O <br />ÚLTIMO GRANDE LOTE!<br />Veja o PEDESTRE BOBO Metendo<br />O <br />Nariz <br />na <br />Briga<br />Alheia! <br />D...
Orra meu, a esquina é monstra!<br />
De fato, um belo terreno!<br />Orra meu, a esquina é monstra!<br />
Vamu dá um rolê prá senti o pedaço!<br />
Olhando em dieração à praça das Bandeiras.<br />
Olhando para o viaduto Major Quedinho e o prédio do Diário Popular, no fundo à esquerda.<br />
Baitaprédio, cara!<br />A região tem vários destes prédios com muitos apartamentos!<br />
Supermercado na Major Diogo. É 24 horas. Os cara num dorme!<br />!?<br />
Escola mó antiga. Eu estudei numa escola assim antigona, o Martim Francisco, lá na Vila Nova Conceição!<br />Um belo prédi...
Ô, palhaço, estamos no centro da cidade! Claro que tem banco!<br />Óia, um banco!<br />
Loja de móveis usados. Há muitas no Bixiga.<br />
Os cara são folgado, mano!<br />
Eles pensa que a rua é casa deles!<br />
Pena estar degradado. Belíssimo prédio!<br />Que prédião velho! <br />
Não é quem você está pensando, Bobão! É Yayá com “Y”.<br />Essa Iaiá é famosa, meu. Muito famosa...<br />
É o começo da Radial Leste: parte da diametral Leste-oeste, que após a pr. Roosevelt, <br />torna-se o Minhocão.<br />Da c...
O muro amarelo é a Casa de Dona Yayá.<br />Calçadinha ridícula, dá uma olhada!<br />
Casa de Dona Yayá.<br />
Que vielinha maluca, cara!<br />
Ao fundo já se vê o terreno do grupo Silvio Santos.<br />
Os cara era italiano ou era alemão, cacilda!<br />
Curiosamente é só uma quadra, <br />e só uma rua assim!<br />
Aqui o lote do Grupo Silvio Santos. Foram comprando, comprando e ajuntando...<br />
Rua da Abolição. Ao fundo o elevado da <br />Radial Leste.<br />Óia o terreno do ome! Deste meu lado.<br />
Dá um puta xópim, num dá?<br />
Veja o desnível. Lado direito é bem mais alto. Vê o carro amarelo? À frente dele há umas casinhas, repara bem. Ali é uma v...
Estamos na rua Jaceguai. A torre escura está na praça Pérola Byngton.<br />Uns predião por aqui, não?<br />
Aqui qui mora o doido?<br />
Não é doido. Pelo menos, não na maior parte do tempo. O José Celso Martinez Correia é o dono do Teatro Oficina. Ele se rec...
O cara não sabe se cuida dum teatro ou duma oficina, meu! Então, é doido mesmo!<br />
Santa ignorância. Você sabe a história deste teatro? Sabe quem o projetou?<br />
Claro que sei! Foi  a <br />Linda Lombardi!<br />
Caracas, como você é burro! <br />É a LINA <br />BO <br />BARDI!!<br />Foi o que eu falei!<br />
Hospital Pérola Byngton. À frente dele a av. Brig. Luiz Antonio que segue em direção à av. Paulista e Ibirapuera, ou desce...
Ó nóis na pracinha defronte ao hospital.<br />
Rua Santo Amaro.<br />
Terreno do grupo Silvio Santos. Este lado tem quase 20 metros de largura. Das 4 faces, esta é a mais alta. A diferença de ...
Puts, lembrei dumas cueca que dexei de molho a semana passada. Tu me lembra depois? Faz favô.<br />
Tem um mercadinho ali. Preciso comprá  um trem. Peraí.<br />
Agora vamos descer uma ladeirinha.<br />
Ladeira íngreme. Só uma mão de direção.<br />
Óia a florêra. Adoro essas coisa!<br />
Casas antigas. Sem vaga para o carro. <br />
Os cara põe grade na rua! Puta falta de sacanagem!<br />O paredão branco, ao fundo, é divisa do terreno do Grupo Silvio Sa...
A Japurá inicia bem na frente da Câmera Municipal.<br />
Velhinha na calçada! Pensei que São Paulo num tinha mais disso!<br />
Ladeira em forte aclive, retorna à rua St Amaro. Não precisamos subir. <br />Vamos prosseguir contornando o terreno.<br />
Ainda na Japurá.  Vamos entrar à esquerda.<br />
Beleza, hein? Essa foi  9!<br />
Foi 9? Poxa, por que não 10?<br />
Ah, cum cinco e meio já passa de ano, cara. Nove tá bom demais!<br />
Rua da Abolição: olhando para a Câmara Municipal.<br />
Rua da Abolição: olhando para o Bixiga, com o viaduto <br />da Radial Leste ao fundo.<br />
Muita lojinha de móveis usados. É nordestino que vai, é nordestino que vem. Eles não sossegam!  Até terminal de ônibus cla...
Há muitos sindicatos e gráficas.<br />
Rua da Abolição. O terreno está próximo. <br />Veja a arquitetura peculiar.<br />
Ô cidade prá tê mendigo. É muita gente esparramada pela rua. Cadê o Pitta que num vê isso!<br />!?!?<br />
Vortamo!<br />
Os carros estão no lote do Grupo Silvio Santos. A árvore, ao lado do teatro, não pertence ao Oficina. <br />
É, mais mexe nela prá tu vê o que acontece...<br />Se o Zé Celso te pega...<br />
O Teatro Oficina. <br />
Sob  o viaduto, um sacolão.<br />Vamu lá, comê um trem. Essa caminhada me deu uma fome!<br />
Do sacolão olhando para o terreno, na rua Jaceguai.<br />
Qual?<br />Essa querenga tá me lembrando uma história em quadrinho.<br />
O Urtigão contra o Tio Patinhas. Tu já leu?<br />Eu não leio nada.<br />Sou fau-mack e minha vida é só <br />fazer projeto...
O ÚLTIMO GRANDE LOTE!<br />
O ÚLTIMO GRANDE LOTE!<br />A NOVELA INTERMINÁVEL<br />Próximo capítulo: o banco que tombou após o tombamento do teatro. <b...
O ÚLTIMO GRANDE LOTE!<br />“Alguém perguntou pros moradores o que eles desejam pro bairro?”<br />A NOVELA INTERMINÁVEL<br ...
O ÚLTIMO GRANDE LOTE!<br />“Alguém perguntou pros moradores o que eles desejam pro bairro?”<br />Ou seja, o Pedestre Bobo ...
O ÚLTIMO GRANDE LOTE!<br />“Alguém perguntou pros moradores o que eles desejam pro bairro?”<br />Carlos Elson<br />criaref...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Bixiga2

1.068 visualizações

Publicada em

O Teatro Oficina foi centro de resistência à ditadura do regime militar e construído sob projeto muito arrojado de Lina Bo Bardi. O Grupo Silvio Santos ignorando esse valor histórico e artístico anseia expulsar o teatro de seu lugar e construir no grande lote que foi ajuntando ali, um shopping center. Todavia, José Carlos Martinez Correia, o velho diretor e criador do espaço resiste. Como uma briga entre Urtigão e Tio Patinhas, a querela prossegue. Se o teatro for tombado, ponto para Zé Celso. Mas, o ex-dono de banco já possui mais de 9.000m2 do quarteirão. Afinal, o que seria melhor para o Bixiga? O que seria melhor para a cidade? O Pedestre Bobo foi ver o terreno e deu uma volta na grande quadra. Acompanhe-o e não perca o final desta novela. Quem viver, verá!

Publicada em: Turismo
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.068
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Bixiga2

  1. 1. O <br />ÚLTIMO GRANDE LOTE!<br />Veja o PEDESTRE BOBO Metendo<br />O <br />Nariz <br />na <br />Briga<br />Alheia! <br />Diz ele: “Afinal, <br />SomosBixigaTambém!”<br />A NOVELA <br />QUE FAZ TREMER O BIXIGA<br />
  2. 2. Orra meu, a esquina é monstra!<br />
  3. 3. De fato, um belo terreno!<br />Orra meu, a esquina é monstra!<br />
  4. 4. Vamu dá um rolê prá senti o pedaço!<br />
  5. 5.
  6. 6. Olhando em dieração à praça das Bandeiras.<br />
  7. 7. Olhando para o viaduto Major Quedinho e o prédio do Diário Popular, no fundo à esquerda.<br />
  8. 8. Baitaprédio, cara!<br />A região tem vários destes prédios com muitos apartamentos!<br />
  9. 9. Supermercado na Major Diogo. É 24 horas. Os cara num dorme!<br />!?<br />
  10. 10.
  11. 11. Escola mó antiga. Eu estudei numa escola assim antigona, o Martim Francisco, lá na Vila Nova Conceição!<br />Um belo prédio!<br />
  12. 12.
  13. 13. Ô, palhaço, estamos no centro da cidade! Claro que tem banco!<br />Óia, um banco!<br />
  14. 14. Loja de móveis usados. Há muitas no Bixiga.<br />
  15. 15. Os cara são folgado, mano!<br />
  16. 16. Eles pensa que a rua é casa deles!<br />
  17. 17. Pena estar degradado. Belíssimo prédio!<br />Que prédião velho! <br />
  18. 18.
  19. 19.
  20. 20.
  21. 21. Não é quem você está pensando, Bobão! É Yayá com “Y”.<br />Essa Iaiá é famosa, meu. Muito famosa...<br />
  22. 22. É o começo da Radial Leste: parte da diametral Leste-oeste, que após a pr. Roosevelt, <br />torna-se o Minhocão.<br />Da casa da Yayá dá prá ver o Minhocão.<br />
  23. 23. O muro amarelo é a Casa de Dona Yayá.<br />Calçadinha ridícula, dá uma olhada!<br />
  24. 24. Casa de Dona Yayá.<br />
  25. 25. Que vielinha maluca, cara!<br />
  26. 26.
  27. 27. Ao fundo já se vê o terreno do grupo Silvio Santos.<br />
  28. 28. Os cara era italiano ou era alemão, cacilda!<br />
  29. 29. Curiosamente é só uma quadra, <br />e só uma rua assim!<br />
  30. 30. Aqui o lote do Grupo Silvio Santos. Foram comprando, comprando e ajuntando...<br />
  31. 31.
  32. 32. Rua da Abolição. Ao fundo o elevado da <br />Radial Leste.<br />Óia o terreno do ome! Deste meu lado.<br />
  33. 33. Dá um puta xópim, num dá?<br />
  34. 34. Veja o desnível. Lado direito é bem mais alto. Vê o carro amarelo? À frente dele há umas casinhas, repara bem. Ali é uma viela, e vamos passar lá.<br />
  35. 35. Estamos na rua Jaceguai. A torre escura está na praça Pérola Byngton.<br />Uns predião por aqui, não?<br />
  36. 36. Aqui qui mora o doido?<br />
  37. 37. Não é doido. Pelo menos, não na maior parte do tempo. O José Celso Martinez Correia é o dono do Teatro Oficina. Ele se recusa a vender seu ponto ao Grupo Silvio Santos.<br />
  38. 38. O cara não sabe se cuida dum teatro ou duma oficina, meu! Então, é doido mesmo!<br />
  39. 39. Santa ignorância. Você sabe a história deste teatro? Sabe quem o projetou?<br />
  40. 40. Claro que sei! Foi a <br />Linda Lombardi!<br />
  41. 41. Caracas, como você é burro! <br />É a LINA <br />BO <br />BARDI!!<br />Foi o que eu falei!<br />
  42. 42. Hospital Pérola Byngton. À frente dele a av. Brig. Luiz Antonio que segue em direção à av. Paulista e Ibirapuera, ou desce para o centro.<br />
  43. 43. Ó nóis na pracinha defronte ao hospital.<br />
  44. 44. Rua Santo Amaro.<br />
  45. 45.
  46. 46. Terreno do grupo Silvio Santos. Este lado tem quase 20 metros de largura. Das 4 faces, esta é a mais alta. A diferença de cota chega a 10 metros. <br />
  47. 47. Puts, lembrei dumas cueca que dexei de molho a semana passada. Tu me lembra depois? Faz favô.<br />
  48. 48. Tem um mercadinho ali. Preciso comprá um trem. Peraí.<br />
  49. 49. Agora vamos descer uma ladeirinha.<br />
  50. 50. Ladeira íngreme. Só uma mão de direção.<br />
  51. 51. Óia a florêra. Adoro essas coisa!<br />
  52. 52.
  53. 53. Casas antigas. Sem vaga para o carro. <br />
  54. 54. Os cara põe grade na rua! Puta falta de sacanagem!<br />O paredão branco, ao fundo, é divisa do terreno do Grupo Silvio Santos. Estas são as casinhas que vimos lá da rua Jaceguai, no fundo do estacionamento.<br />
  55. 55. A Japurá inicia bem na frente da Câmera Municipal.<br />
  56. 56. Velhinha na calçada! Pensei que São Paulo num tinha mais disso!<br />
  57. 57.
  58. 58.
  59. 59.
  60. 60. Ladeira em forte aclive, retorna à rua St Amaro. Não precisamos subir. <br />Vamos prosseguir contornando o terreno.<br />
  61. 61. Ainda na Japurá. Vamos entrar à esquerda.<br />
  62. 62.
  63. 63. Beleza, hein? Essa foi 9!<br />
  64. 64. Foi 9? Poxa, por que não 10?<br />
  65. 65. Ah, cum cinco e meio já passa de ano, cara. Nove tá bom demais!<br />
  66. 66. Rua da Abolição: olhando para a Câmara Municipal.<br />
  67. 67. Rua da Abolição: olhando para o Bixiga, com o viaduto <br />da Radial Leste ao fundo.<br />
  68. 68. Muita lojinha de móveis usados. É nordestino que vai, é nordestino que vem. Eles não sossegam! Até terminal de ônibus clandestino tem na rua Santo Antonio!<br />Rua da Abolição. Na região da Santo Antônio e Treze de Maio aparecem as lojas de antiguidades e restauro.<br />
  69. 69. Há muitos sindicatos e gráficas.<br />
  70. 70. Rua da Abolição. O terreno está próximo. <br />Veja a arquitetura peculiar.<br />
  71. 71. Ô cidade prá tê mendigo. É muita gente esparramada pela rua. Cadê o Pitta que num vê isso!<br />!?!?<br />
  72. 72. Vortamo!<br />
  73. 73. Os carros estão no lote do Grupo Silvio Santos. A árvore, ao lado do teatro, não pertence ao Oficina. <br />
  74. 74. É, mais mexe nela prá tu vê o que acontece...<br />Se o Zé Celso te pega...<br />
  75. 75. O Teatro Oficina. <br />
  76. 76. Sob o viaduto, um sacolão.<br />Vamu lá, comê um trem. Essa caminhada me deu uma fome!<br />
  77. 77. Do sacolão olhando para o terreno, na rua Jaceguai.<br />
  78. 78. Qual?<br />Essa querenga tá me lembrando uma história em quadrinho.<br />
  79. 79. O Urtigão contra o Tio Patinhas. Tu já leu?<br />Eu não leio nada.<br />Sou fau-mack e minha vida é só <br />fazer projeto!<br />
  80. 80.
  81. 81. O ÚLTIMO GRANDE LOTE!<br />
  82. 82. O ÚLTIMO GRANDE LOTE!<br />A NOVELA INTERMINÁVEL<br />Próximo capítulo: o banco que tombou após o tombamento do teatro. <br />
  83. 83. O ÚLTIMO GRANDE LOTE!<br />“Alguém perguntou pros moradores o que eles desejam pro bairro?”<br />A NOVELA INTERMINÁVEL<br />Próximo capítulo: o banco que tombou após o tombamento do teatro. <br />
  84. 84. O ÚLTIMO GRANDE LOTE!<br />“Alguém perguntou pros moradores o que eles desejam pro bairro?”<br />Ou seja, o Pedestre Bobo continua se metendo no que não é da sua conta...<br />A NOVELA INTERMINÁVEL<br />Próximo capítulo: o banco que tombou após o tombamento do teatro. <br />
  85. 85. O ÚLTIMO GRANDE LOTE!<br />“Alguém perguntou pros moradores o que eles desejam pro bairro?”<br />Carlos Elson<br />criarefazer<br />@<br />Hotmail.com<br />1.mar.2011 a d.<br />“A gente pode ser bobo. Mas num semo burro!”<br />Ou seja, o Pedestre Bobo continua se metendo no que não é da sua conta...<br />A NOVELA INTERMINÁVEL<br />Próximo capítulo: o banco que tombou após o tombamento do teatro. <br />

×