SlideShare uma empresa Scribd logo
 
 
A reflexão que realizamos deve nos conduzir a ações concretas.  A solução para que ao menos seja contido o aquecimento global dentro do patamares suportáveis, não é tão simples.  É de caráter global, passa por um grande acordo entre as nações, especialmente das nações mais ricas e maiores emissoras.
Entretanto, mesmo diante disso, é alentador saber que podemos sim, fazer algo e dar o nosso contributo, ele não é só válido, mas necessário..
Enquanto Igreja, formada por discípulos e missionários de Cristo, conscientes do papel das comunidades que a compõem, no contexto do Reino, nos revistamos da atitude que levou o bom samaritano a reclinar-se sobre aquele sofredor, param que com a força e sabedoria do Espírito, nos empenhemos nessa causa.
Afinal de contas, “toda a criação, até, o presente, está gemendo como que em dores de parto” (Rm  8,23)
Agir Resgatar o sentido profético do Domingo . Com o resgate do domingo, as pessoas hão de se perceber como integrantes da criação, dom de Deus e retomar o compromisso de cuidar do jardim do Senhor.
Como anda o nosso consumo ecológico
Diminuir o consumo pessoal A consciência de que cada um de nós é parte do problema, deve se reverter na convicção de que cada um pode pessoalmente dar o seu contributo para a diminuição das emissões de gases de efeito estufa. Como?
Faça de conta que as sacolas plásticas não existem: use bolsas e sacolas de algodão para carregar compras.  Consuma produtos locais: o transporte de produtos que vêm de longe consome petróleo e aumenta o efeito estufa.    Use melhor os eletrodomésticos: desligue o computador e a televisão quando não são utilizados.
Informe-se com inteligência: existem centenas de sítios, revistas e canais de TV que falam sobre meio ambiente e a sustentabilidade.  Escove os dentes, mas com inteligência: se deixar a torneira aberta, você joga fora 30 litros de água. Abra a torneira só quando for preciso.  Coma de forma sadia, prefira o orgânico: é um método de cultivo que respeita o meio ambiente.
As cidades e o ambiente Saneamento básico : no Brasil, apenas quatro em cada dez domicílios brasileiros, têm acesso à rede geral de esgoto.
No Brasil, 90% dos esgotos domésticos e 70% dos efluentes industriais não tratados são despejados diretamente nos corpos d’água, contaminando suas águas e aquelas subterrâneas.
Produção de lixo A produção de lixo no Brasil já se equipara aos padrões europeus.
Coleta seletiva
As cidades precisam oferecer parques de lazer
Nas comunidades paroquiais e Dioceses Nós em Xerém, o que podemos fazer? Trabalhar a conscientização da problemática do aquecimento global. Denunciar descasos de expressas e mesmo do poder público.
Diante do desmatamento
O agronegócio
Produtos orgânicos Produto orgânico  é todo aquele produzido sem o uso de adubos químicos, defensivos ou agrotóxicos. Ele é mais saudável porque não contém as  substâncias químicas  que os produtos tradicionais absorvem dos defensivos agrícolas geralmente usados nas lavouras.
Desenvolver políticas públicas preventivas e de superação de situações de risco É necessário a realização de um trabalho preventivo no que diz respeito às situações de risco como, por exemplo, construções nas encostas ou áreas de riscos.
O cuidado com ambiente pode e deve ser hoje uma resposta ao amor redentor de Deus. Com o Criador podemos e devemos ser cuidadores, criadores e mantenedores, ajudando a salvaguardar o direito e a dignidade de vida das gerações futuras.
 
TUDO O QUE EXISTE E VIVE PRECISA SER CUIDADO PARA CONTINUAR .

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Projeto jornal 3 bimestre
Projeto jornal 3 bimestreProjeto jornal 3 bimestre
Projeto jornal 3 bimestre
blogdeformacao
 
Transformar os lixões em aterro sanitário apenas para os rejeitos
Transformar os lixões em aterro sanitário apenas para os rejeitosTransformar os lixões em aterro sanitário apenas para os rejeitos
Transformar os lixões em aterro sanitário apenas para os rejeitos
Florência Dantas
 
O meio ambiente slides
O meio ambiente slidesO meio ambiente slides
O meio ambiente slides
Soleducador1
 
Reciclagem e sua sustentabilidade
Reciclagem e sua sustentabilidadeReciclagem e sua sustentabilidade
Reciclagem e sua sustentabilidade
eercavalcanti
 
Dia Mundial do Ambiente
Dia Mundial do AmbienteDia Mundial do Ambiente
Dia Mundial do Ambiente
Agostinho NSilva
 
A importância da reciclagem na preservação do meio
A importância da reciclagem na preservação do meioA importância da reciclagem na preservação do meio
A importância da reciclagem na preservação do meio
Lareska Rocha
 
Meio ambiente e Cidadania
Meio ambiente e CidadaniaMeio ambiente e Cidadania
Meio ambiente e Cidadania
Amanda Areval
 
LeticiaredaçãO+D..
LeticiaredaçãO+D..LeticiaredaçãO+D..
LeticiaredaçãO+D..
Profesornc
 
Dia da terra
Dia da terraDia da terra
Dia da terra
Socorro
 
Reciclagem
ReciclagemReciclagem
Reciclagem
nanasimao
 
Stc7
Stc7Stc7
Apresentação casb reci
Apresentação casb reciApresentação casb reci
Apresentação casb reci
Camila Moisés
 
Projeto reciclar
Projeto reciclarProjeto reciclar
Projeto reciclar
xellli
 
RECICLAGEM
RECICLAGEMRECICLAGEM
RECICLAGEM
estreladocevi
 
PRESERVAÇÃO AMBIENTAL
PRESERVAÇÃO AMBIENTALPRESERVAÇÃO AMBIENTAL
PRESERVAÇÃO AMBIENTAL
Ana De Paula
 
Reflexões sobre sustentabilidade
Reflexões sobre sustentabilidadeReflexões sobre sustentabilidade
Reflexões sobre sustentabilidade
Carlos Alberto Biella
 
Slides - Reciclagem
Slides - ReciclagemSlides - Reciclagem
Slides - Reciclagem
Samira Machado
 

Mais procurados (17)

Projeto jornal 3 bimestre
Projeto jornal 3 bimestreProjeto jornal 3 bimestre
Projeto jornal 3 bimestre
 
Transformar os lixões em aterro sanitário apenas para os rejeitos
Transformar os lixões em aterro sanitário apenas para os rejeitosTransformar os lixões em aterro sanitário apenas para os rejeitos
Transformar os lixões em aterro sanitário apenas para os rejeitos
 
O meio ambiente slides
O meio ambiente slidesO meio ambiente slides
O meio ambiente slides
 
Reciclagem e sua sustentabilidade
Reciclagem e sua sustentabilidadeReciclagem e sua sustentabilidade
Reciclagem e sua sustentabilidade
 
Dia Mundial do Ambiente
Dia Mundial do AmbienteDia Mundial do Ambiente
Dia Mundial do Ambiente
 
A importância da reciclagem na preservação do meio
A importância da reciclagem na preservação do meioA importância da reciclagem na preservação do meio
A importância da reciclagem na preservação do meio
 
Meio ambiente e Cidadania
Meio ambiente e CidadaniaMeio ambiente e Cidadania
Meio ambiente e Cidadania
 
LeticiaredaçãO+D..
LeticiaredaçãO+D..LeticiaredaçãO+D..
LeticiaredaçãO+D..
 
Dia da terra
Dia da terraDia da terra
Dia da terra
 
Reciclagem
ReciclagemReciclagem
Reciclagem
 
Stc7
Stc7Stc7
Stc7
 
Apresentação casb reci
Apresentação casb reciApresentação casb reci
Apresentação casb reci
 
Projeto reciclar
Projeto reciclarProjeto reciclar
Projeto reciclar
 
RECICLAGEM
RECICLAGEMRECICLAGEM
RECICLAGEM
 
PRESERVAÇÃO AMBIENTAL
PRESERVAÇÃO AMBIENTALPRESERVAÇÃO AMBIENTAL
PRESERVAÇÃO AMBIENTAL
 
Reflexões sobre sustentabilidade
Reflexões sobre sustentabilidadeReflexões sobre sustentabilidade
Reflexões sobre sustentabilidade
 
Slides - Reciclagem
Slides - ReciclagemSlides - Reciclagem
Slides - Reciclagem
 

Semelhante a Campanha da Fraternidade 2011

Sustentabilidade E Consumo Light
Sustentabilidade E Consumo LightSustentabilidade E Consumo Light
Sustentabilidade E Consumo Light
Ana Beatriz
 
Trabalho ciências final grupo final
Trabalho ciências final grupo finalTrabalho ciências final grupo final
Trabalho ciências final grupo final
BIBFJ
 
Ppt semana da prevencao
Ppt semana da prevencaoPpt semana da prevencao
Ppt semana da prevencao
BIBFJ
 
Rio +20
Rio +20Rio +20
Práticas sustentáveis e escolhas éticas, Jorge Moreira, Revista o Instalador ...
Práticas sustentáveis e escolhas éticas, Jorge Moreira, Revista o Instalador ...Práticas sustentáveis e escolhas éticas, Jorge Moreira, Revista o Instalador ...
Práticas sustentáveis e escolhas éticas, Jorge Moreira, Revista o Instalador ...
Jorge Moreira
 
Boas praticas de consumo sustentavel
Boas praticas de consumo sustentavelBoas praticas de consumo sustentavel
Boas praticas de consumo sustentavel
Murilo Cesar
 
Educacao ambiental aula-01
Educacao ambiental aula-01Educacao ambiental aula-01
Educacao ambiental aula-01
Lunna01
 
Educacao ambiental aula-01
Educacao ambiental aula-01Educacao ambiental aula-01
Educacao ambiental aula-01
Lunna01
 
Lixo, sustetabilidade 3º a
Lixo, sustetabilidade 3º aLixo, sustetabilidade 3º a
Lixo, sustetabilidade 3º a
dacnorte1
 
Semana de meio ambiente
Semana de meio ambienteSemana de meio ambiente
Semana de meio ambiente
Romulo Coco
 
Residuos8ano
Residuos8anoResiduos8ano
Residuos8ano
Terceiro Calhau
 
texto 5 de Junho.docx
texto 5 de Junho.docxtexto 5 de Junho.docx
texto 5 de Junho.docx
RosanaCosta70
 
Consumo responsável
Consumo responsávelConsumo responsável
Consumo responsável
Jorge Moreira
 
Consumo x sustentabilidade
Consumo x sustentabilidadeConsumo x sustentabilidade
Consumo x sustentabilidade
Fabio Cruz
 
Manual de Etiqueta - Planeta Sustentável - 5º Ano
Manual de Etiqueta - Planeta Sustentável - 5º AnoManual de Etiqueta - Planeta Sustentável - 5º Ano
Manual de Etiqueta - Planeta Sustentável - 5º Ano
Vanise Potenciano Queiroz
 
Gestão Ambiental
Gestão AmbientalGestão Ambiental
Gestão Ambiental
Instituto Monitor
 
Sustentabilidade ambiental
Sustentabilidade ambientalSustentabilidade ambiental
Sustentabilidade ambiental
-
 
Boas-Praticas-single-baixa.pdf
Boas-Praticas-single-baixa.pdfBoas-Praticas-single-baixa.pdf
Boas-Praticas-single-baixa.pdf
Iara Novelli
 
Mudanças climáticas_-_fórum (1)
 Mudanças climáticas_-_fórum (1) Mudanças climáticas_-_fórum (1)
Mudanças climáticas_-_fórum (1)
santaritadf
 
Coleta seletiva
Coleta seletivaColeta seletiva

Semelhante a Campanha da Fraternidade 2011 (20)

Sustentabilidade E Consumo Light
Sustentabilidade E Consumo LightSustentabilidade E Consumo Light
Sustentabilidade E Consumo Light
 
Trabalho ciências final grupo final
Trabalho ciências final grupo finalTrabalho ciências final grupo final
Trabalho ciências final grupo final
 
Ppt semana da prevencao
Ppt semana da prevencaoPpt semana da prevencao
Ppt semana da prevencao
 
Rio +20
Rio +20Rio +20
Rio +20
 
Práticas sustentáveis e escolhas éticas, Jorge Moreira, Revista o Instalador ...
Práticas sustentáveis e escolhas éticas, Jorge Moreira, Revista o Instalador ...Práticas sustentáveis e escolhas éticas, Jorge Moreira, Revista o Instalador ...
Práticas sustentáveis e escolhas éticas, Jorge Moreira, Revista o Instalador ...
 
Boas praticas de consumo sustentavel
Boas praticas de consumo sustentavelBoas praticas de consumo sustentavel
Boas praticas de consumo sustentavel
 
Educacao ambiental aula-01
Educacao ambiental aula-01Educacao ambiental aula-01
Educacao ambiental aula-01
 
Educacao ambiental aula-01
Educacao ambiental aula-01Educacao ambiental aula-01
Educacao ambiental aula-01
 
Lixo, sustetabilidade 3º a
Lixo, sustetabilidade 3º aLixo, sustetabilidade 3º a
Lixo, sustetabilidade 3º a
 
Semana de meio ambiente
Semana de meio ambienteSemana de meio ambiente
Semana de meio ambiente
 
Residuos8ano
Residuos8anoResiduos8ano
Residuos8ano
 
texto 5 de Junho.docx
texto 5 de Junho.docxtexto 5 de Junho.docx
texto 5 de Junho.docx
 
Consumo responsável
Consumo responsávelConsumo responsável
Consumo responsável
 
Consumo x sustentabilidade
Consumo x sustentabilidadeConsumo x sustentabilidade
Consumo x sustentabilidade
 
Manual de Etiqueta - Planeta Sustentável - 5º Ano
Manual de Etiqueta - Planeta Sustentável - 5º AnoManual de Etiqueta - Planeta Sustentável - 5º Ano
Manual de Etiqueta - Planeta Sustentável - 5º Ano
 
Gestão Ambiental
Gestão AmbientalGestão Ambiental
Gestão Ambiental
 
Sustentabilidade ambiental
Sustentabilidade ambientalSustentabilidade ambiental
Sustentabilidade ambiental
 
Boas-Praticas-single-baixa.pdf
Boas-Praticas-single-baixa.pdfBoas-Praticas-single-baixa.pdf
Boas-Praticas-single-baixa.pdf
 
Mudanças climáticas_-_fórum (1)
 Mudanças climáticas_-_fórum (1) Mudanças climáticas_-_fórum (1)
Mudanças climáticas_-_fórum (1)
 
Coleta seletiva
Coleta seletivaColeta seletiva
Coleta seletiva
 

Último

5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
PIB Penha
 
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf radedgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
carla983678
 
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
PIB Penha
 
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
EdimarEdigesso
 
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
PIB Penha
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
PIB Penha
 
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
DavidBertelli3
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
Rogério Augusto Ayres de Araujo
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.128 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
PIB Penha
 
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
PIB Penha
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
AlailzaSoares1
 
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
AlexandreCarvalho858758
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
nadeclarice
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
PIB Penha
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
SanturioTacararu
 
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
PIB Penha
 
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptxO MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
valneirocha
 

Último (20)

5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
 
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf radedgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
 
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
 
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
 
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
 
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.128 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
 
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
 
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
 
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
 
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptxO MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
 

Campanha da Fraternidade 2011

  • 1.  
  • 2.  
  • 3. A reflexão que realizamos deve nos conduzir a ações concretas. A solução para que ao menos seja contido o aquecimento global dentro do patamares suportáveis, não é tão simples. É de caráter global, passa por um grande acordo entre as nações, especialmente das nações mais ricas e maiores emissoras.
  • 4. Entretanto, mesmo diante disso, é alentador saber que podemos sim, fazer algo e dar o nosso contributo, ele não é só válido, mas necessário..
  • 5. Enquanto Igreja, formada por discípulos e missionários de Cristo, conscientes do papel das comunidades que a compõem, no contexto do Reino, nos revistamos da atitude que levou o bom samaritano a reclinar-se sobre aquele sofredor, param que com a força e sabedoria do Espírito, nos empenhemos nessa causa.
  • 6. Afinal de contas, “toda a criação, até, o presente, está gemendo como que em dores de parto” (Rm 8,23)
  • 7. Agir Resgatar o sentido profético do Domingo . Com o resgate do domingo, as pessoas hão de se perceber como integrantes da criação, dom de Deus e retomar o compromisso de cuidar do jardim do Senhor.
  • 8. Como anda o nosso consumo ecológico
  • 9. Diminuir o consumo pessoal A consciência de que cada um de nós é parte do problema, deve se reverter na convicção de que cada um pode pessoalmente dar o seu contributo para a diminuição das emissões de gases de efeito estufa. Como?
  • 10. Faça de conta que as sacolas plásticas não existem: use bolsas e sacolas de algodão para carregar compras. Consuma produtos locais: o transporte de produtos que vêm de longe consome petróleo e aumenta o efeito estufa. Use melhor os eletrodomésticos: desligue o computador e a televisão quando não são utilizados.
  • 11. Informe-se com inteligência: existem centenas de sítios, revistas e canais de TV que falam sobre meio ambiente e a sustentabilidade. Escove os dentes, mas com inteligência: se deixar a torneira aberta, você joga fora 30 litros de água. Abra a torneira só quando for preciso. Coma de forma sadia, prefira o orgânico: é um método de cultivo que respeita o meio ambiente.
  • 12. As cidades e o ambiente Saneamento básico : no Brasil, apenas quatro em cada dez domicílios brasileiros, têm acesso à rede geral de esgoto.
  • 13. No Brasil, 90% dos esgotos domésticos e 70% dos efluentes industriais não tratados são despejados diretamente nos corpos d’água, contaminando suas águas e aquelas subterrâneas.
  • 14. Produção de lixo A produção de lixo no Brasil já se equipara aos padrões europeus.
  • 16. As cidades precisam oferecer parques de lazer
  • 17. Nas comunidades paroquiais e Dioceses Nós em Xerém, o que podemos fazer? Trabalhar a conscientização da problemática do aquecimento global. Denunciar descasos de expressas e mesmo do poder público.
  • 20. Produtos orgânicos Produto orgânico é todo aquele produzido sem o uso de adubos químicos, defensivos ou agrotóxicos. Ele é mais saudável porque não contém as substâncias químicas que os produtos tradicionais absorvem dos defensivos agrícolas geralmente usados nas lavouras.
  • 21. Desenvolver políticas públicas preventivas e de superação de situações de risco É necessário a realização de um trabalho preventivo no que diz respeito às situações de risco como, por exemplo, construções nas encostas ou áreas de riscos.
  • 22. O cuidado com ambiente pode e deve ser hoje uma resposta ao amor redentor de Deus. Com o Criador podemos e devemos ser cuidadores, criadores e mantenedores, ajudando a salvaguardar o direito e a dignidade de vida das gerações futuras.
  • 23.  
  • 24. TUDO O QUE EXISTE E VIVE PRECISA SER CUIDADO PARA CONTINUAR .