Aplicações Criativas em
Economia no Século XXI
Matheus Albergaria de Magalhães
Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP)
Sã...
Organização
● Objetivos
● Motivação
● Evidência
● Dez Regras
● Conclusões
Objetivos
● Discutir Criatividade em Economia
● Identificar características
economistas criativos

comuns

a

● Motivar al...
Motivação (I)
● Criatividade pode assumir
significados em Economia

distintos

● Criatividade em Economia é diferente de
E...
Motivação (II)
● Steven Levitt: exemplo de economista criativo

Steven Levitt
Criminalidade, Corrupção, Educação, Política...
Motivação (III)
● Outros economistas criativos da atualidade

Roland Fryer

Justin Wolfers

Nathan Nunn

Discriminação

Fe...
Motivação (IV)
● Economistas criativos pioneiros

Gary Becker

Robert Lucas Jr.

Joseph Stiglitz

Paul Krugman

Microecono...
Motivação (V)
● Afinal, o que estes economistas têm em
comum?
● A princípio, cada um deles trabalhou em
áreas e temas de p...
Motivação (VI)
● Nos últimos anos, economistas parecem
valorizar cada vez mais temas criativos
● Alguns Exemplos:
i. Corru...
Motivação (VII)
Índice de Corrupção (Multas de Estacionamento da ONU)

Fonte: FISMAN, R.; MIGUEL, E. Corruption, Norms and...
Motivação (VIII)
Índice de Corrupção (Transparência Internacional)

Fonte: Transparência Internacional (http://www.transpa...
Motivação (IX)
Índice de Incerteza Agregada, 1990-2010

Fonte: BLOOM, N. The impact of uncertainty shocks. Econometrica, v...
Motivação (X)
Luzes da Terra à Noite (Imagens via Satélite)

Fonte: National Aeronautics and Space Administration (NASA) (...
Evidência (I)
● Insight: poderíamos olhar para Premiações
em Economia e tentar enxergar padrões
comuns
● Quais são as tend...
Evidência (II)
Prêmio Nobel de Economia (1969-2011)

Fonte: Elaboração Própria, a partir de dados da Fundação Nobel (Nobel...
Evidência (III)
Medalha John Bates Clark (1947-2011)

Fonte: Elaboração Própria, a partir de dados da American Economic As...
Evidência (IV)
● Mas, afinal, o que é ser criativo em
Economia?
● Há mais de uma resposta para esta questão
● Dada a diver...
Dez Regras (I)
● Criatividade em Economia pode ter diversos
significados:
i. Criação de uma nova área de pesquisa
ii.Contr...
Dez Regras (II)
● Existem "regras" de criatividade?
● Elaboração de lista com 10 (dez) regras de
criatividade
● Ressalva:
...
Dez Regras (III)
● Regra n.1: Atente aos pequenos detalhes (noção
de Custos de Menu de N.G. Mankiw)
● Regra n.2: Questione...
Dez Regras (IV)
● Regra n.4: Economia não é religião (debates
relacionados à legitimidade de idéias específicas
são, em ge...
Dez Regras (V)

● Regra n.7: Não deixe de pesquisar por conta
de limitações do método de análise (não há
métodos perfeitos...
Dez Regras (VI)
● Regra n.9: Existe mais diversidade do que se
imagina à primeira vista (debates da crise de
2007-2008)
● ...
Dez Regras (VII)
● Frase de John Maynard Keynes (1883-1946)
parece válida ainda nos dias de hoje:
“Bons economistas são os...
Conclusões
● Criatividade pode, de fato, assumir diversas
conotações em Economia
● Atualmente, economistas analisam temas
...
OBRIGADO!
Matheus Albergaria de Magalhães
Economista
matheus.albergaria.magalhaes@gmail.com
www.sites.google.com/site/malb...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Aplicações Criativas em Economia no Século XXI

211 visualizações

Publicada em

Semana de Estudos em Economia e Relações Internacionais. Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP), São Paulo, 21 de Agosto de 2012.

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
211
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aplicações Criativas em Economia no Século XXI

  1. 1. Aplicações Criativas em Economia no Século XXI Matheus Albergaria de Magalhães Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP) São Paulo, 21 de Agosto de 2012
  2. 2. Organização ● Objetivos ● Motivação ● Evidência ● Dez Regras ● Conclusões
  3. 3. Objetivos ● Discutir Criatividade em Economia ● Identificar características economistas criativos comuns a ● Motivar alunos da FAAP com potenciais aplicações criativas da Economia Moderna
  4. 4. Motivação (I) ● Criatividade pode assumir significados em Economia distintos ● Criatividade em Economia é diferente de Economia Criativa ● Temas Criativos crescentemente valorizados em Economia
  5. 5. Motivação (II) ● Steven Levitt: exemplo de economista criativo Steven Levitt Criminalidade, Corrupção, Educação, Política Fonte: Google Imagens (http://images.google.com.br/)
  6. 6. Motivação (III) ● Outros economistas criativos da atualidade Roland Fryer Justin Wolfers Nathan Nunn Discriminação Felicidade História Fonte: Google Imagens (http://images.google.com.br/)
  7. 7. Motivação (IV) ● Economistas criativos pioneiros Gary Becker Robert Lucas Jr. Joseph Stiglitz Paul Krugman Microeconomia Prêmio Nobel (1992) Macroeconomia Prêmio Nobel (1995) Microeconomia Prêmio Nobel (2001) Econ. Internacional Prêmio Nobel (2008) Fonte: Google Imagens (http://images.google.com.br/)
  8. 8. Motivação (V) ● Afinal, o que estes economistas têm em comum? ● A princípio, cada um deles trabalhou em áreas e temas de pesquisa distintos ● Por quê suas contribuições são valorizadas?
  9. 9. Motivação (VI) ● Nos últimos anos, economistas parecem valorizar cada vez mais temas criativos ● Alguns Exemplos: i. Corrupção na Organização das Nações Unidas (ONU) ii. Impactos Macroeconômicos da Incerteza iii. Luminosidade e Crescimento Econômico
  10. 10. Motivação (VII) Índice de Corrupção (Multas de Estacionamento da ONU) Fonte: FISMAN, R.; MIGUEL, E. Corruption, Norms and Legal Enforcement: evidence from diplomatic parking tickets. Journal of Political Economy, v.115, n.6, p.1020-1048, 2007.
  11. 11. Motivação (VIII) Índice de Corrupção (Transparência Internacional) Fonte: Transparência Internacional (http://www.transparency.org)
  12. 12. Motivação (IX) Índice de Incerteza Agregada, 1990-2010 Fonte: BLOOM, N. The impact of uncertainty shocks. Econometrica, v.77, n.3, p.623-685, May 2009.
  13. 13. Motivação (X) Luzes da Terra à Noite (Imagens via Satélite) Fonte: National Aeronautics and Space Administration (NASA) (http://visibleearth.nasa.gov/).
  14. 14. Evidência (I) ● Insight: poderíamos olhar para Premiações em Economia e tentar enxergar padrões comuns ● Quais são as tendências de pesquisa valorizadas pela profissão? ● Há padrões predominantes ao longo do tempo?
  15. 15. Evidência (II) Prêmio Nobel de Economia (1969-2011) Fonte: Elaboração Própria, a partir de dados da Fundação Nobel (Nobelstiftelsen) (www.nobelprize.org).
  16. 16. Evidência (III) Medalha John Bates Clark (1947-2011) Fonte: Elaboração Própria, a partir de dados da American Economic Association (www.aeaweb.org).
  17. 17. Evidência (IV) ● Mas, afinal, o que é ser criativo em Economia? ● Há mais de uma resposta para esta questão ● Dada a diversidade de trajetórias de economistas criativos, termo "criatividade" assume distintas conotações
  18. 18. Dez Regras (I) ● Criatividade em Economia pode ter diversos significados: i. Criação de uma nova área de pesquisa ii.Contribuições em distintas áreas ou campos do conhecimento iii.Utilização de novos métodos para responder antigas questões
  19. 19. Dez Regras (II) ● Existem "regras" de criatividade? ● Elaboração de lista com 10 (dez) regras de criatividade ● Ressalva: lista idiossincrático... possui caráter ● ...mas pode nos ajudar a enxergar alguns padrões
  20. 20. Dez Regras (III) ● Regra n.1: Atente aos pequenos detalhes (noção de Custos de Menu de N.G. Mankiw) ● Regra n.2: Questione o senso comum (abordagem de Equilíbrio com Expectativas Racionais de Robert Lucas Jr.) ● Regra n.3: Evite rótulos (divisões de economistas em grupos nada dizem a respeito de contribuições em termos de substância)
  21. 21. Dez Regras (IV) ● Regra n.4: Economia não é religião (debates relacionados à legitimidade de idéias específicas são, em geral, pouco frutíferos) ● Regra n.5: Interaja com pessoas que possuem maneiras distintas de pensar da sua (importância da multidisciplinaridade) ● Regra n.6: Nunca menospreze uma boa idéia apenas por falta de rigor (trajetória de Paul Krugman)
  22. 22. Dez Regras (V) ● Regra n.7: Não deixe de pesquisar por conta de limitações do método de análise (não há métodos perfeitos) ● Regra n.8: Respeite a tradição, mas não se deixe escravizar (caráter "autofágico" da pesquisa contemporânea)
  23. 23. Dez Regras (VI) ● Regra n.9: Existe mais diversidade do que se imagina à primeira vista (debates da crise de 2007-2008) ● Regra n.10: Pesquise assuntos que você julgue motivantes (importância de interesses genuínos de pesquisa)
  24. 24. Dez Regras (VII) ● Frase de John Maynard Keynes (1883-1946) parece válida ainda nos dias de hoje: “Bons economistas são os pássaros mais raros. Eles devem alcançar um alto padrão em várias direções diferentes e combinar talentos que não é comum encontrar juntos. Devem ser a um só tempo historiadores, homens públicos e filósofos. Devem entender de símbolos e falar com palavras. Devem ser tão incorruptíveis e distantes quanto um artista, ainda que por vezes tão pé no chão quanto um político” Fonte: KEYNES, J.M. Essays in Biography. London: MacMillan, 1933.
  25. 25. Conclusões ● Criatividade pode, de fato, assumir diversas conotações em Economia ● Atualmente, economistas analisam temas pertencentes a distintos campos de conhecimento ● Alunos e Cientistas Sociais da atualidade: necessidade de manter a mente aberta + atenção à multidisciplinaridade inerente a alguns temas
  26. 26. OBRIGADO! Matheus Albergaria de Magalhães Economista matheus.albergaria.magalhaes@gmail.com www.sites.google.com/site/malbergariademagalhaes

×