UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL        FACULDADE DE BIBLIOTECONOMIA E COMUNICAÇÃO          DEPARTAMENTO DE CIÊNC...
2                     Daiane Barrili dos Santos                     Gonzalo Rubén Alvarez                         Fernanda...
3                                    LISTA DE QUADROSQuadro 1 - Objetivos específicos X Questões do instrumento de coleta ...
4                                                       LISTA DE TABELASTabela 1 - Semestre dos usuários da biblioteca.......
5                                                      LISTA DE GRÁFICOSGráfico 1 - Semestre dos usuários da biblioteca......
6                                                SUMÁRIO1       INTRODUÇÃO...................................................
75.5       PLANO DE ANÁLISE DOS DADOS.................................................           335.6       LIMITAÇÕES DO...
81 INTRODUÇÃO        O conhecimento dos usuários de uma unidade de informação permitetrabalhar na melhoria e qualidade dos...
9atende às expectativas e quais os motivos que levam os usuários a freqüentá-la.       A escolha da biblioteca Gládis Wieb...
101.2.1 Missão da biblioteca       Segundo Stoner e Freeman (1982) a declaração da missão é um objetivoamplo da organizaçã...
11usuários, isto é, atendendo à comunidade acadêmica e em geral.1.2.4 Estrutura Organizacional       A estrutura organizac...
12preço. Todo o processo de compra e licitação para as bibliotecas do sistema écoordenado pela Biblioteca Central da UFRGS...
13      Publicação Eletrônica de Teses e Dissertações, desenvolvido pelo      IBICT – Instituto Brasileiro de Informação e...
14da Rosa da Silva.      Auxiliares: 2 bolsistas.   c) Divisão de circulação da informaçãoSeção de Circulação e Comutação ...
15             Esclarecimento de dúvidas enviadas por e-mail;             Pesquisa e localização de material bibliográfi...
16       Empréstimo domiciliar:          É permitido aos alunos, professores e técnicos administrativos,              som...
17             Para quem tem vínculo com a UFRGS: empréstimo por três horas ou               empréstimo à noite, a partir...
18        A biblioteca da Faculdade de Ciências Econômicas da UFRGS utiliza para arealização do processamento técnico das ...
19novo curso de graduação em Relações Internacionais e, em 2007, mais um novocurso    de      graduação   tecnológico   so...
20      Ciências Contábeis;      Ciências Econômicas;      Ciências Atuariais;      Relações Internacionais;      Pla...
212 OBJETIVOS        Apresentam-se o objetivo geral e os específicos que fundamentam a propostadeste trabalho de pesquisa....
223 DEFINIÇÃO OPERACIONALIZAÇÃO DOS TERMOS       Com a finalidade de um bom entendimento dos termos empregados defini-sede...
23Frequência: é a quantidade de vezes que o usuário vai à biblioteca em umdeterminado espaço de tempo.Necessidade de infor...
24tradução nossa) o uso da informação é “[...] aquilo que um indivíduo aplicaefetivamente a algo imediato e concreto.” Par...
254 REFERENCIAL TEÓRICO        Para a realização deste estudo de usuários da biblioteca Gládis Wiebbellingdo Amaral da Fac...
26        Enquanto Rostirolla (2006, p. 28)diz que :                     A biblioteca universitária é entendida como organ...
274.1.1 Bibliotecas especializadas        As bibliotecas especializadas têm como função disponibilizar a informação deform...
28usuários que precisam das informações para continuar com seu desenvolvimento anível organizacional.        Segundo o dic...
29                     [...] o conjunto de estudos que tratam de analisar qualitativa e                     quantitativame...
30                    e diferenciar as características, os interesses, as necessidades e os hábitos                    de ...
315 METODOLOGIA        Na continuação será apresentada a metodologia empregada nesta atividadede estudo, visando atender o...
32         O instrumento de coleta de dados foi um questionário misto: fechado comopções e aberto. Distribuídos de forma i...
33        A coleta dos dados foi realizada     através dos questionários impressos. Adistribuição e coleta de dados ocorre...
346 PREVISÃO DE RECURSOS         Leme (2011, p.96) afirma que: “[ . . . ] prever é essencial desde que desejemos cuidar so...
35         a) lápis e canetas;         b) papel para rascunho;         c) papel tipo A4, para questionário e relatório fin...
367 ANÁLISE DOS DADOS        O presente trabalho estrutura-se com base na análise da identificação dosmotivos que levam os...
37                      Tabela 1 – Semestre dos usuários da biblioteca                        SEMESTRE           N. DE ALU...
38                  Tabela 2 – Sexo dos usuários da unidade de informação                            SEXO                 ...
39aos 24 anos, o que representa um 73% da amostra pesquisada. O resultado atingidoé demonstrado na Tabela e Gráfico 3.    ...
40pertencem a cursos de outras faculdades da UFRGS, entre eles o curso de Direitoda Faculdade de Direito. O 65% pertencem ...
41alunos usa entre uma e cinco vezes o ambiente da biblioteca para dias de prova.Outro 25% manifestou que não usa a biblio...
42                 Tabela 6 – Uso do ambiente físico para leitura de periódicos                     FREQUÊNCIA            ...
43              Tabela 7 – Uso do ambiente físico para leitura de jornais impressos                    FREQUÊNCIA         ...
44          Tabela 8 – Uso do ambiente físico para pesquisa de obras do acervo geral                  FREQUÊNCIA          ...
45                   FREQUÊNCIA                     USUÁRIOS                   %                         1a5x             ...
46                         FREQUÊNCIA                      ALUNOS               %                              1 a 5x     ...
47                       FREQUÊNCIA                     ALUNOS              %                            1a5x             ...
48                         FREQUÊNCIA                  ALUNOS              %                            16 a 20x          ...
49                       FREQUÊNCIA                            ALUNOS                %                           1 a 5x   ...
50                        FREQUÊNCIA                    ALUNO             %                            1 a 5x             ...
51                          FREQUÊNCIA                   ALUNOS        %                             16 a 20x             ...
52                         FREQUÊNCIA                           ALUNOS               %                             11a15x ...
53                          FREQUÊNCIA                       ALUNOS        %                              11a15x          ...
54     TIPOS                            ALUNOS    %Estudo e trabalho em grupo                7    13%Estudo para concurso ...
55CONSIDERAÇÕES FINAIS        O objetivo geral deste estudo foi identificar os motivos que levam os alunosda Faculdade de ...
56servir como um canal de comunicação entre os usuários e a unidade de informação,e também como um instrumento de apoio à ...
Usuário biblioteca
Usuário biblioteca
Usuário biblioteca
Usuário biblioteca
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Usuário biblioteca

1.878 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.878
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
151
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
38
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Usuário biblioteca

  1. 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE BIBLIOTECONOMIA E COMUNICAÇÃO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DA INFORMAÇÃO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA Daiane Barrili dos Santos Fernanda Bochi Gonzalo Rubén Alvarez Rogerio Carlos Petrini de AlmeidaESTUDO DE USUÁRIOS DA BIBLIOTECA GLÁDIS WIEBBELING DO AMARALDA FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS/UFRGS: USO DO AMBIENTE FÍSICO DA UNIDADE DE INFORMAÇÃO Porto Alegre 2011
  2. 2. 2 Daiane Barrili dos Santos Gonzalo Rubén Alvarez Fernanda Bochi Rogerio Carlos Petrini de AlmeidaESTUDO DE USUÁRIOS DA BIBLIOTECA GLÁDIS WIEBBELING DO AMARALDA FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS/UFRGS: USO DO AMBIENTE FÍSICO DA UNIDADE DE INFORMAÇÃO Projeto apresentado como requisito parcial para aprovação na Disciplina Estudo de Comunidades, Públicos e Usuários, do Curso de Biblioteconomia, da Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Orientadora: Prof.ª Helen Beatriz Frota Rozados Porto Alegre 2011
  3. 3. 3 LISTA DE QUADROSQuadro 1 - Objetivos específicos X Questões do instrumento de coleta 31de dados......................................................................................................Quadro 2 - Previsão dos recursos humanos............................................. 33Quadro 3 – Previsão dos recursos materiais.............................................. 34Quadro 4 - Previsão dos recursos financeiros............................................ 34
  4. 4. 4 LISTA DE TABELASTabela 1 - Semestre dos usuários da biblioteca............................................. 37Tabela 2 - Sexo dos usuários da unidade de informação................................ 38Tabela 3 – Faixa etária dos usuários da biblioteca............................................ 39Tabela 4 - Cursos dos alunos da unidade de informação.................................. 40Tabela 5 - Uso do ambiente físico para dias de prova...................................... 41Tabela 6 - Uso do ambiente físico para leitura de periódicos........................... 42Tabela 7 - Uso do ambiente físico para leitura de jornais impressos................ 43Tabela 8 - Uso do ambiente físico para pesquisa de obras do acervo geral...... 44Tabela 9 - Uso do ambiente físico para elaboração de trabalhos (TCC)........... 45Tabela 10 - Uso do ambiente físico para leitura de obras literárias................... 46Tabela 11 - Uso do ambiente físico para orientação de TCC........................... 47Tabela 12 - Uso do laboratório de informática................................................. 48Tabela 13 - Uso do ambiente físico para consulta a bases de dados em meio 49eletrônico.............................................................................................................Tabela 14 - Uso dos terminais do salão principal de leitura............................ 50Tabela 15 - Consultas e orientações no balcão de empréstimo.......................... 51Gráfico 16 - Consultas ao catálogo SABI nos terminais junto ao balcão de 52empréstimoTabela 17 - Pesquisas realizadas na Internet via acesso Wireless.................... 53Tabela 18 - Uso do ambiente físico da biblioteca para outros fins.................. 54
  5. 5. 5 LISTA DE GRÁFICOSGráfico 1 - Semestre dos usuários da biblioteca........................................ 37Gráfico 2 - Sexo dos usuários da unidade de informação.......................... 38Gráfico 3 – Faixa etária dos usuários da biblioteca.................................... 39Gráfico 4 - Cursos dos alunos da unidade de informação.......................... 40Gráfico 5 - Uso do ambiente físico para dias de prova.............................. 41Gráfico 6 - Uso do ambiente físico para leitura de periódicos.................... 42Gráfico 7 - Uso do ambiente físico para leitura de jornais impressos......... 43Gráfico 8 - Uso do ambiente físico para pesquisa de obras do acervo geral. 44Gráfico 9 - Uso do ambiente físico para elaboração de trabalhos (TCC)........... 45Gráfico 10 - Uso do ambiente físico para leitura de obras literárias........... 46Gráfico 11 - Uso do ambiente físico para orientação de TCC........................... 47Gráfico 12 - Uso do laboratório de informática................................................. 48Gráfico 13 - Uso do ambiente físico para consulta a bases de dados em meio 49eletrônico..............................................................................................................Gráfico 14 - Uso dos terminais do salão principal de leitura............................ 50Gráfico 15 - Consultas e orientações no balcão de empréstimo........................ 51Gráfico 16 - Consultas ao catálogo SABI nos terminais junto ao balcão de empréstimo 52Gráfico 17 - Pesquisas realizadas na Internet via acesso Wireless.................... 53Gráfico 18 - Uso do ambiente físico da biblioteca para outros fins.................. 54
  6. 6. 6 SUMÁRIO1 INTRODUÇÃO.................................................................................. 81.1 JUSTIFICATIVA.................................................................................. 81.2 CONTEXTO DE ESTUDO............................................................... 91.2.1 Missão da biblioteca....................................................................... 101.2.2 Visão da biblioteca.......................................................................... 101.2.3 Objetivo da biblioteca da Faculdade de Ciências Econômicas.. 101.2.4 Estrutura organizacional................................................................. 111.2.5 Recursos institucionais.................................................................. 111.2.6 Recursos financeiros...................................................................... 121.2.7 Recursos humanos......................................................................... 121.2.8 Serviços e produtos oferecidos.................................................... 151.3 A FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS DA UFRGS........... 181.3.1 Objetivo........................................................................................... 191.3.2 Estrutura organizacional.............................................................. 191.3.3 Atividades de Pesquisa................................................................. 201.3.4 Atividades de Extensão................................................................. 202 OBJETIVOS..................................................................................... 212.1 OBJETIVO GERAL........................................................................... 212.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS............................................................ 213 DEFINIÇÃO OPERACIONALIZAÇÃO DOS TERMOS................... 234 REFERENCIAL TEÓRICO............................................................... 254.1 BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS.................................................. 254.1.1 Biblioteca especilizadas.................................................................. 274.1.2 Biblioteca Economia da URFGS..................................................... 274.2 USUÁRIOS...................................................................................... 274.3 ESTUDO DE USUÁRIOS E NECESSIDADES DE INFORMAÇÃO.. 285 METODOLOGIA............................................................................... 315.1 TIPO DE ESTUDO.......................................................................... 315.2 SUJEITO DE ESTUDO.................................................................... 315.3 INSTRUMENTO DE COLETA DE DADOS..................................... 315.4 PROCEDIMENTO DE COLETA DE DADOS................................... 32
  7. 7. 75.5 PLANO DE ANÁLISE DOS DADOS................................................. 335.6 LIMITAÇÕES DO ESTUDO............................................................. 336 PREVISÃO DOS RECURSOS.......................................................... 346.1 RECURSOS HUMANOS.................................................................... 346.2 RECURSOS MATERIAIS................................................................... 346.3 RECURSOS FINANCEIROS.............................................................. 357 ANALISE DOS DADOS...................................................................... 368 CONSIDERAÇÕES FINAIS................................................................ 55REFERÊNCIAS.................................................................................. 58APÊNDICE A – MODELO DE QUESTIONÁRIO...................................... 61
  8. 8. 81 INTRODUÇÃO O conhecimento dos usuários de uma unidade de informação permitetrabalhar na melhoria e qualidade dos produtos e serviços oferecidos. Na bibliotecaGládis Wiebbelling do Amaral da Faculdade de Ciências Econômicas daUniversidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) percebe-se a necessidade darealização de um estudo de usuários. Como parte do assunto, torna-seimprescindível analisar os motivos pelos quais os alunos da faculdade utilizam oambiente físico. Este trabalho visa auxiliar à instituição informacional a entender os fins queos usuários proporcionam quanto ao uso do espaço da biblioteca. O estudo servirácomo instrumento no planejamento organizacional da unidade de informação. A faltadeste trabalho avaliativo impede que a biblioteca obtenha dados estatísticos sobre osmotivos do uso do seu ambiente físico. A análise permitirá compreender as condições estruturais da biblioteca, asmelhorias necessárias a serem atendidas em um futuro próximo e as projeçõesexigidas quanto à ampliação. A implantação das medidas corretivas terá comoresultado a satisfação dos usuários que freqüentam a biblioteca e da equipe detrabalho da unidade de informação encarregada da prestação de serviços e produtos.1.1 JUSTIFICATIVA A crescente utilização e procura de informações em meios convencionais eautomatizados; especialmente as existentes na internet, uma rede globalizada deinformações; tem gerado algumas dúvidas quanto à procura e aos motivos do uso doambiente físico da biblioteca universitária. Para isso, é necessário entender asfacilidades que esta propõe oferecer aos seus usuários quanto ao subsídioinformacional dentro do seu espaço. Por certo, a biblioteca universitária é uma instituição que permite aintegração entre alunos, e de alunos com professores. Ela serve como instrumentode apoio didático e cultural. Porém, resta saber ainda se o uso do ambiente físico
  9. 9. 9atende às expectativas e quais os motivos que levam os usuários a freqüentá-la. A escolha da biblioteca Gládis Wiebbelling do Amaral da Faculdade deCiências Econômicas da UFRGS tem como uns dos motivos, o fato de que um dosintegrantes do grupo trabalhou como bolsista. Além do mais, nunca foi realizado umestudo de usuários da unidade de informação escolhida.1.2 CONTEXTO DE ESTUDO O estudo está focado no Campus Centro da Universidade Federal do RioGrande do Sul (UFRGS). Especificamente na biblioteca da Faculdade de CiênciasEconômicas. A Biblioteca Gládis Wiebbelling do Amaral da Faculdade de CiênciasEconômicas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) localizasse noandar térreo do prédio sito na Rua João Pessoa, 52. Começou a funcionar em 1950,foi formada a partir da junção de acervos isolados do Instituto de Estudos ePesquisas Econômicas - IEPE, do Instituto de Administração, do Centro de Estudose Pesquisa em Administração - CEPA e do Programa de Pós-Graduação emadministração - PPGA. A Biblioteca setorial Gládis W. do Amaral da Faculdade de CiênciasEconômicas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul presta serviços deinformação e documentação à comunidade acadêmica da Universidade, além deatender à comunidade em geral, nas áreas de Economia, Contabilidade, Finanças,Desenvolvimento Rural e Relações Internacionais. O acervo visa satisfazer asdemandas informacionais dos seguintes cursos de graduação: Economia, CiênciasContábeis, Ciências Atuariais e Relações Internacionais, além dos cursos de pós-graduação. Atua como unidade de informação complementar às atividades deensino, pesquisa e extensão da Universidade. A Biblioteca compõe o Sistema de Bibliotecas da UFRGS (SBU), subordina-se administrativamente à Faculdade de Ciências Econômicas, e tecnicamente àBiblioteca Central. O acervo desta biblioteca especializada é composto por diversostipos de documentos: livros, folhetos, trabalhos acadêmicos, obras de referência(dicionários, enciclopédias), periódicos (científicos, informativos) e materiais demultimeios (CD-ROM, DVD etc.).
  10. 10. 101.2.1 Missão da biblioteca Segundo Stoner e Freeman (1982) a declaração da missão é um objetivoamplo da organização, baseado em premissas de planejamento, que justifica a suaexistência e com base neste conceito a missão para a Biblioteca Gládis Wiebbellingdo Amaral da Faculdade de Ciências Econômicas da Universidade Federal do RioGrande do Sul pode ser proposta como segue: Promover o acesso, a recuperação e a transferência da informação paratoda a comunidade universitária, de forma atualizada, ágil e qualificada, visandocontribuir para a formação profissional do cidadão, colaborando, dessa maneira, nodesenvolvimento científico, tecnológico e cultural da sociedade como um todo.1.2.2 Visão da biblioteca Ser uma referência quanto à recuperação, atualização e eficácia dainformação especializada, visando estabelecer um vínculo eficaz com os usuários ea permanência de pesquisadores, contribuindo assim, com o progresso do estudoacadêmico e tecnológico.1.2.3 Objetivo da Biblioteca da Faculdade de Ciências Econômicas/UFRGS Os objetivos, “[ . . . ]são o ponto final do planejamento e constituem o planobásico da organização. [ . . . ] os objetivos devem expressar intenções que levem aocumprimento da missão.” (ALMEIDA, 2000, p. 6). O objetivo da Biblioteca Gládis Wiebbelling do Amaral da Faculdade deCiências Econômicas da UFRGS é dar apoio às atividades universitárias, de ensino,de pesquisa e de extensão, prestando serviços de informação à comunidadeacadêmica da Universidade, além de atender à comunidade externa em geral. A biblioteca universitária para atingir seu objetivo de dar apoio às atividadesuniversitárias tem por finalidades: reunir (seleção, aquisição, compra, permuta,doação); organizar (indexação, classificação, catalogação); armazenar; conservar;divulgar (catálogos, serviço de referência, empréstimo) e manter atualizado o acervoespecializado na área, possibilitando satisfazer demandas informacionais dos
  11. 11. 11usuários, isto é, atendendo à comunidade acadêmica e em geral.1.2.4 Estrutura Organizacional A estrutura organizacional da biblioteca Gládis W iebbelling doAmaral da Faculdade de Ciências Econômicas da UFRGS é composta: a) pela Chefia; b) pelo Setor de processamento técnico; c) pelo Setor de indexação de periódicos; d) pelo Setor de circulação e comutação; e) pelo Setor de seleção e aquisição; f) pelo Setor de divulgação e referência.1.2.5 Recursos Institucionais A biblioteca da Faculdade de Ciências Econômicas da UFRGS possui umespaço físico adequado para a guarda das obras documentárias. Está sendoelaborado um projeto de ampliação, será anexada uma nova sala que antigamentefuncionava como Xerox. A unidade de informação dispõe cabines de leitura paragrupos pequenos, permitindo a privacidade e garantindo o silêncio para a realizaçãodos trabalhos acadêmicos. Também oferece um salão de leitura com mesas ecadeiras em número suficiente. Permite a realização de consultas ao catálogoinformatizado da UFRGS nos três terminais disponibilizados no setor de atendimentoou a pesquisa nas bases de dados nos quatro computadores do salão principal.Possui também uma sala de referência para atendimento personalizado com obibliotecário do balcão de empréstimo e devoluções.1.2.6 Recursos Financeiros A aquisição de livros e demais materiais para biblioteca é feita por licitação.Entre três distribuidoras ou editoras candidatas, a universidade escolhe a de menor
  12. 12. 12preço. Todo o processo de compra e licitação para as bibliotecas do sistema écoordenado pela Biblioteca Central da UFRGS.1.2.7 Recursos Humanos Os recursos humanos é o contingente de pessoas necessário ao bomdesenvolvimento das atividades da biblioteca e estas pessoas estão distribuídas deforma setorizadas como segue: a) Coordenação Geral Atividades:  Direção;  Orientação;  Supervisão;  Planejamento;  Administração;  Controle;  Relações internas (na instituição) e externas. Coordenadora Geral: Bibliotecária Eliane Gonçalves b) Divisão de Tratamento da InformaçãoSeção de Processamento Técnico Atividades:  Catalogação dos materiais bibliográficos (livros, periódicos) e não bibliográficos (CD, CD-ROM, DVDs, mapas) conforme o CCAAR2 (Código de Catalogação Anglo-Americano);  Classificação das obras de acordo com a CDU (Classificação Decimal Universal);  Catalogação na fonte para as obras editadas pela Instituição e obras de pós-graduação;  Inserção de teses e dissertações no sistema TEDE (Sistema de
  13. 13. 13 Publicação Eletrônica de Teses e Dissertações, desenvolvido pelo IBICT – Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia);  Indexação (análise temática da obra para retirada dos assuntos);  Atualização do Catálogo Decisório da Biblioteca, instrumento elaborado pelas Bibliotecárias que contém normas que auxiliam nas decisões gerenciais;  Inserção e manutenção dos dados do material bibliográfico e não bibliográfico na base de dados para posterior consulta e empréstimo por parte dos usuários;  Elaboração de relatório mensal com dados estatísticos das atividades desenvolvidas no Setor;  Baixa de obras para a restauração e alta, após o conserto.  Elaboração de relatório com as obras adquiridas no mês e encaminhamento para a sala dos professores e balcão de empréstimos da biblioteca;  Estruturação de bases de dados;  Desenvolvimento de vocabulários.Seção de Seleção e AquisiçãoAtividades:  Recebimento das doações de alunos, professores e comunidade em geral;  Controle de todas as aquisições da biblioteca (compras e permutas);  Direcionamento das obras para a seção de processamento técnico;  Disponibilização de itens sob a modalidade de “pegue e leve”;  Avaliação da coleção e estabelecimento da política de descarte e desbaste do acervo bibliográfico;  Controle do processo de restauração e encadernação da coleção.Coordenação da divisão: Bibliotecária Lílian Maciel.Funcionários: Bibliotecários Edina Maria Gomes da Cunha Pureza e Vinicius
  14. 14. 14da Rosa da Silva. Auxiliares: 2 bolsistas. c) Divisão de circulação da informaçãoSeção de Circulação e Comutação Atividades:  Empréstimo domiciliar;  Empréstimo entre bibliotecas;  Pesquisa local;  Consulta local de documentos eletrônicos e bases de dados;  Reservas;  Renovações;  Cobrança de multas por atraso;  Guarda de livros;  Levantamentos bibliográficos;  Formulação de relatórios estatísticos;  Solicitação de cópia de artigos.Seção de Referência e Divulgação Atividades:  Direcionar o usuário à seção da biblioteca que o atenda em suas necessidades;  Atender às questões de referência;  Localização da obra solicitada;  Identificar as obras que necessitam de encadernação ou restauração e encaminhá-las ao setor responsável;  Receber alunos e professores na visita orientada, mostrar o funcionamento da referência e encaminhá-los a outras seções;  Gerenciar rotinas de empréstimo e cadastramento de usuários;  Identificar títulos de livros que necessitam de novos exemplares;
  15. 15. 15  Esclarecimento de dúvidas enviadas por e-mail;  Pesquisa e localização de material bibliográfico disponível na internet;  Divulgação de sumários on-line, disponibilizados em redes particulares de empresas, as Intranets da organização. Coordenador da divisão: André Santos da Costa Funcionária: Técnica-administrativa Nilza Terezinha Gurskás Auxiliares: 5 bolsistas.1.2.8 Serviços e produtos oferecidos A biblioteca Gládis Wiebbelling do Amaral oferece os seguintes serviços: Orientação aos usuários: atendimento prestado pelo bibliotecário deplantão sobre a localização de documentos e o uso da Biblioteca, dos catálogos edos serviços oferecidos. Levantamentos bibliográficos: busca realizada em fontes especializadascom a finalidade de identificar bibliografia atual ou retrospectiva sobre um assunto ouum autor. Consulta a base de dados: busca realizada em bases de dados em CD-ROM, no Portal da Pesquisa da UFRGS e Portal de Periódicos da CAPES. Consultae gravação gratuitas em CD ou em outra mídia, impressão R$ 0,20/folha. Consulta a documentos eletrônicos: consulta a documentos integrantesda Coleção de CD-ROM da Biblioteca e/ou encontrados em páginas de Internet.Consulta e gravação gratuitas em CD ou em outra mídia, impressão R$ 0,20/folha. Consulta a base e documentos eletrônicos para portadores comdeficiência visual: consulta em computador com o Programa DOS VOX. Consulta local: consulta a qualquer documento na própria Biblioteca, sendoaberta ao público em geral. Laboratório de informática: acesso restrito aos alunos da graduação daFCE.
  16. 16. 16 Empréstimo domiciliar:  É permitido aos alunos, professores e técnicos administrativos, somente mediante o uso do cartão de identificação da UFRGS;  Os prazos de empréstimo variam de acordo com as particularidades da Biblioteca e do tipo de material: três horas, três dias, semanal, regular (10 dias);  Não há limite de itens para empréstimo. Obra de consulta restrita (dicionários, enciclopédias, etc.) não é emprestada;  Em caso de atraso na devolução, será cobrada taxa de R$ 1,00 por exemplar, por dia, cobrada ininterruptamente (sábados, domingos e feriados), de acordo com a Portaria da UFRGS n 1429, de 28 de abril de 2008;  Em caso de dano, perda, roubo ou extravio, é obrigatório a reposição ou indenização dos itens (no valor atual da obra);  O usuário em débito terá suspenso o direito de empréstimo domiciliar nas bibliotecas da UFRGS, e restrição de acesso a benefícios, conforme Portaria da UFRGS n 1546, de 9 de junho de 2006. Renovações:  Podem ser feitas, pela Internet no endereço www.sabi.ufrgs.br ou em qualquer biblioteca da UFRGS;  O usuário não pode estar em débito nas bibliotecas, com cadastro expirado e/ou com algum impedimento;  Os itens não podem estar atrasados ou reservados;  Para a renovação sem o item em mãos, é obrigatória a apresentação do cartão de identificação;  Certifique-se que a renovação foi realizada, verificando se houve mudança na data de devolução. Reservas: itens reservados ficam disponíveis para o usuário por até 2 diasúteis. Não é possível reservar itens que tenham exemplares disponíveis no acervo.Caso o usuário não tenha mais interesse na reserva, é importante avisar o Setor deEmpréstimo. Empréstimo de pesquisa local (empréstimo temporário de itens):
  17. 17. 17  Para quem tem vínculo com a UFRGS: empréstimo por três horas ou empréstimo à noite, a partir das 20h20min, sendo a devolução até às 9h do próximo dia útil;  Para quem não tem vínculo com a UFRGS: empréstimo por três horas, mediante a entrega de documento de identidade com foto;  Em caso de atraso na devolução, será cobrada taxa de R$ 1,00 por exemplar, por hora. Empréstimos entre bibliotecas: com bibliotecas conveniadas (informaçãono balcão de Empréstimo); Comutação bibliográfica (COMUT): obtenção de cópia de documentoslocalizados em outras bibliotecas no Brasil. Custo: R$ 2,20 a cada cinco páginas. Orientação na normalização de trabalhos acadêmicos (teses,dissertações, trabalhos de conclusão de curso, artigos): de acordo com normasda Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), mediante agendamento de 1hora com bibliotecário. Treinamento de usuários:  Orientação no uso da biblioteca (seus recursos e serviços) e de recursos informacionais disponíveis na Internet;  Visita orientada. Entre os produtos da unidade de informação se encontram: Sumários correntes: digitalização dos sumários de periódicos nacionais eestrangeiros disponíveis na Biblioteca. Novas aquisições1: lista das publicações adquiridas a cada mês. Orientações para trabalhos acadêmicos*:  Normas para apresentação de trabalhos acadêmicos, segundo a ABNT;  Citações de documentos e suas respectivas referências;  Ordenação da estrutura do trabalho acadêmico;  Modelos de páginas pré-textuais e sumários.1 Disponíveis em www.ufrgs.br/bibeco
  18. 18. 18 A biblioteca da Faculdade de Ciências Econômicas da UFRGS utiliza para arealização do processamento técnico das obras a segunda edição do Código deCatalogação Anglo-Americano (AACR2). O sistema de classificação utilizado é aClassificação Decimal Universal (CDU), segunda edição média em línguaportuguesa. Para a informatização de seus processos, a biblioteca utiliza o sistemaALEPH. A consulta ao acervo é feita através do SABI, catálogo on-line do Sistemade Bibliotecas da UFRGS, no endereço www.sabi.ufrgs.br, onde um tutorial explicaseus recursos de busca. O horário de funcionamento (período letivo) é de segunda asexta feira, das 8h às 20h30min.1.3 A FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS DA UFRGS A Faculdade de Ciências Econômicas é uma instituição centenária e umadas Unidades mais antigas da UFRGS. Sua origem remonta à antiga Escola deComércio, criada em 26 de novembro de 1909, como órgão integrante da FaculdadeLivre de Direito, onde permaneceu até 1945. A Escola de Comércio oferecia,inicialmente, dois cursos: um Curso Geral, de nível médio, de três anos, e um CursoSuperior, de dois anos. Em 1916, foi declarada instituição de utilidade pública. Em 1934, a Escola deComércio passa a integrar a Universidade de Porto Alegre e, em 1945, transforma-se em Faculdade de Economia e Administração, ocasião em que também seautonomiza da Faculdade de Direito. A Faculdade de Economia e Administraçãopassou a oferecer os seguintes cursos superiores: Ciências Econômicas, CiênciasAdministrativas, Ciências Contábeis e Atuariais. Em 1950, com a federalização da então Universidade do Rio Grande do Sul,a Faculdade de Economia e Administração passa a denominar-se Faculdade deCiências Econômicas (FCE). Em 1953, foi criado o Instituto de Estudos e Pesquisas Econômicas (IEPE),como órgão auxiliar da Faculdade. O IEPE, além de elaborar o índice de preços aoconsumidor da Região Metropolitana de Porto Alegre, promoveu, também, osprimeiros cursos de pós-graduação da Faculdade: Mestrado em Economia Rural,Mestrado em Economia Pura e Mestrado em Sociologia Rural, na década de 1960. Em 1996, com a criação da Escola de Administração, o Curso de CiênciasAdministrativas passa a ser oferecido pela nova Escola. Em 2004, a FCE cria um
  19. 19. 19novo curso de graduação em Relações Internacionais e, em 2007, mais um novocurso de graduação tecnológico sobre Planejamento e Gestão para oDesenvolvimento Rural, na modalidade de educação à distância. Em 26 de novembro de 2009, a Faculdade de Ciências Econômicascomemora seu centenário.1.3.1 Objetivo A Faculdade de Ciências Econômicas tem como objetivo principal, oferecerum ensino de graduação e de pós-graduação de qualidade, bem como desenvolveratividades de pesquisa e de extensão, em todas as áreas de suas atividades.1.3.2 Estrutura organizacional A estrutura da Faculdade de Ciências Econômicas está constituída daseguinte forma:  Conselho da Unidade - CONSUNI;  Direção;  Secretaria Administrativa e Secretaria Acadêmica;  Departamento de Economia – DECON;  Departamento de Ciências Contábeis e Atuariais – DCCA;  Comissão de Graduação em Ciências Econômicas;  Comissão de Graduação em Ciências Contábeis e Atuariais;  Comissão de Graduação em Relações Internacionais;  Comissão de Graduação em Planejamento e Gestão para o Desenvolvimento Rural;  Comissão de Pesquisa;  Comissão de Extensão;  Centro de Estudos e Pesquisas Econômicas – IEPE;  Núcleo de EAD;  Biblioteca.Ensino de Graduação
  20. 20. 20  Ciências Contábeis;  Ciências Econômicas;  Ciências Atuariais;  Relações Internacionais;  Planejamento e Gestão para o Desenvolvimento Rural (modalidade EAD).Ensino de Pós-Graduação  Pós-Graduação em Economia;  Pós-Graduação em Desenvolvimento Rural;  NECON.1.3.3 Atividades de Pesquisa A pesquisa realiza pela Faculdade de Ciências Econômicas abrange todas asáreas de suas atividades e está organizada em Núcleos de Pesquisa. Muitos Projetosde Pesquisa são financiados por órgãos de fomento, como CAPES, CNPQ, FINEP,FAPERGS, bem como por outros organismos públicos e privados nacionais.1.3.4 Atividades de Extensão As atividades de extensão da Faculdade de Ciências Econômicas envolvemtanto Cursos de Extensão, como ações de assessoria e apoio a entidades dasociedade civil, dentro de seu campo de atividades.
  21. 21. 212 OBJETIVOS Apresentam-se o objetivo geral e os específicos que fundamentam a propostadeste trabalho de pesquisa.2.1 OBJETIVO GERAL Identificar os motivos que levam os alunos da faculdade de CiênciasEconômicas da UFRGS a usar o ambiente físico da biblioteca.2.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS Os objetivos específicos são delineados de maneira que o seu cumprimentoconsolide a construção dos objetivos gerais e estão distribuídos nos tópicos a baixode maneira que interagem com os questionamentos realizados na pesquisaaplicada. a) caracterizar o perfil do usuário da biblioteca; b) observar o percentual de alunos por curso que freqüenta a biblioteca; c) conhecer o semestre do curso dos graduandos da faculdade de CiênciasEconômicas; d) identificar a freqüência assistencial dos alunos à unidade de informação; e) transformar as informações dos questionários em gráficos estatísticos; f) identificar o uso do ambiente da biblioteca relacionado com a geração denovos conhecimentos; g) observar o uso do ambiente da unidade de informação relacionado com aprática da leitura; h) averiguar o uso do ambiente da biblioteca relacionado com os recursos deinformática disponibilizados; i) identificar o tipo de uso do ambiente físico da unidade de informação quemais desperta interesse entre os usuários.
  22. 22. 223 DEFINIÇÃO OPERACIONALIZAÇÃO DOS TERMOS Com a finalidade de um bom entendimento dos termos empregados defini-sedentro da realidade deste estudo de usuários os termos utilizados para traçar oobjetivo geral e os objetivos específicos estabelecidos neste contexto. Os termosestão destacados em negritos seguindo a sua definição construída pelo grupo detrabalho como a melhor representação ao seu entendimento.Ambiente físico da biblioteca: espaço físico da biblioteca, onde se situa osserviços oferecidos ao usuário, instalações, climatização, aparência, conforto,equipamentos eletrônicos, móveis.Busca de informação: aqui fica entendia a vontade do usuário em obter compresteza a informação disponibilizada pela biblioteca e que precisa para completar oseu conhecimento. Segundo Choo (2003, p. 102) “A busca da informação é oprocesso no qual o indivíduo engaja-se decididamente em busca de informaçõescapazes de mudar seu estado de conhecimento.”Demandas do usuário: entende-se para este estudo que é a carência deinformação transformada em desejo. Necessidades esperadas pelos usuários emser atendido na busca de informações e espaço para estudo. Segundo Sanz Casado(1994, p. 25, tradução nossa) “A demanda é a formulação expressa de um desejo,ou dito de outro modo, é o que um indivíduo solicita a uma biblioteca ou centro dedocumentação.”Informação: é aquilo que precisamos para adquirir conhecimento. Segundo Wilson(1981 apud SANZ CASADO, 1994, p. 21, tradução nossa) o termo informação indica“[...] uma entidade física ou fenômeno, o canal de comunicação através do qual sãotransferidas as mensagens, ou o dado factual, determinado empiricamente eapresentado em um documento ou transferido oralmente.”
  23. 23. 23Frequência: é a quantidade de vezes que o usuário vai à biblioteca em umdeterminado espaço de tempo.Necessidade de informação: é a necessidade de carecer algo, os dados quepossam ser transformados em conhecimento. Segundo Line (1974, apud SANZCASADO, 1994, p. 24, tradução nossa) a define com “[...] aquilo que um indivíduodeve possuir para seu trabalho, investigação, educação, etc.”. São as necessidadesque o usuário tem de obter as informações para atender o seu desejo deconhecimento. Conforme Choo (2003, p. 99) as necessidades de informação são“[...] falhas ou deficiências de conhecimento ou compreensão que podem serexpressas em perguntas ou tópicos colocados perante um sistema ou fonte deinformação.”Perfil do usuário: Perfil é um pequeno escrito em que se salientam os traçoscaracterísticos de uma pessoa, uma das definições contida no dicionário Michaelis(2011), que também trás para o termo usuário: que, por direito proveniente de uso,frui as utilidades da coisa; que serve para nosso uso; pessoa à qual é dada apermissão para acessar um sistema. Para Santana (2011) o perfil de usuário contéminformações especificas para cada usuário. Em nosso contexto refere-se acaracterísticas de uma classe de usuário e esta composição será verificada pelasvariáveis de idade, sexo, semestre e curso, que os entrevistados se enquadram.Nestes aspectos os entrevistados serão obrigatoriamente pessoas que circulam pelafaculdade de Economia, e freqüentam a biblioteca.Prática de leitura: freqüência que o usuário utiliza o espaço para uso de acervopara estudos.Recursos de informática: Disponibilização de equipamentos de acesso a internet,computadores, notebook, rede de acesso a internet de modo sem fio, impressoras,scanner.Uso da informação: é a demanda satisfatória realizada em uma unidade deinformação ou biblioteca. Conforme Line (1974, apud SANZ CASADO, 1994, p. 28,
  24. 24. 24tradução nossa) o uso da informação é “[...] aquilo que um indivíduo aplicaefetivamente a algo imediato e concreto.” Para Choo (2003, p. 119) “O uso dainformação é a seleção e o processamento das informações, que resultam em novosconhecimentos ou ações.”Usuário da informação: é aquela pessoa que precisa das informações para o seudesenvolvimento humano, em nosso estudo são os freqüentadores da biblioteca,alunos ou não. Outra definição segundo Sanz Casado (1994, p. 19, tradução nossa)nos diz que o usuário da informação é “[...] aquele indivíduo que necessitainformação para o desenvolvimento de suas atividades”.Usuários potenciais: são todas as pessoas integrantes de uma sociedade queprecisam de informações para seu desenvolvimento, porém não expressam suasdemandas.Em nosso estudo considerados qualquer pessoa que circule pela área dabiblioteca e o campos da Faculdade de Economia. De acordo com Sanz Casado(1994, p, 19, tradução nossa) define usuários potenciais com “[...] aqueles quenecessitam informação para o desenvolvimento das suas atividades, mas que nãosão conscientes disso, portanto, não expressam suas necessidades [...]”.Usuários reais: são todas as pessoas integrantes de uma sociedade que precisamde informações e procuram elas para o seu desenvolvimento. Sanz Casado (1994,p. 19, tradução nossa) define os usuários reais com “[...] aqueles que não só sãoconscientes que necessitam a informação senão que a utilizam freqüentemente.”São as pessoas que efetivamente freqüentam o ambiente físico da biblioteca e quede fato foram abordados para a pesquisa.Uso da Biblioteca: para este estudo visiona-se como tal a busca do espaço dabiblioteca para utilização de seus recurso e serviços, uso do acervo e equipamentose obtenção de obras como empréstimos.Serviços oferecidos pela biblioteca: para este estudo são todas as atividadesvoltadas para o atendimento das necessidades informacionais dos usuários.
  25. 25. 254 REFERENCIAL TEÓRICO Para a realização deste estudo de usuários da biblioteca Gládis Wiebbellingdo Amaral da Faculdade de Ciências Econômicas da UFRGS torna-se necessário umreferencial teórico que permita a contextualização, com o intuito de atingir o objetivogeral e os específicos inicialmente propostos. Nascimento e Silva (2011, p.2) em seu artigo descreve a biblioteca como umespaço dinâmico por onde circulam pessoas a procura de informações lazer, e refereque se deve conhecer seus usuários e identificar suas principais necessidades, paraatendê-los da melhor forma. Para desenvolver melhor esse estudo e entender melhor o espaço biblioteca,bem como suas funções; buscou-se na literatura da área assuntos que tratassemmais diretamente da biblioteca universitário, unidade que será abordada em nossotrabalho.4.1 BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS A universidade é a instituição de ensino geradora de conhecimento para suaposterior disseminação entre os integrantes que compõem a sociedade. Desenvolvesuas ações na direção da educação, através do ensino, pesquisa e extensão.Proporciona os avanços e contribui para a evolução em todas as áreas doconhecimento humano. Neste contexto, as bibliotecas ocupam um lugar primordial dentro dasuniversidades. As bibliotecas universitárias disponibilizam e possibilitam o acesso àsfontes informacionais. De acordo com o pensamento de Silva, Conceição e Braga(2004, p. 135), a biblioteca universitária tem um papel fundamental para auxiliar noprocesso de aprendizagem do ensino superior, tendo como objetivo satisfazer asdemandas informacionais dos professores, alunos e público em geral. Anzolin e Sermann (2006, p. 7) definem a biblioteca universitária da seguintemaneira: [...] é aquela que atua em instituições de ensino superior, como centros universitários, universidades e faculdades, dentre outros. Tem por finalidade dar suporte informacional, complementando as atividades curriculares dos cursos, oferecendo recursos para facilitar a pesquisa científica.
  26. 26. 26 Enquanto Rostirolla (2006, p. 28)diz que : A biblioteca universitária é entendida como organização do conhecimento, por reunir, organizar e disponibilizar as principais fontes de informação existentes, fundamentais na geração de novos conhecimentos; por contar com profissionais especialistas em promover o acesso e o uso da informação; e, por agregar valor à informação, facilitando a conversão de informações em conhecimentos. Como se pode perceber a biblioteca universitária tem como objetivo a ser oagente informativo na área de ensino e pesquisa atuar como fonte informacional eser promotora de novos conhecimentos. As funções principais de uma biblioteca universitária, segundo o Damasio(2004, p. 22) “[...] são de servir como repositório e disseminador do conhecimento deuma universidade, de uma especialidade, de um centro de pesquisa”, funçõesexplicadas por Fujita (2005) como: “[...] armazenar a produção científica etecnológica; preservar e atualizar suas coleções; organização do conhecimentoregistrado nas fontes informacionais, divulgação e serviço de comunicaçãoapropriado.” No tocante ao aspecto organizacional, Maciel e Mendonça (2000, p. 2),ccomentam que as bibliotecas universitárias: [...] não são organizações autônomas, esim organizações dependentes de uma organização maior – a universidade,estando, portanto, sujeitas a receberem influências externas e internas do ambienteque as cercam.”, afirmando dessa forma que as bibliotecas possuem um enlace coma sua mantenedora, a universidade. Os desafios são constantes para a biblioteca universitária e devem estaratentas com sua missão e mediante a isso afirmam Pinheiro, Ramalho e Autran(200?, p.2): [. . .]as bibliotecas universitárias precisam demonstrar, de forma transparente e objetiva, que estão aptas a enfrentar os desafios do mercado, acreditando que a sua permanente capacidade de inovação está voltada para garantir o cumprimento de sua missão: satisfazer e exceder as expectativas de seus usuários, em relação ao acesso, uso, necessidades e desejos de informação [. . .] Para que as bibliotecas universitárias possam cumprir com sua missão éfundamental que as mesmas conheçam seus usuários. Para isso é que se planeja eelabora um estudo de usuários, com o objetivo de buscar conhecer e sanar asnecessidades dos mesmos.
  27. 27. 274.1.1 Bibliotecas especializadas As bibliotecas especializadas têm como função disponibilizar a informação deforma mais rápida e eficaz, tratando o documento de forma mais exaustiva obtendocom isso mais informações dos mesmos. Salasário (2000, p.108), tem como: “uma unidade de informação com acervoespecializado destinado à satisfação das necessidades informacionais de um públicoespecífico”. Para Cezarino (1978, p. 238) as bibliotecas especializadas são organizadaspor instituições com o objetivo de fornecer informações de um campo especifico.4.1.2 Biblioteca de Economia da UFRGS A biblioteca de Economia, espaço e ambiente utilizado como ferramentalde nosso estudo enquadra-se nas conceituações anteriores sendo a construção deseu acervo voltado ao atendimento de públicos de estudos de disciplina daquelaunidade educacional.4.2 USUÁRIOS Os produtos e serviços oferecidos pelas bibliotecas universitárias, assimcomo toda a organização e disponibilização da informação nos variados suportesestão direcionados a satisfazer demandas informacionais das pessoas, ou seja, dosusuários. Alguns autores, entre eles Sanz Casado (1994, p. 19) definem, “[ . . . ] ousuário da informação como aquele indivíduo que necessita da informação para odesenvolvimento de suas atividades.” Analisando esse conceito, entendemos quetodos nós como indivíduos pertencentes a uma sociedade, necessitamos das fontesinformacionais para atender nossas demandas, e progredir visando melhorar edesenvolver novos conhecimentos. Outros autores, entre eles Neveling e Wersig (1976 apud TERUEL, 2005,tradução nossa) definem o usuário como “[ . . . ] a pessoa ou organização quenecessita informação especializada de um centro ou serviço de informação existenteou em fase de planificação.” Essa corrente inclui as próprias instituições como
  28. 28. 28usuários que precisam das informações para continuar com seu desenvolvimento anível organizacional. Segundo o dicionário da Real Academia Espanhola (apud MONFASANI;CURZEL, 2006, tradução nossa) “O usuário é a pessoa que tem direito de usar umacoisa alheia com certa limitação, e leitor é o que lê ou tem o hábito de ler.” Essacitação faz referência ao usuário da unidade de informação ou biblioteca, com seudireito como cidadão integrante de uma sociedade, para uso e satisfação dasnecessidades informacionais. Outro aspecto a ser destacado está relacionado com os avanços tecnológicose com os recursos da Internet e web. Na atualidade as bibliotecas contam com doistipos de usuários: o presencial, que utiliza o espaço ou ambiente físico da unidade deinformação para suas leituras e pesquisas e, o não presencial, que segundo Hervaz,Gómez e Mondéjar (2002), utiliza os serviços como consulta ao catálogo e bases dedados valendo-se da Internet e sem freqüentar a biblioteca.4.3 ESTUDO DE USUÁRIOS E NECESSIDADES DE INFORMAÇÃO A partir da definição de usuário, faz-se oportuno apresentar o significado doestudo de usuários e as suas necessidades de informação. O estudo de usuários da informação constitui um conjunto de investigações cujos resultados permitem planificar e melhorar os sistemas de informação. Em geral, a observação sistemática do usuário oferece uma ferramenta de grande valor para tomar decisões, tanto do ponto de vista da gestão das unidades de informação, como da perspectiva do bibliotecário ou documentalista que dia a dia atende seus pedidos. (TERUEL, 2005, p. 23). Ainda, Figueiredo (1994, p. 7) diz que: são investigações para se saber quaise se estão sendo atendidas as necessidades de informações pretendidas pelousuário. Dessa maneira, o estudo de usuários de uma unidade de informação seconstitui em parâmetro que permite conhecer a qualidade dos serviços e produtosoferecidos. Esses resultados servirão de análise e permitirão tomar decisões e fazeras adaptações necessárias para a satisfação plena dos usuários das bibliotecas. Para Sanz Casado (1994, p. 31, tradução nossa) o estudo do usuário éinterpretado como:
  29. 29. 29 [...] o conjunto de estudos que tratam de analisar qualitativa e quantitativamente os hábitos de informação dos usuários, mediante a aplicação de diferentes métodos, entre eles os matemáticos – principalmente estatísticos – ao seu consumo de informação. O que se pode constatar que o estudo de usuário quando realizado commetodologia adequada e modelo estatístico apropriado gera informaçõessignificativas do conjunto pesquisado, o que permitirá um planejamento dos produtose serviços oferecidos. Pinheiro (1982, p. 1) comenta a importância do estudo de usuário: Os estudos de usuários da informação são importantes para o conhecimento do fluxo de informação científica e técnica, de sua demanda, da satisfação do usuário, dos resultados ou efeitos da informação sobre o conhecimento, do uso, aperfeiçoamento, relações e distribuição de recursos de sistemas de informação e tantos outros aspectos direta ou indiretamente relacionados à informação. O estudo de usuário tem como premissa conhecer o perfil da pessoa o queela sente e pensa e quais suas sugestões que podem contribuir para a unidade deinformação é um meio de sintonizar a unidade de informação a sua comunidade. Deacordo com Alves e Faqueti (2002, p.5): Ao resgatar a percepção do usuário à respeito do uso da biblioteca e de seus recursos, é possível não apenas determinar e predizer o comportamento futuro desse usuário, mas também corrigir possíveis erros. A descoberta da percepção do usuário de biblioteca pode trazer contribuições significativas para os serviços da biblioteca em geral e, para o serviço de Referência, em especial. O estudo de usuário é auxiliar na gestão da biblioteca e permite auxiliar oplanejamento dos recursos existentes, para melhor atender ao seu público esatisfazer as demandas de informações. Ainda conforme Lima (2002) os estudos de usuários não se restringem aocomportamento do usuário, mas também ao treinamento, para aproveitamento dosserviços e produtos oferecidos pela unidade de informação; o uso, indicando qual otipo de material mais usado; fluxo da informação ou transferência de informação equal a relação entre os canais formais e informais de comunicação. Para Rozados e Piffer (2009, p. 174): “Estudos de usuários relacionam-se a pesquisas realizadas para identificar
  30. 30. 30 e diferenciar as características, os interesses, as necessidades e os hábitos de informação dos usuários reais e potenciais de uma unidade de informação.” A partir da definição de usuário, faz-se oportuno apresentar o significado doestudo de usuários e as suas necessidades de informação. O estudo de usuários da informação constitui um conjunto de investigações cujos resultados permitem planificar e melhorar os sistemas de informação. Em geral, a observação sistemática do usuário oferece uma ferramenta de grande valor para tomar decisões, tanto do ponto de vista da gestão das unidades de informação, como da perspectiva do bibliotecário ou documentalista que dia a dia atende seus pedidos. (TERUEL, 2005, p. 23, tradução nossa). Dessa maneira, o estudo de usuários de uma unidade de informação seconstitui em parâmetro que permite conhecer a qualidade dos serviços e produtosoferecidos. Esses resultados servirão de análise e permitirão tomar decisões e fazeras adaptações necessárias para a satisfação plena dos usuários das bibliotecas. Com relação à importância do estudo de usuários em um sistema deinformação, Pinheiro (1982, p. 1) comenta que: Os estudos de usuários da informação são importantes para o conhecimento do fluxo de informação científica e técnica, de sua demanda, da satisfação do usuário, dos resultados ou efeitos da informação sobre o conhecimento, do uso, aperfeiçoamento, relações e distribuição de recursos de sistemas de informação e tantos outros aspectos direta ou indiretamente relacionados à informação. A realização de um estudo de usuários é um meio de conectar a unidade deinformação com a comunidade. Ele auxilia a biblioteca na gestão e na tomada dedecisões, na previsão de demandas ou na mudança de rumos e estratégias. Permitea disponibilização certa dos recursos focada nos usuários e busca a melhoria naqualidade dos produtos que as pessoas necessitam para satisfazer as demandasinformacionais.
  31. 31. 315 METODOLOGIA Na continuação será apresentada a metodologia empregada nesta atividadede estudo, visando atender o objetivo geral e os específicos. Descreve-se o sujeito etipo de estudo, os instrumentos de coleta de dados, o estudo piloto, osprocedimentos e tratamento da coleta e por fim, as limitações do trabalho .5.1 TIPO DE ESTUDO O tipo de estudo quanto à forma de abordagem caracteriza-se como umapesquisa quali-quantitativa, pois foram utilizados questionários mistos (fechados comopções e abertos). Também utilizada a observação. Com relação à natureza dapesquisa, a mesma se enquadra dentro das aplicadas, já que objetiva gerar novosconhecimentos para aplicá-los à solução de um problema específico. Quanto aoobjetivo, é uma pesquisa descritiva, pois a existência da opinião dos alunos quefreqüentam a biblioteca é real, buscando-se descrevê-las. De acordo com oprocedimento, o estudo é um levantamento, pois envolve a interrogação direta dosalunos da faculdade de Ciências Econômicas, cujo comportamento se desejaconhecer.5.2 SUJEITO DE ESTUDO Os usuários da biblioteca da Faculdade de Ciências Econômicas que forampesquisados são alunos dos seguintes cursos de graduação: Economia, CiênciasContábeis, Ciências Atuariais e Relações Internacionais, além dos cursos de pós-graduação. Na impossibilidade de estudar a população que compõe o universo dapesquisa, o total de alunos de graduação da Faculdade de Ciências Econômicas, foiutilizado o método de amostragem simples, representado por 52 graduandos.5.3 INSTRUMENTO DE COLETA DE DADOS Segundo Pádua (2000) a etapa de coleta de dados é o ponto de partidadentro da fase do desenvolvimento da pesquisa. O objetivo é reunir os dadospertinentes relacionados ao objeto a ser investigado.
  32. 32. 32 O instrumento de coleta de dados foi um questionário misto: fechado comopções e aberto. Distribuídos de forma impressa aos alunos da faculdade. O modelodo questionário utilizado é apresentado no APÊNDICE A.Quadro 1 - Objetivos específicos X Questões do instrumento de coleta de dados Objetivos QuestõesCaracterizar o perfil do usuário da biblioteca 1-2Observar o percentual de alunos por curso que frequentam a 3bibliotecaIdentificar a freqüência assistencial dos alunos à unidade de 4 - 15informaçãoTransformar as informações dos questionários em gráficos 1 - 16estatísticosConhecer o semestre do curso dos graduandos da 3Faculdade de Ciências EconômicasIdentificar o uso do ambiente da biblioteca relacionado com 4, 6, 7, 13a geração de novos conhecimentosObservar o uso do ambiente da unidade de informação 5, 8, 9relacionado com a prática da leituraAnalisar o uso do ambiente da biblioteca relacionado com 10, 11, 12, 14, 15os recursos de informática disponibilizadosIdentificar o tipo de uso do ambiente físico da unidade de 1 - 16informação que mais desperta interesse entre os usuáriosFonte: Autoria nossa O questionário passou pela aprovação da bibliotecária da unidade deinformação estudada: Eliane Gonçalves, que analisou a clareza, a exaustividade e alinguagem do instrumento de coleta de dados escolhido para o trabalho. Ocorreu umteste preliminar representado por uma pequena amostra de estudantes, a fim deverificar a necessidade de correção de alguns dos elementos que compõem aferramenta de coleta dos dados.5.4 PROCEDIMENTO DE COLETA DE DADOS
  33. 33. 33 A coleta dos dados foi realizada através dos questionários impressos. Adistribuição e coleta de dados ocorreu de forma individualizada, atuando opesquisador e o questionado, e foram oferecidas as informações pertinentes enecessárias para o correto preenchimento.5.5 PLANO DE ANÁLISE DOS DADOS Os resultados estão transformados em dados estatísticos representados porgráficos e tabelas.5.6 LIMITAÇÕES DO ESTUDO Previu-se as limitações que poderiam se apresentar durante a realização dotrabalho como segue: a) Impossibilidade de obtenção dos endereços eletrônicos dos alunos para oenvio do questionário, o que permitiria uma maior abrangência da amostra estudada; b) Não devolução de todos os questionários impressos; c) Recusa dos alunos de prestar informações para os pesquisadores; d) O tempo limitado a ser utilizado para a realização da pesquisa. Apenas o item “a”, não foi contornado pela equipe, mas não foi um obstáculoconsiderável, na obtenção de um bom número de relatório desejado.
  34. 34. 346 PREVISÃO DE RECURSOS Leme (2011, p.96) afirma que: “[ . . . ] prever é essencial desde que desejemos cuidar sobre qualquer ação”. Neste estudo o grupo terá o máximo interesse em obter bons resultados e para isso fará as previsões necessárias para o desenvolvimento do trabalho.6.1 RECURSOS HUMANOS Na visão de Torres (2011), os recursos humanos são constituídos por: “Agentes ativos e proativos dotados de inteligência e criatividade, iniciativa e decisão, habilidades e competências e não apenas de capacidades manuais, físicas ou artesanais.” A equipe de trabalho formada por Daiane Santos; Gonzalo Alvarez; Fernanda Bochi e Rogerio Almeida, alunos da disciplina: Estudo de Comunidades, Públicos e Usuários foram a base deste trabalho, com responsabilidades similares na busca pela obtenção dos dados, na realização do questionário e na preparação e revisão do relatório final.Quadro 2 - Previsão dos recursos humanos Recursos humanos Atividades Daiane Santos Fernanda Bochi Realização do projeto, coleta e análise dos dados, elaboração de relatório. Gonzalo Alvarez Rogerio PetriniFonte: Autoria nossa6.2 RECURSOS MATERIAIS A enciclopédia de Gestão Knoow.net (2011) destaca que: “Os recursosmateriais de uma organização incluem os equipamentos e utensílios utilizadospela organização, as instalações fabris e administrativas, as tecnologias eprocessos utilizadas na produção e na gestão.” Os recursos materiais utilizadospela equipe, necessários para a obtenção do trabalho final foram arrolados daseguinte forma:
  35. 35. 35 a) lápis e canetas; b) papel para rascunho; c) papel tipo A4, para questionário e relatório final; d) computadores pessoais; e) impressora e tinta; f) transporte próprio e de terceiros.Quadro 3 - Previsão dos recursos materiais Recursos materiais Quantidade Lápis 1 Papel para rascunho 20 fl. Papel A4 80 fl. Caneta 1 Tinta para impressora 1 cartuchoFonte: Autoria nossa6.3 RECURSOS FINANCEIROS “Os recursos financeiros de uma organização representam os meiosmonetários detidos por essa mesma organização (ou a capacidade de obtê-los) eque podem ser utilizados no financiamento da atividade corrente ou na realização denovos investimentos.” (KNOOW.NET, 2011). A previsão dos recursos financeiros está relacionada com a previsão dosrecursos materiais e está apresentada conforme o quadro na continuação:Quadro 4 - Previsão dos recursos financeirosTipo Unidade Valor CustoCaneta 1 1,5 1,5Lápis 1 1,0 1,0Papel rascunho 20 fl. 0,04 0,80Papel A4 80 fl. 0,04 3,20Tinta 1 cartucho 29,90 29,90Transporte 16 passagens 2,45 39,20Internet 40 horas 30,00 30,00Fonte: Autoria nossa
  36. 36. 367 ANÁLISE DOS DADOS O presente trabalho estrutura-se com base na análise da identificação dosmotivos que levam os alunos da Faculdade de Ciências Econômicas da UFRGS ausarem o ambiente físico da biblioteca Gládis Wiebbeling do Amaral. Conforme apresentado anteriormente, a unidade de informação estudadaoferece uma diversidade de opções com relação aos seus produtos e serviços. Oacervo é composto por um número significativo de obras. As fontes de informaçãodisponibilizadas no meio eletrônico também possibilita aos usuários outros caminhosde busca, procurando satisfazer suas demandas informacionais. Conforme essarealidade torna-se fundamental conhecer e estudar os usuários e suas escolhasquanto ao uso do espaço físico da biblioteca. Através da análise dos dados extraídos dos questionários aplicados, sãofeitas a descrição e interpretação dos resultados obtidos. A apresentação dos dadosserá expressa mediante gráficos e tabelas, por entender que a visualização se dácom maior clareza. Os alunos graduandos que fizeram parte da pesquisa o fizeramvoluntariamente. A amostra, conforme consta na metodologia do trabalho foicomposta por alunos de todos os semestres dos cursos da Faculdade de CiênciasEconômicas, sendo constituída por 52 alunos, conforme se verifica na Tabela eGráfico 1. O resultado obtido através da pesquisa verificou que quem usa mais oambiente físico da unidade de informação são os usuários dos semestres iniciais,independentemente do curso escolhido. Somando o primeiro, segundo e terceirosemestre, a porcentagem chega aos 50%. Como índice de valor significativo teve17% de alunos que não responderam a questão formulada.
  37. 37. 37 Tabela 1 – Semestre dos usuários da biblioteca SEMESTRE N. DE ALUNOS % 1 11 21,15% 2 8 15,38% 3 7 13,46% 4 5 9,62% 5 2 3,85% 6 2 3,85% 7 1 1,92% 8 3 5,77% Doutores 1 1,92% Graduados 3 5,77% Sem resposta 9 17,31% Total 52 100,00% Fonte: Autoria nossa Gráfico 1 – Semestre dos usuários da biblioteca Fonte: Autoria nossa Após conhecer o semestre dos usuários, busco-se complementar o perfil daspessoas que utilizam o espaço físico da unidade de informação. Outras variáveisforam analisadas entre elas o sexo dos usuários. O resultado mostrou uma paridadeentre homens e mulheres que estudam na faculdade, conforme é apresentado naTabela e Gráfico 2.
  38. 38. 38 Tabela 2 – Sexo dos usuários da unidade de informação SEXO USUÁRIOS Feminino 26 Masculino 26 Total 52 Fonte: Autoria nossa Gráfico 2 – Sexo dos usuários da unidade de informação Fonte: Autoria nossa Conjuntamente com o sexo e o semestre dos usuários da unidade deinformação, buscou-se conhecer a idade das pessoas. Após a coleta dosquestionários, se observou que existe predomínio de usuários na faixa etária dos 17
  39. 39. 39aos 24 anos, o que representa um 73% da amostra pesquisada. O resultado atingidoé demonstrado na Tabela e Gráfico 3. Tabela 3 – Faixa etária dos usuários da biblioteca FAIXA ETÁRIA ALUNOS % 17a24 38 73,08% 25a30 9 17,31% 30a40 5 9,62% Total 52 100,00% Fonte: Autoria nossa Gráfico 3 – Faixa etária dos usuários da biblioteca Fonte: Autoria nossa Por fim, identificar-se o curso dos graduandos da Faculdade de CiênciasEconômicas da UFRGS. O resultado da pesquisa mostra que os alunos que maisusam ou aproveitam o espaço físico da biblioteca pertencem a cursos que não sãoda faculdade. Os dados coletados confirmam que o 27% dos alunos pesquisados
  40. 40. 40pertencem a cursos de outras faculdades da UFRGS, entre eles o curso de Direitoda Faculdade de Direito. O 65% pertencem aos cursos de Economia e RelaçõesInternacionais. A Tabela e Gráfico 4 permitem a visualização das informaçõescoletadas. Tabela 4 – Cursos dos alunos da unidade de informação CURSO USUÁRIOS % Administração 1 1,92% Ciências Contábeis 2 3,85% Economia 12 23,08% Relações Internacionais 22 42,31% Outros 14 26,92% Sem resposta 1 1,92% Total 52 100% Fonte: Autoria nossa Gráfico 4 – Cursos dos alunos da unidade de informação Fonte: Autoria nossa Logo a identificação das características dos usuários quanto ao perfil dosmesmos, se passou a estudar o uso e finalidade que os alunos lhe dão ao ambientefísico da unidade de informação Gládis Wiebbeling do Amaral. A primeira questão relacionada foi sobre os alunos da faculdade que utilizamo ambiente físico da biblioteca para dias de prova. Para isso, foi estipulada uma faixade freqüência, permitindo delimitar pela quantidade de presenças no local pelosalunos. O resultado alcançado mostrou que a freqüência entre 1 e 5 vezes tevemaior aceitação. Apresentado em percentuais o estudo demonstrou que o 46% dos
  41. 41. 41alunos usa entre uma e cinco vezes o ambiente da biblioteca para dias de prova.Outro 25% manifestou que não usa a biblioteca para essa finalidade, conformeexpressam a Tabela e Gráfico 5. Tabela 5 – Uso do ambiente físico para dias de prova FREQUÊNCIA USUÁRIOS % 11 a 15x 3 5,77% 16 a 20x 1 1,92% 1 a 5x 24 46,15% 6 a 10x 9 17,31% Não usa 13 25,00% Sem resposta 2 3,85% Total 52 100% Fonte: Autoria nossa Gráfico 5 – Uso do ambiente físico para dias de prova Fonte: Autoria nossa Outro aspecto investigado quanto ao uso do espaço físico da biblioteca foirelacionado com a leitura de periódicos (revistas, folhetos, seriados) disponibilizadosjunto ao acervo geral da biblioteca. Do total da amostra, o 80% dos pesquisadosdisse que não usavam o espaço físico da unidade de informação para esse fim. Osdados recolhidos são apresentados na Tabela e Gráfico 6.
  42. 42. 42 Tabela 6 – Uso do ambiente físico para leitura de periódicos FREQUÊNCIA USUÁRIOS % 1a5x 8 15,38% Não usa 42 80,77% Sem resposta 2 3,85% Total 52 100,00% Fonte: Autoria nossa Gráfico 6 – Uso do ambiente físico para leitura de periódicos Fonte: Autoria nossa A próxima questão buscou obter informações relacionadas com o uso doambiente físico da unidade de informação para leitura de jornais impressosdisponibilizados no salão principal de leitura da biblioteca. Do total das 52 pessoasquestionadas, o 75% manifestou que não usam o espaço físico com essa intenção.A Tabela e Gráfico 7 apresentam os resultados da pesquisa.
  43. 43. 43 Tabela 7 – Uso do ambiente físico para leitura de jornais impressos FREQUÊNCIA USUÁRIOS % 11a15x 1 1,92% 16a20x 2 3,85% 1a5x 4 7,69% 6a10x 3 5,77% Não usa 39 75,00% Sem resposta 3 5,77% Total 52 100,00% Fonte: Autoria nossa Gráfico 7 – Uso do ambiente físico para leitura de jornais impressos Fonte: Autoria nossa O seguinte levantamento esteve relacionado com o uso do ambiente físicoda unidade de informação relacionado com a pesquisa de obras no acervo geral. O46% da amostra escolhida para a realização da pesquisa respondeu que utiliza oambiente para consulta do acervo entre 1 e 5 vezes por mês. O 32% manifestou quenão usa a biblioteca com esse fim específico. O seguinte resultado se vêexemplificado na Tabela e Gráfico 7.
  44. 44. 44 Tabela 8 – Uso do ambiente físico para pesquisa de obras do acervo geral FREQUÊNCIA USUÁRIOS % 11a15x 2 3,85% 16a20x 1 1,92% 1a5x 24 46,15% 6a10x 5 9,62% Não usa 17 32,69% Sem resposta 3 5,77% Total 52 100,00% Fonte: Autoria nossa Gráfico 8 – Uso do ambiente físico para pesquisa de obras do acervo geral Fonte: Autoria nossa Outro aspecto abordado foi sobre o uso do ambiente físico da biblioteca paraa elaboração de Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC). Conforme a amostragemselecionada, o 80% respondeu que não usava o espaço com essas intenções. Um11% manifestou que usavam o ambiente entre 1 e 5 vezes por mês para atenderessa demanda. Os resultados obtidos podem ser observados na Tabela e Gráfico 9. Tabela 9 – Uso do ambiente físico para elaboração de trabalhos (TCC)
  45. 45. 45 FREQUÊNCIA USUÁRIOS % 1a5x 6 11,54% 6a10x 2 1,92% Não usa 42 80,77% Sem resposta 2 3,85% Total 52 100,00% Fonte: Autoria nossa Gráfico 9 – Uso do ambiente físico para elaboração de trabalhos (TCC) Fonte: Autoria nossa A próxima análise relaciona o uso do espaço físico da biblioteca com aleitura de obras literárias (contos, romances, dramas, etc.) disponibilizadas noacervo geral da unidade de informação da biblioteca. Os resultados alcançadospermitiram observar que o 90% do total da amostra não usa a biblioteca para aleitura de literatura. A Tabela e Gráfico 10 nos permite enxergar as relações com asfaixas de freqüência. Tabela 10 – Uso do ambiente físico para leitura de obras literárias
  46. 46. 46 FREQUÊNCIA ALUNOS % 1 a 5x 2 3,85% Não usa 47 90,38% Sem resposta 3 5,77% Total 52 100,00% Fonte: Autoria nossa Gráfico 10 – Uso do ambiente físico para leitura de obras literárias Fonte: Autoria nossa O seguinte estudo relaciona o uso do ambiente físico da biblioteca com aorientação para a realização de Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC). Osresultados obtidos permitiram visualizar através da Tabela e Gráfico 11, que o 86%da amostra estudada não usa o espaço para tal fim específico. Apenas 4% daspessoas pesquisadas consultam os bibliotecários da unidade de informação para osdevidos fins. Tabela 11 – Uso do ambiente físico para orientação de TCC
  47. 47. 47 FREQUÊNCIA ALUNOS % 1a5x 2 3,85% Não usa 45 86,54% Sem resposta 5 9,62% Total 52 100,00% Fonte: Autoria nossa Gráfico 11 – Uso do ambiente físico para orientação de TCC Fonte: Autoria nossa A próxima fase do trabalho está relacionada com o uso dos recursos deinformática disponibilizados para os usuários da unidade de informação. O primeiroponto vincula o uso do espaço físico da biblioteca com o laboratório de informática.Do total da amostra analisada, o 54% não usa o laboratório de informática paraconsultas e pesquisas. O 32% dos usuários o usa entre 1 e 5 vezes por mês. Osdados coletados através dos questionários podem ser observados na Tabela eGráfico 12. Tabela 12 – Uso do laboratório de informática
  48. 48. 48 FREQUÊNCIA ALUNOS % 16 a 20x 3 5,77% 1 a 5x 17 32,69% 6 a 10x 2 3,85% Não usa 28 53,85% Sem resposta 2 3,85% Total 52 100,00% Fonte: Autoria nossa Gráfico 12 – Uso do laboratório de informática Fonte: Autoria nossa Outro aspecto relaciona o uso do ambiente físico da unidade de informaçãocom a consulta a bases de dados em meio eletrônico. Tais pesquisas podem serrealizadas na sala do serviço de referência localizada junto ao balcão deempréstimo. O resultado obtido mostrou que o 92% não usa o espaço físico dabiblioteca para determinado fim. Os dados coletados podem ser observados naTabela e Gráfico 13. Tabela 13 – Uso do ambiente físico para consulta a bases de dados em meio eletrônico
  49. 49. 49 FREQUÊNCIA ALUNOS % 1 a 5x 2 3,85% Não usa 48 92,31% Sem resposta 2 3,85% Total 52 100,00% Fonte: Autoria nossa Gráfico 13 – Uso do ambiente físico para consulta a bases de dados em meio eletrônico Fonte: Autoria nossa A seguinte questão aborda a relação do uso do ambiente físico da unidadede informação com os terminais do salão principal de leitura. O 86% da amostrarespondeu que não usa os computadores localizados na sala geral de leitura paraconsulta a sites ou para a realização de pesquisas acadêmicas. Os resultadosrecolhidos são mostrados e disponibilizados na Tabela e Gráfico 14. Tabela 14 – Uso dos terminais do salão principal de leitura
  50. 50. 50 FREQUÊNCIA ALUNO % 1 a 5x 4 7,69% 6 a 10x 1 1,92% Não usa 45 86,54% Sem resposta 2 3,85% Total 52 100,00% Fonte: Autoria nossa Gráfico 14 – Uso dos terminais do salão principal de leitura Fonte: Autoria nossa O seguinte levantamento descreve a relação do uso do espaço físico daunidade de informação com as consultas realizadas no balcão de empréstimo. O52% dos usuários pesquisados manifestou que não usam o ambiente institucionalpara determinado fim. Um 38% manifestou que solicita informações no balcão deempréstimo entre 1 e 5 vezes por mês. A Tabela e Gráfico 15 permitem visualizar osdados coletados nos questionários realizados. Tabela 15 – Consultas e orientações no balcão de empréstimo
  51. 51. 51 FREQUÊNCIA ALUNOS % 16 a 20x 1 1,92% 1 a 5x 20 38,46% 6 a10x 2 3,85% Não usa 27 51,92% Sem resposta 2 3,85% Total 52 100,00% Fonte: Autoria nossa Gráfico 15 – Consultas e orientações no balcão de empréstimo Fonte: Autoria nossa A próxima questão aborda a relação entre o uso do espaço físico da unidadede informação com as consultas realizadas ao catálogo da biblioteca disponível noscomputadores junto ao balcão de empréstimo. O 54% da amostra estudadadestacou que não usa o ambiente com esse propósito. Outro 34% manifestou querealiza consultas no catálogo SABI entre 1 e 10 vezes por mês. Os resultadosobtidos na pesquisa podem ser constatados na Tabela e Gráfico 16 deste trabalho. Tabela 16 – Consultas ao catálogo SABI nos terminais junto ao balcão de empréstimo
  52. 52. 52 FREQUÊNCIA ALUNOS % 11a15x 2 3,85% 16a20x 1 1,92% 1a5x 11 21,15% 6a10x 7 13,46% Não usa 28 53,85% Sem resposta 3 5,77% Total 52 100,00% Fonte: Autoria nossa Gráfico 16 – Consultas ao catálogo SABI nos terminais junto ao balcão de empréstimo Fonte: Autoria nossa A abordagem a continuação relaciona o uso do espaço físico da unidade deinformação com as pesquisas realizadas na Internet via acesso Wireless. O 50% daamostra estudada comentou que não usa o ambiente da biblioteca com essasintenções. Outro 39% mencionou que usa a Internet via acesso Wireless entre 1 e10 vezes por mês. Os resultados realizados na pesquisa podem ser interpretados naTabela e Gráfico 16. Tabela 17 – Pesquisas realizadas na Internet via acesso Wireless
  53. 53. 53 FREQUÊNCIA ALUNOS % 11a15x 1 1,92% 16a20x 1 1,92% 1a5x 14 26,92% 6a10x 7 13,46% Não usa 26 50,00% Sem resposta 3 5,77% Total 52 100,00% Fonte: Autoria nossa Gráfico 17– Pesquisas realizadas na Internet via acesso Wireless Fonte: Autoria nossa A última pergunta do questionário aplicado à amostragem de usuários foideixada em aberto para que cada uma das pessoas escolhesse alguma outra opçãocom relação ao uso do ambiente físico da unidade de informação. O 75% dosusuários preferiu não responder a essa questão, outro 13% manifestou que usa abiblioteca para estudar e realizar trabalhos em grupo. Um 10% dos pesquisados usao espaço para estudar para provas de concurso. Os resultados obtidos sãoapresentados na Tabela e Gráfico 17. Tabela 18 – Uso do ambiente físico da biblioteca para outros fins
  54. 54. 54 TIPOS ALUNOS %Estudo e trabalho em grupo 7 13%Estudo para concurso 5 10%Ler e-mails 1 2%Sem resposta 39 75% Total 52 100% Fonte: Autoria nossa s
  55. 55. 55CONSIDERAÇÕES FINAIS O objetivo geral deste estudo foi identificar os motivos que levam os alunosda Faculdade de Ciências Econômicas da UFRGS a usar o ambiente físico dabiblioteca. A partir desse propósito principal, puderam-se observar diversos aspectosreferentes à utilização do espaço da unidade de informação, o perfil dos usuários e arelação deles com os serviços e produtos oferecidos. Primeiramente procedeu-se a conhecer as características dos usuários dabiblioteca. Logo se fez um levantamento de opções quanto ao uso do ambiente físico,as finalidades que os usuários atribuem e os motivos que levam eles a frequentarema unidade de informação. Buscou-se saber a frequência de tempo que cada usuárioutiliza para satisfazer as necessidades informacionais. O resultado obtido através da pesquisa verificou que quem usa mais oambiente físico da unidade de informação são os usuários dos semestres iniciais,até o quarto semestre. Mostrou paridade quanto ao sexo dos usuários da biblioteca.Os alunos contemplados dentro da faixa etária dos 17 a 24 são o público com maiornúmero de representantes, portanto, quem mais utiliza o ambiente. Outro dadoimportante é com relação aos cursos dos alunos, o curso de Relações Internacionaisé quem mais se beneficia dos serviços e produtos da biblioteca. Entre as questõeselaboradas e apresentadas aos usuários, as questões do uso do espaço físico daunidade de informação para estudo em dias de prova e consulta de obras do acervoprevaleceram sobre as outras questões formuladas. As questões sobre as consultasno balcão de empréstimo para esclarecimento de dúvidas e o uso do laboratório deinformática são enquadradas em uma segunda ordem quanto à relevância. Houveuma alta porcentagem de opções de resposta: Não usa e Sem resposta,demonstrando o desuso em algumas atividades pesquisadas, como a busca doespaço para leituras de periódicos e literatura, e, raras procuras por auxílio naelaboração de trabalhos. Ainda, verifica-se a utilização do espaço por não alunos epor graduados, para estudos destinados a concursos, uma amostragem significativa. Diante de tudo o que foi exposto neste estudo, foi possível conhecer maisdetalhadamente alguns aspectos concernentes ao uso do espaço físico da bibliotecada Faculdade de Ciências Econômicas da UFRGS. Foi fundamental, pois pretendeu
  56. 56. 56servir como um canal de comunicação entre os usuários e a unidade de informação,e também como um instrumento de apoio à gestão da biblioteca, já que, atravésdessa análise, a instituição poderá avaliar melhor os produtos e serviços quedesenvolve e oferece aos seus usuários. Portanto, espera-se que o presente estudo contribua e sirva para arealização de posteriores trabalhos de pesquisa. Sendo a Biblioteca da Faculdadede Ciências Econômicas da UFRGS uma unidade de informação que atendeusuários variados, desde alunos de Graduação, Pós-Graduação, professores,funcionários e público em geral, outros estudos merecem ser realizados, a fim deque se conheça melhor o público da biblioteca e continuar trabalhando na qualidadedos produtos e serviços que ela oferece.

×