Foliões,                                 Miriam Gonçalves                                                                 ...
Opinião                                                                 Editorial                                         ...
LAZER                                        ACM: a serviço da comunidade                     Desenvolver a mente e o corp...
RELIGIÃO                                                           Obras de contemplação                                  ...
EDUCAÇÃO                                                                                                        Novidades ...
CORPO E MENTE                   Falta de lazer favorece aumento da violência                       es  Fotos Miriam Gonçal...
Ao contrário                                                                                                              ...
TRADIÇÃO                        Eu quero é                 botar meu bloco na rua                           Mesmo sem dinh...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Jornal Paginas Abertas Janeiro e Abril 2012

714 visualizações

Publicada em

Jornal Paginas Abertas Janeiro e Abril 2012

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
714
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Jornal Paginas Abertas Janeiro e Abril 2012

  1. 1. Foliões, Miriam Gonçalves o Carnaval 2012 vem com tudo! PÁGINA 8abertas JANEIRO A ABRIL DE 2012 ANO I - NO 16 ACM oferece Região noroeste Com novo projeto, colônia de férias é beneficiada com MC Yuri BH ajuda no bairro Caiçara "Crack nem Pensar" muitos jovensPÁGINAS PÁGINA 3 PÁGINA 6 PÁGINA 7CONTATOS31. 30325452icolegariobalbino@yahoo.com.brolegariobalbino.blogspot.com
  2. 2. Opinião Editorial Evento 1ª CONSOCIAL Prevenção ao Presta Contas Desaparecimento JAQUELINE DE PAULA Nos dias 10 e 11 de novembro foi rea-lizada a 1ª Conferência Municipal SobreTransparência e Controle Social de Belo Feliz 2012! de Crianças e Adolescentes LORAYNE FRANÇOISHorizonte. O evento foi uma grande opor- Idealizada pelo presidente do ÉDERSON BATISTA BALBINOtunidade para informar a população sobre Movimento Mineiro pelas Pessoasas atividades da atual gestão pública. O Amigo leitor, neste ano que se inicia haverá eleições municipais, em que o ICOB Desaparecidas e Crianças Exploradasobjetivo da conferência é contribuir para quer contribuir significativamente para a participação consciente dos moradores e (MIDESPAR) Robson Anisio dos San-um efetivo e democrático controle social e moradoras dos bairros. Já estamos em contato com outras entidades para promover- tos, com o apoio do Instituto Culturalgarantir que o dinheiro público seja usado mos uma campanha de conscientização e combate à corrupção eleitoral. Olegário Balbino (ICOB), foi final-de forma correta. Nas eleições municipais seremos a vanguarda na luta pelo aprofundamento da mente criada a Cartilha que traz A 1ª Consocial tem por finalidade participação popular. Quanto mais os governantes abrirem mão do seu poder e cons- informações sobre todos os procedi-encaminhar 20 propostas definidas pelos truírem mecanismos que realmente escutem o clamor popular, melhor. Construiremos mentos que se deve ter diante de umparticipantes para a etapa estadual e ele- uma cidade com oportunidades iguais para todas as pessoas. desaparecimento e, também, sobreger 24 delegados para defendê-las 2012 promete ser um ano de muita luta e de muitas realizações. Nós, da gestão como se prevenir.durante a conferência. atual -ICOB, chamamos todas as pessoas dispostas a construir um movimento comu- A Cartilha de prevenção ao desapa- Os participantes foram divididos em nitário combativo, autônomo e integrado a participarem das atividades (ICOB - pales- recimento contém textos e ilustraçõestrês segmentos distintos: 60% deles que dão noções mínimas de segurança tras e debates). Dê sugestões, reclame, divirja, debata: somente com a participaçãoforam representantes da sociedade civil; pessoal e preventiva a crianças e adoles- efetiva construiremos o que estamos desejando agora.30% do poder público; e 10% dos conse- centes. Com uma linguagem simples e AMIGO LEITOR, sabemos que o mundo não será melhor se ficarmos mais ricos,lhos de políticas públicas municipais. acessível, a cartilha mostra algumas mas o mundo será melhor se todas as pessoas crescerem em igualdade social e, princi- A conferência abordou quatro temas: dicas de procedimentos nas “reais” palmente, trazendo em seus corações a fé e o espírito de vida em abundância, sem cor-Promoção da Transparência Pública e situações de emergência. Por meio de rupção, corresponsáveis, preservando a natureza, preservando a vida das pessoas,Acesso à Informação e Dados Públicos; desenhos, as crianças assimilam e sejam elas quais forem.Mecanismos de Controle Social, Engaja- fixam mais facilmente as ideias básicas Agora é com você. Em 2012, participe. Seja também um Páginas Abertas. de segurança própria.mento e Capacitação da Sociedade Parao Controle da Gestão Pública; Atuação Um 2012 cheio de Saúde e Paz! A importância está em alertar paisdos Conselhos de Políticas Públicas Equipe Páginas Abertas e ou responsáveis, educadores, gover-Como Instâncias de Controle e Diretri- nantes e a sociedade sobre o drama Para o primeiro semestre deste ano o ICOB oferece vagas para o curso do ENEMzes Para a Prevenção e o Combate à Cor- provocado por este triste fenômeno, o e Supletivo do Ensino Médio para pessoas de baixa renda, as matriculas poderãorupção. Estes temas são chamados de grande número de desaparecimentos ser realizadas na Av. Américo Vespúcio nº 1599, bairro Nova Esperança.Eixos Temáticos. Cada participante em Minas Gerais e em todo o Brasil. O Vagas limitadas: 60 para o curso do ENEM e 30 para o Supletivo do Ensino Médio.escolheu, no momento da inscrição, de objetivo é chamar a atenção de todosqual eixo desejava participar. Assim, de para o problema e convidando para Para inscrição é necessário copias: Xerox; CPF, RG, COMPROVANTE DEuma forma democrática, a população que sejam mais participativos, atentos RESIDÊNCIA ATUAL, 1 FOTO 3x4 e taxa de inscrição no valor de 45,00.pode se informar um pouco mais e con- e solidários com as famílias que viven-tribuir na escolha de ideias para melho- ciam este drama. Robson Santos Informações: (031) 3032 5452 - www.olegariobalbino.blogspot.comrar o trabalho da gestão pública. explica a funcionalidade da cartilha. — Será muito útil em toda a Grande BH, pois muitos ainda nãoExpediente sabem que, após uma pessoa desapa-INFORMATIVO DO INSTITUTO CULTURAL OLEGÁRIO BALBINO recer, o Boletim de Ocorrência deveRua Margarida P Torres , 1460 - Nova Esperança - Belo Horizonte - Minas Gerais - CEP 31230 390 .Contato: 31. 3347.3282 - e-mail: icolegariobalbino@yahoo.com.br ou blog: olegariobalbino.blogspot.com ser registrado imediatamente e nãoRECURSOS HUMANOSCOORDENADOR/PROFESSOR: Éderson Batista Balbino, mais 24 horas após o desapareci-DIRETORA FINANCEIRA: Rosemayre Costa Carvalho, ADVOGADA:Donata Terezinha Balbino,SECRETÁRIO: Robson Anísio mento, como era antigamente.JORNAL – LABORATÓRIO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO NEWTON PAIVA / CENTRAL DE PRODUÇÃO JORNALÍSTICA – CPJ A cartilha será distribuída em esco-COORDENADORA DO CURSO DE JORNALISMO: Marialice Emboava, COORDENADOR DA CENTRAL DE PRODUÇÃO JORNALÍSTICA - CPJ: Eustáquio Trindade Netto– MG02146MT, PROJETO GRÁFICO E DIREÇÃO DE ARTE: Helô Costa – MG00127DG, colaboraram nesta edição estagiários do curso de Jornalismo: ,Lídia las da rede pública e privada, abrigos eSalazar,(edição);Ana Paula Moreira, Bruno Menezes, Diego dos Santos, Isabella Rocha, Izabela Moreira Jaqueline de Paula, João Sabino, LorayneFrançois, Miriam Gonçalves, Maiara Morais, Nayara Perez, Rayane Dieguez, Renato Gomes, Sérgio Viana, Thais Venturatto (textos); Fillipe Gibram, centros que atendem crianças e adoles-Geisiane de Olivera, Ludmila Rezende(diagramação)CORRESPONDÊNCIA: centes da região Noroeste. A partir doCentro Universitário Newton Paiva - Campus Carlos Luz: Rua Catumbi, 546 - Caiçara - Belo Horizonte - Minas Gerais - CEP: 31230-600 - Telefone: (31) 3516-2734 - cpj.jornalismo@newtonpaiva.br segundo semestre de 2012, será distri- buída também em toda a Grande BH. PÁGINA 2
  3. 3. LAZER ACM: a serviço da comunidade Desenvolver a mente e o corpo — os objetivos de uma entidade espalhada por diversos países Fotos Miriam Gonçalves RENATO GOMES se terem mecanismos que se encai- Localizada há mais de 30 anos na xem, tornando-os reais e de qualidadeRua Tietê, 292, no bairro Caiçara, a ACM — afirma Rui de Figueiredo Barbosa,(Associação Cristã de Moços) é uma enti- gerente de operações.dade filantrópica, sem fins lucrativos e Realizada na segunda quinzena deque, em Belo Horizonte, repete uma his- janeiro e julho, no período de fériastória que existe em âmbito internacional. escolares, a “Colônia de Férias”, das Devido a uma recente reestrutura- atividades proporcionadas pela ACM, éção, alguns projetos estão temporaria- a mais procurada. Não por acaso. Afinal,mente parados. “Estamos aguardando a são diversas oficinas culturais, esportesvisita de uma assistente social e assim que (natação, volley, futsal, peteca, quei-formos atendidos, pretendemos realizar mada), teatrinho, balão pula-pula,novos projetos a partir do ano que vem”, cama elástica e excursões que levam aafirmou Shirley Aparecida de Freita, garotada ao delírio.gerente administrativa da ACM. O objetivo é atender crianças de 6 a Com o intuito de estar mais pre- 14 anos de idade, mas as atividades sesente na comunidade, a ACM pretende estendem também ao público frequen-voltar com o “Dia Feliz”, em que, após a tador da unidade, com vagas para pes-aula, o aluno permanece o restante do soas de baixa renda e isenção de taxas.dia na ACM; “Interação social”, com Um programa e tanto para quem nãocreches e ONGs; “Unidades Móveis vai viajar e também não sabe o queOdontológicas”; “Oficina Escola”, que fazer com a criançada em casa. “Inseriroferece cursos de digitação, manicure, alunos carentes na sociedade, melho-mecânica, entre outros. rando a qualidade de vida, tem sido o — Fazer o projeto é muito fácil, nosso ideal”, acrescenta Rui. Outrasmas colocá–lo em prática, tem sido informações pelo (31) 3412-7818 oumuito difícil devido à necessidade de ouvidoria@acmmg.org. Férias: a grande vilã da alimentação Como driblar as crianças neste período, oferecendo alimentos mais saudáveis que pizzas e sanduíches? MAIARA MORAIS E RAYANE DIEGUEZ “batata frita, chicletes, bala e bolo são os bém entram de férias, liberam o horário os terríveis gêmeos Marlon e Adso que, a Se já é difícil de controlar a alimenta- meus preferidos”, vai enumerando sem e, para agradar as crianças, fazem só o exemplo de Mariana, citada no início dação da garotada em dias comuns, ima- a menor cerimônia. que elas gostam. Quando se fala em ali- matéria, não abriam mão de pizza,gine nas férias? Com mais tempo para O que mais dificulta a ação dos pais é mentação, não se pode esquecer a batata frita, bolo e pipoca — “só porca-ficar em casa e menos atividades para a autonomia como as crianças se impõem hidratação. De acordo com Aline, a ria”! No começo, era só gelatina;ocupar seu tempo, a hora do lanche cada vez mais. É necessário ter desenvol- ingestão de água e sucos é essencial nas “depois”, conta Jacqueline, “fui acres-acaba sendo mais do que uma simples tura e paciência. “Neste momento preciso férias, que coincidem no verão. Uma centando as frutas e os sucos, com algu-refeição para crianças. ter muito jogo de cintura, já que eles das dicas é usar alimentos nutritivos mas misturas mais sutis, tipo espinafre Com horários flexíveis e o consumo acham que mandam mais que eu”, afirma para variar o cardápio, preparando pra- com laranja ou couve reforçando a limo-frequente de comidas nada saudáveis, Sheila Miranda, 32, com bom humor. tos atrativos e coloridos. nada”. Segundo a empresária, eles logoos costumes habituais se modificam e as MORANGOS COM TOMATE A empresária Jacqueline Carvalho perceberam seu jogo, mas como nãocrianças se tornam mais vulneráveis às Segundo a nutricionista Aline de Mello teve a ideia de criar gelatinas acharam ruim, ela foi explicando queguloseimas. Mariana Miranda Corrêa, Luciane Ferraz, nesse período há uma coloridas, em forminhas com formato fazia bem e até sugerindo que eles mes-7, diz que abusa mesmo nas férias — dupla quebra de rotina, pois os pais tam- de animais, para vencer a batalha contra mos criassem suas próprias misturas.
  4. 4. RELIGIÃO Obras de contemplação O arcebispo Dom Walmor dá inicio a uma ideia que surgiu nos anos 30 JOÃO SABINO sociais, cuidando dos pobres. época. Devido às muitas dificuldades humana de Belo Horizonte, idealizou Belo Horizonte irá ganhar mais Na verdade, a criação da Catedral a obra não pôde ser concluída, apesar o projeto durante seis meses, entre-um projeto arquitetônico de Oscar é uma ideia que surgiu em 1936, moti- de iniciada. Niemeyer, que tem sua gando à Arquidiocese uma ideia arro-Niemeyer. Trata-se da nova Catedral vada por Dom Cabral, o arcebispo da obra eternamente ligada à paisagem jada. O projeto foi analisado e avaliadoCristo Rei, que deverá ser construída por todos os segmentos internos dana Avenida Cristiano Machado, em Igreja. Em 2010, Dom Walmor e Nie-frente à estação de metrô Vilarinho. meyer se reuniram no Rio de JaneiroSegundo o site da Arquidiocese de para a assinatura do contrato refe-BH, é um epicentro geográfico, se rente ao projeto. A Arquidiocese pre-considerado o adensamento popula- tende construir a Catedral Cristo Reicional de uma Arquidiocese de cinco com doações e apoios.milhões de habitantes. O motorista de táxi Edmilson José Um ano após o começo de seu pas- Ferraz, morador da região, acha que atoreio, que deu inicio em 2004, o arce- construção da catedral é um sonhobispo metropolitano de Belo hori- antigo de toda a população. Católicozonte, Dom Walmor Oliveira de Aze- praticante, pai de quatro adolescentesvedo, procurou o arquiteto Oscar entre 15 e 19 anos, Edmilson achaNiemeyer com um desafio: criar a importante destacar também as obrasCatedral como um lugar de espiritua- sociais que virão com a construção dolidade, cultura, educação e arte, mas templo. “Temos jovens muito carentes,que fosse também um lugar de pensa- gente que precisa de bons conselhos,mento e diálogo, em que a Arquidio- pra ver se bota na cabeça que a vida nãocese pudesse desenvolver suas obras se resume em bailes funk”, afirmou. A necessidade da ação A nossa indignação é uma mosca sem asas, não ultrapassa as janelas de nossas casas Samuel Rosa e Chico Amaral RAYANE DIEGUEZ então nenhum tipo de “indignação” Vinícius Souza, 17, prefere afirmar que o “Poderíamos fazer passeatas e divulgar Milhares de pessoas estão indo a ruas gerou mobilização e a pergunta que governo não oferece opções de lazer. “Para nas redes, mas não fazemos”. Como jáem uma onda de protestos que ronda fica é: será que somos um povo con- poder se divertir é preciso gastar muito, dizia Rui Barbosa, “De tanto ver prospe-todo o mundo. São os Indignados – termo formado? Será que desistimos de mas infelizmente não são todas as pessoas rar a desonra, de tanto ver agigantar-seque se originou na Espanha e ganhou punir a corrupção? que possuem dinheiro para isso”. Mas, se os poderes nas mãos dos maus, oforça e mobilidade mundial. As manifes- De acordo com o sociólogo Rodney o caso é saber se existe alguma atitude a se homem chega a desanimar-se”.tações tiveram grande repercussão. de Souza, tudo é uma questão de tradi- tomar em relação ao descaso do governo, Os mecanismos de organização emEntretanto no Brasil, os protestos foram ção. “Temos que construir instituições e Vinicius é reticente, diz que “pode até sociedade não possibilitam ninguém afracos e não obtiveram relevância. movimentos democráticos, mas isto haver, mas não iria adiantar nada”. Ou acreditar em um “país de todos”. A uto- A ultima manifestação relevante demanda tempo”, afirmou. Para ele, seja, nada de se indignar. pia de se ver os padrões de boa condutaque ocorreu no país foi em 1992, “nossa democracia é jovem, mas no Segundo o estudante Marco Júnio, nos líderes brasileiros é substituída peloquando “Os Cara Pintadas” se uni- futuro ela se consolidará e o povo terá 16 anos, a divulgação em redes sociais que é noticiado a todo o momento nasram contra Fernando Collor, o então uma melhor consciência”. seria uma boa maneira de unir grandes mídias. Mas é preciso mudança, afinalp re s i d e n t e d a R e p ú b l i c a . D e s d e Até que nem tão indignado assim, grupos em prol de um governo melhor. não basta indignar-se, é preciso agir. PÁGINA 4
  5. 5. EDUCAÇÃO Novidades querem minimizar transtornos e Enem volta a inovar em 2012 facilitar a entrada dos jovens nas universidades Fotos Juliana Lima BRENDDA COSTA E JULIANA LIMA ingresso profissional de outros milha- Paulo, pedagoga do Centro Universitá- O Exame Nacional do Ensino res de cidadãos no mercado de traba- rio Newton Paiva, o fato de o EnemMédio (Enem) irá trazer algumas lho, efetivando conquistas pessoais oferecer o certificado de conclusão donovidades em 2012. Uma delas, é que, nunca obtidas anteriormente. ensino médio, no entanto, não significasegundo a presidente do Instituto O motivo das edições é diminuir os conhecimento. Por isso, Ana Lúcia dis-Nacional de Estudos e Pesquisas Edu- problemas ocasionados pelos erros corda da medida adotada. Mas, mesmocacionais Anísio Teixeira (Inep), Mal- apresentados no Enem das edições não tendo conhecimento do método devina Tuttman, definiu que a partir de anteriores. E acima de tudo, oferecer correção da prova, ela é otimista e acha2012 o Enem será implementado em mais oportunidades e chances para eficiente a correção. Ainda assim, Anapelo menos duas edições por ano. A quem quiser fazer a prova e entrar na Lúcia afirma que “erros têm ocorridoprimeira será nos dias 28 e 29 de abril; faculdade. Já que diversas universida- devido à falta de gestão eficiente, pes-a outra ainda não tem data marcada. A des de todo o Brasil não fazem mais soas mais comprometidas e envolvidassegunda novidade é que, para aqueles vestibular, a única forma de ingresso é com o processo”.que não terminaram os estudos em através da nota do Enem. A fim de tornar a prova menos can-tempo certo, a prova será uma forma PONTOS POLÊMICOS sativa o Ministério da Educaçãode obter o certificado de conclusão do Para os maiores de 18 anos que (MEC) está estudando uma maneiraensino médio. ainda não concluíram o ensino médio, de amenizar a situação. Uma alterna- A presidente e professora do Inep há uma segunda alternativa: Dispen- tiva estudada pelo MEC é mudar aacrescenta que o Enem continua Ana Lúcia, pedagoga da Newton Paiva, afirma sando cursos supletivos, eles poderão organização da prova, com questões que Enem precisa melhorar gestãosendo e será sempre um exame de ava- participar da prova. Segundo o profes- de matemática e redação em dias dife-liação do ensino médio. Tuttman tam- sor Dorivan Ferreira Gomes, coordena- rentes. Os candidatos reclamam dabém ressaltou que, como instrumento dor de exames do instituto responsável falta de tempo para realizar a prova. Jáde cidadania, o exame tem aspectos pelo Enem, o Inep, a nota do Enem, que no segundo dia de avaliações ospositivos inquestionáveis: garante pode variar de 60 a 180. Se o candidato estudantes devem responder questõescertificação do ensino médio para tiver um conceito acima de 100, ele de linguagens, matemática e redação.milhares de cidadãos que ainda não está apto para receber o certificado, A intenção do MEC é tornar obrigató-tiveram essa oportunidade; oferece o que deve ser emitido pelos estados. ria a prova para todos os alunos queacesso ao ensino superior e fortalece o Segundo Ana Lúcia Fernandes estão terminando o ensino médio. É hora de ir ao teatro Apresentada entre os meses de janeiro e fevereiro, a Campanha de Popularização do Teatro traz novas oportunidades para o público ANA PAULA MOREIRA em vários teatros por toda cidade, com um preço Amauri diz que cada ano bate um Há 37 anos, surgia em Belo Hori- superacessível. O festival acontece anualmente recorde de público. “Belo Horizonte zonte a Campanha de Popularização do entre os meses de janeiro e fevereiro. transforma a Campanha de Populariza- Teatro. O projeto surgiu com a intenção de Há 32 anos em cena, o ator, produtor e diretor ção do Teatro em sua verdadeira praia atingir as classes mais pobres, que não tinham Amauri Reis, que já atuou em grandes sucessos tea- cutural no verão”, afirma. Quem concorda acesso mais frequente ao teatro ou, às vezes, trais, como “Na virada do sexo’’, “Vexame’’, e “Com com ele é a vendedora Marilce Garcia, 45, que, nem o hábito de assistir uma peça nem que fosse jeito, vai’’, entre outras, reconhece que a campanha há dez anos, nunca tinha entrado num teatro. uma vez por ano. A preços baixos, a campanha se é, de fato, um sucesso. Reis, que também já atuou na Levada por uma amiga à peça “Um espírito baixou em tornou um sucesso, ganhando uma nova formação televisão e como diretor, participa da campanha mim” ela disse que nunca viu nada tão engraçao. “É de público. Muita gente viu que, de vez em quando, desde o começo. mil vezes melhor que ver televisão”, reconhece. valia a pena investir numa peça de teatro. — O público deveria frequentar mais o teatro Segundo Marilce, que assistiu à peça oito vezes e Por isso, a Campanha de Popularização do Tea- além dos meses da campanha, pois durante o ano há ganhou até autógrafo do modelo que fazia uma das tro se tornou um evento tradicional em Belo Hori- varias peças que não atingem o esperado tanto personagens, o que dificulta maior frequência ao zonte. Hoje, oferece dirfersificados espetáculos quanto a popularização, que alcança varios públicos. teatro é realmente o preço. PÁGINA 5
  6. 6. CORPO E MENTE Falta de lazer favorece aumento da violência es Fotos Miriam Gonçalv Mato e entulho tomam conta do campo e a quadra sofre por falta de manutenção MIRIAM GONÇALVES E SÉRGIO VIANA aumento dessa estatística. Os números daqui aprende a beber desde cedo. Horizonte, e composta por vários bair- As estatísticas mostram que os cri- crescem principalmente em áreas Depois, ninguém segura mais... ros, mas quase todos com um pontomes violentos no Brasil têm um perfil onde os jovens sequer desfrutam de Para o Sociólogo Rodnei Souza, pro- comum, a carência nas áreas de lazer.bastante definido. São jovens do sexo alternativas quanto a atividades de fessor do Centro Universitário Newton Um exemplo e o bairro Bom Jesus, quemasculino, com idades entre 15 e 24 lazer, desviando sua atenção para Paiva, quando a comunidade é carente e possui somente uma quadra, que sobre-anos, geralmente pobres e moradores outros assuntos. Wilma Ferreira, mora- falta segurança pública, esse quadro vive a duras penas, apenas com a ajudadas periferias dos grandes centros urba- dora da comunidade, conta que, na acaba gerando um aumento nos casos dos moradores. João Araújo é agentenos. Como a escola pública tem sido região Noroeste, “tirando o Shopping de violência. “O estado deveria contri- comunitário há três anos. Ele conta queincapaz de reter os jovens, assim o Del Rey, não tem mais nada”. E o lazer buir com o lazer, que é um direito tem “suado bastante para melhorar osmundo do crime fica cada vez mais atra- oferecido pelo shopping, segundo Célia público”, ressalta Rodnei. investimentos na região”.tivo pelo ganho maior e mais rápido. da Silva, não atende a muitos jovens da Muitas vezes na busca de mudar — Mas, sozinho não dá para fazer A ausência do estado e a pressão da comunidade, pois é voltado para a essa realidade, os próprios moradores muita coisa. A prefeitura e outros órgãossociedade por uma identidade cada vez classe média. tentam criar projetos que tirem os privados, deveriam olhar mais para amais universal têm contribuído para o — Aqui só tem botequim. Menino jovens da rua. A região Noroeste de Belo gente, reclama. Pare; olhe; reflita... Crack? Nem pensar DIEGO DOS SANTOS rede publica e privada informações sobre como educador acredito que o importante controle, além do aumento da agressivi- O consumo de crack vem crescendo a droga, e conversar de maneira igualitá- é instruir e conscientizar os jovens — diz dade são o que ele vai ganhar.assustadoramente nos grandes centros ria com os jovens, abordando temas Éderson Balbino. — Para conseguir minha pedra, pas-urbanos brasileiros. Muitas pessoas — e decorrentes do uso do crack — criminali- O crack é uma droga tão pesada, que o sava por cima de qualquer um; já roubei eentre elas, jovens e crianças — estão per- dade, marginalidade e reinserção social, dependente chega a acreditar que, consu- só não matei porque nunca me pediramdendo suas vidas devido ao contato com entre outros assuntos atuais de interesse mindo-a, consegue compensar a falta da — complementa Thiago Rocha.essa droga letal, que não escolhe cor, raça da comunidade. O objetivo é o resgate família, a fome e outras necessidades que O projeto “Crack nem pensar” vemou poder aquisitivo. Por isso, o projeto social e a busca da conscientização de que qualquer pessoa tem. para conscientizar jovens e familiares“Crack nem pensar” vem para ajudar a droga definitivamente não faz bem. — Fui viciado durante nove anos; de que a droga, definitivamente, nãojovens da regional noroeste, e tem por Segundo o coordenador do projeto vendi tudo que tinha dentro de casa e vale a pena.objetivo levar informações a respeito da Éderson Batista Balbino, o projeto “Crack perdi o respeito das pessoas que eudroga e fazer com que os jovens reflitam e nem pensar”, além de levar informação amava — as palavras são de Thiagoacreditem que é possível vencer barreiras, sobre o perigo de se experimentar a droga, Rocha, 27 anos, office-boy, e mostrampreconceitos e realizar sonhos. Sem preci- levará cultura também, mostrando para a como, em pouco tempo, o dependentesar encher a cuca. juventude alternativas em forma de se vê escravo da droga e se torna capaz O Projeto, que consiste em realizar outras atividades que podem preencher de tudo para conseguir aquilo que acre-pequenas apresentações artísticas e seu tempo de forma muito mais positiva, dita ser sua válvula de escape. Nopalestras em ruas e praças, possui tam- como cinema, música e dança. entanto, neurônios destruídos, falta debém a finalidade de levar às escolas da — A informação é a melhor arma, eu memória, de concentração e de auto- PÁGINA 6
  7. 7. Ao contrário da baixaria que domina boa parte do gênero, o funk consciente leva TENDÊNCIA letras educativas às escolas A inovação no funk THAIS VENTURATTO população e seu objetivo é mostrar à difundem a paz e vão contra o parte da manhã, e leva suas letras O funk consciente vem domi- nova geração que as drogas e o crime e as drogas. de conscientização para alunos da nando à cabeça dos jovens. Novos crime não levam a nada. O projeto Marilda Lara, assessora de rede pública, priorizando as esco- projetos invadem as escolas e tra- foi iniciado por Iuri Zanoni de gabinete da regional noroeste, las que estão localizadas nas fave- zem outra visão nas letras, dei- Andrade, mais conhecido como MC afirma que a influência do MC Yuri las ou próximas a elas. E ali deixa xando de lado o conteúdo vulgar Yuri BH, e teve início com a música traz pontos positivos para as crian- sua mensagem, por meio das can- das letras banais que dominam boa que ele fez para sua avó: “Minha ças das escolas. “É uma criança ções. As apresentações são uma parte da produção. E, com isso, Vó”. Posteriormente, Iuri fez a letra passando uma mensagem de res- alegria a mais para as crianças, que ganha o espaço na rede pública. As educativa “O crime não presta”. ponsabilidade e consciência a veem nele um exemplo. É o caso de crianças das escolas da região Com letras contagiantes, o outra criança; o pequeno Yuri Phellippe Roberto, de oito anos, Noroeste relembram, por meio das pequeno Yuri, de 12 anos, está ensina a dar valor à família e a não que também quer seguir a carreira letras, os verdadeiros valores da fazendo a cabeça de muitos jovens. deixar se perder por coisas erra- de Mc. “Quero falar que o bem família. E de quebra, que o crime E não só da periferia. Ele estourou das”, comenta. pode vencer o mal”, adianta Phelli- não compensa. na internet com o vídeo “o crime Mas, para isso, Yuri pega ppe, que tem foto autografada de O Projeto Funk Consciente não presta”, que teve quase dois pesado. Ele vai às escolas de Belo Iuri e sonha, um dia, ter um vídeo engloba a massa mais pobre da milhões de acesso. Suas letras Horizonte toda sexta-feira, na no youtube, “para pregar a paz”. ão lgaç Divu ir ArmarinhoPrazer em serv Santa Terezinha A loja e pequena e os preços também são! COBRIMOS QUALQUER OFERTA DA REGIÃO Não compre sem antes nos consultar. ARTIGOS PARA PRESENTES. ARTESANATO, PAPELARIA E UTILIDADES EM GERAL. Av. Américo Vespucio n°1599 Bairro Nova Esperança - Tel – 031 - 30325452 PÁGINA 7
  8. 8. TRADIÇÃO Eu quero é botar meu bloco na rua Mesmo sem dinheiro e sem patrocínio, a região noroes te não abre mão do carnav al e promete uma festa ani ISABELLA ROCHA mada A região noroeste clama Os principais problem por um carna- pa as enfrentados danç val próprio e a falta de ra quem toma a inicia aram”, afirma ela, com atitude da Prefei- tiva são a falta de orgulho. um espaço físico e de Mais ela quer mais, mu tura para que isso se dinheiro. “Quando a ito mais. Eloísa concretize, segundo de Jesus sabe que dis os moradores, não é época do Carnaval está posição e empolga- problema. Eloísa de chegando, a galera çã me procura para juntar o não faltam. Mas, pa Jesus Oliveira promete o pessoal, pular e tor ra seus planos se , desta vez, fazer narem algo concreto em uma festa do tamanho brincar”, conta Eloísa. 2012, o evento da alegria e von- O problema é que pr as festas que acontecera ec isa de pa tro cín io. tade da região. Desde m até agora ainda líd Sa be nd o dis so, a 2008, a líder comu- er comunitária deixa nit ár ia jun ta for ça s pa não convenceram. Co o recado: ra faz er um a fes - m o pedido da popu- lação, no Carnaval de — Queremos que o pr tança daquelas, bem 2009, a líder comu- óximo Carnaval divulgada e que una tenha mais pessoas e toda a população dos nitária alugou um som que a região fique bairros Aparecida, e colocou na praça. “A lu gu ei um be m ba muito animada. QuemBo m Je su s, Ca iça ra ra to, co m um viz i- quiser me procu- e No va Es pe ra nç a. ra r, po de ch eg ar : vaMas, até hoje, o máxim nho”, conta Eloísa, lem mo s faz er reu ni õe s o que conseguiu foi brando que “umas pa 60 pessoas, entre menin ra idealizar o evento!reunir cerca de 60 pesso os fantasiados de as em uma praça, A re gio na l No ro es tedançando em volta de meninas e crianças tam fo i pr oc ur ad a um som alugado. bém fantasiadas”. pa Não foi um sucesso de ra comentar sobre o público, mas “todos assunto, mas não retornou as ligações do Páginas Abertas. PÁGINA 8

×