SlideShare uma empresa Scribd logo
18 de Setembro de 2009
Criação: btms,emdf, lcs5,lvs,lfag,mvm
Alien Attack
Game Design Document
8
Platypus|18/10/2007
Alien Attack
Game Design Document
Este documento apresenta a visão do Alien Attack, sendo o documento que formaliza a fase de pré-produção do
jogo. Ele está dividido em três partes:
• Game Concept: expressa a idéia central do jogo, de forma geral, sendo utilizado para um entendimento
inicial do que é o Alien Attack;
• Game Proposal: define a proposta do jogo como produto, ambientando o jogo no mercado e dando uma
proposta em alto nível para o projeto do jogo;
• Game Design: define os elementos do jogo de forma detalhada, e serve de base para a fase de produção.
Versão Data Responsáveis
1.0 18/09/2009 btms,emdf, lcs5,lvs,lfag,mvm
9
Platypus|18/10/2007
SUMÁRIO
SUMÁRIO.........................................................................................................................3
GAME CONCEPT.................................................................................................................4
INTRODUÇÃO................................................................................................................4
DESCRIÇÃO...................................................................................................................4
CARACTERÍSTICAS PRINCIPAIS..............................................................................................4
GÊNERO.......................................................................................................................4
PLATAFORMA.................................................................................................................5
GAME PROPOSAL................................................................................................................6
ANÁLISE DE MERCADO......................................................................................................6
MERCADO-ALVO.........................................................................................................6
PRINCIPAIS EMPRESAS....................................................................................................6
COMPARAÇÃO DE CARACTERÍSTICAS.................................................................................6
ANÁLISE TÉCNICA............................................................................................................7
ELEMENTOS EXPERIMENTAIS...........................................................................................7
RISCOS.....................................................................................................................7
RECURSOS ESTIMADOS..................................................................................................7
CRONOGRAMA ESTIMADO..............................................................................................8
GAME DESIGN...................................................................................................................9
MECÂNICA DO JOGO........................................................................................................9
CORE GAME PLAY.......................................................................................................9
FLUXO DO JOGO.........................................................................................................9
PERSONAGENS............................................................................................................9
ELEMENTOS DO GAME PLAY...........................................................................................9
INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL.............................................................................................11
MULTIUSUÁRIO.........................................................................................................11
INTERFACE COM USUÁRIO................................................................................................12
FLOWCHART............................................................................................................12
ARTE E VÍDEO..............................................................................................................13
OVERALL GOALS.......................................................................................................13
ANIMAÇÃO E ARTE 2D................................................................................................14
ANIMAÇÃO E ARTE 3D................................................................................................14
SOM E MÚSICA..............................................................................................................14
OBJETIVOS GERAIS.....................................................................................................14
EFEITOS DE SOM........................................................................................................14
MÚSICA...................................................................................................................15
ESTÓRIA.....................................................................................................................15
LEVEL REQUIREMENTS....................................................................................................15
8
Platypus|18/10/2007
GAME CONCEPT
Introdução
Alien Attack é um jogo estilo “tower defence” que será desenvolvido ( utilizando a bibliotéca Palib ) para
a plataforma Nintendo DS. O jogo consiste na idéia de defesa de terreno feito pelo o jogador. Desenvolvido sobre
uma visão 2D, o jogo será ambientado no espaço, onde uma guerra entre aliens e humanos é travada. O jogador
assumirá o papel do comandante dos humanos na defesa do ataque dos aliens.
Descrição
Alien Attack será um jogo no consagrado estilo “tower-defence”, ambientado na guerra intergaláctica
entre aliens e humanos.
Os humanos terão que se defender dos ataques das forças alienígenas utilizando toda a tecnologia
disponível.
Torres de defesa, tanques de guerra, canhões de plasma, entre outras tecnologias serão parte do arsenal
humano para a defesa dos ataques alienígenas.
Características Princi pais
Single-player: Alien Attack será desenvolvido sobre uma concepção single-player e não fornecerá um suporte
multi-player.
Gráficos em duas dimensões (2D): Alien Attack utilizará a biblioteca de desenvolvimento PAlib e utilizará
sprites para fazer a plotagem gráfica.
Cenários Futurísticos: Alien Attack será ambientado no futuro, onde uma guerra intergaláctica é travada entre
aliens e humanos, os cenários do jogo serão terrenos em diversos planetas.
Jogabilidade da caneta Stylus: A jogabilidade será feita com o auxílio da caneta stylus. Ela será utilizada para
criar e manipular as unidades de defesa, entre outras funcionalidades.
Gênero
9
Platypus|18/10/2007
Alien Attack é um jogo no consagrado estilo “tower-defence”, onde o jogador deverá impedir que os
inimigos atinjam um determinado alvo. O posicionamento das unidades de defesa são fundamentais para o sucesso
do jogador.
Platafor ma
O jogo será desenvolvido para Nintendo DS. Para jogar, será necessário a utilização de um flashcard (R4,
DSTT, Acekard 2.1, Supercard DS One, entre outros).
8
Platypus|18/10/2007
GAME PROPOSA L
Análise de Mercado
M e r c a d o - A l v o
O publico-alvo do Alien Attack é formado por jogadores casuais, com idade acima de sete anos. Não há distinção
de gênero ou limite máximo de idade para o público-alvo, dado sua característica de jogador casual.
P r i n c i p a i s E m p r e s a s
Existem diversas empresas trabalhando com jogos no mundo inteiro. Dentre as principais, destacam-se:
• Microsoft
• SEGA
• Blizzard
• Sony
• Ubisoft
Estas empresas são referência de excelência no mercado mundial de jogos, estando entre as maiores receitas
atualmente. Devido a isso, as práticas dessas empresas são observadas por grande parte dos demais fabricantes de
jogos.
C o m p a r a ç ã o d e C a r a c t e r í s t i c a s
No desenvolvimento das características do Alien Attack foram observadas funcionalidades existentes em Pixeljunk
Monsters, Plants Vs Zombies, StarCraft.
Pixeljunk Monsters é o tower defense mais popular na Playstation Network. O objetivo do jogo é impedir que os
montros, que vêm em ondas, invadam sua vila e mate seus habitantes. O jogo ficou muito conhecido graças ao
trabalho de arte visual e à cativante trilha sonora. O diferença do jogo em relação a outros tower defense é a
adição de um elemento de ação, onde o personagem precisa se movimentar para criar uma torre num
determinado lugar.
Plants Vs Zombies é um jogo Tower Defense desenvolvido e publicado pela PopCap Games para Windows, Mac
OS X e iPhone OS. O jogador assume o controle de várias plantas, cada uma com suas características e
peculiaridades. As plantas devem resistir aos ataques dos inimigos, que, no caso, são zumbis.
StarCraft é o lendário jogo de estratégia e ficção científica produzido pela Blizzard Entertainment. O jogador pode
assumir o controle de tropas de alienígenas ou de humanos em batalhas sangrentas no espaço. Não se trata de um
tower defense, mas a temática é similar a do Alien Attack.
9
Platypus|18/10/2007
Análise Técnica
E l e m e n t o s E x p e r i m e n t a i s
A equipe de desenvolvimento do jogo é relativamente inexperiente no ramo, e o jogo será desenvolvido focando o
aprendizado. Dito isso, não serão utilizados elementos experimentais no jogo. Para a equipe de desenvolvimento a
criação do jogo em si já envolve uma série de tecnologias novas a serem aprendidas, e o uso de inovações será
postergado para desenvolvimentos de jogos futuros, quando o conhecimento básico para a feitura de jogos já
estiver bem sedimentado.
R i s c o s
Como em qualquer desenvolvimento de produto de software, diversos riscos estão associados à produção do Alien
Attack. A tabela abaixo mostra os principais riscos que podem aparecer durante o desenvolvimento do Alien
Attack:
Nome Descrição Plano de Mitigação Plano de Contingência
Uso de novas
tecnologias
Dado que a equipe possui
pouca experiência no
desenvolvimento de
jogos, e que diversas
técnicas e tecnologias
deverão ser aprendidas, as
tecnologias utilizadas para
o desenvolvimento de
jogos podem tornar a
produção do Platypus
inviável dentro do prazo
disponível
Distribuição de tutoriais
específicos para utilização
das tecnologias
necessárias;
Membros da equipe mais
experientes podem
ministrar palestras sobre
as tecnologias para os
demais membros
Migrar para tecnologias
mais simples
Falta de membros da
equipe
Membros da equipe
podem se ausentar por
diversos motivos, como:
conflitos de horário
(trabalho vs. estudo);
doença; morte, etc.
Discutir com membros da
equipe o melhor horário
para reuniões;
Manter equipe atualizada
sobre o trabalho de cada
membro, para eventual
realocação de tarefas
Subdividir trabalho do
membro faltoso, e
realocá-lo para demais
membros da equipe
Prazo curto Há um prazo
relativamente curto (3 a 4
meses) para realizar as
diversas tarefas necessárias
ao desenvolvimento do
jogo
Estabelecer um
cronograma e gerenciar
equipe, de forma a
terminar tarefas no prazo
especificado
Dialogar com cliente
(Geber) para aumentar
prazo de entrega
R e c u r s o s E s t i m a d o s
Os recursos estimados para o desenvolvimento do Alien Attack são:
8
Platypus|18/10/2007
• Desenvolvedores: 6 pessoas;
• Software: Sistema Operacional Windows; biblioteca PAlib para C; IDE Microsoft Visual Studio.
• Hardware: PCs Pentium IV ou superior, com 512 MB de RAM, placa de vídeo de 64 MB e placa de som
(ambas as placas compatíveis com DirectX 8 ou superior) para todos os membros da equipe de
desenvolvimento.
C r o n o g r a m a E s t i m a d o
Fase Marco Data de início Data de término
Concepção Apresentação do Conceito
do Jogo
28/08/2009 01/09/2009
Design Release do Documento de
Game Design
18/09/2009 21/09/2009
Documentação Em definição 18/09/2009 22/09/2009
Treinamento nas
ferramentas
Conclusão do curso de
treinamento interno
23/09/2009 30/09/2009
Implementação Release da versão alfa 02/10/2009 10/10/2009
Testes Release da versão beta e
apresentação prévia do
jogo
11/10/2009 18/10/2009
Entrega Release da versão 1.0 e
apresentação do jogo
20/10/2009 01/12/2009
9
Platypus|18/10/2007GAME DESIGN
Mecânica do Jogo
C o r e G a m e P l a y
Alien Attack é um jogo no consagrado estilo tower defense, gênero que surgiu a partir de variações do RTS (Real
Time Strategy). No Alien Attack, o jogador controla a raça dos humanos para defender os ataques de raças
alienígenas. As batalhas ocorrem em diversos planetas de uma galáxia remota, onde os humanos tentam defender
esses planetas usando todos os recursos e tecnologias disponíveis.
Os inimigos alienígenas atacam em ondas cuja dificuldade vai progredindo. O jogador deverá defender o Town
Center, a base principal do planeta onde vive a população. Para isso, pode-se construir diversos tipos de torres em
locais reservados. Existem torres específicas para cada situação, e o jogador deverá ter uma boa capacidade de
raciocínio e pensamento estratégico para saber escolher as torres mais adequadas, posicioná-las de modo
inteligente e conseguir gerenciar os recursos disponíveis.
O primeiro tipo de torre é o Ground Shot: uma torre que solta flechas de metal e ataca um inimigo por vez, e
estes têm que ser terrestres. O segundo tipo é o Cannon Rock: torrem que soltam grandes bolas de metal e
podem atingir vários inimigos ao mesmo tempo; esta torre também só ataca inimigos terrestres. O terceiro tipo
de torre é a Laser Shot: torre que atira lasers e ataca somente um inimigo por vez; esta torre só ataca inimigos
aéreos. O quarto tipo de torre é o Laser Splash: essa torre ataca inimigos aéreos em área. O quinto tipo é Chimera
Steel: está torre ataca todo tipo de inimigo, e em área. O sexto tipo é Death Kiss: esta ataca apenas um inimigo
por vez, mas é o ataque é fatal. E por fim, a torre Exogenesis: atinge todos os inimigos visíveis na tela, e tem um
alto poder de ataque.
Todas essas torres podem receber upgrades que podem aumentar atributos como poder de ataque, velocidade, e
área de alcance. Tanto para construir essas torres quanto para fazer os upgrades será necessário Steel Coins
(moedas da galáxia). Essas Steel Coins são obtidas no começo de cada batalha ou através dos montros alienígenas
derrotados, que dropam elas.
F l u x o d o J o g o
O jogo começa com o menu básico, onde o jogador pode escolher uma as seguintes opções: Novo Jogo (inicia
uma nova campanha), Continuar Jogo (se já tiver algum jogo salvo), Controles (mostra os comandos básicos do
jogo), Modo Survival (Hordas infinitas de monstro que vão aumentando de dificuldade), Sair(sai do jogo).
Quando começa uma nova campanha, irá aparecer uma pequena introdução que conta um pouco da história, e em
seguida aparecerá o primeiro planeta para os humanos defenderem. Planeta a pós planeta, o jogador vai ganhando
as batalhas sequencialmente até zerar, e então será mostrado o final da saga.
P e r s o n a g e n s
O jogador controlará a raça dos humanos. Os inimigos serão raças alienígenas, perversas e malignas, habitantes das
galáxias vizinhas
E l e m e n t o s d o G a m e P l a y
Há diversos elementos com os quais o jogador pode interagir no ambiente do Platypus.
Há, obviamente, as bandeiras dos times, sendo que o jogador pode interagir apenas com a bandeira do adversário.
Quando o jogador encosta na bandeira adversária, a bandeira automaticamente passa a ser carregada por ele, até
8
Platypus|18/10/2007
que o jogador seja congelado por um oponente ou chegue de volta a seu campo. O jogador não pode interagir
com a bandeira de seu time, uma vez que esta está localizada numa área onde ele não tem acesso.
O próprio campo pode ser considerado um elemento do jogo, já que, a depender da área onde o jogador esteja
localizado, as possibilidades de ação do jogador variam. A figura abaixo mostra as diversas áreas dentro do campo:
FIG. 1 - ÁREAS DO CAMPO DO JOGO DE BARRA-BANDEIRA
Quanto ao funcionamento das áreas mostradas na figura acima, temos que:
• A área do time A é onde os jogadores do time A são colocados no início da partida. Nesta área o jogador
do time pode congelar os jogadores do time B;
• A área do time B é onde os jogadores do time A podem ser congelados pelos jogadores do time B, e
podem descongelar os jogadores de seu próprio time que estejam congelados;
• A área neutra é uma região em que nem o jogador pode congelar os adversários, nem pode ser
congelado;
• A área da bandeira do time A não é acessível aos jogadores do time A, é uma área onde os jogadores do
time B estão a salvo do congelamento. Se o jogador do time A tentar entrar nesta área, ele será
arremessado para trás. Nesta área, em algum ponto, fica localizada a bandeira do time A, que deve ser
capturada pelos jogadores do time B;
• A área da bandeira do time B é onde o jogador do time A deve entrar para capturar a bandeira do time B.
De forma análoga ao que ocorre com o time B na área da bandeira do time A, os jogadores do time A
estão a salvo nesta área.
Também existem diversos itens surpresa que aparecem no campo aleatoriamente. Quando o jogador passar sobre
a caixa do item será sorteado um dentre as diversas possibilidades (o jogador não sabe previamente qual item irá
pegar). Os itens podem ser neutros, beneficiar ou prejudicar o jogador, mas há uma quantidade maior de itens
bons para estimular os jogadores a pegá-los. Os itens são:
9
Platypus|18/10/2007
• Neblina: é um item neutro. Aparece uma neblina no ambiente que dificulta a visão de todos os jogadores.
A neblina dura um curto tempo, mas o suficiente para prejudicar a noção de posicionamento que um
jogador tem dos outros na quadra;
• Turbo: é um item benéfico. O jogador passa a se movimentar na quadra numa velocidade maior, por um
tempo também curto, mas capaz de dar vantagem competitiva ao jogador;
• Ovelha: é um item prejudicial. O personagem do jogador se transforma numa ovelha. O efeito é oposto
ao do turbo, ou seja, o jogador fica mais lento;
• Troca de controles: é um item prejudicial. Os controles do jogador são invertidos; direcional pra cima
com direcional para baixo e direcional para esquerda com para direita;
• Coice: é um item benéfico. Quando pego, todos os jogadores próximos são lançados para longe de forma
radial;
• Sol: é um item benéfico. Descongela todos os jogadores do time do jogador que pegou o item;
• Teletransporte: é um item benéfico. O jogador do time A é teletransportado para a área da bandeira do
time B. Este é um item de rara ocorrência;
• Gravidade Baixa: é um item benéfico. A gravidade do ambiente para o jogador que pegou o item é
reduzida, desta forma este jogador poderá atravessar o campo em poucos segundos.
• Objetos inusitados: é um item neutro. Aparecem itens na tela que apenas atrapalham a movimentação
dos jogadores. Os itens estão ligados ao cenário do jogo (ex: invasão de sem-terra na fazenda; nave de
Xuxa no meio da rua; etc.).
I n t e l i g ê n c i a A r t i f i c i a l
A princípio não haverá Inteligência Artificial (AI) no Platypus. Os personagens do jogo serão controlados
diretamente pelos usuários, não havendo NPCs (Non-playing characters), e, portanto, não há necessidade de AI.
Futuramente NPCs podem ser integrados ao jogo, para permitir que um único, ou poucos usuários possam
disputar partidas contra o computador.
Caso NPCs venham a ser utilizados, eles deverão observar itens como movimentação no campo, definição de
objetivos imediatos e principais, integração com demais membros da equipe (cada NPC deve saber que faz parte
de um time e agir de forma conjunta), capacidade de se adequar a táticas dinâmicamente (um NPC deve saber se
ataca ou defende, e como fazer isso de forma a ajudar sua equipe), reação aos itens do jogo (um NPC deve
perceber as mudanças no ambiente causadas pelos itens do jogo e se adequar a elas).
M u l t i u s u á r i o
O conceito de jogo multiusuário é forte na idéia do Platypus. Apesar da possibilidade de adicionar NPCs numa
edição futura, o design do jogo visa à interação entre humanos. A adoção desse conceito no jogo visa garantir uma
maior diversão aos jogadores, pois o nível de desafio de jogos entre humanos tende a ser melhor do que entre
humano e computador. Não se corre o risco do jogo ser excessivamente difícil, que causa sensação de
incapacidade, ou de ser excessivamente fácil, que causa aborrecimento, sendo que, em ambos os casos, a diversão,
que é a principal finalidade de um jogo, acaba sendo minimizada.
A dinâmica do jogo em si, por ser disputado por partidas entre dois times, facilita a absorção do conceito de
multiusuário, pois a interação entre vários usuários é uma característica muito importante nos esportes de equipe.
8
Platypus|18/10/2007
Os jogadores devem se juntar, formando equipes de 3 a 5 pessoas, e se organizarem entre si de modo a tentar
vencer o time adversário. A divisão entre ataque e defesa, o uso de táticas, e a adequação de cada elemento à
estratégia do time são conceitos que, apesar de não aparecerem explicitamente no Platypus, serão adotados pelos
jogadores para alcançar de seus objetivos no jogo.
Inter face com Usuário
F l o w c h a r t
Abaixo, seguem as telas de navegação do usuário no jogo. São basicamente 3 telas na navegação padrão: a tela de
abertura do jogo; a tela de escolha da partida; a tela da partida em si.
FIG. 2 - TELA INICIAL DO PLATYPUS
9
Platypus|18/10/2007
FIG. 3 - TELA DE CONFIGURAÇÃO DE PARTIDA
FIG. 4 - TELA DA PARTIDA
Arte e Vídeo
O v e r a l l G o a l s
O Platypus é um jogo 3D, e, portanto, o uso de gráficos em 3 dimensões deve se sobressair nos elementos
principais do jogo (com os quais o jogador interage) para criar um ambiente de imersão. A temática cômica deve
ser utilizada como guia para os elementos gráficos do jogo, sempre que possível.
8
Platypus|18/10/2007
A n i m a ç ã o e A r t e 2 D
G U I
Serão utilizados os elementos padrões da TGE para elementos básicos da GUI (telas, janelas, botões, etc.).
T e r r e n o
Os terrenos serão definidos de acordo com o tipo de cenário adotado (praia, fazenda, rua, etc.). Deverão ser
utilizadas texturas adequadas ao ambiente que se deseja mostrar no terreno (aí incluso tanto o piso – terra, água,
lama – quanto os elementos auxiliares de cenário – casas, árvores, etc.). O editor de terrenos da TGE será
utilizado para colocar as texturas sobre o cenário.
E l e m e n t o s d o G a m e P l a y
Da mesma forma que os terrenos, também devem haver texturas adequadas aos elementos do game play. O editor
utilizado para elementos 3D deve ser utilizado para colocar as texturas 2D sobre os elementos.
A n i m a ç ã o e A r t e 3 D
Os jogadores e itens que interagem com os jogadores serão desenhados em polígonos 3D. O trabalho de criação
das figuras 3D, tanto de modelagem quanto de animação, deve estar em sintonia com os conceitos definidos pelos
artistas 2D. O terreno deve ser criado com o editor de terreno da TGE, e as demais figuras 3D devem ser criadas
por editores gráficos com suporte para tipos de dados aceitos pela TGE.
Som e Música
O b j e t i v o s G e r a i s
Os sons do Platypus seguem uma temática cômica, ajudando a criar a identidade do jogo. O uso do som
relacionado aos elementos do jogo também deve ser utilizado para provocar uma maior imersão do jogador, a
partir de uma integração da parte sonora com a visual. A existência de diversos cenários e itens será explorada pela
sonoridade, ajudando o jogador a perceber os elementos distintos que compõem o jogo.
E f e i t o s d e S o m
Os efeitos de som utilizados deverão ser compatíveis com a tecnologia adequada ao TGE. Abaixo segue a
descrição dos diversos efeitos de som por elementos de jogo.
G U I
Elementos de GUI (cliques de botão, abertura de janela, etc.) irão utilizar os sons padrões da TGE.
E f e i t o s
Há três efeitos básicos no jogo: congelar jogador (seguido por teletransporte de bandeira), descongelar jogador e
pegar bandeira. Cada um desses elementos possui um som característico para que os jogadores saibam do evento
ocorrido.
P e r s o n a g e n s
Os personagens, por serem padronizados, não terão sons especiais.
E l e m e n t o s d o G a m e P l a y
Cada elemento do game play descrito anteriormente (subseção Elementos do Game Play em Mecânica do Jogo)
possui um som próprio ao ser ativado, para alertar os jogadores.
M o v i m e n t o
9
Platypus|18/10/2007
Padrão da TGE para terra. Som especial para diferenciar terrenos especiais de água e lama.
M ú s i c a
J i n g l e s p o r E v e n t o s
O início da partida e o final possuem músicas caracteríticas, comuns a todas as telas.
S h e l l S c r e e n
Música em loop para tela inicial do jogo.
T e m a s d e C e n á r i o s
Cada terreno deve possuir música própria, adequada ao ambiente ao qual se refere (ex: música country para
ambiente de fazenda).
Estória
Dado o tipo de jogo, esportivo, baseado numa brincadeira infantil tradicional, a utilização de estória não se aplica a
Platypus.
Level Requiremen ts
O Platypus possui diferentes cenários/terrenos, mas não há divisão por níveis. Apesar dos diversos cenários
possuírem características diferentes (ex: lama no cenário de fazenda causa movimento diferenciado da areia da
cenário de praia), eles não são tratados como níveis diferentes, no sentido em que não exigem diversos níveis de
dificuldade do usuário, mas sim de dar maior variedade e dinamismo ao jogo.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Game Design as Career
Game Design as CareerGame Design as Career
Game Design as Career
ArtfulArtsyAmy
 
Os principios do game design
Os principios do game designOs principios do game design
Os principios do game design
Aryel Bargas
 
LAFS Game Mechanics - Narrative Elements
LAFS Game Mechanics - Narrative ElementsLAFS Game Mechanics - Narrative Elements
LAFS Game Mechanics - Narrative Elements
David Mullich
 
Introduction to game development
Introduction to game developmentIntroduction to game development
Introduction to game development
Abdelrahman Ahmed
 
Capitulo 02 sommerville
Capitulo 02 sommervilleCapitulo 02 sommerville
Capitulo 02 sommerville
Fabricio Schlag
 
Processos de Desenvolvimento de Software - teoria e prática
Processos de Desenvolvimento de Software - teoria e práticaProcessos de Desenvolvimento de Software - teoria e prática
Processos de Desenvolvimento de Software - teoria e prática
Ralph Rassweiler
 
Game Design Process
Game Design ProcessGame Design Process
Game Design Process
Martin Sillaots
 
A evolução dos jogos (2)
A evolução dos jogos (2)A evolução dos jogos (2)
A evolução dos jogos (2)
João Pedro Santiago
 
Game design doc template
Game design doc   templateGame design doc   template
Game design doc template
davewilliamharrison
 
Game Design Principle
Game Design PrincipleGame Design Principle
Game Design Principle
Naquiah Daud
 
Evolução games
Evolução gamesEvolução games
Evolução games
Rafaela Vilela da Rocha
 
10 page pitch for game design
10 page pitch for game design10 page pitch for game design
10 page pitch for game design
Tom Carter
 
Game Architecture and Programming
Game Architecture and ProgrammingGame Architecture and Programming
Game Architecture and Programming
Sumit Jain
 
Introduction to Game Development
Introduction to Game DevelopmentIntroduction to Game Development
Introduction to Game Development
Shaan Alam
 
Psicologia do Esporte
Psicologia do EsportePsicologia do Esporte
Psicologia do Esporte
Nelson Novaes Neto
 
Game Balancing
Game BalancingGame Balancing
Game Balancing
Martin Sillaots
 
Killer Design Patterns for F2P Mobile/Tablet Games
Killer Design Patterns for F2P Mobile/Tablet GamesKiller Design Patterns for F2P Mobile/Tablet Games
Killer Design Patterns for F2P Mobile/Tablet Games
Henric Suuronen
 
Introduction to game development
Introduction to game developmentIntroduction to game development
Introduction to game development
Gaetano Bonofiglio
 
O Processo de Desenvolvimento de Software
O Processo de Desenvolvimento de SoftwareO Processo de Desenvolvimento de Software
O Processo de Desenvolvimento de Software
Camilo de Melo
 
Comparativo entre Engines de Jogos em 3d
Comparativo entre Engines de Jogos em 3dComparativo entre Engines de Jogos em 3d
Comparativo entre Engines de Jogos em 3d
Maico Fernando Wilges Carn
 

Mais procurados (20)

Game Design as Career
Game Design as CareerGame Design as Career
Game Design as Career
 
Os principios do game design
Os principios do game designOs principios do game design
Os principios do game design
 
LAFS Game Mechanics - Narrative Elements
LAFS Game Mechanics - Narrative ElementsLAFS Game Mechanics - Narrative Elements
LAFS Game Mechanics - Narrative Elements
 
Introduction to game development
Introduction to game developmentIntroduction to game development
Introduction to game development
 
Capitulo 02 sommerville
Capitulo 02 sommervilleCapitulo 02 sommerville
Capitulo 02 sommerville
 
Processos de Desenvolvimento de Software - teoria e prática
Processos de Desenvolvimento de Software - teoria e práticaProcessos de Desenvolvimento de Software - teoria e prática
Processos de Desenvolvimento de Software - teoria e prática
 
Game Design Process
Game Design ProcessGame Design Process
Game Design Process
 
A evolução dos jogos (2)
A evolução dos jogos (2)A evolução dos jogos (2)
A evolução dos jogos (2)
 
Game design doc template
Game design doc   templateGame design doc   template
Game design doc template
 
Game Design Principle
Game Design PrincipleGame Design Principle
Game Design Principle
 
Evolução games
Evolução gamesEvolução games
Evolução games
 
10 page pitch for game design
10 page pitch for game design10 page pitch for game design
10 page pitch for game design
 
Game Architecture and Programming
Game Architecture and ProgrammingGame Architecture and Programming
Game Architecture and Programming
 
Introduction to Game Development
Introduction to Game DevelopmentIntroduction to Game Development
Introduction to Game Development
 
Psicologia do Esporte
Psicologia do EsportePsicologia do Esporte
Psicologia do Esporte
 
Game Balancing
Game BalancingGame Balancing
Game Balancing
 
Killer Design Patterns for F2P Mobile/Tablet Games
Killer Design Patterns for F2P Mobile/Tablet GamesKiller Design Patterns for F2P Mobile/Tablet Games
Killer Design Patterns for F2P Mobile/Tablet Games
 
Introduction to game development
Introduction to game developmentIntroduction to game development
Introduction to game development
 
O Processo de Desenvolvimento de Software
O Processo de Desenvolvimento de SoftwareO Processo de Desenvolvimento de Software
O Processo de Desenvolvimento de Software
 
Comparativo entre Engines de Jogos em 3d
Comparativo entre Engines de Jogos em 3dComparativo entre Engines de Jogos em 3d
Comparativo entre Engines de Jogos em 3d
 

Semelhante a Exemplo de GDD

Curso Dia 02
Curso Dia 02Curso Dia 02
Curso Dia 02
cursoferias
 
Palestra Introdução ao Game Design
Palestra Introdução ao Game DesignPalestra Introdução ao Game Design
Palestra Introdução ao Game Design
Leonardo Zamprogno
 
Palestra Game Design
Palestra Game DesignPalestra Game Design
Palestra Game Design
vincevader
 
Palestra “UDK no Brasil e os Caminhos para Design e Desenvolvimento de games ...
Palestra “UDK no Brasil e os Caminhos para Design e Desenvolvimento de games ...Palestra “UDK no Brasil e os Caminhos para Design e Desenvolvimento de games ...
Palestra “UDK no Brasil e os Caminhos para Design e Desenvolvimento de games ...
Impacta Eventos
 
Desenvolvimento de jogos e ogre 3D - Palestra Fatec Santos
Desenvolvimento de jogos e ogre 3D - Palestra Fatec SantosDesenvolvimento de jogos e ogre 3D - Palestra Fatec Santos
Desenvolvimento de jogos e ogre 3D - Palestra Fatec Santos
jonathanblacknight
 
Inteligência Artificial em Jogos
Inteligência Artificial em JogosInteligência Artificial em Jogos
Inteligência Artificial em Jogos
Mauricio Volkweis Astiazara
 
Desenvolvimento de jogos e Ogre 3D - Dev In Santos
Desenvolvimento de jogos e Ogre 3D - Dev In SantosDesenvolvimento de jogos e Ogre 3D - Dev In Santos
Desenvolvimento de jogos e Ogre 3D - Dev In Santos
jonathanblacknight
 
Jme Games
Jme GamesJme Games
Desenvolvimento de jogos e ogre 3D - Palestra Fatec Praia Grande
Desenvolvimento de jogos e ogre 3D - Palestra Fatec Praia GrandeDesenvolvimento de jogos e ogre 3D - Palestra Fatec Praia Grande
Desenvolvimento de jogos e ogre 3D - Palestra Fatec Praia Grande
jonathanblacknight
 
Desenvolvimento de Videojogos em Portugal
Desenvolvimento de Videojogos em PortugalDesenvolvimento de Videojogos em Portugal
Desenvolvimento de Videojogos em Portugal
Nelson Zagalo
 
Desenvolvimento de Jogos - Mercado Parte 1
Desenvolvimento de Jogos - Mercado Parte 1Desenvolvimento de Jogos - Mercado Parte 1
Desenvolvimento de Jogos - Mercado Parte 1
Fabio Moura Pereira
 
Desenvolvimento de jogos e ogre 3D - Unip Santos
Desenvolvimento de jogos e ogre 3D - Unip SantosDesenvolvimento de jogos e ogre 3D - Unip Santos
Desenvolvimento de jogos e ogre 3D - Unip Santos
jonathanblacknight
 
Utilização da Engine de Jogos CryENGINE para o Desenvolvimento de Aplicativos...
Utilização da Engine de Jogos CryENGINE para o Desenvolvimento de Aplicativos...Utilização da Engine de Jogos CryENGINE para o Desenvolvimento de Aplicativos...
Utilização da Engine de Jogos CryENGINE para o Desenvolvimento de Aplicativos...
Leonardo Dalmina
 
6Game Design Process 2010 Unibero Kao Tokio Upload
6Game Design Process 2010 Unibero Kao Tokio Upload6Game Design Process 2010 Unibero Kao Tokio Upload
6Game Design Process 2010 Unibero Kao Tokio Upload
Kao Tokio
 
Desenvolvimento de jogos e ogre 3D - Unisantos
Desenvolvimento de jogos e ogre 3D - UnisantosDesenvolvimento de jogos e ogre 3D - Unisantos
Desenvolvimento de jogos e ogre 3D - Unisantos
jonathanblacknight
 
Unity3d dev in
Unity3d dev inUnity3d dev in
Unity3d dev in
Gabriel Caires
 
Visão Geral XNA
Visão Geral XNAVisão Geral XNA
Visão Geral XNA
Campus Party Brasil
 
I Phone Dev Br - Formas de desenvolvimento de jogos
I Phone Dev Br - Formas de desenvolvimento de jogosI Phone Dev Br - Formas de desenvolvimento de jogos
I Phone Dev Br - Formas de desenvolvimento de jogos
Tiago Moraes
 
Desenvolvimento de Jogos - Mercado Parte 2
Desenvolvimento de Jogos - Mercado Parte 2Desenvolvimento de Jogos - Mercado Parte 2
Desenvolvimento de Jogos - Mercado Parte 2
Fabio Moura Pereira
 
Casual Games
Casual GamesCasual Games
Casual Games
Ciça Milk
 

Semelhante a Exemplo de GDD (20)

Curso Dia 02
Curso Dia 02Curso Dia 02
Curso Dia 02
 
Palestra Introdução ao Game Design
Palestra Introdução ao Game DesignPalestra Introdução ao Game Design
Palestra Introdução ao Game Design
 
Palestra Game Design
Palestra Game DesignPalestra Game Design
Palestra Game Design
 
Palestra “UDK no Brasil e os Caminhos para Design e Desenvolvimento de games ...
Palestra “UDK no Brasil e os Caminhos para Design e Desenvolvimento de games ...Palestra “UDK no Brasil e os Caminhos para Design e Desenvolvimento de games ...
Palestra “UDK no Brasil e os Caminhos para Design e Desenvolvimento de games ...
 
Desenvolvimento de jogos e ogre 3D - Palestra Fatec Santos
Desenvolvimento de jogos e ogre 3D - Palestra Fatec SantosDesenvolvimento de jogos e ogre 3D - Palestra Fatec Santos
Desenvolvimento de jogos e ogre 3D - Palestra Fatec Santos
 
Inteligência Artificial em Jogos
Inteligência Artificial em JogosInteligência Artificial em Jogos
Inteligência Artificial em Jogos
 
Desenvolvimento de jogos e Ogre 3D - Dev In Santos
Desenvolvimento de jogos e Ogre 3D - Dev In SantosDesenvolvimento de jogos e Ogre 3D - Dev In Santos
Desenvolvimento de jogos e Ogre 3D - Dev In Santos
 
Jme Games
Jme GamesJme Games
Jme Games
 
Desenvolvimento de jogos e ogre 3D - Palestra Fatec Praia Grande
Desenvolvimento de jogos e ogre 3D - Palestra Fatec Praia GrandeDesenvolvimento de jogos e ogre 3D - Palestra Fatec Praia Grande
Desenvolvimento de jogos e ogre 3D - Palestra Fatec Praia Grande
 
Desenvolvimento de Videojogos em Portugal
Desenvolvimento de Videojogos em PortugalDesenvolvimento de Videojogos em Portugal
Desenvolvimento de Videojogos em Portugal
 
Desenvolvimento de Jogos - Mercado Parte 1
Desenvolvimento de Jogos - Mercado Parte 1Desenvolvimento de Jogos - Mercado Parte 1
Desenvolvimento de Jogos - Mercado Parte 1
 
Desenvolvimento de jogos e ogre 3D - Unip Santos
Desenvolvimento de jogos e ogre 3D - Unip SantosDesenvolvimento de jogos e ogre 3D - Unip Santos
Desenvolvimento de jogos e ogre 3D - Unip Santos
 
Utilização da Engine de Jogos CryENGINE para o Desenvolvimento de Aplicativos...
Utilização da Engine de Jogos CryENGINE para o Desenvolvimento de Aplicativos...Utilização da Engine de Jogos CryENGINE para o Desenvolvimento de Aplicativos...
Utilização da Engine de Jogos CryENGINE para o Desenvolvimento de Aplicativos...
 
6Game Design Process 2010 Unibero Kao Tokio Upload
6Game Design Process 2010 Unibero Kao Tokio Upload6Game Design Process 2010 Unibero Kao Tokio Upload
6Game Design Process 2010 Unibero Kao Tokio Upload
 
Desenvolvimento de jogos e ogre 3D - Unisantos
Desenvolvimento de jogos e ogre 3D - UnisantosDesenvolvimento de jogos e ogre 3D - Unisantos
Desenvolvimento de jogos e ogre 3D - Unisantos
 
Unity3d dev in
Unity3d dev inUnity3d dev in
Unity3d dev in
 
Visão Geral XNA
Visão Geral XNAVisão Geral XNA
Visão Geral XNA
 
I Phone Dev Br - Formas de desenvolvimento de jogos
I Phone Dev Br - Formas de desenvolvimento de jogosI Phone Dev Br - Formas de desenvolvimento de jogos
I Phone Dev Br - Formas de desenvolvimento de jogos
 
Desenvolvimento de Jogos - Mercado Parte 2
Desenvolvimento de Jogos - Mercado Parte 2Desenvolvimento de Jogos - Mercado Parte 2
Desenvolvimento de Jogos - Mercado Parte 2
 
Casual Games
Casual GamesCasual Games
Casual Games
 

Exemplo de GDD

  • 1. 18 de Setembro de 2009 Criação: btms,emdf, lcs5,lvs,lfag,mvm Alien Attack Game Design Document
  • 2. 8 Platypus|18/10/2007 Alien Attack Game Design Document Este documento apresenta a visão do Alien Attack, sendo o documento que formaliza a fase de pré-produção do jogo. Ele está dividido em três partes: • Game Concept: expressa a idéia central do jogo, de forma geral, sendo utilizado para um entendimento inicial do que é o Alien Attack; • Game Proposal: define a proposta do jogo como produto, ambientando o jogo no mercado e dando uma proposta em alto nível para o projeto do jogo; • Game Design: define os elementos do jogo de forma detalhada, e serve de base para a fase de produção. Versão Data Responsáveis 1.0 18/09/2009 btms,emdf, lcs5,lvs,lfag,mvm
  • 3. 9 Platypus|18/10/2007 SUMÁRIO SUMÁRIO.........................................................................................................................3 GAME CONCEPT.................................................................................................................4 INTRODUÇÃO................................................................................................................4 DESCRIÇÃO...................................................................................................................4 CARACTERÍSTICAS PRINCIPAIS..............................................................................................4 GÊNERO.......................................................................................................................4 PLATAFORMA.................................................................................................................5 GAME PROPOSAL................................................................................................................6 ANÁLISE DE MERCADO......................................................................................................6 MERCADO-ALVO.........................................................................................................6 PRINCIPAIS EMPRESAS....................................................................................................6 COMPARAÇÃO DE CARACTERÍSTICAS.................................................................................6 ANÁLISE TÉCNICA............................................................................................................7 ELEMENTOS EXPERIMENTAIS...........................................................................................7 RISCOS.....................................................................................................................7 RECURSOS ESTIMADOS..................................................................................................7 CRONOGRAMA ESTIMADO..............................................................................................8 GAME DESIGN...................................................................................................................9 MECÂNICA DO JOGO........................................................................................................9 CORE GAME PLAY.......................................................................................................9 FLUXO DO JOGO.........................................................................................................9 PERSONAGENS............................................................................................................9 ELEMENTOS DO GAME PLAY...........................................................................................9 INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL.............................................................................................11 MULTIUSUÁRIO.........................................................................................................11 INTERFACE COM USUÁRIO................................................................................................12 FLOWCHART............................................................................................................12 ARTE E VÍDEO..............................................................................................................13 OVERALL GOALS.......................................................................................................13 ANIMAÇÃO E ARTE 2D................................................................................................14 ANIMAÇÃO E ARTE 3D................................................................................................14 SOM E MÚSICA..............................................................................................................14 OBJETIVOS GERAIS.....................................................................................................14 EFEITOS DE SOM........................................................................................................14 MÚSICA...................................................................................................................15 ESTÓRIA.....................................................................................................................15 LEVEL REQUIREMENTS....................................................................................................15
  • 4. 8 Platypus|18/10/2007 GAME CONCEPT Introdução Alien Attack é um jogo estilo “tower defence” que será desenvolvido ( utilizando a bibliotéca Palib ) para a plataforma Nintendo DS. O jogo consiste na idéia de defesa de terreno feito pelo o jogador. Desenvolvido sobre uma visão 2D, o jogo será ambientado no espaço, onde uma guerra entre aliens e humanos é travada. O jogador assumirá o papel do comandante dos humanos na defesa do ataque dos aliens. Descrição Alien Attack será um jogo no consagrado estilo “tower-defence”, ambientado na guerra intergaláctica entre aliens e humanos. Os humanos terão que se defender dos ataques das forças alienígenas utilizando toda a tecnologia disponível. Torres de defesa, tanques de guerra, canhões de plasma, entre outras tecnologias serão parte do arsenal humano para a defesa dos ataques alienígenas. Características Princi pais Single-player: Alien Attack será desenvolvido sobre uma concepção single-player e não fornecerá um suporte multi-player. Gráficos em duas dimensões (2D): Alien Attack utilizará a biblioteca de desenvolvimento PAlib e utilizará sprites para fazer a plotagem gráfica. Cenários Futurísticos: Alien Attack será ambientado no futuro, onde uma guerra intergaláctica é travada entre aliens e humanos, os cenários do jogo serão terrenos em diversos planetas. Jogabilidade da caneta Stylus: A jogabilidade será feita com o auxílio da caneta stylus. Ela será utilizada para criar e manipular as unidades de defesa, entre outras funcionalidades. Gênero
  • 5. 9 Platypus|18/10/2007 Alien Attack é um jogo no consagrado estilo “tower-defence”, onde o jogador deverá impedir que os inimigos atinjam um determinado alvo. O posicionamento das unidades de defesa são fundamentais para o sucesso do jogador. Platafor ma O jogo será desenvolvido para Nintendo DS. Para jogar, será necessário a utilização de um flashcard (R4, DSTT, Acekard 2.1, Supercard DS One, entre outros).
  • 6. 8 Platypus|18/10/2007 GAME PROPOSA L Análise de Mercado M e r c a d o - A l v o O publico-alvo do Alien Attack é formado por jogadores casuais, com idade acima de sete anos. Não há distinção de gênero ou limite máximo de idade para o público-alvo, dado sua característica de jogador casual. P r i n c i p a i s E m p r e s a s Existem diversas empresas trabalhando com jogos no mundo inteiro. Dentre as principais, destacam-se: • Microsoft • SEGA • Blizzard • Sony • Ubisoft Estas empresas são referência de excelência no mercado mundial de jogos, estando entre as maiores receitas atualmente. Devido a isso, as práticas dessas empresas são observadas por grande parte dos demais fabricantes de jogos. C o m p a r a ç ã o d e C a r a c t e r í s t i c a s No desenvolvimento das características do Alien Attack foram observadas funcionalidades existentes em Pixeljunk Monsters, Plants Vs Zombies, StarCraft. Pixeljunk Monsters é o tower defense mais popular na Playstation Network. O objetivo do jogo é impedir que os montros, que vêm em ondas, invadam sua vila e mate seus habitantes. O jogo ficou muito conhecido graças ao trabalho de arte visual e à cativante trilha sonora. O diferença do jogo em relação a outros tower defense é a adição de um elemento de ação, onde o personagem precisa se movimentar para criar uma torre num determinado lugar. Plants Vs Zombies é um jogo Tower Defense desenvolvido e publicado pela PopCap Games para Windows, Mac OS X e iPhone OS. O jogador assume o controle de várias plantas, cada uma com suas características e peculiaridades. As plantas devem resistir aos ataques dos inimigos, que, no caso, são zumbis. StarCraft é o lendário jogo de estratégia e ficção científica produzido pela Blizzard Entertainment. O jogador pode assumir o controle de tropas de alienígenas ou de humanos em batalhas sangrentas no espaço. Não se trata de um tower defense, mas a temática é similar a do Alien Attack.
  • 7. 9 Platypus|18/10/2007 Análise Técnica E l e m e n t o s E x p e r i m e n t a i s A equipe de desenvolvimento do jogo é relativamente inexperiente no ramo, e o jogo será desenvolvido focando o aprendizado. Dito isso, não serão utilizados elementos experimentais no jogo. Para a equipe de desenvolvimento a criação do jogo em si já envolve uma série de tecnologias novas a serem aprendidas, e o uso de inovações será postergado para desenvolvimentos de jogos futuros, quando o conhecimento básico para a feitura de jogos já estiver bem sedimentado. R i s c o s Como em qualquer desenvolvimento de produto de software, diversos riscos estão associados à produção do Alien Attack. A tabela abaixo mostra os principais riscos que podem aparecer durante o desenvolvimento do Alien Attack: Nome Descrição Plano de Mitigação Plano de Contingência Uso de novas tecnologias Dado que a equipe possui pouca experiência no desenvolvimento de jogos, e que diversas técnicas e tecnologias deverão ser aprendidas, as tecnologias utilizadas para o desenvolvimento de jogos podem tornar a produção do Platypus inviável dentro do prazo disponível Distribuição de tutoriais específicos para utilização das tecnologias necessárias; Membros da equipe mais experientes podem ministrar palestras sobre as tecnologias para os demais membros Migrar para tecnologias mais simples Falta de membros da equipe Membros da equipe podem se ausentar por diversos motivos, como: conflitos de horário (trabalho vs. estudo); doença; morte, etc. Discutir com membros da equipe o melhor horário para reuniões; Manter equipe atualizada sobre o trabalho de cada membro, para eventual realocação de tarefas Subdividir trabalho do membro faltoso, e realocá-lo para demais membros da equipe Prazo curto Há um prazo relativamente curto (3 a 4 meses) para realizar as diversas tarefas necessárias ao desenvolvimento do jogo Estabelecer um cronograma e gerenciar equipe, de forma a terminar tarefas no prazo especificado Dialogar com cliente (Geber) para aumentar prazo de entrega R e c u r s o s E s t i m a d o s Os recursos estimados para o desenvolvimento do Alien Attack são:
  • 8. 8 Platypus|18/10/2007 • Desenvolvedores: 6 pessoas; • Software: Sistema Operacional Windows; biblioteca PAlib para C; IDE Microsoft Visual Studio. • Hardware: PCs Pentium IV ou superior, com 512 MB de RAM, placa de vídeo de 64 MB e placa de som (ambas as placas compatíveis com DirectX 8 ou superior) para todos os membros da equipe de desenvolvimento. C r o n o g r a m a E s t i m a d o Fase Marco Data de início Data de término Concepção Apresentação do Conceito do Jogo 28/08/2009 01/09/2009 Design Release do Documento de Game Design 18/09/2009 21/09/2009 Documentação Em definição 18/09/2009 22/09/2009 Treinamento nas ferramentas Conclusão do curso de treinamento interno 23/09/2009 30/09/2009 Implementação Release da versão alfa 02/10/2009 10/10/2009 Testes Release da versão beta e apresentação prévia do jogo 11/10/2009 18/10/2009 Entrega Release da versão 1.0 e apresentação do jogo 20/10/2009 01/12/2009
  • 9. 9 Platypus|18/10/2007GAME DESIGN Mecânica do Jogo C o r e G a m e P l a y Alien Attack é um jogo no consagrado estilo tower defense, gênero que surgiu a partir de variações do RTS (Real Time Strategy). No Alien Attack, o jogador controla a raça dos humanos para defender os ataques de raças alienígenas. As batalhas ocorrem em diversos planetas de uma galáxia remota, onde os humanos tentam defender esses planetas usando todos os recursos e tecnologias disponíveis. Os inimigos alienígenas atacam em ondas cuja dificuldade vai progredindo. O jogador deverá defender o Town Center, a base principal do planeta onde vive a população. Para isso, pode-se construir diversos tipos de torres em locais reservados. Existem torres específicas para cada situação, e o jogador deverá ter uma boa capacidade de raciocínio e pensamento estratégico para saber escolher as torres mais adequadas, posicioná-las de modo inteligente e conseguir gerenciar os recursos disponíveis. O primeiro tipo de torre é o Ground Shot: uma torre que solta flechas de metal e ataca um inimigo por vez, e estes têm que ser terrestres. O segundo tipo é o Cannon Rock: torrem que soltam grandes bolas de metal e podem atingir vários inimigos ao mesmo tempo; esta torre também só ataca inimigos terrestres. O terceiro tipo de torre é a Laser Shot: torre que atira lasers e ataca somente um inimigo por vez; esta torre só ataca inimigos aéreos. O quarto tipo de torre é o Laser Splash: essa torre ataca inimigos aéreos em área. O quinto tipo é Chimera Steel: está torre ataca todo tipo de inimigo, e em área. O sexto tipo é Death Kiss: esta ataca apenas um inimigo por vez, mas é o ataque é fatal. E por fim, a torre Exogenesis: atinge todos os inimigos visíveis na tela, e tem um alto poder de ataque. Todas essas torres podem receber upgrades que podem aumentar atributos como poder de ataque, velocidade, e área de alcance. Tanto para construir essas torres quanto para fazer os upgrades será necessário Steel Coins (moedas da galáxia). Essas Steel Coins são obtidas no começo de cada batalha ou através dos montros alienígenas derrotados, que dropam elas. F l u x o d o J o g o O jogo começa com o menu básico, onde o jogador pode escolher uma as seguintes opções: Novo Jogo (inicia uma nova campanha), Continuar Jogo (se já tiver algum jogo salvo), Controles (mostra os comandos básicos do jogo), Modo Survival (Hordas infinitas de monstro que vão aumentando de dificuldade), Sair(sai do jogo). Quando começa uma nova campanha, irá aparecer uma pequena introdução que conta um pouco da história, e em seguida aparecerá o primeiro planeta para os humanos defenderem. Planeta a pós planeta, o jogador vai ganhando as batalhas sequencialmente até zerar, e então será mostrado o final da saga. P e r s o n a g e n s O jogador controlará a raça dos humanos. Os inimigos serão raças alienígenas, perversas e malignas, habitantes das galáxias vizinhas E l e m e n t o s d o G a m e P l a y Há diversos elementos com os quais o jogador pode interagir no ambiente do Platypus. Há, obviamente, as bandeiras dos times, sendo que o jogador pode interagir apenas com a bandeira do adversário. Quando o jogador encosta na bandeira adversária, a bandeira automaticamente passa a ser carregada por ele, até
  • 10. 8 Platypus|18/10/2007 que o jogador seja congelado por um oponente ou chegue de volta a seu campo. O jogador não pode interagir com a bandeira de seu time, uma vez que esta está localizada numa área onde ele não tem acesso. O próprio campo pode ser considerado um elemento do jogo, já que, a depender da área onde o jogador esteja localizado, as possibilidades de ação do jogador variam. A figura abaixo mostra as diversas áreas dentro do campo: FIG. 1 - ÁREAS DO CAMPO DO JOGO DE BARRA-BANDEIRA Quanto ao funcionamento das áreas mostradas na figura acima, temos que: • A área do time A é onde os jogadores do time A são colocados no início da partida. Nesta área o jogador do time pode congelar os jogadores do time B; • A área do time B é onde os jogadores do time A podem ser congelados pelos jogadores do time B, e podem descongelar os jogadores de seu próprio time que estejam congelados; • A área neutra é uma região em que nem o jogador pode congelar os adversários, nem pode ser congelado; • A área da bandeira do time A não é acessível aos jogadores do time A, é uma área onde os jogadores do time B estão a salvo do congelamento. Se o jogador do time A tentar entrar nesta área, ele será arremessado para trás. Nesta área, em algum ponto, fica localizada a bandeira do time A, que deve ser capturada pelos jogadores do time B; • A área da bandeira do time B é onde o jogador do time A deve entrar para capturar a bandeira do time B. De forma análoga ao que ocorre com o time B na área da bandeira do time A, os jogadores do time A estão a salvo nesta área. Também existem diversos itens surpresa que aparecem no campo aleatoriamente. Quando o jogador passar sobre a caixa do item será sorteado um dentre as diversas possibilidades (o jogador não sabe previamente qual item irá pegar). Os itens podem ser neutros, beneficiar ou prejudicar o jogador, mas há uma quantidade maior de itens bons para estimular os jogadores a pegá-los. Os itens são:
  • 11. 9 Platypus|18/10/2007 • Neblina: é um item neutro. Aparece uma neblina no ambiente que dificulta a visão de todos os jogadores. A neblina dura um curto tempo, mas o suficiente para prejudicar a noção de posicionamento que um jogador tem dos outros na quadra; • Turbo: é um item benéfico. O jogador passa a se movimentar na quadra numa velocidade maior, por um tempo também curto, mas capaz de dar vantagem competitiva ao jogador; • Ovelha: é um item prejudicial. O personagem do jogador se transforma numa ovelha. O efeito é oposto ao do turbo, ou seja, o jogador fica mais lento; • Troca de controles: é um item prejudicial. Os controles do jogador são invertidos; direcional pra cima com direcional para baixo e direcional para esquerda com para direita; • Coice: é um item benéfico. Quando pego, todos os jogadores próximos são lançados para longe de forma radial; • Sol: é um item benéfico. Descongela todos os jogadores do time do jogador que pegou o item; • Teletransporte: é um item benéfico. O jogador do time A é teletransportado para a área da bandeira do time B. Este é um item de rara ocorrência; • Gravidade Baixa: é um item benéfico. A gravidade do ambiente para o jogador que pegou o item é reduzida, desta forma este jogador poderá atravessar o campo em poucos segundos. • Objetos inusitados: é um item neutro. Aparecem itens na tela que apenas atrapalham a movimentação dos jogadores. Os itens estão ligados ao cenário do jogo (ex: invasão de sem-terra na fazenda; nave de Xuxa no meio da rua; etc.). I n t e l i g ê n c i a A r t i f i c i a l A princípio não haverá Inteligência Artificial (AI) no Platypus. Os personagens do jogo serão controlados diretamente pelos usuários, não havendo NPCs (Non-playing characters), e, portanto, não há necessidade de AI. Futuramente NPCs podem ser integrados ao jogo, para permitir que um único, ou poucos usuários possam disputar partidas contra o computador. Caso NPCs venham a ser utilizados, eles deverão observar itens como movimentação no campo, definição de objetivos imediatos e principais, integração com demais membros da equipe (cada NPC deve saber que faz parte de um time e agir de forma conjunta), capacidade de se adequar a táticas dinâmicamente (um NPC deve saber se ataca ou defende, e como fazer isso de forma a ajudar sua equipe), reação aos itens do jogo (um NPC deve perceber as mudanças no ambiente causadas pelos itens do jogo e se adequar a elas). M u l t i u s u á r i o O conceito de jogo multiusuário é forte na idéia do Platypus. Apesar da possibilidade de adicionar NPCs numa edição futura, o design do jogo visa à interação entre humanos. A adoção desse conceito no jogo visa garantir uma maior diversão aos jogadores, pois o nível de desafio de jogos entre humanos tende a ser melhor do que entre humano e computador. Não se corre o risco do jogo ser excessivamente difícil, que causa sensação de incapacidade, ou de ser excessivamente fácil, que causa aborrecimento, sendo que, em ambos os casos, a diversão, que é a principal finalidade de um jogo, acaba sendo minimizada. A dinâmica do jogo em si, por ser disputado por partidas entre dois times, facilita a absorção do conceito de multiusuário, pois a interação entre vários usuários é uma característica muito importante nos esportes de equipe.
  • 12. 8 Platypus|18/10/2007 Os jogadores devem se juntar, formando equipes de 3 a 5 pessoas, e se organizarem entre si de modo a tentar vencer o time adversário. A divisão entre ataque e defesa, o uso de táticas, e a adequação de cada elemento à estratégia do time são conceitos que, apesar de não aparecerem explicitamente no Platypus, serão adotados pelos jogadores para alcançar de seus objetivos no jogo. Inter face com Usuário F l o w c h a r t Abaixo, seguem as telas de navegação do usuário no jogo. São basicamente 3 telas na navegação padrão: a tela de abertura do jogo; a tela de escolha da partida; a tela da partida em si. FIG. 2 - TELA INICIAL DO PLATYPUS
  • 13. 9 Platypus|18/10/2007 FIG. 3 - TELA DE CONFIGURAÇÃO DE PARTIDA FIG. 4 - TELA DA PARTIDA Arte e Vídeo O v e r a l l G o a l s O Platypus é um jogo 3D, e, portanto, o uso de gráficos em 3 dimensões deve se sobressair nos elementos principais do jogo (com os quais o jogador interage) para criar um ambiente de imersão. A temática cômica deve ser utilizada como guia para os elementos gráficos do jogo, sempre que possível.
  • 14. 8 Platypus|18/10/2007 A n i m a ç ã o e A r t e 2 D G U I Serão utilizados os elementos padrões da TGE para elementos básicos da GUI (telas, janelas, botões, etc.). T e r r e n o Os terrenos serão definidos de acordo com o tipo de cenário adotado (praia, fazenda, rua, etc.). Deverão ser utilizadas texturas adequadas ao ambiente que se deseja mostrar no terreno (aí incluso tanto o piso – terra, água, lama – quanto os elementos auxiliares de cenário – casas, árvores, etc.). O editor de terrenos da TGE será utilizado para colocar as texturas sobre o cenário. E l e m e n t o s d o G a m e P l a y Da mesma forma que os terrenos, também devem haver texturas adequadas aos elementos do game play. O editor utilizado para elementos 3D deve ser utilizado para colocar as texturas 2D sobre os elementos. A n i m a ç ã o e A r t e 3 D Os jogadores e itens que interagem com os jogadores serão desenhados em polígonos 3D. O trabalho de criação das figuras 3D, tanto de modelagem quanto de animação, deve estar em sintonia com os conceitos definidos pelos artistas 2D. O terreno deve ser criado com o editor de terreno da TGE, e as demais figuras 3D devem ser criadas por editores gráficos com suporte para tipos de dados aceitos pela TGE. Som e Música O b j e t i v o s G e r a i s Os sons do Platypus seguem uma temática cômica, ajudando a criar a identidade do jogo. O uso do som relacionado aos elementos do jogo também deve ser utilizado para provocar uma maior imersão do jogador, a partir de uma integração da parte sonora com a visual. A existência de diversos cenários e itens será explorada pela sonoridade, ajudando o jogador a perceber os elementos distintos que compõem o jogo. E f e i t o s d e S o m Os efeitos de som utilizados deverão ser compatíveis com a tecnologia adequada ao TGE. Abaixo segue a descrição dos diversos efeitos de som por elementos de jogo. G U I Elementos de GUI (cliques de botão, abertura de janela, etc.) irão utilizar os sons padrões da TGE. E f e i t o s Há três efeitos básicos no jogo: congelar jogador (seguido por teletransporte de bandeira), descongelar jogador e pegar bandeira. Cada um desses elementos possui um som característico para que os jogadores saibam do evento ocorrido. P e r s o n a g e n s Os personagens, por serem padronizados, não terão sons especiais. E l e m e n t o s d o G a m e P l a y Cada elemento do game play descrito anteriormente (subseção Elementos do Game Play em Mecânica do Jogo) possui um som próprio ao ser ativado, para alertar os jogadores. M o v i m e n t o
  • 15. 9 Platypus|18/10/2007 Padrão da TGE para terra. Som especial para diferenciar terrenos especiais de água e lama. M ú s i c a J i n g l e s p o r E v e n t o s O início da partida e o final possuem músicas caracteríticas, comuns a todas as telas. S h e l l S c r e e n Música em loop para tela inicial do jogo. T e m a s d e C e n á r i o s Cada terreno deve possuir música própria, adequada ao ambiente ao qual se refere (ex: música country para ambiente de fazenda). Estória Dado o tipo de jogo, esportivo, baseado numa brincadeira infantil tradicional, a utilização de estória não se aplica a Platypus. Level Requiremen ts O Platypus possui diferentes cenários/terrenos, mas não há divisão por níveis. Apesar dos diversos cenários possuírem características diferentes (ex: lama no cenário de fazenda causa movimento diferenciado da areia da cenário de praia), eles não são tratados como níveis diferentes, no sentido em que não exigem diversos níveis de dificuldade do usuário, mas sim de dar maior variedade e dinamismo ao jogo.