Manual para combate a incendios pci

1.409 visualizações

Publicada em

Combate a Incendios conforme Legislação de São Paulo

Publicada em: Serviços
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.409
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
60
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Manual para combate a incendios pci

  1. 1. MANUAL DE DICAS PARA PLANO DE COMBATE Á INCÊNDIOS Nome: __________________ ________________________ Data:_____/______/_______. Instrutor: ________________ e-mail: atendimento@3rbrazil.com.br 1
  2. 2. MANUAL DE DICAS PARA PLANO DE COMBATE Á INCÊNDIOS 2 MANUAL DE PROCEDIMENTOS A COMBATE DE INCÊNDIOS O ABANDONO DE UM EDIFÍCIO EM CHAMAS DEVE SER FEITO PELAS ESCADAS, COM CALMA, SEM AFOBAMENTOS. Nunca use o elevador para sair de um prédio onde há um incêndio. 1) Se um incêndio ocorrer em seu escritório ou apartamento, saia imediatamente. Muitas pessoas morrem por não acreditarem que um incêndio pode se alastrar com rapidez. 2) Se você ficar preso em meio à fumaça, respire pelo nariz, em rápidas inalações. Se possível, molhe um lenço e utilize-o como máscara improvisada. Procure rastejar para a saída, pois o ar é sempre melhor junto ao chão. 3) Use as escadas - nunca o elevador. Um incêndio razoável pode determinar o corte de energia para os elevadores. Feche todas as portas que ficarem atrás de você, assim retardará a propagação do fogo. 4) Se você ficar preso em uma sala cheia de fumaça, fique junto ao piso, onde o ar é sempre melhor. Se possível, fique perto de uma janela, de onde poderá chamar por socorro. 5) Toque a porta com sua mão. Se estiver quente, não abra. Se estiver fria, faça este teste: Abra vagarosamente e fique atrás da porta. Se sentir calor ou pressão vindo através da abertura, mantenha-a fechada. 6) Se você não puder sair, mantenha-se atrás de uma porta fechada. Qualquer porta serve como couraça. Procure um lugar perto de janelas, e abra-as em cima e embaixo. Calor e fumaça devem sair por cima. Você poderá respirar pela abertura inferior. 7) Procure conhecer o equipamento de combate a incêndio para utilizá-lo com eficiência em caso de emergência. 8) Um prédio pode lhe dar várias opções de salvamento. Conheça-as previamente. NÃO salte do prédio. Muitas pessoas morrem sem imaginar que o socorro pode chegar em poucos minutos. 9) O serviço 193 do Corpo de Bombeiros funciona em todo território nacional, por meio deste você poderá obter auxílio também e mencionar todo o ocorrido para facilitar e viabilizar qual tipo de viaturas irão atuar.
  3. 3. MANUAL DE DICAS PARA PLANO DE COMBATE Á INCÊNDIOS 3 10) Se houver pânico na saída principal, mantenha-se afastado da multidão. Procure outra saída. Uma vez que você tenha conseguido escapar, NÃO RETORNE. Chame o Corpo de Bombeiros imediatamente. Ao constatar um princípio de incêndio, ligue imediatamente para o Corpo de Bombeiros (fone 193). FORNEÇA INFORMAÇÕES PRECISAS: • Endereço correto do local onde está ocorrendo o incêndio. • Número do telefone de onde se está falando. • Nome completo de quem está falando. • Relato do que está acontecendo de forma clara e objetiva, seja o mais sucinto. • Em seguida, desligue o telefone e aguarde. ***** Estamos a caminho ***** EMERGENCIAS EM TODO BRASIL POLÍCIA MILITAR.......................................190 SAMU........................................................192 BOMBEIROS..............................................193 PLANO DE EMERGÊNCIA O condomínio de todo edifício comercial ou residencial deve ter um plano de emergência para abandono do prédio em caso de incêndio. Converse com o síndico e com os seus colegas ou vizinhos sobre a elaboração do plano de emergência. Reúna os que estiverem interessados, e mãos à obra! Peça orientação do Corpo de Bombeiros para elaborar o plano e estabelecer as tarefas de cada um numa situação de incêndio. UM PLANO DE EMERGÊNCIA DEVE CONTER: • Procedimentos do supervisor; • Procedimentos da brigada de incêndio; • Procedimentos dos ocupantes do prédio; • Planta do edifício; • Localização do equipamento de combate a incêndio; • Localização das vias de fuga; • Ponto de reunião fora do edifício.
  4. 4. MANUAL DE DICAS PARA PLANO DE COMBATE Á INCÊNDIOS 4 EDIFÍCIOS 1º) Manter em dia e regularizada a situação do Edifício em relação aos equipamentos e dispositivos de prevenção e combate a incêndios (extintores, hidrantes, luz de emergência, interfones, etc.) conforme prevê a norma vigente a respeito (Decreto Estadual 56.819/11) inclusive mantendo em dia o Atestado de Vistoria do Corpo de Bombeiros; 2º) Mantenha revisados os extintores. A recarga deve ser feita de acordo com o estipulado pelo fabricante e normas específicas da ABNT (NBR 12.962/93) e o teste hidrostático do cilindro do extintor (NBR 13.485/95). Os extintores devem estar sempre sinalizados e desobstruídos. Verifique também se os bicos não estão entupidos; 3º) Faça testes periódicos de iluminação de emergência, recomenda-se a cada 3 meses e documentar todos os teste executados. Os hidrantes também devem ser testados, utilizando assim, as mangueiras, para que não fiquem demasiadamente enroladas e sem uso, evitando a colagem de suas partes internas; 4º) Procure realizar, em Edifícios e apartamentos, revisão periódica (pelo menos anual) das instalações elétricas; 5º) Não acumule lixo ou materiais combustíveis em escadas ou nas antecâmaras de incêndio; 6º) Evite ligar vários equipamentos elétricos em uma só tomada. Cuidado com a sobrecarga. ELEVADORES O elevador é uma máquina de transporte extremamente útil, mas seu uso requer cuidados para evitar acidentes, que muitas vezes são fatais. O que você não deve fazer: 1. Puxar a porta do pavimento sem a presença da cabine no andar. 2. Apressar o fechamento das portas. 3. Apertar várias vezes o botão de chamada. 4. Chamar vários elevadores ao esmo tempo. 5. Fumar dentro do elevador. 6. Fazer movimentos bruscos dentro do elevador. 7. Lotar o elevador com o peso acima do permitido. 8. Bloquear o fechamento das portas com objetos. 9. O excesso de lotação e de carga é perigoso e acarreta desgaste prematuro do equipamento.
  5. 5. MANUAL DE DICAS PARA PLANO DE COMBATE Á INCÊNDIOS 5 Crianças As crianças devem usar o elevador com segurança. O elevador não é lugar de brincadeiras, portanto oriente as crianças para: • Não acionar os botões desnecessariamente; • Não dar pulos ou fazer movimentos bruscos dentro da cabine; • Nunca colocar as mãos na porta; • Não entrar primeiro no elevador, assim que a porta se abre. • Evite que elas usem o elevador sozinho. • Exija o responsável pelo prédio que o acesso à porta do elevador seja bloqueado quando ele estiver em reparos ou revisão técnica. • Atenção! • Em caso de incêndio, não utilize os elevadores. O abandono do edifício deve ser feito pelas escadas, obedecendo ao plano de abandono. Nada de pânico Se o elevador parar entre andares, os ocupantes devem: • Manter a calma, pois o perigo não é iminente; • Acionar o botão de alarme e/ou utilizar o interfone para pedir ajuda; • Solicitar que chamem o zelador e, se necessário, a empresa conservadora ou o Corpo de Bombeiros (disque 193); • Aguardar com calma. • Não force as portas nem tente sair por conta própria. Nunca se afobe ao tomar o elevador Quando a porta do elevador abrir, preste atenção. Antes de entrar, verifique que a cabine do elevador está no andar. Falhas mecânicas permitem, às vezes, que a porta abra sem a presença do elevador, o que já provocou muitos acidentes fatais. Entre no elevador e saia dele devagar, para evitar colisão com outros usuários. Não tente entrar no elevador enquanto os ocupantes estiverem saindo. Ao entrar no elevador e ao sair dele, cuidado para não tropeçar nos degraus que se formam quando ele pára no mesmo nível do pavimento. SEGURANÇA COM BOTIJÃO DE GÁS Instalação Os componentes básicos para instalação do botijão de gás são: Mangueira - Deve ser de plástico PVC transparente, com tarja amarela, gravação do código NBR 8613 e do prazo de validade e comprimento máximo 80cm. Braçadeiras - Servem para fixar a mangueira no fogão e no regulador de pressão do botijão. Nunca use arame, esparadrapo ou outro material no lugar de braçadeiras. Regulador de pressão - É a peça que regula a passagem do gás do botijão para a mangueira. No regulador deve constar a gravação do código NBR 8473 do INMETRO. Botijão - Contém 13kg de gás de cozinha. É fabricado segundo norma da ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas - 8460.
  6. 6. MANUAL DE DICAS PARA PLANO DE COMBATE Á INCÊNDIOS 6 Para sua segurança: • Abasteça-se somente com empresas credenciadas. Evite as clandestinas. • Verifique o estado do botijão ao recebê-lo. Se houver dúvidas quanto ao seu peso ou qualidade, aproveite a presença do entregador e peça para trocá-lo. O botijão não pode estar amassado, enferrujado ou apresentar qualquer outro tipo de danificação. • Nunca coloque os botijões em compartimentos fechados e sem ventilação (armários, gabinetes, vãos de escada, porões, etc.). • Nunca instale o botijão próximo a ralos ou grelhas de escoamento de água. Por ser mais pesado que o ar, o gás pode se infiltrar em seu interior e explodir. Antes de trocar o botijão, certifique-se de que: • Todos os botões dos queima dores estão desligados; • O local está bem ventilado e livre de qualquer tipo de fogo (vela, fósforos, isqueiros ou cigarros acesos). • Em seguida faça a troca: • Feche o registro de gás; • Retire o lacre do botijão cheio; • Retire o regulador do botijão vazio; • Segure o bico do regulador na posição vertical e encaixe-o na válvula do botijão cheio; • Gire a borboleta do regulador para a direita, até ficar firme. Use apenas as mãos para rosquear a borboleta do regulador; nunca utilize ferramentas. Ao rosquear a borboleta do regulador, evite incliná-lo, mantendo-o sempre na posição vertical. Após a instalação do botijão, verifique se há vazamento de gás aplicando espuma de sabão na junção do regulador com a válvula do botijão. Se houver vazamento, começarão a se formar bolhas na espuma. Neste caso, feche imediatamente o registro de gás. Nunca use fósforos ou qualquer tipo de chama para verificar se há vazamento. Como acender o fogão e o forno • Abra o registro de gás. • Abra a porta do forno se for usá-lo. • Acenda o fósforo. • Aproxime o fósforo aceso do queimador que vai ser usado. • Gire o botão do queimador ou do forno.
  7. 7. MANUAL DE DICAS PARA PLANO DE COMBATE Á INCÊNDIOS 7 Acostume-se a acender o fósforo antes de girar o botão. Se você girar o botão primeiro, o gás começa a sair imediatamente, o que pode ser perigoso. Lembre-se: 1. Ao comprar o regulador de pressão e a mangueira, verifique se possuem a identificação do INMETRO (NBR) gravada. Não use outro tipo de material. 2. Ao sair de casa, feche o registro de gás e nunca deixe panela no fogo aceso. 3. Não permita que as crianças tenham acesso ao fogão. 4. Não coloque cortinas, panos de prato ou outros materiais que possam pegar fogo junto ao fogão ou sobre o botijão. 5. Não tente eliminar vazamento de maneira improvisada (com sabão, cera, etc.). Como proceder em casos de Emergências Vazamento de gás sem fogo: • Feche o registro de gás. • Afaste as pessoas de local. • Não acione interruptores de eletricidade. • Desligue a chave geral de eletricidade somente se ela estiver fora da residência. • Não fume nem acenda fósforos ou isqueiros. • Se ocorrer em ambiente fechado, abra portas e janelas. Entre em contato com a empresa distribuidora de gás. Em casos graves, acione os Bombeiros. Vazamento de gás com fogo • Se possível, feche o registro de gás. • Afaste as pessoas do local. • Desligue a chave geral da eletricidade. • Retire do local os materiais combustíveis. • Chame o Corpo de Bombeiros. ANOTAÇÕES:
  8. 8. MANUAL DE DICAS PARA PLANO DE COMBATE Á INCÊNDIOS 8 INCÊNDIO FOGÃO À GÁS Ao sentir cheiro de gás, não acenda as luzes. Abra imediatamente todas as portas e janelas para ventilar o ambiente e procure o local de vazamento, passando espuma de sabão. Nunca procure vazamentos com um fósforo. INSTALAÇÕES ELÉTRICAS Não sobrecarregue a rede elétrica com eletrodomésticos. Revise-a periodicamente, para mantê-la em perfeito estado. CIGARROS Não jogue cigarros ou fósforos no assoalho, cestos de papéis, jardins ou pela janela. Evite fumar na cama, antes de dormir. CRIANÇAS Criança não deve brincar com fósforos, líquidos inflamáveis, velas ou outros objetos que possam provocar fogo. Nunca deixe crianças sozinhas trancadas em casa. FERRO ELÉTRICO Sempre desligue o ferro ao afastar-se do local onde estiver passando roupas. ACIDENTES GRAVES Não movimente a vítima. Se necessário aplique ressuscitarão cárdio-pulmonar. Chame uma ambulância do Corpo de Bombeiros, pelo fone 193 ou o SAMU pelo fone 192. CARGAS PERIGOSAS Na cidade, chame os Bombeiros, e na estrada, chame a Polícia Rodoviária. Não mexa no produto. Lembre-se! Todo grande incêndio começa de um pequeno foco. Não arrisque sua vida! FOGOS DE ARTIFÍCIO E BALÕES Fogos de Artifício 1) Não permita que seus filhos adquiram fogos de artifício. 2) Nunca transporte estes artefatos nos bolsos, pois, se eles se inflamarem, você certamente será atingido. 3) O perigo dos fogos de artifício é indiscutível. Se uma bombinha explodir nas mãos de uma criança
  9. 9. MANUAL DE DICAS PARA PLANO DE COMBATE Á INCÊNDIOS 9 ou próximo de seus olhos, poderá causar mutilação ou cegueira. 4) Deixar caixas de fósforos e/ou isqueiros ao alcance da crianças é uma imprudência. A atração que o fogo exerce sobre as crianças pode ter conseqüências extremamente danosas. SOLTAR BALÕES É CRIME! Você sabia que de acordo com a nova Lei de Crimes Ambientais, Lei Nº 9.605, de fevereiro de 1998, não somente soltar balões agora é "crime", como também fabricar, vender ou transportar. A pena prevista é de detenção de um a três anos ou multa, ou ambas as penas cumulativamente. Não solte balão. Ele pode causar muitos estragos, por isso é proibido. O balão pode cair aceso em florestas, residências e indústrias, produzindo grandes prejuízos patrimoniais, ameaça ao nosso meio ambiente e até mesmo colocando a integridade física e a vida das pessoas em risco. A brincadeira de alguns pode ser a tristeza de muitos. Entre os inúmeros contratempos que representam, os balões podem ainda oferecer sérios riscos à aviação, principalmente, às pequenas aeronaves. OBSERVAÇÕES IMPORTÂNTES DA BRIGADA: Toda Brigada de Incêndio deve atender as exigências das ABNTs relacionadas, fazer frente ao Decreto Estadual de cada Estado e cumprir aos quesitos das Instruções Técnicas do Corpo de Bombeiros. Ainda existe a disposição legal de Leis, Portarias e Decretos Municipais. A docência deverá ser realizada por pessoa que possua competência e qualificação no assunto abordado conforme previsto em Lei Federal e constante no Decreto Estadual. Considera-se pessoa habilitada para este: Engenheiros em Segurança do Trabalho, Técnicos em Segurança do Trabalho e Militares da Reserva (bombeiro) com autorização do Comando. A empresa que prestará o serviço de treinamento deverá possuir registro (CNPJ), emitir Nota Fiscal ou NFe, Técnico ou Engenheiro Responsável e número de CNAE compatível com o exercício da atividade a ser executada. Estes itens fazem valer que tanto os órgãos públicos e serviços em âmbito Federal, Estadual ou Municipal aceitem toda documentação como certificados e laudos, ainda este possuindo validade para perícias oficiais e seguradoras.
  10. 10. MANUAL DE DICAS PARA PLANO DE COMBATE Á INCÊNDIOS 10 REGRAS BÁSICAS DE PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNDIO COMPORTAMENTO DO FOGO DEFINIÇÃO: Fogo (combustão) é uma reação química de oxidação, auto-sustentável com liberação de luz, calor, fumaça e gases. ELEMENTOS ESSENCIAIS DE COMBUSTÃO: Didaticamente adota-se o tetraedro para explicar a combustão, sendo cada face desta figura geométrica um dos elementos essenciais da combustão. Portanto são elementos essenciais da combustão: • CALOR • COMBURENTE • COMBUSTÍVEL • REAÇÃO EM CADEIA COMBUSTIVEL É toda a substância capaz de queimar e alimentar a combustão. Pode ser sólido, líquido ou gasoso. COMBURENTE É o elemento que possibilita vida ás chamas e intensifica a combustão, sendo o mais comum o Oxigênio (O2). O ar que respiramos é composto de: • 21% de Oxigênio (02 ) • 78% de Nitrogênio (N2) e • 1% de outros gases. COMBUSTÃO COMPLETA (com chamas): Ambiente com porcentagem de O2 na faixa de 16% a 21%. COMBUSTÃO INCOMPLETA (brasas): Ambiente com porcentagem de O2 na faixa compreendida entre 8% a 16%. Abaixo de 8% de O2 : NÃO HÁ COMBUSTÃO REAÇÃO EM CADEIA A reação em cadeia torna a queima auto-sustentável. ANOTAÇÕES: P.C.I. PLANO DE COMBATE A INCÊNDIOS
  11. 11. MANUAL DE DICAS PARA PLANO DE COMBATE Á INCÊNDIOS 11 FORMAS DE PROPAGAÇÃO DO CALOR CONDUÇÃO : Transferência de calor através de um corpo sólido de molécula a molécula. CONVECÇÃO : É a transferência de calor pelo movimento ascendente de massas de gases. Em incêndios de edifícios, essa é a principal forma de propagação de calor para os andares superiores. IRRADIAÇÃO : É a transmissão do calor por ondas de energia calorífica. FASES DO FOGO Fase Inicial: Nesta fase, grande parte do calor está sendo consumido no aquecimento dos combustíveis. Características: Oxigênio a 20% no ar Produção de gases inflamáveis Temperatura ambiental a 38º C Queima Livre : Nesta fase o ar em 02, é arrastado para dentro do ambiente por convecção. Isto provoca a entrada de
  12. 12. MANUAL DE DICAS PARA PLANO DE COMBATE Á INCÊNDIOS 12 ar fresco pelos pontos mais baixos das aberturas do ambiente. Características: Gases quentes acumulam-se junto ao teto do ambiente A temperatura junto ao teto superar os 700º C Obs.: Ao adentrar em um ambiente nestas condições, manter-se abaixado para evitar danos provocados pelo calor. Queima Lenta : Nesta fase do fogo, normalmente é reduzido a brasas e o ambiente é completamente ocupado por fumaça densa. Características: Altas temperaturas Fumaça densa, rica em monóxido de carbono ( CO) Risco de explosão ambiental. MÉTODO DE EXTINÇÃO DO FOGO Baseia-se na eliminação de um ou mais dos elementos essenciais da combustão. Retirada do Material: Baseia-se na retirada do material combustível, ainda não atingido, da área de propagação do incêndio. Resfriamento: Consiste em diminuir a temperatura do material que está queimando. A água é o agente extintor mais usado. Abafamento: Consiste em diminuir ou impedir o contato do oxigênio com o material combustível. Quebra de reação em Cadeia: extinção feita com agentes extintores que atuam quimicamente na combustão (extinção química). EXTINTORES PORTÁTEIS: Definição: Extintores são aparelhos destinados a combater princípios de incêndio, sendo que recebem o nome de agente extintor que transportam. Todo extintor possui em seu corpo, rótulo de identificação que traz informação sobre as classes de incêndio para as quais é indicado e instruções de uso. REGRAS BÁSICAS DE MANUTENÇÃO Semanais: Verificar acesso, visibilidade e sinalização. Mensais: Verificar pressão de manômetro, lacre e trava de segurança. Semestrais: Verificar o peso do extintor de CO 2 e do cilindro de gás comprimido, no caso de extintores de pressão injetada. Se o extintor estiver abaixo de 90 % do especificado, deve ser recarregado. Anuais: O extintor deve sofrer inspeção por empresa habilitada pelo INMETRO. Qüinqüenais: Fazer teste hidrostático dos extintores. Obs.: Todo extintor deve possuir o SELO de conformidade do INMETRO, que é a garantia de que foi carregado, inspecionado e testado de acordo com as normas brasileiras. Este selo anualmente altera suas cores para evitar falsificação.
  13. 13. MANUAL DE DICAS PARA PLANO DE COMBATE Á INCÊNDIOS 13 TIPOS DE EXTINTORES E CARACTERÍSTICAS Extintor de Água Pode ser: Pressurizado (com manômetro). Pressão injetada (pequeno cilindro na lateral do extintor). Capacidade: 10 litros Aplicação: Incêndio Classe “A” (materiais sólidos). Extintor de Pó Químico Seco (PQS) Pode ser: Pressurizado Pressão injetada Capacidade: 1, 2, 4, 6, 8 e 12 Kg Aplicação: incêndios Classes “B” e “C” (líquidos inflamáveis e material elétrico energizado). Extintor de Gás Carbônico Capacidade: 2,4 e 6 Kg Aplicação: Incêndios Classes “B” e “C” Obs.: Segurar pelo punho do difusor quando em operação. Extintor de Espuma Mecânica Pode ser: Pressurizado Capacidade: 9 litros Aplicação: Incêndios Classe “A” e “B” (sólidos e líquidos inflamáveis) Extintor de Espuma Química Obs.: Em desuso no mercado (norma cancelada) Capacidade: 10 litros Aplicação: Incêndios de Classe “A” e “B” Extintor de Halon (composto halogenados) Capacidade: 1,2, 4 e 6 Kg Aplicação: Incêndios Classe “B” e “C” ANOTAÇÕES:
  14. 14. MANUAL DE DICAS PARA PLANO DE COMBATE Á INCÊNDIOS 14 CLASSIFICAÇÃO DOS INCENDIOS E MÉTODOS DE EXTINÇÃO Os incêndios são classificados de acordo com os materiais combustíveis envolvidos. Esta classificação é feita para determinar o melhor agente extintor para o tipo de incêndio específico. INCÊNDIO CLASSE A: Incêndio em combustíveis sólidos. Ex.: madeira, tecidos, espuma etc. Características: queima em superfície e profundidade, deixando resíduos. Melhor método de extinção: resfriamento com uso de água ou espuma. INCÊNDIO CLASSE B: Incêndio em combustíveis líquidos, graxas e gases. Características: queima em superfície e não deixa resíduo. Melhor método de extinção: abafamento. INCÊNDIO CLASSE C: Incêndio envolvendo equipamentos elétricos energizados. Métodos de extinção: abafamento OBS. IMPORTANTE: Não utilizar extintor que conduza energia elétrica como água ou espuma. INCÊNDIO CLASSE D: Incêndio em metais combustíveis pirofóricos. Ex.: magnésio, zinco, antimônio etc. Características: Reagem com agentes extintores comuns que contenham água. Métodos de extinção: Abafamento com agentes extintores especiais e retirada de material. INCÊNDIO CLASSE E: Incêndio em gordura, óleos e derivados. Ex.: óleo vegetal, gordura para frituras, óleo mineral, outros. Características: Reagem com agentes extintores comuns que contenham água. Métodos de extinção: Abafamento com agentes extintores especiais e retirada de material. HIDRANTES Definição: Um sistema de hidrantes é composto de um reservatório de água (elevado ou subterrâneo), de onde sai uma tubulação fixa, com diâmetro mínimo de 11/2” (63 mm), que alimenta pontos terminais distribuídos de maneira uniforme e estratégica, para que toda a área da edificação fique protegida. A rede de hidrantes prolonga-se até o passeio, onde é colocado um registro de recalque para uso do Corpo de Bombeiros.
  15. 15. MANUAL DE DICAS PARA PLANO DE COMBATE Á INCÊNDIOS 15 COMPONENTES DE UM HIDRANTE: • Abrigo metálico para mangueiras. • Lance de mangueira Tipo 2 (máximo 30 m). • Esguicho Regulável. • Tomada de água equipada com um dispositivo de manobra e uma conexão na saída. • Registro de ângulo. BOMBA DE INCENDIO: No caso de reservatórios subterrâneos ou elevados, quando a altura desta não é suficiente para atender a pressão mínima de operação do hidrante, é colocadas uma bomba de recalque, com ligação elétrica independente da chave geral da edificação, que bombeia a água através da tubulação. O acionamento desta bomba normalmente é feito através de botoeiras, tipo liga / desliga, junto aos hidrantes. TELEFONES ÚTEIS Os telefones relacionados abaixo são referentes ao município de São Paulo, e podem lhe ser úteis para qualquer eventualidade. • Acidentes de Trânsito - 194 • Água e Esgoto - 195 • SAMU / Pronto Socorro - 192 • Centro de Controle de Zoonose - 6224 5500 • ComGás - 0800 110 197 • Corpo de Bombeiros - 193 • Defesa Civil - 199 • Disque DERSA - 0800 555 510 • Eletro Paulo - 0800 196 196 • Hospital das Clínicas - 3069 6000 • Hospital Universitário (USP) - 3039 9200 • IML - 3088 7559 • Instituto Adolfo Lutz - 3068 2800 • Instituto Butantã - 3726 7222 • Instituto Pasteur - 3288 0088
  16. 16. MANUAL DE DICAS PARA PLANO DE COMBATE Á INCÊNDIOS 16 Avaliação Teórica da Brigada de Combate à Incêndio Nome:____________________________________ Empresa / Condomínio: ___ Data: ____/____/_____ 01 – Fogo é a reação entre: G Combustível, Agente Extintor e Oxigênio; G Combustível, Calor e Oxigênio; G Combustão, Agente Extintor e Oxigênio; G Combustão, Calor e Oxigênio. 02 – A transmissão de calor de um local para outro, é possível por: G Condução, Isolamento e Convecção; G Condução, Irradiação e Isolamento; G Condução, Espalhamento e Fogo; G Condução, Convecção e Irradiação. 03 – Fogo de Classe “A” ocorre em: G Combustíveis Gasosos; G Combustíveis Sólidos; G Combustíveis Pirofóricos; G Combustíveis Líquidos. 04 – Fogo de Classe “B” ocorre em: G Combustíveis Líquidos e Gasosos; G Combustíveis Pirofóricos; G Combustíveis, Sólidos e Líquidos; G Só em Combustíveis Líquidos. 05 – Sinalize os agentes extintores de incêndio: G Combustível, Calor e Oxigênio; G Calor, Água e Fogo; G Fulgor, Combustão e Ignição; G Espuma, Gás Carbônico, Pó Químico Seco e Água. 06 – A água é indicada para incêndio de: G Classe A; G Classe D; G Classe B; G Classe C. 07 – O Pó Químico Seco é indicado para incêndio de: G Classe B; G Classe C; G Classe D; G Classe A. 08 – O tetraedro do fogo é constituída simbolicamente de: G Combustível, Calor, Oxigênio e Reação em Cadeia; G Reação em Cadeia, Convecção, Oxigênio e Calor; G Calor, Água, GLP e Gasolina; G Combustível, Calor, Solvente e Reação em Cadeia. 09 – Qual o telefone para acionamento do Corpo de Bombeiros? G 197; G 193; G 192; G 190. 10 – Qual a primeira atividade que a brigada deve executar: G Ligar para os condôminos e para o bombeiro; G Utilizar os extintores, ligar para o bombeiro e moradores; G Desligar a energia, desligar elevadores, corte de gás, ligar 193 ; G Solicitar para as pessoas ligarem para o bombeiro e SAMU. 11 – Qual o período de realização e validade da brigada: G Bienal; G Semestral; G Uma única vez; G Anual. 12 – A brigada tem validade legal para: G Seguradora, AVCB, ISO e Prefeitura; G Somente por segurança; G AVCB e por segurança; G Cumprir obrigatorieda do Decreto.
  17. 17. MANUAL DE DICAS PARA PLANO DE COMBATE Á INCÊNDIOS 17 REFERENCIAS ABNT 10.721...................................................................................................................Extintor Pó Químico Seco ABNT 11.715............................................................................................................... Extintor Água Pressurizada ABNT 11.716........................................................................................................................................ Extintor CO2 ABNT 11.742........................................................................................Porta corta-fogo para saída de emergência ABNT 14.276............................................................................................................................Brigada de Incêndio ABNT 14.608..................................................................................................................Bombeiro Profissional Civil ABNT 15.219................................................................................................Plano de Emergência Contra Incêndio Decreto Estadual de São Paulo................................................................................................................56.819/11 Decreto Municipal de São Paulo..............................................................................................................32.329/92 Instrução Técnica do Corpo de Bombeiros do Est. de São Paulo. Protocolos de Emergências do Corpo de Bombeiros do Estado do Paraná, Rio de Janeiro e São Paulo. Elaboração: Robson Maziero – Gestor em Segurança e Medicina do Trabalho Copyright © 2003-2013 3R BRAZIL consultoria e assessoria em gestão empresarial e treinamentos . Contato: www.3rbrazil.com.br atendimento@3rbrazil.com.br - São Paulo Fica expressamente proibido a cópia ou utilização de textos ou imagens de forma parcial ou total do conteúdo deste material sem autorização por escrito conforme previsto em lei de direitos autorais. Lei nº 9.610 de 19/02/1998
  18. 18. MANUAL DE DICAS PARA PLANO DE COMBATE Á INCÊNDIOS 18

×