BEATO JOÃO PAULO II

4.609 visualizações

Publicada em

PAPA JOÃO PAULO II
História pessoal, Sacerdócio, Bispo e cardeal, Eleição para o papado, Brasão e lema, Pontificado, Diálogo inter-religioso, A URI e a Teosofia, Anglicanismo, Luteranismo, Judaísmo, Igreja Ortodoxa, Budismo, Islã, Diálogo com os jovens, Oração pelas almas dos mortos, Diplomacia, Papel na queda do comunismo, Visitas papais, Visitas ao Brasil, Frei Galvão, Amabile Lucia Visintainer(Santa Paulina do Coração Agonizante de Jesus), Jornada Mundial da Juventude, Documentos Pontifícios, Tentativa de assassinato do Papa João Paulo II, Saúde, Os últimos dias de João Paulo II, morte e funeral, Funeral do Papa João Paulo II, Documentos pontifícios de João Paulo II, Beatificação, Canonização, Homenagens a João Paulo II, Postulador da canonização de JPII fala sobre andamento do processo, Leia relato da freira cuja cura de Parkinson foi atribuída ao papa, Conclave de agosto de 1978, Papa João Paulo I, Conclave de outubro de 1978, Wadowice, Beato João Paulo II em imagens

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.609
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
41
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

BEATO JOÃO PAULO II

  1. 1. PAPA JOÃO PAULO IIBEATO JOÃO PAULO II 262º PAPABeato João Paulo II em 2004Totus tuusNome denascimentoKarol Józef WojtyłaNascimento 18 de maio de 1920Wadowice, Pequena PolóniaPolónia
  2. 2. Eleição 16 de Outubro de 1978Entronização 22 de Outubro de 1978Fim dopontificado2 de Abril de 2005 (27 anos)Morte 2 de Abril de 2005 (84 anos)VaticanoAntecessor João Paulo ISucessor Bento XVIAssinaturaListas dos papas: cronológica · alfabéticaVeneraçãoporIgreja CatólicaBeatificação 1 de maio de 2011, Cidade doVaticano por Papa Bento XVIFestalitúrgica22 de outubroPadroeiro Co-patrono da Jornada Mundial daJuventude, dos jovensPortal dos SantosBeato Papa João Paulo II (em latim: Ioannes Paulus PP. II,em italiano: Giovanni Paolo II, em polaco: Jan Paweł II, nascido Karol JózefWojtyła, 18 de Maio de 1920 – 2 de Abril de 2005) foi o papa e líder mundialda Igreja Católica Apostólica Romana e Soberano da Cidade do Vaticano de 16de Outubro de 1978 até a sua morte. Teve o terceiro maior pontificadodocumentado da história; depois dos papas São Pedro, que reinou trinta e quatroanos, e Papa Pio IX, que reinou por trinta e um anos. Foi o únicoPapa eslavo e polaco até a sua morte, e o primeiro Papa não-italiano desdeo holandês Papa Adriano VI em 1522.
  3. 3. João Paulo II foi aclamado como um dos líderes mais influentes do séculoXX. Teve um papel fundamental para o fim do comunismo na Polónia e talvez emtoda a Europa, bem como significante na melhora das relações da Igreja Católicacom o judaísmo, Islã, Igreja Ortodoxa, religiões orientais e a ComunhãoAnglicana. Apesar de ter sido criticado por sua oposição à contracepção ea ordenação de mulheres, bem como o apoio ao Concílio Vaticano II e suareforma das missas, também foi elogiado.Foi um dos líderes que mais viajaram na história, tendo visitado 129 paísesdurante o seu pontificado. Sabia se expressar nos seguintesidiomas:italiano, francês, alemão, inglês, espanhol, português, ucraniano, russo, servo-croata, esperanto, grego clássico e latim, além do polaco, sua língua nativa.Como parte de sua ênfase especial na vocação universal à santidade, beatificou1340 pessoas e canonizou 483 santos, quantidade maior que todos os seuspredecessores juntos pelos cinco séculos passados. Em 2 de abril de 2005,faleceu devido a sua saúde débil e o agravamento da doença de Parkinson. Em19 de Dezembro de 2009 João Paulo II foi proclamado "Venerável" pelo seusucessor papal, o Papa Bento XVI. Foi proclamado Beato em 1 de Maio de 2011pelo Papa Bento XVI na Praça de São Pedro no Vaticano.História pessoalKarol Józef Wojtyła ( pronunciação polaca ) nasceu em Wadowice, umapequena localidade ao sul da Polónia, a 50 quilómetros de Cracóvia; o mais novodos três filhos de Karol Wojtyła, um polonês e de Emilia Kaczorowska, que édescrita como tendo ascendência lituana e, possivelmente, ucraniana. Emíliamorreu em 13 de abril de 1929, quando Karol tinha apenas 8 anos de idade. Suairmã mais velha, Olga, já tinha morrido antes de seu nascimento, e ele ficou muitopróximo de seu irmão Edmund, que era 14 anos mais velho e era chamadodeMundek. O seu trabalho como médico eventualmente o levaria à mortepor escarlatina, o que deixou Karol muito abalado.Ainda garoto, Karol demonstrou interesse pelos esportes, geralmentejogando futebol na posição de goleiro. Durante a sua adolescência, ele travoucontato com a grande comunidade judaica de Wadowice e os jogos de futeboleram disputados entre os times de judeus e católicos, com Wojtyła muitas vezesjogando ao lado dos judeus.Em meados de 1938, Karol e seu pai deixaram Wadowice e se mudarampara Cracóvia, onde ele se matriculou na Universidade Jaguelônica. Enquanto elese dedicava ao estudo de tópicos como filologia e diversas línguas na
  4. 4. universidade, Karol também se prontificou como voluntário na biblioteca, além deter sido obrigado a participar no alistamento obrigatório, servindo na chamada"Legião Acadêmica". Contudo, ele se recusou a atirar. Ele ainda participou dediversos grupos teatrais, atuando principalmente como dramaturgo. Foi nestaépoca que o seu talento para as línguas floresceu e ele aprendeu 12 línguasdiferentes, nove das quais ele usaria extensivamente no futuro como papa.Em 1939, as forças de ocupação da Alemanha Nazista fecharam aUniversidade Jaguelônica após a invasão da Polônia no início da Segunda GuerraMundial. Todos os homens capazes foram obrigados a trabalhar e assim, de1940 até 1944, Karol trabalhou em empregos tão diversos como mensageiro paraum restaurante, operário numa mina de calcário e para a indústriaquímica Solvay, tudo isso para evitar ser deportado para a Alemanha. Seu pai,um suboficial no Exército da Polônia, morreu de ataque cardíaco em 1941,deixando Karol como o último sobrevivente de seu grupo familiar imediato. "Eunão estive presente na morte de minha mãe, nem na do meu irmão e nem na domeu pai", ele disse, refletindo sobre esta época de sua vida, quase quarenta anosdepois, "Aos vinte, eu já tinha perdido todos os que amava".Após a morte de seu pai, ele começou a considerar seriamente a ideiado sacerdócio. Em outubro de 1942, ele bateu às portas do palácio arcebispal deCracóvia e pediu para estudar. Logo em seguida ele começou a ter aulasno seminário clandestino comandado pelo arcebispo de Cracóvia, Adam StefanSapieha.Em 29 de fevereiro de 1944, Karol foi atropelado por um caminhão daWehrmacht. O oficial alemão da Wehrmacht cuidou dele o enviou para umhospital, onde Karol passou duas semanas se recuperando deuma concussão séria e um ferimento nos ombros. Para ele, o acidente e a suasobrevivência foram a confirmação de sua vocação. Em 6 de agosto de 1944, ochamado "Domingo Negro", a Gestapojuntou os homens de Cracóvia para evitaruma rebelião similar à anterior, ocorrida em Varsóvia. Karol escapou seescondendo no porão da casa de um tio na rua Tyniecka, número 10, enquantoas tropas alemãs vasculhavam os andares superiores. Mais de oito mil homens erapazes foram levados presos naquele dia, mas Karol conseguiu depois escaparpara o palácio do arcebispo, onde ele permaneceria até a retirada dos alemães.Na noite de 17 de janeiro de 1945, os alemães fugiram da cidade e osestudantes puderam retomar o então arruinado seminário. Karol e outrosseminaristas ofereceram-se para limpar pilhas de imundíces congeladas que seacumularam nas latrinas. Karol também ajudou uma garota judia de 14 anoschamada Edith Zierer, que tinha fugido de um campo de trabalho alemãoem Częstochowa. Edith havia desmaiado na plataforma de trens e Karol acarregou e ficou com ela durante toda a viagem até Cracóvia. Ela afirma que
  5. 5. Karol salvou-lhe a vida naquele dia. A organização judaica Bnai Brith afirma queKarol ajudou a proteger muitos outros judeus poloneses dos nazistas, além de terpriorizado a amizade com os judeus.Após a guerra, enquanto vivia em Cracóvia, Karol envolveu-se em umaperseguição de motocicletas em alta velocidade, escapando por pouco da políciapolonesa.SacerdócioAo terminar os estudos no seminário de Cracóvia, Karol foi ordenado padreem 1 de novembro de 1946, Dia de Todos os Santos, pelo seu protetor, oarcebispo de Cracóvia Adam Sapieha. Ele então foi estudar Teologia em Roma,na Pontifícia Universidade Santo Tomás de Aquino, onde ele conseguiu a sualicenciatura e, posteriormente, o doutorado em Teologia (o primeiro), com atese A Doutrina da Fé segundo São João da Cruz.Retornou para a Polônia no verão de 1948 com sua primeira tarefa pastoralna vila de Niegowić, a 24 km de Cracóvia. Chegou à vila na época da colheita e asua primeira ação foi se ajoelhar e beijar o chão. Este gesto, que ele adaptou dosanto francês Jean Marie Baptiste Vianney. tornar-se-ia sua "marca registrada"durante o seu papado.Em março de 1949, Karol foi transferido para a paróquia de São Floriano,em Cracóvia. Ele lecionou Ética na Universidade Jaguelônica e,posteriormente, Universidade Católica de Lublin (hoje rebatizada em suahomenagem). Enquanto lecionava, juntou um grupo de aproximadamente 20Emilia e Karol Wojtyla, pais do Beato João Paulo II
  6. 6. jovens à sua volta que passaram a se chamar de Rodzinka, a "pequena família".Eles se encontravam para rezar, para discutir filosofia e para ajudar os cegos e osdoentes. O grupo eventualmente cresceria até ter aproximadamente 200 pessoase suas atividades se expandiram para incluir viagens anuais para esquiar e paraandar de caiaque.Em 1954 Karol Wojtyła obteve o seu segundo doutorado, em Filosofia,com uma tese avaliando a viabilidade de uma ética católica baseada no sistemaético do fenomenologista Max Scheler. Porém, a intervenção das autoridadescomunistas impediu que ele recebesse o grau até 1957.Durante este período, Wojtyła escreveu uma série de artigos no jornalcatólico de Cracóvia, Tygodnik Powszechny ("Semanal Universal"), que tratavacom os assuntos importantes na época para a Igreja. Ele se focou em criar umaobra literária original durante os primeiros doze anos do sacerdócio. A guerra, avida sob o comunismo e suas responsabilidades pastorais foram inspiração paraas suas peças e sua poesia. Karol publicou trabalhos se utilizando dedois pseudônimos - Andrzej Jawień e Stanisław Andrzej Gruda - para distinguirsua literatura de suas obras religiosas (que eram publicadas sob seu nome) etambém para que elas fossem consideradas por seus próprios méritos. Em 1960,Karol publicou o influente livro teológico Love and Responsibility ("Amor eResponsabilidade"), uma defesa dos ensinamentos tradicionais da Igreja sobre ocasamento a partir de um ponto de vista filosófico novo.Bispo e cardealEm 4 de julho de 1958, enquanto Karol estava em férias, andando decaiaque nos lagos da região norte da Polônia, o papa Pio XII o elevou à posiçãode bispo-auxiliar de Cracóvia. Ele foi então convocado a Varsóvia para seencontrar com o primaz da Polônia, o cardeal Wyszyński, que o informou de suanova função. Ele concordou em servir como bispo auxiliar juntoao arcebispo Eugeniusz Baziak e ele foi ordenado ao episcopado (como bispotitular de Ombi) em 28 de setembro de 1958. O arcebispo Baziak foi o principalconsagrador. Os então bispos auxiliares Boleslaw Kominek (futuro cardeal-arcebispo de Wroclaw) e Franciszek Jop (futuro bispo de Opole) foram osprincipais co-consagradores. Com a idade de 38 anos, Karol se tornara o maisjovem bispo da Polônia. O arcebispo Bakiak viria a morrer em junho de 1962 e,em 16 de julho, Karol Wojtyła foi escolhido como vigário capitular (administradortemporário) da arquidiocese até que um novo arcebispo pudesse ser escolhido.
  7. 7. Em outubro de 1962, Karol participou do Concílio Vaticano II (1962-1965),no qual ele contribuiu com dois dos mais importantes e históricos resultadosdo concílio, o "Decreto sobre a Liberdade Religiosa" (em latim: DignitatisHumanae) e a "Constituição Pastoral da Igreja no Mundo Moderno" (Gaudium etSpes).Ele também participou de todas as reuniões do Sínodo dos Bispos. Em 13de janeiro de 1964, o papa Paulo VI o elevou a arcebispo da Cracóvia. Em 26 dejunho de 1967, Paulo VI anunciou a promoção do arcebispo Karol Wojtyłaao Colégio de Cardeais. Wojtyła foi nomeado cardeal-padre do titulus de SanCesareo in Palatio.Em 1967, ele foi importante na formulação da encíclica Humanae Vitae,que trata das mesmas questões que impedem o aborto e o controle denatalidade por meios não-naturais. Em 1970, de acordo com uma testemunhacontemporânea, o cardeal Wojtyła foi contra a distribuição de uma carta nasredondezas de Cracóvia afirmando que o episcopado polonês estava sepreparando para comemorar os cinquenta anos da Guerra Soviético-Polonesa (lembrando que a Polônia estava então sob jugo soviético).Eleição para o papadoEm agosto de 1978, após a morte de papa Paulo VI, o Cardeal Wojtyłavotou no conclave papal que elegeu papa João Paulo I, que aos 65 anos foiconsiderado jovem pelos padrões papais. João Paulo I morreu após somente 33dias como Papa, precipitando assim um outro conclave.O recém-eleito Papa João Paulo II na varanda.
  8. 8. O segundo conclave de 1978 começou em 14 de outubro, dez dias após ofuneral do papa João Paulo I. Foi dividido entre dois fortes candidatos aopapado: Cardeal Giuseppe Siri, o conservadorArcebispo de Gênova, eo liberal Arcebispo de Florença, Cardeal Giovanni Benelli, um colaboradorpróximo de João Paulo I.Os defensores da Benelli estavam confiantes de que ele seria eleito, e noinício da votação, Benelli estava com nove votos. Entretanto, a magnitude daoposição a ambos significava que possivelmente nenhum deles receberia osvotos necessários para ser eleito, e o Cardeal Franz König, Arcebispo de Viena,individualmente sugeriu a seus colegas eleitores um candidato de compromisso:o Cardeal polonês, Karol Józef Wojtyła. finalmente ganhou a eleição na oitavavotação no segundo dia, de acordo com a imprensa italiana, com 99 votos dos111 eleitores participantes. Em seguida, ele escolheu o nome de João Paulo IIem homenagem ao seu antecessor, e a tradicional fumaça branca informou amultidão reunida na Praça de São Pedro, que um papa havia sido escolhido. Eleaceitou sua eleição com essas palavras: ‘Com obediência na fé em Cristo, meuSenhor, e com confiança na Mãe de Cristo e da Igreja, apesar das grandesdificuldades, eu aceito.’ Quando o novo pontífice apareceu na varanda, elequebrou a tradição, dizendo a multidão reunida:“ Queridos irmãos e irmãs, todos estamos ainda tristes com a morte doquerido papa João Paulo I. E agora os eminentíssimos Cardeaischamaram um novo Bispo de Roma. Chamaram-no de um país distante…Distante, mas sempre muito próximo pela comunhão na fé e na tradiçãocristã. Tive medo ao receber esta nomeação, mas o fiz com espírito deobediência a Nosso Senhor e com a confiança total na sua Mãe, a VirgemSantíssima. Não sei se posso expressar-me bem na vossa... na nossalíngua italiana. Se eu cometer um erro, por favor ‘korrijam’ [sic] me... ”Wojtyła tornou-se o 262 º papa de acordo com a ordem cronológica listados Papas e o primeiro papa não-italiano em 455 anos. Com apenas 58 anos deidade, ele foi o mais jovem papa eleito desde Pio IX em 1846, que tinha 54 anos.Assim como seu antecessor imediato, João Paulo II dispensou atraditional coroação papal e, em vez disso, recebeu a investidura eclesiástica quesimplificou acerimônia de posse papal, em 23 de outubro de 1978. Durante a suaposse, quando os cardeais estavam a ajoelhar-se diante dele para tomar seusvotos e beijar o Anel do Pescador, ele levantou-se quando o preladopolonês, Cardeal Stefan Wyszyński, ajoelhou-se, interrompeu-o e simplesmentedeu-lhe um abraço.
  9. 9. Brasão e lemaO brasão de João Paulo II foi criado por Bruno Bernard Heim.Descrição: Escudo eclesiástico. Campo de azul, com uma cruzlatina de jalde adestrada acompanhada de uma letra "M" do mesmo, no cantãodextro da ponta O escudo está assente em tarja branca. O conjunto pousadosobre duas chaves "decussadas", a primeira de jalde e a segunda de argente,atadas por um cordão de goles, com os seus pingentes. Timbre: a tiara papal deargente com três coroas de jalde. Sob o escudo, um listel de blau com o mote:"TOTVS TVVS", em letras de jalde. Quando são postos suportes, estes são doisanjos de carnação, sustentando cada um, na mão livre, uma cruz trevolada tripla,de jalde.Interpretação: O escudo obedece às regras heráldicas para oseclesiásticos. O campo de blau representa o firmamento celeste e ainda o mantode Nossa Senhora, sendo que este esmalte significa: justiça, serenidade,fortaleza, boa fama e nobreza. A cruz é o instrumento da salvação de todosos homens e representa Jesus Cristo e, sendo de jalde (ouro), simboliza: nobreza,autoridade, premência, generosidade, ardor e descortínio. A letra "M" representaa Virgem Maria, que segundo a doutrina católica seria a principal intercessorado gênero humano, e esteve todo o tempo junto à cruz de seu Filho (Jo 19,25),sendo de jalde (ouro), tem o significado já descrito deste metal. Os elementosexternos do brasão expressam a jurisdição suprema do papa. As duas chaves"decussadas", uma de jalde (ouro) e a outra de argente (prata) são símbolos desuposto poder espiritual e poder temporal. E são uma referência do poder máximodo Sucessor de Pedro, relatado no Evangelho de São Mateus, que narraque Jesus Cristo disse a Pedro: "Dar-te-ei as chaves do reino dos céus, e tudo oque ligares na terra será ligado no céu, e tudo o que desligares na terra, serádesligado no céu" (Mt 16, 19). Por conseguinte, as chaves são o símbolo típico doBrasão pontifício de João Paulo II.
  10. 10. poder supostamente dado por Cristo a São Pedro e aos seus sucessores. Quantoa tiara papal usada como timbre, no entanto não há certeza sobre o que as trêscoroas da Tiara tripla simbolizam, como é evidente, há uma multiplicidade deinterpretações que têm sido propostas. Alguns a vinculam à autoridade tripla dopapa como "Pastor Universal (tiara superior), Competência Eclesiástica Universal(tiara do centro) e o Poder Temporal (tiara inferior)". No listel o lema "TOTVSTVVS", é uma expressão da imensa confiança do papa na Virgem Maria: "Soutodo teu, Maria", sendo que ele colocou toda a sua vida sacerdotal sob a proteçãoda Virgem.PontificadoCom mais de 26 anos, é o terceiro pontificado mais longo da História daIgreja Católica. Alguns números que se destacam são o de viagens pastorais forada Itália (mais de 100, visitando 129 países e mais de 1000 localidades),cerimónias de beatificação (147) e canonizações (51), nas quais foramproclamados 1338 beatos e 482 santos. É considerado pelo seu carisma ehabilidade para lidar com os meios de comunicação social, o Papa mais popularda História.A primeira metade do seu pontificado ficou marcada pela luta contrao comunismo na Polónia e restantes países da Europa de Leste e do mundo.Muitos poloneses consideram que o marco inicial da derrocada comunista foi odiscurso de João Paulo II em 2 de Junho de 1979, quando falou a meio milhão decompatriotas em Varsóvia e destacou o trabalho do Solidariedade. "Sem odiscurso de Wojtyla, o cenário teria sido diferente. O Solidariedade e o povo nãoteriam se sentido fortes e unidos para levar a luta adiante", acredita o escritor ejornalista Mieczylaw Czuma. "Foi o papa que nos disse para não ter medo." Dezanos depois, as eleições de 4 de Junho de 1989 foram uma "revolução semsangue" e encorajaram outros países do bloco comunista a se liberar deMoscovo. A data tornou-se simbólica da fim do socialismo real. O movimentoJoão Paulo II em visita ao Parlamento Polonês a 11 deJunho de 1999.
  11. 11. sindical Solidariedade, liderado por Lech Walesa, obteve a vitória nas primeiraseleições parcialmente livres de todo o bloco comunista.João Paulo II criticou fortemente a aproximação da Igreja como marxismo nos países em desenvolvimento, e em especial a Teologia daLibertação."Não é possível compreender o homem a partir de uma visão económicaunilateral, e nem mesmo poderá ser definido de acordo com a divisão declasses.", disse aos bispos brasileiros em 26 de Novembro de 2002. Durante asua visita a Cuba, em Janeiro de 1998, que marcou o fim de 39 anos de relaçõestensas entre a Igreja Católica e o regime de Fidel Castro, condenouo embargo económico dos E.U.A. ao país. Em 2003, por intermédio docardeal Angelo Sodano, enviou uma carta ao presidente Fidel Castro criticando"as duras penas impostas a numerosos cidadãos cubanos e, também ascondenações à pena capital". Condenou também o terrorismo e o ataqueao World Trade Center ocorrido em 11 de Setembro de 2001, nos Estados Unidosda América.Em relação ao Concílio Vaticano II, no qual João Paulo II participou, eletentou ativamente continuar as reformas e as ideias saídas deste Concílio,nomeadamente sobre o ecumenismo e sobre a abertura da Igreja ao mundomoderno. O Cónego João Seabra afirmou que João Paulo II "é um homem doConcílio, na sua doutrina, na sua concepção do mundo, na sua pastoral. O seumodelo de Igreja é daLumen Gentium, a sua liturgia é da SacrosanctumConcilium, a sua pastoral social é da Gaudium et Spes, João Paulo II é o Concílioem Marcha. Nesse sentido o concílio, na maneira como foi lido e aplicado pelogrande Papa João Paulo II, teve uma grande importância na quedado comunismo".Diálogo inter-religiosoA "Mãe de Deus de Kazan".
  12. 12. “ A URI e a TeosofiaA Religião Mundial Já Está Oficialmente Criada!! Equivalente Espiritual dasNações Unidas!!“A Iniciativa das Religiões Unidas ( United Religions Initiative, U.R.I. )representa a mais recente tentativa de amplo alcance da para unir as religiõescom fins globalistas.Tudo começou em 1993 numa sessão do “Parlamento das Religiões” de Chicago.A idéia de formar uma autoridade internacional dedicada a unificar as religiões domundo e constituir um ramo espiritual das Nações Unidas, foi proposta por SirSigmund Sternberg, na sua qualidade de diretor do I.C.C.J., ConselhoInternacional dos Cristãos e Judeus, conjuntamente a Robert Muller, ilustrerepresentante New Age junto às Nações Unidas.A ideia de Robert Muller e de Sternberg já havia avançado e no dia 25 deJunho de 1995, na ocasião de uma cerimônia sincretista na catedral de S.Francisco para o 50° aniversário daCarta da O.N.U., quando o bispopresbiteriano William Edwin Swing havia anunciado a intenção de fundar a UnitedReligions(Religiões Unidas).As conferências U.R.I. foram em breve estendidas aos cinco continentes,com a participação de cristãos, judeus, muçulmanos, budistas, baha’i, hindus,zoroastrianos, sikh, seguidores do New Age e da Wicca (movimento neo-pagãode cultores da bruxaria), etc. Ali se decidiu elaborar mapas para a meados do ano2000, envolvendo políticos conhecidos pelas suas iniciativas de orações comuns– no estilo de Assis – para proceder enfim à fundação oficial da nova organização,a U.R.I., que tinha no seu plano de ação o objetivo de promover uma durávelcooperação inter-religiosa e criar uma cultura de justiça e paz. Para isto eraBispo W. E Swing
  13. 13. necessário induzir religiosos e leigos à gradual aceitação dessa Nova Religiãoderivada de uma filosofia (teosofia) e ecologia espiritual.Para contribuir com esta iniciativa, alguns bispos católicos fundaram, com oapoio de João Paulo II, a World Conference on Religion and Peace(W.C.R.P), Conferência mundial para a Religião e a Paz, creditada junto àO.N.U., presente em mais de 100 países e cujo primeiro presidente foi oarcebispo de Nova Dehli, Angelo Fernandes. Presidente da seção italiana doW.C.R.P. é Lisa Palmieri Billig, representante para a Itália da Anti DefamationLeague do B’nai B’rith, com sede em Roma.A sexta assembleia-geral da Conferência no dia 3 de Novembro de 1994teve seus trabalhos de abertura na sala sinodal da Santa Sé. Era a primeiraconferência inter-religiosa no Vaticano, com a presença pessoal de João Paulo IIna veste de presidente de uma assembleia de quase mil representantes de quinzecrenças diversas, inclusive as religiões indígenas da África, Austrália e Oceania.João Paulo II em Assis 1986. Sacerdotes do Panteão de Assis.
  14. 14. Sob a cúpula vaticana ecoaram por duas horas, na presença de JoãoPaulo II, versos hebraicos e do Alcorão, bem como invocações para a paz dosxintoístas, budistas e hindus, entremeados por blues africanos.A Declaração final das Conferências afirmava: Dominamos a naturezacomo se essa fosse nossa, e esta arrogância é uma causa primária da atual criseecológica. Na nossa obra de restauração da harmonia e da vida normal, devemoscomeçar por arrepender-nos das nossas ações destrutivas e efetuaruma mudança desde um modelo antropocêntrico a um bio-cêntrico ecocêntrico.Não é esta uma declaração que exalta a criação acima do Criador, ou Deusimaginário como afirma a teosofia? Chamam a isto de progresso, mas não passade um retorno ao passado. Declaram o estado como laico e o conduzem de voltaao paganismo. Na verdade são apenas estratégias para se libertarem da culturajudaico-cristã e banirem Deus do universo o qual criou. Estes são os mesmo quepromovem os movimentos contra cultura a fim de destruir as famílias.Estes são os apoiadores do anticristo, do governo supranacional e, comopode ser percebido, quem o promove é o falso cristianismo, que no momento estásendo usado, mas a organização Besta, quando não precisar mais de seusserviços o destruírá.Afirmo isto sem o menor temor de errar porque a mesma profecia queinformou que todas estas coisas aconteceriam também informa que a grandeBabilônia que é este cristianismo misturado será destruído: Caiu, caiu a grandeBabilônia.* * * * * * * * * * * * * *Obs.: As religiões e doutrinações satanistas estão focadas no homem. Aexaltação do ego é o seu principal ponto e o que atrai as pessoas que buscamsignificância neste mundo tenebroso. A Teosofia não podia ser diferente por serela uma filosofia luciferiana.”Marcelo Albertohttp://setimoshofar.blogspot.com.br/2012/05/o-aquecimento-global-e-religiao.html
  15. 15. O papa João Paulo II viajou extensivamente e se encontrou com fiéis dasmais diferentes crenças. Ele constantemente tentou encontrar afinidades,doutrinárias e dogmáticas. No Dia da Oração realizado emAssis em 27 de outubrode 1986, mais de 120 representantes de diferentes religiões e denominaçõescristãs passaram o dia em jejum e oração em honra ao seu(s) Deus(es).João Paulo II, Assis, 27 de outubro de 1986No espírito de “tamanho não interessa”, a viagem de outubro de 1986de João Paulo a Assis esteve entre os mais curtos trajetos de seu pontificado,mas também um dos mais significativos. A ideia foi a de reunir os líderes dasreligiões do mundo para rezar pela paz no berço do primeiro embaixador docatolicismo da unidade, São Francisco. Visto que a Igreja tem mais de 2 mil anosde história, é difícil encontrar algo verdadeiramente sem precedentes, mas essefoi um grande acontecimento: um pontífice romano ao lado de rabinos, muftis,xamãs e monges budistas, em um apelo comum para o Todo-Poderoso. O eventoteve um significado duradouro por três razões.Primeiro, emprestou um poderoso ímpeto ao diálogo inter-religioso ecolaborativo. João Paulo II convocaria, mais tarde, duas outras cúpulas em Assis,em 1993 e 2002, e a Comunidade de Santo Egídio começou a organizar umencontro anual de líderes religiosos “no espírito de Assis”.Em segundo lugar, demonstrou a capacidade única do papado de unirpersonalidades díspares para galvanizar a atenção da mídia e mover opiniões. Oarcebispo de Canterbury,Robert Runcie, disse: “Só o ministério petrino poderiaconvocar uma assembleia como esta”.Terceiro, enfatizou por que o historiador italiano e fundador da SantoEgídio, Andrea Riccardi, afirmou que João Paulo II não poderia exatamente serentendido como um “conservador”, uma vez que ele enfrentou duras críticas dadireita católica pelo fato de que Assis corria o risco de beirar o sincretismo e o
  16. 16. relativismo religioso. Em vez disso, Riccardi propôs que João Paulo fosserecordado como “o papa da complexidade católica”.AnglicanismoO Papa João Paulo II tinha boas relações com a Igreja da Inglaterra,chamada por seu predecessor, Paulo VI, como "nossa amada Igreja Irmã". Elediscursou na Catedral de Cantuária durante a sua visita à Grã Bretanha, erecebeu o Arcebispo de Cantuária de forma amistosa e cortês. Porém, ele sedesapontou com decisão da Igreja da Inglaterra, de oferecer o sacramento dasOrdens Sagradasàs mulheres, e viu nisto um passo contra a reunião entrea Comunhão Anglicana e a Igreja Católica.João Paulo II fez históricos esforços ecumênicos com a ComunhãoAnglicana, e apoiou o estabelecimento da Igreja Católica de Nossa Senhora daExpiação (Uso Anglicano), em cooperação com o Arcebispo Patrick Flores de SanAntonio, Texas, nos Estados Unidos.Em 1980, João Paulo II emitiu uma Provisão Pastoral, permitindo quepadres anglicanos convertidos casados, se tornassem sacerdotes católicos e queas antigas paróquias episcopais fossem aceitas na Igreja Católica. Ele permitiu acriação do uso anglicano no rito latino, que incorpora o Livro de OraçãoComum anglicano.LuteranismoEm 15-19 de novembro de 1980, João Paulo II visitou a AlemanhaOcidental, em sua primeira visita a um país com uma grande população luterana.Em Mainz, ele se encontrou com líderes luteranos e de outrasdenominações protestantes, além de outras denominações cristãs.Em 11 de dezembro de 1983, ele participou de um serviço ecumênico naIgreja Evangélica Luterana em Roma.Em sua peregrinação apostólicaà Noruega, Finlândia, Dinamarca e Suécia entre 1 e 10 de junho de 1989, JoãoPaulo II se tornou o primeiro papa a visitar países majoritariamente luteranos.Além de celebrar missas com fiéis católicos, ele participou de serviçosecumênicos em lugares que haviam sido igrejas católicas antes da reformaluterana, no século XVI, como a Catedral de Nidaros, na Noruega, próximo daIgreja de Santo Olavo, em Thingvellir, na Islândia, a Catedral de Turku na
  17. 17. Finlândia, a Catedral de Roskilde, na Dinamarca e a Catedral de Uppsala, naSuécia.Em 31 de outubro de 1999 (o 482º aniversário do Dia da Reforma, o dia emque Lutero pregou as 95 teses), representantes do Vaticano e da Lutheran WorldFederation (LWF) assinaram a Declaração Conjunta Sobre a Doutrina daJustificação como um gesto de unidade. A assinatura foi fruto do diálogo teológicoque vinha ocorrendo entre a LWF e o Vaticano desde 195.JudaísmoAs relações entre o catolicismo e o judaísmo melhoraram durante opontificado de João Paulo II Ele falou com frequência sobre a relação da Igrejacom os judeus.Em 1979, João Paulo II se tornou o primeiro papa a visitar o campo deconcentração Auschwitz, na Polônia, onde muitos de seus compatriotas(majoritariamente judeus poloneses) haviam perecido durante a ocupação alemãda Polônia na Segunda Guerra Mundial. Em 1998, o papa publicou "NósLembramos: Uma Reflexão sobre a Shoah", que delineou seu pensamento sobreo Holocausto. Ele se tornou o primeiro papa a fazer uma visita papal oficial auma sinagoga, quando ele visitou a Grande Sinagoga de Roma em 13 de abril de1986.Em 1994, João Paulo II estabeleceu relações diplomáticas formais entrea Santa Sé e o Estado de Israel, reconhecendo sua importância central na vida efé judaicas. Em honra a este evento, o papa João Paulo II patrocinou o "ConcertoPapal para Comemoração do Holocausto". Este concerto, que foi concebido econduzido pelo maestro norte-americano Gilbert Levine, contou com a presençade Elio Toaff, o Rabino principal de Roma, do presidente da Itália e desobreviventes do Holocausto vindos do mundo inteiro.Em março de 2000, João Paulo II visitou o memorial de Yad Vashem, ummonumento nacional israelense em honra às vítimas e heróis do Holocausto, edepois entrou para a história ao tocar um dos mais sagrados objetos de devoçãodo Judaísmo, o Muro das Lamentações, seguindo o costume de colocar umacarta entre as frestas de seus tijolos (na qual ele pediu perdão pelas perseguiçõescontra os judeus). Em parte do seu discurso, ele disse: "Eu asseguro o povo judeuque a Igreja Católica... está profundamente entristecida pelo ódio, atos deperseguição e mostras de anti-semitismo dirigidas contra os judeus pelos cristãos,à qualquer tempo, em qualquer lugar" e acrescentou que "não há palavras forteso suficiente para deplorar a terrível tragédia do Holocausto". O ministro
  18. 18. israelense, rabino Michael Melchior, que foi o anfitrião do papa durante a visita,disse que estava "muito comovido" pelo gesto do papa:“ Foi além da história, além da memória. ”— Rabino Michael Melchior, em 26 de março de 2000, durante a visita deJoão Paulo II a Israel[103],“ Nós estamos profundamente entristecidos pelo comportamento dos que,no curso da história, provocaram sofrimento às suas crianças e, ao pedirperdão, desejamos nos comprometer com uma irmandade genuína como povo da Aliança ”— Papa João Paulo II, em 12 de março de 2000, numa nota deixada no Murodas Lamentações,Em outubro de 2003, Liga Anti-Difamação (ADL, da sigla em inglês) emitiuum comunicado congratulando João Paulo II por seu vigésimo-quinto ano depapado. Em janeiro de 2005, João Paulo II se tornou o primeiro papa a recebera benção sacerdotal de um rabino, quando Benjamin Blech, Barry Dov Schwartze Jack Bemporad visitaram o pontífice no Salão Clementino do PalácioApostólico.Imediatamente após a morte de João Paulo II, a ADL emitiu umcomunicado afirmando que o papa João Paulo II havia revolucionado as relaçõesentre católicos e judeus e que "mais mudanças para melhor haviam ocorrido emseus vinte e sete anos de papado do que nos quase 2000 anos anteriores". Emoutro comunicado, emitido pelo diretor do conselho para assuntos australianos,israelenses e judaicos de Israel, o dr. Colin Rubenstein, afirmou que "O papa serálembrado por sua inspiradora lembrança espiritual em prol da causa da liberdadee da humanidade. Ele conseguiu muito mais em termos de transformar asrelações tanto com o povo judeu quanto com o Estado de Israel do que qualqueroutra figura na história da Igreja Católica".“ Com o judaísmo, portanto, nós temos uma relação com a qual não temoscom qualquer outra religião. Vocês são nossos queridos irmãos e, de certaforma, pode-se dizer que vocês são os nossos irmãos mais velhos ”— papa João Paulo II, em 13 de abril de 1986,
  19. 19. Igreja OrtodoxaEm maio de 1999, João Paulo II visitou a Romênia, a convite dopatriarca Teoctist Arăpaşu, da Igreja Ortodoxa Romena. Foi a primeira vez queum papa visitou um país predominantemente ortodoxo desde o Grande Cisma em1054 d.C. Quando ele chegou, o patriarca e o presidente da Romênia, EmilConstantinescu, receberam o papa. O patriarca depois afirmou: "O segundomilênio da história cristã começou com uma dolorosa chaga na unidade da Igreja;o fim deste milênio assiste agora a um real compromisso de restaurar a unidadecristã.".João Paulo II visitou outro país fortemente ortodoxo na região, a Ucrânia,entre 23 e 27 de junho de 2001, a convite do presidente da Ucrânia e dos bisposda Igreja Católica Grega da Ucrânica. O papa falou aos líderes do "Concílio Geraldas Igrejas e Organizações Religiosas Ucraniano", rogando por "um diálogoaberto, tolerante e honesto". Por volta de 200 mil pessoas compareceram àscerimônias litúrgicas celebradas pelo papa em Kiev e a liturgia em Lviv juntouquase um milhão e meio de fiéis. João Paulo II afirmou que terminar com oGrande Cisma era um dos seus mais queridos desejos[110]. Por muitos anos, JoãoPaulo II tentou facilitar o diálogo e a unidade, afirmando já em 1988,na encíclica Euntes in Mundum, que a "Europa tem dois pulmões e jamais irárespirar direito enquanto não usar ambos".Durante as suas viagens de 2001, João Paulo II se tornou o primeiro papaa visitar a Grécia em 1291 anos; Em Atenas, o papa se encontrou com Cristódulode Atenas, o arcebispo líder da Igreja Ortodoxa Grega. Após um encontro privadode 30 minutos, os dois falaram ao público. Cristódulo leu uma lista de "13ofensas" da Igreja Católica contra a Igreja Ortodoxa desde o Grande Cisma,incluindo o saque de Constantinopla pelos cruzados (1204), e reclamou pela faltade um pedido de desculpas da Igreja Católica Romana, afirmando "Até agora, nãose conhecia um único pedido de perdão" pelos"cruzados maníacos do séculoXIII".O papa respondeu dizendo "Pelas vezes, passadas e presentes, quandofilhos e filhas da Igreja Católica pecaram, por ação ou omissão, contra nossosirmãos e irmãs ortodoxos, que o Senhor nos conceda o perdão", ao queCristódulo imediatamente aplaudiu. João Paulo II disse que o saque deConstantinopla era a causa de um "profundo pesar" para os católicos.Posteriormente, João Paulo e Cristódulo se encontraram no lugar onde SãoPaulo um dia pregara para os cristão atenienses. Ali, eles emitiram um"comunicado conjunto", dizendo "Faremos tudo o que estiver em nosso poderpara que as raízes cristãs da Europa e a sua alma cristã seja preservada.... Nóscondenamos todos os recursos à violência, ao proselitismo e ao fanatismo em
  20. 20. nome da religião". Os dois líderes então rezaram o Pai Nosso juntos, quebrandoum antigo tabu ortodoxo contra rezar juntamente com católicos.O papa sempre afirmou, por todo o seu pontificado, que um dos seusgrandes sonhos era visitar a Rússia, mas isso jamais ocorreu. Ele tentou resolveros problemas que surgiram durante a história entre a Igreja Católica e a IgrejaOrtodoxa Russa, como quando ele determinou a devolução à Igreja OrtodoxaRussa do Ícone de "Nossa Senhora de Kazan", a "Theotokos" e sempre VirgemMaria. No dia 28 de agosto de 2004, a "Solenidade da gloriosíssima Dormiçãoda Theotokos", delegação representativa da Igreja Católica, chefiada pelocardeal Walter Kasper, presidente do Pontifício Conselho para a Promoção daUnidade dos Cristãos, entregou o ícone, depois de um solene ofício na Catedralda Dormição, no Kremlim, em Moscovo, em que participaram numerosos fiéis.BudismoO décimo-quarto Dalai Lama, Tenzin Gyatso, visitou o papa João Paulo IIoito vezes, mais do que qualquer outro dignitário. Ambos compartilhavam visõessimilares e compreendiam o sofrimento do outro, ambos vindos de paísesafetados pelo comunismo e sendo grandes líderes de grandes religiões.IslãO papa João Paulo II fez consideráveis esforços para melhorar as relaçõesentre o catolicismo e o islamismo.Em 6 de maio de 2001, o papa João Paulo II se tornou o primeiro papacatólico da história a entrar e rezar numa mesquita. Respeitosamente removendoos seus sapatos, ele entrou na Mesquita dos Omíadas, um antiga igrejacristã bizantina dedicada a São João Batista (que, acredita-se, está enterrado lá),em Damasco, na Síria, e ali deu um discurso que incluía a seguinte afirmação:"Por todas as vezes que os cristãos e os muçulmanos se ofenderam entre si,precisamos buscar o perdão do Todo Poderoso e oferecer uns aos outros operdão" . Ele beijou o Corão nesta mesma viagem, um ato que o tornou popularentre os muçulmanos, mas que perturbou muitos católicos.Em 2004, João Paulo II patrocinou o "Concerto Papal pela Reconciliação",que reuniu líderes do Islã com líderes da comunidade judaica e da Igreja Católicano Palácio Apostólico, no Vaticano, para um concerto do Coro Filarmônico deCracóvia, da Polônia, do Coro Filarmônico de Londres, do Reino Unido,da Orquestra Sinfônica de Pittsburgh, dos Estados Unidos, e do Coro Polifônico
  21. 21. Estatal de Ancara, da Turquia. O evento foi concebido e dirigido por Sir GilbertLevine, OSGM, e foi transmitido para o mundo inteiro.João Paulo II supervisionou a publicação do Catecismo da IgrejaCatólica onde faz uma provisão especial para os muçulmanos; onde está escrito,"O plano de salvação também inclui aqueles que reconhecem o Criador, o queinclui os muçulmanos; estes professam ter a fé de Abraão, e junto conosco, elesadoram a um Deus misericordioso, juiz dos homens no último dia."Diálogo com os jovensJoão Paulo II tinha uma relação especial com a juventude católica e éconhecido por alguns como O Papa para a juventude. Antes de seu pontificado,ele participou de acampamentos e caminhadas nas montanhas com os jovens.Ele ainda fez caminhadas na montanha, quando ele foi papa. Ele estavapreocupado com a educação dos futuros sacerdotes e desde cedo fez muitasvisitas a seminários romanos, incluindo a Venerável Faculdade Inglesa em 1979.Ele criou a Jornada Mundial da Juventude em 1984 com a intenção de aproximaros jovens católicos de todas as partes do mundo a se reunirem para celebrar a fé.Estes encontros de uma semana da juventude ocorrem a cada dois ou três anos,atraindo centenas de milhares de jovens, que vão para cantar, festejar, passarbons momentos e aprofundar a sua fé. A 19ª Jornada Mundial daJuventude celebrado durante o seu pontificado, reuniu milhões de jovens de todoo mundo. Durante este tempo, seus cuidados para com a família foram expressosnos Encontros Mundiais das Famílias, que ele começou em 1994.“ Os jovens estão ameaçados... pelo mau uso das técnicas de propaganda,que estimulam a inclinação natural deles para evitar o trabalho duro, aoprometer a satisfação imediata de cada desejo. ”A Jornada Mundial da Juventude é um evento temático popularda fé católica internacional voltado para jovens, esse evento foiiniciado pelo Papa João Paulo II.
  22. 22. Oração pelas almas dos mortosPerante cerca de 20 mil pessoas na Basílica de São Pedro, em 2 deNovembro de 1983, disse (no contexto orativo católico) :"A oração pelas almas dos fiéis defuntos não deve ser interrompida, pois, narealidade, a vida não está limitada pelos horizontes do mundo".DiplomaciaA mediação pontifícia de João Paulo II permitiu que o Chile ea Argentina chegassem a um acordo no conflito sobre os seus limites territoriaisna região austral (Canal de Beagle) que ameaçava levar os dois países à guerra.Em 22 de dezembro de 1978 o Papa enviou o cardeal italiano Antonio Samoré aogoverno dos dois países como emissário pessoal o que levou a assinatura dosAcordos de Montevidéu, no Palácio Taranco, a 18 de Janeiro de 1979 - através doqual os dois Estados recorreram formalmente à mediação do papa - e àconclusão do dissentimento sobre a Região Austral, com a assinatura do Tratadode Paz e Amizade assinado diante do papa, na Capela Paulina (Vaticano), nodia 29 de novembro de 1984.Papel na queda do comunismoJoão Paulo II foi creditado como sendo fundamental para derrubar ocomunismo no Central e no Leste Europeu, por ser a inspiração espiritual por trásde sua queda, e um catalisador para "uma revolução pacífica" na Polônia. LechWałęsa, o fundador do ‘Solidariedade’, credita João Paulo II como dando aospoloneses a coragem de se levantar. De acordo com Wałęsa, "Antes de seupontificado, o mundo estava dividido em blocos. Em Warsaw, em 1979, eleO presidente russo Vladimir Putin se encontra com oPapa João Paulo II
  23. 23. simplesmente disse: Não tenha medo, e depois orou: Deixe o seu Espíritodescer alterar a imagem da terra... esta terra."A correspondência do presidente dos Estados Unidos Ronald Reagan como Papa revela "um contínuo esforço para assegurar o apoio do Vaticano àspolíticas norte-americanas. Talvez o mais surpreendente, os documentosmostram que, por volta de 1984, o Papa não acreditava que o governo comunistapolonês poderia ser mudado."Em dezembro de 1989, João Paulo II reuniu-se com líder soviético MikhailGorbachev no Vaticano e cada um expressou o seu respeito e admiração paracom o outro. Gorbachev certa vez disse ‘O colapso da Cortina de Ferro teria sidoimpossível sem João Paulo II’. No funeral de João Paulo II, Mikhail Gorbachevdisse: "A devoção do Papa aos seus seguidores é um exemplo notável para todosnós"Em fevereiro de 2004, Papa João Paulo II foi nomeado para o PrêmioNobel da Paz em homenagem ao trabalho de sua vida na oposição aocomunismo e ajudando a remodelar o mundo.O presidente George W. Bush presenteou o Papa com a MedalhaPresidencial da Liberdade, a maior honraria civil dos EUA, durante uma cerimôniano Vaticano, em 4 de junho de 2004. O presidente leu a citação que acompanhoua medalha, que reconhece o "filho desta Polônia" cujo "apoio aos princípios depaz e liberdade inspirou milhões e ajudou a derrubar o comunismo e a tirania."Depois de receber o prêmio, João Paulo II disse, "Que o desejo de liberdade, paz,um mundo mais humano simbolizado por esta medalha inspire homens emulheres de boa vontade em todo tempo e lugar."Em relação a a política mundial, pouco antes de sua morte, a BBC disse,referindo-se a uma frase de Mikhail Gorbachev: "O Papa — disse Gorbachev asua esposa Raisa— é a autoridade moral mais importante do mundo e é eslavo".O entendimento entre as duas personalidades sem dúvida facilitou o caminhopara a democracia no bloco oriental".Nas palavras do General Wojciech Jaruzelski, último líder na Polôniacomunista, a visita de João Paulo II a Polônia em 1979, foi o "detonador" dasmudanças. Por ocasião de sua morte, o Presidente doParlamento Europeu, osocialista Josep Borrell, escreveu: "Me inclino com respeito ante a memória dessagrande personalidade que marcou de forma determinante a historia do últimoquarto de século. (...) Impunha respeito pela clareza de suas opiniões e pelasinceridade de seus esforços contínuos a favor da justiça, a paz e do respeito dadignidade e dos direitos humanos. Ninguém vai esquecer os gestos de abertura ediálogo dirigidos aos representantes das outras religiões, particularmente duranteas reuniões de Assis. A história lembrará do esforço decisivo de João Paulo II na
  24. 24. recondução dos Países da Europa Central e Oriental para a democracia e aliberdade. Lembrará, também, sua atividade, muitas vezes discreta, a favor dodiálogo entre os povos e os Estados em conflito e pela retomada dasnegociaciações entre os Países do Oriente Médio". O chanceler alemão, GerhardSchröder, declarou que o Papa tinha "influenciado a integração pacífica daEuropa em muitos aspectos. Por seus esforços e sua personalidadeimpressionante, mudou o nosso mundo".Ele também enfatiza seu compromisso com os direitos humanos: "Seucompromisso como Pontífice não era apenas difundir o Evangelho, mastransformar o Papado romano no porta-voz dos direitos humanos" —de acordocom um artigo da CNN, citando Marco Politi, autor do livro His Holiness.O equilíbrio de sua vida do ponto de vista religioso e pessoal, delineou oentão Cardeal Ratzinger, futuro papa Bento XVI, no funeral de João Paulo II:"Siga-me, disse o Senhor ressuscitado para Pedro, como sua última palavra aeste discípulo escolhido para apascentar o seu rebanho. Siga-me, esta palavrade Cristo pode ser considerada a chave para compreender a mensagem que vemda vida do nosso saudoso e amado papa João Paulo II".“ Varsóvia, Moscovo, Budapeste, Berlim, Praga, Sofia e Bucareste forametapas duma longa peregrinação em direção à liberdade. É admirável quenestes eventos, povos inteiros falaram – mulheres, jovens, homens,venceram o medo, sua sede irreprimível de liberdade aceleraram osacontecimentos, fez desabar as paredes e abriram os portões. ”— Papa João Paulo II (1989)Visitas papaisDurante o seu pontificado, o papa João Paulo II viajou para 129 países,contabilizando mais de 1,1 milhões de quilômetros viajados. Ele consistentementeatraía grandes multidões em suas viagens, algumas contando entre as maiores járeunidas na história, como a do Jornada Mundial da Juventude de 1995,em Manila, nas Filipinas, que reuniu cerca de 5 milhões de pessoas. Algunssugeriram que esta pode ter sido a maior reunião católica da história, porém semconseguir prová-lo. As primeiras visitas oficiais de João Paulo II foram paraa República Dominicana e para o México, em janeiro de 1979, e para a Polônia,em 1979, onde multidões o rodearam. Esta primeira visita à Polônia serviu paraelevar o espírito da nação e catalisou a formação do Movimento Solidariedade em
  25. 25. 1980, que trouxe de volta a liberdade e os direitos humanos para a sua terranatal.Enquanto que algumas de suas viagens (como a feita aos EstadosUnidos e à Terra Santa) foram para lugares previamente visitados por Paulo VI,João Paulo II se tornou o primeiro papa a visitar a Casa Branca em sua viagem deoutubro de 1979 aos Estados Unidos, onde ele foi recebido calorosamente pelopresidente Jimmy Carter. Ele viajou para lugares que nenhum outro papa haviajamais visitado antes, sendo o primeiro papa a visitar o México, em janeiro de1979, e Irlanda, no mesmo ano. Ele foi ainda o primeiro papa em exercício avisitar o Reino Unido, em 1982, onde ele se encontrou com a rainha IsabelII, Governadora Suprema da Igreja de Inglaterra (a Igreja Anglicana, que seseparou da Igreja Católica no reinado de Henrique VIII, mais de 400 anos antes).Ele visitou o Haiti em 1983, onde ele discursou em crioulo para milhares deempobrecidos fiéis que o esperavam no aeroporto, sua mensagem, "A situaçãoprecisa mudar no Haiti", se referindo à disparidade entre os ricos e pobres, foirecebida com um estrondoso aplauso. Em 2000, ele foi o primeiro papa modernoa visitar o Egito, onde ele se encontrou com o papa copta, Shenouda III (da IgrejaOrtodoxa Copta de Alexandria, que se separou da Igreja Ortodoxa apóso Concílio de Calcedônia, em 451) e o patriarca grego ortodoxo de Alexandria( da Igreja Ortodoxa Grega de Alexandria, separada da Igreja Católica no GrandeCisma do Oriente, em 1054). Ele foi o primeiro papa católico a visitar e rezarnuma mesquita islâmica, em Damasco, na Síria, em 2001. Ele visitou a Mesquitados Omíadas, uma antiga igreja cristã onde se acredita estar enterrado São JoãoBatista (que também é um profeta no Islã), onde fez um discurso pedindo aoscristãos, muçulmanos e judeus que trabalhassem juntos.Em março de 2000, enquanto visitava Jerusalém, João Paulo II se tornou oprimeiro papa da história a visitar e rezar no Muro das Lamentações. Emsetembro de 2001, durante os ataques de 11 de setembro, ele viajouao Cazaquistão, onde foi recebido por uma audiência majoritariamentemuçulmana, e para a Armênia, para participar da celebração dos 1700 anos decristianismo na nação.
  26. 26. Mapa indicando o s países onde João Paulo II visitou.“ Hoje, pela primeira vez na história, um bispo de Roma pisou em soloinglês. Esta bela terra, que já foi um entreposto distante do mundo pagão,se tornou, através da pregação do Evangelho, uma parte amada eabençoada do vinhedo cristão ”— Papa João Paulo II, em sua visita à Inglaterra em 1982,Viagens pelo mundo do Papa João Paulo II:1979N DATA PAÍSES01 25 de janeiro–1 República Dominicana e México9 + visitas8 visitas7 visitas5 visitas4 visitas3 visitas2 visitas1 visitas0 visita
  27. 27. de fevereiro02 2–10 de junho Polônia03 29 de setembro–7 de outubroIrlanda e Estados Unidos04 28–30 denovembroTurquia198005 2–12 de maio Zaire, República do Congo, Quênia,Gana, República doAlto Volta eCosta do Marfim06 30 de maio–2 dejunhoFrança07 30 de junho–12de julhoBrasil08 15–19 denovembroAlemanha Ocidental198109 16–27 defevereiroFilipinas, Guam, e Japão198210 12–19 defevereiroNigéria, Benim, Gabão, e Guiné Equatorial11 Maio 12–15 Portugal (incluindo Fátima)12 28 de maio–2 dejunhoGrã-Bretanha13 10–13 de junho Argentina14 15 de junho Suíça15 29 de agosto San Marino16 31 de outubro–9de novembroEspanha
  28. 28. 198317 Março 2–10 Costa Rica, Nicarágua, Panamá, ElSalvador, Guatemala, Belize,Honduras e Haiti18 16–23 de junho Polônia19 14–15 de agosto Lourdes (França)20 10–13 desetembroÁustria198421 2–12 de maio Coreia do Sul, Papua-Nova Guiné,IlhasSalomão, Tailândia22 12–17 de junho Suíça23 9–20 desetembroCanadá24 10–12 de outubro Espanha, República Dominicana,Porto Rico198525 26 de janeiro–6de fevereiroVenezuela, Equador, Peru, Trinidad e Tobago26 11–21 de maio Bélgica, Países Baixos, Luxemburgo27 8–19 de agosto Togo, Costa do Marfim, Camarões,República CentroAfricana, Zaire,Quênia, Marrocos28 8 de setembro Liechtenstein198629 1–10 de fevereiro Índia30 1–8 de julho Colômbia, Santa Lúcia31 4–7 de outubro França32 19 de novembro–1 de dezembroAustrália, Nova Zelândia,Bangladesh, Fiji, Singapura,Seychelles
  29. 29. 198733 31 de março–13de abrilUruguai, Chile, Argentina34 30 de abril–4 demaioAlemanha Ocidental35 8–14 de junho Polônia36 10–20 desetembroEstados Unidos e Canadá198837 7–18 de maio Uruguai, Bolívia, Peru, Paraguai38 23–27 de junho Áustria39 10–19 desetembroZimbabwe, Botswana, Lesoto,Suazilândia, Moçambique,através daÁfrica do Sul40 8–11 de outubro França198941 28 de abril–6 demaioMadagascar, Reunião, Zâmbia, eMalawi42 1–10 de junho Noruega, Islândia, Finlândia,Dinamarca, Suécia43 19–21 de agosto Espanha44 6–16 de outubro Coreia do Sul, Indonésia, Timor-Leste,Maurício199045 45. 25 dejaneiro–1 defevereiroCabo Verde, Guiné-Bissau, Mali,Burkina Faso, Chade46 21–22 de abril Checoslováquia47 6–13 de maio México, Curação48 25–27 de maio Malta49 1–10 desetembroTanzânia, Ruanda, Burundi, Costa do Marfim
  30. 30. 199150 10–13 de maio Portugal51 1–9 de junho Polônia52 13–20 de agosto Polônia, Hungria53 12–21 de outubro Brasil199254 19–26 defevereiroSenegal, Gâmbia, Guiné55 4–10 de junho Angola, São Tomé e Príncipe56 9–14 de outubro República Dominicana199357 3–10 de fevereiro Benim, Uganda, Sudão58 25 de abril Albânia59 12–17 de junho Espanha60 9–16 de agosto Jamaica, México, Estados Unidos61 4–10 desetembroLituânia, Letônia, Estônia199462 10–11 desetembroCroácia199563 12–21 de janeiro Filipinas, Austrália, Papua-Nova Guiné, Sri Lanka64 20–22 de maio República Checa, Polônia65 3–4 de junho Bélgica66 30 de junho Eslováquia67 14–20 desetembroCamarões, Quênia, África do Sul
  31. 31. 68 4–8 de outubro Estados Unidos199669 5–12 de fevereiro Guatemala, El Salvador, Nicarágua,Venezuela70 14 de abril Tunísia71 Maio 17–19 Eslovênia72 21–23 de junho Alemanha73 6–7 de setembro Hungria74 19–22 desetembroFrança199775 12–13 de abril Sarajevo, Bósnia e Herzegovina76 25–27 de abril República Checa77 10–11 de maio Líbano78 31 de maio–10de junhoPolônia79 21–24 de agosto França80 2–5 de outubro Brasil199881 21–25 de janeiro Cuba82 21–23 de março Nigéria83 19–21 de junho Áustria84 2–4 de outubro Croácia199985 22–25 de janeiro Cidade do México no MéxicoJaneiro 26–27 Saint Louis, Missouri86 7–9 de maio Romênia87 5–17 de junho Polônia
  32. 32. 88 19 de setembro Eslovênia89 5–9 de novembro Nova Deli (Índia) e Tbilisi (Geórgia)200090 24–26 defevereiroEgito91 20–26 de março Jordânia, Israel e Palestina92 12–13 de maio Fátima em Portugal200193 4–5 de maio Atenas em Grécia5–6 de maio Síria8–9 de maio Malta94 23–27 de junho Ucrânia95 22–27 desetembroArmênia e Cazaquistão200296 22–26 de maio Azerbaijão e Bulgária97 23 de julho–1 deagostoCanadá, Guatemala, e México98 16–19 de agosto Polônia200399 3–4 de maio Espanha100 5–9 de junho Croácia101 22 de junho Bósnia e Herzegovina102 Setembro 11-14 Eslováquia2004103 5-6 de junho Suíça
  33. 33. 104 14-15 de agosto Lourdes (França)Visitas ao BrasilO papa João Paulo II esteve no Brasil quatro vezes, sendo três delasoficiais e uma delas, porém, permaneceu apenas no aeroporto, quando ia para aArgentina em 1982, onde fez um rápido discurso durante a escala de seu voo noRio de Janeiro. Na primeira, chegou ao meio-dia de 30 de junho de 1980, foirecebido pelo general João Batista Figueiredo, percorreu treze cidades emapenas doze dias, percorrendo um total de 30 000 quilômetros. Durante 12 diasJoão Paulo II percorreu as cidades de Brasília, Belo Horizonte, Rio de Janeiro,São Paulo, Vitória, Aparecida do Norte, Porto Alegre, Curitiba, Manaus, Recife,Salvador, Belém, Teresina e Fortaleza. Essa visita foi marcada pela expectativados brasileiros em receber pela primeira vez um Papa no país e pela beatificaçãodo jesuíta espanhol José de Anchieta, fundador da cidade de São Paulo. O Papaparticipou do X Congresso Eucarístico Nacional, realizado entre 30 de junho a 12de julho 1980, em Fortaleza, no Ceará. Durante a visita, bancos e repartiçõespúblicas fecharam, teatros atrasaram os espetáculos e os esquemas rodoviáriosforam alterados. Essa foi uma das maiores movimentações populares járegistradas no Brasil. Em pleno regime militar, defendeu a justiça social, liberdadesindical, reforma agrária, direitos humanos e educação sexual. Mas tambémcondenou a Teologia da Libertação e o aborto. Destacou-se, na primeira visita, amúsica "A bênção, João de Deus", composta para a ocasião por Péricles deBarros.A outra visita foi entre 12 e 21 de outubro de 1991, sendo recebidoem Brasília pelo então presidente Fernando Collor de Mello, visitou a Irmã Dulce,em Salvador, percorreu dez capitais e fez 31 pronunciamentos, beatificou MadrePaulina e na ocasião para um público de 60 mil pessoas, o papa afirmou durantea homilia: "Soube ela converter todas as suas palavras e ações num contínuo atode louvor a Deus. Sua conformidade com a vontade de Deus levou-a a umaconstante renúncia de si mesma, não recusando qualquer sacrifício para cumpriros desígnios divinos". O Papa abordou a questão indígena, a reprovação do usoJoão Paulo II com o cantor Roberto Carlos a 5 de Outubro de1997, na sua quarta visita ao Brasil.
  34. 34. de anticoncepcionais, o problema da divisão de terras, a família e a condenaçãodo divórcio. A visita também foi marcada pelo fato de um menino de rua de 12anos, descalço e vestido humildemente, ter ultrapassado barreira de segurança,em Goiânia, e ter se jogado nos braços do Papa, que retribuiu o carinho com umlongo abraço.Esteve também no Brasil entre 2 e 6 de outubro de 1997, foi recebido peloentão presidente Fernando Henrique Cardoso. Nessa visita o Papa participou doII Encontro Mundial com as Famílias, realizado na cidade do Rio de Janeiro,ficando por quatro dias na cidade. Em seus discursos, João Paulo II condenou odivórcio, o aborto e os métodos contraceptivos. Ele abençoou o Rio de Janeiroaos pés do Cristo Redentor.Em visita à cidade do Rio de Janeiro declarou: "Se Deus é brasileiro, opapa é carioca".Nas três visitas oficiais de João Paulo II ao Brasil, tanto o Vaticano comoos Correios editaram selos comemorativos para homenagear a passagem dopontífice no país. Ao todo foram impressos oito selos pela Casa da Moeda doBrasil. Um deles em homenagem póstuma, em 2005.Visitas a PortugalJoão Paulo II visitou Portugal 3 vezes: em 1982, 1991 e 2000 foram visitasapostólicas e em 1983 fez escala em Lisboa onde discursou.A primeira visita, de 12 a 15 de maio de 1982, ocorreu um ano após oatentado de que foi vítima em 13 de Maio de 1981. No primeiro dia de visita, JoãoPaulo II acabou sendo ferido na segunda tentativa de assassinato quando JuanMaría Fernández y Krohn o tentou esfaquear com uma baioneta, onde o papaacabou sendo ferido. Nessa visita o Papa João Paulo II depositou a bala doatentado sofrido no ano anterior em plena Praça de São Pedro no altar de NossaSenhora de Fátima. Ainda hoje a mesma bala se encontra na coroa de NossaSenhora de Fátima no Santuário de Fátima. Em 14 de maio, visitou o Santuáriode Nossa Senhora da Conceição, padroeira de Portugal, em Vila Viçosa. Namanhã de 15 de maio, visitou o Santuário de Nossa Senhora do Sameiro,em Braga, e, à tarde, viajou de helicóptero até o Porto, onde presidiu uma missacelebrada junto à Câmara Municipal, na Avenida dos Aliados. Para comemorarsua visita o CTT Correios de Portugal lançou uma emissão de selos intitulada“Visita de S.S. o Papa João Paulo II a Portugal de 12 a 15 de Maio de 1982”.Em 2 de março de 1983 fez uma escala em Lisboa, por volta da meia-noite,em viagem com destino a América Central e na ocasião uma multidão de pessoas
  35. 35. o aguardava, sendo que o papa fez uma pequena homília invocando a sua "Fé eDevoção a Nossa Senhora de Fátima".De 10 a 13 de maio de 1991, esteve nos Açores, na Madeira, Lisboa, enovamente em Fátima. Um dos pontos mais altos foi o encontro com os jovensrealizado no Estádio do Restelo, em Lisboa, em 10 de maio.A sua última visita, em que beatificou os pastorinhos de Fátima, JacintaMarto e Francisco, teve lugar em 12 e 13 de maio de 2000, em Fátima e sobreeles disse o seguinte: "grande era, no pequeno Francisco, o desejo de reparar asofensas dos pecadores, esforçando-se por ser bom e oferecendo sacrifícios eoração. E Jacinta sua irmã, quase dois anos mais nova que ele, vivia animadapelos mesmos sentimentos". Nesta peregrinação, João Paulo II ofereceu a NossaSenhora de Fátima o anel com o lema “Totus Tuus” que o cardeal Wiszinski lhehavia ofertado no início do seu pontificado. Também teve a revelação do "Terceirosegredo de Fátima que estava relacionado com o atentado de João Paulo II. Paraassinalar esta data os CTT Correios de Portugal fizeram uma emissão de selosintitulada "Visita a Portugal de Sua Santidade o Papa João Paulo II".1aVISITA DO PAPA JOÃO PAULO II 30/06 À 12/07 DE 1980
  36. 36. Num encontro emocionante, em julho de 1980, em Pernambuco, João Paulo II chamou oarcebispo de Olinda e Recife de irmão dos pobres e meu irmão, diante da multidão reunidapara a celebração de uma missa campal."Em vez de me passar um pito, por eu não estar usando o solidéu, o Santo Padre tirou o seu dacabeça e segurou numa das mãos", contava sorridente. Em 15 de agosto de 1981Daniel Militão era criança quando encontrou o PapaJoão Paulo II pela primeira vez, em um evento noColégio Santo Américo, em São Paulo, em 1980Ao ver que Daniel estava relutante em entregaras flores, João Paulo II pegou o menino no colo
  37. 37. 2aVISITA DO PAPA JOÃO PAULO II DE 12 À 21/10 DE 1991
  38. 38. Papa João Paulo II plantando pé de pau-brasil3aVISITA DO PAPA JOÃO PAULO II 02/10 À 06/10 DE 1997pé de pau-brasil plantado pelo Papa João Paulo II
  39. 39. Em 1997, no Rio de Janeiro, João Paulo II é surpreendido por um homem vestido com uniforme da PolíciaMilitar que se ajoelha com um papel nas mãos, enquanto ele desfilava no chamado "papamóvel".Removido por seguranças, o fiel gritava "eu quero falar com o Papa, eu quero falar com o Papa".
  40. 40. Frei GalvãoSanto Antônio de SantAna GalvãoFrei Galvão em pintura de artista desconhecido(circa 1850).Frei FranciscanoNascimento 10 demaio de 1739 em GuaratinguetáMorte 23 dedezembro de 1822 (83 anos) emSãoPauloVeneração por Igreja CatólicaBeatificação 8 deabril de 1997, Vaticano por JoãoPaulo IICanonização 11 de maio de 2007, SãoPaulo porBento XVI
  41. 41. Principaltemplo Mosteiro da LuzFesta litúrgica 25 de outubro1Portal dos SantosSanto Antônio de SantAna Galvão, OFM, mais conhecido como FreiGalvão (Guaratinguetá, 10 de maio de 1739 — São Paulo, 23 dedezembro de 1822) foi um frade brasileiro. Uma das figuras religiosas maisconhecidas do Brasil, famoso por seus supostos poderes de cura, Galvãofoi canonizado pelo Papa Bento XVI em 11 de maio de 2007, tornando-se oprimeiro santo nascido no Brasil. No geral, é o segundo santo católico brasileiro,já que a ítalo-brasileira Santa Paulina havia sido canonizada por João Paulo II em2002.Em julho de 2012, foi eleito um dos "100 maiores brasileiros de todos os tempos"em concurso realizado pelo SBT com a BBC de Londres.BiografiaAntônio de SantAnna Galvão nasceu no dia 10 de maiode 1739 na freguesia de Santo Antônio de Guaratinguetá, na capitania de SãoPaulo. Era o quarto de dez ou onze filhos de uma família profundamente religiosade elevado status social e político. Seu pai, o portuguêsAntônio Galvão deFrança, era o capitão-mor da vila. Natural de Faro e ativo no mundo do comércio,França pertencia à Ordem Terceira de São Francisco e era conhecido por suagenerosidade. Sua mãe, Isabel Leite de Barros, era filha de fazendeiros emembro da família do famosobandeirante Fernão Dias Pais, conhecido como o"caçador de esmeraldas". Ela morreria prematuramente em 1755, aos 38 anos.Também conhecida por sua generosidade, Isabel teria doado todas suas roupasaos pobres à época de sua morte.Galvão passou toda sua infância na casa que se situava na esquina da Rua doHospital com a Rua do Teatro (atualmente Ruas Frei Galvão e Frei Lucas,respectivamente). O local foi demolido e recentemente reconstruído.7Aos 13anos, Galvão foi enviado pelos pais ao seminário jesuíta Colégio de Belém,localizado em Cachoeira, na Bahia, com a finalidade de estudar ciênciashumanas. Seu irmão José já se encontrava no local. No Colégio de Belém, quefreqüentou de 1752 a 1756, Galvão fez grandes progressos nos estudos sociais ena prática cristã. Ele aspirava se tornar um padre jesuíta, mas a perseguição anti-jesuíta liderada por Sebastião José de Carvalho e Melo, o Marquês de Pombal,
  42. 42. fez com que ele se mudasse para um convento franciscano em Taubaté,seguindo o conselho do pai.Aos 21 anos, em 15 de abril de 1760, Galvão desistiu do futuro promissor –visto a influência de sua família na sociedade – e se tornou umnoviço noConvento de São Boaventura de Macacu, em Itaboraí, Rio de Janeiro. Lá, eleadotou o nome religioso de Antônio de SantAna Galvão em homenagem àdevoção de sua família a Santa Ana. Durante o noviciado, Galvão se tornouconhecido por sua piedade, zelo e virtudes exemplares. Galvão fez sua profissãosolene em 16 de abril de 1761, assumindo o voto de defender o título de"Imaculada" da Virgem Maria, ainda considerada uma doutrina polêmica à época.8Em 11 de julho de 1762, Galvão foi ordenado sacerdote e transferido parao Convento de São Francisco na cidade de São Paulo, onde continuou seusestudos em teologia e filosofia. Durante a jornada do Rio de Janeiro para SãoPaulo, fez uma breve parada em Guaratinguetá para celebrar sua primeira missa,realizada na Matriz de Santo Antônio, onde ele havia sido batizado. Em 1768, elefoi nomeado confessor, pregador e porteiro do convento, considerado um cargoimportante naquela época. Se destacou de tal forma que a Câmara Municipal lheconsiderou o "novo esplendor do Convento".Em 1770, foi convidado para fazer parte da Academia Paulistana de Letras.Na segunda sessão literária, realizada em março de 1770, Galvão declamou comsucesso, em latim, dezesseis peças de sua autoria, todas dedicadas a Santa Ana.Declamou também dois hinos, uma ode, um ritmo e doze epigramas. Suascomposições são bem metrificadas e dotadas de profundo sentimento religioso epatriótico.De 1769 a 1770, atuou como confessor no Recolhimento de Santa Teresa,casa que abrigava devotas de Teresa de Ávila na cidade de São Paulo. Lá, eleMonumento em homenagem a Frei Galvão em sua cidade natal,Guaratinguetá.
  43. 43. conheceu a Irmã Helena Maria do Espírito Santo, uma freira penitente queafirmava ter visões onde Jesus lhe pedia para fundar um novo Recolhimento.Galvão, o confessor dela, estudou essas mensagens e se consultou com osoutros religiosos, que as reconheceram como válidas e sobrenaturais.Galvão ajudou a criar o novo Recolhimento, chamado Nossa Senhora daLuz, que foi fundado em 2 de fevereiro de 1774 na mesma cidade. Era baseadona Ordem da Imaculada Conceição, e se tornou um lar para meninas quedesejavam viver uma vida religiosa sem fazer votos. Com a morte repentina dairmã Helena em 23 de fevereiro de 1775, Galvão se tornou o novo diretor doinstituto, atuando como novo líder espiritual das irmãs.Naquela época, uma mudança no governo da província de SãoPaulo trouxe um líder que ordenou o fechamento do convento. Galvão aceitou adecisão, mas as freiras se recusaram a abandonar o local e, devido à pressãopopular e aos esforços do Bispo, o convento foi logo reaberto. Posteriormente,com o crescente número de novas irmãs, a construção de mais espaço deconvivência se tornou necessária. Galvão demorou 28 anos para construir umnovo convento e uma igreja, sendo esta última inaugurada em 15 de agosto de1802. Além das obras de construção e dos deveres dentro e fora de sua Ordem,Galvão se comprometeu também com a formação das irmãs.8Os estatutos queele escreveu para elas eram um guia para a vida interior e para a disciplinareligiosa.Quando as coisas pareciam estar mais calmas, uma outra intervenção dogoverno trouxe uma nova provação para Galvão. O capitão-mor sentenciou umsoldado à morte por ter ofendido a seu filho levemente, e o sacerdote foi obrigadoa se exilar por ter defendido o soldado. Mais uma vez, a pressão popularconseguiu revogar a ordem contra o padre.Imagem de Frei Galvão na Catedral de Santo Antônio, emGuaratinguetá.
  44. 44. Em 1781, Galvão foi nomeado mestre dos noviços em Macacu. Entretanto,as irmãs e o Bispo de São Paulo, Manuel da Ressurreição, recorreram aosuperior provincial, escrevendo-lhe que "nenhum dos habitantes desta cidadeserá capaz de suportar a ausência deste religioso por um único momento". Comoresultado, ele foi mandado de volta para São Paulo.8Mais tarde, em 1798, Galvãofoi nomeado guardião do Convento de São Francisco, sendo reeleito em 1801.Em 1808, Galvão teria instituído a devoção a Nossa Senhora dasBrotas em Piraí do Sul durante viagem missionária ao Paraná. Galvão, ao chegaràs margens do rio Piraí, teria decidido passar alguns dias no povoado, sehospedando na casa de Ana Rosa Maria da Conceição. Antes de ir embora,deixou de presente a ela uma estampa de Nossa Senhora das Barracas. AnaRosa colocou a lembrança numa moldura de madeira e fazia suas orações dianteda imagem. Ficou viúva, se casou de novo e se mudou de endereço. Durante amudança, a estampa se perdeu. Algum tempo depois, passando por uma regiãoonde havia ocorrido um incêndio, ela encontrou o quadro entre as cinzas e osbrotos da vegetação. A moldura havia se queimado, mas a imagem estavaapenas chamuscada. O fato foi interpretado como um milagre e a notícia seespalhou pelo povoado. Como o povo já não se lembrava do nome original daimagem, rebatizaram-na de Nossa Senhora das Brotas e erigiram uma capela emsua homenagem.Em 1811, fundou o Convento de Santa Clara em Sorocaba. Onze mesesdepois, retornou ao Convento de São Francisco, na cidade de São Paulo. Em suavelhice, obteve permissão do Bispo Mateus de Abreu Pereira e de seu tutor paraficar no Recolhimento que ajudara a criar. Veio a falecer naquele local em 23 dedezembro de 1822. Galvão foi sepultado na igreja do Recolhimento, sendo o seutúmulo até hoje um destino de peregrinação de fiéis que teriam obtido favoresdevido a sua intercessão.Na época de seu enterro, sua fama de santo já havia se espalhado portodo Brasil, sendo que os frequentadores de seu velório, desejosos em guardaruma relíquia sua, foram cortando pedaços de seu hábito, que ficou reduzido até aaltura dos joelhos de Galvão. Como ele possuía somente aquele hábito, foisepultado com o de outro frade, que ficou igualmente curto. A primeira lápide dotúmulo de Galvão teria tido o mesmo destino de sua batina, sendo pouco a poucoConvento de Nossa Senhora da Luz em 1867, 45 anos após amorte de Galvão.
  45. 45. levada pelos devotos. As pedras da lápide eram colocadas em copos com águapara tratar os enfermos.Em 1929, o Convento de Nossa Senhora da Luz tornou-se um mosteiro,sendo incorporado à Ordem da Imaculada Conceição. A edificação, atualmentechamada de Mosteiro da Luz, foi declarada Patrimônio Cultural da Humanidadepela UNESCO. No local também está localizado o Museu de Arte Sacra de SãoPaulo, que abriga um dos mais representativos acervos do patrimônio sacrobrasileiro, originalmente reunido por Duarte Leopoldo e Silva, primeiro arcebispode São Paulo.MisticismoFrei Galvão era um homem de muita e intensa oração, sendo algunsfenômenos místicos atribuídos a ele, como telepatia, premonição e levitação.Casos de bilocação também foram famosos durante sua vida; segundo relatos elese fazia presente em dois lugares diferentes ao mesmo tempo para cuidar deenfermos ou moribundos que clamavam por sua ajuda.Também era procurado pelo seu alegado poder de curar doenças numaépoca em que os recursos médicos eram escassos. Numa dessas ocasiões,escreveu num pedaço de papel uma frase em latim do Ofício de Nossa Senhora("Após o parto, permaneceste virgem: Ó Mãe de Deus, intercedei por nós"). Emseguida, enrolou o papel no formato de uma pílula e deu-o a uma jovem cujasfortes cólicas renais estavam colocando sua vida em risco. Depois que ela tomoua pílula a dor cessou imediatamente e ela expeliu uma grande quantidadede cálculo renal. Em outra ocasião, um homem pediu a Galvão que ajudasse suaesposa, que estava passando por um parto difícil. Galvão fez com que elatomasse a pílula de papel, e a criança nasceu rapidamente, sem maiorescomplicações. A história das pílulas se espalhou rapidamente e Galvão teve queensinar às irmãs do Recolhimento como fabricá-las, o que elas fazem até os diasde hoje. Elas são distribuídas gratuitamente para cerca de 300 fiéis diariamente.
  46. 46. Em 25 de outubro de 1998, Galvão se tornou o primeiro religioso nascidono Brasil a ser beatificado pelo Vaticano, tendo sido declarado Venerável um anoantes, em 8 de março de 1997. Em 11 de maio de 2007, durante a visita de cincodias do Papa Bento XVI ao Brasil, se tornou a primeira pessoa nascida no Brasil aser canonizada pela Igreja Católica. A cerimônia de mais de duas horas, realizadaao ar livre no Aeroporto Militar Campo de Marte, perto docentro de São Paulo,reuniu cerca de 800 mil pessoas, segundo estimativas oficiais. Galvão foi oprimeiro santo que o Papa Bento XVI canonizou numa cerimônia realizada fora daCidade do Vaticano. Sua elevação ao status de santo veio depois que a Igrejaconcluiu que ele havia realizado pelo menos dois milagres.De acordo com a Igreja, as histórias de Sandra Grossi de Almeida eDaniella Cristina da Silva são evidências da intercessão divina de Galvão. Apóstomar uma das pílulas de papel em 1999, Almeida – que possui uma malformaçãouterina que deveria impossibilitar que ela carregasse um feto no útero por mais dequatro meses – deu à luz a Enzo. As pílulas de Galvão, de acordo com a Igreja,Papa Bento XVI celebrando a missa sagrada durante a Canonização de Frei Galvão em São Paulo em11 de Maio de 2007.Papa João Paulo II celebrando a missa sagrada durante a Beatificação deFrei Galvão no Vaticano em 25 de Outubro de 1998.
  47. 47. também seriam responsáveis pela cura, em 1990, de Daniella Cristina da Silva,uma menina de quatro anos de idade que sofria de hepatite considerada incurávelpelos médicos. Apesar da popularidade das pílulas entre os católicos brasileiros,médicos e até mesmo alguns membros do clero consideram-nas comomeros placebos. A orientação da Igreja é que somente pacientes em estadoterminal devam tomá-las.Casa de Frei Galvão Rota FranciscanaConvento de Nossa Senhora da Luz Bento XVI celebrando MissaBento XVI celebrando Missa Convento de Nossa Senhora da Luz
  48. 48. Amabile Lucia VisintainerSanta Paulina do Coração Agonizante de JesusNascimento 16 de dezembro de 1865 em VigoloVattaroMorte 9 de julho de 1942 (76 anos) em SãoPaulo, BrasilVeneração por Igreja CatólicaBeatificação 18 deOutubro de 1991, Florianópolis,Brasil por PapaJoão Paulo IICanonização 19 de maio de 2002, Vaticano por Papa JoãoPaulo IIPrincipaltemplo Santuário Santa Paulina, em NovaTrento,BrasilFesta litúrgica 9 de JulhoPortal dos SantosAmabile Lucia Visintainer, hoje Santa Paulina, (Vigolo Vattaro, 16 dedezembro de 1865 — São Paulo, 9 de julho de 1942) foi uma religiosatirolesa canonizada em 19 de Maio de 2002 pelo Papa João Paulo II.Santa Paulina é considerada uma santa ítalo-brasileira, embora, na verdade,seja austro-brasileira porque nasceu austríaca, quando toda a regiãodo Tirol pertencia ao Império Austro-húngaro. Atualmente, sua terra natal, VigoloVattaro pertence à Itália.
  49. 49. BiografiaFilha de Napoleone Visintainer (Wiesenteiner) e Anna Pianezzer, nascenuma família de poucas posses que em 1875 emigrou para o Brasilcomo muitosoutros tiroleses italianos oriundos do atual Trentino (Tirolo Italiano),estabelecendo-se na localidade catarinense de Nova Trento.Desde muito cedo, actuante nos serviços religiosos da sua paróquia, emiteos votos em 1895 e torna-se Irmã Paulina do Coração Agonizante de Jesus.Amábile dá início à Congregação das Irmãzinhas da Imaculada Conceição,naatual Irmandade Santa Casa de Bragança Paulista, . Em 1903 deixa Nova Trentoe, no bairro do Ipiranga, em São Paulo, ocupa-se de crianças órfãs e de ex-escravos abandonados.A partir de 1918 passa a ter uma vida muito reservada, dedicando-se àoração e à vida contemplativa. Em 1938 já demonstrava sérios problemas desaúde causados pela diabetes até que lhe foi amputado o braço direito. Passouos últimos meses de sua vida cega, vindo a falecer em 9 de julho de 1942.Em 18 de Outubro de 1991 foi beatificada pelo Papa João Paulo II porocasião da sua visita a Florianópolis. Foi por fim canonizada em 19 demaio de 2002 pelo mesmo Papa, recebendo oficialmente o nome de SantaPaulina do Coração Agonizante de Jesus. É considerada a primeira santabrasileira, mesmo não tendo nascido no Brasil.Santuário de Santa Paulina, localizado em NovaTrento,SC, vista da rampa de acesso ao santuáro.
  50. 50. Vigollo Vattaro para O paese de Vigollo e uma graça, cheio de casaantigas e vielas, tudo muito verde e de uma paz imensa. conheca a casa ondenasceu a Madre Paulina.A casa onde nasceu a madre foi toda reformada e hoje possui trêsandares, mas o subsolo onde a família vivia foi mantido. As freiras que cuidam dolugar estavam em peregrinação, então quem nos recebeu foi uma senhora muitosimpática. Bem idosa, mas de uma boa vontade e mobilidade imensas.
  51. 51. A família habitava pequenas peças feitas de pedra e sem janelas. Duranteo inverno eles dividiam o espaço com os animais, já que essa era a única maneirade sobrevivem devido ao frio. Nós visitamos o lugar na primavera e estava bemfrio lá embaixo. Não consigo imaginar como era no inverno. A foto abaixo e dolugar onde nasceu a santa, sem seguida a foto de uma camisola e dos fios deceda produzidos por ela.Imagens da casa que hoje serve de oratório e pequeno santuárioMadre Paulina imigrou para o Brasil com nove anos de idade em 1875 eestabelecendo-se em Nova Trento. Toda a vida de irmã foi voltada a caridade, esua canonização aconteceu somente em 1965. Madre Paulina e a primeira santaBrasileira.
  52. 52. Confira alguns dos fatos marcantes na vida de Santa MadrePaulina.Cerca de 30 mil pessoas assistiram em Roma à cerimônia de canonização da Madre Paulina em18 de Outubro de 1991Amábile Lúcia Visintainer foi canonizada pelo Papa João Paulo II Em 18 deOutubro de 1991 . Italiana, ela viveu grande parte da vida na cidade de NovaTrento, no Vale do Rio Tijucas, em Santa Catarina.Na mesma cidade, ainda vivem os descendentes da Santa Madre Paulina
  53. 53. que conservam a admiração pela religiosa. Nas imagens abaixo, alguns dosmomentos importantes relacionados à Santa Paulina.— 1865: nasce em 16 de dezembro, no norte da Itália, e recebe o nome deAmábile Lúcia Visintainer.— Em outubro de 1875: vem para o Brasil com a família para morar nalocalidade de Vígolo, em Nova Trento, Santa Catarina.— 1887: com a morte da mãe, tem que cuidar da família até o pai casarnovamente. Desde pequena ajuda na Paróquia de Nova Trento e colabora, comum grupo de jovens, para comprar a imagem de Nossa Senhora de Lourdes, queestá na gruta do Santuário.— Em 12 de Julho de 1890, com a amiga Virginia Rosa Nicolodi, dá início àCongregação das Irmãzinhas da Imaculada Conceição, cuidando de uma doenteem fase terminal num casebre doado por Beniamino Gallotti. Em 1891, junta-se àirmã Teresa Anna Maule.— 1894: o trio funda a Congregação e recebe um terreno e uma casa demadeira de João Valle e Francisco Sgrott como doação.— 07 de dezembro de 1895 – Amábile faz seus votos religiosos e passa aser conhecida como Irmã Paulina do Coração Agonizante de Jesus, a MadrePaulina.— 02 de fevereiro de1903: Santa Paulina é eleita, pelas irmãs, SuperioraGeral. No mesmo ano, deixa Nova Trento para cuidar dos ex-escravos idosos eórfãos, no São Paulo.— 24 de agosto de 1909: a Congregação cresce em Santa Catarina e SãoPaulo. As Irmãs assumem a missão evangelizadora na educação, na catequese,no cuidado aos idosos, doentes e crianças órfãs. Santa Paulina é deposta docargo de Superiora Geral pela autoridade eclesiástica e enviada para BragançaPaulista a fim de cuidar de asilados.— Setembro de 1909, em Bragança Paulista, a Madre Paulina trabalhacomo lavadeira, faxineira e enfermeira, cuidando de doentes e inválidos.
  54. 54. — 1918: é chamada a viver na Casa Geral, em São Paulo, onde ajuda naelaboração da História da Congregação. Acompanha e abençoa as Irmãs quepartem em missão para novas fundações.— 19 de maio de 1933 – Recebe o Decreto de louvor de sua obra,concedido pelo Papa Pio XI.— 18 de março de 1938 – O braço direito da Madre, que era diabética, éamputado.— Em 9 de julho de 1942, morre aos 77 anos, na Casa Geral em SãoPaulo, com fama de santidade, pois viveu as virtudes de fé, esperança e caridade— 1965: em 3 de setembro inicia-se o processo de canonização.— 23 de setembro de 1966 – Eluíza Rosa de Souza (Imbituba-SC)sobrevive a uma hemorragia interna e choque irreversível. Em seu peito foicolocado um pedaço de roupa de Madre Paulina e ela foi curada.— 18 de outubro de 1991 – Madre Paulina é Beatificada, em Florianópolis,por João Paulo II.— 5 de junho de 1992 – Iza Bruna Vieira de Souza nasce com um tumor dacabeça. Operada, sofre convulsões cerebrais e, aparentemente, sem chance desobreviver. A avó coloca um retrato de Madre Paulina perto da menina. Em 24horas, depois de ser batizada, a menina recupera a saúde.— 19 de maio de 2002 – Madre Paulina é Canonizada, na Praça de SãoPedro, e passa a ser chamada de Santa Paulina do Coração Agonizante deJesus.— No dia 17 de outubro de 1991 - O Papa João Paulo II desembarca noAeroporto Hercílio Luz para a beatifização da Madre Paulina—1988 é construída em Nova Trento a réplica do casebre de Amábile e Virginia.Chamada de Casebre, lá estão guardados documentos do nascimento, batismo,crisma de Santa Paulina, além da certidão de casamento de seus pais da Santa
  55. 55. — 1991: a beatificação de Santa Paulina, proclamada pelo Papa João Paulo II,ocorre no dia 18 de outubro, em Florianópolis— 2002: a canonização ocorre no dia 19 de maio, em Roma. Madre Paulina estáincluída na lista das Santas e Santos da Igreja Católica. Nem mesmo a chuva finaafastou a multidao de 30 mil pessoas reunida na Praca de Sao Pedro para assistira canonizacao de cinco novos santos da Igreja Catolica entre eles a MadrePaulina do Coracao Agonizante de Jesus— 8 de setembro de 2002: O então candidato à presidência Ciro Gomes e anamorada Patrícia Pillar fazem uma visita ao Santuário de Santa Paulina— 2006: Obras da catedral do Santuário em Nova Trento
  56. 56. — 2007: A catarinense Eluiza Rosa de Souza, de 65 anos, viaja a São Paulo paraver o Papa Bento XVI. A aposentada de Imbituba já tinha visto o Papa João PauloII de perto em três oportunidades, inclusive no Vaticano. Ela foi uma das primeiraspessoas a receber um milagre de Santa Paulina.—2006: Inauguração da Catedral do Santuário da Santa Paulina. Hoje, oSantuário é um parque ecológico, com estrutura para o turismo.—2010: Jogadores e comissão do Avaí visitam o santuário de Santa Paulina emNova Trento para pagar promessa de permanencia na série A do CampeonatoBrasileiro de futebol.
  57. 57. Processos de Beatificação e CanonizaçãoPara a Congregação das Irmãzinhas da Imaculada Conceição, acomemoração dos 10 anos de Canonização (em 2012) faz recordar todo oprocesso de beatificação e canonização de Santa Paulina. O primeiro milagre foiregistrado em Imbituba (SC), no qual foi reconhecida a cura instantânea, perfeitae duradoura de Eluíza Rosa de Souza, que possuía uma doença complexa: amorte intra-uterina do feto e sua retenção por alguns meses; extração cominstrumentos e revisão do útero, seguida de grande hemorragia e choqueirreversível. O caso foi discutido e, posteriormente, o Santo Padre ratificou emdecreto aprovando as conclusões da Congregação para as Causas dos Santos.Já o segundo milagre comprovado ocorreu com a menina Iza Bruna Vieirade Souza, de Rio Branco (AC). Ela nasceu com má formação cerebral,diagnosticada como “meningoencefalocele occipital de grande porte”. No 5º dia devida, foi submetida, embora anêmica, a uma cirurgia e, depois de 24 horas,apresentou crises convulsivas e parada cardiorrespiratória. A avó da menina,Zaira Darub de Oliveira rezou à Madre Paulina durante toda a gestação da filha etambém durante o período no Hospital. A menina Iza Bruna foi batizada no próprioHospital, dentro do balão de oxigênio, e logo se recuperou. A cura foi atestadapelo Santo Padre e, no dia 19 de maio de 2002, o Papa João Paulo II canonizouSanta Paulina, reconhecendo suas virtudes em grau heróico: humildade,caridade, fé, simplicidade, vida de oração, entre outras.
  58. 58. casa onde nasceu Madre Paulinacasa onde nasceu Madre Paulina casa onde nasceu Madre PaulinaVigolo Vattaro Trentino, Itália Vigolo Vattaro Trentino, Itália
  59. 59. Interior da casa onde nasceu Madre PaulinaVigolo Vattaro Trentino, ItáliaInterior da casa onde nasceu Madre PaulinaCasebre onde Amébile e Virginia acolhiam doentesno início da congregação. Nova Trento, SC
  60. 60. Beatificação de Madre Paulina Interior do SantuárioSantuário de Santa Paulina Iza Bruna, com 9 anos, recebe ahóstia do Papa, durante a missa decanonização no VaticanoSanta Paulina Santuário de Santa Paulina
  61. 61. Jornada Mundial da Juventude28ª Jornada Mundial daJuventudeBandeira oficial do evento frente à Catedralde Aachen, Alemanha.Primeiraedição1986Edição atual 2013Período 23 a 28 de julhoLocal(is) Rio de JaneiroGênero CatólicoIngresso pago, contribuiçõeseconômicasIdealizadoporJoão Paulo IIRealização Arquidiocese do Riode Janeiro, SetorJuventude daCNBB e PontifícioConselho para osLeigosPágina oficial http://rio2013.com/
  62. 62. Jornada Mundial da Juventude é um evento religioso criado pelo PapaJoão Paulo II em 1985, que consiste na reunião de milhões de pessoascatólicas,sobretudo jovens. O evento é celebrado a cada dois ou três anos, numa cidadeescolhida para celebrar a grande jornada em que participam pessoas do mundointeiro. Nos anos intermédios, as Jornadas são vividas localmente, no Domingode Ramos, pelas dioceses ao redor do mundo. Para cada Jornada, o Papa sugereum tema.Durante as JMJ, acontecem eventos como catequeses, adorações, missas,momentos de oração, palestras, partilhas e shows. Tudo isso em diversaslínguas. Em sua última edição, em Madrid em 2011, reuniu cerca de três milhõesde jovens. Apesar de ser proposta pela Igreja Católica, é um convite a todos osjovens do mundo. Para João Paulo II, "…a esperança de um mundo melhor estánuma juventude sadia, com valores, responsável e, acima de tudo, voltada paraDeus e para o próximo."A História das JornadasA Jornada Mundial da Juventude foi celebrada pela primeira vez, demaneira oficial, no Domingo de Ramos de 1986, em Roma. A partir de 1987 edepois, a cada dois anos, como regra geral, organiza-se a Jornada Mundial daJuventude em algum lugar determinado do mundo.Em 1987, os jovens foram convocados a Buenos Aires, onde 1 milhão departicipantes escutaram as seguintes palavras do Papa: "Repito ante vós o quevenho dizendo desde o primeiro dia do meu pontificado: que vós sois a esperançado Papa, a esperança da Igreja." (…) Dois anos depois, 600 mil jovens foram emperegrinação à cidade espanhola de Santiago de Compostela.Em 1991, 1 500 000 participantes participaram da Jornada no santuáriomariano da cidade polonesa de Czestochowa e o Papa João Paulo II foi oprimeiro Papa a falar em Esperanto. Depois da queda do Muro de Berlim, essa foia primeira ocasião em que os jovens do Leste Europeu puderam participar semproblemas do evento.Meio milhão de jovens encontraram o Papa João Paulo II em 1993, nacidade americana de Denver. Diante do impressionante cenário das MontanhasRochosas.
  63. 63. O maior encontro de todos os tempos teve lugar em 1995, por ocasião daJornada Mundial da Juventude em Manila nas Filipinas, 4 milhões de jovensaplaudiram o Papa que evocava a relação com o próximo.Em 1997, foram muitos jovens que responderam ao convite do Papa para aJornada em Paris, que terminou com um evento reunindo quase um milhão depessoas. O Jubileu do ano 2000 converteu-se também no jubileu das JornadasMundiais da Juventude. Cerca de 2,5 milhões de jovens (segundo a imprensalocal) reuniram-se em Roma para um novo mega-encontro com o Papa.A cidade canadense de Toronto foi o palco do encontro de 2002 onde 800mil pessoas encontraram-se para a última Jornada com o peregrino João Paulo II.O Papa lembrou a todos que o espírito jovem é algo que não pode ser sufocado:"Vós sois jovens e o Papa é idoso, e ter 82 ou 83 anos não é a mesma coisa queter 22 ou 23. Todavia, ele continua a identificar-se plenamente com as vossasesperanças e as vossas aspirações. Juventude de espírito, juventude de espírito!Embora eu tenha vivido no meio de muitas trevas, sob duros regimes totalitários,tive suficientes motivos para me convencer de maneira inabalável de quenenhuma dificuldade e nenhum temor é tão grande a ponto de poder sufocarcompletamente a esperança que jorra sem cessar no coração dos jovens."A Jornada entre os dias 16 e 21 de Agostode 2005 em Colónia na Alemanha (XX Jornada Mundial da Juventude, XXWeltjugendtag Köln 2005 em alemão), foi a primeira após a morte do Papa JoãoPaulo II. O evento foi presidido pelo Papa Bento XVI na que foi a primeira viageminternacional do seu pontificado, e em que mais de um milhão de jovens seajoelharam junto com o Papa navigília de 20 de agosto. Nem a variedade delinguâs, culturas, distanciaram os jovens um dos outros.Em 15 de julho de 2008, em Sydney na Austrália, iniciou-se a XXIII JornadaMundial da Juventude sob o tema: "Ides receber uma força, a do Espírito Santo,que descerá sobre vós e sereis minhas testemunhas" (At 1, 8). Em 20 de julho, namissa de encerramento, o Papa convocou os jovens do mundo todo para aXXVI Jornada Mundial da Juventude de 2011 em Madrid naEspanha. No ultimodia da Jornada Mundial da Juventude em Madrid o papa Bento XVI anunciou acidade brasileira do Rio de Janeiro como proxima sede do mega evento católicoem 2013.
  64. 64. InternacionalAno Data Sede Público Tema Hino Missa198415 deAbrilRoma,Vaticano300,000Ano SantodaRedenção:Uma festadeesperançaResta QuiCon Noi[Italiano] Santa Missa realizadana Piazza San Pietro Papa João PauloII confia a Cruz daJMJ a Juventude.198531 deMarçoRoma,Vaticano300,000AnoInternacionaldaJuventude Santa Missa realizadana Piazza San Pietro198711 deAbril–12BuenosAires,Argentina1,000,000"Assimconhecemoso amor queDeus tempor nós econfiamosnesse amor"(1 Jo 4:16)Un NuevoSol[Espanhol] Primeira JMJ fora daEuropa198915 deAgosto–20Santiago deCompostela,Espanha400,000“Eu sou ocaminho, averdade e avida”(Jo 14:6)Somos LosJóvenes[Espanhol] Missa deEncerramentorealizada no Montedo Gozo199110 deAgosto–15Częstochowa,Polónia1,600,000“Vocêsreceberam oEspírito queos adotacomo filhos"(Rm8:15)Abba Ojcze[ Polonês ItalianoEspanhol] Missa deEncerramentorealizada no JasnaGóra199310 deAgosto–15Denver,EstadosUnidos500,000Eu vim paraque tenhamvida, e atenhamplenamente (Jn10:10)(We Are)One Body[Inglês] Missa deEncerramentorealizada no CherryCreek State Park Primeira JMJ naAmérica do Norte199510 deJaneiro–15Manila,Filipinas5,000,000“Assim comoo Pai meenviou,também euvos envio"(Jo20:21)Tell theWorld of HisLove[Inglês] Missa deEncerramentorealizada no LunetaPark Recorde Mundial de
  65. 65. maior público em umencontro com o Papa Primeira JMJ na Ásia199719 deAgosto–24Paris,França2 1,200,000“Mestre,onde moras?Vinde evereis"( Jo 1:38-39)Maître EtSeigneur[Françês] Missa deEncerramentorealizadano LongchampRacecourse200015 deAgosto–20Roma,VaticanoItália2,000,000“E o Verbose fez carnee habitouentre nós"(Jo 1:14)Emmanuel[Italiano IngêsFrançês Espanhol] Missa deEncerramentorealizada no TorVergata Realizada pelaocasião do Jubileu de2000200223 deJulho–28Toronto,Canadá800,000“Vós sois osal da terra...Vós sois aluz domundo"(Mt5:13-14)Lumière DuMonde/LightOf TheWorld[ Francês InglêsEspanhol Italiano] Missa deEncerramentorealizada no ParqueDownsview Última JMJ com apresença do PapaJoão Paulo II Primeira JMJ noCanadá200516 deAgosto–21Colônia,Alemanha1,200,000"Viemosadorá-lo"(Mt 2:2)VenimusAdorare Eum[ Alemão LatinFrancês EspanholInglês Italiano] Missa deEncerramentorealizadaem Marienfeld Primeira JMJ com apresence do PapaBento XVI200815 deJulho–20Sydney,Austrália400,000"Recebereisa força doEspíritoSanto, quevirá sobrevós, e sereisminhasReceive ThePower[ Inglês ItalianoEspanhol Francês] Missa deEncerramentorealizada noRandwickRacecourse
  66. 66. testemunhas" (Ac 1:8)  Primeira JMJna Oceania esegundano Hemisfério Sul201116 deAgosto–21Madrid,Espanha1,400,000-2,000,000” Enraizadose edificadosem Cristo...firmes na fé”(Col2:7)Firmes en laFe[ Espanhol InglêsFrancês ItalianoAlemão Polaco] Missa deEncerramentorealizada noAeroportoCuatro Vientos Espanha se torna oprimeiro país (fora doVaticano/Itália) asediar a JMJ duasvezes.201323 deJulho–28Rio deJaneiro,BrasilTBD"Ide e fazeidiscípulosentre todasasnações”!(Mt28:19)"EsperançadoAmanhecer" Missa deEncerramentorealizada no Camposda Fé JMJ retorna àAmérica do Suldepois de mais deduas décadas....1 - Attendance numbers reflect the total number at the closing Mass whichincludes many locals who attended only that one event. Unless otherwisereferenced, the numbers are quoted from the USCCB website.2 - This lists languages used in the main international version of the anthem. Localversions of the anthem in other languages (and alternate versions) may have alsobeen produced.1 - Números de atendimento refletir o número total no missa de encerramento queinclui muitos locals que assistiram só que uma evento. Salvo disposição emcontrário referenciada, os números são cotados a partir de o website USCCB.2 - Este listas de línguas usado em o principal versão internacional do o hino.Versões locais de o hino em outros idiomas (e as versões alternados) tambémpode ter sido produzido.

×