Anderson Cavalcante Andrea Venzke Camila Feitosa Diogo Torquato José Carneiro Rafael Coelho
1858  –  1941  O Petróleo no Brasil 1953  – Presidente Getúlio Vargas -  Lei intensa 2004, que estabeleceu o monopólio est...
Concorrentes <ul><li>Furto de Computadores - Dados estratégicos dos campos Tupis e Júpiter – empresa  Halliburton </li></u...
Maiores Exportadores de petróleo Maiores  Importadores de petróleo Exportadores / Importadores 1. Arábia Saudita (OPEP) 8,...
Fonte: Relatório anual Petrobrás, 2008/atualizado 2009
Camada pré-sal -  faixa de 800  Km entre ES e SC. 3  bacias sedimentares (Espírito Santo, Campos e Santos). Fonte: Relatór...
<ul><li>Atividades em 26 países </li></ul><ul><li>Mais de 7.000 empregados no exterior </li></ul>Atuação Internacional da ...
Evolução Financeira Desempenho 2008 <ul><li>Lucro Líquido 58% maior que 2007 </li></ul><ul><li>Aumento dos preços do Petró...
65,1 29,6 6,7 4,3 2,6 2,6 Plano de Investimentos  Distribuição por Segmento de Negócio Período  2008-12 US$ 112,4 bilhões ...
Valor de Mercado <ul><li>9 ª maior Cia de Petróleo do Mundo em valor de mercado;  </li></ul><ul><li>Queda de 60% das ações...
Análise SWOT ANÁLISE INTERNA ANÁLISE EXTERNA Presente Futuro PONTOS FORTES OPORTUNIDADES ANÁLISE INTERNA ANÁLISE EXTERNA P...
Estrutura Organizacional – Desenho Divisional
Estratégia Corporativa Desenvolver e liderar o mercado brasileiro de gás natural e atuar de forma integrada nos mercados d...
Visão 2020 e Missão  VISÃO 2020 Seremos uma das cinco maiores empresas integradas de energia do mundo e a preferida pelos ...
O Plano destaca a atuação com excelência operacional, em gestão, recursos humanos e tecnologia de acordo com as seguintes ...
<ul><li>  América do Sul no pré-sal : Participação da Argentina e demais países da AL. </li></ul><ul><li>Concorrentes do G...
DESAFIO: Tomada de decisão em ambiente de incertezas
Aspectos centrais na PEST Analysis   -  Opiniões de especialistas Influência sobre estratégia 1 a 5 ( Menor – Maior ) – Ma...
Analise Setorial Os novos entrantes Produtos Substitutos <ul><li>Estratégias de associação com a Petrobrás  </li></ul><ul>...
Vantagens competitivas <ul><li>Posição de mercado dominante na produção, refino e transporte de petróleo e seus derivados ...
<ul><li>Processo de Estratégia </li></ul><ul><li>Crescente produção com previsão de auto-suficiência associada à exportaçã...
<ul><li>Crescer e perpetuar  significa possuir um padrão competitivo tal que lhe permita manter-se constantemente melhor d...
Dúvidas
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Estratégia de Negócio - Petrobras

23.452 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

Estratégia de Negócio - Petrobras

  1. 1. Anderson Cavalcante Andrea Venzke Camila Feitosa Diogo Torquato José Carneiro Rafael Coelho
  2. 2. 1858 – 1941 O Petróleo no Brasil 1953 – Presidente Getúlio Vargas - Lei intensa 2004, que estabeleceu o monopólio estatal da pesquisa e lavra, refino e transporte do petróleo e seus derivados. Criou a Petróleo Brasileiro S.A. - Petrobras. 1963 – Monopólio no petróleo brasileiro foi ampliado, abraçando também as atividades de importação e exportação de petróleo e seus derivados. 1997 – Brasil no seleto grupo – 16 Países com mais de um milhão de barris/dia. 1997 – Lei n º 9.478 Atividades da indústria petrolífera à iniciativa privada. 1997 – ANP - Agência Nacional do Petróleo (ANP), encarregada de regular, contratar e fiscalizar as atividades do setor; Petrobras - livre competição, ampliando novas perspectivas de negócios e tendo maior autonomia empresarial. História do Petróleo no Brasil
  3. 3. Concorrentes <ul><li>Furto de Computadores - Dados estratégicos dos campos Tupis e Júpiter – empresa Halliburton </li></ul><ul><li>Petrobrás é a primeira petrolífera no mundo a atingir a chamada &quot;camada do Pré-Sal“. </li></ul><ul><li>O mercado do petróleo e seus derivados - OPEP (Organização dos Países Exportadores de Petróleo) </li></ul><ul><li>Corporações privadas de petróleo como a Exxon, Shell, British Petroleum, Elf Acquitaine, Total. </li></ul><ul><li>Abertura do setor de petróleo e gás natural no Brasil. </li></ul><ul><li>------------------------------------------------------- </li></ul><ul><ul><li>Processos licitatórios - Permissão para exploração de novas áreas de exploração e produção </li></ul></ul><ul><ul><li>Fornecimento – ainda há pouca concorrência. Outras empresas poderão transportar e distribuir produtos derivados do petróleo no Brasil. </li></ul></ul><ul><ul><li>Crescimento na concorrência na distribuição. </li></ul></ul><ul><ul><li>Misturam gasolina com solventes mais baratos </li></ul></ul><ul><ul><li>Segmentos de gás natural e energia, a Petrobras espera concorrer com outras empresas do setor. </li></ul></ul><ul><ul><li>Internacional enfrentará - Regiões nas quais já opera, incluindo o Golfo do México, África e Cone Sul. </li></ul></ul>
  4. 4. Maiores Exportadores de petróleo Maiores Importadores de petróleo Exportadores / Importadores 1. Arábia Saudita (OPEP) 8,6 2. Rússia 6,5 3. Noruega 2,5 4. Irã (OPEP) 2,5 5. Emirados Árabes Unidos (OPEP) 2,5 6. Venezuela (OPEP) 2,2 7. Kuwait (OPEP) 2,1 8. Nigéria (OPEP) 2,1 9. Algéria (OPEP) 1,8 10. México 1,6 11. Líbia (OPEP) 1,5 12. Iraque (OPEP) 1,4 13. Argélia (OPEP) 1,3 14. Cazaquistão 1,1 15. Canadá 1,0 1.   Estados Unidos 12,2 2.   Japão 5,0 3.   República Popular da China 3,4 4.   Alemanha 2,4 5.   Coreia do Sul 2,1 6.   França 1,8 7.   Índia 1,6 8.   Itália 1,5 9.   Espanha 1,5 10. Taiwan 0,942 11.   Países Baixos 0,936 12.   Singapura 0,787 13.   Tailândia 0,606 14.   Turquia 0,576 15.   Bélgica 0,546
  5. 5. Fonte: Relatório anual Petrobrás, 2008/atualizado 2009
  6. 6. Camada pré-sal - faixa de 800 Km entre ES e SC. 3 bacias sedimentares (Espírito Santo, Campos e Santos). Fonte: Relatório anual Petrobrás, 2008/atualizado 2009
  7. 7. <ul><li>Atividades em 26 países </li></ul><ul><li>Mais de 7.000 empregados no exterior </li></ul>Atuação Internacional da Petrobrás Visão Geral Fonte: Relatório anual Petrobrás, 2008/atualizado 2009 Houston Col ô mbia Argentina Angola Reino Unido EUA BRA Z IL Bol í via Rio de Janeiro Nig é ria Venezuela Equador Peru México Tanzânia Irã China Japão New York Urugua i L íbi a Turquia Cingapura Paraguai Moçambique Senegal Paquistão Portugal Índia Chile E&P COMERCIALIZAÇÃO SEDE ABASTECIMENTO G ÁS & ENERGIA ESCRITÓRIO DE REPRESENTAÇÃO
  8. 8. Evolução Financeira Desempenho 2008 <ul><li>Lucro Líquido 58% maior que 2007 </li></ul><ul><li>Aumento dos preços do Petróleo </li></ul>A agressiva revisão do Plano de Negócios da Petrobras para o período de 2009-2013 não foi bem digerida pela maior parcela dos especialistas Espera-se reação negativa das ações “ A geração de caixa está caindo“- Equipe de análise do Citi e da Link. Ativa - plano ousado. Difícil execução. Financiamento - O Unibanco, lado político. BNDES. Outro lado Banif - Aumento - Dobrar sua capacidade em 2015&quot;. Merrill Lynch – Petrobras. Uma das maiores petrolíferas no início de 2015. Projeto – Investimento de US$ 174,4 bilhões 2009/2013. 2008 a 2012 indicava US$ 112,4 bilhões. Plano de Negócios - período de 2009-2013
  9. 9. 65,1 29,6 6,7 4,3 2,6 2,6 Plano de Investimentos Distribuição por Segmento de Negócio Período 2008-12 US$ 112,4 bilhões E&P RTC G&E Petroquímica Distribuição Corporativo Biocombustível 1,5 <ul><li>US$ 65,1 bilhões destinados ao E&P: </li></ul>97,4 15,0 <ul><ul><li>Exploração: US$ 13,8 bilhões </li></ul></ul><ul><ul><li>Produção: US$ 51,3 bilhões </li></ul></ul>Fonte: Relatório anual Petrobrás, 2008/atualizado 2009
  10. 10. Valor de Mercado <ul><li>9 ª maior Cia de Petróleo do Mundo em valor de mercado; </li></ul><ul><li>Queda de 60% das ações </li></ul><ul><li>Expectativa envolvida no Pré-Sal </li></ul>Desempenho 2008 Expectativa 2009 <ul><li>Aumentar investimentos em Produção (de 2,4 milhões de barris diários, para 5,6 milhões de barris diários em 2020 ) </li></ul>
  11. 11. Análise SWOT ANÁLISE INTERNA ANÁLISE EXTERNA Presente Futuro PONTOS FORTES OPORTUNIDADES ANÁLISE INTERNA ANÁLISE EXTERNA Presente Futuro PONTOS FRACOS AMEAÇAS
  12. 12. Estrutura Organizacional – Desenho Divisional
  13. 13. Estratégia Corporativa Desenvolver e liderar o mercado brasileiro de gás natural e atuar de forma integrada nos mercados de gás e energia elétrica com foco na América do Sul Expandir a atuação integrada em refino, comercialização, logística e distribuição com foco na Bacia do Atlântico Atuar, globalmente, na comercialização e logística de biocombustíveis, liderando a produção nacional de biodiesel e ampliando a participação no negócio de etanol Ampliar a atuação em petroquímica no Brasil e na América do Sul, de forma integrada com os demais negócios do Sistema PETROBRAS Crescer produção e reservas de petróleo e gás, de forma sustentável, e ser reconhecida pela excelência na atuação em E&P Ampliar a atuação nos mercados-alvo de petróleo, derivados, petroquímico, gás e energia, biocombustíveis e distribuição, sendo referência mundial como uma empresa integrada de energia Comprometimento com o desenvolvimento sustentável Gás & Energia E&P Downstream (RTC) Distribuição Petroquímica Biocombustíveis Excelência operacional, em gestão, recursos humanos e tecnologia Crescimento Integrado Rentabilidade Responsabilidade Social e Ambiental Estratégia Corporativa Estratégias por Segmento de Negócio
  14. 14. Visão 2020 e Missão VISÃO 2020 Seremos uma das cinco maiores empresas integradas de energia do mundo e a preferida pelos nossos públicos de interesse MISSÃO Atuar de forma segura e rentável, com responsabilidade social e ambiental, nos mercados nacional e internacional, fornecendo produtos e serviços adequados às necessidades dos clientes e contribuindo para o desenvolvimento do Brasil e dos países onde atua.
  15. 15. O Plano destaca a atuação com excelência operacional, em gestão, recursos humanos e tecnologia de acordo com as seguintes estratégias: Plano Estratégico Petrobrás 2020 • Exploração e Produção • Downstream e distribuição • Petroquímica • Gás e Energia • Biocombustíveis
  16. 16. <ul><li>  América do Sul no pré-sal : Participação da Argentina e demais países da AL. </li></ul><ul><li>Concorrentes do Gás da Bolívia – Bolívia, Argentina, Chile. Brasil </li></ul><ul><li>Rejeição da OPEP . – Nova era pós pré sal. “O mercado futuro decide mais do que a OPEP&quot;. </li></ul><ul><li>Petróleo e gás natural: as &quot;novas sete irmãs”. </li></ul><ul><ul><li>- As Irmãs originais - ExxonMobil e Chevron, dos EUA, e BP e Royal Dutch Shell, da Europa&quot;. </li></ul></ul><ul><ul><li>As &quot;novas sete irmãs&quot;, apontadas por executivos do setor consultados pelo jornal, são: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>1) Aramco, Arábia Saudita; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>2) Gazprom, Rússia; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>3) CNPC, China; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>4) NIOC, Irã; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>5) PDVSA, Venezuela; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>6) Petrobras, Brasil; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>7) Petronas, Malásia. </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Novas Irmãs – 1/3 produção mundial de petróleo e gás e mais de 1/3 reservas totais de petróleo e gás. </li></ul></ul><ul><li>PETROBRAS recorre ao STF para driblar cobranças do TCU. </li></ul><ul><li>Desde 1995, o STF permite à estatal adotar processos simplificados de licitação. </li></ul>Influências.
  17. 17. DESAFIO: Tomada de decisão em ambiente de incertezas
  18. 18. Aspectos centrais na PEST Analysis - Opiniões de especialistas Influência sobre estratégia 1 a 5 ( Menor – Maior ) – Macro ambiente Político – De 2 para 4 Econômico – De 1 para 3 <ul><li>Aproximação do período das eleições para </li></ul><ul><li>presidência (2010) e na troca de Governo </li></ul><ul><li>Com frequência, ministros do STF têm atendido a pedidos da empresa, </li></ul><ul><li>CPI </li></ul><ul><li>Possíveis alterações no regime tributário/ fiscal </li></ul><ul><li>nacional e estadual. </li></ul><ul><li>Política de superávit primário. </li></ul><ul><li>Contingenciando de recursos. </li></ul><ul><li>Política de metas de inflação que influencia </li></ul><ul><li>diretamente o desempenho da Petrobras. </li></ul>Socio-Cultural – De 1 para 3 Tecnológico – De 1 para 3 <ul><li>O aspecto ambiental; as ações conjuntas entre </li></ul><ul><li>MME, ANP e Instituto Brasileiro de Meio </li></ul><ul><li>Ambiente – Ibama vem minimizando o potencial </li></ul><ul><li>deste aspecto sobre a dimensão social no </li></ul><ul><li>segmento. </li></ul><ul><li>Pressões por melhores condições de segurança, </li></ul><ul><li>Aumento de salários globalizados e atuação </li></ul><ul><li>Socialmente responsável. </li></ul><ul><li>Maior probabilidade de descobertas de reservas em águas profundas e ultraprofundas, o que implica </li></ul><ul><li>em projetos de alta complexidade, vultosos </li></ul><ul><li>investimentos, altos riscos e maior capacidade de </li></ul><ul><li>investimento do operador. </li></ul><ul><li>Desafio de colocar em operação campos com </li></ul><ul><li>petróleo com elevado grau API. </li></ul><ul><li>Necessidade de altos investimentos em P&D. </li></ul>
  19. 19. Analise Setorial Os novos entrantes Produtos Substitutos <ul><li>Estratégias de associação com a Petrobrás </li></ul><ul><li>A expertise em águas profundas e a forte integração vertical da Petrobras e as características do offshore brasileiro se constituem em forte barreira a entrada. </li></ul><ul><li>Entrada como operador isolado. </li></ul><ul><li>Tentativa de integração vertical </li></ul><ul><li>(Repsol, Shell, Chevron, Ipiranga) </li></ul><ul><li>Biocombustíveis (caráter complementar) – Mistura do álcool hidratado a gasolina e inserção do biodiesel ao diesel na proporção de 2%. </li></ul><ul><li>O hidrogênio é apontado pelos especialistas como um substituto provável (médio e longo prazo). </li></ul><ul><li>Cenário de aquecimento global e risco de depleção das reservas mundiais. </li></ul>Fornecedores Compradores <ul><li>A exigência de conteúdo mínimo nacional nos </li></ul><ul><li>certames licitatórios da ANP, favorece os </li></ul><ul><li>Fornecedores locais. </li></ul><ul><li>O nível de colaboração entre operadores e </li></ul><ul><li>contratistas (fornecedores) é cada vez maior em </li></ul><ul><li>função da complexidade dos projetos vinculando o rendimento de seus negócios. </li></ul><ul><li>O petróleo e o gás produzido por questões logísticas favorece a compradora majoritária -Petrobras. </li></ul><ul><li>O óleo que interessa a compradora, em função das características do parque de refino é o do tipo leve que ainda não é produzido por outros operadores no país. </li></ul>
  20. 20. Vantagens competitivas <ul><li>Posição de mercado dominante na produção, refino e transporte de petróleo e seus derivados no Brasil. </li></ul><ul><li>Base de reservas significativa e crescente; </li></ul><ul><ul><ul><li>Reservas Provadas possibilitarão oportunidades para crescimento de produção duradouro e sustentável; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Substituindo o petróleo bruto leve importado pela produção de reservas de petróleo bruto mais leve recém-descobertas; </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Controlar suas despesas no futuro, permitindo economias de escala. </li></ul></ul><ul><li>Avançado conhecimento tecnológico para exploração em águas profundas. </li></ul><ul><li>Custos reduzidos em decorrência de suas operações serem realizadas em larga escala e da integração de seus segmentos de atuação; </li></ul><ul><li>Provado sucesso em atrair parceiros internacionais para todos os ramos de atividade. </li></ul>
  21. 21. <ul><li>Processo de Estratégia </li></ul><ul><li>Crescente produção com previsão de auto-suficiência associada à exportação e a nova era. </li></ul><ul><li>Produz a “ estratégia realizada”. </li></ul><ul><li>Estratégia competitiva Genérica </li></ul><ul><li>Diferenciação por qualidade : Maior confiabilidade </li></ul><ul><li>Diferenciação desempenho : Por um produto de preço comparável aos concorrentes. </li></ul><ul><li>Diferenciação por imagem : Referência em tecnologia e competência técnica ante aos concorrentes. </li></ul>Estratégia – Escola Empreendedora
  22. 22. <ul><li>Crescer e perpetuar significa possuir um padrão competitivo tal que lhe permita manter-se constantemente melhor do que os concorrentes. </li></ul><ul><li>Manutenção das vantagens competitivas , com foco na capacidade de adaptar-se à mudança, na flexibilidade e no aprendizado organizacional. </li></ul><ul><li>Diminuir a interferência: política de superávit primário diverge da diretriz de manter a auto-suficiência;. </li></ul><ul><li>Equilibrar as estratégias das operadoras/ diretrizes do Governo: exportação de óleo mesmo o país não havendo atingido a auto-suficiência. </li></ul><ul><li>Petrobras, que descobriu o petróleo do pré-sal, deve planejar a sua exploração. Não deve deixar essa iniciativa para o chamado livre mercado. </li></ul><ul><li>Manter a visão do líder – Mais técnico que político. </li></ul>Conclusão
  23. 23. Dúvidas

×