SlideShare uma empresa Scribd logo
Doutorado em Comunicação Social
Grupo de Pesquisa- Mídias, Dados e Tecnologia
Professor: Marcelo Alves
Discente: Isabela Duarte Pimentel
Disinformation-for-Hire as Everyday
Digital Labor: Introduction to the
Special Issue
(Grohman & Ong)
Imagem: Alliance for Networking
Pontos centrais do artigo
1. Busca compreender as camadas de poder político e
comercial e atribuir responsabilidade às pessoas no
topo da hierarquia (perspectiva centrada no humano);
2. É necessário localizar e historicizar como a
produção de desinformação ocorre em diferentes
contextos e locais ao redor do globo;
3. A análise crítica, comparativa e finamente granular
equivale à formas não tradicionais de contar histórias
sobre os vilões, as vítimas e os heróis no contexto da
desinformação.
O papel do trabalho cotidiano
1. A abordagem de trabalho cotidiano para a
contratação de desinformação também significa
compreender as nuances sociológicas em relação à
força de trabalho por trás da produção de
desinformação, nas chamadas cadeias de
microtrabalho.
2. Os próprios trabalhadores da desinformação podem
ser trabalhadores digitais precários, embora, em um
contexto do Sul Global, isso muitas vezes signifique
não ter escolha ou escolher a opção menos precária
(Abilio, 2020; Graham & Anwar, 2019).
Perguntas-chave
• Quem são exatamente os compradores e
vendedores de operações de (des)informação em
todo o mundo?
• Quais são suas identidades sociais e experiências
profissionais?
• Há alguma solução regulatória que possa de fato
cortar o problema da desinformação pela raiz?
Área específica da pesquisa
Pesquisa dentro do campo cada vez
maior de estudos sobre desinformação,
com seu foco acentuado nas transações
comerciais, lógicas organizacionais e
práticas empresariais que impulsionam
a produção de desinformação.
Inspirações 1. Inspirada nas tradições da Economia Política;
2. Estudos de produção de mídia e nas abordagens
da vida cotidiana;
3. Foco analítico para (1) trabalho digital
cotidiano; (2) os diversos setores e
trabalhadores envolvidos na produção de
desinformação; e (3) as áreas regulatórias além
da política de conteúdo de mídia social e da
responsabilidade centrada na plataforma -
especialmente relevantes no contexto de
arranjos organizacionais e trabalho precário ;
4. É fundamental lembrar que o setor de RP deve
ser responsabilizado por sua cumplicidade com o
problema da desinformação e, ao mesmo tempo,
proteger estrategicamente a legitimidade da
profissão em geral (Edwards, 2020).
Origem do termo
O termo "disinformation-for-hire" foi
popularizado pelos pioneiros jornalistas
especializados em desinformação Craig
Silverman, Jane Lytvynenko e William Kung
em seu artigo de 2020 no Buzzfeed expondo
empresas de RP que espalham mentiras em
nome de clientes corporativos e políticos
(Silverman et al., 2020).
Na prática, o artigo deles abordou a
granularidade efetiva e a comparação
internacional de como diferentes empresas
lucraram com spam, otimização de mecanismos
de busca e astroturfing para clientes na
política, no entretenimento e em
corporações privadas.
Hierarquia invisível dos trabalhadores digitais
1.Empreendedores de elite, como proprietários
e investidores de empresas de tecnologia,
2. Líderes do setor de inovação,
programadores ou desenvolvedores freelancers
de elite, estrategistas de relações públicas
e consultores de campanhas políticas e
3. Trabalhadores braçais empregados em
fábricas de tecnologia e fazendas de cliques,
funcionários de políticos explorados por suas
habilidades digitais e trabalhadores de
microtarefas em plataformas globais.
Esses trabalhadores estão situados em vários
graus de formas oficiais/não oficiais,
remuneradas/não remuneradas,
formais/informais e ilícitas/abrangentes de
trabalho digital.
Foco da pesquisa
• O estudo da desinformação precisa
ir além dos eventos de notícias
falsas e factchecking;
• Em vez disso, mobilizar um quadro
analítico valioso que revela a
desinformação como um produto de
cumplicidades comerciais e
políticas no arranjo capitalista
tardio dos setores digitais
transnacionais;
• Isso inclui: "comportamento
coordenado não- autêntico“,
mobilizado para a ideologia de
extrema direita, marketing de
influenciadores, relações públicas
(PRs), propaganda de ataque e
operações de inteligência estatal.
Primeiro eixo
1. Subcampo de desinformação é um
narratividade do trabalho cotidiano de
produção de desinformação como o cenário para
a atividade humana amoral. Esse foco no
processo impensado e casual de como as
campanhas de desinformação são montados
transmite uma sensação assustadora de atrai
os leitores de textos investigativos
poderosos e detalhados.
2. Nessa perspectiva, o horror é desencadeado
não pela recontagem das perigosas tocas de
coelho on-line que radicalizaram indivíduos
solitários ou populações desprivilegiadas ao
longo do tempo, mas pelo sucesso comercial de
traficantes experientes em tecnologia que
conseguiram apaziguar uma porta giratória de
clientes e manter uma força de trabalho
Segundo eixo
O segundo foco da pesquisa sobre desinformação
para contratação é a representação da
diversidade do setor e dos trabalhadores; essa
área de pesquisa se esforça para discutir como
várias posições de classe, gênero, raça e
nacionalidade participam de toda uma gama de
regimes de trabalho formais e informais
organizados em torno da fraude digital.
O foco da pesquisa etnográfica de Ong e Cabañes
(2018), "Architects of Networked
Disinformation", visualizou uma hierarquia de
políticos de elite colaborando com consultores
de marketing de classe média-alta enquanto
exploravam a mão de obra barata de trabalhadores
digitais jovens e precários, atolados em
racismo.
Terceiro eixo
O terceiro foco das investigações é a
rejeição de estruturas deterministas de
plataforma no diagnóstico da crise de
desinformação em favor da análise sócio-
histórica e de diversas intervenções além
da fixação e do policiamento do conteúdo
das mídias sociais. O fato de vivermos em
um contexto de plataformização (Poell et
al., 2019) não deve significar que os
problemas e suas soluções dependam
exclusivamente de uma abordagem oficial de
cima para baixo.
Gaps em outras pesquisas
1.Determinismo de plataforma
Infelizmente, como observam Robyn Caplan
et al. (2020), "o determinismo
tecnológico, a ideia de que a tecnologia é
um fator dominante na mudança social, se
infiltrou na maneira como falamos sobre
plataformas".
Em contextos do Norte Global e da Maioria
Global, os discursos deterministas das
plataformas tornaram-se estruturas
organizacionais convenientes, persuasivas,
mas profundamente problemáticas, que os
atores da sociedade civil mobilizar como
justificativa de seus esforços de contra-
desinformação.
2. Nova agulho hipodérmica?
As estruturas explicativas deterministas de
plataforma, em que a Big Tech é destacada
pelas vitórias eleitorais "surpresa" de
líderes populistas, de fato marcam um
ressurgimento da visão da agulha
hipodérmica dos efeitos da mídia no
discurso público global
(Chakravartty & Roy, 2017).
3. Limpeza de conteúdo Ao enquadrar a crise de desinformação
como sendo principalmente uma questão
de limpeza e remoção de conteúdo, as
estruturas deterministas de plataforma
também tendem a apoiar a verificação
de fatos como uma intervenção
fundamental (Lelo, 2022).
O conjunto de soluções
disponibilizadas por essa perspectiva
limita-se estritamente a "corrigir o
conteúdo" nas mídias sociais - uma
abordagem atolada em batalhas de
definições legais sobre "notícias
falsas" e minúcias de políticas de
conteúdo sobre quais palavras ou
imagens devem ser votadas
negativamente no Feed de notícias.
Silencio estratégico
Whitney Phillips (2020), que defende o uso
do silêncio estratégico ou a quarentena de
discursos perigosos nos casos em que a
denúncia poderia inadvertidamente atrair
mais visibilidade e cliques para
perspectivas extremas.
CRÍTICAS AO FACTCHECKING
O fact-checking também não aborda as
questões estruturais mais amplas
condições que permitem que as
campanhas de desinformação sejam
produzidas e organizadas em primeiro
lugar.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Disinformation & Everyday Digital Labor- Analysis of Ong and Grohman Framework

Conectados_ a publicidade como energia propulsora em uma mobilização social .pdf
Conectados_ a publicidade como energia propulsora em uma mobilização social .pdfConectados_ a publicidade como energia propulsora em uma mobilização social .pdf
Conectados_ a publicidade como energia propulsora em uma mobilização social .pdf
AlineVeroneze
 
Conectados_ a publicidade como energia propulsora em uma mobilização social .pdf
Conectados_ a publicidade como energia propulsora em uma mobilização social .pdfConectados_ a publicidade como energia propulsora em uma mobilização social .pdf
Conectados_ a publicidade como energia propulsora em uma mobilização social .pdf
AlineVeroneze
 
Ad techiab terra_coutinho
Ad techiab terra_coutinhoAd techiab terra_coutinho
Ad techiab terra_coutinho
Marcelo Coutinho Lima
 
Ad techiab terra_coutinho
Ad techiab terra_coutinhoAd techiab terra_coutinho
Ad techiab terra_coutinho
Marcelo Coutinho Lima
 
Estratégias de negocios nas redes sociais
Estratégias de negocios nas redes sociaisEstratégias de negocios nas redes sociais
Estratégias de negocios nas redes sociais
Ivone Rocha
 
Estratégias de negocios nas redes sociais
Estratégias de negocios nas redes sociaisEstratégias de negocios nas redes sociais
Estratégias de negocios nas redes sociais
Ivone Rocha
 
Inclusão digitalnadifusaodainformacaodequalidadeumaquestaodeetica
Inclusão digitalnadifusaodainformacaodequalidadeumaquestaodeeticaInclusão digitalnadifusaodainformacaodequalidadeumaquestaodeetica
Inclusão digitalnadifusaodainformacaodequalidadeumaquestaodeetica
Shayane Zica
 
Inclusão digitalnadifusaodainformacaodequalidadeumaquestaodeetica
Inclusão digitalnadifusaodainformacaodequalidadeumaquestaodeeticaInclusão digitalnadifusaodainformacaodequalidadeumaquestaodeetica
Inclusão digitalnadifusaodainformacaodequalidadeumaquestaodeetica
Shayane Zica
 
Informação e sociedade-_estudos-20(3)2010-etica,_responsabilidade_social_e_ge...
Informação e sociedade-_estudos-20(3)2010-etica,_responsabilidade_social_e_ge...Informação e sociedade-_estudos-20(3)2010-etica,_responsabilidade_social_e_ge...
Informação e sociedade-_estudos-20(3)2010-etica,_responsabilidade_social_e_ge...
Denise Antunes
 
Informação e sociedade-_estudos-20(3)2010-etica,_responsabilidade_social_e_ge...
Informação e sociedade-_estudos-20(3)2010-etica,_responsabilidade_social_e_ge...Informação e sociedade-_estudos-20(3)2010-etica,_responsabilidade_social_e_ge...
Informação e sociedade-_estudos-20(3)2010-etica,_responsabilidade_social_e_ge...
Denise Antunes
 
Fake news (portugues)
Fake news (portugues)Fake news (portugues)
Fake news (portugues)
luizcelsojr
 
Fake news (portugues)
Fake news (portugues)Fake news (portugues)
Fake news (portugues)
luizcelsojr
 
Planejamento criativo online
Planejamento criativo onlinePlanejamento criativo online
Planejamento criativo online
Diegão Martins
 
Planejamento criativo online
Planejamento criativo onlinePlanejamento criativo online
Planejamento criativo online
Diegão Martins
 
Mídia e novas mídias 2
Mídia e novas mídias 2 Mídia e novas mídias 2
Mídia e novas mídias 2
Ney Azevedo
 
Black rock - Cultura da Representação
Black rock - Cultura da RepresentaçãoBlack rock - Cultura da Representação
Black rock - Cultura da Representação
Bruno Muniz
 
Mídia e novas mídias 2
Mídia e novas mídias 2 Mídia e novas mídias 2
Mídia e novas mídias 2
Ney Azevedo
 
Black rock - Cultura da Representação
Black rock - Cultura da RepresentaçãoBlack rock - Cultura da Representação
Black rock - Cultura da Representação
Bruno Muniz
 
Fake News, Deep Fakes, e seus efeitos sobre a Democracia
Fake News, Deep Fakes, e seus efeitos sobre a DemocraciaFake News, Deep Fakes, e seus efeitos sobre a Democracia
Fake News, Deep Fakes, e seus efeitos sobre a Democracia
Ruy De Queiroz
 
Fake News, Deep Fakes, e seus efeitos sobre a Democracia
Fake News, Deep Fakes, e seus efeitos sobre a DemocraciaFake News, Deep Fakes, e seus efeitos sobre a Democracia
Fake News, Deep Fakes, e seus efeitos sobre a Democracia
Ruy De Queiroz
 

Semelhante a Disinformation & Everyday Digital Labor- Analysis of Ong and Grohman Framework (20)

Conectados_ a publicidade como energia propulsora em uma mobilização social .pdf
Conectados_ a publicidade como energia propulsora em uma mobilização social .pdfConectados_ a publicidade como energia propulsora em uma mobilização social .pdf
Conectados_ a publicidade como energia propulsora em uma mobilização social .pdf
 
Conectados_ a publicidade como energia propulsora em uma mobilização social .pdf
Conectados_ a publicidade como energia propulsora em uma mobilização social .pdfConectados_ a publicidade como energia propulsora em uma mobilização social .pdf
Conectados_ a publicidade como energia propulsora em uma mobilização social .pdf
 
Ad techiab terra_coutinho
Ad techiab terra_coutinhoAd techiab terra_coutinho
Ad techiab terra_coutinho
 
Ad techiab terra_coutinho
Ad techiab terra_coutinhoAd techiab terra_coutinho
Ad techiab terra_coutinho
 
Estratégias de negocios nas redes sociais
Estratégias de negocios nas redes sociaisEstratégias de negocios nas redes sociais
Estratégias de negocios nas redes sociais
 
Estratégias de negocios nas redes sociais
Estratégias de negocios nas redes sociaisEstratégias de negocios nas redes sociais
Estratégias de negocios nas redes sociais
 
Inclusão digitalnadifusaodainformacaodequalidadeumaquestaodeetica
Inclusão digitalnadifusaodainformacaodequalidadeumaquestaodeeticaInclusão digitalnadifusaodainformacaodequalidadeumaquestaodeetica
Inclusão digitalnadifusaodainformacaodequalidadeumaquestaodeetica
 
Inclusão digitalnadifusaodainformacaodequalidadeumaquestaodeetica
Inclusão digitalnadifusaodainformacaodequalidadeumaquestaodeeticaInclusão digitalnadifusaodainformacaodequalidadeumaquestaodeetica
Inclusão digitalnadifusaodainformacaodequalidadeumaquestaodeetica
 
Informação e sociedade-_estudos-20(3)2010-etica,_responsabilidade_social_e_ge...
Informação e sociedade-_estudos-20(3)2010-etica,_responsabilidade_social_e_ge...Informação e sociedade-_estudos-20(3)2010-etica,_responsabilidade_social_e_ge...
Informação e sociedade-_estudos-20(3)2010-etica,_responsabilidade_social_e_ge...
 
Informação e sociedade-_estudos-20(3)2010-etica,_responsabilidade_social_e_ge...
Informação e sociedade-_estudos-20(3)2010-etica,_responsabilidade_social_e_ge...Informação e sociedade-_estudos-20(3)2010-etica,_responsabilidade_social_e_ge...
Informação e sociedade-_estudos-20(3)2010-etica,_responsabilidade_social_e_ge...
 
Fake news (portugues)
Fake news (portugues)Fake news (portugues)
Fake news (portugues)
 
Fake news (portugues)
Fake news (portugues)Fake news (portugues)
Fake news (portugues)
 
Planejamento criativo online
Planejamento criativo onlinePlanejamento criativo online
Planejamento criativo online
 
Planejamento criativo online
Planejamento criativo onlinePlanejamento criativo online
Planejamento criativo online
 
Mídia e novas mídias 2
Mídia e novas mídias 2 Mídia e novas mídias 2
Mídia e novas mídias 2
 
Black rock - Cultura da Representação
Black rock - Cultura da RepresentaçãoBlack rock - Cultura da Representação
Black rock - Cultura da Representação
 
Mídia e novas mídias 2
Mídia e novas mídias 2 Mídia e novas mídias 2
Mídia e novas mídias 2
 
Black rock - Cultura da Representação
Black rock - Cultura da RepresentaçãoBlack rock - Cultura da Representação
Black rock - Cultura da Representação
 
Fake News, Deep Fakes, e seus efeitos sobre a Democracia
Fake News, Deep Fakes, e seus efeitos sobre a DemocraciaFake News, Deep Fakes, e seus efeitos sobre a Democracia
Fake News, Deep Fakes, e seus efeitos sobre a Democracia
 
Fake News, Deep Fakes, e seus efeitos sobre a Democracia
Fake News, Deep Fakes, e seus efeitos sobre a DemocraciaFake News, Deep Fakes, e seus efeitos sobre a Democracia
Fake News, Deep Fakes, e seus efeitos sobre a Democracia
 

Mais de Comunicação Integrada - Cursos e Soluções (Isabela Pimentel)

Visão do campo da comunicação na lógica de Bourdieu
Visão do campo da comunicação na lógica de BourdieuVisão do campo da comunicação na lógica de Bourdieu
Visão do campo da comunicação na lógica de Bourdieu
Comunicação Integrada - Cursos e Soluções (Isabela Pimentel)
 
How to Counter Scientific Disinformation ?
How to Counter Scientific Disinformation ?How to Counter Scientific Disinformation ?
How to Counter Scientific Disinformation ?
Comunicação Integrada - Cursos e Soluções (Isabela Pimentel)
 
Filosofia da Tecnologia e Estudos Culturais - As tecnologias não são neutras.
Filosofia da Tecnologia e Estudos Culturais - As tecnologias não são neutras.Filosofia da Tecnologia e Estudos Culturais - As tecnologias não são neutras.
Filosofia da Tecnologia e Estudos Culturais - As tecnologias não são neutras.
Comunicação Integrada - Cursos e Soluções (Isabela Pimentel)
 
Modelo de Plano de comunicação ágil
Modelo de Plano de comunicação ágilModelo de Plano de comunicação ágil
Case de Comunicação Integrada- Influenciadores do mercado literário
Case de Comunicação Integrada- Influenciadores do mercado literárioCase de Comunicação Integrada- Influenciadores do mercado literário
Case de Comunicação Integrada- Influenciadores do mercado literário
Comunicação Integrada - Cursos e Soluções (Isabela Pimentel)
 
Escopo da área de comunicação
Escopo da área de comunicaçãoEscopo da área de comunicação
Planejamento de Comunicaçção para Agências
Planejamento de Comunicaçção para AgênciasPlanejamento de Comunicaçção para Agências
Planejamento de Comunicaçção para Agências
Comunicação Integrada - Cursos e Soluções (Isabela Pimentel)
 
Como colocar o planejado na rotina?
Como colocar o planejado na rotina?Como colocar o planejado na rotina?
MODELO DE PLANO DE COMUNICAÇÃO PROJETO
MODELO DE PLANO DE COMUNICAÇÃO PROJETOMODELO DE PLANO DE COMUNICAÇÃO PROJETO
Plano de comunicação para um projeto - exemplo
Plano de comunicação para um projeto - exemploPlano de comunicação para um projeto - exemplo
Plano de comunicação para um projeto - exemplo
Comunicação Integrada - Cursos e Soluções (Isabela Pimentel)
 
Como desenvolver uma estratégia de comunicação para 2023?
Como desenvolver uma estratégia de comunicação para 2023?Como desenvolver uma estratégia de comunicação para 2023?
Como desenvolver uma estratégia de comunicação para 2023?
Comunicação Integrada - Cursos e Soluções (Isabela Pimentel)
 
Metodologia da Comunicação Integrada
Metodologia da Comunicação IntegradaMetodologia da Comunicação Integrada
Conheça o Grau de Integração da Comunicação
Conheça o Grau de Integração da ComunicaçãoConheça o Grau de Integração da Comunicação
Conheça o Grau de Integração da Comunicação
Comunicação Integrada - Cursos e Soluções (Isabela Pimentel)
 
Gestão da Comunicação Integrada
Gestão da Comunicação IntegradaGestão da Comunicação Integrada
Relatório de Tendências Spotfy 2022
Relatório de Tendências Spotfy 2022Relatório de Tendências Spotfy 2022
Modelo de Plano de Comunicação Integrada
Modelo de Plano de Comunicação IntegradaModelo de Plano de Comunicação Integrada
Modelo de Plano de Comunicação Integrada
Comunicação Integrada - Cursos e Soluções (Isabela Pimentel)
 
Modelo de Plano de Comunicação
Modelo de Plano de Comunicação Modelo de Plano de Comunicação
Dinâmica de Gestão de riscos, eventos críticos e crises
Dinâmica de Gestão de riscos, eventos críticos e crisesDinâmica de Gestão de riscos, eventos críticos e crises
Dinâmica de Gestão de riscos, eventos críticos e crises
Comunicação Integrada - Cursos e Soluções (Isabela Pimentel)
 
Mapa da Comunicação Integrada e Estratégica
Mapa da Comunicação Integrada e EstratégicaMapa da Comunicação Integrada e Estratégica
Mapa da Comunicação Integrada e Estratégica
Comunicação Integrada - Cursos e Soluções (Isabela Pimentel)
 
Pilares do conteúdo de sucesso
Pilares do conteúdo de sucessoPilares do conteúdo de sucesso

Mais de Comunicação Integrada - Cursos e Soluções (Isabela Pimentel) (20)

Visão do campo da comunicação na lógica de Bourdieu
Visão do campo da comunicação na lógica de BourdieuVisão do campo da comunicação na lógica de Bourdieu
Visão do campo da comunicação na lógica de Bourdieu
 
How to Counter Scientific Disinformation ?
How to Counter Scientific Disinformation ?How to Counter Scientific Disinformation ?
How to Counter Scientific Disinformation ?
 
Filosofia da Tecnologia e Estudos Culturais - As tecnologias não são neutras.
Filosofia da Tecnologia e Estudos Culturais - As tecnologias não são neutras.Filosofia da Tecnologia e Estudos Culturais - As tecnologias não são neutras.
Filosofia da Tecnologia e Estudos Culturais - As tecnologias não são neutras.
 
Modelo de Plano de comunicação ágil
Modelo de Plano de comunicação ágilModelo de Plano de comunicação ágil
Modelo de Plano de comunicação ágil
 
Case de Comunicação Integrada- Influenciadores do mercado literário
Case de Comunicação Integrada- Influenciadores do mercado literárioCase de Comunicação Integrada- Influenciadores do mercado literário
Case de Comunicação Integrada- Influenciadores do mercado literário
 
Escopo da área de comunicação
Escopo da área de comunicaçãoEscopo da área de comunicação
Escopo da área de comunicação
 
Planejamento de Comunicaçção para Agências
Planejamento de Comunicaçção para AgênciasPlanejamento de Comunicaçção para Agências
Planejamento de Comunicaçção para Agências
 
Como colocar o planejado na rotina?
Como colocar o planejado na rotina?Como colocar o planejado na rotina?
Como colocar o planejado na rotina?
 
MODELO DE PLANO DE COMUNICAÇÃO PROJETO
MODELO DE PLANO DE COMUNICAÇÃO PROJETOMODELO DE PLANO DE COMUNICAÇÃO PROJETO
MODELO DE PLANO DE COMUNICAÇÃO PROJETO
 
Plano de comunicação para um projeto - exemplo
Plano de comunicação para um projeto - exemploPlano de comunicação para um projeto - exemplo
Plano de comunicação para um projeto - exemplo
 
Como desenvolver uma estratégia de comunicação para 2023?
Como desenvolver uma estratégia de comunicação para 2023?Como desenvolver uma estratégia de comunicação para 2023?
Como desenvolver uma estratégia de comunicação para 2023?
 
Metodologia da Comunicação Integrada
Metodologia da Comunicação IntegradaMetodologia da Comunicação Integrada
Metodologia da Comunicação Integrada
 
Conheça o Grau de Integração da Comunicação
Conheça o Grau de Integração da ComunicaçãoConheça o Grau de Integração da Comunicação
Conheça o Grau de Integração da Comunicação
 
Gestão da Comunicação Integrada
Gestão da Comunicação IntegradaGestão da Comunicação Integrada
Gestão da Comunicação Integrada
 
Relatório de Tendências Spotfy 2022
Relatório de Tendências Spotfy 2022Relatório de Tendências Spotfy 2022
Relatório de Tendências Spotfy 2022
 
Modelo de Plano de Comunicação Integrada
Modelo de Plano de Comunicação IntegradaModelo de Plano de Comunicação Integrada
Modelo de Plano de Comunicação Integrada
 
Modelo de Plano de Comunicação
Modelo de Plano de Comunicação Modelo de Plano de Comunicação
Modelo de Plano de Comunicação
 
Dinâmica de Gestão de riscos, eventos críticos e crises
Dinâmica de Gestão de riscos, eventos críticos e crisesDinâmica de Gestão de riscos, eventos críticos e crises
Dinâmica de Gestão de riscos, eventos críticos e crises
 
Mapa da Comunicação Integrada e Estratégica
Mapa da Comunicação Integrada e EstratégicaMapa da Comunicação Integrada e Estratégica
Mapa da Comunicação Integrada e Estratégica
 
Pilares do conteúdo de sucesso
Pilares do conteúdo de sucessoPilares do conteúdo de sucesso
Pilares do conteúdo de sucesso
 

Disinformation & Everyday Digital Labor- Analysis of Ong and Grohman Framework

  • 1. Doutorado em Comunicação Social Grupo de Pesquisa- Mídias, Dados e Tecnologia Professor: Marcelo Alves Discente: Isabela Duarte Pimentel Disinformation-for-Hire as Everyday Digital Labor: Introduction to the Special Issue (Grohman & Ong) Imagem: Alliance for Networking
  • 2. Pontos centrais do artigo 1. Busca compreender as camadas de poder político e comercial e atribuir responsabilidade às pessoas no topo da hierarquia (perspectiva centrada no humano); 2. É necessário localizar e historicizar como a produção de desinformação ocorre em diferentes contextos e locais ao redor do globo; 3. A análise crítica, comparativa e finamente granular equivale à formas não tradicionais de contar histórias sobre os vilões, as vítimas e os heróis no contexto da desinformação.
  • 3. O papel do trabalho cotidiano 1. A abordagem de trabalho cotidiano para a contratação de desinformação também significa compreender as nuances sociológicas em relação à força de trabalho por trás da produção de desinformação, nas chamadas cadeias de microtrabalho. 2. Os próprios trabalhadores da desinformação podem ser trabalhadores digitais precários, embora, em um contexto do Sul Global, isso muitas vezes signifique não ter escolha ou escolher a opção menos precária (Abilio, 2020; Graham & Anwar, 2019).
  • 4. Perguntas-chave • Quem são exatamente os compradores e vendedores de operações de (des)informação em todo o mundo? • Quais são suas identidades sociais e experiências profissionais? • Há alguma solução regulatória que possa de fato cortar o problema da desinformação pela raiz?
  • 5. Área específica da pesquisa Pesquisa dentro do campo cada vez maior de estudos sobre desinformação, com seu foco acentuado nas transações comerciais, lógicas organizacionais e práticas empresariais que impulsionam a produção de desinformação.
  • 6. Inspirações 1. Inspirada nas tradições da Economia Política; 2. Estudos de produção de mídia e nas abordagens da vida cotidiana; 3. Foco analítico para (1) trabalho digital cotidiano; (2) os diversos setores e trabalhadores envolvidos na produção de desinformação; e (3) as áreas regulatórias além da política de conteúdo de mídia social e da responsabilidade centrada na plataforma - especialmente relevantes no contexto de arranjos organizacionais e trabalho precário ; 4. É fundamental lembrar que o setor de RP deve ser responsabilizado por sua cumplicidade com o problema da desinformação e, ao mesmo tempo, proteger estrategicamente a legitimidade da profissão em geral (Edwards, 2020).
  • 7. Origem do termo O termo "disinformation-for-hire" foi popularizado pelos pioneiros jornalistas especializados em desinformação Craig Silverman, Jane Lytvynenko e William Kung em seu artigo de 2020 no Buzzfeed expondo empresas de RP que espalham mentiras em nome de clientes corporativos e políticos (Silverman et al., 2020). Na prática, o artigo deles abordou a granularidade efetiva e a comparação internacional de como diferentes empresas lucraram com spam, otimização de mecanismos de busca e astroturfing para clientes na política, no entretenimento e em corporações privadas.
  • 8. Hierarquia invisível dos trabalhadores digitais 1.Empreendedores de elite, como proprietários e investidores de empresas de tecnologia, 2. Líderes do setor de inovação, programadores ou desenvolvedores freelancers de elite, estrategistas de relações públicas e consultores de campanhas políticas e 3. Trabalhadores braçais empregados em fábricas de tecnologia e fazendas de cliques, funcionários de políticos explorados por suas habilidades digitais e trabalhadores de microtarefas em plataformas globais. Esses trabalhadores estão situados em vários graus de formas oficiais/não oficiais, remuneradas/não remuneradas, formais/informais e ilícitas/abrangentes de trabalho digital.
  • 9. Foco da pesquisa • O estudo da desinformação precisa ir além dos eventos de notícias falsas e factchecking; • Em vez disso, mobilizar um quadro analítico valioso que revela a desinformação como um produto de cumplicidades comerciais e políticas no arranjo capitalista tardio dos setores digitais transnacionais; • Isso inclui: "comportamento coordenado não- autêntico“, mobilizado para a ideologia de extrema direita, marketing de influenciadores, relações públicas (PRs), propaganda de ataque e operações de inteligência estatal.
  • 10. Primeiro eixo 1. Subcampo de desinformação é um narratividade do trabalho cotidiano de produção de desinformação como o cenário para a atividade humana amoral. Esse foco no processo impensado e casual de como as campanhas de desinformação são montados transmite uma sensação assustadora de atrai os leitores de textos investigativos poderosos e detalhados. 2. Nessa perspectiva, o horror é desencadeado não pela recontagem das perigosas tocas de coelho on-line que radicalizaram indivíduos solitários ou populações desprivilegiadas ao longo do tempo, mas pelo sucesso comercial de traficantes experientes em tecnologia que conseguiram apaziguar uma porta giratória de clientes e manter uma força de trabalho
  • 11. Segundo eixo O segundo foco da pesquisa sobre desinformação para contratação é a representação da diversidade do setor e dos trabalhadores; essa área de pesquisa se esforça para discutir como várias posições de classe, gênero, raça e nacionalidade participam de toda uma gama de regimes de trabalho formais e informais organizados em torno da fraude digital. O foco da pesquisa etnográfica de Ong e Cabañes (2018), "Architects of Networked Disinformation", visualizou uma hierarquia de políticos de elite colaborando com consultores de marketing de classe média-alta enquanto exploravam a mão de obra barata de trabalhadores digitais jovens e precários, atolados em racismo.
  • 12. Terceiro eixo O terceiro foco das investigações é a rejeição de estruturas deterministas de plataforma no diagnóstico da crise de desinformação em favor da análise sócio- histórica e de diversas intervenções além da fixação e do policiamento do conteúdo das mídias sociais. O fato de vivermos em um contexto de plataformização (Poell et al., 2019) não deve significar que os problemas e suas soluções dependam exclusivamente de uma abordagem oficial de cima para baixo.
  • 13. Gaps em outras pesquisas 1.Determinismo de plataforma Infelizmente, como observam Robyn Caplan et al. (2020), "o determinismo tecnológico, a ideia de que a tecnologia é um fator dominante na mudança social, se infiltrou na maneira como falamos sobre plataformas". Em contextos do Norte Global e da Maioria Global, os discursos deterministas das plataformas tornaram-se estruturas organizacionais convenientes, persuasivas, mas profundamente problemáticas, que os atores da sociedade civil mobilizar como justificativa de seus esforços de contra- desinformação.
  • 14. 2. Nova agulho hipodérmica? As estruturas explicativas deterministas de plataforma, em que a Big Tech é destacada pelas vitórias eleitorais "surpresa" de líderes populistas, de fato marcam um ressurgimento da visão da agulha hipodérmica dos efeitos da mídia no discurso público global (Chakravartty & Roy, 2017).
  • 15. 3. Limpeza de conteúdo Ao enquadrar a crise de desinformação como sendo principalmente uma questão de limpeza e remoção de conteúdo, as estruturas deterministas de plataforma também tendem a apoiar a verificação de fatos como uma intervenção fundamental (Lelo, 2022). O conjunto de soluções disponibilizadas por essa perspectiva limita-se estritamente a "corrigir o conteúdo" nas mídias sociais - uma abordagem atolada em batalhas de definições legais sobre "notícias falsas" e minúcias de políticas de conteúdo sobre quais palavras ou imagens devem ser votadas negativamente no Feed de notícias.
  • 16. Silencio estratégico Whitney Phillips (2020), que defende o uso do silêncio estratégico ou a quarentena de discursos perigosos nos casos em que a denúncia poderia inadvertidamente atrair mais visibilidade e cliques para perspectivas extremas. CRÍTICAS AO FACTCHECKING O fact-checking também não aborda as questões estruturais mais amplas condições que permitem que as campanhas de desinformação sejam produzidas e organizadas em primeiro lugar.