SlideShare uma empresa Scribd logo
História da Família Dallabrida
CONHEÇA UM POUCO  DA HISTÓRIA  DA  FAMÍLIA  DALLABRIDA
HISTÓRICO O  capitalismo estava propondo a eles a urbanização e conseqüente proletarização. O apelo de muitos países americanos, entre eles o Brasil, pela necessidade de mão de obra camponesa, fez com que houvesse uma avalanche emigratória, principalmente do norte da Itália e do Tirol do Sul, também chamado Tirol Italiano, pertencente ao Império Austro-Húngaro; o pico máximo da emigração foram os anos de 1875 e 1876.
As colônias que acolheram estes emigrantes de língua Italiana e que professavam o catolicismo, que na época era a religião oficial do Império, foram as do Espírito Santo, liderados pela expedição “Tabacchi” e as do Rio Grande do Sul e Santa Catarina coordenadas por Joaquim Caetano Pinto Júnior.
No ano 1000 surgem novos centros com economia forte como Veneza, Nápoles, Genova. Tornaram-se fortes, graças ao comércio, ao domínio dos mares, da ciência e da cultura. Quem não se lembra das históricas aventuras de Marco Pólo, um aventureiro que foi até a China, ou da participação de Cristóvão Colombo e Américo Vespúcio no descobrimento da América? E o Renascimento em Florença, quando Dante Alighieri escreveu a Divina Comédia justamente no idioma Italiano, Bruneleschi, Leonardo da Vinci, Michelangelo Buonarotti,  Maquiavel, Galileu Galilei , Gioto , Rafael entre tantos outros....
Afinal, com todo este esplendor, culturalmente a Itália já existia, mas politicamente toda fragmentada e sempre sofrendo sob o jugo dos poderosos, como aconteceu com o Trentino ou Tirol do Sul que mesmo ficando sob os domínio do Império Austro Húngaro por oito séculos jamais perdeu a sua identidade cultural, mantendo a duras penas os costumes e o seu idioma.  No início do Século XIX a Europa é sacudida pelas conquistas de Napoleão Bonaparte e novamente a Itália é dominada. Em seguida com a queda de Napoleão retorna o império Austro Húngaro tomando grande parte do norte da Itália, e ao sul o domínio é dos espanhóis.
Dificuldades econômicas e políticas da época impediram que a unificação fosse completa, permanecendo o Trentino com os austríacos.  Sucederam-se secas, doença nas vinhedos e no bicho da seda, epidemias,  acompanhado de grave crise econômica levando  inclusive dificuldades de sobrevivência. O trentino teve de esperar mais 58 anos quando finalmente foi anexado a Itália na Primeira Guerra Mundial, por isto os nossos antepassados vieram da Áustria – Trento – Tirol do Sul. Aí a Itália ficou completa e seguramente os espírito do nosso herói Garibaldi pode repousar ao lado dos grandes e valorosos, e passou para a história entre os grandes homens do Século XIX!!!
A vida no Trentino era difícil, as terras sempre ficaram nas mãos dos nobres ou senhores feudais e lavradas pelos contadinos ou arrendatários que pagavam pesados tributos aos seus senhores. Para manter o sustento das suas famílias, nas épocas em que não havia lavoura iam para outras partes da Itália, Suíça, Áustria e até na Alemanha fazendo trabalhos sazonais e retornavam depois de muitos meses. Foi onde tiveram conhecimento sobre as primeiras levas de emigração para América.
Surgem então uma corrente de unificação, chamada Resorgimento, encabeçada por Giuseppe Mazzini em 1821 e logo abraçada por um jovem idealista Giuseppe Garibaldi o Herói dos dois mundos, que também lutou na América do Sul por mais de uma década, na nossa Revolução Farroupilha, e na guerra entre Uruguai e Argentina, e posteriormente retornou para a Itália já com a fama de grande estrategista militar, e com a sua bravura e perseverança ajudou na unificação da Itália, que apesar de ser um republicano lutou a favor do rei Vitório Emanuelle II, que era Rei do Piemonte cuja capital era Turim.
Posteriormente a capital da Itália passou para Florença e finalmente após a conquista definitiva dos estados Pontifícios passou para Roma em  1870.
Emigração Nos idos de 1850 o Império Brasileiro iniciou uma intensa campanha para atrair Imigrantes, para preencher imensas glebas de terras despovoadas, e os primeiros a atender o chamado foram os alemães, temos como exemplo a Colônia de Blumenau e Joinville. As noticiais se espalhavam, e o Brasil era pintado como a terra do leite e mel: Terras férteis, moradia, animais domésticos, frutas em abundância, Escolas, Igrejas, assistência do Governo..... Era o Paraíso!!!!
Com a redução da emigração dos Alemães, decorrentes da industrialização da Alemanha que passou a ocupar a mão de obra excedente do campo, e também da Guerra contra a França, os próximos a atenderem o chamado foram os Trentinos e os Italianos do Norte, que eram lavradores e professavam a religião Católica a religião oficial do Império Brasileiro. Ficando a Cargo da Expedição Tabacchi atrair emigrantes para o Espírito Santo e a Caetano Pinto para o Sul do Brasil.
Com a industrialização da Itália, a ameaça de proletarização e a grave crise do Trentino, ameaçando quebrar aquela estrutura social secular fez com que se vislumbrasse uma emigração definitiva, e ainda livrar-se de dois tormentos que os acompanhavam durante séculos: a pobreza e o patrão, passando a serem proprietários da sua terra. Isto determinou emigração em massa, onde pequenos ¨paese¨  foram praticamente esvaziados.
Entre estes emigrantes estavam  Carlos, Rafael, Fortunato, Celeste e Antonio Dallabrida.
Evidentemente que os nossos ancestrais não encontraram tudo o que lhes foi prometido, e sim terras cobertas de mata e pouco da assistência que lhes foi prometido, foram dias difíceis onde tiveram que lutar bravamente pela sobrevivência, até se instalarem definitivamente nas suas propriedades, que por muitas vezes eram difíceis de lavrar, montanhosas, quando havia produção excedente o comércio era difícil pois  não haviam estradas. Épocas de difícil sobrevivência.  Pesquisa: Luiz Ceola.www.ceola.com.br
A nova morada As famílias de Rafael,Carlos, Rodolfo, Celeste e Antônio migraram de Trento- Itália em 1875. Se estabeleceram mo estado de Santa Catarina onde junto com outros imigrantes fundaram o município de NOVA TRENTO. Devido vários problemas, “as terras que receberam não eram muito férteis, o milho parecia pipoca. A principal cultura, o que mais produzia era a mandioca. Muitas vezes alimentavam-se só com farinha de mandioca”.Prova disto é a existência de máquinas de moer a mandioca, bem como outras construídas pela família Dallabrida.(Museu em Vogolo Vattaro - Nova Trento – SC).
Dificuldades Além das dificuldades na produção, segundo o Sr. LUCIANO DALLABRIDA, em 1909 ocorreu uma terrível tempestade de granizo que acabou com a produção. O Sr. Carlos Dallabrida entrou em conflito com o padre na construção da igreja,questão das janelas. ( igreja que existe até hoje em Vigollo Vattaro – Nova Trento - SC).
Motivos   da Decisão O desânimo devído a tempestade e conflitos . Construção da via férrea. “Esta Região do Planalto rio-grandense iniciou sua integração com a construção da via férrea ligando Porto Alegre – Uruguaiana e a grande estrada de ferro que partiu de  Santa Maria à Cruz Alta em 1894,  Passo Fundo em 1900, Marcelino Ramos em 1910, ramal que uniu  Cruz Alta à Ijuí em 1917, Santo Ângelo em 1915 e Santa Rosa em 1940”. ROCHE,Jean; A Colonização Alemã e o Rio Grande do Sul, Porto Alegre,p.63 ..  “ notícias de parentes diziam que as terras eram boas, mas os lugares não eram muito bonitos”.   Luciano Dallabrida,
A Viajem “ Saindo de Trento – Itália, viajaram : 36 dias até  Itajaí,  litoral de Santa Catarina,de navio. 3 dias de espera para embarcar no navio. 3 dias de viagem de navio até  Porto Alegre – RS. 8 dias de espera em Porto Alegre. Viajaram até  Cruz Alta – RS,  de trem. Viajaram de carroça (carroceiros-Taxi) até o município de  Ijuí, hoje Ajuricaba, Linha 26  (100Km) Andaram à cavalo e a pé da Linha 26 até a  LINHA 29   (não havia estrada, só uma picada nomeio da mata). Chegaram aqui dia 03 MAIO DE 1909 ”.  Fonte:  Paulo e Seraphim Dallabrida.
Minha Árvore Genealógica BISAVÓS TATARAVÓS Genealogia AVÓS PAIS IRMÃOS SOBRINHOS Cunhados e Cunhadas
FAMÍLIA DO DANIEL(nono) Tios e primos do pai TIOS PRIMOS
FAMÍLIA DO CARLOS(nona) PRIMOS Tios e primos do pai TIOS
FAMÍLIA DE José Pedro e Carlota TIOS PRIMOS Meus tios e primos (paternos).
FAMÍLIA BAGOLIN (mãe) TIOS PRIMOS PAIS AVÓS BISAVÓS TATARAVÓS  ? Genealogia Minha Árvore Genealógica IRMÃOS
TIOS  E TIAS DA MÃE  (família Bagolin)
TIOS E TIAS DA MÃE (Família Pienis)
1º ENCONTRO DA FAMÍLIA DALLABRIDA Local: Salão Paulo de Tarso – Ajuricaba –RS. Dia 01/01/1990. Número de pessoas que participaram:....
2º ENCONTRO DA FAMÍLIA DALLABRIDA Local: Linha 29 Norte – Ajuricaba –RS. Dia 24/01/1991. Número de pessoas que participaram:....
3º ENCONTRO DA FAMÍLIA DALLABRIDA Local:Tenente Portela –RS. Dia 08/03/1992. Número de pessoas que participaram:....
4º ENCONTRO DA FAMÍLIA DALLABRIDA Local:Vigolo Vátaro – Nova Trento - SC. Dia 27/02//1993. Número de pessoas que participaram:....
5º ENCONTRO DA FAMÍLIA DALLABRIDA Local:Boa Vista das Missões - RS. Dia 12/02//1994. Número de pessoas que participaram:....
6º ENCONTRO DA FAMÍLIA DALLABRIDA Local:Linha Bom Jesus – Capitão Lêonidas Marques - PR. Dia 18/02/1995. Número de pessoas que participaram:....
7º ENCONTRO DA FAMÍLIA DALLABRIDA Local:Vigolo Vátaro – Nova Trento - SC. Dia 24/02//1996. Número de pessoas que participaram:....
8º ENCONTRO DA FAMÍLIA DALLABRIDA Local:Linha 29 Norte – Ajuricaba - RS. Dia ....//1997. Número de pessoas que participaram:....
9º ENCONTRO DA FAMÍLIA DALLABRIDA Local:Linha 29 Norte – Ajuricaba - RS. Dia .../1999. Número de pessoas que participaram:....
10º ENCONTRO DA FAMÍLIA DALLABRIDA Local:Vigolo Vátaro – Nova Trento - SC. Dia 02/02/2002. Número de pessoas que participaram:....
11º ENCONTRO DA FAMÍLIA DALLABRIDA Local:  - SC. Dia ...../2004. Número de pessoas que participaram:....

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
luizmourao23
 
Capítulo 4 - A grande depressão, o fascismo e o nazismo
Capítulo 4 - A grande depressão, o fascismo e o nazismoCapítulo 4 - A grande depressão, o fascismo e o nazismo
Capítulo 4 - A grande depressão, o fascismo e o nazismo
Marcos Antonio Grigorio de Figueiredo
 
História de mato grosso do sul brasil colônia
História de mato grosso do sul    brasil colôniaHistória de mato grosso do sul    brasil colônia
História de mato grosso do sul brasil colônia
historiando
 
Congresso de viena (1814 1815 ) pdf
Congresso de viena (1814   1815 ) pdfCongresso de viena (1814   1815 ) pdf
Congresso de viena (1814 1815 ) pdf
Celso Firmino História, Filosofia, Sociologia
 
07 revolução mexicana
07   revolução mexicana07   revolução mexicana
07 revolução mexicana
Portal do Vestibulando
 
Povos indígenas, afrodescendentes e mulheres na primeira república.
Povos indígenas, afrodescendentes e mulheres na primeira república.Povos indígenas, afrodescendentes e mulheres na primeira república.
Povos indígenas, afrodescendentes e mulheres na primeira república.
Loredana Ruffo
 
Estados unidos noseculo xix
Estados unidos noseculo xixEstados unidos noseculo xix
Estados unidos noseculo xix
Marcio Cicchelli
 
Brasil colônia4 revoltas nativistas
Brasil colônia4 revoltas nativistasBrasil colônia4 revoltas nativistas
Brasil colônia4 revoltas nativistas
dmflores21
 
Primeira Guerra Mundial
Primeira Guerra MundialPrimeira Guerra Mundial
Primeira Guerra Mundial
Portal do Vestibulando
 
QUESTÃO INDÍGENA NO BRASIL
QUESTÃO INDÍGENA NO BRASILQUESTÃO INDÍGENA NO BRASIL
QUESTÃO INDÍGENA NO BRASIL
GUILHERME FRANÇA
 
Periimplantite
PeriimplantitePeriimplantite
A Revolução Russa (1917)
A Revolução Russa (1917)A Revolução Russa (1917)
A Revolução Russa (1917)
Isaquel Silva
 
America sec xix
America sec xixAmerica sec xix
America sec xix
luizmourao23
 
10. brasil aula sobre república velha parte 02
10. brasil aula sobre república velha parte 0210. brasil aula sobre república velha parte 02
10. brasil aula sobre república velha parte 02
Darlan Campos
 
Totalitarismo
TotalitarismoTotalitarismo
Totalitarismo
MargarethFranklim
 
Iluminismo.melissa
Iluminismo.melissaIluminismo.melissa
Iluminismo.melissa
JoanaRitaSilva
 
A formação dos estados unidos
A formação dos estados unidosA formação dos estados unidos
A formação dos estados unidos
Vinicius Maciel
 
Modulo 13 - Atividades industriais dos Estados Unidos
Modulo 13 - Atividades industriais dos Estados UnidosModulo 13 - Atividades industriais dos Estados Unidos
Modulo 13 - Atividades industriais dos Estados Unidos
Claudio Henrique Ramos Sales
 
Primeira guerra mundial
Primeira guerra mundialPrimeira guerra mundial
Primeira guerra mundial
antioxidante
 
Independência da América Espanhola
Independência da América EspanholaIndependência da América Espanhola
Independência da América Espanhola
Edenilson Morais
 

Mais procurados (20)

Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
 
Capítulo 4 - A grande depressão, o fascismo e o nazismo
Capítulo 4 - A grande depressão, o fascismo e o nazismoCapítulo 4 - A grande depressão, o fascismo e o nazismo
Capítulo 4 - A grande depressão, o fascismo e o nazismo
 
História de mato grosso do sul brasil colônia
História de mato grosso do sul    brasil colôniaHistória de mato grosso do sul    brasil colônia
História de mato grosso do sul brasil colônia
 
Congresso de viena (1814 1815 ) pdf
Congresso de viena (1814   1815 ) pdfCongresso de viena (1814   1815 ) pdf
Congresso de viena (1814 1815 ) pdf
 
07 revolução mexicana
07   revolução mexicana07   revolução mexicana
07 revolução mexicana
 
Povos indígenas, afrodescendentes e mulheres na primeira república.
Povos indígenas, afrodescendentes e mulheres na primeira república.Povos indígenas, afrodescendentes e mulheres na primeira república.
Povos indígenas, afrodescendentes e mulheres na primeira república.
 
Estados unidos noseculo xix
Estados unidos noseculo xixEstados unidos noseculo xix
Estados unidos noseculo xix
 
Brasil colônia4 revoltas nativistas
Brasil colônia4 revoltas nativistasBrasil colônia4 revoltas nativistas
Brasil colônia4 revoltas nativistas
 
Primeira Guerra Mundial
Primeira Guerra MundialPrimeira Guerra Mundial
Primeira Guerra Mundial
 
QUESTÃO INDÍGENA NO BRASIL
QUESTÃO INDÍGENA NO BRASILQUESTÃO INDÍGENA NO BRASIL
QUESTÃO INDÍGENA NO BRASIL
 
Periimplantite
PeriimplantitePeriimplantite
Periimplantite
 
A Revolução Russa (1917)
A Revolução Russa (1917)A Revolução Russa (1917)
A Revolução Russa (1917)
 
America sec xix
America sec xixAmerica sec xix
America sec xix
 
10. brasil aula sobre república velha parte 02
10. brasil aula sobre república velha parte 0210. brasil aula sobre república velha parte 02
10. brasil aula sobre república velha parte 02
 
Totalitarismo
TotalitarismoTotalitarismo
Totalitarismo
 
Iluminismo.melissa
Iluminismo.melissaIluminismo.melissa
Iluminismo.melissa
 
A formação dos estados unidos
A formação dos estados unidosA formação dos estados unidos
A formação dos estados unidos
 
Modulo 13 - Atividades industriais dos Estados Unidos
Modulo 13 - Atividades industriais dos Estados UnidosModulo 13 - Atividades industriais dos Estados Unidos
Modulo 13 - Atividades industriais dos Estados Unidos
 
Primeira guerra mundial
Primeira guerra mundialPrimeira guerra mundial
Primeira guerra mundial
 
Independência da América Espanhola
Independência da América EspanholaIndependência da América Espanhola
Independência da América Espanhola
 

Destaque

FamíLia Dallabrida
FamíLia DallabridaFamíLia Dallabrida
FamíLia Dallabrida
Adrodalla
 
Apresentação da monografia
Apresentação da monografia Apresentação da monografia
Apresentação da monografia
Adroaldo Dallabrida
 
Velhas ferramentas para novos tempos um sonho ou uma possibilidade
Velhas ferramentas para novos tempos   um sonho ou uma possibilidadeVelhas ferramentas para novos tempos   um sonho ou uma possibilidade
Velhas ferramentas para novos tempos um sonho ou uma possibilidade
Adroaldo Dallabrida
 
Apresentação tcc gtp supervisão escolar
Apresentação tcc  gtp supervisão escolarApresentação tcc  gtp supervisão escolar
Apresentação tcc gtp supervisão escolar
Adroaldo Dallabrida
 
EUA
EUAEUA
Estados unidos sociedade e economia
Estados unidos   sociedade e economiaEstados unidos   sociedade e economia
Estados unidos sociedade e economia
Professor
 
Aula 2 população
Aula 2   populaçãoAula 2   população
Aula 2 população
Péricles Penuel
 

Destaque (7)

FamíLia Dallabrida
FamíLia DallabridaFamíLia Dallabrida
FamíLia Dallabrida
 
Apresentação da monografia
Apresentação da monografia Apresentação da monografia
Apresentação da monografia
 
Velhas ferramentas para novos tempos um sonho ou uma possibilidade
Velhas ferramentas para novos tempos   um sonho ou uma possibilidadeVelhas ferramentas para novos tempos   um sonho ou uma possibilidade
Velhas ferramentas para novos tempos um sonho ou uma possibilidade
 
Apresentação tcc gtp supervisão escolar
Apresentação tcc  gtp supervisão escolarApresentação tcc  gtp supervisão escolar
Apresentação tcc gtp supervisão escolar
 
EUA
EUAEUA
EUA
 
Estados unidos sociedade e economia
Estados unidos   sociedade e economiaEstados unidos   sociedade e economia
Estados unidos sociedade e economia
 
Aula 2 população
Aula 2   populaçãoAula 2   população
Aula 2 população
 

Semelhante a FamíLia Dallabrida

Familia_Dallabrida, 🌳 Genealógica de Adroaldo José Dallabrida.pdf
Familia_Dallabrida, 🌳 Genealógica de Adroaldo José Dallabrida.pdfFamilia_Dallabrida, 🌳 Genealógica de Adroaldo José Dallabrida.pdf
Familia_Dallabrida, 🌳 Genealógica de Adroaldo José Dallabrida.pdf
Adroaldo Dallabrida
 
Imigracao italiana para_o_brasil1
Imigracao italiana para_o_brasil1Imigracao italiana para_o_brasil1
Imigracao italiana para_o_brasil1
Delma Maiochi
 
gli antenati
gli antenatigli antenati
gli antenati
Delma Maiochi
 
gli antenati
gli antenatigli antenati
gli antenati
Delma Maiochi
 
Imigração italiana para o Brasil
Imigração italiana para o BrasilImigração italiana para o Brasil
Imigração italiana para o Brasil
antoniobedin
 
História de Santa Catarina: imigração e pluralidade étnica
História de Santa Catarina: imigração e pluralidade étnicaHistória de Santa Catarina: imigração e pluralidade étnica
História de Santa Catarina: imigração e pluralidade étnica
Viegas Fernandes da Costa
 
Imigração italiana
Imigração italianaImigração italiana
Imigração italiana
osmarvolpato
 
Imigracao Italiana Para O Brasil 21 De Fevereiro
Imigracao Italiana Para O Brasil 21 De FevereiroImigracao Italiana Para O Brasil 21 De Fevereiro
Imigracao Italiana Para O Brasil 21 De Fevereiro
dibertuol
 
Imigracao Italiana Para O Brasil1
Imigracao Italiana Para O Brasil1Imigracao Italiana Para O Brasil1
Imigracao Italiana Para O Brasil1
guesta0281b9
 
Imigracao Italiana Para O Brasil1
Imigracao Italiana Para O Brasil1Imigracao Italiana Para O Brasil1
Imigracao Italiana Para O Brasil1
Veronezzi
 
Dia do imigrante italiano
Dia do imigrante italianoDia do imigrante italiano
Dia do imigrante italiano
Mensagens Virtuais
 
Imigracao Italiana Para O Brasil
Imigracao Italiana Para O BrasilImigracao Italiana Para O Brasil
Imigracao Italiana Para O Brasil
Noeliza Bianchini S. Lima
 
Dia do imigrante italiano
Dia do imigrante italianoDia do imigrante italiano
Dia do imigrante italiano
Mensagens Virtuais
 
Imigracao italiana para o brasil
Imigracao italiana para o brasilImigracao italiana para o brasil
Imigracao italiana para o brasil
Nilce Bravo
 
Aula de história – 2º ano
Aula de história – 2º anoAula de história – 2º ano
Aula de história – 2º ano
stelawstel
 
Aula de história – 2º ano
Aula de história – 2º anoAula de história – 2º ano
Aula de história – 2º ano
stelawstel
 
Imigração italiana2
Imigração italiana2Imigração italiana2
Imigração italiana2
Maria Bernardi Turani
 
Emigrazione italiana
Emigrazione italianaEmigrazione italiana
Emigrazione italiana
Henry Chinaglia Filho
 
Imigração italiana2
Imigração italiana2Imigração italiana2
Imigração italiana2
Maria Bernardi Turani
 
Emigrazione italiana
Emigrazione italiana Emigrazione italiana
Emigrazione italiana
vania_sampa
 

Semelhante a FamíLia Dallabrida (20)

Familia_Dallabrida, 🌳 Genealógica de Adroaldo José Dallabrida.pdf
Familia_Dallabrida, 🌳 Genealógica de Adroaldo José Dallabrida.pdfFamilia_Dallabrida, 🌳 Genealógica de Adroaldo José Dallabrida.pdf
Familia_Dallabrida, 🌳 Genealógica de Adroaldo José Dallabrida.pdf
 
Imigracao italiana para_o_brasil1
Imigracao italiana para_o_brasil1Imigracao italiana para_o_brasil1
Imigracao italiana para_o_brasil1
 
gli antenati
gli antenatigli antenati
gli antenati
 
gli antenati
gli antenatigli antenati
gli antenati
 
Imigração italiana para o Brasil
Imigração italiana para o BrasilImigração italiana para o Brasil
Imigração italiana para o Brasil
 
História de Santa Catarina: imigração e pluralidade étnica
História de Santa Catarina: imigração e pluralidade étnicaHistória de Santa Catarina: imigração e pluralidade étnica
História de Santa Catarina: imigração e pluralidade étnica
 
Imigração italiana
Imigração italianaImigração italiana
Imigração italiana
 
Imigracao Italiana Para O Brasil 21 De Fevereiro
Imigracao Italiana Para O Brasil 21 De FevereiroImigracao Italiana Para O Brasil 21 De Fevereiro
Imigracao Italiana Para O Brasil 21 De Fevereiro
 
Imigracao Italiana Para O Brasil1
Imigracao Italiana Para O Brasil1Imigracao Italiana Para O Brasil1
Imigracao Italiana Para O Brasil1
 
Imigracao Italiana Para O Brasil1
Imigracao Italiana Para O Brasil1Imigracao Italiana Para O Brasil1
Imigracao Italiana Para O Brasil1
 
Dia do imigrante italiano
Dia do imigrante italianoDia do imigrante italiano
Dia do imigrante italiano
 
Imigracao Italiana Para O Brasil
Imigracao Italiana Para O BrasilImigracao Italiana Para O Brasil
Imigracao Italiana Para O Brasil
 
Dia do imigrante italiano
Dia do imigrante italianoDia do imigrante italiano
Dia do imigrante italiano
 
Imigracao italiana para o brasil
Imigracao italiana para o brasilImigracao italiana para o brasil
Imigracao italiana para o brasil
 
Aula de história – 2º ano
Aula de história – 2º anoAula de história – 2º ano
Aula de história – 2º ano
 
Aula de história – 2º ano
Aula de história – 2º anoAula de história – 2º ano
Aula de história – 2º ano
 
Imigração italiana2
Imigração italiana2Imigração italiana2
Imigração italiana2
 
Emigrazione italiana
Emigrazione italianaEmigrazione italiana
Emigrazione italiana
 
Imigração italiana2
Imigração italiana2Imigração italiana2
Imigração italiana2
 
Emigrazione italiana
Emigrazione italiana Emigrazione italiana
Emigrazione italiana
 

Mais de Adrodalla

Ficha de acompanhament da aprendizagem
Ficha de acompanhament da aprendizagemFicha de acompanhament da aprendizagem
Ficha de acompanhament da aprendizagem
Adrodalla
 
O mundo dia a dia
O mundo dia a diaO mundo dia a dia
O mundo dia a dia
Adrodalla
 
Power point interativo coperaçao
Power point interativo coperaçaoPower point interativo coperaçao
Power point interativo coperaçao
Adrodalla
 
Paródia para a economia ser solidária
Paródia para a  economia ser solidáriaParódia para a  economia ser solidária
Paródia para a economia ser solidária
Adrodalla
 
Paródia economia cooperativa e solidária
Paródia economia cooperativa e solidáriaParódia economia cooperativa e solidária
Paródia economia cooperativa e solidária
Adrodalla
 
Poesia a produção asíatica
Poesia a produção asíaticaPoesia a produção asíatica
Poesia a produção asíatica
Adrodalla
 
Parodia da música porta retrato
Parodia da música porta retratoParodia da música porta retrato
Parodia da música porta retrato
Adrodalla
 
Musica ás vezes me pergunto
Musica ás vezes me perguntoMusica ás vezes me pergunto
Musica ás vezes me pergunto
Adrodalla
 
Mapa Conceitual - Meio ambiente
Mapa Conceitual - Meio ambienteMapa Conceitual - Meio ambiente
Mapa Conceitual - Meio ambiente
Adrodalla
 
Sálario...
Sálario...Sálario...
Sálario...
Adrodalla
 
Dados do município
Dados do município Dados do município
Dados do município
Adrodalla
 
Sálario...
Sálario...Sálario...
Sálario...
Adrodalla
 
Dados do município
Dados do município Dados do município
Dados do município
Adrodalla
 
Imperialismo
ImperialismoImperialismo
Imperialismo
Adrodalla
 
Imigrantes
ImigrantesImigrantes
Imigrantes
Adrodalla
 
Tropa de elete
Tropa de eleteTropa de elete
Tropa de elete
Adrodalla
 
Segunda guerra mundial
Segunda guerra mundialSegunda guerra mundial
Segunda guerra mundial
Adrodalla
 
Valores Planejamento 1 E ExecuçãO
Valores Planejamento 1 E ExecuçãOValores Planejamento 1 E ExecuçãO
Valores Planejamento 1 E ExecuçãO
Adrodalla
 
Valores Planejamento 1 E ExecuçãO
Valores Planejamento 1 E ExecuçãOValores Planejamento 1 E ExecuçãO
Valores Planejamento 1 E ExecuçãO
Adrodalla
 
Italianos2
Italianos2Italianos2
Italianos2
Adrodalla
 

Mais de Adrodalla (20)

Ficha de acompanhament da aprendizagem
Ficha de acompanhament da aprendizagemFicha de acompanhament da aprendizagem
Ficha de acompanhament da aprendizagem
 
O mundo dia a dia
O mundo dia a diaO mundo dia a dia
O mundo dia a dia
 
Power point interativo coperaçao
Power point interativo coperaçaoPower point interativo coperaçao
Power point interativo coperaçao
 
Paródia para a economia ser solidária
Paródia para a  economia ser solidáriaParódia para a  economia ser solidária
Paródia para a economia ser solidária
 
Paródia economia cooperativa e solidária
Paródia economia cooperativa e solidáriaParódia economia cooperativa e solidária
Paródia economia cooperativa e solidária
 
Poesia a produção asíatica
Poesia a produção asíaticaPoesia a produção asíatica
Poesia a produção asíatica
 
Parodia da música porta retrato
Parodia da música porta retratoParodia da música porta retrato
Parodia da música porta retrato
 
Musica ás vezes me pergunto
Musica ás vezes me perguntoMusica ás vezes me pergunto
Musica ás vezes me pergunto
 
Mapa Conceitual - Meio ambiente
Mapa Conceitual - Meio ambienteMapa Conceitual - Meio ambiente
Mapa Conceitual - Meio ambiente
 
Sálario...
Sálario...Sálario...
Sálario...
 
Dados do município
Dados do município Dados do município
Dados do município
 
Sálario...
Sálario...Sálario...
Sálario...
 
Dados do município
Dados do município Dados do município
Dados do município
 
Imperialismo
ImperialismoImperialismo
Imperialismo
 
Imigrantes
ImigrantesImigrantes
Imigrantes
 
Tropa de elete
Tropa de eleteTropa de elete
Tropa de elete
 
Segunda guerra mundial
Segunda guerra mundialSegunda guerra mundial
Segunda guerra mundial
 
Valores Planejamento 1 E ExecuçãO
Valores Planejamento 1 E ExecuçãOValores Planejamento 1 E ExecuçãO
Valores Planejamento 1 E ExecuçãO
 
Valores Planejamento 1 E ExecuçãO
Valores Planejamento 1 E ExecuçãOValores Planejamento 1 E ExecuçãO
Valores Planejamento 1 E ExecuçãO
 
Italianos2
Italianos2Italianos2
Italianos2
 

Último

RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMETRESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
rihabkorbi24
 
Introduction to EFFECTUATION concepts and applications
Introduction to EFFECTUATION concepts and applicationsIntroduction to EFFECTUATION concepts and applications
Introduction to EFFECTUATION concepts and applications
João de Paula Ribeiro Neto
 
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
InsttLcioEvangelista
 
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCCEstudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Paulo Emerson Pereira
 
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
Paulo Emerson Pereira
 
Foi por amor.pptx xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
Foi por amor.pptx xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxFoi por amor.pptx xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
Foi por amor.pptx xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
lindalva da cruz
 

Último (6)

RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMETRESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
 
Introduction to EFFECTUATION concepts and applications
Introduction to EFFECTUATION concepts and applicationsIntroduction to EFFECTUATION concepts and applications
Introduction to EFFECTUATION concepts and applications
 
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
 
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCCEstudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
 
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
 
Foi por amor.pptx xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
Foi por amor.pptx xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxFoi por amor.pptx xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
Foi por amor.pptx xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
 

FamíLia Dallabrida

  • 2. CONHEÇA UM POUCO DA HISTÓRIA DA FAMÍLIA DALLABRIDA
  • 3. HISTÓRICO O capitalismo estava propondo a eles a urbanização e conseqüente proletarização. O apelo de muitos países americanos, entre eles o Brasil, pela necessidade de mão de obra camponesa, fez com que houvesse uma avalanche emigratória, principalmente do norte da Itália e do Tirol do Sul, também chamado Tirol Italiano, pertencente ao Império Austro-Húngaro; o pico máximo da emigração foram os anos de 1875 e 1876.
  • 4. As colônias que acolheram estes emigrantes de língua Italiana e que professavam o catolicismo, que na época era a religião oficial do Império, foram as do Espírito Santo, liderados pela expedição “Tabacchi” e as do Rio Grande do Sul e Santa Catarina coordenadas por Joaquim Caetano Pinto Júnior.
  • 5. No ano 1000 surgem novos centros com economia forte como Veneza, Nápoles, Genova. Tornaram-se fortes, graças ao comércio, ao domínio dos mares, da ciência e da cultura. Quem não se lembra das históricas aventuras de Marco Pólo, um aventureiro que foi até a China, ou da participação de Cristóvão Colombo e Américo Vespúcio no descobrimento da América? E o Renascimento em Florença, quando Dante Alighieri escreveu a Divina Comédia justamente no idioma Italiano, Bruneleschi, Leonardo da Vinci, Michelangelo Buonarotti, Maquiavel, Galileu Galilei , Gioto , Rafael entre tantos outros....
  • 6. Afinal, com todo este esplendor, culturalmente a Itália já existia, mas politicamente toda fragmentada e sempre sofrendo sob o jugo dos poderosos, como aconteceu com o Trentino ou Tirol do Sul que mesmo ficando sob os domínio do Império Austro Húngaro por oito séculos jamais perdeu a sua identidade cultural, mantendo a duras penas os costumes e o seu idioma. No início do Século XIX a Europa é sacudida pelas conquistas de Napoleão Bonaparte e novamente a Itália é dominada. Em seguida com a queda de Napoleão retorna o império Austro Húngaro tomando grande parte do norte da Itália, e ao sul o domínio é dos espanhóis.
  • 7. Dificuldades econômicas e políticas da época impediram que a unificação fosse completa, permanecendo o Trentino com os austríacos. Sucederam-se secas, doença nas vinhedos e no bicho da seda, epidemias, acompanhado de grave crise econômica levando inclusive dificuldades de sobrevivência. O trentino teve de esperar mais 58 anos quando finalmente foi anexado a Itália na Primeira Guerra Mundial, por isto os nossos antepassados vieram da Áustria – Trento – Tirol do Sul. Aí a Itália ficou completa e seguramente os espírito do nosso herói Garibaldi pode repousar ao lado dos grandes e valorosos, e passou para a história entre os grandes homens do Século XIX!!!
  • 8. A vida no Trentino era difícil, as terras sempre ficaram nas mãos dos nobres ou senhores feudais e lavradas pelos contadinos ou arrendatários que pagavam pesados tributos aos seus senhores. Para manter o sustento das suas famílias, nas épocas em que não havia lavoura iam para outras partes da Itália, Suíça, Áustria e até na Alemanha fazendo trabalhos sazonais e retornavam depois de muitos meses. Foi onde tiveram conhecimento sobre as primeiras levas de emigração para América.
  • 9. Surgem então uma corrente de unificação, chamada Resorgimento, encabeçada por Giuseppe Mazzini em 1821 e logo abraçada por um jovem idealista Giuseppe Garibaldi o Herói dos dois mundos, que também lutou na América do Sul por mais de uma década, na nossa Revolução Farroupilha, e na guerra entre Uruguai e Argentina, e posteriormente retornou para a Itália já com a fama de grande estrategista militar, e com a sua bravura e perseverança ajudou na unificação da Itália, que apesar de ser um republicano lutou a favor do rei Vitório Emanuelle II, que era Rei do Piemonte cuja capital era Turim.
  • 10. Posteriormente a capital da Itália passou para Florença e finalmente após a conquista definitiva dos estados Pontifícios passou para Roma em 1870.
  • 11. Emigração Nos idos de 1850 o Império Brasileiro iniciou uma intensa campanha para atrair Imigrantes, para preencher imensas glebas de terras despovoadas, e os primeiros a atender o chamado foram os alemães, temos como exemplo a Colônia de Blumenau e Joinville. As noticiais se espalhavam, e o Brasil era pintado como a terra do leite e mel: Terras férteis, moradia, animais domésticos, frutas em abundância, Escolas, Igrejas, assistência do Governo..... Era o Paraíso!!!!
  • 12. Com a redução da emigração dos Alemães, decorrentes da industrialização da Alemanha que passou a ocupar a mão de obra excedente do campo, e também da Guerra contra a França, os próximos a atenderem o chamado foram os Trentinos e os Italianos do Norte, que eram lavradores e professavam a religião Católica a religião oficial do Império Brasileiro. Ficando a Cargo da Expedição Tabacchi atrair emigrantes para o Espírito Santo e a Caetano Pinto para o Sul do Brasil.
  • 13. Com a industrialização da Itália, a ameaça de proletarização e a grave crise do Trentino, ameaçando quebrar aquela estrutura social secular fez com que se vislumbrasse uma emigração definitiva, e ainda livrar-se de dois tormentos que os acompanhavam durante séculos: a pobreza e o patrão, passando a serem proprietários da sua terra. Isto determinou emigração em massa, onde pequenos ¨paese¨ foram praticamente esvaziados.
  • 14. Entre estes emigrantes estavam Carlos, Rafael, Fortunato, Celeste e Antonio Dallabrida.
  • 15. Evidentemente que os nossos ancestrais não encontraram tudo o que lhes foi prometido, e sim terras cobertas de mata e pouco da assistência que lhes foi prometido, foram dias difíceis onde tiveram que lutar bravamente pela sobrevivência, até se instalarem definitivamente nas suas propriedades, que por muitas vezes eram difíceis de lavrar, montanhosas, quando havia produção excedente o comércio era difícil pois não haviam estradas. Épocas de difícil sobrevivência. Pesquisa: Luiz Ceola.www.ceola.com.br
  • 16. A nova morada As famílias de Rafael,Carlos, Rodolfo, Celeste e Antônio migraram de Trento- Itália em 1875. Se estabeleceram mo estado de Santa Catarina onde junto com outros imigrantes fundaram o município de NOVA TRENTO. Devido vários problemas, “as terras que receberam não eram muito férteis, o milho parecia pipoca. A principal cultura, o que mais produzia era a mandioca. Muitas vezes alimentavam-se só com farinha de mandioca”.Prova disto é a existência de máquinas de moer a mandioca, bem como outras construídas pela família Dallabrida.(Museu em Vogolo Vattaro - Nova Trento – SC).
  • 17. Dificuldades Além das dificuldades na produção, segundo o Sr. LUCIANO DALLABRIDA, em 1909 ocorreu uma terrível tempestade de granizo que acabou com a produção. O Sr. Carlos Dallabrida entrou em conflito com o padre na construção da igreja,questão das janelas. ( igreja que existe até hoje em Vigollo Vattaro – Nova Trento - SC).
  • 18. Motivos da Decisão O desânimo devído a tempestade e conflitos . Construção da via férrea. “Esta Região do Planalto rio-grandense iniciou sua integração com a construção da via férrea ligando Porto Alegre – Uruguaiana e a grande estrada de ferro que partiu de Santa Maria à Cruz Alta em 1894, Passo Fundo em 1900, Marcelino Ramos em 1910, ramal que uniu Cruz Alta à Ijuí em 1917, Santo Ângelo em 1915 e Santa Rosa em 1940”. ROCHE,Jean; A Colonização Alemã e o Rio Grande do Sul, Porto Alegre,p.63 .. “ notícias de parentes diziam que as terras eram boas, mas os lugares não eram muito bonitos”. Luciano Dallabrida,
  • 19. A Viajem “ Saindo de Trento – Itália, viajaram : 36 dias até Itajaí, litoral de Santa Catarina,de navio. 3 dias de espera para embarcar no navio. 3 dias de viagem de navio até Porto Alegre – RS. 8 dias de espera em Porto Alegre. Viajaram até Cruz Alta – RS, de trem. Viajaram de carroça (carroceiros-Taxi) até o município de Ijuí, hoje Ajuricaba, Linha 26 (100Km) Andaram à cavalo e a pé da Linha 26 até a LINHA 29 (não havia estrada, só uma picada nomeio da mata). Chegaram aqui dia 03 MAIO DE 1909 ”. Fonte: Paulo e Seraphim Dallabrida.
  • 20. Minha Árvore Genealógica BISAVÓS TATARAVÓS Genealogia AVÓS PAIS IRMÃOS SOBRINHOS Cunhados e Cunhadas
  • 21. FAMÍLIA DO DANIEL(nono) Tios e primos do pai TIOS PRIMOS
  • 22. FAMÍLIA DO CARLOS(nona) PRIMOS Tios e primos do pai TIOS
  • 23. FAMÍLIA DE José Pedro e Carlota TIOS PRIMOS Meus tios e primos (paternos).
  • 24. FAMÍLIA BAGOLIN (mãe) TIOS PRIMOS PAIS AVÓS BISAVÓS TATARAVÓS ? Genealogia Minha Árvore Genealógica IRMÃOS
  • 25. TIOS E TIAS DA MÃE (família Bagolin)
  • 26. TIOS E TIAS DA MÃE (Família Pienis)
  • 27. 1º ENCONTRO DA FAMÍLIA DALLABRIDA Local: Salão Paulo de Tarso – Ajuricaba –RS. Dia 01/01/1990. Número de pessoas que participaram:....
  • 28. 2º ENCONTRO DA FAMÍLIA DALLABRIDA Local: Linha 29 Norte – Ajuricaba –RS. Dia 24/01/1991. Número de pessoas que participaram:....
  • 29. 3º ENCONTRO DA FAMÍLIA DALLABRIDA Local:Tenente Portela –RS. Dia 08/03/1992. Número de pessoas que participaram:....
  • 30. 4º ENCONTRO DA FAMÍLIA DALLABRIDA Local:Vigolo Vátaro – Nova Trento - SC. Dia 27/02//1993. Número de pessoas que participaram:....
  • 31. 5º ENCONTRO DA FAMÍLIA DALLABRIDA Local:Boa Vista das Missões - RS. Dia 12/02//1994. Número de pessoas que participaram:....
  • 32. 6º ENCONTRO DA FAMÍLIA DALLABRIDA Local:Linha Bom Jesus – Capitão Lêonidas Marques - PR. Dia 18/02/1995. Número de pessoas que participaram:....
  • 33. 7º ENCONTRO DA FAMÍLIA DALLABRIDA Local:Vigolo Vátaro – Nova Trento - SC. Dia 24/02//1996. Número de pessoas que participaram:....
  • 34. 8º ENCONTRO DA FAMÍLIA DALLABRIDA Local:Linha 29 Norte – Ajuricaba - RS. Dia ....//1997. Número de pessoas que participaram:....
  • 35. 9º ENCONTRO DA FAMÍLIA DALLABRIDA Local:Linha 29 Norte – Ajuricaba - RS. Dia .../1999. Número de pessoas que participaram:....
  • 36. 10º ENCONTRO DA FAMÍLIA DALLABRIDA Local:Vigolo Vátaro – Nova Trento - SC. Dia 02/02/2002. Número de pessoas que participaram:....
  • 37. 11º ENCONTRO DA FAMÍLIA DALLABRIDA Local: - SC. Dia ...../2004. Número de pessoas que participaram:....