SlideShare uma empresa Scribd logo
2º ANO MÉDIO
Professora Cardinale Soares
Biodiversidade
Destruição de diversidade biológica
Biodiversida
de
Bio = vida Diversidade =
variedade
Por definição:
 “O termo biodiversidade descreve a variedade de vida
na Terra”. (Natural History Museum – UK)
Na prática:
Mas não podemos nos
esquecer dos:
Biodiversidade
 Diversidade genética: caracterizada pelas variâncias entre os
organismos. Mesmo em uma mesma espécie, a diversidade
genética é alta, o que possibilita uma maior adaptabilidade.
Esse nível de classificação é utilizado para quantificar a
biodiversidade em termos taxonômicos.
 Diversidade química: a variedade genética também possibilita
a síntese de produtos químicos. Diferentes espécies
produzem diferentes compostos, que podem ser aproveitados
pelos humanos em diversos contextos.
 Diversidade ecológica: relacionada com a diversidade entre
ecossistemas. Cada ecossistema constitui relações
ecológicas que podem ser únicas, e crescente destruição
desses ecossistemas
 Cada vez mais há a ânsia de se estudar a biodiversidade
pelo mundo
 Para tal, cresceu-se também a preocupação com a
conservação ambiental, que na prática visa proteger a
biodiversidade
 O interesse não é de todo filantrópico: a quantificação e
qualificação da vida pelo planeta trás a possibilidade de
conhecer-se potenciais biotecnologias
 No Brasil, desde 1999 há o projeto BIOTA-FAPESP, com
intuito de “caracterização, conservação, restauração e
uso sustentável da Biodiversidade”
A biodiversidade no contexto global
Variedade de espécies de plantas ao redor do
mundo
• Estudo da
Universidade da
Califórnia
• 3.6% da superfície da
Terra (áreas em violeta)
possuem uma enorme
biodiversidade (plantas
e animais)
• São basicamente
constituídas de
pequenas ilhas –
ambientes sujeitos a
fácil desequilíbrio
• Ainda mais grave: boa
parte dessas espécies
são endêmicas
Variedade de espécies de plantas ao redor do
mundo
Número de espécies de
anfíbios
Riqueza de espécies de peixes de água
doce
Biodiversidade animal pelo
mundo
• Regiões com menores
latitudes possuem
visivelmente uma maior
biodiversidade
• Não por coincidência,
são as regiões que
possuem maior
incidência solar
• Há uma maior
quantidade de energia
recebida nessas
regiões, o que estimula
a riqueza na
biodiversidade
• Da mesma forma,
maiores latitudes
possuem uma menor
biodiversidade
Biodiversity
Hotspots
• Hotspots de
biodiversidade são
os locais em que
há muitas espécies
endêmicas e que
estão ameaçadas
• Como são
endêmicas, a
destruição desses
ecossistemas
implicam no
desaparecimento
de muitas espécies
Biodiversidade no Brasil
 O Brasil, como um país de
proporções continentais, possui
regiões que se diferem em
temperatura, umidade,
qualidade do solo, radiação
solar, massas de ar e correntes
marítimas.
 Por isso, podemos observar
biomas bastante particulares,
caracterizados por exuberante
fauna e flora.
 Possui um número elevado de
espécies endêmicas, que
certamente irá se elevar quando
houver mais estudos.
 A biodiversidade brasileira
também proporciona bens
econômicos importantes, como
o abacaxi, amendoim, castanha-
do-brasil, mandioca, caju.
Biodiversidade no Cerrado
 É o segundo maior bioma da América do
Sul.
 Como visto anteriormente, o Cerrado
constitui um hotspot para
biodiversidade, possuindo uma série de
espécies endêmicas.
 Infelizmente, é um dos biomas mais
ameaçados graças à expansão dos
setores agropecuários.
 Ao menos 137 espécies de animais do
bioma estão ameaçados de extinção e
cerca de 20% das espécies endêmicas
não são mais encontradas nas áreas
protegidas.
Biodiversidade na Amazônia
 Região mundial que possui a maior quantidade de espécies de animais
e plantas.
 10% das espécies vegetais encontram-se na Amazônia
 É conhecidamente o território com maior biodiversidade do planeta,
mas apenas uma fração muito pequena é conhecida
 Cerca de 70% das espécies de artrópodes, por exemplo, não foram
descritas
 O número de espécies de peixes é desconhecido, mas acredita-se que
a bacia amazônica compreende a maior quantidade de espécies em
relação às demais bacias
 Os dados para répteis, aves, anfíbios e mamíferos também são
destacáveis.
 Apesar de tudo isso, em nenhum lugar do mundo derrubam-se mais
árvores do que na nossa grandiosa floresta, sendo o desmatamento
neste lugar 30% maior do que a “segunda colocada”, a Indonésia.
 A biodiversidade brasileira, no setor da agroindústria,
corresponde a 40% do PIB nacional, mas nos setores
florestais, apenas 4% do PIB é representado por espécies
nativas.
 A maior parte da economia do pais é adquirida através de
espécies exóticas, como a cana-de-açúcar (Nova Guiné),
café (Etiópia), arroz (Filipinas), soja (China), cacau
(México), eucalipto (Austrália), pinheiros (América
Central), gado (Índia) e apicultura (Europa e África).
 Claramente nosso país precisa investir pesado em
pesquisas sobre a nossa biodiversidade
Destruição da diversidade biológica
 Além das ações humanas, a destruição da
biodiversidade também acontece por meios
naturais.
 Cerca de 99% das espécies que já existiram na
Terra estão extintas.
 As extinções não são precisamente ruins, uma vez
que dão a oportunidade à ascendência de novas
espécies.
 O grande problema é que a atuação dos homens
aceleram extinções, que normalmente acontecem
Extinções em massa
 Aconteceram cinco grandes extinções no
nosso planeta
Extinção do Ordoviciano (440 Ma)
 Extinguiu 26% de
famílias marinhas
 Cerca de 85% de
todas as espécies
 Provavelmente
causada por uma
intensa Era do Gelo
Extinção do Devoniano Superior (360
Ma)
 Extinção de 22% de
famílias marinhas
 Cerca de 80% de
todas as espécies
 Provavelmente
causada pela queda
nos níveis de
oxigênio e
decaimento da
temperatura do
planeta
Extinção Permiana (252 Ma)
 A maior de todas as extinções
 51% de todas das famílias marinhas
 Cerca de 95% de todas as espécies
 Erupções vulcânicas (incluindo provavelmente a maior
de todas) liberaram lava e grandes quantidades de
dióxido de carbono, responsáveis pelo aumento
abrupto da temperatura.
 A união da Pangea criou um ambiente bastante quente
e seco no seu interior
 Níveis de oxigênio mais uma vez caíram
Extinção do Triássico (201 Ma)
 Extinção de 22% de
famílias marinhas
 Cerca de 80% de
todas as espécies
 Causa provavelmente
pela queda nos níveis
dos oceanos e
grandes erupções
vulcânicas.
Extinção do Cretáceo (66 Ma)
 Extinção de 16%
das famílias
marinhas
 Cerca de 75% das
espécies
 Possivelmente
causada pelo
choque de um
grande meteoro
 Responsável pelo
desaparecimento
dos dinossauros
 A extinção dos grandes
dinossauros, que até então
dominavam o ambiente
terrestre, possibilitou que os
pequenos mamíferos
(musaranhos), até então
controlados pela predação e
competição dos grandes
animais, pudessem se
diversificar
 Essa diversificação
possibilitou que mamíferos
maiores fossem surgindo
 Não fosse essa última
grande extinção, talvez não
estivéssemos aqui
Destruição de biodiversidade causada
pelo homem
 Como vimos, a biodiversidade pode ter uma
destruição natural. No entanto, atualmente o
homem figura como um agente importante nessa
crescente destruição.
 Já estudamos o caso da Ilha de Páscoa. Hoje,
teremos um estudo de caso da Ilha Maurício.
Ilha Maurício
Biodiversidade (1).pptx
• Descoberta por Árabes – Dina Arobi
• Portugueses em 1507 – Ilha do Cirne
• Holandeses
• Chegada em 1598 – Ilha Maurício –
Príncipe Maurício de Nassau
• Em 1638 é estabelecida uma colônia
• Introdução da Cana de AçúåΩcar,
Animais domésticos e outras
espécies exóticas;
• Extração de Ébano
• Abandonam a ilha em 1710
• Tomada pelos
britânicos em
1810
• Nome de Ilha
Maurício é
retomado
• Independência
em 1968
• Proclamação da
república em
1992
Batalha de Grand Port – Única vitória francesa
Pteropus subniger – Pequena raposa voadora de
Maurício • Ilhas Mascarenhas
• Isoladas – Poucos
mamíferos
• Extinto provavelmente no
século XIX
La Nux, 1772
“When I arrived these animals were as common, even in the settled areas, as they are rare today.
They are hunted for their meat, for their fat, for young individuals, throughout all the summer, all the
autumn and part of the winter, by whites with a gun, by negros with nets.”
Ratos e
camundongos
Tenrecídios
Suricatos e mangustos
Cervo de Timor
Ruminantes
Domésticos
Porcos
Macaca fascicularis - Macaco-cinomolgo
• Nativo do sudeste
asiático
• Invasoras em:
• Hong Kong
• Taiwan
• Papua (Indonésia)
• Papua Nova Guiné
• Nova Bretanha
• Nova Irlanda
• Pohnpei
• Tonga
• Samoa (Polinésia)
• Tuvalu (Polinésia)
• Ilhas Salomão
• Nauru (Micronésia)
• Kiribati (Micronésia)
• Vanuatu
• Fiji
International Union for Conservation of Nature
"100 worst invasive alien species"
Stella Clavisque Maris Indici
Estrela e Chave do Oceano
Indico
Biodiversidade (1).pptx
Raphus Cucullatus - Dodô
• Ave incapaz de voar
• Até 23kg
• Predada em grande
quantidade pelos
humanos
• Espécies invasoras
predavam seus ovos e
filhotes
• Extinta no século XVII -
1681
• Em 2012 o IBAMA processou
35 companhias em 88
milhões de reais
• O chocolate feito com as
sementes do cupuaçu
(Cupulate) também já foi
patenteado por uma empresa
japonesa
Bioprospecção • Uma das principais formas de
se obter lucro através da
diversidade genética
• Estima-se que 50% dos
produtos farmacêuticos
tenham origem na
biodiversidade
Biopirataria
Coffea arabica - Café
• Extremamente valiosa no século XVIII
• Maior produtor de café era a Holanda
• Presente para a França, Rei Louis
XIV em 1714
• Em 1723 Gabriel de Clieu trouxe uma
muda para Martinica
• No Brasil, Francisco de Melo Palheta
foi incumbido de importar o café
• Romance com a esposa do
governador
• Recebeu como presente de
despedida um buquê de flores com as

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Biodiversidade (1).pptx

MetapopulaçõEs
MetapopulaçõEsMetapopulaçõEs
MetapopulaçõEs
ern
 
Geografia1 eja.pptx
Geografia1 eja.pptxGeografia1 eja.pptx
Geografia1 eja.pptx
ALINE299164
 
Formigas © Slideshow by Jair LP
Formigas © Slideshow by Jair LPFormigas © Slideshow by Jair LP
Formigas © Slideshow by Jair LP
Jair Lucio Prados Ribeiro
 
Aula 3 - ameças à biodiversidade e extinções de espécies
Aula 3 - ameças à biodiversidade e extinções de espéciesAula 3 - ameças à biodiversidade e extinções de espécies
Aula 3 - ameças à biodiversidade e extinções de espécies
sandrosilvaufgd
 
Biogeografia - A extinção
Biogeografia - A extinçãoBiogeografia - A extinção
Biogeografia - A extinção
Kelton Silva Sena
 
biodiversidade (1).pdf
biodiversidade (1).pdfbiodiversidade (1).pdf
biodiversidade (1).pdf
PabloFirmino2
 
Slide de biodiversidade iury souza.
Slide de biodiversidade iury souza.Slide de biodiversidade iury souza.
Slide de biodiversidade iury souza.
netolimask89
 
Curiosidades ambientais
Curiosidades ambientaisCuriosidades ambientais
Curiosidades ambientais
Noeli Ravaglio
 
Perda de biodiversidade (1)
Perda de biodiversidade (1)Perda de biodiversidade (1)
Perda de biodiversidade (1)
alsferreira
 
03 biodiversidade ii
03 biodiversidade ii03 biodiversidade ii
03 biodiversidade ii
stique
 
Ecossistema
EcossistemaEcossistema
Ecossistema
estagio2
 
Ecossistema 3
Ecossistema 3Ecossistema 3
Ecossistema 3
estagio2
 
Ecossistema 3
Ecossistema 3Ecossistema 3
Ecossistema 3
Facos - Cnec
 
I C N B J R A Biodiversidade1
I C N B  J R A  Biodiversidade1I C N B  J R A  Biodiversidade1
I C N B J R A Biodiversidade1
SGC
 
Apostilamd 2-110608134456-phpapp01
Apostilamd 2-110608134456-phpapp01Apostilamd 2-110608134456-phpapp01
Apostilamd 2-110608134456-phpapp01
carolinedousseau
 
Biodiversidade
BiodiversidadeBiodiversidade
Biodiversidade
LuizBraz9
 
Artigo - animais ameaçados em extinçao
Artigo - animais ameaçados em extinçaoArtigo - animais ameaçados em extinçao
Artigo - animais ameaçados em extinçao
netoalvirubro
 
Manual da bolota 2019.pdf
Manual da bolota 2019.pdfManual da bolota 2019.pdf
Manual da bolota 2019.pdf
João Soares
 
Os RFG no planejamento agrícola.pptx
Os RFG no planejamento agrícola.pptxOs RFG no planejamento agrícola.pptx
Os RFG no planejamento agrícola.pptx
Renato Ferraz de Arruda Veiga
 
Biodiversidade
BiodiversidadeBiodiversidade
Biodiversidade
Gourgel Abias
 

Semelhante a Biodiversidade (1).pptx (20)

MetapopulaçõEs
MetapopulaçõEsMetapopulaçõEs
MetapopulaçõEs
 
Geografia1 eja.pptx
Geografia1 eja.pptxGeografia1 eja.pptx
Geografia1 eja.pptx
 
Formigas © Slideshow by Jair LP
Formigas © Slideshow by Jair LPFormigas © Slideshow by Jair LP
Formigas © Slideshow by Jair LP
 
Aula 3 - ameças à biodiversidade e extinções de espécies
Aula 3 - ameças à biodiversidade e extinções de espéciesAula 3 - ameças à biodiversidade e extinções de espécies
Aula 3 - ameças à biodiversidade e extinções de espécies
 
Biogeografia - A extinção
Biogeografia - A extinçãoBiogeografia - A extinção
Biogeografia - A extinção
 
biodiversidade (1).pdf
biodiversidade (1).pdfbiodiversidade (1).pdf
biodiversidade (1).pdf
 
Slide de biodiversidade iury souza.
Slide de biodiversidade iury souza.Slide de biodiversidade iury souza.
Slide de biodiversidade iury souza.
 
Curiosidades ambientais
Curiosidades ambientaisCuriosidades ambientais
Curiosidades ambientais
 
Perda de biodiversidade (1)
Perda de biodiversidade (1)Perda de biodiversidade (1)
Perda de biodiversidade (1)
 
03 biodiversidade ii
03 biodiversidade ii03 biodiversidade ii
03 biodiversidade ii
 
Ecossistema
EcossistemaEcossistema
Ecossistema
 
Ecossistema 3
Ecossistema 3Ecossistema 3
Ecossistema 3
 
Ecossistema 3
Ecossistema 3Ecossistema 3
Ecossistema 3
 
I C N B J R A Biodiversidade1
I C N B  J R A  Biodiversidade1I C N B  J R A  Biodiversidade1
I C N B J R A Biodiversidade1
 
Apostilamd 2-110608134456-phpapp01
Apostilamd 2-110608134456-phpapp01Apostilamd 2-110608134456-phpapp01
Apostilamd 2-110608134456-phpapp01
 
Biodiversidade
BiodiversidadeBiodiversidade
Biodiversidade
 
Artigo - animais ameaçados em extinçao
Artigo - animais ameaçados em extinçaoArtigo - animais ameaçados em extinçao
Artigo - animais ameaçados em extinçao
 
Manual da bolota 2019.pdf
Manual da bolota 2019.pdfManual da bolota 2019.pdf
Manual da bolota 2019.pdf
 
Os RFG no planejamento agrícola.pptx
Os RFG no planejamento agrícola.pptxOs RFG no planejamento agrícola.pptx
Os RFG no planejamento agrícola.pptx
 
Biodiversidade
BiodiversidadeBiodiversidade
Biodiversidade
 

Biodiversidade (1).pptx

  • 1. 2º ANO MÉDIO Professora Cardinale Soares Biodiversidade Destruição de diversidade biológica
  • 2. Biodiversida de Bio = vida Diversidade = variedade
  • 3. Por definição:  “O termo biodiversidade descreve a variedade de vida na Terra”. (Natural History Museum – UK)
  • 5. Mas não podemos nos esquecer dos:
  • 6. Biodiversidade  Diversidade genética: caracterizada pelas variâncias entre os organismos. Mesmo em uma mesma espécie, a diversidade genética é alta, o que possibilita uma maior adaptabilidade. Esse nível de classificação é utilizado para quantificar a biodiversidade em termos taxonômicos.  Diversidade química: a variedade genética também possibilita a síntese de produtos químicos. Diferentes espécies produzem diferentes compostos, que podem ser aproveitados pelos humanos em diversos contextos.  Diversidade ecológica: relacionada com a diversidade entre ecossistemas. Cada ecossistema constitui relações ecológicas que podem ser únicas, e crescente destruição desses ecossistemas
  • 7.  Cada vez mais há a ânsia de se estudar a biodiversidade pelo mundo  Para tal, cresceu-se também a preocupação com a conservação ambiental, que na prática visa proteger a biodiversidade  O interesse não é de todo filantrópico: a quantificação e qualificação da vida pelo planeta trás a possibilidade de conhecer-se potenciais biotecnologias  No Brasil, desde 1999 há o projeto BIOTA-FAPESP, com intuito de “caracterização, conservação, restauração e uso sustentável da Biodiversidade”
  • 8. A biodiversidade no contexto global
  • 9. Variedade de espécies de plantas ao redor do mundo
  • 10. • Estudo da Universidade da Califórnia • 3.6% da superfície da Terra (áreas em violeta) possuem uma enorme biodiversidade (plantas e animais) • São basicamente constituídas de pequenas ilhas – ambientes sujeitos a fácil desequilíbrio • Ainda mais grave: boa parte dessas espécies são endêmicas Variedade de espécies de plantas ao redor do mundo
  • 11. Número de espécies de anfíbios
  • 12. Riqueza de espécies de peixes de água doce
  • 13. Biodiversidade animal pelo mundo • Regiões com menores latitudes possuem visivelmente uma maior biodiversidade • Não por coincidência, são as regiões que possuem maior incidência solar • Há uma maior quantidade de energia recebida nessas regiões, o que estimula a riqueza na biodiversidade • Da mesma forma, maiores latitudes possuem uma menor biodiversidade
  • 14. Biodiversity Hotspots • Hotspots de biodiversidade são os locais em que há muitas espécies endêmicas e que estão ameaçadas • Como são endêmicas, a destruição desses ecossistemas implicam no desaparecimento de muitas espécies
  • 15. Biodiversidade no Brasil  O Brasil, como um país de proporções continentais, possui regiões que se diferem em temperatura, umidade, qualidade do solo, radiação solar, massas de ar e correntes marítimas.  Por isso, podemos observar biomas bastante particulares, caracterizados por exuberante fauna e flora.  Possui um número elevado de espécies endêmicas, que certamente irá se elevar quando houver mais estudos.  A biodiversidade brasileira também proporciona bens econômicos importantes, como o abacaxi, amendoim, castanha- do-brasil, mandioca, caju.
  • 16. Biodiversidade no Cerrado  É o segundo maior bioma da América do Sul.  Como visto anteriormente, o Cerrado constitui um hotspot para biodiversidade, possuindo uma série de espécies endêmicas.  Infelizmente, é um dos biomas mais ameaçados graças à expansão dos setores agropecuários.  Ao menos 137 espécies de animais do bioma estão ameaçados de extinção e cerca de 20% das espécies endêmicas não são mais encontradas nas áreas protegidas.
  • 17. Biodiversidade na Amazônia  Região mundial que possui a maior quantidade de espécies de animais e plantas.  10% das espécies vegetais encontram-se na Amazônia  É conhecidamente o território com maior biodiversidade do planeta, mas apenas uma fração muito pequena é conhecida  Cerca de 70% das espécies de artrópodes, por exemplo, não foram descritas  O número de espécies de peixes é desconhecido, mas acredita-se que a bacia amazônica compreende a maior quantidade de espécies em relação às demais bacias  Os dados para répteis, aves, anfíbios e mamíferos também são destacáveis.  Apesar de tudo isso, em nenhum lugar do mundo derrubam-se mais árvores do que na nossa grandiosa floresta, sendo o desmatamento neste lugar 30% maior do que a “segunda colocada”, a Indonésia.
  • 18.  A biodiversidade brasileira, no setor da agroindústria, corresponde a 40% do PIB nacional, mas nos setores florestais, apenas 4% do PIB é representado por espécies nativas.  A maior parte da economia do pais é adquirida através de espécies exóticas, como a cana-de-açúcar (Nova Guiné), café (Etiópia), arroz (Filipinas), soja (China), cacau (México), eucalipto (Austrália), pinheiros (América Central), gado (Índia) e apicultura (Europa e África).  Claramente nosso país precisa investir pesado em pesquisas sobre a nossa biodiversidade
  • 19. Destruição da diversidade biológica  Além das ações humanas, a destruição da biodiversidade também acontece por meios naturais.  Cerca de 99% das espécies que já existiram na Terra estão extintas.  As extinções não são precisamente ruins, uma vez que dão a oportunidade à ascendência de novas espécies.  O grande problema é que a atuação dos homens aceleram extinções, que normalmente acontecem
  • 20. Extinções em massa  Aconteceram cinco grandes extinções no nosso planeta
  • 21. Extinção do Ordoviciano (440 Ma)  Extinguiu 26% de famílias marinhas  Cerca de 85% de todas as espécies  Provavelmente causada por uma intensa Era do Gelo
  • 22. Extinção do Devoniano Superior (360 Ma)  Extinção de 22% de famílias marinhas  Cerca de 80% de todas as espécies  Provavelmente causada pela queda nos níveis de oxigênio e decaimento da temperatura do planeta
  • 23. Extinção Permiana (252 Ma)  A maior de todas as extinções  51% de todas das famílias marinhas  Cerca de 95% de todas as espécies  Erupções vulcânicas (incluindo provavelmente a maior de todas) liberaram lava e grandes quantidades de dióxido de carbono, responsáveis pelo aumento abrupto da temperatura.  A união da Pangea criou um ambiente bastante quente e seco no seu interior  Níveis de oxigênio mais uma vez caíram
  • 24. Extinção do Triássico (201 Ma)  Extinção de 22% de famílias marinhas  Cerca de 80% de todas as espécies  Causa provavelmente pela queda nos níveis dos oceanos e grandes erupções vulcânicas.
  • 25. Extinção do Cretáceo (66 Ma)  Extinção de 16% das famílias marinhas  Cerca de 75% das espécies  Possivelmente causada pelo choque de um grande meteoro  Responsável pelo desaparecimento dos dinossauros
  • 26.  A extinção dos grandes dinossauros, que até então dominavam o ambiente terrestre, possibilitou que os pequenos mamíferos (musaranhos), até então controlados pela predação e competição dos grandes animais, pudessem se diversificar  Essa diversificação possibilitou que mamíferos maiores fossem surgindo  Não fosse essa última grande extinção, talvez não estivéssemos aqui
  • 27. Destruição de biodiversidade causada pelo homem  Como vimos, a biodiversidade pode ter uma destruição natural. No entanto, atualmente o homem figura como um agente importante nessa crescente destruição.  Já estudamos o caso da Ilha de Páscoa. Hoje, teremos um estudo de caso da Ilha Maurício.
  • 30. • Descoberta por Árabes – Dina Arobi • Portugueses em 1507 – Ilha do Cirne • Holandeses • Chegada em 1598 – Ilha Maurício – Príncipe Maurício de Nassau • Em 1638 é estabelecida uma colônia • Introdução da Cana de AçúåΩcar, Animais domésticos e outras espécies exóticas; • Extração de Ébano • Abandonam a ilha em 1710
  • 31. • Tomada pelos britânicos em 1810 • Nome de Ilha Maurício é retomado • Independência em 1968 • Proclamação da república em 1992 Batalha de Grand Port – Única vitória francesa
  • 32. Pteropus subniger – Pequena raposa voadora de Maurício • Ilhas Mascarenhas • Isoladas – Poucos mamíferos • Extinto provavelmente no século XIX
  • 33. La Nux, 1772 “When I arrived these animals were as common, even in the settled areas, as they are rare today. They are hunted for their meat, for their fat, for young individuals, throughout all the summer, all the autumn and part of the winter, by whites with a gun, by negros with nets.”
  • 36. Macaca fascicularis - Macaco-cinomolgo • Nativo do sudeste asiático • Invasoras em: • Hong Kong • Taiwan • Papua (Indonésia) • Papua Nova Guiné • Nova Bretanha • Nova Irlanda • Pohnpei • Tonga • Samoa (Polinésia) • Tuvalu (Polinésia) • Ilhas Salomão • Nauru (Micronésia) • Kiribati (Micronésia) • Vanuatu • Fiji International Union for Conservation of Nature "100 worst invasive alien species"
  • 37. Stella Clavisque Maris Indici Estrela e Chave do Oceano Indico
  • 39. Raphus Cucullatus - Dodô • Ave incapaz de voar • Até 23kg • Predada em grande quantidade pelos humanos • Espécies invasoras predavam seus ovos e filhotes • Extinta no século XVII - 1681
  • 40. • Em 2012 o IBAMA processou 35 companhias em 88 milhões de reais • O chocolate feito com as sementes do cupuaçu (Cupulate) também já foi patenteado por uma empresa japonesa Bioprospecção • Uma das principais formas de se obter lucro através da diversidade genética • Estima-se que 50% dos produtos farmacêuticos tenham origem na biodiversidade Biopirataria
  • 41. Coffea arabica - Café • Extremamente valiosa no século XVIII • Maior produtor de café era a Holanda • Presente para a França, Rei Louis XIV em 1714 • Em 1723 Gabriel de Clieu trouxe uma muda para Martinica • No Brasil, Francisco de Melo Palheta foi incumbido de importar o café • Romance com a esposa do governador • Recebeu como presente de despedida um buquê de flores com as

Notas do Editor

  1. Esquerda: http://www.myairticket.com/uploads/gallery/Underwater_Mauritius_Island_Holiday_package.jpg
  2. http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/5/59/Combat_de_Grand_Port_mg_9425.jpg/1024px-Combat_de_Grand_Port_mg_9425.jpg
  3. http://www.inaturalist.org/taxa/40921-Pteropus-subniger
  4. http://2.bp.blogspot.com/_8qYZefX6Dik/TGnwuDOCQbI/AAAAAAAAAxc/fDl2FfytSrA/s1600/rato.jpg http://3.bp.blogspot.com/-Czifcbab-0Y/UCn3SWu15MI/AAAAAAAAAdg/X6tUdFmXEeA/s1600/dertyui+(6).jpg
  5. http://photos.zoochat.com/large/dsc00066-154911.jpg http://2.bp.blogspot.com/_m038xlY5fpE/TDxiLSS6z4I/AAAAAAAADCk/iSq4qe2QCjY/s1600/boi+cora%C3%A7%C3%A3o.jpg http://www.viamaxi.com.br/wp-content/uploads/2011/07/Porco.jpg
  6. http://thelongtails.files.wordpress.com/2013/07/img_8010.jpg
  7. http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/4/4c/Coat_of_arms_of_Mauritius.svg/2000px-Coat_of_arms_of_Mauritius.svg.png
  8. http://animaldiversity.ummz.umich.edu/accounts/Raphus_cucullatu http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Raphus_cucullatus_-Natural_History_Museum,_London,_England-20Oct2010.jpgs/
  9. http://www.geomodel.it/en/paleontology/Raphus-cucullatus/ http://www.gov.mu/English/Pages/default.aspx
  10. http://www.ufrgs.br/patrimoniogenetico/conceitos-e-definicoes/bioprospeccao] http://dialogo-americas.com/en_GB/articles/saii/features/main/2013/05/20/feature-01 http://www.blogmarcossantos.com.br/wp-content/uploads/2013/03/fruto-doces-cupuacu.jpg
  11. http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/f/fa/Coffea_arabica_-_K%C3%B6hler%E2%80%93s_Medizinal-Pflanzen-189.jpg http://www.ncausa.org/i4a/pages/index.cfm?pageid=68