QUALIDADE DE DADOS ATRAVÉS DO
MODELO DE DADOS:
UM MODELO DE QUALIDADE PARA MEDIR E
MELHORAR O ENTENDIMENTO DE MODELOS
CONC...
OBJETO-ALVO
 Resumo do artigo:
INTRODUÇÃO
 Existem muitos meios de melhorar a qualidade dos
dados. Contudo, o custo relativo para ações
corretivas a fim...
"BONS" MODELOS LEVAM A "BONS" DADOS.
 O quanto mais cedo nos pudermos medir a
qualidade de um futuro software, mais nós
p...
COMPREENSIBLIDADE
 Relacionado à facilidade de uso dos modelos
conceituais
 É relacionado tanto à notação usada quando o...
LITERATURA ATUAL
 Pode-se deduzir do que precede que existe uma falta
de:
 Acordo sobre conceitos relacionados à compree...
MODELO DE QUALIDADE PARA
COMPREENSIBILIDADE
 Qualidade pragmática se refere à
compreensibilidade de modelos conceituais p...
EXEMPLO REAL:
META-MODELO
 Baseado na noção de objetivos da qualidade:
MODELO APLICADO
OBJETIVO: “MELHORAR A COMPREENSIBILIDADE”
 Considere um usuário interessado em avaliar a qualidade de
um ...
ATRIBUTOS
PARA COMPREENSIBILIDADE
 Clareza
 Documentação
 Vocabulário Utilizado
 Convenção de Nomenclatura
MÉTRICAS
PARA QUANTIFICAR COMPREENSIBILIDADE
 Tamanho da fonte
 Número de objetos gráficos por modelo
 Alguns pesquisad...
REGRAS DE TRANSFORMAÇÃO
PARA MELHORIA DA COMPREENSIBILIDADE
 Uma vez que as métricas de qualidade são calculadas, ações
c...
VALIDAÇÃO DO MODELO
 57 profissionais responderam o questionário
 Entre eles gerentes, desenvolvedores e pesquisadores d...
CONCLUSÃO
 Proposta dos autores:
 Detecção prematura e correção de erros durante a fase
de especificação
 Otimizar toda...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Data Quality Through Model Quality: A Quality Model for Measuring and Improving the Understandability of Conceptual Models

345 visualizações

Publicada em

Data Quality Through Model Quality: A Quality Model for Measuring and Improving the Understandability of Conceptual Models
Kashif Mehmood; Samira Si-Said Cherfi e Isabelle Comyn-Wattiau
Resumo: Aborda a construção de um modelo conceitual de qualidade que produza e melhore implicitamente a qualidade dos dados. Modelos conceituais são projetados como parte da fase de análise e servem como um mediador comunicando entre os usuários e a equipe de desenvolvimento. Por conseguinte, a sua compreensibilidade é um verdadeiro desafio para evitar a propagação de interpretação errada dos requisitos de usuário para o projeto do sistema subjacente e implementação. A avaliação é de que a qualidade é enriquecida com as ações corretivas previas (fase de design).
Local: MoSE+DQS’09, November 6, 2009, Hong Kong, China.

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
345
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Data Quality Through Model Quality: A Quality Model for Measuring and Improving the Understandability of Conceptual Models

  1. 1. QUALIDADE DE DADOS ATRAVÉS DO MODELO DE DADOS: UM MODELO DE QUALIDADE PARA MEDIR E MELHORAR O ENTENDIMENTO DE MODELOS CONCEITUAIS Bárbara Cabral da Conceição EGC 9105 - Qualidade da Informação Engenharia e Gestão do Conhecimento / UFSC
  2. 2. OBJETO-ALVO  Resumo do artigo:
  3. 3. INTRODUÇÃO  Existem muitos meios de melhorar a qualidade dos dados. Contudo, o custo relativo para ações corretivas a fim de melhorar a qualidade dos dados ainda é alto.  Em algumas situações, os problemas de qualidade dos dados poderiam ser evitados por definição conveniente de construções no nível de modelo.  A hipótese subjacente é que "bons" modelos levam a "bons" dados.
  4. 4. "BONS" MODELOS LEVAM A "BONS" DADOS.  O quanto mais cedo nos pudermos medir a qualidade de um futuro software, mais nós podemos melhorá-lo sendo capaz de corrigir erros no nível de especificação.  Menor será o custo destas correções e mais a qualidade dos dados será melhorados.  Estudos mostram que detecção de defeitos nos estágios mais cedo do desenvolvimento da aplicação pode ser 33 vezes menos efetivamente custoso do que os testes feitos no final do desenvolvimento.
  5. 5. COMPREENSIBLIDADE  Relacionado à facilidade de uso dos modelos conceituais  É relacionado tanto à notação usada quando o conteúdo do modelo  Em estudos experimentais, os modelos usados poderiam ser semanticamente equivalentes no senso de que cada modelo poderia ser inferido por outros  SHANKS, propõe um abordagem baseada em antologia para ajudar a entender os modelos conceituais.  O papel da ontologia é detectar o mau uso de conceitos de notação e ajudar a fazer sentido em semanticas ambiguas
  6. 6. LITERATURA ATUAL  Pode-se deduzir do que precede que existe uma falta de:  Acordo sobre conceitos relacionados à compreensibilidade dos modelos  Medida eficaz de como a literatura mais atual relata os experimentos.  Os procedimentos de avaliação e diretrizes para suas melhorias  Capitalização do Conhecimento sobre as práticas.  Os artigos publicados são dedicados a experimentos conduzidos a checar os impactos de uma modelagem conceitual ou validar métricas relacionadas à complexidade.  Nosso argumento é que a compreensibilidade não pode ser limitado à dimensão de complexidade
  7. 7. MODELO DE QUALIDADE PARA COMPREENSIBILIDADE  Qualidade pragmática se refere à compreensibilidade de modelos conceituais pelos diferentes usuários.  Pesquisadores diferentes propuseram métodos diferentes para avaliar os aspectos pragmáticos de modelos conceituais.  Neste artigo, os autores propuseram uma abordagem de qualidade dirigida à feedback para estimar a compreensibilidade de modelos conceituais.  Eles levantaram um conjunto de atributos que podem ser avaliados de diferentes aspectos de modelos conceituais com respeito ao ponto de vista de compreensão do usuário.
  8. 8. EXEMPLO REAL:
  9. 9. META-MODELO  Baseado na noção de objetivos da qualidade:
  10. 10. MODELO APLICADO OBJETIVO: “MELHORAR A COMPREENSIBILIDADE”  Considere um usuário interessado em avaliar a qualidade de um modelo conceitual com respeito à facilidade com o qual ele pode ser lido e entendido.
  11. 11. ATRIBUTOS PARA COMPREENSIBILIDADE  Clareza  Documentação  Vocabulário Utilizado  Convenção de Nomenclatura
  12. 12. MÉTRICAS PARA QUANTIFICAR COMPREENSIBILIDADE  Tamanho da fonte  Número de objetos gráficos por modelo  Alguns pesquisadores argumentam: quanto mais a complexidade aumenta, maior o número de objetos gráficos (como classes, entidades, associações, etc..)  Grau da documentação  Vocabulário do Usuário
  13. 13. REGRAS DE TRANSFORMAÇÃO PARA MELHORIA DA COMPREENSIBILIDADE  Uma vez que as métricas de qualidade são calculadas, ações corretivas correspondentes ou transformações pode ser propostas para otimizar o modelo.  Assim, se a métrica mostra que o modelo tem muitos elementos então a ação corretiva pode incluir o seguinte:  Usar abstração para esconder alguns elementos que não são obrigatórios;  Dividir o modelo em sub-módulos para reduzir o número de elementos por modelo  Empregar conceitos de organização de complexidade  Ex: Diagrama de transação de estados (State Transition Diagram)
  14. 14. VALIDAÇÃO DO MODELO  57 profissionais responderam o questionário  Entre eles gerentes, desenvolvedores e pesquisadores de SI.  Média de idade: 30 anos  Média da experiência em modelagem: 4 anos  85% dos entrevistados consideram que a imposição de qualidade em modelos conceituais influenciam diretamente na qualidade do produto final  87% afirmam nunca terem utilizado nenhum método para avaliar a qualidade de modelos conceituais.
  15. 15. CONCLUSÃO  Proposta dos autores:  Detecção prematura e correção de erros durante a fase de especificação  Otimizar toda a qualidade dos Sistemas de Informação para garantir a consistência de modelos conceituais durante as fases de análise e projeto.  Utilizar o modelo para elevar a qualidade dos modelos conceituais levando à ações corretivas e transformações.

×