SlideShare uma empresa Scribd logo
UTP – FACET – CSTDI
PAISAGISMO APLICADO




     INTRODUÇÃO




     Profª. Rita Patron
O que é paisagismo?
          Paisagismo é uma atividade que envolve arte, técnica, bom
        senso, bom gosto e criatividade. Consiste na criação de espaços
           funcionais, agradáveis e bonitos, utilizando plantas e outros
                            elementos decorativos.




Jardins Suspensos da
      Babilônia
O paisagismo consiste em três etapas: Projeto, Implantação e Manutenção.
                               Por exemplo:


  Projeto: o paisagista, juntamente com o cliente e o(a) arquiteto(a) pode
definir a posição e layout da piscina, da churrasqueira, de um espaço mais
íntimo. Depois pode definir os tipos de pisos mais adequados, os elementos
       funcionais, as massas de vegetação para tornar o espaço mais
 aconchegante, e os elementos estéticos e plantas que irão dar beleza ao
                                    jardim.


Implantação: o paisagista pode acompanhar a instalação dos pisos e outros
 elementos e fica responsável pelo gerenciamento da compra de plantas,
  terra, adubos, pedras e o plantio das espécies vegetais e colocação de
                         outros elementos estéticos.


Manutenção: o paisagista é responsável também pelo controle do espaço e
 das espécies vegetais, além de podas, adubações periódicas e replantio,
                  para manter o jardim sempre bonito.
A história do paisagismo se perde na própria civilização. Documentos antigos
evidenciam que os egípcios e chineses seriam os precursores do paisagismo.
 Historiadores relatam que já no século XVIa .C., os egípcios se destacavam
 como grandes jardineiros; apreciavam jardins formais, algumas vezes com
um grande tanque onde criavam peixes e cultivavam plantas aquáticas. Já
  para os chineses, que consideravam os jardins como locais de quietude e
 contemplação, o planejamento e o cultivo de um jardim sempre tinha esse
           enfoque, sem muita preocupação com formas definidas.




    Versailles
Paisagismo e ecologia
 Alguns conceitos sobre paisagismo e ecologia devem aqui ser expostos,
         com o objetivo de se fazer uma análise de suas relações:
     Ecologia: parte da biogeografia que investiga os fundamentos da
distribuição dos seres vivos e suas relações com o meio estacional, isto é ,
             com os fatores climáticos, pedológicos e Bióticos;
É a divisão da biologia que trata das relações recíprocas dos seres vivos e,
                       destes com o meio ambiente.




   Versailles
Paisagismo: é a resultante integrada das relações entre o clima e o solo, a
  vegetação os processos evolutivos naturais e o homem, frente aos seus
                           desejos e necessidades;
   É a ciência e arte que estudam o ordenamento do espaço exterior, em
função das necessidades atuais e futuras e dos desejos estéticos do homem;

       Paisagem: espaço de área que se abrange num lance de vista.




    Versailles
O paisagismo é algo mais abrangente, podendo inclusive ser denominado de
“macropaisagismo”, por envolver as edificações e seus arredores, bem como
os monumentos naturais. Assim, áreas específicas podem ser destacadas:
• espaços livres
• áreas verdes
• arborização de ruas
• parques
• praças
• jardins




  Jardim Italiano
Princípios básicos do paisagismo
  O paisagismo, cuja função básica é o ordenamento do espaço (
exterior ou interior ), objetivando amenizar as condições psicossociais
da civilização moderna, se fundamenta na ciência, na técnica e na
                                    arte.




                                                  Central Park – New York
Composição artística
Detectar presença ou ausência do belo, é uma reação pessoal, por estar
ligado a aspectos emocionais, culturais, sociais, morais e inclusive,
econômicos. Dentro desses fatores, considera-se algo como belo,
quando existe um relação harmoniosa entre as partes que compõem o
todo.
A composição artística em paisagismo/jardinagem, consiste em arranjar
harmoniosamente os elementos vegetais e não vegetais                em
consonância com os elementos arquitetônicos; dispor e conjugar os jogos
rítmicos das linhas, tons , formas, cores, etc.




                                       Jardim de Tuileries - Paris
Princípios da composição artística:
•Unidade - é quando se percebe uma paisagem ou um jardim como um
conjunto harmonioso, não existindo elementos discordantes em relação a
     linhas , formas, massas de vegetação, espaço, proporções, etc.
• Proporção - é quando se constata uma correspondência harmônica de
  uma parte com o todo. A proporção deve ser perfeita em relação a
                    espaços, massas, cores , textura, etc.




                                                           Parque da España
                                                           Industrial - Barcelona
•Ritmo - é a disposição inteligente dos elementos , fazendo com que a
 impressão visual seja conduzida para determinados pontos. Obtém-se um
ritmo harmônico com repetição de formas, proporção adequada entre os
           tamanhos dos diversos elementos e movimento contínuo
                                   de linhas.
   •Equilíbrio - é um confronto de forças que se compensam e se anulam
mutuamente. Deve-se procurar em um jardim, equilibrar “forças” de linhas ,
                            massas, tons, cores, etc.




                                                           Jardim Vertical
                                                           Museu do Quai Banly
• Ponto de destaque - constituído geralmente por elementos que chamam a
   atenção, “destoando” positivamente do todo naquela área, como por
                    exemplo estátuas, pérgolas, fontes, etc.
    • Contraste – obtido quando se colocam juntos, dois elementos com
       características contrastantes em linha, forma, textura, cor, etc.




                             Paisagismo Roberto Burle Marx
• Analogia - é a composição com elementos distintos, mas , com algumas
características em comum. Exemplo : bancos de madeira sobre piso de tijolo
aparente.
• Dominância - pode ser de cor, volume, textura, linha, etc. Será sempre daquilo
que existe em maior número ou intensidade. Em um maciço formado por Yucas
e agaves, predominam a forma e textura, que são bem características nestas
duas espécies. O verde do gramado e sua linha, sempre predominam nos
jardins.




                                                                                         Acácia amarela




                                    Yucas

                                             Fontes: Universidade Federal de Lavras, Instituto brasileiro de Paisagismo

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

3. Paisagismo - Evolução Histórica II
3. Paisagismo - Evolução Histórica II3. Paisagismo - Evolução Histórica II
3. Paisagismo - Evolução Histórica II
Ana Cunha
 
Breve histórico do paisagismo no mundo_parte 01
Breve histórico do paisagismo no mundo_parte 01Breve histórico do paisagismo no mundo_parte 01
Breve histórico do paisagismo no mundo_parte 01
Lila Donato
 
Jardins renascentistas
Jardins renascentistasJardins renascentistas
Jardins renascentistas
Rodrigo Machado
 
Jardim Contemporâneo
Jardim ContemporâneoJardim Contemporâneo
Jardim Contemporâneo
Sabrina Nascimento
 
Aula 2 introdução floricultura
Aula 2   introdução floriculturaAula 2   introdução floricultura
Aula 2 introdução floricultura
siterra
 
1. Introdução e jardins clássicos.pdf
1. Introdução e jardins clássicos.pdf1. Introdução e jardins clássicos.pdf
1. Introdução e jardins clássicos.pdf
susana942908
 
Tipos de-vegetais-aplicados-ao-paisagismo aula 25-08
Tipos de-vegetais-aplicados-ao-paisagismo aula 25-08Tipos de-vegetais-aplicados-ao-paisagismo aula 25-08
Tipos de-vegetais-aplicados-ao-paisagismo aula 25-08
vagno junior
 
Comunicando através da paisagem
Comunicando através da paisagemComunicando através da paisagem
Comunicando através da paisagem
Ana Cunha
 
Tipos vegetais aplicados ao paisagismo
Tipos vegetais aplicados ao paisagismoTipos vegetais aplicados ao paisagismo
Tipos vegetais aplicados ao paisagismo
Angélica Vidal
 
Jardim - Egito, Babilônia, Pérsia, Grécia e Roma (antigas)
Jardim  - Egito, Babilônia, Pérsia, Grécia e Roma (antigas)Jardim  - Egito, Babilônia, Pérsia, Grécia e Roma (antigas)
Jardim - Egito, Babilônia, Pérsia, Grécia e Roma (antigas)
ARQ210AN
 
Estudo preliminar terreno e seus condicionantes
Estudo preliminar   terreno e seus condicionantesEstudo preliminar   terreno e seus condicionantes
Estudo preliminar terreno e seus condicionantes
Rômulo Marques
 
Aula projeto de arquitetura
Aula projeto de arquiteturaAula projeto de arquitetura
Aula projeto de arquitetura
UNAERP
 
Adubação
AdubaçãoAdubação
Recuperação de áreas degradadas
Recuperação de áreas degradadasRecuperação de áreas degradadas
Recuperação de áreas degradadas
UERGS
 
AULA 1 Produção de mudas.ppt
AULA 1 Produção de mudas.pptAULA 1 Produção de mudas.ppt
AULA 1 Produção de mudas.ppt
UFV
 
AULA 3 - PARTE 1 - CONCEITOS PAISAGISMO.pdf
AULA 3 - PARTE 1 - CONCEITOS PAISAGISMO.pdfAULA 3 - PARTE 1 - CONCEITOS PAISAGISMO.pdf
AULA 3 - PARTE 1 - CONCEITOS PAISAGISMO.pdf
PaulaMariaMagalhesTe
 
Aula 2 2020 2
Aula 2 2020 2 Aula 2 2020 2
Aula 2 2020 2
IvaniOliveira9
 
Poaceae Sistemática Vegetal
Poaceae Sistemática Vegetal Poaceae Sistemática Vegetal
Poaceae Sistemática Vegetal
Giovanna Martins
 
Propagacão de plantas frutiferas
Propagacão de plantas frutiferasPropagacão de plantas frutiferas
Propagacão de plantas frutiferas
paisagista
 
Aula 02 propagação e implantação de plantas ornamentais
Aula 02   propagação e implantação de plantas ornamentaisAula 02   propagação e implantação de plantas ornamentais
Aula 02 propagação e implantação de plantas ornamentais
CETEP, FTC, FASA..
 

Mais procurados (20)

3. Paisagismo - Evolução Histórica II
3. Paisagismo - Evolução Histórica II3. Paisagismo - Evolução Histórica II
3. Paisagismo - Evolução Histórica II
 
Breve histórico do paisagismo no mundo_parte 01
Breve histórico do paisagismo no mundo_parte 01Breve histórico do paisagismo no mundo_parte 01
Breve histórico do paisagismo no mundo_parte 01
 
Jardins renascentistas
Jardins renascentistasJardins renascentistas
Jardins renascentistas
 
Jardim Contemporâneo
Jardim ContemporâneoJardim Contemporâneo
Jardim Contemporâneo
 
Aula 2 introdução floricultura
Aula 2   introdução floriculturaAula 2   introdução floricultura
Aula 2 introdução floricultura
 
1. Introdução e jardins clássicos.pdf
1. Introdução e jardins clássicos.pdf1. Introdução e jardins clássicos.pdf
1. Introdução e jardins clássicos.pdf
 
Tipos de-vegetais-aplicados-ao-paisagismo aula 25-08
Tipos de-vegetais-aplicados-ao-paisagismo aula 25-08Tipos de-vegetais-aplicados-ao-paisagismo aula 25-08
Tipos de-vegetais-aplicados-ao-paisagismo aula 25-08
 
Comunicando através da paisagem
Comunicando através da paisagemComunicando através da paisagem
Comunicando através da paisagem
 
Tipos vegetais aplicados ao paisagismo
Tipos vegetais aplicados ao paisagismoTipos vegetais aplicados ao paisagismo
Tipos vegetais aplicados ao paisagismo
 
Jardim - Egito, Babilônia, Pérsia, Grécia e Roma (antigas)
Jardim  - Egito, Babilônia, Pérsia, Grécia e Roma (antigas)Jardim  - Egito, Babilônia, Pérsia, Grécia e Roma (antigas)
Jardim - Egito, Babilônia, Pérsia, Grécia e Roma (antigas)
 
Estudo preliminar terreno e seus condicionantes
Estudo preliminar   terreno e seus condicionantesEstudo preliminar   terreno e seus condicionantes
Estudo preliminar terreno e seus condicionantes
 
Aula projeto de arquitetura
Aula projeto de arquiteturaAula projeto de arquitetura
Aula projeto de arquitetura
 
Adubação
AdubaçãoAdubação
Adubação
 
Recuperação de áreas degradadas
Recuperação de áreas degradadasRecuperação de áreas degradadas
Recuperação de áreas degradadas
 
AULA 1 Produção de mudas.ppt
AULA 1 Produção de mudas.pptAULA 1 Produção de mudas.ppt
AULA 1 Produção de mudas.ppt
 
AULA 3 - PARTE 1 - CONCEITOS PAISAGISMO.pdf
AULA 3 - PARTE 1 - CONCEITOS PAISAGISMO.pdfAULA 3 - PARTE 1 - CONCEITOS PAISAGISMO.pdf
AULA 3 - PARTE 1 - CONCEITOS PAISAGISMO.pdf
 
Aula 2 2020 2
Aula 2 2020 2 Aula 2 2020 2
Aula 2 2020 2
 
Poaceae Sistemática Vegetal
Poaceae Sistemática Vegetal Poaceae Sistemática Vegetal
Poaceae Sistemática Vegetal
 
Propagacão de plantas frutiferas
Propagacão de plantas frutiferasPropagacão de plantas frutiferas
Propagacão de plantas frutiferas
 
Aula 02 propagação e implantação de plantas ornamentais
Aula 02   propagação e implantação de plantas ornamentaisAula 02   propagação e implantação de plantas ornamentais
Aula 02 propagação e implantação de plantas ornamentais
 

Mais de rmpatron

Exercício de escalas 2
Exercício de escalas 2Exercício de escalas 2
Exercício de escalas 2
rmpatron
 
Exercícios de escalas
Exercícios de escalasExercícios de escalas
Exercícios de escalas
rmpatron
 
Desenho%20de%20 projetos%20de%20edifica%e7%f5es
Desenho%20de%20 projetos%20de%20edifica%e7%f5esDesenho%20de%20 projetos%20de%20edifica%e7%f5es
Desenho%20de%20 projetos%20de%20edifica%e7%f5es
rmpatron
 
Desenho técnico
Desenho técnicoDesenho técnico
Desenho técnico
rmpatron
 
Acessibilidade
AcessibilidadeAcessibilidade
Acessibilidade
rmpatron
 
Calendário 2013 1
Calendário 2013 1Calendário 2013 1
Calendário 2013 1
rmpatron
 
Manual osram
Manual osramManual osram
Manual osram
rmpatron
 
Luminotécnico
 Luminotécnico Luminotécnico
Luminotécnico
rmpatron
 
Aula 2
Aula 2Aula 2
Aula 2
rmpatron
 
Aula 1 2013 pidi
Aula 1   2013 pidiAula 1   2013 pidi
Aula 1 2013 pidi
rmpatron
 
Programa da disciplina pi 2013 ok
Programa da disciplina pi 2013 okPrograma da disciplina pi 2013 ok
Programa da disciplina pi 2013 ok
rmpatron
 
Aula 1
Aula 1Aula 1
Aula 1
rmpatron
 
Introdução à luminotécnica
Introdução à luminotécnicaIntrodução à luminotécnica
Introdução à luminotécnica
rmpatron
 
Braisntorm museu
Braisntorm museuBraisntorm museu
Braisntorm museu
rmpatron
 
Roteiro basico para_elaboracao_de_projeto_de_pesquisa
Roteiro basico para_elaboracao_de_projeto_de_pesquisaRoteiro basico para_elaboracao_de_projeto_de_pesquisa
Roteiro basico para_elaboracao_de_projeto_de_pesquisa
rmpatron
 
Programa da disciplina pi arq_ok
Programa da disciplina  pi arq_okPrograma da disciplina  pi arq_ok
Programa da disciplina pi arq_ok
rmpatron
 
Programa da disciplina paisagismo 2013
Programa da disciplina paisagismo 2013Programa da disciplina paisagismo 2013
Programa da disciplina paisagismo 2013
rmpatron
 
Programa da disciplina projeto de interiores iii 2013
Programa da disciplina projeto de interiores iii 2013Programa da disciplina projeto de interiores iii 2013
Programa da disciplina projeto de interiores iii 2013
rmpatron
 
Programa da disciplina luminotécnico 2013
Programa da disciplina luminotécnico 2013Programa da disciplina luminotécnico 2013
Programa da disciplina luminotécnico 2013
rmpatron
 
Programa da disciplina dmer 2013
Programa da disciplina dmer 2013Programa da disciplina dmer 2013
Programa da disciplina dmer 2013
rmpatron
 

Mais de rmpatron (20)

Exercício de escalas 2
Exercício de escalas 2Exercício de escalas 2
Exercício de escalas 2
 
Exercícios de escalas
Exercícios de escalasExercícios de escalas
Exercícios de escalas
 
Desenho%20de%20 projetos%20de%20edifica%e7%f5es
Desenho%20de%20 projetos%20de%20edifica%e7%f5esDesenho%20de%20 projetos%20de%20edifica%e7%f5es
Desenho%20de%20 projetos%20de%20edifica%e7%f5es
 
Desenho técnico
Desenho técnicoDesenho técnico
Desenho técnico
 
Acessibilidade
AcessibilidadeAcessibilidade
Acessibilidade
 
Calendário 2013 1
Calendário 2013 1Calendário 2013 1
Calendário 2013 1
 
Manual osram
Manual osramManual osram
Manual osram
 
Luminotécnico
 Luminotécnico Luminotécnico
Luminotécnico
 
Aula 2
Aula 2Aula 2
Aula 2
 
Aula 1 2013 pidi
Aula 1   2013 pidiAula 1   2013 pidi
Aula 1 2013 pidi
 
Programa da disciplina pi 2013 ok
Programa da disciplina pi 2013 okPrograma da disciplina pi 2013 ok
Programa da disciplina pi 2013 ok
 
Aula 1
Aula 1Aula 1
Aula 1
 
Introdução à luminotécnica
Introdução à luminotécnicaIntrodução à luminotécnica
Introdução à luminotécnica
 
Braisntorm museu
Braisntorm museuBraisntorm museu
Braisntorm museu
 
Roteiro basico para_elaboracao_de_projeto_de_pesquisa
Roteiro basico para_elaboracao_de_projeto_de_pesquisaRoteiro basico para_elaboracao_de_projeto_de_pesquisa
Roteiro basico para_elaboracao_de_projeto_de_pesquisa
 
Programa da disciplina pi arq_ok
Programa da disciplina  pi arq_okPrograma da disciplina  pi arq_ok
Programa da disciplina pi arq_ok
 
Programa da disciplina paisagismo 2013
Programa da disciplina paisagismo 2013Programa da disciplina paisagismo 2013
Programa da disciplina paisagismo 2013
 
Programa da disciplina projeto de interiores iii 2013
Programa da disciplina projeto de interiores iii 2013Programa da disciplina projeto de interiores iii 2013
Programa da disciplina projeto de interiores iii 2013
 
Programa da disciplina luminotécnico 2013
Programa da disciplina luminotécnico 2013Programa da disciplina luminotécnico 2013
Programa da disciplina luminotécnico 2013
 
Programa da disciplina dmer 2013
Programa da disciplina dmer 2013Programa da disciplina dmer 2013
Programa da disciplina dmer 2013
 

Paisagismo aula 1

  • 1. UTP – FACET – CSTDI PAISAGISMO APLICADO INTRODUÇÃO Profª. Rita Patron
  • 2. O que é paisagismo? Paisagismo é uma atividade que envolve arte, técnica, bom senso, bom gosto e criatividade. Consiste na criação de espaços funcionais, agradáveis e bonitos, utilizando plantas e outros elementos decorativos. Jardins Suspensos da Babilônia
  • 3. O paisagismo consiste em três etapas: Projeto, Implantação e Manutenção. Por exemplo: Projeto: o paisagista, juntamente com o cliente e o(a) arquiteto(a) pode definir a posição e layout da piscina, da churrasqueira, de um espaço mais íntimo. Depois pode definir os tipos de pisos mais adequados, os elementos funcionais, as massas de vegetação para tornar o espaço mais aconchegante, e os elementos estéticos e plantas que irão dar beleza ao jardim. Implantação: o paisagista pode acompanhar a instalação dos pisos e outros elementos e fica responsável pelo gerenciamento da compra de plantas, terra, adubos, pedras e o plantio das espécies vegetais e colocação de outros elementos estéticos. Manutenção: o paisagista é responsável também pelo controle do espaço e das espécies vegetais, além de podas, adubações periódicas e replantio, para manter o jardim sempre bonito.
  • 4. A história do paisagismo se perde na própria civilização. Documentos antigos evidenciam que os egípcios e chineses seriam os precursores do paisagismo. Historiadores relatam que já no século XVIa .C., os egípcios se destacavam como grandes jardineiros; apreciavam jardins formais, algumas vezes com um grande tanque onde criavam peixes e cultivavam plantas aquáticas. Já para os chineses, que consideravam os jardins como locais de quietude e contemplação, o planejamento e o cultivo de um jardim sempre tinha esse enfoque, sem muita preocupação com formas definidas. Versailles
  • 5. Paisagismo e ecologia Alguns conceitos sobre paisagismo e ecologia devem aqui ser expostos, com o objetivo de se fazer uma análise de suas relações: Ecologia: parte da biogeografia que investiga os fundamentos da distribuição dos seres vivos e suas relações com o meio estacional, isto é , com os fatores climáticos, pedológicos e Bióticos; É a divisão da biologia que trata das relações recíprocas dos seres vivos e, destes com o meio ambiente. Versailles
  • 6. Paisagismo: é a resultante integrada das relações entre o clima e o solo, a vegetação os processos evolutivos naturais e o homem, frente aos seus desejos e necessidades; É a ciência e arte que estudam o ordenamento do espaço exterior, em função das necessidades atuais e futuras e dos desejos estéticos do homem; Paisagem: espaço de área que se abrange num lance de vista. Versailles
  • 7. O paisagismo é algo mais abrangente, podendo inclusive ser denominado de “macropaisagismo”, por envolver as edificações e seus arredores, bem como os monumentos naturais. Assim, áreas específicas podem ser destacadas: • espaços livres • áreas verdes • arborização de ruas • parques • praças • jardins Jardim Italiano
  • 8. Princípios básicos do paisagismo O paisagismo, cuja função básica é o ordenamento do espaço ( exterior ou interior ), objetivando amenizar as condições psicossociais da civilização moderna, se fundamenta na ciência, na técnica e na arte. Central Park – New York
  • 9. Composição artística Detectar presença ou ausência do belo, é uma reação pessoal, por estar ligado a aspectos emocionais, culturais, sociais, morais e inclusive, econômicos. Dentro desses fatores, considera-se algo como belo, quando existe um relação harmoniosa entre as partes que compõem o todo. A composição artística em paisagismo/jardinagem, consiste em arranjar harmoniosamente os elementos vegetais e não vegetais em consonância com os elementos arquitetônicos; dispor e conjugar os jogos rítmicos das linhas, tons , formas, cores, etc. Jardim de Tuileries - Paris
  • 10. Princípios da composição artística: •Unidade - é quando se percebe uma paisagem ou um jardim como um conjunto harmonioso, não existindo elementos discordantes em relação a linhas , formas, massas de vegetação, espaço, proporções, etc. • Proporção - é quando se constata uma correspondência harmônica de uma parte com o todo. A proporção deve ser perfeita em relação a espaços, massas, cores , textura, etc. Parque da España Industrial - Barcelona
  • 11. •Ritmo - é a disposição inteligente dos elementos , fazendo com que a impressão visual seja conduzida para determinados pontos. Obtém-se um ritmo harmônico com repetição de formas, proporção adequada entre os tamanhos dos diversos elementos e movimento contínuo de linhas. •Equilíbrio - é um confronto de forças que se compensam e se anulam mutuamente. Deve-se procurar em um jardim, equilibrar “forças” de linhas , massas, tons, cores, etc. Jardim Vertical Museu do Quai Banly
  • 12. • Ponto de destaque - constituído geralmente por elementos que chamam a atenção, “destoando” positivamente do todo naquela área, como por exemplo estátuas, pérgolas, fontes, etc. • Contraste – obtido quando se colocam juntos, dois elementos com características contrastantes em linha, forma, textura, cor, etc. Paisagismo Roberto Burle Marx
  • 13. • Analogia - é a composição com elementos distintos, mas , com algumas características em comum. Exemplo : bancos de madeira sobre piso de tijolo aparente. • Dominância - pode ser de cor, volume, textura, linha, etc. Será sempre daquilo que existe em maior número ou intensidade. Em um maciço formado por Yucas e agaves, predominam a forma e textura, que são bem características nestas duas espécies. O verde do gramado e sua linha, sempre predominam nos jardins. Acácia amarela Yucas Fontes: Universidade Federal de Lavras, Instituto brasileiro de Paisagismo