Abuso de Animais no Circo
OS ELEFANTES NUNCA ESQUECEM
Ana Rita Nascimento – nº31941
Docente: Alda Correia
Método de Trabal...
2
Abuso de animais selvagens existe realmente na nossa sociedade e, todos os dias, esses
animais são maltratados. Não quer...
3
se podem mover. Devido a essa sobrecarga de stress, em Agosto de 1994 no Havai, um
treinador de elefantes foi morto dura...
4
nós assistir a espectáculos circenses em que sabemos que aqueles animais que fazem todos
aqueles fantásticos truques são...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Abuso de animais no circo

779 visualizações

Publicada em

Publicada em: Estilo de vida
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
779
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Abuso de animais no circo

  1. 1. Abuso de Animais no Circo OS ELEFANTES NUNCA ESQUECEM Ana Rita Nascimento – nº31941 Docente: Alda Correia Método de Trabalho Científico – 2010/2011
  2. 2. 2 Abuso de animais selvagens existe realmente na nossa sociedade e, todos os dias, esses animais são maltratados. Não queremos acreditar que os animais sejam maltratados para que façam todos os truques que vemos com as nossas famílias quando visitamos os circos que, todos os anos, se instalam nas nossas cidades. Apenas vemos o que querem que vejamos, escondendo de todos nós, o que se passa nos locais de treino destes indefesos animais, como são tratados e ao que são submetidos quando são obrigados a aprender certos e determinados exercícios para mostrar ao público no espectáculo seguinte. A violência e a intimidação fazem parte da vida de todos os animais que vemos actuar no circo. Ursos, elefantes, tigres e outros animais não actuam por sua própria vontade mas por medo do que lhes pode acontecer se não obedecerem à voz do seu treinador1 . Quando actuam, alguns animais ficam feridos, como é o caso dos leões ou tigres que saltam por entre um arco em chamas. Esses animais chegam a ficar com queimaduras no seu corpo e, a maioria deles, não tem sequer assistência veterinária. Durante os treinos, os treinadores sustêm arpões e colocam nos animais coleiras de metal apertadas, usando muitas vezes choques eléctricos quando o animal não cede aos seus mandos. Tal é o maltrato que os animais chegam a sangrar em pleno treino. Mas não é apenas nos treinos diários que estes infelizes animais sofrem. A vida de um circo é uma vida nómada. Um circo apenas pára para dar espectáculos em certo local e, dias depois, estará de novo de volta à estrada, em caminho de outro local. Durante as transportações, os animais estão confinados a jaulas nas quais mal de posem mexer e é lá que comem, dormem e defecam. Tudo no mesmo local, não deixando de referir que muitos deles são submetidos a altíssimas (ou baixíssimas) temperaturas durante as viagens e nunca são soltos para poderem ter uns minutos de liberdade da sua jaula. Estes são obrigados a ficar presos durante horas. Muitos animais já morreram devido a altas ou baixas temperaturas durante a sua transportação. Todas estas más condições para os animais leva os próprios a situações de stress, que poderão descarregar nos seus treinadores durante um qualquer espectáculo, altura em que 1 “Circuses.” Peta. 23 de Novembro de 2010.
  3. 3. 3 se podem mover. Devido a essa sobrecarga de stress, em Agosto de 1994 no Havai, um treinador de elefantes foi morto durante um espectáculo, em frente a dezenas de espectadores que assistiam. O elefante acabou por fugir do recinto circense, correndo pelas ruas da cidade de Honolulu, até ser sido abatida pela polícia com quase cem balas2 . Os circos são perigosos tanto para os animais como para as pessoas que assistem uma vez que mesmo as pequenas voltas que as crianças dão em cima dos elefantes, durante os intervalos do espectáculo, as põe em alto risco. Desde 1985, mais de 150 pessoas foram mortas ou ficaram brutalmente feridas por elefantes em cativeiro que quebraram as suas correntes ou escaparam dos seus treinadores3 . Para além do stress causado nestes animais, o circo quebra as leis da Natureza, ao separar, por exemplo, os elefantes, criaturas estas que vivem socialmente na sua vida selvagem, das suas pequenas crias. Os elefantes caminham vários quilómetros em grupo todos os dias fora de cativeiro mas, nos circos, os elefantes têm duas das suas patas acorrentadas sem sequer poderem dar um passo em frente, apenas o podem fazer durante os espectáculos. Felizmente, este assunto ganhou importância ao longo dos anos mas, mesmo assim, há animais que continuam a ser torturados para o nosso próprio prazer4 . O circo pode ser também divertido sem o uso de animais nos espectáculos. Podemos ver os casos de famosos circos como o Cirque du Soleil e o Cirque Éloize5 . Os seus espectáculos são apenas constituídos de actuações com acrobatas, contorcionistas, palhaços, malabaristas, equilibristas, trapezistas, entre outros. A sociedade pode achar que um circo sem animais é um circo sem toda aquela alma de que estão habituados a ver desde a sua infância. Mas preferimos 2 “Circuses: Three Rings of Abuse”. Mercy For Animals 3 “The Circus: It’s modern slavery”. Idausa 4 Ibdem. 5 “Circuses.” Peta. 23 de Novembro de 2010.
  4. 4. 4 nós assistir a espectáculos circenses em que sabemos que aqueles animais que fazem todos aqueles fantásticos truques são maltratados pelos seus treinadores, animais assustados de tudo o que os rodeia em vez de assistirmos a circos onde a inteligência e capacidade humana é posta à prova? Os animais não podem dizer “não” ao que são obrigados a fazer. Desta forma, assistamos nós à sua vontade de viver em liberdade e digamos nós “não” por eles. E teremos de nós lembrar que “os elefantes não esquecem”, nem perdoam. Bibliografia “Circuses: Three Rings of Abuse”. Mercy For Animals < www.mercyforanimals.org/5outrage03.html > “The Circus: It’s modern slavery”. Idausa. < www.idausa.org/campaigns/animal_ent/circuses/circus.html > “Circuses.” Peta. < www.peta.org/issues/animals-in-entertainment/Circuses.aspx > “Circuses: Three Rings of Abuse”. Mercy For Animals < www.mercyforanimals.org/5outrage03.html > Ojeda, Auriana. The Rights of Animals. San Diego, CA. Greenhaven Press 2004.

×