Já não sei em que data estamos.Nesta casa não há folhinhas e, emminha memória tudo está revolto.As coisas antigas foramdes...
Quando a família cresceu, metrocaram de quarto. Depois mepassaram a outro menor ,aindaacompanhada de minhas netas.Agora oc...
Um dia a tarde, me dei conta que        minha voz desapareceu. Quando        falo, meus filhos e meus netos não        me ...
O faço para que compreendam queestou enojada, para que venhamprocurar-me e me peçam perdão...Mas dia seguinte lhes disse: ...
Estive três dias chorando em meuquarto, até que numa certamanhã, um dos meninos entrou ajogar umas rodas velhas...Nem o bo...
Uma vez, os meninos vieramdizer-me que no dia seguinteiríamos todos ao campo.Fiquei muito feliz. Fazia tempoque não saía! ...
Quis arrumar as coisas comcalma. Nós, os velhos tardamosmuito, assim me ajeitei a tempopara não atrasá-los.Em pouco tempo,...
Eu já estava pronta e muito         alegre. Parei na porta e fiquei         esperando. Quando se         foram, compreendi...
E eu... Antes beijava osmeninos, me agradava tê-los nosbraços, como se fossem meus. Eaté cantava canções de berço quehavia...
Desde então, não me aproximei maisdeles. Tenho tanto medo decontagiá-los! Eu os bendigo a todose os perdôo, porque...    Q...
Formatação: Verarduin       Texto: Silvia        Castillejon     Imagens: Internetwww.mensagensvirtuais.com.br
O dia que me tornei invisivel
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

O dia que me tornei invisivel

1.279 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.279
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
318
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O dia que me tornei invisivel

  1. 1. Já não sei em que data estamos.Nesta casa não há folhinhas e, emminha memória tudo está revolto.As coisas antigas foramdesaparecendo, e eu também fuiapagando sem que ninguém sedesse conta.
  2. 2. Quando a família cresceu, metrocaram de quarto. Depois mepassaram a outro menor ,aindaacompanhada de minhas netas.Agora ocupo a edícula, no quintalde trás.Prometeram-me trocar o vidroquebrado da janela, mas seesqueceram. E nas noites, por alisopra um ventinho gelado queaumenta minhas dores reumáticas.
  3. 3. Um dia a tarde, me dei conta que minha voz desapareceu. Quando falo, meus filhos e meus netos não me respondem. Conversam sem olhar paraÀs vezes, digo algo, acreditando que com mim, como se eu não estivesse eles.apreciarão meus conselhos. Mas nãoolham, não me respondem.Então, me retiro para o meu canto antes determinar a caneca de café.
  4. 4. O faço para que compreendam queestou enojada, para que venhamprocurar-me e me peçam perdão...Mas dia seguinte lhes disse: No ninguém vem.-_Quando eu morrer, entãosim vão sentir minha falta.E meu neto perguntou:_Estás viva, vovó? (rindo-se)
  5. 5. Estive três dias chorando em meuquarto, até que numa certamanhã, um dos meninos entrou ajogar umas rodas velhas...Nem o bom dia me deu.Foi então quando me convenci deque sou invisível.
  6. 6. Uma vez, os meninos vieramdizer-me que no dia seguinteiríamos todos ao campo.Fiquei muito feliz. Fazia tempoque não saía! Fui a primeira a selevantar.
  7. 7. Quis arrumar as coisas comcalma. Nós, os velhos tardamosmuito, assim me ajeitei a tempopara não atrasá-los.Em pouco tempo, todos entravame saíam da casacorrendo, jogando bolsas ebrinquedos no carro.
  8. 8. Eu já estava pronta e muito alegre. Parei na porta e fiquei esperando. Quando se foram, compreendi que eu não estava convidada. Talvez porqueSenti como meu coração se encolhia, o não cabia no carro.queixo me tremia como alguém que tinhavontade de chorar.Eu os entendo. São jovens.Riem, sonham, se abraçam, se beijam.
  9. 9. E eu... Antes beijava osmeninos, me agradava tê-los nosbraços, como se fossem meus. Eaté cantava canções de berço quehavia esquecido. Mas um dia...minha neta acabava de ter um bebê. Me disse que não era bom que os velhos beijassem aos meninos por questões de saúde.
  10. 10. Desde então, não me aproximei maisdeles. Tenho tanto medo decontagiá-los! Eu os bendigo a todose os perdôo, porque... Que culpa eles têm, de que eu tenha me tornado invisível?
  11. 11. Formatação: Verarduin Texto: Silvia Castillejon Imagens: Internetwww.mensagensvirtuais.com.br

×