A flor que amava o            margluckall.blogspot.com                    Rolagem automática______________________________...
Havia uma flor à beira de um rio que se apaixonou pelo            mar.
Talvez por ouvir o sussurro das    águas do rio, que corriamansiosas para desembocarem na         sua imensidão,
passou a amar profundamenteaquele ser conhecido apenas      pelo ouvir falar do    vento e dos pássaros.
Apaixonou-se por alguém que nunca viu, mas sempre quis         estar junto;
de longe ouvia o canto ritmado  das ondas e imaginava-se       naqueles braços,
numa dança contínua da qual só os que têm em si muito amor       sabem o ir e vir.
Sonhava com odia em que pudesse estar envolvida por aquele tão admirado e imenso ser.
E sentiria suas pétalas acarinhadas por alguém que,certamente, lhe saberia a alma       de flor delicada.
Tanto sonhou e pediu que, um pássaro sensibilizado, mesmoavisando-lhe do risco que corria,atendeu seu pedido de cortar-lhe...
Seguindo o rio e deixando-se levar pela correnteza, iria aoencontro de seu querido e a ele   juntar-se-ia para sempre.
Caindo no rio, sentiu de   imediato seu corpo gelarnaquelas águas rudes e fortesque a arrastavam rapidamente.
A princípio, gostou daquelavelocidade com que ia ao seu           destino.
Depois sentiu a primeira mordida de um peixe que lhe amputou     parte de uma pétala;
começou, então, seu caminho      de sofrimento.
Troncos no meio do caminho   insistiam em lhe obstruir apassagem e, cega, sendo levada       pela força da água,
batia contra pedras que iam lhedilacerando e tirando sua beleza             de flor.
Enormes cachoeiras traziamquedas violentas. Medo vencidopor uma determinação de quem       sabe o que quer.
Mesmo quasedesmaiada e toda machucada, levava consigo o alento de ir   encontrar com seu amor.
Todas as dores do mundo nãose comparavam à felicidade de     realizar o seu sonho.
Tudo vale a pena quando        se ama.
Até que, muitos dias depois,totalmente deformada e quase  inconsciente, viu chegado o momento com o qual sonhou.
As águas do rio encontravam-se com o mar com tanto ímpeto      que, no encontro, foi    arremessada para cima.
Naquele exato instante, olhoupara o céu e agradeceu a Deuspor haver chegado a quem tanto             amou.
E seus pedaços boiaram inertes   sobre aquelas águas que,     minutos depois, sequerlembrariam daquela pequenina  criatura...
Poucos, além dos pássaros e do vento, souberam da flor,mas ela realizou seu sonho.      Conheceu o mar!
Na vida, não podemos reclamardos caminhos que escolhemos.
Qualquer caminho é uma opção           nossa.   Até morrer de amor.
Pensando nisso, entre duas lágrimas com gosto de sal e oesboço de um sorriso irônico, de repente, me dei conta de uma     ...
- Eu conheci o mar!
gluck.all@hotmail.com                                     visite o blog  Perfume de Coração•Texto e Formatação: Paulo More...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

A flor que amava

1.966 visualizações

Publicada em

1 comentário
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.966
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
672
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
1
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A flor que amava

  1. 1. A flor que amava o margluckall.blogspot.com Rolagem automática______________________________________perfume de coração
  2. 2. Havia uma flor à beira de um rio que se apaixonou pelo mar.
  3. 3. Talvez por ouvir o sussurro das águas do rio, que corriamansiosas para desembocarem na sua imensidão,
  4. 4. passou a amar profundamenteaquele ser conhecido apenas pelo ouvir falar do vento e dos pássaros.
  5. 5. Apaixonou-se por alguém que nunca viu, mas sempre quis estar junto;
  6. 6. de longe ouvia o canto ritmado das ondas e imaginava-se naqueles braços,
  7. 7. numa dança contínua da qual só os que têm em si muito amor sabem o ir e vir.
  8. 8. Sonhava com odia em que pudesse estar envolvida por aquele tão admirado e imenso ser.
  9. 9. E sentiria suas pétalas acarinhadas por alguém que,certamente, lhe saberia a alma de flor delicada.
  10. 10. Tanto sonhou e pediu que, um pássaro sensibilizado, mesmoavisando-lhe do risco que corria,atendeu seu pedido de cortar-lhe a haste.
  11. 11. Seguindo o rio e deixando-se levar pela correnteza, iria aoencontro de seu querido e a ele juntar-se-ia para sempre.
  12. 12. Caindo no rio, sentiu de imediato seu corpo gelarnaquelas águas rudes e fortesque a arrastavam rapidamente.
  13. 13. A princípio, gostou daquelavelocidade com que ia ao seu destino.
  14. 14. Depois sentiu a primeira mordida de um peixe que lhe amputou parte de uma pétala;
  15. 15. começou, então, seu caminho de sofrimento.
  16. 16. Troncos no meio do caminho insistiam em lhe obstruir apassagem e, cega, sendo levada pela força da água,
  17. 17. batia contra pedras que iam lhedilacerando e tirando sua beleza de flor.
  18. 18. Enormes cachoeiras traziamquedas violentas. Medo vencidopor uma determinação de quem sabe o que quer.
  19. 19. Mesmo quasedesmaiada e toda machucada, levava consigo o alento de ir encontrar com seu amor.
  20. 20. Todas as dores do mundo nãose comparavam à felicidade de realizar o seu sonho.
  21. 21. Tudo vale a pena quando se ama.
  22. 22. Até que, muitos dias depois,totalmente deformada e quase inconsciente, viu chegado o momento com o qual sonhou.
  23. 23. As águas do rio encontravam-se com o mar com tanto ímpeto que, no encontro, foi arremessada para cima.
  24. 24. Naquele exato instante, olhoupara o céu e agradeceu a Deuspor haver chegado a quem tanto amou.
  25. 25. E seus pedaços boiaram inertes sobre aquelas águas que, minutos depois, sequerlembrariam daquela pequenina criatura – um dia tão linda – Flor.
  26. 26. Poucos, além dos pássaros e do vento, souberam da flor,mas ela realizou seu sonho. Conheceu o mar!
  27. 27. Na vida, não podemos reclamardos caminhos que escolhemos.
  28. 28. Qualquer caminho é uma opção nossa. Até morrer de amor.
  29. 29. Pensando nisso, entre duas lágrimas com gosto de sal e oesboço de um sorriso irônico, de repente, me dei conta de uma coisa:
  30. 30. - Eu conheci o mar!
  31. 31. gluck.all@hotmail.com visite o blog Perfume de Coração•Texto e Formatação: Paulo Moreira•Música: Quando a gente ama – Oswaldo Montenegro•Imagens: Berenice Kauffmann Abud - Daniel Costa – Fernando Dinis – Inger Haga –J. Nan – Jaroslav Pavlovich - Jouko M. – Kostenko Anna – Nuno Milheiro – RalWaterman – Spivak – Vladimir Zakhartsev - Photoforum.com/Rússia – Google Picasa -Olhares.com/Portugal•Por favor, não altere ou modifique os créditos•www.mensagensvirtuais.com.br

×