Janeiro 2013Aprender Sempre!                                                                           “Nós somos aquilo q...
2                                                                                           Jornal DESAFIOS Janeiro de 201...
4 cc conversa com                                                                                                         ...
6 em escola em movimento                                                                    Jornal DESAFIOS Janeiro de 201...
8 em escola em movimento                                                               Jornal DESAFIOS Janeiro de 2013    ...
10 em escola em movimento                      Jornal DESAFIOS Janeiro de 2013                       Jornal DESAFIOS Janei...
Jornal desafios aefv jan_2013
Jornal desafios aefv jan_2013
Jornal desafios aefv jan_2013
Jornal desafios aefv jan_2013
Jornal desafios aefv jan_2013
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Jornal desafios aefv jan_2013

835 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
835
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Jornal desafios aefv jan_2013

  1. 1. Janeiro 2013Aprender Sempre! “Nós somos aquilo que fazemos repetidamente. Excelência, então, não é um modo de agir, mas um hábito.” Aristóteles escola em conversa pensando e pintando semmovimento em com cc opinando po com pp stress ss págs. 45, 6, 7, 8, 9, págs. 3, 4, 5 pág. 14 palavras pág. 19 10, 11, 12, 13, 20 pág. 15, 16, 17, 18
  2. 2. 2 Jornal DESAFIOS Janeiro de 2013 Jornal DESAFIOS Janeiro de 2013 conversa com cc 3 índice conversa com cc Entrevista dos alunos do 7ºB p.3 p.4 p.5 Entrevista à Diretora do Agrupamento Entrevista ao Presidente da Associação da Carapalha Entrevista a uma Encarregada de Educação à Diretora do Agrupamento de escola em movimento em Escolas Faria de Vasconcelos p.5 Sarau em junho passado Graça Ventura EDITORIAL p.6 Prémios Bom Aluno e Cidadão Exemplar Regresso à Escola Dia da Bengala Branca p.7 Dia Mundial da Alimentação p.8 Escola de Valores Festival Literário A Diretora do Agrupamento p.9 Halloween Professora Graça Ventura Escxel Dia da Tolerância A Polícia Veio à Escola A Escola permite-nos viver experiências que nunca conseguiríamos viver noutro local, da mesma forma p.10 Festa de Natal e com a mesma intensidade.” Nada substitui a Escola p.12 Dia de Todos os Santos 8º ano no Teatro Visita de Estudo a Vila Velha de Ródão nas vivências e nas experiências! Palestra importante A vida de uma instituição é, e parafraseando um professor universitário, como p.13 Dia Internacional da Pessoa com Deficiênciauma curva sinusoidal, com altos e baixos, que se vão repetindo de uma forma cíclica 1º de dezembroao longo do tempo. Ano Novo Nos pontos altos, revemo-nos nos nossos êxitos, rejubilamo-nos, mas com hu- Torneio de Basquetebolmildade, traçamos novos rumos, sempre em busca de mais e melhor sucesso. Nos pontos baixos, analisamos as suas causas, refletimos no que poderemos p.20 No Clube de Jornalismomelhorar, adotamos as medidas adequadas em cada momento, na certeza porém, Feira do Livroque alcançaremos o sucesso desejado. Assim tem sido ao longo da nossa história e continuará a sê-lo. Fá-lo-emos sem-pre com determinação, lutando, com brio, de cabeça erguida, ainda que as variáveisnem sempre estejam diretamente no nosso controlo, mas procurando sempre a pensando e opinando popreservação da nossa identidade, dos nossos valores. p. 14 Eu e os Livros Alunos do Agrupamento Faria de Vasconcelos, pela vossa juventude, quereis Dia Mundial da SIDAviver a vida intensamente, desejando que o tempo passe depressa. Viveis com a Dia do Não Fumador João Batalha TODOS é uma escola de futuro. mos convidados a assinar um contrato número de alunos por turma que podeansiedade própria de quem deseja um futuro, de quem sonha e trabalha intensa- Júlia Pires Qual a sua opinião sobre os mega de autonomia. Foi um reconhecimento ir até aos 30; o aumento de horas da 10 Truques para seres BOM ALUNO Diogo Martinsmente, para que o dia da realização final chegue rapidamente. Tendes sobretudo Faria de Vasconcelos Ana Ferro, 7ºB agrupamentos de que tanto se falou a todo o trabalho da comunidade edu- componente letiva dos professores; apressa, mas à medida que os anos passam, a pressa de viver o tempo, abranda e no ano letivo anterior? cativa e uma demonstração de que nomeação de diretores que não conhe-começamos a ter cada vez mais passado. Relembrar os tempos aqui vividos e recor- Em meu entender, não se pode ter também as “diferenças” têm sucesso cem as escolas que vão dirigir, entredar amizades e momentos felizes é cada vez mais um estado de espírito próprio dos O que pensa acerca dos alunos e opinião sobre Mega Agrupamentos em desde que trabalhadas na sua “dife- outras, porque poderão pôr em causaex-alunos que, intensamente, mas de forma diferente de vós, o vão sentindo. pintando com palavras pp do Agrupamento Faria de Vasconce- duas linhas. É um processo que faz rença”. O nosso agrupamento foi o o vosso futuro. Esta proporcionalidade diretamente inversa, tem e terá sempre um denomina- los? parte de uma reorganização educativa primeiro agrupamento do concelho Quais as vantagens e desvanta-dor comum: a Faria de Vasconcelos e os seus valores. Os alunos da Faria são inteligentes, e que na sua génese tinha o objetivo de a assinar um contrato de autonomia, gens de ser Diretora? Uma palavra de reconhecimento a todos os que connosco trabalharam ao longo p.15 “A Fada Dorinda e a Bruxa do Mar” impulsivos, irrequietos, irreverentes, im- juntar num só espaço os vários ciclos porque foram reconhecidas as com- A vantagem é poder conhecer to-destes 25 anos, docentes, não docentes, pais e alunos, não esquecendo as enti- Sinto-me só pacientes, íntegros, irradiantes, inima- escolares desde o pré-escolar até ao petências de gestão dos recursos físi- dos os alunos, falar com eles, ouvi-los, A Cavalo no Tempo gináveis, insubstituíveis… 12ºano. Quanto a este aspeto, parece- cos, financeiros e pedagógicos, a um porque isso me fez crescer enquantodades parceiras e a Comunidade, que contribuíram e partilharam dos pequenos A Senhorinhasucessos e conquistas desta Escola. Quais os maiores problemas que me aliciante e motivador. Porém, a for- nível de excelência. pessoa e enquanto diretora. Tem sido p.16 Banda Desenhada o nosso Agrupamento enfrenta? ma célere como tudo está a acontecer, Numa perspetiva mais abrangente, muito gratificante saber que, em mui- Uma palavra de incentivo a todos os que continuam a contribuir para o cresci- Os Desejos da Bruxa O nosso Agrupamento enfrenta os leva a atropelos pedagógicos e sociais, e tendo em conta a situação económi- tas situações, as alternativas que ofere-mento desta Escola. É convosco que se pretende construir uma Escola cada vez problemas dos demais agrupamentos. A que irão ter reflexos desastrosos na so- ca do país, o que pensa sobre o futuro cemos fizeram a diferença no percursomais competitiva, capaz de responder às exigências do mercado, sempre atenta às p. 17 Cuidado com a Língua instabilidade que se vive na sociedade, as ciedade do futuro. da educação em Portugal? de vida dos alunos e isso só foi possívelnecessidades e expetativas dos nossos jovens alunos. O Sucesso é construído, é No Futuro constantes mudanças organizativas, geram Quais as vantagens, para o nosso Eu acredito na Educação. Em Por- porque os fui conhecendo e aprendendoconquistado. desconforto e isso reflete-se no dia a dia do Agrupamento, da autonomia que lhe tugal, na Educação, progredimos nal- como os poderia ajudar. Humildade, Rigor e Disponibilidade. De todos! Alunos, Professores, Funcionári- agrupamento. A desertificação do interior e foi atribuída no início deste ano leti- guns indicadores, mas estamos ainda A grande desvantagem prende-seos, Pais e Entidades Parceiras! Só desta forma conseguiremos atingir os objetivos a a baixa natalidade são fatores que condu- vo? Como surgiu o contrato de auto- longe dos níveis dos países mais de- com o tempo que retiro à minha famíliaque nos propomos. sem stress ss zem a um decréscimo populacional, logo a nomia? senvolvidos, onde existe mais e melhor e isso é impossível de remediar. Com Esforço, Empenho, Dedicação e Humildade. uma diminuição de alunos no concelho. Enquanto escola, que integra as Educação. Sem Educação, ou melhor, É seu desejo continuar como Dire- p.19 Anedotas e Adivinhas Caros Alunos: Sopa de Letras Na sua opinião o nosso Agrupa- 105 escolas do projeto TEIP2, fomos sem uma Educação qualificada, o tora deste Agrupamento? Não se esqueçam: “A Escola permite-nos viver experiências que nunca con- Quem é? mento tem futuro? uma das 22 escolas distinguidas pelo nosso país não tem futuro. O futuro da É meu desejo continuar a ser direto-seguiríamos viver noutro local, da mesma forma e com a mesma intensidade.” Nada “Uma Escola de Todos, Com Todos muito bom desempenho ao nível da Educação é, portanto, o futuro do país. ra enquanto for reconhecido que o meusubstitui a Escola nas vivências e nas experiências! e para Todos” é o lema do nosso agru- execução do projecto, nomeadamente Por isso, preocupa-me a nova reorga- trabalho é útil para este a agrupamento, pamento. Uma escola que procura res- pelos resultados escolares alcançados nização de estabelecimentos, feita porque me empenho para que assim A Todos Bom Ano e Bom Trabalho. postas educativas diferenciadas para e pelas lideranças fortes e por isso fo- sem estudos prévios de proximidade; o seja. impresso no JORNAL RECONQUISTA Agrupamento de Escolas Faria de Vasconcelos Agrupamento de Escolas Faria de Vasconcelos
  3. 3. 4 cc conversa com Jornal DESAFIOS Janeiro de 2013 Jornal DESAFIOS Janeiro de 2013 conversa com cc escola em movimento em 5 Entrevista ao Presidente da Um olhar sobre a nossa escola Associação Cultural e Desportiva da Carapalha Entrevista a uma AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FARIA DE VASCONCELOSJosé Afonso Bernardo Perquilhas encarregada de MAIS UM SARAU educação NO CINE TEATRO Beatriz Gonçalves, 8ºB Beatriz Mateus, 8ºB Sabemos que a Associação celebrouo seu 14º aniversário nos dias 1 e 2 desetembro. Portanto, existe desde 1998.Mas o Sr. José Afonso Perquilhas nãofoi o 1º presidente. Como é que nasceu aAssociação, quem começou por presidi-la e como veio a tornar-se Presidente? R: A Associação começou com umareunião de um grupo de 5 amigos numagaragem. Nessa reunião, foi redigida umaescritura de constituição da associação,da qual o primeiro presidente foi o Dr.Raul Manuel Gomes Ricardo, que esteveem funções durante um ano. Seguiu-secomo presidente, o Dr. António Pina Fer-nandes, durante seis anos, que infeliz-mente devido ao seu desaparecimento,já não viu a evolução desta casa, ele que Zita Alexandra dos Santos Vilela Cabral é educadora de infância, mas Professora Isabel Gil a Mentir” apresentada pelos alunos do 8ºfoi um dos seus grandes obreiros. Depois desempenha várias outras funções: catequista, membro do coro na paróquia de Nos- ano. A música teve especial encanto pelado seu óbito a assembleia geral reuniu a sa Senhora de Fátima, membro da associação do voluntariado solidário. É encar- O agrupamento de escolas Faria de participação dos grupos musicais da es-19 de maio de 2006 e elegeu novos órgão Temos a Festa do Verão, atividade im- à associação, e permitem mostrar o que Técnicos de Obra e Topografia. Com es- regada de educação do aluno João Batalha, que frequenta este Agrupamento desde Vasconcelos, no dia 13 de junho, realizou cola, com a audição de variadíssimos in-diretivos e como terceiro presidente An- portantíssima para angariar e reunir o temos de bom, para que elas possam, tes cursos já formamos para cima de setembro de 2006, ou seja, há 12 anos, e representante dos encarregados de educação mais um Sarau de final de ano, no Cine strumentos musicais, desde guitarras, vio-tónio Joaquim Simões do Nascimento, suporte financeiro para o regular funci- como sócios usufruir, com uma quota 200 pessoas da turma do seu filho. Teatro de Castelo Branco. O Sarau decor- las, violinos, piano a violoncelo. Destaquecom dois anos de presidência. onamento da associação. mensal que varia conforte a faixa etária. Também temos protocolos a nível reu com grande entusiasmo e alegria e especial para os filmes de curta-metra- Depois, em 2008, realizaram-se no- No aniversário, um dia sempre mar- Quanto à vertente recreativa, de saúde: com uma clínica médica, da natação, que arranjassem transporte contou ainda com a assistência dos pais, gem “Sabotar a Destruição do nosso Pla-vamente eleições, nas quais fui eleito cante para a nossa associação, realiza- quais das atividades até agora real- com o qual se algum sócio precisar de Diogo Gregório, para eles se deslocarem da escola para encarregados de educação, professores neta” com a produção dos alunos do 3º ecomo presidente, até hoje. Em resumo, ir ao Consultório, precisar de médico Leonardo Rascão, mos a prova perícia, prova essa já com izadas lhe parece que mais agrada- a piscina. e amigos de todos os participantes. 4º anos e “Vamos Ter que Mudar” com os Paulo Silva, Prabjotno meu caso, vai para cinco mandatos muita tradição. Este ano, pela primeira ram aos participantes? ou assistência ao domicílio tem 25% Vanessa Corvelo, 7ºB No decurso do evento foram apre- alunos do 2º ano. Os referidos filmes en-que estou à frente desta casa. vez realizamos o passeio das motas an- R:Tudo o que envolve os passeios, as de desconto com o cartão de sócio da Começou, novamente, a falar-se sentadas atividades realizadas pelos quadram-se num concurso escolar “como O que é que levou esse grupo de tigas. Inserido nestas comemorações de caminhadas os magustos, o aniversário associação; fazemos vários rastreios O que a levou a escolher o Agru- dos “mega agrupamentos”? Enquan- alunos do 1º, 2º e 3º Ciclos de ensino e, melhorar a qualidade ambiental da minhaamigos a terem esta ideia de se jun- aniversário, realizámos um almoço, no com as atividades desportivas e recreativas gratuitos na associação durante o ano pamento Faria de Vasconcelos para to encarregada de educação, o que como desfecho do evento, foram entre- escola”, no âmbito da Década das Naçõestarem e fazerem uma Associação? qual tivemos a presença de muitas das englobadas. Temos um leque importante e (hipertensão, colesterol, etc…). Também temos um protocolo com a clínica den- pôr o seu filho a estudar? pensa sobre este assunto? gues os diplomas aos alunos do 4º ano. Unidas da Educação para o Desenvolvim- R: Acho que se juntaram para tentar entidades da nossa cidade e outros con- uma grande diversidade de atividades que tária localizada no bairro, onde os sócios A minha escolha, primeiro que tudo, Não estou muito familiarizada com o O Sarau, por ser um evento cultural ento Sustentável (2005-2014) e Década dadinamizar o bairro e dar melhores garan- vidados. Terminámos as comemorações satisfaz as pessoas que nos procuram. usufruem 20% de desconto. foi feita pela nostalgia que eu própria assunto, mas aquilo que li não me entusi- onde toda a comunidade educativa se en- Biodiversidade (2011-2020). A turma do 2ºtias à própria população em geral. Foi um com uma caminhada até ao monte de Qual é o nº de sócios neste momento?desafio, para contrariar o isolamento que Somos filiados no Inatel, temos um sentia da escola primária. Por isso o asmou. Andamos à procura de autonomia contra para se expressar ou se manifestar ano obteve o 2º lugar no concurso e os 3º S. Martinho, onde estiveram envolvidas R: Foi feita recentemente uma atual-este bairro tinha nessa altura. Pratica- protocolo com a Santa Casa da Mi- meu filho frequentou o 1º ciclo na Es- para as escolas, com os “mega agrupamen- artisticamente, constou de um programa e 4º anos conquistaram o 1º lugar. cerca de 120 pessoas. ização do nº de sócios, pela primeira vezmente isolado da cidade pela linha férrea. Neste aniversário, tivemos uma prenda em 14 anos, e chegámos à conclusão sericórdia, e colaboramos com as esco- cola da Sra. Da Piedade, escola que eu tos” a autonomia termina. E claro que vai muito variado e enriquecedor, com mo- O Agrupamento de Escolas Faria A Associação tem por fins fomen- muito boa, por parte da Câmara Munici- que são cerca de 550 sócios. Já tivemos las, nomeadamente com o Agrupamen- frequentei e que sempre achei muito sempre sobrar para os mesmos: alunos e mentos culturais de alto teor e de humor, de Vasconcelos, através do Sarau, con-tar e proporcionar a cultura regional, pal, que é a ampliação das nossas insta- mais, mas acabámos por perder contac- to Faria de Vasconcelos. competente. Depois disso veio o 2º ciclo encarregados de educação. Quando neces- envolvendo o teatro, a poesia, a música, seguiu fortalecer a identidade da comu-a prática desportiva e manifestações lações, com a construção de uma cozinha to com eles. Quer deixar alguma mensagem e a escolha era óbvia, a escola sede do sitarmos de algo, vão começar a “empurrar- filmes e apresentação de projetos/clubes. nidade escolar, promovendo a integra-recreativas. Quais são as atividades que dê apoio às atividades que fazemos e Tem a noção de quantas pessoas aos nossos leitores, que são sobretu- agrupamento. Para além de ser logisti- nos de um lado para o outro” sem saber Na exibição do teatro estiveram presentes ção de todos, de forma descontraída eem funcionamento no presente? que são muitas. Obra que neste momento vivem aqui no bairro? do alunos e pais, mas também mui- camente a melhor escola para o meu quem decide ou de quem é a culpa. Acho três dramatizações com “Auto da Barca diferente, aproximando as famílias à es- R: No presente, temos várias ativi- já está a avançar a passos largos. R: O Bairro da Carapalha tem 8500 tos moradores do bairro? filho, sempre tive boas referências dela. que é um grande erro, mas como se cos- do Inferno”, apresentada pelos alunos do cola, com a tomada de consciência dodades, como a ginástica para senho- E dessas atividades, quais são as habitantes, tornando-o o maior bairro Em primeiro lugar, queria desejar a tuma dizer: “Quem manda, manda bem”. 9º ano; “Histórias às Avessas”; apresenta- trabalho realizado ao longo do ano pelosras, a guitarra e a viola, a concertina e o que têm mais participantes? populacional da cidade. todos um próspero Ano Novo. Gostava Quais os aspetos deste Agrupa- da pelos alunos do 6º ano e “Falar Verdade seus alunos e educandos.acordeão, o bordado de Castelo Branco, R: Neste momento, são as aulas de Quais são os projetos e planos também de referir que a Carapalha é um mento que considera mais positivos? Nas reuniões de início de ano leti-o karaté, com um técnico de reconheci- acordeão e concertina, com 35 pessoas. que quer desenvolver no futuro? grande bairro da nossa cidade, muito Um dos aspetos mais positivos deste vo, foi informada sobre o processo demento nacional; para além disso temos Apesar de haver muita participação nas R: Projetos e planos há sempre, já que atrativo para se viver. Agrupamento é o facto de os profes- autonomia atribuído ao Agrupamen-também o taekwondo. outras atividades, esta é a mais regular. a associação costuma abraçar todos os E que vejam a escola Faria Vasconce- sores serem muito humanos e muito to Faria de Vasconcelos. Qual a sua Depois temos outras actividades como Na ginástica 18 pessoas, no taekwon- projetos que possam aparecer. Procura- los com outros e bons olhos, deem-lhe a amigos dos alunos. Lembro-me que na opinião sobre este assunto?o ciclismo, modalidade esta com a qual es- do 15 pessoas. Nesta última modalidade, mos com as nossas atividades e projetos dimensão, o valor e consideração que a minha altura éramos tratados quase Acho que era altura de fazerem algumastamos em conversações com a Federação tivemos dois atletas que disputaram o ir de encontro às necessidades do bairro. escola merece. como números. Penso também que, na mudanças. Como por exemplo, tentaremPortuguesa de Ciclismo para criar aqui campeonato na Nazaré. Um deles gan- Por exemplo, vamos ter uma parceria É uma escola excelente, com uma medida do possível, têm tudo muito bem comprar uma carrinha de transporte parauma escola de ciclismo. Temos também o hou a medalha de prata e outro a medal- com a Valnor, com a qual vamos realizar uma grande qualidade de professores e de organizado e que gostam de envolver a os alunos e, neste momento os alunos quecantar das janeiras (em janeiro, durante 4 ha de bronze. No karaté temos 8 pessoas, oficina de artesanato, com duas artesãs, de- auxiliares e de tudo o que a envolve. As comunidade educativa (incluindo pais) frequentam a natação pelo desporto escolarsemanas, cantamos as janeiras pelo bairro e no bordado de Castelo Branco, 17. nominada “Rentabilizar é poupar”. pessoas nesta escola são bem acolhi- nas atividades escolares. necessitam transporte para a piscina e nãotodo, de porta a porta, com concertinas e São pessoas essencialmente aqui Temos diversos protocolos com cer- das, por isso tragam os seus filhos para têm. Só graças à boa vontade de alguns paispessoas a cantar). Costumamos comemo- do bairro ou há gente de toda a cidade? tas entidades. Uma delas é o Nercab esta escola, vale a pena. Não existindo escolas perfeitas, o é que podem frequentar essa modalidade.rar o dia da mulher; o Carnaval; em maio, R: Já temos pessoas de toda a cidade, com o qual desenvolvemos, neste mo- As minhas filhas estudaram lá e que gostaria de ver melhorado neste Se tivessem transporte muitos mais iriam. Étemos a nossa prova de ciclismo para a no karaté, inclusive, temos alunos da Covil- mento, um curso, cujas aulas decorrem foram muito bem acolhidas. Agrupamento? uma pena uma escola que neste momentoqual este ano, conseguimos trazer o Cân- hã e no taekwondo de Alcains. Vem muita aqui na associação, de Certificado de Agradecemos a sua disponibili- Gostaria que existisse uma disciplina tem boas referências em Castelo Brancodido Barbosa, o Joaquim Gomes e o Raul gente das aldeias vizinhas. E até de Penha Aptidão de Motoristas de transportes dade, Sr. José, e desejamos-lhe a si e capaz de criar método de estudo nos alu- não possuir transporte próprio. Como digoMatias. Nesta atividade trazemos à cidade Garcia e Idanha, tornando, assim, a nossa pesados. Estão 22 pessoas inscritas e à Associação as maiores felicidades e nos. Por vezes em casa é difícil. Gostaria temos que zelar pelos nossos alunos. Achomuitos praticantes de outras regiões, já associação uma mais-valia para a cidade. estão 70 pessoas à espera. Além desse,que com a nossa equipa, também partici- sucessos. também e, porque o meu filho faz parte que a escola pode fazer muito, tendo ganho Os protocolos e as atividades des- já se fez o CAP das máquinas (150 pes-pamos em provas por esse país fora. do desporto escolar, mais precisamente esse processo de autonomia. portivas e recreativas trazem as pessoas soas certificadas), Pedreiro, Ladrilhador, Agrupamento de Escolas Faria de Vasconcelos Agrupamento de Escolas Faria de Vasconcelos
  4. 4. 6 em escola em movimento Jornal DESAFIOS Janeiro de 2013 Jornal DESAFIOS Janeiro de 2013 escola em movimento em 7Prémios Regresso àBom Aluno escola O Dia Mundial da Alimentaçãoe Cidadão O diaExemplar mundial da Mariana Pina, 6ºD Nº18 Leonor Alves, 6ºD Nº14 alimentação na escola do Alícia Luís, 6ºD Nº 2 * No dia 04 de outubro, decorreu a en-trega dos prémios de Bom Aluno (man-uais de Língua Portuguesa e Matemáti-ca e o respetivo diploma) e de Cidadão cansadoExemplar (um lápis, um bloco de no- Os alunos da EB1 do Cansadotas e o respetivo diploma). A entregacomeçou por voltas das 21:00 horas, no No dia dezasseis de Outubro foi o DiaIPJ (Instituto Português da Juventude). da Alimentação.Os bons alunos foram os primeiros a Os meninos da escola do Cansadoreceber o prémio, sucedendo-se os ci- trouxeram, cada um, uma peça de frutadadãos exemplares. para se fazer uma salada de fruta, para Receber estes prémios é sempre um celebrar esse dia.privilégio, pois os alunos esforçam-se Fomos para o refeitório ver fazer abastante durante o ano letivo, para ob- salada de fruta. Enquanto a dona Fáti-terem muito bons resultados. Como to- ma e as professoras cortavam a fruta, Inês Galvão Cabaço, 3ºA Duarte Fernandes e Henrique Matos 4ºBdos os anos, a excelentíssima senhora EBI Faria de Vasconcelos EBI Faria de Vasconcelos fizemos jogos de adivinhas relacionadosDiretora Graça Ventura fez um discurso com a alimentação.e também estiveram presentes os res- No dia da alimentação, levei uma No dia Mundial da Alimentação, 16 Quando ficou pronta, colocou-se a salada de fruta em copos e comemos. Dia Internacional datantes elementos da Direção do Agrupa- peça de fruta para fazer um creme de de outubro, fizemos pratos criativosmento e o excelentíssimo senhor Presi- maçã. Ouvi uma palestra sobre a ali- com vários alimentos. Na sala cons- Até houve quem repetisse! Bengala Brancadente da Câmara Municipal, Joaquim mentação e aprendi quais os alimentos truiu-se um peixe, uma palmeira, um A salada de fruta estava deliciosa!Morão. bons e os que fazem mal. Também ouvi mocho, um guarda-chuva… Foi uma Depois dos discursos, passámos um teatro sobre a alimentação, feito pe- atividade muito agradável e estávamosentão para a entrega dos prémios. los alunos do quarto ano. entusiasmados! Todos queriam experi- Ismael Esteves, 6ºB Um povo bem alimentado é umComeçaram por chamar os alunos do Depois, fui ao intervalo e foi lá que mentar. povo saudável, com grande capaci-sexto até ao nono ano e chamaram ao O dia 15 de outubro é o Dia Interna- comi creme de maçã. Também apre- Alguns alunos do 4ºano fizeram um O dia da alimentação é comemo- dade de trabalho e bom nível de vida;palco os antigos alunos da escola. En- 4B cional da Bengala Branca e foi estabe- ndi que não devo comer muitos doces, teatro dos alimentos, organizado pelo rado no dia 16 de outubro e é muito im- um povo mal alimentado é um povoquanto a cerimónia decorria, iam pas- EBI Faria de Vasconcelos tenho é que comer fruta todos os dias nosso animador Bruno Trindade, no lecido pela Federação Internacional de portante porque todas as pessoas de- doente, com reduzida capacidade desando uns vídeos que os alunos rea- Cegos em 1970. Este dia tem como ob- para crescer. E também temos de comer auditório da Escola Faria de Vasconce- veriam ter uma alimentação saudável. trabalho e elevada taxa de mortali-lizaram. No dia 15 de outubro festeja-se o dia jetivo reconhecer a independência das carne, peixe e muito pouco de gordura. los. Fizemos o teatro porque a nossa A antiga roda dos alimentos foi criada dade. Para estarmos bem alimenta- Em suma: foi noite de alegria, risos e da Bengala Branca, com o qual se pre- pessoas cegas e a sua plena participa- Ao pequeno-almoço, devemos beber professora Gabriela e o nosso animador em 1977. A antiga roda dos alimentos era dos devemos comer alimentos dospartilha de memórias. tende chamar a atenção das pessoas ção na sociedade. leite ou iogurte e, para comer, cereais, quiseram mostrar-nos como é bom ter constituída por 5 grupos; a nova roda dos sete grupos, nas quantidades indica- Estudem, porque não é difícil chegar que veem para os problemas do dia a A Bengala Branca é um símbolo da pão e muitas outras coisas. uma alimentação saudável. Nós en- alimentos é constituída por 7 grupos. das.ao fim do ano só com quatros e cincos! Aprendi que, se comemos carne ao saiámos de terça a sexta-feira. Quando dia dos cegos. O nosso animador, com ajuda dos igualdade, é o símbolo da cegueira, ten- do-se convertido num símbolo de inde- almoço, temos de comer peixe ao jantar. fomos fazer o teatro, estávamos muito Roda moderna alunos do 2º ciclo, realizou várias ativi- pendência, liberdade e confiança. A sua E a bebida mais importante que devemos nervosos. Roda antiga dades, para sentirmos as dificuldades utilização permite ao deficiente visual beber é a água. Também devemos beber Depois do teatro, tivemos a opor- que os cegos têm. Realizámos jogos movimentar-se livremente. sumo, mas pouco, porque leva grande tunidade de provar creme de maçã sensoriais como estes: com os olhos O Agrupamento Faria de Vascon- quantidade de açúcar, não podemos beber com bolacha e iogurte, que estava vendados, tínhamos de fazer percur- celos, através do Projeto “Escola de muita coca-cola porque tem cafeína e gás. maravilhoso! E foi assim que festejá- sos à volta de objetos, com bengalas Valores” e em parceria com a ACAPO, Eu gostei muito deste dia! mos este dia. brancas para nos orientarmos; noutro assinalou o Dia Mundial da Bengala jogo, que era constituído por uma bola Branca através da realização de um con- com guizos e duas balizas, tínhamos junto de atividades que pretendiam sen- de tentar acertar com a bola na baliza e sibilizar a comunidade educativa para também estivemos a tentar ler alfabeto a diversidade de questões relacionadas Braille. com a deficiência visual e também para Experimentámos sensações que as questões da igualdade de oportuni- nunca tínhamos sentido. E aprende- dades e da inclusão social dos defici- mos que devemos dar mais atenção às entes visuais. Estiveram disponíveis um pessoas que são diferentes de nós! conjunto de equipamentos que os alu- nos puderam experimentar, utilizando o tato e descobrindo a importância das perceções dos demais sentidos. Agrupamento de Escolas Faria de Vasconcelos Agrupamento de Escolas Faria de Vasconcelos
  5. 5. 8 em escola em movimento Jornal DESAFIOS Janeiro de 2013 Jornal DESAFIOS Janeiro de 2013 escola em movimento em 9ESCOLA DE VALORES –ESCOLA SOLIDÁRIA 11.º SEMINÁRIO Professora Anabela Tomé sermos tolerantes. Visionaram um filme e completaram com corações um cartaz representando a “árvore da tolerância” e DA REDE ESCXEL Ao longo do 1º período, no âmbito do que foi afixado na entrada do corredor O 11º Seminário ESCXEL realizou-seProjeto “Escola de Valores, foram dina- central. no passado dia 26 de outubro de 2012,mizadas diversas atividades na Escola Ainda em novembro, desenvolveu-se no Agrupamento de Carnaxide, e foi HalloweenSede, no sentido de despertar toda a co- uma campanha de recolha de bens com subordinado ao tema “Percursos Vo-munidade educativa para os valores da vista à manutenção da nossa Casinha cacionais Alternativos: Oportunidades,solidariedade, da tolerância. da Partilha, à elaboração dos cabazes de Problemas e Estratégias”. No dia 15 de outubro, celebrámos Natal, que foram sorteados e entregues Os trabalhos desenvolvidos con-o Dia da Bengala Branca, assinalando às famílias de alunos com escalão A, à Pesquisa realizada por Alícia Luís, 6ºD Com o passar do tempo, passou-se sistiram na realização de um painele reconhecendo desta forma a inde- Feira que se realizou no dia 20 de dezem- a acreditar que na Noite das Bruxas os central, no qual foram apresentadaspendência e confiança das pessoas bro no corredor central. Nesta feira con- O Halloween é celebrado principal- fantasmas voltavam à Terra em busca experiências e metodologias de Orien-cegas. Foi montado no pátio da escola támos também com a participação da mente nos países de língua inglesa, de alimento e companhia para levarem tação Escolar e Vocacional, e de umum circuito onde todos puderam ex- Associação de Pais, com uma banca como por exemplo: o Canadá, o Reino para o outro mundo. conjunto de três Workshops reflexivosperimentar as sensações vivenciadas com rifas, com os produtos confeciona- Unido, os Estados Unidos e a Irlanda. Assim, as pessoas pensavam que en- subordinados aos temas, “Orientaçãopor um cego no seu dia a dia, desde dos pelos alunos nas aulas de Educação Entre o pôr-do-sol do 31 de outubro e 1 contravam almas penadas se saíssem de de Percursos Escolares Vocacionais”,encontrar um obstáculo no caminho Para o Empreendedorismo e ainda com de novembro, ocorria a noite sagrada casa nessa noite. Por isso, para não serem “Planeamento e Gestão de Ofertas Pro-até descobrir através do olfato e do tato uma banca onde se venderam produtos (Hallow Evening, em inglês). Acredita- reconhecidas pelos fantasmas, usavam fissionalizantes”, e “Mercado de Trab-que produtos e especiarias está a usar. da UNICEF. se que o nome “Halloween” nasceu daí: máscaras quando saíam de casa, para alho, oportunidades e articulação com valorização, bem como na garantia deNesta atividade contámos com o apoio Em todas estas atividades foi muito Hallow Evening > Hallowe’en > Hallow- serem confundidas com espíritos que an- as Empresas”. escolhas/oferta de percursos profission-da ACAPO que nos emprestou algum importante o envolvimento de todos, een. davam à solta a tentarem apanhar almas O curso dos trabalhos que decor- alizantes, que melhor garantam umamaterial. em especial dos professores da equipa, O Halloween nasceu na Gália e nas vivas. E para manter os espíritos longe de reram ao longo do dia, demonstrou estreita ligação ao tecido empresarial Em novembro, no dia 16, comemorou- mas sobretudo dos alunos que se dis- ilhas da Grã-Bretanha entre os anos 600 casa, as pessoas colocavam tigelas de uma enorme dedicação e empenho dos envolvente e inerentemente ao mercadose o Dia da Tolerância. Um grupo de alu- puseram a ajudar, e foram bastantes. No a.C e 800 d.C. Nunca esteve relacionado comida à porta para os satisfazer e os im- vários atores, participantes e oradores, de trabalho.nas do 8ºD, a Mariana Costa, a Ana Silva entanto, há sempre lugar para mais um. com bruxas ou espíritos, mas as pes- pedir de entrar. Também para se proteger, na educação e formação de jovens e O seminário contou com uma ad-e a Ânia Costa, trabalharam este tema Se quiseres ser voluntário na nossa Es- soas assim o quiseram. Era apenas uma carregavam lanternas, porque a luz e os na orientação destes para escolhas esão alargada, no que respeita ao con-e resolveram apresentá-lo e debatê- cola Solidária, contata-nos. festa normal onde se comemorava o fi- fantasmas são da noite e das trevas e a luz que resultassem na sua qualificação e celho de Castelo Branco.lo com os alunos do 4º ano. Assim, na Ao longo do segundo período cá es- nal do verão. significa a vida.manhã do dia 16, dialogaram com eles taremos para desenvolver outras ativi-sobre a tolerância e a importância de dades. Estejam atentos e colaborem. Dia da mostraram- nos um vídeo sobre: Sa- ber tolerar.Festival Literário tolerância Depois, para nossa surpresa, deram-nos cartões em forma de co- ração. Alguns meninos do 4ºA e 4ºBde Castelo Branco na escreveram as seguintes frases:Faria de Vasconcelos Joana Santo e Simone Alexandre 4º A -Tolerância é respeitar as diferen- EBI Faria de Vasconcelos ças dos outros. -Tolerância é ser sincero e amigo Professora Isabel Gil fazem parte do imaginário dos alunos, O dia da tolerância é celebrado no dos outros. tendo como tema de reflexão “ Escrever dia 16 de novembro. -Tolerância é a paz. é bom… e ler?”. No dia 17 de novembro, a nossa E para ti, o que é a tolerância? Nos dias 24 e 26 de outubro, o Agru- escola celebrou-o. Algumas alunas Os alunos do 4º ano gostarampamento de Escolas Faria de Vasconce- do 8º ano fizeram uma apresentação desta experiência.los foi palco de escritores, ilustradores e As escritoras e ilustradora relacionada com a tolerância. No fim, Foi muito criativa!jornalistas de âmbito nacional e renomeinternacional. Guilherme e Beatriz, 4ºA EBI Faria de Vasconcelos A polícia veio à escola A literatura esteve ao alcance de to-dos, desde graúdos a miúdos. Contou No dia 24 de novembro de 2012, na Es-com a presença de Danuta Wojciechows- cola Faria de Vasconcelos, as escritoraska, Patrícia Reis e Carla Maia Almeida Carla Maia de Almeida e Patrícia Reis e Alunos da turma Bno dia 24 e dos escritores e jornalistas a ilustradora Danuta Wojciechowska vi- EBI HORTA D’ALVAJúlio Magalhães, Yara Kono e José Pires, eram visitar os meninos das turmas dono dia 26 de Outubro. 4º e 5º ano. No dia 21 de novembro, recebemos Os alunos passaram a ter um con- Cada uma fez uma apresentação so- na nossa escola, EBI da Horta D’Alva,tacto direto com a literatura através dos bre as suas obras e a ilustradora Danuta agentes da Escola Segura.escritores, dando a conhecer o contexto trouxe-nos alguns dos seus trabalhos, Deslocaram-se cá para nos falarem dedas obras literárias e ampliar assim o que os meninos adoraram e todos gos- segurança no nosso dia-a-dia: em casa,seu reportório, para além de poderem taram muito de ouvir a ilustradora e as na escola, na rua… e que cuidados e ati-fazer uma reflexão sobre o enredo de escritoras. tudes devemos ter em algumas situações,cada obra. Na apresentação e divulga- A turma do 4ºA fez trabalhos muito para que não nos aconteça nada de grave.ção dos livros já publicados, os alunos giros para entregar à autora Patricia Depois da apresentação das regrasaprenderam a analisar a literatura e Reis, sobre uma das suas histórias com de segurança e dos cuidados a ter, real-refletir sobre a língua escrita. A leitura o título “A fada Dorinda e a Bruxa do izámos um pequeno teste para verificar-tornou-se assim uma paixão pelos liv- Mar”. Os trabalhos ficaram tão giros que mos se estivemos atentos e se sabíamosros com a presença de escritores que fizemos um livro com os textos. responder acertadamente. Agrupamento de Escolas Faria de Vasconcelos Agrupamento de Escolas Faria de Vasconcelos
  6. 6. 10 em escola em movimento Jornal DESAFIOS Janeiro de 2013 Jornal DESAFIOS Janeiro de 2013 escola em movimento em 11 FESTA DE NATAL NO{ AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FARIA DE VASCONCELOS DEZEMBRO DE 2012 Isabel Gil O Agrupamento de escolas Faria de Vasconcelos, celebrou no dia 12, a sua tradicional Festa de Natal, onde não agem definida do Pai Natal: o norte-amer- faltou animação com música, dança, e icano Clement Moore, em 1822, escreveu teatro. Contou com a participação calo- o poema “Uma Visita de São Nicolau” em rosa de toda a comunidade educativa, que o descrevia em pormenor e, desde desde alunos, professores, pais, fun- então, tem sido essa a imagem utilizada: cionários e ex-professores da escola. um velhote gordinho e alegre, que se des- A festa foi marcada com o típico al- loca num trenó puxado por oito renas e moço de Natal e animada pela atuação de que entra em casa pela chaminé. diferentes grupos de teatro com a drama- Sabias que a cor dos trajos do Pai Natal tização do “Auto da Barca do Inferno” pelos é bem mais recente do que se imagina? alunos do 9º ano e “ Macaco do Rabo Cor- Por volta de 1930, a Coca-Cola contratou tado” pelo grupo de teatro “Mãos ao Ar” da um publicitário para criar a campanha de ANPEB. Cantaram entusiasticamente as Inverno. Deste modo, o encarnado e o bran- tradicionais canções de Natal, os alunos do co que eram as cores da empresa ficaram 1º ciclo e dançaram sem tréguas os alunos associadas à figura do Pai Natal. do 6º ano. Para terminar em beleza, atuou o As renas do Pai Natal grupo de música “Quarteto Improvável” ao O Pai Natal tem muitas renas, que som das concertinas composto por alunos treinam todo o ano mas, na noite de Na- da escola o que despertou grande anima- tal, apenas usa oito renas. As renas do Pai ção e entusiasmo pelos presentes. Natal chamam-se: Dasher, Dancer, Pranc- Leonor Alves Alexandra Branco Patrícia André , 6ºE São Nicolau/ Pai Natal lhou por todo o lado como ele era bom e er, Vixen, Comet, Cupid, Blitzen e Donder. A rena Rudolph, de nariz encarnado, Mariana Pina, 6ºD A Lenda de São Nicolau generoso. só apareceu em 1949, por causa de uma No dia 12 de dezembro de 2012, rea- Está a chegar o Natal, época muito es- pesquisa realizada por: Também se diz que ele subiu ao te- música norte americana chamava-se “Ru-lizou-se o almoço de natal, no pavilhão perada do ano, festas, comidas, bebidas, Patrícia André, 6ºE lhado e deixou cair o saco pela chaminé, dolph the Red-nosed Reindeer” (Rodolfo,gimnodesportivo da Escola António religião e etc. Nesta época tão agitada, de- onde caiu numa meia que estava pendu- a Rena de Nariz Vermelho).Sena Faria de Vasconcelos. vemos também divertir-nos um pouco, que O bispo Nicolau sabia de três irmãs rada na lareira a secar. Os alunos dos 1º, 2º e 3º ciclos, tal rir com algumas frases engraçadas sobre cujo pai, muito pobre, não tinha dinheiro Vê-se nesta lenda a razão de algumastrouxeram comida para partilharem o Natal? para o seu dote, por isso elas não podiam tradições...uns com os outros e cada turma, com o Frases de Natal: casar-se. Pai Natal gordinho e vestido de encar-respetivo diretor de turma ou professor - “O natal é injusto, o peru morre e a Nicolau era tímido e não gostava de aju- nado?titular, preparou e decorou a sua mesa, missa é do galo.” dar dando dinheiro diretamente, por isso, O Pai Natal tem uma origem muitodestacando-se este ano a frase da tur- - O que te engorda não é o que comes quando a mais velha estava para casar, ele antiga. Nos países nórdicos, era costumema, alusiva ao Natal. no Natal e no Ano Novo, mas o que atirou um saco de dinheiro pela janela, à alguém vestir-se com peles e representar Antes do almoço, cantou-se e dan- comes entre o Ano Novo e o Natal. noite. A rapariga pôde então casar-se. o “Inverno”, visitando as casas onde lheçou-se animadamente. - “O que é um chefe, Pai Natal? - Mais tarde, aconteceu o mesmo com a ofereciam de beber e de comer, pois, se o O almoço foi muito agradável para todos. Aquele que só sabe encher o saco.” segunda. E São Nicolau fez o mesmo para tratassem bem, iriam ter sorte. Depois do almoço, a festa prosseguiu, -”Aprendi que o homem tem quatro ela se poder casar como era tradição. Mais tarde, esse Pai Natal foi associa-com teatro, música, danças, que muito idades: quando acredita no Pai Natal, Quando foi a vez da terceira, o pai das do a São Nicolau. Bem mais tarde, junta-divertiram todos os presentes. quando não acredita, quando é o Pai Na- moças, desconfiado, decidiu vigiar e viu o ram-se as duas figuras numa só. tal e quando se parece com um Pai Natal.” que São Nicolau fez. Logo a seguir espa- Só no século XIX é que surgiu uma im- Agrupamento de Escolas Faria de Vasconcelos Agrupamento de Escolas Faria de Vasconcelos

×