Revista

211 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Revista

  1. 1. LITERATURA DE MANICÔMIO OS ÓRFÃOS DA ORPHANDADEBalbucio:a árvore mastiga o armário,eu sinto provérbio, matoe me estrangulo, a planta , carnívora e omedo– sapo vitória-régia com a cidade –tudo crescee o tempero das coisas concisascom sentimentospulos de vidasgatos de 7 delasbalas de morangoa infância acende alguém.Nicola Gonzaga JONES S. CUSTÓDIO
  2. 2. os possessivos me transtornam elas me mentem- as sensações, todas, afogadas num copo de vinho. - tinto. seco. reticências me dão plurais entrelinhas me escrevem. a liberdade da forma a idade da pedra: antepassados me habitam futuros cicatrizam - femininos me engolem - femininos me vestem - femininos me despem além. Nicola Gonzaga Jones S. Custódio
  3. 3. (...)Tomo um café pra afugentar o sono. Aula de sintaxe pra entender a estrutura. Chuva láfora pra molhar os desprevenidos. Argumento externo depende do verbo. Sentençaagramatical denominada vida. Insanidade temporária pra apagar uma ilusão. Dor noponto do dente que não existe mais. Árvores que se formam pra revelar Deep Structure.Frases sem nexo pra dispersar a atenção e encobrir o pensamento que não vale a penarevelar. Eu sou a Maria! Eu não tenho caso. Maria sempre muda para algum spec. O verbodesejar é inacusativo e não dá caso pra Maria. O verbo parecer faz Maria flutuar semcaso pro spec do IP. Eu não entendo nada desses casos de desejo e de parecer... Carla Mello Mundo AzulEle estava cansado, em sua camisa várias manchas de suor, parecia um inferno lá fora.Seus passos gordos eram suavizados pelo carpete macio. Jogou a maleta em um doscantos e afrouxou sua gravata com grande alívio. Sua garganta pedia algo gelado, foi atéa geladeira, pegou uma lata de cerveja, grandes goles fizeram com que a latinha nãodurasse nem um minuto..Latinha, lixo.O sofá gemeu quando sentiu o homem se jogar sobre ele sem pena. Enfim podia relaxar,ligou a tevê em busca de algo que o distraísse, talvez um filme bobo, ou um desenhocomo os que via em seus dias de infância. Quando parou de mexer no controle remotosentiu uma corrente de ar gelada passar pelas suas costas, todos os pelos do corpo searrepiaram de imediato. Olhou para trás, talvez tivesse deixado a geladeira aberta, masnão era isso.Passava Bob Esponja na tevê, o homem ria a cada besteira que via, principalmentequando pegou fogo em baixo dágua, era tão absurdo quanto engraçado. Mas o cansaçoera maior que qualquer coisa, e aos poucos seus olhos foram pesando e pesando, até quepor fim seus roncos ecoavam por todo o apartamento. Jones S. CustódioAcorda.

×