OS MINEIROS DO CHILE:  Um estudo Psicossocial
O Soterramento <ul><li>A situação é de confinamento, enclausuramento. </li></ul><ul><li>O mundo subterrâneo, o subsolo -  ...
EXPERIÊNCIA DE MORTE <ul><li>A experiência do confinamento impõe uma rotina rígida, para atender necessidades da organizaç...
COMUNICAÇÃO <ul><li>Um pequeno duto de 16 centímetros de diâmetro é o  único contato com o exterior.  </li></ul><ul><li>Es...
<ul><li>Pelo duto, os mineiros recebem água, alimentos e notícias do mundo exterior. Até vídeos de futebol, com cenas de j...
<ul><li>No acidente do dia 5 de agosto, quando acesso à mina foi bloqueado, os 33 mineiros soterrados não puderam sair por...
Solidariedade entro os mineiros <ul><li>Psicólogos apontam que a solidariedade entre os mineiros, que tiveram de se unir p...
<ul><li>&quot;A convivência entre eles também ajuda. O grupo sempre vai ajudar, mas algumas pessoas podem atrapalhar, depe...
O que será dos 33 Mineiros?   <ul><li>Sem querer, os mineiros passaram de trabalhadores anônimos a celebridades midiáticas...
<ul><li>O risco de que sofram de transtorno de estresse pós-traumático (TEPT) também existe: o indivíduo &quot;revive&quot...
Eles serão capazes de trabalhar em uma mina novamente?   <ul><li>Isto dependerá das necessidades de cada um e de sua força...
Readaptação <ul><li>Há relatos de que os mineiros concordaram legalmente em compartilhar de maneira igualitária os frutos ...
Da euforia à depressão <ul><li>Depois de tudo que passaram nesses dois meses soterrados, vem a euforia – o grande alivio, ...
Internalização <ul><li>Psicólogos dizem que internalizar a experiência será um desafio. Alguns podem sofrer estresse pós-t...
<ul><li>“ Certas coisas vão desencadear as lembranças do evento – sensações, o cheiro da terra ou o ruído da broca. Eles f...
Famílias dos mineiros estão no alvo dos impactos psicológicos <ul><li>Apesar do papel secundário que as famílias dos minei...
<ul><li>O estresse pós-traumático é uma manifestação persistente ou tardia de sintomas como pesadelos recorrentes, angústi...
Luto em suspenso <ul><li>“ O soterramento do Chile é um acontecimento único no mundo. Apesar da catástrofe – que não esper...
<ul><li>O doutor em Neurociências e Comportamento pelo Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo, Julio Peres, ...
Celebridades, e aí? <ul><li>“ A grande dificuldade é responder o ‘e aí?’, diz Eduardo Ferreira-Santos. “Não sabemos se os ...
<ul><li>O psiquiatra José Thomé, coordenador da comissão técnica de intervenções em desastres e crises da Associação Brasi...
<ul><li>Se o estado de saúde físico desses operários já está relativamente controlado, eles começam a apresentar os primei...
<ul><li>Por sua vez o diretor da Escola de Medicina da Universidade  de Santiago de Chile , Ricardo Peña, considera que há...
<ul><li>O especialista recomenda que  a extração deveria realizar-se de noite para que se reduzam as possibilidades de sof...
Experiências que mudam a vida <ul><li>Esta experiência pode provocar que os mineiros valorizem aspectos da vida terrenal d...
Condição psicológica   <ul><li>No dia anterior, a mulher de Mamani afirmou ao site de VEJA que o marido estava extremament...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Os%20 mineiros%20do%20chile[1]

791 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
791
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
36
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Os%20 mineiros%20do%20chile[1]

  1. 1. OS MINEIROS DO CHILE: Um estudo Psicossocial
  2. 2. O Soterramento <ul><li>A situação é de confinamento, enclausuramento. </li></ul><ul><li>O mundo subterrâneo, o subsolo - diante do desastre passa a ser um espaço de luta de sobrevivência – EXPERIÊNCIA DE ASSOMBRAMENTO </li></ul>
  3. 3. EXPERIÊNCIA DE MORTE <ul><li>A experiência do confinamento impõe uma rotina rígida, para atender necessidades da organização psíquica, social, fisiológica dos sobreviventes. </li></ul><ul><li>Especialista sugere que os mineiros viveram , numa espécie de “bolha” – terão que passar por uma descompressão </li></ul>
  4. 4. COMUNICAÇÃO <ul><li>Um pequeno duto de 16 centímetros de diâmetro é o único contato com o exterior. </li></ul><ul><li>Esse canal é fundamental para amenizar os efeitos de estresse e ansiedade causados pelo soterramento. </li></ul>
  5. 5. <ul><li>Pelo duto, os mineiros recebem água, alimentos e notícias do mundo exterior. Até vídeos de futebol, com cenas de jogos de Pelé e Maradona, foram enviados aos mineiros, além de cartas das famílias. </li></ul><ul><li>O resgate poderia durar até quatro meses. Após a descoberta de que os mineiros estavam vivos, as autoridades chilenas evitaram informá-los de que o resgate seria longo. Ao decorrer da semana, eles ficaram cientes de que a operação levaria pelo menos mais de um mês. </li></ul>
  6. 6. <ul><li>No acidente do dia 5 de agosto, quando acesso à mina foi bloqueado, os 33 mineiros soterrados não puderam sair porque o duto que supostamente serviria como via de escape não contava com as escadas necessárias. </li></ul><ul><li>A existência de um líder também colabora para evitar crises no comportamento do grupo. O mineiro Luís Urzua é o chefe dos trabalhadores e estabeleceu funções e tarefas, além do racionamento de alimentos, que os permitiu sobreviver até entrar em contato com o mundo exterior. </li></ul>
  7. 7. Solidariedade entro os mineiros <ul><li>Psicólogos apontam que a solidariedade entre os mineiros, que tiveram de se unir pela própria sobrevivência, deve ajudar na recuperação. </li></ul><ul><li>“ Muitas pessoas superam as adversidades que vivenciam quando compartilham essa experiência”, dia o psiquiatra, Christopher Findlay.O especialista em trauma crê que o tempo passado no subterrâneo pode ter sido útil para processar parte da experiência. </li></ul>
  8. 8. <ul><li>&quot;A convivência entre eles também ajuda. O grupo sempre vai ajudar, mas algumas pessoas podem atrapalhar, dependendo da reação delas aí dentro&quot;. </li></ul><ul><li>Segundo o governo chileno, cinco dos 33 trabalhadores têm sinais de depressão. Para o médico do IPQ, sob um estresse prolongado, em caso de meses, a probabilidade de desencadear uma depressão decorrente da circunstância é muito grande. </li></ul>
  9. 9. O que será dos 33 Mineiros? <ul><li>Sem querer, os mineiros passaram de trabalhadores anônimos a celebridades midiáticas. Psicólogos chamam atenção para as possíveis conseqüências do episódio vivido pelos homens, como estresse pós-traumático e impactos da fama inesperada. </li></ul>
  10. 10. <ul><li>O risco de que sofram de transtorno de estresse pós-traumático (TEPT) também existe: o indivíduo &quot;revive&quot; com lembranças e pensamentos a situação traumática e disso podem derivar sintomas físicos, como insônia e irritabilidade. </li></ul><ul><li>&quot; O problema pode se desenvolver de forma aguda, que pode durar de dois a três meses e desaparecer, ou crônica, que requer apoio psiquiátrico ou psicológico de longo prazo&quot;, diz González. </li></ul>
  11. 11. Eles serão capazes de trabalhar em uma mina novamente? <ul><li>Isto dependerá das necessidades de cada um e de sua força psicológica, o que vai variar entre os mineiros. Alguns já adiantaram que pretendem abandonar a mineração. </li></ul>
  12. 12. Readaptação <ul><li>Há relatos de que os mineiros concordaram legalmente em compartilhar de maneira igualitária os frutos de sua história. </li></ul><ul><li>O Dr. Thompson sublima que os homens viveram dois meses em uma espécie de bolha, acostumados a uma alimentação regulada, exercícios rotineiros e turnos padrões. </li></ul><ul><li>“ Eles terão de passar por uma descompressão para voltar a tocar sua própria vida,” afirmou o psicólogo. </li></ul>
  13. 13. Da euforia à depressão <ul><li>Depois de tudo que passaram nesses dois meses soterrados, vem a euforia – o grande alivio, a emoção de reencontrar a família, a comemoração de um resgate bem-sucedido. </li></ul><ul><li>Por mais de dois meses, os homens viveram no subsolo a quase 700 metros de profundidade, no interior da mina. Os primeiros chegaram à superfície após uma tensa viagem de 20 minutos dentro de uma minúscula cápsula, e se depararam com a emoção das famílias e os olhos da mídia. </li></ul>
  14. 14. Internalização <ul><li>Psicólogos dizem que internalizar a experiência será um desafio. Alguns podem sofrer estresse pós-traumático na tentativa de se reajustar à vida comum. </li></ul><ul><li>“ Pode ser que as lembranças do evento ainda causem insônia, pode ser que o sono seja problemático, pode ser que eles se peguem pensando no acontecimento muito frequentemente”, afirma o Dr. Thompson. </li></ul>
  15. 15. <ul><li>“ Certas coisas vão desencadear as lembranças do evento – sensações, o cheiro da terra ou o ruído da broca. Eles ficarão surpresos ao descobrir que, mesmo tendo saído de dentro da mina, ainda se sentirão fisicamente nela”. </li></ul><ul><li>Para o psicólogo, “ se eles tiverem tido uma forte impressão de que morreriam, haverá uma enorme tensão emocional”. </li></ul>
  16. 16. Famílias dos mineiros estão no alvo dos impactos psicológicos <ul><li>Apesar do papel secundário que as famílias dos mineiros tiveram em seu resgate cinematográfico de mais de 22 horas, elas agora podem protagonizar juntamente com eles um drama comum após situações de trauma intenso. Quando as luzes das câmeras se apagarem, os flashes dos fotógrafos ficarem escassos e a euforia da sobrevivência diminuir em meio à rotina, os impactos psicológicos, dizem os especialistas, podem vir à tona. </li></ul>
  17. 17. <ul><li>O estresse pós-traumático é uma manifestação persistente ou tardia de sintomas como pesadelos recorrentes, angústia, medo e depressão. </li></ul><ul><li>É assim denominado em duas situações. Uma delas é quando os sintomas duram por mais de dois meses após o trauma. A outra é quando surgem entre 90 dias e em até 5 anos. </li></ul>
  18. 18. Luto em suspenso <ul><li>“ O soterramento do Chile é um acontecimento único no mundo. Apesar da catástrofe – que não esperamos assistir novamente –, a situação dos mineiros e de seus parentes é um terreno fértil para pesquisas sobre medicina e psicoterapia. Por isso, acredito que eles precisam ser acompanhados por pelo menos cinco anos”, afirmou o médico Eduardo Ferreira-Santos, psiquiatra coordenador do Hospital das Clínicas de São Paulo e especializado em traumas e violência. </li></ul>
  19. 19. <ul><li>O doutor em Neurociências e Comportamento pelo Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo, Julio Peres, lembra que, não bastasse a angústia da espera, essas famílias vivenciaram por 17 dias um “luto em suspenso”. </li></ul><ul><li>“ As primeiras duas semanas foram de ausência total de noticias. Até surgir aquele bilhete dizendo que os mineiros estavam vivos e bem, os parentes conviveram com uma angústia sobre o imponderável”, afirmou Peres. </li></ul>
  20. 20. Celebridades, e aí? <ul><li>“ A grande dificuldade é responder o ‘e aí?’, diz Eduardo Ferreira-Santos. “Não sabemos se os mineiros vão usar essa experiência, seguida de exposição heróica, a seu favor ou de forma prejudicial”, disse. De acordo com ele, também é difícil mensurar se as suas famílias serão mais protegidas ou mais vitimadas por ocupar esse papel secundário – até mesmo na mídia – depois do resgate dos 33 homens. </li></ul>
  21. 21. <ul><li>O psiquiatra José Thomé, coordenador da comissão técnica de intervenções em desastres e crises da Associação Brasileira de Psiquiatria, fala a VEJA.com sobre a situação em que se encontram os 33 mineiros soterrados no Chile, desde o dia 5 de agosto, quando uma rocha desabou na mina de San José, no deserto de Atacama, eles estão presos a 700 metros de profundidade, onde devem permanecer por até quatro meses. </li></ul>
  22. 22. <ul><li>Se o estado de saúde físico desses operários já está relativamente controlado, eles começam a apresentar os primeiros sinais de problemas psicológicos. Nesta sexta-feira, cinco deles foram oficialmente diagnosticados com depressão. O estresse causado pela clausura e pelo longo período de espera parece ser um dos principais obstáculos. “Por melhor que seja a condição emocional dessas pessoas, passar por esse tipo de situação significa, indubitavelmente, que vão desenvolver algum transtorno ”, diz Thomé. O médico revela quais tipos de pensamentos passaram e ainda devem passar pela cabeça desses operários e explica sobre os riscos psicológicos que eles correm ao longo do processo de resgate. </li></ul>
  23. 23. <ul><li>Por sua vez o diretor da Escola de Medicina da Universidade de Santiago de Chile , Ricardo Peña, considera que há uma série de fatores muito importantes que se devem considerar ao momento de resgatar aos trabalhadores. Assim, a esperança do médico se enfoca em que os trabalhadores, depois do atendimento médico com que foram tratados, não deveriam apresentar maiores problemas ao momento de sair, além de uma adaptação física e psicológica que deveria demorar 15 dias . </li></ul>Um resgate saudável
  24. 24. <ul><li>O especialista recomenda que a extração deveria realizar-se de noite para que se reduzam as possibilidades de sofrer problemas visuais . De outro modo, crê que os mineiros deverão sair com antiparras e acostumá-los à luz gradualmente, coisa de evitar algum problema de cegueira temporária. </li></ul>
  25. 25. Experiências que mudam a vida <ul><li>Esta experiência pode provocar que os mineiros valorizem aspectos da vida terrenal de uma forma absolutamente diferente ao momento de sair, como a família, os filhos ou o lar ” indica o docente da Escola de Psicologia da Universidade de Valparaíso , Guido Demicheli. </li></ul><ul><li>“ Provavelmente, uns mais do que outros serão os que deverão ter ajuda intensiva porque dizer do que todos a precisarão é um exagero , inclusive poderia ter alguns que não apresentem grandes mudanças e que cedo estejam capacitados para voltar a baixar a uma mina”. </li></ul>
  26. 26. Condição psicológica <ul><li>No dia anterior, a mulher de Mamani afirmou ao site de VEJA que o marido estava extremamente assustado e chorava muito. “Ele me falou que coisas muito fortes aconteceram lá embaixo na mina, mas que contaria aos poucos”, disse. </li></ul><ul><li>Perguntado sobre o assunto, o chefe da equipe de psicólogos que tratou os mineiros, Alberto Iturra, afirmou que o nervosismo de Mamani era normal devido à situação. “Todos os mineiros estão extasiados com toda esta situação, o que prejudica o estado psicológico deles”, justificou . </li></ul>

×