SlideShare uma empresa Scribd logo
Esta obra é licenciada por uma licença Creative Commons
Atribuição-Uso não-comercial-No Derivative Works 3.0 Brasil


Você tem a liberdade de:


        Compartilhar — copiar, distribuir e transmitir a obra.


Sob as seguintes condições:


       Atribuição — Você deve creditar a obra da forma especificada pelo
       autor ou licenciante (mas não de maneira que sugira que estes concedem
       qualquer aval a você ou ao seu uso da obra).


       Uso não-comercial — Você não pode usar esta obra para fins
       comerciais.


       Vedada a criação de obras derivadas — Você não pode alterar,
       transformar ou criar em cima desta obra.


Ficando claro que:
• Renúncia — Qualquer das condições acima pode ser renunciada se você
obtiver permissão do titular dos direitos autorais.
• Domínio Público — Onde a obra ou qualquer de seus elementos estiver
em domínio público sob o direito aplicável, esta condição não é, de maneira
alguma, afetada pela licença.
• Outros Direitos — Os seguintes direitos não são, de maneira alguma,
afetados pela licença:
       - Limitações e exceções aos direitos autorais ou quaisquer usos livres
       aplicáveis;
       - Os direitos morais do autor;
       - Direitos que outras pessoas podem ter sobre a obra ou sobre a
       utilização da obra, tais como direitos de imagem ou privacidade.
Anjos Decaídos :
O Legado Cósmico da Humanidade Terrestre
                1ª edição




          Jeane Miranda de Sousa




                  Créditos
    Copyright © 2010 Jeane Miranda de Sousa
            Ano da Publicação: 2010
       Apoio: Rogério de Almeida Freitas
              Capa: Luciana Lebel
      Projeto Gráfico: Krysamon Cavalcante




           PROJETO ORBUM
            w w w. o r b u m . o r g
“A verdadeira liberdade está progressivamente relacionada à realidade e
considera sempre a equidade social; a justiça cósmica; a fraternidade universal
e as obrigações divinas. A liberdade torna-se suicida quando divorciada da
justiça material; da honestidade; da paciência social; do dever moral e dos
valores espirituais.
   A verdadeira liberdade é fruto do controle de si mesmo.”


Livro de Urântia
Sumário


Prefácio
  Jan Val Ellam                                               6
Capítulo I
  O Início do Processo Reencarnatório                         9
  Processo Reencarnatório: A Visão de um Ser Cósmico          12
  Processo Reencarnatório: A Visão de um Rebelado de Capela   15
  Processo Reencarnatório: A Visão de um Terrícola            21
  A Doutrina dos Anjos Decaídos: Revolta Luciferiana          28
Capítulo II
  O Sacrifício Amoroso de Jesus                               36
  A Concepção de Jesus                                        41
  O Processo Encarnatório de Jesus                            45
  A Escolha dos Apóstolos                                     50
  O Mandato Amoroso de Jesus                                  53
  O Apostolado de Jesus na Terra                              56
  A Ressurreição de Jesus                                     61
  Jesus Glorificado                                           66
Capítulo III
  A Segunda Vinda de Jesus à Terra                            71
  Que a Paz esteja Convosco                                   76
  O Retorno do Mestre Jesus e a Convivência Fraterna com
  Seres Cósmicos                                              78
Posfácio                                                      81
Manifesto do Projeto Orbum                                    90
Prefácio

   Existem verdades que ainda não encontraram seu tempo para
serem devidamente percebidas, delas restando somente vislumbres,
para os que vivem na Terra. Necessário se faz sempre que alguém
entre os “humanos da Terra” se aventure por estradas pouco
conhecidas para ter acesso a novas possibilidades em torno da
Verdade Maior que envolve a realidade das nossas vidas.
   É dito popular que quem caminha por onde todos normalmente
caminham costuma chegar aonde todos chegam. Aquele, porém,
que caminhar por estradas que precisam ser ainda desbravadas às
vezes pode chegar onde poucos ousaram aportar.
   Ao longo dos últimos doze anos Jeanne Miranda vem
sendo envolvida por uma “força-tarefa” composta por espíritos
desencarnados e por seres extraterrenos de outras dimensões
existenciais profundamente vinculados ao processo histórico que
teve lugar no nosso planeta. A missão desta “força-tarefa” é a de
fazer valer os desígnios do Senhor Javé, no campo da “revelação”,
seja por intermédio dos seus próprios assessores – no caso, os tais
seres extraterrestres de outras dimensões - ou por meio da gestão
mediúnica de espíritos medianeiros, todos eles administrados pelo
jugo suave do Mestre Jesus.
   Disso julgo estar razoavelmente informado por força da
convivência tida e ainda em voga com os membros da “força-
tarefa” que a envolve, porquanto pertence a alguns deles a “autoria
intelectual/espiritual” de algumas das obras por mim publicadas.
    Junto à Jeanne, superintendendo os trabalhos da mediação
mediúnica, encontra-se o incansável espírito de Rochester,
responsável maior pelo processo do desabrochar espiritual da
médium que lhe é tão cara. Noutra perspectiva, alguns seres tidos
por angelicais – os assessores diretos do Senhor Javé – se revezam
na veiculação das informações que lhe são repassadas na construção
dos textos agora veiculados. Muito mais, porém, ainda haverá de
vir.
   Nesses tempos de transição em que o oculto agora se obriga a
ser revelado a esta humanidade, diversos painéis ainda estão sendo
avaliados se serão ou não veiculados com vistas ao esclarecimento
geral. Isso se dá pelo fato singular de que nem mesmo os próprios
mentores espirituais sabem como os “humanos da Terra” irão
direcionar os seus pensamentos perante os eventos iniciais do
tão esperado e já tardio processo de reintegração da Terra ao
convívio cósmico. Ainda não é certo que “algumas dessas verdades”
encontrem a necessária guarida junto ao entendimento humano
nos tempos em que este prefácio está sendo escrito.
   De todo modo, eis que os textos recebidos até o momento por
meio da sua mediunidade singular já compõem um importante
painel do muito que ainda virá, pois independente da nossa
preparação, pelo menos um pouco do que precisa ser revelado o
será inapelavelmente.
   O fato é que cada um dos textos agora revelados serve para
o leitor como uma espécie de “chave” que tem o condão de abrir
e de despertar certos compartimentos da mente espiritual que
jaz subjacente ao “modo de pensar” comum ao cérebro terrestre.
São assuntos e temas singulares todos vinculados às questões
pontuais sagradas do progresso desta humanidade tanto sob o jugo
impositivo do Senhor Javé como também sob o amoroso e suave da
parte do Mestre Jesus, sendo essas as duas principais componentes
que respondem pela preparação dos terráqueos para os dias que os
esperam.
   Vezes há em que o velho conhecimento tem que morrer para
que o novo possa surgir. Eis que esse tempo urge pois a “era da
sabedoria” profunda e espiritualizada já nos espera e precisamos
todos caminhar por esta nova estrada que amplia e espiritualiza
o que adquirimos a título de conhecimento. E aqui estão as novas
sementes de reflexão cósmica e espiritual produzidas pelo trabalho
conjunto de algumas mentes vinculadas ao Ideal de Fraternidade
Universal.
  Contentemo-nos, pois, com esta primeira oferta que a dedicação
mediúnica de Jeanne Miranda nos oferece.


Atlan, 18 de junho de 2010.
J.V. Ellam
CAPÍTULO

   I
Anjos Decaídos: O Legado Cósmico da Humanidade Terrestre



O Início do Processo Reencarnatório


   H     á muito tempo atrás, há milhares de séculos atrás, espíritos
         vagavam expostos a toda ordem de conjunções carnais.
Espíritos encarnavam neste orbe terreno sem nenhuma orientação
do plano superior que viesse determinar onde e quando aqueles
espíritos que ainda não tinham tido contato com a experiência
carnal pudessem, enfim, estabelecer novas formas de vivenciar a
sua dolorosa escolha da sua agora vida material.
   Diante de tantas desgraças, diante de tantos fatos equivocados
e de tantas manipulações, O Mestre Jesus, condoído com tudo o
que estava acontecendo neste pequeno planeta azul, olhou com
compaixão por todos os seres que estavam submetidos à existência
terrena, e sendo assim, sem mais possibilidade de retornar ao
convívio dos seus irmãos cósmicos sem que antes passassem por
algum tipo de processo que os ajudassem a purificar as suas mentes
espirituais.
   Diante deste quadro, o processo reencarnatório foi determinado
pelas Autoridades Celestiais para que uma massa de seres
equivocados nas suas escolhas pessoais pudesse um dia retornar
ao convívio daqueles que lhe são caros no cosmo.
   A partir de certa data, os seres que estavam para se submeter ao
processo encarnatório, tiveram que se adaptar, tiveram que habitar
em corpos físicos que foram ofertados pelos irmãos terrícolas -
sendo estes irmãos seres primitivos que foram criados pelo Pai
Celestial para evoluírem na Terra.
   Com a chegada dos rebelados de Capela aqui na Terra e por
determinação do Pai Celestial, estes seres que já possuíam um
conhecimento das leis cósmicas, tinham por missão instruir e
orientar os seus irmãos terrícolas na senda do progresso moral,
intelectual e tecnológico. Esses espíritos se revoltaram quando
souberam que teriam que habitar corpos físicos, que teriam que


                                      9
Jeane Miranda de Sousa



se submeter às limitações que estes corpos iriam impor as suas
consciências de seres cósmicos que tinham registrado em seus
comportamentos, em suas atitudes e lembranças, reminiscências
de uma vida ligada aos mundos superiores!
   Porém, ou era isto ou teriam um destino ignorado até mesmo
pela Hierarquia Celestial. Diante de tão dura prova, estes espíritos
aceitaram continuar a sua jornada evolutiva em corpos físicos,
entretanto, a cada nova encarnação física, somado aos problemas
já trazidos de seus mundos de origem, outros tipos de arquivos
mais complicados foram agregados aos seus espíritos.
   Vidas e vidas de equívocos reinantes! Vidas e mais vidas de
pensamentos, atitudes e comportamentos destruidores que em
nada lembravam o que tinham sido no passado cósmico. Quanto
mais vidas físicas tinham, mais se complicavam diante do universo
e dos seres cósmicos!
   Toda sorte de loucuras esses novos seres terrestres cometiam
entre si! Toda ordem de questionamentos, de comportamentos,
de lutas de poder, de agressões físicas e morais que tiveram como
resultante maior à permanência por mais tempo neste planeta que
se tornou de expiação para tantas almas infelizes nas suas buscas
de reconhecimento espiritual.
   Quanto sofrimento foi imposto a estes espíritos por eles
mesmos! Quanto sofrimento desnecessário! Mas, assim caminha
a humanidade de espíritos que foram reencarnando através dos
tempos aqui na Terra.
   Através do sofrimento e da dor depurar o espírito!
  Através do reconhecimento das suas falhas, começar novos
caminhos!
  Através de novas vidas, recomeçar, recomeçar e recomeçar
novas e novas vidas até chegar à depuração final.
   Oh, Grande Legislador de todo o universo, quando sairemos


                                  10
Anjos Decaídos: O Legado Cósmico da Humanidade Terrestre



deste ciclo de vidas sucessivas que agora se torna determinantes
para a nossa redenção espiritual? Quando poderemos voltar a ter
contato com todos os nossos irmãos que já conseguiram através da
luta diária aprender a conviver bem consigo e com os seus outros
irmãos aqui na Terra? Quando, Mestre Jesus, encontraremos
guarida no seu augusto coração e resplandeceremos em flores
de amor para com todos que ainda estão aqui congregados neste
planeta azul?
   As respostas somente nós mesmo podemos dar. Cada um de
nós é que possuí as respostas para estes questionamentos. Quem
for capaz de determinar o fim das suas sucessivas encarnações aqui
na Terra que se posicione agora do modo mais firme que puder.
Os tempos são finais para todos aqueles que possuem dentro de
si a fagulha divina do Mestre, para que possam empreender o
caminho espiritual que nos levará de volta à casa do Pai: o Senhor
Onipresente e Onisciente.




                                   11
Jeane Miranda de Sousa



Processo Reencarnatório: A Visão de um Ser
Cósmico

   Estamos vivenciando um novo tempo no qual o ser humano
se descobre como um ser que veio de outros mundos, pois que,
finalmente percebe que sua jornada evolutiva não se iniciou na
Terra, e que a partir disso, não é somente um mero resultado do
processo evolutivo das espécies deste planeta Terra.
    O ser humano como o conhecemos agora na época moderna,
não se compara ao ser humano dos primórdios dos tempos da era
terrena. Quando foi impossível evitar que os seres que aqui vieram
em naves espaciais oriundos de outros planetas mais evoluídos,
passassem pela encarnação física habitando inicialmente corpos
bem mais primitivos, - corpos estes que se comparavam aos
primatas que aqui viviam em cima das arvores, com a diferença
que andavam na terra e se comunicavam entre si através de
grunhidos - estes seres que se achavam plenos em características
celestiais de tudo fizeram para não se submeter aos ditames das
leis do processo encarnatório que movia o mundo terreno e muitos
tentaram burlar esta mesmas leis que o Pai criou para que os seres
primitivos deste planeta pudessem evoluir.
   Diante de tão dura prova, estes seres que se achavam detentores
do conhecimento do cosmos, se colocaram ainda mais em
situações desastrosas diante das leis que aqui imperavam. Muitos
se complicaram de tal forma que conseguiram atrair para si toda
ordem de desastres espirituais que os colocavam em situação
difícil diante dos seus irmãos cósmicos.
   Muito sofrimento poderia ter sido evitado se eles tivessem
aceitado de forma pacífica a determinação que os ajudaria a
harmonizar as suas energias espirituais passando por um tipo
de processo onde a depuração de seus corpos espirituais seria
conseguida de forma mais rápida caso tivessem a humildade de


                                 12
Anjos Decaídos: O Legado Cósmico da Humanidade Terrestre



aceitar a vontade do Pai, cumprindo com o que fora determinado
para a redenção destes seres que se rebelaram contra o amor
Daquele que ficou conhecido na Terra como Jesus.
   Estes seres não entendiam que este processo era o mais
apropriado que a Hierarquia Celestial conseguiu conceber
como uma forma mais rápida de purgar as marcações que estes
espíritos trouxeram dos seus planetas de origem, como também
as novas marcações que eles adquiriram quando chegaram à Terra
empedernidos pelo orgulho intelectual e moral. Se eles tivessem
aceitado a situação como ela se mostrava, se tivessem analisado
a questão sem usar o fermento do orgulho de tudo saber e tudo
poder teria aceitado a ajuda dos irmãos cósmicos que, na proposta
amorosa de auxiliar os seus entes queridos, também tentaram
acelerar a evolução dos seres terrícolas que já habitavam a Terra.
   Se eles não tivessem se rebelados tanto tempo contra a situação
que agora se apresentava como realidade, teriam ajudado aos
seus irmãos terrícolas a evoluir dentro do que foi estabelecido
pelo Mestre Jesus e, quando tivessem que encarnar em seus
corpos físicos, estes corpos já estariam mais evoluídos, já que a
vida dos rebelados de Capela em seus corpos de origem durava
várias encarnações físicas dos seres primitivos que habitavam este
planeta.
    Contudo, eles preferiram usar do orgulho e fugir às leis que o
Pai criou. Novamente tentaram fugir deles mesmos, mais uma vez
não queriam se submeter à vontade Daquele que lhes concedeu
a vida, mais uma vez plantavam em seus espíritos o germe da
rebeldia e o da desunião, mas uma vez não conseguiram aceitar
com passividade o que o Mestre colocava como missão para que
pudessem sair deste estado de desagregação espiritual de forma
rápida, se tivessem ajudado, mesmo que de forma mínima seus
irmãos terrícolas a evoluir dentro de uma escala de progresso
intelectual e moral, eles teriam plantado a semente que no futuro
iria servir de redenção para os seus espíritos equivocados.


                                   13
Jeane Miranda de Sousa



   Os exilados de Capela tinham tanto orgulho do que eram que
não queriam nem ouvir falar em ter que conviver com seres de
tão baixa vibração espiritual. Por força das circunstâncias tiveram
que encarnar em seus descendentes tiveram que conviver com as
limitações de seus corpos físicos, tiveram que conviver com o seu
baixo intelecto, com suas limitações morais e com toda ordem de
imperfeições que estes seres ainda possuíam.
   Agora começava para os que se diziam rebelados de Capela,
um novo jugo, uma nova forma de vivenciar a sua existência neste
lindo planeta azul.




                                  14
Anjos Decaídos: O Legado Cósmico da Humanidade Terrestre



Processo Reencarnatório: A Visão de um
Rebelado de Capela

   Vivemos submetidos às leis cósmicas, vivemos regidos por leis
que desconhecemos, pois enquanto seres espirituais encarnados
esquecemos-nos destas leis que um dia regeram a nossa existência
e conduta espiritual. Estamos agora submetidos às leis da
encarnação física, estamos submetidos às leis que regem esta
vivencia material e sendo assim, estamos tentando encontrar o elo
perdido com as nossas vestimentas espirituais.
   Viemos de tão sublime existência, viemos de tão sublime
compromisso espiritual de alavancar o crescimento de seres que
foram criados pelo Pai neste planeta azul. Viemos parar aqui por
força das circunstâncias que nos obrigaram a sair do nosso sistema
para habitarmos este mundo longínquo onde uma raça ainda não
preparada intelectualmente e nem sequer moralmente habitava
este recanto do cosmo.
   O Pai nos enviou aqui para que pudéssemos recobrar a nossa
antiga existência espiritual. Por força dos nossos equívocos
escolhemos vir para este planeta na tentativa inicial de nos
recompor diante das leis que regem os mundos superiores. Quando
aqui chegamos, estávamos impregnados de orgulho intelectual e
moral, equivocados nas nossas posturas individuais e coletivas.
   Não queríamos nos misturar a esta raça tão desqualificada aos
nossos olhos e sentidos. Desprezávamos os terrícolas. Mas, por
força das circunstâncias, tivemos que compartilhar este planeta
com aqueles seres que nos causavam tanta repulsa. Nós, espíritos
que aqui estávamos para alavancar o progresso desta raça, nos
recusávamos a fazê-lo! Recusávamos-nos a compartilhar o nosso
conhecimento e fizemos justamente o contrário, fizemos destes
seres escravos dos nossos desejos. Os submetemos através do
nosso poder psíquico, através do nosso conhecimento da força


                                   15
Jeane Miranda de Sousa



da natureza e através da nossa tecnologia, a toda sorte de ordens
e desatinos que complicaram ainda mais os nossos arquivos
espirituais.
   Não compartilhávamos da idéia de que se tratava de seres
humanos, víamos somente seres com características de animais e,
sendo assim, nós os tratávamos como animais domésticos.
   Impusemos toda ordem de mudanças neste planeta azul,
transformando-o no nosso quartel general onde arquitetávamos
todos os nossos planos para nos tornarmos independentes Daquele
que ficou no mundo conhecido como Jesus. Não o queríamos por
perto! Para isso estávamos prontos para executar todos os esforços
possíveis para que a Hierarquia Celestial não conseguisse vir a este
orbe terreno.
   Fizemos toda ordem de loucuras com estes seres terrícolas. Eles
nem sequer tentavam sair do nosso domínio, nos achavam deuses
e nos obedeciam cegamente. Chegavam a ponto de nos prestar
toda ordem de reverências. Chegávamos a pedir até sacrifícios
humanos e eles acatavam as nossas ordens matando até os seus
próprios filhos! Divertíamos-nos com esta situação, éramos os
senhores deste planeta! Mandávamos e eles obedeciam!
   Alguns deles que tentaram nos desobedecer, castigávamos
severamente com torturas cruéis. Eles ficavam apavorados e
nenhum tinha mais coragem de nos desobedecer. Tínhamos total
controle sobre eles.
   Assim passaram muitos anos terrestres. Desenvolvemos as
nossas cidades em cima do esforço e da vida de muitos destes
seres. Construímos grandes cidades até mesmo dentro do mar
e obtivemos um poderio de armas nucleares para nossa defesa
pessoal.
   Passamos posteriormente a brigar entre nossa própria espécie
na tentativa desvairada de controlarmos este planeta. Queríamos
controlar e mandar uns nos outros. Travamos combates intensos


                                  16
Anjos Decaídos: O Legado Cósmico da Humanidade Terrestre



com aqueles que um dia também foram nossos amigos. Agora
lutávamos para sermos os líderes de nosso próprio povo.
   Não sei quem estava mais louco, se nós que aqui habitávamos
uma base Atlante próxima à cidade de Natal, capital do Estado
do Rio Grande do Norte, ou se os nossos irmãos que estavam
habitando uma base Atlante no oceano Pacífico. Travamos
batalhas nucleares de grande porte. Desenvolvemos armas que
atacavam esta base por baixo do oceano. Fazíamos máquinas que
provocavam grandes maremotos na tentativa de destruir aquela
base.
   Chegamos a um ponto tal que todo o planeta estava sentindo
este abalo físico, estávamos destruindo o equilíbrio do planeta e
sequer estávamos percebendo isto. Nossos irmãos devolviam tudo
na mesma moeda. Disparavam contra nós a mesma tecnologia
que nós usávamos contra eles.
    Estávamos em plena batalha entre as raças atlantes que viviam
na Ásia e na América do Sul, quando a natureza deste planeta
não suportando mais as nossas loucuras, nos condenou todos à
morte física. Muitos que aqui estavam ainda tendo uma existência
espiritual, que ainda não tinham passado pelas leis da encarnação
física, viram sucumbir todo um sistema de vida de seres que já
detinham um conhecimento tecnológico e científico. Estes seres
ficaram estarrecidos diante da possibilidade de perder todo o
conhecimento das leis e da vida eterna ao ficarem submetidos a
estas novas regras que regem uma encarnação puramente material.
Teriam que recomeçar, que aprender tudo novamente!
    Este povo empedernido de orgulho, agora iria nascer entre
aqueles que um dia foram tão humilhados e maltratados. Iria ter
que se submeter às leis da encarnação da Terra e nasceriam como
filhos dos terrícolas que eles tratavam como escravos. Quanta
punição para seres tão orgulhosos!
   As bases atlantes desapareceram sob os grandes oceanos! Não
restou nenhuma delas para contar a história deste povo que veio a

                                   17
Jeane Miranda de Sousa



este planeta em naves espaciais e que detinham um conhecimento
intelectual e tecnológico.
   Muitos cientistas estavam fora deste planeta na tentativa de
fazer contato com os nossos irmãos de nível superior, na tentativa
de obter alguma cura para os desatinos que estávamos cometendo
uns com os outros. Quando aqui retornaram tiveram um susto
enorme! Suas cidades e seus povos não mais existiam! Tudo
havia sido tragado pelo oceano! Pousaram as suas naves em terras
que desconheciam. Tiveram que pedir ajuda a seres que eles
desprezavam. Tiveram que se submeter, conviver e compartilhar
desta vida física com os então terrícolas. Muitos tentaram ajudar
a esta massa de seres que viviam de forma bruta neste planeta.
Muitos conseguiram alavancar o conhecimento destes seres
através dos ensinamentos siderais que eles possuíam.
   A partir da destruição das bases atlantes e deste povo tão
orgulho, este planeta e os seres que aqui habitavam, tiveram uma
grande oportunidade de crescimento intelectual. Os sobreviventes
desta catástrofe sabendo que não poderiam voltar as suas origens,
que teriam que habitar este mundo material e que teriam que
encarnar nestes corpos físicos, trataram de tentar mudar as
características destes povos que para eles se comportavam como
verdadeiros animais.
   Eles os ensinaram a se vestir, elaboraram leis para regular as
suas comunidades, melhoraram as cidades, ensinaram como
se comportar e até mesmo a pensar! Mas tudo isso tinha por
finalidade maior alavancar o progresso destas comunidades para
que, no futuro, eles mesmos nascessem num mundo terreno
melhor, num mundo mais evoluído, pois sabiam que não teriam
como fugir das leis da encarnação física, que quando perdessem a
energia que lhes restava, iriam desaparecer espiritualmente para
reaparecerem sob a vestimenta do corpo carnal.
   E assim, por força das circunstâncias, estes povos terrícolas
tiveram a sua sorte selada pela necessidade deste seres que


                                 18
Anjos Decaídos: O Legado Cósmico da Humanidade Terrestre



aqui vieram de fora, que eram intelectualmente superiores,
mas moralmente inferior a estes povos terrícolas que eles tanto
desprezavam. Eles que eram os seres primitivos criados pelo Pai
para a jornada evolutiva que um dia os levaria para os mundos
superiores, se viram em volta de seres que eram deuses para eles e
que agora, estavam entre eles como iguais.
   A encarnação destes seres que vieram do Sistema de Capela
alterou toda a configuração destes povos. Os novos seres que
nasciam, apesar de serem espíritos que um dia foram mais evoluídos,
cresciam sem o conhecimento do que foram no passado, tinham
que começar tudo de novo, tinham que novamente aprender
sob uma nova ótica de desenvolvimento intelectual, alavancar o
progresso desta comunidade na qual agora estavam inseridos. Que
ironia para estes seres tão orgulhos! Eles que nada queriam ofertar
aos seus irmãos terrícolas, agora estavam na mesma situação deles.
Nasciam ignorantes do conhecimento que eles um dia detiveram
numa outra forma de existir mais evoluída.
   Muitos que ainda estavam astralizados ficaram desesperados
diante desta nova forma de existir. Ficaram procurando formas e
formas de evitar encarnar em tão pesados corpos físicos. Muitos
não tiveram escolha, quando perdiam as suas energias vitais,
tinham que se submeter à encarnação ou então ficariam vagando
pelo espaço. E existir desta forma, muitas vezes era pior do que
passar pela encarnação física, já que, ciente de tudo o que fizeram,
tinham que lidar com seus erros consciênciais. Por isto, muitos
deles optaram por esquecer-se de tudo e vir a este mundo físico na
tentativa de começar novamente para poder um dia, restabelecer o
contato com o Pai Celestial.
   Esta vida física representa somente a possibilidade de voltarmos
a existir para toda uma comunidade cósmica, de voltarmos a
existir para os nossos familiares que ficaram no Sistema de
Capela. Um dia voltaremos a existir para o cosmos, voltaremos
a existir de forma plena para toda uma comunidade sideral que


                                    19
Jeane Miranda de Sousa



aguarda ansiosamente pelo nosso retorno, que aguarda pela nossa
convivência fraterna com aqueles que nos amam profundamente.
   Um dia retornaremos a nossa casa, retornaremos para o nosso
planeta de origem e recomeçaremos o nosso papel cósmico que
abandonamos há tanto tempo. Um dia voltaremos juntos com o
nosso Mestre Jesus, a existir de forma harmoniosa com as nossas
vibrações espirituais, junto daqueles que são os nossos irmãos
cósmicos.
    Fiquem bem. Fiquem fortalecidos pelo amor Daquele que foi
a luz do mundo terreno e que em breve, será novamente Aquele
a iluminar a grande marcha evolutiva deste pequeno planeta azul.


Até breve.




                                20
Anjos Decaídos: O Legado Cósmico da Humanidade Terrestre



Processo Reencarnatório: Visão de um Terrícola

   As almas que foram criadas pelo Pai Amantíssimo vieram do
seu sopro divino, vieram do seu amor incondicional. O Pai potência
maior no amar, quando nos fez, nos fez semelhante a sua imagem.
Quando nos criou, criou a sua obra prima, criou uma alma pronta
para galgar um patamar de evolução que um dia retornaria para
Aquele que lhe concedeu a vida.
   Quando nascemos, nascemos primitivos. Almas que ainda não
detinham qualquer conhecimento a respeito das leis cósmicas.
Almas que não estavam prontas ainda para evoluírem dentro
de uma escala de proporções nunca imaginadas por nós. O Pai
quando nos criou, nos criou primitivos nos nossos sentimentos,
nas nossas sensações e nas nossas opções. Não tínhamos reações
ainda sequer parecidas com os seres que um dia vieram habitar
este planeta Terra.
   Quando aqui chegamos, éramos seres unos com a natureza
primitiva deste planeta. Éramos seres que nos comunicávamos
com os reinos mineral, vegetal e animal. Não tinha diferença entre
estes reinos, nos tratávamos por iguais, já que existíamos por força
das circunstâncias. Não pensávamos, apenas existíamos.
   Depois de muitos anos terrenos, o nosso cérebro físico foi
tomando uma proporção maior. Fomos crescendo também em
estatura de pensamento linear. Passamos a nos comunicar através de
sinais e posteriormente através de grunhidos que eram entendidos
pelos nossos iguais. Não tínhamos uma organização muito
definida. Estávamos prontos para formar novas estruturas de vida
organizada, mas não sabíamos como fazer isso. Comportávamos-
nos como animais porque não tínhamos outra visão de vida, era
observando os outros animais que encontrávamos alguma forma
de conseguir sobreviver neste mundo hostil.
   Vivíamos assim isolados de qualquer civilização ou de algum


                                    21
Jeane Miranda de Sousa



modelo que pudesse desenvolver os nossos cérebros físicos.
Ficamos à mercê dos nossos instintos mais básicos: comíamos e
dormíamos, depois era somente encontrar um meio de sobreviver
mais um dia. Não tínhamos inicialmente sequer uma organização
familiar. Éramos nós contra toda uma natureza que nos testava ao
máximo, que nos surpreendia dia após dia com sua brutalidade,
testando a nossa vontade de sobreviver num mundo empedernido
de violência contra a vida humana.
   Depois de muitas encarnações e de muitas tentativas de seres
que vinham de vez em quando a este planeta na tentativa vã de
nos ensinar algo que pudesse alavancar algum progresso moral e
intelectual, fomos abandonados à própria sorte. Estes seres que
tentavam se comunicar conosco, que vinham a este planeta e
passavam tempos e tempos pesquisando a fauna e a flora da Terra,
de repente sumiram! Não tivemos mais como encontrá-los por
aqui. Bom, também não importava, nós sequer percebíamos a sua
presença, para a grande maioria de nós era somente mais uma raça
de criaturas que habitavam o planeta.
  Existiam várias espécies de animais que habitavam a Terra, da
nossa espécie tinha várias ramificações com as quais não tínhamos
qualquer contato. Apenas nos percebíamos como seres que
andavam com as duas patas, pois que a grande maioria dos seres
que habitavam este planeta andava sob as quatro patas.
   Os tempos foram passando e vimos que se nos uníssemos
teríamos mais chance de sobreviver aos grandes predadores.
Lutávamos juntos para conseguir o nosso alimento e para
proteger as nossas crias. Agora tínhamos filhos, porém não dentro
de um padrão de organização familiar que se conhece aí na Terra,
eram seres que faziam parte de uma comunidade e que eram
responsabilidade de todos.
   Muitos anos foram passando e, através de mudanças alcançadas
pelo nosso próprio esforço, fomos desenvolvendo sentimentos
e sensações. Procurávamos nos unir àqueles que nos entendiam


                                 22
Anjos Decaídos: O Legado Cósmico da Humanidade Terrestre



e àqueles que provocavam um bem estar na convivência diária.
Logo desenvolvemos um sentimento de família, estávamos agora
ligados pelos laços afetivos e não mais pela simples sobrevivência
física.
   Porém, quando menos esperávamos, quando ainda estávamos
tentando desenvolver a nossa forma de vivenciar e perceber o
mundo que habitávamos, chegaram seres em objetos que tinham
asas e que podiam voar! Nós ficamos apavorados. Como seres que
andavam sob os dois pés voavam? Que seres eram aqueles que
tinham asas, que tinham belos corpos e que falavam uma língua
que nós não compreendíamos? Eles realizavam coisas fantásticas,
entretanto, não deixavam que nós nos aproximássemos deles. Eles
nos tratavam como seres inferiores, não nos queriam por perto.
   Com o passar do tempo, aqueles seres que andavam também
sob duas pernas, mas que voavam como os pássaros, vieram nos
capturar em nossas moradias! Vivíamos nas grutas próximas aos
vales que tinham os rios. Eles vieram aqui com uns aparelhos que
nos paralisavam, que doíam quando tocavam na nossa pele. Nós
ficávamos sem conseguir nos mover. Depois, eles nos colocavam
em jaulas para sermos levados para as suas casas voadoras. Muitos
de nós morremos de susto quando entraram nestas casas que
voavam. Muitos não aguentaram aquela sensação de não poder se
mexer e morreram ali mesmo.
   Quando chegamos ao lugar onde moravam, eles nos obrigavam
a carregar grandes pedras, a derrubar árvores e a fazer tudo o que
eles não queriam fazer. Obrigavam-nos a trabalhar durante horas
e horas. Muitos também morreram nesta jornada. Muitos sequer
conseguiram entender o que estava acontecendo. Só que quando
nos recusávamos a trabalhar por puro cansaço, eles usavam aqueles
objetos que machucava muito na nossa pele e que nos causava um
mal estar que durava horas e horas.
   Quando muitos morriam, eles iam lá aos vales e traziam mais
da nossa espécie. Erguemos muitas cidades para estes seres. Eles


                                   23
Jeane Miranda de Sousa



não nos davam sequer água para beber, deixavam que muitos
morressem de fome e sede.
   Construímos suas cidades. Depois disso eles nos deixaram em
paz por algum tempo. Porém, quando as nossas tribos estavam
de novo se organizando, eles vieram até nós e nos subjugaram
com suas magias, e nos fizeram entender que eram deuses que
descerram a este mundo para coabitar conosco, mas que precisavam
constantemente de reverências e que não suportariam a nossa
desobediência. Eles eram seres lindos, eram criaturas que nunca
havíamos sequer imaginado que poderiam existir. Nós ficávamos
fascinados pelas suas peles claras, pelos seus cabelos claros, seus
olhos de cores bonitas. Olhávamos para nós mesmos e víamos
como éramos diferentes destes seres. Então eles só poderiam ser
o Deus do fogo e da água que caiam do céu e eles vieram habitar
entre nós!
   Com o passar dos tempos, alguns de nós que já haviam
desenvolvido o cérebro físico, percebemos que aqueles seres
maltratavam demais os nossos iguais, que eles pediam mais do
que poderíamos oferecer e que muitos estavam dando a vida na
tentativa de agradar estes seres que nada nos davam em troca, a
não ser as migalhas do que sobrava das suas mesas.
   Passamos a não mais nos submeter aos desmandos daqueles
seres que nos agarravam em plena floresta. Muitas vezes, a nossa
família estava tranqüilamente no lago e eles vinham em suas casas
voadoras e levavam todos embora. Nunca mais víamos os nossos
seres amados. Ficávamos então sem saber o que fazer diante de
tão dura prova.
   O tempo passou de repente nós não éramos mais o foco de
atenção daqueles seres. Eles agora viviam em grandes cidades
fechadas das quais nós sequer podíamos chegar perto. Agora
eles não mais precisavam de nós para erguer as suas moradias.
No entanto, muitos de nós ainda desaparecíamos nas noites de
lua cheia, muitos de nós ainda sumiam à luz do dia. Ficávamos


                                  24
Anjos Decaídos: O Legado Cósmico da Humanidade Terrestre



muito assustados quando víamos aquelas casas voadoras e nos
escondíamos onde fosse possível.
   De repente eles passaram a lutar entre a sua própria espécie.
Nós nos mantínhamos afastados desta briga, pois que sequer
entendíamos como eles brigavam. Porém, de repente, o planeta
começou a tremer, o mar começou a subir e aquelas cidades que
eram tão bonitas, afundaram no meio do mar!
   Ficamos apavorados com estes acontecimentos. Muitos de
nós também morremos quando o mar invadiu as nossas casas.
Contudo, muitos que habitavam as florestas não muito próximas
do litoral, sobreviveram a este grande impacto da natureza terrena.
   Depois deste acontecimento, que para nós não mudava em
nada nossa forma de levar a vida, alguns seres daqueles que nos
capturavam estavam com suas casas voadoras paradas no meio da
floresta. Agora eles tentavam falar com a gente, não mais usavam
seus objetos que doíam na nossa pele. Agora eles queriam viver
conosco nas nossas cavernas.
   Para nós aquilo foi uma grande alegria. Para nossa população,
os nossos deuses finalmente tinham aceitado as nossas ofertas.
Eles agora habitavam conosco e estavam nos ensinando coisas.
Foi um período de grande alegria para todos.
   Bom, passamos um tempo de paz e alegria junto com os nossos
deuses. Reorganizamos sob as suas orientações a nossa forma
de viver em conjunto. Eles nos ensinaram a pescar, a construir
casas de madeira, a nos vestir, a fazer o alimento cozido. Eles nos
ensinaram a construir objetos que as mulheres usavam para se
banhar no rio, para lavar as nossas vestes. Eles cortaram os nossos
pelos, nos ensinaram a andar mais eretos, nos ensinaram uma nova
forma de falar. Aprendemos a sua língua, aprendemos a falar como
eles e isso foi maravilhoso para nós.
  Como era bom tê-los tão próximo a nós. Eles agora não mais
nos maltratavam como antes. Agora eles só nos machucavam


                                    25
Jeane Miranda de Sousa



quando nós não aprendíamos o que eles estavam ensinando.
Nossos filhos, estes foram os primeiros que aprenderam com os
grandes deuses a falar e eram eles que nos ensinavam!
   Nossas mulheres passaram a cuidar da arrumação das nossas
casas que agora eram para, no máximo, quatro pessoas: um macho,
uma fêmea e as crianças. Agora cuidávamos uns dos outros. As
mulheres cuidavam das casas e da preparação dos alimentos.
Comíamos a carne cozinhada no fogo. Preparávamos os alimentos
que antes eram comidos crus, agora eram preparados em pastas
cozidas para toda a comunidade.
   Eles nos ensinaram como preparar tecidos para que pudéssemos
fabricar roupas para adornar os nossos corpos, pois antes nos
cobríamos com as peles dos animais e agora tínhamos tecidos que
eram mais leves para podermos correr. Embora, com a chegada dos
deuses entre nós, poucos eram os que podiam caçar. Todos tinham
uma função, muitos estavam atarefados com as construções das
casas que agora estávamos habitando.
    Os nossos filhos, estes quando se tornavam homens grandes,
já tinham um poder de raciocínio melhor do que o nosso. Estes
deuses nos viam morrer e continuavam jovens. Nós ficávamos
velhos e morríamos e eles continuavam jovens!
   Assim passaram muitas gerações, porém em algum tempo que
não conseguimos determinar, eles também morriam. Aí era um
dia de grande tristeza para toda a tribo.
    As futuras gerações após a descida dos deuses para a nossa
convivência passaram a desenvolver-se de forma mais rápida.
Muitos aprenderam rapidamente a falar, a andar ereto e a se
comportar como os deuses. Muitos já nasciam com uma aparência
mais próxima dos nossos deuses! A pele e os olhos destas gerações
já estavam sendo melhores do que os dos seus antepassados.
  A cada nova geração, todos iam tendo uma aparência física
melhor. Assim fomos nos desenvolvendo com a lentidão dos anos


                                26
Anjos Decaídos: O Legado Cósmico da Humanidade Terrestre



terrenos. Muitas e muitas vidas foram se passando para estes seres
que agora formavam uma nova comunidade terrena.




                                   27
Jeane Miranda de Sousa



A Doutrina dos Anjos Decaídos - Revolta
Luciferiana

   Estamos muito distante da nossa verdadeira natureza espiritual.
Vivemos isolados de nós mesmos, impregnados de miasmas
destrutivos da nossa verdadeira natureza divina.
   Somos seres que detinham o conhecimento das leis eternas.
Somos seres que já resplandeceram, em tempos passados, em
luzes de amor e de dedicação em vibrações harmônicas para todo
o universo. Éramos seres que representávamos a luz para todos
os seres que ainda estavam na escala inferior do crescimento
espiritual. Porém nos rebelamos contra as leis cósmicas e passamos
a viver de forma irregular diante destas mesmas leis.
   Abrimos mão das atitudes amorosas de outrora, duvidamos da
existência do Pai e nos rebelamos do domínio de nosso Mestre
Espiritual Jesus. O acusamos de tentar nos esconder o Pai,
duvidamos da sua expressão amorosa e passamos a enfrentá-lo de
forma muitas vezes desafiadora e desrespeitosa, já que estávamos
diante de um Ser que era luz pura!
   Não queríamos ouvir a ninguém. Quem não nos entendesse
estava contra nós! Muitas famílias foram separadas diante de tantos
dramas emocionais. Violentas discussões geraram desagregações
de toda ordem. Passamos de todos os limites aceitáveis pela
Hierarquia Celestial que tentava a todo custo nos aceitar de forma
a não nos contrariar nas nossas opiniões desagregadoras. Ficamos
à mercê da nossa própria arrogância intelectual, ficamos à mercê
de nós mesmos! Aí começou a nossa decaída espiritual.
   O Mestre, diante de tantos espíritos equivocados, diante de
tantas atrocidades às leis cósmicas, tentou de todas as formas
possíveis que voltássemos à razão. Não conseguiu e, diante de tão
sério problema, decidiu em conjunto com a Hierarquia Celestial
nos isolar neste pequeno planeta azul.


                                  28
Anjos Decaídos: O Legado Cósmico da Humanidade Terrestre



   Viemos parar aqui ainda impregnados de orgulho. Viemos
parar aqui ainda certos de que estávamos desempenhando um
papel importante diante de todo o cosmo! Éramos os seres que
se rebelaram contra uma postura espiritual imposta! Éramos
espíritos que não mais aceitavam ordens de quem quer que fosse!
Somente responderíamos agora a nós mesmos!
   O irmão Lúcifer, este, ainda tentou de todas as formas controlar
este movimento. Ele em conjunto com alguns espíritos mais
audaciosos e manipuladores, tentaram controlar com mão de ferro
o resto das individualidades que foram arrastadas para este orbe
terreno. Aqui chegando, encontramos uma população primitiva
já formada. Desprezávamos tal forma de existir. Para nós, eles
não passavam de simples animais com algumas características
humanas, mas que ainda estavam muito longe de serem chamados
de seres humanos! Tivemos que conviver com tão primitivo povo.
Aproveitamos da sua incapacidade intelectual para nos servir e
passamos a comandar este planeta azul.
    Mudamos tudo o que não gostávamos, construímos cidades
com a nossa tecnologia trazida dos mundos siderais e construímos
laboratórios para começarmos a manipular geneticamente esta
raça de seres primitivos. Percebemos através dos tempos que
eles tinham muito medo de nós, e nos aproveitamos disso para
aprisioná-los e para utilizá-los como escravos. Crescemos em
tecnologia e em conhecimento deste planeta. Muitos que eram
cientistas no Sistema de Capela continuaram aqui desenvolvendo
toda ordem de pesquisa para o desenvolvimento de novos corpos
físicos, pois que, descobrimos que teríamos que brevemente ocupar
corpos físicos para a nossa continuidade espiritual.
   Habitar aquela massa de seres que não tinham sequer
uma organização e um conhecimento útil para o seu próprio
crescimento era muito pior do que não mais existir! Assim,
gastamos muita energia para que fosse desenvolvido algum tipo
de corpo mais evoluído para que pudéssemos no futuro habitá-lo.


                                    29
Jeane Miranda de Sousa



Desenvolvemos muitas experiências com estes corpos primitivos,
fizemos mudanças genéticas de toda ordem, que muitas vezes o
resultado destas experiências foram seres de aparência horripilante
que na maioria das vezes nem conseguiam existir por muito tempo!
    E assim, os tempos foram passando! A grande maioria de nós
já estava encarnada nesta população primitiva. Todos estavam
agora esquecidos do que foram no passado, e agora estavam
sob uma nova ordem de leis cármicas que regem as encarnações
físicas neste mundo material. Alguns de nós, ainda estávamos
astralizados, estávamos energeticamente fracos, mas ainda
estávamos conscientes de quem éramos e porque viemos parar
aqui neste planeta.
     Ainda estávamos preocupados em como conseguir novos
corpos para podermos habitar sem passar pelo processo da
reencarnação quando o nosso chefe maior, Lúcifer, desapareceu
por algum tempo. Ele estava seguindo uma potencia de energia
que não conseguíamos identificar. Ele passou várias semanas
atrás deste Ser que somente nós que estávamos no astral é que
conseguíamos visualizar que se tratava de uma entidade que não
fazia parte da ordem de espíritos que se rebelaram contra aquele
que na Terra ficou conhecido como Jesus Cristo.
    Lúcifer ficou atrás de este Ser de forma obstinada. Tentamos
tirá-lo deste objetivo, mas ele se recusava a nos ouvir, e acabamos
desistindo deixando que ele seguisse seu próprio rumo. Depois
de algum tempo, visualizamos energias de grau superior que de
tempos em tempos apareciam perto daquele ser humano que
conseguia nos olhar nos olhos. Pensamos que se tratava de algum
ser mandado pela espiritualidade para nos conduzir de volta ao
Sistema de Capela. Preparamos-nos para lutar até o fim, mas
este Ser apenas nos visualizava, mas não tentava nada contra nós.
Porém, percebíamos a sua força energética, sua aura vibrava de
uma forma que não conseguíamos sequer chegar perto dele!
   Como ele nada tentou contra nós, esquecemos dele e partimos


                                 30
Anjos Decaídos: O Legado Cósmico da Humanidade Terrestre



em busca dos nossos interesses. Lúcifer ficou perseguindo este
espírito. Tempos depois, percebemos que uma grande massa de
energia se congregava num pequeno espaço da Terra. Quando
chegamos para verificar o que acontecia, um Ser especial de naipe
superior carregava em seus braços o nosso comandante Lúcifer
desmaiado. Tentamos tirá-lo dos braços deste ser, porém ele
estava muito bem protegido, sua potencialidade estava em pleno
funcionamento. Havia toda uma gama de espíritos superiores que
estava acompanhado-o. Assim, Lúcifer foi retirado deste planeta
azul.
   Satã passou a ser o nosso comandante. Este tinha uma postura
mais forte do que Lúcifer. Possuía ousadia e comando.Travamos
sob o seu comando várias lutas contra aqueles que tentavam a
todo custo nos repatriar de volta ao nosso antigo lar - o Sistema
de Capela.
    Nós não queríamos retornar! Sabíamos que se retornássemos
teríamos que arcar com as conseqüências dos nossos atos e
estávamos começando a dominar este planeta azul. Sua população
que já estava mais desenvolvida, agora podíamos controlá-los de
forma mais segura e mais direta. Muitos estavam sobre o nosso
comando, antigos companheiros respondiam às nossas ordens
sobre muitos assuntos que ligavam ao poder terreno. Por que
iríamos abandonar o que tão duramente foi conquistado? Por que
iríamos abandonar este planeta que era nosso e que estava agora
sobre o nosso comando?
   Entretanto, percebemos que quando aquele Ser que na terra
ficou conhecido como Jesus se ausentou de forma definitiva deste
planeta azul, começaram através dos seus ensinamentos focos de
luz por toda a humanidade! Tivemos que combater e perseguir
estes focos de luz que estavam atrapalhando a nossa jornada de
dominação deste planeta. Satã, percebendo que teríamos que
combater espíritos obstinados na postura da prática do bem, traçou
toda uma serie de estratégias e missões para nossos companheiros


                                   31
Jeane Miranda de Sousa



que estavam prontos para reencarnarem em papéis de autoridade
nesta nova comunidade terrena.
   E assim foi durante muitos anos terrenos, preparávamos planos
para dominar certas comunidades e éramos combatidos duramente
pelos exércitos do bem! Ficamos muitas vezes desalentados diante
de tantas derrotas que espíritos comandados por forças de naipe
vibracionais superiores à média da Terra, impuseram a nossa
equipe que tentava se infiltrar em todas as ramificações terrenas
com o propósito de controlar o poder temporal do mundo que
agora se formava.
   Nos tempos atuais perdemos o nosso segundo comandante.
Satã também foi retirado deste orbe terreno. Ele também nos
deixou! Passamos a ter somente focos isolados de atuação do que
foi chamado na Terra de trevas! Porém, quero que fique claro que
em nenhum momento o mal foi praticado somente pelo mal. Nós
tínhamos um objetivo e, este objetivo é que nos fazia agir dentro
das normas que nós próprios criamos para poder estabelecer o
nosso reino neste planeta para o qual fomos enviados. Não
queríamos voltar! Não sabíamos o que nos esperava no Sistema
de Capela, não queríamos correr o risco de sermos humilhados e
maltratados! Tínhamos medo de voltar e lutávamos bravamente
para permanecer onde nós achávamos que era a nossa moradia
final.
   Nós, em grande maioria, não éramos demônios como vocês
compreendem na Terra. Nós apenas estávamos defendendo
uma idéia de liberdade. Nós apenas estávamos defendendo um
propósito que a nosso ver era válido! Em nossa grande maioria, não
fazíamos o mal pelo prazer de praticar o mal, apenas optávamos
de empreender todas as possíveis ações para que defendêssemos o
que acreditávamos como verdade. Exageramos, nos confundimos,
nos equivocamos em muitas atitudes! Mas não tínhamos uma
essência maléfica, éramos somente seres equivocados nas nossas
posturas coletivas e, depois, em nossas posturas individuais.


                                 32
Anjos Decaídos: O Legado Cósmico da Humanidade Terrestre



   Quando perdemos os nossos melhores líderes, cada um formou
os seus próprios focos de atuação. Aí sim começou toda ordem de
escândalos que até hoje ressoam por toda Terra. Aí sim, muitos
seres foram se impregnando de venenos energéticos de grau
maléfico que passaram a reger as suas vibrações e suas atitudes de
cunho espiritual.
   Muitos se perderam neste processo de mudança. Muitos não
puderam ser salvos de si mesmos. Infelizmente para estes seres,
terão que recomeçar em outros mundos mais atrasados o que eles
não conseguiram neste planeta azul.
   Este que vos fala, conseguiu se estabelecer dentro de um padrão
vibracional tal que agora, estou servindo ao exercito do bem. Estou
sob as ordens Daquele que foi a luz do mundo terreno e que agora
é a luz do meu caminho individual.
   Passei muito tempo vagando pelos caminhos da ignorância. Perdi
muito tempo nas lamentações, nas maquinações destrutivas que
somente serviram para atrasar ainda mais o meu desenvolvimento.
Por pura generosidade de Jesus, eu consegui vencer a mim
mesmo e agora me encontro em estado de recuperação da minha
consciência cósmica. Estou reaprendendo as leis que regem este
universo e harmonizando a minha energia vibracional.
   Quanto tempo perdido! Quanto tempo em busca de nada! Eu
que fui um ativista na defesa do direito de ser um rebelado, agora
percebo o mal que fiz a mim mesmo e aqueles que compartilharam
comigo do mesmo ideal.
   Venho a vocês somente para esclarecer, através de um espírito
que participou ativamente deste processo chamado Revolta
Luciferiana que hoje encontra-se reestruturado nas forças do
Mestre Jesus, que falta pouco para que possamos todos voltarmos
a conviver de forma pacífica, que falta pouco para que este planeta
azul possa ser reintegrado à convivência de irmãos que estão a
nossa espera a milhares de anos siderais.


                                    33
Jeane Miranda de Sousa



   Estaremos em breve de volta à comunicação com nossos
amados familiares que há tanto tempo esperam o nosso retorno.
Este planeta azul está preste a receber Aquele que será novamente
a luz de um novo mundo! O Mestre irá retornar para auxiliar
aqueles que clamam por seu socorro espiritual.
 Irmãos somos todos seres necessitados de ajuda fraterna. O
Mestre Jesus é o nosso caminho e a nossa salvação eterna.


Este é o meu recado.




                                34
CAPÍTULO

   II
Jeane Miranda de Sousa



O Sacrifício Amoroso de Jesus


   N     a época dos atlantes, uma raça que se achava superior
         teve que existir neste planeta azul. Esta raça que veio aqui
habitar por misericórdia do Pai Criador, absteu-se de concretizar
o que a Hierarquia Celestial havia determinado como missão para
a sua redenção espiritual e se rebelaram contra a postura amorosa
do Mestre Jesus!
   Diante das suas posturas equivocadas e por pensar que tudo
podiam diante das provas que teriam que passar, acabou por
determinar o seu degredo espiritual para este planeta longínquo.
   O Mestre de tudo tentou para que estes seres se reconstruíssem
espiritualmente. Mas eles nada queriam, com nada concordavam,
apenas se achavam no direito de discordar de tudo e de todos.
Quando não houve mais jeito, estes seres que se declaravam
rebelados de Capela vieram parar no último refúgio da rebelião que
na Terra ficou conhecida como Revolta Luciferiana e, problemas
de toda ordem aconteceram com a sua chegada a este planeta azul.
   Os seres terrícolas que aqui viviam por obra da generosidade
do Pai Criador habitavam de forma harmoniosa este pequeno
planeta. Viviam aqui dentro das características iniciais que o Pai
lhes concedeu. Viviam em paz com a natureza e se multiplicavam
conforme as leis estabelecidas pelo processo encarnatório
que governava este orbe. Quando os terrícolas se depararam
com esta nova população que aqui chegou em naves espaciais
não compreenderam nada! Eles sequer entenderam todos os
acontecimentos que agora se desenrolavam as suas vistas.
   O Pai Amantíssimo assistiu tudo o que aconteceu neste planeta,
toda a dominação impostos por estes seres que se declaravam
rebelados contra a tirania atribuída ao preposto direto do Pai:
O Mestre Jesus. A Hierarquia Celestial assistiu à ignomínia que
ocorreu neste planeta Terra e não acreditaram no que estes seres


                                   36
Anjos Decaídos: O Legado Cósmico da Humanidade Terrestre



fizeram com a criação do Pai Criado. Ficaram estarrecidos com
a violência a qual os terrícolas foram submetidos por seres que já
detinham um conhecimento das leis que regiam o cosmos.
   Respeitando o livre arbítrio de todos, nada foi feito para evitar
tamanho drama existencial, pois que, para todos os envolvidos
os resultados seriam funestos, como o foi! Nossos irmãos que
detinham o conhecimento universal da boa convivência com todos
os seres que foram criados pelo Pai, agora tinham uma postura
agressiva e deplorável com relação aos nossos irmãos menores da
escala evolutiva que habitavam a Terra.
   O Mestre a tudo acompanhou. A tudo viu sem poder, até por
respeito à vontade dos envolvidos, interferir de qualquer forma
em tudo que estava acontecendo neste planeta azul. Foram
muitas as atrocidades que o povo atlante cometeu com estes seres.
Quando achávamos que eles já haviam alcançado toda sorte de
desvarios, eles conseguiram nos surpreender brigando entre si para
controlarem o planeta. Que sina destes seres que daqui saíram na
tentativa vã de depurarem os seus espíritos!
   Todos agora estavam mais complicados carmicamente do que
quando saíram do Sistema de Capela. Todos estavam contraindo
mais débitos a partir das posturas desequilibradas que praticavam
com a natureza deste planeta, com os seres que aqui habitavam e
com a sua própria espécie. Não sabíamos como agir para ajudar
estes seres a recobrarem as suas posturas espirituais que possuíam
no Sistema de Capela. Ficávamos cada vez mais surpresos com
suas posturas individuais e coletivas de rebeldia ao processo que se
desenrolava na Terra.
   Quanto sofrimento imposto a seres terrícolas que nada tinham
a purgar! Quanto sofrimento desnecessário a estes seres que ainda
estavam no primeiro degrau de existência para um aprimoramento
espiritual!
   Os seres que se diziam rebelados, de tudo fizeram para evitar
a nossa interferência nas suas posturas individuais e coletivas.

                                    37
Jeane Miranda de Sousa



Armaram-se contra nós, evitavam as nossas comunicações
amorosas. Enfim, se armaram contra aqueles que simplesmente os
amavam profundamente. O nosso sofrimento foi imenso diante
de tanto desatino. Ficamos à mercê das escolhas destes seres que
agora estavam completamente complicados diante das leis do
cosmo.
   O Mestre compadecido por esta situação que parecia não ter fim
solicitou o concurso da nossa interferência para que num futuro
próximo, Ele mesmo viesse a esse planeta azul dar testemunho
do seu amor fraterno por todos aqueles que um dia se voltaram
contra o seu comando amoroso.
   O Mestre nos solicitou que procurássemos um meio Dele vir
a este planeta na tentativa amorosa de mostrar a estes irmãos a
verdadeira postura necessária que cada individuo teria que ter,
para que pudesse novamente voltar a existir para as suas famílias
espirituais.
   Não sabíamos como fazer para que um espírito de grande
porte vibracional viesse a esse planeta de natureza física. Assim
passamos tempos investigando como seria esta forma que o
Mestre teria que assumir para poder existir neste mundo físico.
Pesquisamos e nos deparamos com um grave problema: O Mestre
se viesse neste planeta azul com toda a sua potencialidade, iria
causar uma grande ordem de transtorno para este planeta, pois
que os seus habitantes não suportariam a sua energia criadora e
amorosa. Se Ele se diminuísse em energia, talvez Ele fosse afetado
na sua condição de filho uno com o Pai. Então, a única forma
seria Ele passar por uma encarnação física! Mas como isso seria
possível? Como um corpo carnal poderia suportar uma energia de
naipe superior? Esse era o problema que o Mestre Jesus nos deu
para que resolvêssemos.
   A solução achada foi submeter o Mestre Jesus a um processo de
diminuição vibracional até o ponto onde um corpo físico pudesse
aguentar. Porém este era um processo doloroso, era um processo no


                                 38
Anjos Decaídos: O Legado Cósmico da Humanidade Terrestre



qual um Ser que possui uma energia de naipe celestial diminuísse
de tal forma a sua vibração que coubesse, energeticamente falando,
numa cápsula para que fosse introduzida na célula de uma jovem
mulher terrena, para que assim, o Mestre pudesse nascer para este
mundo terreno.
   O Mestre se submeteu a este tão complexo procedimento por
puro amor àquelas criaturas que agora habitavam um mundo tão
primitivo, tão sedento de uma postura baseada no amor. Somente
Ele com seu amor incondicional pelos seus irmãos é que poderia
assumir tão grandiosa tarefa de tornar-se igual para mostrar a
todos os seres encarnados e desencarnados deste orbe celestial, que
era possível sim, mesmo diante de tantas dificuldades assumirem
uma postura fraterna com os seus semelhantes.
   O Mestre nasceu para um mundo que não estava preparado
para o Seu concurso amoroso. O Mestre nasceu numa época na
qual as Suas palavras e os Seus gestos de amor poderiam não ser
compreendidos, como não o foram!
  Mas Ele que ama a todos profundamente não vacilou em
nenhum momento! Não vacilou diante de tão dura prova! Por
amor a todos, aqui veio e se instalou neste mundo de expiação,
aqui veio e deu o Seu recado amoroso.
   A vida terrena do Mestre não foi fácil, porém, Ele que tudo
podia, se submeteu às vontades do Pai. Jesus, este Ser tão amado
por todos nós se envolveu em amor devocional pelo Altíssimo e
compreendendo a vontade do Pai, submeteu-se as profecias que
falavam de um messias que vinha salvar o mundo dos pecados dos
homens!
   Submeteu-se à vontade do Pai porque era Uno com Ele e à
vontade do Pai era a sua, e por ser Uno com Ele, era sabedor de tudo
o que envolvia a Sua existência física e de tudo que representava
as Suas ações neste mundo terreno. O Mestre nos ama acima de
tudo. O Mestre e o Pai nos esperam para o reencontro final. Os
tempos são idos.

                                    39
Jeane Miranda de Sousa



   Irmãos, novamente o Mestre planeja o seu retorno para este
orbe terreno. Novamente o Mestre se coloca à disposição daquelas
almas que clamam pela sua volta, pelo seu retorno para começarem
uma nova forma de existir.
   Contudo, agora os tempos são outros, Ele aqui virá com toda
ordem de Seres Celestiais que estão investidos com os poderes
do Pai Altíssimo. Ele aqui retornará em todo esplendor das suas
vestes celestiais. Ele aqui voltará para marcar um novo tempo para
toda a humanidade congregada neste planeta azul.
   Os tempos são vindouros. Ele está pronto para ser mais uma
vez a luz deste mundo. Ele é capaz de fazer tudo para nos ajudar
nesta jornada evolutiva de retorno aos braços do Pai Amoroso.
   Estejamos felizes por este grande encontro.
   A hora aproxima-se, honremos com a nossa gratidão a volta
deste Ser de luz para um novo concurso de amor por toda a
humanidade terrena.


Aya Fa Yel




                                 40
Anjos Decaídos: O Legado Cósmico da Humanidade Terrestre



A Concepção de Jesus

   Diante de tão inusitado pedido de Jesus, tivemos que achar uma
solução para a sua futura encarnação no planeta Terra. Diante de
tão audacioso passo, tivemos que perceber sob todos os pontos de
vista como iríamos realizar tão grandiosa tarefa.
   Tivemos que aprender tudo sobre as leis do processo
encarnatório que regiam este orbe. Tivemos que achar algum
espírito no mínimo compatível com a vibração amorosa do
Mestre Jesus. Procuramos, mais foi muito difícil achar um casal
de espíritos afins que estivessem encarnados neste tempo para que
abrigassem o corpo físico do Senhor Jesus.
   Pensamos que era melhor verificar se algum espírito de
vibração harmônica estava preste a encarnar no mundo terreno, e
verificamos que um espírito de suave vibração nasceria justamente
na Palestina na tentativa amorosa de mostrar a este mundo uma
nova forma de conceber a vida terrena. Este espírito iria nascer na
polaridade feminina, e teria vibração harmônica suficiente para
receber aquele que no futuro seria a luz do novo mundo.
   Porém, tínhamos um problema, não existia na Terra nenhum ser
encarnado que tivesse a vibração adequada para que o conjunto do
seu espermatozóide com o óvulo feminino pudesse ter a energia
necessária para ativar a gônada feminina numa energia suficiente
para que o Mestre Jesus pudesse ser imantado nesta pequena
célula que iria torna-se o futuro corpo que iria abrigá-lo.
   Então não tivemos escolha, optamos por fazer uma inseminação
artificial, tivemos que recolher esta célula feminina chamada
óvulo e levamos para a espiritualidade através de um processo
tecnológico que ainda é desconhecido na Terra. Mas, através
desta tecnologia, tiramos sem que a escolhida terrena percebesse
o seu óvulo que iria gerar uma nova vida. Levamos para os nossos
laboratórios e lá concebemos o futuro corpo físico que iria abrigar


                                    41
Jeane Miranda de Sousa



aquele que na Terra ficou conhecido como Jesus.
   Quando o óvulo foi fecundado, trouxemo-lo de volta e o
implantamos na jovem mulher terrena. Agora precisávamos
avisá-la através da sua mediunidade ímpar que ela teria um filho,
que ela havia sido escolhida para um propósito maior: dar a luz
Àquele que viria para salvar a todos das iniquidades cometidas,
dar a luz Àquele que iria ensinar a todos que o amor era a arma
maior daqueles que pretendiam implantar o reino do Deus-Pai
aqui na Terra.
   Precisávamos achar um espírito compatível com aquela situação
para que pudesse ajudar a jovem Maria a criar o seu filho Jesus.
Naquela época, era comum o casamento arranjado pelas famílias.
Sendo assim, aproveitamos este fato e convencemos através de
sonhos a família da jovem senhora a fazer votos de comunhão
entre aquela que seria a mãe terrena de Jesus e aquele que era a
personificação do pai amoroso e dedicado que o Mestre precisaria
ter na Terra. José era um homem velho para aquela menina, porém,
Maria foi instruída por nós a aceitar este casamento com muito
amor.
   Este espírito que na Terra ficou conhecido como José, era
um espírito de superioridade espiritual para a grande média dos
seres que aqui estavam encarnados. Nós passamos a orientá-lo
também através dos períodos que ele usava para descansar. Eles se
apaixonaram um pelo outro assim que se viram, pois ambos já se
conheciam na espiritualidade. E assim a jovem Maria casou com
o maduro homem José.
   Antes do casamento, nós enviamos um emissário para lembrar
a Maria do compromisso assumido por ela para ser o veículo da
chegada do Mestre Jesus. Sendo assim, Gabriel, nosso enviado
apareceu a Maria lhe recordando da sua origem e da sua missão
terrena. Maria sabedora da cultura na qual estava inserida teve
medo de ser rejeitada por aquele que agora era dono do seu coração.
Porém, por se tratar de tão belo espírito, assumiu seu destino e


                                 42
Anjos Decaídos: O Legado Cósmico da Humanidade Terrestre



se colocou para avaliação do seu futuro marido contando toda a
verdade que se manifestava no seu coração.
    José, a princípio ficou abismado com a situação. Mas sendo
um espírito muito generoso, aceitou-a de bom grado. Acima de
tudo ele era um homem religioso, era um homem que acreditava
fielmente no Deus dos seus antepassados, e se Maria afirmava que
havia concebido de forma não natural aquele filho, ele que amava
a Deus sobre todas as coisas, a aceitaria como esposa.
   Estivemos no seu sono noturno. Encontramos um ser repleto
de luz a nos esperar calmamente. Ele já estava resoluto da decisão
que tomara, não foi preciso a nossa interferência direta. Ele quando
nos viu espiritualmente, apenas nos sorriu e nos afirmou que iria
tentar ser o melhor pai que pudesse para aquele Ser que viria sob
os seus cuidados.
   Então, aconteceu o casamento de Maria e José. Agora
precisávamos achar um meio de o Mestre Jesus ser imantado
àquele corpo físico que já estava em plena evolução. Pensamos em
várias alternativas para esta imantação, porém, somente uma deu
resultado, teríamos que diminuir a vibração do Mestre Jesus até
um ponto que Ele coubesse neste novo corpo que agora já estava
com alguns meses de vida. Jesus foi submetido a um processo
doloroso de diminuição do seu poder, Ele teria que ser encaixado
em um mínimo de energia para que o corpo da jovem senhora
aguentasse a sua vibração ímpar.
   Tivemos que construir uma cápsula para acomodar o que não
poderia ser acomodado. Tivemos que construir uma cápsula para
que suportasse a energia do Mestre Jesus. Depois de construída
esta cápsula, através de mecanismos que não conseguiríamos
descrever, o Mestre Jesus foi submetido a uma radiação que fazia
com que a sua vibração energética fosse contida por alguns anos,
para que com o passar dos anos terrenos, o próprio Mestre pudesse
ativar pelo menos um pouco da sua vibração, para na madureza do
seu corpo físico Ele pudesse potencializar toda a sua consciência


                                    43
Jeane Miranda de Sousa



crística, pudesse então ativar em si mesmo a sua energia criadora
e amorosa neste corpo físico que agora o abrigava.
   Assim foi feito. Nasce então o Mestre Jesus na Terra. Nasce
num corpo físico Aquele que será a luz deste novo mundo que irá
se formar através do seu exemplo amoroso de renuncia pessoal.
Nasce para o mundo terreno Aquele que na espiritualidade é
conhecido como o Mestre dos Mestres.




                                 44
Anjos Decaídos: O Legado Cósmico da Humanidade Terrestre



O Processo Encarnatório de Jesus

   Após a escolha do casal que iria receber Aquele que seria a
luz do novo mundo, começamos a preparar o Mestre Jesus para
a jornada que Ele iria efetivar junto aos seus tão amados filhos
Capelinos.
   Jesus colocou-se a nossa disposição para começarmos o
trabalho de diminuição de sua energia para que Ele pudesse caber
na cápsula que nós havíamos criado. Este processo de diminuição
da sua potencialidade ocorreu de forma breve, porém era um
processo que causava desconforto para aquela autoridade que por
puro amor aos seus amados irmãos, deixava-se amorosamente ser
manipulado energeticamente para poder caber num corpo de uma
jovem mulher terrena.
    Seu corpo físico já estava sendo formado pelo organismo da
jovem Maria. Depois de conseguido a diminuição energética do
Mestre Jesus, nós o levamos para ser imantado àquele corpo que
estava sendo preparado para recebê-lo. Maria nem sequer deu-se
conta do que ocorria, manipulávamos o seu frágil corpo para que
ele pudesse suportar tamanha energia advinda do Mestre Jesus.
Apesar de termo diminuído sua energia ao máximo, Ele ainda era
o Ser Supremo, Ele ainda detinha todo o seu poder natural, porém
agora estava submetido às leis da encarnação física, agora estava
fadado há esperar os meses que faltavam para que o seu corpo
físico pudesse nascer para este mundo terreno.
   No período que faltava para Ele nascer fisicamente, Jesus foi
se ajustando à nova energia advinda do contato dos seus pais
terrenos. Eles estavam ajustando as suas energias espirituais.
Maria começou a sentir a movimentação do seu bebê, porém era
o Mestre que estava tentando equalizar a sua energia com o seu
novo corpo físico.
  Quanta doçura deste Ser que se submetia por pura vontade a


                                   45
Jeane Miranda de Sousa



ficar prisioneiro a um corpo físico para depois nascer num planeta
que abrigava seres perturbados na senda do bem, quanto amor
dedicado a todos os seres que aqui estavam congregados! Jesus
na sua amorosidade ofertou o que de melhor possuía: o seu amor
pleno por todos os seres que aqui estavam confusos na arte de
amar a Deus sobre todas as coisas e amar os seus semelhantes
como a si mesmos.
    Diante de tão sublime ato de amor, todos nós da espiritualidade
ficamos nos perguntando como um Ser poderia amar tanto assim,
como um Ser deste naipe poderia se submeter às leis da encarnação
física?
   Muitos Mestres espirituais já passaram pela Terra, mas em
sua grande maioria, vieram dar os seus testemunhos em toda
a sua potencialidade espiritual. A grande maioria que aqui se
materializaram, vieram em suas formas gloriosas, se materializaram
em suas vestes celestiais.
    Jesus quando optou por nascer neste mundo através do processo
encarnatório normal pelo qual todos tinham que passar, optou por
isto para que pudesse compreender através da vida material, o que
os seus irmãos sentiam diante de tão dura prova ao perderem as
suas consciências cósmicas e ficarem submetidos a um cérebro
físico que nada sabia sobre as leis do Deus Pai e sobre o cosmo.
   Ele passou por todo este processo para mostrar a todos que era
possível passar por esta encarnação física e despertar em si mesmo
a luz que existe em cada alma criada pelo Pai Celestial.
   Ele aqui veio, como cada um dos espíritos criados pelo Pai
Amantíssimo vieram. Ele viveu seu nascimento terreno dentro
dos padrões estabelecidos pela sua época cultural, Ele viveu e foi
educado com a ótica do meio no qual estava inserido. Ele não
se recusou a passar por nenhum momento da vida terrena que
qualquer um poderia passar. Ele se deixou guiar inicialmente
pelos seus pais terrenos, Ele aprendeu tudo o que era necessário
para que sua encarnação fosse a mais normal entre todas as que

                                 46
Anjos Decaídos: O Legado Cósmico da Humanidade Terrestre



ocorriam com frequência neste planeta azul.
   Jesus não teve qualquer outro privilégio a não ser a escolha dos
pais que iriam abrigá-lo durante os anos que passaria na Terra.
A não ser isto a nada de especial teve direito o filho de Deus
quando aqui esteve. Todos nós sabíamos que Ele havia deixado
determinado que não poderia haver interferência de qualquer
ordem na sua educação ou na sua missão terrena.
   Ele quis dar o seu testemunho ao mundo dos encarnados, mas
para isso optou por passar pelas mesmas dificuldades, sentir as
mesmas angustias que normalmente um ser humano passa na sua
luta diária pela vida.
   Jesus não teve de imediato a lembrança de quem era a nível
cósmico. Ele viveu uma infância normal como qualquer outra
criança, Ele sequer sabia que o acompanhávamos constantemente.
Os seus canais espirituais estavam todos fechados na sua primeira
infância. Com o passar dos anos terrestres, seu cérebro físico já
estava quase pronto para suportar algum conhecimento dos seus
poderes que se manifestavam com mais ousadia, mesmo diante da
sua ignorância ao fato de como os possuía. Ele não entendia como
podia mover as coisas do lugar com o seu simples pensamento,
como podia se comunicar com os animais e de como conseguia
liderar os outros meninos nas brincadeiras infantis. Ele se divertia
com os seus poderes, para Ele era apenas mais uma brincadeira.
   Porém seus pais começaram a perceber que seu filho primogênito
tinha poderes especiais e começaram a orientá-lo para que não os
usasse na frente de todos e, aquilo passou a ser um segredo da
família de Jesus.
   E assim o menino Jesus crescia, mas também crescia o despertar
dos seus sentidos cósmicos. Ele chegou à adolescência e ficamos
preocupados como Ele iria controlar os seus poderes magnéticos.
Maria sempre atenta às mudanças do filho ficava vigiando-o
constantemente. Ela o orientava na medida do possível para que
não usasse os seus poderes na frente de estranhos. Porém, aquela

                                    47
Jeane Miranda de Sousa



mulher via neste pequeno jovem o que ele poderia se tornar para o
seu povo que há muito ansiava por se libertar do jugo do domínio
dos Romanos.
   Jesus crescia amadurecendo o seu corpo e seu cérebro físico.
Neste momento é que Ele passou a despertar com mais consciência
os seus poderes místicos. Em companhia de José de Arimatéia, seu
grande amigo e aliado, vivenciou momentos de grande elucidação
intelectual. Conheceu várias outras terras, conheceu outras formas
de vivenciar as experiências terrenas e novas formas de ver e sentir
o Pai Celestial.
   Andou durante muito tempo e conheceu varias filosofias de
vida e de religiões através das caravanas de José de Arimatéia.
Quando retornou para a Palestina já era sabedor do que se passava
no seu íntimo. Já entendia que havia um propósito para esta sua
encarnação física, e a partir deste momento, nós passamos a andar
mais junto do nosso Amoroso Rabi.
   Ele percebia a nossa presença, só que ainda não tinha
conhecimento suficiente para entender do que se travava e do que
representávamos naquela oportunidade. O Mestre foi aos poucos
despertando em si mesmo todo o conhecimento que Ele detinha
na sua potencialidade superior. Ele foi despertando em si mesmo
todo o seu potencial de filho Uno com o Pai, mas isso levou algum
tempo da sua maioridade espiritual e Ele já estava na fase adulta
da sua vida terrena.
   Agora Ele tinha recursos intelectuais suficientes para poder
entender o que se passava no plano onde somente Ele enxergava.
Agora Ele podia visualizar através da sua mente desperta o pano
de fundo que envolvia a sua vida terrena. Ele começou a perceber
o que se passava diante dos seus olhos e que ninguém mais podia
ver a não ser Ele mesmo.
   Jesus, este Grande Ser, foi grande na Terra porque despertou
em si mesmo a sua condição excelsa de Filho Uno com o Criador
deste universo e de todos os universos que existem na seara do Pai

                                  48
Anjos Decaídos: O Legado Cósmico da Humanidade Terrestre



Onipresente e Onisciente.
   Assim começou a jornada evolutiva deste Ser que em poucos
anos terrenos foi capaz de acender em si mesmo a sua luz divina.
Foi capaz de trazer para este planeta o seu conhecimento cósmico.
Foi capaz de armazenar no seu pequeno cérebro físico terreno um
conhecimento universal das leis que regem este planeta e os outros
planetas habitados do cosmo.
   Começava a preparação para este Ser dar o seu testemunho.
Começava o momento do Mestre se mostrar dentro das suas
características divinas para esta gama de espíritos endurecidos na
arte de amar. Começava a escolha daqueles que iriam auxiliar o
Mestre na sua jornada de amor por este planeta azul.




                                     49
Jeane Miranda de Sousa



A Escolha dos Apóstolos

   Quando o Mestre começou a pregar o seu futuro evangelho
precisou ter próximos a si irmãos espirituais que se propuseram
ainda na espiritualidade a ajudá-lo nesta fase da sua missão.
   Muitos espíritos que trabalhavam com Jesus no Sistema de
Orbum e, que fizeram parte da Rebelião Luciferiana, encarnaram
neste planeta, para no momento em que O Mestre tomasse
consciência da sua missão, os recrutassem, para em conjunto com
Ele começarem a plantar a nova doutrina de amor que iria ser
semeada na Terra. Estes seres vieram aqui com a missão sublime
de ajudar aquele espírito de magnitude maior a plantar à semente
do amor em cada coração humano, no entanto, muitos deles sequer
o reconheceram!
   Jesus passou muito tempo a observar a todos eles. Em cada
viagem que realizava, Ele saía a procurar os seus futuros ajudantes,
Ele buscava entre aqueles que estavam encarnados próximos
a Nazaré, para que no futuro que estava a se mostrar, poderem
efetivar a missão que eles se propuseram.
   O Mestre tinha por objetivo observar a todos estes seres em seu
secreto, para assim agir nesta escolha com mais segurança. Passa-
se o tempo e o Mestre já têm no seu íntimo as suas escolhas,
já possui informações suficientes para preparar na espiritualidade
aqueles que ficariam conhecidos na Terra como os apóstolos de
Jesus Cristo.
   Jesus sondou o espírito de cada um deles. O Mestre sabia
com quem estava lidando, o que cada um era capaz de doar e
de receber. Jesus sabia das limitações intelectuais de muitos deles,
sabia que não poderia contar com os seus entendimentos para o
que estava preste a ocorrer. Contudo, Ele sabia que todos iriam ser
movidos principalmente pela fé que cada um tinha de forma muito
autêntica nos seus corações terrenos, e Ele sabia da capacidade


                                  50
Anjos Decaídos: O Legado Cósmico da Humanidade Terrestre



daqueles homens em amá-lo!
   Jesus sabia que eles poderiam crescer espiritualmente após a
sua morte física, Ele sabia que todos iriam traçar os seus objetivos
de vida a partir da culminância da sua morte, que todos iriam se
tornar os seus prepostos aqui na Terra.
   Aquele que ficou na Terra conhecido como Judas Iscariotes era
o mais intelectual de todos. Este havia tido a oportunidade de
estudar no Sinédrio Judaico e detinha um grande conhecimento
sobre as leis que regem este mundo material. Judas era o de todos
o mais preparado para ajudar Jesus! Este estava mais desenvolvido
para entender o verdadeiro caminho que esta doutrina teria que
tomar. Porém, Jesus também sabia do seu orgulho intelectual,
sabia da sua arrogância de conhecimento e que ele queria acima
de tudo uma Judéia livre da dominação Romana.
   Porém, o Mestre apostou na capacidade de Judas de
compreender os seus ensinamentos a respeito do amor. Jesus
esperava que Judas conseguisse trazer para o seu entendimento
terreno o seu conhecimento espiritual para que este lhe servisse de
base nas posturas que o mundo material iria lhe exigir.
   Jesus observou cada um dos seus futuros apóstolos e cada um
deles tinha uma particularidade que o Mestre procurou estudar a
fundo. Todos tinham como mérito a proposta individual de ajudar
a divulgar o novo conhecimento pelo mundo.
   O Mestre se afligia diante das provas que estes homens teriam
que passar. Diante das duras dores que eles teriam que enfrentar
na divulgação desta doutrina que falava de amor. Jesus pensava em
como livrá-los do sofrimento físico, de como aliviá-los diante das
imposições e violências físicas as quais os homens iriam submetê-
los para testar o seu amor pelo seu Mestre.
   Jesus se preocupou profundamente com os seus apóstolos.
Com cada um deles conversou na espiritualidade na tentativa
de esclarecer aqueles espíritos do que ia acontecer na vida física.


                                    51
Jeane Miranda de Sousa



Pediu para que cada um tivesse cautela em aceitar tamanha prova
de amor, mas que acima de tudo, todos estavam livres para recusar
a proposta de serem os divulgadores desta nova doutrina. Jesus
afirmava que entendia que o que Ele estava pedindo era muito
duro, que entenderia se eles se recusassem a passar por tamanho
sofrimento que iriam enfrentar na Terra por amor a todos os irmãos
que estavam encarnados neste planeta querido. Jesus endereçou os
seus melhores votos para todos.
   Porém, nenhum deles recusou este concurso de amor, nenhum
deles se recusou a ajudar o seu Mestre nesta missão que o Pai
Celestial propôs a cada um deles.
  Espiritualmente, todos mantinham suas boas intenções na
implantação do reino de amor aqui na Terra.
   Jesus então passou a recrutar cada um deles para a sua jornada
evolutiva na fixação mental dos seres humanos a respeito do amor,
do amor que salvaria a todos e que daria uma nova direção a este
planeta azul.




                                 52
Anjos Decaídos: O Legado Cósmico da Humanidade Terrestre



O Mandato Amoroso de Jesus na Terra

   Depois da escolha dos seus apóstolos, O Mestre começou o seu
mandato de amor no planeta Terra. Jesus começou junto com seus
irmãos espirituais a divulgar a doutrina de amor que iria acender
novamente nos corações humanos o amor pelo seu semelhante e,
principalmente pelo Pai Celestial.
   Jesus começou a sua doutrina de amor pelo rio Jordão, começou
a pregar após o seu batismo pelo seu irmão espiritual João Batista.
Ao se encontrar com João Batista, Jesus acendeu em si mesmo
a sua unicidade com o Pai, acendeu em si mesmo todos os seus
conhecimentos adquiridos através da jornada evolutiva até chegar
a ser o Preposto do Pai neste planeta azul.
   Jesus sob as Hostes Celestiais foi banhado de luz cósmica,
foi banhado para começar o seu percurso amoroso para o
engrandecimento desta humanidade que agora se constituía neste
orbe terreno.
   Após a sua peregrinação pelo deserto e após a escolha dos seus
apóstolos, Jesus começou a sua pregação amorosa. Finalmente, na
idade madura física, Aquele que ficou na Terra conhecido como
Jesus de Nazaré, o Filho do Homem, começou a sua jornada
evolutiva para engrandecer este mundo como uma nova luz a
resplandecer por todo este planeta até então desgovernado e sem
rumo.
   Jesus começou a sua pregação pela Palestina. Começou na
sua própria terra o seu mandato de amor, entretanto, não foi
reconhecido na sua própria terra! Assim, ele foi para Betânia em
busca de seu amigo Lázaro, e foi através deste seu amoroso amigo
que Jesus encontrou guarida entre os judeus da sua época.
   Ao se dirigir ao Sinédrio Judaico Jesus já sabia antecipadamente
que não encontraria ali nenhum aliado, que encontraria inimigos
prontos para defender os seus interesses particulares de ganho
fácil.
                                    53
Jeane Miranda de Sousa



   Jesus observou a todos, estudou os seus espíritos profundamente.
Ele sabia de antemão o que poderia esperar de cada um deles.
Talvez por isso não se surpreendesse com nenhuma atitude vinda
destas pessoas que tramaram contra a sua vida.
   Aos poucos, o Mestre foi observando o templo do seu Pai e
ficou assustado com tudo o que viu. A casa do seu Pai estava sendo
profanados por seres físicos e espirituais em rituais de matanças
de animais em nome Daquele que era somente amor e que em
nenhuma hipótese haveria de aceitar qualquer imolação de quem
quer que fosse para somente obter favores de sua parte. Seu Pai
não era aquele que estes seres proclamavam como Deus. O Pai não
era aquele que os judeus estavam colocando como um pai severo e
destruidor, que precisasse de sacrifícios para ser aplacada a sua ira
ou para se conseguir algum benefício material ou espiritual.
   Jesus a tudo observou calado, mudo em sua expressão amorosa.
Porém espantado com tamanha desagregação provocada por um
conhecimento desarmônico a respeito Daquele que nos deu a vida.
   Jesus muito caminhou pelas ruas de Jerusalém, queria conhecer
o seu povo. Observou a tudo e a todos. Verificou que a sua missão
seria difícil. Não seria tão simples convencer aquelas pessoas que
o reino do Deus Pai somente seria plantado na Terra se todos
aprendessem a se amar mutuamente. Como iria convencer aquele
povo que já tinha dentro de si o germe da rebeldia pela dominação
imposta pelos romanos a simplesmente amar os seus inimigos, a
amar os seus semelhantes; a doar o que eles tinham; a amar o Deus
Pai acima de todas as coisas? Como poderia convencê-los de que
o seu reino não era aqui na Terra, que eles tudo podiam no reino
do Pai desde que eles se respeitassem mutuamente? Jesus tudo
percebeu em seu silêncio amoroso. Voltou para casa de seu amigo
Lázaro com o coração pesado pelo que havia visto e sentindo.
   Lázaro percebendo o seu ar de desencanto perguntou-lhe o
que aconteceu para deixá-lo tão triste. Jesus então lhe explicou que
a sua missão ia ser mais difícil do que Ele havia imaginado, que


                                   54
Anjos Decaídos: O Legado Cósmico da Humanidade Terrestre



estes seres criados pelo Pai ainda não estavam prontos para receber
um novo ensinamento no qual Ele era Preposto. Eles ainda não
estavam prontos para aceitar um Pai Amoroso e Justo, ainda não
estavam prontos para perdoar incondicionalmente!
   Jesus explicou a Lázaro a sua angustia pessoal em levar os
seus apóstolos para junto dos lobos do Sinédrio e o que isso
representaria para a vida destes seres que escolheram seguir na
missão da qual o Pai Celestial os havia investido.
   Jesus olhou para o seu amigo Lázaro e orou para que os corações
dos povos aos quais ele iria pregar os mandamentos do Pai fossem
pelo menos parecidos com o coração do seu amigo Lázaro que era
um coração bondoso e puro, pronto para aceitar o reino do Pai na
Terra.
   Jesus conversou com seus apóstolos e explicou como seria
difícil a missão de convencer aquelas almas da existência de um
Pai Amoroso e Justo.
  Jesus olhando com grande amor para um mundo espiritual que
somente Ele conseguia visualizar, assim falou:
  - Pai seja feita a tua vontade. Estou aqui para te servir, seja
sempre feita a tua vontade e não a minha.
   Assim, o Mestre espiritual de toda a humanidade começou a
sua jornada evolutiva neste planeta azul. Jesus junto com os seus
apóstolos se dirigiu para Jerusalém perto das festas comemorativas
da Páscoa, e diante de todos os judeus começou o seu mandato de
amor na Terra.




                                    55
Jeane Miranda de Sousa



O Apostolado de Jesus na Terra

   Após a escolha dos apóstolos Jesus seguiu para a Palestina na
época da Páscoa dos Judeus. Jesus efetivou a sua entrada na cidade
conforme anunciavam as antigas escrituras. Fez questão de seguir
todos os preceitos estabelecidos pelos profetas do passado para
que o povo hebreu não duvidasse que Ele fosse o messias esperado
por tantos anos.
   Jesus e seus apóstolos chegaram a Jerusalém antes da
comemoração da data festiva da Páscoa. Ele junto com seus
seguidores foram para o Sinédrio Judaico em busca daqueles que
se alvoroçavam contra Ele. O Mestre queria pregar ao seu povo
no pátio do Sinédrio Judaico para que todos pudessem ouvi-lo.
Jesus manifestou-se em toda a sua autoridade de preposto do Pai
Celestial!
   Jesus entrou na cidade conclamado pelos habitantes como
aquele messias tão esperado, o salvador daquele povo tão sofrido.
O Mestre que a tudo observava, olhava para aquele povo tão
sedento de amor, tão sedento de algo que lhe mudasse a vibração
complicada. Orou ao Pai para que este o socorresse nos momentos
que se aproximavam.
    Após as comemorações da Páscoa, Jesus e seus apóstolos foram
descansar no Monte das Oliveiras. Neste local o Mestre sabia que
iria se desenrolar o seu destino, neste pequeno jardim Jesus sabia
que sua vida física seria ceifada para que Ele alcançasse a gloria
eterna diante do Pai! Jesus esperou que todos os acontecimentos
previstos acontecessem, pedindo ao Pai que o ajudasse a suportar
o que estava por vir. Então, Jesus viu aproximar-se a legião de
soldados romanos que iriam lhe tirar do seu lugar sagrado.
   Quando aproximou-se dele o apóstolo Judas Iscariotes
beijando-lhe a face direita. O Mestre já sabedor de tudo o que
se passava, olhou ternamente para o seu apóstolo querido e lhe


                                 56
Anjos Decaídos: O Legado Cósmico da Humanidade Terrestre



desejou espiritualmente votos para que ele logo se restabelecesse
daquele equívoco que agora nesta vida cometia. Jesus sabia que
aquele homem iria passar vidas e vidas em busca de instaurar em si
mesmo toda a dor e o sofrimento do qual agora ele era o causador
Naquele que somente ofertava amor.
   Em nenhum momento Jesus teve raiva ou qualquer sentimento
de rancor por Judas. Jesus compreendia as suas motivações
principais e sabia que ele o amava acima de tudo! Sabia que Judas
achava que Ele não se deixaria prender tão facilmente e não
contava que Ele se entregasse sem levantar um dedo contra aqueles
homens que vieram prendê-Lo. Judas tinha plena convicção dos
poderes do seu Mestre e achava sinceramente que Jesus iria lutar
e chamar os outros apóstolos para se juntar a Ele na defesa da sua
vida e na revolução que traria a liberdade para o seu povo, aquele
povo que foi escolhido pelo Pai Criador deste universo para ser a
nação que guiaria o mundo!
    Judas não tinha a menor dúvida de que o seu Rabi não se
deixaria prender. Contudo, ele não contava que o seu amado
Mestre simplesmente se deixaria levar por aquela legião de
romanos, pois que certa era a sua morte. Judas quando se deparou
com a prisão do Mestre não acreditou no que estava acontecendo.
Ele não entendia porque o Mestre que possuía poderes tais
que era somente levantar um dedo e todos aqueles homens iria
desaparecer da vista de todos, como Ele podia se deixar prender
sem lutar? Como Ele havia se deixado levar sem que pedisse a
seus apóstolos que o defendesse contra aquela prisão que o levaria
certamente à morte física? Como o seu amado Senhor estava se
deixando levar tão amavelmente sem nenhuma tentativa de se ver
livre da morte certa?
   Judas não compreendia essa atitude de Jesus. Quando o levaram,
Judas ficou olhando o horizonte sem entender o que acontecia.
Então, ele simplesmente se deu conta dos ensinamentos do seu
amado Mestre e viu que havia cometido o pior dos equívocos,


                                   57
Jeane Miranda de Sousa



havia traído o seu Mestre não somente porque o entregou para
o Sinédrio Judaico, traiu o seu Mestre porque não O entendeu,
porque não conseguiu plantar no seu cérebro físico o amor do qual
o Mestre tanto lhe falava.
    Judas lembrou-se das diversas conversas que seu Mestre e
Senhor havia tido com ele. Jesus sempre o alertava para a verdadeira
compreensão da sua doutrina, Ele sempre o alertava de que o seu
reino não era deste mundo e que a sua arma era o amor que ele
espalhava para todos os seres viventes deste planeta! Judas chorou
de amargura por não ter tido a capacidade de entender as palavras
do seu Mestre amado. Como Ele o amava e agora Ele estava sendo
enviado para a morte! Judas não aguentou o peso da sua decisão,
do seu orgulho desmedido e da sua arrogância intelectual. Judas
tirou a sua própria vida para assim apagar os erros que ele havia
cometido com o seu Mestre Jesus.
   Jesus foi levado para ser julgado pelo Sinédrio Judaico.
Chegando lá encontrou-se com o seu amigo José de Arimatéia
e o mestre Nicodemos. Jesus com o seu olhar transpareceu para
aqueles homens que já sabia do seu destino e que eles nada
podiam fazer para livrá-lo disso. O Mestre diminuiu o seu poder
vibracional para que aqueles que se juntaram contra Ele pudessem
realizar os seus planos sem a sua interferência energética.
   Até no momento mais crucial do seu mandato amoroso, Jesus
respeitou a todos os filhos equivocados na postura individual de
tudo poder em nome Daquele que representa somente amor.
   Jesus foi julgado e condenado à morte na cruz. O Rabi foi
julgado pelos judeus e pelos romanos, sendo condenado por algo
que não fizera, sendo condenado somente por amar a todos de
forma incondicional e por propagar a idéia de um Pai Amoroso
e Justo.
   Jesus a tudo escutou sem interferir em nada, Ele por amor aos
seus semelhantes se submeteu às hostes do mundo. Submeteu-se
ao poder temporal em respeito a todos que aqui estão submetidos

                                  58
Anjos Decaídos: O Legado Cósmico da Humanidade Terrestre



a estas mesmas leis.
    Este grande Ser jamais usou seus poderes cósmicos para salvar
a si mesmo! Jamais utilizou seus poderes para se beneficiar da sua
posição excelsa de filho de Deus encarnado na Terra.
   Jesus foi submetido a dores atrozes, seus algozes eram cruéis!
Mas Ele nada reclamou, Ele nada fez para evitar a sua dolorosa
participação naquela Via Crucis que O levou para junto do Pai
Celestial.
   Jesus se submeteu à dor do mundo, trouxe para si todas as
marcações que aqueles filhos imprudentes estavam lançando sobre
os seus próprios espíritos. Por puro amor, Ele sequer permitiu que
aqueles que agora o maltratavam fisicamente sofressem qualquer
injunção cármica. Porém, aqueles mesmo espíritos quando
se deram conta do que havia acontecido e o que eles haviam
provocado, alguns deles, trouxeram para si o trauma consciêncial
de ter ajudado a matar Aquele que veio para ser a luz deste mundo
terreno, por ter matado o seu Mestre querido, o Senhor do Sistema
de Capela.
   Estes seres quando desencarnaram é que perceberam que
tinham cometido o pior equívoco que poderiam ter praticado,
tinha ajudado as hostes das trevas a matar o seu Mestre Jesus, o
Comandante de Orbum, O Senhor do Universo!
   Mas Jesus sabedor do drama consensual que iria estabelecer
nas suas futuras vivências físicas, no instante dos acontecimentos
já os havia perdoado! Já havia pedido ao Pai para aliviá-los nos
seus sofrimentos. Este Ser divino pensou em todos, ajudou como
pôde a todos os envolvidos na sua morte física.
   Porém, a cada um segundo as suas obras. E nem mesmo o
Mestre poderia livrá-los das suas atitudes tresloucadas diante
do universo. Mas o Pai é sempre misericordioso, e para cada um
daqueles espíritos que participou desta ignomínia humana foi
deixado um legado para que no futuro pudessem de alguma forma


                                   59
Jeane Miranda de Sousa



purgar das suas consciências o trauma por fazer sofrer aquele Ser
tão amado por todos.
    Jesus morreu para esta existência física, porém, agora Ele estava
livre do corpo que o aprisionava. Após o tempo que Ele mesmo
determinou como necessário para a sua ressurreição, Jesus voltou
para convivência dos seus futuros prepostos aqui na Terra.
  Começava um novo capítulo da história do Senhor Jesus na
Terra. O Seu corpo físico foi transmutado para um corpo de
densidade mais sutil até chegar a um dos Seus corpos cósmicos.




                                   60
Anjos Decaídos: O Legado Cósmico da Humanidade Terrestre



A Ressurreição de Jesus

   Após a crucificação do Mestre Jesus seu corpo físico foi levado
para a sepultura cedida pelo seu amigo José de Arimatéia. Jesus
foi limpo e vestido adequadamente por seus amigos que agora
tomavam conta do seu corpo físico. Após os ritos necessários da
tradição judaica, a sepultura de Jesus foi fechada com uma grande
pedra que bloqueava a entrada e a saída daquele recinto.
   Jesus assim ficou pronto para a nossa intervenção no seu
mandato de amor na Terra. Assim começava o nosso trabalho.
Com a libertação do Mestre do seu corpo físico, ele já consciente
e investido dos seus poderes cósmicos trabalhava em conjunto
conosco para a sua volta a este plano físico. Jesus nos orientou
como deveríamos proceder para que o seu corpo físico fosse
transmutado em um corpo espiritual.
    Diante de um trabalho que levaria alguns dias para ser realizado,
nós em conjunto com o Mestre, passamos a elaborar um plano de
atuação sobre as células daquele organismo morto para que Ele
voltasse novamente à vida e passasse por uma depuração dos seus
órgãos, para em seguida, voltar a viver dentro de uma natureza
mais sutil. Estávamos diante de um processo já efetivado com
Lázaro, porém com uma diferença, com Lázaro era somente fazer
com que as células do seu corpo físico voltassem a funcionar! Com
Jesus era diferente, além de fazer com que as células do corpo
físico do Mestre voltassem a funcionar, elevar a sua vibração física
para uma frequência maior para que suas células e seu organismo
passassem por uma transmutação que os deixaria mais leves, mais
sutis. Depois de passados os três dias preditos pelo Mestre para
a sua volta a este plano físico, Jesus foi imantado a este corpo
espiritual para recomeçar o seu mandato amoroso na Terra. Jesus
voltou a este mundo com uma nova vestimenta, voltou a este
mundo com uma das suas vestimentas cósmicas, era a mais leve
de todas, era a única que poderia aguentar a vibração emanada


                                     61
Livro anjos-decaidos-jeane-miranda-de-sousa
Livro anjos-decaidos-jeane-miranda-de-sousa
Livro anjos-decaidos-jeane-miranda-de-sousa
Livro anjos-decaidos-jeane-miranda-de-sousa
Livro anjos-decaidos-jeane-miranda-de-sousa
Livro anjos-decaidos-jeane-miranda-de-sousa
Livro anjos-decaidos-jeane-miranda-de-sousa
Livro anjos-decaidos-jeane-miranda-de-sousa
Livro anjos-decaidos-jeane-miranda-de-sousa
Livro anjos-decaidos-jeane-miranda-de-sousa
Livro anjos-decaidos-jeane-miranda-de-sousa
Livro anjos-decaidos-jeane-miranda-de-sousa
Livro anjos-decaidos-jeane-miranda-de-sousa
Livro anjos-decaidos-jeane-miranda-de-sousa
Livro anjos-decaidos-jeane-miranda-de-sousa
Livro anjos-decaidos-jeane-miranda-de-sousa
Livro anjos-decaidos-jeane-miranda-de-sousa
Livro anjos-decaidos-jeane-miranda-de-sousa
Livro anjos-decaidos-jeane-miranda-de-sousa
Livro anjos-decaidos-jeane-miranda-de-sousa
Livro anjos-decaidos-jeane-miranda-de-sousa
Livro anjos-decaidos-jeane-miranda-de-sousa
Livro anjos-decaidos-jeane-miranda-de-sousa
Livro anjos-decaidos-jeane-miranda-de-sousa
Livro anjos-decaidos-jeane-miranda-de-sousa
Livro anjos-decaidos-jeane-miranda-de-sousa
Livro anjos-decaidos-jeane-miranda-de-sousa
Livro anjos-decaidos-jeane-miranda-de-sousa
Livro anjos-decaidos-jeane-miranda-de-sousa
Livro anjos-decaidos-jeane-miranda-de-sousa

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

77227181 principais-graficos-utilizados-em-radiestesia
77227181 principais-graficos-utilizados-em-radiestesia77227181 principais-graficos-utilizados-em-radiestesia
77227181 principais-graficos-utilizados-em-radiestesia
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
Séptima Dimensión
Séptima DimensiónSéptima Dimensión
Séptima Dimensión
María Elena Sarmiento
 
Chakras e cores cura
Chakras e cores curaChakras e cores cura
Chakras e cores cura
Celso Almeida Simões Mota
 
Chi Kung - El Tao De La Respiracion Natural
Chi Kung - El Tao De La Respiracion NaturalChi Kung - El Tao De La Respiracion Natural
Chi Kung - El Tao De La Respiracion Natural
Curación Esotérica
 
Das evocações
Das evocaçõesDas evocações
Das evocações
home
 
1 8 chakras
1 8 chakras1 8 chakras
Quinta Dimensión
Quinta DimensiónQuinta Dimensión
Quinta Dimensión
María Elena Sarmiento
 
Manual reiki-nivel-1
Manual reiki-nivel-1Manual reiki-nivel-1
Manual reiki-nivel-1
Leandro Justino Silva
 
Cb 10 descrição do mundo espiritual e mediunidade
Cb 10   descrição do mundo espiritual e mediunidadeCb 10   descrição do mundo espiritual e mediunidade
Cb 10 descrição do mundo espiritual e mediunidade
Norberto Scavone Augusto
 
Ogum
OgumOgum
(7) os reinos de vida
(7) os reinos de vida(7) os reinos de vida
(7) os reinos de vida
Graciette Andrade
 
Mesa Radiônica Quântica
Mesa Radiônica QuânticaMesa Radiônica Quântica
Mesa Radiônica Quântica
Rodrigo Campos
 
Libro de chakras
Libro de chakrasLibro de chakras
Libro de chakras
gustavo ramirez flores
 
Eae aula 2 - o nosso planeta
Eae   aula 2 - o nosso planetaEae   aula 2 - o nosso planeta
Eae aula 2 - o nosso planeta
Roberto Rossignatti
 
A027 EAE DM - PARÁBOLAS I - USOS E COSTUMES SOCIAIS - 20200626v3
A027 EAE DM - PARÁBOLAS I - USOS E COSTUMES SOCIAIS - 20200626v3A027 EAE DM - PARÁBOLAS I - USOS E COSTUMES SOCIAIS - 20200626v3
A027 EAE DM - PARÁBOLAS I - USOS E COSTUMES SOCIAIS - 20200626v3
Daniel de Melo
 
Acupuntura + fitoterapia(1)
Acupuntura + fitoterapia(1)Acupuntura + fitoterapia(1)
Acupuntura + fitoterapia(1)
Cleverson Acup
 
La RespiracióN Mer Ka Bah
La RespiracióN Mer Ka BahLa RespiracióN Mer Ka Bah
La RespiracióN Mer Ka Bah
José Angel Alvarez Quiñones
 
Duplo Etérico
Duplo EtéricoDuplo Etérico
Duplo Etérico
Eduardo Henrique Marçal
 
El codigo biológico ADAN
El codigo biológico ADANEl codigo biológico ADAN
El codigo biológico ADAN
quepasara2012
 
(6) a matéria e os planos de existência
(6) a matéria e os planos de existência(6) a matéria e os planos de existência
(6) a matéria e os planos de existência
Graciette Andrade
 

Mais procurados (20)

77227181 principais-graficos-utilizados-em-radiestesia
77227181 principais-graficos-utilizados-em-radiestesia77227181 principais-graficos-utilizados-em-radiestesia
77227181 principais-graficos-utilizados-em-radiestesia
 
Séptima Dimensión
Séptima DimensiónSéptima Dimensión
Séptima Dimensión
 
Chakras e cores cura
Chakras e cores curaChakras e cores cura
Chakras e cores cura
 
Chi Kung - El Tao De La Respiracion Natural
Chi Kung - El Tao De La Respiracion NaturalChi Kung - El Tao De La Respiracion Natural
Chi Kung - El Tao De La Respiracion Natural
 
Das evocações
Das evocaçõesDas evocações
Das evocações
 
1 8 chakras
1 8 chakras1 8 chakras
1 8 chakras
 
Quinta Dimensión
Quinta DimensiónQuinta Dimensión
Quinta Dimensión
 
Manual reiki-nivel-1
Manual reiki-nivel-1Manual reiki-nivel-1
Manual reiki-nivel-1
 
Cb 10 descrição do mundo espiritual e mediunidade
Cb 10   descrição do mundo espiritual e mediunidadeCb 10   descrição do mundo espiritual e mediunidade
Cb 10 descrição do mundo espiritual e mediunidade
 
Ogum
OgumOgum
Ogum
 
(7) os reinos de vida
(7) os reinos de vida(7) os reinos de vida
(7) os reinos de vida
 
Mesa Radiônica Quântica
Mesa Radiônica QuânticaMesa Radiônica Quântica
Mesa Radiônica Quântica
 
Libro de chakras
Libro de chakrasLibro de chakras
Libro de chakras
 
Eae aula 2 - o nosso planeta
Eae   aula 2 - o nosso planetaEae   aula 2 - o nosso planeta
Eae aula 2 - o nosso planeta
 
A027 EAE DM - PARÁBOLAS I - USOS E COSTUMES SOCIAIS - 20200626v3
A027 EAE DM - PARÁBOLAS I - USOS E COSTUMES SOCIAIS - 20200626v3A027 EAE DM - PARÁBOLAS I - USOS E COSTUMES SOCIAIS - 20200626v3
A027 EAE DM - PARÁBOLAS I - USOS E COSTUMES SOCIAIS - 20200626v3
 
Acupuntura + fitoterapia(1)
Acupuntura + fitoterapia(1)Acupuntura + fitoterapia(1)
Acupuntura + fitoterapia(1)
 
La RespiracióN Mer Ka Bah
La RespiracióN Mer Ka BahLa RespiracióN Mer Ka Bah
La RespiracióN Mer Ka Bah
 
Duplo Etérico
Duplo EtéricoDuplo Etérico
Duplo Etérico
 
El codigo biológico ADAN
El codigo biológico ADANEl codigo biológico ADAN
El codigo biológico ADAN
 
(6) a matéria e os planos de existência
(6) a matéria e os planos de existência(6) a matéria e os planos de existência
(6) a matéria e os planos de existência
 

Destaque

Uma carta de Bezerra de Menezes (Bezerra de Menezes)
Uma carta de Bezerra de Menezes (Bezerra de Menezes)Uma carta de Bezerra de Menezes (Bezerra de Menezes)
Uma carta de Bezerra de Menezes (Bezerra de Menezes)
Darlene Cesar
 
A carta de bezerra de menezes
A carta de bezerra de menezesA carta de bezerra de menezes
A carta de bezerra de menezes
Maquinista
 
O retorno dos Nefilim
O retorno dos NefilimO retorno dos Nefilim
O retorno dos Nefilim
Efraim Ben Tzion
 
Drogas - como nascem os anjos caídos
Drogas - como nascem os anjos caídosDrogas - como nascem os anjos caídos
Drogas - como nascem os anjos caídos
Mima Badan
 
trabalho anjos caido
 trabalho anjos caido trabalho anjos caido
trabalho anjos caido
Governo do Estado de Rondonia
 
ANJOS CAÍDOS E GRAAL
ANJOS CAÍDOS E GRAALANJOS CAÍDOS E GRAAL
ANJOS CAÍDOS E GRAAL
Claudio José Ayrosa Rosière
 
Nefilins - Autor Desconhecido
Nefilins - Autor DesconhecidoNefilins - Autor Desconhecido
Nefilins - Autor Desconhecido
sergionline1
 
Nefilins-Anjos Caídos Extraterrenos
Nefilins-Anjos Caídos ExtraterrenosNefilins-Anjos Caídos Extraterrenos
Nefilins-Anjos Caídos Extraterrenos
Elaine Tomáz Nogueira
 
Criação e evolução a luz do espiritismo!
Criação e evolução a luz do espiritismo!Criação e evolução a luz do espiritismo!
Criação e evolução a luz do espiritismo!
Leonardo Pereira
 
O universo segundo a visão espírita
O universo segundo a visão espíritaO universo segundo a visão espírita
O universo segundo a visão espírita
Danilo Galvão
 

Destaque (10)

Uma carta de Bezerra de Menezes (Bezerra de Menezes)
Uma carta de Bezerra de Menezes (Bezerra de Menezes)Uma carta de Bezerra de Menezes (Bezerra de Menezes)
Uma carta de Bezerra de Menezes (Bezerra de Menezes)
 
A carta de bezerra de menezes
A carta de bezerra de menezesA carta de bezerra de menezes
A carta de bezerra de menezes
 
O retorno dos Nefilim
O retorno dos NefilimO retorno dos Nefilim
O retorno dos Nefilim
 
Drogas - como nascem os anjos caídos
Drogas - como nascem os anjos caídosDrogas - como nascem os anjos caídos
Drogas - como nascem os anjos caídos
 
trabalho anjos caido
 trabalho anjos caido trabalho anjos caido
trabalho anjos caido
 
ANJOS CAÍDOS E GRAAL
ANJOS CAÍDOS E GRAALANJOS CAÍDOS E GRAAL
ANJOS CAÍDOS E GRAAL
 
Nefilins - Autor Desconhecido
Nefilins - Autor DesconhecidoNefilins - Autor Desconhecido
Nefilins - Autor Desconhecido
 
Nefilins-Anjos Caídos Extraterrenos
Nefilins-Anjos Caídos ExtraterrenosNefilins-Anjos Caídos Extraterrenos
Nefilins-Anjos Caídos Extraterrenos
 
Criação e evolução a luz do espiritismo!
Criação e evolução a luz do espiritismo!Criação e evolução a luz do espiritismo!
Criação e evolução a luz do espiritismo!
 
O universo segundo a visão espírita
O universo segundo a visão espíritaO universo segundo a visão espírita
O universo segundo a visão espírita
 

Semelhante a Livro anjos-decaidos-jeane-miranda-de-sousa

A hora do resgate
A hora do resgateA hora do resgate
A hora do resgate
mj59lopes
 
Seminário - 52º Encontro de Evangelhização de Espíritos (Julho 2015) - Sac...
Seminário - 52º Encontro de Evangelhização de Espíritos (Julho 2015) - Sac...Seminário - 52º Encontro de Evangelhização de Espíritos (Julho 2015) - Sac...
Seminário - 52º Encontro de Evangelhização de Espíritos (Julho 2015) - Sac...
cak_sacramento
 
GEEAD_2012_01_11
GEEAD_2012_01_11GEEAD_2012_01_11
GEEAD_2012_01_11
Geead Abu Dhabi
 
Estudo do livro Roteiro lição 30
Estudo do livro Roteiro lição 30Estudo do livro Roteiro lição 30
Estudo do livro Roteiro lição 30
Candice Gunther
 
Livro dos Espíritos Q607 e ESE Cap5 item20
Livro dos Espíritos Q607 e ESE Cap5 item20Livro dos Espíritos Q607 e ESE Cap5 item20
Livro dos Espíritos Q607 e ESE Cap5 item20
Patricia Farias
 
Tablet reencarnação
Tablet  reencarnaçãoTablet  reencarnação
Tablet reencarnação
Alfredo Lopes
 
O_Processo_de_Transicao_Planetaria_Textos_Web.pdf
O_Processo_de_Transicao_Planetaria_Textos_Web.pdfO_Processo_de_Transicao_Planetaria_Textos_Web.pdf
O_Processo_de_Transicao_Planetaria_Textos_Web.pdf
VIEIRA RESENDE
 
O processo de_transicao_planetaria_textos_web
O processo de_transicao_planetaria_textos_webO processo de_transicao_planetaria_textos_web
O processo de_transicao_planetaria_textos_web
ALBPORTO
 
1 a origem csmica do homem
1  a origem csmica do homem1  a origem csmica do homem
1 a origem csmica do homem
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
1 a origem csmica do homem
1  a origem csmica do homem1  a origem csmica do homem
1 a origem csmica do homem
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
Fund1Mod07Rot3e5-[2012]guto
Fund1Mod07Rot3e5-[2012]gutoFund1Mod07Rot3e5-[2012]guto
Fund1Mod07Rot3e5-[2012]guto
Guto Ovsky
 
Estudo do livro Roteiro lição 7
Estudo do livro Roteiro lição 7Estudo do livro Roteiro lição 7
Estudo do livro Roteiro lição 7
Candice Gunther
 
21 (chico-andre luiz)missionáriosdaluz
21 (chico-andre luiz)missionáriosdaluz21 (chico-andre luiz)missionáriosdaluz
21 (chico-andre luiz)missionáriosdaluz
Ana Scampari
 
Missionarios da luz
Missionarios da luzMissionarios da luz
Missionarios da luz
Antonio SSantos
 
Profecias: A verdade Vinda do Cosmos - Nelson Moraes
Profecias: A verdade Vinda do Cosmos - Nelson MoraesProfecias: A verdade Vinda do Cosmos - Nelson Moraes
Profecias: A verdade Vinda do Cosmos - Nelson Moraes
virginia_virginiana
 
Obreiros da vida eterna
Obreiros da vida eternaObreiros da vida eterna
Obreiros da vida eterna
Antonio SSantos
 
Obreirosdavidaeterna
ObreirosdavidaeternaObreirosdavidaeterna
Obreirosdavidaeterna
Ricardo Careli
 
Depois de 2012
Depois de 2012Depois de 2012
Depois de 2012
Alfredo Lopes
 
Lilith - Universo De Lilith.pdf
Lilith - Universo De Lilith.pdfLilith - Universo De Lilith.pdf
Lilith - Universo De Lilith.pdf
ELIAS OMEGA
 
Mediunidade em tempo de transição planetária
Mediunidade em tempo de transição planetáriaMediunidade em tempo de transição planetária
Mediunidade em tempo de transição planetária
Emmanuel Sales
 

Semelhante a Livro anjos-decaidos-jeane-miranda-de-sousa (20)

A hora do resgate
A hora do resgateA hora do resgate
A hora do resgate
 
Seminário - 52º Encontro de Evangelhização de Espíritos (Julho 2015) - Sac...
Seminário - 52º Encontro de Evangelhização de Espíritos (Julho 2015) - Sac...Seminário - 52º Encontro de Evangelhização de Espíritos (Julho 2015) - Sac...
Seminário - 52º Encontro de Evangelhização de Espíritos (Julho 2015) - Sac...
 
GEEAD_2012_01_11
GEEAD_2012_01_11GEEAD_2012_01_11
GEEAD_2012_01_11
 
Estudo do livro Roteiro lição 30
Estudo do livro Roteiro lição 30Estudo do livro Roteiro lição 30
Estudo do livro Roteiro lição 30
 
Livro dos Espíritos Q607 e ESE Cap5 item20
Livro dos Espíritos Q607 e ESE Cap5 item20Livro dos Espíritos Q607 e ESE Cap5 item20
Livro dos Espíritos Q607 e ESE Cap5 item20
 
Tablet reencarnação
Tablet  reencarnaçãoTablet  reencarnação
Tablet reencarnação
 
O_Processo_de_Transicao_Planetaria_Textos_Web.pdf
O_Processo_de_Transicao_Planetaria_Textos_Web.pdfO_Processo_de_Transicao_Planetaria_Textos_Web.pdf
O_Processo_de_Transicao_Planetaria_Textos_Web.pdf
 
O processo de_transicao_planetaria_textos_web
O processo de_transicao_planetaria_textos_webO processo de_transicao_planetaria_textos_web
O processo de_transicao_planetaria_textos_web
 
1 a origem csmica do homem
1  a origem csmica do homem1  a origem csmica do homem
1 a origem csmica do homem
 
1 a origem csmica do homem
1  a origem csmica do homem1  a origem csmica do homem
1 a origem csmica do homem
 
Fund1Mod07Rot3e5-[2012]guto
Fund1Mod07Rot3e5-[2012]gutoFund1Mod07Rot3e5-[2012]guto
Fund1Mod07Rot3e5-[2012]guto
 
Estudo do livro Roteiro lição 7
Estudo do livro Roteiro lição 7Estudo do livro Roteiro lição 7
Estudo do livro Roteiro lição 7
 
21 (chico-andre luiz)missionáriosdaluz
21 (chico-andre luiz)missionáriosdaluz21 (chico-andre luiz)missionáriosdaluz
21 (chico-andre luiz)missionáriosdaluz
 
Missionarios da luz
Missionarios da luzMissionarios da luz
Missionarios da luz
 
Profecias: A verdade Vinda do Cosmos - Nelson Moraes
Profecias: A verdade Vinda do Cosmos - Nelson MoraesProfecias: A verdade Vinda do Cosmos - Nelson Moraes
Profecias: A verdade Vinda do Cosmos - Nelson Moraes
 
Obreiros da vida eterna
Obreiros da vida eternaObreiros da vida eterna
Obreiros da vida eterna
 
Obreirosdavidaeterna
ObreirosdavidaeternaObreirosdavidaeterna
Obreirosdavidaeterna
 
Depois de 2012
Depois de 2012Depois de 2012
Depois de 2012
 
Lilith - Universo De Lilith.pdf
Lilith - Universo De Lilith.pdfLilith - Universo De Lilith.pdf
Lilith - Universo De Lilith.pdf
 
Mediunidade em tempo de transição planetária
Mediunidade em tempo de transição planetáriaMediunidade em tempo de transição planetária
Mediunidade em tempo de transição planetária
 

Mais de Alessandra F. Torres

04 a doença como caminho um método para a interpretação da doença
04 a doença como caminho   um método para a interpretação da doença04 a doença como caminho   um método para a interpretação da doença
04 a doença como caminho um método para a interpretação da doença
Alessandra F. Torres
 
Helena petrovna blavastsky a doutrina secreta - volume ii
Helena petrovna blavastsky   a doutrina secreta - volume iiHelena petrovna blavastsky   a doutrina secreta - volume ii
Helena petrovna blavastsky a doutrina secreta - volume ii
Alessandra F. Torres
 
Helena petrovna blavatsky a doutrina secreta vol. i - cosmogênese(pdf)(rev)
Helena petrovna blavatsky   a doutrina secreta vol. i - cosmogênese(pdf)(rev)Helena petrovna blavatsky   a doutrina secreta vol. i - cosmogênese(pdf)(rev)
Helena petrovna blavatsky a doutrina secreta vol. i - cosmogênese(pdf)(rev)
Alessandra F. Torres
 
Gestacao alto risco
Gestacao alto riscoGestacao alto risco
Gestacao alto risco
Alessandra F. Torres
 
Estude e Viva
Estude e VivaEstude e Viva
Estude e Viva
Alessandra F. Torres
 
A grande rebeliao
A grande rebeliaoA grande rebeliao
A grande rebeliao
Alessandra F. Torres
 
Os exilados da capela
Os exilados da capelaOs exilados da capela
Os exilados da capela
Alessandra F. Torres
 
Viagem astral - O elo entre o físico e o espiritual
Viagem astral - O elo entre o físico e o espiritualViagem astral - O elo entre o físico e o espiritual
Viagem astral - O elo entre o físico e o espiritual
Alessandra F. Torres
 
Evolucão em dois Mundos
 Evolucão em dois Mundos Evolucão em dois Mundos
Evolucão em dois Mundos
Alessandra F. Torres
 
A caminho da Luz
A caminho da LuzA caminho da Luz
A caminho da Luz
Alessandra F. Torres
 
A estrutura da_alma__carl_gustav_jung
A estrutura da_alma__carl_gustav_jungA estrutura da_alma__carl_gustav_jung
A estrutura da_alma__carl_gustav_jung
Alessandra F. Torres
 
Bhagavata vahini - sai baba
Bhagavata vahini - sai babaBhagavata vahini - sai baba
Bhagavata vahini - sai baba
Alessandra F. Torres
 
Manual do dr mikao usui pdf color
Manual do dr mikao usui pdf colorManual do dr mikao usui pdf color
Manual do dr mikao usui pdf color
Alessandra F. Torres
 
Medicina Vibracional
Medicina VibracionalMedicina Vibracional
Medicina Vibracional
Alessandra F. Torres
 
Fisiologia da alma ramats
Fisiologia da alma ramatsFisiologia da alma ramats
Fisiologia da alma ramats
Alessandra F. Torres
 
Viagem espiritual ii
Viagem espiritual iiViagem espiritual ii
Viagem espiritual ii
Alessandra F. Torres
 

Mais de Alessandra F. Torres (16)

04 a doença como caminho um método para a interpretação da doença
04 a doença como caminho   um método para a interpretação da doença04 a doença como caminho   um método para a interpretação da doença
04 a doença como caminho um método para a interpretação da doença
 
Helena petrovna blavastsky a doutrina secreta - volume ii
Helena petrovna blavastsky   a doutrina secreta - volume iiHelena petrovna blavastsky   a doutrina secreta - volume ii
Helena petrovna blavastsky a doutrina secreta - volume ii
 
Helena petrovna blavatsky a doutrina secreta vol. i - cosmogênese(pdf)(rev)
Helena petrovna blavatsky   a doutrina secreta vol. i - cosmogênese(pdf)(rev)Helena petrovna blavatsky   a doutrina secreta vol. i - cosmogênese(pdf)(rev)
Helena petrovna blavatsky a doutrina secreta vol. i - cosmogênese(pdf)(rev)
 
Gestacao alto risco
Gestacao alto riscoGestacao alto risco
Gestacao alto risco
 
Estude e Viva
Estude e VivaEstude e Viva
Estude e Viva
 
A grande rebeliao
A grande rebeliaoA grande rebeliao
A grande rebeliao
 
Os exilados da capela
Os exilados da capelaOs exilados da capela
Os exilados da capela
 
Viagem astral - O elo entre o físico e o espiritual
Viagem astral - O elo entre o físico e o espiritualViagem astral - O elo entre o físico e o espiritual
Viagem astral - O elo entre o físico e o espiritual
 
Evolucão em dois Mundos
 Evolucão em dois Mundos Evolucão em dois Mundos
Evolucão em dois Mundos
 
A caminho da Luz
A caminho da LuzA caminho da Luz
A caminho da Luz
 
A estrutura da_alma__carl_gustav_jung
A estrutura da_alma__carl_gustav_jungA estrutura da_alma__carl_gustav_jung
A estrutura da_alma__carl_gustav_jung
 
Bhagavata vahini - sai baba
Bhagavata vahini - sai babaBhagavata vahini - sai baba
Bhagavata vahini - sai baba
 
Manual do dr mikao usui pdf color
Manual do dr mikao usui pdf colorManual do dr mikao usui pdf color
Manual do dr mikao usui pdf color
 
Medicina Vibracional
Medicina VibracionalMedicina Vibracional
Medicina Vibracional
 
Fisiologia da alma ramats
Fisiologia da alma ramatsFisiologia da alma ramats
Fisiologia da alma ramats
 
Viagem espiritual ii
Viagem espiritual iiViagem espiritual ii
Viagem espiritual ii
 

Livro anjos-decaidos-jeane-miranda-de-sousa

  • 1.
  • 2. Esta obra é licenciada por uma licença Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-No Derivative Works 3.0 Brasil Você tem a liberdade de: Compartilhar — copiar, distribuir e transmitir a obra. Sob as seguintes condições: Atribuição — Você deve creditar a obra da forma especificada pelo autor ou licenciante (mas não de maneira que sugira que estes concedem qualquer aval a você ou ao seu uso da obra). Uso não-comercial — Você não pode usar esta obra para fins comerciais. Vedada a criação de obras derivadas — Você não pode alterar, transformar ou criar em cima desta obra. Ficando claro que: • Renúncia — Qualquer das condições acima pode ser renunciada se você obtiver permissão do titular dos direitos autorais. • Domínio Público — Onde a obra ou qualquer de seus elementos estiver em domínio público sob o direito aplicável, esta condição não é, de maneira alguma, afetada pela licença. • Outros Direitos — Os seguintes direitos não são, de maneira alguma, afetados pela licença: - Limitações e exceções aos direitos autorais ou quaisquer usos livres aplicáveis; - Os direitos morais do autor; - Direitos que outras pessoas podem ter sobre a obra ou sobre a utilização da obra, tais como direitos de imagem ou privacidade.
  • 3. Anjos Decaídos : O Legado Cósmico da Humanidade Terrestre 1ª edição Jeane Miranda de Sousa Créditos Copyright © 2010 Jeane Miranda de Sousa Ano da Publicação: 2010 Apoio: Rogério de Almeida Freitas Capa: Luciana Lebel Projeto Gráfico: Krysamon Cavalcante PROJETO ORBUM w w w. o r b u m . o r g
  • 4. “A verdadeira liberdade está progressivamente relacionada à realidade e considera sempre a equidade social; a justiça cósmica; a fraternidade universal e as obrigações divinas. A liberdade torna-se suicida quando divorciada da justiça material; da honestidade; da paciência social; do dever moral e dos valores espirituais. A verdadeira liberdade é fruto do controle de si mesmo.” Livro de Urântia
  • 5. Sumário Prefácio Jan Val Ellam 6 Capítulo I O Início do Processo Reencarnatório 9 Processo Reencarnatório: A Visão de um Ser Cósmico 12 Processo Reencarnatório: A Visão de um Rebelado de Capela 15 Processo Reencarnatório: A Visão de um Terrícola 21 A Doutrina dos Anjos Decaídos: Revolta Luciferiana 28 Capítulo II O Sacrifício Amoroso de Jesus 36 A Concepção de Jesus 41 O Processo Encarnatório de Jesus 45 A Escolha dos Apóstolos 50 O Mandato Amoroso de Jesus 53 O Apostolado de Jesus na Terra 56 A Ressurreição de Jesus 61 Jesus Glorificado 66 Capítulo III A Segunda Vinda de Jesus à Terra 71 Que a Paz esteja Convosco 76 O Retorno do Mestre Jesus e a Convivência Fraterna com Seres Cósmicos 78 Posfácio 81 Manifesto do Projeto Orbum 90
  • 6. Prefácio Existem verdades que ainda não encontraram seu tempo para serem devidamente percebidas, delas restando somente vislumbres, para os que vivem na Terra. Necessário se faz sempre que alguém entre os “humanos da Terra” se aventure por estradas pouco conhecidas para ter acesso a novas possibilidades em torno da Verdade Maior que envolve a realidade das nossas vidas. É dito popular que quem caminha por onde todos normalmente caminham costuma chegar aonde todos chegam. Aquele, porém, que caminhar por estradas que precisam ser ainda desbravadas às vezes pode chegar onde poucos ousaram aportar. Ao longo dos últimos doze anos Jeanne Miranda vem sendo envolvida por uma “força-tarefa” composta por espíritos desencarnados e por seres extraterrenos de outras dimensões existenciais profundamente vinculados ao processo histórico que teve lugar no nosso planeta. A missão desta “força-tarefa” é a de fazer valer os desígnios do Senhor Javé, no campo da “revelação”, seja por intermédio dos seus próprios assessores – no caso, os tais seres extraterrestres de outras dimensões - ou por meio da gestão mediúnica de espíritos medianeiros, todos eles administrados pelo jugo suave do Mestre Jesus. Disso julgo estar razoavelmente informado por força da convivência tida e ainda em voga com os membros da “força- tarefa” que a envolve, porquanto pertence a alguns deles a “autoria intelectual/espiritual” de algumas das obras por mim publicadas. Junto à Jeanne, superintendendo os trabalhos da mediação mediúnica, encontra-se o incansável espírito de Rochester, responsável maior pelo processo do desabrochar espiritual da médium que lhe é tão cara. Noutra perspectiva, alguns seres tidos por angelicais – os assessores diretos do Senhor Javé – se revezam na veiculação das informações que lhe são repassadas na construção dos textos agora veiculados. Muito mais, porém, ainda haverá de vir. Nesses tempos de transição em que o oculto agora se obriga a ser revelado a esta humanidade, diversos painéis ainda estão sendo
  • 7. avaliados se serão ou não veiculados com vistas ao esclarecimento geral. Isso se dá pelo fato singular de que nem mesmo os próprios mentores espirituais sabem como os “humanos da Terra” irão direcionar os seus pensamentos perante os eventos iniciais do tão esperado e já tardio processo de reintegração da Terra ao convívio cósmico. Ainda não é certo que “algumas dessas verdades” encontrem a necessária guarida junto ao entendimento humano nos tempos em que este prefácio está sendo escrito. De todo modo, eis que os textos recebidos até o momento por meio da sua mediunidade singular já compõem um importante painel do muito que ainda virá, pois independente da nossa preparação, pelo menos um pouco do que precisa ser revelado o será inapelavelmente. O fato é que cada um dos textos agora revelados serve para o leitor como uma espécie de “chave” que tem o condão de abrir e de despertar certos compartimentos da mente espiritual que jaz subjacente ao “modo de pensar” comum ao cérebro terrestre. São assuntos e temas singulares todos vinculados às questões pontuais sagradas do progresso desta humanidade tanto sob o jugo impositivo do Senhor Javé como também sob o amoroso e suave da parte do Mestre Jesus, sendo essas as duas principais componentes que respondem pela preparação dos terráqueos para os dias que os esperam. Vezes há em que o velho conhecimento tem que morrer para que o novo possa surgir. Eis que esse tempo urge pois a “era da sabedoria” profunda e espiritualizada já nos espera e precisamos todos caminhar por esta nova estrada que amplia e espiritualiza o que adquirimos a título de conhecimento. E aqui estão as novas sementes de reflexão cósmica e espiritual produzidas pelo trabalho conjunto de algumas mentes vinculadas ao Ideal de Fraternidade Universal. Contentemo-nos, pois, com esta primeira oferta que a dedicação mediúnica de Jeanne Miranda nos oferece. Atlan, 18 de junho de 2010. J.V. Ellam
  • 9. Anjos Decaídos: O Legado Cósmico da Humanidade Terrestre O Início do Processo Reencarnatório H á muito tempo atrás, há milhares de séculos atrás, espíritos vagavam expostos a toda ordem de conjunções carnais. Espíritos encarnavam neste orbe terreno sem nenhuma orientação do plano superior que viesse determinar onde e quando aqueles espíritos que ainda não tinham tido contato com a experiência carnal pudessem, enfim, estabelecer novas formas de vivenciar a sua dolorosa escolha da sua agora vida material. Diante de tantas desgraças, diante de tantos fatos equivocados e de tantas manipulações, O Mestre Jesus, condoído com tudo o que estava acontecendo neste pequeno planeta azul, olhou com compaixão por todos os seres que estavam submetidos à existência terrena, e sendo assim, sem mais possibilidade de retornar ao convívio dos seus irmãos cósmicos sem que antes passassem por algum tipo de processo que os ajudassem a purificar as suas mentes espirituais. Diante deste quadro, o processo reencarnatório foi determinado pelas Autoridades Celestiais para que uma massa de seres equivocados nas suas escolhas pessoais pudesse um dia retornar ao convívio daqueles que lhe são caros no cosmo. A partir de certa data, os seres que estavam para se submeter ao processo encarnatório, tiveram que se adaptar, tiveram que habitar em corpos físicos que foram ofertados pelos irmãos terrícolas - sendo estes irmãos seres primitivos que foram criados pelo Pai Celestial para evoluírem na Terra. Com a chegada dos rebelados de Capela aqui na Terra e por determinação do Pai Celestial, estes seres que já possuíam um conhecimento das leis cósmicas, tinham por missão instruir e orientar os seus irmãos terrícolas na senda do progresso moral, intelectual e tecnológico. Esses espíritos se revoltaram quando souberam que teriam que habitar corpos físicos, que teriam que 9
  • 10. Jeane Miranda de Sousa se submeter às limitações que estes corpos iriam impor as suas consciências de seres cósmicos que tinham registrado em seus comportamentos, em suas atitudes e lembranças, reminiscências de uma vida ligada aos mundos superiores! Porém, ou era isto ou teriam um destino ignorado até mesmo pela Hierarquia Celestial. Diante de tão dura prova, estes espíritos aceitaram continuar a sua jornada evolutiva em corpos físicos, entretanto, a cada nova encarnação física, somado aos problemas já trazidos de seus mundos de origem, outros tipos de arquivos mais complicados foram agregados aos seus espíritos. Vidas e vidas de equívocos reinantes! Vidas e mais vidas de pensamentos, atitudes e comportamentos destruidores que em nada lembravam o que tinham sido no passado cósmico. Quanto mais vidas físicas tinham, mais se complicavam diante do universo e dos seres cósmicos! Toda sorte de loucuras esses novos seres terrestres cometiam entre si! Toda ordem de questionamentos, de comportamentos, de lutas de poder, de agressões físicas e morais que tiveram como resultante maior à permanência por mais tempo neste planeta que se tornou de expiação para tantas almas infelizes nas suas buscas de reconhecimento espiritual. Quanto sofrimento foi imposto a estes espíritos por eles mesmos! Quanto sofrimento desnecessário! Mas, assim caminha a humanidade de espíritos que foram reencarnando através dos tempos aqui na Terra. Através do sofrimento e da dor depurar o espírito! Através do reconhecimento das suas falhas, começar novos caminhos! Através de novas vidas, recomeçar, recomeçar e recomeçar novas e novas vidas até chegar à depuração final. Oh, Grande Legislador de todo o universo, quando sairemos 10
  • 11. Anjos Decaídos: O Legado Cósmico da Humanidade Terrestre deste ciclo de vidas sucessivas que agora se torna determinantes para a nossa redenção espiritual? Quando poderemos voltar a ter contato com todos os nossos irmãos que já conseguiram através da luta diária aprender a conviver bem consigo e com os seus outros irmãos aqui na Terra? Quando, Mestre Jesus, encontraremos guarida no seu augusto coração e resplandeceremos em flores de amor para com todos que ainda estão aqui congregados neste planeta azul? As respostas somente nós mesmo podemos dar. Cada um de nós é que possuí as respostas para estes questionamentos. Quem for capaz de determinar o fim das suas sucessivas encarnações aqui na Terra que se posicione agora do modo mais firme que puder. Os tempos são finais para todos aqueles que possuem dentro de si a fagulha divina do Mestre, para que possam empreender o caminho espiritual que nos levará de volta à casa do Pai: o Senhor Onipresente e Onisciente. 11
  • 12. Jeane Miranda de Sousa Processo Reencarnatório: A Visão de um Ser Cósmico Estamos vivenciando um novo tempo no qual o ser humano se descobre como um ser que veio de outros mundos, pois que, finalmente percebe que sua jornada evolutiva não se iniciou na Terra, e que a partir disso, não é somente um mero resultado do processo evolutivo das espécies deste planeta Terra. O ser humano como o conhecemos agora na época moderna, não se compara ao ser humano dos primórdios dos tempos da era terrena. Quando foi impossível evitar que os seres que aqui vieram em naves espaciais oriundos de outros planetas mais evoluídos, passassem pela encarnação física habitando inicialmente corpos bem mais primitivos, - corpos estes que se comparavam aos primatas que aqui viviam em cima das arvores, com a diferença que andavam na terra e se comunicavam entre si através de grunhidos - estes seres que se achavam plenos em características celestiais de tudo fizeram para não se submeter aos ditames das leis do processo encarnatório que movia o mundo terreno e muitos tentaram burlar esta mesmas leis que o Pai criou para que os seres primitivos deste planeta pudessem evoluir. Diante de tão dura prova, estes seres que se achavam detentores do conhecimento do cosmos, se colocaram ainda mais em situações desastrosas diante das leis que aqui imperavam. Muitos se complicaram de tal forma que conseguiram atrair para si toda ordem de desastres espirituais que os colocavam em situação difícil diante dos seus irmãos cósmicos. Muito sofrimento poderia ter sido evitado se eles tivessem aceitado de forma pacífica a determinação que os ajudaria a harmonizar as suas energias espirituais passando por um tipo de processo onde a depuração de seus corpos espirituais seria conseguida de forma mais rápida caso tivessem a humildade de 12
  • 13. Anjos Decaídos: O Legado Cósmico da Humanidade Terrestre aceitar a vontade do Pai, cumprindo com o que fora determinado para a redenção destes seres que se rebelaram contra o amor Daquele que ficou conhecido na Terra como Jesus. Estes seres não entendiam que este processo era o mais apropriado que a Hierarquia Celestial conseguiu conceber como uma forma mais rápida de purgar as marcações que estes espíritos trouxeram dos seus planetas de origem, como também as novas marcações que eles adquiriram quando chegaram à Terra empedernidos pelo orgulho intelectual e moral. Se eles tivessem aceitado a situação como ela se mostrava, se tivessem analisado a questão sem usar o fermento do orgulho de tudo saber e tudo poder teria aceitado a ajuda dos irmãos cósmicos que, na proposta amorosa de auxiliar os seus entes queridos, também tentaram acelerar a evolução dos seres terrícolas que já habitavam a Terra. Se eles não tivessem se rebelados tanto tempo contra a situação que agora se apresentava como realidade, teriam ajudado aos seus irmãos terrícolas a evoluir dentro do que foi estabelecido pelo Mestre Jesus e, quando tivessem que encarnar em seus corpos físicos, estes corpos já estariam mais evoluídos, já que a vida dos rebelados de Capela em seus corpos de origem durava várias encarnações físicas dos seres primitivos que habitavam este planeta. Contudo, eles preferiram usar do orgulho e fugir às leis que o Pai criou. Novamente tentaram fugir deles mesmos, mais uma vez não queriam se submeter à vontade Daquele que lhes concedeu a vida, mais uma vez plantavam em seus espíritos o germe da rebeldia e o da desunião, mas uma vez não conseguiram aceitar com passividade o que o Mestre colocava como missão para que pudessem sair deste estado de desagregação espiritual de forma rápida, se tivessem ajudado, mesmo que de forma mínima seus irmãos terrícolas a evoluir dentro de uma escala de progresso intelectual e moral, eles teriam plantado a semente que no futuro iria servir de redenção para os seus espíritos equivocados. 13
  • 14. Jeane Miranda de Sousa Os exilados de Capela tinham tanto orgulho do que eram que não queriam nem ouvir falar em ter que conviver com seres de tão baixa vibração espiritual. Por força das circunstâncias tiveram que encarnar em seus descendentes tiveram que conviver com as limitações de seus corpos físicos, tiveram que conviver com o seu baixo intelecto, com suas limitações morais e com toda ordem de imperfeições que estes seres ainda possuíam. Agora começava para os que se diziam rebelados de Capela, um novo jugo, uma nova forma de vivenciar a sua existência neste lindo planeta azul. 14
  • 15. Anjos Decaídos: O Legado Cósmico da Humanidade Terrestre Processo Reencarnatório: A Visão de um Rebelado de Capela Vivemos submetidos às leis cósmicas, vivemos regidos por leis que desconhecemos, pois enquanto seres espirituais encarnados esquecemos-nos destas leis que um dia regeram a nossa existência e conduta espiritual. Estamos agora submetidos às leis da encarnação física, estamos submetidos às leis que regem esta vivencia material e sendo assim, estamos tentando encontrar o elo perdido com as nossas vestimentas espirituais. Viemos de tão sublime existência, viemos de tão sublime compromisso espiritual de alavancar o crescimento de seres que foram criados pelo Pai neste planeta azul. Viemos parar aqui por força das circunstâncias que nos obrigaram a sair do nosso sistema para habitarmos este mundo longínquo onde uma raça ainda não preparada intelectualmente e nem sequer moralmente habitava este recanto do cosmo. O Pai nos enviou aqui para que pudéssemos recobrar a nossa antiga existência espiritual. Por força dos nossos equívocos escolhemos vir para este planeta na tentativa inicial de nos recompor diante das leis que regem os mundos superiores. Quando aqui chegamos, estávamos impregnados de orgulho intelectual e moral, equivocados nas nossas posturas individuais e coletivas. Não queríamos nos misturar a esta raça tão desqualificada aos nossos olhos e sentidos. Desprezávamos os terrícolas. Mas, por força das circunstâncias, tivemos que compartilhar este planeta com aqueles seres que nos causavam tanta repulsa. Nós, espíritos que aqui estávamos para alavancar o progresso desta raça, nos recusávamos a fazê-lo! Recusávamos-nos a compartilhar o nosso conhecimento e fizemos justamente o contrário, fizemos destes seres escravos dos nossos desejos. Os submetemos através do nosso poder psíquico, através do nosso conhecimento da força 15
  • 16. Jeane Miranda de Sousa da natureza e através da nossa tecnologia, a toda sorte de ordens e desatinos que complicaram ainda mais os nossos arquivos espirituais. Não compartilhávamos da idéia de que se tratava de seres humanos, víamos somente seres com características de animais e, sendo assim, nós os tratávamos como animais domésticos. Impusemos toda ordem de mudanças neste planeta azul, transformando-o no nosso quartel general onde arquitetávamos todos os nossos planos para nos tornarmos independentes Daquele que ficou no mundo conhecido como Jesus. Não o queríamos por perto! Para isso estávamos prontos para executar todos os esforços possíveis para que a Hierarquia Celestial não conseguisse vir a este orbe terreno. Fizemos toda ordem de loucuras com estes seres terrícolas. Eles nem sequer tentavam sair do nosso domínio, nos achavam deuses e nos obedeciam cegamente. Chegavam a ponto de nos prestar toda ordem de reverências. Chegávamos a pedir até sacrifícios humanos e eles acatavam as nossas ordens matando até os seus próprios filhos! Divertíamos-nos com esta situação, éramos os senhores deste planeta! Mandávamos e eles obedeciam! Alguns deles que tentaram nos desobedecer, castigávamos severamente com torturas cruéis. Eles ficavam apavorados e nenhum tinha mais coragem de nos desobedecer. Tínhamos total controle sobre eles. Assim passaram muitos anos terrestres. Desenvolvemos as nossas cidades em cima do esforço e da vida de muitos destes seres. Construímos grandes cidades até mesmo dentro do mar e obtivemos um poderio de armas nucleares para nossa defesa pessoal. Passamos posteriormente a brigar entre nossa própria espécie na tentativa desvairada de controlarmos este planeta. Queríamos controlar e mandar uns nos outros. Travamos combates intensos 16
  • 17. Anjos Decaídos: O Legado Cósmico da Humanidade Terrestre com aqueles que um dia também foram nossos amigos. Agora lutávamos para sermos os líderes de nosso próprio povo. Não sei quem estava mais louco, se nós que aqui habitávamos uma base Atlante próxima à cidade de Natal, capital do Estado do Rio Grande do Norte, ou se os nossos irmãos que estavam habitando uma base Atlante no oceano Pacífico. Travamos batalhas nucleares de grande porte. Desenvolvemos armas que atacavam esta base por baixo do oceano. Fazíamos máquinas que provocavam grandes maremotos na tentativa de destruir aquela base. Chegamos a um ponto tal que todo o planeta estava sentindo este abalo físico, estávamos destruindo o equilíbrio do planeta e sequer estávamos percebendo isto. Nossos irmãos devolviam tudo na mesma moeda. Disparavam contra nós a mesma tecnologia que nós usávamos contra eles. Estávamos em plena batalha entre as raças atlantes que viviam na Ásia e na América do Sul, quando a natureza deste planeta não suportando mais as nossas loucuras, nos condenou todos à morte física. Muitos que aqui estavam ainda tendo uma existência espiritual, que ainda não tinham passado pelas leis da encarnação física, viram sucumbir todo um sistema de vida de seres que já detinham um conhecimento tecnológico e científico. Estes seres ficaram estarrecidos diante da possibilidade de perder todo o conhecimento das leis e da vida eterna ao ficarem submetidos a estas novas regras que regem uma encarnação puramente material. Teriam que recomeçar, que aprender tudo novamente! Este povo empedernido de orgulho, agora iria nascer entre aqueles que um dia foram tão humilhados e maltratados. Iria ter que se submeter às leis da encarnação da Terra e nasceriam como filhos dos terrícolas que eles tratavam como escravos. Quanta punição para seres tão orgulhosos! As bases atlantes desapareceram sob os grandes oceanos! Não restou nenhuma delas para contar a história deste povo que veio a 17
  • 18. Jeane Miranda de Sousa este planeta em naves espaciais e que detinham um conhecimento intelectual e tecnológico. Muitos cientistas estavam fora deste planeta na tentativa de fazer contato com os nossos irmãos de nível superior, na tentativa de obter alguma cura para os desatinos que estávamos cometendo uns com os outros. Quando aqui retornaram tiveram um susto enorme! Suas cidades e seus povos não mais existiam! Tudo havia sido tragado pelo oceano! Pousaram as suas naves em terras que desconheciam. Tiveram que pedir ajuda a seres que eles desprezavam. Tiveram que se submeter, conviver e compartilhar desta vida física com os então terrícolas. Muitos tentaram ajudar a esta massa de seres que viviam de forma bruta neste planeta. Muitos conseguiram alavancar o conhecimento destes seres através dos ensinamentos siderais que eles possuíam. A partir da destruição das bases atlantes e deste povo tão orgulho, este planeta e os seres que aqui habitavam, tiveram uma grande oportunidade de crescimento intelectual. Os sobreviventes desta catástrofe sabendo que não poderiam voltar as suas origens, que teriam que habitar este mundo material e que teriam que encarnar nestes corpos físicos, trataram de tentar mudar as características destes povos que para eles se comportavam como verdadeiros animais. Eles os ensinaram a se vestir, elaboraram leis para regular as suas comunidades, melhoraram as cidades, ensinaram como se comportar e até mesmo a pensar! Mas tudo isso tinha por finalidade maior alavancar o progresso destas comunidades para que, no futuro, eles mesmos nascessem num mundo terreno melhor, num mundo mais evoluído, pois sabiam que não teriam como fugir das leis da encarnação física, que quando perdessem a energia que lhes restava, iriam desaparecer espiritualmente para reaparecerem sob a vestimenta do corpo carnal. E assim, por força das circunstâncias, estes povos terrícolas tiveram a sua sorte selada pela necessidade deste seres que 18
  • 19. Anjos Decaídos: O Legado Cósmico da Humanidade Terrestre aqui vieram de fora, que eram intelectualmente superiores, mas moralmente inferior a estes povos terrícolas que eles tanto desprezavam. Eles que eram os seres primitivos criados pelo Pai para a jornada evolutiva que um dia os levaria para os mundos superiores, se viram em volta de seres que eram deuses para eles e que agora, estavam entre eles como iguais. A encarnação destes seres que vieram do Sistema de Capela alterou toda a configuração destes povos. Os novos seres que nasciam, apesar de serem espíritos que um dia foram mais evoluídos, cresciam sem o conhecimento do que foram no passado, tinham que começar tudo de novo, tinham que novamente aprender sob uma nova ótica de desenvolvimento intelectual, alavancar o progresso desta comunidade na qual agora estavam inseridos. Que ironia para estes seres tão orgulhos! Eles que nada queriam ofertar aos seus irmãos terrícolas, agora estavam na mesma situação deles. Nasciam ignorantes do conhecimento que eles um dia detiveram numa outra forma de existir mais evoluída. Muitos que ainda estavam astralizados ficaram desesperados diante desta nova forma de existir. Ficaram procurando formas e formas de evitar encarnar em tão pesados corpos físicos. Muitos não tiveram escolha, quando perdiam as suas energias vitais, tinham que se submeter à encarnação ou então ficariam vagando pelo espaço. E existir desta forma, muitas vezes era pior do que passar pela encarnação física, já que, ciente de tudo o que fizeram, tinham que lidar com seus erros consciênciais. Por isto, muitos deles optaram por esquecer-se de tudo e vir a este mundo físico na tentativa de começar novamente para poder um dia, restabelecer o contato com o Pai Celestial. Esta vida física representa somente a possibilidade de voltarmos a existir para toda uma comunidade cósmica, de voltarmos a existir para os nossos familiares que ficaram no Sistema de Capela. Um dia voltaremos a existir para o cosmos, voltaremos a existir de forma plena para toda uma comunidade sideral que 19
  • 20. Jeane Miranda de Sousa aguarda ansiosamente pelo nosso retorno, que aguarda pela nossa convivência fraterna com aqueles que nos amam profundamente. Um dia retornaremos a nossa casa, retornaremos para o nosso planeta de origem e recomeçaremos o nosso papel cósmico que abandonamos há tanto tempo. Um dia voltaremos juntos com o nosso Mestre Jesus, a existir de forma harmoniosa com as nossas vibrações espirituais, junto daqueles que são os nossos irmãos cósmicos. Fiquem bem. Fiquem fortalecidos pelo amor Daquele que foi a luz do mundo terreno e que em breve, será novamente Aquele a iluminar a grande marcha evolutiva deste pequeno planeta azul. Até breve. 20
  • 21. Anjos Decaídos: O Legado Cósmico da Humanidade Terrestre Processo Reencarnatório: Visão de um Terrícola As almas que foram criadas pelo Pai Amantíssimo vieram do seu sopro divino, vieram do seu amor incondicional. O Pai potência maior no amar, quando nos fez, nos fez semelhante a sua imagem. Quando nos criou, criou a sua obra prima, criou uma alma pronta para galgar um patamar de evolução que um dia retornaria para Aquele que lhe concedeu a vida. Quando nascemos, nascemos primitivos. Almas que ainda não detinham qualquer conhecimento a respeito das leis cósmicas. Almas que não estavam prontas ainda para evoluírem dentro de uma escala de proporções nunca imaginadas por nós. O Pai quando nos criou, nos criou primitivos nos nossos sentimentos, nas nossas sensações e nas nossas opções. Não tínhamos reações ainda sequer parecidas com os seres que um dia vieram habitar este planeta Terra. Quando aqui chegamos, éramos seres unos com a natureza primitiva deste planeta. Éramos seres que nos comunicávamos com os reinos mineral, vegetal e animal. Não tinha diferença entre estes reinos, nos tratávamos por iguais, já que existíamos por força das circunstâncias. Não pensávamos, apenas existíamos. Depois de muitos anos terrenos, o nosso cérebro físico foi tomando uma proporção maior. Fomos crescendo também em estatura de pensamento linear. Passamos a nos comunicar através de sinais e posteriormente através de grunhidos que eram entendidos pelos nossos iguais. Não tínhamos uma organização muito definida. Estávamos prontos para formar novas estruturas de vida organizada, mas não sabíamos como fazer isso. Comportávamos- nos como animais porque não tínhamos outra visão de vida, era observando os outros animais que encontrávamos alguma forma de conseguir sobreviver neste mundo hostil. Vivíamos assim isolados de qualquer civilização ou de algum 21
  • 22. Jeane Miranda de Sousa modelo que pudesse desenvolver os nossos cérebros físicos. Ficamos à mercê dos nossos instintos mais básicos: comíamos e dormíamos, depois era somente encontrar um meio de sobreviver mais um dia. Não tínhamos inicialmente sequer uma organização familiar. Éramos nós contra toda uma natureza que nos testava ao máximo, que nos surpreendia dia após dia com sua brutalidade, testando a nossa vontade de sobreviver num mundo empedernido de violência contra a vida humana. Depois de muitas encarnações e de muitas tentativas de seres que vinham de vez em quando a este planeta na tentativa vã de nos ensinar algo que pudesse alavancar algum progresso moral e intelectual, fomos abandonados à própria sorte. Estes seres que tentavam se comunicar conosco, que vinham a este planeta e passavam tempos e tempos pesquisando a fauna e a flora da Terra, de repente sumiram! Não tivemos mais como encontrá-los por aqui. Bom, também não importava, nós sequer percebíamos a sua presença, para a grande maioria de nós era somente mais uma raça de criaturas que habitavam o planeta. Existiam várias espécies de animais que habitavam a Terra, da nossa espécie tinha várias ramificações com as quais não tínhamos qualquer contato. Apenas nos percebíamos como seres que andavam com as duas patas, pois que a grande maioria dos seres que habitavam este planeta andava sob as quatro patas. Os tempos foram passando e vimos que se nos uníssemos teríamos mais chance de sobreviver aos grandes predadores. Lutávamos juntos para conseguir o nosso alimento e para proteger as nossas crias. Agora tínhamos filhos, porém não dentro de um padrão de organização familiar que se conhece aí na Terra, eram seres que faziam parte de uma comunidade e que eram responsabilidade de todos. Muitos anos foram passando e, através de mudanças alcançadas pelo nosso próprio esforço, fomos desenvolvendo sentimentos e sensações. Procurávamos nos unir àqueles que nos entendiam 22
  • 23. Anjos Decaídos: O Legado Cósmico da Humanidade Terrestre e àqueles que provocavam um bem estar na convivência diária. Logo desenvolvemos um sentimento de família, estávamos agora ligados pelos laços afetivos e não mais pela simples sobrevivência física. Porém, quando menos esperávamos, quando ainda estávamos tentando desenvolver a nossa forma de vivenciar e perceber o mundo que habitávamos, chegaram seres em objetos que tinham asas e que podiam voar! Nós ficamos apavorados. Como seres que andavam sob os dois pés voavam? Que seres eram aqueles que tinham asas, que tinham belos corpos e que falavam uma língua que nós não compreendíamos? Eles realizavam coisas fantásticas, entretanto, não deixavam que nós nos aproximássemos deles. Eles nos tratavam como seres inferiores, não nos queriam por perto. Com o passar do tempo, aqueles seres que andavam também sob duas pernas, mas que voavam como os pássaros, vieram nos capturar em nossas moradias! Vivíamos nas grutas próximas aos vales que tinham os rios. Eles vieram aqui com uns aparelhos que nos paralisavam, que doíam quando tocavam na nossa pele. Nós ficávamos sem conseguir nos mover. Depois, eles nos colocavam em jaulas para sermos levados para as suas casas voadoras. Muitos de nós morremos de susto quando entraram nestas casas que voavam. Muitos não aguentaram aquela sensação de não poder se mexer e morreram ali mesmo. Quando chegamos ao lugar onde moravam, eles nos obrigavam a carregar grandes pedras, a derrubar árvores e a fazer tudo o que eles não queriam fazer. Obrigavam-nos a trabalhar durante horas e horas. Muitos também morreram nesta jornada. Muitos sequer conseguiram entender o que estava acontecendo. Só que quando nos recusávamos a trabalhar por puro cansaço, eles usavam aqueles objetos que machucava muito na nossa pele e que nos causava um mal estar que durava horas e horas. Quando muitos morriam, eles iam lá aos vales e traziam mais da nossa espécie. Erguemos muitas cidades para estes seres. Eles 23
  • 24. Jeane Miranda de Sousa não nos davam sequer água para beber, deixavam que muitos morressem de fome e sede. Construímos suas cidades. Depois disso eles nos deixaram em paz por algum tempo. Porém, quando as nossas tribos estavam de novo se organizando, eles vieram até nós e nos subjugaram com suas magias, e nos fizeram entender que eram deuses que descerram a este mundo para coabitar conosco, mas que precisavam constantemente de reverências e que não suportariam a nossa desobediência. Eles eram seres lindos, eram criaturas que nunca havíamos sequer imaginado que poderiam existir. Nós ficávamos fascinados pelas suas peles claras, pelos seus cabelos claros, seus olhos de cores bonitas. Olhávamos para nós mesmos e víamos como éramos diferentes destes seres. Então eles só poderiam ser o Deus do fogo e da água que caiam do céu e eles vieram habitar entre nós! Com o passar dos tempos, alguns de nós que já haviam desenvolvido o cérebro físico, percebemos que aqueles seres maltratavam demais os nossos iguais, que eles pediam mais do que poderíamos oferecer e que muitos estavam dando a vida na tentativa de agradar estes seres que nada nos davam em troca, a não ser as migalhas do que sobrava das suas mesas. Passamos a não mais nos submeter aos desmandos daqueles seres que nos agarravam em plena floresta. Muitas vezes, a nossa família estava tranqüilamente no lago e eles vinham em suas casas voadoras e levavam todos embora. Nunca mais víamos os nossos seres amados. Ficávamos então sem saber o que fazer diante de tão dura prova. O tempo passou de repente nós não éramos mais o foco de atenção daqueles seres. Eles agora viviam em grandes cidades fechadas das quais nós sequer podíamos chegar perto. Agora eles não mais precisavam de nós para erguer as suas moradias. No entanto, muitos de nós ainda desaparecíamos nas noites de lua cheia, muitos de nós ainda sumiam à luz do dia. Ficávamos 24
  • 25. Anjos Decaídos: O Legado Cósmico da Humanidade Terrestre muito assustados quando víamos aquelas casas voadoras e nos escondíamos onde fosse possível. De repente eles passaram a lutar entre a sua própria espécie. Nós nos mantínhamos afastados desta briga, pois que sequer entendíamos como eles brigavam. Porém, de repente, o planeta começou a tremer, o mar começou a subir e aquelas cidades que eram tão bonitas, afundaram no meio do mar! Ficamos apavorados com estes acontecimentos. Muitos de nós também morremos quando o mar invadiu as nossas casas. Contudo, muitos que habitavam as florestas não muito próximas do litoral, sobreviveram a este grande impacto da natureza terrena. Depois deste acontecimento, que para nós não mudava em nada nossa forma de levar a vida, alguns seres daqueles que nos capturavam estavam com suas casas voadoras paradas no meio da floresta. Agora eles tentavam falar com a gente, não mais usavam seus objetos que doíam na nossa pele. Agora eles queriam viver conosco nas nossas cavernas. Para nós aquilo foi uma grande alegria. Para nossa população, os nossos deuses finalmente tinham aceitado as nossas ofertas. Eles agora habitavam conosco e estavam nos ensinando coisas. Foi um período de grande alegria para todos. Bom, passamos um tempo de paz e alegria junto com os nossos deuses. Reorganizamos sob as suas orientações a nossa forma de viver em conjunto. Eles nos ensinaram a pescar, a construir casas de madeira, a nos vestir, a fazer o alimento cozido. Eles nos ensinaram a construir objetos que as mulheres usavam para se banhar no rio, para lavar as nossas vestes. Eles cortaram os nossos pelos, nos ensinaram a andar mais eretos, nos ensinaram uma nova forma de falar. Aprendemos a sua língua, aprendemos a falar como eles e isso foi maravilhoso para nós. Como era bom tê-los tão próximo a nós. Eles agora não mais nos maltratavam como antes. Agora eles só nos machucavam 25
  • 26. Jeane Miranda de Sousa quando nós não aprendíamos o que eles estavam ensinando. Nossos filhos, estes foram os primeiros que aprenderam com os grandes deuses a falar e eram eles que nos ensinavam! Nossas mulheres passaram a cuidar da arrumação das nossas casas que agora eram para, no máximo, quatro pessoas: um macho, uma fêmea e as crianças. Agora cuidávamos uns dos outros. As mulheres cuidavam das casas e da preparação dos alimentos. Comíamos a carne cozinhada no fogo. Preparávamos os alimentos que antes eram comidos crus, agora eram preparados em pastas cozidas para toda a comunidade. Eles nos ensinaram como preparar tecidos para que pudéssemos fabricar roupas para adornar os nossos corpos, pois antes nos cobríamos com as peles dos animais e agora tínhamos tecidos que eram mais leves para podermos correr. Embora, com a chegada dos deuses entre nós, poucos eram os que podiam caçar. Todos tinham uma função, muitos estavam atarefados com as construções das casas que agora estávamos habitando. Os nossos filhos, estes quando se tornavam homens grandes, já tinham um poder de raciocínio melhor do que o nosso. Estes deuses nos viam morrer e continuavam jovens. Nós ficávamos velhos e morríamos e eles continuavam jovens! Assim passaram muitas gerações, porém em algum tempo que não conseguimos determinar, eles também morriam. Aí era um dia de grande tristeza para toda a tribo. As futuras gerações após a descida dos deuses para a nossa convivência passaram a desenvolver-se de forma mais rápida. Muitos aprenderam rapidamente a falar, a andar ereto e a se comportar como os deuses. Muitos já nasciam com uma aparência mais próxima dos nossos deuses! A pele e os olhos destas gerações já estavam sendo melhores do que os dos seus antepassados. A cada nova geração, todos iam tendo uma aparência física melhor. Assim fomos nos desenvolvendo com a lentidão dos anos 26
  • 27. Anjos Decaídos: O Legado Cósmico da Humanidade Terrestre terrenos. Muitas e muitas vidas foram se passando para estes seres que agora formavam uma nova comunidade terrena. 27
  • 28. Jeane Miranda de Sousa A Doutrina dos Anjos Decaídos - Revolta Luciferiana Estamos muito distante da nossa verdadeira natureza espiritual. Vivemos isolados de nós mesmos, impregnados de miasmas destrutivos da nossa verdadeira natureza divina. Somos seres que detinham o conhecimento das leis eternas. Somos seres que já resplandeceram, em tempos passados, em luzes de amor e de dedicação em vibrações harmônicas para todo o universo. Éramos seres que representávamos a luz para todos os seres que ainda estavam na escala inferior do crescimento espiritual. Porém nos rebelamos contra as leis cósmicas e passamos a viver de forma irregular diante destas mesmas leis. Abrimos mão das atitudes amorosas de outrora, duvidamos da existência do Pai e nos rebelamos do domínio de nosso Mestre Espiritual Jesus. O acusamos de tentar nos esconder o Pai, duvidamos da sua expressão amorosa e passamos a enfrentá-lo de forma muitas vezes desafiadora e desrespeitosa, já que estávamos diante de um Ser que era luz pura! Não queríamos ouvir a ninguém. Quem não nos entendesse estava contra nós! Muitas famílias foram separadas diante de tantos dramas emocionais. Violentas discussões geraram desagregações de toda ordem. Passamos de todos os limites aceitáveis pela Hierarquia Celestial que tentava a todo custo nos aceitar de forma a não nos contrariar nas nossas opiniões desagregadoras. Ficamos à mercê da nossa própria arrogância intelectual, ficamos à mercê de nós mesmos! Aí começou a nossa decaída espiritual. O Mestre, diante de tantos espíritos equivocados, diante de tantas atrocidades às leis cósmicas, tentou de todas as formas possíveis que voltássemos à razão. Não conseguiu e, diante de tão sério problema, decidiu em conjunto com a Hierarquia Celestial nos isolar neste pequeno planeta azul. 28
  • 29. Anjos Decaídos: O Legado Cósmico da Humanidade Terrestre Viemos parar aqui ainda impregnados de orgulho. Viemos parar aqui ainda certos de que estávamos desempenhando um papel importante diante de todo o cosmo! Éramos os seres que se rebelaram contra uma postura espiritual imposta! Éramos espíritos que não mais aceitavam ordens de quem quer que fosse! Somente responderíamos agora a nós mesmos! O irmão Lúcifer, este, ainda tentou de todas as formas controlar este movimento. Ele em conjunto com alguns espíritos mais audaciosos e manipuladores, tentaram controlar com mão de ferro o resto das individualidades que foram arrastadas para este orbe terreno. Aqui chegando, encontramos uma população primitiva já formada. Desprezávamos tal forma de existir. Para nós, eles não passavam de simples animais com algumas características humanas, mas que ainda estavam muito longe de serem chamados de seres humanos! Tivemos que conviver com tão primitivo povo. Aproveitamos da sua incapacidade intelectual para nos servir e passamos a comandar este planeta azul. Mudamos tudo o que não gostávamos, construímos cidades com a nossa tecnologia trazida dos mundos siderais e construímos laboratórios para começarmos a manipular geneticamente esta raça de seres primitivos. Percebemos através dos tempos que eles tinham muito medo de nós, e nos aproveitamos disso para aprisioná-los e para utilizá-los como escravos. Crescemos em tecnologia e em conhecimento deste planeta. Muitos que eram cientistas no Sistema de Capela continuaram aqui desenvolvendo toda ordem de pesquisa para o desenvolvimento de novos corpos físicos, pois que, descobrimos que teríamos que brevemente ocupar corpos físicos para a nossa continuidade espiritual. Habitar aquela massa de seres que não tinham sequer uma organização e um conhecimento útil para o seu próprio crescimento era muito pior do que não mais existir! Assim, gastamos muita energia para que fosse desenvolvido algum tipo de corpo mais evoluído para que pudéssemos no futuro habitá-lo. 29
  • 30. Jeane Miranda de Sousa Desenvolvemos muitas experiências com estes corpos primitivos, fizemos mudanças genéticas de toda ordem, que muitas vezes o resultado destas experiências foram seres de aparência horripilante que na maioria das vezes nem conseguiam existir por muito tempo! E assim, os tempos foram passando! A grande maioria de nós já estava encarnada nesta população primitiva. Todos estavam agora esquecidos do que foram no passado, e agora estavam sob uma nova ordem de leis cármicas que regem as encarnações físicas neste mundo material. Alguns de nós, ainda estávamos astralizados, estávamos energeticamente fracos, mas ainda estávamos conscientes de quem éramos e porque viemos parar aqui neste planeta. Ainda estávamos preocupados em como conseguir novos corpos para podermos habitar sem passar pelo processo da reencarnação quando o nosso chefe maior, Lúcifer, desapareceu por algum tempo. Ele estava seguindo uma potencia de energia que não conseguíamos identificar. Ele passou várias semanas atrás deste Ser que somente nós que estávamos no astral é que conseguíamos visualizar que se tratava de uma entidade que não fazia parte da ordem de espíritos que se rebelaram contra aquele que na Terra ficou conhecido como Jesus Cristo. Lúcifer ficou atrás de este Ser de forma obstinada. Tentamos tirá-lo deste objetivo, mas ele se recusava a nos ouvir, e acabamos desistindo deixando que ele seguisse seu próprio rumo. Depois de algum tempo, visualizamos energias de grau superior que de tempos em tempos apareciam perto daquele ser humano que conseguia nos olhar nos olhos. Pensamos que se tratava de algum ser mandado pela espiritualidade para nos conduzir de volta ao Sistema de Capela. Preparamos-nos para lutar até o fim, mas este Ser apenas nos visualizava, mas não tentava nada contra nós. Porém, percebíamos a sua força energética, sua aura vibrava de uma forma que não conseguíamos sequer chegar perto dele! Como ele nada tentou contra nós, esquecemos dele e partimos 30
  • 31. Anjos Decaídos: O Legado Cósmico da Humanidade Terrestre em busca dos nossos interesses. Lúcifer ficou perseguindo este espírito. Tempos depois, percebemos que uma grande massa de energia se congregava num pequeno espaço da Terra. Quando chegamos para verificar o que acontecia, um Ser especial de naipe superior carregava em seus braços o nosso comandante Lúcifer desmaiado. Tentamos tirá-lo dos braços deste ser, porém ele estava muito bem protegido, sua potencialidade estava em pleno funcionamento. Havia toda uma gama de espíritos superiores que estava acompanhado-o. Assim, Lúcifer foi retirado deste planeta azul. Satã passou a ser o nosso comandante. Este tinha uma postura mais forte do que Lúcifer. Possuía ousadia e comando.Travamos sob o seu comando várias lutas contra aqueles que tentavam a todo custo nos repatriar de volta ao nosso antigo lar - o Sistema de Capela. Nós não queríamos retornar! Sabíamos que se retornássemos teríamos que arcar com as conseqüências dos nossos atos e estávamos começando a dominar este planeta azul. Sua população que já estava mais desenvolvida, agora podíamos controlá-los de forma mais segura e mais direta. Muitos estavam sobre o nosso comando, antigos companheiros respondiam às nossas ordens sobre muitos assuntos que ligavam ao poder terreno. Por que iríamos abandonar o que tão duramente foi conquistado? Por que iríamos abandonar este planeta que era nosso e que estava agora sobre o nosso comando? Entretanto, percebemos que quando aquele Ser que na terra ficou conhecido como Jesus se ausentou de forma definitiva deste planeta azul, começaram através dos seus ensinamentos focos de luz por toda a humanidade! Tivemos que combater e perseguir estes focos de luz que estavam atrapalhando a nossa jornada de dominação deste planeta. Satã, percebendo que teríamos que combater espíritos obstinados na postura da prática do bem, traçou toda uma serie de estratégias e missões para nossos companheiros 31
  • 32. Jeane Miranda de Sousa que estavam prontos para reencarnarem em papéis de autoridade nesta nova comunidade terrena. E assim foi durante muitos anos terrenos, preparávamos planos para dominar certas comunidades e éramos combatidos duramente pelos exércitos do bem! Ficamos muitas vezes desalentados diante de tantas derrotas que espíritos comandados por forças de naipe vibracionais superiores à média da Terra, impuseram a nossa equipe que tentava se infiltrar em todas as ramificações terrenas com o propósito de controlar o poder temporal do mundo que agora se formava. Nos tempos atuais perdemos o nosso segundo comandante. Satã também foi retirado deste orbe terreno. Ele também nos deixou! Passamos a ter somente focos isolados de atuação do que foi chamado na Terra de trevas! Porém, quero que fique claro que em nenhum momento o mal foi praticado somente pelo mal. Nós tínhamos um objetivo e, este objetivo é que nos fazia agir dentro das normas que nós próprios criamos para poder estabelecer o nosso reino neste planeta para o qual fomos enviados. Não queríamos voltar! Não sabíamos o que nos esperava no Sistema de Capela, não queríamos correr o risco de sermos humilhados e maltratados! Tínhamos medo de voltar e lutávamos bravamente para permanecer onde nós achávamos que era a nossa moradia final. Nós, em grande maioria, não éramos demônios como vocês compreendem na Terra. Nós apenas estávamos defendendo uma idéia de liberdade. Nós apenas estávamos defendendo um propósito que a nosso ver era válido! Em nossa grande maioria, não fazíamos o mal pelo prazer de praticar o mal, apenas optávamos de empreender todas as possíveis ações para que defendêssemos o que acreditávamos como verdade. Exageramos, nos confundimos, nos equivocamos em muitas atitudes! Mas não tínhamos uma essência maléfica, éramos somente seres equivocados nas nossas posturas coletivas e, depois, em nossas posturas individuais. 32
  • 33. Anjos Decaídos: O Legado Cósmico da Humanidade Terrestre Quando perdemos os nossos melhores líderes, cada um formou os seus próprios focos de atuação. Aí sim começou toda ordem de escândalos que até hoje ressoam por toda Terra. Aí sim, muitos seres foram se impregnando de venenos energéticos de grau maléfico que passaram a reger as suas vibrações e suas atitudes de cunho espiritual. Muitos se perderam neste processo de mudança. Muitos não puderam ser salvos de si mesmos. Infelizmente para estes seres, terão que recomeçar em outros mundos mais atrasados o que eles não conseguiram neste planeta azul. Este que vos fala, conseguiu se estabelecer dentro de um padrão vibracional tal que agora, estou servindo ao exercito do bem. Estou sob as ordens Daquele que foi a luz do mundo terreno e que agora é a luz do meu caminho individual. Passei muito tempo vagando pelos caminhos da ignorância. Perdi muito tempo nas lamentações, nas maquinações destrutivas que somente serviram para atrasar ainda mais o meu desenvolvimento. Por pura generosidade de Jesus, eu consegui vencer a mim mesmo e agora me encontro em estado de recuperação da minha consciência cósmica. Estou reaprendendo as leis que regem este universo e harmonizando a minha energia vibracional. Quanto tempo perdido! Quanto tempo em busca de nada! Eu que fui um ativista na defesa do direito de ser um rebelado, agora percebo o mal que fiz a mim mesmo e aqueles que compartilharam comigo do mesmo ideal. Venho a vocês somente para esclarecer, através de um espírito que participou ativamente deste processo chamado Revolta Luciferiana que hoje encontra-se reestruturado nas forças do Mestre Jesus, que falta pouco para que possamos todos voltarmos a conviver de forma pacífica, que falta pouco para que este planeta azul possa ser reintegrado à convivência de irmãos que estão a nossa espera a milhares de anos siderais. 33
  • 34. Jeane Miranda de Sousa Estaremos em breve de volta à comunicação com nossos amados familiares que há tanto tempo esperam o nosso retorno. Este planeta azul está preste a receber Aquele que será novamente a luz de um novo mundo! O Mestre irá retornar para auxiliar aqueles que clamam por seu socorro espiritual. Irmãos somos todos seres necessitados de ajuda fraterna. O Mestre Jesus é o nosso caminho e a nossa salvação eterna. Este é o meu recado. 34
  • 35. CAPÍTULO II
  • 36. Jeane Miranda de Sousa O Sacrifício Amoroso de Jesus N a época dos atlantes, uma raça que se achava superior teve que existir neste planeta azul. Esta raça que veio aqui habitar por misericórdia do Pai Criador, absteu-se de concretizar o que a Hierarquia Celestial havia determinado como missão para a sua redenção espiritual e se rebelaram contra a postura amorosa do Mestre Jesus! Diante das suas posturas equivocadas e por pensar que tudo podiam diante das provas que teriam que passar, acabou por determinar o seu degredo espiritual para este planeta longínquo. O Mestre de tudo tentou para que estes seres se reconstruíssem espiritualmente. Mas eles nada queriam, com nada concordavam, apenas se achavam no direito de discordar de tudo e de todos. Quando não houve mais jeito, estes seres que se declaravam rebelados de Capela vieram parar no último refúgio da rebelião que na Terra ficou conhecida como Revolta Luciferiana e, problemas de toda ordem aconteceram com a sua chegada a este planeta azul. Os seres terrícolas que aqui viviam por obra da generosidade do Pai Criador habitavam de forma harmoniosa este pequeno planeta. Viviam aqui dentro das características iniciais que o Pai lhes concedeu. Viviam em paz com a natureza e se multiplicavam conforme as leis estabelecidas pelo processo encarnatório que governava este orbe. Quando os terrícolas se depararam com esta nova população que aqui chegou em naves espaciais não compreenderam nada! Eles sequer entenderam todos os acontecimentos que agora se desenrolavam as suas vistas. O Pai Amantíssimo assistiu tudo o que aconteceu neste planeta, toda a dominação impostos por estes seres que se declaravam rebelados contra a tirania atribuída ao preposto direto do Pai: O Mestre Jesus. A Hierarquia Celestial assistiu à ignomínia que ocorreu neste planeta Terra e não acreditaram no que estes seres 36
  • 37. Anjos Decaídos: O Legado Cósmico da Humanidade Terrestre fizeram com a criação do Pai Criado. Ficaram estarrecidos com a violência a qual os terrícolas foram submetidos por seres que já detinham um conhecimento das leis que regiam o cosmos. Respeitando o livre arbítrio de todos, nada foi feito para evitar tamanho drama existencial, pois que, para todos os envolvidos os resultados seriam funestos, como o foi! Nossos irmãos que detinham o conhecimento universal da boa convivência com todos os seres que foram criados pelo Pai, agora tinham uma postura agressiva e deplorável com relação aos nossos irmãos menores da escala evolutiva que habitavam a Terra. O Mestre a tudo acompanhou. A tudo viu sem poder, até por respeito à vontade dos envolvidos, interferir de qualquer forma em tudo que estava acontecendo neste planeta azul. Foram muitas as atrocidades que o povo atlante cometeu com estes seres. Quando achávamos que eles já haviam alcançado toda sorte de desvarios, eles conseguiram nos surpreender brigando entre si para controlarem o planeta. Que sina destes seres que daqui saíram na tentativa vã de depurarem os seus espíritos! Todos agora estavam mais complicados carmicamente do que quando saíram do Sistema de Capela. Todos estavam contraindo mais débitos a partir das posturas desequilibradas que praticavam com a natureza deste planeta, com os seres que aqui habitavam e com a sua própria espécie. Não sabíamos como agir para ajudar estes seres a recobrarem as suas posturas espirituais que possuíam no Sistema de Capela. Ficávamos cada vez mais surpresos com suas posturas individuais e coletivas de rebeldia ao processo que se desenrolava na Terra. Quanto sofrimento imposto a seres terrícolas que nada tinham a purgar! Quanto sofrimento desnecessário a estes seres que ainda estavam no primeiro degrau de existência para um aprimoramento espiritual! Os seres que se diziam rebelados, de tudo fizeram para evitar a nossa interferência nas suas posturas individuais e coletivas. 37
  • 38. Jeane Miranda de Sousa Armaram-se contra nós, evitavam as nossas comunicações amorosas. Enfim, se armaram contra aqueles que simplesmente os amavam profundamente. O nosso sofrimento foi imenso diante de tanto desatino. Ficamos à mercê das escolhas destes seres que agora estavam completamente complicados diante das leis do cosmo. O Mestre compadecido por esta situação que parecia não ter fim solicitou o concurso da nossa interferência para que num futuro próximo, Ele mesmo viesse a esse planeta azul dar testemunho do seu amor fraterno por todos aqueles que um dia se voltaram contra o seu comando amoroso. O Mestre nos solicitou que procurássemos um meio Dele vir a este planeta na tentativa amorosa de mostrar a estes irmãos a verdadeira postura necessária que cada individuo teria que ter, para que pudesse novamente voltar a existir para as suas famílias espirituais. Não sabíamos como fazer para que um espírito de grande porte vibracional viesse a esse planeta de natureza física. Assim passamos tempos investigando como seria esta forma que o Mestre teria que assumir para poder existir neste mundo físico. Pesquisamos e nos deparamos com um grave problema: O Mestre se viesse neste planeta azul com toda a sua potencialidade, iria causar uma grande ordem de transtorno para este planeta, pois que os seus habitantes não suportariam a sua energia criadora e amorosa. Se Ele se diminuísse em energia, talvez Ele fosse afetado na sua condição de filho uno com o Pai. Então, a única forma seria Ele passar por uma encarnação física! Mas como isso seria possível? Como um corpo carnal poderia suportar uma energia de naipe superior? Esse era o problema que o Mestre Jesus nos deu para que resolvêssemos. A solução achada foi submeter o Mestre Jesus a um processo de diminuição vibracional até o ponto onde um corpo físico pudesse aguentar. Porém este era um processo doloroso, era um processo no 38
  • 39. Anjos Decaídos: O Legado Cósmico da Humanidade Terrestre qual um Ser que possui uma energia de naipe celestial diminuísse de tal forma a sua vibração que coubesse, energeticamente falando, numa cápsula para que fosse introduzida na célula de uma jovem mulher terrena, para que assim, o Mestre pudesse nascer para este mundo terreno. O Mestre se submeteu a este tão complexo procedimento por puro amor àquelas criaturas que agora habitavam um mundo tão primitivo, tão sedento de uma postura baseada no amor. Somente Ele com seu amor incondicional pelos seus irmãos é que poderia assumir tão grandiosa tarefa de tornar-se igual para mostrar a todos os seres encarnados e desencarnados deste orbe celestial, que era possível sim, mesmo diante de tantas dificuldades assumirem uma postura fraterna com os seus semelhantes. O Mestre nasceu para um mundo que não estava preparado para o Seu concurso amoroso. O Mestre nasceu numa época na qual as Suas palavras e os Seus gestos de amor poderiam não ser compreendidos, como não o foram! Mas Ele que ama a todos profundamente não vacilou em nenhum momento! Não vacilou diante de tão dura prova! Por amor a todos, aqui veio e se instalou neste mundo de expiação, aqui veio e deu o Seu recado amoroso. A vida terrena do Mestre não foi fácil, porém, Ele que tudo podia, se submeteu às vontades do Pai. Jesus, este Ser tão amado por todos nós se envolveu em amor devocional pelo Altíssimo e compreendendo a vontade do Pai, submeteu-se as profecias que falavam de um messias que vinha salvar o mundo dos pecados dos homens! Submeteu-se à vontade do Pai porque era Uno com Ele e à vontade do Pai era a sua, e por ser Uno com Ele, era sabedor de tudo o que envolvia a Sua existência física e de tudo que representava as Suas ações neste mundo terreno. O Mestre nos ama acima de tudo. O Mestre e o Pai nos esperam para o reencontro final. Os tempos são idos. 39
  • 40. Jeane Miranda de Sousa Irmãos, novamente o Mestre planeja o seu retorno para este orbe terreno. Novamente o Mestre se coloca à disposição daquelas almas que clamam pela sua volta, pelo seu retorno para começarem uma nova forma de existir. Contudo, agora os tempos são outros, Ele aqui virá com toda ordem de Seres Celestiais que estão investidos com os poderes do Pai Altíssimo. Ele aqui retornará em todo esplendor das suas vestes celestiais. Ele aqui voltará para marcar um novo tempo para toda a humanidade congregada neste planeta azul. Os tempos são vindouros. Ele está pronto para ser mais uma vez a luz deste mundo. Ele é capaz de fazer tudo para nos ajudar nesta jornada evolutiva de retorno aos braços do Pai Amoroso. Estejamos felizes por este grande encontro. A hora aproxima-se, honremos com a nossa gratidão a volta deste Ser de luz para um novo concurso de amor por toda a humanidade terrena. Aya Fa Yel 40
  • 41. Anjos Decaídos: O Legado Cósmico da Humanidade Terrestre A Concepção de Jesus Diante de tão inusitado pedido de Jesus, tivemos que achar uma solução para a sua futura encarnação no planeta Terra. Diante de tão audacioso passo, tivemos que perceber sob todos os pontos de vista como iríamos realizar tão grandiosa tarefa. Tivemos que aprender tudo sobre as leis do processo encarnatório que regiam este orbe. Tivemos que achar algum espírito no mínimo compatível com a vibração amorosa do Mestre Jesus. Procuramos, mais foi muito difícil achar um casal de espíritos afins que estivessem encarnados neste tempo para que abrigassem o corpo físico do Senhor Jesus. Pensamos que era melhor verificar se algum espírito de vibração harmônica estava preste a encarnar no mundo terreno, e verificamos que um espírito de suave vibração nasceria justamente na Palestina na tentativa amorosa de mostrar a este mundo uma nova forma de conceber a vida terrena. Este espírito iria nascer na polaridade feminina, e teria vibração harmônica suficiente para receber aquele que no futuro seria a luz do novo mundo. Porém, tínhamos um problema, não existia na Terra nenhum ser encarnado que tivesse a vibração adequada para que o conjunto do seu espermatozóide com o óvulo feminino pudesse ter a energia necessária para ativar a gônada feminina numa energia suficiente para que o Mestre Jesus pudesse ser imantado nesta pequena célula que iria torna-se o futuro corpo que iria abrigá-lo. Então não tivemos escolha, optamos por fazer uma inseminação artificial, tivemos que recolher esta célula feminina chamada óvulo e levamos para a espiritualidade através de um processo tecnológico que ainda é desconhecido na Terra. Mas, através desta tecnologia, tiramos sem que a escolhida terrena percebesse o seu óvulo que iria gerar uma nova vida. Levamos para os nossos laboratórios e lá concebemos o futuro corpo físico que iria abrigar 41
  • 42. Jeane Miranda de Sousa aquele que na Terra ficou conhecido como Jesus. Quando o óvulo foi fecundado, trouxemo-lo de volta e o implantamos na jovem mulher terrena. Agora precisávamos avisá-la através da sua mediunidade ímpar que ela teria um filho, que ela havia sido escolhida para um propósito maior: dar a luz Àquele que viria para salvar a todos das iniquidades cometidas, dar a luz Àquele que iria ensinar a todos que o amor era a arma maior daqueles que pretendiam implantar o reino do Deus-Pai aqui na Terra. Precisávamos achar um espírito compatível com aquela situação para que pudesse ajudar a jovem Maria a criar o seu filho Jesus. Naquela época, era comum o casamento arranjado pelas famílias. Sendo assim, aproveitamos este fato e convencemos através de sonhos a família da jovem senhora a fazer votos de comunhão entre aquela que seria a mãe terrena de Jesus e aquele que era a personificação do pai amoroso e dedicado que o Mestre precisaria ter na Terra. José era um homem velho para aquela menina, porém, Maria foi instruída por nós a aceitar este casamento com muito amor. Este espírito que na Terra ficou conhecido como José, era um espírito de superioridade espiritual para a grande média dos seres que aqui estavam encarnados. Nós passamos a orientá-lo também através dos períodos que ele usava para descansar. Eles se apaixonaram um pelo outro assim que se viram, pois ambos já se conheciam na espiritualidade. E assim a jovem Maria casou com o maduro homem José. Antes do casamento, nós enviamos um emissário para lembrar a Maria do compromisso assumido por ela para ser o veículo da chegada do Mestre Jesus. Sendo assim, Gabriel, nosso enviado apareceu a Maria lhe recordando da sua origem e da sua missão terrena. Maria sabedora da cultura na qual estava inserida teve medo de ser rejeitada por aquele que agora era dono do seu coração. Porém, por se tratar de tão belo espírito, assumiu seu destino e 42
  • 43. Anjos Decaídos: O Legado Cósmico da Humanidade Terrestre se colocou para avaliação do seu futuro marido contando toda a verdade que se manifestava no seu coração. José, a princípio ficou abismado com a situação. Mas sendo um espírito muito generoso, aceitou-a de bom grado. Acima de tudo ele era um homem religioso, era um homem que acreditava fielmente no Deus dos seus antepassados, e se Maria afirmava que havia concebido de forma não natural aquele filho, ele que amava a Deus sobre todas as coisas, a aceitaria como esposa. Estivemos no seu sono noturno. Encontramos um ser repleto de luz a nos esperar calmamente. Ele já estava resoluto da decisão que tomara, não foi preciso a nossa interferência direta. Ele quando nos viu espiritualmente, apenas nos sorriu e nos afirmou que iria tentar ser o melhor pai que pudesse para aquele Ser que viria sob os seus cuidados. Então, aconteceu o casamento de Maria e José. Agora precisávamos achar um meio de o Mestre Jesus ser imantado àquele corpo físico que já estava em plena evolução. Pensamos em várias alternativas para esta imantação, porém, somente uma deu resultado, teríamos que diminuir a vibração do Mestre Jesus até um ponto que Ele coubesse neste novo corpo que agora já estava com alguns meses de vida. Jesus foi submetido a um processo doloroso de diminuição do seu poder, Ele teria que ser encaixado em um mínimo de energia para que o corpo da jovem senhora aguentasse a sua vibração ímpar. Tivemos que construir uma cápsula para acomodar o que não poderia ser acomodado. Tivemos que construir uma cápsula para que suportasse a energia do Mestre Jesus. Depois de construída esta cápsula, através de mecanismos que não conseguiríamos descrever, o Mestre Jesus foi submetido a uma radiação que fazia com que a sua vibração energética fosse contida por alguns anos, para que com o passar dos anos terrenos, o próprio Mestre pudesse ativar pelo menos um pouco da sua vibração, para na madureza do seu corpo físico Ele pudesse potencializar toda a sua consciência 43
  • 44. Jeane Miranda de Sousa crística, pudesse então ativar em si mesmo a sua energia criadora e amorosa neste corpo físico que agora o abrigava. Assim foi feito. Nasce então o Mestre Jesus na Terra. Nasce num corpo físico Aquele que será a luz deste novo mundo que irá se formar através do seu exemplo amoroso de renuncia pessoal. Nasce para o mundo terreno Aquele que na espiritualidade é conhecido como o Mestre dos Mestres. 44
  • 45. Anjos Decaídos: O Legado Cósmico da Humanidade Terrestre O Processo Encarnatório de Jesus Após a escolha do casal que iria receber Aquele que seria a luz do novo mundo, começamos a preparar o Mestre Jesus para a jornada que Ele iria efetivar junto aos seus tão amados filhos Capelinos. Jesus colocou-se a nossa disposição para começarmos o trabalho de diminuição de sua energia para que Ele pudesse caber na cápsula que nós havíamos criado. Este processo de diminuição da sua potencialidade ocorreu de forma breve, porém era um processo que causava desconforto para aquela autoridade que por puro amor aos seus amados irmãos, deixava-se amorosamente ser manipulado energeticamente para poder caber num corpo de uma jovem mulher terrena. Seu corpo físico já estava sendo formado pelo organismo da jovem Maria. Depois de conseguido a diminuição energética do Mestre Jesus, nós o levamos para ser imantado àquele corpo que estava sendo preparado para recebê-lo. Maria nem sequer deu-se conta do que ocorria, manipulávamos o seu frágil corpo para que ele pudesse suportar tamanha energia advinda do Mestre Jesus. Apesar de termo diminuído sua energia ao máximo, Ele ainda era o Ser Supremo, Ele ainda detinha todo o seu poder natural, porém agora estava submetido às leis da encarnação física, agora estava fadado há esperar os meses que faltavam para que o seu corpo físico pudesse nascer para este mundo terreno. No período que faltava para Ele nascer fisicamente, Jesus foi se ajustando à nova energia advinda do contato dos seus pais terrenos. Eles estavam ajustando as suas energias espirituais. Maria começou a sentir a movimentação do seu bebê, porém era o Mestre que estava tentando equalizar a sua energia com o seu novo corpo físico. Quanta doçura deste Ser que se submetia por pura vontade a 45
  • 46. Jeane Miranda de Sousa ficar prisioneiro a um corpo físico para depois nascer num planeta que abrigava seres perturbados na senda do bem, quanto amor dedicado a todos os seres que aqui estavam congregados! Jesus na sua amorosidade ofertou o que de melhor possuía: o seu amor pleno por todos os seres que aqui estavam confusos na arte de amar a Deus sobre todas as coisas e amar os seus semelhantes como a si mesmos. Diante de tão sublime ato de amor, todos nós da espiritualidade ficamos nos perguntando como um Ser poderia amar tanto assim, como um Ser deste naipe poderia se submeter às leis da encarnação física? Muitos Mestres espirituais já passaram pela Terra, mas em sua grande maioria, vieram dar os seus testemunhos em toda a sua potencialidade espiritual. A grande maioria que aqui se materializaram, vieram em suas formas gloriosas, se materializaram em suas vestes celestiais. Jesus quando optou por nascer neste mundo através do processo encarnatório normal pelo qual todos tinham que passar, optou por isto para que pudesse compreender através da vida material, o que os seus irmãos sentiam diante de tão dura prova ao perderem as suas consciências cósmicas e ficarem submetidos a um cérebro físico que nada sabia sobre as leis do Deus Pai e sobre o cosmo. Ele passou por todo este processo para mostrar a todos que era possível passar por esta encarnação física e despertar em si mesmo a luz que existe em cada alma criada pelo Pai Celestial. Ele aqui veio, como cada um dos espíritos criados pelo Pai Amantíssimo vieram. Ele viveu seu nascimento terreno dentro dos padrões estabelecidos pela sua época cultural, Ele viveu e foi educado com a ótica do meio no qual estava inserido. Ele não se recusou a passar por nenhum momento da vida terrena que qualquer um poderia passar. Ele se deixou guiar inicialmente pelos seus pais terrenos, Ele aprendeu tudo o que era necessário para que sua encarnação fosse a mais normal entre todas as que 46
  • 47. Anjos Decaídos: O Legado Cósmico da Humanidade Terrestre ocorriam com frequência neste planeta azul. Jesus não teve qualquer outro privilégio a não ser a escolha dos pais que iriam abrigá-lo durante os anos que passaria na Terra. A não ser isto a nada de especial teve direito o filho de Deus quando aqui esteve. Todos nós sabíamos que Ele havia deixado determinado que não poderia haver interferência de qualquer ordem na sua educação ou na sua missão terrena. Ele quis dar o seu testemunho ao mundo dos encarnados, mas para isso optou por passar pelas mesmas dificuldades, sentir as mesmas angustias que normalmente um ser humano passa na sua luta diária pela vida. Jesus não teve de imediato a lembrança de quem era a nível cósmico. Ele viveu uma infância normal como qualquer outra criança, Ele sequer sabia que o acompanhávamos constantemente. Os seus canais espirituais estavam todos fechados na sua primeira infância. Com o passar dos anos terrestres, seu cérebro físico já estava quase pronto para suportar algum conhecimento dos seus poderes que se manifestavam com mais ousadia, mesmo diante da sua ignorância ao fato de como os possuía. Ele não entendia como podia mover as coisas do lugar com o seu simples pensamento, como podia se comunicar com os animais e de como conseguia liderar os outros meninos nas brincadeiras infantis. Ele se divertia com os seus poderes, para Ele era apenas mais uma brincadeira. Porém seus pais começaram a perceber que seu filho primogênito tinha poderes especiais e começaram a orientá-lo para que não os usasse na frente de todos e, aquilo passou a ser um segredo da família de Jesus. E assim o menino Jesus crescia, mas também crescia o despertar dos seus sentidos cósmicos. Ele chegou à adolescência e ficamos preocupados como Ele iria controlar os seus poderes magnéticos. Maria sempre atenta às mudanças do filho ficava vigiando-o constantemente. Ela o orientava na medida do possível para que não usasse os seus poderes na frente de estranhos. Porém, aquela 47
  • 48. Jeane Miranda de Sousa mulher via neste pequeno jovem o que ele poderia se tornar para o seu povo que há muito ansiava por se libertar do jugo do domínio dos Romanos. Jesus crescia amadurecendo o seu corpo e seu cérebro físico. Neste momento é que Ele passou a despertar com mais consciência os seus poderes místicos. Em companhia de José de Arimatéia, seu grande amigo e aliado, vivenciou momentos de grande elucidação intelectual. Conheceu várias outras terras, conheceu outras formas de vivenciar as experiências terrenas e novas formas de ver e sentir o Pai Celestial. Andou durante muito tempo e conheceu varias filosofias de vida e de religiões através das caravanas de José de Arimatéia. Quando retornou para a Palestina já era sabedor do que se passava no seu íntimo. Já entendia que havia um propósito para esta sua encarnação física, e a partir deste momento, nós passamos a andar mais junto do nosso Amoroso Rabi. Ele percebia a nossa presença, só que ainda não tinha conhecimento suficiente para entender do que se travava e do que representávamos naquela oportunidade. O Mestre foi aos poucos despertando em si mesmo todo o conhecimento que Ele detinha na sua potencialidade superior. Ele foi despertando em si mesmo todo o seu potencial de filho Uno com o Pai, mas isso levou algum tempo da sua maioridade espiritual e Ele já estava na fase adulta da sua vida terrena. Agora Ele tinha recursos intelectuais suficientes para poder entender o que se passava no plano onde somente Ele enxergava. Agora Ele podia visualizar através da sua mente desperta o pano de fundo que envolvia a sua vida terrena. Ele começou a perceber o que se passava diante dos seus olhos e que ninguém mais podia ver a não ser Ele mesmo. Jesus, este Grande Ser, foi grande na Terra porque despertou em si mesmo a sua condição excelsa de Filho Uno com o Criador deste universo e de todos os universos que existem na seara do Pai 48
  • 49. Anjos Decaídos: O Legado Cósmico da Humanidade Terrestre Onipresente e Onisciente. Assim começou a jornada evolutiva deste Ser que em poucos anos terrenos foi capaz de acender em si mesmo a sua luz divina. Foi capaz de trazer para este planeta o seu conhecimento cósmico. Foi capaz de armazenar no seu pequeno cérebro físico terreno um conhecimento universal das leis que regem este planeta e os outros planetas habitados do cosmo. Começava a preparação para este Ser dar o seu testemunho. Começava o momento do Mestre se mostrar dentro das suas características divinas para esta gama de espíritos endurecidos na arte de amar. Começava a escolha daqueles que iriam auxiliar o Mestre na sua jornada de amor por este planeta azul. 49
  • 50. Jeane Miranda de Sousa A Escolha dos Apóstolos Quando o Mestre começou a pregar o seu futuro evangelho precisou ter próximos a si irmãos espirituais que se propuseram ainda na espiritualidade a ajudá-lo nesta fase da sua missão. Muitos espíritos que trabalhavam com Jesus no Sistema de Orbum e, que fizeram parte da Rebelião Luciferiana, encarnaram neste planeta, para no momento em que O Mestre tomasse consciência da sua missão, os recrutassem, para em conjunto com Ele começarem a plantar a nova doutrina de amor que iria ser semeada na Terra. Estes seres vieram aqui com a missão sublime de ajudar aquele espírito de magnitude maior a plantar à semente do amor em cada coração humano, no entanto, muitos deles sequer o reconheceram! Jesus passou muito tempo a observar a todos eles. Em cada viagem que realizava, Ele saía a procurar os seus futuros ajudantes, Ele buscava entre aqueles que estavam encarnados próximos a Nazaré, para que no futuro que estava a se mostrar, poderem efetivar a missão que eles se propuseram. O Mestre tinha por objetivo observar a todos estes seres em seu secreto, para assim agir nesta escolha com mais segurança. Passa- se o tempo e o Mestre já têm no seu íntimo as suas escolhas, já possui informações suficientes para preparar na espiritualidade aqueles que ficariam conhecidos na Terra como os apóstolos de Jesus Cristo. Jesus sondou o espírito de cada um deles. O Mestre sabia com quem estava lidando, o que cada um era capaz de doar e de receber. Jesus sabia das limitações intelectuais de muitos deles, sabia que não poderia contar com os seus entendimentos para o que estava preste a ocorrer. Contudo, Ele sabia que todos iriam ser movidos principalmente pela fé que cada um tinha de forma muito autêntica nos seus corações terrenos, e Ele sabia da capacidade 50
  • 51. Anjos Decaídos: O Legado Cósmico da Humanidade Terrestre daqueles homens em amá-lo! Jesus sabia que eles poderiam crescer espiritualmente após a sua morte física, Ele sabia que todos iriam traçar os seus objetivos de vida a partir da culminância da sua morte, que todos iriam se tornar os seus prepostos aqui na Terra. Aquele que ficou na Terra conhecido como Judas Iscariotes era o mais intelectual de todos. Este havia tido a oportunidade de estudar no Sinédrio Judaico e detinha um grande conhecimento sobre as leis que regem este mundo material. Judas era o de todos o mais preparado para ajudar Jesus! Este estava mais desenvolvido para entender o verdadeiro caminho que esta doutrina teria que tomar. Porém, Jesus também sabia do seu orgulho intelectual, sabia da sua arrogância de conhecimento e que ele queria acima de tudo uma Judéia livre da dominação Romana. Porém, o Mestre apostou na capacidade de Judas de compreender os seus ensinamentos a respeito do amor. Jesus esperava que Judas conseguisse trazer para o seu entendimento terreno o seu conhecimento espiritual para que este lhe servisse de base nas posturas que o mundo material iria lhe exigir. Jesus observou cada um dos seus futuros apóstolos e cada um deles tinha uma particularidade que o Mestre procurou estudar a fundo. Todos tinham como mérito a proposta individual de ajudar a divulgar o novo conhecimento pelo mundo. O Mestre se afligia diante das provas que estes homens teriam que passar. Diante das duras dores que eles teriam que enfrentar na divulgação desta doutrina que falava de amor. Jesus pensava em como livrá-los do sofrimento físico, de como aliviá-los diante das imposições e violências físicas as quais os homens iriam submetê- los para testar o seu amor pelo seu Mestre. Jesus se preocupou profundamente com os seus apóstolos. Com cada um deles conversou na espiritualidade na tentativa de esclarecer aqueles espíritos do que ia acontecer na vida física. 51
  • 52. Jeane Miranda de Sousa Pediu para que cada um tivesse cautela em aceitar tamanha prova de amor, mas que acima de tudo, todos estavam livres para recusar a proposta de serem os divulgadores desta nova doutrina. Jesus afirmava que entendia que o que Ele estava pedindo era muito duro, que entenderia se eles se recusassem a passar por tamanho sofrimento que iriam enfrentar na Terra por amor a todos os irmãos que estavam encarnados neste planeta querido. Jesus endereçou os seus melhores votos para todos. Porém, nenhum deles recusou este concurso de amor, nenhum deles se recusou a ajudar o seu Mestre nesta missão que o Pai Celestial propôs a cada um deles. Espiritualmente, todos mantinham suas boas intenções na implantação do reino de amor aqui na Terra. Jesus então passou a recrutar cada um deles para a sua jornada evolutiva na fixação mental dos seres humanos a respeito do amor, do amor que salvaria a todos e que daria uma nova direção a este planeta azul. 52
  • 53. Anjos Decaídos: O Legado Cósmico da Humanidade Terrestre O Mandato Amoroso de Jesus na Terra Depois da escolha dos seus apóstolos, O Mestre começou o seu mandato de amor no planeta Terra. Jesus começou junto com seus irmãos espirituais a divulgar a doutrina de amor que iria acender novamente nos corações humanos o amor pelo seu semelhante e, principalmente pelo Pai Celestial. Jesus começou a sua doutrina de amor pelo rio Jordão, começou a pregar após o seu batismo pelo seu irmão espiritual João Batista. Ao se encontrar com João Batista, Jesus acendeu em si mesmo a sua unicidade com o Pai, acendeu em si mesmo todos os seus conhecimentos adquiridos através da jornada evolutiva até chegar a ser o Preposto do Pai neste planeta azul. Jesus sob as Hostes Celestiais foi banhado de luz cósmica, foi banhado para começar o seu percurso amoroso para o engrandecimento desta humanidade que agora se constituía neste orbe terreno. Após a sua peregrinação pelo deserto e após a escolha dos seus apóstolos, Jesus começou a sua pregação amorosa. Finalmente, na idade madura física, Aquele que ficou na Terra conhecido como Jesus de Nazaré, o Filho do Homem, começou a sua jornada evolutiva para engrandecer este mundo como uma nova luz a resplandecer por todo este planeta até então desgovernado e sem rumo. Jesus começou a sua pregação pela Palestina. Começou na sua própria terra o seu mandato de amor, entretanto, não foi reconhecido na sua própria terra! Assim, ele foi para Betânia em busca de seu amigo Lázaro, e foi através deste seu amoroso amigo que Jesus encontrou guarida entre os judeus da sua época. Ao se dirigir ao Sinédrio Judaico Jesus já sabia antecipadamente que não encontraria ali nenhum aliado, que encontraria inimigos prontos para defender os seus interesses particulares de ganho fácil. 53
  • 54. Jeane Miranda de Sousa Jesus observou a todos, estudou os seus espíritos profundamente. Ele sabia de antemão o que poderia esperar de cada um deles. Talvez por isso não se surpreendesse com nenhuma atitude vinda destas pessoas que tramaram contra a sua vida. Aos poucos, o Mestre foi observando o templo do seu Pai e ficou assustado com tudo o que viu. A casa do seu Pai estava sendo profanados por seres físicos e espirituais em rituais de matanças de animais em nome Daquele que era somente amor e que em nenhuma hipótese haveria de aceitar qualquer imolação de quem quer que fosse para somente obter favores de sua parte. Seu Pai não era aquele que estes seres proclamavam como Deus. O Pai não era aquele que os judeus estavam colocando como um pai severo e destruidor, que precisasse de sacrifícios para ser aplacada a sua ira ou para se conseguir algum benefício material ou espiritual. Jesus a tudo observou calado, mudo em sua expressão amorosa. Porém espantado com tamanha desagregação provocada por um conhecimento desarmônico a respeito Daquele que nos deu a vida. Jesus muito caminhou pelas ruas de Jerusalém, queria conhecer o seu povo. Observou a tudo e a todos. Verificou que a sua missão seria difícil. Não seria tão simples convencer aquelas pessoas que o reino do Deus Pai somente seria plantado na Terra se todos aprendessem a se amar mutuamente. Como iria convencer aquele povo que já tinha dentro de si o germe da rebeldia pela dominação imposta pelos romanos a simplesmente amar os seus inimigos, a amar os seus semelhantes; a doar o que eles tinham; a amar o Deus Pai acima de todas as coisas? Como poderia convencê-los de que o seu reino não era aqui na Terra, que eles tudo podiam no reino do Pai desde que eles se respeitassem mutuamente? Jesus tudo percebeu em seu silêncio amoroso. Voltou para casa de seu amigo Lázaro com o coração pesado pelo que havia visto e sentindo. Lázaro percebendo o seu ar de desencanto perguntou-lhe o que aconteceu para deixá-lo tão triste. Jesus então lhe explicou que a sua missão ia ser mais difícil do que Ele havia imaginado, que 54
  • 55. Anjos Decaídos: O Legado Cósmico da Humanidade Terrestre estes seres criados pelo Pai ainda não estavam prontos para receber um novo ensinamento no qual Ele era Preposto. Eles ainda não estavam prontos para aceitar um Pai Amoroso e Justo, ainda não estavam prontos para perdoar incondicionalmente! Jesus explicou a Lázaro a sua angustia pessoal em levar os seus apóstolos para junto dos lobos do Sinédrio e o que isso representaria para a vida destes seres que escolheram seguir na missão da qual o Pai Celestial os havia investido. Jesus olhou para o seu amigo Lázaro e orou para que os corações dos povos aos quais ele iria pregar os mandamentos do Pai fossem pelo menos parecidos com o coração do seu amigo Lázaro que era um coração bondoso e puro, pronto para aceitar o reino do Pai na Terra. Jesus conversou com seus apóstolos e explicou como seria difícil a missão de convencer aquelas almas da existência de um Pai Amoroso e Justo. Jesus olhando com grande amor para um mundo espiritual que somente Ele conseguia visualizar, assim falou: - Pai seja feita a tua vontade. Estou aqui para te servir, seja sempre feita a tua vontade e não a minha. Assim, o Mestre espiritual de toda a humanidade começou a sua jornada evolutiva neste planeta azul. Jesus junto com os seus apóstolos se dirigiu para Jerusalém perto das festas comemorativas da Páscoa, e diante de todos os judeus começou o seu mandato de amor na Terra. 55
  • 56. Jeane Miranda de Sousa O Apostolado de Jesus na Terra Após a escolha dos apóstolos Jesus seguiu para a Palestina na época da Páscoa dos Judeus. Jesus efetivou a sua entrada na cidade conforme anunciavam as antigas escrituras. Fez questão de seguir todos os preceitos estabelecidos pelos profetas do passado para que o povo hebreu não duvidasse que Ele fosse o messias esperado por tantos anos. Jesus e seus apóstolos chegaram a Jerusalém antes da comemoração da data festiva da Páscoa. Ele junto com seus seguidores foram para o Sinédrio Judaico em busca daqueles que se alvoroçavam contra Ele. O Mestre queria pregar ao seu povo no pátio do Sinédrio Judaico para que todos pudessem ouvi-lo. Jesus manifestou-se em toda a sua autoridade de preposto do Pai Celestial! Jesus entrou na cidade conclamado pelos habitantes como aquele messias tão esperado, o salvador daquele povo tão sofrido. O Mestre que a tudo observava, olhava para aquele povo tão sedento de amor, tão sedento de algo que lhe mudasse a vibração complicada. Orou ao Pai para que este o socorresse nos momentos que se aproximavam. Após as comemorações da Páscoa, Jesus e seus apóstolos foram descansar no Monte das Oliveiras. Neste local o Mestre sabia que iria se desenrolar o seu destino, neste pequeno jardim Jesus sabia que sua vida física seria ceifada para que Ele alcançasse a gloria eterna diante do Pai! Jesus esperou que todos os acontecimentos previstos acontecessem, pedindo ao Pai que o ajudasse a suportar o que estava por vir. Então, Jesus viu aproximar-se a legião de soldados romanos que iriam lhe tirar do seu lugar sagrado. Quando aproximou-se dele o apóstolo Judas Iscariotes beijando-lhe a face direita. O Mestre já sabedor de tudo o que se passava, olhou ternamente para o seu apóstolo querido e lhe 56
  • 57. Anjos Decaídos: O Legado Cósmico da Humanidade Terrestre desejou espiritualmente votos para que ele logo se restabelecesse daquele equívoco que agora nesta vida cometia. Jesus sabia que aquele homem iria passar vidas e vidas em busca de instaurar em si mesmo toda a dor e o sofrimento do qual agora ele era o causador Naquele que somente ofertava amor. Em nenhum momento Jesus teve raiva ou qualquer sentimento de rancor por Judas. Jesus compreendia as suas motivações principais e sabia que ele o amava acima de tudo! Sabia que Judas achava que Ele não se deixaria prender tão facilmente e não contava que Ele se entregasse sem levantar um dedo contra aqueles homens que vieram prendê-Lo. Judas tinha plena convicção dos poderes do seu Mestre e achava sinceramente que Jesus iria lutar e chamar os outros apóstolos para se juntar a Ele na defesa da sua vida e na revolução que traria a liberdade para o seu povo, aquele povo que foi escolhido pelo Pai Criador deste universo para ser a nação que guiaria o mundo! Judas não tinha a menor dúvida de que o seu Rabi não se deixaria prender. Contudo, ele não contava que o seu amado Mestre simplesmente se deixaria levar por aquela legião de romanos, pois que certa era a sua morte. Judas quando se deparou com a prisão do Mestre não acreditou no que estava acontecendo. Ele não entendia porque o Mestre que possuía poderes tais que era somente levantar um dedo e todos aqueles homens iria desaparecer da vista de todos, como Ele podia se deixar prender sem lutar? Como Ele havia se deixado levar sem que pedisse a seus apóstolos que o defendesse contra aquela prisão que o levaria certamente à morte física? Como o seu amado Senhor estava se deixando levar tão amavelmente sem nenhuma tentativa de se ver livre da morte certa? Judas não compreendia essa atitude de Jesus. Quando o levaram, Judas ficou olhando o horizonte sem entender o que acontecia. Então, ele simplesmente se deu conta dos ensinamentos do seu amado Mestre e viu que havia cometido o pior dos equívocos, 57
  • 58. Jeane Miranda de Sousa havia traído o seu Mestre não somente porque o entregou para o Sinédrio Judaico, traiu o seu Mestre porque não O entendeu, porque não conseguiu plantar no seu cérebro físico o amor do qual o Mestre tanto lhe falava. Judas lembrou-se das diversas conversas que seu Mestre e Senhor havia tido com ele. Jesus sempre o alertava para a verdadeira compreensão da sua doutrina, Ele sempre o alertava de que o seu reino não era deste mundo e que a sua arma era o amor que ele espalhava para todos os seres viventes deste planeta! Judas chorou de amargura por não ter tido a capacidade de entender as palavras do seu Mestre amado. Como Ele o amava e agora Ele estava sendo enviado para a morte! Judas não aguentou o peso da sua decisão, do seu orgulho desmedido e da sua arrogância intelectual. Judas tirou a sua própria vida para assim apagar os erros que ele havia cometido com o seu Mestre Jesus. Jesus foi levado para ser julgado pelo Sinédrio Judaico. Chegando lá encontrou-se com o seu amigo José de Arimatéia e o mestre Nicodemos. Jesus com o seu olhar transpareceu para aqueles homens que já sabia do seu destino e que eles nada podiam fazer para livrá-lo disso. O Mestre diminuiu o seu poder vibracional para que aqueles que se juntaram contra Ele pudessem realizar os seus planos sem a sua interferência energética. Até no momento mais crucial do seu mandato amoroso, Jesus respeitou a todos os filhos equivocados na postura individual de tudo poder em nome Daquele que representa somente amor. Jesus foi julgado e condenado à morte na cruz. O Rabi foi julgado pelos judeus e pelos romanos, sendo condenado por algo que não fizera, sendo condenado somente por amar a todos de forma incondicional e por propagar a idéia de um Pai Amoroso e Justo. Jesus a tudo escutou sem interferir em nada, Ele por amor aos seus semelhantes se submeteu às hostes do mundo. Submeteu-se ao poder temporal em respeito a todos que aqui estão submetidos 58
  • 59. Anjos Decaídos: O Legado Cósmico da Humanidade Terrestre a estas mesmas leis. Este grande Ser jamais usou seus poderes cósmicos para salvar a si mesmo! Jamais utilizou seus poderes para se beneficiar da sua posição excelsa de filho de Deus encarnado na Terra. Jesus foi submetido a dores atrozes, seus algozes eram cruéis! Mas Ele nada reclamou, Ele nada fez para evitar a sua dolorosa participação naquela Via Crucis que O levou para junto do Pai Celestial. Jesus se submeteu à dor do mundo, trouxe para si todas as marcações que aqueles filhos imprudentes estavam lançando sobre os seus próprios espíritos. Por puro amor, Ele sequer permitiu que aqueles que agora o maltratavam fisicamente sofressem qualquer injunção cármica. Porém, aqueles mesmo espíritos quando se deram conta do que havia acontecido e o que eles haviam provocado, alguns deles, trouxeram para si o trauma consciêncial de ter ajudado a matar Aquele que veio para ser a luz deste mundo terreno, por ter matado o seu Mestre querido, o Senhor do Sistema de Capela. Estes seres quando desencarnaram é que perceberam que tinham cometido o pior equívoco que poderiam ter praticado, tinha ajudado as hostes das trevas a matar o seu Mestre Jesus, o Comandante de Orbum, O Senhor do Universo! Mas Jesus sabedor do drama consensual que iria estabelecer nas suas futuras vivências físicas, no instante dos acontecimentos já os havia perdoado! Já havia pedido ao Pai para aliviá-los nos seus sofrimentos. Este Ser divino pensou em todos, ajudou como pôde a todos os envolvidos na sua morte física. Porém, a cada um segundo as suas obras. E nem mesmo o Mestre poderia livrá-los das suas atitudes tresloucadas diante do universo. Mas o Pai é sempre misericordioso, e para cada um daqueles espíritos que participou desta ignomínia humana foi deixado um legado para que no futuro pudessem de alguma forma 59
  • 60. Jeane Miranda de Sousa purgar das suas consciências o trauma por fazer sofrer aquele Ser tão amado por todos. Jesus morreu para esta existência física, porém, agora Ele estava livre do corpo que o aprisionava. Após o tempo que Ele mesmo determinou como necessário para a sua ressurreição, Jesus voltou para convivência dos seus futuros prepostos aqui na Terra. Começava um novo capítulo da história do Senhor Jesus na Terra. O Seu corpo físico foi transmutado para um corpo de densidade mais sutil até chegar a um dos Seus corpos cósmicos. 60
  • 61. Anjos Decaídos: O Legado Cósmico da Humanidade Terrestre A Ressurreição de Jesus Após a crucificação do Mestre Jesus seu corpo físico foi levado para a sepultura cedida pelo seu amigo José de Arimatéia. Jesus foi limpo e vestido adequadamente por seus amigos que agora tomavam conta do seu corpo físico. Após os ritos necessários da tradição judaica, a sepultura de Jesus foi fechada com uma grande pedra que bloqueava a entrada e a saída daquele recinto. Jesus assim ficou pronto para a nossa intervenção no seu mandato de amor na Terra. Assim começava o nosso trabalho. Com a libertação do Mestre do seu corpo físico, ele já consciente e investido dos seus poderes cósmicos trabalhava em conjunto conosco para a sua volta a este plano físico. Jesus nos orientou como deveríamos proceder para que o seu corpo físico fosse transmutado em um corpo espiritual. Diante de um trabalho que levaria alguns dias para ser realizado, nós em conjunto com o Mestre, passamos a elaborar um plano de atuação sobre as células daquele organismo morto para que Ele voltasse novamente à vida e passasse por uma depuração dos seus órgãos, para em seguida, voltar a viver dentro de uma natureza mais sutil. Estávamos diante de um processo já efetivado com Lázaro, porém com uma diferença, com Lázaro era somente fazer com que as células do seu corpo físico voltassem a funcionar! Com Jesus era diferente, além de fazer com que as células do corpo físico do Mestre voltassem a funcionar, elevar a sua vibração física para uma frequência maior para que suas células e seu organismo passassem por uma transmutação que os deixaria mais leves, mais sutis. Depois de passados os três dias preditos pelo Mestre para a sua volta a este plano físico, Jesus foi imantado a este corpo espiritual para recomeçar o seu mandato amoroso na Terra. Jesus voltou a este mundo com uma nova vestimenta, voltou a este mundo com uma das suas vestimentas cósmicas, era a mais leve de todas, era a única que poderia aguentar a vibração emanada 61