Viagem de Uma Gota (Trab.3)

934 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
934
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Viagem de Uma Gota (Trab.3)

  1. 1. Viagem de uma gota de água Alunas: Inês Antunes e Helena Ferreira Ano-Turma: 8ºE Trabalho de Geografia “ O meio natural: cursos de água”
  2. 2. <ul><li>Viagem de uma gota de água </li></ul><ul><li>Em cada slide escreve aquilo que a gota de água pode observar na sua viagem. </li></ul><ul><li>Não te esqueças de usar vocabulário geográfico que aprendeste nas aulas. </li></ul><ul><li>Escreve o teu nome no 1º slide. </li></ul><ul><li>Grava o teu trabalho. </li></ul><ul><li>Envia-o ao teu professor, por email ou para a plataforma “ e-Geografia ”. </li></ul><ul><li>Bom trabalho. </li></ul>Instruções
  3. 3. No princípio... 1 Foi sempre a descer! Estava numa nuvem enorme junto a várias gotas, a viajar pelo mundo fora. Até que, devido às condições atmosféricas, caí. Passei do céu à terra, passando por altas montanhas rodeadas de nevoeiro.
  4. 4. 6 Escorreguei por ervas até chegar à nascente do rio Molhado. Aí juntei-me a várias gotas. Como estávamos no Verão, havia poucas gotas naquela zona. Tinha que desviar-me porque havia vários calhaus no meio do caminho, que me vão acompanhar até ao mar.
  5. 5. 5 Cruzei-me com uma confluência e fui pelo caminho onde tinha menos calhaus (para não ter que me desviar tanto). Mas fui ter a uma cascata com água ligeiramente mais fria. Aqui, o caudal era um pouco maior.
  6. 6. 2 Ontem começou o Outono e choveu. Entretanto passei por um lugar muito agitado e com água muito fria...eram rápidos. As margens eram constituídas por rochas.
  7. 7. 7 Esta é a parte mais divertida do meu percurso, porque vou rolar as rochas e levá-las comigo. Fazendo algumas curvinhas, vou atravessando vales cobertos de erva.
  8. 8. 8 Estou no curso médio ! É só curvas para ali e curvas para acolá. Mas vou movendo-me, lentamente, por entre campos de erva. Nesta altura, os calhaus ficaram para montante, e agora ando entre calhaus mais pequeninos e redondinhos e pedras.
  9. 9. 4 Entre meandros, atravesso um vale aberto coberto de ervas, árvores e florestas… A água vai deixando algumas pedras nas margens.
  10. 10. 10 Estou a chegar perto da população. As pedras estão a tornar-se em areias. Devo estar perto da foz, porque já se começa a ver vestígios humanos.
  11. 11. 3 Está muito barulho aqui! Passa uma auto - estrada aqui mesmo ao lado! O caudal é bastante maior. Aliás, o caudal tem estado sempre a aumentar desde a nascente até aqui. Com tanta água, acho que estamos no Inverno.
  12. 12. 9 Tem sido um ano seco! Passou-se o Inverno e a Primavera, e pelo caudal do meu querido rio Molhado, nota-se que estamos no Verão. Estamos mesmo pertinho da foz porque as pedras tornaram-se uma fininha areia. O rio não está muito profundo.
  13. 13. 11 Já sinto o cheiro a maresia! Estou na foz (em forma de estuário) e estou a adorar… Encontrei outras gotas que me vão acompanhar até ao oceano. Nesta zona vou muito devagarinho e dá para ver a paisagem. As minhas amigas areias estão a encalhar nas margens.
  14. 14. Fim 12 Finalmente cheguei ao mar! Agora vou poder navegar pelo oceano fora até ser evaporada novamente.

×