opinião é nítida a dições de vida da população. Contudo, percebe-se uma tensão entre as pautas de preservação do meio ambiente • O desenvolvimento da Amazônia é visto como ”estratégi- consciência de que é e de desenvolvimento. co para o próprio desenvolvimento nacional” (militares); preciso usar os “estratégico para o mundo” (ambientalistas) e “essencial e recursos naturais da • Transporte e conservação das vias urbanas, bem como o legítimo, primeiramente para os próprios amazônidas” (em- saneamento, foram selecionadas como prioridades tanto presários, movimentos sociais e parlamentares). floresta de forma pela população como pelas lideranças. Como terceiro item, sustentável a população enfatizou os problemas com o fornecimento A Vocação Econômica da Região de energia; já as lideranças destacaram a necessidade de estabelecer uma política de crédito para o incentivo à agri- • Há um forte consenso, verificado em todos os módulos da cultura sustentável. pesquisa, em torno da necessidade de explorar de forma sustentável a floresta. Ela é tida por todos como um dos O Desenvolvimento Sustentável grandes recursos da região e o principal vetor na defini- ção da sua vocação econômica. A pesquisa mostra que o conceito de desenvolvimento sus- tentável já é manejado com desenvoltura pela elite amazônida, • A visão predominante, contudo, é a de que a Amazônia é considerados todos o segmentos. Este conceito tornou-se o mais do que a sua floresta, comportando vocações múlti- discurso de consenso para quem fala de meio ambiente e plas, não devendo priorizar uma única estratégia de de- desenvolvimento, independente do credo e do partido. Entre senvolvimento. Os atores usam diferentes parâmetros para a população, a expressão desenvolvimento sustentável é pou- falarem do potencial econômico da região. co conhecida. No entanto, mais da metade dos entrevistados declarou que não considera o progresso mais importante do • Os militares destacam a existência dos recursos minerais que conservar a natureza, discorda da idéia de que o Brasil e o enorme potencial de energia renovável, representado não pode dar-se ao luxo de se preocupar com problemas pelos recursos hídricos abundantes na região; ecológicos e está consciente de que é preciso controlar o uso dos recursos naturais. • Os movimentos sociais e os ambientalistas enfatizam a importância da economia baseada na explor ação susten- • As dimensões valorizadas da sustentabilidade, variam tável da floresta e a necessidade de reforçar práticas de conforme o grupo de interesse. Os empresários valorizam “ag ricultura sustentável”, baseada sobretudo na pequena a dimensão econômica, os cientistas e ambientalistas ten- produção e voltada para o mercado interno. dem a enfatizar a dimensão ecológica. Os movimentos sociais tendem a colocar em relevo a dimensão cultural e • Os empresários defendem a idéia de que a agricultura e a também a econômica, enquanto as organizações religio- pecuária são necessárias e possíveis na região, sobretu- sas insistem nos aspectos éticos. do em áreas já desmatadas. 12 • Verificou-se que, na população mais ampla, meio ambi- • Há um consenso generalizado entre as pessoas ouvidas ente ainda é fundamentalmente fauna e flora e que o re- nos dois módulos qualitativos da pesquisa de que a cultu-
  • 12. ra da soja na Amazônia não deve ser ampliada. Foram ras, burocratas de Brasília e o “ pessoal do Sudeste que feitas severas críticas ao Plano Brasil em Ação do gover- nunca viu a floresta de perto”) e o desenvolvimento da no federal, bem como aos “eixos de desenvolvimento” nos Amazônia pelo e para os próprios amazônidas. quais ele se baseia. O Futuro • A maior parte da população afirma não estar disposta a conviver com mais poluição, ainda que isso signifique mais • Entre os que têm uma visão mais otimista, aí incluindo-se a empregos. população mais ampla, a importância que a Amazônia tem para o mundo e para a humanidade é quase um passapor- Os “Vilões” te alvissareiro para o futuro. Para os otimistas a consciên- cia ambiental aumenta no País e na região, e os próprios • Foram apontados como principais entraves ao desenvol- movimentos sociais incorporaram a preservação do meio vimento: a) a vastidão do território amazônico; b) a situa- ambiente em suas lutas pela melhora das condições de vida. ção crítica dos recursos para investimentos no País: c) a Para eles, a importância estratégica da região tende a au- falta de um projeto coerente para a região. Segundo os mentar interna e exter namente, e a impunidade que hoje entrevistados, “o desenvolvimentismo dos anos 70 foi aban- impera nas agências de desenvolvimento ali existentes tem donado sem que se tenha colocado nada no lugar”. os dias contados. • Vários entrevistados em todos os segmentos, com exce- • A crença de que “a Amazônia não é uma prioridade na ção dos militares e dos religiosos, insistiram em que o Pla- agenda pública nacional” e de que faltam políticas coeren- no Brasil em Ação é “um pilar do desenvolvimento errado”. tes par a região faz com que o futuro da Amazônia seja visto com pessimismo por expressiva parte das lideran- • Os madeireiros se ressentem de estarem sendo “massa- ças ouvidas. Acreditam, ainda, que o desmatamento vem crados pela opinião pública”, vítimas do governo (IBAMA), aumentando e que a pobreza da população na região ten- da mídia jornalística e dos ambientalistas, eleitos injusta- de a pressionar ainda mais os recursos ali existentes. Os mente como os grandes “vilões” na luta pela preservação mais catastrofistas acreditam que, no futuro, a Amazônia do meio ambiente na Amazônia. será um colar de cidades pobres entremeadas por unidades de conser- • Outros “vilões” apontados, sobretudo na parte qualitativa vação, remanescentes da floresta. da pesquisa, foram: pecuaristas, latifundiários, grileiros e empresários do “ falso” turismo ecológico. O Papel das ONGs e da Sociedade Civil • Também foram mencionadas com indignação, sobretudo • Na construção de uma sociedade por militares, empresários e parlamentares, aquelas ONGs amazônica sustentável foi valorizado que disseminam “uma imagem distorcida”, construída pe- o papel das ONGs e outras organiza- los “de fora”, de que na Amazônia só existem “índios e ções da sociedade civil, tidas como seringueiros, e os tais povos da floresta, uma invenção de “comprometidas”, independentes e antropólogos e ongueiros” . fundamentais para ampliação da consciência ambiental. Este papel 13 • Foi detectada uma forte tensão entre o que seria uma “Ama- impor tante a ser desempenhado pe- zônia sustentável” segundo “os de fora” (ONGs estrangei- las organizações da sociedade é, no
  • 13. A população têm muita entanto, minimizado quando a população mais ampla é 2. Evitar a construção de estradas, sobretudo na Amazônia ouvida. A pesquisa domiciliar (survey) mostra, nas 9 ci- Ocidental simpatia pelas dades pesquisadas, que a maior par te dos entrevistados organizações (61%) atribui ao governo – em seus diferentes níveis e 3. Consolidar um Código Florestal específico para a região ambientalistas em geral, esferas de competência – a responsabilidade pela solu- ção dos problemas ambientais e pelo sucesso ou fracas- 4. Melhorar a Lei de Acesso aos Recursos Genéticos mas as ONGs são so do processo de desenvolvimento da região. pouco conhecidas do 5. Aplicar o Zoneamento Econômico Ecológico em bases grande público • Em toda a parte qualitativa da pesquisa — nas entrevistas participativas e incentivar os processos de construção da com as lideranças e nos grupos focais — foram valoriza- Agenda 21 local dos o papel e a atuação das ONGs que nâo sâo “xiitas” e que “ não preferem macaquinho ao índio”, numa clara res- 6. Rever a política de assentamentos na Amazônia, sobretudo tr ição às organizações que possuem uma pauta os da reforma agrária, priorizando as áreas já desmatadas preservacionista. As organizações que gozam de prestí- gio são aquelas que associam as questões sociais com 7. Proteger as populações tradicionais e as populações as questões ambientais. Essa associação é, inclusive, indígenas reivindicada como uma característica do ambientalismo amazônida, chamado de sócio-ambiental. 8. Implementar programas de capacitação técnica para os produtores rurais • Ouvindo a população, são poucos os que conseguem lem- brar o nome de uma organização não-governamental que 9. Formular uma política de desenvolvimento urbano para a se dedica à proteção do meio ambiente. Computando os região três estados, a instituição ambiental mais conhecida é o Ibama. 10.Acelerar a reforma do Estado e das agências técnicas de controle e fiscalização do meio ambiente • Foi detectado, no entanto, por parte da população, um ele- vado grau de simpatia (76% dos entrevistados) pelas or- 11.Ampliar, através de campanhas, o reconhecimento da im- ganizações que trabalham com as questôes ambientais. portância da Amazônia junto à opinião pública nacional e Um percentual expressivo dos entrevistados declarou-se internacional disposto a ajudar com trabalho voluntário e doações. 12.Melhorar as estratégias e as coalizões das “forças Propostas sustentabilistas” existentes dentro e fora da Amazô- nia, que estão presentes em todos os setores, e de- Algumas ações concretas foram suger idas pelas lideranças dos senvolver práticas de lobby a favor da conservação da setores entrevistados como passos importantes e inadiáveis floresta para mudar o paradigma atual de desenvolvimento da região: 13.Promover a renovação da classe política através de cam- 1. Repensar o Avança Brasil para a Amazônia panhas pelo “voto responsável”. 14