1        O MERCADO DE TRABALHO EM PERNAMBUCO E O PERFIL DO                      PROFISSIONAL EM CINCO PALAVRAS. LABOUR MAR...
2anos de mercado de trabalho, passando por vários níveis hierárquicos ao longodesse tempo.      A reflexão do autor é demo...
3       Ainda segundo Pedro Salles, Pernambuco vive atualmente um momentoprofissional com predominância técnica, com a che...
4       Segundo Pedro Salles (manager da Michael Page em Pernambuco) o que asempresas estão buscando é uma boa formação ac...
5      Em face de tantos requisitos, o candidato que almeja ser visto como umprofissional estratégico para essas empresas ...
6mal do chefe publicamente. Ou seja, a web pode ser usada tanto a favor comocontra o usuário. Isso só vai depender da form...
7      Se os fatos propostos neste artigo puderem ser utilizados numa alegoria comuma escada de cinco degraus, então se en...
8CAPITAL, Carta. PIB cresceu 0,9% em 2012, diz IBGE. Artigo disponível na internetvia WWW, através da URL: http://www.cart...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Artigo - O Mercado de Trabalho em Pernambuco e o Perfil do Profissional em Cinco Palavras - linaldo lima 17-03-2013

1.661 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.661
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
13
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Artigo - O Mercado de Trabalho em Pernambuco e o Perfil do Profissional em Cinco Palavras - linaldo lima 17-03-2013

  1. 1. 1 O MERCADO DE TRABALHO EM PERNAMBUCO E O PERFIL DO PROFISSIONAL EM CINCO PALAVRAS. LABOUR MARKET AND IN PERNAMBUCO PROFESSIONAL PROFILE IN FIVE WORDS JUNIOR, Linaldo Francisco Lima Graduado em Administração – Uninassau / Recife / PERESUMOEste trabalho foi movido por um desafio , cujo objetivo é proporcionar uma reflexãosobre algumas características dos principais desafios do mercado de trabalho dePernambuco, bem como fazer uma relação com o nível cada vez mais elevado deexigência quanto ao perfil de profissional que esse cenário almeja.Palavras-chave: Mercado de trabalho, Pernambuco, Perfil profissional,Necessidades, Oportunidades, Competências, Requisitos, Empregabilidade.ABSTRACTThis work was motivated by a challenge, whose goal is to provide a reflection onsome of the main features of the labor market challenges of Pernambuco, as well asmaking a relationship with the increasingly high level of demand on the professionalprofile that this scenario aims.Keywords: Job Market, Pernambuco, Professional Profile, Needs, Opportunities,Skills, Requirements, Employability.1. INTRODUÇÃO – Todas as informações descritas e demonstradas nesse documento sãobaseadas em artigos publicados em periódicos eletrônicos (internet), e de umaopinião reflexiva do autor, a qual é fruto das experiências adquiridas ao longo de 19
  2. 2. 2anos de mercado de trabalho, passando por vários níveis hierárquicos ao longodesse tempo. A reflexão do autor é demonstrada quando o cenário do mercadopernambucano é apresentado em torno de palavras-chaves, as quais sãodemonstradas a seguir.2. FATO: Mercado Brasileiro permanece atrativo e Pernambuco cresce duas vezes mais que a média nacional. Mesmo com um PIB de apenas 0,9% de crescimento em 2012, o Brasilcontinua sendo um mercado atrativo para atrair investimentos externos e,principalmente, é um país de consumo interno aquecido. Além disso, Pernambuco éum dos Estados nordestinos que continua crescendo duas vezes mais que a médiano Brasil (o outro é a Bahia). E esse crescimento já vem a mais de dois anos. Aeconomia pernambucana cresceu 2,3% em 2012, mesmo tendo sofrido com a secaque assolou todo o Sertão nordestino, proporcionando uma queda de 15% daatividade agropecuária. Com exceção da Agropecuária, todos os demais setores daeconomia de Pernambuco cresceram acima da média nacional, com destaque parao setor de serviços, com 2,7%. Isso só reforça o fato de que o mercado localcontinua deveras aquecido e postos de trabalhos ainda não preenchidos. Com esse crescimento, algumas áreas profissionais estão conseguindo alçarvoos no mercado pernambucano, que conta com investimentos em Suape, nospolos automotivo e farmacoquímico e no forte consumo das famílias. Entre oscargos mais demandados estão os de engenharia civil, naval, eólica, mecânica e deprodução, controller, gerente de produção, gerente de projetos, administrador deempresas, gerente de marketing e eventos, analista de mídias sociais e outros.Essas são algumas das profissões que devem continuar em alta nos próximos anos.Os salários são bem atrativos (inicial em R$ 5 mil e podem ultrapassar os R$ 20 mil). Além das profissões, houve uma requisição maior do mercado de mão-de-obra local, segundo Pedro Salles, gestor da Michael Page em Pernambuco. Entre asvantagens do profissional nordestino, ele cita flexibilidade, tomada de decisões maisintuitivas com menos elementos (sem que isso denote amadorismo) e mais vontadede querer fazer.
  3. 3. 3 Ainda segundo Pedro Salles, Pernambuco vive atualmente um momentoprofissional com predominância técnica, com a chegada de muitas empresas e oerguimento de vários empreendimentos. Mas, já partir de 2013, o mercado passaráa ficar ávido por profissionais mais estratégicos, que atuem em áreas comofinanceira, comercial, de Tecnologia da Informação, de Recursos Humanos, decontabilidade, jurídica e de logística. É uma prova da evolução do ambiente e da economia. É, sobretudo, um fatorde adaptação do mercado, com o desenvolvimento de novas funções e a exigênciade novos cérebros pensantes. “Essa é uma evolução natural, que deve começar nospróximos dois anos, quando muitos empreendimentos serão entregues, a exemploda PetroquímicaSuape (2013) e da Refinaria Abreu e Lima (2014)”, comenta PedroSalles.3. REALIDADE: Necessidades & Oportunidades. Com todo esse aquecimento, chega-se a seguinte realidade: O mercadonordestino, mais precisamente o pernambucano, apresenta diversas oportunidadese precisa estar preparado para atender localmente essas demandas; as empresas jáenxergam essas oportunidades e, para atende-las, necessita de profissionaiscapacitados em seus staffs. O mercado oferece oportunidades, mas continua com necessidades queainda não foram preenchidas, no que diz respeito à mão-de-obra qualificada. Asempresas vislumbram atender as oportunidades que o mercado oferece, mas paraisso, precisa atender sua principal necessidade (mão-de-obra qualificada), cujaoferta ainda é pouca. Do outro lado, os candidatos têm a necessidade de se qualificarconstantemente para serem “capturados” por essas empresas. O objetivo é simples:aproveitar as oportunidades que essas empresas oferecem para atender suasnecessidades, e poder atender seus mercados com diferenciação. Esse profissionalse torna um recurso valioso para essas empresas, que acabam apresentandodiversas vantagens financeiras para retê-los.
  4. 4. 4 Segundo Pedro Salles (manager da Michael Page em Pernambuco) o que asempresas estão buscando é uma boa formação acadêmica e pós-graduação. “Pósdeixou de ser diferencial. Assim como o inglês, tornou-se essencial”, alerta. Há pouco mais de dois anos, Edilson vivia de biscates até que surgiu umaoportunidade de trabalhar no setor de construção civil. Ele aproveitou a chance eagora possui uma profissão: ajudante de ferreiro, e de carteira assinada. “Quandovim pra cá, me deram a oportunidade, que estou abraçando. E no futuro penso ser omestre da ferragem. Penso nisso: em progredir, evoluir”, disse.4. REQUISITOS: Proatividade, foco em resultados, eficiência. Com o fim de preencher essas necessidades do mercado em questão, essesprofissionais precisam apresentar alguns requisitos que são essenciais paradespertar o olhar das empresas, tais como: proatividade, foco em resultados,eficiência. Na verdade, o que as empresas estão buscando nos profissionais sãocompetências, isto é, diferenciais que as tornem competitivas no mercado. Na Administração, o conceito de competência se refere à integração ecoordenação de um conjunto de conhecimentos, habilidades e atitudes (tambémconhecido como o CHA da Competência), cujo resultado é uma atuaçãodiferenciada. Por serem forçadas a trabalhar com cenários futuros e antever as variaçõesdos mercados interno e externo, essas empresas não se interessam mais porprofissionais que apenas reagem às demandas (reativos), como acontecia nopassado. Além disso, esses profissionais precisam estar empenhados na busca porresultados efetivos, que geralmente são medidos mensal, trimestral, semestral eanualmente, de acordo com o planejamento estratégico das organizações. Por fim,elas (as empresas) buscam profissionais que “façam mais com menos”, isto é,eficientes.5. PLANEJAMENTO: Carreira, perfil profissional e social marketing.
  5. 5. 5 Em face de tantos requisitos, o candidato que almeja ser visto como umprofissional estratégico para essas empresas deve planejar constantemente suacarreira e desenvolver seu perfil profissional, não se esquecendo de agregar osbenefícios do tão conhecido marketing de redes sociais, ou Social marketing. O planejamento de carreira deve ser iniciado desde o ensino médio,passando pela vida acadêmica, desde o momento em que escolhe seus grupos detrabalho já no 1º período de faculdade, etc. Assim como as empresas fazembenchmark para alcançar a competitividade, como também buscar estar navanguarda, esses candidatos devem também fazer um benchmark em relação aoutros candidatos que disputam as áreas em comum. Esses profissionais devemfazer, também, um planejamento de médio e longo prazo para suas carreiras,podendo iniciar com algumas perguntas, tais como: “Que profissional almejo serdaqui a 05 ou 10 anos?”. Com base nesse planejamento, é possível traçar um perfil profissional a serconquistado pelo referido candidato. Esse perfil é composto por um conjunto decompetências que o futuro profissional precisa buscar para se diferenciar dosdemais. Essas competências são adquiridas através de um bom aproveitamentonuma graduação, pós-graduação, curso de idiomas, cursos de extensão,participação em congressos, seminários, projetos sociais, estágios (remunerados ounão), participação em ONGs, etc. Os estágios são de suma importância,principalmente, porque oferecem a oportunidade de colocar em prática as teoriasaprendidas no decurso da vida acadêmica. Um bom perfil profissional também (e fundamentalmente) é composto porprincípios e valores pessoais e familiares, os quais serão determinantes para ocandidato traçar o perfil das empresas que mais se alinham com esses princípios. Além desses fatores, soma-se a atenção e dedicação que deve ser dada àsredes sociais. Mais do que um espaço para interação entre amigos, as redessociais também têm impacto nas relações de trabalho. Dependendo de como apessoa se porta online, ela pode ser decisiva para a garantia (ou não) de umemprego. Cometer gafes em redes sociais pode não apenas facilitar (ou dificultar)uma nova vaga de emprego, como também deixar alguém desempregado. Entre as“dicas” para fazer uma pessoa prejudicar suas relações de trabalho estão postarfotos de biquíni ou sunga, jogar (no Facebook) durante o horário de trabalho ou falar
  6. 6. 6mal do chefe publicamente. Ou seja, a web pode ser usada tanto a favor comocontra o usuário. Isso só vai depender da forma em que ele se comportar. Se tratando de um perfil profissional, talvez nenhuma rede social seja tãobenéfica quanto o LinkedIn, que atingiu em 2012 a marca de 200 milhões deusuários no mundo. O Portal Competência apresenta algumas dicas de como utilizaressa ferramenta de maneira eficaz, cujo link é:http://www.portalcompetencia.com.br/conteudo/2/118/o-linkedin-e-sua-carreira.6. EMPREGABILIDADE. O significado do termo é uma referência à palavra inglesa “employability”, erepresenta o conjunto de conhecimentos, habilidades e comportamentos que tornamum executivo ou um profissional importante para a sua organização e para toda equalquer outra. Por empregabilidade entende-se todo aquele que apresenta aqualidade de empregável, representado, desta forma, um conceito dinâmicoreferente ao mundo do trabalho e que expressa tudo quanto o indivíduo deve terpara a sua profunda e imprescindível capacidade de se ajustar e se enquadrar nestemercado globalizado. Um profissional é empregável quando pode ser empregado.Diz-se do individuo que está apto a entrar e se manter no mercado de trabalho,graças à adequada qualificação profissional. De CARVALHO (2002, p.457). O lema da empregabilidade é: Se você quer sobreviver ao mercado detrabalho, priorize-a! Quando se ingressa no mercado de trabalho, deve-se ter a consciênciaquanto ao esforço constante de se manter nele. Para isso, é preciso que oprofissional esteja sempre alerta ao seu crescimento, no que ele tem de positivo aoferecer à sua área. Isto é empregabilidade. O termo aqui proposto, na verdade, pode ser entendido como um“fechamento com chave de ouro” para um candidato que se esmera em aplicar asquatro palavras anteriores no desenvolvimento de seu perfil profissional, ao longo detodo o planejamento de carreira.7. CONCLUSÃO
  7. 7. 7 Se os fatos propostos neste artigo puderem ser utilizados numa alegoria comuma escada de cinco degraus, então se entende que o candidato terá alcançado oposto de “profissional diferenciado no mercado” terá sido aquele que conseguiu subircada um desses degraus movidos por atitudes importantes para dar os passosnecessários. Há diversas atitudes que poderiam motivar esse “profissional diferenciado” achegar no topo da escada, mas uma delas pode, sim, ser chamada de uma dasprincipais, a saber: humildade para aprender. Aprender de tudo, do simples ao mais complexo e humildade para ouvir eaprender das pessoas mais simples, que muitas vezes não tem os conhecimentosacadêmicos que adquirimos, mas estes são superados por experiências sólidasvividas ao longo de sua carreira profissional e/ou, principalmente, história de vida.8. REFERÊNCIAS:EBRAHIM, Raissa. O mercado de trabalho no Nordeste e as profissões do futuro emPernambuco. Artigo disponível na internet via WWW, através da URL:http://jconline.ne10.uol.com.br/canal/economia/pernambuco/noticia/2012/12/24/o-mercado-de-trabalho-no-nordeste-e-as-profissoes-do-futuro-em-pernambuco-67685.php. Acessado em 17/03/2013.SANTA HELENA, Faculdade. Mercado de trabalho pernambucano abreoportunidades, mas exige qualificação. Artigo disponível na internet via WWW,através da URL: http://oportunidadespe.blogspot.com.br/2010/07/mercado-de-trabalho-pernambucano-abre.html. Acessado em 17/03/2013.FALCÃO, Rosa. Mesmo com seca, PIB de Pernambuco cresce duas vezes mais quea média do Brasil. Artigo disponível na internet via WWW, através da URL:http://www.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/economia/2013/03/11/internas_economia,427776/mesmo-com-seca-pib-de-pernambuco-cresce-duas-vezes-mais-que-a-media-no-brasil.shtml. Acessado em 17/03/2013.
  8. 8. 8CAPITAL, Carta. PIB cresceu 0,9% em 2012, diz IBGE. Artigo disponível na internetvia WWW, através da URL: http://www.cartacapital.com.br/economia/pib-cresceu-09-em-2012-diz-ibge/. Acessado em 17/03/2013.MATSUKI, Edgard – Portal EBC. Redes sociais são decisivas para quem desejaganhar (ou não perder) um emprego. Artigo disponível na internet via WWW, atravésda URL: http://www.ebc.com.br/tecnologia/2013/01/redes-sociais-sao-decisivas-para-quem-deseja-ganhar-ou-nao-perder-um-emprego.COMPETÊNCIA, Portal. O LinkedIn e sua carreira. Artigo disponível na internet viaWWW, através da URL: http://www.portalcompetencia.com.br/conteudo/2/118/o-linkedin-e-sua-carreira. Acessado em 17/03/2013.DIRIGIDOS, Equipe de Estudos – Faculdade Maurício de Nassau. O que éEmpregabilidade?, 2010.IGF, Portal. Empregabilidade: se você quer sobreviver no mercado de trabalho,priorize-a! Artigo disponível na internet via WWW, através da URL:http://www.igf.com.br/aprende/dicas/dicasResp.aspx?dica_Id=1694.

×