SlideShare uma empresa Scribd logo
Tiragem “ O Feminino Sagrado”




Inspirei-me no panteão afro-brasileiro, mais precisamente nas divindades femininas de nossa
imaginário religioso e popular para criar esta tiragem na intenção de descobrir , reconhecer e
valorizar os inúmeros aspectos da alma feminina expressos pelos padrões íntimos ou
arquétipos destas deusas, na medida também que possamos conhecer nossas forças e fraquezas
sobre o plano físico, mental, afetivo e social e espiritual.

Este modelo de leitura conta com 7 sete cartas, onde cada representa uma divindade feminina,
refletindo assim os setores de nossa vida, nos convida a propor questões, a examinar nossas
escolhas e responder de maneira criativa aos desafios de nossa existência. Cada carta,

( Uma dica para facilitar a leitura: você pode escolher uma só questão dentre as várias que são
propostas.)

   1. Yemanjá: é a deusa e rainha de todas as águas do mundo, seja das águas doces dos rios,
      seja das águas salgadas do mar. Seu nome deriva da expressão Yèyé omo ejá, que
      significa a “mãe dos filhos peixes” , portanto, personifica o instinto daquela mãe que está
      ligada à educação dos filhos, à casa, à família.
      Odô iá!

       Como cuido de minha família? Como é minha relação com meus filhos? Como vivo minha
       filiação familiar?
1. Nanã Buruque: é a deusa dos mistérios, seu designa pessoas idosas e respeitáveis.
   Morte e vida são os mistérios; nos primordios do mundo quando o homem entendeu que
   vida e morte caminham juntas, entendeu os mistérios de Nanã; quando procuramos
   conhecer a própria vida, o próprio destino, estamos conhecendo uma faceta de Nanã.
   Saluba Nanã!

   Qual é minha missão de vida? Como percebo a questão da morte? Deixo-me seduzir por
   alguma via espiritual? Como é minha ligação com meus ancestrais?

2. Oxum : é a bela deusa sensual de amor e da fecundidade( um de seus traços além da de
   mãe sempre zelosa e bondosa para com seus filhos. É a mulher vaidosa, dengosa e
   formosa. Oxum é famosa também por sua magia, seus feitiços, e seu conhecimento
   sobre os segredos da adivinhação, que aprendeu com Exu.
   Ora iê iê ô !

   Como está o meu amor-próprio, minha auto-estima? Como expresso minha feminilidade?
   Como vivo minha relação amorosa?       Sou eu interessada em esoterismo ou na
   espiritualidade?

3. Yansã: é a rainha dos raios, dos ventos, do tempo que se fecha sem chover; é uma
   guerreira por vocação, sabe conquistar, enfrenta qualquer desafio, e em matéria de
   amor, ama um homem por amar, por deseja ser, acima de tudo, amada e não ser
   sustentada.
   Eparrê Oiá!

   Minha vida cotidiana é equilibrada ou bastante carregada? Como enfrento os problemas
   e as diversidades da vida? Com relação à minha vida profissional, desejo o poder? Tenho
   ambição?

4. Obá: é a síntese de toda mulher, é um orixá bastante velha, mas, apesar da idade, usa
   arco, flecha e espada , por isso, bastante guerreira. É protetora de todas as sociedades
   secretas de mulheres na África. Assim, Obá personifica todas as mulheres que lutam,
   reivindicam seus direitos, enfrenta o poder masculino, mas quando se apaixona e ama,
   se anula.
   Obá Ixi!
   Como posso me aplicar na vida social ? Tenho necessidade de aprovação social para me
   sentir bem consigo mesma? Tenho necessidade de me engajar em alguma organização ou
   grupo para desenvolver minha consciência social?
5. Ewá: era uma linda virgem que se deixou envolver pelos charmes de Xangô e a ele se
   entregou, provocando a ira de Yansã. Para fugir da rainha dos raios, se refugiou nas
   matas , tomada pelo medo. Tudo o que é inexplorado, as virgens, as matas, rios e lagos
   onde não se pode nadar, tem a proteção de Ewá. Um de seus atributos é a vidência,
   concedida por Orunmilá.
   Ewa hi hó!

   Como se manifesta minha intuição e minha criatividade? Quais são as facetas
   inconscientes de minha personalidade? Quais são meus medos e minhas limitações?



7. Pomba-gira: é a síntese da livre expressão da sexualidade feminina. Exu feminino , é
   uma entidade cujas as origens remotam aos candomblés, e do entrecruzamento das
   tradições africanas e européias, surgiu seu culto. Nela podemos encontrar tanto o apoio
   material como o espiritual.
   Laroyê Pomba-gira!

   Como vivo minha sexualidade? Exprimo meu desejo de poder pela minha sexualidade?
   Quais sãos as minhas necessidades financeiras? Que tipo de poder o dinheiro representa
   pra mim?

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Homossexualidade, na ótica espirita
Homossexualidade, na ótica espiritaHomossexualidade, na ótica espirita
Homossexualidade, na ótica espirita
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Tim lahaye temperamento controlado pelo espirito [resumo]
Tim lahaye   temperamento controlado pelo espirito [resumo]Tim lahaye   temperamento controlado pelo espirito [resumo]
Tim lahaye temperamento controlado pelo espirito [resumo]
Bolland
 
Apresentação sobre Cromoterapia
Apresentação sobre CromoterapiaApresentação sobre Cromoterapia
Apresentação sobre Cromoterapia
Carla Alexandra Ferreira Neves
 
Espiritualidade 1
Espiritualidade  1Espiritualidade  1
Espiritualidade 1
Luiz Januario
 
O conhecimento de si mesmo e do outro
O conhecimento de si mesmo e do outroO conhecimento de si mesmo e do outro
O conhecimento de si mesmo e do outro
Ezeglair de Souza
 
A109 EAE DM - RECURSOS DO CRISTÃO - 20200604v2
A109 EAE DM - RECURSOS DO CRISTÃO - 20200604v2A109 EAE DM - RECURSOS DO CRISTÃO - 20200604v2
A109 EAE DM - RECURSOS DO CRISTÃO - 20200604v2
Daniel de Melo
 
5 aula mocidade família
5   aula mocidade família5   aula mocidade família
5 aula mocidade família
Sergio Lima Dias Junior
 
Temperamentos transformados - melancólicos
Temperamentos transformados -  melancólicosTemperamentos transformados -  melancólicos
Temperamentos transformados - melancólicos
Rodrigo Alcantara
 
Visão espirita da sexualidade 1
Visão espirita da sexualidade 1Visão espirita da sexualidade 1
Visão espirita da sexualidade 1
Prof. Paulo Ratki
 
Voltando para casa
Voltando para casa Voltando para casa
Voltando para casa
Clea Alves
 
Temperamento Controlado pelo Espirito Santo
Temperamento Controlado pelo Espirito SantoTemperamento Controlado pelo Espirito Santo
Temperamento Controlado pelo Espirito Santo
Robson Soares Urschei
 
Aula 11 - Sexo e Espiritismo - Mocidade Espírita Chico Xavier
Aula 11 - Sexo e Espiritismo - Mocidade Espírita Chico XavierAula 11 - Sexo e Espiritismo - Mocidade Espírita Chico Xavier
Aula 11 - Sexo e Espiritismo - Mocidade Espírita Chico Xavier
Sergio Lima Dias Junior
 
Abertura - 54º Encontro Evangelização de Espíritos (Alzira Bessa)
Abertura - 54º Encontro Evangelização de Espíritos (Alzira Bessa)Abertura - 54º Encontro Evangelização de Espíritos (Alzira Bessa)
Abertura - 54º Encontro Evangelização de Espíritos (Alzira Bessa)
cak_sacramento
 
A Natureza dos Espíritos!
A Natureza dos Espíritos!A Natureza dos Espíritos!
A Natureza dos Espíritos!
Aristides Monteiro
 
54º Encontro de Evangelização de Espíritos - O Método
54º Encontro de Evangelização de Espíritos - O Método54º Encontro de Evangelização de Espíritos - O Método
54º Encontro de Evangelização de Espíritos - O Método
cak_sacramento
 
Um toque de luz e cor
Um toque de luz e corUm toque de luz e cor
Um toque de luz e cor
Mensagens Virtuais
 
Significado das cores
Significado das coresSignificado das cores
Significado das cores
Verônica Angelo
 
Sexualidade
SexualidadeSexualidade
Sexualidade
meebpeixotinho
 
Sintomas comuns da existência de maldição parte vi 14
Sintomas comuns da existência de maldição parte vi 14Sintomas comuns da existência de maldição parte vi 14
Sintomas comuns da existência de maldição parte vi 14
mredil
 
Eae 77 - AMOR COMO LEI SOBERANA E O VALOR CIENTIFICO DA PRECE, LEI DA SOLIDAR...
Eae 77 - AMOR COMO LEI SOBERANA E O VALOR CIENTIFICO DA PRECE, LEI DA SOLIDAR...Eae 77 - AMOR COMO LEI SOBERANA E O VALOR CIENTIFICO DA PRECE, LEI DA SOLIDAR...
Eae 77 - AMOR COMO LEI SOBERANA E O VALOR CIENTIFICO DA PRECE, LEI DA SOLIDAR...
PatiSousa1
 

Mais procurados (20)

Homossexualidade, na ótica espirita
Homossexualidade, na ótica espiritaHomossexualidade, na ótica espirita
Homossexualidade, na ótica espirita
 
Tim lahaye temperamento controlado pelo espirito [resumo]
Tim lahaye   temperamento controlado pelo espirito [resumo]Tim lahaye   temperamento controlado pelo espirito [resumo]
Tim lahaye temperamento controlado pelo espirito [resumo]
 
Apresentação sobre Cromoterapia
Apresentação sobre CromoterapiaApresentação sobre Cromoterapia
Apresentação sobre Cromoterapia
 
Espiritualidade 1
Espiritualidade  1Espiritualidade  1
Espiritualidade 1
 
O conhecimento de si mesmo e do outro
O conhecimento de si mesmo e do outroO conhecimento de si mesmo e do outro
O conhecimento de si mesmo e do outro
 
A109 EAE DM - RECURSOS DO CRISTÃO - 20200604v2
A109 EAE DM - RECURSOS DO CRISTÃO - 20200604v2A109 EAE DM - RECURSOS DO CRISTÃO - 20200604v2
A109 EAE DM - RECURSOS DO CRISTÃO - 20200604v2
 
5 aula mocidade família
5   aula mocidade família5   aula mocidade família
5 aula mocidade família
 
Temperamentos transformados - melancólicos
Temperamentos transformados -  melancólicosTemperamentos transformados -  melancólicos
Temperamentos transformados - melancólicos
 
Visão espirita da sexualidade 1
Visão espirita da sexualidade 1Visão espirita da sexualidade 1
Visão espirita da sexualidade 1
 
Voltando para casa
Voltando para casa Voltando para casa
Voltando para casa
 
Temperamento Controlado pelo Espirito Santo
Temperamento Controlado pelo Espirito SantoTemperamento Controlado pelo Espirito Santo
Temperamento Controlado pelo Espirito Santo
 
Aula 11 - Sexo e Espiritismo - Mocidade Espírita Chico Xavier
Aula 11 - Sexo e Espiritismo - Mocidade Espírita Chico XavierAula 11 - Sexo e Espiritismo - Mocidade Espírita Chico Xavier
Aula 11 - Sexo e Espiritismo - Mocidade Espírita Chico Xavier
 
Abertura - 54º Encontro Evangelização de Espíritos (Alzira Bessa)
Abertura - 54º Encontro Evangelização de Espíritos (Alzira Bessa)Abertura - 54º Encontro Evangelização de Espíritos (Alzira Bessa)
Abertura - 54º Encontro Evangelização de Espíritos (Alzira Bessa)
 
A Natureza dos Espíritos!
A Natureza dos Espíritos!A Natureza dos Espíritos!
A Natureza dos Espíritos!
 
54º Encontro de Evangelização de Espíritos - O Método
54º Encontro de Evangelização de Espíritos - O Método54º Encontro de Evangelização de Espíritos - O Método
54º Encontro de Evangelização de Espíritos - O Método
 
Um toque de luz e cor
Um toque de luz e corUm toque de luz e cor
Um toque de luz e cor
 
Significado das cores
Significado das coresSignificado das cores
Significado das cores
 
Sexualidade
SexualidadeSexualidade
Sexualidade
 
Sintomas comuns da existência de maldição parte vi 14
Sintomas comuns da existência de maldição parte vi 14Sintomas comuns da existência de maldição parte vi 14
Sintomas comuns da existência de maldição parte vi 14
 
Eae 77 - AMOR COMO LEI SOBERANA E O VALOR CIENTIFICO DA PRECE, LEI DA SOLIDAR...
Eae 77 - AMOR COMO LEI SOBERANA E O VALOR CIENTIFICO DA PRECE, LEI DA SOLIDAR...Eae 77 - AMOR COMO LEI SOBERANA E O VALOR CIENTIFICO DA PRECE, LEI DA SOLIDAR...
Eae 77 - AMOR COMO LEI SOBERANA E O VALOR CIENTIFICO DA PRECE, LEI DA SOLIDAR...
 

Semelhante a O sagrado feminino afro brasileiro

Tudo o que sou manooooooooooooooooooooooooo
Tudo o que sou manoooooooooooooooooooooooooTudo o que sou manooooooooooooooooooooooooo
Tudo o que sou manooooooooooooooooooooooooo
AurlioVieira1
 
Ogun e oxum os orixas que governa ano 2015
Ogun e oxum os orixas que governa ano  2015Ogun e oxum os orixas que governa ano  2015
Ogun e oxum os orixas que governa ano 2015
Odesi-Ifa Babalawo Ibualamo Ilé Asé - Arun Aiye.
 
Ogun e oxum os orixas que governa ano 2015
Ogun e oxum os orixas que governa ano  2015Ogun e oxum os orixas que governa ano  2015
Ogun e oxum os orixas que governa ano 2015
Odesi-Ifa Babalawo Ibualamo Ilé Asé - Arun Aiye.
 
Desbloqueando o Poder Interior feminino empoderamento.
Desbloqueando o Poder Interior feminino empoderamento.Desbloqueando o Poder Interior feminino empoderamento.
Desbloqueando o Poder Interior feminino empoderamento.
Hermes Moreira
 
Iasan a historia sua vida seus costumes.nasce uma guerreira
Iasan a historia sua vida seus costumes.nasce uma guerreira Iasan a historia sua vida seus costumes.nasce uma guerreira
Iasan a historia sua vida seus costumes.nasce uma guerreira
Filhos de Oxalà
 
Organização e parentesco
Organização e parentescoOrganização e parentesco
Organização e parentesco
Willian Rozendo
 
18314517 candomble iyami-osoronga
18314517 candomble iyami-osoronga18314517 candomble iyami-osoronga
18314517 candomble iyami-osoronga
Adri Nzambi
 
Linha de-esquerda-qexu-e-pomba-giraq
Linha de-esquerda-qexu-e-pomba-giraqLinha de-esquerda-qexu-e-pomba-giraq
Linha de-esquerda-qexu-e-pomba-giraq
Adri Nzambi
 
Gelede o-poder-feminino-na-cultura-africana-yoruba-igba-abidi
Gelede o-poder-feminino-na-cultura-africana-yoruba-igba-abidiGelede o-poder-feminino-na-cultura-africana-yoruba-igba-abidi
Gelede o-poder-feminino-na-cultura-africana-yoruba-igba-abidi
Sol Amanhecer
 
O Ideal Feminino
O Ideal FemininoO Ideal Feminino
O Ideal Feminino
Valéria Ribeiro
 
AS_DEUSAS_E_A_MULHER_nova_psicologia_das.pdf
AS_DEUSAS_E_A_MULHER_nova_psicologia_das.pdfAS_DEUSAS_E_A_MULHER_nova_psicologia_das.pdf
AS_DEUSAS_E_A_MULHER_nova_psicologia_das.pdf
MarciaPinheiroMarcia
 
Lilith_ Individuação!
Lilith_ Individuação!Lilith_ Individuação!
Lilith_ Individuação!
Roberta Oliveira
 
Livros espirituais.pdf
Livros espirituais.pdfLivros espirituais.pdf
Livros espirituais.pdf
Romario Barbosa De Souza
 
Nanã
NanãNanã
Deusas Gregas: Mulheres da nossa época
Deusas Gregas: Mulheres da nossa épocaDeusas Gregas: Mulheres da nossa época
Deusas Gregas: Mulheres da nossa época
Academia de Ideias
 
Boletim informativo jul2015
Boletim informativo jul2015Boletim informativo jul2015
Boletim informativo jul2015
fespiritacrista
 
A SOMBRA DE SATURNO.docx
A SOMBRA DE SATURNO.docxA SOMBRA DE SATURNO.docx
A SOMBRA DE SATURNO.docx
paolacarvalho25
 
MÃE D’UMBIGO Y’PYRUÁ SY ~ ~ MÃE D’ÁGUA Y’SY
MÃE D’UMBIGO Y’PYRUÁ SY ~ ~ MÃE D’ÁGUA Y’SYMÃE D’UMBIGO Y’PYRUÁ SY ~ ~ MÃE D’ÁGUA Y’SY
MÃE D’UMBIGO Y’PYRUÁ SY ~ ~ MÃE D’ÁGUA Y’SY
mallkuchanez
 
a Lenda de Perséfone.docx
a Lenda de Perséfone.docxa Lenda de Perséfone.docx
a Lenda de Perséfone.docx
RoseliGeaVerissimoFe
 
Senhora dos mares e mistèrios
Senhora dos mares e mistèriosSenhora dos mares e mistèrios
Senhora dos mares e mistèrios
Filhos de Oxalà
 

Semelhante a O sagrado feminino afro brasileiro (20)

Tudo o que sou manooooooooooooooooooooooooo
Tudo o que sou manoooooooooooooooooooooooooTudo o que sou manooooooooooooooooooooooooo
Tudo o que sou manooooooooooooooooooooooooo
 
Ogun e oxum os orixas que governa ano 2015
Ogun e oxum os orixas que governa ano  2015Ogun e oxum os orixas que governa ano  2015
Ogun e oxum os orixas que governa ano 2015
 
Ogun e oxum os orixas que governa ano 2015
Ogun e oxum os orixas que governa ano  2015Ogun e oxum os orixas que governa ano  2015
Ogun e oxum os orixas que governa ano 2015
 
Desbloqueando o Poder Interior feminino empoderamento.
Desbloqueando o Poder Interior feminino empoderamento.Desbloqueando o Poder Interior feminino empoderamento.
Desbloqueando o Poder Interior feminino empoderamento.
 
Iasan a historia sua vida seus costumes.nasce uma guerreira
Iasan a historia sua vida seus costumes.nasce uma guerreira Iasan a historia sua vida seus costumes.nasce uma guerreira
Iasan a historia sua vida seus costumes.nasce uma guerreira
 
Organização e parentesco
Organização e parentescoOrganização e parentesco
Organização e parentesco
 
18314517 candomble iyami-osoronga
18314517 candomble iyami-osoronga18314517 candomble iyami-osoronga
18314517 candomble iyami-osoronga
 
Linha de-esquerda-qexu-e-pomba-giraq
Linha de-esquerda-qexu-e-pomba-giraqLinha de-esquerda-qexu-e-pomba-giraq
Linha de-esquerda-qexu-e-pomba-giraq
 
Gelede o-poder-feminino-na-cultura-africana-yoruba-igba-abidi
Gelede o-poder-feminino-na-cultura-africana-yoruba-igba-abidiGelede o-poder-feminino-na-cultura-africana-yoruba-igba-abidi
Gelede o-poder-feminino-na-cultura-africana-yoruba-igba-abidi
 
O Ideal Feminino
O Ideal FemininoO Ideal Feminino
O Ideal Feminino
 
AS_DEUSAS_E_A_MULHER_nova_psicologia_das.pdf
AS_DEUSAS_E_A_MULHER_nova_psicologia_das.pdfAS_DEUSAS_E_A_MULHER_nova_psicologia_das.pdf
AS_DEUSAS_E_A_MULHER_nova_psicologia_das.pdf
 
Lilith_ Individuação!
Lilith_ Individuação!Lilith_ Individuação!
Lilith_ Individuação!
 
Livros espirituais.pdf
Livros espirituais.pdfLivros espirituais.pdf
Livros espirituais.pdf
 
Nanã
NanãNanã
Nanã
 
Deusas Gregas: Mulheres da nossa época
Deusas Gregas: Mulheres da nossa épocaDeusas Gregas: Mulheres da nossa época
Deusas Gregas: Mulheres da nossa época
 
Boletim informativo jul2015
Boletim informativo jul2015Boletim informativo jul2015
Boletim informativo jul2015
 
A SOMBRA DE SATURNO.docx
A SOMBRA DE SATURNO.docxA SOMBRA DE SATURNO.docx
A SOMBRA DE SATURNO.docx
 
MÃE D’UMBIGO Y’PYRUÁ SY ~ ~ MÃE D’ÁGUA Y’SY
MÃE D’UMBIGO Y’PYRUÁ SY ~ ~ MÃE D’ÁGUA Y’SYMÃE D’UMBIGO Y’PYRUÁ SY ~ ~ MÃE D’ÁGUA Y’SY
MÃE D’UMBIGO Y’PYRUÁ SY ~ ~ MÃE D’ÁGUA Y’SY
 
a Lenda de Perséfone.docx
a Lenda de Perséfone.docxa Lenda de Perséfone.docx
a Lenda de Perséfone.docx
 
Senhora dos mares e mistèrios
Senhora dos mares e mistèriosSenhora dos mares e mistèrios
Senhora dos mares e mistèrios
 

Último

A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
DavidBertelli3
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
AlexandreCarvalho858758
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
Nilson Almeida
 
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
AntonioMugiba
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
SanturioTacararu
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
Rogério Augusto Ayres de Araujo
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
Marta Gomes
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Ricardo Azevedo
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
AlailzaSoares1
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
nadeclarice
 
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf radedgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
carla983678
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 

Último (14)

A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
 
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
 
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf radedgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 

O sagrado feminino afro brasileiro

  • 1. Tiragem “ O Feminino Sagrado” Inspirei-me no panteão afro-brasileiro, mais precisamente nas divindades femininas de nossa imaginário religioso e popular para criar esta tiragem na intenção de descobrir , reconhecer e valorizar os inúmeros aspectos da alma feminina expressos pelos padrões íntimos ou arquétipos destas deusas, na medida também que possamos conhecer nossas forças e fraquezas sobre o plano físico, mental, afetivo e social e espiritual. Este modelo de leitura conta com 7 sete cartas, onde cada representa uma divindade feminina, refletindo assim os setores de nossa vida, nos convida a propor questões, a examinar nossas escolhas e responder de maneira criativa aos desafios de nossa existência. Cada carta, ( Uma dica para facilitar a leitura: você pode escolher uma só questão dentre as várias que são propostas.) 1. Yemanjá: é a deusa e rainha de todas as águas do mundo, seja das águas doces dos rios, seja das águas salgadas do mar. Seu nome deriva da expressão Yèyé omo ejá, que significa a “mãe dos filhos peixes” , portanto, personifica o instinto daquela mãe que está ligada à educação dos filhos, à casa, à família. Odô iá! Como cuido de minha família? Como é minha relação com meus filhos? Como vivo minha filiação familiar?
  • 2. 1. Nanã Buruque: é a deusa dos mistérios, seu designa pessoas idosas e respeitáveis. Morte e vida são os mistérios; nos primordios do mundo quando o homem entendeu que vida e morte caminham juntas, entendeu os mistérios de Nanã; quando procuramos conhecer a própria vida, o próprio destino, estamos conhecendo uma faceta de Nanã. Saluba Nanã! Qual é minha missão de vida? Como percebo a questão da morte? Deixo-me seduzir por alguma via espiritual? Como é minha ligação com meus ancestrais? 2. Oxum : é a bela deusa sensual de amor e da fecundidade( um de seus traços além da de mãe sempre zelosa e bondosa para com seus filhos. É a mulher vaidosa, dengosa e formosa. Oxum é famosa também por sua magia, seus feitiços, e seu conhecimento sobre os segredos da adivinhação, que aprendeu com Exu. Ora iê iê ô ! Como está o meu amor-próprio, minha auto-estima? Como expresso minha feminilidade? Como vivo minha relação amorosa? Sou eu interessada em esoterismo ou na espiritualidade? 3. Yansã: é a rainha dos raios, dos ventos, do tempo que se fecha sem chover; é uma guerreira por vocação, sabe conquistar, enfrenta qualquer desafio, e em matéria de amor, ama um homem por amar, por deseja ser, acima de tudo, amada e não ser sustentada. Eparrê Oiá! Minha vida cotidiana é equilibrada ou bastante carregada? Como enfrento os problemas e as diversidades da vida? Com relação à minha vida profissional, desejo o poder? Tenho ambição? 4. Obá: é a síntese de toda mulher, é um orixá bastante velha, mas, apesar da idade, usa arco, flecha e espada , por isso, bastante guerreira. É protetora de todas as sociedades secretas de mulheres na África. Assim, Obá personifica todas as mulheres que lutam, reivindicam seus direitos, enfrenta o poder masculino, mas quando se apaixona e ama, se anula. Obá Ixi! Como posso me aplicar na vida social ? Tenho necessidade de aprovação social para me sentir bem consigo mesma? Tenho necessidade de me engajar em alguma organização ou grupo para desenvolver minha consciência social?
  • 3. 5. Ewá: era uma linda virgem que se deixou envolver pelos charmes de Xangô e a ele se entregou, provocando a ira de Yansã. Para fugir da rainha dos raios, se refugiou nas matas , tomada pelo medo. Tudo o que é inexplorado, as virgens, as matas, rios e lagos onde não se pode nadar, tem a proteção de Ewá. Um de seus atributos é a vidência, concedida por Orunmilá. Ewa hi hó! Como se manifesta minha intuição e minha criatividade? Quais são as facetas inconscientes de minha personalidade? Quais são meus medos e minhas limitações? 7. Pomba-gira: é a síntese da livre expressão da sexualidade feminina. Exu feminino , é uma entidade cujas as origens remotam aos candomblés, e do entrecruzamento das tradições africanas e européias, surgiu seu culto. Nela podemos encontrar tanto o apoio material como o espiritual. Laroyê Pomba-gira! Como vivo minha sexualidade? Exprimo meu desejo de poder pela minha sexualidade? Quais sãos as minhas necessidades financeiras? Que tipo de poder o dinheiro representa pra mim?