SlideShare uma empresa Scribd logo
A igreja que deus deseja   pedro júnior
O que a igreja tem
    feito para
   conquistar
 as almas nestes
  últimos dias?
O que a igreja tem feito para conquistar as almas nestes últimos
 dias? pensamento evangelístico da maioria dos que compõe a igreja
      O
do Senhor está subdesenvolvido, atrofiado. Alguns acomodam-se
imaginando que a igreja já fez o que podia pelo mundo. Esta ideologia é
totalmente perigosa, visto que minimiza em muito a ação da influência
santificadora da igreja no mundo.
      Mostra-nos o contexto
 bíblico que os dons espirituais
 só terão fim quando Cristo
 voltar (1Co 13. 8-11) e que
 estes dons são a capacitação
 que     Cristo    outorga    aos
 discípulos para que eles sejam
 testemunhas       eficazes    do
 evangelho         (At       1.8).
 Depreende-se daí que o
 evangelho deve ser pregado
 pela igreja enquanto ela
 estiver na terra.
A própria ordem de Cristo, chamada popularmente de “Ide” ou
teologicamente de “A Grande Comissão” dá a entender a perenidade da
tarefa missionária da igreja. Vejamos Mt 28. 19, 20:
Portanto, ide, ensinai todas as nações, batizando-as em nome do Pai, e
do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-as a guardar todas as coisas
que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os
dias, até à consumação dos séculos. Amém!
                                       A igreja como um todo deve
                                  retornar ao padrão bíblico da obra
                                  missiológica e despertar, tendo um
                                  valor renovado da obra de
                                  conquistar as almas para o Senhor
                                  da seara. Somente quando a igreja
                                  tiver a mesma visão que cristo
                                  tem, poderá cumprir a contento sua
                                  missão e entender...
O valor de pregar... PREGAI

 O valor de discipular... FAZEI DISCÍPULOS

 O valor de batizar... BATIZAI

 O valor de ensinar... ENSINAI

    Infelizmente , nem todos que pregam o evangelho o fazem de bom
grado também. Isto mostra mais uma vez a falta de visão de grande parte
da igreja. Paulo via isto, quando escreveu aos Filipenses:

  Verdade é que também alguns
   pregam a Cristo por inveja e
 porfia, mas outros de boa mente;
  uns por amor, sabendo que fui
 posto para defesa do evangelho”
        (Filipenses 1. 15, 16).

  Não era essa a postura de
Paulo (1Co 9. 16).
A igreja que deus deseja   pedro júnior
A formação da igreja do ponto de vista missionário
   Vemos na parábola elencada em Mt 21. 19, 20, 33-43 que Cristo via
Israel como uma figueira infrutífera devido à rejeição do Filho de Deus.
Sua maldição dura até hoje, enquanto que a igreja está se suprindo
dela, como uma árvore é enxertada em outra (Rm 11.
7, 11, 12, 15, 17, 19, 23, 24). Israel falhou em parte na sua missão de ser
luz para ou povos (Is 51. 4) e agora a igreja tem a oportunidade de brilhar
(Fp 2. 15; Cf., Mt 5. 14-16). O problema é que durante a sua história a
igreja tem perdido este paulatinamente brilho.
A Períodos na história da existência da igreja
   As sete igrejas do Apocalipse representam tanto diversos estados
espirituais como períodos históricos definidos. A profecia bíblica sempre
mostrou períodos de letargia espiritual com a luta dos poucos que
permaneceram firmes, constituindo o remanescente dos fiéis.
A igreja que deus deseja   pedro júnior
Como aconteceu no decorrer da história do povo de Israel, a igreja
também tem enfrentado períodos de mornidão, avivamento e frieza
espiritual e moral. No começo da sua caminhada ela andava junto com o
mestre evangelizando e vivendo em santidade. Hoje a situação é bem
diferente. As marcas do abandono do primeiro amor são visíveis em cada
período histórico representado por cada igreja que recebeu as cartas
contidas no livro do Apocalipse.
               Éfeso
     Aqui temos o primeiro período da
Igreja. É a época da Idade apostólica.
Tudo parecia estar bem, mas já se
percebe que o coração dos cristão já
não estava tão ligado a Cristo como
no     inicio,   ou   seja,   estavam
perdendo       o    primeiro     amor.
Mas, Aquele que tem os olhos como
chamas de fogo, que sabe julgar
corretamente, sabia que as coisas não
iam muito bem. O estado da igreja já
não agradava tanto a Cristo, de modo
que Ele avisou que se a igreja não se
arrependesse, aconteceria o mesmo
Esmirna
     Estamos aqui no segundo e terceiro século, período em que se
desencadeo uma grande perseguição contra a Igreja. Foram dez
perseguições acirradas, a última durou dez anos. Não existia quase
nada a ser reclamado, pois as perseguições uniam os cristãos e
atraiam de novo o coração da Igreja a Cristo. Da mesma forma depois
que os que discípulos estavam em Jerusalém foram espalhados para
outras cidades quando Estevão foi martirizado. Diz a Bíblia que “os que
foram dispersos pela perseguição que sucedeu por causa de Estêvão
caminharam até à Fenícia, Chipre e Antioquia, não anunciando a
ninguém a palavra senão somente aos judeus” (At 11. 19). Este martírio
foi decisivo na conversão de Paulo, o pregador dos gentios (At 22. 20)
Pérgamo




     Nesse período a Igreja deixa de ser peregrina, deixa de ser a
eclésia, ou seja os “chamados para fora”. Neste período ela passa a
estar ligada ao mundo e ter a influência do mesmo. Esse foi o período
em que Constantino fez da Igreja uma instituição estatal, nela estão as
obras dos nicolaítas. Nicolaos que dizer “dominador do povo” (Nikos=
dominador, opressor, ditador. + Laos= população, povo. Deste vocábulo
vem a palavra “leigo”, povo. O período começa a distinção entre leigos e
clérigos. A doutrina de Balaão está presente nesse período, onde há
uma mistura de dinheiro como idolatria. Ela encontra descanso e habita
onde está o trono de satanás, ou seja, está procurando o prestígio deste
mundo.
Filadélfia
   Filadélfia é a Igreja que guarda a Palavra e que não nega o nome do
Senhor. É a Igreja que sai das instituições e que vive pelo Espírito de
Deus, que rompe com as organizações e que procura viver na luz do
Senhor. Esta igreja inclinar-se a viver de acordo com a luz do
entendimento que tem recebido de Deus e da sua Palavra.
Entretanto, Filadélfia representa apenas um remanescente, pois foram
poucos os que guardaram a Palavra.
  Laodicéia
     Essa é a Igreja que se arroga em sua posição, que tem
muita ciência,        confissões, sociedades       cristãs,   agências
missionárias.    Esse     é o período     onde   se busca      apenas
comodidade. A sujeição à Palavra é rejeitada. A verdadeira fé para
sofrer pelo nome de Jesus é rejeitada. O que se evidencia em sua
totalidade é a prosperidade, contudo, a verdadeira piedade não está
presente nessa Igreja, ela já se tornou mundana, é a Igreja que busca
apoio aos políticos para crescer como instituição eclesiástica, no
meio dela a Palavra do Senhor não tem tanta autoridade, nessa Igreja
Jesus está do lado de fora.
Segundo Paulo veja o tipo de Igreja que Deus deseja:
                 Para apresentar a si mesmo Igreja
               Gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem
                   coisa semelhante, mas santa e
                            irrepreensível.
                               (Ef. 5.27)
A vocação e a chamada da igreja
     A palavra igreja no grego do novo Testamento já nos dá um
vislumbre da vocação e chamada. A preposição grega Ek denota
posição, enquanto o verbo grego Kaleo significa “chamar”.
Portanto, “igreja” (Gr. Ekklesia) refere-se a um grupo de pessoas
chamadas para se separarem do mundo, (“saírem para fora”, ver Hb 13.
12-14) e se dedicarem no serviço a Deus (ver Hb 13. 15). A igreja é muito
mais que um clube social onde você se reúne aos domingos para rever
os amigos. Vejamos o que a Bíblia diz sobre a vocação da igreja:

   2Ts 2. 14: “para o que, pelo nosso
evangelho,     vos    chamou,    para
alcançardes a glória de nosso Senhor
Jesus Cristo”.
   1Ts 4. 7: “Porque não nos chamou
Deus para a imundícia, mas para a
santificação”.
2Ts 1. 9: “que nos salvou e
chamou com uma santa vocação; não
segundo as nossas obras, mas
segundo o seu próprio propósito e
graça que nos foi dada em Cristo
Jesus, antes dos tempos dos
séculos”.
    1Pe 5. 10: “E o Deus de toda a
graça, que em Cristo Jesus vos
chamou à sua eterna glória, depois
de haverdes padecido um pouco, ele
mesmo vos aperfeiçoará, confirmará,
fortificará e fortalecerá.”.

   1Pe 2. 9: “Mas vós sois a
geração eleita, o sacerdócio real, a
nação santa, o povo adquirido, para
que anuncieis as virtudes daquele
que vos chamou das trevas para a
sua maravilhosa luz”.
Como a igreja pode desempenhar bem o seu
   papel
         Nas cartas paulinas temos algumas Igrejas que se destacaram
pelo fato do exercício fé da mesma estarem exercendo grande influencia
nas pessoas. Era por esse tipo de Igreja que Paulo sentia prazer
quando      dobrava     os seus joelhos para interceder         por ela.
Paulo     sentia prazer, contentamento, gozo expressivo           quando
intercedia por essa Igreja, pois a mesma estava desempenhado
bem o seu papel. Ora, a Igreja sabe e tem consciência que tem uma
missão a fazer, a cumprir, ela deve levar a serio tal
comprometimento para não colocar em jogo, em menosprezo o
nome de Cristo, existem igrejas que mancham o nome de Cristo.
Quantas Igrejas não estão espalhando         um modo de vida que
contraria os princípios da palavra de Deus? Quantas Igrejas não
estão deixando de lado a sua verdadeira missão para se envolver
com algumas tarefas aqui da terra? E sem falar nos seus lideres que em
muitos casos são os causadores das piores heresias que têm maculado
o nome de Cristo, lembre-se que, Paulo em Atos. 20 advertiu que nos
últimos dias surgiriam dentre o próprio povo de Deus lideres que
iriam dizer coisas absurdas e que tais conseguiriam atrair a muitos. Para
a Igreja cumprir bem o seu papel, ela precisa entender que Deus já
dispôs para a mesma o necessário.
Ele concedeu os seus dons através da operação do Espírito Santo
em nós, isso nos capacita a fazermos bem o seu trabalho. Quando o
Espírito Santo nos capacita, podemos fazer o melhor para Deus.
Veja que, Deus usou a Bezaleel e Aoliabe para desempenharem o seu
trabalho, eles fizeram a obra com muita perícia, capacidade, por que o
Espírito Santo estava neles, Êx. 35.
A igreja que deus deseja   pedro júnior
A igreja que deus deseja   pedro júnior
A igreja que deus deseja   pedro júnior
A igreja que deus deseja   pedro júnior
A igreja que deus deseja   pedro júnior

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Liçao 11 A Organização de Uma Igreja Local
Liçao 11 A Organização de Uma Igreja Local Liçao 11 A Organização de Uma Igreja Local
Liçao 11 A Organização de Uma Igreja Local
Ev.Antonio Vieira
 
Teologia econômica financeira
Teologia econômica financeira Teologia econômica financeira
Teologia econômica financeira
Wilson Paulo de Santana Paulo
 
Lição 2 o propósito dos dons espirituais
Lição 2   o  propósito dos dons espirituaisLição 2   o  propósito dos dons espirituais
Lição 2 o propósito dos dons espirituais
Ismael Isidio
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 3 - DIVISÕES NA IGREJA
PROJEÇÃO_LIÇÃO 3 - DIVISÕES NA IGREJAPROJEÇÃO_LIÇÃO 3 - DIVISÕES NA IGREJA
PROJEÇÃO_LIÇÃO 3 - DIVISÕES NA IGREJA
Natalino das Neves Neves
 
Lbj lição 13 a igreja louvará eternamente ao senhor
Lbj lição 13   a igreja louvará eternamente ao senhorLbj lição 13   a igreja louvará eternamente ao senhor
Lbj lição 13 a igreja louvará eternamente ao senhor
boasnovassena
 
Lição 2 os propósitos dos dons espirituais
Lição 2 os propósitos dos dons espirituaisLição 2 os propósitos dos dons espirituais
Lição 2 os propósitos dos dons espirituais
Pr. Andre Luiz
 
LIção 13 - O cultivo das relações interpessoais
LIção 13 - O cultivo das relações interpessoaisLIção 13 - O cultivo das relações interpessoais
LIção 13 - O cultivo das relações interpessoais
Ailton da Silva
 
Lição 12 - Cosmovisão Missionária
Lição 12 - Cosmovisão MissionáriaLição 12 - Cosmovisão Missionária
Lição 12 - Cosmovisão Missionária
Andrew Guimarães
 
O avivamento do Espirito Santo
O avivamento do Espirito SantoO avivamento do Espirito Santo
O avivamento do Espirito Santo
oitavaera
 
O propósito dos dons espirituais
O propósito dos dons espirituaisO propósito dos dons espirituais
O propósito dos dons espirituais
Moisés Sampaio
 
LBJ LIÇÃO 2 - O real proposito da Igreja
LBJ LIÇÃO 2 - O real proposito da IgrejaLBJ LIÇÃO 2 - O real proposito da Igreja
LBJ LIÇÃO 2 - O real proposito da Igreja
boasnovassena
 
O Cultivo das Relaçoes Interpessoais
O Cultivo das Relaçoes InterpessoaisO Cultivo das Relaçoes Interpessoais
O Cultivo das Relaçoes Interpessoais
Márcio Martins
 
Lição 6 o ministerio de apostolo
Lição 6 o ministerio de apostoloLição 6 o ministerio de apostolo
Lição 6 o ministerio de apostolo
pralucianaevangelista
 
Apostila obreiros lição 3
Apostila obreiros lição 3Apostila obreiros lição 3
Apostila obreiros lição 3
Mara Rúbia Alfarth
 
TEOLOGIA PASTORAL
TEOLOGIA PASTORALTEOLOGIA PASTORAL
TEOLOGIA PASTORAL
BispoAlberto
 
Ebd lições bíblicas 2°trimestre 2016 aula 12 Cosmovisão missionária.
Ebd lições bíblicas 2°trimestre 2016 aula 12 Cosmovisão missionária.Ebd lições bíblicas 2°trimestre 2016 aula 12 Cosmovisão missionária.
Ebd lições bíblicas 2°trimestre 2016 aula 12 Cosmovisão missionária.
GIDEONE Moura Santos Ferreira
 
O diaconato
O diaconatoO diaconato
O diaconato
Moisés Sampaio
 
E deu dons aos homens
E deu dons aos homensE deu dons aos homens
E deu dons aos homens
Moisés Sampaio
 
A igreja que deus deseja
A igreja que deus desejaA igreja que deus deseja
A igreja que deus deseja
Pedro Júnior
 

Mais procurados (19)

Liçao 11 A Organização de Uma Igreja Local
Liçao 11 A Organização de Uma Igreja Local Liçao 11 A Organização de Uma Igreja Local
Liçao 11 A Organização de Uma Igreja Local
 
Teologia econômica financeira
Teologia econômica financeira Teologia econômica financeira
Teologia econômica financeira
 
Lição 2 o propósito dos dons espirituais
Lição 2   o  propósito dos dons espirituaisLição 2   o  propósito dos dons espirituais
Lição 2 o propósito dos dons espirituais
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 3 - DIVISÕES NA IGREJA
PROJEÇÃO_LIÇÃO 3 - DIVISÕES NA IGREJAPROJEÇÃO_LIÇÃO 3 - DIVISÕES NA IGREJA
PROJEÇÃO_LIÇÃO 3 - DIVISÕES NA IGREJA
 
Lbj lição 13 a igreja louvará eternamente ao senhor
Lbj lição 13   a igreja louvará eternamente ao senhorLbj lição 13   a igreja louvará eternamente ao senhor
Lbj lição 13 a igreja louvará eternamente ao senhor
 
Lição 2 os propósitos dos dons espirituais
Lição 2 os propósitos dos dons espirituaisLição 2 os propósitos dos dons espirituais
Lição 2 os propósitos dos dons espirituais
 
LIção 13 - O cultivo das relações interpessoais
LIção 13 - O cultivo das relações interpessoaisLIção 13 - O cultivo das relações interpessoais
LIção 13 - O cultivo das relações interpessoais
 
Lição 12 - Cosmovisão Missionária
Lição 12 - Cosmovisão MissionáriaLição 12 - Cosmovisão Missionária
Lição 12 - Cosmovisão Missionária
 
O avivamento do Espirito Santo
O avivamento do Espirito SantoO avivamento do Espirito Santo
O avivamento do Espirito Santo
 
O propósito dos dons espirituais
O propósito dos dons espirituaisO propósito dos dons espirituais
O propósito dos dons espirituais
 
LBJ LIÇÃO 2 - O real proposito da Igreja
LBJ LIÇÃO 2 - O real proposito da IgrejaLBJ LIÇÃO 2 - O real proposito da Igreja
LBJ LIÇÃO 2 - O real proposito da Igreja
 
O Cultivo das Relaçoes Interpessoais
O Cultivo das Relaçoes InterpessoaisO Cultivo das Relaçoes Interpessoais
O Cultivo das Relaçoes Interpessoais
 
Lição 6 o ministerio de apostolo
Lição 6 o ministerio de apostoloLição 6 o ministerio de apostolo
Lição 6 o ministerio de apostolo
 
Apostila obreiros lição 3
Apostila obreiros lição 3Apostila obreiros lição 3
Apostila obreiros lição 3
 
TEOLOGIA PASTORAL
TEOLOGIA PASTORALTEOLOGIA PASTORAL
TEOLOGIA PASTORAL
 
Ebd lições bíblicas 2°trimestre 2016 aula 12 Cosmovisão missionária.
Ebd lições bíblicas 2°trimestre 2016 aula 12 Cosmovisão missionária.Ebd lições bíblicas 2°trimestre 2016 aula 12 Cosmovisão missionária.
Ebd lições bíblicas 2°trimestre 2016 aula 12 Cosmovisão missionária.
 
O diaconato
O diaconatoO diaconato
O diaconato
 
E deu dons aos homens
E deu dons aos homensE deu dons aos homens
E deu dons aos homens
 
A igreja que deus deseja
A igreja que deus desejaA igreja que deus deseja
A igreja que deus deseja
 

Destaque

Проект Плана мероприятий по реализации Концепции региональной информатизации ...
Проект Плана мероприятий по реализации Концепции региональной информатизации ...Проект Плана мероприятий по реализации Концепции региональной информатизации ...
Проект Плана мероприятий по реализации Концепции региональной информатизации ...
Victor Gridnev
 
Минкомсвязи: презентация по субсидиям конкурсный отбор 2015
Минкомсвязи: презентация по субсидиям конкурсный отбор 2015Минкомсвязи: презентация по субсидиям конкурсный отбор 2015
Минкомсвязи: презентация по субсидиям конкурсный отбор 2015
Victor Gridnev
 
A Arte De Vencer
A Arte De VencerA Arte De Vencer
A Arte De Vencer
intelec
 
Conflitos no cérebro
Conflitos no cérebroConflitos no cérebro
Conflitos no cérebro
Lucas Degiovani
 
Os números primos
Os números primosOs números primos
Os números primos
Maikon Fernandes de Lima
 
Sopa --de--letras
Sopa --de--letrasSopa --de--letras
Sopa --de--letras
Laura Marulanda
 
Elena Figuera UVic
Elena Figuera UVicElena Figuera UVic
Elena Figuera UVic
home.
 
Servicio Cirugia
Servicio CirugiaServicio Cirugia
Servicio Cirugia
danielacarrion121212
 
Минкомсвязь - Перевод госуслуг в электронный вид ФОГВ (осень 2009)
Минкомсвязь - Перевод госуслуг в электронный вид ФОГВ (осень 2009)Минкомсвязь - Перевод госуслуг в электронный вид ФОГВ (осень 2009)
Минкомсвязь - Перевод госуслуг в электронный вид ФОГВ (осень 2009)
Victor Gridnev
 
Scott Street Elevation
Scott Street ElevationScott Street Elevation
Scott Street Elevation
Ken Puncerelli
 
Mappe: Carmichael Billingsley
Mappe: Carmichael BillingsleyMappe: Carmichael Billingsley
Mappe: Carmichael Billingsley
Carmichael Billingsley
 
Об утверждении изменений, которые вносятся в распоряжение Правительства РФ от...
Об утверждении изменений, которые вносятся в распоряжение Правительства РФ от...Об утверждении изменений, которые вносятся в распоряжение Правительства РФ от...
Об утверждении изменений, которые вносятся в распоряжение Правительства РФ от...
Victor Gridnev
 
Минэк - про реестр госуслуг - ноябрь 2013
Минэк - про реестр госуслуг - ноябрь 2013Минэк - про реестр госуслуг - ноябрь 2013
Минэк - про реестр госуслуг - ноябрь 2013
Victor Gridnev
 

Destaque (20)

Проект Плана мероприятий по реализации Концепции региональной информатизации ...
Проект Плана мероприятий по реализации Концепции региональной информатизации ...Проект Плана мероприятий по реализации Концепции региональной информатизации ...
Проект Плана мероприятий по реализации Концепции региональной информатизации ...
 
CRA- LU
CRA- LUCRA- LU
CRA- LU
 
The Snazzy Look Gardening 2
The Snazzy Look Gardening 2The Snazzy Look Gardening 2
The Snazzy Look Gardening 2
 
Минкомсвязи: презентация по субсидиям конкурсный отбор 2015
Минкомсвязи: презентация по субсидиям конкурсный отбор 2015Минкомсвязи: презентация по субсидиям конкурсный отбор 2015
Минкомсвязи: презентация по субсидиям конкурсный отбор 2015
 
Journey-Escape
Journey-EscapeJourney-Escape
Journey-Escape
 
A Arte De Vencer
A Arte De VencerA Arte De Vencer
A Arte De Vencer
 
Conflitos no cérebro
Conflitos no cérebroConflitos no cérebro
Conflitos no cérebro
 
силина2010
силина2010силина2010
силина2010
 
Os números primos
Os números primosOs números primos
Os números primos
 
Sopa --de--letras
Sopa --de--letrasSopa --de--letras
Sopa --de--letras
 
Elena Figuera UVic
Elena Figuera UVicElena Figuera UVic
Elena Figuera UVic
 
Test
TestTest
Test
 
Servicio Cirugia
Servicio CirugiaServicio Cirugia
Servicio Cirugia
 
Минкомсвязь - Перевод госуслуг в электронный вид ФОГВ (осень 2009)
Минкомсвязь - Перевод госуслуг в электронный вид ФОГВ (осень 2009)Минкомсвязь - Перевод госуслуг в электронный вид ФОГВ (осень 2009)
Минкомсвязь - Перевод госуслуг в электронный вид ФОГВ (осень 2009)
 
Scott Street Elevation
Scott Street ElevationScott Street Elevation
Scott Street Elevation
 
Mappe: Carmichael Billingsley
Mappe: Carmichael BillingsleyMappe: Carmichael Billingsley
Mappe: Carmichael Billingsley
 
FPLA Certificate.PDF
FPLA Certificate.PDFFPLA Certificate.PDF
FPLA Certificate.PDF
 
Об утверждении изменений, которые вносятся в распоряжение Правительства РФ от...
Об утверждении изменений, которые вносятся в распоряжение Правительства РФ от...Об утверждении изменений, которые вносятся в распоряжение Правительства РФ от...
Об утверждении изменений, которые вносятся в распоряжение Правительства РФ от...
 
DUBAiwtcMrLakescan
DUBAiwtcMrLakescanDUBAiwtcMrLakescan
DUBAiwtcMrLakescan
 
Минэк - про реестр госуслуг - ноябрь 2013
Минэк - про реестр госуслуг - ноябрь 2013Минэк - про реестр госуслуг - ноябрь 2013
Минэк - про реестр госуслуг - ноябрь 2013
 

Semelhante a A igreja que deus deseja pedro júnior

teologia eclesiologia e missiologia
teologia   eclesiologia e missiologiateologia   eclesiologia e missiologia
teologia eclesiologia e missiologia
alexandrepsantos
 
IBADEP - ECLESIOLOGIA E MISSIOLOGIA
IBADEP - ECLESIOLOGIA E MISSIOLOGIAIBADEP - ECLESIOLOGIA E MISSIOLOGIA
IBADEP - ECLESIOLOGIA E MISSIOLOGIA
Coop. Fabio Silva
 
Lição 6 as funções da igreja
Lição  6  as funções da igrejaLição  6  as funções da igreja
Lição 6 as funções da igreja
César Aguiar
 
A origem da Igreja-01.pptx
A origem da Igreja-01.pptxA origem da Igreja-01.pptx
A origem da Igreja-01.pptx
AMGAMES
 
Tese 10 eclesiologia
Tese 10 eclesiologiaTese 10 eclesiologia
Tese 10 eclesiologia
Zé Vitor Rabelo
 
Lição 03 - A Natureza da Igreja (1).pptx
Lição 03 - A Natureza da Igreja (1).pptxLição 03 - A Natureza da Igreja (1).pptx
Lição 03 - A Natureza da Igreja (1).pptx
EdinaldoVieiradeSous
 
2º módulo 4ª aula
2º módulo   4ª aula2º módulo   4ª aula
2º módulo 4ª aula
Monergista Post
 
2º módulo 4ª aula
2º módulo   4ª aula2º módulo   4ª aula
2º módulo 4ª aula
Joel Silva
 
2º módulo 4ª aula
2º módulo   4ª aula2º módulo   4ª aula
2º módulo 4ª aula
Joel Silva
 
Igreja
IgrejaIgreja
EBD - A NATUREZA DA IGREJA.................
EBD - A NATUREZA DA IGREJA.................EBD - A NATUREZA DA IGREJA.................
EBD - A NATUREZA DA IGREJA.................
Uilson Nunnes
 
COMO FUNDAR UMA IGREJA
COMO FUNDAR UMA IGREJACOMO FUNDAR UMA IGREJA
COMO FUNDAR UMA IGREJA
ESCRIBAVALDEMIR
 
A natureza e_a_tarefa_da_igreja
A natureza e_a_tarefa_da_igrejaA natureza e_a_tarefa_da_igreja
A natureza e_a_tarefa_da_igreja
Vinicio Pacifico
 
Lição 3 - A Natureza da Igreja - Escola Bíblica Dominical.pptx
Lição 3 - A Natureza da Igreja - Escola Bíblica Dominical.pptxLição 3 - A Natureza da Igreja - Escola Bíblica Dominical.pptx
Lição 3 - A Natureza da Igreja - Escola Bíblica Dominical.pptx
Celso Napoleon
 
A nossa Igreja - Igreja Católica Apostólica Romana
A nossa Igreja - Igreja Católica Apostólica RomanaA nossa Igreja - Igreja Católica Apostólica Romana
A nossa Igreja - Igreja Católica Apostólica Romana
SanturioTacararu
 
A MISSÃO DA IGREJA
A MISSÃO DA IGREJAA MISSÃO DA IGREJA
A MISSÃO DA IGREJA
Romildo Fernandes Gurgel Gurgel
 
Aula 6 - Seminário sobre a Igreja
Aula 6 - Seminário sobre a IgrejaAula 6 - Seminário sobre a Igreja
Aula 6 - Seminário sobre a Igreja
IBC de Jacarepaguá
 
LBA 2017 3 TRI LIÇÃO 8 - A igreja de cristo
LBA 2017 3 TRI LIÇÃO 8 - A igreja de cristoLBA 2017 3 TRI LIÇÃO 8 - A igreja de cristo
LBA 2017 3 TRI LIÇÃO 8 - A igreja de cristo
Natalino das Neves Neves
 
A ordem de deus bruce anstey
A ordem de deus   bruce ansteyA ordem de deus   bruce anstey
A ordem de deus bruce anstey
Jessé Ferreira
 
Bruce anstey-a-ordem-de-deus
Bruce anstey-a-ordem-de-deusBruce anstey-a-ordem-de-deus
Bruce anstey-a-ordem-de-deus
Alysson Pessoa Miranda
 

Semelhante a A igreja que deus deseja pedro júnior (20)

teologia eclesiologia e missiologia
teologia   eclesiologia e missiologiateologia   eclesiologia e missiologia
teologia eclesiologia e missiologia
 
IBADEP - ECLESIOLOGIA E MISSIOLOGIA
IBADEP - ECLESIOLOGIA E MISSIOLOGIAIBADEP - ECLESIOLOGIA E MISSIOLOGIA
IBADEP - ECLESIOLOGIA E MISSIOLOGIA
 
Lição 6 as funções da igreja
Lição  6  as funções da igrejaLição  6  as funções da igreja
Lição 6 as funções da igreja
 
A origem da Igreja-01.pptx
A origem da Igreja-01.pptxA origem da Igreja-01.pptx
A origem da Igreja-01.pptx
 
Tese 10 eclesiologia
Tese 10 eclesiologiaTese 10 eclesiologia
Tese 10 eclesiologia
 
Lição 03 - A Natureza da Igreja (1).pptx
Lição 03 - A Natureza da Igreja (1).pptxLição 03 - A Natureza da Igreja (1).pptx
Lição 03 - A Natureza da Igreja (1).pptx
 
2º módulo 4ª aula
2º módulo   4ª aula2º módulo   4ª aula
2º módulo 4ª aula
 
2º módulo 4ª aula
2º módulo   4ª aula2º módulo   4ª aula
2º módulo 4ª aula
 
2º módulo 4ª aula
2º módulo   4ª aula2º módulo   4ª aula
2º módulo 4ª aula
 
Igreja
IgrejaIgreja
Igreja
 
EBD - A NATUREZA DA IGREJA.................
EBD - A NATUREZA DA IGREJA.................EBD - A NATUREZA DA IGREJA.................
EBD - A NATUREZA DA IGREJA.................
 
COMO FUNDAR UMA IGREJA
COMO FUNDAR UMA IGREJACOMO FUNDAR UMA IGREJA
COMO FUNDAR UMA IGREJA
 
A natureza e_a_tarefa_da_igreja
A natureza e_a_tarefa_da_igrejaA natureza e_a_tarefa_da_igreja
A natureza e_a_tarefa_da_igreja
 
Lição 3 - A Natureza da Igreja - Escola Bíblica Dominical.pptx
Lição 3 - A Natureza da Igreja - Escola Bíblica Dominical.pptxLição 3 - A Natureza da Igreja - Escola Bíblica Dominical.pptx
Lição 3 - A Natureza da Igreja - Escola Bíblica Dominical.pptx
 
A nossa Igreja - Igreja Católica Apostólica Romana
A nossa Igreja - Igreja Católica Apostólica RomanaA nossa Igreja - Igreja Católica Apostólica Romana
A nossa Igreja - Igreja Católica Apostólica Romana
 
A MISSÃO DA IGREJA
A MISSÃO DA IGREJAA MISSÃO DA IGREJA
A MISSÃO DA IGREJA
 
Aula 6 - Seminário sobre a Igreja
Aula 6 - Seminário sobre a IgrejaAula 6 - Seminário sobre a Igreja
Aula 6 - Seminário sobre a Igreja
 
LBA 2017 3 TRI LIÇÃO 8 - A igreja de cristo
LBA 2017 3 TRI LIÇÃO 8 - A igreja de cristoLBA 2017 3 TRI LIÇÃO 8 - A igreja de cristo
LBA 2017 3 TRI LIÇÃO 8 - A igreja de cristo
 
A ordem de deus bruce anstey
A ordem de deus   bruce ansteyA ordem de deus   bruce anstey
A ordem de deus bruce anstey
 
Bruce anstey-a-ordem-de-deus
Bruce anstey-a-ordem-de-deusBruce anstey-a-ordem-de-deus
Bruce anstey-a-ordem-de-deus
 

A igreja que deus deseja pedro júnior

  • 2. O que a igreja tem feito para conquistar as almas nestes últimos dias?
  • 3. O que a igreja tem feito para conquistar as almas nestes últimos dias? pensamento evangelístico da maioria dos que compõe a igreja O do Senhor está subdesenvolvido, atrofiado. Alguns acomodam-se imaginando que a igreja já fez o que podia pelo mundo. Esta ideologia é totalmente perigosa, visto que minimiza em muito a ação da influência santificadora da igreja no mundo. Mostra-nos o contexto bíblico que os dons espirituais só terão fim quando Cristo voltar (1Co 13. 8-11) e que estes dons são a capacitação que Cristo outorga aos discípulos para que eles sejam testemunhas eficazes do evangelho (At 1.8). Depreende-se daí que o evangelho deve ser pregado pela igreja enquanto ela estiver na terra.
  • 4. A própria ordem de Cristo, chamada popularmente de “Ide” ou teologicamente de “A Grande Comissão” dá a entender a perenidade da tarefa missionária da igreja. Vejamos Mt 28. 19, 20: Portanto, ide, ensinai todas as nações, batizando-as em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-as a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até à consumação dos séculos. Amém! A igreja como um todo deve retornar ao padrão bíblico da obra missiológica e despertar, tendo um valor renovado da obra de conquistar as almas para o Senhor da seara. Somente quando a igreja tiver a mesma visão que cristo tem, poderá cumprir a contento sua missão e entender...
  • 5. O valor de pregar... PREGAI O valor de discipular... FAZEI DISCÍPULOS O valor de batizar... BATIZAI O valor de ensinar... ENSINAI Infelizmente , nem todos que pregam o evangelho o fazem de bom grado também. Isto mostra mais uma vez a falta de visão de grande parte da igreja. Paulo via isto, quando escreveu aos Filipenses: Verdade é que também alguns pregam a Cristo por inveja e porfia, mas outros de boa mente; uns por amor, sabendo que fui posto para defesa do evangelho” (Filipenses 1. 15, 16). Não era essa a postura de Paulo (1Co 9. 16).
  • 7. A formação da igreja do ponto de vista missionário Vemos na parábola elencada em Mt 21. 19, 20, 33-43 que Cristo via Israel como uma figueira infrutífera devido à rejeição do Filho de Deus. Sua maldição dura até hoje, enquanto que a igreja está se suprindo dela, como uma árvore é enxertada em outra (Rm 11. 7, 11, 12, 15, 17, 19, 23, 24). Israel falhou em parte na sua missão de ser luz para ou povos (Is 51. 4) e agora a igreja tem a oportunidade de brilhar (Fp 2. 15; Cf., Mt 5. 14-16). O problema é que durante a sua história a igreja tem perdido este paulatinamente brilho.
  • 8. A Períodos na história da existência da igreja As sete igrejas do Apocalipse representam tanto diversos estados espirituais como períodos históricos definidos. A profecia bíblica sempre mostrou períodos de letargia espiritual com a luta dos poucos que permaneceram firmes, constituindo o remanescente dos fiéis.
  • 10. Como aconteceu no decorrer da história do povo de Israel, a igreja também tem enfrentado períodos de mornidão, avivamento e frieza espiritual e moral. No começo da sua caminhada ela andava junto com o mestre evangelizando e vivendo em santidade. Hoje a situação é bem diferente. As marcas do abandono do primeiro amor são visíveis em cada período histórico representado por cada igreja que recebeu as cartas contidas no livro do Apocalipse. Éfeso Aqui temos o primeiro período da Igreja. É a época da Idade apostólica. Tudo parecia estar bem, mas já se percebe que o coração dos cristão já não estava tão ligado a Cristo como no inicio, ou seja, estavam perdendo o primeiro amor. Mas, Aquele que tem os olhos como chamas de fogo, que sabe julgar corretamente, sabia que as coisas não iam muito bem. O estado da igreja já não agradava tanto a Cristo, de modo que Ele avisou que se a igreja não se arrependesse, aconteceria o mesmo
  • 11. Esmirna Estamos aqui no segundo e terceiro século, período em que se desencadeo uma grande perseguição contra a Igreja. Foram dez perseguições acirradas, a última durou dez anos. Não existia quase nada a ser reclamado, pois as perseguições uniam os cristãos e atraiam de novo o coração da Igreja a Cristo. Da mesma forma depois que os que discípulos estavam em Jerusalém foram espalhados para outras cidades quando Estevão foi martirizado. Diz a Bíblia que “os que foram dispersos pela perseguição que sucedeu por causa de Estêvão caminharam até à Fenícia, Chipre e Antioquia, não anunciando a ninguém a palavra senão somente aos judeus” (At 11. 19). Este martírio foi decisivo na conversão de Paulo, o pregador dos gentios (At 22. 20)
  • 12. Pérgamo Nesse período a Igreja deixa de ser peregrina, deixa de ser a eclésia, ou seja os “chamados para fora”. Neste período ela passa a estar ligada ao mundo e ter a influência do mesmo. Esse foi o período em que Constantino fez da Igreja uma instituição estatal, nela estão as obras dos nicolaítas. Nicolaos que dizer “dominador do povo” (Nikos= dominador, opressor, ditador. + Laos= população, povo. Deste vocábulo vem a palavra “leigo”, povo. O período começa a distinção entre leigos e clérigos. A doutrina de Balaão está presente nesse período, onde há uma mistura de dinheiro como idolatria. Ela encontra descanso e habita onde está o trono de satanás, ou seja, está procurando o prestígio deste mundo.
  • 13. Filadélfia Filadélfia é a Igreja que guarda a Palavra e que não nega o nome do Senhor. É a Igreja que sai das instituições e que vive pelo Espírito de Deus, que rompe com as organizações e que procura viver na luz do Senhor. Esta igreja inclinar-se a viver de acordo com a luz do entendimento que tem recebido de Deus e da sua Palavra. Entretanto, Filadélfia representa apenas um remanescente, pois foram poucos os que guardaram a Palavra. Laodicéia Essa é a Igreja que se arroga em sua posição, que tem muita ciência, confissões, sociedades cristãs, agências missionárias. Esse é o período onde se busca apenas comodidade. A sujeição à Palavra é rejeitada. A verdadeira fé para sofrer pelo nome de Jesus é rejeitada. O que se evidencia em sua totalidade é a prosperidade, contudo, a verdadeira piedade não está presente nessa Igreja, ela já se tornou mundana, é a Igreja que busca apoio aos políticos para crescer como instituição eclesiástica, no meio dela a Palavra do Senhor não tem tanta autoridade, nessa Igreja Jesus está do lado de fora.
  • 14. Segundo Paulo veja o tipo de Igreja que Deus deseja: Para apresentar a si mesmo Igreja Gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível. (Ef. 5.27)
  • 15. A vocação e a chamada da igreja A palavra igreja no grego do novo Testamento já nos dá um vislumbre da vocação e chamada. A preposição grega Ek denota posição, enquanto o verbo grego Kaleo significa “chamar”. Portanto, “igreja” (Gr. Ekklesia) refere-se a um grupo de pessoas chamadas para se separarem do mundo, (“saírem para fora”, ver Hb 13. 12-14) e se dedicarem no serviço a Deus (ver Hb 13. 15). A igreja é muito mais que um clube social onde você se reúne aos domingos para rever os amigos. Vejamos o que a Bíblia diz sobre a vocação da igreja: 2Ts 2. 14: “para o que, pelo nosso evangelho, vos chamou, para alcançardes a glória de nosso Senhor Jesus Cristo”. 1Ts 4. 7: “Porque não nos chamou Deus para a imundícia, mas para a santificação”.
  • 16. 2Ts 1. 9: “que nos salvou e chamou com uma santa vocação; não segundo as nossas obras, mas segundo o seu próprio propósito e graça que nos foi dada em Cristo Jesus, antes dos tempos dos séculos”. 1Pe 5. 10: “E o Deus de toda a graça, que em Cristo Jesus vos chamou à sua eterna glória, depois de haverdes padecido um pouco, ele mesmo vos aperfeiçoará, confirmará, fortificará e fortalecerá.”. 1Pe 2. 9: “Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz”.
  • 17. Como a igreja pode desempenhar bem o seu papel Nas cartas paulinas temos algumas Igrejas que se destacaram pelo fato do exercício fé da mesma estarem exercendo grande influencia nas pessoas. Era por esse tipo de Igreja que Paulo sentia prazer quando dobrava os seus joelhos para interceder por ela. Paulo sentia prazer, contentamento, gozo expressivo quando intercedia por essa Igreja, pois a mesma estava desempenhado bem o seu papel. Ora, a Igreja sabe e tem consciência que tem uma missão a fazer, a cumprir, ela deve levar a serio tal comprometimento para não colocar em jogo, em menosprezo o nome de Cristo, existem igrejas que mancham o nome de Cristo. Quantas Igrejas não estão espalhando um modo de vida que contraria os princípios da palavra de Deus? Quantas Igrejas não estão deixando de lado a sua verdadeira missão para se envolver com algumas tarefas aqui da terra? E sem falar nos seus lideres que em muitos casos são os causadores das piores heresias que têm maculado o nome de Cristo, lembre-se que, Paulo em Atos. 20 advertiu que nos últimos dias surgiriam dentre o próprio povo de Deus lideres que iriam dizer coisas absurdas e que tais conseguiriam atrair a muitos. Para a Igreja cumprir bem o seu papel, ela precisa entender que Deus já dispôs para a mesma o necessário.
  • 18. Ele concedeu os seus dons através da operação do Espírito Santo em nós, isso nos capacita a fazermos bem o seu trabalho. Quando o Espírito Santo nos capacita, podemos fazer o melhor para Deus. Veja que, Deus usou a Bezaleel e Aoliabe para desempenharem o seu trabalho, eles fizeram a obra com muita perícia, capacidade, por que o Espírito Santo estava neles, Êx. 35.