Américo Vespúcio:                                        Falta de sinalização                                        preoc...
Novidade                                                            Editorial                                             ...
Dislexia não                                                        LOHANNA LIMA (*)                  sionais é designado ...
Confecção e venda de ovos                                                        Atelier Arte’s e Cia                     ...
Gira-Praça leva cultura e diversão                                                                                        ...
“A cidade não é                                                                                Informativo eletrônico     ...
“Tem que morrer mais gente,                                                                                               ...
O próximo passo?                                                                                                          ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Paginas abertas jan abr

541 visualizações

Publicada em

Jornal paginas abertas janeiro a abril

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
541
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
53
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Paginas abertas jan abr

  1. 1. Américo Vespúcio: Falta de sinalização preocupa população A avenida Américo Vespúcio é hoje muitos acidentes. O mais movimentado a principal via de ligação entre as regi- de todos estes cruzamentos é o da rua ões Norte e Nordeste e o bairro do Cai- José Benedito, que, além de ser um çara, na região Noroeste. Além de ser ótimo atalho para quem vai ao Shop- um agitado centro comercial, tem trá- ping Del Rey e para o Anel Rodoviário, fego pesado e perigosas esquinas, onde fica perigosamente próximo a escolas e a falta de sinalização tem provocado creches. PÁGINA 7abertas M uito além JANEIRO A ABRIL DE 2011 s das sala de aula idas ANO I - NO 13 hec s já c o n A lé m d a as e artes a- café , caix cestas de o Atelier Arte’s natos em geral, ade comunid esenta à e Cia apr os de p áscoa io s o s o v PÁGINAS d e li c 4 PÁGINA caseiros. Tarde cultural Nayara Carmo anima Nova Dislexia: Atleta enche esperança Parceria entre SESC, um mal quase de orgulho a N e w t o n Pa i v a e I C O B invisível comunidade movimenta praça no bairro Nova Esperança, levando Dificuldade na fase de aprendizado Carla Ferreira Santos é destaque do aos moradores saúde, cul- pode não ser apenas distração ou pre- Minas Tênis Clube e também da comu- tura e lazer. O evento con-CONTATOS guiça. Há outras explicações para crian- nidade. Ela nos conta mais sobre sua tou com música, dança,31. 30325452 ças e adolescentes com problemas em carreira e sobre seu título de campeã oficina de rádio e muitaicolegariobalbino@yahoo.com.br desempenhar tarefas escolares. mundial pela seleção brasileira juvenil. diversão. PÁGINA 5olegariobalbino.blogspot.com PÁGINA 3 PÁGINA 8
  2. 2. Novidade Editorial Opinião Educação e Campanha da solidariedade Fraternidade CICA ALFER Amigo Leitor ajuda o planeta O instituto cultural Olegário Balbino, ANA PAULA DUARTE,situado na Rua Margarida P Torres, 1460, . MIRIÃ AMARO E NAYARA CARMONova Esperança, Belo Horizonte, vem Alunos da Central de Produção Jornalística Newton Paivatrazendo oportunidades aos moradoresda região através dos cursos preparatórios, ÉDERSON BATISTA BALBINO A Campanha da Fraternidade foi lan-pré-vestibular, pré-Enem e supletivo, que çada na quarta-feira de cinzas, dia 9 de É com muita alegria que venho apresentar a vocês, mais março. O projeto, idealizado pela Confe-oferece mediante taxa simbólica. Para participar, basta se inscrever na uma edição do jornal Páginas Abertas em parceira com a rência Nacional dos Bispos do BrasilAvenida Américo Vespúcio, 1610, Nova (CNBB), tem como tema “FraternidadeEsperança, Belo Horizonte, levando Oficina de Imagens, Gráfica O Lutador e Alunos de jorna- e a vida no Planeta”. O jornal “Páginascopia e original do RG, CPF e compro- Abertas” conversou com dois religiosos lismo Newton Paiva.vante de residência. Para outras infor- sobre o assunto.mações, é só entrar em contato pelo Nesta edição, abordamos importantes temas como ; Pes- Arquivo Pessoaltelefone (31) 30325452. O horário deatendimento é de 19 às 21h, de segunda soas desaparecidas, Falta de sinalização na av. Américoa sexta-feira. Confira a opinião de dois alunos: Vespúcio, Dislexia, Esportes e muito mais. Sempre pensando em nossa comunidade este ano pro- PASTOR PATRÍCIO,“Estou gostando muito da iniciativa. É um da Igreja Batista de Nova Esperançacurso muito bom, que nos mostra também moveremos diversos eventos culturais como; o segundo “Ações como esta devem ser contínuas, jáa importância do desempenho e da força de que os problemas são contínuos também.vontade do aluno. Pretendo prestar vesti- Gira praça, o terceiro Cald Fest, Palestras, Oficinas profis- Iniciativas assim despertam para umabular para o curso de direito, ainda esse sionalizantes e não se esquecendo é claro do nosso Pré-ves- mudança de vida, porém, esta não seano, e sinto que com essa estrutura tenho resolve do dia para a noite; é necessáriouma chance maior de conseguir.” tibular e Supletivo comunitário, que neste semestre conta um tempo de maturação para que efeti- vamente aconteça uma reestruturação JOSÉ HENRIQUE DE OLIVEIRA 34 ANOS, ESTUDANTE DO PRÉ-VESTIBULAR com 120 alunos e neste seis anos de trabalho ajudou a apro- de vida. A grande ação é se colocar no lugar do outro, já que muitas vezes esten-“É um ótimo trabalho, me sinto muito var diversas pessoas nos vestibulares e exames CESU para demos as mãos e fechamos os olhos”.motivado. Cheguei a comentar com amigos a conclusão do ensino médio. Arquivo Pessoale com o coordenador do curso sobre a orga-nização e a qualidade do ensino. Todos Um novo tempo com mais oportunidades para todos.estão de parabéns! Este ano, espero contarcom o Instituto para conseguir ingressar Uma boa leitura e até a próxima edição.no ramo de engenharia civil e edificações.” PADRE SEBASTIÃO DIOGO DE MELO, CRISTOPHER ARCANJO da Igreja São Cristóvão 25 ANOS, ESTUDANTE DO PRÉ-VESTIBULAR Equipe Páginas Abertas “A palavra-chave é conscientização. A campanha é grande, mas é muito difícilExpediente atingir todas as pessoas. Apesar de aINFORMATIVO DO INSTITUTO CULTURAL OLEGÁRIO BALBINORua Margarida P Torres , 1460 - Nova Esperança - Belo Horizonte - Minas Gerais - CEP 31230 390 . Igreja ser de âmbito nacional, não con-Contato: 31. 3347.3282 - e-mail: icolegariobalbino@yahoo.com.br ou blog: olegariobalbino.blogspot.comRECURSOS HUMANOS segue alcançar todo mundo. AtingimosCOORDENADOR/PROFESSOR: Éderson Batista Balbino, DIRETOR ADMINISTRATIVO: Rômulo Antonio de Araújo, no máximo uns 70%, e neste períodoDIRETORA FINANCEIRA: Rosemayre Costa Carvalho, ADVOGADA:Donata Terezinha Balbino,SECRETÁRIO: Robson Anísio acontecem encontros e seminários paraJORNAL – LABORATÓRIO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO NEWTON PAIVA / CENTRAL DE PRODUÇÃO JORNALÍSTICA – CPJ mostrar às pessoas a realidade em queCOORDENADORA DO CURSO DE JORNALISMO: Marialice Emboava, COORDENADOR DA CENTRAL DE PRODUÇÃO JORNALÍSTICA - CPJ: Eustáquio Trindade Netto – MG02146MT,PROJETO GRÁFICO E DIREÇÃO DE ARTE: Helô Costa – MG00127DG, colaboraram nesta edição estagiários do curso de Jornalismo:Nayara Carmo(edição); Ana Paula vivemos e refletir sobre a maneira queDuarte, Cica Alfer, Diego dos Santos, Geisiane de Oliveira, Isabella Rocha, Lohanna Lima, Miriã Amaro, Nayara Perez, Sérgio Viana.(textos);Daniela Mendonça e Ludmila Rezende (diagramação). estamos agindo. E assim, motivá-los aCORRESPONDÊNCIA: mudar algumas atitudes que prejudi-Centro Universitário Newton Paiva - Campus Carlos Luz: Rua Catumbi, 546 - Caiçara - Belo Horizonte - Minas Gerais - CEP: 31230-600 - Telefone: (31) 3516-2734 - cpj.jornalismo@newtonpaiva.br cam o meio ambiente”. PÁGINA 2
  3. 3. Dislexia não LOHANNA LIMA (*) sionais é designado para trabalhar o se lembra de que, ainda no período da Dificuldade na memorização, cali- problema de forma mais intensiva. faculdade, já sentia dificuldades, mas grafia muito feia (disgrafia), erros distin- Segundo a Dra. Márcia Guima- atribuía ao histórico de seus problemas poupa nem tos em palavras simples. Estes são ape- nas alguns dos sintomas de uma pessoa que sofre de dislexia, um mal que surge rães, médica oftalmologista, além desta dislexia clássica, existe também a dislexia de leitura, campo em que é de visão. “Sou formada em pedagogia, mas fiz direito por um tempo. Por se tratar de uma área que exige muita lei- os gênios com mais frequência do que se imagina. Coincidentemente, é na fase de aprendi- zado que as dificuldades ficam mais evi- especializada: “Trata-se de um pro- blema na percepção visual. A visão é tura, tive bastante dificuldade e acabei abandonando”, justifica. Com o trata- Erros na fase de aprendizado responsável por 80% do nosso apren- mento, ela sentiu logo a diferença. têm explicação além de dentes. Este distúrbio se dá devido a uma dizado. Para identificar e compreen- “Hoje consigo enxergar melhor as cores displicência e desinteresse alteração neurológica do processo cere- der um objeto, primeiramente olha- e leio melhor também — quem sente bral que interfere em várias áreas e que mos para ele.” O que dificulta ainda dificuldades deve procurar logo um dificulta o aprendizado da criança. mais diagnosticá-la é que nem sempre especialista”, aconselha. Sofrer destas disfunções não quer dizer o portador dessa disfunção sofre de Alice faz parte de um contingente de que a pessoa é menos inteligente que as problema de vista. “Às vezes, a criança disléxicos que, segundo a Associação outras, apenas que ela executa as tarefas não precisa usar grau e não é estrábica Brasileira de Dislexia, pode chegar a até de forma diferente. — o problema está na hora de o cére- 17% da população mundial. E que não Devido à falta de conhecimento, os bro trabalhar a informação”, afirma. poupa gênios nem presidentes. Entre os pais, às vezes, interpretam as dificulda- DE GÊNIOS A PRESIDENTES disléxicos mais famosos do mundo estão des como falta de interesse, preguiça, e Engana-se, porém, quem pensa que o ator Tom Cruise, os gênios Leonardo até passam a questionar a inteligência a dislexia é coisa só de criança. A peda- Da Vinci e Thomas Edison (o inventor da da criança. Mas, para reconhecer o goga Alice Bernadete, de 44 anos, des- lâmpada), Napoleão Bonaparte, a escri- problema é necessário que testes espe- cobriu há apenas dois anos que sofria de tora Agatha Christie e os presidentes cíficos sejam aplicados por uma equipe dislexia visual. A descoberta foi total- norte-americanos George Washington e profissional formada basicamente por mente por acaso. “Fui levar minha filha Frank D. Roosevelt. Walt Disney — o neurologistas, psicólogos, fisioterapeu- para fazer os exames, e na conversa com “pai” de Mickey, Pluto, Pato Donald e tas, fonoaudiólogas. Dependendo da a psicóloga acabei me identificando com Pateta — também era disléxico. Nayara Carmo área mais atingida, um desses profis- alguns dos sintomas”, conta Alice. Ela (*) Aluna da Central de Produção JornalísticaComunicação e educação em novos tempos Educação, comunicação e participação são prioridades da ONG Oficina de Imagem Bruno Vilela SÉRGIO VIANA (*) mento e clareza, sempre andando A Oficina de Imagens tem parce- A Oficina de Imagens – Comu- junto com a associação de bairro”. rias nacionais e regionais, que vão danicação e Educação é uma organiza- Para atingir seus objetivos, a institui- Rede Andi Brasil (Agência de Notíciasção da sociedade civil fundada em ção atua por meio do desenvolvimento do Direito da Infância) à Frente Esta-1998, a partir da experimentação de de pesquisas e metodologias de comu- dual de Defesa dos Direitos da Criançalinguagens da comunicação no espaço nicação que visam mobilização social, e do Adolescente. A continuidade dasescolar e da reflexão sobre as relações produção e disseminação de materiais ações é garantida por meio da presta-estabelecidas entre mídia e sociedade. educativos e informativos, formação ção de uma série de serviços no campoÉ o que afirma Bruno Vilela, um dos de atores do Sistema de Garantia de da comunicação. Atualmente, a Ofi-educadores e produtores de imagens Direitos de Crianças e Adolescentes e cina, que atua em Minas, Rio deda ONG. Ao longo desse trabalho, ele cooperação com veículos e profissio- Janeiro, Pará e Maranhão, e é respon-explica que conceitos e práticas rela- nais da mídia, instituições de ensino, sável, por exemplo, por ações de comu-cionadas à “educomunicação”, comu- conselhos de políticas públicas, órgãos jovens, Juventudes urbanas e o Cine- nicação da Associação Brasileira denicação comunitária, novas mídias, governamentais, organismos interna- clube Sabotage, um dos que acontecem Magistrados, Promotores de Justiça earte e tecnologia, entre outros, com- cionais, empresas e entidades sociais. toda quinta-feira na Escola Municipal Defensores Públicos da Infância epõem o campo de pesquisa e experi- Para isso, organiza, participa e apoia Professora Alcida Torres, no Bairro Juventude (ABMP). Em Belo Hori-mentação da entidade. projetos, fóruns, frentes, redes e con- Taquaril, em Belo Horizonte — “é um zonte, está localizada à Rua Salinas, Segundo Bruno, “a comunicação é selhos que articulam os diferentes espaço educativo dedicado á exibição 1101 - no bairro Santa Tereza. Outrasde grande importância para a socie- setores da sociedade na defesa dos de filmes nacionais seguidos por deba- informações:dade, para uma melhor condição de direitos de crianças e adolescentes. tes e discussões sobre direitos huma- www.oficinadeimagens.org.br ou pelovida, para ajudar as pessoas a reivindi- Bruno cita vários projetos, como o nos, cultura, cidadania entre outros, a telefone (31) 3465-6800.car seus direitos com mais conheci- Irradiando, Coletivo Jite, Rede de entrada é gratuita”, explica Bruno. (*) Aluna da Central de Produção Jornalística PÁGINA 3
  4. 4. Confecção e venda de ovos Atelier Arte’s e Cia de páscoa é a novidade, a partir de Abril, no Atelier MIRIà AMARO japonesa, que consiste na arte de loja, essa preparação é necessária. “Já mesmo para celebrar a data. A tradição Há cinco meses, foi aberto no bairro dobrar papel, criando representações sabemos fazer, mas, este mês, vamos de presentear com ovos de verdade éAparecida, o atelier Arte’s e Cia, com o de determinados seres ou objetos. Tais fazer um curso para aprimorar ainda antiga. Na Ucrânia, por exemplo, já seobjetivo de centralizar a comercializa- peças são feitas por um detento, e os mais as técnicas”, diz. Como a procura é trocavam ovos pintados em celebração àção de artigos, que vão de artesanato e itens produzidos por ele são converti- grande, o início da venda e dos pedidos chegada da primavera.cestas para café da manhã até sacolas e dos na redução da pena. para a Páscoa deve começar no início do Os povos do Mediterrâneo tambémbolsas. A renda é destinada à manuten- A última novidade no atelier Arte’s e mês de abril. Outra novidade é que, no tinham esse hábito. Mas, para deixar osção do Instituto Cultural Olegário Bal- Cia é a confecção de ovos de chocolate atelier, haverá pequenas amostras do ovos coloridos, eles eram cozidos combino, que antes divulgava e expunha caseiro feitos pelos próprios funcioná- chocolate para degustação. beterrabas. É claro que não eram paraseus itens nos eventos da comunidade. rios, que se prepararam intensamente COMO SURGIRAM OS OVOS DE PÁSCOA? ser comidos, apenas eram um presente A diversidade de produtos é o princi- para o aperfeiçoamento na fabricação e Reza a lenda que o hábito de dar que simbolizava o início da vida — épal atrativo da loja. E uma de suas mer- produção de ovos de Páscoa. Segundo ovos de chocolate surgiu na França. que durante a Idade Média, os povoscadorias mais pedidas são as caixas de Drielle dos Reis, 24 anos, funcionária da Antes disso, usava-se ovos de galinha pagãos da Europa celebravam a deusapalha, concebidas de maneira artesanal Nayara Carmo da primavera, Ostera, simbolizada pore que já chegam prontas de diversas uma mulher que segurava um ovo emcidades do interior. A venda das caixas sua mão e observava um coelho, quevem fazendo tanto sucesso, que agora só representa a fertilidade. Daí, surgiu aé feita sob encomenda. Depois disso, são ideia dos ovos e do coelho como símbo-ornamentadas da maneira que o cliente los da Páscoa. Vale lembrar que, exata-preferir. A maior frequência de pedidos mente por isso, são símbolos pagãos, eacontece nos dias próximos a datas não católicos.comemorativas, como na Páscoa, Dia Foram necessários mais de 800 anosdas Mães ou dos Namorados ou Natal, para que, no século XVIII, os confeitei-momentos em que a maioria das pes- ros franceses tivessem a ideia de fazersoas quer presentear familiares e ami- ovos recobertos com chocolate – iguariagos com algo criativo e diferente. que chegou à França dois séculos antes, Outro artigo vendido são os ori- pois o cacau, matéria prima do choco-gami – a tradicional arte de origem late, é originário das Américas.Direitos garantidos às crianças da Regional Noroeste UMEI e Conselhos Tutelares são NAYARA CARMO táquio, onde ainda não existe UMEI. órgãos essências na luta em Se o Estatuto da Criança e do Ado- Jaqueline Fonseca Viana, vice- favor da oportunidadelescente (ECA), criado em 1990, tem a diretora da UMEI Castelo, regional Divulgaçãofunção de ser um suporte quanto à Pampulha, ressalta que “as UMEI sãoproteção integral dos menores de mais do que apenas lugares para deixaridade, garantindo a vida, saúde, edu- as crianças; elas proporcionam desen-cação, liberdade e respeito, atuar dia- volvimento social, cultural e psicoló-riamente para assegurar o respeito aos gico — aqui elas aprendem a conviver”.direitos estabelecidos no ECA é o Nessa mesma linha de raciocínio,papel dos Conselhos Tutelares junto às Miriam Aparecida Barbosa, conse-Unidades Municipais de Educação lheira tutelar da Regional Noroeste,Infantil (UMEIS), um projeto diferen- afirma que os conselhos atuam justa-ciado das escolas municipais. mente na garantia de uma convivên- Os conselhos são instituições inde- cia agradável das crianças e adoles-pendentes, mas que têm um vínculo centes com a sociedade. ”È precisoadministrativo com a prefeitura — frisar que este é um trabalho diário.estão presentes nas nove regionais da Quando o Estado nega os direitos esta-capital. O da Regional Noroeste fica na belecidos em lei pelo ECA, é aí querua Rio Pomba, 287, bairro Padre Eus- atuamos”, completa. PÁGINA 4
  5. 5. Gira-Praça leva cultura e diversão AGUAR O prim de 201 DEM eiro gir : a-p 1 acon raça aos moradores da Região Noroeste no 30 d tecerá ea Particip bril. em ! Caroline Lopes DIEGO DOS SANTOS (*) atrativo para a comunidade, integrando artistas e fol- Em comemoração aos 90 anos do bairro Nova clore”, disse. Vale lembrar que, em uma região muito Esperança, um dos mais populosos da região Noro- carente de áreas de lazer, o local, a que os moradores se este de Belo Horizonte, o projeto Gira-Praça, organi- referem como “Praça do Jornal”, é um dos pontos de zado pelo SESC-MG, agitou a tarde dos moradores. encontro da comunidade. O evento visa levar cultura e lazer para as comuni- Segundo Sandro Nunes, as atrações como o dades carentes, por meio de oficinas de arte, música Projeto Gira Praça trazem alegria para um local e brincadeiras, entre outras atividades. A Central de carente de atenção, por parte dos governantes. “É Produções Jornalísticas (CPJ) do curso de Jorna- bom ver como as crianças se divertiram e interagi- lismo do Centro Universitário Newton Paiva partici- ram com a proposta do evento”, afirmou Soares. pou com uma oficina de rádio e outra de jornal Helenice Maria Rodrigues, 10 anos, interna em um impresso realizada pela orfanato da região, adorou participar — principal- De acordo com Milene Rios, representante das mente da oficina de jornalismo impresso. “Queria Unidades Móveis de Orientação Social (UNIMOS) Crianças se ser cabeleireira, mas, ser jornalista parece ser muito divertem na do SESC, diversas oficinas de qualificação foram bom também”. Josiane Alves, de 12, participou da oficina de realizadas desde com os moradores — de grafite, cai- oficina de rádio e disse que achou o máximo — “ado- rádio xas e sacolas de presentes a panetones, bombons e rei entrevistar as pessoas”. cosméticos artesanais. Esses produtos foram expos- Raul Carvalho, aluno do 8º período de jorna- tos com sucesso na praça José Costa, ao lado do jornal lismo, e Henrique Paulinelli, do 3º, afirmaram que “Diário do Comércio”. aprenderam muito com as crianças e adolescentes Éderson Balbino, idealizador do Instituto Cultural que participaram do evento. ”Foi impressionante ver Olegário Balbino e coordenador geral do jornal “Pági- a necessidade da população; algo tão simples para nas Abertas” (produzido em parceria com a CPJ), res- nós, como falar ao microfone, se tornou uma alegria saltou a importância de um projeto sociocultural como para todos”, disseram. esse. “É o pontapé para transformar a praça em um (*) Aluno da Central de Produção Jornalística Fraternidade pela luta Campanha deste ano reflete a da vida no planeta questão ecológica com o foco nas mudanças climáticas MIRIÃ AMARO (*) falando da Amazônia. Belo Horizonte, o lançamento foi no comunicação”. Por isso, adianta padre Tão logo chegou a quaresma, diversas A escolha do tema foi feita diante de sábado, 12, no Santuário Estadual Nossa Ragazzi, “aceitamos opiniões daquelesarquidioceses do Brasil se preparam para várias propostas visando a urgência do Senhora da Piedade. O local foi escolhido que não estão ligados a Igreja, para queos lançamentos locais da Campanha da assunto, a comoção e a objetividade. justamente por seu valor religioso e aconteça a participação de todos”.Fraternidade, que neste ano tem como Devido à gravidade da situação dentro do ambiental — é considerado monumento Durante todo ano serão realizadastema “Fraternidade e a Vida no planeta”, ambiente nacional, a campanha de natural pela Constituição do Estado de palestras, seminários, semanas sociais eseguindo a citação “A criação geme em 2011, assim como as anteriores, quer Minas Gerais e está em uma área prote- diversas ações para o envolvimento dadores de parto”, tirada do livro de Roma- ajudar a construir novas ideias, apon- gida pelo Instituto Estadual do Patrimô- população. E essas atividades têm comonos, capítulo 8, versículo 22. tando princípios para justiça social, nio Histórico e Artístico (Iepha). objetivo geral contribuir para conscien- A Campanha da Fraternidade foi denunciando as ameaças e violações da Segundo o padre Ademir Ragazzi, tizar as comunidades cristãs e pessoascriada em 1964 e esta é a quarta vez dignidade e dos direitos humanos e, con- que responde pelo arcebispo metropoli- de boa vontade sobre a gravidade doque aborda um tema relacionado à pre- sequentemente, abrindo caminhos para tano de Belo Horizonte, Dom Walmor aquecimento global e das mudançass e r v a ç ã o d a n a t u re z a e d o m e i o a prática da solidariedade. Oliveira de Azevedo, na área de Ação climáticas. E assim, motivá-los a partici-ambiente. Antes, em 1979, foi discu- Oficialmente, a campanha teve início Social e Política, “a conscientização em par dos debates e ações que visamtido o tema “Preserve o que é de todos”; na quarta-feira de cinzas, dia 9 de março, massa das pessoas é feita nas igrejas enfrentar o problema e preservar as con-em 2004, “Água, fonte de vida”; em na sede da Conferência Nacional dos Bis- católicas, mas se estende para o restante dições de vida no planeta.2007, ”Vida e missão neste chão”, pos no Brasil (CNBB), em Brasília. Já em da população através dos meios de (*) Aluna da Central de Produção Jornalística PÁGINA 5
  6. 6. “A cidade não é Informativo eletrônico um produto acabado” do Instituto Cultural Olegário Balbino • Janeiro/11 Paz e bem! Patrimônios antigos e modernos podem Aproveito o primeiro informativo de 2011 para apresentar a vocês um balanço conviver em harmonia no cenário urbano do Instituto Cultural Olegário Balbino. 2010 foi um ano bastante produtivo. Com- Nayara Carmo pletamos seis anos de trabalho e agora, temos a honra de apresentar um balanço positivo frente à comunidade e parceiros que nos assistem. Com índices de produ- tividade recorde do ponto de vista qualitativo e quantitativo. Realizamos mais even- tos como: palestras e cursos profissionalizantes, ações estas, que permitiram à comunidade discutir e repensar os seus problemas. Assim o projeto ICOB ganhou novos parceiros, em atuação no terceiro setor. Nossa prestação de contas continu- ará sendo publicada no blog- olegariobalbino.blogspot.com. Boa leitura e um exce- lente 2011 a todos com muita saúde e paz! Um abraço, Éderson Balbino NOVA ELEIÇAO DA DIRETORIA PARA 2011 PRESIDENTE: Éderson Batista Balbino, DIRETOR ADMINISTRATIVO:Rômulo Antonio de Araújo DIRETORA FINANCEIRA: Rosemayre Costa Carvalho Após a composição da diretoria aclamada e empossada pela Assembleia o senhor presidente Procedeu-se a composição do CONSELHO FISCAL ficando na seguinte ordem; 1º Romero Henrique Abdon Silva 2º Fátima Aparecida Januario 3º Sandro Nunes dos Santos Após a composição do conselho Fiscal, foi eleito o senhor Romero Henrique Abdon Silva como LOHANNA LIMA E NAYARA CARMO (*) Para a restauradora e professora do presidente do conselho fiscal. Foram imediatamente empossados em seus respectivos cargos, Diretoria executiva e Conselho Fiscal. Apesar da riqueza de seu patrimônio CECOR - Centro de Conservação e Res-cultural, Belo Horizonte vem sofrendo tauração de Bens Culturais Móveis, EVENTOS PARA A COMUNIDADEcom a descaracterização de seu acervo Bethania Veloso, o processo de conser- O ICOB apresentou em 2010 diversos ofícios, requerimentos e indicações aos órgãos públicosarquitetônico. O descaso para com o patri- solicitando a realização de obras importantes para a comunidade. vação e restauração de um bem envolve “o Em parceria com o Sesc e o Movimento Mineiro pelas pessoas desaparecidas e crianças explo-mônio cultural e com os casarões que resgate da cultura da cidade, tal como a radas ,realizamos em 2010 o projeto Gira praça, cursos de qualificação profissional , palestrascontam parte da história da capital conservação da tradição, mantendo carac- e o Caldo fest I e II.mineira é visível nos bairros mais tradicio- terísticas representativas de um povo”.nais — de Lourdes ao Centro, passando CRIAÇÃO DO BLOG E é justamente isso que enfatiza a pro- O Blog – olegariobalbino.blogspot.com criado em 2010 para servir de apoio ao aluno se tornoupor parte da Floresta, Bonfim e Padre Eus- fessora de Inglês, Sandralea Sousa, her- uma ferramenta de extrema importância na comunicação entre o ICOB seus professores ,cola-táquio. A relação entre desenvolvimento e deira de um lote muito antigo, onde funcio- boradores e alunos. Em menos de três meses de existência já contamos 2000 visitantes.preservação não deve ser de substituição, nava uma escolinha inaugurada em 1950. REUNIÕESmas de aproveitamento da contribuição “Meus irmãos e eu somos muito orgulho- O ICOB acredita nas ações (palestras, cursos eventos e parcerias) realizadas em 2010 comodas gerações passadas como algo enrique- sos por sermos guardiões de um local tão instrumento democrático para discussão de temas que fazem parte da rotina da população ecedor e agregador de qualidade. cheio de memórias da infância pobre e que interferem na relação das comunidades com a cidade. Em 2010 o ICOB realizou 05 pales- Segundo Flávio Carsalade, diretor da tras e 06 cursos profissionalizantes além do Supletivo do segundo grau, pré-vestibular e pré- sofrida, alegre e divertida de tantos ali”. enem. Participamos também de inúmeras outras Reuniões e palestras contribuindo assimEscola de Arquitetura da Universidade Hoje o terreno é ocupado por barra- com os debates.Federal de Minas Gerais, ”o que ocorria cões. A escolinha deixou de existir no localaté algum tempo atrás é que as pessoas em meados de 1965, mas ainda há muito EM PROL DA COMUNIDADEachavam que o antigo era um entrave ao O Instituto Cultural Olegário Balbino (ICOB) tem trabalhado em parceria com outras ONGS carinho e respeito por parte dos proprietá- em diversas situações: apoio em realização de projetos importantes para a nossa região ecrescimento urbano; hoje já se reconhece rios. “O interior está, aos poucos, em fase cidade, apresentação de projetos que valorizam a categoria, participação em reuniões e deba-que essa é uma ideia errônea, e que a de restauração; mudanças são necessá- tes, entre outras iniciativas. Éderson Balbino, que é Presidente e idealizador do Instituto acre-memória edificada da cidade traz quali- rias por causa do processo natural de dita que este é um importante instrumento de luta e participação social (Um novo tempo, com mais oportunidade par todos).dade de vida”. Para ele, o fato de a cidade degradação. Daremos uma nova roupa-nunca ser um produto acabado, e sempre gem à fachada, mas vamos manter vivos FALE CONOSCO: icolegariobalbino@yahoo.com.brestar em transformação, faz com que a seus traços característicos da época em Blog - olegariobalbino.blogspot.comarquitetura clássica represente a identi- que era apenas a escolinha que marcou a EXPEDIENTE:dade de um povo, incentivando um amor infância de muitos da região”. Informativo eletrônico do Instituto Cultural Olegário Balbino - ICOBpela cidade e orientando seus cidadãos. (*) Alunas da Central de Produção Jornalística PÁGINA 6
  7. 7. “Tem que morrer mais gente, Falta de sinalização na esquina da Av. Américo Vespúcio para alguém fazer alguma coisa" com José Benedito trás transtornos para pedestres e motoristas Diego dos Santos NAYARA PEREZ (*) escoamento do tráfego da região, por ser a Principal via de ligação das regiões ligação entre os bairros das regiões Norte eNorte e Nordeste com a região Noroeste. Nordeste com a região Noroeste. Ela atra-A avenida Américo Vespúcio é que nem vessa os bairros Ermelinda, Aparecida,um sambódromo, por onde só desfilam Nova Esperança, Santo André (onde ficaproblemas. O que justifica as palavras a sede da Rede Globo Minas) e chega até oacima, da dona-de-casa Zilda Miranda, Caiçara. É uma das avenida mais movi-que mora na Rua Luiz Monteiro, uma das mentadas da região, com intenso tráfegomuitas esquinas perigosas da Américo de carros e de pedestres, em função daVespúcio. Inconformada, com a falta de atividade comercial, igualmente intensa.sinalização no local e nas ruas próximas, A rua José Benedito, na esquina aoa Zilda traduz o pensamento da maioria lado da Gráfica Paolinelli, é um atalho dosdos moradores em relação à avenida, Ao longo da avenida há escolas, cre- Para os moradores, tanto faz, contanto mais procurados para quem vai para oonde quase não há fiscalização e os aci- ches, muita circulação de crianças, que façam diminuir os acidentes e as Shopping Del Rey ou para o Anel Rodovi-dentes se tornaram rotina. supermercados, sacolões, farmácias e dificuldades para atravessar de um lado a ário, pois diminui o percurso. O motorista A imprudência se vê em todos os luga- intensa circulação de ônibus escolares. outro. “Uma rotatória para os carros faze- José Paulo de Oliveira, que passa diaria-res, mas uma das esquinas mais perigosas Em compensação faltam faixas de pedes- rem o retorno, e para os pedestres pode- mente pelo local, afirma que nunca viué a da Rua José Benedito, já no Bairro Apa- tres, semáforos, e placas, deixando os pais rem atravessar, ou até mesmo a constru- fiscais trabalhando no cruzamento. “Emrecida, próxima ao cemitério da Paz. A aflitos. “Há dificuldade para atravessar a ção de um canteiro, seria muito bom para compensação, cansei de ver batidas e eurua, que é muito estreita, faz ligação entre rua com segurança, demora muito, tem evitar mais acidentes”, diz Guilherme mesmo já fui batido uma vez, por uma Américo Vespúcio e a Carlos Luz, tem que prestar atenção nos dois lados”, explica Las Cazas, auxiliar de vendas, que traba- caminhão carregado”, afirma José. Elemão dupla e é um atalho dos mais procu- Maria das Mercedes, moradora do Bairro lha próximo ao local, e já presenciou disse que os piores dias são a segunda e arados para quem vai para o Shopping Del Aparecida, que já presenciou dois aciden- algumas batidas. sexta-feira, que coincidem com o movi-Rey ou o Anel Rodoviário. Daí o movi- tes. Há congestionamentos nos horários de A AVENIDA mento no Supermercado BH, que ficamento intenso, que contrasta com a falta pico, tanto de manhã quanto à tarde, A avenida Américo Vespúcio é o pro- quase em frente. E concorda com Zildade sinalização, que traz problemas para aumentando o risco de acidentes fatais. longamento da avenida Bernardo Vascon- Miranda: “na hora que morrer mais ummotoristas e pedestres. Um semáforo, rotatória ou canteiro? cellos e desempenha importante papel no eles vão por o semáforo”. DESAPARECIDOS: tempo de reacender esperanças Arquivo Pessoal Robson, fundador do MIDESPAR, busca ajudar Orientação e representação mirim do Clube Atlético Mineiro. Nestes cinco anos de existência, o as famílias junto aos órgãos públicos é com pessoas O movimento busca auxiliar as movimento tem buscado parcerias para o foco do movimento por desaparecidas pessoas desaparecidas famílias, muitas vezes fragilizadas e sem a criação de mecanismos eficientes de CICA ALFER (*) saber como agir diante do desapareci- busca e defesa à pessoa desaparecida, “Indignação em saber que o país mento da criança ou adolescente, por meio de contatos com deputados dapossui um cadastro nacional de veículos orientando-as e representando-as junto esfera estadual e federal, vereadores deroubados, mas não um cadastro nacional aos órgãos publicos para cobrar meca- BH, governo do estado, prefeituras, ações e projetos do MIDESPAR. Para isso,de pessoas desaparecidas”. Assim Rob- nismos eficientes de busca. É trabalho ONG’s e alianças com outros movimen- basta entrar em contato pelo e-mail: desa-son Anísio, ex-garoto de rua, ator e radia- do movimento criar tambem campa- tos importantes, como as Mães da Sé parecidos.mg@ig.com.br, ou pelos telefo-lista, define o sentimento que o levou a nhas para a prevenção do desapareci- (São Paulo) e a CRIDESPAR (Crianças nes (031) 9251-1663/9733-6307. “Deve-criar o Movimento Mineiro pelas Pessoas mento e busca, com palestras e cartilhas Desaparecidas do Paraná), além de par- mos nos unir em prol de uma sociedadeDesaparecidas e Crianças Exploradas distribuídas em escolas públicas e priva- cerias para atendimento psicológico às melhor, para que possamos juntos cons-(MIDESPAR-MG), que surgiu em março das de BH. “Volta”, a campanha, está famílias afetadas. truir a verdadeira paz, em nossa socie-de 2006, após o desaparecimento de em circulação em todo o Estado e seu COMO PARTICIPAR dade”, ressalta Robson Anísio.Douglas Freitas, 13 anos, jogador pré- trabalho de encontrar os desaparecidos. Qualquer pessoa pode participar das (*) Aluna da Central de Produção Jornalística PÁGINA 7
  8. 8. O próximo passo? Ponteira e oposta, Carla é seleção brasileira, campeã mundial infanto-juvenil, A mas sonha ir mais longe, ao lado das claro! mineiras Sheila e Fabiana, na seleção adulta Orlando Bento ISABELLA ROCHA equipe mantida pelo clube, inicial- de jogar. E não esconde que já passou ção no tornozelo, e no momento, se Destaque das categorias de base do mente apenas com o objetivo de ganhar apertos com os preços dos materiais recupera de uma cirurgia feita emMinas Tênis Clube (MTC) por dois experiência. Lá, permaneceu por um esportivos utilizados por Carla. dezembro do ano passado, no liga-anos consecutivos, a jogadora de vôlei ano, mas não alcançou a equipe princi- Hoje, a garota é focada no esporte e mento cruzado do joelho esquerdo.Carla Ferreira Santos, 19, é a mais pal, o que não a fez desistir do seu garante que abrir mão de namorar e “Faço fisioterapia e musculação e pre-jovem atleta da equipe profissional. sonho. Ficou uma semana parada e sair com os amigos foi uma escolha sua. tendo voltar às quadras em cincoCarla já foi campeã mundial atuando emendou um teste com êxito no Como prova dessa dedicação, mora, meses”, revela.pela Seleção Brasileira infanto-juvenil Mackenzie, de onde saiu após três por opção própria, em uma república A mãe não poupa elogios e esbanjaem 2009 e adquiriu experiência inter- anos, retornando ao Minas. mantida pelo clube, com cerca de 30 orgulho pela filha. É sua maior incen-nacional viajando pelo Japão, Itália, OSSOS DO OFÍCIO atletas, mas com direito a tutora, vigi- tivadora, comparece aos jogos e é assu-Tailândia e Holanda. Para quem pensa que a vida de lante e nutricionista. Só nos fins de midamente empolgada. Se alcançar a Aos 11 anos, a atleta já chamava atleta é cheia de regalias, Carla e a mãe semana é que Carla volta para casa e seleção com o time profissional é oatenção pela altura e pelo gosto por provam que não. “No início da minha mata as saudades da família. A garota grande sonho, nem por isso Carla tiraesportes. Segundo sua mãe, Dona carreira, eu pegava ônibus com a aproveita o tempo livre para assistir os pés no chão. Ela sabe que precisaSônia, a garota passava o dia todo minha mãe para ir treinar e contava programas esportivos na televisão. seguir trabalhando no Minas, e que ojogando bola com os colegas. Diante da com a ajuda financeira da minha Atualmente, ela ainda planeja vol- título de campeã mundial que tem nahabilidade demonstrada na rua, Carla irmã”, relata a jogadora. Dona Sônia tar aos estudos e fazer um curso de bagagem só aumenta sua responsabili-foi incentivada por um amigo a partici- não deixa por menos: conta que já com- educação física ou fisioterapia. E tem dade, pois as cobranças são igual-par da “peneira” (seleção) no MTC, prou até cota no Minas Tênis Clube, motivos para isso: apesar de muito mente maiores.onde foi selecionada para uma pré- para que a filha tivesse oportunidade jovem, há quatro anos sofreu uma tor- (*) Aluna da Central de Produção Jornalística

×