SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 21
Baixar para ler offline
Universidade Federal da Paraíba
Beatriz Hellen C dos Santos
Diogo Dias da Silva
Gabryella Ferreira Carneiro
Maria Eduarda Lourenço de Amorim
Mayanne Gondim Freires
Indústria Petrolífera
Metodologia do Trabalho Científico
Professora: Veruska Araújo Silva
João Pessoa
2022
Contexto Histórico
-Origem do Petróleo
-Composição Química
-Para que serve?
Mercado
-O que é oferta e demanda?
-Consumo de Derivados
-Foco atual da Indústria de Petróleo
-Impactos da COVID-19
Crescimento da
Demanda e Preços
-Futuros preços do petróleo em
um cenário mundial
l
Conceitos de
reserva de Petróleo
01
03
02
04
05 -Estimativa de reservas e
recursos exauríveis
l
Cadeia Petroquímica
-Primeira, segunda e terceira
geração
l
Contexto
Histórico
01
Origem do
Petróleo
-Mistura complexa de compostos orgânicos
gerada pela decomposição de pequenos
animais marinhos;
-Esse combustível fóssil é encontrado no fundo
dos oceanos, bem como no solo, em rochas
sedimentares;
-Líquido escuro, viscoso, inflamável e menos
denso que a água;
-A formação do petróleo ocorre pela pressão da
água;
Contexto Histórico
-A indústria petrolífera surgiu em meados do século
XIX, quando foi desenvolvido o processo de
refinação do óleo na Escócia;
-No continente americano, o petróleo foi
primeiramente encontrado no Canadá e apenas no
ano de 1859, iniciou-se a produção nos Estados
Unidos;
Contexto Histórico
-Já aqui no Brasil, o petróleo foi encontrado em
1939, no estado da Bahia;
-No ano de 1954, a Petrobras institui o monopólio
estatal, passando a explorar o petróleo nacional e
em 2006, a Petrobras anunciou a existência do
pré-sal brasileiro, um campo petrolífero encontrado
abaixo de uma espessa camada de sal.
-A história do petróleo no Brasil pode ser dividida
em três fases distintas;
Composição Química
-O petróleo constitui uma mistura de hidrocarbonetos no seu estado
líquido;
-Carbono: 82%; Hidrogênio: 12%; Nitrogênio: 4%; Oxigênio: 1%; Sais:
0,5%; Metais: 0,5%
Para que serve?
-O petróleo é um combustível fóssil, empregado principalmente
para geração de energia pela facilidade com que seus
componentes sofrem combustão. O petróleo também é utilizado
como matéria-prima para inúmeros materiais que fazem parte do
nosso cotidiano;
MERCADO
02
IMPACTO NO
MERCADO
OFERTA
-Quantidade de um
determinado produto ou
serviço disponível para
venda.
DEMANDA
-Quantidade desse
determinado produto ou
serviço que o consumidor
deseja comprar.
-Quando a demanda é maior
que a oferta, os preços
sobem, pois os consumidores
tendem a pagar mais para
ter determinado produto ou
serviço. Por sua vez, quando
a oferta é maior que a
demanda do mercado, os
preços tendem a cair.
Consumo de Derivados
Ao longo da década de 2000, houve uma alta na demanda de
derivados do petróleo, que teve início nos mercados consumidores da
Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico
(OCDE) e com o passar do tempo, também chegou a países como
Brasil, China e Índia.
Foco atual da Indústria
A tecnologia tem possibilitado a exploração do petróleo como
fonte de energia não-convencional que causam impactos
positivos ao meio ambiente, e também tem um foco maior nas
ameaças ambientais dos próximos anos.
Impactos da COVID-19 na Indústria Petrolífera
●
Foram estimados vinte e oito atrasos de entrega das
FPSOs, por conta da proximidade dos estaleiros à China,
dentre eles, quinze seriam da Petrobrás.
Como anda o mercado atualmente?
●
A China não possui uma demanda aquecida pelo petróleo. A inflação está cada
vez maior, causando altas taxas de juros e colaborando com o medo de uma
recessão, especialmente na Europa e investimentos em novas produções fora
da OPEP estão cada vez mais fracos.
Crescimento dos
preços e demandas
03
Alta concorrência no
mercado; Teoria dos Recursos
Exauríveis;
Diminuição significante no
preço do petróleo; Pesquisas e estimativas
apontam que a demanda diária
por petróleo vai quadruplicar
até o final do século;
Cartel Sete Irmãs;
Consequências:
Criação da OPEP em 1960;
Aplicar medidas de reciclagem e
reutilização de produtos e estudar
novas fontes alternativas para
substituir o petróleo;
Futuros preços
do Petróleo:
Choques Petrolíferos;
Método de Custeio;
RESERVAS DE PETRÓLEO
04
CONCEITOS ESTIMATIVA
PROVADOS
NÃO
PROVADOS
OTIMISTA PESSIMISTA MELHOR
ESTIMATIVA
Possíveis Prováveis
Cadeia
Petroquímica
05
TERCEIRA
GERAÇÃO
PRIMEIRA
GERAÇÃO
-Produção de
petroquímicos básicos;
-Olefinas e Aromáticos;
SEGUNDA
GERAÇÃO
-Produção de resinas
termoplásticas e
intermediários;
-Produtos finais: PVC,
Poliestireno, ABS e etc.
-Empresas de
Transformação;
-Fornecem embalagens,
peças e utensílios para os
demais segmentos;
Obrigada pela atenção!
“Minha receita para enriquecer? Acorde cedo, trabalhe
muito, ache petróleo.”
-Paul Getty

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Indústria Petrolífera.pdf

O ocaso do petróleo como fonte de energia
O ocaso do petróleo como fonte de energiaO ocaso do petróleo como fonte de energia
O ocaso do petróleo como fonte de energiaFernando Alcoforado
 
Estratégia de Negócio - Petrobras
Estratégia de Negócio - PetrobrasEstratégia de Negócio - Petrobras
Estratégia de Negócio - Petrobrasdiogom1603
 
Produção e consumo dos combustíveis fosseis
Produção e consumo dos combustíveis fosseisProdução e consumo dos combustíveis fosseis
Produção e consumo dos combustíveis fosseisProfessor
 
áCido sulfúrico projeto (2)
áCido sulfúrico projeto (2)áCido sulfúrico projeto (2)
áCido sulfúrico projeto (2)Cacah Padoin
 
Produção e consumo dos combustíveis fosseis
Produção e consumo dos combustíveis fosseisProdução e consumo dos combustíveis fosseis
Produção e consumo dos combustíveis fosseisProfessor
 
A crise energética mundial
A crise energética mundialA crise energética mundial
A crise energética mundialJoemille Leal
 
A Geopolítica do Petróleo
A Geopolítica do PetróleoA Geopolítica do Petróleo
A Geopolítica do PetróleoLéo Miranda
 
A crise energética mundial
A crise energética mundialA crise energética mundial
A crise energética mundialJoemille Leal
 
Apresentação pré sal
Apresentação pré salApresentação pré sal
Apresentação pré salAna Lu Ribeiro
 
Unicamp 2 vestibular 2012 - prática de redação - gênero artigo de opinião -...
Unicamp 2   vestibular 2012 - prática de redação - gênero artigo de opinião -...Unicamp 2   vestibular 2012 - prática de redação - gênero artigo de opinião -...
Unicamp 2 vestibular 2012 - prática de redação - gênero artigo de opinião -...Katcavenum
 
Apresentação do Governo Federal: Marco Regulatório do Pré-sal
Apresentação do Governo Federal: Marco Regulatório do Pré-salApresentação do Governo Federal: Marco Regulatório do Pré-sal
Apresentação do Governo Federal: Marco Regulatório do Pré-salAloizio Mercadante
 
Organizações Reguladoras dos Principais Países Produtores de Petróleo e Gás N...
Organizações Reguladoras dos Principais Países Produtores de Petróleo e Gás N...Organizações Reguladoras dos Principais Países Produtores de Petróleo e Gás N...
Organizações Reguladoras dos Principais Países Produtores de Petróleo e Gás N...Junior Ozono
 
Energia Química no Cotidiano - Enem
Energia Química no Cotidiano - Enem  Energia Química no Cotidiano - Enem
Energia Química no Cotidiano - Enem Joelson Barral
 
09h10 1 fernanda delgado 23 08 pedra da gavea
09h10 1 fernanda delgado 23 08 pedra da gavea 09h10 1 fernanda delgado 23 08 pedra da gavea
09h10 1 fernanda delgado 23 08 pedra da gavea slides-mci
 
Corrida para o mar - os desafios tecnológicos e ambientais do pré-sal
Corrida para o mar -  os desafios tecnológicos e ambientais do pré-salCorrida para o mar -  os desafios tecnológicos e ambientais do pré-sal
Corrida para o mar - os desafios tecnológicos e ambientais do pré-salRobson Peixoto
 

Semelhante a Indústria Petrolífera.pdf (20)

O ocaso do petróleo como fonte de energia
O ocaso do petróleo como fonte de energiaO ocaso do petróleo como fonte de energia
O ocaso do petróleo como fonte de energia
 
Brasil energia
Brasil energiaBrasil energia
Brasil energia
 
Brasil energia
Brasil energiaBrasil energia
Brasil energia
 
Estratégia de Negócio - Petrobras
Estratégia de Negócio - PetrobrasEstratégia de Negócio - Petrobras
Estratégia de Negócio - Petrobras
 
Produção e consumo dos combustíveis fosseis
Produção e consumo dos combustíveis fosseisProdução e consumo dos combustíveis fosseis
Produção e consumo dos combustíveis fosseis
 
áCido sulfúrico projeto (2)
áCido sulfúrico projeto (2)áCido sulfúrico projeto (2)
áCido sulfúrico projeto (2)
 
Produção e consumo dos combustíveis fosseis
Produção e consumo dos combustíveis fosseisProdução e consumo dos combustíveis fosseis
Produção e consumo dos combustíveis fosseis
 
A crise energética mundial
A crise energética mundialA crise energética mundial
A crise energética mundial
 
A Geopolítica do Petróleo
A Geopolítica do PetróleoA Geopolítica do Petróleo
A Geopolítica do Petróleo
 
A crise energética mundial
A crise energética mundialA crise energética mundial
A crise energética mundial
 
petroleo
petroleopetroleo
petroleo
 
aula de geografia petróleo o ouro negro
aula de geografia petróleo o ouro negroaula de geografia petróleo o ouro negro
aula de geografia petróleo o ouro negro
 
Apresentação pré sal
Apresentação pré salApresentação pré sal
Apresentação pré sal
 
Unicamp 2 vestibular 2012 - prática de redação - gênero artigo de opinião -...
Unicamp 2   vestibular 2012 - prática de redação - gênero artigo de opinião -...Unicamp 2   vestibular 2012 - prática de redação - gênero artigo de opinião -...
Unicamp 2 vestibular 2012 - prática de redação - gênero artigo de opinião -...
 
Apresentação do Governo Federal: Marco Regulatório do Pré-sal
Apresentação do Governo Federal: Marco Regulatório do Pré-salApresentação do Governo Federal: Marco Regulatório do Pré-sal
Apresentação do Governo Federal: Marco Regulatório do Pré-sal
 
Organizações Reguladoras dos Principais Países Produtores de Petróleo e Gás N...
Organizações Reguladoras dos Principais Países Produtores de Petróleo e Gás N...Organizações Reguladoras dos Principais Países Produtores de Petróleo e Gás N...
Organizações Reguladoras dos Principais Países Produtores de Petróleo e Gás N...
 
Energia Química no Cotidiano - Enem
Energia Química no Cotidiano - Enem  Energia Química no Cotidiano - Enem
Energia Química no Cotidiano - Enem
 
09h10 1 fernanda delgado 23 08 pedra da gavea
09h10 1 fernanda delgado 23 08 pedra da gavea 09h10 1 fernanda delgado 23 08 pedra da gavea
09h10 1 fernanda delgado 23 08 pedra da gavea
 
Corrida para o mar - os desafios tecnológicos e ambientais do pré-sal
Corrida para o mar -  os desafios tecnológicos e ambientais do pré-salCorrida para o mar -  os desafios tecnológicos e ambientais do pré-sal
Corrida para o mar - os desafios tecnológicos e ambientais do pré-sal
 
Matrizes energéticas do brasil
Matrizes energéticas do brasilMatrizes energéticas do brasil
Matrizes energéticas do brasil
 

Último

CONCEITOS BÁSICOS DE CONFIABILIDADE COM EMBASAMENTO DE QUALIDADE
CONCEITOS BÁSICOS DE CONFIABILIDADE COM EMBASAMENTO DE QUALIDADECONCEITOS BÁSICOS DE CONFIABILIDADE COM EMBASAMENTO DE QUALIDADE
CONCEITOS BÁSICOS DE CONFIABILIDADE COM EMBASAMENTO DE QUALIDADEssusercc9a5f
 
treinamento de moldagem por injeção plástica
treinamento de moldagem por injeção plásticatreinamento de moldagem por injeção plástica
treinamento de moldagem por injeção plásticaleilannygaldino
 
apostila de eletricidade básica Werther serralheiro
apostila de eletricidade básica Werther serralheiroapostila de eletricidade básica Werther serralheiro
apostila de eletricidade básica Werther serralheirossuserd390f8
 
Planejamento e controle da Produção_Lustosa.pdf
Planejamento e controle da Produção_Lustosa.pdfPlanejamento e controle da Produção_Lustosa.pdf
Planejamento e controle da Produção_Lustosa.pdfssusercc9a5f
 
SEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptx
SEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptxSEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptx
SEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptxavaseg
 
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdfATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdftatebib346
 
Normas Técnicas para aparelho de solda oxi-acetileno.pdf
Normas Técnicas para aparelho de solda oxi-acetileno.pdfNormas Técnicas para aparelho de solda oxi-acetileno.pdf
Normas Técnicas para aparelho de solda oxi-acetileno.pdfAlexsandroRocha22
 
ST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsx
ST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsxST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsx
ST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsxmarketing18485
 

Último (8)

CONCEITOS BÁSICOS DE CONFIABILIDADE COM EMBASAMENTO DE QUALIDADE
CONCEITOS BÁSICOS DE CONFIABILIDADE COM EMBASAMENTO DE QUALIDADECONCEITOS BÁSICOS DE CONFIABILIDADE COM EMBASAMENTO DE QUALIDADE
CONCEITOS BÁSICOS DE CONFIABILIDADE COM EMBASAMENTO DE QUALIDADE
 
treinamento de moldagem por injeção plástica
treinamento de moldagem por injeção plásticatreinamento de moldagem por injeção plástica
treinamento de moldagem por injeção plástica
 
apostila de eletricidade básica Werther serralheiro
apostila de eletricidade básica Werther serralheiroapostila de eletricidade básica Werther serralheiro
apostila de eletricidade básica Werther serralheiro
 
Planejamento e controle da Produção_Lustosa.pdf
Planejamento e controle da Produção_Lustosa.pdfPlanejamento e controle da Produção_Lustosa.pdf
Planejamento e controle da Produção_Lustosa.pdf
 
SEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptx
SEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptxSEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptx
SEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptx
 
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdfATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
 
Normas Técnicas para aparelho de solda oxi-acetileno.pdf
Normas Técnicas para aparelho de solda oxi-acetileno.pdfNormas Técnicas para aparelho de solda oxi-acetileno.pdf
Normas Técnicas para aparelho de solda oxi-acetileno.pdf
 
ST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsx
ST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsxST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsx
ST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsx
 

Indústria Petrolífera.pdf

  • 1. Universidade Federal da Paraíba Beatriz Hellen C dos Santos Diogo Dias da Silva Gabryella Ferreira Carneiro Maria Eduarda Lourenço de Amorim Mayanne Gondim Freires Indústria Petrolífera Metodologia do Trabalho Científico Professora: Veruska Araújo Silva João Pessoa 2022
  • 2. Contexto Histórico -Origem do Petróleo -Composição Química -Para que serve? Mercado -O que é oferta e demanda? -Consumo de Derivados -Foco atual da Indústria de Petróleo -Impactos da COVID-19 Crescimento da Demanda e Preços -Futuros preços do petróleo em um cenário mundial l Conceitos de reserva de Petróleo 01 03 02 04 05 -Estimativa de reservas e recursos exauríveis l Cadeia Petroquímica -Primeira, segunda e terceira geração l
  • 4. Origem do Petróleo -Mistura complexa de compostos orgânicos gerada pela decomposição de pequenos animais marinhos; -Esse combustível fóssil é encontrado no fundo dos oceanos, bem como no solo, em rochas sedimentares; -Líquido escuro, viscoso, inflamável e menos denso que a água; -A formação do petróleo ocorre pela pressão da água;
  • 5. Contexto Histórico -A indústria petrolífera surgiu em meados do século XIX, quando foi desenvolvido o processo de refinação do óleo na Escócia; -No continente americano, o petróleo foi primeiramente encontrado no Canadá e apenas no ano de 1859, iniciou-se a produção nos Estados Unidos;
  • 6. Contexto Histórico -Já aqui no Brasil, o petróleo foi encontrado em 1939, no estado da Bahia; -No ano de 1954, a Petrobras institui o monopólio estatal, passando a explorar o petróleo nacional e em 2006, a Petrobras anunciou a existência do pré-sal brasileiro, um campo petrolífero encontrado abaixo de uma espessa camada de sal. -A história do petróleo no Brasil pode ser dividida em três fases distintas;
  • 7. Composição Química -O petróleo constitui uma mistura de hidrocarbonetos no seu estado líquido; -Carbono: 82%; Hidrogênio: 12%; Nitrogênio: 4%; Oxigênio: 1%; Sais: 0,5%; Metais: 0,5% Para que serve? -O petróleo é um combustível fóssil, empregado principalmente para geração de energia pela facilidade com que seus componentes sofrem combustão. O petróleo também é utilizado como matéria-prima para inúmeros materiais que fazem parte do nosso cotidiano;
  • 9. IMPACTO NO MERCADO OFERTA -Quantidade de um determinado produto ou serviço disponível para venda. DEMANDA -Quantidade desse determinado produto ou serviço que o consumidor deseja comprar. -Quando a demanda é maior que a oferta, os preços sobem, pois os consumidores tendem a pagar mais para ter determinado produto ou serviço. Por sua vez, quando a oferta é maior que a demanda do mercado, os preços tendem a cair.
  • 10. Consumo de Derivados Ao longo da década de 2000, houve uma alta na demanda de derivados do petróleo, que teve início nos mercados consumidores da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e com o passar do tempo, também chegou a países como Brasil, China e Índia. Foco atual da Indústria A tecnologia tem possibilitado a exploração do petróleo como fonte de energia não-convencional que causam impactos positivos ao meio ambiente, e também tem um foco maior nas ameaças ambientais dos próximos anos.
  • 11. Impactos da COVID-19 na Indústria Petrolífera ● Foram estimados vinte e oito atrasos de entrega das FPSOs, por conta da proximidade dos estaleiros à China, dentre eles, quinze seriam da Petrobrás.
  • 12. Como anda o mercado atualmente? ● A China não possui uma demanda aquecida pelo petróleo. A inflação está cada vez maior, causando altas taxas de juros e colaborando com o medo de uma recessão, especialmente na Europa e investimentos em novas produções fora da OPEP estão cada vez mais fracos.
  • 14. Alta concorrência no mercado; Teoria dos Recursos Exauríveis; Diminuição significante no preço do petróleo; Pesquisas e estimativas apontam que a demanda diária por petróleo vai quadruplicar até o final do século; Cartel Sete Irmãs; Consequências: Criação da OPEP em 1960; Aplicar medidas de reciclagem e reutilização de produtos e estudar novas fontes alternativas para substituir o petróleo; Futuros preços do Petróleo: Choques Petrolíferos; Método de Custeio;
  • 16. CONCEITOS ESTIMATIVA PROVADOS NÃO PROVADOS OTIMISTA PESSIMISTA MELHOR ESTIMATIVA Possíveis Prováveis
  • 18. TERCEIRA GERAÇÃO PRIMEIRA GERAÇÃO -Produção de petroquímicos básicos; -Olefinas e Aromáticos; SEGUNDA GERAÇÃO -Produção de resinas termoplásticas e intermediários; -Produtos finais: PVC, Poliestireno, ABS e etc. -Empresas de Transformação; -Fornecem embalagens, peças e utensílios para os demais segmentos;
  • 19.
  • 20.
  • 21. Obrigada pela atenção! “Minha receita para enriquecer? Acorde cedo, trabalhe muito, ache petróleo.” -Paul Getty