UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO
ESCOLA POLITÉCNICA

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA HIDRAÚLICA E SANITÁRIA

RELATÓRIO VISITAS TÉCNICA...
II. INTRODUÇÃO
Os problemas ambientais da gestão de resíduos sólidos, a sua importância transcende a coleta e
disposição d...








3.

Objetivos da estação: Permitir que o fluxo de caminhões, distância e tempo de viagem até
aterro sanitár...
O UTRSS Jaguaré tem:
• Fosso de recebimento dos resíduos e Alimentação da Linha de trituração
• Tratamento de Unidade de D...
2.

DESCRIÇÃO DO SISTEMA VISITADO (componentes e fluxo).

A coleta é feita por regiões de toda a cidade de cada instituiçã...
3.

DESCRIÇÃO DE ASPECTOS POSITIVOS /NEGATIVOS DO SISTEMA.
ASPECTOS POSITIVOS

Quando o caminhão de coleta não pode esvazi...
ANEXOS
ANEXO A – Estação de Transbordo de Resíduos do Vergueiro

Esq.: (1) carretas transportadoras de lixo
hasta os aterr...
ANEXO B – Unidade de tratamento de resíduos de serviços de saúde
Desativador Electro-Térmico

Esq.: (1) sala de visitas na...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Relatório_Gestão dos Residuos Solidos Hospitalarios

433 visualizações

Publicada em

Relatorio da visita na estacão de transbordo do Vergueiro no São Paulo y la Estacão de tratamento dos Residuos Solidos Hospitalarios pelo Desativador Electro-Térmico (DET)

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
433
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Relatório_Gestão dos Residuos Solidos Hospitalarios

  1. 1. UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA POLITÉCNICA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA HIDRAÚLICA E SANITÁRIA RELATÓRIO VISITAS TÉCNICAS 01 Estação de Transbordo de Resíduos do Vergueiro e á UTRSS Desativador Electro-Térmico(DET) [RESUMO: Os problemas ambientais da gestão de resíduos sólidos, a sua importância transcende a fila e à sua disposição para conseguir a qualidade de vida da população, identificando assim, os mecanismos de transporte, de transbordo, os aterros sanitários, a coleta seletiva e o tratamento; são alguns conceitos que são desenvolvidos tanto para lixo doméstico o de origem dos hospitais. O que permite a coleta eficiente e economia de tempo de transporte e o transbordo para os resíduos domiciliares e o Desativador, para tratamento dos resíduos de saúde antes da disposição final. Palavras-chave: Lixo, Transbordo, Desativador. HSA0109 – GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS DOCENTE: Profa. Wanda Maria Risso Günther ALUNO: Neptalí Luis Zelaya Ortiz [SP, 17 de abril de 2013]
  2. 2. II. INTRODUÇÃO Os problemas ambientais da gestão de resíduos sólidos, a sua importância transcende a coleta e disposição deles para alcançar a qualidade de vida da população. Neste sentido, esta é a visita técnica à estação de Transbordo de resíduos de Vergueiro e Desativador Eletro-Termico, buscando identificar e compreender a importância da coleta, transferência e tratamento de resíduos antes do descarte. Com esses objetivos, descrever os pontos de vista desenvolvidos com a identificação e descrição do sistema local e a descrição de seus aspectos positivos e negativos. III. OBJETIVOS   Identificar as metodologias de transporte eficiente dos resíduos sólidos domiciliários na cidade de São Paulo Identificar as tecnologias de tratamento dos resíduos sólidos dos serviços de saúde. IV. DESENVOLVIMENTO Para uma melhor descrição propor duas etapas da visita técnica a cada local, suas características e importância. VISITA 01: Estação de Transbordo de Resíduos do Vergueiro 1. IDENTIFICAÇÃO E DESCRIÇÃO DO LOCAL DA VISITA. A estação Vergueiro está localizada na Zona do Ipiranga cobrindo a região Sudeste do Estado, incluindo a Vila Mariana, entre outros. Esta estação é operada pela EcoUrbis Ambiental S.A. 1e seus 2.500 funcionários, facilita o transporte de resíduos até o aterro sanitário de São João, alcançar a eficiência na gestão de coleta e tratamento de resíduos, ajuda a manter o fluxo de transporte para obter uma melhor cobertura de ação na maioria das regiões. A estação de transferência está equipada com instalações para garantir a gestão adequada dos resíduos sólidos urbanos, e sistemas fechados, sistematizadas e controle sistemático do fluxo e caminhões de coleta para 18 subprefeituras. 2. DESCRIÇÃO DO SISTEMA VISITADO (componentes e fluxo). Os componentes da estação são baseados os caminhões de lixo, balazas eletrônicos, Fosso de acumuacion, guindastes e equipe qualificada, e tem essas caraterísticas:  1 O maior poluente é odor característico do Lixo (gás sulfídrico, metano. etc), combatido por um sistema de desodorização para diminuir o impacto. Zona de operações de cor verde no mapa
  3. 3.        3. Objetivos da estação: Permitir que o fluxo de caminhões, distância e tempo de viagem até aterro sanitário, é reduzido, alcançar a eficiência na coleta de mais áreas. O caminhão vazio o lixo nos Carretos ou diretamente no poço, e Carretos com capacidade para até três caminhões transportam o lixo para o aterro. A estação tem um maior Fluxo de "pico elevado" as segundas, terças e quartas feiras, e com uma carga de 2.000 ton/ dia e circulação média de 150 a 200 viagens / dia e depois de fins de semana vai cair 30% aprox. O caminhão vem completo, é pesado, deixa a lixo na carreta ou no fosso e sai para ser pesado vazio, e por isso temos o peso do lixo. Carretos para o mesmo sistema, exceto que antes são pesados vazios e depois cheios. Para registo de dados faz uso de um sistema de software que registra a placa do caminhão e RG do motorista. Assim, a informação é classificada pelo tipo de lixo (domiciliário) nas áreas de coleta, etc. O peso aproximado de lixo geralmente varia entre 3-4 toneladas. Ex: durante a nossa visita veio um caminhão de 13 toneladas, com 26 toneladas de peso bruto e continha 13 lixo. DESCRIÇÃO DE ASPECTOS POSITIVOS /NEGATIVOS DO SISTEMA. ASPECTOS POSITIVOS É prefere descarga direta para evitar a acumulação os Carretos e o fosso. Permanência de lixo, que limita 24 horas para carregar e sair Carretos. Pessoal fosso torna a limpeza a cada 24 horas, depois de tudo o lixo é enviado. Controle de odor com desodorantes ASPECTOS NEGATIVOS Quando os carrinhos carregados diretamente, ele tem que ir para frente e para trás para facilitar a lixo é uniforme dentro de carga. Dentro do terreno, há o velho incinerador desde 2004 não funciona para o encerramento definitivo por causa de sua forte contaminação no Meio. Uma das melhores e mais antigas estações de São Paulo Aqueles listados acima podem ser considerados negativo porque ajudam a poluição com peças de lixo compostos voláteis, ou resíduos de menor diâmetro, ocupam espaço para melhorar a estrutura. VISIA 02: Unidade de Tratamento de Resíduos de Serviços de Saúde- UTRSS Desativador Eletrotérmico (DET)2 1. IDENTIFICAÇÃO E DESCRIÇÃO DO LOCAL DA VISITA. A Unidade de Tratamento de resíduos de serviços de UTRSS saúde, está localizada na região de Jaguaré, Estado de São Paulo. Esta estação é dedicada aos centros de tratamento de resíduos sólidos e de hospedagem e de saúde em casa hospitaleiro. De acordo com a classificação dos resíduos NBR 12808/1993 aqui são RSS e principalmente do tipo A conseguindo obter resíduos do tipo D, no final do tratamento requerido. 2 Del english, Ectrical Threm Desactivation-ETD
  4. 4. O UTRSS Jaguaré tem: • Fosso de recebimento dos resíduos e Alimentação da Linha de trituração • Tratamento de Unidade de DET-Desativação eletrotérmico • Monitoramento fazer painéis de controle e processo A planta está equipada com equipamentos de última geração, tecnologia que permite aerosol controle poluição, voláteis pó potencial para causar tais infecções ou infecções. Na área de armazenamento é importante para evitar a descarga de gases e contaminantes externos para assim fossas câmara tem um sistema de absorção, que remove o ar do lado de fora do ar "para Fossos contaminado" por uma conduta com filtros. Unidade DTE é um desativado isoelétrico utilizado como um sistema de desinfecção compreende um tubo de parafina que controla um campo magnético a temperaturas elevadas (100 ° C) e condições de pressão controlada, e a remoção de substâncias de agentes patogénicos RSS. O fluxo operacional segue o seguinte esquema: Figura 01: Fluxo das operações na UTRSS
  5. 5. 2. DESCRIÇÃO DO SISTEMA VISITADO (componentes e fluxo). A coleta é feita por regiões de toda a cidade de cada instituição ou empresa, que é recolhido no UTRSS para tratamento e eliminação no aterro sanitário e siga estes procedimentos:        É importante usar QUIPO de proteção pessoal para fiscalização e monitoramento e visitas dentro da instalação. A unidade possui os equipamentos necessários para o armazenamento de resíduos em uma linha de britagem poço, equipamento DTE, containers, quintal Cooling. O processo começa com a entrada dos caminhões de coleta de UTR, sendo de vários tamanhos a partir de diferentes centros de saúde, hospitais e centros médicos, farmácias, etc O UTRSS (Jaguaré),3 tem dois fossos recolha de resíduos onde cada caminhão ou carro coletor menor deposita os resíduos de forma segura, através de um sistema de rampas (para carregar pequenos coletores sem elevador) UTRSS também tem alguns pontos de moagem e equipamentos DET equipe para cada um. Garra guindaste é responsável pela colocação de aterros de resíduos de retalhamento. A partir daqui, uma vez reduzido o tamanho dos resíduos passe a unidade de DTE para eliminar qualquer organismo patogénico. O movimento pela DET requer uma fase refrigeração em contêiner que pode ser entre 4-6 horas e, em seguida, transportados por caminhão até o aterro. Figura 02: Mapa de Risco nas operações na UTRSS-ETD 3 Para o sistema de drenagem em massa, define dois tipos gerais de veículos, alguns colecionadores com caminhões tanques cilíndricos e elevador (pode levantar o depósito esvaziar sua carga) e outro de médio ou pequeno veículo utilitário sem elevador (geralmente tanque retangular você precisa de uma rampa porta traseira para esvaziar a carga de resíduos, incluindo alguns exigem uma pessoa para retirar os bags)
  6. 6. 3. DESCRIÇÃO DE ASPECTOS POSITIVOS /NEGATIVOS DO SISTEMA. ASPECTOS POSITIVOS Quando o caminhão de coleta não pode esvaziar rampa, ele deve ter o apoio de um operador para esvaziar os sacos de resíduos para os fossos, a integridade do operador é de inteira responsabilidade da empresa ou que transporta ou um centro de coleção ou particular. Exige que os operadores de cada painel de controle em cada planta DET, Não presença de risco pessoal durante caminhões de transporte e contêineres. ASPECTOS NEGATIVOS Uso dos materiais parafínico para tubo unidade DET, material inflamável. A redução parcial do triturador de resíduos, com traços de agulhas que podem ser incorporados na estrutura de um tubo de DET. Controlo de riscos implementado profissionais de saúde, mas nem todos os funcionários tem implementado os EPP (máscaras, tampão contra o ruído, óculos de proteção) V. CONSIDERAÇÕES FINAIS Do exposto, podemos considerar o seguinte:  Os resíduos sólidos domésticos requerem uma gestão descentralizada para disposição final, o que é conseguido por estações de transferência ou transbordo do Vergueiro, reduzindo o tempo de viagem dos resíduos paro o aterro e aumento da procura na coleção da cidade.  O Desativador Electro-Termico ou ETD sua sigla em Inglês, é uma importante ferramenta para o tratamento de resíduos de serviços de saúde, o que confere ao uso de radiação magnética para neutralizar poluentes e fazer mais prática sua eliminação. VI. REFERÊNCIAS Gestão de Resíduos Sólidos da Cidade de São Paulo. Secretaria de serviços. Departamento de limpeza urbana. Prefeitura de São Paulo. PDF Disponível online: http://www.cetesb.sp.gov.br/noticentro/2007/10/pref_saopaulo.pdf Gestão de Resíduos de Serviços de Saúde no Município de São Paulo. Divisão Técnica de Incineração e Transbordo 2012. Secretaria Municipal de Serviços. Departamento de Limpeza Urbana. Prefeitura do Município de São Paulo. PDF. Disponível online: htts//:docsgoogle.com
  7. 7. ANEXOS ANEXO A – Estação de Transbordo de Resíduos do Vergueiro Esq.: (1) carretas transportadoras de lixo hasta os aterros. (2) grua para alimentação de La fossa a lós carretos. (3) carreta coberta com mala antes de partir o aterro Der: (1) veiculo coletor viciando lixo direto a carreta. (2) cabina de controle de ingresso y pesado de camiões. (3) maqueta dos projetos: “Reprogramação funcional do incinerador do Ipiranga” e “ Modernização da estação de transferência Vergueiro”
  8. 8. ANEXO B – Unidade de tratamento de resíduos de serviços de saúde Desativador Electro-Térmico Esq.: (1) sala de visitas na planta de UTR. O pessoal com equipo de protecional pessoal - EPP para ingresso na planta. (2) camões coletores deixam os RSS no fosso (3) veículos menores deixam os RSS no fosso. Der: (1) Fosso de recebimento dos resíduos e alimentação da linha de trituração. (2) Painéis de controle e monitoramento do processo. (3) Unidade de tratamento ETD- Desativação electrotérmica

×