Retratos de uma Guerra Civil

156 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
156
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Retratos de uma Guerra Civil

  1. 1. Retratos de uma Guerra Civil: fatos da Revolução Constitucionalista de 1932 contados por um álbum de fotografias André Petris Gollner | Roberta Baldo Bacelar Faculdade Anhanguera de Taubaté
  2. 2. • Expectativas por uma nova Constituição Federal e equívocos políticos de Vargas em relação a São Paulo resultaram no levante armado que tentou destituí-lo. • A Revolução Constitucionalista de 1932 durou apenas dois meses, de 9 de julho a 02 de outubro, e não obteve êxito. • Contudo, é ainda comemorada com um feriado estadual e serve como tema para vários tipos de publicação. A Insurgência Paulista
  3. 3. • Objeto de estudo:  Álbum temático que pertenceu à coleção pessoal de Paulo Camilher Florençano (1913-1988).  Peça integrante do Arquivo Histórico Dr. Félix Guisard Filho, em Taubaté (SP).  As 180 fotografias do documento também compõem o acervo digital do Museu da Imagem e do Som de Taubaté (Mistau). Metodologia
  4. 4. • Objetivo: fazer uma análise do álbum de Florençano e averiguar seu conteúdo como memória histórica da Revolução Paulista ocorrida em 1932. • Pesquisa: qualitativa que se utilizou da pesquisa bibliográfica, análise documental, entrevista pessoal e análise de imagem (KOSSOY, 2004; COUTINHO, 2010). Metodologia
  5. 5. Resultados • Fatos históricos e momentos cotidianos ocorridos na capital paulista durante a Revolução de 1932 compõem o tema da série de fotografias reunidas por Florençano. • Abaixo de cada fotografia, a maioria sem datação, Florençano fez anotações, de próprio punho, para identificar o evento a que se refere.
  6. 6. Resultados • As primeiras 22 fotografias apresentam comícios antes de 9 de julho de 1932. • As imagens refletem o momento de euforia, a exaltação da identidade regionalista e o engajamento à causa descritas nos livros. • Ao retratar as cerimônias de posse de secretários do governo provisório o autor (ou autores) das fotografias parece ser próximo das autoridades.
  7. 7. Resultados • Os enterros de Martins, Miragaia, Dráusio e Camargo são retratados no material. • Fatos relevantes, como a ocupação da Companhia Telefônica e os comícios na Faculdade de Direito, também foram registrados. • Diferentes batalhões envolvidos na revolta armada figuram em fotografias do álbum.
  8. 8. Resultados • A participação feminina na insurreição pode ser constatada numa sequencia de oito fotografias. • O luto é expresso em dez imagens que registram velórios e funerais. • Duas imagens chamam a atenção por documentarem a presença indígena no conflito.
  9. 9. Resultados • Um outro olhar...
  10. 10. Considerações Finais • Pôde-se observar que os eventos retratados no documento coincidem com a história oficial. • Os retratos são de episódios que ocorreram na capital paulista um pouco antes e depois de 9 de julho de 1932, mas não mostram o final do conflito ou cenas de batalha campal. • O álbum representa mais uma peça histórica que pode auxiliar pesquisadores e historiadores na compreensão da Revolução de 1932.
  11. 11. Agradecemos a atenção Por gentileza, sugestões e críticas E-mails: andre.gollner@aedu.com roberta.baldo@anhanguera.com

×