SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 3
Baixar para ler offline
UNIVERSIDADE FEDERAL DE RORAIMA
INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS - IGEO
DEPARTAMENTO DE GEOLOGIA
PETROLOGIA SEDIMENTAR – GEO501
PROFESSOR: JACKSON DOUGLAS DA SILVA PAZ
EZEQUIAS GUIMARÃES
LATERITOS E IRONSTONES
Boa Vista, RR.
2018
TODA LATERITA É UM IRONSTONE?
O conjunto de rochas ricas em ferro, as quais envolvem laterita, ferricrete, ironstone,
entre outros se denomina canga (SUGUIO, 2003). Esse material constitui substrato com
características particulares em relação à formação de solos e desenvolvimento de plantas.
Apesar de o conceito supracitado definir laterita como rocha, ainda há muita discussão em
torno de esse assunto, sendo que muitas vezes a laterita é definida simplesmente como um
tipo de solo muito alterado com grande concentração de hidróxidos de ferro e alumínio.
Segundo Costa (2007) formações ferruginosas de natureza não-laterítica são muito
frequentes na Amazônia. São compostas essencialmente de oxi-hidroxidos de ferro e alumínio
(hematita e goethita), formando camadas, pseudoveios e bolsões isolados, sem apresentar as
características dos perfis lateríticos. Embora não sejam de origem laterítica, estas formações
podem ser encontradas dentro dos próprios perfis lateríticos.
São vários os tipos desses depósitos, porém as formações ferríferas bandadas e os
ironstones são, economicamente, os mais importantes. As primeiras formações restringem-se
ao Pré-cambriano e constituem as maiores reservas de ferro do globo terrestre. Os ironstones,
por sua vez, desenvolveram-se durante o Fanerozoico e foram expressivas fontes de ferro
(TUCKER, 2014).
Rochas ferruginosas (ironstones) não-lateríticas são encontradas no mundo inteiro, e
estas recebem o nome de pseudolateritos ou Grés do Pará / Pedra do Pará quando ocorrem na
Amazônia. As rochas ferruginosas não-lateríticas, tipo Grés do Pará, são normalmente
compostas de grânulos de quartzo na faixa de silte a seixos, em cimento marrom epigenético
de goethita e hematita. Essa rocha é consequentemente, densa e escura, representando siltitos,
arenitos, conglomerados, brechas, brechas de falhas, vênulas etc, ferruginizados (COSTA,
2007).
Outra diferença reside no fato que os processos intempéricos que deram origem aos
lateritos existentes hoje se iniciaram por volta de 35 Ma. atrás. Observa-se para essa faixa de
tempo geológico (Pleistoceno) uma transição nos níveis de oxigênio. Além disso, lateritos
podem ser formados a partir da lixiviação de rochas sedimentares (arenitos, argilas, calcários
etc), ou metamórficas (xistos, gnaisses, migmatitos etc), ou rochas ígneas (granitos, basaltos,
gabros, peridotites etc) sob condições tropicais, ou equivalentes (COSTA, 2007).
Outro problema que pode advim dessa conceituação é referente à tradução do termo
anglo-saxônico “ironstone” que em tradução literal poderia se referia a qualquer rocha que
contenha ferro, enquanto nem todo tipo de laterita possui essencialmente um alto teor de
ferro. Dessa forma pode-se concluir que uma laterita rica em ferro pode ser um ironstone.
REFERÊNCIAS
CONCEIÇÃO, D. A. Intemperismo na região da Serra do Tucano-RR. 2011. 27p.
Dissertação (Mestrado em Geociências) –– Universidade Federal do Amazonas - UFAM,
Manaus: 2011.
COSTA, M. L. Introdução ao intemperismo laterítico e a lateritização. In: Bandeira et al
(2007) (orgs) -Prospecção Geoquímica-Sociedade Brasileira de Geoquímica-SBGq, Rio de
Janeiro.
NICHOLS, G. Sedimentology and Stratigraphy. 2ª Ed. Reino Unido. Editora Wiley-
Blackwell, 2009. 419 p.
SGARBI, G. N. C. Petrografia macroscópica de rochas ígneas, sedimentares e
metamórficas. 2ª Ed. Belo Horizonte. Editora da UFMG, 2012. 632 p.
SUGUIO, K. Geologia Sedimentar. 1ª Ed. São Paulo. Editora Blucher, 2003. 400 p.
TUCKER, M. E. Rochas sedimentares: guia geológico de campo. Tradução: Rualdo
Menegat. 4ª Ed. Porto Alegre. Editora Bookman, 2014. 324 p.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Formação das rochas
Formação das rochasFormação das rochas
Formação das rochasguest8f5984
 
Rochas arquivos da história da Terra
Rochas arquivos da história da TerraRochas arquivos da história da Terra
Rochas arquivos da história da TerraIsabel Lopes
 
História da terra
História da terraHistória da terra
História da terranovaisdias
 
Conceitos fundamentais de geologia e geomorfologia
Conceitos fundamentais de geologia e geomorfologiaConceitos fundamentais de geologia e geomorfologia
Conceitos fundamentais de geologia e geomorfologiaAndérson Dias
 
Minerais E Rochas
Minerais E RochasMinerais E Rochas
Minerais E Rochasceama
 
Momento de estudo ciências isa r
Momento de estudo ciências isa rMomento de estudo ciências isa r
Momento de estudo ciências isa rveroleal
 
Estudo de geografia 6º ano – 3º trimestre – Novembro – 2012 – Prof.ª Ana ...
Estudo de geografia    6º ano – 3º trimestre – Novembro – 2012 – Prof.ª Ana  ...Estudo de geografia    6º ano – 3º trimestre – Novembro – 2012 – Prof.ª Ana  ...
Estudo de geografia 6º ano – 3º trimestre – Novembro – 2012 – Prof.ª Ana ...Luiza Collet
 
Estudo de geografia – 6º ano – 3º trimestre – Setembro 2012 – Prof.ª Ana Paula
Estudo de geografia – 6º ano – 3º trimestre – Setembro   2012 – Prof.ª Ana PaulaEstudo de geografia – 6º ano – 3º trimestre – Setembro   2012 – Prof.ª Ana Paula
Estudo de geografia – 6º ano – 3º trimestre – Setembro 2012 – Prof.ª Ana PaulaLuiza Collet
 
FóSseis Cristelo
FóSseis CristeloFóSseis Cristelo
FóSseis CristeloTânia Reis
 
Revisão parcial 6º ano 2º bimestre
Revisão parcial 6º ano   2º bimestreRevisão parcial 6º ano   2º bimestre
Revisão parcial 6º ano 2º bimestreRaphaell Garcia
 
Rochas - arquivos que relatam a história da Terra
Rochas - arquivos que relatam a história da TerraRochas - arquivos que relatam a história da Terra
Rochas - arquivos que relatam a história da TerraAna Castro
 
Geologia E Geomorfologia
Geologia E GeomorfologiaGeologia E Geomorfologia
Geologia E Geomorfologiaguestd20fb9
 

Mais procurados (20)

Universo
UniversoUniverso
Universo
 
Powerpoint Rochas
Powerpoint   RochasPowerpoint   Rochas
Powerpoint Rochas
 
Formação das rochas
Formação das rochasFormação das rochas
Formação das rochas
 
Agentes internos
Agentes internosAgentes internos
Agentes internos
 
Estruturas geológicas
Estruturas geológicasEstruturas geológicas
Estruturas geológicas
 
Rochas arquivos da história da Terra
Rochas arquivos da história da TerraRochas arquivos da história da Terra
Rochas arquivos da história da Terra
 
História da terra
História da terraHistória da terra
História da terra
 
Conceitos fundamentais de geologia e geomorfologia
Conceitos fundamentais de geologia e geomorfologiaConceitos fundamentais de geologia e geomorfologia
Conceitos fundamentais de geologia e geomorfologia
 
Minerais E Rochas
Minerais E RochasMinerais E Rochas
Minerais E Rochas
 
112
112112
112
 
Rochas Sedimentares
Rochas SedimentaresRochas Sedimentares
Rochas Sedimentares
 
Momento de estudo ciências isa r
Momento de estudo ciências isa rMomento de estudo ciências isa r
Momento de estudo ciências isa r
 
Estudo de geografia 6º ano – 3º trimestre – Novembro – 2012 – Prof.ª Ana ...
Estudo de geografia    6º ano – 3º trimestre – Novembro – 2012 – Prof.ª Ana  ...Estudo de geografia    6º ano – 3º trimestre – Novembro – 2012 – Prof.ª Ana  ...
Estudo de geografia 6º ano – 3º trimestre – Novembro – 2012 – Prof.ª Ana ...
 
Rochas igneas 5
Rochas igneas 5Rochas igneas 5
Rochas igneas 5
 
Aula metamorfismo
Aula metamorfismoAula metamorfismo
Aula metamorfismo
 
Estudo de geografia – 6º ano – 3º trimestre – Setembro 2012 – Prof.ª Ana Paula
Estudo de geografia – 6º ano – 3º trimestre – Setembro   2012 – Prof.ª Ana PaulaEstudo de geografia – 6º ano – 3º trimestre – Setembro   2012 – Prof.ª Ana Paula
Estudo de geografia – 6º ano – 3º trimestre – Setembro 2012 – Prof.ª Ana Paula
 
FóSseis Cristelo
FóSseis CristeloFóSseis Cristelo
FóSseis Cristelo
 
Revisão parcial 6º ano 2º bimestre
Revisão parcial 6º ano   2º bimestreRevisão parcial 6º ano   2º bimestre
Revisão parcial 6º ano 2º bimestre
 
Rochas - arquivos que relatam a história da Terra
Rochas - arquivos que relatam a história da TerraRochas - arquivos que relatam a história da Terra
Rochas - arquivos que relatam a história da Terra
 
Geologia E Geomorfologia
Geologia E GeomorfologiaGeologia E Geomorfologia
Geologia E Geomorfologia
 

Semelhante a Principais diferenças entre laterita e ironstones

A3 - classif. - Depositos Magmaticos.pdf
A3 - classif. - Depositos Magmaticos.pdfA3 - classif. - Depositos Magmaticos.pdf
A3 - classif. - Depositos Magmaticos.pdfFrancineSilva42
 
283743651-Apostila-de-pedologia-pdf.pdf
283743651-Apostila-de-pedologia-pdf.pdf283743651-Apostila-de-pedologia-pdf.pdf
283743651-Apostila-de-pedologia-pdf.pdfcarlospontes30
 
Ciclo das rochas 4
Ciclo das rochas 4Ciclo das rochas 4
Ciclo das rochas 4YagoVerling
 
formações Irati, Corumbataí, Botucatu e Marilia
formações Irati, Corumbataí, Botucatu e Mariliaformações Irati, Corumbataí, Botucatu e Marilia
formações Irati, Corumbataí, Botucatu e MariliaClara Souza
 
Aula 7 minerais e rochas
Aula 7   minerais e rochasAula 7   minerais e rochas
Aula 7 minerais e rochasRamonQuimico
 
Geologia da nossa região
Geologia da nossa regiãoGeologia da nossa região
Geologia da nossa regiãolittledoll6
 
Geo 12 preparação para o teste de avaliação
Geo 12   preparação para o teste de avaliaçãoGeo 12   preparação para o teste de avaliação
Geo 12 preparação para o teste de avaliaçãoNuno Correia
 
A estrutura da terra
A estrutura da terraA estrutura da terra
A estrutura da terraElô Steffens
 
Unidade 5 cap 1 processos de fomação das rochas
Unidade 5 cap 1 processos de fomação das rochasUnidade 5 cap 1 processos de fomação das rochas
Unidade 5 cap 1 processos de fomação das rochasISJ
 
Ap 2 rochas, arquivos da h da terra
Ap 2   rochas, arquivos da h  da terraAp 2   rochas, arquivos da h  da terra
Ap 2 rochas, arquivos da h da terraessg
 
Ap 2 rochas, arquivos da h da terra
Ap 2   rochas, arquivos da h  da terraAp 2   rochas, arquivos da h  da terra
Ap 2 rochas, arquivos da h da terraessg
 

Semelhante a Principais diferenças entre laterita e ironstones (20)

A3 - classif. - Depositos Magmaticos.pdf
A3 - classif. - Depositos Magmaticos.pdfA3 - classif. - Depositos Magmaticos.pdf
A3 - classif. - Depositos Magmaticos.pdf
 
283743651-Apostila-de-pedologia-pdf.pdf
283743651-Apostila-de-pedologia-pdf.pdf283743651-Apostila-de-pedologia-pdf.pdf
283743651-Apostila-de-pedologia-pdf.pdf
 
Ciclo das rochas 4
Ciclo das rochas 4Ciclo das rochas 4
Ciclo das rochas 4
 
formações Irati, Corumbataí, Botucatu e Marilia
formações Irati, Corumbataí, Botucatu e Mariliaformações Irati, Corumbataí, Botucatu e Marilia
formações Irati, Corumbataí, Botucatu e Marilia
 
Aula 7 minerais e rochas
Aula 7   minerais e rochasAula 7   minerais e rochas
Aula 7 minerais e rochas
 
Agentes internos lili
Agentes internos    liliAgentes internos    lili
Agentes internos lili
 
ciclodasrochas_2.doc
ciclodasrochas_2.docciclodasrochas_2.doc
ciclodasrochas_2.doc
 
Geologia da nossa região
Geologia da nossa regiãoGeologia da nossa região
Geologia da nossa região
 
Estudar p2-genese
Estudar p2-geneseEstudar p2-genese
Estudar p2-genese
 
Aula geologia 2
Aula geologia 2Aula geologia 2
Aula geologia 2
 
Geo 12 preparação para o teste de avaliação
Geo 12   preparação para o teste de avaliaçãoGeo 12   preparação para o teste de avaliação
Geo 12 preparação para o teste de avaliação
 
A estrutura da terra
A estrutura da terraA estrutura da terra
A estrutura da terra
 
Unidade 5 cap 1 processos de fomação das rochas
Unidade 5 cap 1 processos de fomação das rochasUnidade 5 cap 1 processos de fomação das rochas
Unidade 5 cap 1 processos de fomação das rochas
 
Pedologia 2008
Pedologia 2008Pedologia 2008
Pedologia 2008
 
Apostila geologia
Apostila geologiaApostila geologia
Apostila geologia
 
Solos aula 1
Solos   aula 1Solos   aula 1
Solos aula 1
 
Caverna em arenito toi
Caverna em arenito   toiCaverna em arenito   toi
Caverna em arenito toi
 
Q34
Q34Q34
Q34
 
Ap 2 rochas, arquivos da h da terra
Ap 2   rochas, arquivos da h  da terraAp 2   rochas, arquivos da h  da terra
Ap 2 rochas, arquivos da h da terra
 
Ap 2 rochas, arquivos da h da terra
Ap 2   rochas, arquivos da h  da terraAp 2   rochas, arquivos da h  da terra
Ap 2 rochas, arquivos da h da terra
 

Mais de Ezequias Guimaraes

VULNERABILIDADE NATURAL À CONTAMINAÇÃO DOS AQUÍFEROS DA SUB-BACIA DO RIO SIRI...
VULNERABILIDADE NATURAL À CONTAMINAÇÃO DOS AQUÍFEROS DA SUB-BACIA DO RIO SIRI...VULNERABILIDADE NATURAL À CONTAMINAÇÃO DOS AQUÍFEROS DA SUB-BACIA DO RIO SIRI...
VULNERABILIDADE NATURAL À CONTAMINAÇÃO DOS AQUÍFEROS DA SUB-BACIA DO RIO SIRI...Ezequias Guimaraes
 
MAPEAMENTO DE AQUÍFEROS NA CIDADE DE MANAUS
MAPEAMENTO DE AQUÍFEROS NA CIDADE DE MANAUSMAPEAMENTO DE AQUÍFEROS NA CIDADE DE MANAUS
MAPEAMENTO DE AQUÍFEROS NA CIDADE DE MANAUSEzequias Guimaraes
 
Geologia de Roraima - Bacia do Tacutu
Geologia de Roraima - Bacia do TacutuGeologia de Roraima - Bacia do Tacutu
Geologia de Roraima - Bacia do TacutuEzequias Guimaraes
 
A Eletricidade e suas Aplicações - Termoelétricas
A Eletricidade e suas Aplicações - TermoelétricasA Eletricidade e suas Aplicações - Termoelétricas
A Eletricidade e suas Aplicações - TermoelétricasEzequias Guimaraes
 
TV Series to improve your English
TV Series to improve your EnglishTV Series to improve your English
TV Series to improve your EnglishEzequias Guimaraes
 
Movie and Book - The Color Purple
Movie and Book - The Color PurpleMovie and Book - The Color Purple
Movie and Book - The Color PurpleEzequias Guimaraes
 
Proyecto para extracción de crudo
Proyecto para extracción de crudoProyecto para extracción de crudo
Proyecto para extracción de crudoEzequias Guimaraes
 
PLAN DE NEGOCIO - PLATAFORMA PETROLERA
PLAN DE NEGOCIO - PLATAFORMA PETROLERAPLAN DE NEGOCIO - PLATAFORMA PETROLERA
PLAN DE NEGOCIO - PLATAFORMA PETROLERAEzequias Guimaraes
 
PROYECTO DE UNA PLATAFORMA PETROLERA
PROYECTO DE UNA PLATAFORMA PETROLERA PROYECTO DE UNA PLATAFORMA PETROLERA
PROYECTO DE UNA PLATAFORMA PETROLERA Ezequias Guimaraes
 
PLAN MUNICIPAL DE DESARROLLO CELAYA 2012-2037
PLAN MUNICIPAL DE DESARROLLO CELAYA 2012-2037PLAN MUNICIPAL DE DESARROLLO CELAYA 2012-2037
PLAN MUNICIPAL DE DESARROLLO CELAYA 2012-2037Ezequias Guimaraes
 
METODO DE REDES - IMPACTO FINAL
METODO DE REDES - IMPACTO FINALMETODO DE REDES - IMPACTO FINAL
METODO DE REDES - IMPACTO FINALEzequias Guimaraes
 
CONTAMINANTES DEL SUELO - METALES PESADOS
CONTAMINANTES DEL SUELO - METALES PESADOSCONTAMINANTES DEL SUELO - METALES PESADOS
CONTAMINANTES DEL SUELO - METALES PESADOSEzequias Guimaraes
 
Fundamentos de aguas residuales - ABSORCIÓN
Fundamentos de aguas residuales - ABSORCIÓNFundamentos de aguas residuales - ABSORCIÓN
Fundamentos de aguas residuales - ABSORCIÓNEzequias Guimaraes
 

Mais de Ezequias Guimaraes (20)

VULNERABILIDADE NATURAL À CONTAMINAÇÃO DOS AQUÍFEROS DA SUB-BACIA DO RIO SIRI...
VULNERABILIDADE NATURAL À CONTAMINAÇÃO DOS AQUÍFEROS DA SUB-BACIA DO RIO SIRI...VULNERABILIDADE NATURAL À CONTAMINAÇÃO DOS AQUÍFEROS DA SUB-BACIA DO RIO SIRI...
VULNERABILIDADE NATURAL À CONTAMINAÇÃO DOS AQUÍFEROS DA SUB-BACIA DO RIO SIRI...
 
MAPEAMENTO DE AQUÍFEROS NA CIDADE DE MANAUS
MAPEAMENTO DE AQUÍFEROS NA CIDADE DE MANAUSMAPEAMENTO DE AQUÍFEROS NA CIDADE DE MANAUS
MAPEAMENTO DE AQUÍFEROS NA CIDADE DE MANAUS
 
Geologia de Roraima
Geologia de RoraimaGeologia de Roraima
Geologia de Roraima
 
Geologia de Roraima - Bacia do Tacutu
Geologia de Roraima - Bacia do TacutuGeologia de Roraima - Bacia do Tacutu
Geologia de Roraima - Bacia do Tacutu
 
Interface homem-maquina
Interface  homem-maquinaInterface  homem-maquina
Interface homem-maquina
 
A Eletricidade e suas Aplicações - Termoelétricas
A Eletricidade e suas Aplicações - TermoelétricasA Eletricidade e suas Aplicações - Termoelétricas
A Eletricidade e suas Aplicações - Termoelétricas
 
TV Series to improve your English
TV Series to improve your EnglishTV Series to improve your English
TV Series to improve your English
 
Movie and Book - The Color Purple
Movie and Book - The Color PurpleMovie and Book - The Color Purple
Movie and Book - The Color Purple
 
Political system of the USA
Political system of the USAPolitical system of the USA
Political system of the USA
 
TV Series Outlander
TV Series OutlanderTV Series Outlander
TV Series Outlander
 
Proyecto para extracción de crudo
Proyecto para extracción de crudoProyecto para extracción de crudo
Proyecto para extracción de crudo
 
BOOK - THE FOUR AGREEMENTS
BOOK - THE FOUR AGREEMENTS BOOK - THE FOUR AGREEMENTS
BOOK - THE FOUR AGREEMENTS
 
PLAN DE NEGOCIO - PLATAFORMA PETROLERA
PLAN DE NEGOCIO - PLATAFORMA PETROLERAPLAN DE NEGOCIO - PLATAFORMA PETROLERA
PLAN DE NEGOCIO - PLATAFORMA PETROLERA
 
PROYECTO DE UNA PLATAFORMA PETROLERA
PROYECTO DE UNA PLATAFORMA PETROLERA PROYECTO DE UNA PLATAFORMA PETROLERA
PROYECTO DE UNA PLATAFORMA PETROLERA
 
PLAN MUNICIPAL DE DESARROLLO CELAYA 2012-2037
PLAN MUNICIPAL DE DESARROLLO CELAYA 2012-2037PLAN MUNICIPAL DE DESARROLLO CELAYA 2012-2037
PLAN MUNICIPAL DE DESARROLLO CELAYA 2012-2037
 
METODO DE REDES - IMPACTO FINAL
METODO DE REDES - IMPACTO FINALMETODO DE REDES - IMPACTO FINAL
METODO DE REDES - IMPACTO FINAL
 
CONTAMINANTES DEL SUELO - METALES PESADOS
CONTAMINANTES DEL SUELO - METALES PESADOSCONTAMINANTES DEL SUELO - METALES PESADOS
CONTAMINANTES DEL SUELO - METALES PESADOS
 
LICENCIA DE FUNCIONAMIENTO
LICENCIA DE FUNCIONAMIENTOLICENCIA DE FUNCIONAMIENTO
LICENCIA DE FUNCIONAMIENTO
 
Vertederos Trapezoidales
Vertederos TrapezoidalesVertederos Trapezoidales
Vertederos Trapezoidales
 
Fundamentos de aguas residuales - ABSORCIÓN
Fundamentos de aguas residuales - ABSORCIÓNFundamentos de aguas residuales - ABSORCIÓN
Fundamentos de aguas residuales - ABSORCIÓN
 

Último

Relatório Meio Ambiente - Roberto . Iguaí
Relatório Meio Ambiente - Roberto . IguaíRelatório Meio Ambiente - Roberto . Iguaí
Relatório Meio Ambiente - Roberto . IguaíMarcelo Guerra
 
004170000101011 (1DDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDD8).pdf
004170000101011 (1DDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDD8).pdf004170000101011 (1DDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDD8).pdf
004170000101011 (1DDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDD8).pdfRenandantas16
 
3_E_reciclagem_DE_EMBALAGENS_PLASRICAS.ppt
3_E_reciclagem_DE_EMBALAGENS_PLASRICAS.ppt3_E_reciclagem_DE_EMBALAGENS_PLASRICAS.ppt
3_E_reciclagem_DE_EMBALAGENS_PLASRICAS.pptNormasAgenda
 
Catálogo de Produtos - GrandSol Aquecedores
Catálogo de Produtos - GrandSol AquecedoresCatálogo de Produtos - GrandSol Aquecedores
Catálogo de Produtos - GrandSol Aquecedoresdiogodidi3
 
deferido.PDF ENFIMDDSWWAEAEAWEAAEAAAEAEA
deferido.PDF ENFIMDDSWWAEAEAWEAAEAAAEAEAdeferido.PDF ENFIMDDSWWAEAEAWEAAEAAAEAEA
deferido.PDF ENFIMDDSWWAEAEAWEAAEAAAEAEAmjhordam
 
INTRODUÇÃO À COTONICULTURA - THAÍS MOREIRA.pptx
INTRODUÇÃO À COTONICULTURA - THAÍS MOREIRA.pptxINTRODUÇÃO À COTONICULTURA - THAÍS MOREIRA.pptx
INTRODUÇÃO À COTONICULTURA - THAÍS MOREIRA.pptxGeagra UFG
 
UFCD_5869_Gestão da Emergência_índice.pdf
UFCD_5869_Gestão da Emergência_índice.pdfUFCD_5869_Gestão da Emergência_índice.pdf
UFCD_5869_Gestão da Emergência_índice.pdfManuais Formação
 

Último (7)

Relatório Meio Ambiente - Roberto . Iguaí
Relatório Meio Ambiente - Roberto . IguaíRelatório Meio Ambiente - Roberto . Iguaí
Relatório Meio Ambiente - Roberto . Iguaí
 
004170000101011 (1DDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDD8).pdf
004170000101011 (1DDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDD8).pdf004170000101011 (1DDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDD8).pdf
004170000101011 (1DDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDD8).pdf
 
3_E_reciclagem_DE_EMBALAGENS_PLASRICAS.ppt
3_E_reciclagem_DE_EMBALAGENS_PLASRICAS.ppt3_E_reciclagem_DE_EMBALAGENS_PLASRICAS.ppt
3_E_reciclagem_DE_EMBALAGENS_PLASRICAS.ppt
 
Catálogo de Produtos - GrandSol Aquecedores
Catálogo de Produtos - GrandSol AquecedoresCatálogo de Produtos - GrandSol Aquecedores
Catálogo de Produtos - GrandSol Aquecedores
 
deferido.PDF ENFIMDDSWWAEAEAWEAAEAAAEAEA
deferido.PDF ENFIMDDSWWAEAEAWEAAEAAAEAEAdeferido.PDF ENFIMDDSWWAEAEAWEAAEAAAEAEA
deferido.PDF ENFIMDDSWWAEAEAWEAAEAAAEAEA
 
INTRODUÇÃO À COTONICULTURA - THAÍS MOREIRA.pptx
INTRODUÇÃO À COTONICULTURA - THAÍS MOREIRA.pptxINTRODUÇÃO À COTONICULTURA - THAÍS MOREIRA.pptx
INTRODUÇÃO À COTONICULTURA - THAÍS MOREIRA.pptx
 
UFCD_5869_Gestão da Emergência_índice.pdf
UFCD_5869_Gestão da Emergência_índice.pdfUFCD_5869_Gestão da Emergência_índice.pdf
UFCD_5869_Gestão da Emergência_índice.pdf
 

Principais diferenças entre laterita e ironstones

  • 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DE RORAIMA INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS - IGEO DEPARTAMENTO DE GEOLOGIA PETROLOGIA SEDIMENTAR – GEO501 PROFESSOR: JACKSON DOUGLAS DA SILVA PAZ EZEQUIAS GUIMARÃES LATERITOS E IRONSTONES Boa Vista, RR. 2018
  • 2. TODA LATERITA É UM IRONSTONE? O conjunto de rochas ricas em ferro, as quais envolvem laterita, ferricrete, ironstone, entre outros se denomina canga (SUGUIO, 2003). Esse material constitui substrato com características particulares em relação à formação de solos e desenvolvimento de plantas. Apesar de o conceito supracitado definir laterita como rocha, ainda há muita discussão em torno de esse assunto, sendo que muitas vezes a laterita é definida simplesmente como um tipo de solo muito alterado com grande concentração de hidróxidos de ferro e alumínio. Segundo Costa (2007) formações ferruginosas de natureza não-laterítica são muito frequentes na Amazônia. São compostas essencialmente de oxi-hidroxidos de ferro e alumínio (hematita e goethita), formando camadas, pseudoveios e bolsões isolados, sem apresentar as características dos perfis lateríticos. Embora não sejam de origem laterítica, estas formações podem ser encontradas dentro dos próprios perfis lateríticos. São vários os tipos desses depósitos, porém as formações ferríferas bandadas e os ironstones são, economicamente, os mais importantes. As primeiras formações restringem-se ao Pré-cambriano e constituem as maiores reservas de ferro do globo terrestre. Os ironstones, por sua vez, desenvolveram-se durante o Fanerozoico e foram expressivas fontes de ferro (TUCKER, 2014). Rochas ferruginosas (ironstones) não-lateríticas são encontradas no mundo inteiro, e estas recebem o nome de pseudolateritos ou Grés do Pará / Pedra do Pará quando ocorrem na Amazônia. As rochas ferruginosas não-lateríticas, tipo Grés do Pará, são normalmente compostas de grânulos de quartzo na faixa de silte a seixos, em cimento marrom epigenético de goethita e hematita. Essa rocha é consequentemente, densa e escura, representando siltitos, arenitos, conglomerados, brechas, brechas de falhas, vênulas etc, ferruginizados (COSTA, 2007). Outra diferença reside no fato que os processos intempéricos que deram origem aos lateritos existentes hoje se iniciaram por volta de 35 Ma. atrás. Observa-se para essa faixa de tempo geológico (Pleistoceno) uma transição nos níveis de oxigênio. Além disso, lateritos podem ser formados a partir da lixiviação de rochas sedimentares (arenitos, argilas, calcários etc), ou metamórficas (xistos, gnaisses, migmatitos etc), ou rochas ígneas (granitos, basaltos, gabros, peridotites etc) sob condições tropicais, ou equivalentes (COSTA, 2007). Outro problema que pode advim dessa conceituação é referente à tradução do termo anglo-saxônico “ironstone” que em tradução literal poderia se referia a qualquer rocha que
  • 3. contenha ferro, enquanto nem todo tipo de laterita possui essencialmente um alto teor de ferro. Dessa forma pode-se concluir que uma laterita rica em ferro pode ser um ironstone. REFERÊNCIAS CONCEIÇÃO, D. A. Intemperismo na região da Serra do Tucano-RR. 2011. 27p. Dissertação (Mestrado em Geociências) –– Universidade Federal do Amazonas - UFAM, Manaus: 2011. COSTA, M. L. Introdução ao intemperismo laterítico e a lateritização. In: Bandeira et al (2007) (orgs) -Prospecção Geoquímica-Sociedade Brasileira de Geoquímica-SBGq, Rio de Janeiro. NICHOLS, G. Sedimentology and Stratigraphy. 2ª Ed. Reino Unido. Editora Wiley- Blackwell, 2009. 419 p. SGARBI, G. N. C. Petrografia macroscópica de rochas ígneas, sedimentares e metamórficas. 2ª Ed. Belo Horizonte. Editora da UFMG, 2012. 632 p. SUGUIO, K. Geologia Sedimentar. 1ª Ed. São Paulo. Editora Blucher, 2003. 400 p. TUCKER, M. E. Rochas sedimentares: guia geológico de campo. Tradução: Rualdo Menegat. 4ª Ed. Porto Alegre. Editora Bookman, 2014. 324 p.