SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 11
Baixar para ler offline
Nº1 - 15AGO2021
BARCAÇA
EDITORIAL
- MARA KOPKE
DESPORTO
- TOPSECRET
ASSOCIATIVISMO
- OLIMPIO FERNANDES
MONUMENTOS
- MÁRIO SILVA
POESIA
- MARA KOPKE
- GARÇA REAL
- ISABEL CAPINHA
STORY
- DÍLIA BRANDÃO FERNANDES
POLITICA
- CAROLINA AIRES
- FRANCISCO LEAL
- NUNO GONÇALVES
AGRICULTURA/FORMAÇÃO
- MÁRIO PARDAL
[EDITORIAL]
O TEMPO FOGE-NOS A SETE PÉS, AS MEMÓRIAS QUE AINDA RESISTEM
DEVEMOS ESCREVER PORQUE ESSA É A FORMA DO PRESERVAR E QUEM
ATRÁS VENHA, FIQUE COM UM QUADRO UMAS VEZES DURO OUTRAS
SIMPLESMENTE DELICIOSO.
VIAJAR NA BARCAÇA AO SABOR DA CORRENTE, COM A FORÇA DOS
BRAÇOS E AJUDA ALGUMAS VEZES DA CORDA QUE LIGAVA AS DUAS
MARGENS, NÃO ERA PERA DOCE. AINDA O SOL NÃO TINHA NASCIDO E NA
VOLTA JÁ O SOL SE TINHA POSTO, ERA ASSIM O DIA A DIA DA FAINA
AGRÍCOLA.
LÁ LONGE NA TORRE DA IGREJA O SINO DAVA AS BADALADAS QUE
ORIENTAVAM OS CAPATAZES E AO DOMINGO O TOQUE DA SIRENE AVISA
DO MEIO-DIA.
FORAM CRIADAS PÁGINAS COM SABORES, SEJA NO DESPORTO,
ASSOCIATIVISMO, POESIA, MONUMENTALIDADE, HISTÓRIAS DE OUTROS
TEMPOS, AGRICULTURA/ FORMAÇÃO E POLÍTICA REGIONAL/NACIONAL.
COM ESTES INGREDIENTES DESEJAMOS QUINZENALMENTE FAZER CHEGAR
AOS NOSSOS SEGUIDORES DO CONCELHO, UM SABOR DA TERRA DAS
GENTES DA CULTURA DO DESPORTO, OU SEJA, AS NOSSAS VIVÊNCIAS.
"AOS FILHOS DOS HOMENS QUE NUNCA FORAM MENINOS". SOEIRO
PEREIRA GOMES. - ESTEIROS
NOTA: NUNO GONÇALVES E MÁRIO PARDAL ENTRAM NA EDIÇÃO Nº2
EDITORIAL
ATLÉTICO CLUBE MONTEMORENSE ANO DE FUNDAÇÃO 1938-09-09
ESTE MENINO QUE NO PRÓXIMO DIA NOVE DE SETEMBRO VAI COMPLETAR OITENTA E TRÊS ANOS, TEM UM
PASSADO QUE TODOS NÓS NOS ORGULHAMOS. SABENDO QUE TEVE ALTOS E BAIXOS, MAS COM A
DEDICAÇÃO DE TODOS OS QUE PELO EMBLEMA LUTARAM E LUTAM PARA ENALTECER ESTE CLUBE ESTÁ AÍ
PARA DURAR. LONGE VÃO OS TEMPOS EM QUE JOAQUIM DA SILVA GALVÃO REGISTOU OS ESTATUTOS NO
GOVERNO CIVIL DO DISTRITO ADMINISTRATIVO DE COIMBRA ESTÁVAMOS ENTÃO EM 31 DE AGOSTO DE 1938. E
COMO RECORDAR É VIVER, NADA MELHOR QUE COMEÇAR PELOS QUE DERAM A CARA PARA FUNDAÇÃO DO
ACM. URBANO MARQUES BOM – JOAQUIM DA SILVA GALVÃO – JOÃO CASTANHEIRA DE CARVALHO – ÓSCAR
LOPES MARANHA – HERMÍNIO PEREIRA VELOSO E ANTONINO LEAL. COMO DISSE PASSADOS QUE ESTÃO
QUASE OS 83 ANOS DE IDADE PODEMOS VERIFICAR QUE ESTÁ VIVO, DO TEMPO DO CAMPO PELADO PARA O
SINTÉTICO QUE VEIO ACONTECER EM 2015 VEIO DAR MELHORES CONDIÇÕES PARA PRÁTICA DO DESPORTO.
COMO DISSE TEVE ALTOS E BAIXOS E RECORDO QUE NOS ANOS 90 O ACM TEVE INSCRITO NA AFC TODOS OS
ESCALÕES NA MODALIDADE DE FUTEBOL SEJA DE ONZE COMO DE CINCO. HOJE COM POLÍTICAS DESPORTIVAS
COM OUTRA OBJETIVIDADE, MAS NA CONSOLIDAÇÃO DAS CONTAS E NÃO DAR UM PASSO MAIOR QUE A
PERNA, MANTEM ALGUNS ESCALÕES ENVERGOU POR INSERIR OUTRAS MODALIDADES NO CLUBE E DEIXOU
FUGIR OUTRAS. MAS É ISSO MESMO ELEVAR O NOME DO ACM SEJA NO FUTEBOL, GINÁSTICA DESDE QUE SIGA
EM FRENTE. A DIFICULDADE NUMA VILA COM TANTAS COLECTIVIDADES ARRANJAR GENTE PARA O DIRIGISMO
JÁ É UMA VITÓRIA. NÃO OLVIDANDO QUE O ACM TEVE PESCA, CICLISMO, ATLETISMO E CAÇA. DESPOIS JÁ NOS
ANOS 90 O CAÇA E PESCA SAIU DA ÉGIDE DO ACM E FUNDOU UM NOVO CLUBE. NO ATLETISMO RECORDO UM
GRANDE ATLETA ANTÓNIO PARREIRA QUE VEIO A REPRESENTAR O ATLÉTICO CLUBE MONTEMORENSE NO
ESTÁDIO PINA MANIQUE EM LISBOA ONDE OBTEVE UM HONROSO 6º LUGAR. HOJE FAZENDO MAIS UMA LUTA
CONTRA A SUA PRÓPRIA VIDA EM LISBOA DAQUI AS RÁPIDAS MELHORAS. OCUPOU VÁRIOS CARGOS NO ACM E
TERMINA COMO PRESIDENTE NUMA ALTURA QUE O ACM TINHA ATINGIDO A DIVISÃO DE HONRA TEMPOS QUE
TODOS OS PARTICIPANTES RECORDAM COM ALGUMA ALEGRIA. O ATLETISMO TEVE NOMES QUE EM ÉPOCAS
DIFERENTES ELEVARAM O BOM NOME DO ACM FORAM ELES, ADELINO AMÉRICO MARÇAL NEVES, BENEDITO
MAIA, RODRIGO VALÉRIO BICHO ESTÁVAMOS EM 1940 DEPOIS JÁ EM 1962 O SANTOS, MORAIS JORGE, ANTÓNIO
OLIVEIRA, MÁRIO AZEDO, JOSÉ PRUDÊNCIO, EDUARDO DA MIQUELINA, JOAQUIM CAMARNEIRO E MANUEL
FIGUEIRA. NA PESCA RECORDAMOS COM SAUDADE PESCADORES E HOMENS QUE A TODOS OS SÓCIOS
SIMPATIZANTES E HABITANTES DE MONTEMOR DEIXARAM A SUA MARCA ALGUNS JÁ PARTIRAM, MAS FICA
AQUI UMA DAS EQUIPAS QUE DISPUTAVAM NA ALTURA NO POÇO DA CAL E QUINTA DE FÔJA, JOSÉ ANTÓNIO,
ARTUR CAMARNEIRO E ABÍLIO CAMARNEIRO. NO QUE TOCA AO FUTEBOL DESPORTO REI DO ATLÉTICO CLUBE
MONTEMORENSE AS PRIMEIRAS EQUIPAS A DISPUTAR CAMPEONATOS DESDE 1940. UMA DAS EQUIPAS QUE
REPRESENTOU O ACM NOS CAMPEONATOS NACIONAIS FOI A DE JUNIORES QUE TINHA NO SEU PLANTEL JOÃO
– JOÃO FLÓRIDO- ARMINDO – CABÉ – FERNANDO CABETE – AFONSO FLÓRIDO – VIRGÍLIO – ZÉ DIAS –
DEOLINDO – DANIEL – ZÉ FIGUEIRA – H. MILHEIRO – LICÍNIO CADIMA – E COMO TREINADOR NELSON. TEVE
MOMENTOS DE CONSAGRAÇÃO COMO CAMPEÕES: CAMPEÕES DISTRITAIS DA 3ª DIVISÃO ÉPOCA 75/76
CAMPEÕES DISTRITAIS DA 2ª DIVISÃO ÉPOCA 89/90 SUBIDA À DIVISÃO DE HONRA ÉPOCA 91/92 CAMPEÕES
DISTRITAIS DE FUT5 SUBIDA A 2ª DIVISÃO NACIONAL MAS O ACM TEVE SEMPRE UMA PARTE CULTURAL E QUEM
NÃO SE RECORDA DOS SEUS CONCURSOS VESTIDOS DE CHITA. QUE TRAZIAM A MONTEMOR-O-VELHO
CENTENAS E CENTENAS DE PESSOAS PARA VER TAL CERTAME. COMO AS MARCHAS DE SÃO JOÃO. COM A
LONGEVIDADE DESTE NOSSO CLUBE MUITOS DOS NOMES IREI FALAR NOUTRAS EDIÇÕES PARA QUE NÃO
MORRA A NOSSA MEMÓRIA, DOS SEUS JOGADORES DOS SEUS DIRIGENTES DOS SEUS SÓCIOS E SIMPATIZANTES.
DESPORTO REGIONAL
TOPSECRET
O QUE SOMOS NO ESPAÇO DE EXISTIR PARA VIVER ACABA POR SER
SURPREENDENTE NO FENÓMENO DO ACONTECER, SEM QUE PARA ESSE EFEITO
TENHAMOS O NOSSO DOMÍNIO NA ESTRATÉGIA DO FAZER, OU CONSTRUIRMOS
PROGRAMAS NA MINHA OU NA TUA COMUNIDADE, FACE AO IMPREVISTO
INTRÍNSECO DO SEU MISTÉRIO!
A MIRAGEM FOI UM PROJETO MEU E DA MINHA MULHER, SENDO CERTO NA SUA
DISTÂNCIA POR TERRAS DE MONTEMOR, MUITO PERTO NAS NOSSAS MEMÓRIAS,
COMEÇAVA A NASCER EM NÓS A PREOCUPAÇÃO A QUEM ASSUMIRIA O FUTURO
DO NOSSO "FILHO", JÁ QUE O SEGURO MORREU DE VELHO, MAS AS NOSSA VIDAS
PELA SUA NATUREZA, NENHUMA ORGANIZAÇÃO COMERCIAL NOS GARANTIA A
CONTINUIDADE DA MIRAGEM, SE O SEU DESTINO SERIA MORRER NO
ESQUECIMENTO DOS MONTEMORENSES.
VELHOS E AMANTES DA MIRAGEM, O CONVITE AO LUIZ PESSOA E HÁ SUA
ESPOSA A DR. MARIA ISABEL MARÇALO, NA QUARTEIRA, LONGE FOMOS NÓS
ENCONTRAR O NOSSO DESCANSO, SÃO AGORA EM CONCORRIDA ASSEMBLEIA
GERAL, OS ADMINISTRADORES E A CONTINUIDADE DA MIRAGEM, MUITO EMBORA
APOIANDO-ME NA MINHA BENGALA, ESTAREI COM OS NOSSOS AMIGOS ATÉ AO
ÚLTIMO SUSPIRO. SURPREENDENTE, POIS, COM OS NOVOS INVESTIDORES DAS
PALAVRAS E DO SEU BAIRRISMO PELAS RAÍZES MONTEMORENSES, NÃO É QUE
FOMOS O VELHO CASAL, CONVIDADOS PARA COLABORAR NA BARCAÇA!
BARCAÇA QUE VEM OCUPAR UM ESPAÇO NAS ÁGUAS TURVAS DA IMPRENSA
ESCRITA OU FALADA, TRISTEMENTE SILENCIADA NAS DIFICULDADES DAS
POPULARES ESFEROGRÁFICAS E NAS VOZES LIVRES DE UMA COMUNIDADE QUE
NÃO PODE MANIFESTAR-SE NO ESPAÇO CRÍTICO DA SUA CIDADANIA, PODENDO
AGORA COM ESTA INICIATIVA DO LUIZ PESSOA E DA SUA ESPOSA, A
QUILÓMETROS DE DISTÂNCIA NA QUARTEIRA, ASSUMIR NAS SUAS CONSTRUTIVAS
OPINIÕES NOVOS RUMOS POR TERRAS DE MONTEMOR...
VEM DAÍ NÃO FIQUES CALADO, DEFENDE E AMA O TEU TERRITÓRIO COM A
"SOBERBA" VAIDADE É NELA QUE SUBSISTE O NOSSO ORGULHO, POIS ENTÃO...
ASSOCIATIVISMO
OLÍMPIO FERNANDES
C A P E L A D O M Á R T IR S A N T O S Ã O S E B A S T I Ã O
A CAPELA DO MÁRTIR SANTO SÃO SEBASTIÃO FOI EDIFICADA NA
SEQUÊNCIA DE UMA TERRÍVEL EPIDEMIA QUE ASSOLOU AS
TERRAS DE MONTEMOR-O-VELHO, EM MEADOS DO SÉCULO XVI.
DIGA-SE, CONTEXTUALIZANDO, QUE SÃO SEBASTIÃO ERA O
SANTO INVOCADO PELO POVO COMO “DEPULSOR PESTILITATIS” –
INTERCESSOR DIVINO E “ESCUDO” DA IGREJA CONTRA “FOMES,
PESTES E GUERRAS” –, PELA SUA RESISTÊNCIA ÀS FLECHAS DO
PRIMEIRO MARTÍRIO (ASSOCIADAS E INTERPRETADAS PELOS FIÉIS
COMO PROTEÇÃO CONTRA O CASTIGO DAS “FLECHAS DA PESTE”).
DE PLANTA CENTRALIZADA, APRESENTA CORPO DE VOLUMETRIA
QUADRANGULAR, COBERTO DE CÚPULA HEMISFÉRICA SIMPLES,
ANTECEDIDO DE ALPENDRE COM TELHADO DE TRÊS ÁGUAS. A
FACHADA PRINCIPAL, ORIENTADA A POENTE, É RASGADA POR
PORTA DE VERGA DIREITA, LADEADA POR DUAS JANELAS
RETANGULARES BAIXAS, E PROTEGIDA POR ALPENDRE DE OITO
COLUNAS DÓRICAS QUE FORMAM TRÊS VÃOS NA FRENTE E DOIS
A CADA LADO. NOS ÂNGULOS DO TEMPLO LEVANTAM-SE
QUATRO PINÁCULOS, FORMANDO OS DA FRONTARIA, PELO
AGRUPAMENTO DE OUTROS DOIS, DUAS PEQUENAS SINEIRAS. NA
SINGELEZA DO SEU INTERIOR, EMERGE UM ESPAÇO UNIFICADO E
ILUMINADO PELAS DUAS JANELAS JÁ ALUDIDAS. POR CIMA DO
ALTAR, EMERGE UM LINDÍSSIMO RETÁBULO DE PEDRA
POLICROMADA, DATADO TAMBÉM, DO SÉCULO XVI, COM TRÊS
NICHOS. NO NICHO CENTRAL, GUARDA-SE UMA IMAGEM DO
MÁRTIR SÃO SEBASTIÃO E NOS DOIS LATERAIS AS IMAGENS DE
SÃO ROQUE E SÃO LÁZARO.
POESIA
SONETO - CENÁRIO
PERPASSAS PELAS BRUMAS DA MEMÓRIA,
E EU TÃO-POUCO OUSO IMAGINAR
COMO SERIA SE TE FOSSE ENCONTRAR
SEGURANDO OS FIOS DA NOSSA HISTÓRIA.
FRASES AVULSAS, UM PORTO VAZIO,
E ESTA ÂNSIA QUE FOSTE SEM NOME.
ESTE BANQUETE DE SABOR A FOME.
ESTE CHORO QUE NÃO FORMOU UM RIO…
DAS MINHAS MÃOS O TEMPO QUE NÃO CORRE
É FONTE DE MEL DE LUGAR NENHUM
SEM SAUDADE, ALEGRIA OU COR…
DE TRÁS DA CORTINA A CENA NÃO SOBE,
OS DIAS QUE TRAZEM UM SABOR COMUM,
NÃO ESCUTARÃO SUSSURROS NEM CLAMOR!
MARA KOPKE
POESIA
GARÇA REAL
CASTELO
QUEM VEM DE LONGE E TE AVISTA, CASTELO,
SENTE UM ARREPIO DE EMOÇÃO,
SENTE O VERDE DOS CAMPOS,
SENTE A MENSAGEM DE BOAS VINDAS.
PERCEBE QUE AQUI MORAM OS AFETOS,
QUE AQUI SOMOS MAIS NÓS, MAIS AUTÊNTICOS
NESTE REENCONTRO DE SEMPRE
QUE ACONTECE AO DESFAZER A CURVA,
DESSA PRIMEIRA CURVA
QUE OCULTAVA TANTO ENCANTO.
SORRIMOS DESLUMBRADOS.
O NOSSO ROSTO GANHA VIDA,
O CORAÇÃO BATE MAIS FORTE E
ENCHE-SE DE RECORDAÇÕES,
DE MEMÓRIAS, DE SAUDADES.
CADA PEDRA DESSE CASTELO
CONTA UMA HISTÓRIA,
CANTA UMA VIDA VIVIDA
À SOMBRA DE HERAS VIÇOSAS.
CADA RECANTO É UM HINO,
CADA OLHAR CÚMPLICE TROCADO
SABE A ALEGRIA, SABE À TERNURA DOCE
DOS ENCONTROS MARCADOS,
TEM A MARCA DA SAUDADE, MAS
TEM A COR VIVA DA ALEGRIA.
POESIA
ISABEL CAPINHA
AMIZADE
é um sentimento que ganha em nosso coração, e que não se substitui por nada;
com ela se fazem amigos que deixam as suas marcas...
são atos, palavras e atitudes que se enraízam no tempo e nunca mais se apagam...
quando a amizade é do coração faz com permaneça sólida, passe o tempo que passar...
cheia de encontros e desencontros, alegrias e tristezas, mas sempre com muito carinho e compreensão, faz
de pequenos instantes, grandes e inesquecíveis momentos que se transformam
felicidade!
nessa passagem pela vida...
a AMIZADE terá de ser bela, pura e simples!
STORY E HISTORIETAS
DÍLIA BRANDÃO FERNANDES
OS MEDOS
AS PESSOAS CULTIVAVAM A SUPERSTIÇÃO, TODA A GENTE TINHA ALGO PARA CONTAR DE SOBRENATURAL QUE, DE
ALGUM MODO, ALGUÉM TINHA VISTO OU PRESENCIADO. FALAVAM, AO SERÃO, EM REUNIÕES FAMILIARES. NA LUZ
DA LAREIRA QUEM DUVIDARIA DA VERACIDADE DE TAIS NARRATIVAS? AS CRIANÇAS OUVIAM AS HISTÓRIAS
CONTADAS COMO VERDADEIRAS E, DESTA FORMA, PASSAVAM A FAZER PARTE DAS SUAS MEMÓRIAS, RECORDAÇÕES
DA INFÂNCIA FORTEMENTE REFORÇADAS PELA IMAGINAÇÃO DOS PETIZES. AS CRIANÇAS PASSAVAM FACILMENTE
DE RECETORES A EMISSORES DESTAS HISTÓRIAS E, COMO QUEM CONTA UM CONTO ACRESCENTA UM PONTO, COMO
UM NOVELO, AS HISTÓRIAS DOS MAIS VELHOS ACRESCENTAVAM-SE ÀS VIVÊNCIAS DOS MAIS NOVOS, NUMA TEIA
ENTRETECIDA QUE CONSTITUI A TRADIÇÃO ORAL.
ESTAMOS EM MONTEMOR EM ANOS BASTANTE RECUADOS. NA VILA HAVIA LOCAIS ESPECIAIS ONDE "APARECIAM"
OS MEDOS, E AÍ DE QUEM DUVIDASSE DE TAIS ACHAMENTOS E, PRINCIPALMENTE, DA PALAVRA DE QUEM OS TINHA
OBSERVADO. NA RUA DR. JOSÉ GALVÃO PELAS DEZ HORAS DA NOITE (HORA DOS MEDOS) UM CAIXÃO A RASTEJAR
ATRAVESSAVA A RUA E, SUMIA-SE NUM BUEIRO GRANDE QUE EXISTIA ENCOSTADO À CASA DO FIDALGO JOSÉ
FORTUNATO; HOJE TUDO DESAPARECIDO, CASA, BUEIRO E FIDALGO. OUTRO LOCAL APONTADO ERA UM POÇO (DE
ÁGUA) EMPEDRADO SITUADO NUMA TERRA DO MESMO FIDALGO, NA ESTRADA QUE LIGA A VILA DE MONTEMOR À
BARCA, JÁ PERTO DA ANTIGA PONTE.
MAS NÃO MENOS ASSUSTADOR ERA A BAIXEIRA DO CANO, FRENTE À QUINTA DO MESMO NOME, A CAMINHO DO
AREAL E DO MOINHO DA MATA, É AQUI O LOCAL DESTA HISTÓRIA:
- MARIANA ERA COSTUREIRA E IA LABORAR AOS DIAS NA CASA DAS FREGUESAS. IA A PÉ E CARREGAVA A MÁQUINA
DE COSTURA À CABEÇA, CHAMADA MÁQUINA DE MÃO, PORQUE ISENTA DE PEDAL, TINHA UMA MANIVELA QUE ERA
ACOPLADA À RODA E ERA ACIONADA PELA MÃO DA COSTUREIRA. A JORNA COMEÇAVA NA ALVORADA E
TERMINAVA AO ENTARDECER. COMIA QUALQUER COISA, NA CASA DA PATROA, E SÓ DEPOIS REGRESSAVA A SUA
CASA. UMA TARDE, NO REGRESSO DA CASA DE UMA FAMÍLIA DO AREAL, ENCONTROU A COMADRE JÚLIA TAMBÉM DE
MONTEMOR E, LADO A LADO, ANIMADAS PELA COMPANHIA RECÍPROCA, CONTINUARAM O SEU CAMINHO.
APRESSADAS, POIS, AO LONGE JÁ ERAM VISÍVEIS AS PRIMEIRAS ESTRELAS PONTILHANDO O CÉU, E TAMBÉM PORQUE A
BAIXEIRA DO CANO LHES CAUSAVA RECEIOS. E, PORQUE OS SENTIDOS IAM ALERTA, A CONVERSA RECAIU NAS
APARIÇÕES ESTRANHAS. "- EU NUNCA VI NADA, DIZIA A MARIANA, MAS ACREDITO QUE ALGUMA COISA HÁ-DE HAVER,
AO TEMPO QUE SE FALA NISTO, ISTO JÁ VEM DE TRÁS... TENHO MEDO!"
“- POIS, POIS, DIZIA A COMADRE, EU TAMBÉM NUNCA VI NADA, MAS JÁ A MINHA AVÓ CONTAVA AQUELA DA
GALINHA PRETA, GRANDE, GRANDE, MAIOR DO QUE UMA PESSOA, BATIA AS ASAS E FAZIA TANTO BARULHO E VENTO
QUE LEVANTAVA O PÓ DO CHÃO. EU TENHO MUITO MEDO NÃO GOSTO DE AQUI PASSAR ASSIM MAIS TARDE, MAS,
ÀS VEZES, LÁ TEM QUE SER..."
- COMO A NOITE SE APROXIMAVA, O FILHO DA COSTUREIRA IGNORANDO QUE A MÃE TERIA COMPANHIA, RESOLVEU
IR AO SEU ENCONTRO. AO VÊ-LA AO LONGE, ACOMPANHADA, PENSOU NUMA BRINCADEIRA. ESCONDEU-SE ATRÁS
DUMA ÁRVORE E ESPEROU, DEIXOU-AS PASSAR E EM PASSO LIGEIRO, MAS LEVE FOI ATRÁS DELAS, APROXIMOU-SE
BASTANTE E QUASE ENCOSTADO FEZ UM VALENTE ASSOPRO QUE, NAQUELE SILÊNCIO, SOOU BEM AUDÍVEL. AMBAS
DERAM UM GRITO, A MARIANA DEITOU A MÃO Á MÁQUINA E, EM SIMULTÂNEO, AGARRARAM-SE UMA Á OUTRA, PARA
LOGO SE SOLTAREM E DESATAREM A CORRER ESTRADA FORA SEM OLHAREM PARA TRÁS. O RAPAZ QUE ESPERAVA
UMA RISADA E TAL NÃO ACONTECEU, JÁ ESTAVA ARREPENDIDO, E CORRIA ENQUANTO GRITAVA "- ESPEREM, ESPEREM,
SOU EU, ESPEREM..." NÃO ESPERARAM NADA, E SÓ QUANDO PISARAM O CHÃO DA VILA E AS FORÇAS COMEÇAVAM A
TRAÍ-LAS, É QUE PARARAM A TREMER DE MEDO E CANSAÇO E OLHARAM PARA TRÁS.
ALI ESTAVA A RAZÃO DE TANTO MEDO, UMA DIABRURA DO FILHO DA MARIANA E AFILHADO DA JÚLIA. AGORA
INCRÉDULAS QUANTO À SITUAÇÃO QUE NÃO ESPERAVAM, OLHAVAM O JOVEM E NÃO SABIAM SE HAVIAM DE
RALHAR, DE RIR, OU DE CHORAR, POIS O RAPAZ, ARREPENDIDO, TINHA PERDIDO O RISO, E UM JOVEM TRISTE FAZ PENA.
DECIDIRAM-SE PELO RISO. NÃO HÁ COMO UMA GARGALHADA ALEGRE PARA AFASTAR O MEDO E GANHAR CORAGEM
PARA ENFRENTAR OS RECEIOS ENRAIZADOS POR SÉCULOS DE SUPERSTIÇÃO. É ASSIM O NOSSO POVO E AS NOSSAS
GENTES.
POLÍTICA
CAROLINA AIRES
EM PLENOSÉCULO 21, COM A SOCIEDADE A TRANSFORMAR-SE E PERMEAR-SE CADA VEZ MAIS
PARA SER JUSTA, ECOLÓGICA, EDUCATIVA, ENTUSIASTA, CULTURAL, SAUDÁVEL, ACENTUA-SE
AINDA MAIS A NECESSIDADE DE ULTRAPASSAR TANTAS POSIÇÕES DO SÉCULO PASSADO.
COM AS ELEIÇÕES AUTÁRQUICAS À PORTA, E COMO É PUBLICO A MINHA ENVOLVÊNCIA NO
PROJETO APOIADO PELA CDU, MUITOS TÊM SIDO OS CONTACTOS QUE TENHO(TEMOS)FEITO.
E JÁ OUVI:
“VOTO EM VOCÊS, CONTEM COM ISSO. MAS NÃO PODE SER PÚBLICO PORQUE SE SABEM QUE
ESTOU CONVOSCO, TEREI REPRESÁLIAS”.
“NÃO POSSO FAZER PARTE DAS VOSSAS LISTAS PORQUE TENHO UM NEGÓCIO E TENHO
MEDO DE PERDER CLIENTES”
“NÃO POSSO APOIAR-VOS PORQUE TEMO SER DESPEDIDO”
ENTENDO OS RECEIOS PARTILHADOS, PORQUÊ SEI QUE SÃO REAIS E TÊM O SEU FUNDO DE
VERDADE. PORQUE SEI QUE AS PESSOAS AINDA SÃO JULGADAS PELO SEU TRABALHO, PELA
SUA POSIÇÃO SOCIAL, PELA SUA COR, PELA SUA ORIENTAÇÃO SEXUAL E, TAMBÉM, PELA SUA
POSIÇÃO POLÍTICA.
ESTE SENTIMENTO DE “SER REFÉM” DE ALGUÉM, UMA INSTITUIÇÃO, UMA ADMINISTRAÇÃO, UM
PATRÃO, DA PRÓPRIA SOCIEDADE EM SI, DIMINUÍA PARTICIPAÇÃO DEMOCRÁTICA E
ENFRAQUECE A PRÓPRIA DEMOCRACIA. FRAGILIZAR A DEMOCRACIA APERTA-ME O CORAÇÃO.
FELIZMENTE EU CONSIGO AFIRMAR-ME COMO MULHER, COMO MÃE, COMO MÉDICA, COMO
HETEROSSEXUAL, COMO DEFENSORA DE UMA SOCIEDADE QUE PROJETO E IDEALIZO
ADEQUADA ÀS MINHAS FILHAS (COMO CRIANÇAS), À MINHA MÃE (COMO IDOSA), A MIM
(COMO POPULAÇÃO ATIVA).
HÁ DIAS QUE CUSTAM MAIS.
HÁ DIAS QUE SÃO MAIS DIFÍCEIS, PORQUE VEJO ATROPELADOS OS DIREITOS DAS CRIANÇAS.
HÁ DIAS QUE ME SINTO INFERIORIZADA POR SER MULHER.
HÁ DIAS QUE ME OLHAM DE LADO POR SER MUITO “OPINADORA”.
HÁ DIAS EM QUE O MEU CORAÇÃO FICA DEVASTADO POR VER OS IDOSOS A SEREM
MALTRATADOS (PELA FAMÍLIA, PELOS CUIDADORES), SEM RESPOSTA DO SISTEMA QUE NOS
DEVERIA AMPARAR QUANDO TUDO FALHA).
O RESTO DOS DIAS SINTO-ME LIVRE, CAPAZ DE ASSUMIR AS MINHAS ESCOLHAS, O MEU
CAMINHO, AS MINHAS LUTAS. E COM FORÇA PARA CONTRARIAR POSTURAS E
COMPORTAMENTOS E SENTIMENTOS DO SÉCULO PASSADO, INQUISIÇÃO-LIKE.
CAÇA ÀS BRUXAS, NÃO OBRIGADA!!
A VACINA DO BAIXO MONDEGO. UMA REALIDADE OU UMA MIRAGEM?
AO LONGO DESTE ÚLTIMO ANO E MEIO NÃO OUVIMOS FALAR DE OUTRA COISA QUE NÃO SEJA DA TÃO
DESEJADA VACINA PARA QUE POSSAMOS DEIXAR ESTE CALVÁRIO QUE TODOS TEMOS ATRAVESSADO, ONDE
VAMOS PERDENDO MUITOS DOS NOSSOS HÁBITOS, DOS NOSSOS COSTUMES, DAS NOSSAS RELAÇÕES
INTERPESSOAIS E ATÉ MESMO DE AMIGOS E FAMILIARES.
NO ENTANTO O CONCELHO DE MONTEMOR-O-VELHO HÁ MUITO QUE NECESSITA DE UMA “VACINA” QUE O
FAÇA DESPERTAR PARA O PAÍS E O MUNDO.
NOS ÚLTIMOS DIAS, COM A SAÍDA DOS RESULTADOS PRELIMINARES DOS CENSOS 2021, APERCEBEMO-NOS DA
URGÊNCIA DE IMPLEMENTAÇÃO DE MEDIDAS PARA INVERTER A SITUAÇÃO EM QUE SE ENCONTRA O NOSSO
CONCELHO. TEMOS UMA QUEBRA DEMOGRÁFICA SUPERIOR À MÉDIA NACIONAL. TEMOS UM CONCELHO
ENVELHECIDO E NADA ATRATIVO PARA A FIXAÇÃO DE JOVENS.
MONTEMOR É UM CONCELHO RIQUÍSSIMO E UM VERDADEIRO DIAMANTE POR LAPIDAR. DESDE A AGRICULTURA, A
CULTURA, O DESPORTO E A GASTRONOMIA QUE TEMOS UMA PANÓPLIA DE RECURSOS QUE DEVIAM SER
EXPLORADOS PARA TORNARMOS O NOSSO CONCELHO ATRATIVO E DINÂMICO. MONTEMOR PODIA SER UM
VERDADEIRO OÁSIS DA REGIÃO CENTRO. OU COMO COSTUMO DIZER MUITAS VEZES, PODIA SER A “CAPITAL DO
BAIXO MONDEGO”.
COMO É POSSÍVEL TEMOS O SEGUNDO MAIOR CASTELO DO PAÍS, INÚMEROS MONUMENTOS CULTURAIS E
MENOS ATRATIVOS TURISTICAMENTE?
COMO É POSSÍVEL AINDA NÃO TERMOS ACESSOS E INFRAESTRUTURAS SUFICIENTES QUE NOS LIGUEM
FACILMENTE DENTRO DO CONCELHO E OS CONCELHOS LIMÍTROFES SEJA DE AUTOCARRO, COMBOIO OU CARRO?
COMO É POSSÍVEL TEMOS UM CONCELHO COM UMA DAS MAIORES OFERTAS GASTRONÓMICAS DO PAÍS E NÃO
SABEMOS EXPLORAR ESSA MARCA?
COMO É POSSÍVEL TEMOS UMA ESCOLA COMO O CITEC E UM FESTIVAL COMO O CITEMOR E NÃO EXPLORAR
ESSA MARCA?
COMO É POSSÍVEL NÃO CRIARMOS CONDIÇÕES MÍNIMAS PARA FIXAR JOVENS E EMPRESÁRIOS?
MAS AO INVÉS DE ISSO, TEMOS ASSISTIDO A UM CONCELHO CADA VEZ MAIS ESTAGNADO E ESQUECIDO NO
TEMPO.
UM JOVEM DA MINHA GERAÇÃO OU MAIS NOVO, HOJE EM DIA, NÃO TEM QUALQUER ATRAÇÃO OU INCENTIVO
QUE O FAÇA PERMANECER NO CONCELHO. DESDE CEDO QUE SOMOS OBRIGADOS A SAIR DO CONCELHO SEJA
POR QUESTÕES DE EDUCAÇÃO, DE SAÚDE OU PROFISSIONAIS LEVANDO-NOS A UM AFASTAMENTO QUE A MÉDIO
PRAZO SE TORNA PERMANENTE.
É PRECISO INVERTER ESTE CICLO. DE CRIAR CONDIÇÕES PARA QUE OS JOVENS SE FIXEM NO CONCELHO. NÃO É
DIFÍCIL CONSEGUIRMOS ISSO. BASTA QUERER!!!...
NUM ANO EM QUE SE AVIZINHAM ELEIÇÕES AUTÁRQUICAS É IMPORTANTE QUE OS PROTAGONISTAS
APRESENTEM SOLUÇÕES PARA ESTES “VELHOS PROBLEMAS”. OS MONTEMORENSES ESTÃO CANSADOS DE OUVIR
FALAR EM PROJETOS E SOLUÇÕES QUE NUNCA PASSAM DO PAPEL. É PRECISO QUE SEJAM PRAGMÁTICOS E
CONCISOS.
OS MONTEMORENSES TÊM DE ACREDITAR QUE É POSSÍVEL TER UM CONCELHO JOVEM, ATRATIVO E DINÂMICO.
OS MONTEMORENSES TÊM DE ACREDITAR QUE É POSSÍVEL SERMOS A CAPITAL DO BAIXO MONDEGO.
POLÍTICA
FRANCISCO LEAL

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (10)

Titulares baianos
Titulares baianosTitulares baianos
Titulares baianos
 
1a edição
1a edição1a edição
1a edição
 
Bordado de guimaraes
Bordado de guimaraesBordado de guimaraes
Bordado de guimaraes
 
CULTURARTEEN 135 caderno Informação COMPLETA 98
CULTURARTEEN 135 caderno Informação COMPLETA 98CULTURARTEEN 135 caderno Informação COMPLETA 98
CULTURARTEEN 135 caderno Informação COMPLETA 98
 
Edição março 2010
Edição março 2010Edição março 2010
Edição março 2010
 
Barão de inohan 80
Barão de inohan 80Barão de inohan 80
Barão de inohan 80
 
2a edição
2a edição2a edição
2a edição
 
Jb news informativo nr. 2270
Jb news   informativo nr. 2270Jb news   informativo nr. 2270
Jb news informativo nr. 2270
 
5a edição
5a edição5a edição
5a edição
 
Jb news informativo nr. 2149
Jb news   informativo nr. 2149Jb news   informativo nr. 2149
Jb news informativo nr. 2149
 

Semelhante a BARCAÇA

Diário de bordo passeios culturais
Diário de bordo   passeios culturaisDiário de bordo   passeios culturais
Diário de bordo passeios culturais
passeiosculturais1
 
Ameopoema op ed 0001 nov 2013
Ameopoema op ed 0001 nov 2013Ameopoema op ed 0001 nov 2013
Ameopoema op ed 0001 nov 2013
AMEOPOEMA Editora
 

Semelhante a BARCAÇA (20)

Nascente do velho_chico
Nascente do velho_chicoNascente do velho_chico
Nascente do velho_chico
 
Diário de bordo passeios culturais
Diário de bordo   passeios culturaisDiário de bordo   passeios culturais
Diário de bordo passeios culturais
 
Ameopoema ouro preto 0001
Ameopoema ouro preto 0001Ameopoema ouro preto 0001
Ameopoema ouro preto 0001
 
Ameopoema op ed 0001 nov 2013
Ameopoema op ed 0001 nov 2013Ameopoema op ed 0001 nov 2013
Ameopoema op ed 0001 nov 2013
 
BARCAÇA
BARCAÇABARCAÇA
BARCAÇA
 
Barcaça 15 ago 2021
Barcaça 15 ago 2021Barcaça 15 ago 2021
Barcaça 15 ago 2021
 
BARCAÇA
BARCAÇABARCAÇA
BARCAÇA
 
Projeto Olimpíadas 2016 parte 1 (construção)
Projeto Olimpíadas 2016 parte 1 (construção)Projeto Olimpíadas 2016 parte 1 (construção)
Projeto Olimpíadas 2016 parte 1 (construção)
 
Cordel mario e osminda - 90 anos
Cordel   mario e osminda - 90 anosCordel   mario e osminda - 90 anos
Cordel mario e osminda - 90 anos
 
Acre 2 edição (abril, maio,junho 2012)
Acre 2 edição (abril, maio,junho 2012)Acre 2 edição (abril, maio,junho 2012)
Acre 2 edição (abril, maio,junho 2012)
 
BARCAÇA
BARCAÇABARCAÇA
BARCAÇA
 
BARCAÇA_01
BARCAÇA_01BARCAÇA_01
BARCAÇA_01
 
BARCAÇA_01
BARCAÇA_01BARCAÇA_01
BARCAÇA_01
 
Curitibanos história de nossa gente
Curitibanos história de nossa genteCuritibanos história de nossa gente
Curitibanos história de nossa gente
 
Meu Bairro Zona Norte - Agosto
Meu Bairro Zona Norte - AgostoMeu Bairro Zona Norte - Agosto
Meu Bairro Zona Norte - Agosto
 
Vila Andrade Ramos: estudo tipológico na cidade de Belém do Pará no período p...
Vila Andrade Ramos: estudo tipológico na cidade de Belém do Pará no período p...Vila Andrade Ramos: estudo tipológico na cidade de Belém do Pará no período p...
Vila Andrade Ramos: estudo tipológico na cidade de Belém do Pará no período p...
 
Livrinho Sítio 2014
Livrinho Sítio 2014Livrinho Sítio 2014
Livrinho Sítio 2014
 
Chicos 16 - Maio 2008
Chicos 16 - Maio 2008Chicos 16 - Maio 2008
Chicos 16 - Maio 2008
 
AMAR - INFORME do 1º Trimestre de 2015 - páginas 01 à 08
AMAR -  INFORME do 1º Trimestre de 2015 - páginas 01 à 08AMAR -  INFORME do 1º Trimestre de 2015 - páginas 01 à 08
AMAR - INFORME do 1º Trimestre de 2015 - páginas 01 à 08
 
ENSAIO GERAL 2013 - LIESA
ENSAIO GERAL 2013 - LIESAENSAIO GERAL 2013 - LIESA
ENSAIO GERAL 2013 - LIESA
 

Mais de Do outro lado da barricada

Mais de Do outro lado da barricada (20)

Barcaça16.pdf
Barcaça16.pdfBarcaça16.pdf
Barcaça16.pdf
 
Liberdade de imprensa
Liberdade de imprensaLiberdade de imprensa
Liberdade de imprensa
 
A CEE e o PREC
A CEE e o PRECA CEE e o PREC
A CEE e o PREC
 
Roa x2 x5
Roa x2 x5Roa x2 x5
Roa x2 x5
 
PIEPE-ESCOLAS
PIEPE-ESCOLASPIEPE-ESCOLAS
PIEPE-ESCOLAS
 
Manual PIEPE 2020/2021
Manual PIEPE 2020/2021Manual PIEPE 2020/2021
Manual PIEPE 2020/2021
 
Assassinato de delgado
Assassinato de  delgadoAssassinato de  delgado
Assassinato de delgado
 
Sorteio 500 miragem
Sorteio 500 miragemSorteio 500 miragem
Sorteio 500 miragem
 
Guia requerimento online subsidio desemprego 19-05-2020
Guia requerimento online subsidio desemprego 19-05-2020Guia requerimento online subsidio desemprego 19-05-2020
Guia requerimento online subsidio desemprego 19-05-2020
 
Perguntas frequentes matriculas_2020_21
Perguntas frequentes matriculas_2020_21Perguntas frequentes matriculas_2020_21
Perguntas frequentes matriculas_2020_21
 
Despacho n.º 6608-B/2020
Despacho n.º 6608-B/2020Despacho n.º 6608-B/2020
Despacho n.º 6608-B/2020
 
REGRESSO ÀS AULAS COMO?
REGRESSO ÀS AULAS COMO?REGRESSO ÀS AULAS COMO?
REGRESSO ÀS AULAS COMO?
 
Limpeza e desinfeção de superfícies em ambiente escolar
Limpeza e desinfeção de superfícies em ambiente escolarLimpeza e desinfeção de superfícies em ambiente escolar
Limpeza e desinfeção de superfícies em ambiente escolar
 
ORIENTAÇÕES
ORIENTAÇÕESORIENTAÇÕES
ORIENTAÇÕES
 
Faltas por falecimento
Faltas por falecimentoFaltas por falecimento
Faltas por falecimento
 
Aviso de-abertura
Aviso de-aberturaAviso de-abertura
Aviso de-abertura
 
20200326 rec outros_codigo_aeena
20200326 rec outros_codigo_aeena20200326 rec outros_codigo_aeena
20200326 rec outros_codigo_aeena
 
20200326 rec out_inst_publicas2prioridade
20200326 rec out_inst_publicas2prioridade20200326 rec out_inst_publicas2prioridade
20200326 rec out_inst_publicas2prioridade
 
Aviso de-abertura
Aviso de-aberturaAviso de-abertura
Aviso de-abertura
 
Covid 19
Covid 19Covid 19
Covid 19
 

BARCAÇA

  • 1. Nº1 - 15AGO2021 BARCAÇA EDITORIAL - MARA KOPKE DESPORTO - TOPSECRET ASSOCIATIVISMO - OLIMPIO FERNANDES MONUMENTOS - MÁRIO SILVA POESIA - MARA KOPKE - GARÇA REAL - ISABEL CAPINHA STORY - DÍLIA BRANDÃO FERNANDES POLITICA - CAROLINA AIRES - FRANCISCO LEAL - NUNO GONÇALVES AGRICULTURA/FORMAÇÃO - MÁRIO PARDAL
  • 2. [EDITORIAL] O TEMPO FOGE-NOS A SETE PÉS, AS MEMÓRIAS QUE AINDA RESISTEM DEVEMOS ESCREVER PORQUE ESSA É A FORMA DO PRESERVAR E QUEM ATRÁS VENHA, FIQUE COM UM QUADRO UMAS VEZES DURO OUTRAS SIMPLESMENTE DELICIOSO. VIAJAR NA BARCAÇA AO SABOR DA CORRENTE, COM A FORÇA DOS BRAÇOS E AJUDA ALGUMAS VEZES DA CORDA QUE LIGAVA AS DUAS MARGENS, NÃO ERA PERA DOCE. AINDA O SOL NÃO TINHA NASCIDO E NA VOLTA JÁ O SOL SE TINHA POSTO, ERA ASSIM O DIA A DIA DA FAINA AGRÍCOLA. LÁ LONGE NA TORRE DA IGREJA O SINO DAVA AS BADALADAS QUE ORIENTAVAM OS CAPATAZES E AO DOMINGO O TOQUE DA SIRENE AVISA DO MEIO-DIA. FORAM CRIADAS PÁGINAS COM SABORES, SEJA NO DESPORTO, ASSOCIATIVISMO, POESIA, MONUMENTALIDADE, HISTÓRIAS DE OUTROS TEMPOS, AGRICULTURA/ FORMAÇÃO E POLÍTICA REGIONAL/NACIONAL. COM ESTES INGREDIENTES DESEJAMOS QUINZENALMENTE FAZER CHEGAR AOS NOSSOS SEGUIDORES DO CONCELHO, UM SABOR DA TERRA DAS GENTES DA CULTURA DO DESPORTO, OU SEJA, AS NOSSAS VIVÊNCIAS. "AOS FILHOS DOS HOMENS QUE NUNCA FORAM MENINOS". SOEIRO PEREIRA GOMES. - ESTEIROS NOTA: NUNO GONÇALVES E MÁRIO PARDAL ENTRAM NA EDIÇÃO Nº2 EDITORIAL
  • 3. ATLÉTICO CLUBE MONTEMORENSE ANO DE FUNDAÇÃO 1938-09-09 ESTE MENINO QUE NO PRÓXIMO DIA NOVE DE SETEMBRO VAI COMPLETAR OITENTA E TRÊS ANOS, TEM UM PASSADO QUE TODOS NÓS NOS ORGULHAMOS. SABENDO QUE TEVE ALTOS E BAIXOS, MAS COM A DEDICAÇÃO DE TODOS OS QUE PELO EMBLEMA LUTARAM E LUTAM PARA ENALTECER ESTE CLUBE ESTÁ AÍ PARA DURAR. LONGE VÃO OS TEMPOS EM QUE JOAQUIM DA SILVA GALVÃO REGISTOU OS ESTATUTOS NO GOVERNO CIVIL DO DISTRITO ADMINISTRATIVO DE COIMBRA ESTÁVAMOS ENTÃO EM 31 DE AGOSTO DE 1938. E COMO RECORDAR É VIVER, NADA MELHOR QUE COMEÇAR PELOS QUE DERAM A CARA PARA FUNDAÇÃO DO ACM. URBANO MARQUES BOM – JOAQUIM DA SILVA GALVÃO – JOÃO CASTANHEIRA DE CARVALHO – ÓSCAR LOPES MARANHA – HERMÍNIO PEREIRA VELOSO E ANTONINO LEAL. COMO DISSE PASSADOS QUE ESTÃO QUASE OS 83 ANOS DE IDADE PODEMOS VERIFICAR QUE ESTÁ VIVO, DO TEMPO DO CAMPO PELADO PARA O SINTÉTICO QUE VEIO ACONTECER EM 2015 VEIO DAR MELHORES CONDIÇÕES PARA PRÁTICA DO DESPORTO. COMO DISSE TEVE ALTOS E BAIXOS E RECORDO QUE NOS ANOS 90 O ACM TEVE INSCRITO NA AFC TODOS OS ESCALÕES NA MODALIDADE DE FUTEBOL SEJA DE ONZE COMO DE CINCO. HOJE COM POLÍTICAS DESPORTIVAS COM OUTRA OBJETIVIDADE, MAS NA CONSOLIDAÇÃO DAS CONTAS E NÃO DAR UM PASSO MAIOR QUE A PERNA, MANTEM ALGUNS ESCALÕES ENVERGOU POR INSERIR OUTRAS MODALIDADES NO CLUBE E DEIXOU FUGIR OUTRAS. MAS É ISSO MESMO ELEVAR O NOME DO ACM SEJA NO FUTEBOL, GINÁSTICA DESDE QUE SIGA EM FRENTE. A DIFICULDADE NUMA VILA COM TANTAS COLECTIVIDADES ARRANJAR GENTE PARA O DIRIGISMO JÁ É UMA VITÓRIA. NÃO OLVIDANDO QUE O ACM TEVE PESCA, CICLISMO, ATLETISMO E CAÇA. DESPOIS JÁ NOS ANOS 90 O CAÇA E PESCA SAIU DA ÉGIDE DO ACM E FUNDOU UM NOVO CLUBE. NO ATLETISMO RECORDO UM GRANDE ATLETA ANTÓNIO PARREIRA QUE VEIO A REPRESENTAR O ATLÉTICO CLUBE MONTEMORENSE NO ESTÁDIO PINA MANIQUE EM LISBOA ONDE OBTEVE UM HONROSO 6º LUGAR. HOJE FAZENDO MAIS UMA LUTA CONTRA A SUA PRÓPRIA VIDA EM LISBOA DAQUI AS RÁPIDAS MELHORAS. OCUPOU VÁRIOS CARGOS NO ACM E TERMINA COMO PRESIDENTE NUMA ALTURA QUE O ACM TINHA ATINGIDO A DIVISÃO DE HONRA TEMPOS QUE TODOS OS PARTICIPANTES RECORDAM COM ALGUMA ALEGRIA. O ATLETISMO TEVE NOMES QUE EM ÉPOCAS DIFERENTES ELEVARAM O BOM NOME DO ACM FORAM ELES, ADELINO AMÉRICO MARÇAL NEVES, BENEDITO MAIA, RODRIGO VALÉRIO BICHO ESTÁVAMOS EM 1940 DEPOIS JÁ EM 1962 O SANTOS, MORAIS JORGE, ANTÓNIO OLIVEIRA, MÁRIO AZEDO, JOSÉ PRUDÊNCIO, EDUARDO DA MIQUELINA, JOAQUIM CAMARNEIRO E MANUEL FIGUEIRA. NA PESCA RECORDAMOS COM SAUDADE PESCADORES E HOMENS QUE A TODOS OS SÓCIOS SIMPATIZANTES E HABITANTES DE MONTEMOR DEIXARAM A SUA MARCA ALGUNS JÁ PARTIRAM, MAS FICA AQUI UMA DAS EQUIPAS QUE DISPUTAVAM NA ALTURA NO POÇO DA CAL E QUINTA DE FÔJA, JOSÉ ANTÓNIO, ARTUR CAMARNEIRO E ABÍLIO CAMARNEIRO. NO QUE TOCA AO FUTEBOL DESPORTO REI DO ATLÉTICO CLUBE MONTEMORENSE AS PRIMEIRAS EQUIPAS A DISPUTAR CAMPEONATOS DESDE 1940. UMA DAS EQUIPAS QUE REPRESENTOU O ACM NOS CAMPEONATOS NACIONAIS FOI A DE JUNIORES QUE TINHA NO SEU PLANTEL JOÃO – JOÃO FLÓRIDO- ARMINDO – CABÉ – FERNANDO CABETE – AFONSO FLÓRIDO – VIRGÍLIO – ZÉ DIAS – DEOLINDO – DANIEL – ZÉ FIGUEIRA – H. MILHEIRO – LICÍNIO CADIMA – E COMO TREINADOR NELSON. TEVE MOMENTOS DE CONSAGRAÇÃO COMO CAMPEÕES: CAMPEÕES DISTRITAIS DA 3ª DIVISÃO ÉPOCA 75/76 CAMPEÕES DISTRITAIS DA 2ª DIVISÃO ÉPOCA 89/90 SUBIDA À DIVISÃO DE HONRA ÉPOCA 91/92 CAMPEÕES DISTRITAIS DE FUT5 SUBIDA A 2ª DIVISÃO NACIONAL MAS O ACM TEVE SEMPRE UMA PARTE CULTURAL E QUEM NÃO SE RECORDA DOS SEUS CONCURSOS VESTIDOS DE CHITA. QUE TRAZIAM A MONTEMOR-O-VELHO CENTENAS E CENTENAS DE PESSOAS PARA VER TAL CERTAME. COMO AS MARCHAS DE SÃO JOÃO. COM A LONGEVIDADE DESTE NOSSO CLUBE MUITOS DOS NOMES IREI FALAR NOUTRAS EDIÇÕES PARA QUE NÃO MORRA A NOSSA MEMÓRIA, DOS SEUS JOGADORES DOS SEUS DIRIGENTES DOS SEUS SÓCIOS E SIMPATIZANTES. DESPORTO REGIONAL TOPSECRET
  • 4. O QUE SOMOS NO ESPAÇO DE EXISTIR PARA VIVER ACABA POR SER SURPREENDENTE NO FENÓMENO DO ACONTECER, SEM QUE PARA ESSE EFEITO TENHAMOS O NOSSO DOMÍNIO NA ESTRATÉGIA DO FAZER, OU CONSTRUIRMOS PROGRAMAS NA MINHA OU NA TUA COMUNIDADE, FACE AO IMPREVISTO INTRÍNSECO DO SEU MISTÉRIO! A MIRAGEM FOI UM PROJETO MEU E DA MINHA MULHER, SENDO CERTO NA SUA DISTÂNCIA POR TERRAS DE MONTEMOR, MUITO PERTO NAS NOSSAS MEMÓRIAS, COMEÇAVA A NASCER EM NÓS A PREOCUPAÇÃO A QUEM ASSUMIRIA O FUTURO DO NOSSO "FILHO", JÁ QUE O SEGURO MORREU DE VELHO, MAS AS NOSSA VIDAS PELA SUA NATUREZA, NENHUMA ORGANIZAÇÃO COMERCIAL NOS GARANTIA A CONTINUIDADE DA MIRAGEM, SE O SEU DESTINO SERIA MORRER NO ESQUECIMENTO DOS MONTEMORENSES. VELHOS E AMANTES DA MIRAGEM, O CONVITE AO LUIZ PESSOA E HÁ SUA ESPOSA A DR. MARIA ISABEL MARÇALO, NA QUARTEIRA, LONGE FOMOS NÓS ENCONTRAR O NOSSO DESCANSO, SÃO AGORA EM CONCORRIDA ASSEMBLEIA GERAL, OS ADMINISTRADORES E A CONTINUIDADE DA MIRAGEM, MUITO EMBORA APOIANDO-ME NA MINHA BENGALA, ESTAREI COM OS NOSSOS AMIGOS ATÉ AO ÚLTIMO SUSPIRO. SURPREENDENTE, POIS, COM OS NOVOS INVESTIDORES DAS PALAVRAS E DO SEU BAIRRISMO PELAS RAÍZES MONTEMORENSES, NÃO É QUE FOMOS O VELHO CASAL, CONVIDADOS PARA COLABORAR NA BARCAÇA! BARCAÇA QUE VEM OCUPAR UM ESPAÇO NAS ÁGUAS TURVAS DA IMPRENSA ESCRITA OU FALADA, TRISTEMENTE SILENCIADA NAS DIFICULDADES DAS POPULARES ESFEROGRÁFICAS E NAS VOZES LIVRES DE UMA COMUNIDADE QUE NÃO PODE MANIFESTAR-SE NO ESPAÇO CRÍTICO DA SUA CIDADANIA, PODENDO AGORA COM ESTA INICIATIVA DO LUIZ PESSOA E DA SUA ESPOSA, A QUILÓMETROS DE DISTÂNCIA NA QUARTEIRA, ASSUMIR NAS SUAS CONSTRUTIVAS OPINIÕES NOVOS RUMOS POR TERRAS DE MONTEMOR... VEM DAÍ NÃO FIQUES CALADO, DEFENDE E AMA O TEU TERRITÓRIO COM A "SOBERBA" VAIDADE É NELA QUE SUBSISTE O NOSSO ORGULHO, POIS ENTÃO... ASSOCIATIVISMO OLÍMPIO FERNANDES
  • 5. C A P E L A D O M Á R T IR S A N T O S Ã O S E B A S T I Ã O A CAPELA DO MÁRTIR SANTO SÃO SEBASTIÃO FOI EDIFICADA NA SEQUÊNCIA DE UMA TERRÍVEL EPIDEMIA QUE ASSOLOU AS TERRAS DE MONTEMOR-O-VELHO, EM MEADOS DO SÉCULO XVI. DIGA-SE, CONTEXTUALIZANDO, QUE SÃO SEBASTIÃO ERA O SANTO INVOCADO PELO POVO COMO “DEPULSOR PESTILITATIS” – INTERCESSOR DIVINO E “ESCUDO” DA IGREJA CONTRA “FOMES, PESTES E GUERRAS” –, PELA SUA RESISTÊNCIA ÀS FLECHAS DO PRIMEIRO MARTÍRIO (ASSOCIADAS E INTERPRETADAS PELOS FIÉIS COMO PROTEÇÃO CONTRA O CASTIGO DAS “FLECHAS DA PESTE”). DE PLANTA CENTRALIZADA, APRESENTA CORPO DE VOLUMETRIA QUADRANGULAR, COBERTO DE CÚPULA HEMISFÉRICA SIMPLES, ANTECEDIDO DE ALPENDRE COM TELHADO DE TRÊS ÁGUAS. A FACHADA PRINCIPAL, ORIENTADA A POENTE, É RASGADA POR PORTA DE VERGA DIREITA, LADEADA POR DUAS JANELAS RETANGULARES BAIXAS, E PROTEGIDA POR ALPENDRE DE OITO COLUNAS DÓRICAS QUE FORMAM TRÊS VÃOS NA FRENTE E DOIS A CADA LADO. NOS ÂNGULOS DO TEMPLO LEVANTAM-SE QUATRO PINÁCULOS, FORMANDO OS DA FRONTARIA, PELO AGRUPAMENTO DE OUTROS DOIS, DUAS PEQUENAS SINEIRAS. NA SINGELEZA DO SEU INTERIOR, EMERGE UM ESPAÇO UNIFICADO E ILUMINADO PELAS DUAS JANELAS JÁ ALUDIDAS. POR CIMA DO ALTAR, EMERGE UM LINDÍSSIMO RETÁBULO DE PEDRA POLICROMADA, DATADO TAMBÉM, DO SÉCULO XVI, COM TRÊS NICHOS. NO NICHO CENTRAL, GUARDA-SE UMA IMAGEM DO MÁRTIR SÃO SEBASTIÃO E NOS DOIS LATERAIS AS IMAGENS DE SÃO ROQUE E SÃO LÁZARO.
  • 6. POESIA SONETO - CENÁRIO PERPASSAS PELAS BRUMAS DA MEMÓRIA, E EU TÃO-POUCO OUSO IMAGINAR COMO SERIA SE TE FOSSE ENCONTRAR SEGURANDO OS FIOS DA NOSSA HISTÓRIA. FRASES AVULSAS, UM PORTO VAZIO, E ESTA ÂNSIA QUE FOSTE SEM NOME. ESTE BANQUETE DE SABOR A FOME. ESTE CHORO QUE NÃO FORMOU UM RIO… DAS MINHAS MÃOS O TEMPO QUE NÃO CORRE É FONTE DE MEL DE LUGAR NENHUM SEM SAUDADE, ALEGRIA OU COR… DE TRÁS DA CORTINA A CENA NÃO SOBE, OS DIAS QUE TRAZEM UM SABOR COMUM, NÃO ESCUTARÃO SUSSURROS NEM CLAMOR! MARA KOPKE
  • 7. POESIA GARÇA REAL CASTELO QUEM VEM DE LONGE E TE AVISTA, CASTELO, SENTE UM ARREPIO DE EMOÇÃO, SENTE O VERDE DOS CAMPOS, SENTE A MENSAGEM DE BOAS VINDAS. PERCEBE QUE AQUI MORAM OS AFETOS, QUE AQUI SOMOS MAIS NÓS, MAIS AUTÊNTICOS NESTE REENCONTRO DE SEMPRE QUE ACONTECE AO DESFAZER A CURVA, DESSA PRIMEIRA CURVA QUE OCULTAVA TANTO ENCANTO. SORRIMOS DESLUMBRADOS. O NOSSO ROSTO GANHA VIDA, O CORAÇÃO BATE MAIS FORTE E ENCHE-SE DE RECORDAÇÕES, DE MEMÓRIAS, DE SAUDADES. CADA PEDRA DESSE CASTELO CONTA UMA HISTÓRIA, CANTA UMA VIDA VIVIDA À SOMBRA DE HERAS VIÇOSAS. CADA RECANTO É UM HINO, CADA OLHAR CÚMPLICE TROCADO SABE A ALEGRIA, SABE À TERNURA DOCE DOS ENCONTROS MARCADOS, TEM A MARCA DA SAUDADE, MAS TEM A COR VIVA DA ALEGRIA.
  • 8. POESIA ISABEL CAPINHA AMIZADE é um sentimento que ganha em nosso coração, e que não se substitui por nada; com ela se fazem amigos que deixam as suas marcas... são atos, palavras e atitudes que se enraízam no tempo e nunca mais se apagam... quando a amizade é do coração faz com permaneça sólida, passe o tempo que passar... cheia de encontros e desencontros, alegrias e tristezas, mas sempre com muito carinho e compreensão, faz de pequenos instantes, grandes e inesquecíveis momentos que se transformam felicidade! nessa passagem pela vida... a AMIZADE terá de ser bela, pura e simples!
  • 9. STORY E HISTORIETAS DÍLIA BRANDÃO FERNANDES OS MEDOS AS PESSOAS CULTIVAVAM A SUPERSTIÇÃO, TODA A GENTE TINHA ALGO PARA CONTAR DE SOBRENATURAL QUE, DE ALGUM MODO, ALGUÉM TINHA VISTO OU PRESENCIADO. FALAVAM, AO SERÃO, EM REUNIÕES FAMILIARES. NA LUZ DA LAREIRA QUEM DUVIDARIA DA VERACIDADE DE TAIS NARRATIVAS? AS CRIANÇAS OUVIAM AS HISTÓRIAS CONTADAS COMO VERDADEIRAS E, DESTA FORMA, PASSAVAM A FAZER PARTE DAS SUAS MEMÓRIAS, RECORDAÇÕES DA INFÂNCIA FORTEMENTE REFORÇADAS PELA IMAGINAÇÃO DOS PETIZES. AS CRIANÇAS PASSAVAM FACILMENTE DE RECETORES A EMISSORES DESTAS HISTÓRIAS E, COMO QUEM CONTA UM CONTO ACRESCENTA UM PONTO, COMO UM NOVELO, AS HISTÓRIAS DOS MAIS VELHOS ACRESCENTAVAM-SE ÀS VIVÊNCIAS DOS MAIS NOVOS, NUMA TEIA ENTRETECIDA QUE CONSTITUI A TRADIÇÃO ORAL. ESTAMOS EM MONTEMOR EM ANOS BASTANTE RECUADOS. NA VILA HAVIA LOCAIS ESPECIAIS ONDE "APARECIAM" OS MEDOS, E AÍ DE QUEM DUVIDASSE DE TAIS ACHAMENTOS E, PRINCIPALMENTE, DA PALAVRA DE QUEM OS TINHA OBSERVADO. NA RUA DR. JOSÉ GALVÃO PELAS DEZ HORAS DA NOITE (HORA DOS MEDOS) UM CAIXÃO A RASTEJAR ATRAVESSAVA A RUA E, SUMIA-SE NUM BUEIRO GRANDE QUE EXISTIA ENCOSTADO À CASA DO FIDALGO JOSÉ FORTUNATO; HOJE TUDO DESAPARECIDO, CASA, BUEIRO E FIDALGO. OUTRO LOCAL APONTADO ERA UM POÇO (DE ÁGUA) EMPEDRADO SITUADO NUMA TERRA DO MESMO FIDALGO, NA ESTRADA QUE LIGA A VILA DE MONTEMOR À BARCA, JÁ PERTO DA ANTIGA PONTE. MAS NÃO MENOS ASSUSTADOR ERA A BAIXEIRA DO CANO, FRENTE À QUINTA DO MESMO NOME, A CAMINHO DO AREAL E DO MOINHO DA MATA, É AQUI O LOCAL DESTA HISTÓRIA: - MARIANA ERA COSTUREIRA E IA LABORAR AOS DIAS NA CASA DAS FREGUESAS. IA A PÉ E CARREGAVA A MÁQUINA DE COSTURA À CABEÇA, CHAMADA MÁQUINA DE MÃO, PORQUE ISENTA DE PEDAL, TINHA UMA MANIVELA QUE ERA ACOPLADA À RODA E ERA ACIONADA PELA MÃO DA COSTUREIRA. A JORNA COMEÇAVA NA ALVORADA E TERMINAVA AO ENTARDECER. COMIA QUALQUER COISA, NA CASA DA PATROA, E SÓ DEPOIS REGRESSAVA A SUA CASA. UMA TARDE, NO REGRESSO DA CASA DE UMA FAMÍLIA DO AREAL, ENCONTROU A COMADRE JÚLIA TAMBÉM DE MONTEMOR E, LADO A LADO, ANIMADAS PELA COMPANHIA RECÍPROCA, CONTINUARAM O SEU CAMINHO. APRESSADAS, POIS, AO LONGE JÁ ERAM VISÍVEIS AS PRIMEIRAS ESTRELAS PONTILHANDO O CÉU, E TAMBÉM PORQUE A BAIXEIRA DO CANO LHES CAUSAVA RECEIOS. E, PORQUE OS SENTIDOS IAM ALERTA, A CONVERSA RECAIU NAS APARIÇÕES ESTRANHAS. "- EU NUNCA VI NADA, DIZIA A MARIANA, MAS ACREDITO QUE ALGUMA COISA HÁ-DE HAVER, AO TEMPO QUE SE FALA NISTO, ISTO JÁ VEM DE TRÁS... TENHO MEDO!" “- POIS, POIS, DIZIA A COMADRE, EU TAMBÉM NUNCA VI NADA, MAS JÁ A MINHA AVÓ CONTAVA AQUELA DA GALINHA PRETA, GRANDE, GRANDE, MAIOR DO QUE UMA PESSOA, BATIA AS ASAS E FAZIA TANTO BARULHO E VENTO QUE LEVANTAVA O PÓ DO CHÃO. EU TENHO MUITO MEDO NÃO GOSTO DE AQUI PASSAR ASSIM MAIS TARDE, MAS, ÀS VEZES, LÁ TEM QUE SER..." - COMO A NOITE SE APROXIMAVA, O FILHO DA COSTUREIRA IGNORANDO QUE A MÃE TERIA COMPANHIA, RESOLVEU IR AO SEU ENCONTRO. AO VÊ-LA AO LONGE, ACOMPANHADA, PENSOU NUMA BRINCADEIRA. ESCONDEU-SE ATRÁS DUMA ÁRVORE E ESPEROU, DEIXOU-AS PASSAR E EM PASSO LIGEIRO, MAS LEVE FOI ATRÁS DELAS, APROXIMOU-SE BASTANTE E QUASE ENCOSTADO FEZ UM VALENTE ASSOPRO QUE, NAQUELE SILÊNCIO, SOOU BEM AUDÍVEL. AMBAS DERAM UM GRITO, A MARIANA DEITOU A MÃO Á MÁQUINA E, EM SIMULTÂNEO, AGARRARAM-SE UMA Á OUTRA, PARA LOGO SE SOLTAREM E DESATAREM A CORRER ESTRADA FORA SEM OLHAREM PARA TRÁS. O RAPAZ QUE ESPERAVA UMA RISADA E TAL NÃO ACONTECEU, JÁ ESTAVA ARREPENDIDO, E CORRIA ENQUANTO GRITAVA "- ESPEREM, ESPEREM, SOU EU, ESPEREM..." NÃO ESPERARAM NADA, E SÓ QUANDO PISARAM O CHÃO DA VILA E AS FORÇAS COMEÇAVAM A TRAÍ-LAS, É QUE PARARAM A TREMER DE MEDO E CANSAÇO E OLHARAM PARA TRÁS. ALI ESTAVA A RAZÃO DE TANTO MEDO, UMA DIABRURA DO FILHO DA MARIANA E AFILHADO DA JÚLIA. AGORA INCRÉDULAS QUANTO À SITUAÇÃO QUE NÃO ESPERAVAM, OLHAVAM O JOVEM E NÃO SABIAM SE HAVIAM DE RALHAR, DE RIR, OU DE CHORAR, POIS O RAPAZ, ARREPENDIDO, TINHA PERDIDO O RISO, E UM JOVEM TRISTE FAZ PENA. DECIDIRAM-SE PELO RISO. NÃO HÁ COMO UMA GARGALHADA ALEGRE PARA AFASTAR O MEDO E GANHAR CORAGEM PARA ENFRENTAR OS RECEIOS ENRAIZADOS POR SÉCULOS DE SUPERSTIÇÃO. É ASSIM O NOSSO POVO E AS NOSSAS GENTES.
  • 10. POLÍTICA CAROLINA AIRES EM PLENOSÉCULO 21, COM A SOCIEDADE A TRANSFORMAR-SE E PERMEAR-SE CADA VEZ MAIS PARA SER JUSTA, ECOLÓGICA, EDUCATIVA, ENTUSIASTA, CULTURAL, SAUDÁVEL, ACENTUA-SE AINDA MAIS A NECESSIDADE DE ULTRAPASSAR TANTAS POSIÇÕES DO SÉCULO PASSADO. COM AS ELEIÇÕES AUTÁRQUICAS À PORTA, E COMO É PUBLICO A MINHA ENVOLVÊNCIA NO PROJETO APOIADO PELA CDU, MUITOS TÊM SIDO OS CONTACTOS QUE TENHO(TEMOS)FEITO. E JÁ OUVI: “VOTO EM VOCÊS, CONTEM COM ISSO. MAS NÃO PODE SER PÚBLICO PORQUE SE SABEM QUE ESTOU CONVOSCO, TEREI REPRESÁLIAS”. “NÃO POSSO FAZER PARTE DAS VOSSAS LISTAS PORQUE TENHO UM NEGÓCIO E TENHO MEDO DE PERDER CLIENTES” “NÃO POSSO APOIAR-VOS PORQUE TEMO SER DESPEDIDO” ENTENDO OS RECEIOS PARTILHADOS, PORQUÊ SEI QUE SÃO REAIS E TÊM O SEU FUNDO DE VERDADE. PORQUE SEI QUE AS PESSOAS AINDA SÃO JULGADAS PELO SEU TRABALHO, PELA SUA POSIÇÃO SOCIAL, PELA SUA COR, PELA SUA ORIENTAÇÃO SEXUAL E, TAMBÉM, PELA SUA POSIÇÃO POLÍTICA. ESTE SENTIMENTO DE “SER REFÉM” DE ALGUÉM, UMA INSTITUIÇÃO, UMA ADMINISTRAÇÃO, UM PATRÃO, DA PRÓPRIA SOCIEDADE EM SI, DIMINUÍA PARTICIPAÇÃO DEMOCRÁTICA E ENFRAQUECE A PRÓPRIA DEMOCRACIA. FRAGILIZAR A DEMOCRACIA APERTA-ME O CORAÇÃO. FELIZMENTE EU CONSIGO AFIRMAR-ME COMO MULHER, COMO MÃE, COMO MÉDICA, COMO HETEROSSEXUAL, COMO DEFENSORA DE UMA SOCIEDADE QUE PROJETO E IDEALIZO ADEQUADA ÀS MINHAS FILHAS (COMO CRIANÇAS), À MINHA MÃE (COMO IDOSA), A MIM (COMO POPULAÇÃO ATIVA). HÁ DIAS QUE CUSTAM MAIS. HÁ DIAS QUE SÃO MAIS DIFÍCEIS, PORQUE VEJO ATROPELADOS OS DIREITOS DAS CRIANÇAS. HÁ DIAS QUE ME SINTO INFERIORIZADA POR SER MULHER. HÁ DIAS QUE ME OLHAM DE LADO POR SER MUITO “OPINADORA”. HÁ DIAS EM QUE O MEU CORAÇÃO FICA DEVASTADO POR VER OS IDOSOS A SEREM MALTRATADOS (PELA FAMÍLIA, PELOS CUIDADORES), SEM RESPOSTA DO SISTEMA QUE NOS DEVERIA AMPARAR QUANDO TUDO FALHA). O RESTO DOS DIAS SINTO-ME LIVRE, CAPAZ DE ASSUMIR AS MINHAS ESCOLHAS, O MEU CAMINHO, AS MINHAS LUTAS. E COM FORÇA PARA CONTRARIAR POSTURAS E COMPORTAMENTOS E SENTIMENTOS DO SÉCULO PASSADO, INQUISIÇÃO-LIKE. CAÇA ÀS BRUXAS, NÃO OBRIGADA!!
  • 11. A VACINA DO BAIXO MONDEGO. UMA REALIDADE OU UMA MIRAGEM? AO LONGO DESTE ÚLTIMO ANO E MEIO NÃO OUVIMOS FALAR DE OUTRA COISA QUE NÃO SEJA DA TÃO DESEJADA VACINA PARA QUE POSSAMOS DEIXAR ESTE CALVÁRIO QUE TODOS TEMOS ATRAVESSADO, ONDE VAMOS PERDENDO MUITOS DOS NOSSOS HÁBITOS, DOS NOSSOS COSTUMES, DAS NOSSAS RELAÇÕES INTERPESSOAIS E ATÉ MESMO DE AMIGOS E FAMILIARES. NO ENTANTO O CONCELHO DE MONTEMOR-O-VELHO HÁ MUITO QUE NECESSITA DE UMA “VACINA” QUE O FAÇA DESPERTAR PARA O PAÍS E O MUNDO. NOS ÚLTIMOS DIAS, COM A SAÍDA DOS RESULTADOS PRELIMINARES DOS CENSOS 2021, APERCEBEMO-NOS DA URGÊNCIA DE IMPLEMENTAÇÃO DE MEDIDAS PARA INVERTER A SITUAÇÃO EM QUE SE ENCONTRA O NOSSO CONCELHO. TEMOS UMA QUEBRA DEMOGRÁFICA SUPERIOR À MÉDIA NACIONAL. TEMOS UM CONCELHO ENVELHECIDO E NADA ATRATIVO PARA A FIXAÇÃO DE JOVENS. MONTEMOR É UM CONCELHO RIQUÍSSIMO E UM VERDADEIRO DIAMANTE POR LAPIDAR. DESDE A AGRICULTURA, A CULTURA, O DESPORTO E A GASTRONOMIA QUE TEMOS UMA PANÓPLIA DE RECURSOS QUE DEVIAM SER EXPLORADOS PARA TORNARMOS O NOSSO CONCELHO ATRATIVO E DINÂMICO. MONTEMOR PODIA SER UM VERDADEIRO OÁSIS DA REGIÃO CENTRO. OU COMO COSTUMO DIZER MUITAS VEZES, PODIA SER A “CAPITAL DO BAIXO MONDEGO”. COMO É POSSÍVEL TEMOS O SEGUNDO MAIOR CASTELO DO PAÍS, INÚMEROS MONUMENTOS CULTURAIS E MENOS ATRATIVOS TURISTICAMENTE? COMO É POSSÍVEL AINDA NÃO TERMOS ACESSOS E INFRAESTRUTURAS SUFICIENTES QUE NOS LIGUEM FACILMENTE DENTRO DO CONCELHO E OS CONCELHOS LIMÍTROFES SEJA DE AUTOCARRO, COMBOIO OU CARRO? COMO É POSSÍVEL TEMOS UM CONCELHO COM UMA DAS MAIORES OFERTAS GASTRONÓMICAS DO PAÍS E NÃO SABEMOS EXPLORAR ESSA MARCA? COMO É POSSÍVEL TEMOS UMA ESCOLA COMO O CITEC E UM FESTIVAL COMO O CITEMOR E NÃO EXPLORAR ESSA MARCA? COMO É POSSÍVEL NÃO CRIARMOS CONDIÇÕES MÍNIMAS PARA FIXAR JOVENS E EMPRESÁRIOS? MAS AO INVÉS DE ISSO, TEMOS ASSISTIDO A UM CONCELHO CADA VEZ MAIS ESTAGNADO E ESQUECIDO NO TEMPO. UM JOVEM DA MINHA GERAÇÃO OU MAIS NOVO, HOJE EM DIA, NÃO TEM QUALQUER ATRAÇÃO OU INCENTIVO QUE O FAÇA PERMANECER NO CONCELHO. DESDE CEDO QUE SOMOS OBRIGADOS A SAIR DO CONCELHO SEJA POR QUESTÕES DE EDUCAÇÃO, DE SAÚDE OU PROFISSIONAIS LEVANDO-NOS A UM AFASTAMENTO QUE A MÉDIO PRAZO SE TORNA PERMANENTE. É PRECISO INVERTER ESTE CICLO. DE CRIAR CONDIÇÕES PARA QUE OS JOVENS SE FIXEM NO CONCELHO. NÃO É DIFÍCIL CONSEGUIRMOS ISSO. BASTA QUERER!!!... NUM ANO EM QUE SE AVIZINHAM ELEIÇÕES AUTÁRQUICAS É IMPORTANTE QUE OS PROTAGONISTAS APRESENTEM SOLUÇÕES PARA ESTES “VELHOS PROBLEMAS”. OS MONTEMORENSES ESTÃO CANSADOS DE OUVIR FALAR EM PROJETOS E SOLUÇÕES QUE NUNCA PASSAM DO PAPEL. É PRECISO QUE SEJAM PRAGMÁTICOS E CONCISOS. OS MONTEMORENSES TÊM DE ACREDITAR QUE É POSSÍVEL TER UM CONCELHO JOVEM, ATRATIVO E DINÂMICO. OS MONTEMORENSES TÊM DE ACREDITAR QUE É POSSÍVEL SERMOS A CAPITAL DO BAIXO MONDEGO. POLÍTICA FRANCISCO LEAL