O slideshow foi denunciado.
Seu SlideShare está sendo baixado. ×

Aula02_CLI windows resumo.ppt

Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Próximos SlideShares
Folha N1.ppt
Folha N1.ppt
Carregando em…3
×

Confira estes a seguir

1 de 23 Anúncio

Mais Conteúdo rRelacionado

Mais recentes (20)

Anúncio

Aula02_CLI windows resumo.ppt

  1. 1. Quando olhamos para o ecrã de um PC a funcionar apenas com MS-DOS, podemos ver um indicativo – chamado prompt – que, normalmente, contém a letra da unidade em que nos encontramos; o mais habitual é: A:> Ou C:> Que indicam que nos encontramos, respectivamente, no disco C ou numa disquete na drive A. Para passarmos de uma unidade para outra, em MS-DOS, basta escrever a letra que indica a unidade pretendida, seguida de dois pontos, a teclar “ Enter”. C:>
  2. 2. - Ver conteúdo de directorias - criar directorias - Entrar / sair de directorias - Eliminar directorias - Eliminar uma árvore
  3. 3. Num sistema informático, a informação organiza-se em directorias e ficheiros, uma das operações mais necessárias e usuais é aquela que nos permite saber que ficheiros e directorias temos num disco, disquete ou CD em que estamos a trabalhar. O comando do MS-DOS que nos permite visualizar o conteúdo de uma directoria é o comando DIR. Dir c: Permite visualizar o conteúdo do disco c. Dir a: Permite visualizar o conteúdo disquete.
  4. 4. Dir/p O parâmetro /p é útil quando a listagem de uma directoria não cabe toda ao mesmo tempo no ecrã.
  5. 5. Dir/W O parâmetro /W faz com que o conteúdo da directoria apareça apenas com os nomes dos ficheiros e das directorias omitindo os números relativos aos bytes, datas e horas; isto permite dispor a informação de forma a ocupar menos espaço .
  6. 6. Dir/S O parâmetro /S dá-nos uma listagem de todos os ficheiros que se encontram na directoria corrente e em todas as suas directorias ou subdirectorias . Dir/S/p/WCombina os três parâmetros vistos anteriormente.
  7. 7. Para criar uma directoria temos o comando MD. Á frente do comando MD indica-se o nome da directoria que se pretende criar. MD <directoria> Exemplo: MD Turmas Sintaxe:
  8. 8. CD - C- Change; d- Directory O comando CD permite-nos passar de uma directoria para outra. Cd Turmas Exemplo: CD <directoria> Sintaxe:
  9. 9. Para voltar à directoria-mãe, ou seja, à directoria que se encontra imediatamente antes da directoria em que estamos no momento, usa-se o comando CD seguido de dois pontos (..) Para voltar á directoria raiz : CD.. CD
  10. 10. C: MD Turmas CD Turmas MD 10L MD 11B CD 10L MD Turno 1 MD Turno 2
  11. 11. Para eliminar uma directoria existente, o comando é RD. Á frente do comando RD indica- se o nome da directoria que se pretende eliminar. RD - R- Remove; d- Directory RD <directoria> Exemplo: Cd Turmas Rd 11 B
  12. 12. DELTREE - DEL- Delete; Tree- Deltree <directoria> Exemplo: Deltree c:turmas sintaxe
  13. 13. O comando TREE apresenta-nos uma visualização do diagrama de árvore ( tree ) das directorias existentes num disco ou disquete. É bastante útil para se ter uma visão global da estrutura de directorias do disco ou disquete em que se está a trabalhar. O comando TREE pode ser usado com o parâmetro /F, dando-nos também, nesse caso, a lista dos ficheiros existentes em cada directoria.
  14. 14. - Copiar ficheiros - Mover ficheiros - Renomear ficheiros - Apagar (eliminar) ficheiros - Alterar os atributos de um ficheiro
  15. 15. Para copiar ficheiros temos dois comandos: -COPY : comando interno; -XCOPY : comando externo. COPY <origem> <destino> Exemplo: Copy c:turmas10Lturno2Pitagoras.bmp c:Turmas11B Copy c:turmas10Lturno2Pitagoras.bmp a: sintaxe
  16. 16. O comando externo MOVE permite mover um ou mais ficheiros para outro local de destino (drive ou directoria). MOVE<origem> <destino> sintaxe Exemplo: Move c:turmas10Lturno2Pitagoras.bmp c:Turmas11B Move c:turmas10Lturno2Pitagoras.bmp a:
  17. 17. DEL - Delete Sintaxe DEL <origem> Del c:turmas10Lturno2Pitagoras.bmp Del c:turmas10Lturno1Folha n1.doc Exemplo:
  18. 18. REN - Rename Sintaxe REN <origem> Aula.bmp REN c:turmas10Lturno2Pitagoras.bmp aula.bmp Exemplo:
  19. 19. A- Archive- indicativo de arquivo; H- Hidden- indicativo de escondidos; R- Read-only- apenas de leitura; S- System- ficheiro de sistema. Em MD-DOS, os ficheiros podem ter associados certos atributos que podem modificar as suas propriedades, nomeadamente:
  20. 20. Attrib Sintaxe ATTRIB <origem> +r +h... Dir c:Turmas10LTurno 1 Exemplo: Attrib c:turmas10Lturno1Folha n1.doc + H Attrib c:turmas10Lturno2Pitágoras.bmp + R
  21. 21. Attrib Ver os atributos dos ficheiros que estão na raíz do disco duro
  22. 22. Exemplificando: se um ficheiro está marcado com o atributo R, esse ficheiro não pode ser apagado ou alterado por qualquer forma. Este atributo pode ter bastante interesse para proteger ficheiros contra apagamento ou alterações indevidas. O atributo H permite esconder um ficheiro, deixando de ser apresentado nas listagens de directorias, etc. O comando do MD-DOS que permite visualizar, conferir ou retirar atributos aos ficheiros é o comando ATTRIB.

×