SlideShare uma empresa Scribd logo
Parque de Ciência e Tecnologia da
Universidade do Porto
7º Encontro de Negócios na Língua Portuguesa
23 de Abril de 2013
BELO HORIZONTE
O PARQUE DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA
UNIVERSIDADE DO PORTO (UPTEC)
COMO INICIATIVA DE ARRANQUE
E DESENVOLVIMENTO DE UMA
INTERPENETRAÇÃO COM
O UNIVERSO EMPRESARIAL
Parque de Ciência e Tecnologia da
Universidade do Porto
A terceira componente da missão da Universidade e a
“ligação universidade-empresa”.
Principal domínio de discussão e de procura de meios para uma efectiva troca
de saberes e competências entre os dois tipos de instituições.
Resultados práticos frequentemente em contraste com tão acentuado debate e
tentativas de desenvolvimento do tema.
Que intervenção da Universidade do Porto neste domínio?
UNIVERSIDADE DO PORTO
A maior Instituição de Ensino Superior em Portugal procura apoiar
uma correta e concreta transferência de conhecimento e de
tecnologia entre a Universidade e o Mercado
999999
Na U.Porto, 4 fatores, considerados centrais e
insubstituíveis, pautaram, desde o início , o delinear da
“ligação universidade-empresa”:
(1) Projetos concretos, criteriosamente delimitados;
(2) Pessoas disponíveis e devidamente habilitadas;
(3) Vantagens mútuas no desenvolvimento das iniciativas
e nos resultados;
(4) Disponibilidade de instalações físicas apropriadas.
22
UM BREVE RESUMO HISTÓRICO (1):
A U.Porto inicia (“acelera”), cerca de 1990, a sua participação institucional no
domínio do empreendedorismo e inovação, integrada em iniciativas já em
curso ou iniciativas em arranque, nas quais interveio como parceira.
No entanto, as intervenções em curso não mobilizaram verdadeiramente
professores e estudantes.
Constituição, em finais da década de 1990, do seu próprio Parque de Ciência e
Tecnologia, delineando uma cadeia de valor do empreendedorismo, que ia
desde a génese da ideia de negócio, passando pelas questões de propriedade
intelectual, registo de patentes e outras necessárias ao primeiro desenvol-
vimento da mesma ideia, pela constituição de “spin offs”, seguidas de pré-
incubação, incubação e aceleração, em instalações próprias, antes da fase de
graduação de uma empresa. Todas estas fases sustentadas em acções de
apoio adequado.
Associação a esta cadeia de valor de outras iniciativas partilhadas no domínio
da inovação.
UM BREVE RESUMO HISTÓRICO (2):
Organização urbanística do “Campus da Asprela”.
É a própria Universidade a desenvolver o plano de urbanização de uma
significativa área de terreno, para a qual apenas existia um estudo preliminar,
realizado na década de 1950, mas que servira para a implantação de novos
edifícios.
Ficou prevista, desde o início deste plano, a construção de instalações para
parque de ciência e tecnologia.
A dinâmica da Universidade era incompatível com a superação de todas as
demoras a que estão sujeitas as diferentes fases, técnicas e burocráticas, que
conduzem à construção de novos edifícios.
Verificou-se, então, a circunstância feliz de a U.Porto poder adquirir um
conjunto de pavilhões pré-fabricados que haviam sido utilizados como estaleiro
da execução de um empreendimento entretanto concluído.
Aí arrancou o UPTEC!
UNIVERSIDADE DO PORTO
*Campus da Asprela (Polo 2 da U.Porto): a maior concentração de
produção científica em Portugal e uma das maiores da Europa
* Fase de arranque do UPTEC
PAVILHÕES PROVISÓRIOS
(cerca de 2 000 m2 de área coberta)
DESENVOLVIMENTO DO UPTEC (1)
Arranque em 2007.
Utilização de cerca de 800 m2 no Pólo do Campo Alegre
(Faculdade de Ciências).
Construção da Incubadora de Base Tecnológica (1.ª fase do
Edifício Central  2007-2011)  5 600 m2.
Adaptação de dois edifícios junto do sector de Jornalismo e
Ciências da Comunicação da U.Porto para acolha de iniciativas
da área das indústrias criativas (Pólo das Indústrias Criativas -
PINC)  cerca de 2 700 m2.
Construção do Centro de Inovação (concluído em Outubro de
2012)  cerca de 1 800 m2.
DESENVOLVIMENTO DO UPTEC (2)
Construção do Edifício Central (a concluir em Agosto de 2013) 
cerca de 14 800 m2, incluindo 6 000 m2 de estacionamento
coberto.
Construção da Incubadora de Base Tecnológica do Pólo do Mar,
em complemento de um pequeno edifício já em exploração pelo
UPTEC  total de cerca de 3 200 m2.
Concluídas estas construções, o UPTEC disporá de cerca de
29 000 m2 de área total coberta (cerca de 13 300 m2 de área
locável a empresas).
Ideia base  Utilização de uma
estratégia de “clustering” e partilha de
recursos e serviços
Organização em 4 pólos:
ESTRATÉGIA/ORGANIZAÇÃO
* Distribuição dos pólos do UPTEC na Cidade do Porto
PÓLOS DO UPTEC
* Primeira fase do Edifício Central do UPTEC
PÓLO TECNOLÓGICO
* Estado atual de construção da 2.ª Fase do Edifício
Central
PÓLO TECNOLÓGICO
PÓLO TECNOLÓGICO
* Centro de Inovação
PÓLO DAS INDÚSTRIAS CRIATIVAS
* Obras em curso no Pólo do Mar
PÓLO DO MAR
Promover a criação de empresas
de base tecnológica e criativa e
atrair centros de inovação
ESTRATÉGIA
ORGANIZAÇÃO (1)
Administrativamente: associação sem fins lucrativos  Univer-
sidade do Porto (largamente dominante quer no fundo social
quer na orientação da ação) + PortusPark (inicialmente Parque
de Ciência e Tecnologia do Porto e presentemente entidade
responsável por uma rede de parques na Região Norte de
Portugal).
Direção constituída por 3 membros, todos ligados à Universidade
do Porto.
ORGANIZAÇÃO (2)
“Staff” muito reduzido (8 pessoas em tempo integral) e versátil,
(responsabilizando-se quer por uma organização
“departamental”, quer, por parte de alguns elementos, pela
direcção de cada pólo).
Economia de meios humanos e gestão contida nos fornecimentos
de serviços são preocupações essenciais numa Instituição que
pretende alcançar e manter uma exploração corrente equilibrada,
considerando que as suas receitas significativas resultam da
própria prestação de serviços às empresas sediadas no Parque.
SERVIÇOS PRESTADOS ÀS EMPRESAS (1)
O UPTEC é um verdadeiro parque de ciência e tecnologia,
pois acolhe:
Promotores de ideias  pré-incubação, ----------
------------incubação, aceleração, graduação.
Empresas maduras de base tecnológica;
Centros de inovação  espaços de -------------------------
----- investigação/desenvolvimento/inovação/trocas
-------- de experiências, utilizados por empresas e ------
--------- universitários..
PROCESSO DE INCUBAÇÃO
SERVIÇOS PRESTADOS ÀS EMPRESAS (2)
Intervenção essencial como entidade facilitadora e aconselha-
dora, sem intervenção no normal funcionamento das empresas,
deixando-lhes toda a liberdade para a evolução que concluam
dever adoptar, aceitando estas, ou não, os conselhos e
experiência colhidos a partir dos apoios recebidos.
Serviços correntes  gestão de acessos, segurança, vigilância,
limpeza, infraestruturas telefónicas e Internet, correio, salas de
reuniões partilhadas, água, electricidade, áreas de lazer, etc.
Instalação gratuita em pré-incubação ( 6 meses), formação (em
particular numa parceria com a Porto Business School) e
empresários, participação em cursos, seminários, workshops,
recurso ao “Gabinete de Desenvolvimento do Produto do
UPTEC”.
FACTORES CONSIDERADOS
DIFERENCIADORES DO UPTEC
(1) Proximidade de instalações (nomeadamente, inserção nos
“campi” universitários) e facilidade de intercâmbio com as
pessoas, laboratórios, serviços, faculdades e institutos de
investigação da U.Porto.
(2) Competência, diligência, e sobretudo carinho, que o “staff” do
UPTEC tem posto ao serviço dos residentes.
(3) Partilha de espaços comuns, de diferente índole, por parte de
empresas, centros de inovação e instituições universitárias,
englobando as mais variadas áreas do saber e da iniciativa
empresarial, criando como que um ecossistema, com inter-
relações muito próximas, cooperantes, frequentemente
complementares, entre todos os intervenientes.
INVESTIMENTO
27 M€ em 5 anos, pretendendo
gerar, em 2020, 350 novas
empresas e 5000 novos
empregos.
RESULTADOS
127
startups
Centros
de
Inovação
Empresas
Graduada
s Projetos
pré-
incubados
*Dados relativos a 2012
STARTUPS E
EMPRESAS
GRADUADAS
CENTROS DE
INOVAÇAO
VOLUME DE
NEGÓCIOS
RECEITA
FISCAL
(2011)
8.3M
168M
4M
50M
RESULTADOS
Das 127 iniciativas indicadas no gráfico
anterior, 65 ( 51 %) correspondem a
empresas da área das Tecnologias da
Informação e Comunicação
RESULTADOS
+ 850 empregos gerados
Recursos humanos altamente qualificados
-----  90% graduados e pós-graduados
Pessoas de 17 nacionalidades
* Dados relativos a 2012
3D
Materiais
Compósitos
Geolocalização
Software (web, mobile)
Gaming
Indústria Automóvel
Saúde
Domótica
Robótica
Eficiência Energética
Polímeros
Telecom
Software Educacional e de
Entretenimento
Vídeo e Audiovisual
Cinema
Marketing e Publicidade
Imprensa
Live Performance Fotografia
Teatro
Comunicação
Arquitetura
Design
Energia das
Ondas e das
Marés
Transformação
Transporte
Náutica de Recreio
Oil&Gas
Biologia Marinha
Portuária
Ambiente
Turismo
Aquacultura
Recursos Naturais
Reparação Naval
Construção
Logística Marinha
Pesca
Proteção Costeira
Pecuária
Cosmética
Ambiente Biologia
Saúde
Veterinária
Indústria Alimentar Pecuária
Farmacêutica
19 EMPRESAS PREMIADAS EM 2012
O Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto (UPTEC) foi reconhecido como
vencedor do Prémio Europeu RegioStars 2013, na categoria “Crescimento Inteligente”.
UPTEC – VENCEDOR REGIOSTARS
Prémio destaca:
• valorização do conhecimento produzido pela Universidade
do Porto, através da promoção do empreendedorismo
tecnológico e da criação de centros de inovação de
empresas nacionais e internacionais;
• boas práticas de desenvolvimento
regional e urbano.
O Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto (UPTEC) foi considerado uma das 5
melhores incubadoras/aceleradoras da Europa nos Prémios London Web Summit People's
Choice.
UPTEC – PRÉMIO WEB SUMMIT
VISÃO
Ser, em 2020, um Parque de
Ciência e Tecnologia
reconhecido a nível mundial,
capaz de colaborar eficazmente
no reinventar da economia
Portuguesa
Obrigado!

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto

Portfólio Empresas UPTEC 2013
Portfólio Empresas UPTEC 2013Portfólio Empresas UPTEC 2013
Portfólio Empresas UPTEC 2013UPTEC
 
Portfólio Empresas UPTEC 2014
Portfólio Empresas UPTEC 2014Portfólio Empresas UPTEC 2014
Portfólio Empresas UPTEC 2014UPTEC
 
Interação Universidade, Empresa e Governo
Interação Universidade, Empresa e GovernoInteração Universidade, Empresa e Governo
Interação Universidade, Empresa e GovernoRoberto Moschetta
 
INOVA UPS 2011_Carlos Alberto
INOVA UPS 2011_Carlos AlbertoINOVA UPS 2011_Carlos Alberto
INOVA UPS 2011_Carlos AlbertoNIT Rio
 
Parque tecnologico de Anápolis
Parque tecnologico de AnápolisParque tecnologico de Anápolis
Parque tecnologico de Anápolisfabrizioribeiro
 
Apresentação Jorge Nicolas Audy | OIS 2011 | Painel: Inovação para o desenvol...
Apresentação Jorge Nicolas Audy | OIS 2011 | Painel: Inovação para o desenvol...Apresentação Jorge Nicolas Audy | OIS 2011 | Painel: Inovação para o desenvol...
Apresentação Jorge Nicolas Audy | OIS 2011 | Painel: Inovação para o desenvol...Allagi Open Innovation Services
 
Parque tecnologico 10_03_2017
Parque tecnologico 10_03_2017Parque tecnologico 10_03_2017
Parque tecnologico 10_03_2017Fernando Padilha
 
A Pesquisa em Engenharia de Produção na Universidade: Uma Proposta Metodológi...
A Pesquisa em Engenharia de Produção na Universidade: Uma Proposta Metodológi...A Pesquisa em Engenharia de Produção na Universidade: Uma Proposta Metodológi...
A Pesquisa em Engenharia de Produção na Universidade: Uma Proposta Metodológi...Universidade Salgado de Oliveira
 
SISTEMA PARA GESTÃO DO CONHECIMENTO EM P&D APLICADO AOS PÓLOS DE INOVAÇÃO TEC...
SISTEMA PARA GESTÃO DO CONHECIMENTO EM P&D APLICADO AOS PÓLOS DE INOVAÇÃO TEC...SISTEMA PARA GESTÃO DO CONHECIMENTO EM P&D APLICADO AOS PÓLOS DE INOVAÇÃO TEC...
SISTEMA PARA GESTÃO DO CONHECIMENTO EM P&D APLICADO AOS PÓLOS DE INOVAÇÃO TEC...Carlos Fernando Jung
 
Oportunidade para Empresas Inovadoras
Oportunidade para Empresas InovadorasOportunidade para Empresas Inovadoras
Oportunidade para Empresas InovadorasInventta
 
INOVA UPs 2011_Marcelo Albuquerque
INOVA UPs 2011_Marcelo AlbuquerqueINOVA UPs 2011_Marcelo Albuquerque
INOVA UPs 2011_Marcelo AlbuquerqueNIT Rio
 

Semelhante a Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto (20)

Portfólio Empresas UPTEC 2013
Portfólio Empresas UPTEC 2013Portfólio Empresas UPTEC 2013
Portfólio Empresas UPTEC 2013
 
Portfólio Empresas UPTEC 2014
Portfólio Empresas UPTEC 2014Portfólio Empresas UPTEC 2014
Portfólio Empresas UPTEC 2014
 
Rede de Inovação e Empreendedorismo da PUCRS - INOVAPUC (foco TECNOPUC)
Rede de Inovação e Empreendedorismo da PUCRS - INOVAPUC (foco TECNOPUC)Rede de Inovação e Empreendedorismo da PUCRS - INOVAPUC (foco TECNOPUC)
Rede de Inovação e Empreendedorismo da PUCRS - INOVAPUC (foco TECNOPUC)
 
Interação Universidade, Empresa e Governo
Interação Universidade, Empresa e GovernoInteração Universidade, Empresa e Governo
Interação Universidade, Empresa e Governo
 
Ecossistema de Inovação
Ecossistema de InovaçãoEcossistema de Inovação
Ecossistema de Inovação
 
Apresentação TECNOPUC
Apresentação TECNOPUCApresentação TECNOPUC
Apresentação TECNOPUC
 
INOVA UPS 2011_Carlos Alberto
INOVA UPS 2011_Carlos AlbertoINOVA UPS 2011_Carlos Alberto
INOVA UPS 2011_Carlos Alberto
 
Parque tecnologico de Anápolis
Parque tecnologico de AnápolisParque tecnologico de Anápolis
Parque tecnologico de Anápolis
 
Uberaba em Dados - 7/7 - Uberaba, Cidade Tecnológica
Uberaba em Dados - 7/7 - Uberaba, Cidade TecnológicaUberaba em Dados - 7/7 - Uberaba, Cidade Tecnológica
Uberaba em Dados - 7/7 - Uberaba, Cidade Tecnológica
 
Apresentação Jorge Nicolas Audy | OIS 2011 | Painel: Inovação para o desenvol...
Apresentação Jorge Nicolas Audy | OIS 2011 | Painel: Inovação para o desenvol...Apresentação Jorge Nicolas Audy | OIS 2011 | Painel: Inovação para o desenvol...
Apresentação Jorge Nicolas Audy | OIS 2011 | Painel: Inovação para o desenvol...
 
TECNOPUC
TECNOPUC TECNOPUC
TECNOPUC
 
Brasiltec out/2005
Brasiltec out/2005Brasiltec out/2005
Brasiltec out/2005
 
Brasiltec 10 05
Brasiltec 10 05Brasiltec 10 05
Brasiltec 10 05
 
Parque tecnologico 10_03_2017
Parque tecnologico 10_03_2017Parque tecnologico 10_03_2017
Parque tecnologico 10_03_2017
 
A Pesquisa em Engenharia de Produção na Universidade: Uma Proposta Metodológi...
A Pesquisa em Engenharia de Produção na Universidade: Uma Proposta Metodológi...A Pesquisa em Engenharia de Produção na Universidade: Uma Proposta Metodológi...
A Pesquisa em Engenharia de Produção na Universidade: Uma Proposta Metodológi...
 
SISTEMA PARA GESTÃO DO CONHECIMENTO EM P&D APLICADO AOS PÓLOS DE INOVAÇÃO TEC...
SISTEMA PARA GESTÃO DO CONHECIMENTO EM P&D APLICADO AOS PÓLOS DE INOVAÇÃO TEC...SISTEMA PARA GESTÃO DO CONHECIMENTO EM P&D APLICADO AOS PÓLOS DE INOVAÇÃO TEC...
SISTEMA PARA GESTÃO DO CONHECIMENTO EM P&D APLICADO AOS PÓLOS DE INOVAÇÃO TEC...
 
Oportunidade para Empresas Inovadoras
Oportunidade para Empresas InovadorasOportunidade para Empresas Inovadoras
Oportunidade para Empresas Inovadoras
 
Profa. dra. geciane_porto
Profa. dra. geciane_portoProfa. dra. geciane_porto
Profa. dra. geciane_porto
 
INOVA UPs 2011_Marcelo Albuquerque
INOVA UPs 2011_Marcelo AlbuquerqueINOVA UPs 2011_Marcelo Albuquerque
INOVA UPs 2011_Marcelo Albuquerque
 
Ricardo Migueis GPPQ FCT
Ricardo Migueis GPPQ FCTRicardo Migueis GPPQ FCT
Ricardo Migueis GPPQ FCT
 

Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto

  • 1. Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto 7º Encontro de Negócios na Língua Portuguesa 23 de Abril de 2013 BELO HORIZONTE
  • 2. O PARQUE DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA UNIVERSIDADE DO PORTO (UPTEC) COMO INICIATIVA DE ARRANQUE E DESENVOLVIMENTO DE UMA INTERPENETRAÇÃO COM O UNIVERSO EMPRESARIAL
  • 3. Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto A terceira componente da missão da Universidade e a “ligação universidade-empresa”. Principal domínio de discussão e de procura de meios para uma efectiva troca de saberes e competências entre os dois tipos de instituições. Resultados práticos frequentemente em contraste com tão acentuado debate e tentativas de desenvolvimento do tema. Que intervenção da Universidade do Porto neste domínio?
  • 4. UNIVERSIDADE DO PORTO A maior Instituição de Ensino Superior em Portugal procura apoiar uma correta e concreta transferência de conhecimento e de tecnologia entre a Universidade e o Mercado
  • 5. 999999 Na U.Porto, 4 fatores, considerados centrais e insubstituíveis, pautaram, desde o início , o delinear da “ligação universidade-empresa”: (1) Projetos concretos, criteriosamente delimitados; (2) Pessoas disponíveis e devidamente habilitadas; (3) Vantagens mútuas no desenvolvimento das iniciativas e nos resultados; (4) Disponibilidade de instalações físicas apropriadas.
  • 6. 22 UM BREVE RESUMO HISTÓRICO (1): A U.Porto inicia (“acelera”), cerca de 1990, a sua participação institucional no domínio do empreendedorismo e inovação, integrada em iniciativas já em curso ou iniciativas em arranque, nas quais interveio como parceira. No entanto, as intervenções em curso não mobilizaram verdadeiramente professores e estudantes. Constituição, em finais da década de 1990, do seu próprio Parque de Ciência e Tecnologia, delineando uma cadeia de valor do empreendedorismo, que ia desde a génese da ideia de negócio, passando pelas questões de propriedade intelectual, registo de patentes e outras necessárias ao primeiro desenvol- vimento da mesma ideia, pela constituição de “spin offs”, seguidas de pré- incubação, incubação e aceleração, em instalações próprias, antes da fase de graduação de uma empresa. Todas estas fases sustentadas em acções de apoio adequado. Associação a esta cadeia de valor de outras iniciativas partilhadas no domínio da inovação.
  • 7. UM BREVE RESUMO HISTÓRICO (2): Organização urbanística do “Campus da Asprela”. É a própria Universidade a desenvolver o plano de urbanização de uma significativa área de terreno, para a qual apenas existia um estudo preliminar, realizado na década de 1950, mas que servira para a implantação de novos edifícios. Ficou prevista, desde o início deste plano, a construção de instalações para parque de ciência e tecnologia. A dinâmica da Universidade era incompatível com a superação de todas as demoras a que estão sujeitas as diferentes fases, técnicas e burocráticas, que conduzem à construção de novos edifícios. Verificou-se, então, a circunstância feliz de a U.Porto poder adquirir um conjunto de pavilhões pré-fabricados que haviam sido utilizados como estaleiro da execução de um empreendimento entretanto concluído. Aí arrancou o UPTEC!
  • 8. UNIVERSIDADE DO PORTO *Campus da Asprela (Polo 2 da U.Porto): a maior concentração de produção científica em Portugal e uma das maiores da Europa
  • 9. * Fase de arranque do UPTEC PAVILHÕES PROVISÓRIOS (cerca de 2 000 m2 de área coberta)
  • 10. DESENVOLVIMENTO DO UPTEC (1) Arranque em 2007. Utilização de cerca de 800 m2 no Pólo do Campo Alegre (Faculdade de Ciências). Construção da Incubadora de Base Tecnológica (1.ª fase do Edifício Central  2007-2011)  5 600 m2. Adaptação de dois edifícios junto do sector de Jornalismo e Ciências da Comunicação da U.Porto para acolha de iniciativas da área das indústrias criativas (Pólo das Indústrias Criativas - PINC)  cerca de 2 700 m2. Construção do Centro de Inovação (concluído em Outubro de 2012)  cerca de 1 800 m2.
  • 11. DESENVOLVIMENTO DO UPTEC (2) Construção do Edifício Central (a concluir em Agosto de 2013)  cerca de 14 800 m2, incluindo 6 000 m2 de estacionamento coberto. Construção da Incubadora de Base Tecnológica do Pólo do Mar, em complemento de um pequeno edifício já em exploração pelo UPTEC  total de cerca de 3 200 m2. Concluídas estas construções, o UPTEC disporá de cerca de 29 000 m2 de área total coberta (cerca de 13 300 m2 de área locável a empresas).
  • 12. Ideia base  Utilização de uma estratégia de “clustering” e partilha de recursos e serviços Organização em 4 pólos: ESTRATÉGIA/ORGANIZAÇÃO
  • 13. * Distribuição dos pólos do UPTEC na Cidade do Porto PÓLOS DO UPTEC
  • 14. * Primeira fase do Edifício Central do UPTEC PÓLO TECNOLÓGICO
  • 15. * Estado atual de construção da 2.ª Fase do Edifício Central PÓLO TECNOLÓGICO
  • 18. * Obras em curso no Pólo do Mar PÓLO DO MAR
  • 19.
  • 20. Promover a criação de empresas de base tecnológica e criativa e atrair centros de inovação ESTRATÉGIA
  • 21. ORGANIZAÇÃO (1) Administrativamente: associação sem fins lucrativos  Univer- sidade do Porto (largamente dominante quer no fundo social quer na orientação da ação) + PortusPark (inicialmente Parque de Ciência e Tecnologia do Porto e presentemente entidade responsável por uma rede de parques na Região Norte de Portugal). Direção constituída por 3 membros, todos ligados à Universidade do Porto.
  • 22. ORGANIZAÇÃO (2) “Staff” muito reduzido (8 pessoas em tempo integral) e versátil, (responsabilizando-se quer por uma organização “departamental”, quer, por parte de alguns elementos, pela direcção de cada pólo). Economia de meios humanos e gestão contida nos fornecimentos de serviços são preocupações essenciais numa Instituição que pretende alcançar e manter uma exploração corrente equilibrada, considerando que as suas receitas significativas resultam da própria prestação de serviços às empresas sediadas no Parque.
  • 23. SERVIÇOS PRESTADOS ÀS EMPRESAS (1) O UPTEC é um verdadeiro parque de ciência e tecnologia, pois acolhe: Promotores de ideias  pré-incubação, ---------- ------------incubação, aceleração, graduação. Empresas maduras de base tecnológica; Centros de inovação  espaços de ------------------------- ----- investigação/desenvolvimento/inovação/trocas -------- de experiências, utilizados por empresas e ------ --------- universitários..
  • 25. SERVIÇOS PRESTADOS ÀS EMPRESAS (2) Intervenção essencial como entidade facilitadora e aconselha- dora, sem intervenção no normal funcionamento das empresas, deixando-lhes toda a liberdade para a evolução que concluam dever adoptar, aceitando estas, ou não, os conselhos e experiência colhidos a partir dos apoios recebidos. Serviços correntes  gestão de acessos, segurança, vigilância, limpeza, infraestruturas telefónicas e Internet, correio, salas de reuniões partilhadas, água, electricidade, áreas de lazer, etc. Instalação gratuita em pré-incubação ( 6 meses), formação (em particular numa parceria com a Porto Business School) e empresários, participação em cursos, seminários, workshops, recurso ao “Gabinete de Desenvolvimento do Produto do UPTEC”.
  • 26. FACTORES CONSIDERADOS DIFERENCIADORES DO UPTEC (1) Proximidade de instalações (nomeadamente, inserção nos “campi” universitários) e facilidade de intercâmbio com as pessoas, laboratórios, serviços, faculdades e institutos de investigação da U.Porto. (2) Competência, diligência, e sobretudo carinho, que o “staff” do UPTEC tem posto ao serviço dos residentes. (3) Partilha de espaços comuns, de diferente índole, por parte de empresas, centros de inovação e instituições universitárias, englobando as mais variadas áreas do saber e da iniciativa empresarial, criando como que um ecossistema, com inter- relações muito próximas, cooperantes, frequentemente complementares, entre todos os intervenientes.
  • 27. INVESTIMENTO 27 M€ em 5 anos, pretendendo gerar, em 2020, 350 novas empresas e 5000 novos empregos.
  • 28. RESULTADOS 127 startups Centros de Inovação Empresas Graduada s Projetos pré- incubados *Dados relativos a 2012 STARTUPS E EMPRESAS GRADUADAS CENTROS DE INOVAÇAO VOLUME DE NEGÓCIOS RECEITA FISCAL (2011) 8.3M 168M 4M 50M
  • 29. RESULTADOS Das 127 iniciativas indicadas no gráfico anterior, 65 ( 51 %) correspondem a empresas da área das Tecnologias da Informação e Comunicação
  • 30. RESULTADOS + 850 empregos gerados Recursos humanos altamente qualificados -----  90% graduados e pós-graduados Pessoas de 17 nacionalidades * Dados relativos a 2012
  • 31. 3D Materiais Compósitos Geolocalização Software (web, mobile) Gaming Indústria Automóvel Saúde Domótica Robótica Eficiência Energética Polímeros Telecom
  • 32. Software Educacional e de Entretenimento Vídeo e Audiovisual Cinema Marketing e Publicidade Imprensa Live Performance Fotografia Teatro Comunicação Arquitetura Design
  • 33. Energia das Ondas e das Marés Transformação Transporte Náutica de Recreio Oil&Gas Biologia Marinha Portuária Ambiente Turismo Aquacultura Recursos Naturais Reparação Naval Construção Logística Marinha Pesca Proteção Costeira
  • 36. O Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto (UPTEC) foi reconhecido como vencedor do Prémio Europeu RegioStars 2013, na categoria “Crescimento Inteligente”. UPTEC – VENCEDOR REGIOSTARS Prémio destaca: • valorização do conhecimento produzido pela Universidade do Porto, através da promoção do empreendedorismo tecnológico e da criação de centros de inovação de empresas nacionais e internacionais; • boas práticas de desenvolvimento regional e urbano. O Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto (UPTEC) foi considerado uma das 5 melhores incubadoras/aceleradoras da Europa nos Prémios London Web Summit People's Choice. UPTEC – PRÉMIO WEB SUMMIT
  • 37. VISÃO Ser, em 2020, um Parque de Ciência e Tecnologia reconhecido a nível mundial, capaz de colaborar eficazmente no reinventar da economia Portuguesa