SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 20
Baixar para ler offline
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CAMPIA




A NO IX ; 1ª E DIÇÃO ; TIRAGEM : 100 EXEMPLARES ; 1 LOENDRO   DEZEMBRO DE 2010



                                                                                 P ONTOS DE INTERESSE
                                                                                 ESPECIAIS :


                                                                                 •    Actividades do Agrupa-
                                                                                      mento;
                                                                                 •    Trabalhos dos nossos
                                                                                      alunos;
                                                                                 •    Sugestões de activida-
                                                                                      des;
                                                                                 •    Passatempos;
                                                                                 •    Curiosidades;

O S. MARTINHO EM VILADRA - ALCOFRA                                               •    Fotos ;
                                                                                 •    E muito mais….




                                                                                      A BE EM ACÇÃO




                                              O FLAUTISTA DE HAMELIN -BE
  CASTELO DE STª MARIA DA FEIRA




        FESTA DE NATAL
                                                                                     DIA DA ALIMENTAÇÃO
                                                                                             1º CEB
P ÁGINA 2                                                                                                             FOLHAS DE LOENDRO

                               EDITORIAL                                  FICHA TÉCNICA
                                                                          Propriedade: Agrupamento de Escolas de Campia
         Aqui está o primeiro número, deste ano lectivo, do Jornal
                                                                          Lugar do Arieiro
Escolar ”Folhas de Loendro”.
                                                                          3670—056 Campia
         Tal como nos anos anteriores, este propõe-se ser um dos
elementos de dinamização de toda a Comunidade Escolar e de con-           Telefone: 232750120
tacto com as novas tecnologias, através de projectos e trabalhos que
queiram dar a conhecer, opiniões ou ideias que queiram partilhar.         Equipa responsável: Professora Sandra Alves e
         São muitos os projectos que se propõem despertar, nas            Professora Bibliotecária, Isabel Alves
crianças e nos jovens, o prazer de escrever e de ler. O Jornal Escolar    Colaboração de: Professores e alunos do Agrupa-
é mais um deles.                                                          mento de Escolas de Campia
         Apelamos, assim, a que todos participem nele, de maneira a       A todos os que participaram e cola-
torná-lo mais rico e envolvente e, dessa forma, transformá-lo num dos     boraram para que este jornal fosse
instrumentos de incentivo à leitura e à escrita.                          possível o nosso obrigado.
         Aproxima-se a Época Natalícia, uma época de Paz e de
Amor.                                                                            2010 é o Ano Europeu do Combate à
         É um momento festivo da Humanidade e uma presença ins-                      Pobreza e à Exclusão Social
piradora que nos convida à reflexão colectiva sobre o mundo em que
vivemos.                                                                     2010 é o Ano Europeu do Combate à Pobreza e
         Nesta perspectiva, queremos saudar toda a Comunidade             à exclusão Social. É verdade que este ano se tem
                                                                          revelado difícil, pois o desemprego, a estagnação
Escolar e, com ela, associar-nos aos valores da tolerância e da frater-
                                                                          económica e as consequências que daí advêm têm
nidade, num sorriso solidário que todos una por laços de constante        levado ao agravamento da situação financeira das
harmonia.                                                                 famílias. A solidariedade para com os mais necessi-
         Um Feliz Natal e um Próspero Ano Novo.                           tados faz cada vez mais sentido e é um valor que
                                                                          procuramos despertar nos nossos alunos. Foi com
                                                                          este espírito que o Agrupamento de Escolas de
                  A Direcção                                              Campia iniciou uma campanha de recolha de ali-
                                                                          mentos, brinquedos, roupas e livros com que conta-
                                                                          mos alegrar um pouco algumas famílias, neste
                                                                          Natal. Associaram-se a nós neste projecto a Comis-
                                                                          são de Obras de Nossa Senhora dos Milagres - Adsi-
                                                                          de; o Agrupamento de Escuteiros 649 - Campia; o
                                                                          Centro Social de Campia; e a empresa T&T. Tam-
                                                                          bém os alunos e professoras do 1º CEB, em articu-
                                                                          lação com a Biblioteca escolar, quiseram dar o seu
                                                                          contributo e têm sensibilizado toda a comunidade
                                                                          escolar e educativa para uma participação activa,
                                                                          com material escolar. A resposta a esta iniciativa
                                                                          tem sido bastante positiva, mas esperamos que o
                                                                          espírito natalício nos motive para colaborarmos de
                                                                          forma ainda mais generosa. Bem-haja a todos!
                                                                             Ser solidário…                                                é o tema da nossa campanha de Natal!

                                                                             Há meninos que não têm livros, canetas, lápis de cor, mochilas e outros materiais escolares. Estes meninos
                                                                             não conseguem aprender bem, por isso, vamos partilhar com eles o que temos a mais.

                                                                             Não pensemos só em nós. Um carinho, um sorriso e um simples gesto podem
                                                                             fazer milhões de crianças felizes.

                                                                             Se ajudarmos os meninos a ficarem felizes, nós também ficaremos felizes.




                                                                             Vamos ficar à espera do vosso donativo na EB de Campia, no pavilhão A.


                                                                                                                      Agrupamento de Escolas de Campia
A NO   IX ;   1ª E DIÇÃO ;   TIRAGEM :     100   EXEMPLARES ;                      P ÁGINA 3

    O Dia Mundial da Alimentação


       No dia 15 do passado mês de Outubro
(o dia 16 foi sábado), a Escola do 1º CEB e o
Jardim de Infância do Outeiro festejaram o
“Dia Mundial da Alimentação”, com algumas
actividades.
        Começámos por construir um mapa
gigante do nosso país. De seguida, identificá-
mos a nossa região (Alcofra), com o seu
monumento mais representativo - “A Torre
Medieval”. Depois, e de acordo com as pes-
quisas que realizámos alguns dias antes da
actividade, desenhámos, pintámos, recortá-
mos e colámos os principais frutos, vegetais,
cereais e animais, cultivados e criados na nos-
sa região e no país em geral.
       Seguidamente, completámos o nosso
mapa e fizemos a sua análise. Com a ajuda das
nossas professoras, concluímos o seguinte:
        -Na nossa região há todos os alimen-
tos essenciais para a nossa alimentação;
        -Os produtos da nossa terra são mais
saudáveis do que os que se compramos no
supermercado, pois não possuem químicos,
pesticidas, herbicidas…
       -Devemos utilizar e aproveitar estes
produtos porque, para além de serem mais
saudáveis e mais baratos, estamos também a
combater a sociedade de consumo em que
vivemos.
        Para finalizar o dia, confeccionámos ,
ainda, um bolo de frutas, com ingredientes
que trouxemos de nossas casas. Estava muito
delicioso!...
        As actividades realizadas foram muito
interessantes e com elas, aprendemos muitas
“coisas novas”.                                                 1º CEB de Campia
     Trabalho realizado pelos alunos da Escola e do Jardim do
                                Outeiro para o Jornal Escolar
P ÁGINA 4                                                                              FOLHAS DE LOENDRO

      A good and healthy breakfast                                  Junk food is good but ……
         We should take a good and healthy breakfast                  I like junk food but I don’t usually eat this kind
every morning, because it’s a source of energy and           of food. I think junk food is unhealthy but we eat it lots
strength.                                                    of times. Once or twice is not problematic.
         A good and healthy breakfast consists of milk                Eating junk food every day may give us a “gift”,
with chocolate or with coffee, bread with butter, jam,       which is not very good!!! It may cause health problems.
ham, cheese, croissants, yoghurt, cereals with milk,                  Fast food is very good because it’s tasty and
orange juice and a piece of fruit as for example apple,      delicious. Besides that, it’s cheaper and faster than
pear, banana, orange and grapes.                             healthy food. But …. junk food doesn’t have what we
         Having a good breakfast every day is very im-       need: vitamins and minerals. On the other hand, it is
portant. It is the most important meal, because it pro-      very fattening and this is a great problem. Some people
                                     vides calories and                                       eat too much of this
                                     vitamins necessary                                       kind of food and later
                                     for the day and the                                      they may be overweight
                                     students who eat a                                       and have heart diseases.
                                     good breakfast are                                       So …. why not to try
                                     more concentrated                                        different          food???
                                     and willing to                                           Healthy food helps us to
                                     learn.                                                   keep fit and it contrib-
                                     All of us should                                         utes to a balanced diet.
take a good breakfast, because it helps to keep fit and                                       Definitely it is very
slim. It contributes to a balanced diet.                                                      good and it doesn’t
                                                                                              cause any problems!!!!
                                 Carolina Saldanha 8ºB nº5           Daniela Almeida 8ºB nº8


            JARDIM DE INFÂNCIA DE CERCOSA

Para comemorar o “Dia da Alimentação”, convidámos
familiares e amigos a usufruírem connosco
de uma manhã diferente, na nossa escola.
Fomos de pijama para a escola e tomámos
um pequeno-almoço saudável e nutritivo.
Depois de bem alimentados, resolvemos
acordar “todo o corpinho” ao som de uma
música, bem mexida. Para finalizar, e porque
tínhamos ainda muita energia, fomos dar uma caminhada à
volta da nossa aldeia. Mas primeiro mudámos de roupa, claro.
Nesse dia estava muito frio mas isso não nos dissuadiu de sair-
mos à rua. Pelo caminho ainda fizemos algumas paragens para
conversar com amigos e familiares que encontrámos e, … para
comer uvas. Foi uma manhã bem divertida e saudável e apro-
veitámos para estreitar laços e para conversar.




                                                                                           3º ano EB Campia
A NO   IX ;   1ª E DIÇÃO ;   TIRAGEM :   100   EXEMPLARES ;                                                                P ÁGINA 5


O Projecto de Educação para a Saúde (PES) em articulação com o Departamento de Matemática e Ciências Experimentais
(grupo de Ciências da Natureza/Naturais) promoveu a comemoração do "Dia Mundial do Não Fumador”, na semana de 15 a
19 de Novembro de 2010.
No átrio do Pavilhão B, foi feita uma exposição, da qual constaram:
  •    trabalhos realizados pelas turmas do 2.º ciclo, nas aulas de Área de Projecto, e pela turma do 3.º ano da EB de Cam-
       pia;
  •    informação relativa à composição do tabaco e doenças relacionadas com o tabagismo;
  •    mensagens sobre a temática, elaboradas pelas várias turmas das escolas do Agrupamento, que foram afixadas em
       dois pulmões criados para o efeito;
  •    esqueleto humano com os pulmões enegrecidos e os dentes amarelecidos devido ao consumo de tabaco.



                                                  Nas aulas de Ciências da Natureza/Naturais e/ou nas de Formação
                                                  Cívica foi feita uma sensibilização dos alunos para a temática. Nas tur-
                                                  mas do 6.º ano, na disciplina de Ciências da Natureza, foi também reali-
                                                  zada uma actividade prática, “A garrafa fumadora”, que pretendia que
                                                  os alunos visualizassem como ficarão os nossos pulmões se forem
                                                  fumados vários cigarros.
                                                  Na Biblioteca da Escola foi projectada uma apresentação em Power-
                                                  Point elaborada por alunos do 5.ºA.
                                                  Foram, ainda, divulgados os documentos emanados da Unidade de
                                                  Saúde Pública do ACeS Dão Lafões II.
                                                  As actividades desenvolvidas tiveram como objectivos sensibilizar a
                                                  comunidade escolar para os efeitos nocivos do tabaco e prevenir o seu
                                                  consumo, bem como encorajar os fumadores a deixar de fumar.



                                                                                                     Passatempo: resolve as
                                                                                                    seguintes palavras cruza-
                                                                                                     das sobre o Tabagismo



                                                                                                    Verticais:


                                                                                                    1-Vasos que conduzem o sangue do
                                                          Horizontais:                              coração a todas as partes do corpo.
                                                          2-Grupo de indivíduos onde se verificou   5-Zona externa do corpo que fica
                                                          um aumento de consumo de tabaco nos       amarela por se fumar
                                                          últimos anos (no plural)
                                                                                                    6-O fumo do cigarro em ambientes
                                                          3-Está presente no fumo produzido         fechados atinge também os…
                                                          pelos cigarros e automóveis.
                                                                                                    7- Uma das 4700 substâncias tóxicas
                                                          4-Componente do tabaco que provoca        componentes do cigarro
                                                          dependência
                                                                                                    10-Planta cuja folha depois de prepa-
                                                          8-Local onde se pode fumar                rada serve para os cachimbos, charu-
                                                                                                    tos, e cigarros
                                                          9-A nicotina demora apenas 10 segun-
                                                          dos a chegar a ele                        11- Um órgão do corpo humano em
                                                                                                    que os efeitos da nicotina são mais
                                                          12-Doença muitas vezes incurável que      graves
                                                          surge, devido ao consumo do tabaco
                                                          13- Quando se deixa de fumar poupa-
P ÁGINA 6                                                                      FOLHAS DE LOENDRO

O Projecto de Educação para a Saúde (PES), em articulação com o Departamento de Matemática e Ciências
Experimentais (grupo de Ciências da Natureza/Naturais), assinalou, na semana de 29 de Novembro a 3 de
Dezembro de 2010, o “Dia Mundial da Luta Contra a SIDA”. Para tal, levaram-se a efeito algumas actividades,
quer em contexto de sala de aula (Ciências da Natureza, Formação Cívica e Área de Projecto), quer fora, que
pretenderam sensibilizar tanto os alunos como a restante comunidade escolar para a temática, nomeadamente
para os comportamentos de risco, e alertar para a importância do contributo de todos no combate à infecção
pelo VIH.
No átrio do Pavilhão B, foi feita uma exposição com cartazes e mensagens/slogans elaborados pelos alunos e
foi, também, divulgada informação relevante sobre a problemática do VIH/SIDA.



                                                    Na Sala de Alunos, foi projectada uma apresentação com
                                                    recurso ao PowerPoint, realizada pelo 9.º A, sobre o que
                                                    é a SIDA, quais os sintomas da doença e as formas de
                                                    transmissão e de prevenção.
                                                    Procedeu-se à distribuição de materiais (lápis, réguas,
                                                    pulseiras e porta-chaves) alusivos à temática, gentilmente
                                                    cedidos pela Coordenação Nacional para a Infecção VIH/
                                                    SIDA, aos alunos de todas as escolas do Agrupamento.
                                                    Na EB de Campia, foi, também, distribuído a cada um dos
                                                    alunos, bem como a outros elementos da comunidade
                                                    escolar, um laço vermelho, símbolo internacional da luta
                                                    contra a SIDA.
                                                    Foram, ainda, divulgados os documentos emanados da
                                                    Unidade de Saúde Pública do ACeS Dão Lafões II, a fim
                                                    de sensibilizar e prevenir esta problemática.
                                                    Em todas as escolas e jardins-de-infância do Agrupamen-
                                                    to, foi feito um Peditório para a ABRAÇO – Associação de
                                                    Apoio a Pessoas com VIH/SIDA. Esta iniciativa destinou-
                                                    se à angariação de fundos para o prosseguimento dos
                                                    projectos da Associação, pelo que se agradece a todos os
                                                    que contribuíram para esta causa.
A NO   IX ;   1ª E DIÇÃO ;   TIRAGEM :     100       EXEMPLARES ;                                                  P ÁGINA 7

                Alfabético maluco                                                      O Outono

 A é a Ana, apanhou uma banana.                                    O Outono é uma das quatro estações do ano. Esta estação
 B é o Bernardo, picou o rabo num cardo.                  começa a 22 ou 23 de Setembro e termina a 21 ou 22 de Dezembro.
 C é a Catarina, foge de uma vacina.                               Os dias fiam mais curtos e mais frios; anoitece mais cedo. As
 D é o Daniel, comeu muito mel.                           folhas de muitas árvores, arbustos e outras plantas pintam-se de mui-
 E é a Elisabete, partiu a sua bandulete.                 tas cores: castanho, vermelho, laranja e amarelo. Todas (as das árvo-
 F é o Fábio, que se arma em sábio.                       res de folhagem caduca) vão cair ao longo dos três meses que dura o
 G é a Gabriela, que se julga muito bela.                 Outono.
 I é o Ivo, disse um diminutivo.                                   Algumas aves partem para terras mais quentes, como as
 J é o João, que conheceu um cão.                         andorinhas, as cegonhas e os patos selvagens. Alguns animais prepa-
 K é a Kate, gosta de leite.                              ram-se para hibernar e outros começam a guardar, nas suas tocas,
 L é a Lucília, dá aulas à Cecília.                       alimentos para o Inverno, como por exemplo, o esquilo e as formigas.
 M é o Miguel, zangou-se com o Gabriel.                            Nesta época do ano, a Natureza oferece-nos vários frutos:
 N é a Nanda, encontrou um panda.                         figos, marmelos, dióspiros, abóboras, castanhas e os frutos secos
  O é a Olga, está de folga.                              (avelãs, nozes, amêndoas…). Nos bosques aparecem muitos cogu-
 P é a Paula, faltou a uma aula.                          melos, mas nem todos são comestíveis, alguns são venenosos.
 Q é o Quim, nas aulas, come pudim.                                Nesta altura, as pessoas das aldeias andam muito atarefadas
 R é o Ricardo, morde como um leopardo.                   com a apanha das uvas - a vindima. É também nesta época que se
 S é o Simão, come um pão.                                festeja o dia das bruxas (31 de Outubro) e o S. Martinho (11 de
 T é a Teresa, põe a mesa.                                Novembro).
 U é o Urbano, amanhã fará um ano.                                 No Outono, verificam-se muitas mudanças ao nosso redor.
 V é Vera, foi mordida pela fera.
 W é o Waldo, rapidamente, comeu o caldo.                                  Texto colectivo dos alunos do 2º/3º ano de Cambra
 X é a Xana, escorregou numa casca de banana.
 Y é Yara, pôs na jaula uma ave rara.
 Z é o Zeca, plantou relva na careca.

                   Joana, 3º ano, E. B.1 de Cambra


            SURPRESAS EM CERCOSA
Viva! Finalmente a nossa caixa de areia. Que pena
ser Inverno. Mesmo assim, o tempo ajudou e o sol
instalou-se durante uma tarde, para que a pudésse-
mos inaugurar. Assim, já não precisamos de esca-
var os alicerces da escola e desenterrar as raízes
das árvores.
Agradecemos à Câmara Municipal o presente tão
esperado.
Mas há mais…, para os encarregados de educação,
familiares e amigos que nos ofereceram os baloiços
e a cobertura para a caixa de areia, um grande
“Bem haja !!!”
Agora, é só esperar que
venha o solzinho.
 Isto é … Cidadania!
P ÁGINA 8                                                                                        FOLHAS DE LOENDRO
                          Partilha                                                       Magia na floresta
No dia 9 de Dezembro, os alunos da turma do 2º/4º ano da       Certo dia, uma princesa que tinha muito mau feitio foi
EB de Campia, fizeram um trabalho de Expressão Plástica        expulsa do seu palácio, pelo seu próprio pai. Muito triste,
em conjunto com alguns idosos do concelho. O Convívio foi      fugiu para a floresta. Depois de muito ter andado, resolveu
excelente e dele resultaram trabalhos muito interessantes.     descansar, junto a uma velha árvore. Foi então que apare-
                                                               ceu uma fada e lhe perguntou:
                                                                  _ Por que choras?
                                                                  A princesa contou-lhe tudo o que lhe tinha acontecido.
                                                               Resolveu ajudá-la e levou-a para sua casa, que se situava
                                                               num rochedo, perto de um riacho.
                                                                  A princesa revelou à fada o seu maior desejo: conquistar
                                                               o príncipe e voltar para a sua família.
                                                                  Ela pediu ajuda à fada. Esta foi procurar o seu livro de
                                                               magia, escondido no seu esconderijo secreto.
                                                                  Ao tentar realizar uma das magias, apercebeu-se que os
                                                               seus poderes tinham desaparecido.
                                                                  A fada foi pedir ajuda às suas amigas que levaram a
                                                               princesa até ao mago Félix da floresta. Este disse-lhe que
                                                               só realizaria o seu desejo, se ela conseguisse decifrar um
                                                               enigma. Teria de passar por uma ponte alta, estreita,
                                                               escorregadia, por cima de um rio com crocodilos esfomea-
                                                               dos, onde encontraria um mapa.
                                                                  Com o auxílio das fadas, conseguiu atravessar a ponte e
                                                               encontrar o mapa. Ao abri-lo, encontrou o seguinte:
                                                               “PAK2”. Aflita, mas muito curiosa, pediu mais uma vez o
                                                               apoio das fadas. Estas descobriram uma pequena porta,
                                                               com a inscrição “PAK2”. Quando a princesa se aproximou
                                                               da porta, esta abriu. Lá dentro, estava uma Maquina do
                       Histórias na BE                         Tempo que a transportou para o palácio do seu amado, o
Todas as quartas feiras, os alunos dos 1º e 2º anos da EB      príncipe Artur.
Campia vão à BE ouvir uma história. Uma das histórias que         A princesa dirigiu-se aos jardins do palácio do príncipe e
as crianças ouviram foi a do Rato Renato, um ratinho muito     encontrou-o a conversar com o mago. Ela aproximou-se do
simpático que, mesmo sem o saber, ajudou os meninos do 1º      príncipe e pediu-lhe desculpa, declarando-lhe o seu amor.
ano a aprenderem a letra R e palavras onde esta letra apare-      O príncipe aceitou as suas desculpas e pediu-a em
ce. Também algumas vezes puderam pôr a sua criatividade à      casamento.
prova. Esta iniciativa tem sido muito bem recebida pelos          Alguns meses depois, casaram e fizeram uma grande
meninos e tem-se revelado bastante enriquecedora no con-       festa para os amigos e família.
texto de sala de aula. Além disso, enche a alma a quem conta      A princesa tornou-se numa pessoa simpática, meiga e
estas histórias!                                               muito solidária. O príncipe estava cada vez mais apaixona-
                                                               do e feliz.
                                                               Texto elaborado pelos alunos do 3º ano da EB de Campia, para a parti-
                                                               cipação no concurso “Ler, uma aventura que não vais querer perder!”,
                                                               promovido pela Civilização



                                                                                                        Votos de um Santo
                                                                                                          e Feliz Natal !
                                                                           3º ano da EB Campia
A NO   IX ;    1ª E DIÇÃO ;   TIRAGEM :   100   EXEMPLARES ;                                                  P ÁGINA 9

               O S. MARTINHO EM VILADRA - ALCOFRA                                 O MAGUSTO EM CERCOSA
                                                                       Palavras para quê…
As actividades do S. Martinho decorreram com muita animação e
entusiasmo. A alegria das crianças foi tal que superou as expectati-   O nosso magusto foi uma festa … com mães e avós
vas. Com saquinhos de castanhas na mão, as crianças do Jardim-de-      que nos presentearam com a sua companhia e boa
infância rumaram à escola do primeiro ciclo onde os amigos os espe-    disposição. A mãe da Bárbara fez um lindo arranjo de
ravam. E como manda a tradição, lá se fez a grande fogueira com os     Outono para pôr na mesa onde estava aletria, gelati-
meninos cantando, dançando e saltando. Por fim, quando a barrigui-     na, tarte de maçã e bolo de iogurte que preparámos
                                     nha já estava composta, houve     na véspera para brindar os convidados.
                                     também lugar para as farruscas    É claro que não faltaram as rainhas da festa as
                                     no meio da euforia e das garga-   “castanhas”!
                                     lhadas.
                                     Por fim, fomos visitar a capela
                                     de S. Martinho, capela de esti-
                                     lo românico, situada perto da
                                     Torre de Alcofra. Foi muito
interessante descobrirmos caminhos e veredas muito antigos, para
chegarmos à Capela, a qual estava enfeitada para venerar e comemo-
rar este dia de S. Martinho. Regressando novamente à escola, almo-
çámos todos juntos num ambiente de festa.
Ed.Deolinda e Prof. Rosa




                       S. Martinho
Para assinalar o dia de S. Martinho, as crianças do 1º ano
da EB Campia dramatizaram a história deste Santo. Além
                                                                                       Guy Fawkes
disso, sendo este o dia que tradicionalmente consagra-
                                                              Os alunos do 1º ano da EB Campia ficaram a conhecer a
mos à castanha, estes meninos criaram, na aula, um ade-
                                                              história do Guy Fawkes quando, no dia 5 de Novembro, foram
reço que usaram ao longo de todo o dia, de forma bem
                                                              ouvir a sua história à BE. Depois criaram, na aula de Expres-
animada.
                                                              são Plástica, um boneco para ser exposto ao lado dos feitos
                                                              pelos outros meninos.
P ÁGINA 10                                                           FOLHAS DE LOENDRO

                                                      Jardim de Infância de Cambra

                                                                 E as descobertas continuam …
                                                                 Questionamos
                                                                 Experimentamos
                                                                 Observamos
                                                                 E…
                                                                 Concluímos

                                                     Jardim de Infância de Cambra
                                                     Dia: 22/10/2010
                                                     Actividade: Percurso Medieval : Jardim de Infância
                                                     - Torre Medieval ( travessia do rio pelas poldras)




                                                     O que gostámos mais foi de atravessar o rio
                                                     pelas pedras gigantes – FOI MUITO FIXE!!
                                                     De sujar o sapatos e de comer uvas que encontrá-
                                                     vamos.
                                                     Aprendemos que, antigamente, quando chovia não
                                                     se podia atravessar o rio, porque a água tapava o
                                                     caminho.




                                                     Gostávamos de repetir mas… só mais tarde, quan-
                                                     do vier a Primavera e o rio levar novamente pouca
                                                     água!!!

                                                                      Magusto no dia de São Martinho na
                                                                     companhia dos nossos amigos do 1º
                                                                              CEB de Cambra
                                                                              ( dia: 11/11/2010)


                                                                      QUE DIA DIVERTIDO…. QUE MENI-
                                                                       NOS NEGROS …. PINTADOS DO
                                                                                 CARVÃO

FIZEMOS E SALTAMOS A FOGUEIRA, COMO FAZIAM OS NOSSOS PAIS E AVÓS
A NO   IX ;   1ª E DIÇÃO ;   TIRAGEM :   100   EXEMPLARES ;                                                       P ÁGINA 11

         An usual case on our days!                                           Rui não sabe o alfabeto

   Lautner is one of the thousands children that      Era uma vez um menino chamado Rui. Tinha 11 dias e a mãe disse
are victims of racism by their classmates or          para ele:
friends. He is a thirteen- year- old boy and every-   - Meu lindo, vais crescer! Vais ser um homem muito forte como o teu
day he is discriminated against because of his        pai.
skin colour, race or just because his culture is      Passaram-se 6 anos e o Rui foi para a escola.
different.                                            A professora disse para todos:
   Like every other child, Lautner is teased. The     - Nós hoje vamos aprender o abecedário. Então começa pelo
“white children” call him bad names, exclude him      A,B,C,D,E,F,G… Rui qual vem a seguir?
from the school activities. Sometimes he is also      - Professora, vem o i.
victim of bullying by older children.                 - Menino Rui, não diga asneiras! A letra que vem a seguir é o H. Vá,
   His classmates do everything to stay away from     vamos marcar os trabalhos de casa. Vão todos fazer o alfabeto.
him.                                                  Entretanto ouviu-se: Trrim! Trrim! Tocou a campainha da escola.
   Normally, he spends his freetime in the school     - Vá, arrumem e vão para casa.
library. His grades are very bad.                     No dia seguinte, o Rui chegou à escola e a professora perguntou-lhe:
   His parents want to move him to other school,      - Então Rui, estudaste o alfabeto?
but of course it will be the same thing.              - Sim, professora. – respondeu o Rui
   Lautner needs our help, like every other victim.   - Então começa.
Give your contribution to stop this!!!                - A,B,C,E,D,G,H,I,K,L,N,O,S,R,Q…
                                                      - Chega Rui! O menino não sabe o alfabeto. Tens que estudar mais. -
                                    Patrícia Matos    disse a professora um pouco zangada.
                                                      - Mas, professora…
                                                      - Para a próxima aula quero o alfabeto na ponta da língua.– pediu a
                                                      professora.
                                                      - Sim, professora.
                                                      Chegou a casa e a mãe perguntou-lhe:
                                                      - Rui, porque vens tão triste?
                                                      - A professora disse que tinha que ter o alfabeto na ponta da língua!
                                                      - Eu ajudo-te! – exclamou a mãe.
                                                      No dia seguinte, quando chegou à escola, a professora perguntou-lhe:
                                                      - Fizeste os trabalhos de casa?
                                                      - Sim. – e começou a dizer - A, B, C, D, E, F, G, H, I, K,… J, L, M, N, O,
                                                      P, Q, …R, S, T, U, V, W, X, Y, Z.
                                                                - Muito bem, ainda hesitas em algumas letras mas está muito
                                                                bem. Parabéns, Rui!
               3º ano EB Campia
                                                                                              ANDREIA CARDOSO 5º A Nº 3




                    3º ano EB Campia
                                                                                        3º ano EB Campia
P ÁGINA 12                                                                                   FOLHAS DE LOENDRO

         Visita à Feira do Livro                                       “FOMOS APRENDER A FAZER PÃO"
                                                        “ …era preciso fermento, farinha e água… e a primeira coisa era lavar
                                                        as mãos”




 “Nós fomos de autocarro à Escola Básica à feira
 do livro.”         Rafael e Juliana



                                                        “A massa estava numa caixa de madeira… chamava-se masseira”
                                                        “ … o senhor tinha as mãos vermelhas porque a água estava muito quen-
                                                        te…quente!”
                                                        “… ele tinha muita força… até suava porque estava muito calor, e a
                                                        água estava muito quente”


 “Os meninos a verem os livros na mesa da
 biblioteca.”          Rafael e Ana Carolina
                                                        “ …a senhora que se chamava Fer-
                                                        nanda estava a acender o fogo…”
                                                        “…ela também embrulhava a mas-
                                                        sa num cobertor”
                                                        “…pois, porque era para ela cres-
                                                        cer”




“Vimos uma história do computador… o Cor-
cunda de Note Dame. Ele era feio mas eu gosto
dele à mesma porque ele era amigo. Gostámos                                                 “… a Senhora Fernanda punha as
de ir à feira porque tinha lá livros para ler e ver e                                       couves e o
nós gostamos porque eles têm letras e contam-
nos histórias.”                                                                             pão por cima…”
                         Tiago, Ana Carolina, Rafael                                        “… depois comemos um pão que
                                                                                            tinha carne
                      Jardim de Infância de Campia
                                                                                            lá dentro…”
                                                                                            “hummm… uma delicia”




                                                                                                    J.I.Campia
A NO   IX ;   1ª E DIÇÃO ;   TIRAGEM :   100   EXEMPLARES ;                                                    P ÁGINA 13

                                                              Era uma vez um Castelo...
                       Feira do livro
                                                              Não morava lá ninguém
 No dia 29 de Novembro, os alunos do 1º ano da EB
 Campia foram mais uma vez à Biblioteca escolar, desta        e quem foi a Santa Maria da Feira
 feita para ouvirem a história do Corcunda de Notre-          sabe isso muito bem!
 Dame. Esta actividade foi dinamizada pela equipa da
                                                              Pois foi...o Jardim de Infância de Viladra - Alcofra, partici-
 biblioteca, no âmbito da Feira do Livro do Agrupamento.      pou na realização de uma visita de estudo ao Castelo de Stª
 Eis 2 desenhos feitos pelos meninos, alusivos a esta         Maria da Feira, em conjunto com os demais Jardins de Infân-
 visita.                                                      cia do Agrupamento de Escolas de Campia. Esta visita pre-
                                                              tendeu servir de inspiração para o desenvolvimento do pro-
                                                              jecto pedagógico a trabalhar ao longo deste ano lectivo 2010-
                                                              2011 e cujo tema é: «Castelos no ar...descobrir e sonhar».
                                                              Apesar da fase de adaptação de algumas crianças, todos os
                                                              envolvidos vivenciaram, com agrado e alegria, esta aventura
                                                              que foi descobrir o Castelo por dentro. Graças ao bom esta-
                                                              do de conservação deste monumento e às actividades de ani-
                                                              mação aí desenvolvidas, as crianças tiveram oportunidade de
                                                              explorar, descobrir e sonhar o que lhes passa no imaginário,
                                                              ao ouvirem as histórias dos reis, princesas e príncipes,…
                                                              sejam eles verdadeiros ou não.
                                                              Gostámos muito! ...e continuar a “nossa” história!...

                                                                                                            JI Viladra




                    VISITA DE ESTUDO AO CASTELO DE SANTA MARIA DA FEIRA
  No dia 7 de Outubro, dia dos Castelos, as Educadoras de Infância dos jardins de Infância do Agru-
  pamento surpreenderam as suas crianças com uma Visita de Estudo ao Castelo de Santa Maria da
  Feira. Foram recebidas pelas Milícias Medievais e, para além de explorarem o castelo, tiveram ain-
  da oportunidade de assistir à leitura da lenda do Castelo, visualizar um vídeo pedagógico e ainda
  testemunhar um duelo de esgrima medieval. Foi sem dúvida alguma um dia inesquecível para as
  nossas crianças. Foi a pedra de lançamento do Projecto “Castelos no ar…descobrir e sonhar”, que
  será desenvolvido em todas as salas da Educação Pré-escolar e culminará no final do ano lectivo
  com a nossa participação no Mercado Medieval.
                                                  A Coordenadora do Departamento de Educação Pré-escolar
P ÁGINA 14                                                                               FOLHAS DE LOENDRO

                                        O nosso primeiro período
         Olá,
        Somos os alunos do 4ºano da Escola Básica de Campia e vamos con-
tar-vos o que fizemos ao longo do 1º período.
        O 1º período foi altamente porque aprendemos coisas novas, estudá-
mos bastante e brincámos um bocadinho, mas desenvolvemos a nossa aprendi-
                    zagem. No 4ºano…as matérias são mais difíceis. Trabalhá-
                    mos muito mas ainda tivemos tempo para fazer desenhos,
                    folhas, anjos e pinheiros de Natal para enfeitar a nossa
                    sala.
                    Em Setembro, no dia 29, dia de S. Miguel, o Santo
                    Padroeiro da Freguesia de Campia, tivemos um dia diferente:
                    participámos na Feira das Colheitas e vendemos muitos produ-
                    tos alimentares, fizemos um cartaz alusivo ao tema “Pobreza e
Exclusão Social”, cantámos os Parabéns à nossa escola e também comemorámos
                               os 100 anos da República, fizemos bandeiras de Portugal e
                               cantámos o Hino Nacional.
                               Foi um dia muito divertido.
                               Em Outubro, na Semana da Alimentação, fizemos a pirâmide
                               alimentar, a roda dos alimentos e espetadas de fruta, algumas comemos e outras distribuí-
                               mos pela escola. Ainda fizemos um cartaz alusivo a “Comer? Para quê???”, onde descobri-
                               mos que devemos ter uma alimentação cuidada, saudável
                               e variada.
                               Em Novembro, comemorámos o Dia do não fumador, parti-
                               cipámos com frases, na decoração do hall da escola,
debatemos as desvantagens de “ser fumador” e pintámos desenhos.
      Andamos a tentar fazer uma história “Uma aventura de ler”…mas está um pouco
difícil…
      No Inglês, comemorámos o dia das bruxas (Halloween) e o Guy Fawkes.
      Tivemos ainda uma visita muito fixe, chamava-se Benny Kid, que falou sobre o nos-
so planeta Terra. Nós gostámos muito do espectáculo.
      Ainda tivemos a Feira do Livro na Biblioteca da escola. O Dr. Alfredo veio explicar a importância de ler os livros e
falou-nos do livro “A fada Oriana”.
      Em Dezembro, estivemos com os colegas do 3ºano a falar da história de Portugal porque no dia 1 de Dezembro
comemorou-se um feriado histórico, a Restauração da Independência. A Professora Helena veio ajudar-nos e fingimos
que éramos as personagens da história.
          Agora andamos a preparar a nossa festa de Natal, que vai ser muito divertida!

                                                                                                    4ºano, turma A4




                   Aproveitamos e desejamos a todos Um          Feliz Natal e Bom Ano Novo!
Aprendeu tanto q
                                                                                                                gente.
                                                                                                                   Um dia uma rapa
                                                                                                                  - Como cresceste
 A NO    IX ;   1ª E DIÇÃO ;   TIRAGEM :   100   EXEMPLARES ;                                     P ÁGINA    15
                                                                                                                   E ela disse:
                                                                                                                  - Tens que aprend
                       Friendship                                         A folha e o vento
         Friendship is very important for all of us.
                                                                      Certo dia, uma folha estava presa numa
         Friendship is when people are friends of each       árvore muito alta e o vento passou por lá e começaram
other and are true. For me in a true friendship, truth has   a falar…
                                                             - Ai! Está tanto frio! Não podes soprar devagar?
always to be told, friends must be sincere with each         - Desculpa folha! Esta é agora a minha função! – Res-
other and they should never hide anything. They should       pondeu o vento.
                                                             - Ora essa! Podes soprar um bocadinho mais devagar,
help and understand other. True friendships survive even     senão eu posso cair da árvore. – Argumentou a folha.
when people are separated.                                   -Ó folha, eu tenho que soprar porque mais tarde ou
                                                             mais cedo, sabes que vais cair da árvore!
           Bruno and Carla are very important to me          -Eu sei… mas quero aproveitar enquanto estou cá em
because without them my life does not make sense. They       cima, os raios de Sol quentinhos!
                                                             - Não queres dançar comigo, a dança do Vento?
are the best friends in the world and I have never had       - Eu nem sei dançar… e tu és muito forte e ainda me
such good friends in my life as they are. They are fun,      magoas!
                                                             - Eu ensino-te a dançar….
cool, crazy, beautiful and good friends.                     E os dois ficaram a tarde toda a dançar ao som da Natu-
          I rely on them and they amuse me very much.        reza!
                                                                      Texto colectivo do 4ºano, turma A4 - EB Campia
My best friends help me to solve and overcome my
problems, listen to me and understand me, make me
smile even when I just feel like crying. They are with
me in the good and bad moments. They never leave me
alone.
         We respect each other. I can tell them my
things because I know they do not say anything to any-
one. I can count on them for everything I need. They
help me and forgive my mistakes. They make me laugh
even when I’m too depressed.
         Despite being the best friends, we have times
that we argue and feel down because of that but every-
thing is solved: it´s part of friendship. They are my best
friends ever. Best friends forever…
                                           Cátia Lourenço
                                                  9ºB nº 7


                                        Crescer é aprender

    Era uma vez uma criança que não crescia porque também não aprendia. Então, decidiu:
    - Tenho que crescer!
     Aprendeu tanto que cresceu mais que toda a gente.                                         Tânia Filipa Matos Amorim
     Um dia uma rapariga perguntou-lhe:                                                     Campia, 10 de Outubro de 2010
    - Como cresceste tanto?
     E ela disse:
    - Tens que aprender! Crescer é aprender.
P ÁGINA 16                                                                                   FOLHAS DE LOENDRO

                                   A Biblioteca escolar em retrospectiva

Ao longo do 1º período, várias foram as actividades desen-     O Ricardo Coval anda no
volvidas pela BE, no sentido de sensibilização para a leitu-   4º ano e tem 9 anos.
ra e para a escrita, mas também para os valores da solida-     O Rafael Fonseca
riedade, respeito pelas diferenças e promoção do uso das       anda no 2º ano e tem 7
tecnologias da informação e comunicação.                       anos. O Ricardo lê qua-
                                                               se todos os dias antes de
Foi promovido um breve encontro com os Encarre-
                                                               dormir e o último livro
gados de Educação dos alunos do 1º e 5º anos, no
                                                               que leu, “Um amigo
início do ano lectivo, com vista à consciencialização para o
                                                               de neve”, fala de um
crescente desinteresse das crianças pela leitura e procu-
                                                               boneco de neve
rou-se dar algumas pistas de como despertar o gosto pelos
                                                               feito por um rapaz. Apare-
livros, desde a mais tenra idade. Esse encontrou terminou
                                                               ceram uns amigos que gozaram com ele.
com a leitura da bela crónica de Mia Couto “O menino
                                                               Veio uma cascata de neve que tapou os miúdos. Chegou a Prima-
que fazia versos”, da qual se apresenta um breve excerto:
                                                               vera e o boneco derreteu. Já leu quase todos os livros da colec-
                                                               ção Harry Potter porque é um livro grande e tem coisas
“(…) Tudo corria sem mais, a oficina mal dava para
o pão e a escola do miúdo. Mas eis que começam a               giras lá no livro.
aparecer, pelos recantos da casa, papeis rabiscados            O Rafael adora ler. Lê quando acorda e quando se vai
com versos. O filho confessou, sem pestanejo, a                deitar, todos os dias. O último livro que leu foi “Pedro e o
autoria do feito.
                                                               lobo”. Este livro fala de um lobo, de um pato, de um pica-pau e
- São meus versos, sim.                                        de um miúdo que é o Pedro. O lobo come o pato, o pássaro
O pai logo sentenciara: havia que tirar o miúdo da             põe-se à volta do focinho do lobo e aparecem três caçadores. O
escola. Aquilo era coisa de estudos a mais, perigosos          lobo morre e depois acaba a história. Adorou esta história por-
contágios, más companhias. Pois o rapaz, em vez de             que tem animais.
se lançar no esfrega-refrega com as meninas se aca-
brunhava nas penumbras e, pior ainda, escrevia                 Isabel Almeida é professora de
versos. O que se passava: mariquice intelectual? Ou            Português e Inglês na EB de
carburador entupido, avarias dessas que a vida do              Campia.
homem se queda em ponto morto?
                                                               Gosta de ler romances e cos-
Dona Serafina defendeu o filho e os estudos. O pai,
conformado, exigiu: então, ele que fosse examinado.            tuma ler quase todos os dias. O
                                                               último livro que leu foi “Caim”,
- O médico que faça revisão geral, parte mecânica,             um livro que fala sobre Deus e
parte eléctrica.                                               sobre o episódio em que Caim
Queria tudo. Que se afinasse o sangue, calibrasse os           mata o seu irmão Abel.
pulmões, e sobretudo lhe espreitassem o nível do
óleo na figadeira. Houvesse que pagar por sobressa-            O livro que recomendaria a um amigo seria “QUEM QUER
lentes, não importava. O que urgia era por cobro
àquela vergonha familiar. (…)                                  SER BILIONÁRIO” porque trata a vida sofrida da persona-
                                                               gem principal e da forma como conseguiu vencer a vida.
Para comemorar o Mês das Bibliotecas Escolares, a
BE promoveu um ciclo de cinema, com filmes baseados
em obras literárias de autores portugueses e estrangei-        “Virando páginas da fantasia” foi um projecto iniciado este
ros, como por exemplo, “Ensaio sobre a cegueira” e             ano e consiste na leitura de uma história aos alunos do 1º ciclo,
“Uma aventura na casa assombrada”. Aproveitámos para,          todas as semanas para o 1º e 2º anos e quinzenalmente para os 3º
partindo da visualização de um bocadinho deste filme,          e 4º. Eis alguns desses momentos.
promover um exercício de expressão escrita com algu-
mas turmas da escola. Além disso, os alunos de Oficina
da Leitura foram entre-
vistar alguns professo-
res, alunos e funcioná-
rios sobre os seus hábi-
tos de leitura. Aqui
ficam duas dessas entre-
vistas:
A NO   IX ;   1ª E DIÇÃO ;   TIRAGEM :    100   EXEMPLARES ;                                P ÁGINA 17

O Flautista de Hamelin andou por cá e passou por algumas
escolas do 1º CEB e jardins do Agrupamento. Foi aos jardins de
Viladra, Cambra, Outeiro e Cercosa e esteve nas escolas do 1º
CEB de Mogueirães e do Outeiro. Aqui estão algumas marcas da
sua passagem:




                                                                                    Em Cercosa




  Em Mogueirães
                                                                 Em Viladra




                                       No Outeiro

                                                                              No JI de Cambra
Em articulação com a área de Projecto do 7º A, foram dra-
matizados três contos tradicionais recolhidos por Teófilo
Braga, que foram apresentados no dia 29 de Setembro, dia
do aniversário da escola, contribuindo assim para o
conjunto de actividades promovidas para a comemoração
deste aniversário e da Implantação da República.




                                                                                    O velho avarento




      A tiazinha e os dez anõezinhos                                          As três cidras do Amor
P ÁGINA 18                                                                                    FOLHAS DE LOENDRO

Entre os dias 29 de Novembro e 3 de Dezembro, a BE, em articulação com o Departamento de Línguas, levou a cabo mais
uma edição da Feira do Livro do Agrupamento. Ao longo da semana, os alunos de todo o Agrupamento folhearam e com-
praram alguns livros e participaram em actividades de sensibilização para a leitura, a escrita e de sensibilização para o direito
à diferença: os alunos dos 3º e 4º anos assistiram a uma sessão de pré-leitura de “A fada Oriana”, os alunos do 9º ano estive-
ram presentes numa sessão de pré-leitura de “O Principezinho” e os alunos do 5º ano foram sensibilizados para a escrita do
seu primeiro conto, sessões dinamizadas pelo Dr. Alfredo Leite. As crianças dos jardins e escolas do 1º ciclo ouviram a histó-
ria do “Corcunda de Notre-Dame” e as restantes turmas assistiram a um pequeno clip subordinado ao tema da pessoa com
deficiência e escreveram frases sobre este assunto que foram afixadas no placad da BE. No dia 30, os Pais / Encarregados de
Educação foram convidados a vir também à escola e a BE, com a colaboração dos departamentos de Línguas, Ciências Sociais
e Humanas e Expressões, bem como do Clube de Expressão dramática e os alunos do curso de EFA, proporcionaram-lhes
um pequeno sarau cultural. Embora a resposta dos Encarregados de Educação não tenha sido tão significativa como no ano
anterior, tratou-se de um momento alto, de grande partilha….




                                                           Sugestões de leitura


                                           Joana, menina rica e prisioneira no seu jardim, faz
                                           amizade com o Manuel, criança órfã e pobre, que vive
                                           num estábulo na companhia de uma vaca e de um
                                           burro. Todos os dias se encontram e conversam
                                           debaixo do cedro. Na noite de Natal, ao aperceber-se
                                           de que os pobres não têm presentes, resolve sair para
                                           procurar a cabana onde dorme o seu amigo para lhe
                                           dar as prendas que tinha recebido. Sente frio e medo,
                                           mas não desiste; orientada por uma estrela, penetra
                                           no pinhal onde encontra os três reis magos que também se dirigiam para a cabana.
                                           Quando ali chegaram, viram um casebre sem porta inundado pela claridade dos
                                           anjos; ali estava, deitado na palha, o Manuel. A Joana ajoelhou-se e poisou no
                                           chão os presentes. (recensão da autoria de Rui Marques Veloso)
A NO   IX ;   1ª E DIÇÃO ;   TIRAGEM :   100   EXEMPLARES ;                                                    P ÁGINA 19

Algum tempo antes do Natal, as crianças escrevem àquele velho de barbas brancas que é o responsável por tantas alegrias
no dia 25 de Dezembro. Certos de que, quando se empenham, as crianças são muito criativas e convincentes, promovemos
o concurso “A mais bela carta ao Pai Natal” no qual participaram alunos dos 3º, 4º, 5º e 6º anos da EB de Campia e
alunos do 1º CEB do Outeiro. Apresentamos as cartas vencedoras do 1º e 2º ciclos
                             1º ciclo                                                  2º ciclo
Campia, 26 de Novembro 2010                                                              Canha, 2 de Dezembro 2010
                                                                  Querido Pai Natal!
Olá Pai-Natal!                                                   Este Natal quero que seja especial, por isso quero
                                                                 pedir-te várias prendas.
Decidi escrever-te nesta altura do ano, para saber
como estão os preparativos para mais um Natal que                Gostaria de ter uma boneca, um carinho, um
se avizinha.                                                     cobertor, uma garrafa de água, um pão, uma famí-
Sei que nem deves ter tempo para ler a minha carta,              lia, paz, amor e carinho.
mas sabes, gostava de poder ajudar, este ano, uma                Espero que não seja pedir muito.
vez que soube que o Rodolfo está com sinusite e o
seu nariz não funciona. Como é que eu soube? Foi a
Mãe-Natal que me disse!                                                            Obrigada e um bom Natal
Ela diz que és muito teimoso e não queres admitir                                  Daniela Almeida
que os preparativos estão muito atrasados, pois os
gnomos estão em greve, porque tiveste de lhes
reduzir o ordenado, devido ao Orçamento de Esta-                 P.S. Ah! É verdade! Esqueci-me de pedir outra
do.                                                              coisa.
Como o dinheiro é pouco, também não há muito                     Por favor, dá a boneca e o carinho aos meninos
para a alimentação das renas. Por isso elas decidiram            que não têm nenhum presente este Natal; o
comer todos os chocolates e guloseimas que deve-                 cobertor aos sem-abrigo, para poderem ter um
rias distribuir neste Natal e, por fim, os duendes               pouco mais de calor; uma garrafa de água a todos
avariaram o tapete dos presentes!                                aqueles que não têm nada de beber; um pão àque-
                                                                 les que têm fome e não têm de comer; uma famí-
Assim, é melhor eu ajudar-te a resolver todos os                 lia a todas as pessoas que vivem na solidão; paz
problemas, vou dizer-te como.                                    para todos os países que estão em guerras; e por
Quanto à sinusite do Rodolfo, o melhor é ficar de                fim amor e carinho para todos as pessoas deste
cama este Natal. Em relação à greve dos gnomos,                  mundo, para que tenham um santo Natal.
garantimos-lhes que o próximo ano vai ser melhor,
quanto à alimentação das renas, podemos pedir um
fardo de palha a todos os agricultores do mundo,                 Daniela Almeida – 6ºB
pois assim já terão o que comer este Natal. Por fim,
quanto aos duendes, oferecemos-lhes guloseimas em
troca do seu trabalho.                                                                        Sugestões de leitura
Espero a tua resposta o mais rápido possível.                                                     “Chegou o Natal!”

Do teu amigo Lucas.
                                                                                      Colectânea de inspiração natalícia,
P.S. Já vou comprar o meu fato e não te esqueças do
                                                                                      este livro agrupa um conjunto diver-
meu presente.                                                                         sificado de textos, narrativos e poéti-
                                                                                      cos, de diferentes autorias, incluindo
                                                                                      um número significativo de textos
Lucas Ribeiro – 3º ano EB Campia                                                      procedentes da tradição oral, para
                                                              além de alguns clássicos da literatura portuguesa. As ilustra-
                                                              ções são de autoria igualmente diversificada. (recensão adap-
                                                              tada de Ana Margarida Ramos)
P ÁGINA 20                                                                                           FOLHAS DE LOENDRO

                          Um pouco da nossa história - a Restauração da Independência

O rei D. João IV, o Restaurador, era muito                                       Sugestão de leitura
devoto à Nossa Senhora da Conceição.               O sol despontava radioso no firmamento e Lisboa preguiçava naquela manhã de
                                                   sábado. Ainda havia pouca gente nas ruas.
   O Rei acreditou que a vitória da Revolu-
                                                   Às oito horas (...)
ção do 1º de Dezembro se ficou a dever à           (...) em frente ao Palácio da Ribeira (...)
ajuda da Santa.                                    Pouco depois, começaram a chegar coches fechados. (...)
A Igreja Católica dedica o dia 8 de Dezem-         Junto da casa da guarda exterior estava um grupo de populares, três nobres e um
bro (feriado religioso) à Nossa Senho-             padre. Traziam capas que não caíam a direito (...) como se escondessem alguma
                                                   coisa por baixo.
ra Padroeira.
                                                   - Trazem armas! (...)
                                                   Naquele momento soaram as nove badaladas no sino da igreja. Nítidas, pausadas,
        No dia 25 de Março de 1646, D. João        serenas, encheram o ar com o seu blein...blein, blein... Assim que o relógio se calou,
    IV fez uma cerimónia solene em Vila            grupos de homens armados saltaram dos coches e irromperam pelo palácio(...). Os
    Viçosa (...). Dirigiu-se à igreja e deposi-    guardas ainda tentaram resistir, mas os conspiradores apontaram-lhes espadas e
    tou a sua coroa aos pés de Nª Srª da           pistolas, desarmaram-nos e seguiram pelos corredores. (...)
    Conceição, que declarou Padroeira e            O povo acorria das ruas e vielas, acreditando enfim na revolução. (...) alguns solda-
    Rainha de Portugal.                            dos fugiam a sete pés (...). Homens, mulheres e crianças iam enchendo o terreiro.
        A partir dessa data, mais nenhum           Todos queriam ver de perto o desfecho daquela luta há muito esperada!
    rei português usou coroa na cabeça,            No interior do palácio os conspiradores avançavam, dando pontapés nas portas em
    por se considerar que só a Virgem              busca do traidor Miguel de Vasconcelos (...)
                                                   - O homem evaporou-se! Onde será que se meteu?
    tinha esse direito.                            (...) De súbito, porém, ouviram uma restolhada de papéis...
      Nos quadros onde aparecem reis               - Está ali! Está ali!
    ou rainhas , a coroa está sempre               Exaltadíssimos, rebentaram com as portas e crivaram-no de balas (...) depois caiu
    pousada ao lado sobre uma mesa,                morto.
    num tamborete (1) ou almofada de               - Atirem-no pela janela fora! - gritou alguém.
                                                   (...) Os restos mortais voaram pela janela fora e foram cair no terreiro, onde a gente
    cetim.                                         enlouquecida deu largas à sede de vingança cometendo atrocidades!
                                                   Faltava encontrarem Margarida, a duquesa de Mântua. Conforme tinham combinado,
    Ana Mª Magalhães e Isabel Alçada, O Sabor da   não tencionavam fazer-lhe mal, e não puderam deixar de admirar a coragem daquela
    Liberdade (Adaptado)                           mulher, que no auge da luta ainda apareceu na varanda de cabeça erguida e gritou à
                                                   multidão:
                                                   - Que é isto, portugueses? Onde está a vossa fidelidade?
                                                   Respondeu-lhe uma onda de insultos, apupos e assobios:
                                                   - Búúú!!...
 Louco, sim, louco, porque quis grandeza           Os nobres arrastaram-na para dentro e disseram-lhe:
 Qual a Sorte a não dá.                            - Já temos rei!
 Não coube em mim minha certeza;                   Raça de mulher! Sozinha no meio de tantos fidalgos armados, retorquiu:
 Por isso onde o areal está                        - Pois temos. É Filipe IV, nosso senhor! (...)
 Ficou meu ser que houve, não o que há.            Já impaciente, um nobre chamado Carlos de Noronha ordenou-lhe que se calasse se
 Minha loucura, outros que me a tomem              não queria que lhe faltassem ao respeito.
 Com o que nela ia.                                - Faltarem-me ao respeito, a mim que sou governadora em nome de el-rei D. Filipe?
                                                   Como?
 Sem a loucura que é o homem
                                                   - Obrigando Vossa Alteza a sair por aquela janela, se não quiser entrar por aquela
 Mais que a besta sadia,                           porta! (...)
 Cadáver adiado que procria?                       Só depois os conspiradores assomaram à janela e lançaram o grito da vitória:
                 Fernando Pessoa, Mensagem         - VIVA EL-REI D. JOÃO IV!
                                                   A resposta soou a uma só voz:
                                                   - VIVA PORTUGAL!
                                                                                      Ana Mª Magalhães e Isabel Alçada, O Sabor da Liberdade (Adaptado)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

3º edição abril 20112
3º edição   abril 201123º edição   abril 20112
3º edição abril 20112crechecaetana
 
Jornal escolar segunda edição1
Jornal escolar segunda edição1Jornal escolar segunda edição1
Jornal escolar segunda edição1SHEILA MONTEIRO
 
(Jornal escolar palavras d'encanta 4.º ed.
(Jornal escolar   palavras d'encanta 4.º ed.(Jornal escolar   palavras d'encanta 4.º ed.
(Jornal escolar palavras d'encanta 4.º ed.maxteles2004
 
Newsletter BEJSR ação pordatakids outubro 2016
Newsletter BEJSR ação pordatakids outubro 2016Newsletter BEJSR ação pordatakids outubro 2016
Newsletter BEJSR ação pordatakids outubro 2016Dores Pinto
 
Ap boletim de dezembro 2012 v2
Ap boletim de dezembro 2012 v2Ap boletim de dezembro 2012 v2
Ap boletim de dezembro 2012 v2Ângela Calção
 
6 entrepalavras julho 2015 final
6 entrepalavras julho 2015 final6 entrepalavras julho 2015 final
6 entrepalavras julho 2015 finalDores Pinto
 
Jornal3ª
Jornal3ªJornal3ª
Jornal3ªealice
 
O trovador 122013 pdf
O trovador 122013 pdfO trovador 122013 pdf
O trovador 122013 pdfAMG Sobrenome
 
A Lenda de São Martinho
A Lenda de São MartinhoA Lenda de São Martinho
A Lenda de São MartinhoDores Pinto
 
4ª edição maio 2011
4ª edição   maio 20114ª edição   maio 2011
4ª edição maio 2011madeoliveira
 
Nspluginviewer5ci ppa
Nspluginviewer5ci ppaNspluginviewer5ci ppa
Nspluginviewer5ci ppamadeoliveira
 

Mais procurados (19)

Chico Zé
Chico ZéChico Zé
Chico Zé
 
3º edição abril 20112
3º edição   abril 201123º edição   abril 20112
3º edição abril 20112
 
Jornal escolar segunda edição1
Jornal escolar segunda edição1Jornal escolar segunda edição1
Jornal escolar segunda edição1
 
3 edição
3 edição3 edição
3 edição
 
(Jornal escolar palavras d'encanta 4.º ed.
(Jornal escolar   palavras d'encanta 4.º ed.(Jornal escolar   palavras d'encanta 4.º ed.
(Jornal escolar palavras d'encanta 4.º ed.
 
8 c abrilledição
8 c abrilledição8 c abrilledição
8 c abrilledição
 
Newsletter BEJSR ação pordatakids outubro 2016
Newsletter BEJSR ação pordatakids outubro 2016Newsletter BEJSR ação pordatakids outubro 2016
Newsletter BEJSR ação pordatakids outubro 2016
 
4ª edição
4ª edição4ª edição
4ª edição
 
Jornal escolar
Jornal escolarJornal escolar
Jornal escolar
 
Jornaloitavo junh ov2
Jornaloitavo junh ov2Jornaloitavo junh ov2
Jornaloitavo junh ov2
 
Ap boletim de dezembro 2012 v2
Ap boletim de dezembro 2012 v2Ap boletim de dezembro 2012 v2
Ap boletim de dezembro 2012 v2
 
6 entrepalavras julho 2015 final
6 entrepalavras julho 2015 final6 entrepalavras julho 2015 final
6 entrepalavras julho 2015 final
 
Jornal3ª
Jornal3ªJornal3ª
Jornal3ª
 
O trovador 122013 pdf
O trovador 122013 pdfO trovador 122013 pdf
O trovador 122013 pdf
 
Informativo_1 Ano de PIBID
Informativo_1 Ano de PIBIDInformativo_1 Ano de PIBID
Informativo_1 Ano de PIBID
 
Publicação1
Publicação1Publicação1
Publicação1
 
A Lenda de São Martinho
A Lenda de São MartinhoA Lenda de São Martinho
A Lenda de São Martinho
 
4ª edição maio 2011
4ª edição   maio 20114ª edição   maio 2011
4ª edição maio 2011
 
Nspluginviewer5ci ppa
Nspluginviewer5ci ppaNspluginviewer5ci ppa
Nspluginviewer5ci ppa
 

Destaque

O nosso jornal 2º p 2013
O nosso jornal 2º p 2013O nosso jornal 2º p 2013
O nosso jornal 2º p 2013Ana Pereira
 
Folhas Soltas Nº2 (2011/2012)
Folhas Soltas Nº2 (2011/2012)Folhas Soltas Nº2 (2011/2012)
Folhas Soltas Nº2 (2011/2012)jornalfsoltasaema
 
Jornal 3º período
Jornal 3º períodoJornal 3º período
Jornal 3º períodoSandra Alves
 
Luiz Carlos Lopes: Derrubando barreiras para uma cidade melhor para todos
Luiz Carlos Lopes: Derrubando barreiras para uma cidade melhor para todosLuiz Carlos Lopes: Derrubando barreiras para uma cidade melhor para todos
Luiz Carlos Lopes: Derrubando barreiras para uma cidade melhor para todosinovaDay .
 
O corcunda de notre dame
O corcunda de notre dameO corcunda de notre dame
O corcunda de notre dameGabriela Miozzo
 
Catedral de Notre Dame Paris
Catedral de Notre Dame ParisCatedral de Notre Dame Paris
Catedral de Notre Dame Pariscristinasousaprof
 
Jornal 2º período
Jornal 2º períodoJornal 2º período
Jornal 2º períodoSandra Alves
 
Jornal Escolar Notícias Frescas
Jornal Escolar Notícias FrescasJornal Escolar Notícias Frescas
Jornal Escolar Notícias FrescasHenrique Fonseca
 
Projeto de viagem londres
Projeto de viagem londresProjeto de viagem londres
Projeto de viagem londresGabriela Miozzo
 
Redação gênero opinativo editorial
Redação gênero opinativo editorialRedação gênero opinativo editorial
Redação gênero opinativo editorialKatcavenum
 
Joana E Liliana E Rafaela
Joana E  Liliana E  RafaelaJoana E  Liliana E  Rafaela
Joana E Liliana E RafaelaMaria Filomena
 
Desculpa, por-acaso-és-uma-bruxa
Desculpa, por-acaso-és-uma-bruxaDesculpa, por-acaso-és-uma-bruxa
Desculpa, por-acaso-és-uma-bruxaSandra Figueiredo
 

Destaque (16)

O nosso jornal 2º p 2013
O nosso jornal 2º p 2013O nosso jornal 2º p 2013
O nosso jornal 2º p 2013
 
Folhas Soltas Nº2 (2011/2012)
Folhas Soltas Nº2 (2011/2012)Folhas Soltas Nº2 (2011/2012)
Folhas Soltas Nº2 (2011/2012)
 
Jornal 3º período
Jornal 3º períodoJornal 3º período
Jornal 3º período
 
Luiz Carlos Lopes: Derrubando barreiras para uma cidade melhor para todos
Luiz Carlos Lopes: Derrubando barreiras para uma cidade melhor para todosLuiz Carlos Lopes: Derrubando barreiras para uma cidade melhor para todos
Luiz Carlos Lopes: Derrubando barreiras para uma cidade melhor para todos
 
Jornal O Quarenta e Nove - 2º Período
Jornal O Quarenta e Nove -  2º PeríodoJornal O Quarenta e Nove -  2º Período
Jornal O Quarenta e Nove - 2º Período
 
O corcunda de notre dame
O corcunda de notre dameO corcunda de notre dame
O corcunda de notre dame
 
Catedral de Notre Dame Paris
Catedral de Notre Dame ParisCatedral de Notre Dame Paris
Catedral de Notre Dame Paris
 
Jornal escola viva 3
Jornal escola viva 3Jornal escola viva 3
Jornal escola viva 3
 
Jornal 2º período
Jornal 2º períodoJornal 2º período
Jornal 2º período
 
Jornal Escolar Notícias Frescas
Jornal Escolar Notícias FrescasJornal Escolar Notícias Frescas
Jornal Escolar Notícias Frescas
 
Projeto de viagem londres
Projeto de viagem londresProjeto de viagem londres
Projeto de viagem londres
 
Redação gênero opinativo editorial
Redação gênero opinativo editorialRedação gênero opinativo editorial
Redação gênero opinativo editorial
 
Os três reis do oriente
Os três reis do orienteOs três reis do oriente
Os três reis do oriente
 
Joana E Liliana E Rafaela
Joana E  Liliana E  RafaelaJoana E  Liliana E  Rafaela
Joana E Liliana E Rafaela
 
Menina do mar
Menina do marMenina do mar
Menina do mar
 
Desculpa, por-acaso-és-uma-bruxa
Desculpa, por-acaso-és-uma-bruxaDesculpa, por-acaso-és-uma-bruxa
Desculpa, por-acaso-és-uma-bruxa
 

Semelhante a Jornal 1º período

Projecto "1 escola com sorrisos" | news Janeiro
Projecto "1 escola com sorrisos" | news JaneiroProjecto "1 escola com sorrisos" | news Janeiro
Projecto "1 escola com sorrisos" | news JaneiroFatima Campos
 
Folhas Soltas Nº1 (2011/2012)
Folhas Soltas Nº1 (2011/2012)Folhas Soltas Nº1 (2011/2012)
Folhas Soltas Nº1 (2011/2012)jornalfsoltasaema
 
4ª edição maio 2011
4ª edição   maio 20114ª edição   maio 2011
4ª edição maio 2011madeoliveira
 
Boletim projeto nós
Boletim projeto nósBoletim projeto nós
Boletim projeto nósFatima Campos
 
Boletim projeto nós
Boletim projeto nósBoletim projeto nós
Boletim projeto nósFatima Campos
 
Assembléia - Ações Área Social atualizado
Assembléia - Ações Área Social atualizadoAssembléia - Ações Área Social atualizado
Assembléia - Ações Área Social atualizadoInstitutoNordesteINEC
 
Jornal Kambas do Bem - Edição Dez.
Jornal Kambas do Bem - Edição Dez.Jornal Kambas do Bem - Edição Dez.
Jornal Kambas do Bem - Edição Dez.Genea Angola
 
Entrevista Universidade Senior Manique Correio Da Linha 20 Junho10
Entrevista Universidade Senior Manique Correio Da Linha 20 Junho10Entrevista Universidade Senior Manique Correio Da Linha 20 Junho10
Entrevista Universidade Senior Manique Correio Da Linha 20 Junho10AndreLeite1
 
Jornal do Dora
Jornal do DoraJornal do Dora
Jornal do Doraflasossai
 
Escola em notícia
Escola em notíciaEscola em notícia
Escola em notíciaboazonas
 
Jornal publicar 2
Jornal publicar 2Jornal publicar 2
Jornal publicar 2boazonas
 
Jornal Agrupamento "Baú das Letras"
Jornal Agrupamento "Baú das Letras"Jornal Agrupamento "Baú das Letras"
Jornal Agrupamento "Baú das Letras"Carlos Antunes
 

Semelhante a Jornal 1º período (20)

1ª Edição
1ª Edição1ª Edição
1ª Edição
 
Projecto "1 escola com sorrisos" | news Janeiro
Projecto "1 escola com sorrisos" | news JaneiroProjecto "1 escola com sorrisos" | news Janeiro
Projecto "1 escola com sorrisos" | news Janeiro
 
Escola de ESSIPE
Escola de ESSIPEEscola de ESSIPE
Escola de ESSIPE
 
Jornal 4 2012
Jornal 4  2012Jornal 4  2012
Jornal 4 2012
 
Folhas Soltas Nº1 (2011/2012)
Folhas Soltas Nº1 (2011/2012)Folhas Soltas Nº1 (2011/2012)
Folhas Soltas Nº1 (2011/2012)
 
4ª edição maio 2011
4ª edição   maio 20114ª edição   maio 2011
4ª edição maio 2011
 
Boletim projeto nós
Boletim projeto nósBoletim projeto nós
Boletim projeto nós
 
Boletim projeto nós
Boletim projeto nósBoletim projeto nós
Boletim projeto nós
 
Jornal
JornalJornal
Jornal
 
Assembléia - Ações Área Social atualizado
Assembléia - Ações Área Social atualizadoAssembléia - Ações Área Social atualizado
Assembléia - Ações Área Social atualizado
 
Jornal da escola 3
Jornal da escola 3Jornal da escola 3
Jornal da escola 3
 
Jornal tr eixo2
Jornal tr eixo2Jornal tr eixo2
Jornal tr eixo2
 
Jornal tr eixo2
Jornal tr eixo2Jornal tr eixo2
Jornal tr eixo2
 
Jornal Kambas do Bem - Edição Dez.
Jornal Kambas do Bem - Edição Dez.Jornal Kambas do Bem - Edição Dez.
Jornal Kambas do Bem - Edição Dez.
 
Entrevista Universidade Senior Manique Correio Da Linha 20 Junho10
Entrevista Universidade Senior Manique Correio Da Linha 20 Junho10Entrevista Universidade Senior Manique Correio Da Linha 20 Junho10
Entrevista Universidade Senior Manique Correio Da Linha 20 Junho10
 
Jornal da escola 2
Jornal da escola 2Jornal da escola 2
Jornal da escola 2
 
Jornal do Dora
Jornal do DoraJornal do Dora
Jornal do Dora
 
Escola em notícia
Escola em notíciaEscola em notícia
Escola em notícia
 
Jornal publicar 2
Jornal publicar 2Jornal publicar 2
Jornal publicar 2
 
Jornal Agrupamento "Baú das Letras"
Jornal Agrupamento "Baú das Letras"Jornal Agrupamento "Baú das Letras"
Jornal Agrupamento "Baú das Letras"
 

Mais de Sandra Alves

Bd ciclo agua_inag
Bd ciclo agua_inagBd ciclo agua_inag
Bd ciclo agua_inagSandra Alves
 
Seca adultos poupar_agua
Seca adultos poupar_aguaSeca adultos poupar_agua
Seca adultos poupar_aguaSandra Alves
 
Plantar árvores para curar a terra
Plantar árvores para curar a terraPlantar árvores para curar a terra
Plantar árvores para curar a terraSandra Alves
 
3 ¦ desafio- biblioteca
3 ¦ desafio- biblioteca3 ¦ desafio- biblioteca
3 ¦ desafio- bibliotecaSandra Alves
 
Desafio kate perry_solucoes
Desafio kate perry_solucoesDesafio kate perry_solucoes
Desafio kate perry_solucoesSandra Alves
 
Desafio semana da floresta
Desafio semana da  floresta Desafio semana da  floresta
Desafio semana da floresta Sandra Alves
 
O dia internacional da mulher desafio be
O dia internacional da mulher   desafio beO dia internacional da mulher   desafio be
O dia internacional da mulher desafio beSandra Alves
 
Manual do utilizador
Manual do utilizadorManual do utilizador
Manual do utilizadorSandra Alves
 
Regulamento interno da biblioteca escolar
Regulamento interno da biblioteca escolarRegulamento interno da biblioteca escolar
Regulamento interno da biblioteca escolarSandra Alves
 
Pesquisa na internet
Pesquisa na internetPesquisa na internet
Pesquisa na internetSandra Alves
 
O dia internacional da mulher
O dia internacional da mulher   O dia internacional da mulher
O dia internacional da mulher Sandra Alves
 
O dia internacional da mulher
O dia internacional da mulher  O dia internacional da mulher
O dia internacional da mulher Sandra Alves
 

Mais de Sandra Alves (20)

Agenda escolar
Agenda escolarAgenda escolar
Agenda escolar
 
Bd ciclo agua_inag
Bd ciclo agua_inagBd ciclo agua_inag
Bd ciclo agua_inag
 
Seca adultos poupar_agua
Seca adultos poupar_aguaSeca adultos poupar_agua
Seca adultos poupar_agua
 
Seca poupar agua
Seca poupar aguaSeca poupar agua
Seca poupar agua
 
Plano de acção
Plano de acçãoPlano de acção
Plano de acção
 
Plantar árvores para curar a terra
Plantar árvores para curar a terraPlantar árvores para curar a terra
Plantar árvores para curar a terra
 
f livro 2011
 f  livro 2011 f  livro 2011
f livro 2011
 
1 de maio
1 de maio1 de maio
1 de maio
 
3 ¦ desafio- biblioteca
3 ¦ desafio- biblioteca3 ¦ desafio- biblioteca
3 ¦ desafio- biblioteca
 
Desafio primavera
Desafio primaveraDesafio primavera
Desafio primavera
 
Desafio kate perry_solucoes
Desafio kate perry_solucoesDesafio kate perry_solucoes
Desafio kate perry_solucoes
 
Desafio semana da floresta
Desafio semana da  floresta Desafio semana da  floresta
Desafio semana da floresta
 
O dia internacional da mulher desafio be
O dia internacional da mulher   desafio beO dia internacional da mulher   desafio be
O dia internacional da mulher desafio be
 
Manual do utilizador
Manual do utilizadorManual do utilizador
Manual do utilizador
 
Regulamento interno da biblioteca escolar
Regulamento interno da biblioteca escolarRegulamento interno da biblioteca escolar
Regulamento interno da biblioteca escolar
 
Pesquisa na internet
Pesquisa na internetPesquisa na internet
Pesquisa na internet
 
O dia internacional da mulher
O dia internacional da mulher   O dia internacional da mulher
O dia internacional da mulher
 
O dia internacional da mulher
O dia internacional da mulher  O dia internacional da mulher
O dia internacional da mulher
 
Pontilhismo
PontilhismoPontilhismo
Pontilhismo
 
21 de fevereiro
21 de fevereiro21 de fevereiro
21 de fevereiro
 

Jornal 1º período

  • 1. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CAMPIA A NO IX ; 1ª E DIÇÃO ; TIRAGEM : 100 EXEMPLARES ; 1 LOENDRO DEZEMBRO DE 2010 P ONTOS DE INTERESSE ESPECIAIS : • Actividades do Agrupa- mento; • Trabalhos dos nossos alunos; • Sugestões de activida- des; • Passatempos; • Curiosidades; O S. MARTINHO EM VILADRA - ALCOFRA • Fotos ; • E muito mais…. A BE EM ACÇÃO O FLAUTISTA DE HAMELIN -BE CASTELO DE STª MARIA DA FEIRA FESTA DE NATAL DIA DA ALIMENTAÇÃO 1º CEB
  • 2. P ÁGINA 2 FOLHAS DE LOENDRO EDITORIAL FICHA TÉCNICA Propriedade: Agrupamento de Escolas de Campia Aqui está o primeiro número, deste ano lectivo, do Jornal Lugar do Arieiro Escolar ”Folhas de Loendro”. 3670—056 Campia Tal como nos anos anteriores, este propõe-se ser um dos elementos de dinamização de toda a Comunidade Escolar e de con- Telefone: 232750120 tacto com as novas tecnologias, através de projectos e trabalhos que queiram dar a conhecer, opiniões ou ideias que queiram partilhar. Equipa responsável: Professora Sandra Alves e São muitos os projectos que se propõem despertar, nas Professora Bibliotecária, Isabel Alves crianças e nos jovens, o prazer de escrever e de ler. O Jornal Escolar Colaboração de: Professores e alunos do Agrupa- é mais um deles. mento de Escolas de Campia Apelamos, assim, a que todos participem nele, de maneira a A todos os que participaram e cola- torná-lo mais rico e envolvente e, dessa forma, transformá-lo num dos boraram para que este jornal fosse instrumentos de incentivo à leitura e à escrita. possível o nosso obrigado. Aproxima-se a Época Natalícia, uma época de Paz e de Amor. 2010 é o Ano Europeu do Combate à É um momento festivo da Humanidade e uma presença ins- Pobreza e à Exclusão Social piradora que nos convida à reflexão colectiva sobre o mundo em que vivemos. 2010 é o Ano Europeu do Combate à Pobreza e Nesta perspectiva, queremos saudar toda a Comunidade à exclusão Social. É verdade que este ano se tem revelado difícil, pois o desemprego, a estagnação Escolar e, com ela, associar-nos aos valores da tolerância e da frater- económica e as consequências que daí advêm têm nidade, num sorriso solidário que todos una por laços de constante levado ao agravamento da situação financeira das harmonia. famílias. A solidariedade para com os mais necessi- Um Feliz Natal e um Próspero Ano Novo. tados faz cada vez mais sentido e é um valor que procuramos despertar nos nossos alunos. Foi com este espírito que o Agrupamento de Escolas de A Direcção Campia iniciou uma campanha de recolha de ali- mentos, brinquedos, roupas e livros com que conta- mos alegrar um pouco algumas famílias, neste Natal. Associaram-se a nós neste projecto a Comis- são de Obras de Nossa Senhora dos Milagres - Adsi- de; o Agrupamento de Escuteiros 649 - Campia; o Centro Social de Campia; e a empresa T&T. Tam- bém os alunos e professoras do 1º CEB, em articu- lação com a Biblioteca escolar, quiseram dar o seu contributo e têm sensibilizado toda a comunidade escolar e educativa para uma participação activa, com material escolar. A resposta a esta iniciativa tem sido bastante positiva, mas esperamos que o espírito natalício nos motive para colaborarmos de forma ainda mais generosa. Bem-haja a todos! Ser solidário… é o tema da nossa campanha de Natal! Há meninos que não têm livros, canetas, lápis de cor, mochilas e outros materiais escolares. Estes meninos não conseguem aprender bem, por isso, vamos partilhar com eles o que temos a mais. Não pensemos só em nós. Um carinho, um sorriso e um simples gesto podem fazer milhões de crianças felizes. Se ajudarmos os meninos a ficarem felizes, nós também ficaremos felizes. Vamos ficar à espera do vosso donativo na EB de Campia, no pavilhão A. Agrupamento de Escolas de Campia
  • 3. A NO IX ; 1ª E DIÇÃO ; TIRAGEM : 100 EXEMPLARES ; P ÁGINA 3 O Dia Mundial da Alimentação No dia 15 do passado mês de Outubro (o dia 16 foi sábado), a Escola do 1º CEB e o Jardim de Infância do Outeiro festejaram o “Dia Mundial da Alimentação”, com algumas actividades. Começámos por construir um mapa gigante do nosso país. De seguida, identificá- mos a nossa região (Alcofra), com o seu monumento mais representativo - “A Torre Medieval”. Depois, e de acordo com as pes- quisas que realizámos alguns dias antes da actividade, desenhámos, pintámos, recortá- mos e colámos os principais frutos, vegetais, cereais e animais, cultivados e criados na nos- sa região e no país em geral. Seguidamente, completámos o nosso mapa e fizemos a sua análise. Com a ajuda das nossas professoras, concluímos o seguinte: -Na nossa região há todos os alimen- tos essenciais para a nossa alimentação; -Os produtos da nossa terra são mais saudáveis do que os que se compramos no supermercado, pois não possuem químicos, pesticidas, herbicidas… -Devemos utilizar e aproveitar estes produtos porque, para além de serem mais saudáveis e mais baratos, estamos também a combater a sociedade de consumo em que vivemos. Para finalizar o dia, confeccionámos , ainda, um bolo de frutas, com ingredientes que trouxemos de nossas casas. Estava muito delicioso!... As actividades realizadas foram muito interessantes e com elas, aprendemos muitas “coisas novas”. 1º CEB de Campia Trabalho realizado pelos alunos da Escola e do Jardim do Outeiro para o Jornal Escolar
  • 4. P ÁGINA 4 FOLHAS DE LOENDRO A good and healthy breakfast Junk food is good but …… We should take a good and healthy breakfast I like junk food but I don’t usually eat this kind every morning, because it’s a source of energy and of food. I think junk food is unhealthy but we eat it lots strength. of times. Once or twice is not problematic. A good and healthy breakfast consists of milk Eating junk food every day may give us a “gift”, with chocolate or with coffee, bread with butter, jam, which is not very good!!! It may cause health problems. ham, cheese, croissants, yoghurt, cereals with milk, Fast food is very good because it’s tasty and orange juice and a piece of fruit as for example apple, delicious. Besides that, it’s cheaper and faster than pear, banana, orange and grapes. healthy food. But …. junk food doesn’t have what we Having a good breakfast every day is very im- need: vitamins and minerals. On the other hand, it is portant. It is the most important meal, because it pro- very fattening and this is a great problem. Some people vides calories and eat too much of this vitamins necessary kind of food and later for the day and the they may be overweight students who eat a and have heart diseases. good breakfast are So …. why not to try more concentrated different food??? and willing to Healthy food helps us to learn. keep fit and it contrib- All of us should utes to a balanced diet. take a good breakfast, because it helps to keep fit and Definitely it is very slim. It contributes to a balanced diet. good and it doesn’t cause any problems!!!! Carolina Saldanha 8ºB nº5 Daniela Almeida 8ºB nº8 JARDIM DE INFÂNCIA DE CERCOSA Para comemorar o “Dia da Alimentação”, convidámos familiares e amigos a usufruírem connosco de uma manhã diferente, na nossa escola. Fomos de pijama para a escola e tomámos um pequeno-almoço saudável e nutritivo. Depois de bem alimentados, resolvemos acordar “todo o corpinho” ao som de uma música, bem mexida. Para finalizar, e porque tínhamos ainda muita energia, fomos dar uma caminhada à volta da nossa aldeia. Mas primeiro mudámos de roupa, claro. Nesse dia estava muito frio mas isso não nos dissuadiu de sair- mos à rua. Pelo caminho ainda fizemos algumas paragens para conversar com amigos e familiares que encontrámos e, … para comer uvas. Foi uma manhã bem divertida e saudável e apro- veitámos para estreitar laços e para conversar. 3º ano EB Campia
  • 5. A NO IX ; 1ª E DIÇÃO ; TIRAGEM : 100 EXEMPLARES ; P ÁGINA 5 O Projecto de Educação para a Saúde (PES) em articulação com o Departamento de Matemática e Ciências Experimentais (grupo de Ciências da Natureza/Naturais) promoveu a comemoração do "Dia Mundial do Não Fumador”, na semana de 15 a 19 de Novembro de 2010. No átrio do Pavilhão B, foi feita uma exposição, da qual constaram: • trabalhos realizados pelas turmas do 2.º ciclo, nas aulas de Área de Projecto, e pela turma do 3.º ano da EB de Cam- pia; • informação relativa à composição do tabaco e doenças relacionadas com o tabagismo; • mensagens sobre a temática, elaboradas pelas várias turmas das escolas do Agrupamento, que foram afixadas em dois pulmões criados para o efeito; • esqueleto humano com os pulmões enegrecidos e os dentes amarelecidos devido ao consumo de tabaco. Nas aulas de Ciências da Natureza/Naturais e/ou nas de Formação Cívica foi feita uma sensibilização dos alunos para a temática. Nas tur- mas do 6.º ano, na disciplina de Ciências da Natureza, foi também reali- zada uma actividade prática, “A garrafa fumadora”, que pretendia que os alunos visualizassem como ficarão os nossos pulmões se forem fumados vários cigarros. Na Biblioteca da Escola foi projectada uma apresentação em Power- Point elaborada por alunos do 5.ºA. Foram, ainda, divulgados os documentos emanados da Unidade de Saúde Pública do ACeS Dão Lafões II. As actividades desenvolvidas tiveram como objectivos sensibilizar a comunidade escolar para os efeitos nocivos do tabaco e prevenir o seu consumo, bem como encorajar os fumadores a deixar de fumar. Passatempo: resolve as seguintes palavras cruza- das sobre o Tabagismo Verticais: 1-Vasos que conduzem o sangue do Horizontais: coração a todas as partes do corpo. 2-Grupo de indivíduos onde se verificou 5-Zona externa do corpo que fica um aumento de consumo de tabaco nos amarela por se fumar últimos anos (no plural) 6-O fumo do cigarro em ambientes 3-Está presente no fumo produzido fechados atinge também os… pelos cigarros e automóveis. 7- Uma das 4700 substâncias tóxicas 4-Componente do tabaco que provoca componentes do cigarro dependência 10-Planta cuja folha depois de prepa- 8-Local onde se pode fumar rada serve para os cachimbos, charu- tos, e cigarros 9-A nicotina demora apenas 10 segun- dos a chegar a ele 11- Um órgão do corpo humano em que os efeitos da nicotina são mais 12-Doença muitas vezes incurável que graves surge, devido ao consumo do tabaco 13- Quando se deixa de fumar poupa-
  • 6. P ÁGINA 6 FOLHAS DE LOENDRO O Projecto de Educação para a Saúde (PES), em articulação com o Departamento de Matemática e Ciências Experimentais (grupo de Ciências da Natureza/Naturais), assinalou, na semana de 29 de Novembro a 3 de Dezembro de 2010, o “Dia Mundial da Luta Contra a SIDA”. Para tal, levaram-se a efeito algumas actividades, quer em contexto de sala de aula (Ciências da Natureza, Formação Cívica e Área de Projecto), quer fora, que pretenderam sensibilizar tanto os alunos como a restante comunidade escolar para a temática, nomeadamente para os comportamentos de risco, e alertar para a importância do contributo de todos no combate à infecção pelo VIH. No átrio do Pavilhão B, foi feita uma exposição com cartazes e mensagens/slogans elaborados pelos alunos e foi, também, divulgada informação relevante sobre a problemática do VIH/SIDA. Na Sala de Alunos, foi projectada uma apresentação com recurso ao PowerPoint, realizada pelo 9.º A, sobre o que é a SIDA, quais os sintomas da doença e as formas de transmissão e de prevenção. Procedeu-se à distribuição de materiais (lápis, réguas, pulseiras e porta-chaves) alusivos à temática, gentilmente cedidos pela Coordenação Nacional para a Infecção VIH/ SIDA, aos alunos de todas as escolas do Agrupamento. Na EB de Campia, foi, também, distribuído a cada um dos alunos, bem como a outros elementos da comunidade escolar, um laço vermelho, símbolo internacional da luta contra a SIDA. Foram, ainda, divulgados os documentos emanados da Unidade de Saúde Pública do ACeS Dão Lafões II, a fim de sensibilizar e prevenir esta problemática. Em todas as escolas e jardins-de-infância do Agrupamen- to, foi feito um Peditório para a ABRAÇO – Associação de Apoio a Pessoas com VIH/SIDA. Esta iniciativa destinou- se à angariação de fundos para o prosseguimento dos projectos da Associação, pelo que se agradece a todos os que contribuíram para esta causa.
  • 7. A NO IX ; 1ª E DIÇÃO ; TIRAGEM : 100 EXEMPLARES ; P ÁGINA 7 Alfabético maluco O Outono A é a Ana, apanhou uma banana. O Outono é uma das quatro estações do ano. Esta estação B é o Bernardo, picou o rabo num cardo. começa a 22 ou 23 de Setembro e termina a 21 ou 22 de Dezembro. C é a Catarina, foge de uma vacina. Os dias fiam mais curtos e mais frios; anoitece mais cedo. As D é o Daniel, comeu muito mel. folhas de muitas árvores, arbustos e outras plantas pintam-se de mui- E é a Elisabete, partiu a sua bandulete. tas cores: castanho, vermelho, laranja e amarelo. Todas (as das árvo- F é o Fábio, que se arma em sábio. res de folhagem caduca) vão cair ao longo dos três meses que dura o G é a Gabriela, que se julga muito bela. Outono. I é o Ivo, disse um diminutivo. Algumas aves partem para terras mais quentes, como as J é o João, que conheceu um cão. andorinhas, as cegonhas e os patos selvagens. Alguns animais prepa- K é a Kate, gosta de leite. ram-se para hibernar e outros começam a guardar, nas suas tocas, L é a Lucília, dá aulas à Cecília. alimentos para o Inverno, como por exemplo, o esquilo e as formigas. M é o Miguel, zangou-se com o Gabriel. Nesta época do ano, a Natureza oferece-nos vários frutos: N é a Nanda, encontrou um panda. figos, marmelos, dióspiros, abóboras, castanhas e os frutos secos O é a Olga, está de folga. (avelãs, nozes, amêndoas…). Nos bosques aparecem muitos cogu- P é a Paula, faltou a uma aula. melos, mas nem todos são comestíveis, alguns são venenosos. Q é o Quim, nas aulas, come pudim. Nesta altura, as pessoas das aldeias andam muito atarefadas R é o Ricardo, morde como um leopardo. com a apanha das uvas - a vindima. É também nesta época que se S é o Simão, come um pão. festeja o dia das bruxas (31 de Outubro) e o S. Martinho (11 de T é a Teresa, põe a mesa. Novembro). U é o Urbano, amanhã fará um ano. No Outono, verificam-se muitas mudanças ao nosso redor. V é Vera, foi mordida pela fera. W é o Waldo, rapidamente, comeu o caldo. Texto colectivo dos alunos do 2º/3º ano de Cambra X é a Xana, escorregou numa casca de banana. Y é Yara, pôs na jaula uma ave rara. Z é o Zeca, plantou relva na careca. Joana, 3º ano, E. B.1 de Cambra SURPRESAS EM CERCOSA Viva! Finalmente a nossa caixa de areia. Que pena ser Inverno. Mesmo assim, o tempo ajudou e o sol instalou-se durante uma tarde, para que a pudésse- mos inaugurar. Assim, já não precisamos de esca- var os alicerces da escola e desenterrar as raízes das árvores. Agradecemos à Câmara Municipal o presente tão esperado. Mas há mais…, para os encarregados de educação, familiares e amigos que nos ofereceram os baloiços e a cobertura para a caixa de areia, um grande “Bem haja !!!” Agora, é só esperar que venha o solzinho. Isto é … Cidadania!
  • 8. P ÁGINA 8 FOLHAS DE LOENDRO Partilha Magia na floresta No dia 9 de Dezembro, os alunos da turma do 2º/4º ano da Certo dia, uma princesa que tinha muito mau feitio foi EB de Campia, fizeram um trabalho de Expressão Plástica expulsa do seu palácio, pelo seu próprio pai. Muito triste, em conjunto com alguns idosos do concelho. O Convívio foi fugiu para a floresta. Depois de muito ter andado, resolveu excelente e dele resultaram trabalhos muito interessantes. descansar, junto a uma velha árvore. Foi então que apare- ceu uma fada e lhe perguntou: _ Por que choras? A princesa contou-lhe tudo o que lhe tinha acontecido. Resolveu ajudá-la e levou-a para sua casa, que se situava num rochedo, perto de um riacho. A princesa revelou à fada o seu maior desejo: conquistar o príncipe e voltar para a sua família. Ela pediu ajuda à fada. Esta foi procurar o seu livro de magia, escondido no seu esconderijo secreto. Ao tentar realizar uma das magias, apercebeu-se que os seus poderes tinham desaparecido. A fada foi pedir ajuda às suas amigas que levaram a princesa até ao mago Félix da floresta. Este disse-lhe que só realizaria o seu desejo, se ela conseguisse decifrar um enigma. Teria de passar por uma ponte alta, estreita, escorregadia, por cima de um rio com crocodilos esfomea- dos, onde encontraria um mapa. Com o auxílio das fadas, conseguiu atravessar a ponte e encontrar o mapa. Ao abri-lo, encontrou o seguinte: “PAK2”. Aflita, mas muito curiosa, pediu mais uma vez o apoio das fadas. Estas descobriram uma pequena porta, com a inscrição “PAK2”. Quando a princesa se aproximou da porta, esta abriu. Lá dentro, estava uma Maquina do Histórias na BE Tempo que a transportou para o palácio do seu amado, o Todas as quartas feiras, os alunos dos 1º e 2º anos da EB príncipe Artur. Campia vão à BE ouvir uma história. Uma das histórias que A princesa dirigiu-se aos jardins do palácio do príncipe e as crianças ouviram foi a do Rato Renato, um ratinho muito encontrou-o a conversar com o mago. Ela aproximou-se do simpático que, mesmo sem o saber, ajudou os meninos do 1º príncipe e pediu-lhe desculpa, declarando-lhe o seu amor. ano a aprenderem a letra R e palavras onde esta letra apare- O príncipe aceitou as suas desculpas e pediu-a em ce. Também algumas vezes puderam pôr a sua criatividade à casamento. prova. Esta iniciativa tem sido muito bem recebida pelos Alguns meses depois, casaram e fizeram uma grande meninos e tem-se revelado bastante enriquecedora no con- festa para os amigos e família. texto de sala de aula. Além disso, enche a alma a quem conta A princesa tornou-se numa pessoa simpática, meiga e estas histórias! muito solidária. O príncipe estava cada vez mais apaixona- do e feliz. Texto elaborado pelos alunos do 3º ano da EB de Campia, para a parti- cipação no concurso “Ler, uma aventura que não vais querer perder!”, promovido pela Civilização Votos de um Santo e Feliz Natal ! 3º ano da EB Campia
  • 9. A NO IX ; 1ª E DIÇÃO ; TIRAGEM : 100 EXEMPLARES ; P ÁGINA 9 O S. MARTINHO EM VILADRA - ALCOFRA O MAGUSTO EM CERCOSA Palavras para quê… As actividades do S. Martinho decorreram com muita animação e entusiasmo. A alegria das crianças foi tal que superou as expectati- O nosso magusto foi uma festa … com mães e avós vas. Com saquinhos de castanhas na mão, as crianças do Jardim-de- que nos presentearam com a sua companhia e boa infância rumaram à escola do primeiro ciclo onde os amigos os espe- disposição. A mãe da Bárbara fez um lindo arranjo de ravam. E como manda a tradição, lá se fez a grande fogueira com os Outono para pôr na mesa onde estava aletria, gelati- meninos cantando, dançando e saltando. Por fim, quando a barrigui- na, tarte de maçã e bolo de iogurte que preparámos nha já estava composta, houve na véspera para brindar os convidados. também lugar para as farruscas É claro que não faltaram as rainhas da festa as no meio da euforia e das garga- “castanhas”! lhadas. Por fim, fomos visitar a capela de S. Martinho, capela de esti- lo românico, situada perto da Torre de Alcofra. Foi muito interessante descobrirmos caminhos e veredas muito antigos, para chegarmos à Capela, a qual estava enfeitada para venerar e comemo- rar este dia de S. Martinho. Regressando novamente à escola, almo- çámos todos juntos num ambiente de festa. Ed.Deolinda e Prof. Rosa S. Martinho Para assinalar o dia de S. Martinho, as crianças do 1º ano da EB Campia dramatizaram a história deste Santo. Além Guy Fawkes disso, sendo este o dia que tradicionalmente consagra- Os alunos do 1º ano da EB Campia ficaram a conhecer a mos à castanha, estes meninos criaram, na aula, um ade- história do Guy Fawkes quando, no dia 5 de Novembro, foram reço que usaram ao longo de todo o dia, de forma bem ouvir a sua história à BE. Depois criaram, na aula de Expres- animada. são Plástica, um boneco para ser exposto ao lado dos feitos pelos outros meninos.
  • 10. P ÁGINA 10 FOLHAS DE LOENDRO Jardim de Infância de Cambra E as descobertas continuam … Questionamos Experimentamos Observamos E… Concluímos Jardim de Infância de Cambra Dia: 22/10/2010 Actividade: Percurso Medieval : Jardim de Infância - Torre Medieval ( travessia do rio pelas poldras) O que gostámos mais foi de atravessar o rio pelas pedras gigantes – FOI MUITO FIXE!! De sujar o sapatos e de comer uvas que encontrá- vamos. Aprendemos que, antigamente, quando chovia não se podia atravessar o rio, porque a água tapava o caminho. Gostávamos de repetir mas… só mais tarde, quan- do vier a Primavera e o rio levar novamente pouca água!!! Magusto no dia de São Martinho na companhia dos nossos amigos do 1º CEB de Cambra ( dia: 11/11/2010) QUE DIA DIVERTIDO…. QUE MENI- NOS NEGROS …. PINTADOS DO CARVÃO FIZEMOS E SALTAMOS A FOGUEIRA, COMO FAZIAM OS NOSSOS PAIS E AVÓS
  • 11. A NO IX ; 1ª E DIÇÃO ; TIRAGEM : 100 EXEMPLARES ; P ÁGINA 11 An usual case on our days! Rui não sabe o alfabeto Lautner is one of the thousands children that Era uma vez um menino chamado Rui. Tinha 11 dias e a mãe disse are victims of racism by their classmates or para ele: friends. He is a thirteen- year- old boy and every- - Meu lindo, vais crescer! Vais ser um homem muito forte como o teu day he is discriminated against because of his pai. skin colour, race or just because his culture is Passaram-se 6 anos e o Rui foi para a escola. different. A professora disse para todos: Like every other child, Lautner is teased. The - Nós hoje vamos aprender o abecedário. Então começa pelo “white children” call him bad names, exclude him A,B,C,D,E,F,G… Rui qual vem a seguir? from the school activities. Sometimes he is also - Professora, vem o i. victim of bullying by older children. - Menino Rui, não diga asneiras! A letra que vem a seguir é o H. Vá, His classmates do everything to stay away from vamos marcar os trabalhos de casa. Vão todos fazer o alfabeto. him. Entretanto ouviu-se: Trrim! Trrim! Tocou a campainha da escola. Normally, he spends his freetime in the school - Vá, arrumem e vão para casa. library. His grades are very bad. No dia seguinte, o Rui chegou à escola e a professora perguntou-lhe: His parents want to move him to other school, - Então Rui, estudaste o alfabeto? but of course it will be the same thing. - Sim, professora. – respondeu o Rui Lautner needs our help, like every other victim. - Então começa. Give your contribution to stop this!!! - A,B,C,E,D,G,H,I,K,L,N,O,S,R,Q… - Chega Rui! O menino não sabe o alfabeto. Tens que estudar mais. - Patrícia Matos disse a professora um pouco zangada. - Mas, professora… - Para a próxima aula quero o alfabeto na ponta da língua.– pediu a professora. - Sim, professora. Chegou a casa e a mãe perguntou-lhe: - Rui, porque vens tão triste? - A professora disse que tinha que ter o alfabeto na ponta da língua! - Eu ajudo-te! – exclamou a mãe. No dia seguinte, quando chegou à escola, a professora perguntou-lhe: - Fizeste os trabalhos de casa? - Sim. – e começou a dizer - A, B, C, D, E, F, G, H, I, K,… J, L, M, N, O, P, Q, …R, S, T, U, V, W, X, Y, Z. - Muito bem, ainda hesitas em algumas letras mas está muito bem. Parabéns, Rui! 3º ano EB Campia ANDREIA CARDOSO 5º A Nº 3 3º ano EB Campia 3º ano EB Campia
  • 12. P ÁGINA 12 FOLHAS DE LOENDRO Visita à Feira do Livro “FOMOS APRENDER A FAZER PÃO" “ …era preciso fermento, farinha e água… e a primeira coisa era lavar as mãos” “Nós fomos de autocarro à Escola Básica à feira do livro.” Rafael e Juliana “A massa estava numa caixa de madeira… chamava-se masseira” “ … o senhor tinha as mãos vermelhas porque a água estava muito quen- te…quente!” “… ele tinha muita força… até suava porque estava muito calor, e a água estava muito quente” “Os meninos a verem os livros na mesa da biblioteca.” Rafael e Ana Carolina “ …a senhora que se chamava Fer- nanda estava a acender o fogo…” “…ela também embrulhava a mas- sa num cobertor” “…pois, porque era para ela cres- cer” “Vimos uma história do computador… o Cor- cunda de Note Dame. Ele era feio mas eu gosto dele à mesma porque ele era amigo. Gostámos “… a Senhora Fernanda punha as de ir à feira porque tinha lá livros para ler e ver e couves e o nós gostamos porque eles têm letras e contam- nos histórias.” pão por cima…” Tiago, Ana Carolina, Rafael “… depois comemos um pão que tinha carne Jardim de Infância de Campia lá dentro…” “hummm… uma delicia” J.I.Campia
  • 13. A NO IX ; 1ª E DIÇÃO ; TIRAGEM : 100 EXEMPLARES ; P ÁGINA 13 Era uma vez um Castelo... Feira do livro Não morava lá ninguém No dia 29 de Novembro, os alunos do 1º ano da EB Campia foram mais uma vez à Biblioteca escolar, desta e quem foi a Santa Maria da Feira feita para ouvirem a história do Corcunda de Notre- sabe isso muito bem! Dame. Esta actividade foi dinamizada pela equipa da Pois foi...o Jardim de Infância de Viladra - Alcofra, partici- biblioteca, no âmbito da Feira do Livro do Agrupamento. pou na realização de uma visita de estudo ao Castelo de Stª Eis 2 desenhos feitos pelos meninos, alusivos a esta Maria da Feira, em conjunto com os demais Jardins de Infân- visita. cia do Agrupamento de Escolas de Campia. Esta visita pre- tendeu servir de inspiração para o desenvolvimento do pro- jecto pedagógico a trabalhar ao longo deste ano lectivo 2010- 2011 e cujo tema é: «Castelos no ar...descobrir e sonhar». Apesar da fase de adaptação de algumas crianças, todos os envolvidos vivenciaram, com agrado e alegria, esta aventura que foi descobrir o Castelo por dentro. Graças ao bom esta- do de conservação deste monumento e às actividades de ani- mação aí desenvolvidas, as crianças tiveram oportunidade de explorar, descobrir e sonhar o que lhes passa no imaginário, ao ouvirem as histórias dos reis, princesas e príncipes,… sejam eles verdadeiros ou não. Gostámos muito! ...e continuar a “nossa” história!... JI Viladra VISITA DE ESTUDO AO CASTELO DE SANTA MARIA DA FEIRA No dia 7 de Outubro, dia dos Castelos, as Educadoras de Infância dos jardins de Infância do Agru- pamento surpreenderam as suas crianças com uma Visita de Estudo ao Castelo de Santa Maria da Feira. Foram recebidas pelas Milícias Medievais e, para além de explorarem o castelo, tiveram ain- da oportunidade de assistir à leitura da lenda do Castelo, visualizar um vídeo pedagógico e ainda testemunhar um duelo de esgrima medieval. Foi sem dúvida alguma um dia inesquecível para as nossas crianças. Foi a pedra de lançamento do Projecto “Castelos no ar…descobrir e sonhar”, que será desenvolvido em todas as salas da Educação Pré-escolar e culminará no final do ano lectivo com a nossa participação no Mercado Medieval. A Coordenadora do Departamento de Educação Pré-escolar
  • 14. P ÁGINA 14 FOLHAS DE LOENDRO O nosso primeiro período Olá, Somos os alunos do 4ºano da Escola Básica de Campia e vamos con- tar-vos o que fizemos ao longo do 1º período. O 1º período foi altamente porque aprendemos coisas novas, estudá- mos bastante e brincámos um bocadinho, mas desenvolvemos a nossa aprendi- zagem. No 4ºano…as matérias são mais difíceis. Trabalhá- mos muito mas ainda tivemos tempo para fazer desenhos, folhas, anjos e pinheiros de Natal para enfeitar a nossa sala. Em Setembro, no dia 29, dia de S. Miguel, o Santo Padroeiro da Freguesia de Campia, tivemos um dia diferente: participámos na Feira das Colheitas e vendemos muitos produ- tos alimentares, fizemos um cartaz alusivo ao tema “Pobreza e Exclusão Social”, cantámos os Parabéns à nossa escola e também comemorámos os 100 anos da República, fizemos bandeiras de Portugal e cantámos o Hino Nacional. Foi um dia muito divertido. Em Outubro, na Semana da Alimentação, fizemos a pirâmide alimentar, a roda dos alimentos e espetadas de fruta, algumas comemos e outras distribuí- mos pela escola. Ainda fizemos um cartaz alusivo a “Comer? Para quê???”, onde descobri- mos que devemos ter uma alimentação cuidada, saudável e variada. Em Novembro, comemorámos o Dia do não fumador, parti- cipámos com frases, na decoração do hall da escola, debatemos as desvantagens de “ser fumador” e pintámos desenhos. Andamos a tentar fazer uma história “Uma aventura de ler”…mas está um pouco difícil… No Inglês, comemorámos o dia das bruxas (Halloween) e o Guy Fawkes. Tivemos ainda uma visita muito fixe, chamava-se Benny Kid, que falou sobre o nos- so planeta Terra. Nós gostámos muito do espectáculo. Ainda tivemos a Feira do Livro na Biblioteca da escola. O Dr. Alfredo veio explicar a importância de ler os livros e falou-nos do livro “A fada Oriana”. Em Dezembro, estivemos com os colegas do 3ºano a falar da história de Portugal porque no dia 1 de Dezembro comemorou-se um feriado histórico, a Restauração da Independência. A Professora Helena veio ajudar-nos e fingimos que éramos as personagens da história. Agora andamos a preparar a nossa festa de Natal, que vai ser muito divertida! 4ºano, turma A4 Aproveitamos e desejamos a todos Um Feliz Natal e Bom Ano Novo!
  • 15. Aprendeu tanto q gente. Um dia uma rapa - Como cresceste A NO IX ; 1ª E DIÇÃO ; TIRAGEM : 100 EXEMPLARES ; P ÁGINA 15 E ela disse: - Tens que aprend Friendship A folha e o vento Friendship is very important for all of us. Certo dia, uma folha estava presa numa Friendship is when people are friends of each árvore muito alta e o vento passou por lá e começaram other and are true. For me in a true friendship, truth has a falar… - Ai! Está tanto frio! Não podes soprar devagar? always to be told, friends must be sincere with each - Desculpa folha! Esta é agora a minha função! – Res- other and they should never hide anything. They should pondeu o vento. - Ora essa! Podes soprar um bocadinho mais devagar, help and understand other. True friendships survive even senão eu posso cair da árvore. – Argumentou a folha. when people are separated. -Ó folha, eu tenho que soprar porque mais tarde ou mais cedo, sabes que vais cair da árvore! Bruno and Carla are very important to me -Eu sei… mas quero aproveitar enquanto estou cá em because without them my life does not make sense. They cima, os raios de Sol quentinhos! - Não queres dançar comigo, a dança do Vento? are the best friends in the world and I have never had - Eu nem sei dançar… e tu és muito forte e ainda me such good friends in my life as they are. They are fun, magoas! - Eu ensino-te a dançar…. cool, crazy, beautiful and good friends. E os dois ficaram a tarde toda a dançar ao som da Natu- I rely on them and they amuse me very much. reza! Texto colectivo do 4ºano, turma A4 - EB Campia My best friends help me to solve and overcome my problems, listen to me and understand me, make me smile even when I just feel like crying. They are with me in the good and bad moments. They never leave me alone. We respect each other. I can tell them my things because I know they do not say anything to any- one. I can count on them for everything I need. They help me and forgive my mistakes. They make me laugh even when I’m too depressed. Despite being the best friends, we have times that we argue and feel down because of that but every- thing is solved: it´s part of friendship. They are my best friends ever. Best friends forever… Cátia Lourenço 9ºB nº 7 Crescer é aprender Era uma vez uma criança que não crescia porque também não aprendia. Então, decidiu: - Tenho que crescer! Aprendeu tanto que cresceu mais que toda a gente. Tânia Filipa Matos Amorim Um dia uma rapariga perguntou-lhe: Campia, 10 de Outubro de 2010 - Como cresceste tanto? E ela disse: - Tens que aprender! Crescer é aprender.
  • 16. P ÁGINA 16 FOLHAS DE LOENDRO A Biblioteca escolar em retrospectiva Ao longo do 1º período, várias foram as actividades desen- O Ricardo Coval anda no volvidas pela BE, no sentido de sensibilização para a leitu- 4º ano e tem 9 anos. ra e para a escrita, mas também para os valores da solida- O Rafael Fonseca riedade, respeito pelas diferenças e promoção do uso das anda no 2º ano e tem 7 tecnologias da informação e comunicação. anos. O Ricardo lê qua- se todos os dias antes de Foi promovido um breve encontro com os Encarre- dormir e o último livro gados de Educação dos alunos do 1º e 5º anos, no que leu, “Um amigo início do ano lectivo, com vista à consciencialização para o de neve”, fala de um crescente desinteresse das crianças pela leitura e procu- boneco de neve rou-se dar algumas pistas de como despertar o gosto pelos feito por um rapaz. Apare- livros, desde a mais tenra idade. Esse encontrou terminou ceram uns amigos que gozaram com ele. com a leitura da bela crónica de Mia Couto “O menino Veio uma cascata de neve que tapou os miúdos. Chegou a Prima- que fazia versos”, da qual se apresenta um breve excerto: vera e o boneco derreteu. Já leu quase todos os livros da colec- ção Harry Potter porque é um livro grande e tem coisas “(…) Tudo corria sem mais, a oficina mal dava para o pão e a escola do miúdo. Mas eis que começam a giras lá no livro. aparecer, pelos recantos da casa, papeis rabiscados O Rafael adora ler. Lê quando acorda e quando se vai com versos. O filho confessou, sem pestanejo, a deitar, todos os dias. O último livro que leu foi “Pedro e o autoria do feito. lobo”. Este livro fala de um lobo, de um pato, de um pica-pau e - São meus versos, sim. de um miúdo que é o Pedro. O lobo come o pato, o pássaro O pai logo sentenciara: havia que tirar o miúdo da põe-se à volta do focinho do lobo e aparecem três caçadores. O escola. Aquilo era coisa de estudos a mais, perigosos lobo morre e depois acaba a história. Adorou esta história por- contágios, más companhias. Pois o rapaz, em vez de que tem animais. se lançar no esfrega-refrega com as meninas se aca- brunhava nas penumbras e, pior ainda, escrevia Isabel Almeida é professora de versos. O que se passava: mariquice intelectual? Ou Português e Inglês na EB de carburador entupido, avarias dessas que a vida do Campia. homem se queda em ponto morto? Gosta de ler romances e cos- Dona Serafina defendeu o filho e os estudos. O pai, conformado, exigiu: então, ele que fosse examinado. tuma ler quase todos os dias. O último livro que leu foi “Caim”, - O médico que faça revisão geral, parte mecânica, um livro que fala sobre Deus e parte eléctrica. sobre o episódio em que Caim Queria tudo. Que se afinasse o sangue, calibrasse os mata o seu irmão Abel. pulmões, e sobretudo lhe espreitassem o nível do óleo na figadeira. Houvesse que pagar por sobressa- O livro que recomendaria a um amigo seria “QUEM QUER lentes, não importava. O que urgia era por cobro àquela vergonha familiar. (…) SER BILIONÁRIO” porque trata a vida sofrida da persona- gem principal e da forma como conseguiu vencer a vida. Para comemorar o Mês das Bibliotecas Escolares, a BE promoveu um ciclo de cinema, com filmes baseados em obras literárias de autores portugueses e estrangei- “Virando páginas da fantasia” foi um projecto iniciado este ros, como por exemplo, “Ensaio sobre a cegueira” e ano e consiste na leitura de uma história aos alunos do 1º ciclo, “Uma aventura na casa assombrada”. Aproveitámos para, todas as semanas para o 1º e 2º anos e quinzenalmente para os 3º partindo da visualização de um bocadinho deste filme, e 4º. Eis alguns desses momentos. promover um exercício de expressão escrita com algu- mas turmas da escola. Além disso, os alunos de Oficina da Leitura foram entre- vistar alguns professo- res, alunos e funcioná- rios sobre os seus hábi- tos de leitura. Aqui ficam duas dessas entre- vistas:
  • 17. A NO IX ; 1ª E DIÇÃO ; TIRAGEM : 100 EXEMPLARES ; P ÁGINA 17 O Flautista de Hamelin andou por cá e passou por algumas escolas do 1º CEB e jardins do Agrupamento. Foi aos jardins de Viladra, Cambra, Outeiro e Cercosa e esteve nas escolas do 1º CEB de Mogueirães e do Outeiro. Aqui estão algumas marcas da sua passagem: Em Cercosa Em Mogueirães Em Viladra No Outeiro No JI de Cambra Em articulação com a área de Projecto do 7º A, foram dra- matizados três contos tradicionais recolhidos por Teófilo Braga, que foram apresentados no dia 29 de Setembro, dia do aniversário da escola, contribuindo assim para o conjunto de actividades promovidas para a comemoração deste aniversário e da Implantação da República. O velho avarento A tiazinha e os dez anõezinhos As três cidras do Amor
  • 18. P ÁGINA 18 FOLHAS DE LOENDRO Entre os dias 29 de Novembro e 3 de Dezembro, a BE, em articulação com o Departamento de Línguas, levou a cabo mais uma edição da Feira do Livro do Agrupamento. Ao longo da semana, os alunos de todo o Agrupamento folhearam e com- praram alguns livros e participaram em actividades de sensibilização para a leitura, a escrita e de sensibilização para o direito à diferença: os alunos dos 3º e 4º anos assistiram a uma sessão de pré-leitura de “A fada Oriana”, os alunos do 9º ano estive- ram presentes numa sessão de pré-leitura de “O Principezinho” e os alunos do 5º ano foram sensibilizados para a escrita do seu primeiro conto, sessões dinamizadas pelo Dr. Alfredo Leite. As crianças dos jardins e escolas do 1º ciclo ouviram a histó- ria do “Corcunda de Notre-Dame” e as restantes turmas assistiram a um pequeno clip subordinado ao tema da pessoa com deficiência e escreveram frases sobre este assunto que foram afixadas no placad da BE. No dia 30, os Pais / Encarregados de Educação foram convidados a vir também à escola e a BE, com a colaboração dos departamentos de Línguas, Ciências Sociais e Humanas e Expressões, bem como do Clube de Expressão dramática e os alunos do curso de EFA, proporcionaram-lhes um pequeno sarau cultural. Embora a resposta dos Encarregados de Educação não tenha sido tão significativa como no ano anterior, tratou-se de um momento alto, de grande partilha…. Sugestões de leitura Joana, menina rica e prisioneira no seu jardim, faz amizade com o Manuel, criança órfã e pobre, que vive num estábulo na companhia de uma vaca e de um burro. Todos os dias se encontram e conversam debaixo do cedro. Na noite de Natal, ao aperceber-se de que os pobres não têm presentes, resolve sair para procurar a cabana onde dorme o seu amigo para lhe dar as prendas que tinha recebido. Sente frio e medo, mas não desiste; orientada por uma estrela, penetra no pinhal onde encontra os três reis magos que também se dirigiam para a cabana. Quando ali chegaram, viram um casebre sem porta inundado pela claridade dos anjos; ali estava, deitado na palha, o Manuel. A Joana ajoelhou-se e poisou no chão os presentes. (recensão da autoria de Rui Marques Veloso)
  • 19. A NO IX ; 1ª E DIÇÃO ; TIRAGEM : 100 EXEMPLARES ; P ÁGINA 19 Algum tempo antes do Natal, as crianças escrevem àquele velho de barbas brancas que é o responsável por tantas alegrias no dia 25 de Dezembro. Certos de que, quando se empenham, as crianças são muito criativas e convincentes, promovemos o concurso “A mais bela carta ao Pai Natal” no qual participaram alunos dos 3º, 4º, 5º e 6º anos da EB de Campia e alunos do 1º CEB do Outeiro. Apresentamos as cartas vencedoras do 1º e 2º ciclos 1º ciclo 2º ciclo Campia, 26 de Novembro 2010 Canha, 2 de Dezembro 2010 Querido Pai Natal! Olá Pai-Natal! Este Natal quero que seja especial, por isso quero pedir-te várias prendas. Decidi escrever-te nesta altura do ano, para saber como estão os preparativos para mais um Natal que Gostaria de ter uma boneca, um carinho, um se avizinha. cobertor, uma garrafa de água, um pão, uma famí- Sei que nem deves ter tempo para ler a minha carta, lia, paz, amor e carinho. mas sabes, gostava de poder ajudar, este ano, uma Espero que não seja pedir muito. vez que soube que o Rodolfo está com sinusite e o seu nariz não funciona. Como é que eu soube? Foi a Mãe-Natal que me disse! Obrigada e um bom Natal Ela diz que és muito teimoso e não queres admitir Daniela Almeida que os preparativos estão muito atrasados, pois os gnomos estão em greve, porque tiveste de lhes reduzir o ordenado, devido ao Orçamento de Esta- P.S. Ah! É verdade! Esqueci-me de pedir outra do. coisa. Como o dinheiro é pouco, também não há muito Por favor, dá a boneca e o carinho aos meninos para a alimentação das renas. Por isso elas decidiram que não têm nenhum presente este Natal; o comer todos os chocolates e guloseimas que deve- cobertor aos sem-abrigo, para poderem ter um rias distribuir neste Natal e, por fim, os duendes pouco mais de calor; uma garrafa de água a todos avariaram o tapete dos presentes! aqueles que não têm nada de beber; um pão àque- les que têm fome e não têm de comer; uma famí- Assim, é melhor eu ajudar-te a resolver todos os lia a todas as pessoas que vivem na solidão; paz problemas, vou dizer-te como. para todos os países que estão em guerras; e por Quanto à sinusite do Rodolfo, o melhor é ficar de fim amor e carinho para todos as pessoas deste cama este Natal. Em relação à greve dos gnomos, mundo, para que tenham um santo Natal. garantimos-lhes que o próximo ano vai ser melhor, quanto à alimentação das renas, podemos pedir um fardo de palha a todos os agricultores do mundo, Daniela Almeida – 6ºB pois assim já terão o que comer este Natal. Por fim, quanto aos duendes, oferecemos-lhes guloseimas em troca do seu trabalho. Sugestões de leitura Espero a tua resposta o mais rápido possível. “Chegou o Natal!” Do teu amigo Lucas. Colectânea de inspiração natalícia, P.S. Já vou comprar o meu fato e não te esqueças do este livro agrupa um conjunto diver- meu presente. sificado de textos, narrativos e poéti- cos, de diferentes autorias, incluindo um número significativo de textos Lucas Ribeiro – 3º ano EB Campia procedentes da tradição oral, para além de alguns clássicos da literatura portuguesa. As ilustra- ções são de autoria igualmente diversificada. (recensão adap- tada de Ana Margarida Ramos)
  • 20. P ÁGINA 20 FOLHAS DE LOENDRO Um pouco da nossa história - a Restauração da Independência O rei D. João IV, o Restaurador, era muito Sugestão de leitura devoto à Nossa Senhora da Conceição. O sol despontava radioso no firmamento e Lisboa preguiçava naquela manhã de sábado. Ainda havia pouca gente nas ruas. O Rei acreditou que a vitória da Revolu- Às oito horas (...) ção do 1º de Dezembro se ficou a dever à (...) em frente ao Palácio da Ribeira (...) ajuda da Santa. Pouco depois, começaram a chegar coches fechados. (...) A Igreja Católica dedica o dia 8 de Dezem- Junto da casa da guarda exterior estava um grupo de populares, três nobres e um bro (feriado religioso) à Nossa Senho- padre. Traziam capas que não caíam a direito (...) como se escondessem alguma coisa por baixo. ra Padroeira. - Trazem armas! (...) Naquele momento soaram as nove badaladas no sino da igreja. Nítidas, pausadas, No dia 25 de Março de 1646, D. João serenas, encheram o ar com o seu blein...blein, blein... Assim que o relógio se calou, IV fez uma cerimónia solene em Vila grupos de homens armados saltaram dos coches e irromperam pelo palácio(...). Os Viçosa (...). Dirigiu-se à igreja e deposi- guardas ainda tentaram resistir, mas os conspiradores apontaram-lhes espadas e tou a sua coroa aos pés de Nª Srª da pistolas, desarmaram-nos e seguiram pelos corredores. (...) Conceição, que declarou Padroeira e O povo acorria das ruas e vielas, acreditando enfim na revolução. (...) alguns solda- Rainha de Portugal. dos fugiam a sete pés (...). Homens, mulheres e crianças iam enchendo o terreiro. A partir dessa data, mais nenhum Todos queriam ver de perto o desfecho daquela luta há muito esperada! rei português usou coroa na cabeça, No interior do palácio os conspiradores avançavam, dando pontapés nas portas em por se considerar que só a Virgem busca do traidor Miguel de Vasconcelos (...) - O homem evaporou-se! Onde será que se meteu? tinha esse direito. (...) De súbito, porém, ouviram uma restolhada de papéis... Nos quadros onde aparecem reis - Está ali! Está ali! ou rainhas , a coroa está sempre Exaltadíssimos, rebentaram com as portas e crivaram-no de balas (...) depois caiu pousada ao lado sobre uma mesa, morto. num tamborete (1) ou almofada de - Atirem-no pela janela fora! - gritou alguém. (...) Os restos mortais voaram pela janela fora e foram cair no terreiro, onde a gente cetim. enlouquecida deu largas à sede de vingança cometendo atrocidades! Faltava encontrarem Margarida, a duquesa de Mântua. Conforme tinham combinado, Ana Mª Magalhães e Isabel Alçada, O Sabor da não tencionavam fazer-lhe mal, e não puderam deixar de admirar a coragem daquela Liberdade (Adaptado) mulher, que no auge da luta ainda apareceu na varanda de cabeça erguida e gritou à multidão: - Que é isto, portugueses? Onde está a vossa fidelidade? Respondeu-lhe uma onda de insultos, apupos e assobios: - Búúú!!... Louco, sim, louco, porque quis grandeza Os nobres arrastaram-na para dentro e disseram-lhe: Qual a Sorte a não dá. - Já temos rei! Não coube em mim minha certeza; Raça de mulher! Sozinha no meio de tantos fidalgos armados, retorquiu: Por isso onde o areal está - Pois temos. É Filipe IV, nosso senhor! (...) Ficou meu ser que houve, não o que há. Já impaciente, um nobre chamado Carlos de Noronha ordenou-lhe que se calasse se Minha loucura, outros que me a tomem não queria que lhe faltassem ao respeito. Com o que nela ia. - Faltarem-me ao respeito, a mim que sou governadora em nome de el-rei D. Filipe? Como? Sem a loucura que é o homem - Obrigando Vossa Alteza a sair por aquela janela, se não quiser entrar por aquela Mais que a besta sadia, porta! (...) Cadáver adiado que procria? Só depois os conspiradores assomaram à janela e lançaram o grito da vitória: Fernando Pessoa, Mensagem - VIVA EL-REI D. JOÃO IV! A resposta soou a uma só voz: - VIVA PORTUGAL! Ana Mª Magalhães e Isabel Alçada, O Sabor da Liberdade (Adaptado)