SlideShare uma empresa Scribd logo

Icoop v2

Marcelo Fleury
Marcelo Fleury
Marcelo FleurySoftware Developer

Financial business intelligence Since 2010

Icoop v2

1 de 16
Baixar para ler offline
Icoop v2
Acompanhamento diário
dos indicadores
Possibilitando a melhor gestão
dos recursos.
•Alavancar negócios,
minimizando o risco de
perdas.
• Tomando medidas diárias
para reverter o quadro da
cooperativa desenquadrada.
Pro-atividade...
Estabilidade...
Cálculo do limite
a emprestar diário
Informa diáriamente o quanto
a cooperativa tem re recurso
para emprestar.
• Maior produtividade e
geração de receita para
cooperativa.
•Não ultrapasse regra limite
CRESI.
Agilidade...
Relatórios gráficos de comparação
• Modelos:
pizza, linha, coluna e
misto.
•Comparação:
Formula X Cooperativas
Cooperativa X Formulas
Prosperidade...
• Simulação
– Permitir que os responsáveis possam simular relatórios,
testar novas fórmulas e indicadores.
• Projeção
– Projetar posições futuras com base em informações pré-
estabelecidas.
Visão...
Indica o posicionamento da cooperativa com
relação as regras de negócios.
• Poderão ou não ser impressos junto ao
relatório;
• É utilizado como base para as “Dicas
Gerenciais”
Sinalizadores

Recomendados

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Icoop v2

RIGGI - Assessoria Gerencial
RIGGI - Assessoria Gerencial RIGGI - Assessoria Gerencial
RIGGI - Assessoria Gerencial Marcos Abreu
 
Meeting || Rotinas Anuais RAIS + DIRF | Windows
Meeting || Rotinas Anuais RAIS + DIRF | WindowsMeeting || Rotinas Anuais RAIS + DIRF | Windows
Meeting || Rotinas Anuais RAIS + DIRF | WindowsEflowMeeting
 
Sistema de Gestão Comercial
Sistema de Gestão ComercialSistema de Gestão Comercial
Sistema de Gestão ComercialEdson Oliveira
 
Sistema de informação gerencial
Sistema de informação gerencialSistema de informação gerencial
Sistema de informação gerencialDenilson Sousa
 
4a Web Aula - Gestão de Tecnologia da Informação.pdf
4a Web Aula - Gestão de Tecnologia da Informação.pdf4a Web Aula - Gestão de Tecnologia da Informação.pdf
4a Web Aula - Gestão de Tecnologia da Informação.pdfDimas Francisco
 
SIG - Sistema de Informações Gerenciais
SIG - Sistema de Informações GerenciaisSIG - Sistema de Informações Gerenciais
SIG - Sistema de Informações GerenciaisDeroci Nonato Júnior
 
ProFiable
ProFiableProFiable
ProFiablercbus
 
3ed. Remuneração e Beneficios
3ed. Remuneração e Beneficios3ed. Remuneração e Beneficios
3ed. Remuneração e BeneficiosCesar Patiño
 
0620 - Controlo de Gestão - Manual.docx
0620 - Controlo de Gestão - Manual.docx0620 - Controlo de Gestão - Manual.docx
0620 - Controlo de Gestão - Manual.docxLilianaCaetano8
 
Meeting || Rotinas Anuais RAIS + DIRF | 4W
Meeting || Rotinas Anuais RAIS + DIRF | 4WMeeting || Rotinas Anuais RAIS + DIRF | 4W
Meeting || Rotinas Anuais RAIS + DIRF | 4WEflowMeeting
 

Semelhante a Icoop v2 (20)

RIGGI - Assessoria Gerencial
RIGGI - Assessoria Gerencial RIGGI - Assessoria Gerencial
RIGGI - Assessoria Gerencial
 
Suprimais
SuprimaisSuprimais
Suprimais
 
Suprimais
SuprimaisSuprimais
Suprimais
 
Fgv up todate136
Fgv up todate136Fgv up todate136
Fgv up todate136
 
Meeting || Rotinas Anuais RAIS + DIRF | Windows
Meeting || Rotinas Anuais RAIS + DIRF | WindowsMeeting || Rotinas Anuais RAIS + DIRF | Windows
Meeting || Rotinas Anuais RAIS + DIRF | Windows
 
Artigo sixsigma
Artigo sixsigmaArtigo sixsigma
Artigo sixsigma
 
Sistema de Gestão Comercial
Sistema de Gestão ComercialSistema de Gestão Comercial
Sistema de Gestão Comercial
 
Sistema de informação gerencial
Sistema de informação gerencialSistema de informação gerencial
Sistema de informação gerencial
 
4a Web Aula - Gestão de Tecnologia da Informação.pdf
4a Web Aula - Gestão de Tecnologia da Informação.pdf4a Web Aula - Gestão de Tecnologia da Informação.pdf
4a Web Aula - Gestão de Tecnologia da Informação.pdf
 
SIG - Sistema de Informações Gerenciais
SIG - Sistema de Informações GerenciaisSIG - Sistema de Informações Gerenciais
SIG - Sistema de Informações Gerenciais
 
Desdobravel Saude BR_final
Desdobravel Saude BR_finalDesdobravel Saude BR_final
Desdobravel Saude BR_final
 
SISQUAL workforce management
SISQUAL workforce managementSISQUAL workforce management
SISQUAL workforce management
 
CV_Tulio_Abrantes
CV_Tulio_AbrantesCV_Tulio_Abrantes
CV_Tulio_Abrantes
 
ProFiable
ProFiableProFiable
ProFiable
 
Avaliação e auditoria atuarial
Avaliação e auditoria atuarialAvaliação e auditoria atuarial
Avaliação e auditoria atuarial
 
3ed. Remuneração e Beneficios
3ed. Remuneração e Beneficios3ed. Remuneração e Beneficios
3ed. Remuneração e Beneficios
 
Slideshare green belt
Slideshare green beltSlideshare green belt
Slideshare green belt
 
O Modelo de Referencia SCOR
O Modelo de Referencia SCORO Modelo de Referencia SCOR
O Modelo de Referencia SCOR
 
0620 - Controlo de Gestão - Manual.docx
0620 - Controlo de Gestão - Manual.docx0620 - Controlo de Gestão - Manual.docx
0620 - Controlo de Gestão - Manual.docx
 
Meeting || Rotinas Anuais RAIS + DIRF | 4W
Meeting || Rotinas Anuais RAIS + DIRF | 4WMeeting || Rotinas Anuais RAIS + DIRF | 4W
Meeting || Rotinas Anuais RAIS + DIRF | 4W
 

Mais de Marcelo Fleury

Desenvolvimento seguro
Desenvolvimento seguroDesenvolvimento seguro
Desenvolvimento seguroMarcelo Fleury
 
Processos de desenvolvimento de software
Processos de desenvolvimento de softwareProcessos de desenvolvimento de software
Processos de desenvolvimento de softwareMarcelo Fleury
 
GraoJS - full stack mvc nodejs 2015 7m
GraoJS - full stack mvc nodejs 2015 7mGraoJS - full stack mvc nodejs 2015 7m
GraoJS - full stack mvc nodejs 2015 7mMarcelo Fleury
 
GraoJS – A full stack MVC NodeJS LT
GraoJS – A full stack MVC NodeJS LTGraoJS – A full stack MVC NodeJS LT
GraoJS – A full stack MVC NodeJS LTMarcelo Fleury
 
Kdc spoofing com kerberos mit
Kdc spoofing com kerberos mitKdc spoofing com kerberos mit
Kdc spoofing com kerberos mitMarcelo Fleury
 
Open ldap criando e explorando um overlay
Open ldap   criando e explorando um overlayOpen ldap   criando e explorando um overlay
Open ldap criando e explorando um overlayMarcelo Fleury
 
Kerberos e OpenLDAP: Ambiente SSO OpenSource
Kerberos e OpenLDAP: Ambiente SSO OpenSourceKerberos e OpenLDAP: Ambiente SSO OpenSource
Kerberos e OpenLDAP: Ambiente SSO OpenSourceMarcelo Fleury
 
See project - Segurança em Cloud Computing v2 FISL 11 2010
See project - Segurança em Cloud Computing v2 FISL 11 2010See project - Segurança em Cloud Computing v2 FISL 11 2010
See project - Segurança em Cloud Computing v2 FISL 11 2010Marcelo Fleury
 
See Project - Segurança em Cloud Computing FLISOL GO 2010
See Project - Segurança em Cloud Computing FLISOL GO 2010See Project - Segurança em Cloud Computing FLISOL GO 2010
See Project - Segurança em Cloud Computing FLISOL GO 2010Marcelo Fleury
 
PHP Symfony, Vale A Pena
PHP Symfony, Vale A PenaPHP Symfony, Vale A Pena
PHP Symfony, Vale A PenaMarcelo Fleury
 
Segurança no Desenvolvimento de Software
Segurança no Desenvolvimento de SoftwareSegurança no Desenvolvimento de Software
Segurança no Desenvolvimento de SoftwareMarcelo Fleury
 

Mais de Marcelo Fleury (13)

Apresentação docker
Apresentação dockerApresentação docker
Apresentação docker
 
Desenvolvimento seguro
Desenvolvimento seguroDesenvolvimento seguro
Desenvolvimento seguro
 
Processos de desenvolvimento de software
Processos de desenvolvimento de softwareProcessos de desenvolvimento de software
Processos de desenvolvimento de software
 
GraoJS - full stack mvc nodejs 2015 7m
GraoJS - full stack mvc nodejs 2015 7mGraoJS - full stack mvc nodejs 2015 7m
GraoJS - full stack mvc nodejs 2015 7m
 
GraoJS – A full stack MVC NodeJS LT
GraoJS – A full stack MVC NodeJS LTGraoJS – A full stack MVC NodeJS LT
GraoJS – A full stack MVC NodeJS LT
 
Kdc spoofing com kerberos mit
Kdc spoofing com kerberos mitKdc spoofing com kerberos mit
Kdc spoofing com kerberos mit
 
Open ldap criando e explorando um overlay
Open ldap   criando e explorando um overlayOpen ldap   criando e explorando um overlay
Open ldap criando e explorando um overlay
 
Kerberos e OpenLDAP: Ambiente SSO OpenSource
Kerberos e OpenLDAP: Ambiente SSO OpenSourceKerberos e OpenLDAP: Ambiente SSO OpenSource
Kerberos e OpenLDAP: Ambiente SSO OpenSource
 
See project - Segurança em Cloud Computing v2 FISL 11 2010
See project - Segurança em Cloud Computing v2 FISL 11 2010See project - Segurança em Cloud Computing v2 FISL 11 2010
See project - Segurança em Cloud Computing v2 FISL 11 2010
 
See Project - Segurança em Cloud Computing FLISOL GO 2010
See Project - Segurança em Cloud Computing FLISOL GO 2010See Project - Segurança em Cloud Computing FLISOL GO 2010
See Project - Segurança em Cloud Computing FLISOL GO 2010
 
PHP Symfony, Vale A Pena
PHP Symfony, Vale A PenaPHP Symfony, Vale A Pena
PHP Symfony, Vale A Pena
 
Segurança em SOA
Segurança em SOASegurança em SOA
Segurança em SOA
 
Segurança no Desenvolvimento de Software
Segurança no Desenvolvimento de SoftwareSegurança no Desenvolvimento de Software
Segurança no Desenvolvimento de Software
 

Último

A molécula de ATP e formada por açúcar (ribose), ligado a uma base nitrogenad...
A molécula de ATP e formada por açúcar (ribose), ligado a uma base nitrogenad...A molécula de ATP e formada por açúcar (ribose), ligado a uma base nitrogenad...
A molécula de ATP e formada por açúcar (ribose), ligado a uma base nitrogenad...Unicesumar
 
Um dos materiais mais utilizados em salas de aula na educação escolar pública...
Um dos materiais mais utilizados em salas de aula na educação escolar pública...Um dos materiais mais utilizados em salas de aula na educação escolar pública...
Um dos materiais mais utilizados em salas de aula na educação escolar pública...AcademicaDlaUnicesum
 
ATIVIDADE 1 - BEDU - EDUCAÇÃO FÍSICA NO ENSINO FUNDAMENTAL ANOS FINAIS E ENSI...
ATIVIDADE 1 - BEDU - EDUCAÇÃO FÍSICA NO ENSINO FUNDAMENTAL ANOS FINAIS E ENSI...ATIVIDADE 1 - BEDU - EDUCAÇÃO FÍSICA NO ENSINO FUNDAMENTAL ANOS FINAIS E ENSI...
ATIVIDADE 1 - BEDU - EDUCAÇÃO FÍSICA NO ENSINO FUNDAMENTAL ANOS FINAIS E ENSI...Unicesumar
 
Com base nos estudos e material da disciplina, explique por qual motivo o tre...
Com base nos estudos e material da disciplina, explique por qual motivo o tre...Com base nos estudos e material da disciplina, explique por qual motivo o tre...
Com base nos estudos e material da disciplina, explique por qual motivo o tre...Unicesumar
 
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...Unicesumar
 
MAPA - ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS - 51/2024
MAPA - ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS - 51/2024MAPA - ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS - 51/2024
MAPA - ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS - 51/2024Unicesumar
 
Analisando o objetivo de Matheus (Perfil 1), o treinamento resistido será des...
Analisando o objetivo de Matheus (Perfil 1), o treinamento resistido será des...Analisando o objetivo de Matheus (Perfil 1), o treinamento resistido será des...
Analisando o objetivo de Matheus (Perfil 1), o treinamento resistido será des...Unicesumar
 
ATIVIDADE 1 – PROTOCOLO E PROCEDIMENTO DE COLETA DAS MEDIDAS.
ATIVIDADE 1 – PROTOCOLO E PROCEDIMENTO DE COLETA DAS MEDIDAS.ATIVIDADE 1 – PROTOCOLO E PROCEDIMENTO DE COLETA DAS MEDIDAS.
ATIVIDADE 1 – PROTOCOLO E PROCEDIMENTO DE COLETA DAS MEDIDAS.Unicesumar
 
Considerando as especificações, o nível de experiência, assim como o objetivo...
Considerando as especificações, o nível de experiência, assim como o objetivo...Considerando as especificações, o nível de experiência, assim como o objetivo...
Considerando as especificações, o nível de experiência, assim como o objetivo...Unicesumar
 

Último (9)

A molécula de ATP e formada por açúcar (ribose), ligado a uma base nitrogenad...
A molécula de ATP e formada por açúcar (ribose), ligado a uma base nitrogenad...A molécula de ATP e formada por açúcar (ribose), ligado a uma base nitrogenad...
A molécula de ATP e formada por açúcar (ribose), ligado a uma base nitrogenad...
 
Um dos materiais mais utilizados em salas de aula na educação escolar pública...
Um dos materiais mais utilizados em salas de aula na educação escolar pública...Um dos materiais mais utilizados em salas de aula na educação escolar pública...
Um dos materiais mais utilizados em salas de aula na educação escolar pública...
 
ATIVIDADE 1 - BEDU - EDUCAÇÃO FÍSICA NO ENSINO FUNDAMENTAL ANOS FINAIS E ENSI...
ATIVIDADE 1 - BEDU - EDUCAÇÃO FÍSICA NO ENSINO FUNDAMENTAL ANOS FINAIS E ENSI...ATIVIDADE 1 - BEDU - EDUCAÇÃO FÍSICA NO ENSINO FUNDAMENTAL ANOS FINAIS E ENSI...
ATIVIDADE 1 - BEDU - EDUCAÇÃO FÍSICA NO ENSINO FUNDAMENTAL ANOS FINAIS E ENSI...
 
Com base nos estudos e material da disciplina, explique por qual motivo o tre...
Com base nos estudos e material da disciplina, explique por qual motivo o tre...Com base nos estudos e material da disciplina, explique por qual motivo o tre...
Com base nos estudos e material da disciplina, explique por qual motivo o tre...
 
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
 
MAPA - ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS - 51/2024
MAPA - ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS - 51/2024MAPA - ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS - 51/2024
MAPA - ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS - 51/2024
 
Analisando o objetivo de Matheus (Perfil 1), o treinamento resistido será des...
Analisando o objetivo de Matheus (Perfil 1), o treinamento resistido será des...Analisando o objetivo de Matheus (Perfil 1), o treinamento resistido será des...
Analisando o objetivo de Matheus (Perfil 1), o treinamento resistido será des...
 
ATIVIDADE 1 – PROTOCOLO E PROCEDIMENTO DE COLETA DAS MEDIDAS.
ATIVIDADE 1 – PROTOCOLO E PROCEDIMENTO DE COLETA DAS MEDIDAS.ATIVIDADE 1 – PROTOCOLO E PROCEDIMENTO DE COLETA DAS MEDIDAS.
ATIVIDADE 1 – PROTOCOLO E PROCEDIMENTO DE COLETA DAS MEDIDAS.
 
Considerando as especificações, o nível de experiência, assim como o objetivo...
Considerando as especificações, o nível de experiência, assim como o objetivo...Considerando as especificações, o nível de experiência, assim como o objetivo...
Considerando as especificações, o nível de experiência, assim como o objetivo...
 

Icoop v2

  • 2. Acompanhamento diário dos indicadores Possibilitando a melhor gestão dos recursos. •Alavancar negócios, minimizando o risco de perdas. • Tomando medidas diárias para reverter o quadro da cooperativa desenquadrada. Pro-atividade...
  • 3. Estabilidade... Cálculo do limite a emprestar diário Informa diáriamente o quanto a cooperativa tem re recurso para emprestar. • Maior produtividade e geração de receita para cooperativa. •Não ultrapasse regra limite CRESI.
  • 4. Agilidade... Relatórios gráficos de comparação • Modelos: pizza, linha, coluna e misto. •Comparação: Formula X Cooperativas Cooperativa X Formulas
  • 5. Prosperidade... • Simulação – Permitir que os responsáveis possam simular relatórios, testar novas fórmulas e indicadores. • Projeção – Projetar posições futuras com base em informações pré- estabelecidas.
  • 6. Visão... Indica o posicionamento da cooperativa com relação as regras de negócios. • Poderão ou não ser impressos junto ao relatório; • É utilizado como base para as “Dicas Gerenciais” Sinalizadores
  • 7. Gestão... Dicas Gerenciais São sugestões fornecidas ao administrador, de acordo com a boa pratica da Gestão. • Auxiliar no processo de reversão de posicões adversas. • Auxilia principalmente as cooperativas recém criadas.
  • 8. Crescimento... Centralização do conhecimento Possibilita a disseminação do conhecimento entre todos os membros do sistema. • Visualização das formulas que geram os resultados. • Promover a qualificação dos profissionais. • Criar regras de negócio,que serão disponibilizadas para todo o sistema.
  • 9. Credibilidade... Posição de relatórios consolidados – Relatórios para o conselho de administração; – Relatórios de acompanhamento por período; – Exportação para PDF;
  • 10. Qualidade... Posição de Relatórios Retroativos – Manter a versão de cada formula utilizada nos relatórios consolidados; – Possibilitando a consulta dos relatórios consolidados com datas retroativas, sem impactar nos valores já apresentados.
  • 11. Flexibilidade... Flexibilidade das Regras de Negócio O Departamento responsável poderá criar as regras de negócio(formulas), indicadores, sinalizadores e relatórios. Ex.: Deposito a prazo filiada saldo real = (SC("4.1.4.00.00- 9")+SC("4.1.5.00.00-2")) 14.967.567,67(SC("4.1.4.00.00-9")+SC("4.1.5.00.00-2"))1004 SaldoFormulaCooperativas 29.400.887,34(SC("4.1.4.00.00-9")+SC("4.1.5.00.00-2"))3054 7.924.961,4(SC("4.1.4.00.00-9")+SC("4.1.5.00.00-2"))3055
  • 12. Segurança... Regras baseadas em níveis – Segurança e Sigilo das Informações Central: Terá acesso as suas informações, de suas filiadas e PAC’s. Filiadas: Terão acesso as suas informações, de seus PAC’s e de seus cooperados. PAC’s: Terão acessos somente à suas informações e de seus cooperados. Cooperado: Poderá ter acessos somente à suas informações.
  • 14. Cenário Antigo Cenário Atual DOS, Clipper, DBF, CrystalReports WEB, PHP(Symfony), MySQL, JAVA, MVC, B.I., etc. Inviabilidade de informações diárias por se tratar do ambiente FTP. Viabilidade de informações diárias através do ambiente TCE(SGBD). Não flexível quanto a criação de regras de negócios e relatórios Flexibilidade total para o usuário. O mesmo cria as regras de negocio, bem como os seus relatórios. Cenário AntigoCenário Antigo Cenário AtualCenário Atual DOS, Clipper, DBF, CrystalReports WEB, PHP(Symfony), MySQL, JAVA, MVC, BI., etc. Inviabilidade de informações diárias por se tratar do ambiente FTP. Viabilidade de informações diárias através do ambiente TCE(SGBD). Não flexível quanto a criação de regras de negócios e relatórios Flexibilidade total para o usuário. O mesmo cria as regras de negocio, bem como os seus relatórios. Sem histórico de regras de negocio. Mantem histórico de registros das regras de negocio. Foco nas filiadas Foco no sistema Sicoob como um todo(Central, filiadas, pac's e associados)
  • 15. Desafios... • Usabilidade. • Performance. • Escalabilidade. • Integridade, instabilidade e confiabilidade dos dados no ambiente TCE.
  • 16. Muito Obrigado!!Muito Obrigado!! Superintendência de TecnologiaSuperintendência de Tecnologia • Pedro Ivo Santana Gomes • Alexandre Sousa Gonçalves • Marcelo Machado Fleury • Wladmir Peres do Nascimento • Romeu Godoi