SlideShare uma empresa Scribd logo
Posso tudo posso naquele que me fortalece
Nada e ninguém no mundo vai me fazer desistir
Quero, tudo quero, sem medo entregar meus projetos
Deixar-me guiar nos caminhos que Deus desejou para
mim
E ali estar
Vou perseguir tudo aquilo que Deus já escolheu pra
mim
Vou persistir, e mesmo nas marcas daquela dor
Do que ficou, vou me lembrar
E realizar o sonho mais lindo que Deus sonhou
Em meu lugar estar à espera de um novo que vai
chegar
Vou persistir, continuar a esperar e crer
E mesmo quando a visão se turva e o coração só chora
Mas na alma, há certeza da vitória
Eu vou sofrendo
Mas seguindo enquanto tantos não
entendem
Vou cantando minha história,
profetizando
Que eu posso, tudo posso em Jesus
3 PASSOS PARA FAZER CRESCER O DOM DE FORTALEZA
O dom de Fortaleza é o dom do Espírito que nos
torna capazes de assumir com coragem as lutas
necessárias para uma vida santa. Ele vem
acompanhado de coragem, para enfrentar sem
medo os ideais grandes que Deus nos apresenta, e
paciência, para aceitar com firmeza as
contrariedades, incompreensões e perseguições. O
martírio é o máximo grau de fortaleza cristã. Vinde
Espírito Santo, fortaleza de Deus, força na nossa
fraqueza! “Sem o vosso poder divino, nada há de
bom no homem, nada há que seja puro”.
Veja alguns pontos para fazer crescer este dom precioso na
alma.
1- Agarrar-se a um forte ideal
Só pode ser forte aquele que tem um ideal igualmente forte.
Sem isso, qualquer motivo que se apresente será bastante para
adiar aquele propósito santo, a luta contra algum pecado, o
crescimento na graça. Uma vida sem ideal é triste, facilmente se
decompõe e afunda na moleza. O Amor é o grande ideal cristão.
“Quem conhece Cristo, quem se enamorou dele e dele fez seu
ideal, entende por experiência estas palavras do Cântico dos
Cânticos: O amor é forte como a morte…, suas chamas são
chamas de fogo, labaredas divinas. Águas torrenciais não
puderam extinguir o amor (Ct 8,6-7).”
2- Ter vida de Oração
A grande fonte da Fortaleza cristã é a
confiança total em Deus. Porque Tu és, ó
Deus, a minha fortaleza (Sl 42 [43],2). A
primazia da graça, a oração cheia de fé e
constância é o alimento deste dom na alma
do cristão.
3- Persistir no esforço contínuo
Se queremos crescer neste dom, primeiro precisamos
nos abrir à graça de Deus. Mas ele exige de nós uma
resposta firme. Sacrifício, mortificação concreta da
moleza e de outras fraquezas. Para obter a fortaleza de
Deus, é preciso que nós nos esforcemos sinceramente,
com generosidade, em colaborar, tomando a nossa
cruz, como Cristo nos pede: nosso sacrifício diário,
voluntário, corajoso e simples.
ALGUNS QUESTIONAMENTOS QUE PODEM NOS
AJUDAR A AVALIAR NOSSA ABERTURA A ESTE
DOM:
Vivo aberto a grandes ideais, mesmo que me
veja fraco, porque tenho a consciência de que
Deus não chamou ninguém à mediocridade,
mas à santidade?
 Já tenho alguma experiência da força que o
amor, sobretudo o amor a Deus, pode infundir à
vida, transformando uma pessoa amorfa em
alguém dinâmico, esforçado, criativo e
generoso?
 Percebo que serei fraco na medida em que for
egoísta. Mesmo na vida espiritual cristã, se só
cuido de eu ser melhor, mas não me “dou”, não me
“entrego” ao serviço dos demais, muitas das
minhas virtudes serão mais aparentes que reais?
 Confio em Deus? Lembro-me de que Cristo insistiu
na necessidade da oração, para recebermos as
graças de que necessitamos, e nos mandou pedir
com humildade e perseverança, confiando
plenamente em nosso Pai Deus?
Peço a fortaleza que me falta, ao mesmo
tempo em que me esforço por conquistá-la?
Fico pessimista ao ver as minhas
dificuldades e fracassos? Compreendo que,
se perseverar na oração e no esforço,
poderei dizer como São Paulo: “Tudo posso
naquele que me dá força”?
 Sou generoso nas mortificações necessárias
para ir desgastando, vencendo aos poucos as
minhas fraquezas? Compreendo que, neste
ponto, a constância, a “perseverança sempre
retomada com esforço” de que fala o
Catecismo, é fundamental?
Dou valor às mortificações pequenas, que
tanto ajudam a temperar, a fortalecer o
caráter, por exemplo: ser pontual,
especialmente na hora de levantar e nos
horários de trabalho e de estudo; ser
equilibrado e sóbrio na comida e na bebida, e
também ser controlado no uso de aparelhos
eletrônicos; esforçar-me por evitar “o ar de
cansado” ou de “aborrecido”, etc?
Desprezei sacrifícios pequenos (como
ter detalhes amáveis com os outros,
prestar pequenos serviços, cuidar
melhor as coisas materiais), com a
desculpa e que “não têm importância”,
quando na realidade, não era questão
de importância, mas de moleza?
Pe. Francisco Faus
Também nós temos de “combater o bom combate”
(2 Tm 2,6) para alcançar a coroa eterna. Vivemos
num mundo cheio de perigos e tentações, bem
como de um relativismo moral e religioso, que é
contrário às verdades eternas. A alma acha-se
constantemente envolta nas tempestades de
paixões revoltadas. Maus exemplos estão em toda
parte e as inclinações do coração são sempre
dirigidas para o mal. Resistir a tudo isso requer
força de vontade, combate resoluto sem tréguas.
As provações nos fortalecem para o combate espiritual;
por isso Deus as permite, os apóstolos sempre
estimularam os fiéis a enfrentá-las com coragem. São
Pedro diz: “Caríssimos, não vos perturbeis no fogo da
provação, como se vos acontecesse alguma coisa
extraordinária. Pelo contrário, alegrai-vos em ser
participantes dos sofrimentos de Cristo” (1 Pe 4,12).
Ensinando-nos que essas dificuldades nos levarão à
perfeição: “O Deus de toda graça, que vos chamou em
Cristo à sua eterna glória, depois que tiverdes padecido
um pouco, vos aperfeiçoará, vos tornará inabaláveis, vós
fortificará” (1 Pe 5,10).
O mesmo apóstolo ensina-nos que a provação nos
aperfeiçoará e nos tornará inabaláveis. É importante
não se deixar perturbar no fogo da provação. Não se
exasperar, não perder a paz e a calma, pois é
exatamente isso que o tentador deseja. O remédio
da fé contra tudo isso é a humilde aceitação da
vontade de Deus no exato momento em que algo
desagradável nos ocorre, dando, de imediato, glória
a Deus, como São Paulo ensina: “Em todas as
circunstâncias, dai graças, pois esta é a vontade de
Deus em Cristo Jesus” (1 Tes 5,16).
É preciso fazer esse grande e difícil exercício de dar
glória a Deus na adversidade. Nesses momentos,
gosto de glorificar a Deus, rezar muitas vezes o
“Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo”, até que
minha alma se acalme e se abandone aos cuidados
do Senhor. Essa atitude muito agrada ao Senhor,
pois é a expressão da fé pura de quem se abandona
aos Seus cuidados. É como a fé de Maria e de
Abraão que “esperaram contra toda a esperança”
(cf. Hb11,17-19), e assim, agradaram a Deus
sobremaneira.
Mas não temos forças humanas para isso;
então, o Espírito Santo nos socorre com o dom
da fortaleza. Roguemos a Deus para que esse
dom seja nosso companheiro inseparável, para
que possamos testemunhar nosso amor ao
Senhor por palavras e obras. Assim, viveremos
na fé e pela fé, certos de que seremos felizes
aqui e na eternidade.
Felipe Aquino
Não, não há!
Não, não há!
Não há mal que me possa
vencer
Não, não há!
Não, não há!
Não há mal que me possa
vencer
Pois tudo posso naquele
que me fortalece
Tudo posso em Jesus Cristo
Pois tudo posso naquele
que me fortalece
Tudo posso em Jesus Cristo
Nenhum problema, nem meus pecados
Poderão superar o amor de Deus
Nenhum problema, nem meus pecados
Poderão superar o amor de Deus
Deus é maior que tudo que me acontece
Deus é grande supremo rei!
Deus é maior que tudo que me acontece
Deus é grande supremo rei!
Nem a tristeza nem mesmo a dor
Poderá superar o amor de Deus
Nem a tristeza nem mesmo a dor
Poderá superar o amor de Deus
Deus é maior que tudo que me acontece
Deus é grande supremo Rei!
Deus é maior que tudo que me acontece
Deus é grande supremo Rei!
Nem a vingança nem mesmo o ódio
Poderá superar o amor de Deus
Nem a vingança nem mesmo o ódio
Poderá superar o amor de Deus
Deus é maior que tudo que me acontece
Deus é grande supremo Rei!
Deus é maior que tudo que me acontece
Deus é grande supremo Rei!
Não é preciso pensar que o dom da fortaleza seja
necessário somente em algumas ocasiões, ou em
situações particulares. Este dom deve constituir um pano
de fundo do nosso ser cristão, na ordinariedade da nossa
vida cotidiana. Como disse, em todos os dias da vida
cotidiana devemos ser fortes, temos necessidade desta
fortaleza, para levar adiante a nossa vida, a nossa família,
a nossa fé. O apóstolo Paulo disse uma frase que nos fará
bem ouvir: “Tudo posso naquele que me fortalece” (Fil 4,
13). Quando enfrentamos a vida ordinária, quando vêm
as dificuldades, recordemos isto: “Tudo posso naquele
que me fortalece”. O Senhor nos dá a força, sempre, não
a deixa faltar. O Senhor não nos dá uma prova maior do
que podemos tolerar. Ele está sempre conosco. “Tudo
posso naquele me fortalece”.
Queridos amigos, às vezes podemos ser tentados a
nos deixar levar pela preguiça ou, pior, pelo
desânimo, sobretudo diante dos cansaços e das
provações da vida. Nestes casos, não vamos
desanimar, invoquemos o Espírito Santo para que,
com o dom da fortaleza, possa aliviar o nosso
coração e comunicar nova força e entusiasmo na
nossa vida e no nosso seguimento a Jesus”.
Vaticano, 14 Mai. 14 / 11:15 am (ACI).- Na Catequese
desta quarta-feira, 14 de maio, o Papa falou sobre o
dom da Fortaleza.
Oração pedindo o Dom da Fortaleza
Padre Reginaldo Manzotti
“Oh! Divino Dom da Fortaleza, reveste-me
de saúde no corpo e na alma, para a missão
de discípulos de Jesus, a qual fui chamado
pelo batismo.
Nesta missão de lutar pelos valores de
Cristo, fazei-me firme e perseverante até o
fim.
Na tua fortaleza, que eu me refugie.
Da tua fortaleza, que eu avance.
Pela tua fortaleza, que eu lute.
Com tua fortaleza, que eu persevere.
Amém! “

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A história de samuel
A história de samuelA história de samuel
A história de samuel
Marcia Willemann
 
Lição 5: Mulheres na Bíblia Miriã e eu
Lição 5: Mulheres na Bíblia Miriã e euLição 5: Mulheres na Bíblia Miriã e eu
Lição 5: Mulheres na Bíblia Miriã e eu
Igreja Adventista do Sétimo Dia
 
PRINCÍPIOS DE OBEDIÊNCIA E SUBMISSÃO
PRINCÍPIOS DE OBEDIÊNCIA E SUBMISSÃOPRINCÍPIOS DE OBEDIÊNCIA E SUBMISSÃO
PRINCÍPIOS DE OBEDIÊNCIA E SUBMISSÃO
MINISTERIO IPCA.
 
Plano de aula infantil vigiai e orai
Plano de aula infantil   vigiai e oraiPlano de aula infantil   vigiai e orai
Plano de aula infantil vigiai e orai
Pastor Marcello Rocha
 
Coaching Education
Coaching EducationCoaching Education
Coaching Education
Marcelo Schumacher
 
Deus é o Oleiro Nós o Barro
Deus é o Oleiro Nós o BarroDeus é o Oleiro Nós o Barro
Deus é o Oleiro Nós o Barro
Carlos Oliveira
 
O Jovem Rico
O Jovem RicoO Jovem Rico
O Jovem Rico
Leone Orlando
 
8 pilares para uma vida extraordinária - ebook
8 pilares para uma vida extraordinária - ebook8 pilares para uma vida extraordinária - ebook
8 pilares para uma vida extraordinária - ebook
Priscila Stuani
 
Presentation forever
Presentation foreverPresentation forever
Presentation forever
Dorra Flp
 
46 O bom Samaritano / 46 the good samaritan portuguese
46 O bom Samaritano / 46 the good samaritan portuguese46 O bom Samaritano / 46 the good samaritan portuguese
46 O bom Samaritano / 46 the good samaritan portuguese
Ping Ponga
 
Portfólio de Projetos
Portfólio de ProjetosPortfólio de Projetos
Portfólio de Projetos
pauloprojetonat
 
Sugestões nomes de grupos Evangélicos.¹
Sugestões nomes de grupos Evangélicos.¹Sugestões nomes de grupos Evangélicos.¹
Sugestões nomes de grupos Evangélicos.¹
Joemille Leal
 
Lidando com as áreas escuras da liderança
Lidando com as áreas escuras da liderançaLidando com as áreas escuras da liderança
Lidando com as áreas escuras da liderança
Robson Santana
 
Fitclub 24 Wellness evaluation
Fitclub 24 Wellness evaluation Fitclub 24 Wellness evaluation
Fitclub 24 Wellness evaluation
Jenn Doan
 
Atividade Hebreus - Pequenos (meninos)
Atividade Hebreus - Pequenos (meninos)Atividade Hebreus - Pequenos (meninos)
Atividade Hebreus - Pequenos (meninos)
Escolinha Iigd Cascavel
 
13 Josué assume o comando / 13 joshua takes charge portuguese
13 Josué assume o comando / 13 joshua takes charge portuguese13 Josué assume o comando / 13 joshua takes charge portuguese
13 Josué assume o comando / 13 joshua takes charge portuguese
Ping Ponga
 
Mesmo no deserto Deus não nos abandona (Êxodo 17.1-7)
Mesmo no deserto Deus não nos abandona (Êxodo 17.1-7)Mesmo no deserto Deus não nos abandona (Êxodo 17.1-7)
Mesmo no deserto Deus não nos abandona (Êxodo 17.1-7)
Paulo Dias Nogueira
 
Liderança
LiderançaLiderança
Liderança
mauricio souza
 
A Modestia
A ModestiaA Modestia
Fé e conversão Querigma das cores
Fé e conversão Querigma das coresFé e conversão Querigma das cores
Fé e conversão Querigma das cores
Rogerio Souza
 

Mais procurados (20)

A história de samuel
A história de samuelA história de samuel
A história de samuel
 
Lição 5: Mulheres na Bíblia Miriã e eu
Lição 5: Mulheres na Bíblia Miriã e euLição 5: Mulheres na Bíblia Miriã e eu
Lição 5: Mulheres na Bíblia Miriã e eu
 
PRINCÍPIOS DE OBEDIÊNCIA E SUBMISSÃO
PRINCÍPIOS DE OBEDIÊNCIA E SUBMISSÃOPRINCÍPIOS DE OBEDIÊNCIA E SUBMISSÃO
PRINCÍPIOS DE OBEDIÊNCIA E SUBMISSÃO
 
Plano de aula infantil vigiai e orai
Plano de aula infantil   vigiai e oraiPlano de aula infantil   vigiai e orai
Plano de aula infantil vigiai e orai
 
Coaching Education
Coaching EducationCoaching Education
Coaching Education
 
Deus é o Oleiro Nós o Barro
Deus é o Oleiro Nós o BarroDeus é o Oleiro Nós o Barro
Deus é o Oleiro Nós o Barro
 
O Jovem Rico
O Jovem RicoO Jovem Rico
O Jovem Rico
 
8 pilares para uma vida extraordinária - ebook
8 pilares para uma vida extraordinária - ebook8 pilares para uma vida extraordinária - ebook
8 pilares para uma vida extraordinária - ebook
 
Presentation forever
Presentation foreverPresentation forever
Presentation forever
 
46 O bom Samaritano / 46 the good samaritan portuguese
46 O bom Samaritano / 46 the good samaritan portuguese46 O bom Samaritano / 46 the good samaritan portuguese
46 O bom Samaritano / 46 the good samaritan portuguese
 
Portfólio de Projetos
Portfólio de ProjetosPortfólio de Projetos
Portfólio de Projetos
 
Sugestões nomes de grupos Evangélicos.¹
Sugestões nomes de grupos Evangélicos.¹Sugestões nomes de grupos Evangélicos.¹
Sugestões nomes de grupos Evangélicos.¹
 
Lidando com as áreas escuras da liderança
Lidando com as áreas escuras da liderançaLidando com as áreas escuras da liderança
Lidando com as áreas escuras da liderança
 
Fitclub 24 Wellness evaluation
Fitclub 24 Wellness evaluation Fitclub 24 Wellness evaluation
Fitclub 24 Wellness evaluation
 
Atividade Hebreus - Pequenos (meninos)
Atividade Hebreus - Pequenos (meninos)Atividade Hebreus - Pequenos (meninos)
Atividade Hebreus - Pequenos (meninos)
 
13 Josué assume o comando / 13 joshua takes charge portuguese
13 Josué assume o comando / 13 joshua takes charge portuguese13 Josué assume o comando / 13 joshua takes charge portuguese
13 Josué assume o comando / 13 joshua takes charge portuguese
 
Mesmo no deserto Deus não nos abandona (Êxodo 17.1-7)
Mesmo no deserto Deus não nos abandona (Êxodo 17.1-7)Mesmo no deserto Deus não nos abandona (Êxodo 17.1-7)
Mesmo no deserto Deus não nos abandona (Êxodo 17.1-7)
 
Liderança
LiderançaLiderança
Liderança
 
A Modestia
A ModestiaA Modestia
A Modestia
 
Fé e conversão Querigma das cores
Fé e conversão Querigma das coresFé e conversão Querigma das cores
Fé e conversão Querigma das cores
 

Semelhante a Fortaleza e coragem

Cinco coisas que_o_cristao_nao_pode_esquecer
Cinco coisas que_o_cristao_nao_pode_esquecerCinco coisas que_o_cristao_nao_pode_esquecer
Cinco coisas que_o_cristao_nao_pode_esquecer
Eliel Pimenta Pimenta
 
Alimento bíblico semanal 32“o segredo para a vitória” parte 2 persistência na...
Alimento bíblico semanal 32“o segredo para a vitória” parte 2 persistência na...Alimento bíblico semanal 32“o segredo para a vitória” parte 2 persistência na...
Alimento bíblico semanal 32“o segredo para a vitória” parte 2 persistência na...
Instituto Teológico Gamaliel
 
A armadura de deus 7
A armadura de deus 7A armadura de deus 7
A armadura de deus 7
Antonio Proclamai Santos
 
O Cristo consolador
O Cristo consoladorO Cristo consolador
O Cristo consolador
Helio Cruz
 
12 mentiras
12 mentiras12 mentiras
As batalhas espirituais finais - parte 7
As batalhas espirituais finais  -  parte 7As batalhas espirituais finais  -  parte 7
As batalhas espirituais finais - parte 7
Silvio Dutra
 
Ante a tempestade
Ante a tempestadeAnte a tempestade
Ante a tempestade
Helio Cruz
 
A oração e prisão de jesus no getsêmani, por joão calvino
A oração e prisão de jesus no getsêmani, por joão calvinoA oração e prisão de jesus no getsêmani, por joão calvino
A oração e prisão de jesus no getsêmani, por joão calvino
Deusdete Soares
 
JORMIi - jornal missionário nº 82
JORMIi  - jornal missionário nº 82JORMIi  - jornal missionário nº 82
JORMIi - jornal missionário nº 82
Almir Rodrigues
 
Jormi - Jornal Missionário n° 84
Jormi -  Jornal Missionário n° 84Jormi -  Jornal Missionário n° 84
Jormi - Jornal Missionário n° 84
Almir Rodrigues
 
TentaçãO
TentaçãOTentaçãO
Estudo sobre o fruto do espírito
Estudo sobre o fruto do espíritoEstudo sobre o fruto do espírito
Estudo sobre o fruto do espírito
Reginaldo Pacheco
 
Jornal Missionário n° 104
Jornal Missionário n° 104Jornal Missionário n° 104
Jornal Missionário n° 104
Almir Rodrigues
 
08. sentimento cristão
08. sentimento cristão08. sentimento cristão
08. sentimento cristão
pohlos
 
Esboço : Vejamos agora
Esboço : Vejamos agoraEsboço : Vejamos agora
Esboço : Vejamos agora
HB SERVIÇOS
 
vencendo a depressão
vencendo a depressãovencendo a depressão
vencendo a depressão
Rômulo Martins
 
ordem culto 14.04 congregação batista Boas Novas - maceió al
ordem culto 14.04 congregação batista Boas Novas - maceió alordem culto 14.04 congregação batista Boas Novas - maceió al
ordem culto 14.04 congregação batista Boas Novas - maceió al
Juliana Diniz
 
Vida cheia do esirito santo.pub
Vida cheia do esirito santo.pubVida cheia do esirito santo.pub
Vida cheia do esirito santo.pub
Edilson Jose Barbosa Barbosa
 
Livro de Orações Diárias
Livro de Orações DiáriasLivro de Orações Diárias
Livro de Orações Diárias
Wilson Correia Júnior
 
Paul yonggi cho soluções para os problemas da vida
Paul yonggi cho   soluções para os problemas da vidaPaul yonggi cho   soluções para os problemas da vida
Paul yonggi cho soluções para os problemas da vida
Enaldo Ribeiro
 

Semelhante a Fortaleza e coragem (20)

Cinco coisas que_o_cristao_nao_pode_esquecer
Cinco coisas que_o_cristao_nao_pode_esquecerCinco coisas que_o_cristao_nao_pode_esquecer
Cinco coisas que_o_cristao_nao_pode_esquecer
 
Alimento bíblico semanal 32“o segredo para a vitória” parte 2 persistência na...
Alimento bíblico semanal 32“o segredo para a vitória” parte 2 persistência na...Alimento bíblico semanal 32“o segredo para a vitória” parte 2 persistência na...
Alimento bíblico semanal 32“o segredo para a vitória” parte 2 persistência na...
 
A armadura de deus 7
A armadura de deus 7A armadura de deus 7
A armadura de deus 7
 
O Cristo consolador
O Cristo consoladorO Cristo consolador
O Cristo consolador
 
12 mentiras
12 mentiras12 mentiras
12 mentiras
 
As batalhas espirituais finais - parte 7
As batalhas espirituais finais  -  parte 7As batalhas espirituais finais  -  parte 7
As batalhas espirituais finais - parte 7
 
Ante a tempestade
Ante a tempestadeAnte a tempestade
Ante a tempestade
 
A oração e prisão de jesus no getsêmani, por joão calvino
A oração e prisão de jesus no getsêmani, por joão calvinoA oração e prisão de jesus no getsêmani, por joão calvino
A oração e prisão de jesus no getsêmani, por joão calvino
 
JORMIi - jornal missionário nº 82
JORMIi  - jornal missionário nº 82JORMIi  - jornal missionário nº 82
JORMIi - jornal missionário nº 82
 
Jormi - Jornal Missionário n° 84
Jormi -  Jornal Missionário n° 84Jormi -  Jornal Missionário n° 84
Jormi - Jornal Missionário n° 84
 
TentaçãO
TentaçãOTentaçãO
TentaçãO
 
Estudo sobre o fruto do espírito
Estudo sobre o fruto do espíritoEstudo sobre o fruto do espírito
Estudo sobre o fruto do espírito
 
Jornal Missionário n° 104
Jornal Missionário n° 104Jornal Missionário n° 104
Jornal Missionário n° 104
 
08. sentimento cristão
08. sentimento cristão08. sentimento cristão
08. sentimento cristão
 
Esboço : Vejamos agora
Esboço : Vejamos agoraEsboço : Vejamos agora
Esboço : Vejamos agora
 
vencendo a depressão
vencendo a depressãovencendo a depressão
vencendo a depressão
 
ordem culto 14.04 congregação batista Boas Novas - maceió al
ordem culto 14.04 congregação batista Boas Novas - maceió alordem culto 14.04 congregação batista Boas Novas - maceió al
ordem culto 14.04 congregação batista Boas Novas - maceió al
 
Vida cheia do esirito santo.pub
Vida cheia do esirito santo.pubVida cheia do esirito santo.pub
Vida cheia do esirito santo.pub
 
Livro de Orações Diárias
Livro de Orações DiáriasLivro de Orações Diárias
Livro de Orações Diárias
 
Paul yonggi cho soluções para os problemas da vida
Paul yonggi cho   soluções para os problemas da vidaPaul yonggi cho   soluções para os problemas da vida
Paul yonggi cho soluções para os problemas da vida
 

Mais de Liana Plentz

CONFIAR A DEUS O NOSSO SER
CONFIAR A DEUS O NOSSO SERCONFIAR A DEUS O NOSSO SER
CONFIAR A DEUS O NOSSO SER
Liana Plentz
 
TEMOR DE DEUS
TEMOR DE DEUSTEMOR DE DEUS
TEMOR DE DEUS
Liana Plentz
 
PARÓQUIA E INICIAÇÃO À VIDA CRISTÃ DE INSPIRAÇÃO CATECUMENAL
PARÓQUIA E INICIAÇÃO À VIDA CRISTÃ DE INSPIRAÇÃO CATECUMENALPARÓQUIA E INICIAÇÃO À VIDA CRISTÃ DE INSPIRAÇÃO CATECUMENAL
PARÓQUIA E INICIAÇÃO À VIDA CRISTÃ DE INSPIRAÇÃO CATECUMENAL
Liana Plentz
 
Orientações para a animação bíblica da pastoral (3)
Orientações para a animação bíblica da pastoral (3)Orientações para a animação bíblica da pastoral (3)
Orientações para a animação bíblica da pastoral (3)
Liana Plentz
 
À Luz da fé - lumen fidei
À Luz da fé - lumen fideiÀ Luz da fé - lumen fidei
À Luz da fé - lumen fidei
Liana Plentz
 
Palavra de Deus, fonte da catequese
Palavra de Deus, fonte da catequesePalavra de Deus, fonte da catequese
Palavra de Deus, fonte da catequese
Liana Plentz
 
Prática do encontro com leitura orante Leitura orante de lc 5,1 7
Prática do encontro com leitura orante Leitura orante de lc 5,1 7Prática do encontro com leitura orante Leitura orante de lc 5,1 7
Prática do encontro com leitura orante Leitura orante de lc 5,1 7
Liana Plentz
 
Leitura orante de lc 5,1 -7 AVANÇAR PARA ÁGUAS MAIS PROFUNDAS NA IVC
Leitura orante de lc 5,1 -7 AVANÇAR PARA ÁGUAS MAIS PROFUNDAS NA IVCLeitura orante de lc 5,1 -7 AVANÇAR PARA ÁGUAS MAIS PROFUNDAS NA IVC
Leitura orante de lc 5,1 -7 AVANÇAR PARA ÁGUAS MAIS PROFUNDAS NA IVC
Liana Plentz
 
Terminologia sobre deficiencia na era da inclusao
Terminologia sobre deficiencia na era da inclusaoTerminologia sobre deficiencia na era da inclusao
Terminologia sobre deficiencia na era da inclusao
Liana Plentz
 
O sentido da vida na dimensão antropológica da formação
O sentido da vida na dimensão antropológica da   formaçãoO sentido da vida na dimensão antropológica da   formação
O sentido da vida na dimensão antropológica da formação
Liana Plentz
 
Seminario Nacional de Iniciação à Vida Crista - CATEQUESE E SITUAÇÕES ESPECIAIS
Seminario Nacional de Iniciação à Vida Crista - CATEQUESE E SITUAÇÕES ESPECIAIS Seminario Nacional de Iniciação à Vida Crista - CATEQUESE E SITUAÇÕES ESPECIAIS
Seminario Nacional de Iniciação à Vida Crista - CATEQUESE E SITUAÇÕES ESPECIAIS
Liana Plentz
 
Observações da Experiência do SUL I: catequese junto à pessoa com deficiência
Observações da Experiência do SUL I: catequese junto à pessoa com deficiênciaObservações da Experiência do SUL I: catequese junto à pessoa com deficiência
Observações da Experiência do SUL I: catequese junto à pessoa com deficiência
Liana Plentz
 
Iniciação à Vida Cristã nas comunidades ribeirinhas - Regional norte 2
Iniciação à Vida Cristã nas comunidades ribeirinhas - Regional norte 2Iniciação à Vida Cristã nas comunidades ribeirinhas - Regional norte 2
Iniciação à Vida Cristã nas comunidades ribeirinhas - Regional norte 2
Liana Plentz
 
Alerta - Iniciação à Vida Cristã com adolescentes e jovens nordeste 3 - Aracaju
Alerta - Iniciação à Vida Cristã com adolescentes e jovens nordeste 3 - AracajuAlerta - Iniciação à Vida Cristã com adolescentes e jovens nordeste 3 - Aracaju
Alerta - Iniciação à Vida Cristã com adolescentes e jovens nordeste 3 - Aracaju
Liana Plentz
 
Introdução à bíblia 2014 - Ir. Cátia
Introdução à bíblia 2014 - Ir. CátiaIntrodução à bíblia 2014 - Ir. Cátia
Introdução à bíblia 2014 - Ir. Cátia
Liana Plentz
 
2 a. parte espiritualidade retornar a jesus o bom pastor
2 a. parte espiritualidade retornar a jesus   o bom pastor2 a. parte espiritualidade retornar a jesus   o bom pastor
2 a. parte espiritualidade retornar a jesus o bom pastor
Liana Plentz
 
1a. parte espiritualidade retornar a jesus o bom pastor
1a. parte espiritualidade retornar a jesus   o bom pastor1a. parte espiritualidade retornar a jesus   o bom pastor
1a. parte espiritualidade retornar a jesus o bom pastor
Liana Plentz
 
A iniciação à vida cristã os passos a serem dados
A iniciação à vida cristã   os passos a serem dadosA iniciação à vida cristã   os passos a serem dados
A iniciação à vida cristã os passos a serem dados
Liana Plentz
 
Discurso do papa francisco no congresso de catequese
Discurso do papa francisco no congresso de catequeseDiscurso do papa francisco no congresso de catequese
Discurso do papa francisco no congresso de catequese
Liana Plentz
 
3 - OFÍCIO DIVINO DAS COMUNIDADES
3 - OFÍCIO DIVINO DAS COMUNIDADES3 - OFÍCIO DIVINO DAS COMUNIDADES
3 - OFÍCIO DIVINO DAS COMUNIDADES
Liana Plentz
 

Mais de Liana Plentz (20)

CONFIAR A DEUS O NOSSO SER
CONFIAR A DEUS O NOSSO SERCONFIAR A DEUS O NOSSO SER
CONFIAR A DEUS O NOSSO SER
 
TEMOR DE DEUS
TEMOR DE DEUSTEMOR DE DEUS
TEMOR DE DEUS
 
PARÓQUIA E INICIAÇÃO À VIDA CRISTÃ DE INSPIRAÇÃO CATECUMENAL
PARÓQUIA E INICIAÇÃO À VIDA CRISTÃ DE INSPIRAÇÃO CATECUMENALPARÓQUIA E INICIAÇÃO À VIDA CRISTÃ DE INSPIRAÇÃO CATECUMENAL
PARÓQUIA E INICIAÇÃO À VIDA CRISTÃ DE INSPIRAÇÃO CATECUMENAL
 
Orientações para a animação bíblica da pastoral (3)
Orientações para a animação bíblica da pastoral (3)Orientações para a animação bíblica da pastoral (3)
Orientações para a animação bíblica da pastoral (3)
 
À Luz da fé - lumen fidei
À Luz da fé - lumen fideiÀ Luz da fé - lumen fidei
À Luz da fé - lumen fidei
 
Palavra de Deus, fonte da catequese
Palavra de Deus, fonte da catequesePalavra de Deus, fonte da catequese
Palavra de Deus, fonte da catequese
 
Prática do encontro com leitura orante Leitura orante de lc 5,1 7
Prática do encontro com leitura orante Leitura orante de lc 5,1 7Prática do encontro com leitura orante Leitura orante de lc 5,1 7
Prática do encontro com leitura orante Leitura orante de lc 5,1 7
 
Leitura orante de lc 5,1 -7 AVANÇAR PARA ÁGUAS MAIS PROFUNDAS NA IVC
Leitura orante de lc 5,1 -7 AVANÇAR PARA ÁGUAS MAIS PROFUNDAS NA IVCLeitura orante de lc 5,1 -7 AVANÇAR PARA ÁGUAS MAIS PROFUNDAS NA IVC
Leitura orante de lc 5,1 -7 AVANÇAR PARA ÁGUAS MAIS PROFUNDAS NA IVC
 
Terminologia sobre deficiencia na era da inclusao
Terminologia sobre deficiencia na era da inclusaoTerminologia sobre deficiencia na era da inclusao
Terminologia sobre deficiencia na era da inclusao
 
O sentido da vida na dimensão antropológica da formação
O sentido da vida na dimensão antropológica da   formaçãoO sentido da vida na dimensão antropológica da   formação
O sentido da vida na dimensão antropológica da formação
 
Seminario Nacional de Iniciação à Vida Crista - CATEQUESE E SITUAÇÕES ESPECIAIS
Seminario Nacional de Iniciação à Vida Crista - CATEQUESE E SITUAÇÕES ESPECIAIS Seminario Nacional de Iniciação à Vida Crista - CATEQUESE E SITUAÇÕES ESPECIAIS
Seminario Nacional de Iniciação à Vida Crista - CATEQUESE E SITUAÇÕES ESPECIAIS
 
Observações da Experiência do SUL I: catequese junto à pessoa com deficiência
Observações da Experiência do SUL I: catequese junto à pessoa com deficiênciaObservações da Experiência do SUL I: catequese junto à pessoa com deficiência
Observações da Experiência do SUL I: catequese junto à pessoa com deficiência
 
Iniciação à Vida Cristã nas comunidades ribeirinhas - Regional norte 2
Iniciação à Vida Cristã nas comunidades ribeirinhas - Regional norte 2Iniciação à Vida Cristã nas comunidades ribeirinhas - Regional norte 2
Iniciação à Vida Cristã nas comunidades ribeirinhas - Regional norte 2
 
Alerta - Iniciação à Vida Cristã com adolescentes e jovens nordeste 3 - Aracaju
Alerta - Iniciação à Vida Cristã com adolescentes e jovens nordeste 3 - AracajuAlerta - Iniciação à Vida Cristã com adolescentes e jovens nordeste 3 - Aracaju
Alerta - Iniciação à Vida Cristã com adolescentes e jovens nordeste 3 - Aracaju
 
Introdução à bíblia 2014 - Ir. Cátia
Introdução à bíblia 2014 - Ir. CátiaIntrodução à bíblia 2014 - Ir. Cátia
Introdução à bíblia 2014 - Ir. Cátia
 
2 a. parte espiritualidade retornar a jesus o bom pastor
2 a. parte espiritualidade retornar a jesus   o bom pastor2 a. parte espiritualidade retornar a jesus   o bom pastor
2 a. parte espiritualidade retornar a jesus o bom pastor
 
1a. parte espiritualidade retornar a jesus o bom pastor
1a. parte espiritualidade retornar a jesus   o bom pastor1a. parte espiritualidade retornar a jesus   o bom pastor
1a. parte espiritualidade retornar a jesus o bom pastor
 
A iniciação à vida cristã os passos a serem dados
A iniciação à vida cristã   os passos a serem dadosA iniciação à vida cristã   os passos a serem dados
A iniciação à vida cristã os passos a serem dados
 
Discurso do papa francisco no congresso de catequese
Discurso do papa francisco no congresso de catequeseDiscurso do papa francisco no congresso de catequese
Discurso do papa francisco no congresso de catequese
 
3 - OFÍCIO DIVINO DAS COMUNIDADES
3 - OFÍCIO DIVINO DAS COMUNIDADES3 - OFÍCIO DIVINO DAS COMUNIDADES
3 - OFÍCIO DIVINO DAS COMUNIDADES
 

Último

Escola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTAS
Escola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTASEscola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTAS
Escola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTAS
ceciliafonseca16
 
Cultura de Paz - educar para a paz para um mundo melhor
Cultura de Paz - educar para a paz para um mundo melhorCultura de Paz - educar para a paz para um mundo melhor
Cultura de Paz - educar para a paz para um mundo melhor
MasaCalixto2
 
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
ESCRIBA DE CRISTO
 
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
ESCRIBA DE CRISTO
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
WELITONNOGUEIRA3
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
ESCRIBA DE CRISTO
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Celso Napoleon
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Celso Napoleon
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
ayronleonardo
 
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
ESCRIBA DE CRISTO
 
Zacarias - 005.ppt xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
Zacarias - 005.ppt xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxZacarias - 005.ppt xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
Zacarias - 005.ppt xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
lindalva da cruz
 
Manual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docx
Manual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docx
Manual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docx
Janilson Noca
 
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Igreja Jesus é o Verbo
 
CARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADAS
CARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADASCARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADAS
CARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADAS
ESCRIBA DE CRISTO
 
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptxA CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
JonasRibeiro61
 
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos AgricultoresOração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Nilson Almeida
 
Bíblia Sagrada - Amós - slides powerpoint.ppsx
Bíblia Sagrada - Amós - slides powerpoint.ppsxBíblia Sagrada - Amós - slides powerpoint.ppsx
Bíblia Sagrada - Amós - slides powerpoint.ppsx
Igreja Jesus é o Verbo
 
Estudo Bíblico da Carta aos Filipenses - introdução
Estudo Bíblico da Carta aos Filipenses - introduçãoEstudo Bíblico da Carta aos Filipenses - introdução
Estudo Bíblico da Carta aos Filipenses - introdução
Pr. Welfany Nolasco Rodrigues
 

Último (18)

Escola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTAS
Escola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTASEscola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTAS
Escola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTAS
 
Cultura de Paz - educar para a paz para um mundo melhor
Cultura de Paz - educar para a paz para um mundo melhorCultura de Paz - educar para a paz para um mundo melhor
Cultura de Paz - educar para a paz para um mundo melhor
 
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
 
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
 
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
 
Zacarias - 005.ppt xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
Zacarias - 005.ppt xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxZacarias - 005.ppt xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
Zacarias - 005.ppt xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
 
Manual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docx
Manual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docx
Manual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docx
 
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
 
CARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADAS
CARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADASCARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADAS
CARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADAS
 
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptxA CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
 
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos AgricultoresOração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
 
Bíblia Sagrada - Amós - slides powerpoint.ppsx
Bíblia Sagrada - Amós - slides powerpoint.ppsxBíblia Sagrada - Amós - slides powerpoint.ppsx
Bíblia Sagrada - Amós - slides powerpoint.ppsx
 
Estudo Bíblico da Carta aos Filipenses - introdução
Estudo Bíblico da Carta aos Filipenses - introduçãoEstudo Bíblico da Carta aos Filipenses - introdução
Estudo Bíblico da Carta aos Filipenses - introdução
 

Fortaleza e coragem

  • 1.
  • 2. Posso tudo posso naquele que me fortalece Nada e ninguém no mundo vai me fazer desistir Quero, tudo quero, sem medo entregar meus projetos Deixar-me guiar nos caminhos que Deus desejou para mim E ali estar
  • 3. Vou perseguir tudo aquilo que Deus já escolheu pra mim Vou persistir, e mesmo nas marcas daquela dor Do que ficou, vou me lembrar E realizar o sonho mais lindo que Deus sonhou
  • 4. Em meu lugar estar à espera de um novo que vai chegar Vou persistir, continuar a esperar e crer E mesmo quando a visão se turva e o coração só chora Mas na alma, há certeza da vitória
  • 5. Eu vou sofrendo Mas seguindo enquanto tantos não entendem Vou cantando minha história, profetizando Que eu posso, tudo posso em Jesus
  • 6. 3 PASSOS PARA FAZER CRESCER O DOM DE FORTALEZA
  • 7. O dom de Fortaleza é o dom do Espírito que nos torna capazes de assumir com coragem as lutas necessárias para uma vida santa. Ele vem acompanhado de coragem, para enfrentar sem medo os ideais grandes que Deus nos apresenta, e paciência, para aceitar com firmeza as contrariedades, incompreensões e perseguições. O martírio é o máximo grau de fortaleza cristã. Vinde Espírito Santo, fortaleza de Deus, força na nossa fraqueza! “Sem o vosso poder divino, nada há de bom no homem, nada há que seja puro”.
  • 8. Veja alguns pontos para fazer crescer este dom precioso na alma. 1- Agarrar-se a um forte ideal Só pode ser forte aquele que tem um ideal igualmente forte. Sem isso, qualquer motivo que se apresente será bastante para adiar aquele propósito santo, a luta contra algum pecado, o crescimento na graça. Uma vida sem ideal é triste, facilmente se decompõe e afunda na moleza. O Amor é o grande ideal cristão. “Quem conhece Cristo, quem se enamorou dele e dele fez seu ideal, entende por experiência estas palavras do Cântico dos Cânticos: O amor é forte como a morte…, suas chamas são chamas de fogo, labaredas divinas. Águas torrenciais não puderam extinguir o amor (Ct 8,6-7).”
  • 9. 2- Ter vida de Oração A grande fonte da Fortaleza cristã é a confiança total em Deus. Porque Tu és, ó Deus, a minha fortaleza (Sl 42 [43],2). A primazia da graça, a oração cheia de fé e constância é o alimento deste dom na alma do cristão.
  • 10. 3- Persistir no esforço contínuo Se queremos crescer neste dom, primeiro precisamos nos abrir à graça de Deus. Mas ele exige de nós uma resposta firme. Sacrifício, mortificação concreta da moleza e de outras fraquezas. Para obter a fortaleza de Deus, é preciso que nós nos esforcemos sinceramente, com generosidade, em colaborar, tomando a nossa cruz, como Cristo nos pede: nosso sacrifício diário, voluntário, corajoso e simples.
  • 11. ALGUNS QUESTIONAMENTOS QUE PODEM NOS AJUDAR A AVALIAR NOSSA ABERTURA A ESTE DOM:
  • 12. Vivo aberto a grandes ideais, mesmo que me veja fraco, porque tenho a consciência de que Deus não chamou ninguém à mediocridade, mas à santidade?  Já tenho alguma experiência da força que o amor, sobretudo o amor a Deus, pode infundir à vida, transformando uma pessoa amorfa em alguém dinâmico, esforçado, criativo e generoso?
  • 13.  Percebo que serei fraco na medida em que for egoísta. Mesmo na vida espiritual cristã, se só cuido de eu ser melhor, mas não me “dou”, não me “entrego” ao serviço dos demais, muitas das minhas virtudes serão mais aparentes que reais?  Confio em Deus? Lembro-me de que Cristo insistiu na necessidade da oração, para recebermos as graças de que necessitamos, e nos mandou pedir com humildade e perseverança, confiando plenamente em nosso Pai Deus?
  • 14. Peço a fortaleza que me falta, ao mesmo tempo em que me esforço por conquistá-la? Fico pessimista ao ver as minhas dificuldades e fracassos? Compreendo que, se perseverar na oração e no esforço, poderei dizer como São Paulo: “Tudo posso naquele que me dá força”?
  • 15.  Sou generoso nas mortificações necessárias para ir desgastando, vencendo aos poucos as minhas fraquezas? Compreendo que, neste ponto, a constância, a “perseverança sempre retomada com esforço” de que fala o Catecismo, é fundamental?
  • 16. Dou valor às mortificações pequenas, que tanto ajudam a temperar, a fortalecer o caráter, por exemplo: ser pontual, especialmente na hora de levantar e nos horários de trabalho e de estudo; ser equilibrado e sóbrio na comida e na bebida, e também ser controlado no uso de aparelhos eletrônicos; esforçar-me por evitar “o ar de cansado” ou de “aborrecido”, etc?
  • 17. Desprezei sacrifícios pequenos (como ter detalhes amáveis com os outros, prestar pequenos serviços, cuidar melhor as coisas materiais), com a desculpa e que “não têm importância”, quando na realidade, não era questão de importância, mas de moleza? Pe. Francisco Faus
  • 18. Também nós temos de “combater o bom combate” (2 Tm 2,6) para alcançar a coroa eterna. Vivemos num mundo cheio de perigos e tentações, bem como de um relativismo moral e religioso, que é contrário às verdades eternas. A alma acha-se constantemente envolta nas tempestades de paixões revoltadas. Maus exemplos estão em toda parte e as inclinações do coração são sempre dirigidas para o mal. Resistir a tudo isso requer força de vontade, combate resoluto sem tréguas.
  • 19. As provações nos fortalecem para o combate espiritual; por isso Deus as permite, os apóstolos sempre estimularam os fiéis a enfrentá-las com coragem. São Pedro diz: “Caríssimos, não vos perturbeis no fogo da provação, como se vos acontecesse alguma coisa extraordinária. Pelo contrário, alegrai-vos em ser participantes dos sofrimentos de Cristo” (1 Pe 4,12). Ensinando-nos que essas dificuldades nos levarão à perfeição: “O Deus de toda graça, que vos chamou em Cristo à sua eterna glória, depois que tiverdes padecido um pouco, vos aperfeiçoará, vos tornará inabaláveis, vós fortificará” (1 Pe 5,10).
  • 20. O mesmo apóstolo ensina-nos que a provação nos aperfeiçoará e nos tornará inabaláveis. É importante não se deixar perturbar no fogo da provação. Não se exasperar, não perder a paz e a calma, pois é exatamente isso que o tentador deseja. O remédio da fé contra tudo isso é a humilde aceitação da vontade de Deus no exato momento em que algo desagradável nos ocorre, dando, de imediato, glória a Deus, como São Paulo ensina: “Em todas as circunstâncias, dai graças, pois esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus” (1 Tes 5,16).
  • 21. É preciso fazer esse grande e difícil exercício de dar glória a Deus na adversidade. Nesses momentos, gosto de glorificar a Deus, rezar muitas vezes o “Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo”, até que minha alma se acalme e se abandone aos cuidados do Senhor. Essa atitude muito agrada ao Senhor, pois é a expressão da fé pura de quem se abandona aos Seus cuidados. É como a fé de Maria e de Abraão que “esperaram contra toda a esperança” (cf. Hb11,17-19), e assim, agradaram a Deus sobremaneira.
  • 22. Mas não temos forças humanas para isso; então, o Espírito Santo nos socorre com o dom da fortaleza. Roguemos a Deus para que esse dom seja nosso companheiro inseparável, para que possamos testemunhar nosso amor ao Senhor por palavras e obras. Assim, viveremos na fé e pela fé, certos de que seremos felizes aqui e na eternidade. Felipe Aquino
  • 23. Não, não há! Não, não há! Não há mal que me possa vencer Não, não há! Não, não há! Não há mal que me possa vencer Pois tudo posso naquele que me fortalece Tudo posso em Jesus Cristo Pois tudo posso naquele que me fortalece Tudo posso em Jesus Cristo Nenhum problema, nem meus pecados Poderão superar o amor de Deus Nenhum problema, nem meus pecados Poderão superar o amor de Deus Deus é maior que tudo que me acontece Deus é grande supremo rei!
  • 24. Deus é maior que tudo que me acontece Deus é grande supremo rei! Nem a tristeza nem mesmo a dor Poderá superar o amor de Deus Nem a tristeza nem mesmo a dor Poderá superar o amor de Deus Deus é maior que tudo que me acontece Deus é grande supremo Rei!
  • 25. Deus é maior que tudo que me acontece Deus é grande supremo Rei! Nem a vingança nem mesmo o ódio Poderá superar o amor de Deus Nem a vingança nem mesmo o ódio Poderá superar o amor de Deus Deus é maior que tudo que me acontece Deus é grande supremo Rei! Deus é maior que tudo que me acontece Deus é grande supremo Rei!
  • 26. Não é preciso pensar que o dom da fortaleza seja necessário somente em algumas ocasiões, ou em situações particulares. Este dom deve constituir um pano de fundo do nosso ser cristão, na ordinariedade da nossa vida cotidiana. Como disse, em todos os dias da vida cotidiana devemos ser fortes, temos necessidade desta fortaleza, para levar adiante a nossa vida, a nossa família, a nossa fé. O apóstolo Paulo disse uma frase que nos fará bem ouvir: “Tudo posso naquele que me fortalece” (Fil 4, 13). Quando enfrentamos a vida ordinária, quando vêm as dificuldades, recordemos isto: “Tudo posso naquele que me fortalece”. O Senhor nos dá a força, sempre, não a deixa faltar. O Senhor não nos dá uma prova maior do que podemos tolerar. Ele está sempre conosco. “Tudo posso naquele me fortalece”.
  • 27. Queridos amigos, às vezes podemos ser tentados a nos deixar levar pela preguiça ou, pior, pelo desânimo, sobretudo diante dos cansaços e das provações da vida. Nestes casos, não vamos desanimar, invoquemos o Espírito Santo para que, com o dom da fortaleza, possa aliviar o nosso coração e comunicar nova força e entusiasmo na nossa vida e no nosso seguimento a Jesus”. Vaticano, 14 Mai. 14 / 11:15 am (ACI).- Na Catequese desta quarta-feira, 14 de maio, o Papa falou sobre o dom da Fortaleza.
  • 28. Oração pedindo o Dom da Fortaleza Padre Reginaldo Manzotti “Oh! Divino Dom da Fortaleza, reveste-me de saúde no corpo e na alma, para a missão de discípulos de Jesus, a qual fui chamado pelo batismo. Nesta missão de lutar pelos valores de Cristo, fazei-me firme e perseverante até o fim. Na tua fortaleza, que eu me refugie. Da tua fortaleza, que eu avance. Pela tua fortaleza, que eu lute. Com tua fortaleza, que eu persevere. Amém! “